Movimentos Sociais

71,004 views

Published on

Published in: News & Politics, Spiritual
2 Comments
20 Likes
Statistics
Notes
  • É UM BOM TRABALHO, PRINCIPALMENTE NA PARTE DA CRONOLOGIA HISTÓRICA DOS MOVIMENTOS SOCIAIS, FICOU DEVENDO NA CLARIDADE DOS CONCEITOS, POIS FICARAM NAS ENTRELINHAS MEIOS QUE OBSCURECIDOS, NO MAIS VALEU.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Caracas
    Amei bem bacana xD
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
71,004
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
351
Actions
Shares
0
Downloads
1,558
Comments
2
Likes
20
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Movimentos Sociais

  1. 1. Sociologia Movimentos Sociais
  2. 2. Visão Geral <ul><li>Ações sociopolíticas </li></ul><ul><li>Atores sociais coletivos  diferentes classes e camadas sociais </li></ul><ul><li>Interesses em comum </li></ul><ul><li>Atuação explícita </li></ul><ul><li>Consciência  organização política </li></ul><ul><li> cultura política </li></ul><ul><li> espacial- temporal </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Fatores Constituintes: </li></ul><ul><li>Internos: </li></ul><ul><li> práxis </li></ul><ul><li> projeto </li></ul><ul><li> ideologia </li></ul><ul><li> direção e organização : vanguardista X basismo </li></ul><ul><li>Externos: </li></ul><ul><li> contexto do cenário sociopolítico e cultural </li></ul><ul><li> opositores </li></ul><ul><li> relação com outros movimentos sociais </li></ul><ul><li> relação com o Estado e demais agências da sociedade </li></ul><ul><li> relação com a mídia </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Os movimentos sociais e o movimento dialético que os constituem. </li></ul>
  5. 5. Contexto Histórico <ul><li>LIBERALISMO: cidadania associada à noções dos direitos: </li></ul><ul><li>- direitos naturais(liberdade, igualdade perante à lei e direito à propriedade) e; </li></ul><ul><li>- direitos de nação (soberania, divisão de poderes). </li></ul><ul><li>Declaração dos Direitos Humanos de 1789 firma a propriedade como direito supremo. Nasce um sujeito político burguês. </li></ul><ul><li>cidadão = proprietário de terra (burgueses) </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Locke: a educação para a cidadania não faria parte da classe trabalhadora porque ela não seria cidadã. Essa classe não precisava saber, apenas precisavam acreditar. </li></ul><ul><li>SÉC. XVIII: a questão da cidadania se resumirá a uma questão educativa. </li></ul><ul><li>- cidadão passivo: educação como mecanismo de controle social. O povo instruído seria ordeiro, obedientes a seus superiores e não presa de crendices e superstições religiosas e místicas. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>SÉC XIX: a cidadania se dirige a todos, inclusive as massas, mas para discipliná-las e domesticá-las. Os direitos sociais não são conquistados. São outorgados pelo Estado. </li></ul><ul><li>SÉC XX: cidadania coletiva </li></ul><ul><li>- se constrói no cotidiano através do processo de identidade político-cultural que as lutas cotidianas geram. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>BRASIL: </li></ul><ul><li>- meados de 50: movimentos nos espaços rural e urbano(impulsionados pelas SABs e CEBs) adquiriram visibilidade através das manifestações em espaços públicos (rodovias, praças, etc.) </li></ul><ul><li>- anos 60 e 70: reivindicações por educação, moradia e voto direto. </li></ul><ul><li>- anos 80: Diretas Já </li></ul><ul><li>- anos 90: destaque para MST </li></ul><ul><li>e ONGs, ao lado de outros sujeitos </li></ul><ul><li>coletivos, tais como os movimentos </li></ul><ul><li>sindicais de professores. </li></ul>
  9. 9. Movimentos Sociais no Brasil <ul><li>As associações de moradores: relacionadas ao regime populista (1945 – o voto pela melhoria urbana). As atitudes nas SABs são mais de pedir do que de exigir ou mesmo solicitar. </li></ul><ul><li>As associações de favelas: A organização das favelas sempre ocorria, no passado, independente da organização dos moradores em Sociedades Amigas de Bairros, pois a favela lutava para permanecer na área. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Associações e movimentos comunitários: Base social ampla e relativamente homogênea. Unificadas por regiões demográficas. Participação simultânea dos membros nas lutas. Argumentações com base nas noções de direito. Seguem um código de ética interno. Utilizam-se de atos de desobediência civil como forma de protesto. </li></ul>
  11. 11. O Caráter Educativo dos Movimentos Populares <ul><li>Caráter Educativo: característica de aquisição de conhecimentos e o desenvolvimento de potencialidades. </li></ul><ul><li>Forma Extrínseca e Intrínseca. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Forma Extrínseca: Movimentos Sociais que fazem alusão e que têm como objetivo a própria educação. </li></ul><ul><li>Ex.: Na década de 60, os </li></ul><ul><li>grandes movimentos ligados </li></ul><ul><li>à educação, voltados à </li></ul><ul><li>promoção da cultura popular. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Forma Intrínseca : o contato com assessorias (técnicas, políticas e religiosas) que gera aprendizados sobre determinados assuntos; o desenvolvimento da capacidade de liderança gerado através da socialização, partilha e comunicação dentro dos movimentos e o aprendizado coletivo , por meio de discussões em grupo, partilha de experiências, debates, construindo assim, uma cidadania coletiva. </li></ul>
  14. 14. Crise dos Movimentos Sociais nos anos 90 <ul><li>Motivações : </li></ul><ul><li>As sucessivas crises do capitalismo; </li></ul><ul><li>As práticas corporativistas; </li></ul><ul><li>As ações restritas aos círculos de poder executivo e legislativo; </li></ul><ul><li>A dificuldade de se estender os movimentos a setores mais abrangentes da sociedade. </li></ul>
  15. 15. <ul><li>Conseqüências: </li></ul><ul><li>A classe trabalhadora passou a lutar mais por sobrevivência que por melhorias; </li></ul><ul><li>Os movimentos sociais passaram a ser mais qualificados, exemplo disso o movimento dos homossexuais que lutam contra a discriminação sofrida; </li></ul><ul><li>As ONGs ganharam bastante força no cenário nacional. </li></ul>
  16. 16. Considerações Finais <ul><ul><li>Problemática da Definição </li></ul></ul><ul><ul><li>Gestão escolar nos Movimentos Sociais </li></ul></ul><ul><ul><li>E hoje? </li></ul></ul><ul><ul><li>MOVIMENTOS SOCIAIS “MÓVEIS” ?? </li></ul></ul><ul><ul><li>Debate Final </li></ul></ul>
  17. 17. Bibliografia <ul><ul><li>GOHN, Maria da Glória. Movimentos Sociais e Educação. 6.ed.revista. São Paulo: Cortez, 2005. </li></ul></ul><ul><ul><li>MARTINS, Fernando José.; MEDEIROS, Dalva Helena de. Os Movimentos Sociais e suas Perspectivas Educativas. Paraná: Fecilcam,2005. </li></ul></ul><ul><ul><li>http://www.youtube.com/watch?v=FAk-V_YktZA </li></ul></ul><ul><ul><li>http://www.youtube.com/watch?v=1eSSAV6vKAQ&feature=related </li></ul></ul>

×