Your SlideShare is downloading. ×
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01

10,969

Published on

5 Comments
8 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
10,969
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
545
Comments
5
Likes
8
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. SEQUÊNCIA DIDÁTICA POESIA Uma estratégia de ensino a favor do desenvolvimento de habilidades e competências. O trabalho de alfabetização e letramento, no Ciclo de Alfabetização, deverá ser realizado com o objetivo de desenvolver os cinco eixos temáticos: 1- Compreensão e Valorização da Cultura Escrita; 2- Apropriação do Sistema de Escrita; 3- Leitura; 4- Produção Escrita; 5- Desenvolvimento da Oralidade. Objetivos • Selecionar procedimentos de leitura adequados a diferentes objetivos e interesses, e a característica e função social do gênero; • Ativar os conhecimentos prévios dos alunos, possibilitando a manifestação de idéias e experiências, através da oralidade; • Estimular a leitura autônoma e prazerosa, partindo de um gênero textual capaz de despertar a sensibilidade e as emoções; • Desenvolver habilidades de apropriação do sistema de escrita e reescrita de textos, dentro de um contexto significativo. Justificativa Atualmente, a prática da leitura de poesia está um pouco esquecida nas escolas e, cabe a nós, educadores, descobrir formas de familiarizar e aproximar as crianças e jovens deste gênero textual. Esta proposta, além de promover o desenvolvimento de várias habilidades, irá deflagrar na criança o encantamento, a inspiração, a capacidade de maravilhar-se num jogo de sons e ritmos, investindo na formação de leitores críticos e construtores de significados. Por todos estes motivos e tantos outros é que a poesia deve ser trabalhada em sala de aula, cabendo ao professor abrir os portais deste mundo encantador, deixando seus alunos entusiasmados, fascinados, deslumbrados, apaixonados, sedentos e ávidos por novas leituras.
  • 2. Características do Gênero Textual – Poesia • Antigamente, as poesias eram cantadas, acompanhadas pela lira, um instrumento musical muito comum na Grécia antiga. Por isto, diz-se que a poesia pertence ao gênero lírico. • Geralmente, a expressão “poesia” se aplica à estrutura de texto em versos. Os versos são as “linhas” do poema. Um conjunto de versos forma uma estrofe. • Algumas características básicas da poesia são o ritmo, a divisão em estrofes, a rima. Um poema também possui métrica, que é a contagem das sílabas poéticas dos versos. Nem todos estes quesitos estão presentes. Os poetas modernistas, por exemplo, adotaram o verso livre, despreocupado com a rima e a métrica. • Algumas poesias são transformadas em canções; • As poesias servem para divertir, emocionar, fazer pensar. Possuem títulos, brincam com o som, a forma gráfica e o significado das palavras; • São textos com autoria, isto é, geralmente sabemos quem os fez. Eixo: Desenvolvimento da Oralidade Este é o eixo responsável pelo domínio da língua falada, e deve ser explorado a todo momento na sala de aula. Ou seja, o desenvolvimento da oralidade é importantíssimo e perpassa por todos os demais eixos. Ele é o fio condutor para o desenvolvimento de todas as habilidades de leitura e escrita. Neste momento, o professor irá investigar os conhecimentos prévios dos alunos, através de possíveis perguntas que irão anteceder a leitura da poesia, partindo do título da poesia: O PATO • • • • • • • • Que gênero textual iremos ler? Quem conhece outras poesias? Para que servem as poesias? De que assunto irá tratar esta poesia? Encontraremos personagens? Quais? Quem será o autor desta poesia? Como serão as características do pato? Com base no título, levar os alunos a fazer suposições sobre o texto (levantamento de hipóteses). É importante que o professor faça o registro das respostas dos alunos no quadro ou cartaz.
  • 3. Eixo: Compreensão e Valorização da Cultura Escrita Ao trabalhar este eixo, o professor estará introduzindo seus alunos no mundo letrado. Algumas sugestões: • Visita à biblioteca e exploração de coleções de poesias de vários autores; • Pesquisa de outras poesias de Vinicius de Moraes: • Exploração de vários suportes de poesias, formatação (margem, versos, estrofes), estilo de linguagem, comparando-os com outros já conhecidos pelos alunos. Esta exploração envolve deixar o aluno ter contato com os suportes – folhear, manusear, olhar as ilustrações, sem pressão, sem censura, sem cobrança. As crianças conhecem o toque, o peso, a cor e o cheiro de livros. Este é o primeiro conhecimento que se faz pelos sentidos, pela afetividade e pelo intelecto. • Leitura da poesia, feita em voz alta pela professora: este procedimento é essencial para garantir o entendimento, facilitar as trocas entre os alunos e provocar reflexões. • Visita à livrarias reais e virtuais para a compreensão de como podemos adquirir livros de poesias; • Entrevistas com poetas da comunidade. • Construção de um varal de poesias; • Sarau de Poesias; • Exploração de livros de poesias, focando na forma de manuseá-los, as informações da capa e contracapa, chamando a atenção para os procedimentos adequados de leitura; • Exploração de outros gêneros textuais: Biografia de Vinicius de Moraes (autor da poesia); “O que é Biografia?” Onde encontramos? Para que serve? OS TEXTOS BIOGRÁFICOS Têm uma ampla utilização social e escolar. Socialmente são fontes importantes de informação sobre personagens da história da humanidade, e na escola aparecem com frequência para apresentar a vida de personagens cuja ação é considerada relevante no acontecer histórico. São narrativas sobre a vida de outra pessoa ou sobre a própria vida, articuladas em função de uma linha temporal cronologia. Os fatos citados e os dados apresentados são fiéis ao que realmente aconteceu na vida do biografado. UM POUCO SOBRE UM DOS AUTORES... O poeta Marcus Vinícius da Cruz de Mello Morais nasceu a 19 de outubro de 1913, no Rio de Janeiro. Formou-se em Direito e produziu muitos poemas para adultos e para crianças, dentre eles: A Arca de Noé, a Porta, a Foca, o Elefantinho. Vinícius morreu aos 66 anos, no dia 9 de julho de 1980, em sua casa, no Rio de Janeiro.
  • 4. Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita O trabalho com este eixo irá possibilitar ao aluno a aquisição e compreensão do sistema alfabético, considerando a sua representação gráfica (alfabeto) , bem como as regras que orientam a leitura e a escrita da língua portuguesa. 1- Uso adequado da página: • Apresentar um cartaz com a poesia escrita em letra de imprensa maiúscula: • Leia a poesia pausadamente, passando o dedo em cima de cada palavra; • Repita a leitura até que os alunos estejam familiarizados com a poesia; • Peça que os alunos leiam a poesia em voz alta ( enquanto eles leem, vá passando a régua em cima de cada palavra lida, mostrando que a leitura é feita da esquerda para a direita e de cima pra baixo); • Peça que um aluno leia a poesia utilizando a régua durante a leitura, assim como você fez; • Contar o número de palavras por verso e o número de espaços entre elas. 2- Compreender a diferença entre a escrita alfabética e outras formas gráficas: • A poesia foi escrita com desenhos, números, símbolos ou letras? Explicar que foi escrita com letras: vogais e consoantes. Que tipos de letras aparecem: maiúsculas, minúsculas, em negrito, em itálico? Há figuras, fotos, ilustrações? O que se pode ler nessas imagens? • Apresentar outro cartaz com a mesma poesia, onde algumas palavras estarão substituídas por desenhos. Comparar os dois cartazes. • Fazer o mesmo em letra cursiva; • Apresentar aos alunos diversas poesias pedindo-lhes que identifiquem o que é letra, o que é número e o que é desenho, observando também os diferentes tipos de letras. 3- Compreender e dominar as convenções gráficas – espaços em branco no texto. • As palavras estão grudadinhas umas nas outras ou separadas? Solicitar que pintem, no texto, os espaços entre as palavras. Em seguida, explique a função dos espaços em branco. • Além das letras, das palavras e dos espaços em brancos, o que mais encontramos? Falar dos sinais de pontuação e suas funções no texto. Depois, pedir para encontrá-los no texto e circular. • Apresentar os versos em tiras para os alunos reorganizarem o texto;
  • 5. 4- Consciência de Palavras: • Entregar as palavras de um verso recortadas para que os alunos montem novamente; • Brincar de substituir uma determinada palavra do texto. Ex: “Tantas fez o moço que foi pra panela.” Substituir por pato, ele, o pateta, etc.; • Pedir aos alunos que apontem no texto determinadas palavras pronunciadas pelo professor; • Procurar determinadas palavras da poesia em revistas para recortá-las e montar um cartaz intitulado: “Procura-se a palavra...” • Qual a palavra que mais se repete no texto? Quantas vezes se repete? Solicitar que as encontrem e circulem no texto (PATO). Quantas vezes ela se repetiu? • Entregar um texto para cada criança e pedir que circulem as palavras PATO. • Leia com a ajuda do seu colega, depois pense e responda quantas palavras tem a frase abaixo. Escreva o numeral nos quadrinhos: O PATO PATETA SURROU A GALINHA. • Colorir no texto as palavras abaixo: PANELA PATO • VERMELHO AZUL Descubra algumas palavras da poesia neste caça-palavras ( ANEXO 1): GALUHPATOTRGPATRETUUTWQTG NBVPITRWEQWCDFTGUYIOPOIKJU HYAITIRIRIRIGENIPAPOIKJGFDIUU YTTJUJHGSAQWASWQDRTTTGVIJI FEIJHGFDEWQASEWUYHGTOIKLP HUIPITKIFRTURYNJKAGALOPOBV MDIAMNBVCXZASDFGHPOIUIMJL
  • 6. 5- Conhecer o alfabeto: • Dividir a turma em duplas; disponibilizar o alfabeto móvel para cada dupla trabalhar com reconhecimento das letras: - a professora diz o nome de uma letra e os alunos deverão identificá-la no alfabeto móvel; - esta mesma letra será identificada na poesia, circulando-a no cartaz, contando quantas vezes ela aparece. -os alunos poderão pesquisar em revistas outros tipos de letras iguais aquelas ( imprensa minúscula, script, cursiva, etc.,). • Fazer oralmente a análise linguística da palavra PATO, perguntando-lhes: PATO 1- Quantas letras tem a palavra? 2- Qual é a primeira? 3- Qual é a última? 4- Quais são as vogais? 5- E as consoantes? • Fazer a análise no quadro: Palavra Nº de letras 1ª letra Última letra Vogais Consoantes PATO Obs.: Fazer esta mesma análise com outras palavras da poesia, para comparar nº de letras, palavra maior/menor. • • Recortar de revistas as letras da palavra PATO, PANELA e outras, e depois montá-las. Quantas letras tem a palavra PATO? Pinte o numeral correspondente: 1 • 2 3 Complete com as letras que estão faltando: P ____T_____ ____A _____E_____A 4 5
  • 7. 6- Reconhecer unidades fonológicas como sílabas, rimas, terminações de palavras: Consciência fonológica: sílabas e relação grafema/fonema: • Utilize novamente o cartaz da poesia escolha uma palavra; • Fale-a, pausadamente, silabando, e estimule os alunos a batucar o número de sílabas: cada sílaba pronunciada, uma batinha na mesa. Repita este exercício utilizando várias palavras da poesia: longas, de três ou mais sílabas e com palavras monossílabas, comparando o número de pedacinhos entre elas. 1. Quantos pedacinhos tem esta palavra? 2. Quantas vezes abrimos a boca para falar esta palavra? 3. Explicar aos alunos que sílaba e pedaço é a mesma coisa. • Utilize fichas com as palavras, e, depois, apresente as sílabas em fichas também, colocando-as, com a ajuda dos alunos, bem abaixo das palavras correspondentes; • Classificar palavras do texto em um quadro: Uma sílaba Duas sílabas Três sílabas Quatro sílabas • Selecionar uma palavra da poesia e listar com os alunos outras palavras que rimam com ela: Exemplo; O que rima com PANELA JANELA ELA FIVELA MANIVELA MIRELA TIGELA ( Escrever as palavras que rimam logo abaixo, de maneira que fiquem alinhadas.) • Selecionar outra palavra do texto e listar com os alunos outras palavras que iniciam com a mesma sílaba, ou com a mesma letra: Exemplo: GALO CAVALO GATO GALINHA GAVETA • • • CASA COMIDA CAMINHÃO Pedir para colorirem no texto as palavras que rimam; Trabalhar com as sílabas de uma palavra: inicial, medial e final Selecionar algumas palavras com os alunos, escrever as sílabas das mesmas em fichas e pedir que as organizem .Depois, pedir que montem outras palavras com estas sílabas; listar estas palavras no quadro.
  • 8. • • Destacar a sílaba inicial de uma palavra: PA – dizer uma série de palavras e pedir aos alunos para baterem palma quando ouvirem uma palavra começada por esta sílaba: bala – pamonha -pirulito – palhaço – baleia – sapato, etc.; Solicitar aos alunos que repitam as palavras dadas, eliminando, porém, a primeira sílaba. Ex: panela - nela genipapo - nipapo moço - ço pateta - teta • A mesma atividade acima pode ser feita eliminando a última sílaba. Ex: acolá - aco marreco -marre galinha - gali • Diga uma série de palavras incompletas, omitindo a última sílaba. Os alunos deverão adivinhar as palavras que você pensou. Ex: pane... marre... gali.... engasga.... • Faça um exercício de separação de sílabas oralmente, porém, pedindo aos alunos que façam um tracinho no papel para cada sílaba que ouviram. • Brincar de “Lá vai a barquinha carregadinha de...”.
  • 9. Eixo: Leitura Voltamos a destacar a importância da leitura em voz alta feita pelo professor para estimular a leitura e para a formação de alunos leitores. Este procedimento torna-se imprescindível para criar uma pausa agradável no desgastante dia a dia escolar, introduzindo a beleza da poesia. É muito importante que o professor faça a leitura em tom normal, sem mudar a pronúncia, fazendo as pausas previstas pela pontuação e mudando o tom para realçar as passagens importantes e as emoções: medo, dúvida, surpresa, susto, alegria, mas sem exageros. Na hora da leitura da poesia, chame atenção para as informações da capa, contracapa, autor, numeração das páginas, etc.. Trabalhar as questões abaixo, primeiramente, oralmente, e depois, elaborar questões objetivas. CAPACIDADE DESCRITOR QUESTÕES PROPOSTAS Antecipar conteúdos de textos a Formular hipóteses serem lidos em função de seu suporte, seu gênero e sua contextualização. Partindo da imagem, ou do título, que texto será este? Partindo da formatação que gênero textual é este? Onde podemos encontrá-lo? Construir compreensão global Identificar assunto de texto. do texto lido, unificando e inter-relacionando informações explicitas e implícitas, Localizar informações produzindo inferências. explicitas. Do que o texto fala? Ou qual o assunto principal do texto? Localizar informações implícitas. O que o pato fez com a galinha? E com o marreco? De quem ele levou um coice? O que ele comeu? Onde ele caiu? Para onde ele foi no final? Quem escreveu esta poesia? Por que razão o Chico Bento aparece na ilustração da poesia? Inferir o sentido de uma palavra Qual o sentido da expressão: “Foi pra panela.” ou expressão. O pato fez tantas, o quê? O que quer dizer: “Criou um galo?” Como era o comportamento deste pato? Qual o significado da expressão: “Pata aqui, pata acolá”? (imitar este andar do pato) Qual o significado da palavra “acolá”/ Coerência e coesão no processamento de textos. Estabelecer relações de continuidade temática a partir da recuperação de elementos da cadeia referencial do texto. Na frase: “...tantas fez o moço...” Moço está se referindo a quem?
  • 10. Estabelecer relações lógicodiscursivas presentes no texto. Por que o pato ficou com dor no papo? Qual foi a causa do pato ir pra panela? Qual palavra dá ideia de lugar? “Lá” Identificar os efeitos de sentido Qual o significado dos decorrentes recursos gráficos símbolos que aparecem na ( tamanho da letra, negrito) imagem da poesia? (estrelinha, redemoinho) Por que o título da poesia está em letras maiores? Implicações do gênero e do suporte na compreensão de textos. Identificar gênero textual a partir de seu conteúdo. Qual é o nome deste gênero textual? A quem ele se destina? Reconhecer finalidade do gênero. Pra que serve este tipo de texto? Estabelecer relação entre textos. Que outro gênero textual esta poesia pode ser apresentada? (música) • EXPLORANDO O VOCABULÁRIO a. Quais as palavras que vocês não conhecem no texto? a. O que vocês acham que elas querem dizer? b. Vamos procurar no dicionário? Mas antes vamos escrever no quadro o pensamos sobre elas. Exemplo: PALAVRAS QUE NÃO CONHEÇO O QUE EU PENSO? O QUE DIZ O DICIONÁRIO?
  • 11. Eixo: Produção Escrita • Escolher palavras do texto para produzir novas frases; • A partir da imagem (em qual espaço ou lugar) aconteceu a cena da poesia e descreva-a abaixo: _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ • • • • • • Vamos elaborar um outro gênero textual (narrativo) partindo desta poesia, (coletivo); Montar um quadrinho com as cenas da poesia; Criar um outro final para a poesia; Escrever um bilhete para o Chico Bento, lamentado as travessuras do pato. Criar outra poesia, trocando o pato por outro animal. Completar o texto: “Se eu fosse o Chico Bento, o que faria com o pato?” OS DEMAIS CONTEÚDOS A SERVIÇO DAS CAPACIDADES EXPLORANDO CIÊNCIAS • Perguntar aos alunos: Alguém sabe onde os patos vivem? De que eles se alimentam? De que forma eles são utilizados pelo homem? Que aves parecem com os patos? Quais as semelhanças e as diferenças? Registrar no quadro ou cartaz as suas repostas. O objetivo principal deste trabalho é ativar os conhecimentos prévios dos alfabetizandos, deixando que eles manifestem suas ideias, suas experiências e criem suas hipóteses, desenvolvendo, também, a oralidade.
  • 12. • A partir das respostas dos alunos, o professor deverá sistematizar o conhecimento falando sobre as características dos patos, com o objetivo da transformar os conceitos espontâneos em conceitos científicos. Os patos são aves, geralmente, menores que os gansos e cisnes. Podem ser encontrados tanto em água doce como salgada. Os patos se alimentam de vegetação aquática e de pequenos invertebrados. Eles são utilizados pelo homem na alimentação, no vestuário (as penas) e entretenimento (caça). Obs.: Trabalhar este gênero textual (divulgação científica/informativo) de maneira que os alunos se familiarizem com o mesmo. É muito importante que o professor observe e faça as devidas adaptações das informações, conforme o nível de seus alunos, e o conteúdo curricular que pretende focar. • Perguntar: Vocês acham que utilizar o pato na alimentação, vestuário e no entretenimento está certo ou errado? Por que? (desenvolvendo a oralidade, criticidade e autonomia): promover um debate entre os alunos; • Propor: Vamos fazer uma lista com o nome de aves que vocês conhecem? Caberá ao professor: - Organizar este quadro para uma atividade coletiva e/ou individual:: LISTA DE AVES CONHECIDAS HIPÓTESE DE ESCRITA INDIVIDUAL HIPÓTESE DE ESCRITA COLETIVA CORREÇÃO COLETIVA (PROFESSOR) • Solicitar que escrevam, na primeira coluna, do jeito que souberem, cinco nomes de aves (hipóteses de escrita individual) que o professor ditar. (pode ser cinco alunos); • -Solicitar que o resto da turma observe os nomes que os colegas escreveram e veja se eles estão escritos corretamente. Caso não esteja, pedir que façam a devida correção (hipótese de escrita coletiva), na segunda coluna do quadro.
  • 13. • Observar se as hipóteses de escrita coletiva estão corretas. Caso não esteja, promover a análise e reflexão sobre a escrita da palavra, perguntando, por exemplo: está faltando ou sobrando letra na palavra? Será que começa com esta letra? Na medida em que os alfabetizandos confrontarem as hipóteses de escritas individual e coletiva (padrão oral – escreve como fala) com a escrita correta das palavras (padrão da norma culta), se estabelecerá o conflito cognitivo e, consequentemente, a aprendizagem. OBJETIVO: as atividades de leitura e escrita de listas possibilitam que os alunos pensem sobre o que e quantas letras usar, a formação de sílabas e palavras, bem como promove o conflito cognitivo, quando os eles compararam as suas hipóteses conceituais de escrita com a grafia convencional das palavras. Favorece o desenvolvimento da base alfabética e ortográfica, principalmente por tratar-se de um texto de estrutura simples e de fácil compreensão. • Confecção de um quadro de referência sobre as aves. Caberá ao professor: 1-Organizar grupos de no máximo cinco alunos, com diferentes hipóteses de escrita (présilábica, silábica, silábico-alfabética e alfabética). 2-Distribuir cópias de um pequeno texto falando sobre as aves. O texto deverá está escrito em letras maiúsculas, para facilitar aqueles alunos não-alfabéticos. Exemplo: AS AVES AS AVES SÃO ANIMAIS OVÍPAROS, OU SEJA, BOTAM OVOS, TÊM O CORPO COBERTO POR PENAS, QUE PROTEGEM DO CALOR E PERMITEM QUE ELAS VOEM. MAS NEM TODAS AS AVES VOAM, ALGUMAS ESPÉCIES COMO A EMA E O AVESTRUZ, CORREM COM MUITA VELOCIDADE. JÁ O GANSO E O CISNE TÊM A CAPACIDADE DE NADAR. A MENOR AVE CONHECIDA É O BESOURINHO DE CUBA, UM COLIBRI QUE PESA 1,6 GRAMAS E A MAIOR É O AVESTRUZ QUE CHEGA A PESAR ATÉ 125 QUILOS. CADA AVE GOSTA DE UM CERTO AMBIENTE OU HABITAT. ALGUMAS DELAS VIVEM NOS RIOS, LAGOS E PÂNTANOS, NADANDO OU MERGULHANDO. OUTRAS VIVEM NAS ÁRVORES DAS FLORESTAS E NOS BOSQUES. OS ALIMENTOS DAS AVES SÃO OS MAIS VARIADOS: FRUTOS, SEMENTES, INSETOS, VERMES, PEIXES. 3- Escrever o texto, em letras maiúsculas, no quadro ou numa cartolina.; 4-Fazer a leitura do texto, pausadamente e com entonação adequada, apontando palavra por palavra na lousa. Os alunos deverão acompanhar através dos seus textos ou da lousa. 5-Realizar leitura compartilhada, professor e alunos, pausadamente e com entonação adequada, apontando palavra por palavra. 6-Fazer a interpretação oral do texto, perguntando: de que fala o texto? De que animal? Porque as aves são chamadas de ovíparos? De que é coberto o seu corpo? Para que servem as penas? Todas as aves voam? Quais as que nadam e as que voam? Qual a menor e a maior ave do mundo? Onde vivem? Como se alimentam?
  • 14. 7-Distribuir para cada grupo um quadro contendo as características das aves. Solicitar aos alunos que preencham o quadro. Exemplo: CARACTERÍSTICAS DAS AVES Desenho Como é seu corpo? Como se alimenta? Onde vivem? Menor ave do mundo. Maior ave do mundo. JUSTIFICATIVA: Este trabalho, além de explorar outro texto de divulgação científica, irá trabalhar também com o desenvolvimento de habilidades de leitura, envolvendo a capacidade de retirar informações explícitas do texto, de uma forma diferenciada e interessante. EXPLORANDO O TEMA TRANSVERSAL ; MEIO AMBIENTE • Vocês sabem o que significa a palavra EXTINÇÃO? Extinção significa acabar. Então, o que quer dizer a frase: “As aves ameaçadas de extinção?” Vocês conhecem alguma? Por que vocês acham que elas estão sendo ameaçadas de extinção? Quem e por que estão acabando com as aves? A partir dos conhecimentos prévios dos alunos, abordar o tema em questão. • Vamos conhecer algumas delas? Se possível, mostrar figuras das aves e depois escrever os seus nomes no quadro. Pedir que aos alunos que identifiquem os nomes das aves através das figuras ou escrever os nomes no quadro e pedir que eles identifiquem onde estão escritos. • Propor a construção de um painel com os nomes das aves que estão sendo ameaçadas de extinção e com um pequeno texto (escrita coletiva) sobre o tema abordado. • A escrita do texto deverá ser feita primeiramente no quadro pelo professor, que será o escriba. Os alunos deverão transcrever o texto, no caderno. Em seguida, transcrito para o painel por um deles.
  • 15. ARARAJUBA RABUDINHO COCORUTO SOLDADINHO De que lado o pato tem mais penas? R: do lado de fora. GALITO COPERETE
  • 16. EXPLORANDO A MATEMÁTICA • Construir com os alunos um gráfico sobre as preferências de aves ou animais. Fazer a leitura do gráfico. • Construir o mapa por onde o pato passou, seguindo a sequência da poesia. • Montar patinhos utilizando figuras geométricas; • Resolução de Problemas; BIBLIOGRAFIA: CEALE.Coleção Orientações para a Organização do Ciclo Inicial de Alfabetização; Cad 2.,belo Horizonte,2004 CARVALHO, Marlene. Guia Prático do Alfabetizador. São Paulo: Ed. Ática,1994. Coleção de Atividades Matemáticas Desafiadoras, Capacitação de Professores da Rede Estadual de Educação de Minas Gerais, Março-2011. cenapvirtual@salvador.gov.br, 10 de junho de 2010.
  • 17. ANEXO 1 CAÇA-PALAVRAS GALUHPATOTRGPATRETUUTQTGNBVIJ UXVHULMTGGGGBEAUIPATETAWTAXL GENIPAPOBGFWIUYTREFVBMNAZXDSE ELWIJUABTRIOJNMÇREWSAAZOPLKJU YTFREIVCTEHPOUMNLMKIUYGFDRESG ALOPYIOIAEEIKMNBVCXZOPÇLKJHGF D S A T R E W Q V T I O P L M V X Z A A Q W D F SO P G LUYITNMBVCXZAQWERTYUIOPÇLKJHG FIDSAJAJKMNBVCXSQIOPLKJUYGTFDE DSBVCVREWQUIKJMARRECOMNBGTÇP OIUYTPOÇOXVBNMÇLKJHGFDSAW N JP PANELANFORYTWNPUMNBPOÇOLÇPUY TRVXQERTGVBGHYJKIUKOPLMNBVCA PANELA – GALO – MARRECO – GENIPAPO – POÇO – PATETA - PATO

×