Gestão de Produtos

39,107 views
38,445 views

Published on

Gestão de Produtos

Published in: Business
3 Comments
16 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
39,107
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
23
Actions
Shares
0
Downloads
903
Comments
3
Likes
16
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Gestão de Produtos

  1. 1. Gestão de Produtos<br />
  2. 2. Conceito<br />Produto é algo concreto ou abstrato que satisfaz as necessidades e os desejos dos consumidores.<br />O produto é uma combinação de atributos, como as dimensões físicas, os materiais, as funções, o desempenho, a marca, o preço e a embalagem. <br />
  3. 3. Tipos de produtos<br />Os produtos podem ser divididos em:<br /><ul><li>Tangíveis e Intangíveis
  4. 4. Produtos Industriais e de Consumo</li></li></ul><li>Tangíveis e Intangíveis<br />Os bens de consumo são produtos tangíveis ou físicos, como carros, roupas e apartamentos.<br />Os serviços são produtos intangíveis, como shows musicais, tratamentos médicos, assistência técnica e equipamentos industriais.<br />O conceito de produto refere-se tanto a bens quanto a serviços.<br />
  5. 5. Produtos Industriais e de Consumo<br />Os produtos industriais são adquiridos por empresas de manufatura, de prestação de serviço ou pelos governos. Exemplo:<br />matérias primas (minério de ferro e algodão)<br />componentes e matérias semi processados (chip de computador e chapas de aço)<br />bens de capital (armazéns e laminadoras)<br />suprimentos (materiais de escritório)<br />serviços (limpeza e consultoria tributaria)<br />
  6. 6. Produtos Industriais e de Consumo<br />Produtos de consumo são comprados por pessoas ou famílias, ou seja, consumidores finais que querem satisfazer desejos ou necessidades individuais e familiares.<br />
  7. 7. Tipos de Produtos<br />
  8. 8. Características técnicas e Composição física<br />As características técnicas do produto definem o que ele é e como ele funciona. Essas características incluem composição física, processos de produção, funções e especificações técnicas.<br />Composição física é o resultado de matérias-primas e de componentes incorporados ao produto.<br />
  9. 9. Características técnicas e Composição física<br />As matérias-primas utilizadas dependem da categoria do produto. <br />Nas roupas, fibras sintéticas – Lycra – ou naturais – Tencel – melhoram a aparência e os tecidos amarrotam menos. <br />Componentes são conjuntos pré-montados e instalados no produto para realizar certas funções.<br />
  10. 10. Função do Produto<br />Funções são as operações que o produto realiza. <br />Televisores têm funções SAP – escutamos o som na língua original do programa, como a inglesa – e PIP – assistimos a mais de um canal ao mesmo tempo. <br />Os manuais de operação, cada vez mais grossos, comprovam a expansão das funções dos produtos. Em contrapartida, fica mais difícil para o usuário compreender e utilizar todas elas.<br />
  11. 11. Especificações técnicas<br />Especificações técnicas descrevem as dimensões, as características de funcionamento e os níveis de desempenho do produto. <br />Um microcomputador traz especificações da memória RAM – 2 gigabytes –, capacidade de armazenamento do disco rígido – 250 giga bytes – e velocidade do processador – 2,8 giga hertz. <br />Para o consumidor leigo, várias especificações técnicas são muito complicadas. <br />Alguns compradores, em uma decisão importante para eles, compreendem e valorizam as especificações técnicas.<br />
  12. 12. Design<br />Em outros termos, design significa uma concepção tomada de forma ampla, cobrindo e integrando vários aspectos dos produtos que afetam as atividades humanas. <br />O bom design ajuda a criar uma identidade para produtos e marcas, como, por exemplo, as mochilas Kipling e os microcomputadores IMac. <br />
  13. 13. Diante desses produtos, nós logo os reconhecemos – são produtos que se destacam pela harmonia manifestada no próprio produto e em sua relação com o consumidor. <br />
  14. 14. Liquidificador e Design<br />O design melhora as condições de uso do produto, facilitando as situações de compra, de instalação, de operação e de manutenção. <br /> O design tornou os liquidificadores mais valorizados pelos consumidores. <br />O antigo acoplamento, em que se rosqueava a base com as lâminas de corte ao copo, era um sofrimento para as donas-de-casa. Elas colocavam pressão extra para que o líquido não vazasse, mas, na hora da limpeza, com a mão molhada, era difícil desacoplar o conjunto. <br />
  15. 15. Hoje<br />Ontem<br />O design trouxe o engate rápido e o copo em peça única – resultado de trabalho técnico para melhorar a vida do consumidor.<br />
  16. 16. Embalagem<br />Embalagem é o recipiente ou invólucro que contém o produto.<br />
  17. 17. Finalidades Mercadológicas da Embalagem<br />A embalagem expõe os produtos aos olhos dos consumidores, capturando a atenção no PDV.<br />
  18. 18. Finalidades Mercadológicas da Embalagem<br />A embalagem destaca o produto frente aos concorrentes.<br />
  19. 19. Finalidades Mercadológicas da Embalagem<br />A embalagem ajuda a construir a identidade do produto e da marca.<br />
  20. 20. Finalidades Mercadológicas da Embalagem<br />A embalagem fornece informações sobre o produto.<br />
  21. 21. Finalidades Mercadológicas da Embalagem<br />A embalagem funciona como plataforma para ações promocionais – por exemplo, leve 3 e pague 2.<br />
  22. 22. Finalidades Mercadológicas da Embalagem<br />A embalagem ajuda no uso dos produtos a exemplo das receitas reproduzidas nos rótulos.<br />
  23. 23. Nas lojas de auto-serviço, produtos concorrentes e expostos lado a lado aumentam a importância da embalagem para influenciar a decisão do consumidor.<br />
  24. 24. São elementos da embalagem<br />Estrutura<br />Textos<br />Cores<br />Ilustrações<br />
  25. 25. Estrutura<br />A estrutura envolve formato, partes, materiais e acabamentos. Quanto aos refrigerantes, quando predominavam os vasilhames de vidro, cada marca – Fanta, Coca-Cola, Crush, Grapette – tinha uma garrafa com formato próprio. Havia uma identidade entre a embalagem e a marca. <br />A estrutura da embalagem afeta a conveniência do produto em operações básicas como abrir, utilizar, fechar e descartar – o formato anatômico dos frascos de detergentes com gatilho aplicador facilita o uso..<br />
  26. 26. Estrutura<br />Boas embalagens são mais seguras. Por exemplo, tampas de remédios devem dificultar que crianças abram o recipiente. <br />Na estrutura, cada material de embalagem tem vantagens e desvantagens. Com a tecnologia da empresa TetraPak, os produtores de leite aumentaram, radicalmente, o tempo de preservação do produto e, nesse momento, surgiu o leite Longa Vida. <br />
  27. 27. Textos<br />Textos são os elementos de comunicação verbal na embalagem, ou seja, as palavras que identificam o produto e fornecem informações sobre ele. <br />A mensagem precisa ser clara e efetiva para que o consumidor não faça uso inadequado do produto e não opte pelo produto da concorrência. <br />
  28. 28. Textos<br />Na redação do texto, devemos... <br />utilizar termos, conceitos e construções de fácil compreensão;<br />fazer com que o conteúdo não deixe margem a dúvidas;<br />incluir apenas os elementos necessários;<br />observar se a grafia dos tipos ajuda a transmitir idéias – como tradição ou esportividade – sobre o produto.<br />
  29. 29. Cores<br />As cores formam o tópico mais emocional e subjetivo do projeto de embalagens. <br />As cores moldam nossas percepções sobre roupas, carros, casa e embalagens. As cores permitem diferenciar linhas de produtos direcionadas para diferentes segmentos. <br />
  30. 30. Por exemplo, o amarelo nos produtos Bauducco remete ao trigo – matéria-prima da panificação. <br />
  31. 31. Ilustrações<br />As ilustrações são as fotografias e figuras estampadas na embalagem. As ilustrações servem para identificar o produto, mostrar como é seu uso, torná-lo mais desejável e despertar emoção no consumidor. <br />Ilustrações dão vida às embalagens, contribuindo para a dimensão simbólica. <br />
  32. 32. Linha de Produtos<br />As empresas formam uma linha de produtos ao vender itens com certa relação entre si. <br />Há linhas baseadas na categoria de produto. <br />A Bosch tem linhas de eletrodomésticos e de ferramentas. <br />A função também define uma linha de produtos.<br />Por exemplo, a Bosch trabalha com linhas de produtos para... <br />aquecimento – fogões, cooktops e fornos; <br />refrigeração – refrigeradores e freezers; <br />limpeza – coifas, depuradores, lava-louças, lavadoras e secadoras.<br />
  33. 33. Amplitude, Profundidade e Extensão<br />A amplitude da linha de produtos é o número de linhas diferentes<br />A profundidade da linha de produtos é a quantidade de itens distintos nela existentes <br />Aextensão do composto de produtos é a quantidade total de itens de produto da empresa.<br />A amplitude, a profundidade e a extensão descrevem o conjunto dos produtos da empresa, especificando o que ela oferece ao mercado. <br />
  34. 34. Amplitude, Profundidade e Extensão<br />Com uma linha extensa de produtos, a empresa se ajusta melhor às necessidades dos consumidores, ampliando a participação de mercado. <br />
  35. 35. Amplitude, Profundidade e Extensão<br />A linha diversificada reduz a distância entre o que há no composto do produto e o produto ideal, procurado por segmentos de consumidores. <br />A extensão reduz incertezas quando os produtos com bom desempenho compensam os itens problemáticos da linha. <br />Contudo, não convém manter os produtos deficitários na linha, pois há o risco de a proliferação de versões reduzir a rentabilidade. <br />

×