LENTES
Lentes CôncavasUma característica que podemosusar para identificá-las, é quepossuem as bordas (extremidades)mais grossas, ...
Lentes Convexas • São lentes de bordas   delgadas (finas). A   parte central é mais   grossa. Podem   classificar-se como ...
• As lentes convergentes concentram os raios de  luz.
Lentes Divergentes
Resumo      Resumo: LentesEspelho Côncavo            convergentes                                 R                       ...
Espelho ConvexoLentes divergentes                          R                     f =−                          2
EQUAÇÕES ?                Ti             A=                T0                − di             A=                do        ...
a) O que é uma lente divergente ou côncava?b) Qual lente pode ser utilizada para aquecer um material?c) Imagens reais pode...
1. A distância i medida é menor que a distância f.2. A distância d, entre a lente e a árvore, é dada por: d = (f x i) / (i...
Uma imagem foi projetada em uma   parede através de uma lente. Julgue        as alternativas a seguir:1. Tanto uma lente c...
(2ºVestibular UnB - 2010)                            A figura I ilustra uma imagem da                            nebulosa ...
As estrelas, gradualmente, vão-se desfazendo até chegarem àscamadas mais quentes e profundas, quando emitem luz ultraviole...
1) Ao se usar o espectroscópio ilustrado na figura III para analisar   a luz visível emitida pelo átomo de hidrogênio, obt...
UnB – 2010) A técnica empregada no espectroscópio que permitedistinguir os elementos químicos presentes em uma estrela tem...
•   Sensíveis às radiações eletromagnéticas com comprimento de onda    entre 370 e 740 nm
A retina humana•   epitélio pigmentar•   camada dos receptores•   membrana limitante externa•   camada nuclear externa•   ...
• A esclerótica é opaca às  radiações visíveis. Nela estão  inseridos os músculos externos  que são responsáveis pela  mov...
•   A íris à frente do cristalino é    uma membrana móvel e cuja    cor determina a coloração do    olho. Ela atua como di...
• A quantidade de luz que  entra no olho é  proporcional à área da  pupila, isto é, ao quadro  do diâmetro da mesma. O  di...
C            3 X 108 m / sλ   pico           =               f                          =                            5,6 X...
Miose                        Midríase•   Focalização de objeto muito      •   Focalização de objeto distante.    próximo.•...
GLAUCOMA      Canal de Schlemm
Polarização
A tecnologia 3D na verdade é umagrande ilusão. Sim, não se trata de algoreal e sim uma “peça” que é pregadana sua mente. A...
Defeitos ópticos do olho• Emetropia e ametropia - O olho normal, aquele que é capaz de  produzir uma imagem nítida sobre a...
Defeitos de forma            • O míope vê mal de              longe, mas enxerga              bem de perto. A             ...
Hipermetropia           • O hipermétrope vê             mal de perto e de             longe. Se conseguir             ver ...
MÉTODO LASIK
Cirurgia refrativa: método lasik de umolho com hipermetropia e miopia
PRESBIOPIA     • A presbiopia, usualmente       chamada de vista cansada, é       uma alteração natural da visão       que...
CORREÇÃOA correção da presbiopia deverá ser efetuada com umalente convergente (como na hipermetropia). Se além dadificulda...
CORREÇÃO
CORREÇÃO
ASTIGMATISMO      • O astigmata tem uma        visão imperfeita, tanto        para perto como para        longe.    Não   ...
• O      astigmatismo      é  corrigido com uma lente  tórica,    cuas     curvas  compensem        as     da  córnea.• A ...
• OD = olho direito  OE = olho esquerdo• -2.25• este número indica  o grau de miopia,  se for precedido  pelo sinal menos
• OD = olho direito  OE = olho esquerdo• +2.25• este número indica o  grau de hipermetropia,  quando for precedido  pelo s...
• Astigmatismo.• Presbiopia
Daltonismo     • As pessoas de visão       cromáticas normal, não       terão dificuldade em ver       o número 74.     • ...
Ceratoconeé uma deformação dacórnea, classificada comoectasia não inflamatória,caracterizada por umafinamento progressivo ...
TRATAMENTO1º     Correção     óptica:Inicialmente os óculoscorrigem satisfatoriamentea miopia e o astigmatismo.Entretanto,...
2º Quando as lentes de contatonão fornecerem mais uma boavisão, ou se houver intolerânciaao uso das lentes de contato, est...
Observações importantes:Procure ter lentes de reserva e carregue-as principalmente no caso deviagem.Se tiver muita sensibi...
Não devemos enxergar apenas com os olhos da face, que só captam aonda eletromagnéticas. Precisamos também enxergar com os ...
...V í t i m a s d a g u e r r ac o n tra a c a rn e . . .
Odiamos a solidão, mas adoramos nos isolar.
Bons alunos se preparam para receber um diploma, alunosfascinantes se preparam para a vida. Bons alunos sãorepetidores de ...
Seu destino não é uma questão de sorte, massim uma questão de escolhas. TUDO É UMA QUESTÃO DE ÓPTICA
VOCÊ É AQUILO QUE QUER SER !!!
As figuras acima representam parte doVestibular - UnB 2008                        sistema de lentes do olho de um inseto, ...
60) Considere que os raios luminosos quechegam ao rabdoma sofram reflexões internastotais nas suas paredes, até chegarem à...
62. Sabendo-se que a entrada do rabdoma – localonde o rabdoma se liga ao cone cristalino - seposiciona no foco do sistema ...
• 64. Sabendo-se que o poder de convergência de  umalente é definido como o inverso da distância  focal; que, se a distânc...
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Lentes marista
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Lentes marista

1,056 views
890 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,056
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
229
Actions
Shares
0
Downloads
17
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Lentes marista

  1. 1. LENTES
  2. 2. Lentes CôncavasUma característica que podemosusar para identificá-las, é quepossuem as bordas (extremidades)mais grossas, que a parte central.Podemos dar nome a essas lentesdependendo do tipo de superfície,como na figura ao lado: Uma outra característica desteslentes são a capacidade que elastêm em divergir os raios de luz,quando nlente > nmeio.
  3. 3. Lentes Convexas • São lentes de bordas delgadas (finas). A parte central é mais grossa. Podem classificar-se como na figura ao lado:
  4. 4. • As lentes convergentes concentram os raios de luz.
  5. 5. Lentes Divergentes
  6. 6. Resumo Resumo: LentesEspelho Côncavo convergentes R f = 2
  7. 7. Espelho ConvexoLentes divergentes R f =− 2
  8. 8. EQUAÇÕES ? Ti A= T0 − di A= do f A= f − do
  9. 9. a) O que é uma lente divergente ou côncava?b) Qual lente pode ser utilizada para aquecer um material?c) Imagens reais podem ser projetadas por lentes convergentes ouespelhos convexos?d) Imagens invertida poderão ser formadas em lentes divergentes?e)Imagem virtual podem ser projetadas ?f) Através de uma lente divergente pode-se ampliar uma imagem?
  10. 10. 1. A distância i medida é menor que a distância f.2. A distância d, entre a lente e a árvore, é dada por: d = (f x i) / (i - f).3. A imagem da árvore, projetada no fundo da caixa, é invertida.4. Se o volume interior da caixa for preenchido com água, a imagem nítida daárvore será obtida a uma distância da lupa maior que i.
  11. 11. Uma imagem foi projetada em uma parede através de uma lente. Julgue as alternativas a seguir:1. Tanto uma lente convergente quanto uma lente divergenteprojetam a imagem de um ponto lumi-noso real na parede.2. A lente é convergente, necessariamente, porque somente umalente convergente fornece uma imagem real de um objeto luminosoreal.3. A imagem é virtual e direita.4. A imagem é real e invertida.5. A lente é divergente e a imagem é virtual para que possa serprojetada na parede.
  12. 12. (2ºVestibular UnB - 2010) A figura I ilustra uma imagem da nebulosa planetária NGC7662. Ao contrário do que essa imagem sugere, as nebulosas planetárias não são tão etéreas e tranquilas; na realidade, são enormes e tempestuosas. Adornando toda a Via Láctea como enfeites de árvore de Natal, as nebulosas planetárias são os restos coloridos de estrelas de baixa massa – aquelas com tamanho inferior a oito vezes a massa solar. As estrelas, ao morrerem, perdem suas camadas externas, que se transformam em uma espécie de vento, cuja velocidade atinge até 1.000 km/s.
  13. 13. As estrelas, gradualmente, vão-se desfazendo até chegarem àscamadas mais quentes e profundas, quando emitem luz ultravioletacapaz de ionizar o vento e torná-lo fluorescente.No fenômeno da fluorescência, um átomo absorve energia e areemite na forma de radiação eletromagnética, composta de umacoleção de comprimentos de onda característicos, sendo parte delescompreendida na região do visível, conforme ilustra a figura II, queexemplifica o caso do átomo de hidrogênio. No estudo dessefenômeno, para se identificar a presença de cada elemento químiconas estrelas e nebulosas, usam-se cores, que podem ser determinadaspor meio de um espectroscópio, cujo esquema básico é mostrado nafigura III.A partir dessas informações, julgue os itens (certo ou errado),sabendo que a relação entre a energia E de um fóton e o seucomprimento de onda λ é dada por E = , em que h = 6,62 · 10–34 J·s éa constante de Planck e c = 3 · 108 m/s, a velocidade da luz novácuo.
  14. 14. 1) Ao se usar o espectroscópio ilustrado na figura III para analisar a luz visível emitida pelo átomo de hidrogênio, obtêm-se três imagens da fenda sobre o filme ou detector, uma para cada cor, como mostra a figura II.2) No prisma ilustrado na figura III, a velocidade de propagação da luz vermelha é menor que a velocidade de propagação da luz violeta.3) Considerando-se como poder de resolução de um equipamento a capacidade em distinguir duas cores próximas, é correto inferir que o poder de resolução do espectroscópio representado na figura III independe da distância focal da lente que focaliza o feixe sobre o filme.4) Se o espectro da figura II tivesse sido obtido a partir da luz emitida por uma estrela que se afasta velozmente da Terra, então todas as linhas espectrais ficariam deslocadas à direita das linhas da figura II.
  15. 15. UnB – 2010) A técnica empregada no espectroscópio que permitedistinguir os elementos químicos presentes em uma estrela tem porprincípio fundamental as diferenças de :a) frequências das radiações emitidas pelos vários elementos químicosexistentes na estrela.b) velocidades de propagação das cores da radiação no trajeto da estrela àTerra.c) polarização da luz emitida por cada um dos elementos químicos quecompõem a estrela.d) intensidade da radiação emitida por cada um dos elementos químicosque compõem a estrela.
  16. 16. • Sensíveis às radiações eletromagnéticas com comprimento de onda entre 370 e 740 nm
  17. 17. A retina humana• epitélio pigmentar• camada dos receptores• membrana limitante externa• camada nuclear externa• camada plexiforme externa• camada nuclear interna• camada plexiforme interna• camada de células ganglionares• camada de fibras ópticas• membrana limitante interna
  18. 18. • A esclerótica é opaca às radiações visíveis. Nela estão inseridos os músculos externos que são responsáveis pela movimentação do globo ocular;• A coróide, que é mais interna do que a esclerótica, tem uma espessura que varia de 0,1 até 0,22 mm;• A córnea é transparente à luz visível e participa como uma importante lente para formação da imagem na retina.
  19. 19. • A íris à frente do cristalino é uma membrana móvel e cuja cor determina a coloração do olho. Ela atua como diafragma, limitando a área iluminada do cristalino e a quantidade de luz que chega à retina.• A abertura da íris por onde passa a luz , chama-se pupila.
  20. 20. • A quantidade de luz que entra no olho é proporcional à área da pupila, isto é, ao quadro do diâmetro da mesma. O diâmetro da pupila varia de cerca de 1,5 mm até 8 mm. Isto permite uma variação da quantidade de luz por um fator 30. Isto é, com a pupila totalmente aberta entra 30 vezes mais luz do que quando ela atinge o mínimo.
  21. 21. C 3 X 108 m / sλ pico = f = 5,6 X 1014 Hz picoλ pico = 535,7 nm
  22. 22. Miose Midríase• Focalização de objeto muito • Focalização de objeto distante. próximo.• Ambiente muito iluminado. • Ambiente pouco iluminado.• Sono: a miose se acentua com a profundidade do sono. • No momento da morte.• Na agonia e algumas horas após a morte (12 a 24 h). • Fadiga ligeira, cólicas, dores, orgasmo, ruído, odor e sabor• Fadiga extenuante. fortes.
  23. 23. GLAUCOMA Canal de Schlemm
  24. 24. Polarização
  25. 25. A tecnologia 3D na verdade é umagrande ilusão. Sim, não se trata de algoreal e sim uma “peça” que é pregadana sua mente. A imagem em trêsdimensões é gerada por um efeitochamado estereoscopia. Parececomplicado, mas não é: trata-se apenasda projeção de duas imagens damesma cena, só que de pontos de vistaligeiramente diferentes. Seu cérebroautomaticamente funde as duasimagens em apenas uma e, nesseprocesso, obtém informações quanto àprofundidade, distância, posição etamanho dos objetos, gerando umailusão de visão em 3D.
  26. 26. Defeitos ópticos do olho• Emetropia e ametropia - O olho normal, aquele que é capaz de produzir uma imagem nítida sobre a retina tanto ara objetos distantes como para objetos próximos, é chamado de emetrope, os que fogem à essa regra são chamados ametropes.
  27. 27. Defeitos de forma • O míope vê mal de longe, mas enxerga bem de perto. A distancia entre a córnea e a retina é grande. • O olho é "demasiado longo": a imagem se forma à frente da retina.
  28. 28. Hipermetropia • O hipermétrope vê mal de perto e de longe. Se conseguir ver bem de longe, será com esforço e fadiga, pois o olho não é suficientemente potente. • A imagem se forma atrás da retina.
  29. 29. MÉTODO LASIK
  30. 30. Cirurgia refrativa: método lasik de umolho com hipermetropia e miopia
  31. 31. PRESBIOPIA • A presbiopia, usualmente chamada de vista cansada, é uma alteração natural da visão que se manifesta em todas as pessoas a partir dos quarenta anos: o cristalino perde a elasticidade, encurva-se de forma insuficiente e perde a capacidade de acomodação, resultando em uma crescente dificuldade para ver bem de perto.
  32. 32. CORREÇÃOA correção da presbiopia deverá ser efetuada com umalente convergente (como na hipermetropia). Se além dadificuldade de ver de perto se superpõe aquela de verlonge, tem-se que recorrer a lentes bifocais (duas lentesnuma só).
  33. 33. CORREÇÃO
  34. 34. CORREÇÃO
  35. 35. ASTIGMATISMO • O astigmata tem uma visão imperfeita, tanto para perto como para longe. Não tem a percepção nítida dos contrastes entre as linhas horizontais, verticais e obliquas. • É normalmente a curvatura da córnea que está alterada com uma forma mais ovalada que redonda.
  36. 36. • O astigmatismo é corrigido com uma lente tórica, cuas curvas compensem as da córnea.• A espessura da lente não é a mesma em toda superfície.
  37. 37. • OD = olho direito OE = olho esquerdo• -2.25• este número indica o grau de miopia, se for precedido pelo sinal menos
  38. 38. • OD = olho direito OE = olho esquerdo• +2.25• este número indica o grau de hipermetropia, quando for precedido pelo sinal mais
  39. 39. • Astigmatismo.• Presbiopia
  40. 40. Daltonismo • As pessoas de visão cromáticas normal, não terão dificuldade em ver o número 74. • Já as pessoas cegas ao vermelho e ao verde verão 21.
  41. 41. Ceratoconeé uma deformação dacórnea, classificada comoectasia não inflamatória,caracterizada por umafinamento progressivo daporção central da córnea.À medida que a córnea vaise tornando afinada, opaciente percebe umabaixa da visão, que podeser moderada ou severa,dependendo da quantidadede tecido corneanoafetado.
  42. 42. TRATAMENTO1º Correção óptica:Inicialmente os óculoscorrigem satisfatoriamentea miopia e o astigmatismo.Entretanto, à medida quea doença progride a visãoé mais adequadamentecorrigida com o uso delentes de contato quepromovem o aplanamentocorneano e propiciam umavisão satisfatória.
  43. 43. 2º Quando as lentes de contatonão fornecerem mais uma boavisão, ou se houver intolerânciaao uso das lentes de contato, estáindicado o transplante de córnea.
  44. 44. Observações importantes:Procure ter lentes de reserva e carregue-as principalmente no caso deviagem.Se tiver muita sensibilidade à luz providencie óculos de sol de boaqualidade.Evitar exagerar no uso de lentes de contato, dê o devido descanso ao seuolho. Procure respeitar a sensibilidade de seu olho, que é diferente de umapessoa paraoutra.Programe-se para isto.Lembre-se, o seu médico não tem o controle sobre o que acontece e doque você faz no seu dia a dia. Então é seu dever cuidar adequadamente deseus olhos e programar as visitas ao seu médico de acordo com aorientação .Use óculos de proteção no caso de realizar atividades que possam levar aimpactos no olho.Ao observar mudanças visuais ou aparecimento de sintomas ocularescomo irritações, coceira excessiva, escurecimentos, intolerância á lente,etc... procure sempre seu médico oftalmologista.
  45. 45. Não devemos enxergar apenas com os olhos da face, que só captam aonda eletromagnéticas. Precisamos também enxergar com os olhos docoração
  46. 46. ...V í t i m a s d a g u e r r ac o n tra a c a rn e . . .
  47. 47. Odiamos a solidão, mas adoramos nos isolar.
  48. 48. Bons alunos se preparam para receber um diploma, alunosfascinantes se preparam para a vida. Bons alunos sãorepetidores de informações, alunos fascinantes sãopensadores. Em que mundo você vive?
  49. 49. Seu destino não é uma questão de sorte, massim uma questão de escolhas. TUDO É UMA QUESTÃO DE ÓPTICA
  50. 50. VOCÊ É AQUILO QUE QUER SER !!!
  51. 51. As figuras acima representam parte doVestibular - UnB 2008 sistema de lentes do olho de um inseto, com seus componentes biológicos, sendo a retínula o elemento receptor de luz, cujo centro é ocupado por um cilindro translúcido, chamado rabdoma. Ao redor do rabdoma estão localizadas células fotorreceptoras. Sabe-se que os raios de curvatura das lentes dos olhos dos insetos são fixos. Portanto, esses animais não têm a capacidade de variar a distância focal do olho por meio da variação da curvatura de suas lentes, uma propriedade conhecida como poder de acomodação, presente no olho humano. Considerando essas informações, julgue os itens seguintes.
  52. 52. 60) Considere que os raios luminosos quechegam ao rabdoma sofram reflexões internastotais nas suas paredes, até chegarem à fibrado nervo óptico, como ilustrado na figura.Nesse caso, para que essas reflexões totaisocorram, a região que envolve o rabdomadeve possuir índice de refração menor que oíndice de refração do próprio rabdoma.61) Diferentemente dos mamíferos, quepercebem a luz por meio de olhos simples, osinsetos o fazem por meio de olhos compostos.
  53. 53. 62. Sabendo-se que a entrada do rabdoma – localonde o rabdoma se liga ao cone cristalino - seposiciona no foco do sistema de lentes do olho doinseto, é correto inferir que os insetos não enxergarcom a mesma nitidez objetos posicionados adiferentes distâncias. 63. • O uso de lente convergente permite que amiopia no olho humano seja corrigida.
  54. 54. • 64. Sabendo-se que o poder de convergência de umalente é definido como o inverso da distância focal; que, se a distância focal é medida em metros, o poder de convergência medido em dioptrias (di); e que, em humanos, a distância entre o cristalino e a retina é igual à distancia entre o cristalino e a imagem, é correto afirmar que, para o olho humano, se a distância cristalino-retina for igual a 2 cm o seu poder de convergência será igual 50 di.

×