Your SlideShare is downloading. ×
Teoria Marxista
Teoria Marxista
Teoria Marxista
Teoria Marxista
Teoria Marxista
Teoria Marxista
Teoria Marxista
Teoria Marxista
Teoria Marxista
Teoria Marxista
Teoria Marxista
Teoria Marxista
Teoria Marxista
Teoria Marxista
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Teoria Marxista

31,802

Published on

1 Comment
9 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
31,802
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
755
Comments
1
Likes
9
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Teoria de Karl Marx (1818-1883) Professora: Cristiane Vilela Disciplina: Sociologia Bibliografia: Manual de Sociologia. Delson Ferreira Introdução à Sociologia. Sebastião VilaSociologia - Introdução à ciência da sociedade. Cristina Costa
  • 2. Contexto históricoFase do capitalismo industrial (séculos XVIII a XX): Com a revolução industrial, o capital passa a serinvestido basicamente nas indústrias, que se tornam àatividade econômica mais importante.Ocorreu assim, um crescimento expressivo do númerode trabalhadores industriais urbanos.As consequências desse aumento foram os inchaçosnos centros urbanos e a precariedade da vida dosoperários.
  • 3. Contexto histórico Essa situação gerou a organização dostrabalhadores em associações, sindicatos emovimentos que visavam à transformaçãodas condições de vida. Dentro desse contexto, Marx foi reponsávelpela construção de uma obra voltada para aanálise, a crítica e a luta para atransformação radical da sociedadecapitalista.
  • 4. Teoria de Marx O Materialismo histórico A sociedade se constitui a partir de condições materiais de produção e da divisão social do trabalho. Segundo essa concepção, as relações materiais que os homens estabelecem (produção dos próprios meios de vida) formam aMaterialismo base de todas as suas relações. histórico As mudanças históricas são determinadas pelas modificações das condições materiais e da divisão de trabalho. Assim, o estudo do modo de produção é fundamental para compreender como se organiza e funciona uma sociedade.
  • 5. Teoria de Marx Organização da estrutura social Dividir por 3,6 Infraestrutura Superestrutura Duas faces de uma mesma moeda Abrange as normas jurídicas, osÉ o conjunto das relações de comportamentos políticos e sociais,trabalho, é o modo de produção as manifestações religiosas, a basevigente em determinado tempo ética, filosófica e moral.e lugar. São interdependentes Multiplica por 3,6 Base material da É um reflexo da base sociedade. material da sociedade. Em suma, para Marx a estrutura da sociedade reflete a forma como os homens se organizam para a produção social de bens, que engloba dois fatores fundamentais: as forças produtivas e as relações de produção.
  • 6. Teoria de Marx - Organização da estrutura social: Classes sociais Na composição da infraestrutura da sociedade, Marx dá destaque àsrelações de produção, que são consideradas as mais importantes relaçõessociais. Cada modo de produção representa diferentes formas de organização dapropriedade privada e da exploração do homem pelo homem. Assim, para Marx, as classes sociais tiveram origem nas desigualdadessociais produzidas pelas relações de produção, que divide os homens emproprietários e não proprietários dos meios de produção. No modo de produção capitalista, as classes sociais são divididas em: os proletariados: trabalhadores despossuídos dos “meios de produção”, que vendem sua força de trabalho em troca de salário, tornando-se mercadoria, cujo preço é o salário; os capitalistas, que possuindo os meios de produção sob a forma legal da propriedade privada, “apropriam-se” do produto do trabalho de seus operários em troca do salário do qual eles dependem para sobreviver.
  • 7. Teoria de Marx - Organização da estrutura social: Classes sociais Marx afirmava que as relações entre as classes sociais são relações de oposição,antagonismo e exploração. Por outro lado, apesar dessas relações, as classes sociais são tambémcomplementares e interdependentes, pois uma só existe em função da outra.Assim, na visão marxista a totalidade social é contraditória, conflitiva, composta departes que aparentemente são integradas, mas no fundo guardam incompatibilidadeentre si, o que impulsiona a realidade social a transformar-se continuamente,seguindo em movimento perpétuo. De modo que nada é eterno, absoluto.Por essa razão, para Marx a história humana é a historia da luta de classes, dadisputa constante por interesses que se opõem, embora essa oposição nem semprese manifeste socialmente sob a forma de conflito ou guerra declarada. Asdivergências e antagonismos das classes estão subjacentes a toda relação social,nos mais diversos níveis da sociedade, em todos os tempos, desde o surgimento dasociedade.
  • 8. Teoria de Marx - Organização da estrutura social: Alienação Para Marx, a classe operária encontra-se alienada por força da lógica dasociedade capitalista, o que impede de imediato, a reversão de sua posição deexplorada.A palavra “alienação” tem um conteúdo jurídico que designa a transferência ouvenda de um bem ou direito. Desde a publicação da obra de Rosseau (1712-1778)passa a predominar para o termo a ideia de privação, falta ou exclusão.Marx absorverá ambos os sentidos; a alienação ocorre em três dimensões: apolítica, a econômica e a filosófica: – A alienação econômica ocorre porque a maior parte da população se encontra impedida de ter acesso aos meios de produção estando assim relegada a vender sua força de trabalho. Além disso, os trabalhadores estão impedidos de ter o domínio sobre o fruto de seu trabalho, isto é, a mercadoria que produzem.
  • 9. Teoria de Marx - Organização da estrutura social: Alienação – A alienação política se caracteriza pelo impedimento, que a maior parte da população sofre, de participar das decisões políticas do país. Segundo Marx, o Estado não supera as contradições da sociedade civil, mas é o reflexo delas, e esta aí para perpetuá-las. Por isso só aparentemente visa ao bem comum, estando de fato a serviço da classe dominante. – A alienação ontológica (ou filosófica) é expressão das duas outras dimensões do processo de alienação. Os seres humanos, sem acesso à riqueza e às decisões políticas fundamentais do país, não podem construir um novo tipo de sociedade e de “ homem” pautado nos princípios da solidariedade, fraternidade e justiça. Segundo Marx, a “divisão social do trabalho” fez com que o pensamento filosófico, cientifico e político se tornasse atividade exclusiva de um determinado grupo.
  • 10. Teoria de Marx - Organização da estrutura social: Alienação – A alienação política se caracteriza pelo impedimento, que a maior parte da população sofre, de participar das decisões políticas do país. Segundo Marx, o Estado não supera as contradições da sociedade civil, mas é o reflexo delas, e esta aí para perpetuá-las. Por isso só aparentemente visa ao bem comum, estando de fato a serviço da classe dominante. – A alienação ontológica (ou filosófica) é expressão das duas outras dimensões do processo de alienação. Os seres humanos, sem acesso à riqueza e às decisões políticas fundamentais do país, não podem construir um novo tipo de sociedade e de “ homem” pautado nos princípios da solidariedade, fraternidade e justiça. Segundo Marx, a “divisão social do trabalho” fez com que o pensamento filosófico, cientifico e político se tornasse atividade exclusiva de um determinado grupo.
  • 11. Teoria de Marx - Organização da estrutura social: Alienação e Ideologia. Assim, o homem se tornou alienado em todas as esferas da sociedade(econômica, política, cientifica, filosófica, cultural), uma vez que a consciênciacoletiva, ou seja, o conjunto de ideias dominantes em determinada sociedade, é osistema de ideias de uma classe dominante, ao qual Marx denominou de ideologia. Marilena Chauí define ideologia como um conjunto lógico, sistemático e coerente de representações (ideias e valores) e de normas ou regras (conduta) que indicam e prescrevem aos membros de umasociedade o que devem pensar e como devem pensar, o que devem valorizar e como devem valorizar, o que devem sentir e como devem sentir, o que devem fazer e como devem fazer. Fi
  • 12. Teoria de Marx - Organização da estrutura social: Mais-valia  O capitalismo vê a força de trabalho como uma mercadoria capaz de criar valor, uma vez que, o valor das mercadorias depende do tempo de trabalho gasto na sua produção.  De acordo com a análise de Marx, não é no âmbito da compra e da venda de mercadorias que se encontram as bases estáveis para o lucro dos capitalistas, nem para a manutenção do sistema capitalista. Ao contrario, a valorização O capitalismo vê adá no âmbito de sua produção. da mercadoria se força de trabalho como mercadoria  Para entender o conceito de mais-valia, imagine a seguinte situação: “Imagine um capitalista interessado em produzir sapatos, utilizando para calcular os custos de produção e lucro, uma unidade de moeda qualquer. Pois bem, suponhamos que a produção de um par lhe custe 100 unidades de moeda de matéria-prima, mais 20 com o desgaste dos equipamentos, mais 30 de salário diário pago a cada trabalhador: total de 150 unidades de moeda representa sua despesa com investimentos.
  • 13. Teoria de Marx - Organização da estrutura social: Mais-valia Suponhamos que o operário tenha uma jornada diária de nove horas e confeccione um par de sapatos a cada três horas. Nessas três horas ele cria uma quantidade de valor correspondente ao seu salário, que é suficiente para obter o necessário à sua subsistência. Como o capitalista lhe paga o valor de um dia de força de trabalho, no restante do tempo, seis horas, o operário produz mais mercadorias, que geram um valor maior do que lhe foi pago na forma de salário. Visualiza-se, portanto, que uma coisa é o valor da força de trabalho, isto é, o salário, e outra é o quanto esse trabalho rende ao capitalista. Esse valor excedente produzido pelo operário é o que Marx chama de mais-valia. Numa indústria mecanizada, as mesmas horas de trabalho produzem um número maior de mercadorias: aqui a força de trabalho vale cada vez menos graças à maquinaria desenvolvida, por isso para o capitalista é imprescindível o desenvolvimento de tecnologias de produção”.

×