Your SlideShare is downloading. ×
Dadaísmo e Surrealismo - 3ª A - 2011
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Dadaísmo e Surrealismo - 3ª A - 2011

3,133
views

Published on


0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
3,133
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
35
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Dadaísmo e Surrealismo E.E Profª Irene Dias Ribeiro
  • 2.  
  • 3. Dadaísmo
  • 4. Origem
    • Surgiu na Europa (cidade suíça de Zurique conservou-se neutra com relação à guerra).
    • no ano de 1916.
    • Derivação do nome:
    • Dadá (brinquedo, cavalo de pau). Daí, observa-se a falta de sentido e a quebra com o tradicional deste movimento.
  • 5. Período Histórico
    • Nasceu em meio à 1ª Grande Guerra, em Zurique, onde ainda se podia respirar os ares da paz.
    • Em 1916, foi fundado o Cabaret Voltarie , por Hugo Ball, e logo tornou-se local de reuniões de intelectuais e foragidos da guerra.
    • Tristan Tzara, o próprio Hugo Ball, Hans Harp, Marcel Janco e Huelsembeck tinham a intenção buscar uma liberdade de se exprimir, de agir; pregando e destruição do passado.
  • 6.
    • Foi na verdade um movimento pacifista, pois este desejo, esta ânsia de destruição, era motivado exatamente pela guerra, que gerou uma forte crise moral e política por toda a Europa.
    • O  Dadaísmo  representou, portanto, uma reação à sociedade decadente, sobretudo a alemã.
    • E um das maneiras que os  artistas  encontraram para mostrar seu descontentamento com a sociedade foi criando uma antiarte .
  • 7. Característica do Movimento
    • Ênfase no absurdo e nos temas e conteúdos sem lógica
    • A ruptura com as formas de arte tradicionais.
    • Forte conteúdo anárquico
    • Combate às formas de arte institucionalizadas;
    • Procuravam chocar um público mais ligado a valores tradicionais e libertar a imaginação via destruição das noções artísticas convencionais. Irreverência artística;
  • 8.
    • Objetos comuns do cotidiano são apresentados de uma nova forma e dentro de um contexto artístico;
    • Irreverência artística;
    • Crítica ao capitalismo e ao consumismo;
    • Uso de vários formatos de expressão na composição das obras de artes plásticas;
    • Forte caráter pessimista e irônico, principalmente com relação aos acontecimentos políticos do mundo.
  • 9. Literatura
    • Tinha tendências claramente anti-racionais e irônicas. Procurava chocar um público mais ligado a valores tradicionais e libertar a imaginação via destruição das noções artísticas convencionais.
  • 10.
    • Cópia fiel da realidade,
    • de características realistas
    • e naturalistas
    • ( herdadas da época
    • do Renascimento);
    • Tridimensionalidade
    • dando a sensação de volume.
  • 11.
    • Contrários à burguesia e ao  naturalismo , identificado como "a penetração psicológica dos motivos do burguês", buscavam a destruição da  arte acadêmica  e tinham grande admiração pela  arte abstrata .
  • 12. Surrealismo
  • 13.
    • Corrente artística moderna da representação do irracional e do subconsciente
    • Sem o freio do espírito crítico, o que vale é o impulso psíquico
    • Deixam o mundo real para penetrarem no irreal
    • Nele se propunha a restauração dos sentimentos humanos e do  instinto como ponto de partida para uma nova linguagem artística.
    • A fantasia, os estados de tristeza e melancolia exerceram grande atração sobre os surrealistas.
  • 14. Citações do Primeiro Manifesto Surrealista
    • Assinado por André Breton em outubro de 1924, marcou historicamente o nascimento do movimento.
    • Nele se propunha a restauração dos sentimentos humanos e do instinto como ponto de partida para uma nova linguagem artística.
    • “ A atitude realista é fruto da mediocridade, do ódio, e da presunção rasteira. É dela que nascem os livros que insultam a inteligência.”
  • 15.
    • “ A mente que mergulha no surrealismo revive, com exaltação, a melhor parte de sua infância.”
    • "Imaginação querida, o que sobretudo amo em ti é não perdoares.“
    • "Só o que me exalta ainda é a única palavra: liberdade. Eu a considero apropriada para manter, indefinidamente, o velho fanatismo humano."
  • 16. Joan Miró
    • A famosa magia de Miró se manifesta nessas telas de traços nítidos e formas sinceras na aparência, mas difíceis de serem elucidadas, embora se apresentem de forma amistosa ao observador.
  • 17.  
  • 18.  
  • 19. Principais artistas Dadaístas
    • Tristan Tzara 
    • Marcel Duchamp
    • Hugo Ball
    • Hans Arp
  • 20. Jean Hans Arp
  • 21. Jean Hans Arp
    • Nesse trabalho, as formas orgânicas compõem imagens dinâmicas que indicam ora aproximação, ora um afastamento mútuo, através do seu aparente deslocamento.   Transparece neles o interesse pelo estudo da forma e as suas possibilidades - relações espaciais do tipo: cheio/vazio, claro/escuro, dentro/fora, positivo/negativo.
    • FORMAS   EXPRESSIVAS, 1932   MADEIRA PINTADA (RELEVO);   84.9 x 70 X 3.0 cm  DOAÇÃO FRANCISCO MATARAZZO SOBRINHO
  • 22. Hugo Ball 
  • 23.
    • Hugo Ball  (Pirmasens, 22 d Fevereiro de 1886 — Montagnola, 19 de Setembro de1927) foi um poeta, escritor e filósofo alemão. Foi um dos principais artistas do Dadaísmo e escreveu o Manifesto Dadaísta, sendo considerado por muitos teóricos o inventor da   poesia fonética.
    • Poesia fonética  é uma forma de composição poética na qual os aspectos fonéticos da linguagem humana são priorizados em relação aos valores semânticos e sintáticos mais convencionais, podendo, inclusive, não usar palavras e tendendo a uma aproximação com a composição musical.
  • 24. Gadji beri bimba
    • gadji beri bimba glandridi laula lonni cadori gadjama gramma berida bimbala glandri galassassa laulitalomini gadji beri bin blassa glassala laula lonni cadorsu sassala bim gadjama tuffm i zimzalla binban gligla wowolimai bin beri ban o katalominai rhinozerossola hopsamen laulitalomini hoooo gadjama rhinozerossola hopsamen bluku terullala blaulala loooo
  • 25. A Noiva, Marcel Duchamp, Museu de Arte Moderna Filadélfia
  • 26.
    • Os  artistas  opõem-se à sociedade materialista, vista como fracassada por promover a guerra, e propõem ignorar o conhecimento até então acumulado pela humanidade.
  • 27. TRISTAN TZARA
  • 28.
    •   Principal artista articulador do dadaísmo Tristan Tzara, (cujo nome, atribuído a si próprio, significa “triste no país”), nasceu em 1896 na Romênia.
    •   Escreve no mesmo ano  A Primeira Aventura Celeste do Sr. Antipirina,  e termina em 1918, os  Vinte e Cinco Poemas .
    • Tzara proclamou a sua vontade de destruir a sociedade, os seus valores e a linguagem em obras como Coração de gás  em   1921,  A anticabeça  em 1923 e  O homem aproximativo  em 1931. 
  • 29.
    • Sua principal característica é a rebeldia da encenação. Os atores apresentam-se em espaços não convencionais e brincam com a platéia. Os textos são improvisados ou escritos com forte carga poética, algumas vezes sem lógica. 
    • O Coração a Gás , de Tristan Tzara, é considerada a peça mais importante do Dadá-Paris.
  • 30.
    • Eu estou só
    • “ Eu falo de quem fala de quem fala que estou só
    • Eu sou apenas um pequeno ruído eu tenho vários em mim.
    • Um ruído amassado gelado na intersecção das ruas
    • despejado no pavimento húmido aos pés dos homens
    • precipitados correndo com as suas mortes
    • À volta da morte que estende os seus braços
    • Sobre o relógio sozinho respirando ao sol.”
  • 31.
    • Conclusão