Centro de Pesquisasem tecnologias para aqualidade Ambientalnas edificações       Mariana da Cunha Oliveira Santos        O...
 A Construção Civil é uma atividade de intenso impacto ao meio ambiente.Introdução     INTRODUÇÃO                        ...
 Evolução dos conceitos do edifício de alta qualidade ambiental:Introdução     INTRODUÇÃO                         CERTIFI...
Introdução     INTRODUÇÃO           O contexto Brasileiro da construção civil é marcado por atrasos quanto a             ...
Introdução     INTRODUÇÃO          1) Propor um projeto de um centro de pesquisas voltado para inovação                   ...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Capítulo 2:   CONTEXTUALIZAÇÃO                         Discussão acerca ...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Capítulo 4:   CONTEXTUALIZAÇÃO                         Estudos de caso e...
Introdução     INTRODUÇÃO           Décadas de 1960 a 1990 – Estrutura predominantemente agrária –INCENTIVO A INOVAÇÃO E ...
Introdução     INTRODUÇÃO                          Órgãos como FACITEC (Fundo de apoio a ciência e tecnologia noINCENTIVO...
Introdução     INTRODUÇÃO           Definição: Concentração geográfica de empresas e bens favoráveis a                    ...
Introdução     INTRODUÇÃO          Exemplos:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIA          Stanford research park - Univer...
Introdução     INTRODUÇÃO          Exemplos:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIA          Tsukuba – Japão – Universidade ...
Introdução     INTRODUÇÃO          Contexto BrasileiroINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIA          As iniciativas são de...
Introdução     INTRODUÇÃO          Desafios estabelecidos para o Brasil:INCENTIVO A INOVAÇÃO E   Incentivar investimentos ...
 No contexto da construção civil, inovação tecnológica está ligada aoIntrodução     INTRODUÇÃO                         ap...
 Normas técnicas que se adéquam as novas exigências do mercado:Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E   NBR 15.5...
 Segundo o “The Office of federal environmental executive” como uma edificaçãoIntrodução     INTRODUÇÃO                  ...
Introdução     INTRODUÇÃO           RELATÓRIO DE BRUNDTLAND DE 1987 (UNITED NATIONS, 2007):INCENTIVO A INOVAÇÃO E   Defin...
Introdução     INTRODUÇÃO           O EDIFÍCIO DE ALTA QUALIDADE AMBIENTAL:INCENTIVO A INOVAÇÃO E   -Proporciona baixo im...
Introdução     INTRODUÇÃO           O EDIFÍCIO DE ALTA QUALIDADE AMBIENTAL:INCENTIVO A INOVAÇÃO E   Vantagens: Melhoria d...
Introdução     INTRODUÇÃO                          AVALIAÇÃO E AUXÍLIO NA CONCEPÇÃO DE EDIFÍCIOS NOVOS OUINCENTIVO A INOV...
Introdução     INTRODUÇÃO           Os sistemas de certificação ambiental constituem em uma avaliação com                ...
Introdução     INTRODUÇÃO           O PROCESSO LEEDINCENTIVO A INOVAÇÃO E   -Desenvolvido pelo USGBC (U.S Green building ...
 O PROCESSO AQUAIntrodução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E   -Implantado no Brasil pela Fundação Vanzolini     TECNO...
 Regulamentação Brasileira de eficiência energética nas edificaçõesIntrodução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E   Prom...
PESQUISA E PRÁTICA RELACIONADA AO EDIFICIO DE ALTA QUALIDADEIntrodução     INTRODUÇÃO                         AMBIENTALINC...
 Objetivo do BRE - Promover parcerias entre empresas e academia,Introdução     INTRODUÇÃO                         solucio...
ESTUDOS DE CASO:Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E   -Projetos empenhados em obter qualidade ambiental;     T...
THE NEW CALIFORNIA ACADEMY OF SCIENCE – SAN FRANSICO, CA.Introdução     INTRODUÇÃO                         ARQ. RENZO PIAN...
RELAÇÃO COM O ENTORNO:Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL  NAS EDIFICAÇÕES  ...
ESTRATÉGIAS RELACIONADAS AO CONFORTO AMBIENTAL:Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMB...
GESTÃO DE ENERGIA:Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL  NAS EDIFICAÇÕES  ESTU...
GESTÃO DE ÁGUA:Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL  NAS EDIFICAÇÕES  ESTUDOS...
GESTÃO DE RESÍDUOS:Introdução     INTRODUÇÃO                                                                              ...
CENTRO DE TECNOLOGIAS PARA ENERGIAS SUSTENTÁVEIS (CSET),Introdução     INTRODUÇÃO                         NINGBO, CHINA. A...
RELAÇÃO COM O ENTORNO:Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL  NAS EDIFICAÇÕES  ...
ESTRATÉGIAS DE CONFORTO AMBIENTAL:Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL  NAS E...
ESTRATÉGIAS DE CONFORTO AMBIENTAL:Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL  NAS E...
GESTÃO DE ENERGIA E ÁGUA:Introdução     INTRODUÇÃO                                                                   Painé...
SISTEMAS E PROCESSOS CONSTRUTIVOS:Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL  NAS E...
CENPES II – PETROBRÁS. ILHA DE FUNDÃO, RIO DE JANEIRO. ARQIntrodução     INTRODUÇÃO                         ZIEGBERT ZANET...
RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM ENTORNO:Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL  NAS EDI...
ESTRATÉGIAS RELACIONADAS AO CONFORTO AMBIENTAL:Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMB...
ESTRATÉGIAS RELACIONADAS AO CONFORTO AMBIENTAL:Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMB...
GESTÃO DE ENERGIA:Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL  NAS EDIFICAÇÕES  ESTU...
GESTÃO DE ÁGUA:Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E     Dispositivos que evitam desperdício;     TECNOLOGIA    ...
GESTÃO DE RESÍDUOS:Introdução     INTRODUÇÃO                          Estruturas projetadas para não produzir resíduosINCE...
SISTEMAS E PROCESSOS CONSTRUTIVOS:Introdução     INTRODUÇÃO                          Sistemas pré-fabricados;INCENTIVO A I...
Introdução     INTRODUÇÃO          A proposta projetual desta pesquisa, trata-se de um centro de pesquisasINCENTIVO A INOV...
Introdução     INTRODUÇÃO          Parque Tecnológico Metropolitano de VitóriaINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDA...
Introdução     INTRODUÇÃO          Parque Tecnológico Metropolitano de VitóriaINCENTIVO A INOVAÇÃO E   Resultados esperad...
Introdução     INTRODUÇÃO          Parque Tecnológico Metropolitano de VitóriaINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDA...
Introdução     INTRODUÇÃO          - Exemplo de qualidade ambiental – Critérios do LEEDINCENTIVO A INOVAÇÃO E             ...
Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL  NAS EDIFICAÇÕES  ESTUDOS DE CASO     O ...
Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL  NAS EDIFICAÇÕES  ESTUDOS DE CASO     O ...
Introdução     INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL  NAS EDIFICAÇÕES  ESTUDOS DE CASO     O ...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Programa de Necessidades                         LaboratóriosINCENTIVO A...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Fluxograma organizacionalINCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE ...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Análise do Terreno:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIEN...
Introdução     INTRODUÇÃO                          Análise do Terreno:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIE...
Introdução     INTRODUÇÃO                          Análise do Terreno:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIE...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Análise do Terreno:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIEN...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Potencialidades:                                            Edifício: E...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Implantação:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL  NA...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Implantação:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL  NA...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Formas e sistemas construtivos:                          Linguagem desc...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Formas e sistemas construtivos :INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUA...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Formas e sistemas construtivos (conforto ambiental) :INCENTIVO A INOVAÇÃ...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Formas e sistemas construtivos (conforto ambiental) :INCENTIVO A INOVAÇÃ...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Formas e sistemas construtivos (conforto ambiental) :INCENTIVO A INOVAÇÃ...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Formas e sistemas construtivos (conforto ambiental) :INCENTIVO A INOVAÇÃ...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Formas e sistemas construtivos :INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUA...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Formas e sistemas construtivos :INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUA...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Formas e sistemas construtivos :INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUA...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Formas e sistemas construtivos :INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUA...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Formas e sistemas construtivos :INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUA...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Formas e sistemas construtivos :INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUA...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Formas e sistemas construtivos :INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUA...
Introdução     INTRODUÇÃO                         O edifício - Térreo:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIE...
Introdução     INTRODUÇÃO                         O edifício - Térreo:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIE...
Introdução     INTRODUÇÃO                         O edifício - Térreo:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIE...
Introdução     INTRODUÇÃO                         O edifício 1º pavimento:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE A...
Introdução     INTRODUÇÃO                         O edifício 1º pavimento:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE A...
Introdução     INTRODUÇÃO                         O edifício 1º pavimento:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE A...
Introdução     INTRODUÇÃO                         O edifício 2º pavimento:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE A...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Subsolo:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL  NAS ED...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Estratégias de conforto térmico, lumínico e acústico:INCENTIVO A INOVAÇÃ...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Estratégias de conforto térmico, lumínico e acústico:INCENTIVO A INOVAÇÃ...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Estratégias de conforto térmico, lumínico e acústico:INCENTIVO A INOVAÇÃ...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Estratégias de conforto térmico, lumínico e acústico:INCENTIVO A INOVAÇÃ...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Estratégias de conforto térmico, lumínico e acústico:INCENTIVO A INOVAÇÃ...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Gestão de água:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL ...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Gestão de água:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL ...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Gestão de energia:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENT...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Check List LEED NC:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIEN...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Check List LEED NC:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIEN...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Check List LEED NC:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIEN...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Check List LEED NC:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIEN...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Check List LEED NC:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIEN...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Check List LEED NC:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIEN...
Introdução     INTRODUÇÃO                         Check List LEED NC:INCENTIVO A INOVAÇÃO E     TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIEN...
CONCLUSÃOIntrodução     INTRODUÇÃO          Com a crescente demanda da construção civil por técnicas e produtos menos     ...
CONCLUSÃOIntrodução     INTRODUÇÃO                         O centro de pesquisas buscou quanto ao seu aspecto funcional pr...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução     INTRODUÇÃO                         A BRIEF history of green building Building Des...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução     INTRODUÇÃO                         ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE ...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução     INTRODUÇÃO                         CENTRO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO DE EFICIÊNCIA ...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução     INTRODUÇÃO                         FROESCHLE, Lynn M.. Environmental assesment an...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução     INTRODUÇÃO          GRASSI, Robson Antonio. INDICADORES DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA EI...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução     INTRODUÇÃO                         INDICAÇÃO DE EXEMPLOS PARA A APLICAÇÃO EM PROJ...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução     INTRODUÇÃO                         LAMBERTS, Roberto et al. REGULAMENTAÇÃO DE ETI...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução     INTRODUÇÃO          MARCONDES, Mônica Pereira. Conforto e desempenho térmico nasI...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução     INTRODUÇÃO          NORIE (Org.). NORIE. Disponível em:INCENTIVO A INOVAÇÃO E    ...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução     INTRODUÇÃO          RECYCLEWORKS GREEN BUILDING PROGRAM. SAN MATEOINCENTIVO A INO...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução     INTRODUÇÃO          STEINER, João E.; CASSIM, Marisa Barbar; ROBAZZI, Antônio Car...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução     INTRODUÇÃO          YUDELSON ASSOCIATES (Org.). European Green Building Technolog...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Centro de Pesquisas para qualidade ambiental nas edificações

2,770

Published on

Tendo conhecimento do impacto que o espaço construído causa no meio ambiente, este trabalho busca investigar como a inovação tecnológica contribui para a melhoria da qualidade do espaço construído. Ao fazer uma análise do desenvolvimento de políticas públicas no estado do Espírito Santo voltadas para ciência, tecnologia e inovação, analisando também ambientes de inovação tecnológica (Parques tecnológicos) comparando a situação nacional com ambientes internacionais, foi constatado que esses ambientes de inovação tecnológica necessitam da interação do poder público, com o setor produtivo e a iniciativa acadêmica de pesquisa, foi constatado também que esses ambientes no Brasil ainda são dependentes do poder público apesar de se caracterizarem por instrumentos de desenvolvimento regional em planos diretores urbano. A indústria da construção civil no Brasil ainda é atrasada em termos de alta qualidade ambiental e inovações tecnológicas, desta forma esse trabalho aborda os conceitos do edifício de alta qualidade ambiental, as certificações ambientais usadas no Brasil (LEED e AQUA), além da regulamentação de eficiência energética, que são instrumentos de avaliação e orientação no processo projetual para edifícios de desempenho ambiental. Nesse contexto, foi necessária a discussão da prática e pesquisa relacionada a edificações de alta qualidade ambiental. Nesta abordagem identificaram-se grupos de pesquisa nacionais (GPAS, NORIE e LABAUT) e internacionais (BRE) que atuam nesta área, onde novamente foi identificada a falta de interação do setor acadêmico com o setor produtivo no contexto nacional. Foram realizados três estudos de caso (California Academy of Science, Center of Sustainable Energy Technology e Cenpes II – Petrobrás) identificando as principais estratégias de qualidade ambiental, técnicas construtivas e outros elementos que tornam estes edifícios inovadores, colaborando e fundamentando a proposta projetual de um centro de pesquisas em tecnologias para a qualidade ambiental nas edificações no estado do Espírito Santo.
Palavras Chave: Alta Qualidade ambiental; Inovação, tecnologia; baixo impacto ambiental.

Published in: Design
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,770
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Centro de Pesquisas para qualidade ambiental nas edificações

  1. 1. Centro de Pesquisasem tecnologias para aqualidade Ambientalnas edificações Mariana da Cunha Oliveira Santos Orientação: Cynthia Marconsini
  2. 2.  A Construção Civil é uma atividade de intenso impacto ao meio ambiente.Introdução INTRODUÇÃO  Recentemente – A sociedade começa a rever as consequências de suas práticas – Movimento Verde: Busca por produtos, técnicas e práticas e menos CONTEXTUALIZAÇÃO nocivas ao meio ambiente;  No setor construtivo desenvolve-se o conceito do “Edifício de alta qualidade OBJETIVOS E MÉTODOS ambiental” – Práticas construtivas menos nocivas ao meio ambiente e uma melhor gestão dos recursos naturais. ESTRUTURA - Novas tecnologias; - Energias renováveis;INCENTIVO A INOVAÇÃO E - Captação de águas pluviais; TECNOLOGIA - Sistemas de iluminação eficientes;QUALIDADE AMBIENTAL - Materiais recicláveis; NAS EDIFICAÇÕES - Materiais de baixo impacto no processo de produção; ESTUDOS DE CASO O PROJETO
  3. 3.  Evolução dos conceitos do edifício de alta qualidade ambiental:Introdução INTRODUÇÃO CERTIFICAÇÕES AMBIENTAIS – LEED, AQUA (Certificações usadas no Brasil) CONTEXTUALIZAÇÃO  Para auxiliar o desenvolvimento de projetos de alta qualidade ambiental, é necessária a iniciativa em pesquisas quanto a técnicas inovadoras para a OBJETIVOS E MÉTODOS incorporação de tecnologias que reduzam o impacto ambiental e contribuam para construções saudáveis, eficientes, e que melhorem a qualidade de vida no local ESTRUTURA em que estão inseridas.INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO BRE – UK. Ambiente destinado a pesquisa e inovação na construção civil, explorando técnicas inovadoras baseadas em conceitos sustentáveis. Fonte: http://www.bre.co.uk/innovationpark/. Acesso em 2012.
  4. 4. Introdução INTRODUÇÃO  O contexto Brasileiro da construção civil é marcado por atrasos quanto a iniciativas inovadoras, configurado por especulação imobiliária, processos CONTEXTUALIZAÇÃO construtivos convencionais, ausência de contextualização social e preocupações com o conforto ambiental; OBJETIVOS E  Para um desenvolvimento tecnológico – necessária a interação entre diversos MÉTODOS agentes através de instituições de pesquisas – Espaços apropriados para aplicação de conhecimento e desenvolvimento de novas tecnologias, atendendo ESTRUTURA as necessidades do mercadoINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO
  5. 5. Introdução INTRODUÇÃO 1) Propor um projeto de um centro de pesquisas voltado para inovação tecnológica e qualidade ambiental na construção civil na cidade de Vitória; CONTEXTUALIZAÇÃO  Entender como aconteceu o incentivo de pesquisas e desenvolvimento OBJETIVOS E tecnológico no estado do Espírito Santo; MÉTODOS  Entender a importância, assim como a articulação de ambientes próprios ESTRUTURA para o desenvolvimento de inovação – Parques Tecnológicos;  Discutir o conceito do edifício de Alta Qualidade Ambiental, estudar asINCENTIVO A INOVAÇÃO E certificações ambientais usadas no Brasil (LEED e AQUA); TECNOLOGIA  Estudar edificações que obtiveram pontuação máxima perante umaQUALIDADE AMBIENTAL certificação ambiental e que estejam voltadas para a prática de pesquisas e NAS EDIFICAÇÕES promoção do conhecimento; - California Academy of Science (Renzo Piano); ESTUDOS DE CASO - Center of Sustainable energy technology (Mario Cucinella) O PROJETO - Cenpes 2 – Petrobrás ( Zanettini Arquitetura)
  6. 6. Introdução INTRODUÇÃO Capítulo 2: CONTEXTUALIZAÇÃO Discussão acerca da inovação tecnológica no Estado do Espírito Santo, OBJETIVOS E abordando sua evolução desde as políticas baseadas na cultura MÉTODOS cafeicultora até a implantação de projetos a instalação de industrias como estratégia de aceleração do desenvolvimento. Discussão sobre ambientes ESTRUTURA de inovação tecnológica, entendendo a articulação desses locais, e oINCENTIVO A INOVAÇÃO E contexto brasileiro. TECNOLOGIA Capítulo 3:QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES Define o conceito do edifício de Alta Qualidade Ambiental, faz uma análise ESTUDOS DE CASO das certificações ambientais usadas no Brasil, abordando também o sistema de regulamentação de eficiência energética nas edificações, além O PROJETO de discutir a importância da pesquisa relacionada ao edifício de alta qualidade ambiental.
  7. 7. Introdução INTRODUÇÃO Capítulo 4: CONTEXTUALIZAÇÃO Estudos de caso em edificações que são referências na qualidade OBJETIVOS E ambiental, fazendo uma análise quanto a relação com o entorno, MÉTODOS estratégias de conforto lumínico, térmico e acústico, gestão de energia, água e resíduos e sistemas e processos construtivos. ESTRUTURAINCENTIVO A INOVAÇÃO E Capítulo 5: TECNOLOGIA Apresentação do projeto do Centro de Pesquisas em tecnologias para aQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES qualidade ambiental nas edificações. ESTUDOS DE CASO O PROJETO
  8. 8. Introdução INTRODUÇÃO  Décadas de 1960 a 1990 – Estrutura predominantemente agrária –INCENTIVO A INOVAÇÃO E poucos avanços quanto ao desenvolvimento tecnológico. As forças TECNOLOGIA produtivas do estado estavam direcionadas ao café; HISTÓRICO  A partir da década de 1970 – Industrialização como estratégia de aceleração do desenvolvimento (restrita a produção de bens siderúrgicos e PARQUES TECNOLÓGICOS celulose) o estado incentiva a industrialização, mas sem suporte a base produtiva – Enclave Industrial (MACEDO E PAULA, 2004 apud INOVAÇÃO E DIAGNÓSTICO DE PRODUÇÃO...); TECNOLOGIA QUALIDADE AMBIENTAL  1991 – Vitória passa a adotar estratégias de desenvolvimento a longo NAS EDIFICAÇÕES prazo, baseado nas características físicas, populacionais, geográficas e econômicas – Atividades mais dinâmicas, unidades industriais, ESTUDOS DE CASO concentração de instituições capacitadas para a pesquisa (ex: UFES) O PROJETO
  9. 9. Introdução INTRODUÇÃO  Órgãos como FACITEC (Fundo de apoio a ciência e tecnologia noINCENTIVO A INOVAÇÃO E município de Vitória) FUNCITEC (Fundo estadual de ciência e tecnologia TECNOLOGIA do Estado do ES), COECT (Conselho estadual de ciência e tecnologia) HISTÓRICO proporcionaram concentração de atividades de pesquisas, além de investimentos na estrutura educacional de ensino superior – Ciência e PARQUES tecnologia como instrumento de desenvolvimento – Incentivo a pesquisas TECNOLÓGICOS nas áreas de saúde, meio ambiente, exatas, e ciência, além de investimentos externos – Refletem a expectativa de desenvolvimento e INOVAÇÃO E oportunidade de negócios; TECNOLOGIA QUALIDADE AMBIENTAL  Desafio: Formulação de políticas públicas na área de ciência e tecnologia NAS EDIFICAÇÕES e aperfeiçoamento dos instrumentos utilizados. É de extrema importância a aquisição de conhecimento e capacitar pessoas. ESTUDOS DE CASO O PROJETO
  10. 10. Introdução INTRODUÇÃO Definição: Concentração geográfica de empresas e bens favoráveis a produção e inovação tecnológica. Parques tecnológicos devem promover aINCENTIVO A INOVAÇÃO E aproximação entre os diferentes agentes envolvidos (Setor público, meio TECNOLOGIA empresarial e setor acadêmico) que articulados possam ampliar o número HISTÓRICO de ações inovadoras, possibilitando o desenvolvimento na região em que está inserido. PARQUES TECNOLÓGICOS - Devem oferecer: Infraestrutura adequada, acesso facilitado e disponibilidade de terrenos de baixo valor; INOVAÇÃO E TECNOLOGIA -Devem ser locais destinados a implantação de empreendimentos que QUALIDADE AMBIENTAL interajam com instituições de ensino e pesquisa, promovendo NAS EDIFICAÇÕES conhecimento; ESTUDOS DE CASO - A implantação de um parque tecnológico requer estudos de viabilidade, O PROJETO visão de longo prazo e atenção para as necessidades regionais;
  11. 11. Introdução INTRODUÇÃO Exemplos:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIA Stanford research park - Universidade de Stanford, Califórnia; Vale do silício - MIT (Massachusetts institute of technology); HISTÓRICO PARQUES TECNOLÓGICOS Desenvolvimento tecnológico voltado para a área da microeletrônica e informática – Tecnopolos ligados a instituições acadêmicas. Além disso, INOVAÇÃO E adoção de investimentos de crescente demanda nacional adaptados a TECNOLOGIA realidade de cada região. QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO Silicon Valley. Fonte: http://loveithateit.wordpress.com/2010/04/21/hate-it-silicon-valley/. Acesso em 2012
  12. 12. Introdução INTRODUÇÃO Exemplos:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIA Tsukuba – Japão – Universidade de Tkusuba HISTÓRICO PARQUES TECNOLÓGICOS Infraestrutura desenvolvida para ser centro de excelência de produção de ciência, tecnologia e educação. INOVAÇÃO E TECNOLOGIA QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO Tkusuba. Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Tsukuba_Center.jpg. Acesso em 2012
  13. 13. Introdução INTRODUÇÃO Contexto BrasileiroINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIA As iniciativas são dependentes de recursos públicos e apresentam custo HISTÓRICO elevado aumentando o risco de implantação – Disputa pela apropriação do espaço transformando o local em empreendimentos imobiliários ou balcão PARQUES de negócios fiscais - financeiros (VEDOVELLO, 2006 apud DIAGNÓSTICO TECNOLÓGICOS DE PRODUÇÃO...) INOVAÇÃO E Características: Relacionados ao plano diretor urbano como estratégia de TECNOLOGIA desenvolvimento econômico e tecnológico, liderados por gestoras de QUALIDADE AMBIENTAL empresas incubadoras, espaço físico acoplado a órgãos públicos ou NAS EDIFICAÇÕES universidades. ESTUDOS DE CASO O PROJETO
  14. 14. Introdução INTRODUÇÃO Desafios estabelecidos para o Brasil:INCENTIVO A INOVAÇÃO E Incentivar investimentos privados, engajamento da iniciativa acadêmica, TECNOLOGIA incentivo a transferência de conhecimentos. HISTÓRICO PARQUES Interação entre: Academia – Setor Privado – Setor público TECNOLÓGICOS INOVAÇÃO E TECNOLOGIA QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES Ofertantes Demandantes Facilitador/Gestão ESTUDOS DE CASO O PROJETO
  15. 15.  No contexto da construção civil, inovação tecnológica está ligada aoIntrodução INTRODUÇÃO aperfeiçoamento das técnicas construtivas, e melhoria da qualidade do ambienteINCENTIVO A INOVAÇÃO E construído (BARROS, 1996). TECNOLOGIA  A construção civil passa por mudanças com o surgimento de novos materiais, HISTÓRICO novas técnicas, novas demandas do mercado e exigência por construções PARQUES ecologicamente corretas (THOMAZ, 2002 apud FRACCARI, VEDRAMENTO E TECNOLÓGICOS BOTELHO, 2004). INOVAÇÃO E  Novas demandas e exigências de mercado e recentes discussões sobre TECNOLOGIA sustentabilidade levam o mercado a buscar técnicas e materiais de menor QUALIDADE AMBIENTAL impacto, melhorando a qualidade do ambiente construído, e reduzindo NAS EDIFICAÇÕES desperdícios. ESTUDOS DE CASO Esgotamento dos recursos Naturais O PROJETO Implantação de leis e normas que prezem pela manutenção do equilíbrio ambiental Estratégia de Marketing
  16. 16.  Normas técnicas que se adéquam as novas exigências do mercado:Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E NBR 15.574 – A norma regulamenta edificações residenciais de até 5 TECNOLOGIA pavimentos e tem como objetivo proporcionar melhores condições ambientais abordando desempenho acústico, térmico e lumínico do edifício; HISTÓRICO PARQUES “Edifícios inteligentes” – proporcionam economias no ciclo de vida da TECNOLÓGICOS edificação e proporciona maior flexibilidade; INOVAÇÃO E TECNOLOGIA QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO
  17. 17.  Segundo o “The Office of federal environmental executive” como uma edificaçãoIntrodução INTRODUÇÃO eficiente quanto ao uso de energia, água, materiais, quanto a construção,INCENTIVO A INOVAÇÃO E manutenção e demolição reduzindo o impacto na saúde humana e no meio TECNOLOGIA ambiente através de um design inteligente.QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES  O conceito da Alta qualidade ambiental é visto desde a antiguidade através de construções adaptadas para a realidade local. Ex.: Iglus – conforto térmico e O EDIFÍCIO DE resistência aos ventos; ALTA QUALIDADE AMBIENTAL CERTIFICALÇÕES AMBIENTAIS REGULAMENTAÇÃO BRASILEIRA PESQUISA E PRÁTICA ESTUDOS DE CASO O PROJETO Iglus. Fonte: http://www.arqhys.com/construcciones/construccion-iglus.html. Acesso em 2012.
  18. 18. Introdução INTRODUÇÃO  RELATÓRIO DE BRUNDTLAND DE 1987 (UNITED NATIONS, 2007):INCENTIVO A INOVAÇÃO E Define uma série de procedimentos para o “futuro comum” – Possibilitar que TECNOLOGIA as necessidades atuais sejam supridas, levando em consideração asQUALIDADE AMBIENTAL necessidades das gerações futuras através da conservação de recursos NAS EDIFICAÇÕES naturais, mantendo o equilíbrio global. O EDIFÍCIO DE O conceito de desenvolvimento sustentável abre espaço para uma ALTA QUALIDADE AMBIENTAL arquitetura baseada em alternativas socialmente justas, economicamente viáveis e ecologicamente corretas . CERTIFICALÇÕES AMBIENTAIS - Sustentabilidade nas edificações vem sendo estudada para a definição de critérios na orientação dos projetos de edifícios de alta qualidade ambiental, REGULAMENTAÇÃO BRASILEIRA assim como avaliação do desempenho das edificações; PESQUISA E PRÁTICA ESTUDOS DE CASO O PROJETO
  19. 19. Introdução INTRODUÇÃO  O EDIFÍCIO DE ALTA QUALIDADE AMBIENTAL:INCENTIVO A INOVAÇÃO E -Proporciona baixo impacto ambiental; TECNOLOGIA - Eficiente quanto a utilização dos recursos e transporte na fase deQUALIDADE AMBIENTAL construção e manutenção do edifício; NAS EDIFICAÇÕES - Edifício como um organismo: Cada parte isolada afeta o sistema do edifício como um todo; O EDIFÍCIO DE - Qualidade do ar; ALTA QUALIDADE AMBIENTAL - Qualidade e gestão de água; - Conforto térmico; CERTIFICALÇÕES - Conforto lumínico; AMBIENTAIS - Conforto acústico; - Relação com o entorno; REGULAMENTAÇÃO BRASILEIRA - Impacto visual; - Gestão de resíduos. PESQUISA E PRÁTICA  Metodologia: Estudo do ecossistema, impactos visuais e funcionais, ESTUDOS DE CASO desempenho de materiais e sistemas construtivos. O PROJETO
  20. 20. Introdução INTRODUÇÃO  O EDIFÍCIO DE ALTA QUALIDADE AMBIENTAL:INCENTIVO A INOVAÇÃO E Vantagens: Melhoria da qualidade de vida dos usuários, do entorno, redução TECNOLOGIA dos impactos ambientais.QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES Em fase de projeto: Integração entre equipes multidisciplinares, compatibilização de projetos, potencializando a qualidade da construção. O EDIFÍCIO DE ALTA QUALIDADE AMBIENTAL Em fase de construção: Redução no tempo de construção, redução do desperdício de materiais, diminuição de erros durante a construção. CERTIFICALÇÕES AMBIENTAIS REGULAMENTAÇÃO BRASILEIRA PESQUISA E PRÁTICA ESTUDOS DE CASO O PROJETO
  21. 21. Introdução INTRODUÇÃO  AVALIAÇÃO E AUXÍLIO NA CONCEPÇÃO DE EDIFÍCIOS NOVOS OUINCENTIVO A INOVAÇÃO E PRÉ-EXISTENTES NOS PARÂMETROS QUE ENVOLVEM A ALTA TECNOLOGIA QUALIDADE AMBIENTAL – Estimular os agentes envolvidos na buscaQUALIDADE AMBIENTAL por práticas sustentáveis, conscientizar em relação aos benefícios da NAS EDIFICAÇÕES construção sustentável. O EDIFÍCIO DE ALTA QUALIDADE AMBIENTAL Brasil – LEED ((Lidership in energy and enviromental design) e AQUA (Alta qualidade ambiental) – (Haute Qualité Environnementale- HQE). CERTIFICALÇÕES AMBIENTAIS REGULAMENTAÇÃO BRASILEIRA PESQUISA E PRÁTICA ESTUDOS DE CASO O PROJETO
  22. 22. Introdução INTRODUÇÃO  Os sistemas de certificação ambiental constituem em uma avaliação com critérios em comum que definem pontuações em função do grau deINCENTIVO A INOVAÇÃO E atendimento das construções quanto a impactos no meio urbano, TECNOLOGIA incômodos gerados no processo de construção, acessibilidade, erosão,QUALIDADE AMBIENTAL resíduos, materiais, uso da água, energia e emissões atmosféricas, NAS EDIFICAÇÕES qualidade do ar interno e conforto ambiental. O EDIFÍCIO DE  BENEFÍCIOS – para o meio ambiente, para os construtores e usuários. ALTA QUALIDADE AMBIENTAL CERTIFICALÇÕES AMBIENTAIS REGULAMENTAÇÃO BRASILEIRA PESQUISA E PRÁTICA ESTUDOS DE CASO O PROJETO
  23. 23. Introdução INTRODUÇÃO  O PROCESSO LEEDINCENTIVO A INOVAÇÃO E -Desenvolvido pelo USGBC (U.S Green building council) – Brasil GBCB TECNOLOGIA (Green Building Council Brazil);QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES “Key Areas” O EDIFÍCIO DE 1 – Sustentabilidade na área ALTA QUALIDADE AMBIENTAL 2 – Eficiência no uso da água 3 – Energia e Atmosfera CERTIFICALÇÕES 4 – Materiais e Recursos As certificações LEED. Fonte: AMBIENTAIS 5 – Qualidade ambiental interna http://www.gbcbrasil.org.br/?p=certificacao, acesso em 2012. 6 – Localização e Transporte REGULAMENTAÇÃO BRASILEIRA 7 – Conscientização e educação 8 – Inovação de Projeto PESQUISA E PRÁTICA 9 – Prioridade Regional ESTUDOS DE CASO O PROJETO
  24. 24.  O PROCESSO AQUAIntrodução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E -Implantado no Brasil pela Fundação Vanzolini TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL - SGE (Sistema de gestão do empreendimento) NAS EDIFICAÇÕES - QAE (Qualidade ambiental interna do edifício) O EDIFÍCIO DE ALTA QUALIDADE AMBIENTAL CERTIFICALÇÕES AMBIENTAIS REGULAMENTAÇÃO BRASILEIRA PESQUISA E PRÁTICA ESTUDOS DE CASO O PROJETO Categorias do processo AQUA. Fonte: Fundação Vanzolini. Disponível em: http://www.vanzolini.org.br/conteudo_77.asp?cod_site=77&id_menu=760. Acesso em 2012
  25. 25.  Regulamentação Brasileira de eficiência energética nas edificaçõesIntrodução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E Promovida por órgão governamental – consiste em um sistema de TECNOLOGIA etiquetagem do nível de eficiência energética da edificação;QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES -Impulsionado pela crise energética nos anos 2000 e 2001; O EDIFÍCIO DE - De acordo com o tipo da edificação – método prescritivo, simulação e ALTA QUALIDADE inspeção in loco; AMBIENTAL CERTIFICALÇÕES - Abrange os 3 sistemas do edifício: Envoltória, iluminação e condicionamento AMBIENTAIS de ar; REGULAMENTAÇÃO -Varia do nível A (mais eficiente) ao nível E (menos eficiente); BRASILEIRA PESQUISA E PRÁTICA - Requisitos mínimos para a aprovação como: Sistemas de aquecimento solar. ESTUDOS DE CASO O PROJETO
  26. 26. PESQUISA E PRÁTICA RELACIONADA AO EDIFICIO DE ALTA QUALIDADEIntrodução INTRODUÇÃO AMBIENTALINCENTIVO A INOVAÇÃO E  Inovações tecnológicas na construção civil = Busca por novas técnicas, TECNOLOGIA materiais, utilização de recursos pré-fabricados e etc. (POZZOBON, 2004)QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES  A pesquisa na construção civil deve ser em favor da melhoria do desempenho das edificações beneficiando a todos os envolvidos; O EDIFÍCIO DE ALTA QUALIDADE  Desenvolver novos métodos por meio de tecnologias inovadoras, AMBIENTAL sustentáveis e economicamente viáveis (BRE, 2011). CERTIFICALÇÕES AMBIENTAIS REGULAMENTAÇÃO BRASILEIRA PESQUISA E PRÁTICA ESTUDOS DE CASO BRE – Conceito de “Innovation Park” - Apresentar ideias inovadoras para Arquitetos, o local também é destinado a ensaios e O PROJETO testes de novas técnicas construtivas e pesquisa na área da construção sustentável e Hi-Tech. Fonte: http://www.altogetherconstruction.co.uk/about-us/vision/, Acesso em 2012.
  27. 27.  Objetivo do BRE - Promover parcerias entre empresas e academia,Introdução INTRODUÇÃO solucionar problemas e propor novas estratégias para o ambiente construídoINCENTIVO A INOVAÇÃO E abordando questões de sustentabilidade e qualidade ambiental. TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL  BRASIL: construção civil caracterizada pela baixa qualificação de mão de NAS EDIFICAÇÕES obra, processos construtivos convencionais – Propor técnicas inovadoras e qualificação profissional; O EDIFÍCIO DE ALTA QUALIDADE  Pesquisa no Brasil: Grupos relacionados a programas de pós graduação: AMBIENTAL CERTIFICALÇÕES - GPAS (UFRJ) – Projetos sustentáveis AMBIENTAIS - LABAUT (USP) – Qualidade ambiental e eficiência energética - NORIE (UFRS) – Princípios de industrialização e racionalização na construção REGULAMENTAÇÃO civil BRASILEIRA PESQUISA E PRÁTICA  Modelos referenciais para edificações sustentáveis e práticas inovadoras ESTUDOS DE CASO O PROJETO
  28. 28. ESTUDOS DE CASO:Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E -Projetos empenhados em obter qualidade ambiental; TECNOLOGIA - Critérios de Análise foram baseados nos parâmetros do LEED e AQUA:QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES Relação do edifício com o entorno Estratégias relacionadas ao conforto ambiental ESTUDOS DE CASO Gestão da água Gestão de Energia THE NEW CALIFORNIA Gestão de resíduos ACADEMY OF Sistemas e processos construtivos SCIENCE CSET - NINGBO - As edificações escolhidas contemplam programas de instituto de pesquisas CENPES II O PROJETO
  29. 29. THE NEW CALIFORNIA ACADEMY OF SCIENCE – SAN FRANSICO, CA.Introdução INTRODUÇÃO ARQ. RENZO PIANOINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO THE NEW CALIFORNIA ACADEMY OF SCIENCE CSET - NINGBO California Academy of Science. http://www.metalica.com.br/california-academy-of-sciences-aconstrucao- mais-eco-sustentavel-do-mundo, acesso em maio de 2012 CENPES II - Instituto para pesquisas em ciências e exposições; O PROJETO - Aquário, áreas de exposição, planetário, auditório, cinema, ambientes naturalistas, laboratórios e escritórios.
  30. 30. RELAÇÃO COM O ENTORNO:Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO Espaço de vivência. Fonte: http://www.landezine.com/index.php/2012/01/c aliforniaacademy- THE NEW of-sciences-living-roof-by-swa-group/. Acesso Entorno Verde. Fonte: Google Earth, acesso em 2012. CALIFORNIA em maio de 2012. ACADEMY OF SCIENCE CSET - NINGBO CENPES II Espécies nativas no telhado verde. Fonte: http://www.landezine.com/index.php/2012/01/california- academy-of-sciences-living-roof-by-swa-group/. O PROJETO Acesso em maio de 2012. Integração com o meio externo (teto verde), área verde de vivência – Conexão com o golden gate park, bicicletário e postos de abastecimento de veículos elétricos
  31. 31. ESTRATÉGIAS RELACIONADAS AO CONFORTO AMBIENTAL:Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO Claraboias no telhado (vista externa). Fonte: THE NEW Vidro com baixo teor de ferro permitindo total transparência. Fonte: http://www.landezine.com/index.php/2012/01/calif CALIFORNIA http://www.metalica.com.br/images/stories/Id2843/maiores/california-academy- ornia-academy-of-sciences-living-roof-by-swa- ACADEMY OF science-4.jpg. Acesso group/. em maio de 2012 Acesso em maio de 2012 SCIENCE CSET - NINGBO CENPES II O PROJETO - Luminosidade natural. Fonte: http://sanfrancisco.about.com/od/attractionsl andmark1/ig/California-Academy-of- Sciences/Piazza.htmAcesso em 2012
  32. 32. GESTÃO DE ENERGIA:Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO THE NEW CALIFORNIA ACADEMY OF SCIENCE CSET - NINGBO Painéis Fotovoltaicos. Fonte: http://monolitho.files.wordpress.com/2009/10/californiaacademy- of-sciences-telhado.jpg. Acesso em 2012. CENPES II Gasto energético 30% menor do que o recomendado pelo código O PROJETO florestal americano Sistemas automatizados - dimming
  33. 33. GESTÃO DE ÁGUA:Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO THE NEW CALIFORNIA ACADEMY OF SCIENCE CSET - NINGBO Aquário. Fonte: The new california academy of science, 2005. Dispositivos para o uso eficiente da água: Mini Turbinas para reciclar as águas CENPES II cinzas do sistema municipal de São Francisco para uso dos aquários O PROJETO Estratégia: Captação de Água pluvial através do telhado verde. A edificação consome 20% a menos de água do que o recomendado pelo código florestal americano.
  34. 34. GESTÃO DE RESÍDUOS:Introdução INTRODUÇÃO Resíduos da demolição:INCENTIVO A INOVAÇÃO E Construção de rodovias, TECNOLOGIA construção do novo edifícioQUALIDADE AMBIENTAL Resíduos Orgânicos: Paisagismo NAS EDIFICAÇÕES Areia da escavação: Restauração das Dunas de São Fransisco ESTUDOS DE CASO THE NEW CALIFORNIA Antiga academia de ciências da Califórnia. Fonte: The new ACADEMY OF California academy of science, SCIENCE 2005. SISTEMAS E PROCESSOS CONSTRUTIVOS: CSET - NINGBO Flexibilidade: Estrutura em aço. CENPES II O PROJETO
  35. 35. CENTRO DE TECNOLOGIAS PARA ENERGIAS SUSTENTÁVEIS (CSET),Introdução INTRODUÇÃO NINGBO, CHINA. ARQ, MÁRIOC CUCINELLA:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO THE NEW CALIFORNIA ACADEMY OF SCIENCE CSET - NINGBO CENPES II CSET, China. Fonte: http://www.arcoweb.com.br/arquitetura/mario-cucinella- architectsmipim- green-building-eficiencia-energetica-sustentabilidade-29-09-2009.html. Acesso O PROJETO maio de em 2012 Salas de conferências, salas de workshops, escritórios, salas de pesquisas, área de exposições e laboratórios
  36. 36. RELAÇÃO COM O ENTORNO:Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO THE NEW CSET e seu entorno. Fonte: CALIFORNIA http://www.nottingham.ac.u ACADEMY OF k/estates/developments/ove SCIENCE rseasdevelopments. CSET - NINGBO Entorno CSET. Fonte: http://4.bp.blogspot.com/_ouxxa0eFam8/ CENPES II SccNdqrAOxI/AAAAAAAAB0M/q67p21G p9iA/s400/MCA_cset O PROJETO 2.jpg. Acesso em 2012. Área verde e cobertura verde: Minimização dos efeitos da ilha de calor Forma desconstrutivista: Referência a cultura oriental
  37. 37. ESTRATÉGIAS DE CONFORTO AMBIENTAL:Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO THE NEW CALIFORNIA ACADEMY OF Comportamento do edifício no verão. eno inverno. Fonte: http://www.arcoweb.com.br/arquitetura/mariocucinella- architects-mipim-green-building-eficiencia-energetica-sustentabilidade-29-09-2009.html. SCIENCE Acesso em 2012.. Acesso em maio de 2012 CSET - NINGBO Cidade de Ningo: Alta amplitude térmica. CENPES II Soluções: Fachadas duplas, vidro laminado solar, aberturas zenitais, paredes de concreto. O PROJETO
  38. 38. ESTRATÉGIAS DE CONFORTO AMBIENTAL:Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO Estudo de insolação nas fachadas. Fonnte: Fonte: THE NEW http://www.arcoweb.com.br/arquitetura/mario-cucinella-architects-mipim- CALIFORNIA green-building-eficienciaenergetica- ACADEMY OF sustentabilidade-29-09-2009.html. Acesso em 2012. Acesso em maio de 2012 SCIENCE CSET - NINGBO CENPES II O PROJETO Aberturas na fachada sul e aberturas zenitais. Fonte: http://www.arcoweb.com.br/arquitetura/mario-cucinella- architects-mipim-green-building-eficienciaenergetica- sustentabilidade-29-09-2009.html. Acesso em 2012
  39. 39. GESTÃO DE ENERGIA E ÁGUA:Introdução INTRODUÇÃO Painéis fotovoltaicos nas imediações do edifício. Fonte: http://www.arcoweb.com.br/arquitetura/mario-cucinella-architects-INCENTIVO A INOVAÇÃO E mipim-green-building-eficienciaenergetica- TECNOLOGIA sustentabilidade-29-09-2009.html. Acesso em maio, 2012.QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO THE NEW CALIFORNIA ACADEMY OF SCIENCE CSET - NINGBO CENPES II O PROJETO Iluminação noturna. Fonte: http://www.arcoweb.com.br/arquitetura/mariocucinella- architects-mipim-green-building-eficiencia-energetica- sustentabilidade-29-09-2009.html. Acesso em maio, 2012.
  40. 40. SISTEMAS E PROCESSOS CONSTRUTIVOS:Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO THE NEW CALIFORNIA ACADEMY OF SCIENCE Painéis da fachada. Fonte: http://www.arcoweb.com.br/arquitetura/mario-cucinellaarchitects- mipim-green-building-eficiencia-energetica-sustentabilidade-29-09- CSET - NINGBO 2009.html. Acesso em maio, 2012. Fixação dos painéis na fachada. Fonte: CENPES II http://www.arcoweb.com.br/arquitetura/mariocucinel la- architects-mipim-green-building-eficiencia-energetica- O PROJETO sustentabilidade-29-09-2009.html. Sistema parede-cortina em vidro dulho e perfis de alumínio Fachada de Vidro Silk-Screen
  41. 41. CENPES II – PETROBRÁS. ILHA DE FUNDÃO, RIO DE JANEIRO. ARQIntrodução INTRODUÇÃO ZIEGBERT ZANETTINI:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIA - Centro de inovação tecnológica da PetrobrásQUALIDADE AMBIENTAL - Localizado do parque tecnológico da UFRJ NAS EDIFICAÇÕES -Laboratórios, escritórios, centro de realidade virtual, restaurante, orquidários e edifícios de apoio. ESTUDOS DE CASO THE NEW CALIFORNIA - Pré requisitos do projeto: Orientação solar adequada, forma arquitetônica ACADEMY OF adequada, minimização das cargas térmicas internas, materiais da SCIENCE superfícies opacas e termicamente eficientes, proteção solares externas, ventilação natural, aproveitamento adequado dos ventos, aproveitamento de CSET - NINGBO luz natural, uso de vegetação, sistemas para o uso racional da água e CENPES II materiais de baixo impacto ambiental. O PROJETO
  42. 42. RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM ENTORNO:Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO THE NEW CALIFORNIA ACADEMY OF SCIENCE CSET - NINGBO CENPES II O PROJETO Vista aérea da ilha de fundão. Fonte: Google Maps, acesso em 2012. Valorizar a paisagem natural, restauração da mata atlântica e restinga
  43. 43. ESTRATÉGIAS RELACIONADAS AO CONFORTO AMBIENTAL:Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO THE NEW CALIFORNIA ACADEMY OF SCIENCE CSET - NINGBO Corte dos Laboratórios e prédio central. Fonte: http://www.revistaau.com.br/arquiteturaurbanismo/ 181/cenpes-2-siegbert-zanettini-e-jose-wagner-garcia-rio-130996-1.asp. Acesso em junho, 2012. CENPES II Edifícios baixos, com beirais largos; O PROJETO Edifícios que não possuem orientação adequada receberam tratamento com materiais opacos na fachada e aberturas em sheds; Telhas termo-acústicas.
  44. 44. ESTRATÉGIAS RELACIONADAS AO CONFORTO AMBIENTAL:Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO THE NEW CALIFORNIA ACADEMY OF SCIENCE CSET - NINGBO CENPES II O PROJETO Estudo de ventos, e insolação. Fonte: CREMONESI, BARING, KRONKA, ANDRADE e MONTEIRO. Aula FAU-USP, 2012)
  45. 45. GESTÃO DE ENERGIA:Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO THE NEW CALIFORNIA ACADEMY OF SCIENCE CSET - NINGBO CENPES II Identificação das área prioritárias para a instalação dos painéis. Fonte: http://www.arcoweb.com.br/tecnologia/siegbert-zanettini-e-jose-wagner-garcia-centro-de-19-12- O PROJETO 2006.html. Acesso em maio de 2012
  46. 46. GESTÃO DE ÁGUA:Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E Dispositivos que evitam desperdício; TECNOLOGIA Estação de tratamento – águas pluviais, reduzindo a necessidade daQUALIDADE AMBIENTAL utilização da água do serviço público em 40%; NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO THE NEW CALIFORNIA ACADEMY OF SCIENCE CSET - NINGBO CENPES II O PROJETO Estação de tratamento cenpes II. Fonte: http://www.genpro.com.br/servicos/outros.php. Acesso em junho de 2012.
  47. 47. GESTÃO DE RESÍDUOS:Introdução INTRODUÇÃO Estruturas projetadas para não produzir resíduosINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO THE NEW CALIFORNIA ACADEMY OF SCIENCE CSET - NINGBO CENPES II O PROJETO Cenpes II durante fase de obra. Fonte: ZANETTINI, 2011
  48. 48. SISTEMAS E PROCESSOS CONSTRUTIVOS:Introdução INTRODUÇÃO Sistemas pré-fabricados;INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIA Estrutura de aço modular;QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO THE NEW CALIFORNIA ACADEMY OF SCIENCE CSET - NINGBO CENPES II O PROJETO Cenpes II sistemas pré-moldados. Fonte: ZANETTINI, 2011
  49. 49. Introdução INTRODUÇÃO A proposta projetual desta pesquisa, trata-se de um centro de pesquisasINCENTIVO A INOVAÇÃO E destinado ao desenvolvimento de inovações tecnológicas ligadas a alta TECNOLOGIA qualidade ambiental nas edificações; O Centro de pesquisas vai trabalhar com 6 eixos norteadores baseados naQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES proposta do BRE (Building research establishment): 1) Consultoria 2) Pesquisa 3) Testes 4) Inovação 5) Sustentabilidade 6) ESTUDOS DE CASO Treinamento e eventos O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  50. 50. Introdução INTRODUÇÃO Parque Tecnológico Metropolitano de VitóriaINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E Zona de parque tecnológico no zoneamento de Vitória. Fonte: Prefeitura Municipal de Vitória, 2012 ESTRATÉGIAS
  51. 51. Introdução INTRODUÇÃO Parque Tecnológico Metropolitano de VitóriaINCENTIVO A INOVAÇÃO E Resultados esperados para o município: Estímulo a inovação, produção TECNOLOGIA de conhecimento, elevação de competitividade, instalação de empresasQUALIDADE AMBIENTAL inovadoras, geração de empregos para atividades tecnológicas, estímulo NAS EDIFICAÇÕES da cultura de inovação e tecnologia. ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO Anexo PDM, tabela de controle urbanístico. Fonte: Prefeitura PROJETO: municipal de Vitória, 2012. CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  52. 52. Introdução INTRODUÇÃO Parque Tecnológico Metropolitano de VitóriaINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO AEROPORTO LOCAL DE UNIVIX IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO UFES PROJETO: Vista aérea: PTMV. Fonte: CONCEPÇÃO E Google Maps ESTRATÉGIAS
  53. 53. Introdução INTRODUÇÃO - Exemplo de qualidade ambiental – Critérios do LEEDINCENTIVO A INOVAÇÃO E - Critérios da Arquitetura Durável (HIDALGO apud ROCHA, 2011) TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL Arquitetura Durável – Comprometimento com ações duráveis = Visão de NAS EDIFICAÇÕES sustentabilidade, agregar e potencializar práticas sociais, melhoria da qualidade de vida e do espaço habitável da cidade ESTUDOS DE CASO O PROJETO URBANIDADE IMPLANTAÇÃO LOCAL DE MORFOLOGIA IMPLANTAÇÃO MATERIALIDADE PROGRAMA DE ESPACIALIDADE NECESSIDADES E SISTEMAS DIRETRIZES PERFORMANCE ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: Rating System LEED X Arquitetura Durável CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  54. 54. Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  55. 55. Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  56. 56. Introdução INTRODUÇÃOINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  57. 57. Introdução INTRODUÇÃO Programa de Necessidades LaboratóriosINCENTIVO A INOVAÇÃO E Pesquisa Almoxarifado TECNOLOGIA Escritório ADM/ServiçoQUALIDADE AMBIENTAL Salas de Pesquisa/Projeto NAS EDIFICAÇÕES Salas de Aula Público Laboratório de conforto ambiental ESTUDOS DE CASO Exposição O PROJETO Auditório Oficina LOCAL DE Refeitório/Restaurante IMPLANTAÇÃO Cozinha PROGRAMA DE DML NECESSIDADES E Hall DIRETRIZES Estacionamento ANÁLISE DO TERRENO Área verde Ciclovia PROJETO: Bicicletário CONCEPÇÃO E Vestiário ESTRATÉGIAS
  58. 58. Introdução INTRODUÇÃO Fluxograma organizacionalINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  59. 59. Introdução INTRODUÇÃO Análise do Terreno:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE Recorte do Terreno. Fonte: Arquivo IMPLANTAÇÃO pessoal, 2012. PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES Índices urbanísticos, Acessos e conexões, infraestrutura Urbana, relação com áreas de preservação ambiental, Vulnerabilidades, Relação ANÁLISE DO TERRENO com o entorno, Conforto térmico, Potencialidade PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  60. 60. Introdução INTRODUÇÃO Análise do Terreno:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: Visuais,. Fonte: Arquivo pessoal, 2012. CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS Mapa de acessos. Fonte: Arquivo pessoal, 2102.
  61. 61. Introdução INTRODUÇÃO Análise do Terreno:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: Entorno,. Fonte: Arquivo pessoal, 2012. CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS Mapa de usos. Fonte: Arquivo pessoal, 2102.
  62. 62. Introdução INTRODUÇÃO Análise do Terreno:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  63. 63. Introdução INTRODUÇÃO Potencialidades: Edifício: Estrutura articuladaINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIA com o entornoQUALIDADE AMBIENTAL Aproveitamento das visuais NAS EDIFICAÇÕES Áreas verdes e de vivência ESTUDOS DE CASO Ciclovia/Transporte público O PROJETO Aproveitar Iluminação natural LOCAL DE Minimizar o efeito da ilha de IMPLANTAÇÃO calor PROGRAMA DE NECESSIDADES E Uso Racional de água DIRETRIZES Energia alternativa ANÁLISE DO TERRENO Materiais regionais PROJETO: CONCEPÇÃO E Mapa de potencialidade. Fonte: Arquivo pessoal, ESTRATÉGIAS 2012.
  64. 64. Introdução INTRODUÇÃO Implantação:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E Croqui de implantação. Fonte: Arquivo ESTRATÉGIAS pessoal,2012.
  65. 65. Introdução INTRODUÇÃO Implantação:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO Acessos de veículos LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E Implantação. Fonte: Arquivo pessoal, 2012. ESTRATÉGIAS Acesso de pedestres
  66. 66. Introdução INTRODUÇÃO Formas e sistemas construtivos:  Linguagem desconstrutivista – Destaque no entorno;INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIA  Forma longitudinal;  Orientação Sul;QUALIDADE AMBIENTAL  Estrutura Metálica – estrutura leve, processo de produção, rapidez de NAS EDIFICAÇÕES montagem, redução de desperdícios; ESTUDOS DE CASO  Sistemas pré-moldados de vedação – Dry-Wall, obra limpa e sem desperdícios; O PROJETO (Prevenção da poluição na atividade de construção, gestão de resíduos – LEED NC) LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E Detalhe sistema de fachada. Fonte: Arquivo ESTRATÉGIAS pessoal, 2012.
  67. 67. Introdução INTRODUÇÃO Formas e sistemas construtivos :INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E Plano de massas. Fonte: Arquivo pessoal, 2012. ESTRATÉGIAS
  68. 68. Introdução INTRODUÇÃO Formas e sistemas construtivos (conforto ambiental) :INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES Trajetória do sol. Fonte: Arquivo pessoal, 2012. ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  69. 69. Introdução INTRODUÇÃO Formas e sistemas construtivos (conforto ambiental) :INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: Análises de insolação nas fachadas. Fonte: CONCEPÇÃO E Arquivo pessoal, 2012. ESTRATÉGIAS
  70. 70. Introdução INTRODUÇÃO Formas e sistemas construtivos (conforto ambiental) :INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: Análises da trajetória dos ventos. Fonte: Arquivo CONCEPÇÃO E pessoal, 2012. ESTRATÉGIAS
  71. 71. Introdução INTRODUÇÃO Formas e sistemas construtivos (conforto ambiental) :INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E Croquis de concepção. Fonte: Arquivo ESTRATÉGIAS pessoal, 2012.
  72. 72. Introdução INTRODUÇÃO Formas e sistemas construtivos :INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO Resultado dos estudos volumétricos. Fonte: Arquivo pessoal, 2012. PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  73. 73. Introdução INTRODUÇÃO Formas e sistemas construtivos :INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: Vistas da Implantação. Fonte: Arquivo CONCEPÇÃO E pessoal, 2012. ESTRATÉGIAS
  74. 74. Introdução INTRODUÇÃO Formas e sistemas construtivos :INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: Vistas da Implantação. Fonte: Arquivo CONCEPÇÃO E pessoal, 2012. ESTRATÉGIAS
  75. 75. Introdução INTRODUÇÃO Formas e sistemas construtivos :INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E Vistas da Implantação. Fonte: Arquivo DIRETRIZES pessoal, 2012. ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  76. 76. Introdução INTRODUÇÃO Formas e sistemas construtivos :INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO Vistas da Implantação. Fonte: Arquivo PROGRAMA DE pessoal, 2012. NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  77. 77. Introdução INTRODUÇÃO Formas e sistemas construtivos :INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E Vistas da Implantação. Fonte: Arquivo pessoal, 2012. DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  78. 78. Introdução INTRODUÇÃO Formas e sistemas construtivos :INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES Vistas da Implantação. Fonte: Arquivo pessoal, 2012. ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  79. 79. Introdução INTRODUÇÃO O edifício - Térreo:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES 10 ESTUDOS DE CASO 9 11 8 7 O PROJETO 6 5 12 4 13 LOCAL DE IMPLANTAÇÃO 3 PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES 1 ANÁLISE DO TERRENO 2 PROJETO: CONCEPÇÃO E 1- Restaurante 2- Cozinha 3- Sala de reunião 4- Administração 5- Tesouraria 6- Zeladoria 7- DML e ESTRATÉGIAS almoxarifado 8- Sanitários 9- Diretoria 10- Sanitário público 11- Exposições 12- Hall 13- Auditório Pavimento térreo. Fonte: Arquivo pessoal, 2012.
  80. 80. Introdução INTRODUÇÃO O edifício - Térreo:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES Auditório. Fonte: Arquivo pessoal, 2012. ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  81. 81. Introdução INTRODUÇÃO O edifício - Térreo:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E Hall de entrada. Fonte: Arquivo pessoal, 2012. DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  82. 82. Introdução INTRODUÇÃO O edifício 1º pavimento:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS Vista Átrio. Fonte: Arquivo pessoal, 2012.
  83. 83. Introdução INTRODUÇÃO O edifício 1º pavimento:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES 4 5 ESTUDOS DE CASO 1 1 2 O PROJETO 3 LOCAL DE 1 IMPLANTAÇÃO 1 1 PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E 1- Sala de pesquisa 2- Arquivo 3- Reunião 4- Sanitários 5- Laboratório de Conforto Ambiental ESTRATÉGIAS 1º Pavimento. Fonte: Arquivo pessoal, 2012.
  84. 84. Introdução INTRODUÇÃO O edifício 1º pavimento:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO Vista Mezanino. Fonte: Arquivo pessoal, 2012. PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  85. 85. Introdução INTRODUÇÃO O edifício 2º pavimento:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES 5 4 ESTUDOS DE CASO 2 2 3 O PROJETO 1 LOCAL DE 1 IMPLANTAÇÃO 1 PROGRAMA DE NECESSIDADES E 2º pavimento. Fonte: Arquivo pessoal, 2012. DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO 1- Sala de aula 2- Laboratório 3- Almoxarifado 4- Laboratório de estudo de ventos 5- Sanitários PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  86. 86. Introdução INTRODUÇÃO Subsolo:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E Pavimento subsolo. Fonte: Arquivo pessoal, 2012. ESTRATÉGIAS
  87. 87. Introdução INTRODUÇÃO Estratégias de conforto térmico, lumínico e acústico:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E Ventilação cruzada. Fonte: Arquivo pessoal, 2012. ESTRATÉGIAS
  88. 88. Introdução INTRODUÇÃO Estratégias de conforto térmico, lumínico e acústico:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E Estratégias de conforto térmico. Fonte: Arquivo pessoal, 2012. ESTRATÉGIAS
  89. 89. Introdução INTRODUÇÃO Estratégias de conforto térmico, lumínico e acústico:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO Estratégias de conforto térmico. Fonte: Arquivo pessoal, 2012. PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  90. 90. Introdução INTRODUÇÃO Estratégias de conforto térmico, lumínico e acústico:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS Detalhe Teto verde e Janela oeste. Fonte: Arquivo pessoal, 2012.
  91. 91. Introdução INTRODUÇÃO Estratégias de conforto térmico, lumínico e acústico:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS Detalhe brise da fachada norte, vedação com isolamento acústico na fachada. Fonte: Arquivo pessoal, 2012.
  92. 92. Introdução INTRODUÇÃO Gestão de água:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS Esquema de reaproveitamento das águas pluviais. Fonte: Arquivo pessoal, 2012.
  93. 93. Introdução INTRODUÇÃO Gestão de água:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO  Uso da tecnologia eco-flush O PROJETO Torneiras com sensores eletrônicos LOCAL DE IMPLANTAÇÃO Válvulas de descarga para PROGRAMA DE economia de água. NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E Área Tecnica. Fonte: Arquivo pessoal, 2012. ESTRATÉGIAS
  94. 94. Introdução INTRODUÇÃO Gestão de energia:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO Detalhe Placas fotovoltaicas e painéis LOCAL DE solares, Fonte: Arquivo pessoal, 2012. IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO Especificação de aparelhos de ar-condicionado a base do gás R-410 A PROJETO: Uso de células fotovoltaicas (geração de 24,30 A por placa) e painéis solares de CONCEPÇÃO E aquecimento ESTRATÉGIAS
  95. 95. Introdução INTRODUÇÃO Check List LEED NC:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  96. 96. Introdução INTRODUÇÃO Check List LEED NC:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  97. 97. Introdução INTRODUÇÃO Check List LEED NC:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  98. 98. Introdução INTRODUÇÃO Check List LEED NC:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  99. 99. Introdução INTRODUÇÃO Check List LEED NC:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  100. 100. Introdução INTRODUÇÃO Check List LEED NC:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  101. 101. Introdução INTRODUÇÃO Check List LEED NC:INCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ESTUDOS DE CASO O PROJETO LOCAL DE IMPLANTAÇÃO PROGRAMA DE NECESSIDADES E DIRETRIZES ANÁLISE DO TERRENO PROJETO: CONCEPÇÃO E ESTRATÉGIAS
  102. 102. CONCLUSÃOIntrodução INTRODUÇÃO Com a crescente demanda da construção civil por técnicas e produtos menos nocivos ao meio ambiente, é necessária a capacitação profissional e o incentivoINCENTIVO A INOVAÇÃO E a uma cultura de inovação, além da criação de ambientes de pesquisa. TECNOLOGIAQUALIDADE AMBIENTAL Foi possível evidenciar que ambientes projetados com o objetivo de obter NAS EDIFICAÇÕES qualidade ambiental agregam valores para o empreendimento, além de ESTUDOS DE CASO beneficiar a sociedade e o meio ambiente, onde a demanda pela pesquisa nesta área, reflete nos espaços construídos de um determinado local. O PROJETO O projeto do centro de pesquisas teve como objetivo estimular a prática de CONCLUSÃO pesquisas relacionada a alta qualidade ambiental, assim como promover parcerias entre o setor construtivo e a academia. Através do processo do projeto baseado nos critérios do LEED, foi possível concluir que as certificações ambientais são mecanismos eficientes no auxílio da concepção de projetos que visam atender aos conceitos sustentáveis de construção, porém é necessária uma análise profunda quanto aos parâmetros estabelecidos, e o estudo de novas tecnologias que visam atender a essa demanda e principalmente a capacitação técnica e integração das equipes de projeto.
  103. 103. CONCLUSÃOIntrodução INTRODUÇÃO O centro de pesquisas buscou quanto ao seu aspecto funcional proporcionar umINCENTIVO A INOVAÇÃO E espaço para a pesquisa em tecnologias e técnicas construtivas contribuindo TECNOLOGIA para o setor construtivo a inserção de inovação propondo modelos construtivosQUALIDADE AMBIENTAL de baixo impacto ambiental e NAS EDIFICAÇÕES capacitando profissionais para atuar nesse ramo. Além disso, o edifício buscou agregar valores sociais, enriquecimento do entorno, promovendo qualidade de ESTUDOS DE CASO vida e adotando ações que contribuam para a melhoria do espaço onde está inserida. O PROJETO CONCLUSÃO
  104. 104. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução INTRODUÇÃO A BRIEF history of green building Building Design & Construction, London,INCENTIVO A INOVAÇÃO E n.11 , p.1- TECNOLOGIA 5, nov. 2003.QUALIDADE AMBIENTAL A NOVA norma NBR 15575 Disponível em: NAS EDIFICAÇÕES <http://www.acital.com.br/noticias/novanorma- nbr-15575-da-abnt-direciona-a-construcao-civil-para-edificacoes>. Acesso em: ESTUDOS DE CASO 18 abr. 2012. O PROJETO ANPROTEC (Org.). Portifólio de parques tecnológicos do Brasil. Brasília, CONCLUSÃO 2008. AQUA (Org.). REFERENCIAL TÉCNICO DE CERTIFICAÇÃO: Edifícios do setor de serviços – Processo AQUA. São Paulo: Fundação Vanzolini, 2007. ARCHDAILY (Org.). Http://www.archdaily.com/6810/california-academy-of- sciencesrenzo- piano/. Disponível em: <http://www.archdaily.com/6810/california-academy- ofsciences- renzo-piano/>. Acesso em: 19 jun. 2012.
  105. 105. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução INTRODUÇÃO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDOINCENTIVO A INOVAÇÃO E (Org.). Plano Estratégico para Ciência, Tecnologia e Inovação na área de TECNOLOGIA [Tecnologia do Ambiente Construído com ênfase na ConstruçãoQUALIDADE AMBIENTAL Habitacional. São NAS EDIFICAÇÕES Paulo, 2002. BRE (Org.). Research & innovation: Generating and applying state-of-the art ESTUDOS DE CASO knowledge O PROJETO and bringing new ideas to life. Disponível em: <http://www.bre.co.uk/page. jsp?id=1849>. CONCLUSÃO Acesso em: 06 jun. 2012. BUILDING RESEARCH ESTABLISHMENT (Org.). BRE - Trust Review. Garston, Watford, 2011. CATÁLOGO KEMPER BRASIL. Disponível em: http://kemperbrasil.com.br/docs/catalogokemper- brasil.pdf Acesso em 10 de Novembro de 2012.
  106. 106. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução INTRODUÇÃO CENTRO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICAINCENTIVO A INOVAÇÃO E (Org.).Etiquetagem em edificações. Disponível em: TECNOLOGIA <http://www.procelinfo.com.br/main.asp?View={89E211C6-61C2-499A-A791-QUALIDADE AMBIENTAL DACD33A348F3}>. Acesso em: 05 jun. 2012. NAS EDIFICAÇÕES CREMONESI, Fernando et al. Estudo de caso: Novo Centro de Pesquisas da Petrobras. São Paulo: Aula - Fau, Usp, 2010. ESTUDOS DE CASO ESPAÇOS Arquitetônicos de alta tecnologia: Os edifícios inteligentes USP. O PROJETO Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18131/tde-31012003- CONCLUSÃO 153007/ptbr. php>. Acesso em: 18 abr. 2012. FEDRIZZI, S. Rick; REED, Bill. The Integrative Design Guide to Green Building: Redefining the Practice of Sustainability. Hoboken: Wiley, 2009. FRANCKLIN JUNIOR, Ivan; AMARAL, Tatiana Gondim do. Inovação tecnológica e modernização na indústria da construção civil. São Paulo: Ciência Et Praxis, 2008.
  107. 107. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução INTRODUÇÃO FROESCHLE, Lynn M.. Environmental assesment and specification for GreenINCENTIVO A INOVAÇÃO E TECNOLOGIA Building Materials. The Construction Specifier, San Diego, p. 01-05. 01 out. 1999.QUALIDADE AMBIENTAL FUNDAÇÃO VANZOLINI. Alta qualidade ambiental: O processo AQUA. NAS EDIFICAÇÕES Disponível em: ESTUDOS DE CASO <http://www.vanzolini.org.br/conteudo_77.asp?cod_site=77&id_menu=808>. Acesso em: O PROJETO 01 jun. 2012 GASPAR, Daniel Calado. Inovação na Arquitectura e Desempenho CONCLUSÃO Ambiental. 2009. 130 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Arquitectura, Departamento de Instituto Técnico Superior, Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa, 2009. GBCB. Certificação LEED: Estruturação de comitês. Disponível em: <http://www.gbcbrasil.org.br/?p=estruturacao>. Acesso em: 01 jun. 2012. GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO (Org.). Plano de desenvolvimento Espírito Santo 2025. Vitória, 2006.
  108. 108. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução INTRODUÇÃO GRASSI, Robson Antonio. INDICADORES DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA EINCENTIVO A INOVAÇÃO E INOVAÇÃO TECNOLOGIA (C, T & I) NO ESPÍRITO SANTO: UMA ANÁLISE A PARTIR DA PINTEC. Vitória: Fapes,QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES 2005. 20 p. GREEN Building Council Brasil: Vencedor da Categoria: Arquiteto Sustentável. ESTUDOS DE CASO Brasília: Prêmio 2011, 2011 O PROJETO GUEDES, Gracielle. Sustentabilidade: preocupação com o futuro ou estratégia de CONCLUSÃO Marketing. Disponível em: <http://www.comunicacaoetendencias.com.br/sustentabilidade-preocupacao- com-ofuturo- ou-estrategia-de-marketing>. Acesso em: 18 maio 2012. GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. ROTA DO MÁRMORE E DO GRANITO: Rota do Mármore e do Granito, uma rota de bons negócios. Disponível em: <http://www.es.gov.br/EspiritoSanto/paginas/rota_marmore_granito.aspx>. Acesso em: 01 set. 201
  109. 109. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução INTRODUÇÃO INDICAÇÃO DE EXEMPLOS PARA A APLICAÇÃO EM PROJETOSINCENTIVO A INOVAÇÃO E BIOCLIMÁTICOS: TECNOLOGIA Apresentação de exemplos de aplicação prática de estratégias para projetoQUALIDADE AMBIENTAL bioclimático. NAS EDIFICAÇÕES Florianópolis: UFSC, 2009. KIEL MOE. Sustainable Design and Beyond: The Social Construction of ESTUDOS DE CASO Sustainable O PROJETO Technics. Northeastern, 2010. KOCIOLEK, John Patrick. The New California Academy of Sciences. San CONCLUSÃO Francisco: California Academy Of Sciences, 2005. LABAUT (Org.). LABAUT. Disponível em: <http://www.revistasusp.sibi.usp.br/scielo.php?pid=S1518- 95542004000100013&script=sci_arttext>. Acesso em: 06 jun. 2012. LABAUT (Org.). LABAUT. Disponível em: <http://www.revistasusp.sibi.usp.br/scielo.php?pid=S1518- 95542004000100013&script=sci_arttext>. Acesso em: 06 jun. 2012.
  110. 110. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução INTRODUÇÃO LAMBERTS, Roberto et al. REGULAMENTAÇÃO DE ETIQUETAGEMINCENTIVO A INOVAÇÃO E VOLUNTÁRIA TECNOLOGIA DE NÍVEL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS COMERCIAIS EQUALIDADE AMBIENTAL PÚBLICOS. Ouro Preto: Xi Encontro Nacional e V Encontro Latino NAS EDIFICAÇÕES Americano de Conforto No Ambiente Construído, 2007. ESTUDOS DE CASO LEITE, Vinicius Fares. CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL NA CONSTRUÇÃO CIVIL O PROJETO – SISTEMAS LEED E AQUA. 2011. 59 f. Monografia (Graduação) - Curso de CONCLUSÃO Engenharia Civil, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011. LYNCOLN WCHOA. Diagnóstico da produção de Ciência, Tecnologia e Inovações na cidade de Vitória e apontamento de cenários potenciais.: CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO NA CIDADE DE VITÓRIA - Histórico, indicadores e cenários potenciais. Vitória, 2008.
  111. 111. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução INTRODUÇÃO MARCONDES, Mônica Pereira. Conforto e desempenho térmico nasINCENTIVO A INOVAÇÃO E edificações do TECNOLOGIA novo centro de pesquisas da Petrobras no Rio de Janeiro. São Paulo: Labaut, 2010.QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES MARGOLIN, Victor. Design for a Sustainable World. The Mit Press: Design for a ESTUDOS DE CASO Sustainable World, Massachusetts, p. 2-10. 19 fev. 2009. MARINGONI, Heloisa Martins. Coletânea do Uso do Aço: Principios da O PROJETO arquitetura em aço. São Paulo: Perfis Gedau Açominas, 2004. CONCLUSÃO MELLER, Adalberto et al. CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL DE EDIFICAÇÕES: perspectivas para sustentabilidade das águas urbanas. Porto Alegre: Workshop Sobre Gestão Estratégica de Recursos Hídricos, 2006. MINGUET, Josep M.. Bioclimatic Architecture. Barcelona: Monsa, 2009. MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA (Org.). Parcerias estratégicas: Parcerias estratégicas é uma publicação do centro de estudos estratégicos do ministério da ciência e tecnologia.. Brasília, 2000.
  112. 112. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução INTRODUÇÃO NORIE (Org.). NORIE. Disponível em:INCENTIVO A INOVAÇÃO E <http://noriegec.cpgec.ufrgs.br/norie/sobre-onorie>. TECNOLOGIA Acesso em: 06 jun. 2012. OPEN BUILDINGS. Centre for Sustainable Energy Technologies, CSET,QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES Ningbo. Disponível em: <http://openbuildings.com/buildings/centre-for- sustainableenergy- ESTUDOS DE CASO technologies-cset-ningbo-profile-3818>. Acesso em: 19 jun. 2012. PANK, Will; GIRARDET, Herbert; COX, Greg. Tall Buildings and Sustainability: O PROJETO The Social Construction of Sustainable Technics. London: Corporation Of London, CONCLUSÃO 2002. PARQUES Tecnológicos no Brasil: Estudo, Análises e proposições. São Paulo: ABDI, 2008. PORTAL METALICA. O California Academy of Science: A construção mais ecosustentável do mundo. Disponível em: <http://www.metalica.com.br/california- academyof- sciences-a-construcao-mais-eco-sustentavel-do-mundo>. Acesso em: 18 abr. 2012.
  113. 113. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução INTRODUÇÃO RECYCLEWORKS GREEN BUILDING PROGRAM. SAN MATEOINCENTIVO A INOVAÇÃO E COUNTYWIDE GUIDE TECNOLOGIA SUSTAINABLE BUILDINGS. San Mateo, 2004. ROCHA, Bruno Massara. Arquitetura durável nas metrópoles: umaQUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES abordagem crítica da sustentabilidade nos projetos. Vitória: Departamento de ESTUDOS DE CASO Arquitetura e Urbanismo, Ufes, 2011. O PROJETO SANTOS, Myrthes Marcele Farias Dos et al. ANÁLISE DA APLICAÇÃO DA ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFICAÇÕES EM CONCLUSÃO EMPREENDIMENTOS HOTELEIROS. Revista Brasileira de Energia, Rio de Janeiro, n. , p.1-16, 01 set. 2010. Sexenian, Annalee. Regional Advantage: Culture and Competition in Silicon Valley and Route 128. Harvard University, 1996. STANFORD UNIVERSITY. Stanford Research Park. Disponível em: <http://porterdrive.stanford.edu/welcome/srp.html>. Acesso em: 17 mar. 2012.
  114. 114. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução INTRODUÇÃO STEINER, João E.; CASSIM, Marisa Barbar; ROBAZZI, Antônio Carlos.ParquesINCENTIVO A INOVAÇÃO E Tecnológicos: Ambientes de inovação. São Paulo: Instituto de Estudos TECNOLOGIA Avançados da Universidade de São Paulo, 2005.QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES US GREEN BUILDING COUNCIL. Sustainable Green Building Technical manual: Green Building Design, Construction, and Operations. ESTUDOS DE CASO Washington, 1996. USGBC (Org.). LEED 2009 for New constructions and major renovations. O PROJETO Washington, 2009. VENDRAMETO, Oduvaldo; FRACCARI, Pedro Luiz; BOTELHO, Wagner Costa. CONCLUSÃO A inovação tecnológica na construção civil e os aspectos humanos. Florianópolis: XXIV Encontro Nac. de Eng. de Produção, 2004. VILLASCHI, Arlindo; BARROS, Georgia Fernandes. O arranjo produtivo moveleiro em Linhares/ES. Linhares: Sebrae, 2004. WARBURTON, Peter; KOSTURA, Zak. Sustainable and Tall. Ctbuh Journal: Tall buildings: design, construction and operation, London, p. 18-22. jul. 2007
  115. 115. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIntrodução INTRODUÇÃO YUDELSON ASSOCIATES (Org.). European Green Building Technologies: AINCENTIVO A INOVAÇÃO E Reporton Research Conducted for The Mechanical Contracting Education and TECNOLOGIA Research Foundation. Tucson, 2008. ZAMBRANO, Letícia Maria de Araújo; BASTOS, Leopoldo Eurico Gonçalves.QUALIDADE AMBIENTAL NAS EDIFICAÇÕES ALTA QUALIDADE AMBIENTAL DE EDIFICAÇÕES: ANÁLISE MULTICRITÉRIO NO ESTUDOS DE CASO APOIO AO PROJETO E À AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO. Rio de Janeiro: O PROJETO Workshop Brasileiro de Gestão do Processo de Projeto Na Construção de Edifícios, 2004. CONCLUSÃO ZANETTINI, Siegbert. Ampliação do Cenpes II: Façades Brazil 2011. São Paulo: Aula Fau-usp, 2011. 60 p. ZEN, Aurora Carneiro. A articulação de desenvolvimento de Parques tecnológicos: O Caso do programa Porto Alegre Tecnopóle. 2005. 12 f. Seminário Latino- Iberoamericano de Gestión Tecnológica (Altec) - Departamento de Escola de Administração/ Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Salvador, 2005.

×