• Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Muito bom trabalho, bem documentado, obrigado pela partilha. Abraço
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Boas, Como posso ter o documento para download? pedrocaneco@gmail.com
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Ola Amigo

    bom trabalho, sera possivel enviar este documento, tens mais modelos de jogo disponiveis ? mjass@nets.eu

    Um grande abraco da Dinamarca



    Mario
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Boa tarde Ilustres, gosto muito do vosso trabalho, gostaria ter Modelo de treino de futebol do Benfica disponivel para download, agradeço a vossa especial atenção. Muito Obrigado. simaojosecoxe@hotmail.com
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Olá Bruno. todos os meus documentos estão disponíveis para download.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
15,301
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
1,989
Comments
6
Likes
22

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. INDICE3 A 9 - Filosofia Introdução10 A 15 – Princípios de Jogo16 A 22 – Sistema Geral de Jogo23 A 28 – Sistema Contra Outro Adversários29 A 31 – Variantes defensivas32 A 33 – Variantes Ofensivas34 A 37 – Corredores de Jogo38 A 47 – Sectores de Jogo48 A 54 – Processo Ofensivo55 A 60 – Processo Defensivo61 A 66 – Exercícios de Aquecimento67 A 74 – Organização Defensiva Colectiva75 A 80 – Organização Defensiva Sectorial
  • 2. 81 – Organização Defensiva Individual82 A 87 – Organização Ofensiva Colectiva88 A 91 – Organ. Ofensiva Sectorial e Intersectorial92 A 95 - Organização Ofensiva Intersectorial / Grupal96 A 112 - Exercícios Posse de Bola113 A 115 - Passe em Triângulo116 A 117 - Passe em Y118 A 127 - Circulações Tácticas128 A 130 - Situações de Finalização131 A 136 - Livres laterais e frontais137 A 143 – Cantos144 A 149 – Lançamentos laterais
  • 3. MODELO DE TREINO E JOGO FILOSOFIA DE JOGO CULTURA DE JOGO
  • 4. Filosofia IntroduçãoO percurso de aprendizagem até à alta competição exige que sejam estabelecidos novos processos de planificação de treino.Com efeito, os métodos de treino utilizados pelos diversos escalões, na época 2004/05 e possivelmente nas épocas anteriores, eram de escalão para escalão muito divergentes, por isso o principal objectivo deste documento será estandardizar-mos o mais possível a grelha de exercícios.
  • 5. Este documento foi elaborado com a colaboração de todos os técnicos dos escalões de formação do Sport Lisboa e Benfica.Através desta nova grelha de exercícios, os nossos técnicos vão de certeza poder planificar e estruturar os ciclos semanais de treino com mais facilidadeComo o futebol evoluiu e continuará a evoluir, o documento irá com toda a certeza sofrer ao longo dos tempos as alterações que forem necessárias.Pretendemos ainda com a estabilização dos exercícios de treino facilitar o método de incorporação aos atletas que sobem aos escalões superiores.
  • 6. Os exercícios existentes no documento abordam temas diversos tais como, os relacionados com:A bola e o seu movimento (apreciação de trajectórias);O terreno de jogo (orientação espacial);As balizas (criar situações de finalização);Os companheiros (cooperação, cumplicidade, princípios gerais e específicos de jogo);Os adversários (conhecer as respostas do adversário).
  • 7. Ao verificarmos a evolução constante que existe num jogo de futebol e se reflectir-mos podemos constatar que esta modalidade tem vindo a evoluir em aspectos como a velocidade e acção de jogo, e, principalmente na forma de pensar e executar os gestos técnicos do mesmo, etc.Necessitamos por isso introduzir nos nossos exercícios velocidade com e sem bola quando treinamos as capacidades coordenativas e a relação que existe com as de ordem técnica (passe, recepção, condução, remate e drible).Não devemos esquecer os exercícios de ordem táctica (princípios gerais e específicos do jogo ofensivo e defensivo), a capacidade criativa, a componente cognitiva, a capacidade de análise/percepção e antecipação do jogo.O principal objectivo deste documento foi o de facilitar a consulta aos nossos treinadores e estagiários, tornando-se por isso numa base de orientação metodológica
  • 8. Princípios de Jogo TRANSIÇÃO TRANSIÇÃO A posse ou não posse de bola• Nem o processo ofensivo é exclusivo dos avançados• Nem a responsabilidade de defender é exclusiva dos defesas• Aproveitar a desorganização posicional do adversário• Criar possibilidades de marcar golos
  • 9. Após conquista da bola Marcar golos; Criar situações de finalizar;Utilizar o espaço e o tempo em relação com os companheiros e adversários; Manter a posse de bola o maior tempo possível.
  • 10. Posse de Bola1ª Fase – Manutenção/Construção2ª Fase – Organização/Circulação3ª Fase – Criar Situações de Finalização4ª Fase – Finalização (Marcar Golos)
  • 11. Após perda da posse de bola- Organizar-se o mais rápido possível- Evitar a criação de possibilidades do adversário marcar golo- Evitar sofrer golos- Não permitir a criação de possibilidades de marcar golos- Utilizar o espaço e o tempo em relação com os companheiros e os adversários- Utilizar as qualidades dos colegas e dos adversários
  • 12. Sistema Geral de JogoPosse de Bola • Optar pela melhor solução • Circulação rápida da bola • Cobertura total do terreno de jogo utilizando: • Jogo de posições • Formação de várias linhas • Triângulos • Controlo da velocidade do jogo • Uso da velocidade
  • 13. O sistema de jogo estabelece-se como base racional que permite canalizar a tomada de consciência por parte de todos os jogadores sobre os direitos e deveres, fundamentalmente no que diz respeito às suas funções e limites: Isto não significa que cada jogador não encontre dentre desta concepção de organização da equipa o “espaço” necessário para reflectir a sua própria personalidade, improvisação e criatividade, pois este é o pressuposto integrante da estrutura da equipaGeral / Específico Geral - Estes princípios básicos deverão estar sempre presentes seja qual for o sistema de jogo apresentado pelo adversário Específico – O sistema está baseado na forma como mantemos a posse de bola, no entanto quando a não possuímos devemos adaptarmos ao sistema de jogo e às qualidades do opositor
  • 14. Dimensão estática denominada de sistema de jogo que representa o modo de colocação dos jogadores no terreno de jogo:Esta colocação de base fundamental será traduzida pelo: 4:4:2 (losango) – 4:1:3:2 e 4:1:2:3
  • 15. SISTEMA DE JOGO UTILIZADO 4:4:2 (LOSANGO) 9 8 10 11 7 6 25 4 3 1
  • 16. SISTEMA DE JOGO UTILIZADO 4:1:3:2 9 8 11 10 7 6 25 4 3 1
  • 17. SISTEMA DE JOGO UTILIZADO 4:3:3 911 7 10 8 65 2 4 3 1
  • 18. Sistema Geral de JogoCONTRAOs nossos sistemas estão baseados num jogo de posições, linhas e triângulos para uma perfeita cobertura do terreno de jogo nas diferentes fases do mesmoQuando em posse de bola os jogadores devem estar sempre desmarcados em posição de receber a bola Quando da perda da posse de bola os jogadores devem realizar o seu trabalho defensivo (pressão, cobertura e permutas)
  • 19. SISTEMA DE JOGO CONTRA 1:4:4:2 - LOSANGO 2 5 9 8 11 4 7 31 6 10 10 6 1 3 4 7 9 11 8 2 5
  • 20. SISTEMA DE JOGO CONTRA 1:4:4:2 – COM ALAS 7 2 5 9 8 11 4 31 10 10 6 1 6 4 3 7 9 8 2 5 11
  • 21. SISTEMA DE JOGO CONTRA 1:4:1:3:2 2 5 9 8 4 11 7 31 10 10 6 1 6 4 3 9 7 11 8 2 5
  • 22. SISTEMA DE JOGO CONTRA 1:4:1:2:3 7 2 5 9 11 8 3 4 91 6 10 6 1 3 4 10 7 8 2 11 5
  • 23. SISTEMA DE JOGO CONTRA 1:3:5:1:1 5 2 9 11 7 9 3 4 61 6 10 10 8 1 3 4 7 11 8 2 5
  • 24. Variantes Defensivas: 4:1:4:1-4:1:3:2A equipa defende com base nos “sistemas de jogo” (estes são dinâmicos). Todos os jogadores desdobram-se para participar no processo defensivo, recuperando o mais rapidamente possível as suas posições “originais” (eventualmente em sistema de compensações, ou seja, o jogador mais perto faz a posição do colega e este a sua).
  • 25. VARIANTES DEFENSIVAS Contra 4 : 4 : 2 (losango)- Os defesas centrais, marcam os pontas de lança- Os dois laterais fecham dentro quando o adversário organiza o ataque pelo corredor central.- Quando o adversário organiza o ataque por um dos corredores laterais, fecha o defesa lateral do corredor contrário onde está a bola.- O médio centro defensivo (trinco) faz o equilíbrio defensivo.- Os médios centros, recuam para trás da linha da bola- Os médios centros além de recuarem para trás da linha da bola, fecham por dentro, principalmente o médio centro do corredor contrário onde se encontra a bola.- Os pontas de lança ficam na frente para fixar os defesas centrais adversários.
  • 26. VARIANTES OFENSIVAS Sistema 4 : 1 : 2 : 3 Participam no processo ofensivo:• O ponta de lança, dois dos médios alas e um dos médios centros (desdobramento).• O médio defensivo (trinco) fica a fazer o equilíbrio defensivo.• O lateral do lado onde se encontra a bola deve subir para apoiar o colega de posse da bola.
  • 27. VARIANTES OFENSIVAS Sistema 4 : 4 : 2 (Losango) Participam no processo ofensivo:• Os dois pontas de lança, os médios centros (desdobramento)• O médio defensivo (trinco) fica a fazer o equilíbrio defensivo.• O lateral do lado onde se encontra a bola deve subir para apoiar o colega de posse da bola.
  • 28. CORREDORES DE JOGO CORREDOR CENTRAL• Este corredor deverá ser normalmente ocupado por dois perfis de jogadores:• Jogadores de excelente capacidade técnica e de grande raciocínio táctico;• Jogadores “especialistas” de grande capacidade finalizadora e jogadores “especialistas” na defesa intransigente da própria baliza.
  • 29. CORREDOR CENTRALCORREDOR CENTRAL
  • 30. CORREDORES LATERAIS• Estes corredores deverão ser ocupados por jogadores extremamente rápidos para:• Explorar os espaços nas costas dos defesas laterais• Criar situações de finalização• Fechar dentro• Fazer cobertura aos centrais
  • 31. CORREDOR ESQUERDOCORREDOR DIREITO
  • 32. SECTORES DO JOGOA base da equipa é normalmente colocada em três sectores constituídos por vários jogadores que exercem a sua acção (quer ofensiva quer defensiva) de forma concertada e homogénea, estabelecendo as relações ou as ligações que estão na base das acções colectivas (missões tácticas colectivas). Neste sentido, os jogadores que pertencem aos diferentes sectores da equipa, evidenciam missões tácticas especificas de:
  • 33. Guarda-redes: Para o jogador que dentro da sua grande área goza de um estatuto diferente de todos os outros jogadores. A responsabilidade primária do guarda-redes é evitar golos na sua baliza;Defesas: Para os jogadores que formam o sector mais perto da sua baliza, constituído por quatro jogadores, dois defesas centrais, um lateral direito e um lateral esquerdo. A responsabilidade primária dos defesas é, proteger a sua baliza;Médios: Para os jogadores que formam o sector intermediário constituído por quatro jogadores, médio direito e esquerdo, um médio mais defensivo e um médio mais ofensivo. A responsabilidade primária dos médios é auxiliar os defesas nas suas missões defensivas e os avançados nas suas missões ofensivas;Avançados: Para os jogadores que formam o sector atacante, constituído por dois jogadores. A responsabilidade primária dos avançados é marcar golos.
  • 34. RACIONALIZAÇÃO DO ESPAÇO DE JOGO A estrutura esquemática do jogo torna evidentes zonas significativas. Neste Sentido, cada jogador encontra-seconfrontado por espaços dinâmicos funcionalmente ligados entre si, que se modificam num sentido particular, logo, os comportamentos técnico-tácticos individuais e colectivos dosjogadores procuram conduzir o jogo para certos espaços e evitar outros. DIVISÃO DO ESPAÇO DE JOGOA divisão do espaço de jogo poderá comportar linhas (imaginárias) que consubstanciaram: os corredores e os sectores do terreno de jogo.
  • 35. 1/4 2/4 3/4 4/4SECTOR SECTOR SECTOR SECTOR D D O O E E F F F F E E E E N N N N S S S S I I I I V V V V O O O O
  • 36. O SECTOR DEFENSIVO 1/4 do campo:• Jogadores de acção defensiva• Função da bola, adversário e baliza• Travar acções ofensivas• Marcação directa aos adversários• Cobertura defensiva• Progressão rápida da bola• Manutenção da posse de bola
  • 37. SECTOR DO MEIO CAMPO DEFENSIVO 2/4 do campo• Jogadores atacantes• Procura de espaços livres• Coberturas/compensações• Circulação de bola• Equilíbrio• Apoio ao portador da bola
  • 38. SECTOR DO MEIO CAMPO OFENSIVO 3/4 do campo• Recuperação da posse de bola• Risco na procura do desequilíbrio• Desorganizar a estrutura adversária• Organizar a nossa estrutura• Pressão alta
  • 39. SECTOR OFENSIVO 4/4 do campo• Roturas na organização defensiva adversária• Linhas de força• Combinações ofensivas• Finalizações• Recuperação da posse de bola
  • 40. PROCESSO OFENSIVO GUARDA-REDES• 1º Atacante• Aumentar/diminuir o ritmo de jogo• Orientar/comandar os colegas do sector• Executar pontapés de baliza• Demonstrar tranquilidade, confiança e segurança DEFESAS-LATERAIS. Fornecer linha de passe (largura). Exploração de espaços livres no corredor. Criação de desequilíbrios. Evitar a execução de passes laterais. Preparado para intervir mesmo sem estar no centro do jogo. Subir no terreno para diminuir a profundidade na equipa. Participar nas situações de bola parada. Quando de posse da bola o defesa lateral deve ter as seguintes opções: 1ª Opção passe no avançado ou suporte (longo); 2ª Opção passe para o médio centro (curto ou longo) ou (nas costas do defesa opositor); 3ª Opção passe para defesa central (curto). Evitar passes laterais do seu corredor para o centro do espaço de jogo;
  • 41. DEFESAS-CENTRAIS• Coordenação/cooperação com o colega• Diminuir a profundidade da equipa• Passes diagonais• Criar desequilíbrios• Participar nas situações de bola parada MEDIOS-CENTROS. Equilíbrios ofensivos/defensivos. Marcar o ritmo de jogo. Conduções rápidas para o ataque. Organização do jogo ofensivo. Remates curta/média/longa distância. Desmarcações para espaços livres. Velocidade na circulação de bola. Marcação de pontapés de canto/livres
  • 42. MEDIOS ALAS• Utilizar a velocidade• Utilizar o drible 1x1• Criar situações de finalização• Rematar mesmo de ângulos reduzidos• Marcação de pontapés de canto• Desmarcar-se para perto do ponta de lança• Arrastar o adversário (criar espaços)• Saídas para o contra-ataque PONTA-LANÇA. Marcar golos. Dar profundidade. Desmarcações rotura/diagonais. Remates cabeça/pé direito/esquerdo. Criatividade/drible. Mobilidade constante. Tabelas
  • 43. PROCESSO DEFENSIVO GUARDA-REDES• Último defesa (protecção da baliza)• Orientação da defesa• Orientação das barreiras• Utilizar linguagem simples• Sair da baliza• Jogar com os pés• Evitar sair quando o colega faz pressão sobre o adversário• Transmitir segurança, tranquilidade e confiança DEFESAS-LATERAIS• Fechar dentro (bola no corredor oposto)• Dobras e permutas• Marcação no corredor• Orientar o adversário para zonas laterais• Temporizações• Posicionar-se na linha de baliza quando o guarda-redes sai• Participar na formação das barreiras• Colocar-se no poste (pontapés de canto)
  • 44. DEFESAS-CENTRAIS• Marcar o adversário directo• Encurtar o tempo/espaço• Alternar marcação com posição de livre• Orientar os movimentos do adversário para zonas laterais• Diminuir a profundidade ofensiva adversária• Sóbrio simples e eficaz MEDIOS-CENTROS• Equilíbrios Defensivos/ofensivos• Marcar o adversário directo seguindo-o para zonas de finalização• Permutas e coberturas• Preparar o ataque mentalmente• Marcar adversário (pontapés de canto)
  • 45. MEDIOS ALAS• Fechar o corredor e por dentro• Colaborar em acções defensivas com os médios centros• Colocar-se na frente da bola quando na marcação de livres• Pressionar na frente PONTA-LANÇA• Pressionar alto• Fechar linhas de passe• Pressionar o guarda-redes• Pressionar os defesas centrais• Evitar circulação de bola pelo adversário• Participar nos lances de bola parada
  • 46. Exercícios de Aquecimento• Nº Jogadores: Dez ou mais jogadores• Material: Bolas q.b.; Marcas q.b.; Coletes de várias cores q.b.• Objectivo principal:• Adaptação do organismo ao esforço, mobilização articular.• Objectivo Secundário:• Manutenção/circulação posse de bola, técnica recepção e passe, velocidade de reacção.• Parte inicial: Rabia (8 x 2)• Parte principal:Técnica passe / mobilização articular• Conteúdo: Grupos de 2 jogadores com uma bola. Um jogador fica colocado na linha lateral e o seu companheiro 20 metros à sua frente. Realizam passe consecutivo.• Forma: Complementar• Espaço: 35 x 20 metros
  • 47. • Mobilização articular:• Rotação de membros superiores à frente/trás• Extensão alternada dos membros superiores• Rotação lateral do tronco• Calcanhares ao rabo• Skipping lateral e frontal• Rotação externa/interna virilhas• Corrida lateral esquerda/direita• Bailarina• Corrida em diagonal “ziguezague” frente/costas• Skipping frontal seguido de arranque• Skipping lateral seguido de arranque• Skipping frontal/lateral/costas seguido de arranque• Flexibilidade• Circulação/manutenção de posse de bola• Forma: Complementar• Espaço: 35 x 20 mt• Nº jogadores: 5 x 5• Orgânica: As equipas que realizam posse de bola deverão vir já definidas do balneário.
  • 48. • Parte Final:• 5.1.- Velocidade de Reacção:• Conteúdo:• Diversas partidas ao sinal do treinador• Este exercício é geralmente realizado fora do terreno de jogo• Cada treinador deve escolher a forma Ideal de aquecimento.• O tempo de aquecimento pode variar entre 25 e 30 minutos
  • 49. ORGANIZAÇÃO DEFENSIVA COLECTIVA Sistema – 4:4:2 - Losango Princípio: Defesa à zona (fecho e redução de espaços e de tempo de execução ao adversário 9 8 10 Objectivo: posicionamento defensivo em termos colectivos e individuais em 11 7 função do espaço e da zona da bola 6 25 Descrição: situação de 10x0. A equipa 4 3 dispõe-se em campo organizada e movimenta-se segundo indicações do treinador em função do espaço e do 1 posicionamento da bola
  • 50. Sistema – 4:1:4:1 Princípio: Defesa à zona (fecho e redução de espaços e de tempo de execução ao adversário 911 7 Objectivo: posicionamento defensivo em termos colectivos e individuais em função do 10 8 espaço e da zona da bola 6 Descrição: situação de 10x0.5 4 3 2 A equipa dispõe-se organizada em campo e movimenta-se segundo indicações do treinador em função do espaço e do posicionamento da bola 1
  • 51. Sistema – 4:1:2:3 Princípio: Defesa à zona (fecho e redução de espaços e de tempo de execução ao adversário 911 7 Objectivo: posicionamento defensivo em termos colectivos e individuais em função do espaço e da zona da bola 10 8 6 Descrição: situação de 10x0. 2 5 4 3 A equipa dispõe-se organizada em campo e movimenta-se segundo indicações do treinador em função do espaço e do posicionamento da bola 1
  • 52. Princípio: Defesa à zona (fecho e redução de espaços e de tempo de execução ao adversário). Objectivos: Dar uma primeira ideia de como queremos que a nossa equipa se posicione defensivamente em termos colectivos: movimentações da equipa em função do espaço e da zona da bola – e posicionamento de cada jogador, em função da posição específica, relativa ao local da 9 8 bola. 10 11 7 Descrição: Situação de 10 x 0. A equipa dispõe-se em campo em estrutura e movimenta-se segundo5 6 2 indicações do treinador em função do espaço e do 4 3 posicionamento da bola que são determinados pelos mecos 1
  • 53. Sistema – 4:4:2 - Losango 3 Saída do adversário pelo corredor central2 8 9 Descrição: situação de 10x2. 10 7 11 Funções: 6 • Nº 8 obriga o central a direccionar o passe5 2 para o corredor lateral, após o passe do 4 3 adversário fecha a linha de passe para o corredor central • Nº 9 fecha linha passe ultimo defesa 1 / 2 Campo Ofensivo • Nº 11 fecha a linha passe em profundidade Corredor Central • Nº 10 fecha linha diagonal • Nº 6 faz a cobertura • Nº 7 fecha dentro na diagonal 1 • O sector defensivo flutua para o lado da bola
  • 54. Sistema – 4:4:2 - Losango 3 4 9 Saída do adversário pelo corredor lateral2 5 8 7 Descrição: situação de 10x4. 10 6 * Fechar a linha do último homem 11 2 * Fechar a profundidade 3 * Fechar em triângulo 5 4 * Fechar de forma a obter duas linhas diagonais 1 / 2 Campo Ofensivo Corredor Lateral 1
  • 55. Sistema – 4:4:2 - Losango1 / 2 Campo Defensivo Corredor Central Descrição: situação de 10x0. 9 8 • Fechar a profundidade • Obrigar o adversário a jogar para trás ou para o corredor lateral 10 • Fechar em triângulo 11 6 • Linhas juntas 7 5 4 3 2 1
  • 56. Sistema – 4:4:2 - Losango Princípio: Defesa à zona (fecho e redução de espaços e de tempo de execução ao adversário1 / 2 Campo Defensivo Corredor Lateral 9 Descrição: situação de 10x0. 8 • Fechar a profundidade • Obrigar o adversário a jogar para trás 10 7 • Fechar em triângulo 6 11 • Linhas juntas 2 5 4 3 • Flutuar para o lado da bola fechando diagonal 1
  • 57. ORGANIZAÇÃO DEFENSIVA SECTORIALSECTOR DEFENSIVO E TRANSIÇÃO DEFESA – ATAQUE DO SECTOR DEFENSIVOSub Princípios:Defesa à zona (fecho e redução de espaços e de tempo de execução ao adversário).ORGANIZAÇÃO DEFENSIVA - defesa à zona.•Transição defesa – ataque do sector defensivo – passe para o sector intermédio e tirar abola da zona da pressão.Objectivos:• Organizar o sector defensivo, fechar os espaços entre os jogadores, pressionar o portadorda bola retirando espaço e tempo de execução, fazer correctamente as coberturas e nãopermitir cruzamentos e finalização. Quando ganharem a posse da bola: como primeiraopção, jogar para a frente, segunda opção é tirar a bola da zona de pressão. Em todas ascircunstâncias, tentar sempre não perder a posse de bola.
  • 58. 12 3 4 Descrição: 5 9 8 Situação GR. + 4 Defesas X 5 atacantes. 10 O treinador coloca a bola na posse dos atacantes, jogando estes entre si tentando 11 7 marcar golo. Por sua vez, os defensores tentam impedir o golo, cumprindo com os objectivos referidos no quadro anterior. Quando ganharem a posse de bola, devem tentar marcar golo numa das três mini balizas.
  • 59. SECTOR INTERMÉDIOSub Princípio:Organização defensiva do meio campo - defesa à zona do meio campo.Objectivos:• Organizar defensivamente o sector intermédio: fechar os espaços entre os jogadores,pressionar o portador da bola, fazer correctamente as coberturas e retirar o espaço e otempo de execução ao adversário. Evitar a progressão do adversário e passes emprofundidade.
  • 60. SECTOR INTERMÉDIO E ATACANTE TRANSIÇÃO DEFESA - ATAQUESub Princípios:Organização defensiva do meio campo e ataque - defesa à zona do meio campo eataque.Transição defesa – ataque dos sectores intermédio e atacantePasse para possível finalização e ou/tirar bola da zona de pressãoObjectivos:• Organizar defensivamente os sectores do meio campo e ataque: fechar os espaços entreos jogadores, pressionar o portador da bola, e executar as coberturas correctamente, nãopermitir passes do sector defensivo para o sector intermédio e não permitir que osjogadores do sector do meio campo joguem em profundidade. Quando ganharem a possede bola: como 1ª opção jogar para a frente, em caso de possibilidade, a 2ª opção é tirar abola da zona de pressão. Em todas as situações tentar sempre não perder a posse de bola.
  • 61. J 6 Descrição: Situação 4 X 4 Médios + apoio recuado. 7 10 11 A equipa que tem a posse de bola tenta ultrapassar a linha formada pelos mecos11 7 com a bola controlada, a outra equipa tenta 10 6 impedir cumprindo os objectivos descritos no quadro anterior J
  • 62. 1 3 Descrição: 42 5 9 8 Situação 4 M + 2 A X GR. + 4 D + 3 M. 6 Jogo em meio campo. 10 7 11 11 7 A equipa de azul sai sempre com a bola a partir do G. redes e tem como objectivo 6 tentar ultrapassar a linha do meio campo com a bola controlada. A equipa de vermelho tenta impedir que tal aconteça, cumprindo com os objectivos descritos no quadro anterior. Quando ganham a posse de bola, tentam marcar golo ou mantê-la em seu poder sem a perder
  • 63. ORGANIZAÇÃO DEFENSIVA D 1D D COLECTIVAD DD D Objectivos: Desenvolver as capacidades de contenção e de cobertura defensiva individual e retirar espaço e tempo de execução ao adversário. Descrição: A A Numa 1ª fase, situação (1 atacante x 1 defesa + G. Redes). Um defesa que se A A encontra num dos lados da baliza faz A A passe tenso a um atacante que se encontra perto da linha de meio campo, após o passe o defesa procura defender longe da baliza retirando espaço e tempo de execução ao atacante, este procura ultrapassar o defesa e fazer golo. Numa 2ª fase 2 x 2 + G. Redes, exercício idêntico ao da 1ª fase
  • 64. ORGANIZAÇÃO OFENSIVA COLECTIVA CIRCULAÇÃO DA BOLA E MOVIMENTAÇÕES OFENSIVAS COLECTIVASPRINCÍPIOS:Circulação da bola e movimentações ofensivas colectivas pelos corredores laterais ecentral com finalizaçãoOBJECTIVOS:Circular a bola por todos os sectores da equipa e por todos os corredores do campoe entrar pelos corredores laterais ou central. Ocupar correctamente as zonas definalização consoante as movimentações específicas treinadas.
  • 65. 1 PRINCÍPIOS: Circulação da bola e movimentações ofensivas colectivas pelos corredores laterais e central com finalização 9 8 DESCRIÇÃO: 10 • Situação de 10 x G. Redes. 11 7 • Iniciar jogada pelo sector defensivo 65 2 • Circulação da bola entre jogadores 4 3 • Quando o treinador ordenar, entrada da bola por um dos corredores • Movimentações previamente treinadas • Terminar com finalização
  • 66. TRANSIÇÃO DEFESA/ATAQUEPRINCÍPIOS:• Organização ofensiva colectiva – manutenção e circulação da bola para criação deespaços e transição defesa / ataque – condicionar a acção do portador da bola,fechar a equipa em pressão para dificultar a acção do adversário, organizar eposicionar defensivamente a equipa e ganhar o mais rápido possível a bola.OBJECTIVOS:* Circular e manter a posse de bola por todos os sectores da equipa e por todos oscorredores do campo e entrar pelo local onde existir espaço aberto adoptando asmovimentações ofensivas específicas dos corredores laterais e do corredor central.Quando perderem a posse de bola: condicionar de imediato a acção do portador dabola, fechar a equipa em pressão para dificultar a acção do adversário, organizar eposicionar defensivamente a equipa e ganhar o mais rápido possível a bola
  • 67. 1 TRANSIÇÃO DEFESA/ATAQUE DESCRIÇÃO: • Situação de GR + 9 x 10 3 • O treinador coloca a bola em jogo num dos 42 9 jogadores do sector defensivo da equipa de 6 8 5 10 elementos (vermelhos). Os jogadores 10 vermelhos trocam a bola entre si com o 7 8 objectivo de marcar golo através das 11 7 movimentações específicas dos corredores 6 9 laterais e do corredor central. Quando5 2 perderem a posse de bola, tentam 3 4 reconquistá-la o mais rápido possível, caso não o consigam, tentam impedir que o adversário passe a linha tracejada com a bola controlada. A equipa de azul tem como objectivos tentar impedir o golo dos vermelhos e, quando ganham a posse da bola, ultrapassar a linha tracejada com a bola controlada.
  • 68. PRINCÍPIOS:Organização ofensiva colectivaCirculação e manutenção da posse de bola e movimentações ofensivas colectivascom finalizaçãoOBJECTIVOS:Dar uma pequena ideia de como queremos que a nossa equipa se posicioneofensivamente em termos colectivos, como queremos que seja feita a circulação e amanutenção da posse de bola e como queremos que os jogadores se posicionem emfunção uns dos outros, da bola e do espaço
  • 69. 1 DESCRIÇÃO: • Situação de 11 x GR 9 8 • A equipa dispõe-se em campo em estrutura e 10 circula a bola desde o seu G. Redes, por todos os jogadores e por todo o terreno de jogo, em função do posicionamento e das movimentações que o 11 7 treinador pretende até finalizar 65 2 3 4
  • 70. ORGANIZAÇÃO OFENSIVA SECTORIAL E INTERSECTORIALSectores Defensivo e IntermédioSUB PRINCÍPIOS:Organização ofensiva do sector defensivoCirculação da bola no sector defensivo com entrada no sector intermédio.OBJECTIVOS:Circular a bola no sector defensivo de forma a esta entrar, no timming certo, nosmédios centros ou nos médios alas.DESCRIÇÃO:O G. Redes coloca a bola em jogo num dos jogadores do sector defensivo, estescirculam a bola com o objectivo desta entrar nos médios centros ou nos médiosalas. Numa 1ª fase, não existem adversários. Posteriormente numa 2ª fase,colocam-se adversários (o número de adversários pode ir aumentandogradualmente) para dificultar essa circulação e para se poder escolher o timmingcerto da entrada da bola nos médios centros ou nos médios alas.
  • 71. 1ª FASE 2ª FASE 2ª OPÇÃO PASSE 10 10 11 7 11 7 6 6 25 2 5 4 3 4 3
  • 72. Sectores Intermédio e atacanteSUB PRINCÍPIOS:Organização ofensiva do sector Intermédio e atacanteCirculação da bola e movimentações ofensivas nos sectores intermédio e atacante.OBJECTIVOS:Circular a bola nos sectores intermédio e atacante de forma a criar espaços. Fazermovimentações ofensivas para terminar com finalização.DESCRIÇÃO:Situação 6 x G. Redes. O treinador coloca a bola em jogo num dos atacantes e estescirculam a bola entre si a toda a largura do terreno de jogo com o objectivo deexecutar movimentações ofensivas e finalizar. Numa 1ª fase sem adversários, numaposterior, 2ª fase, com adversários a dificultar a circulação da bola e asmovimentações ofensivas.
  • 73. 1 1 3 49 8 8 6 9 5 2 10 10 1111 7 7 6 6 1ª FASE 2ª FASE
  • 74. ORGANIZAÇÃO OFENSIVA INTERSECTORIAL / GRUPALMovimentações ofensivas no corredor lateral em estrutura de losangoSUB PRINCÍPIOS:Movimentações no corredor lateral – estrutura em losango e jogo fora e dentroOBJECTIVOS:Entender o posicionamento e as movimentações em losango no corredor lateral, oposicionamento e as movimentações de “fora para dentro” no corredor lateral.Ocupar correctamente as zonas de finalização consoante as respectivasmovimentações específicas.DESCRIÇÃO:Situação 10 x G. Redes. A bola começa a ser jogada pelo defesa central do lado quese vai iniciar a movimentação, a bola é passada do central para o lateral, do mesmolado que se encontra “dentro ou fora”. Quando o lateral recebe a bola os jogaresdevem movimentarem-se para se posicionarem correctamente em função doposicionamento da bola.
  • 75. 1 1 9 9 8 11 7 10 7 11 10 85 2 5 2 6 6 4 3 3 4 ESTRUTURA DE LOSANGO ESTRUTURA DE 4:1:2:3
  • 76. Movimentações ofensivas no corredor Central em estrutura de losangoSUB PRINCÍPIOS:Movimentações no corredor CentralOBJECTIVOS:Entender o posicionamento e as movimentações dos jogadores, em função dosespaços e do local da bola, pelo corredor central.Ocupar correctamente as zonas de finalização consoante as respectivasmovimentações específicas.
  • 77. 1 DESCRIÇÃO: Situação 10 x G. Redes. A bola começa a ser jogada pelo defesa central do lado que se vai iniciar a movimentação, por 9 8 indicação do treinador a bola é passada do central para o médio centro ou para um 10 dos avançados. Quando um dos referidos 7 jogadores receberem a bola, os outros 11 devem movimentarem-se correctamente em função do posicionamento e5 2 executarem as movimentações 6 3 específicas. 4
  • 78. MODELO DE JOGOExercícios Posse de Bola Modelo táctico-técnico Sistema de JogoPosse de Bola – Transições Exemplos nos quadros seguintes
  • 79. EXERCÍCIOS DE POSSE DE BOLA ORGANIZAÇÃO OFENSIVA DEFENSIVA J Potenciar Sub-princípios da posse de bola Descrição: 7 + J x 3 Análise Critica: Velocidade de análise e execução Escolha do colega e do timming do passe Abrir linhas de passeCampo: 30 x 20 Evitar o passe em 1ª estação Pressão dos jogadores sem bola
  • 80. Potenciar Sub-princípios da posse de bola Transição após perda da posse de bola J Transição após ganho da posse de bola Descrição: 2 + (4 X 4) + 2 Análise Critica: Velocidade de análise e execução Abrir linhas de passeCampo: 30 x 20 Transição em profundidade Retirar a bola da zona de pressão Pressão em transição defensiva
  • 81. 12 3 4 5 Potenciar princípios e Sub-princípios da posse 9 8 de bola em sistema 6 10 Equilíbrio posicional 7 11 Transições 11 7 10 Pressão após perda da posse de bola 6 Agressividade com inteligência 9 2 Recuperar posições 8 3 Ler a situação após ganhar a posse de bola 5 4 Profundidade ou circulação de bola 1
  • 82. 1 Potenciar sistematização ofensiva e defensiva2 3 4 5 8 9 6 DEFESA: 10 7 11 Flutuar em função do lateral com bola 11 7 Linhas Juntas 65 2 ATAQUE: Campo grande em profundidade e largura Circulação da bola Jogo posicional Criatividade e mobilidade Pressão em transição defensiva
  • 83. 1 Potenciar sistematização ofensiva e defensiva Circulação da bola com saída da zona de pressão Descrição:11 9 5 x 3 dentro da área delimitada (20x20). Os 6 jogadores vermelhos fazem posse de bola 10 utilizando o apoio central e ao fim de quatro 8 2 2 passes jogam no jogador: 7 5 6 Opção (a) passe após desmarcação perpendicular do jogador nº 2 Exercício a executar no lado Opção (b) passe após desmarcação de rotura direito / Esquerdo do jogador Nº 11 Opção (c) passe após desmarcação de rotura do jogador Nº 9
  • 84. EXERCÍCIOS DE POSSE DE BOLAExercício Nº 1Descrição/Desenvolvimento:Os jogadores em posse de bola devem ocuparsempre os vértices do quadrado mais próximosdo portador da bola criando-lhepermanentemente duas linhas de passe.Quando o defensor conseguir recuperar a posseda bola ou provocar um passe para fora doespaço, o jogador responsável pelo errocometido, ou aquele que não criou a linha depasse necessária, ocupa o lugar do defensor. Onúmero de contactos de cada jogador com abola deve ser limitado, de acordo com ascapacidades dos executantes.
  • 85. Exercício Nº 2Descrição/Desenvolvimento:Alternadamente dois jogadores de cada equipasaem a pressionar e a procurar recuperar a bolano espaço de jogo adversário. Quando oconseguir joga a bola para o seu espaço demanutenção de posse de bola e juntam-se aosrestantes quatro elementos que lá semantiveram. De seguida outros dois elementos,agora da outra equipa, saem a pressionar com osmesmos objectivos e organização do grupoanterior.
  • 86. Exercício Nº 3Descrição/Desenvolvimento:Cada equipa procura manter a posse da bolautilizando como apoio os quatro elementosexteriores. Os apoios são utilizados por ambasequipas indiscriminadamente mas apenaspoderão jogar a dois toques e não deverãopassar sucessivamente a bola entre eles.Podemos valorizar o tempo que cada duplamantenha posse da bola, o número de passesque realizam sem a perder, ou o número devezes que atingem determinado mínimo (ex. 10passes).
  • 87. Exercício Nº 4 Descrição/Desenvolvimento:J J Cada equipa procura marcar o maior número de golos nas diferentes balizas. O golo só é válido quando a equipa mantém a posse da bola, depois de a fazer passar por dentro da baliza. Apesar de inicialmente podermos permitir a finalização por ambos os lados da baliza, devemos posteriormente definir apenas um sentido de concretização. É importante incluir mais uma baliza do que o número de defensores, no sentido de evitar que cada um se posicione como “guarda-redes” de cada uma.
  • 88. Exercício Nº 5 Descrição/Desenvolvimento:J Cada equipa procura marcar o máximo de golos possível nas 3 balizas (1,5m) colocadas no limite do campo adversário.
  • 89. Exercício Nº 6Descrição/Desenvolvimento:Os três jogadores da linha mais adiantada sópodem jogar no ½ campo ofensivo, estãoimpedidos de recuar e de ajudar defensivamenteno ½ campo defensivo. Os jogadores da linha detrás podem atacar e defender em todo o espaço.Devem alterar-se as posições e funções dosjogadores no sentido de experimentarem asdiferentes exigências do exercício. O GR temobrigatoriamente que repor a bola em jogo noseu ½ campo.
  • 90. Exercício Nº 7Descrição/Desenvolvimento:Cada equipa procura manter a posse da bola noespaço estabelecido sem abandonar aorganização estrutural. Um dos defesas centraispode criar linha de passe atrasada para além dalinha final sem oposição do adversário.
  • 91. Exercício Nº 8Descrição/Desenvolvimento:Cada equipa, organizada com dois lateraistrês médios e dois extremos, procura entregara bola ao jogador (avançado centro) que seencontra na zona de recepção. Pontua cadavez que o conseguirem fazer. O jogorecomeça com bola na equipa que sofreu oponto. Semelhanças com o jogo infantil “Bolaao Capitão”.
  • 92. Exercício Nº 95 x 4 (4 x 5)Descrição/Desenvolvimento:VERMELHOS FAZEM POSSE DE BOLAVermelhos após recuperação da posse de bolajogam a mesma no outro meio campo onde existesuperioridade numérica. Azuis após perderem abola tentam recuperá-la rapidamente, ainda no seumeio campo.
  • 93. Exercício Nº 10 6 x 6; 7 x 7; 8 x 8 Descrição/Desenvolvimento: A equipa em posse de bola não pode dar mais que três passes no mesmo corredor. Cada equipa procura manter a posse de bolaCorredor e fazer golos (pontos) numa dfas balizas Corredor adversárias. Após o golo a equipa queEsquerdo Direito concretiza continua de posse de bola, se não concretiza a posse passa para o adversário.
  • 94. Exercício Nº 106 x 5 + (3 x 2 + Gr.)Descrição/Desenvolvimento:Vermelhos fazem posse de bola no meio campoadversário.Azuis após recuperarem a posse de bola entramem contra-ataque jogando com os trêsavançados do outro meio campo, que a seguirfazem 3 x 2 + Gr. – Quando marcarem golo asduas equipas trocam de tarefas.
  • 95. PASSE EM TRIÂNGULO OBJECTIVOS: Passe em triângulo ANALISE CRITICA: • Direccionalidade do passe • Recepção do passe • Velocidade do passe • Ângulo de passe * Timming da desmarcaçãoREALIZAR O EXERCÍCIO PELA DIREITA E PELA ESQUERDA
  • 96. OBJECTIVOS: Passe em triângulo ANALISE CRITICA: • Direccionalidade do passe • Recepção do passe • Velocidade do passe • Ângulo de passe * Timming da desmarcaçãoREALIZAR O EXERCÍCIO PELA DIREITA E PELA ESQUERDA
  • 97. OBJECTIVOS: Passe em triângulo ANALISE CRITICA: • Direccionalidade do passe • Recepção do passe • Velocidade do passe • Ângulo de passe * Timming da desmarcaçãoREALIZAR O EXERCÍCIO PELA DIREITA E PELA ESQUERDA
  • 98. PASSE EM Y OBJECTIVOS: Passe em y ANALISE CRITICA: • Direccionalidade do passe • Recepção do passe • Velocidade do passe • Ângulo de passe * Timming da desmarcaçãoREALIZAR O EXERCÍCIO PELA DIREITA E PELA ESQUERDA
  • 99. OBJECTIVOS: Passe em y ANALISE CRITICA: • Direccionalidade do passe • Recepção do passe • Velocidade do passe • Ângulo de passe * Timming da desmarcaçãoREALIZAR O EXERCÍCIO PELA DIREITA E PELA ESQUERDA
  • 100. CIRCULAÇÕES TÁCTICAS Circulação da bola e dos jogadores As circulações tácticas são parte preponderante na organização do ataque, representam por isso uma forma superior do esquema táctico. Com o auxílio do exercício de circulações tácticas prepara-se e executa-se a fase de organização do ataque, no contexto do sistema de jogo adaptado. Numa circulação participa um número grande de jogadores (mais de três). O objectivo é idêntico ao do sistematáctico – criação das situações favoráveis à obtenção de golos. As circulações utilizam-se frente a uma equipa organizada.
  • 101. Consta de combinações tácticas e acções individuaissimultâneas e sucessivas, que se desenrolam de acordo comum determinado plano de organização. Os jogadores e a bolacirculam sucessivamente, ocupando e desocupando espaçosanteriormente estabelecidos, procurando permanentemente levar a defesa a errar, qualquer erro da da defesa – queaparece como consequência da movimentação orquestrada – deve ser aproveitado para tentar obter golo. Para a realização das circulações tácticas estabelecem-se antecipadamente os princípios da movimentação dosjogadores da bola, bem como também o sentido e o ritmo de jogo.
  • 102. Uma boa circulação táctica deverá caracterizar-se por:Mobilidade: desmarcações sucessivas dos jogadores e circulação da bola orientada para a baliza doadversário, de tal forma que constituam uma ameaça permanente para a defesa;Finalização: todos os movimentos articulados visam a finalização;Espaço: poder-se executar em qualquer corredor ou sector do campo, mudando a direcção semperder a posse de bola;Simplicidade: Poder ser aprendida de uma forma relativamente fácil e corresponder à preparaçãotécnica dos jogadores;Equilíbrio: assegurar a ocupação equilibrada do espaço, para em caso de perda da posse de bola,garantir que o adversário não consiga fazer golos de imediato;Adaptabilidade: Qualquer circulação táctica deverá ter variantes que possam ser aplicadas frente adiversas formas defensivas;Progressão: Devem ser realizadas no sentido da baliza adversária.
  • 103. TRIÂNGULAÇÃO TÁCTICA1 Terreno de Jogo: Aproximadamente 1/3 do terreno de jogo e uma baliza normal. 5 7 Jogadores: Um avançado, um médio centro, um defesa lateral, um opositor a marcar o avançado e um G.Redes. 2 A triangulação inicia-se com a bola na posse 6 do jogador Nº 2. Jogador Nº 2, passa ao Nº 7 o qual passa ao Nº 6, e continua o movimento em desmarcação diagonal afim de atacar o 1º poste. O jogador Nº 6, após desmarcação perpendicular do nº 2, faz passe para esse jogador
  • 104. TABELA TÁCTICA 1 Terreno de Jogo: Aproximadamente 1/2 do terreno de jogo e uma baliza normal. 5 Jogadores: Um avançado, um médio centro, 211 7 dois defesas laterais, três opositores, dois a marcar os avançados e um G.Redes. A tabela inicia-se com a bola na posse do 2 jogador Nº 5. 8 6 5 Jogador Nº 11, faz desmarcação de apoio e devolve o passe ao Nº 5, o qual faz passe tenso para o jogador Nº 2, após desmarcação perpendicular deste jogador, este cruza para a zona finalização
  • 105. CIRCULAÇÕES TÁCTICAS 1 Sistema 4 : 3 : 3 Descrição: 9 Defesa central Nº 4, faz passe por cima para o11 7 Nº 2, este recepciona a bola e de imediato faz passe tenso para dentro na direcção do Nº 7, 8 este faz pequena condução ou não, (a 10 condução está condicionada ao posicionamento do adversário) e de imediato 6 faz passe para o Nº 9, aproveitando o timming 2 da desmarcação diagonal deste jogador ou 5 faz passe para o Nº 10, aproveitando 4 3 aproveitando a desmarcação perpendicular do mesmo. Todos os jogadores devem avançar no campo e efectuar os movimentos desenhados no sistema.
  • 106. 1 Descrição: Defesa central Nº 4, faz passe por cima para o Nº 2, este recepciona a bola e de imediato faz 9 passe tenso por cima para Nº 8, este faz pequena condução ou não, (a condução está condicionada ao posicionamento do11 7 adversário) e de imediato faz cruzamento para 8 a zona de finalização. Todos os jogadores 10 devem avançar no campo e efectuar os movimentos desenhados no sistema. 6 2 5 Exigências: 4 3 Transição rápida Qualidade do passe Timming dos deslocamento Velocidade de execução
  • 107. Sistema 4 : 4 : 2 - Losango 1 Descrição: Defesa central Nº 4, faz passe por cima para o Nº 2, este recepciona a bola e após 9 8 desmarcações sucessivas tenta escolher o colega em melhor posição para receber o 10 passe. Todos os jogadores devem avançar no campo e efectuar os movimentos desenhados 11 7 no sistema. 6 25 Exigências: 4 3 Qualidade do passe Timming dos deslocamento Velocidade de execução Movimentação colectiva dos jogadores fora da acção do jogo
  • 108. 1 Descrição: Defesa central Nº 4, faz passe por cima para o Nº 2, este recepciona a bola e após 9 8 desmarcação do Nº 8 faz passe por cima para esse jogador. Todos os jogadores devem avançar no campo e efectuar os 10 movimentos desenhados no sistema. 11 7 6 Exigências: 25 Qualidade do passe 4 3 Timming dos deslocamento Velocidade de execução Movimentação colectiva dos jogadores fora da acção do jogo
  • 109. SITUAÇÕES DE FINALIZAÇÃO Análise critica Condução em velocidade com a bola controlada Timming das desmarcações Qualidade do passe Direcção do passe Qualidade do drible Opção de passe, drible ou remateCumprimento dos comportamentos da contenção e da cobertura defensiva, e dos princípios de marcação
  • 110. Jogo 2 x 1 + Gr. 1D Descrição: Passe por cima do defesa, deslocamento em velocidade para realizar a contenção o mais longe da baliza possível. Controlo da bola por 1 2 parte do 1º atacante que se dirige em velocidade na direcção da baliza e do defesa fixando-o. Desmarcação circular complexa do 2º atacante. Passe ou drible do 1º atacante consoante a resposta do defesa
  • 111. 1 DD Descrição: Passe por cima do defesa, deslocamento em velocidade para realizar a contenção o mais longe da baliza possível. Controlo da bola por parte do 1º atacante que se dirige em velocidade na direcção da baliza e do defesa fixando-o. 1 2 3 Desmarcação circular complexa do 2º atacante. Desmarcação perpendicular do 3º atacante ocupando o corredor vazio. Passe do 1º atacante escolhendo o lado contrário ao da posição do defesa em cobertura. Atenção ao fora de jogo
  • 112. LIVRE CENTRALPara poder operar os quadros seguintes precisa de ter instalado no seu computador o programa FLASH MX CLICAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO Libre indirecto : El CCd saca el libre indirecto hacia el Ii que realiza una pared con el MP, que se desplaza por detrás de la barrera. SEÑAL: Brazo derecho pegado al cuerpo. INFORMACION CC LI LD MP CD CC CI PU LI Po P CI LD ID Ii CD AFS Livre frontal 2.swf
  • 113. Libre indirecto : ElSe colocan 5 jugadores dentro del área adversaria y dejan espacio libre cerca de la l{inea del área de penalti. El ID se dirige hacia el balón que es sacado por el LD. El ID deja pasar el balón para que lo golpee el LI que llega desde atrás. SEÑAL: Colocar el balón entre las dos piernas. INFORMACION LI CC CI CD Po CC Ii PU MP CLICAR 2 VEZES ID POR BAIXO DO LD CAMPOAFS Livre latera 3.swf
  • 114. LIVRE CENTRAL NOSSO MEIO CAMPO CLICAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO Libre indirecto : El CD saca el libre indirecto en largo hacia el ID, que conduce y centra hacia el punto de penalti, donde van a rematar el P y el Ii. Para el posible rechace se quedan cerca del área de penalti: el MP y los dos CC. SEÑAL: Pisar el balón. INFORMACION LI Ii CI MP CC Po PU CD CC LD ID AFS Livre no nosso meio campo 1.swf
  • 115. CLICAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO Libre indirecto : El CD saca el libre indirecto en largo hacia el P, que intentará pasar con la cabeza hacia el punto de penalti, donde irán a rematar el ID, el Ii y el MP. Para el posible rechace se quedan cerca del área de penalti: los dos CC. SEÑAL: Levantar la mano. INFORMACION LI PU CC Po CI Ii MP CC ID CD LDAFS Livre no nosso meio campo 2.swf
  • 116. LIVRE CENTRAL MEIO CAMPO ADVERSÁRIO CLICAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO Libre indirecto : El CCd saca el libre indirecto hacia el P, que pasa el balón hacia el MP por detrás de la barrera. SEÑAL: Tocarse la cabeza. INFORMACION LI CC LD CI MP CD CC CI PU LI Po P CD LD ID IiAFS Livre frontal 5.swf
  • 117. LIVRE LATERAL NOSSO MEIO CAMPO CLICAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO Libre indirecto : El LD saca el libre indirecto hacia el desmarque P, éste pasa al 1º toque al ID, para que éste centre o tire a portería. SEÑAL: Brazo derecho pegado al cuerpo. INFORMACION CI CC MP LI Ii CC PU Po CD LD ID AFS Livre lateral longe 1.swf
  • 118. PRESSINGCLIKAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO AFS 9 10 11 7 4 8 3 5 6 2 1 pressing L4 + C.O +R. Intensivo.swf
  • 119. CANTOSCLICAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO7 7 8 10 1 11 6 5 9 8 4 Desde la banda izquierda, saca Mendieta (7) con su pie derecho hacia el 2º palo, donde remató con la cabeza Morientes (9) y marcó GOL. Van al remate: Paco (5) y Helguera (8) al 1º palo. Hierro (6) y Morientes (9) al 2º palo. Munitis (11) va al espacio anterior del 1º palo para prolongar y Raúl (10) se coloca delante del portero para estorbarle la visión. Fuera del área de penalti se coloca Guardiola (4) para el posible rechace. INFORMACION Canto 1.SWF
  • 120. CLICAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO Saque de esquina : El CCi saca córner desde la banda derecha hacia el 1° palo donde el MP y el CD intentarán prolongar hacia el 2° palo donde llegarán el P y el CI. Para un posible rechace se quedan fuera del área de penalti: el Ii y el ID. SEÑAL: Levantar el brazo. INFORMACION LI PU Ii CI Po CC ID MP CD LD CCAFS Canto Lado Direito.swf
  • 121. CLICAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO Saque de esquina : El CCi saca el córner abierto para que entren escalonados. Se deberían realizar bloqueos. SEÑAL: Levantar el brazo. INFORMACION LI CI Ii CD PU Po CC MP ID LDAFS CC Canto Lado Direito 2.swf
  • 122. CLICAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO Saque de esquina : El CCd saca en corto hacia el LD, éste centra al área de meta. Los dos centrales que están en el 1º palo se dirigen hacia el 2º palo, y el P y el Mp que están en el 2º palo van hacia el 1º palo. Para un posible rechace se quedan fuera del área de penalti: el Ii y el ID. SEÑAL: Pisar el balón con la planta del pie.INFORMACION LI PU Ii MP CC Po ID CI CD LD CCAFS Canto Lado Direito 3.swf
  • 123. CLICAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO Saque de esquina : El Ii se dirige hacia el CCd que saca el córner, pero se gira y se va hacia la portería. El balón irá dirigido hacia el MP que intentará dejarselo al Ii para que éste remate a portería. Para un posible rechace se queda fuera del área de penalti: el ID y el LD. SEÑAL: Mano en el pecho. INFORMACION LI PU CD CI Po CC ID Ii MP LDAFS CC Canto Lado Direito 4.swf
  • 124. CLICAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO Saque de esquina : El CCd saca en corto sobre el Ii que le devuelve el balón al CCd para que centre al área de meta, donde van a rematar los dos CC y el P. Para un posible rechace se queda fuera del área de penalti: el ID y el LD. SEÑAL: Pisar el balón con la planta del pie derecho. INFORMACION LI PU CD CC CI Po ID Ii MP LDAFS CC Canto Lado Direito 5.swf
  • 125. LANÇAMENTOS LINHA LATERAL CLICAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO Saque de banda Lejano : El ID se acerca al saque de banda y deja espacio libre para que lo ocupe el MP; éste concuce el balón y centra hacia el punto de penalti, donde van a intentar rematar el P y Ii. Se colocan para un posible rechace el ID y los dos CC. SEÑAL: Coger el balón con la mano pegado a la cadera. INFORMACION Ii LI PU Po CC CI CC MP CD IDAFS LD Lançamento Lateral 1.SWF
  • 126. CLICAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO Saque de banda Lejano : El LD saca de banda hacia el ID que prolonga hacia atrás, donde se incorpora el MP que conduce unos metros y centra hacia el punto de penalti, donde intentan rematar el P y el Ii. Se colocan cerca del área para un posible rechace: el ID y los 2 CC. SEÑAL: Levantar el balón por encima de la cabeza. INFORMACION Ii LI CC PU Po CI CC MP CD IDAFS LD Lançamento Lateral 2.swf
  • 127. CLICAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO Saque de banda Lejano : El LD saca de banda hacia el CCd que le devuelve el balón, para que el LD realice un cambio de orientación del balón hacia la banda izquierda por donde se incorpora el Ii, que conduce el balón y centra hacia el punto de penalti, donde van a rematar el P, el MP y el ID. Para un posible rechace se colocan cerca de la línea del área grande: el LD y los 2 CC. SEÑAL: Balón situado a la altura del abdomen. Ii LI Po PU CI CC MP CD CC ID INFORMACIONAFS LD Lançamento Lateral 3.swf
  • 128. CLICAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO Saque de banda cercano:LD saca de banda en largo hacia el MP para que prolongue hacia el área de meta, donde van a rematar el P y el Ii. Para un posible rechace se colocan cerca de la línea del área de penalti: el ID y los 2 CC. SEÑAL: Levantar el balón por encima de la cabeza. LI Ii CC CI PU Po CC MP CD ID INFORMACIONAFS LD Lançamento Lateral 4.swf
  • 129. CLICAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO Saque de banda cercano:El LD saca de banda hacia el ID, éste le devuelve el balón para que el LD realice un centro hacia el área de meta, donde intentarán rematar el P, el MP y el Ii. Para un posible rechace se colocan cerca del área de penalti: El ID y los 2 CC. Señal: Colocar el balón sobre el abdomen. LI Ii CC PU CI Po CC MP CD ID INFORMACIONAFS LD Lançamento Lateral 5.swf
  • 130. CLICAR 2 VEZES POR BAIXO DO CAMPO Saque de banda cercano:LD saca de banda a una zona que va a ocupar el Ii, éste prolongará el balón hacía el área de meta donde el ID intentará el remate con la cabeza.Importante si existiese un buen bloqueo. Señal: Pisar el balón con el pie más lejano a la línea de fondo rival LI CC ID CI PU Po CC CD MP Ii INFORMACIONAFS LD Lançamento Lateral 6.swf