Your SlideShare is downloading. ×
Apresentação do modelo de AABE
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Apresentação do modelo de AABE

1,632
views

Published on

Published in: Technology, Travel

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,632
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1.
    • Bibliotecas Escolares
    • Auto-avaliação
    • Sessão para o Conselho Pedagógico
    • Leonor Pereira
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 2.
    • Introdução
    • Em 2009-2010, a construção de um edifício de raiz para o CRE, integrada nas obras de requalificação da nossa escola, coincide com a aplicação de um modelo de auto-avaliação da BE.
    • Pretende-se, com esta sessão de trabalho, apresentar o modelo proposto, clarificar os conceitos que lhe são inerentes e indicar as fases da sua aplicação.
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 3.
    • Desafios
    • As mudanças curriculares e tecnológicas dos últimos anos lançaram novos desafios às bibliotecas escolares.
    • Um dos desafios actuais é ultrapassar o modelo de biblioteca escolar centrado na oferta de um espaço equipado onde existe acesso a um conjunto de equipamentos e de recursos de informação.
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 4.
    • Missão e sucesso da BE
    • A ligação entre a biblioteca escolar, a escola e o sucesso educativo é hoje um facto assumido por Organizações e Associações Internacionais que a definem como núcleo de trabalho e aprendizagem ao serviço da escola.
    • Vários estudos internacionais têm identificado os factores que se podem considerar decisivos para o sucesso da missão da BE.
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 5.
    • Missão e Sucesso da BE
    • Factores de sucesso – destaque
    • Os níveis de colaboração entre o professor bibliotecário e os restantes docentes na identificação de recursos e no desenvolvimento de actividades conjuntas orientadas para o sucesso do aluno;
    • A acessibilidade e a qualidade dos serviços prestados;
    • A adequação da colecção e dos recursos tecnológicos.
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 6.
    • Funções do professor bibliotecário
    • (Portaria nº 756 /2009 Artigo 3.º)
    • 1 — Ao professor bibliotecário cabe, com apoio da equipa da biblioteca escolar, a gestão da biblioteca da escola não agrupada ou do conjunto das bibliotecas das escolas do agrupamento.
    • 2 — Sem prejuízo de outras tarefas a definir em regulamento interno, compete ao professor bibliotecário:
      • a) Assegurar serviço de biblioteca para todos os alunos do agrupamento ou da escola não agrupada;
      • b) Promover a articulação das actividades da biblioteca com os objectivos do projecto educativo, do projecto curricular do agrupamento/escola e dos projectos curriculares de turma;
      • (cont.)
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 7.
    • Funções do professor bibliotecário
    • (Portaria nº 756 /2009 Artigo 3.º)
    • (cont.)
      • c) Assegurar a gestão dos recursos humanos afectos à(s) biblioteca(s);
      • d) Garantir a organização do espaço e assegurar a gestão funcional e pedagógica dos recursos materiais afectos à biblioteca;
      • e) Definir e operacionalizar uma política de gestão dos recursos de informação, promovendo a sua integração nas práticas de professores e alunos;
    • f) Apoiar as actividades curriculares e favorecer o desenvolvimento dos hábitos e competências de leitura, da literacia da informação e das competências digitais, trabalhando colaborativamente com todas as estruturas do agrupamento ou escola não agrupada;
    • (cont.)
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 8.
    • Funções do professor bibliotecário
    • (Portaria nº 756 /2009 Artigo 3.º)
    • (cont.)
    • g) Apoiar actividades livres, extracurriculares e de enriquecimento curricular incluídas no plano de actividades ou projecto educativo do agrupamento ou da escola não agrupada;
    • h) Estabelecer redes de trabalho cooperativo, desenvolvendo projectos de parceria com entidades locais;
    • i ) Implementar processos de avaliação dos serviços e elaborar um relatório anual de auto -avaliação a remeter ao Gabinete Coordenador da Rede de Bibliotecas Escolares (GRBE);
    • j) Representar a biblioteca escolar no Conselho Pedagógico, nos termos do regulamento interno.
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 9.
    • Questões para apresentação e debate
    • O papel e as vantagens para a escola/agrupamento da auto-avaliação das BE
    • O modelo de AABE a implementar em 2009-2010 e durante os três anos lectivos seguintes
    • Os procedimentos
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 10.
    • Importância da auto-avaliação
    • Cada escola deve conhecer :
      • - o impacto que as actividades realizadas pela e com a BE vão tendo no processo de ensino e na aprendizagem dos alunos;
      • - o grau de eficiência e de eficácia dos serviços prestados e de satisfação dos utilizadores da BE.
    • Esta análise deve permitir:
      • determinar até que ponto a missão e os objectivos estabelecidos para a BE estão ou não a ser alcançados;
      • identificar práticas que têm sucesso e que deverão continuar;
      • - identificar pontos fracos que importa melhorar.
    • .
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 11.
    • Pretende-se avaliar a qualidade e eficácia da BE e não o desempenho individual do professor bibliotecário ou de elementos da equipa da biblioteca,
    • A auto-avaliação deve ser encarada como um processo pedagógico e regulador, inerente à gestão e procura de uma melhoria contínua da BE.
    • A escola deverá encarar este processo como uma necessidade própria pois de facto todos irão beneficiar com a análise e reflexão realizadas.
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 12.
    • O modelo de auto-avaliação da BE
    • O modelo aponta quatro domínios que são objecto de avaliação durante os próximos 4 anos.
    • Os domínios seleccionados representam as áreas essenciais para que a BE cumpra, de forma efectiva, os pressupostos e objectivos que suportam a sua acção no processo educativo.
    • Cada subdomínio apresenta indicadores.
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 13. O modelo de auto-avaliação da BE Os domínios A. Apoio ao desenvolvimento curricular B. Leitura e Literacia C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade D . Gestão da BE
  • 14. Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
    • Apoio ao desenvolvimento curricular
    • A.1. Articulação Curricular da BE com as Estruturas Pedagógicas e os Docentes
    Indicadores A.1.1. Cooperação da BE com os órgãos pedagógicos de gestão intermédia da escola/agrupamento A.1.2. Parceria da BE com os docentes responsáveis pelas novas áreas curriculares não disciplinares (NAC). A.1.3. Articulação da BE com os docentes responsáveis pelos Apoios Educativos . A.1.4. Integração da BE no Plano de Ocupação Plena dos Tempos Escolares A.1.5. Colaboração da BE com os docentes na concretização das actividades curriculares desenvolvidas no seu espaço ou tendo por base os seus recursos.
  • 15. Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
    • Apoio ao desenvolvimento curricular
    • A. 2. Promoção da Literacia da Informação
    Indicadores A.2.1. Organização de actividades de formação de utilizadores A.2.2. Promoção do ensino em contexto de competências de informação . A.2.3. Promoção das TIC e da Internet como ferramentas de acesso, produção e comunicação de informação e como recurso de aprendizagem. A.2.4. Impacto da BE nas competências tecnológicas e de informação dos alunos. A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida .
  • 16. Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE) B. Leitura e Literacia Indicadores B.1 Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura B.2 Trabalho articulado da BE com departamentos e docentes e com o exterior, no âmbito da leitura B.3 Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e das literacias.
  • 17. Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE) C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade C.1 Apoio a Actividades Livres, Extra-Curric. e de Enriquec. Curricular Indicadores C.1.1. Apoio à aquisição e desenvolvimento de métodos de trabalho e de estudo autónomos. C.1.2. Dinamização de actividades livres, de carácter lúdico e cultural. C.1.3. Apoio à utilização autónoma e voluntária da BE como espaço de lazer e livre fruição dos recursos C.1.4. Disponibilização de espaços, tempos e recursos para a iniciativa e intervenção livre dos alunos. C.1.5. Apoio às Actividades de Enriquecimento Curricular (AEC), conciliando-as com a utilização livre da BE.
  • 18. Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE) C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade C.2. Projectos e Parcerias Indicadores C.2.1 . Envolvimento da BE em projectos da respectiva Escola/Agrupamento ou desenvolvidos em parceria, a nível local ou mais amplo. C.2.2. Desenvolvimento de trabalho e serviços colaborativos com outras escolas, agrupamentos e BEs. C.2.3. Participação com outras Escolas /Agrupamentos e, eventualmente, com outras entidades (por ex. DRE, RBE, CFAE), em reuniões da BM/SABE ou outro Grupo de Trabalho a nível concelhio ou inter-concelhio C.2.4. Estímulo à participação e mobilização dos Pais/EE’s em torno da promoção da leitura e do desenvolvimento de competências das crianças e jovens que frequentam a escola C.2.5. Abertura da Biblioteca à Comunidade.
  • 19. Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE) D. Gestão da BE D.1. Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE Indicadores D.1.1. Integração da BE na Escola/ Agrupamento D.1.2. Valorização da BE pelos órgãos de gestão e de decisão pedagógica D . 1.3. Resposta da BE às necessidades da escola e dos utilizadores . D.1.4 . Avaliação da BE .
  • 20. Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE) D. Gestão da BE D.2. Condições humanas e materiais para prestação dos serviços Indicadores D.2.1 Liderança do/a professor/a coordenador/a. D.2.2. Adequação da equipa em número e qualificações às necessidades de funcionamento da BE e às solicitações da comunidade educativa. D.2.3. Adequação da BE em termos de espaço e de equipamento às necessidades da escola/ agrupamento. D.2.4. Resposta dos computadores e equipamentos tecnológicos ao trabalho e aos novos desafios da BE.
  • 21. Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE) D. Gestão da BE D.3. Gestão da Colecção/da Informação Indicadores D.3.1 Planeamento da colecção de acordo com a inventariação das necessidades curriculares e dos utilizadores . D.3.2 Adequação dos livros e de outros recursos de informação (no local e online) às necessidades curriculares e de informação dos utilizadores. D.3.3 Alargamento da colecção aos recursos digitais online. D.3.4. Uso da colecção pelos utilizadores D.3.5 Organização da informação. Informatização da colecção. D.3.6. Gestão Cooperativa da Colecção . D.3.7. Difusão da informação .
  • 22.
    • Para cada indicador, o modelo indica, nos seus quadros:
      • - factores críticos de sucesso como exemplos de acções
      • - instrumentos de recolha de evidências possíveis que irão suportar a avaliação.
      • exemplos de acções para a melhoria .
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 23.
    • Níveis de desempenho
    • A avaliação realizada vai articular-se, em cada domínio/subdomínio, com os perfis de desempenho que caracterizam o que se espera da BE, face à área analisada.
    • Os descritores apresentados retratam o padrão de execução da BE em cada um dos níveis. Pretende-se, com esses descritores, ajudar a identificar a situação em que a biblioteca se encontra e a verificar onde é necessário actuar para melhorar de nível.
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 24.
    • O envolvimento da escola/ agrupamento
    • O processo de auto-avaliação deve enquadrar-se no contexto da escola e ter em conta as diferentes estruturas com as quais é necessário interagir (direcção, professores, alunos…).
    • A escolha do domínio a avaliar deve assim partir do professor coordenador/ equipa, mas deve resultar de uma decisão fundamentada, por forma a poder ser validamente justificada junto dos órgãos executivos e de decisão pedagógica. Deve ser discutida com o órgão directivo e ser determinada pelas prioridades e restantes processos existentes na escola.
    • O sucesso da BE no cumprimento da sua missão pode ser, no entanto, afectado por inúmeras razões e circunstâncias
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 25.
    • Metodologia
    • Seleccionar o domínio : a escola/a biblioteca escolar deverá seleccionar em cada ano um dos domínios (A, B, C ou D) para a realização da auto-avaliação. Ao fim de quatro anos todos os domínios terão sido avaliados;
    • Recolher evidências : o domínio escolhido será objecto de uma análise que terá como instrumentos auxiliares os elementos assinalados para a recolha das evidências e/ou outros que sejam considerados relevantes em cada caso específico. (cont.)
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 26.
    • Identificar o perfil de desempenho : os resultados da análise efectuada serão depois confrontados com os perfis de desempenho apresentados para cada um dos domínios, no sentido de verificar em que nível se situará a biblioteca escolar.
    • Registar a auto-avaliação: os resultados da avaliação do domínio seleccionado são reportados no relatório de auto-avaliação.
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 27. Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE) Exemplo
  • 28. Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE) Níveis de desempenho - exemplo
  • 29. Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)
  • 30.
    • O Relatório de auto-avaliação deve ser discutido e aprovado em Conselho Pedagógico, bem como o plano de melhoria que vier a ser delineado.
    • A avaliação da BE deve estabelecer ligações com a avaliação da escola. Do relatório de avaliação da BE deve transitar uma síntese que venha a integrar o relatório da escola. A avaliação externa da escola pela Inspecção poderá, assim, avaliar o impacto da BE na escola, mencionando-a no relatório final de avaliação da escola.
    Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (MAABE)