Arranjos Físico
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Arranjos Físico

on

  • 3,480 views

Essa apresentação aborda conteúdos em relação aos variados tipos de Arranjos Físico em diversos processos produtivos

Essa apresentação aborda conteúdos em relação aos variados tipos de Arranjos Físico em diversos processos produtivos

Statistics

Views

Total Views
3,480
Slideshare-icon Views on SlideShare
3,480
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
119
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

     Arranjos Físico Arranjos Físico Presentation Transcript

    • Arranjos Físicos Bianca Carvalho Fabiana Caires Felipe Mascarenhas Thais Berbert
    • O que é Arranjo Físico? • Diz respeito ao posicionamento físico dos recursos transformadores de uma empresa, onde serão colocados todas as instalações, equipamentos e pessoal da operação.
    • O que faz um bom Arranjo Físico • Conforto para o funcionários: Ambiente de trabalho ventilado, iluminado e agradável; • Coordenação gerencial • Acessibilidade: Todas as máquinas devem apresentar um nível de acessibilidade suficiente para limpeza e manutenção; • Usa adequado do espaço; • Flexibilidade de longo prazo: os arranjos devem ser alterados periodicamente a medida que as necessidades da operação mudem.
    • O que faz um bom Arranjo Físico • Segurança inerente: Saídas de emergências claramente sinalizadas, e sinalizações claramente definidas; • Extensão do fluxo: O fluxo de informações, materiais devem atender ao objetivo da operação; • Clareza de fluxo: Todo fluxo deve ser sinalizado de forma clara para os funcionários;
    • Tipos básicos de Arranjo Físico • Arranjo físico posicional • Arranjo físico de processo • Arranjo físico celular • Arranjo físico por produto
    • Arranjo Físico Posicional • Também conhecido como arranjo de posição fixa. • Em vez de materiais e informações fluírem para uma operação, quem sofre procedimento fica estacionário, enquanto equipamentos, maquinários, instalações movem-se na medida do necessário.
    • Arranjo Físico Posicional • Exemplo: Construção de uma rodovia, onde o produto é grande demais para ser movido; • Exemplo: Manutenção de computadores de grande porte, onde o produto também é muito grande para ser movido e o cliente pode negar trazê-lo para manutenção.
    • Arranjo Físico por Processo • Conhecido também como arranjo funcional (Jobbing). • Máquinas agrupadas com as mesmas funções ou operações e montagens semelhantes. • Formam um departamento por onde caminham os produtos, onde procuram os diferentes processos de cada área necessária.
    • Arranjo Físico por Processo
    • Arranjo Físico por Processo • Produção por lotes ou encomendas. • Facilmente encontrado em prestadores de serviço e organizações do tipo comercial.
    • Arranjo Físico por Processo • Projeto detalhado • O principal fator que leva a essa complexidade é o número muito grande de diferentes alternativas. • Na prática, dificilmente encontradas. soluções ótimas • A relação é fatorial. N! = N x (N - 1) x (N - 2) x .... podem ser
    • Arranjo Físico por Processo Informações essenciais para Arranjo Físico por Processo 1 - A área requerida por centro de trabalho; 2 - As restrições sobre a forma da área a ser alocada para cada centro de trabalho; 3 - O nível e a direção do fluxo entre cada par de centros de trabalho (número de jornadas, carrega-mentos ou custo do fluxo por unidade de distância percorrida); 4 - O quão desejável é manter centros de trabalho próximos entre si ou próximos de algum ponto fixo do arranjo físico.
    • Arranjo Físico por Processo • Objetivo • Minimizar os custos para a operação, associados com o fluxo de recursos transformados ao longo da operação. • Fabricante de móveis • Hospital • Maximizar a receita associada ao fluxo, mais do que minimizar custos. • Operações de varejo • Operações de lazer
    • Arranjo Físico por Processo •
    • Arranjo Físico por Processo •
    • Arranjo Físico por Processo Método geral de projeto Passo 1 - Coletar as informações sobre os centros de trabalho e os fluxos entre eles. Passo 2 - Desenhar um arranjo físico esquemático, mostrando os centros de trabalho e os fluxos entre eles. Passo 3 - Ajustar o arranjo físico esquemático de forma a levar em conta as restrições da área dentro da qual o arranjo físico deve caber. Passo 4 - Desenhar o arranjo físico mostrando as áreas reais dos centros de trabalho e as distâncias que os materiais e as pessoas devem per- correr. Passo 5 – Checar se a troca da localização de quaisquer dos centros faz reduzir a distância total percorrida ou o custo total de movimentação.
    • Arranjo Físico por Produto • Preocupa-se com a localização dos recursos produtivos transformadores inteiramente segundo a melhor conveniência do recurso que está sendo transformado. Também chamado de Arranjo físico em “fluxo” ou “linha”. (SLACK, 2002)
    • Arranjo Físico por Produto • MONTAGEM DE AUTOMÓVEIS - quase todas as variantes dos mesmo modelo requerem sequência de processos. Fábrica da GM terá capacidade para produzir 120 mil motores e 200 mil cabeçotes , que abastecerá as unidades de Gravatá (RS) e Rosário na Argentina (Foto: Fabio Gonzalez/divulgação) Fonte: Portal do Trânsito
    • Arranjo Físico por Produto • PROGRAMA DE VACINAÇÃO EM MASSA - todos os clientes requerem sequências de atividades burocráticas (preenchimento das cadernetas de vacinação) médicas e de aconselhamento ( resguardo necessário).
    • Arranjo Físico por Produto • RESTAURANTE SELF-SERVICE - geralmente a sequência requerida pelo cliente(entrada, prato principal) é comum, mas o arranjo físico também mantém o controle sobre o fluxo dos clientes.
    • Arranjo Físico por Produto • Sequência de processos na manufatura de papel - Cada processo será arranjado fisicamente com a mesma sequência. Fonte: SLACKS, Nigel . Administração da produção
    • Arranjo Físico por Produto • Centro de alistamento militar usando arranjo físico por produto Arranjo físico por produto – Centro de alistamento militar Fonte: SLACKS, Administração da produção
    • Arranjo Físico por Produto • Projeto detalhado • No arranjo físico por produto , a decisão é mais sobre “o que localizar onde” A decisão do Projeto é chamada de balanceamento de linha. • 1. 2. 3. 4. 5. Essas decisões são as seguintes : Que tempo de ciclo é necessário? Quantos estágios são necessários? Como lidar com as variações no tempo para cada tarefa? Como balancear o arranjo físico? Como arranjar estágios?
    • Arranjo Físico por Produto Projeto detalhado • Tempo de Ciclo • O que é? • Como calculado? tempo de ciclo= Tempo disponível Quantidade a ser processada • Exemplo: Um banco esta projetando uma operação que vai processar as solicitações de empréstimos hipotecados . O número de solicitações a serem processadas é de 160 por semana e o tempo disponível para processar as solicitações é 40 horas por semana.
    • Arranjo Físico por Produto Projeto detalhado • Número de estágios : • O número de estágios é a próxima tomada de decisão do projeto detalhado • Como calcular: N de estágios = Conteúdo total de trabalho Ciclo de tempo necessário • Exemplo: Usando o mesmo exemplo, o conteúdo total de trabalho de processar uma solicitação de empréstimo é de 60 minutos. Tendo um o tempo de ciclo de 15 minutos.
    • Arranjo Físico por Produto Projeto detalhado • Variação do tempo de tarefa : •O que é? • Grande número de fatores: - Cada produto ou serviço processado pode ser diferente dos outros - Produtos ou serviços em série , embora essencialmente semelhantes, podem requerer pequenas diferenças de tratamento. - Geralmente ocorre variações na coordenação física e no esforço da pessoa que executa. • Causando a: - Criação de filas temporárias - Perda de tempo disponível do trabalho
    • Arranjo Físico por Produto Projeto detalhado Balanceamento da distribuição de tempo : •O que é o balanceamento de linha ? • Em situações práticas, é impossível obter um mesmo ciclo de tempo, havendo assim um desbalanceamento no trabalho distribuído a cada estágio. • Perda de balanceamento – é a medida da eficácia da atividade do balanceamento de linha. * Técnicas de balanceamento • Diagrama de precedência – é o ponto de partida para a maioria das técnicas de balanceamento de linha. - o que é? - como é feito
    • Arranjo Físico por Produto Projeto detalhado Arranjando os estágios :
    • Arranjo Físico por Produto • Vantagens do arranjo longo - magro: - Fluxo controlado de materiais e clientes - Manuseio simples de materiais - Requisito de capital mais moderado - Operação mais eficiente • Vantagens do arranjo curto – gordo: - Maior flexibilidade de mix - Maior flexibilidade de volume - Maior robustez - Trabalho menos monótono
    • Arranjo Físico por Célula - Definição “Tentativa de trazer alguma ordem para a complexidade de fluxo que caracteriza o arranjo físico por processo.”
    • Arranjo Físico por Célula Exemplos de Arranjo físico celular: • Algumas empresas manufatureiras de componentes de computador • Área para produtos específicos em supermercados • Maternidade em um hospital
    • Arranjo Físico por Célula Princípios para Serviços :
    • Arranjo Físico por Célula Vantagens x Desvantagens do Arranjo físico por célula: • Vantagens : Desvantagens : • Aumento da flexibilidade quanto ao tamanho de lotes por produto • Específico para uma família de produtos • Diminuição de transporte de material • Dificuldade em elaborar o arranjo • Diminuição dos estoques • Maior satisfação no trabalho
    • Arranjo Físico por Célula Projeto de Arranjo físico celular : • Porte e natureza das células • Alocação de recursos às células
    • Arranjo Físico por Célula Agrupa processos necessários para uma família de produtos : Tipos de célula :
    • Arranjo Físico Mistos Arranjo físico em linha = bandejão Arranjo físico celular = Buffet Arranjo físico posicional = A La Carte
    • Volume –Variedade e Tipo de Arranjo Físico Posição do processo no contínuo volume- variedade influencia seu arranjo físico e, consequentemente o fluxo dos recursos transformados. Fonte: SLACKS, Administração da produção (UNIP – AOP – 2010 – Arranjo Físico e Fluxo)
    • Vantagens e desvantagens Vantagens Desvantagens Posicional - Flexibilidade de mix e - Custos unitários muito altos produto muito alta - Produto ou cliente não movido ou perturbado - Alta variedade de tarefas para mão-de-obra Produto - Programação de espaço e atividades complexa -Movimentação de equipamentos e mão-de-obra - Produção em massa com grande produtividade ,custo unitário baixo para altos volumes -Especialização de equipamentos - Garante boa movimentação de materiais e clientes Baixa ou nenhuma flexibilidade do mix - Pode parar se alguma etapa parar - Trabalho repetitivo
    • Avaliação dos custos envolvidos na implantação do arranjo físico, e na sua operação. Custos fixos: implantação de um arranjo físico. O arranjo físico posicional é o que apresenta o menor custo fixo. Por outro lado, o arranjo físico por produto necessita de grande investimento inicial, pois utiliza até máquinas que são feitas de forma customizada, para produção exclusiva do produto em questão – Exemplo: açúcar e álcool Custos variáveis: São os custos que envolvem mão de obra, matériaprima, energia elétrica, materiais de consumo, entre outros itens necessários para produzir aquilo que a organização se propõe. Quanto maior o volume produzido, maior o custo variável.
    • Conclusão • O gestor precisa ter uma visão ampla para decidir qual arranjo físico adotar , para que não ocorra erros, porque é um processo de alto valor e de difícil execução , podendo ter um grande impacto direto nos custos de uma operação produtiva devido aos altos investimentos que são necessários para construir ou modificar o layout produtivo , quando ele e ineficiente.
    • Referências • SLACK , Nigel; Administração da produção , 2 Edição • MOREIRA, Daniel Augusto. Administração da produção e operações. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2008. 624 p.