Quero Ser Social Media - Módulo Monitoramento e Métricas

3,556 views

Published on

Módulo de Monitoramento e Métricas em mídias sociais do curso Quero Ser Social Media, ministrado em maio/2013.
http://querosersocialmedia.com.br/

Published in: Business

Quero Ser Social Media - Módulo Monitoramento e Métricas

  1. 1. MONITORAMENTOEMÉTRICASDEMÍDIASSOCIAISMARIANA OLIVEIRACURSOQUEROSERSOCIALMEDIAMAIO/2013
  2. 2. 1. MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAISOI! :)
  3. 3. O QUE É MONITORAMENTO?EARNEDMEDIAOWNEDMEDIAPAIDMEDIACanais proprietários econtrolados pelamarca:Ex: Fan Page, Perfil noTwitter, Canal noYoutube etc.É a mídia ganha. Oque é ditoespontaneamentesobre uma marca.Ex: Menções emMídias Sociais,imprensa etc.A mídia que écomprada comobjetivo de ampliar aaudiência nos canais:Ex: Facebook Ads,Promoted Tweets,Youtube TrueView etc.NÓS ESTAMOSAQUI :)
  4. 4. O QUE É MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAIS?É a coleta, classificação e análise de menções públicas em sites de mídiassociais, em relação a determinados termos previamente definidos.POR QUE MONITORAR?Para transformar o montante de dados que está disponível nas redes sociaissobre a sua marca/segmento/público em conhecimento útil, relevante e quetraga possibilidade de ação.FOCA NO BRIEFING!Qual o objetivo? Qual a demanda por informação?O que estamos buscando saber?Faça perguntas. Várias!O QUE É MONITORAMENTO?
  5. 5. PontualMarcaTemático• Marca;• SAC;• Concorrência;• Influenciadores;• Segmento/Mercado;• Campanhas e eventos;• Público;• Crises;• Território de Marca;TIPOS DE MONITORAMENTO:O QUE É MONITORAMENTO?
  6. 6. • Cliente;• Atendimento;• Pesquisa/Planejamento;• Criação;• Mídia Off;• Performance e SEO;• Conteúdo;• Serviço de Atendimento ao Consumidor;• Assessoria de imprensa;• Diretoria;PÚBLICOS:A análise de monitoramentopode acompanhar a novajornada de decisão doconsumidor: na pré-compra,na navegação do siteinstitucional, durante acampanha de mídia, nasbuscas orgânicas do Google.O monitoramento pode gerarinsumo para os públicosenvolvidos nestes pontos decontato.O QUE É MONITORAMENTO?
  7. 7. Fase 1:PlanejamentoFase 2:GestãoFase 3:Avaliação- Quem é o cliente;- Propriedades da marca;- Objetivo do monitoramento;- Tipo de monitoramento;- Dicionário;- Plano de Classificação;- Escopo;- Amostra;- Equipe;- Ferramentas;- Processos;- Entregas;PASSO-A-PASSO
  8. 8. Fase 1:PlanejamentoFase 2:GestãoFase 3:Avaliação- Setup;- Testes;- Alocação de equipe;- Classificação;- Alterações e adaptações doPlano de Classificação;- Alertas estratégicos;- Calendário de entregas(mensais/pontuais)- Integração com outras áreas;- Suporte;- QA;PASSO-A-PASSO
  9. 9. Fase 1:PlanejamentoFase 2:GestãoFase 3:Avaliação- Revisão dos objetivos domonitoramento;- Revisão do Plano de Classificação;- Avaliação quanto à qualidade eutilidade da informação;- Revisão de palavras-chave ecategorias;- Revisão de equipe;- Revisão de ferramentas;- Revisão de escopo e amostra;- Revisão de formato e período dasentregas;PASSO-A-PASSO
  10. 10. PASSO-A-PASSO1. Briefing:objetivo domonitoramento2. Setupferramentas ekeywords2. Plano demonitoramento:buscas e critérios3. Classificação:polaridade etagueamento4. Dados:análise e cruzamentodos dados obtidos5. Visualização:disposição visual dasinformações6. Considerações:insights erecomendaçõesQA QA
  11. 11. PARCIAIS (FREE)• Archivist• HowSociable• IceRocket• Kurrently• SocialMention• Topsy• Twazzup• WhosTalkin• 48ers• ...PLENAS (PAGAS)• Brandwatch• Livebuzz• Radian6• Scup• Seekr• Socialmetrix• Sysomos• UberVU• Zmonitor• ...Não existe ferramenta perfeita. A escolha depende da necessidade docliente, do objetivo, do orçamento e da equipe.FERRAMENTASFERRAMENTAS DE MONITORAMENTO
  12. 12. FERRAMENTASO QUE AVALIAR?• Suporte• Qualidade dos resultados• Usabilidade e acessos• Banco de dados, backup e exportação• API e integração com outras ferramentas• Análise de sentimento automática• Busca retroativa• Customização• Visualização dos dados• Preços e planosDefinir o que será avaliado nabusca de uma ferramenta deacordo com o escopo doprojeto.
  13. 13. PALAVRA-CHAVE• A seleção das palavras-chave deve ser planejada a partir dos objetivos jádefinidos. O dicionário poderá ser diferente de acordo com o tipo demonitoramento: Marca, Universo, Campanha, etc.• É necessário um refinamento dinâmico e constante, através de testes e listas deexclusão;• Novos termos podem ser incorporados ao dicionário àmedida que haja alteração no briefing;A ARTE DA PALAVRA-CHAVE• O monitoramento de mídias sociais éfeito a partir de palavras-chave. Ou seja,se uma imagem sobre seu cliente foicompartilhada 50 mil vezes mas nãopossui nenhuma palavra-chaverelacionada, ela não será capturada.
  14. 14. • Quem é o cliente e qual o objetivo do monitoramento;• Quais propriedades devem ser monitoradas;• Quais são os apelidos da marca e quais as variações de grafia;• Quais os perfis da marca nas redes sociais e hashtags associadas;• A que atores/personagens/figuras a marca está associada;• A que eventos, campanhas e produtos a marca está associada;PALAVRA-CHAVECOMO CRIAR O DICIONÁRIO:
  15. 15. • Brainstorm;• Testes no Google/Twitter;• Google Trends / Google Keyword Tool• Ferramentas de SEO (ex: UberSuggest)• Propriedades da marca (site/fan page/etc)• Informações do planejamento/atendimento sobre a conta: campanhas,produtos, eventos;• Senso comum;PALAVRA-CHAVEONDE PROCURAR?
  16. 16. • Cadastrar as palavras na ferramenta;• Gerar gráficos evolutivos para avaliar o volume e os picos de menções;• Gerar nuvens de termos para identificar palavras associadas que não estejam deacordo com o objetivo;• Criar listas de exclusão e fazer testes;• Validação com outras equipes envolvidas;• As palavras-chave devem ser revistas constantemente, a partir da observação domonitoramento ou de outras fontes. Novas campanhas, personagens, variaçõesde grafia, produtos, etc. devem ser adicionados ao grupo de palavras-chave.PALAVRA-CHAVEAJUSTES FINOS
  17. 17. PALAVRA-CHAVE• SIMPLES:palavras-chave que estão diretamente ligadas ao universo do cliente;Ex: Burger King, Skol, Microsoft, Embratel, Del Valle, Coca-Cola.• INTERMEDIÁRIO:palavras-chave que devem ser combinadas com outras para gerar umaqualidade maior da informação;Ex: Antarctica, Feel Good, JAC Motors.• AVANÇADO :palavras-chave extremamente genéricas, em que só é possível trabalhar comassociação entre termos;Ex: Vivo, Oi, Penalty, Always, NET, GOL, Extra, Época.EXEMPLOS PARA MARCAS:
  18. 18. • Apresentação da conta e equipe envolvida;• Objetivos de negócio do cliente e KPIs;• Objetivo do monitoramento / tipo de monitoramento;• Palavras-chave / dicionário de busca;• Volume e amostragem;• Informações sobre as marcas, produtos e concorrentes analisados;• Critérios para análise de sentimento;• Critérios para categorias e níveis de subcategorias;• Assuntos, tendências e comportamentos que mereçam maior atenção;• Dúvidas e possíveis dificuldades da equipe;• Exemplos.UM PLANO DE MONITORAMENTO CONTÉM...PLANO DE MONITORAMENTO
  19. 19. • A classificação é uma das fases mais importantes do monitoramento. É naclassificação que transformamos os dados coletados em informações relevantespara o cliente. Critérios de sentimento de acordo com o objetivo da conta.• A principal dificuldade da classificação são os recursos de linguagem, como aironia e a subjetividade, além da falta de contexto.CLASSIFICAÇÃOANÁLISE DE SENTIMENTO
  20. 20. • Critérios de categorias também são diferentes para cada cliente, dependendodo objetivo, da maturidade da conta e granularidade necessária.• Cada categoria pode ser dividida em subcategorias, de acordo com o nível dedetalhamento desejado;• Assunto: institucional, campanhas, produtos• Público: clientes, não clientes, imprensa, homem, mulher, ativador, detrator• Campanhas: promoção 1, promoção 2, promoção 3• Produtos: sabor 1, sabor 2, sabor 3• Propriedades de marca: design, sustentabilidade, segurança, etc.CATEGORIZAÇÃOCLASSIFICAÇÃOTIPOS DE CATEGORIAS
  21. 21. ANÁLISE• Reclamações e possíveis indícios de crise;• Oportunidades de interação com ativadores, detratores e influenciadoresrelacionados à sua marca;• Identificação de linhas de tendência e insights que envolvem comportamentos;O QUE OBSERVAR?• Alertas sobre campanhas e lançamentos daconcorrência ou segmento;• Memes, piadas, virais sobre sua marca,concorrência ou segmento;• Contribuições para a estratégia de conteúdo damarca.
  22. 22. METRICS SUMMIT – NOV/12MARCA:INSIGHT PARAPROMOÇÕES: QUETAL UM COMBO?INSIGHT PARADEPARTAMENTODE PRODUTOSANÁLISEUNIVERSO:
  23. 23. ALÔ, VIDA REAL?• O monitoramento não substitui outras ferramentas de pesquisa tradicionais nemdeve ser assumido como “verdade absoluta”, e sim como uma das maneiras devalidar (ou não) uma hipótese.• Você não vai revolucionar a estratégia de marketing com uma menção.• Contexto e combinação com dados de outras fontes é fundamental.• O monitoramento sempre será um recorte de uma realidade. Períodos deamostragem, definição de palavras-chave e outras variáveis podem alterar alógica dos resultados. Portanto, é um ponto de partida, não de chegada.• Alinhar expectativas entre todos os envolvidos é sempre a melhor forma decomeçar um trabalho;ANÁLISE
  24. 24. OI! :)2. CASES x CRISES
  25. 25. Por que é tão difícil encontrar informação sobre “cases demonitoramento” no mercado de mídias sociais?• O monitoramento é uma área de “backstage”, que fornece informação paraque outros departamentos (como a criação e o planejamento) possam“brilhar”.• A função do monitoramento é “levantar a bola” para que a informação possaser confirmada/estudada/confrontada e transformada em conhecimento útilpara a marca– e, quem sabe, em um case;• A maior parte das informações levantadas pelo monitoramento sãoestratégicas – e confidenciais -, por isso é pouco provável que estes dadosvenham a ser públicos;CASES
  26. 26. • Reposicionamento de marca;• Volta de produtos fora de circulação;• Oportunidade de ativação/conteúdo;• Gerenciamento de crise;• Insights para departamento de produtos;• Oportunidades / mudanças em campanhas on e off;• Usabilidade;• Interação com fãs;• Estudos sobre universos/segmentos;CASESTIPOS DE CASE
  27. 27. • Nescau• Hall’s• Brastemp• Melissa• FedEx• Kleenex• NextelCASESEXEMPLOS:
  28. 28. CRISES• Não existe regra, formato, plano... Cada crise é uma crise.• Saber identificar um indício de crise antes de se tornar uma propriamente dita• Crises de comunicação x crises de produto• Rapidez, serenidade e transparência• Social não é o umbigo do mundo durante uma crise• Entregas concisas, objetivas e orientadas a decisão• Acompanhamentos por hora/dia/semana, dependendo da necessidade• Acompanhamento pós-crise / Atenção a possíveis associações
  29. 29. OI! :)3. MÉTRICAS DE MÍDIAS SOCIAIS
  30. 30. MÉTRICAS DE MÍDIAS SOCIAISCanais proprietários econtrolados pelamarca:Ex: Fan Page, Perfil noTwitter, Canal noYoutube etc.É a mídia ganha. Oque é ditoespontaneamentesobre uma marca.Ex: Menções emMídias Sociais,imprensa etc.A mídia que écomprada comobjetivo de ampliar aaudiência nos canais:Ex: Facebook Ads,Promoted Tweets,Youtube TrueView etc.NÓS ESTAMOSAQUI :)EARNEDMEDIAOWNEDMEDIAPAIDMEDIA
  31. 31. O QUE É UMA MÉTRICA?“A métrica é um sistema de mensuração que quantifica uma tendência,dinâmica ou característica. Métricas são usadas para explicar fenômenos,diagnosticar fenômenos, diagnosticar causas, compartilhar descobertas eprojetos os resultados de eventos futuros”.*KPIs?O KPI (Key Indicator Performance) é um indicador de desempenho que podeser definido através de uma métrica ou combinação de métricas. Eledetermina o sucesso de uma ação que, por sua vez, depende dos objetivos.FOCA NO OBJETIVO!Qual o objetivo da marca com um canal na rede social?Engajamento, branding, audiência/alcance, SAC, vendas?Cada objetivo terá KPIs e métricas próprias.Silva, Tarcízio. 2013.*Neil Bende e colaboradores em Métricas de Marketing: mais de 50 métricasque todo executivo deve dominar.MÉTRICAS DE MÍDIAS SOCIAIS
  32. 32. TIPOS DE MÉTRICA• Alcance e impressões• Engajamento• Influência e relevância• Opinião e advocacia• Impacto e valorSilva, Tarcízio. 2013.MÉTRICAS DE MÍDIAS SOCIAIS
  33. 33. FACEBOOK – PRINCIPAIS MÉTRICAS• Fãs;• Reach (paid/viral/organic);• Talking about this*;• Engaged users;• Unlikes / Hides;• Principal fonte: Facebook Insights / SocialBakers / GraphMonitor• O que observar: engajamento da página, engajamento por post, engajamento porcategoria da postagem/horário/tipo de post/dia da semana, top users,crescimento de fãs e de reach, dados demográficos, feedback negativo, melhorese piores posts.• Likes• Comentários• Compartilhamentos• Answer / Follow / Claim• Dados demográficos*Histórias incluem curtir a sua página, postar em seu mural, curtir, comentar ou compartilhar umdos seus posts, responder uma pergunta, confirmar presença em um evento, mencionar a página,taguear a página em uma foto ou realizar check-in em um local.MÉTRICAS DE MÍDIAS SOCIAIS
  34. 34. FACEBOOK – PRINCIPAIS MÉTRICAS• Principal divisão: dados de página (page level data) e dados de posts (posts leveldata)• Delay: Os dados do facebook podem demorar até 48h para serem gerados.• Formatos de visualização: Diário, semanal e 28 dias. Você deve escolher um diafixo para gerar os relatórios e prevendo o delay citado.• Importante: quando utilizamos métricas do Facebook é importante definir apenasuma fonte de dados (geralmente a exportação). Os números da Fan Page, doInsights e do Insights exportado não batem.• As métricas do Facebook mudam constantemente... Não faça delas uma metaúnica para não arriscar perder a meta de campanha por uma mudança na métrica..MÉTRICAS DE MÍDIAS SOCIAIS
  35. 35. TWITTER – PRINCIPAIS MÉTRICAS• Followers;• RT’S• Favoritos;• Comentários;• Clicks (em um link)• Principal fonte: SocialBakers, Hootsuite, SimplyMeasured, TweetStats,TwentyFeet, etc.• O que observar: engajamento por categoria da postagem, response rate, toptweets, top followers, crescimento de followers, evolução de hashtags.*não coleta dados em real time• Replies;• Mentions;• # com uma hashtag;• Response Rate• Views (em uma TwitPic)MÉTRICAS DE MÍDIAS SOCIAIS
  36. 36. INSTAGRAM – PRINCIPAIS MÉTRICAS• Likes;• Followers;• Comentários;• # com uma hashtag;• Compartilhamentos em outras redes sociais;• Principal fonte: Statigr.am, SimplyMeasured• O que observar: fotos/categorias com maior engajamento, likes/comentários porfoto, engajamento por foto, análise dos comentários, top commenters, top tags,engajamento por faixa de horário.*não coleta dados em real timeMÉTRICAS DE MÍDIAS SOCIAIS
  37. 37. YOUTUBE – PRINCIPAIS MÉTRICAS• Views;• Inscrições;• Favoritos;• Minutos assistidos;• Principal fonte: Youtube Insights / SocialBakers (para outras contas)• O que observar: vídeos mais assistidos, retenção, análise de vídeos por categoriade conteúdo (ex: vídeos institucionais x vídeos de produto), engajamento,sentimento dos comentários, média de minutos por vídeo, informaçõesdemográficas.*não coleta dados em real time• Like/dislike;• Comentários;• Compartilhamentos;• Locais de reproduçãoMÉTRICAS DE MÍDIAS SOCIAIS
  38. 38. PRINCIPAIS MÉTRICASOutras métricas “externas” aos canais podem ser usadas para mensurar as ações emmídias sociais, como:• Fonte de tráfego para o site/blog/e-commerce• Acessos via URLs parametrizadas usadas em Social• Leads via mídias sociais• Vendas via mídias sociais• Diminuição das ligações no call center• Clicks em links encurtados no bit.ly• Klout / ferramentas de influência que agregam diversos sites• Net Score / Share of Voice• ROI (?)MÉTRICAS DE MÍDIAS SOCIAIS
  39. 39. • ENGAJAMENTO DA PÁGINA X ENGAJAMENTO DO POST• CRITÉRIOS DE COMPARAÇÃO DE ENGAJAMENTO• QUAL O SEU: SEGMENTO, CONTEXTO, HISTÓRICO...• MARCA MAIS ENGAJADA X MOTIVAÇÕES DE ENGAJAMENTO• POSITIVO OU NEGATIVO?• ENGAJAMENTO + ANÁLISE QUALITATIVADIFERENTES PESOS DE INTERAÇÕES(LIKES, SHARE, COMMENTS...)BASE DE FÃS, REACH...O objetivo da taxa de engajamento é medir o grau de interação que os usuáriostêm com os diferentes conteúdos oferecidos por uma marca em uma determinadaplataforma.EXEMPLOS: SOCIAL BAKERS EXEMPLOS: GRAPHMONITORCOMO FUNCIONA:E O ENGAJAMENTO?MÉTRICAS DE MÍDIAS SOCIAIS
  40. 40. DICAS DE OURO• É desafiador trabalhar com métricas em ambientes sociais que estão emconstante mudança de indicadores e inconstância de seus dados;• Trabalhar com números é prestar atenção em cada passo. Verificar informaçõesé uma rotina e o Excel é seu melhor amigo.• Todos os dias surgem novas ferramentas de métricas. Estude, analise e avalie asfontes de dados e critérios antes de adotar uma ferramenta.• O papel do analista é mais do que reunir e organizar informações, é oferecerdirecionamentos e mostrar descobertas. Questionar o porquê de um número,se ele faz sentido, se ele é bom ou ruim (segundo qual parâmetro?), ou seja:senso crítico.MÉTRICAS DE MÍDIAS SOCIAIS
  41. 41. OI! :)4. RELATÓRIOS
  42. 42. DadosInformaçãoConhecimentoDadossão elementoscoletados sobre coisas,eventos e processos.Informações sãodados com contexto epropósito.Conhecimento é acompreensão de dadose informações compropósitos de tomadasde decisão.RELATÓRIOS
  43. 43. DadosInformaçãoConhecimentoCrescimento de mençõesnegativasReclamações sobreprodutos com defeitoEstratégia de conteúdorelacionamento /Contenção da criseRELATÓRIOSExemplo:
  44. 44. METRICS SUMMIT – NOV/12UM BOM RELATÓRIO DEVE...• Ser objetivo e responder a perguntas: qual o objetivo? O que aconteceu noperíodo? Que informações são relevantes?• Estar alinhado com os objetivos de negócio do cliente;• Estar alinhado com as expectativas dos públicos envolvidos;• Estar integrado com outras fontes válidas de dados;• Contar com uma disposição visual da informação que facilite a leitura e oentendimento do conteúdo;• Ser autoexplicativo, de maneira que as pessoas possam compreender o conteúdo;• Contar com insights contextuais e sugestões embasadas em dados;• Gerar tomada de decisão;RELATÓRIOS
  45. 45. • Contar uma história: os relatórios devem "contar história", com início, meio efim, e fazer sentido para sua audiência. Um exercício interessante é contar ahistória como se contasse a um amigo, no bar. De onde viemos, onde estamose para onde vamos: a história tem que ter sentido e ser orientada ao negóciodo cliente e objetivos do relatório.• Geral > específico: sempre que você for contar um detalhe específico dorelatório, procure contextualizar essa informação antes, com um slide título ouexplicações no próprio slide, conduzindo a leitura.UM BOM RELATÓRIO DEVE...RELATÓRIOS
  46. 46. • Ter comparação entre os dados: comparar com outros meses/períodos, bemcomo com médias (média anual, por ex.) pode ser uma boa maneira de identificarpadrões e quebras. Um gráfico/slide sozinho não significa nada, ele precisa de umparâmetro de comparação que pode ajudar a ter insights;• Gráficos: uso de gráficos que sejam claros e que expliquem as informaçõessolicitadas. Às vezes um gráfico de barras é muito mais explicativo que um gráficode pizza. Todos os gráficos devem ter um texto que o apresenta, que não deve serirrelevante (apenas dizendo que "o pico foi no dia 17") mas deve ser o maisexplicativo possível, trazendo informações extras e úteis.RELATÓRIOSUM BOM RELATÓRIO DEVE...
  47. 47. • Direcionamento: quem é o público que irá consumir estas informações?Relatórios para a alta gerência, por exemplo, devem ser mais concisos eestratégicos; entregas para departamentos internos, como planejamento, podemcontar com um nível de detalhamento maior.• Compartilhar: mostrar o relatório pra outras pessoas e pedir opinião é ótimo, poisàs vezes a ideia está óbvia só na nossa cabeça, e compartilhando com outrapessoa percebemos que não está tão óbvio assim.RELATÓRIOSDICAS DE OURO
  48. 48. • Call to Action: após o relatório, qual a ação que eu quero causar na pessoa queestá lendo? exercício contrário: o que eu quero que a pessoa faça > o que euquero que essa pessoa sinta > quais são as minhas ferramentas para isso;• Considerações: não devem apenas reportar o que aconteceu, cada consideraçãoleva a uma sugestão de ação. Pense em conclusões diferentes para demandas esetores diferentes.• Destaques: sempre destacar ações fora do padrão (campanhas, crises, eventos,etc), pois geralmente são as responsáveis pelo caráter "novidade" do relatório;RELATÓRIOSDICAS DE OURO
  49. 49. METRICS SUMMIT – NOV/12O QUE NÃO PODE FALTAR?• Capa com informações / logo do cliente e período de análise• Objetivo do relatório• Agenda• Dashboard com principais métricas• Títulos e subtítulos com “milestones” que conduzem a leitura• Análises quantitativas e qualitativas embasadas em dados e exemplos• Cruzamento de fontes de dados• Conclusões e recomendações• Fonte/período dos dados• GlossárioRELATÓRIOS
  50. 50. • Revisão ortográfica: ortografia, concordância, textos claros;• Revisão de números: porcentagens, dados de um slide para outro, etc.• Cores: conferir cores de análise de sentimento, manter padrão de cores dosgráficos ao longo do relatório;• Padrões: manter padrão de fontes, tamanhos e alinhamento dos parágrafos;• Tamanho: tentar ser sucinto e objetivo nos relatórios, sempre se questionar se odado adicionado no slide é útil/relevante para o cliente;• Imagens: tomar cuidado com imagens sem qualidade e ilegíveis;• Animação: nem sempre o relatório será apresentado, então use com parcimônia.• Ícones: o uso de ícones facilita a compreensão durante o relatório;RELATÓRIOSATENÇÃO:
  51. 51. • Diárias• Semanais• Quinzenais• Mensais• Trimestrais• Anuais• PontuaisA periodicidade das entregas dependerá da utilidade dos dados, do bom senso enecessidade do cliente e do escopo de trabalho.RELATÓRIOSENTREGAS:
  52. 52. Quais métricas usar?O interessante das métricas é que elas possuem diversaspossibilidades de cruzamento e visualizações. No exemplo, o objetivoé saber como está o crescimento da minha base de fãs e o quantoestou ganhando/perdendo de fãs por dia.Que formato degráfico usar?Caso a opção sejatrabalhar com oexport do facebookinsights, os gráficosserão criados peloanalista. Logo,estudar visualizaçõesde dados e o quecada formatorepresenta éextremamenteimportante. Paramostrar o volume delikes/unlikes, ográfico utilizado foi ode barra. Já paramostrar a evoluçãodo total de fãs noperíodo, foi inseridoum gráfico de linha.Entender as motivações dos picos:Um bom analista deve ser curioso e buscar entender o que está por trás dos números. Porque o dia 02/07 representou o maior número de likes do período? Investimento de mídia?Alguma ação estava acontecendo? Conteúdo qualificado? Alguma referência externa?A ANÁLISE DOS DADOSRELATÓRIOS
  53. 53. RELATÓRIOS15%31%54%Positivo Negativo NeutroGRÁFICOS
  54. 54. METRICS SUMMIT – NOV/1226%46%11%3% 14%AssuntosInstitucionalProdutosCampanhasOutrosConcorrentes77%29% 13%15%14%74%8%57%13%020406080Uva Laranja MorangoProduto x SentimentoRELATÓRIOSGRÁFICOSDesdobramento de Categorias
  55. 55. OBRIGADA! ;)MARIANA OLIVEIRAmarianarrpp@gmail.comtwitter.com/marianarrppbr.linkedin.com/in/marianarrpp

×