Prova de literatura
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Prova de literatura

on

  • 1,773 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,773
Views on SlideShare
1,269
Embed Views
504

Actions

Likes
0
Downloads
18
Comments
0

1 Embed 504

http://marista2d.wordpress.com 504

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Prova de literatura Prova de literatura Document Transcript

  • Prova de Literatura – dia 10/10RealismoPeríodo: 2ª fase da Revolução IndustrialOposição ao idealismo romântico. Não há envolvimento sentimentalCorrente sociológica: Positivismo – rejeição de qualquer explicaçãometafísica da realidade / pautava-se nos experimentos físicosDescrição fiel dos fatos / da realidadeCaracterísticas: Objetivismo Imparcialidade / Impessoalismo Universalismo Personagens esféricas – mais complexas e dinâmicas, pois evoluíam psicologicamente ao longo do texto. Contemporaneidade - O que interessa é o presente Detalhismo Linguagem culta, porém direta. Mulher não idealizada, mostrada com defeitos e qualidades. Amor e outros sentimentos subordinados aos interesses sociais Herói problemático, cheio de fraquezas e manias. Narrativa lenta, exploração do tempo psicológico. Denúncias em relação à sociedade francesa. Temas – tratamento diferenciado Narrador em 3ª pessoa - onisciente Retratação das classes mais altas – análises psicológicas do comportamento da sociedadeNaturalismoRealismo científicoRealismo exageradoDeterminismo e cientificismoHomem: meio, raça e momento.Romance de tese – análise dos personagens – narrador em 3ª pessoa(distanciamento)Personagens animalizadosA principal característica do Naturalismo é o cientificismo exagerado quetransformou o homem e a sociedade em objetos de experiências.Descrições minuciosas e linguagem simplesPreferência por temas como miséria, adultério, crimes, problemas sociais,taras sexuais e etc. A exploração de temas patológicos traduz a vontade deanalisar todas as podridões sociais e humanas sem se preocupar com areação do público.Ao analisar os problemas sociais, o naturalista mostra uma vontade dereformar a sociedade, ou seja, denunciar estes problemas era uma forma detentar reformar a sociedade.Baseado nas correntes sociológicas materialista: positivismo, determinismoe darwinismo. Positivismo: Foi uma corrente filosófica iniciada por Auguste Comte, onde as ideias de percepção humanas são baseadas na observação, exatidão, deixando de lado teorias e especulações da Teologia e Metafísica. Determinismo: Crença em que os acontecimentos ocorrem de uma maneira já fixada, num plano sobrenatural ou pelas leis da Natureza. É o princípio em que
  • todos osfenómenos estão ligados uns aos outros, por meio de relações ou leis necessárias. As ações do homem são determinadas pelo meio. Darwinismo: Seleção natural – busca por sobrevivência. Os indivíduos que apresentassem características menos favoráveis encontrariam dificuldade para competir, reproduzir e sobreviver. Dessa forma, através da seleção natural, os indivíduos com características desfavoráveis tenderiam a quase desaparecer com o passar dos tempos.Realismo NaturalismoRomance documental Romance experimentalIndividualidade ColetividadeAnálise exterior e interior Análise exteriorÊnfase psicológica Ênfase biológica – comprovar a tese científicaClasses sociais dominantes Classes sociais dominadasInterpretação indireta Interpretação diretaClasses mais altas Classes mais baixasObras: O Cortiço – Aluísio de Azevedo Romance de tese Personagens psicologicamente superficiais (tipos sociais) João Romão – capitalista explorador Bertoleza – trabalhador escravo Miranda – Burguês Jerônimo – Disciplina no trabalho Piedade – Mulher europeia Rita Baiana – mulher brasileira Personagem principal: o cortiço (ganha vida tal qual um personagem) Narrador: 3ª pessoa – onisciente Tempo: Linear / Brasil do séc. XIX. Espaço: cortiço (pobres) + sobrado do Miranda (burguesia ascendente) Miscigenação / mistura das raças que de acordo com o determinismo não será positiva. Enredo João Romão + Bertoleza X Miranda – briga por pedaço de terra/ Miranda recebe título de Barão / ascensão financeira e social Moradores do cortiço – sem nenhuma ambição – produto da organização e do dinamismo do cortiço. Rita Baiana – Piedade + Jerônimo (má influência do meio sobre o homem) Pontos importantes Cortiço – organismo vivo (biológico) Tese: mistura de raças – degradação humana Crítica às diferenças sociais Meio, raça e momento histórico determinam o comportamento dos personagens.
  • Germinal –Émile ZolaObjetivo: reconstruir a sociedade francesa da segunda metade doséc. XIX.A obra Germinal de Émile Zola, que inclusive consagrou um dosmaiores escritores de todos os tempos, nos apresenta a vida dojovem Étienne Lantier que luta intensamente em busca de umatransformação político e social da situação na qual vivia a Françaespecialmente a cidade de Montsou no séc. XIX.O "Germinal", nos mostra a situação de miséria em que seencontravam os mineiros franceses; as relações entre capitalistase operários; as greves e o sindicalismo; as necessidades humanasem contraste com as necessidades materiais.Critica a sociedade burguesaVisão do homem como um animal, movido pela eterna satisfaçãode suas necessidades biológicas e pela adaptação ao seu meio.Repetidas vezes, Zola descreve as ações e o comportamento deseus personagens humanos como próprias de animais, ou entãodescreve animais como dotados de comportamento quasehumano.A ação humana é muito influenciada por questões patológicas. Odesenvolvimento da vida de seus personagens depende muito dasdoenças as quais os mesmos estão submetidos. Obviamente, issodecorre da busca de fundamentação científica para descrever ocomportamento humano pelo autor. Assim, enquanto osmineradores, por estarem em contato com mais doenças, já sãodescritos fisicamente e psicologicamente como adultos logo napuberdade, os jovens burgueses mesmo depois dos vinte anosainda são vistos como crianças.O determinismo pelo meio. Sendo o homem um animal comotodos os outros, vive em busca de se adaptar ao seu meio.Portanto, o meio é um fator determinante ao comportamentohumano; é mais forte do que qualquer ação individual.O instinto. Apesar de viver em uma época em que as pessoasintelectualizadas tinham plena fé no desenvolvimento científico ena racionalidade humana, Zola põe na irracionalidade, isto é, nossurtos emocionais de seus personagens, um fator de extremaimportância no enredo.O niilismo. O sofrimento e a injustiça são elementos frequentesno comportamento humano. Mas, para uma sociedade de animaismedíocres, irracionais e presos ao seu meio, por mais revoltanteque ele seja, como a sociedade humana, melhoras sãopraticamente impossíveis.O Primo Basílio –Eça de QueirósEça de Queiroz ataca uma das instituições mais sólidas: ocasamento. Com personagens despidos de virtude, situaçõesdramáticas geradas a partir de sentimentos fúteis emesquinharias, lances amorosos com motivações vulgares emedíocres – apesar de tudo isso, ao mesmo tempo em queataca, desperta o interesse da sociedade lisboeta.Embora o adultério fosse tema já trabalhado pelo Romantismo,Eça de Queiroz explora o erotismo quando detalha a relaçãoentre os amantes. Inova também ao incluir diálogos sobrehomossexualismo. O autor, que já mostrara sua opção por umaliteratura ácida e nada sentimental em O Crime do Padre Amaro,cria personagens fisicamente decadentes – cheios de doenças ecatarros – e de comportamento sexual promíscuo.
  • O Primo Basílio é uma obra naturalista e realista. A escola realista propõe uma criação literária apoiada na análise objetiva da realidade. O narrador aparece como um observador imparcial, que vê os acontecimentos com neutralidade e que domina as informações sobre o contexto no qual o enredo acontece. O Naturalismo traz uma preocupação a mais: tenta introduzir o método científico na obra literária e, com isso, intensifica e amplia as tendências básicas do Realismo.Personagens: Os personagens que recheiam a obra de Eça de Queirós na sua fase naturalista, como em O Primo Basílio, são planos, ou seja, são o oposto dos personagens de grande intensidade interior e psicológica – os personagens esféricos. Em O Primo Basílio, toda a intensidade é reservada para a trama. Os personagens apenas são por ela envolvidos e arrastados. Ou seja, a realidade objetiva é que molda e define a vida dos homens.Estilo e linguagem: A obra de Eça adapta o texto literário ao ritmo e à modulação da língua falada. Assim, rejuvenesce a linguagem literária, mesclando-a com recursos de abordagem mais próximos do jornalismo. Detalhismo Fotografia lírica dos ambientes Visão crua dos personagens