Amor de perdição - 2ª G - 2011

16,810 views
16,556 views

Published on

0 Comments
8 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
16,810
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
217
Comments
0
Likes
8
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Amor de perdição - 2ª G - 2011

  1. 1. E.E. Profa. Irene Dias Ribeiro Obra: Amor de Perdição Autor: Camilo Castelo Branco Alunos: Amanda Hellen Beatriz Cristina Carol Garcia Jessica Naiara 2ºG-2011
  2. 2. Biografia: <ul><li>Camilo Ferreira Botelho Castelo Branco ! </li></ul><ul><li>Amor de Perdição é uma das obra de Camilo Castelo Branco, que </li></ul><ul><li>Nasceu em Lisboa,16 de março de 1825,na freguesia de Mártires. </li></ul><ul><li>Á 14 de Abril de 1825,foi batizado na igreja dos . M Mártires. </li></ul><ul><li>. </li></ul><ul><li>Em 1836,Com á morte de sua </li></ul><ul><li>mãe(Jacinta Rosa do Espirito Santo Ferreira) </li></ul><ul><li>e depois de seu pai (Manuel Joaquim Botelho </li></ul><ul><li>Castelo Branco) e ele foi viver com </li></ul><ul><li>a tia em vila real. </li></ul>
  3. 3. E com 16 anos em 1841 Casa-se com Joaquina Pereira que ainda não completara quinze anos .mas logo abandona a mulher com uma filha .
  4. 4. . Em 1843 Camilo Castelo Branco estuda Medicina em Coimbra, mas abandonou curso e foi para Coimbra em 1845 onde entrou para o curso de direito. E em 1846 voltando a Vila Real rapta Patrícia Emília e foge com ela para o porto. Abandona - a logo em seguida .
  5. 5. <ul><li>1850 -uma crise religiosa levam a ingressar no seminário Episcopal do porto . 1851 -pública sua primeira novela Anátema. 1852 -desiste de sua intenção de ser ordenar. 1857 -Apaixona-se por Ana Plácido , casada com pinheiro Alves. 1858 -É admitido como membro da academia real da ciências . 1859 -Ana Plácido vai viver com Camilo abandonando seu marido ,que a processa por adultério. 1861 -Camilo e Ana Plácido são absolvidos e passam a viver juntos. 1862 -Pública Amor De Perdição , que lhe dá grande popularidade . Morre Pinheiro Alves ,deixando á viúva uma quinta em São Miguel de Seide . 1864 -Camilo e Ana Plácido ,mudam-se para são Miguel . 1885 -Morre Ana Plácido , á 20 de setembro . 1890 -Suicida-se com um tiro na cabeça no dia 1 de junho em São Miguel de Seide . </li></ul>
  6. 6. Amor de perdição Escrito em apenas 15 dias em 1862 um dos expoentes do Romantismo em Portugal , que assume como uma espécie de ‘’Romeu e Julieta’’ Dois jovens que lutam por ... Um amor impossível ... ...um amor de perdição ...
  7. 7. Personagens <ul><li>Simão Botelho </li></ul><ul><li>Teresa de Albuquerque </li></ul><ul><li>Mariana </li></ul><ul><li>Domingos Botelho </li></ul><ul><li>Manuel Botelho </li></ul><ul><li>Baltasar Coutinho   </li></ul><ul><li>Tadeu de albuquerque </li></ul><ul><li>D. Rita </li></ul><ul><li>João da Cruz </li></ul>
  8. 8. ENREDO O livro amor e perdição conta a história de 3 jovens que sofrem paixões impossíveis que acabam levando os 3 a perdição . Simão Botelho, filho de Domingos Botelho e D. Rita, estuda em Coimbra Simão muda seu comportamento quando se apaixona por Teresa de Albuquerque, vizinha da casa de seus pais. O amor entre eles é impossível, pois suas famílias são inimigas . O relacionamento entre Simão e Teresa se dá através de cartas, à distância . Fazem a intermediação das cartas uma mendiga e a moça Mariana, filha do amigo e protetor de Simão, João da Cruz. Mariana, apesar de apaixonada por Simão, presta-se ao papel de intermediária para o rapaz não sofrer . Mariana contenta-se apenas com a presença de Simão . O pai de Teresa, Tadeu de Albuquerque, quer casá-la com seu sobrinho Baltasar Coutinho. A moça se recusa ao casamento e é mandada para o convento . Teresa é colocado no convento de Viseu, por influência de Baltasar Coutinho. Quando a moça vai ser transferida para o convento de Monchique , no Porto, Simão vai ao encontro dela. Simão acaba matando Baltasar Coutinho e entregando-se à prisão . Simão é condenado à forca . Mariana, tão logo sai a sentença, sofre de um ataque de loucura . Amigos, conhecidos, familiares e sobretudo sua mãe, Rita, pressionam seu pai a interceder em seu favor, mas Domingos Botelho, residindo afastado da família, resiste a fazê-lo. Até que um tio o coloca contra a parede. Domingos Botelho age, movido também pelo prazer em se mostrar mais influente que Tadeu de Albuquerque. Consegue assim a comutação da pena do filho para um degredo de dez anos na Índia
  9. 9. Mariana, filha de João da Cruz, é quem cuida do rapaz e dos ferimentos, apaixonada por ele, vai para o Porto para acompanhá-lo . João da Cruz é assassinado por um crime que cometeu antigamente . Teresa que está no convento gravemente doente despede-se com um lenço branco do navio que parte levando Simão e morre em seguida. Simão fica muito doente e morre quatro dias depois. Mariana ao vê o corpo de seu amado sendo atirado ao mar atira-se ao mar junto ao corpo de Simão.
  10. 10. Espaço e tempo A narração desenvolve-se em vários espaços -Vila Real, Coimbra, Lisboa, Lamego Viseu — referidos no Capitulo . I  e que referenciam acontecimentos passados com a família de Simão Botelho .No entanto, a ação central salta de Coimbra (onde Simão estudava) para Viseu (onde se situam as casas de Simão, de Teresa e de João da Cruz), para o Porto (cela da prisão de Simão e cela do convento de Monchique) e finalmente para o beliche do navio que parte para a índia, levando Simão. Há, assim, uma redução do espaço físico, à medida que a ação se aproxima do fim, mas o lançamento do cadáver ao mar é como que o retorno aos grandes espaços, à imensidão sem limite que o amor de Simão exigia. Também com Teresa há a mesma redução do espaço físico: de Viseu (casa do pai)para a cela do convento de Viseu e depois para a cela do convento de Monchique , e depois, também, o grande espaço , a eternidade . O TEMPO  : da história é cronológico , linear; os acontecimentos sucedem-se de acordo com o calendário. Assim, a história inicia- se em 1779 (ano do casamento dos pais de Simão) e vai terminar em 1807, mais precisamente no dia 27 de Março (morte de Simão). Há ,no entanto, um retrocesso quando se narram os acontecimentos da família de Simão .
  11. 11. Foco Narrativo Do ponto de vista do foco narrativo, ou da postura do narrador perante a história, os elementos realistas de  Amor de Perdição  estão na critica às instituições religiosas, os conventos, e no comportamento não-passional de alguns personagens secundários, como João da Cruz, É possível perceber estes elementos nas passagens da obra em que o narrador denuncia a corrupção do convento de Viveu e enfatiza a lealdade, o senso prático, a sensatez de João da Cruz, relativizando assim a passionalidade predominante no romance. Escrita em terceira pessoa, esta obra caracteriza-se por um narrador onisciente, isto é, um narrador que desvenda o universo interior dos personagens, sabendo mais do que eles próprios, o que lhes passa pela mente e pelo coração. O tipo de onisciência deste narrador pode ser classificado como onisciência intrusa, na medida em que ele não só revela mas também comenta os sentimentos e comportamentos dos personagens, deixando claro o seu ponto de vista a favor dos que amam e contra os que impedem a realização do amor O episódio mais representativo do romance, no sentido de provocar lágrimas nos leitores românticos e risos nos leitores realistas, ocorre no seu desfecho, quando o tema da ‘morte por amor” atinge o clímax: Teresa morre no convento, ao sentir irreversível a perda de Simão, o qual, por sua vez, é tomado de uma febre fatal, no navio que o levaria pura longe da amada, quando fica sabendo de sua morte. Já Mariana, apaixonada por Simão, atira-se ao mar agarrada ao seu corpo.
  12. 12. Verossimilhança Camilo opunha-se ao romance realista , julgando-o imoral . Criticava-o por retratar pessoas fúteis ou que premeditam crimes que desorganizam famílias :padres que rompem o celibato e alterações sexuais . O escritor rejeitava esses temas em favor da apologia do sentimento.
  13. 13. Movimento Literário <ul><li>Em Amor de Perdição encontramos o traço principal da novelística passional de Camilo : a concepção do amor como uma </li></ul><ul><li>espécie de destino , de fatalidade , que domina e orienta e define a vida (e a ,morte )das personagens principais . Marcado pela transcendência , esse amor trará consigo sempre um equivalente de sofrimento e de infelicidade :ou porque a paixão se choca frontalmente com as necessidades do mundo social , ou porque significa em ultima analise um desejo luciferino de recuperar o paraíso na terra . </li></ul>
  14. 14. Conclusão As personagens do Romantismo vivem em conflito com a sociedade, que impõe limites à realização de seus desejos. No caso de Amor de Perdição, o obstáculo a ser superado é a família, tanto da de Teresa quanto a de Simão. As personagens do Realismo vivem em contradição consigo mesmas e com a sua visão do mundo.   Camilo castelo Branco escreveu o romance Amor de Perdição nos seus quinze dias mais atormentados de sua vida em que passou na cadeia do porto quando foi preso acusado de adultério , o romance baseia-se na história triste passado na mocidade de seu tio paterno Simão Antônio Botelho.
  15. 15. Um Amor de Perdição...
  16. 16. B Bibliografia <ul><li>Livro amor de perdição </li></ul><ul><li>http :// www.youtube.com/watch?v=6YBvrUYyCiU&feature=related </li></ul><ul><li>http:// www.slideshare.net/lermaisemelhor/roteiro-presentation?src=related_normal&rel=2332307 </li></ul><ul><li>http:// www.slideshare.net/HermanLi/amor-de-perdio-2-a-2011-7986762 </li></ul><ul><li>http:// www.passeiweb.com/na_ponta_lingua/livros/analises_completas/a/amor_de_perdicao </li></ul><ul><li>http://apostilas.netsaber.com.br/apostilas/1601.pdf </li></ul>

×