Jornal das CEBs mês agosto 2012
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Jornal das CEBs mês agosto 2012

on

  • 5,124 views

Jornal das CEBs mês agosto 2012

Jornal das CEBs mês agosto 2012

Statistics

Views

Total Views
5,124
Views on SlideShare
1,008
Embed Views
4,116

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

13 Embeds 4,116

http://tremdascebs.blogspot.com.br 3737
http://tremdascebs.blogspot.com 265
http://tremdascebs.blogspot.pt 51
http://tremdascebs.blogspot.mx 16
http://tremdascebs.blogspot.com.ar 12
http://www.tremdascebs.blogspot.com.br 12
http://tremdascebs.blogspot.com.es 7
http://tremdascebs.blogspot.ch 6
http://tremdascebs.blogspot.ca 4
http://tremdascebs.blogspot.de 2
http://tremdascebs.blogspot.fr 2
http://tremdascebs.blogspot.co.uk 1
http://tremdascebs.blogspot.jp 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Jornal das CEBs mês agosto 2012 Document Transcript

  • 1. CEBs - Informação e Formação para animadores 1 Lá vem o Trem das CEBs... FORMAÇÃO E INFORMAÇÃO PARA ANIMADORES Diocese de São José dos Campos - SP - Informativo das CEBs - Ano VIII - Agosto de 2012 - Nº 81 Vocação é convite pessoal que Deus dirige a cada um. Cada ser humano tem algo de pessoal, e uma maneira pessoal de realizá-lo. Ao descobrir sua vocação, o homem está descobrindo a si mesmo. Daí a necessidade de permanecer atento a tudo, para perceber sua própria vocação. Por isso, como Igreja, neste mês de agosto, elevemos nossos votos à todas as Vocações, rezemos pelos Ministros Ordenados, pelos Religiosos, pelos Consagrados, pelos Leigos e por todos que vivem com intensidade esta dádiva confiada por Deus aos homens – a VOCAÇÃO.2 Palavra do Assessor LEIA + NA PÁGINA 2 3 Eleições 2012 LEIA + NA PÁGINA 3 4 Dia do Sacerdote LEIA + NA PÁGINA 4 5 II Paulistão LEIA + NA PÁGINA 5 6 Reflexão: A Morte da Igreja LEIA + NA PÁGINA 6 8 Aconteceu LEIA + NA PÁGINA 7
  • 2. 2 CEBs - Informação e Formação para animadoresPALAVRA DO ASSESSOR Foto: Bernadete Mota Vocação: Chamados para Amar Mídias Sociais Olá queridos amigos e amigas Deus não quer agir sozinho. Por isso, A vida não é feita só de momen-das Comunidades Eclesiais de Base. quando Deus chama, Ele chama para pe- tos claros, nos quais se percebe per- Antes de qualquer reflexão, é dir alguma coisa, confiar alguma missão. feitamente a vontade de Deus. Mui-necessário que saibamos o que sig- O chamado de Deus é sempre um tas vezes é necessário seguir pornifica a palavra vocação. A palavra desafio. Podemos dizer que, vocação é caminhos escuros e até incomunsvocação vem do latim “vocare” que a oferta divina que exige uma respos- na busca dessa vontade. Muitos de-significa chamado. Todos nós somos ta e um compromisso com Deus. Essa vem lutar duramente para desco- Baixe os hinos e cânti-chamados, de uma forma ou de ou- resposta deve ser constantemente re- brir, alimentar e seguir sua vocação. cos dos encontros, notra a fazer algo, ou alguma coisa. A Palavra de Deus não dispensa Blog das CEBs: Antigamente este termo signifi- ninguém de pensar, de buscar, de to- http://tremdascebs.blogspot.com/cava qualquer espécie de aptidão. mar decisões. E neste sentido, nossaPor exemplo: aptidão para medicina, primeira decisão é não ter medo demúsica, artes, etc.. Depois ele foi ad- Amar, é atirar-se nos braços de Deus.quirindo um significado religioso pas- Vocação é convite pessoal que Siga-nos no Twitter:sando a designar o chamado de Deus. Deus dirige a cada um. Cada ser hu- https://twitter.com/tremdascebs Primeiramente Deus nos cha- mano tem algo de pessoal, e umama a partir do Amor para Amar. Pois maneira pessoal de realizá-lo. Ao des-aquele que se encontra em Deus cobrir sua vocação, o homem estáestá totalmente aberto para viver descobrindo a si mesmo. Daí a neces-em plenitude o Amor. O Amor exige sidade de permanecer atento a tudo, Assista aos videos dos principais acontecimen-de cada um de nós renúncias e res- para perceber sua própria vocação. tos das CEBs, dos encontros de comunidadespostas, que nos colocam diante da- Por isso, como Igreja, neste mês nas paróquias, das Regiões Pastorais...quele que nos chama à Vida – DEUS. de agosto, elevemos nossos votos http://www.youtube.com/user/bernadetecebs Vocação sempre indica um cha- à todas as Vocações, rezemos pelosmado. E quem chama sempre deseja Ministros Ordenados, pelos Religio-alguma resposta da pessoa a quem sos, pelos Consagrados, pelos Lei-chama. Deus não age de forma dife- assumida. É no dia-a-dia que se deve ir gos e por todos que vivem com in-rente. Só que, ao chamar, Deus, antes fazendo caminho e assumindo os riscos tensidade esta dádiva confiada por http://www.facebook.com/profile.de pedir Ele dá. Deus chamando o ho- do nosso sim, sem ter medo de Amar. Deus aos homens – a VOCAÇÃO. php?id=100001269450280mem lhe dá a vida, a existência, e com Vocação é a descoberta do próprio ser Um abraço e minha bênção aa vida, dá-lhe também a liberdade. pessoal. Todo homem é chamado a desen- todo o povo de Deus que faz parte Depois de ter chamado o homem volver e aperfeiçoar a bondade que existe das Comunidades Eclesiais de Base.para a vida, Deus torna a chamá-lo, ainda em germe, em seu interior, a desco-porque há muitas coisas que Deus de- brir a sua vocação, a construir um mundo Pe. Fabiano Kleber Álbuns de fotos:seja fazer no mundo através do homem. fraterno onde haja sol e vida para todos. Cavalcante do Amaral. http://picasaweb.google.com/ CEBsMaria Fotos: Bernadete Mota
  • 3. CEBs - Informação e Formação para animadores 3formação ELEGER PARA QUÊ? Parte VI adores elegem a Mesa Diretora e com- tes, como os que foram tratados nestes cidadania, sem restrição a crenças reli- Desde Fevereiro viemos refletindo põem as Comissões Permanentes - ór- boletins mensais. Um desses debates foi giosas nem ideário político. Mas o gruposobre a participação cidadã nas políti- gãos técnicos constituídos por no mínimo justamente sobre o acompanhamento do enquanto tal não pode ter vinculaçãocas públicas. Essa participação tem seu três membros. Elas devem emitir parecer Poder Legislativo desde a base municipal. com qualquer partido político.ponto mais visível no processo eleitoral, sobre assunto de sua competência espe- A idéia veio de Chico Whitaker, que foi ve- Sua atuação assume formas bem di-quando a população toda escolhe quem cífica, realizar investigações e representar reador em São Paulo. Sua experiência o versas, conforme a realidade municipal.em nome dela vai definir, gerir e fiscalizar a Câmara. Cada município cria Comissões levou a concluir que só é possível acabar Em geral, procura enviar seus membrosas políticas públicas, mas de modo ne- conforme a realidade local, mas duas não com a corrupção se os políticos de condu- para ouvirem os discursos e observaremnhum termina no dia da eleição. podem faltar: a de Justiça (para analisar ta ética receberem apoio externo, porque o comportamento dos parlamentares nas No boletim de Maio, ao falarmos so- a fundamentação legal dos projetos de o Poder Legislativo não se muda apenas sessões da Câmara. Também envia cartasbre a divisão dos Poderes como um dos lei) e a de Finanças (para fiscalizar e emi- por iniciativa interna de seus membros. aos vereadores cobrando uma posturapilares da democracia, dissemos que em tir parecer sobre as contas do Executivo). Em resposta a esse desafio, surgiram ética e, quando é o caso, o voto em fa-geral o povo espera do Executivo mais vor de projetos que beneficiem a popu-do que ele pode fazer, mas desconhece a lação. Nos municípios onde atua o GALimportância do Legislativo. Essa concep- logo começa a ser sentida a diferença nosção é prejudicial à democracia porque a trabalhos da Câmara. Pelo lado interno,participação da sociedade junto ao Poder porque recebe o apoio de parlamentaresLegislativo é indispensável no combate à éticos, que também combatem a corrup-corrupção. E essa participação deve co- ção e o clientelismo; pelo lado externo,meçar desde a sua base, isto é, nas câma- porque ajuda os movimentos sociais lo-ras municipais. cais a trazerem para a Câmara suas rei- Sabemos que a autonomia política do vindicações. Enfim, o GAL tem desempe-Município significa, entre outras coisas, nhado com êxito uma função educativa,que Prefeito, Vice-Prefeito e Vereadores fazendo desenvolver-se uma nova cons-são eleitos pelo voto secreto e direto dos ciência política.cidadãos e cidadãs daquele município. Concluindo. Ficar parado, lamentan-Mas pouca gente sabe o que fazem os ve- do o que há de errado na política, nãoreadores e vereadoras depois de empossa- leva a nada. Alhear-se da política é fazerdos. Para esclarecer esse assunto, vejamos Em municípios grandes são frequentes em diversos municípios Grupos de Acom- de conta que não se vê o que está no nos-qual é seu trabalho na Câmara Municipal e também as Comissões de Educação, Saú- panhamento ao Legislativo - GAL. Seu ob- so dia-a-dia.como podemos acompanhá-lo. de, Obras, Administração Pública, Defesa jetivo é fiscalizar de forma permanente a Se desejamos para as futuras gera- do Consumidor, Meio-Ambiente e Direi- atuação dos vereadores na Câmara Muni- ções um mundo mais justo, pacífico e FUNÇÕES DO LEGISLATIVO tos Humanos. cipal. O GAL respalda sua legitimidade no equilibrado, não podemos nos tranquili- Além de participarem das sessões próprio significado da democracia repre- zar porque a cada dois anos cumprimos A Câmara Municipal representa o Po- plenárias, os vereadores e vereadoras sentativa: se os vereadores são represen- o dever de votar, mas devemos desdeder Legislativo em âmbito local, tendo devem participar de pelo menos uma tantes do povo porque foram eleitos pelo agora fazer política. Seja participando daas funções de legislar e fiscalizar o Poder Comissão permanente. Ou seja, se es- voto popular, é direito do povo acompa- campanha eleitoral para eleger o candi-Executivo. Por isso, os vereadores podem tiverem dispostos a trabalhar, a Câmara nhar o que fazem seus representantes. dato ou candidata em quem confiamos,regulamentar o trabalho dos servidores Municipal abrirá um grande leque de ati- Assim, é em nome dos eleitores que atua seja participando de um Grupo de Acom-municipais (mas não dos trabalhadores vidades possíveis. Mas, se não quiserem o GAL. Veja como cabem aqui as palavras panhamento ao Legislativo.da iniciativa privada, que é de compe- cumprir seu mandato com responsabili- de Jesus a Nicodemos:tência federal); podem estabelecer as dade, o que a população poderá fazer? O primeiro passo para isso é refletir:normas para loteamentos e construções, Quem fiscaliza os vereadores para saber ”Quem pratica o mal, tem ódio da •Você já assistiu alguma sessão nadesde que não contrariem disposições se eles estão mesmo trabalhando em fa- Luz, e não se aproxima da luz, para que Câmara de Vereadores do seu municí-das leis maiores. Já sua função fiscaliza- vor da população? suas ações não sejam desmascaradas. pio? Pensa que, se houvesse membrosdora é exercida quando votam o orça- Mas, quem age conforme a verdade, se do GAL observando a sessão ela seriamento municipal, examinam e julgam ACOMPANHAMENTO DO aproxima da luz, para que suas ações se- mais proveitosa para o povo?as contas apresentadas pelo prefeito e PODER LEGISLATIVO jam vistas, porque são feitas como Deus Então, conclua você mesmo o queacompanham a execução orçamentária. quer.” (Jo 3, 20-21) deve fazer.Os vereadores têm também a incumbên- Em 1996 a Campanha da Fraternidadecia de auto-administrar a Câmara. teve como tema “Fraternidade e Política”, O GAL está aberto à participação de Fonte: Escola de Fé e Politica - CEFEP Para realizar essas funções, os vere- tendo suscitado muitas reflexões e deba- qualquer pessoa que queira exercer a sua
  • 4. 4 CEBs - Informação e Formação para animadores Foto: Divulgação Mártir Dom Enrique Angelelli, testemunha da causa dos pobres! Enrique Angelelli Ángel, filho de ita- O Governador retirou o seu apoio à coo- Em 4 de agosto de 1976, dirigindo sua um pneu estourou; Angelelli foi ditolianos, nasceu em Córdoba, na Argen- perativa, com base em “agitação social”. caminhonete, com o Pe. Pinto Arturo vol- ter sido morto quando o caminhão “ro-tina, em 17 de junho de 1923. Aos 15 Angelelli denunciou grupos conservado- tava de uma missa celebrada em home- dou” várias vezes. O Juiz Rodolfo Vigoanos de idade, entrou no seminário, res, cancelou as celebrações religiosas na nagem a dois padres assassinados, car- aceitou o relatório. Dias depois, o pro-anos depois foi enviado para Roma para diocese, e declarou temporária interdição regando com ele, três pastas com notas motor Martha Guzmán encerra o caso,concluir seus estudos e ordenado sacer- ao longo dos Menems e seus apoiadores. sobre os casos. Foram seguidos por um chamando-lhe “um evento de trânsito”.dote em 9 de Outubro de 1949 . Volta Nos tempos da ditadura brasileira, a carro que logo lhes ultrapassou, gerando A versão de morte “acidental” pela dita-para Córdoba. Em 1964, assumiu como maioria dos bispos um capotamento, foi dura militar sempre teve pouca susten-bispo de La Rioja, na Argentina e, em sua ficou ao lado do o que lembrava Pe. tação, poucos se atreveram a questioná-primeira mensagem, afirmou: “não ve- Povo, defendendo- Pinto, que após ficar -la em público. Nem a Igreja conduzidanho para ser servido, mas sim para ser- -o da perseguição inconsciente por um por prelados afins ao regime ditatorial,vir. Servir a todos, sem distinção alguma, militar, produzindo tempo, viu Angelelli levantou a sua voz para denunciar o que,nem de classes sociais, nem de modos documentos contra morto na estrada. A para muitos, foi claramente o assassi-de pensar ou crer. Como Jesus, quero ser a ditadura, e se em- área foi cercada por nato do “bispo dos pobres”, a quem osservidor dos nossos irmãos, os pobres”. penhando a fundo policiais e militares. militares haviam sentenciado à morte. Incentivou a criação de sindicatos de na opção pelos po- O corpo levado para Dom Angelelli bispo e profeta, foimineiros, trabalhadores rurais e domés- bres e pela pastoral a cidade de La Rioja. reconhecido como “mártir” pelo povoticos, e cooperativas para a fabricação capilar das CEBs, no Na autópsia revelou cristão, dizia: “No coração do bispo ede pão, tricô, tijolos, caixas de relógios, espírito do Vaticano costelas quebradas do padre as alegrias e dores do povoe reivindicou terras ociosas. Uma des- II, de Medellin e de e fratura no osso devem encontrar guarida, minha vidasas cooperativas pediu a desapropriação Puebla. Porém, os occipital, de acor- foi como um riacho... Anunciar o Ale-de uma propriedade, que tinha crescido bispos argentinos, do com um golpe luia aos pobres e aliviar-se no interior.através da apropriação de propriedades na sua maioria, dei- dado com um obje- Cantos partilhados com o povo e silen-menores que seus donos não podiam xaram os generais e to pontiagudo. Os ciosos encontros contigo, Senhor...”pagar suas dívidas. O Governador Car- seus comandados, freios do caminhãolos Menem prometeu que iria entre- assassinar, torturar e volante estavam Fontes:gar a propriedade para a cooperativa. e fazer desaparecer intactos, e não ha- http://en.wikipedia.org/wiki/Enrique_Angelelli Em 13 de Junho de 1973, foi à cida- milhares de pessoas. E davam a comu- via marcas de bala. A pasta com a do- http://www.pagina12.com.ar/diario/de onde nasceu Menem, para presidir as nhão aos generais, tidos como salvadores cumentação apareceu dias depois no elpais/1-70720-2006-07-30.htmlfestas patronais. Foi recebido por comer- da pátria argentina contra o comunismo. escritório do general Albano Harguinde-ciantes e fazendeiros, entre eles Amado As exceções foram Dom Angelelli e Dom guy, ministro do Interior. Essa documen- Fábio Zan de CamposMenem, irmão do governador, e seus Jerônimo Podestà, bispo de Avellaneda. tação nunca foi incorporada ao processo. Psicólogo Clínicofilhos. A multidão entrou na igreja pela Angelelli sabia que estava sendo O relatório policial afirmou que Pe. Membro da Irmandade dosforça, e quando Angelelli suspendeu as alvo de assassinato pelos militares e, Pinto estava dirigindo, perdeu o contro- Mártires da Caminhada - Paróquiacelebrações, jogaram pedras contra ele. ele dizia: “É o meu próximo turno!” le do veículo, e ao voltar para a estrada São José Operário – Jacareí Dia 04 de Agosto Dia do Sacerdote – Dia de São João Maria Vianney Foto: Pascom Paróquia São Judas Pensar no Sacerdote é pensar em também com que esse amor seduza o co- Quão sublime é oalguém frágil, pecador, carregado de ração dos filhos de Deus e nossos irmãos. vosso caminho, a vossamuitos defeitos e limitações, e que É esquecer-se de si, transformar os fé; quão grandioso é oum dia escolheu seguir a Cristo e en- espinhos em flores; as dores e o can- vosso coração e aben-tregou-se em seus braços, para a sal- saço em: alegria, fé e otimismo; as pe- çoada seja a vossa vida!vação das almas deste mundo e para dras em degraus para subir até Deus. “Benditas as mãos, queser pai de todos os que necessitam. Ser padre é ser servo do Deus oni- trazem meu Senhor a terra” Ser Sacerdote é ser sinal do Cristo res- potente, é deixar transparecer no ros-suscitado presente em nossas vidas, é ser to o brilho de Jesus. É ter no coração as Homenagem daLuz do mundo e Sal da terra é deixar-se chagas do seu amor sagrado que diz: Equipe de Comunicaçãoseduzir todos os dias e em momentos da Vinde a mim vós todos que estais can- Diocesana da CEBsvida pelo amor infinito de Cristo, fazendo sados sob o fardo que eu vos aliviarei.
  • 5. CEBs - Informação e Formação para animadores 5 Fotos: Bernadete Mota II Paulistão - CEBs: a vida na cidade em busca da sociedade do Bem Viver e Bem Conviver As CEBs do Estado de São Paulo, es- do Bem Viver e Conviver, foi muito bem O momento orante, a partilha das ex- O nosso abraço ao Pe. Felix Manoeltiveram reunidas no dia 30 de junho em desenvolvido pelos assessores Rafael, do periências dos Sub-Regionais a celebra- dos Santos, pelo empenho de fazer acon-Sto.André, no Ginásio Pedro Dell’Antonia CEBI e a pastora Nanci da Igreja. Metodis- ção Eucarística presidida por Dom José tecer, a Dom José, pelo carinho e parti-, para o II Paulistão. Lideranças de todo o ta, prendendo a atenção para a importân- Luiz Bertanha bispo assessor e concele- cipação e ao Pe. Fabiano e seminaristaEstado representando os Sub Regionais, cia que representa este tema. Pudemos brada por diversos padres foi o centro Jairo Augusto dos Santos (Guto) e demaistotalizando 1314 companheiros e com- perceber que as Comunidades Eclesiais de nosso encontro, momento de agra- companheiros e companheiras de via-panheiras, sendo 83 pessoas de nossa de Base continuam fieis na sua caminha- decermos ao Senhor da Vida , para que gem a nossa alegria por fazermos partediocese marcaram presença neste en- da, comprometidas com a autenticidade nos motive e que ao regressarmos nos desta grande comunidade diocesana.contro trazendo na bagagem a realidade, da prática evangélica. É o nosso desa- leve a multiplicar junto as nossas comu- A solidariedade consiste primariamen-o anseio e a esperança de suas comuni- fio para superarmos o individualismo nidades o que ali foi refletido. Foi um te em que todos se sintam responsáveisdades. Dom Nelson Westrupp acolheu e , exercendo a prática conjunta do bem momento de convivência fraterna, troca por todos (Enc.Caridade na Verdade-v.38)deu as boas vindas para que todos tives- comum, para que todos tenham mais de experiências, descontração e opor- Um abraço fraternalsem um bom encontro. O tema: “CEBs: A vida e vida em abundância, superando tunidade de rever os amigos, saber das Luiz Marinhovida na cidade, em busca da sociedade as desigualdades que aí estão presentes. novidades e colocar a conversa em dia. Animador - Paróquia Coração de Jesus
  • 6. 6 CEBs - Informação e Formação para animadores Foto: Bernadete Mota V AVISO 2012 - Avivamento Sócio Politico Pelo 5º ano consecutivo realizou- mística que nos impulsiona a continuar -se em nossa Diocese o Avivamento na busca de um outro mundo possível, Sócio-Político entre os dias 29 de junho pois a luta necessária para essa conquis- e 1º de julho de 2.012. Com o objetivo ta, vem acompanhada muitas vezes, do de alcançar um aprofundamento es- sentimento de que seja uma luta sem fim piritual acerca da relação fé e política. e que o desânimo e a desilusão sejam Este ano a assessoria ficou a cargo do constantemente percebidos ao longo da Professor Clóvis José Migotto da Escola caminhada. Ao propor a parada de nos- de Política e Cidadania de nossa Dioce- sas atividades, queremos conjuntamente se, além de exercer esta mesma ativida- alimentar o nosso interior e confirmar a de na Faculdade Dehoniana de Tauba- aliança em prol da causa e em defesa dos té e ser professor na rede estadual de desfavorecidos, pela busca incansável da ensino, Clóvis é filósofo e Pós-Graduado dignidade da pessoa humana, em defesa em Sociologia. Sua assessoria buscou da vida de modo integral, com respeito às provocar os presentes, com perguntas diferenças, tendo a certeza de que assim, que nos interpelam, fazendo com que estaremos seguindo a missão que o pró- toda a reflexão ficasse pautada nas prio Cristo nos deixou a de estar evangeli- o que fazer, principalmente nessa área çaram, porém agora é hora de lançar provocações acerca do sentido real da zando o mundo no qual estamos inseridos. político-social, onde a tendência é de as sementes em terra fértil para que pertença ao projeto do Reino de Deus. Ao final do Retiro celebrou-se a ce- se manter a distância, o que torna nos- cresça e dê bons frutos de cem por um. A ideia do AVISO surgiu da neces- rimônia do envio, no sentido de se co- sa presença cada vez mais necessária, sidade de um aprofundamento maior locar em prática os compromissos as- continuando a missão a nós confiada. Luiz Henrique Ferfoglia Honório da espiritualidade e na alimentação da sumidos, sabendo que há ainda muito Os preparativos para o VI já come- Coord. da Escola de Política da Diocese Foto: Divulgaçãoreflexão A Morte da Igreja Reflexão para nossa vida de serviço na igreja Um padre muito experiente foi nome- No dia marcado a Igreja lotou, todos bem no centro do templo, um enorme inclinava para olhar o seu interior via suaado Pároco de uma Igreja no interior. Lá estavam curiosos para presenciar o que caixão de defunto. O povo cantou e re- imagem refletida e percebia que o defun-chegando, percebeu que sua missão de seria o enterro da Igreja. zou como nunca e no final da missa, an- to era quem estivesse olhando.evangelizar seria difícil, pois aquele povo O padre preparou tudo direitinho; tes de levar o caixão para o cemitério, o Foi assim que aquela cidade compre-não queria nada com a Igreja. padre convidou um a um os endeu que a igreja é o povo, não partici- O padre convidava para a missa e que estavam presentes para par da comunidade, não doar o Dízimo équase ninguém aparecia, convidava para dar adeus à defunta Igreja estar contribuindo para o enterro da Igre-um encontro e não vinha ninguém, nem e acrescentou: “Aquele que ja, aliás, o próprio enterro.com o terço o povo se importava. considera a defunta morta e (Autor Desconhecido) Então o padre ia ficando cada vez digna de ser enterrada, quan-mais desanimado, e o desinteresse da co- do passar pelo caixão dê-lhe “O Concílio Vaticano II redescobriumunidade já começava a refletir também um beijo e fique de pé... mas e definiu Igreja como Povo de Deus emno sustento da igreja, ninguém doava o quem a beijar e mudar de marcha e como Corpo de Cristo. NestaDízimo e quando o padre tentava falar ideia, fique sentado”. Igreja, cada batizado deve sentir-se partesobre as necessidades da comunidade Então um a um todos os integrante e responsável, tendo um lugare orientar sobre a importância de todos que passavam pelo caixão, e e uma missão. Na Igreja Povo de Deus, odoarem o Dízimo, o que ele ouvia era olhavam lá dentro saiam as- lugar central é ocupado pela comunida-sempre a mesma coisa: “Que é isso seu sustados e corriam para sen- de, que deve ser a comunhão de todosvigário? Esse negócio de Dízimo já era. A tar. O fato é que não houve os batizados, organizados, que escutamIgreja aqui, já morreu há muito tempo”. ninguém que ficou de pé. e estudam a Palavra de Deus, que cele- Foi aí que o padre teve uma ideia, já Houve um profundo si- bram a fé e a vida a partir do Mistérioque a Igreja morreu, vamos enterrá-la. lêncio. Pascal, que praticam a caridade e vivem Então anunciou pelos quatro cantos É que o padre colocara a comunhão entre si, com toda a Igreja eda cidade, o dia e a hora do enterro da um enorme espelho dentro com Cristo.”Igreja. do caixão, e cada um que se Fonte: Revista Pucrs
  • 7. CEBs - Informação e Formação para animadores 7 Semana Nacional da Família de 12 a 18 de agosto ORAÇÃO DA FAMÍLIA. Senhor, nós vos louvamos pela nos- e um lar onde possamos viver felizes. sa família e agradecemos a vossa pre- Ensinai-nos a partilhar o que temos sença em nosso lar. Iluminai-nos para com os mais necessitados e empobre- que sejamos capazes de assumir nosso cidos, e dai-nos a graça de aceitar com compromisso de fé na Igreja e de par- fé e serenidade a doença e a morte ticipar da vida de nossa comunidade. quando se aproximem de nossa família. Ensinai-nos a viver a vossa pala- Ajudai-nos a respeitar e incentivar a vo- vra e o Vosso mandamento de Amor, cação de nossos filhos quando quiserdes a exemplo da FAMÍLIA DE NAZARÉ. chamar a Vosso serviço. Que em nossa Concedei-nos a capacidade de com- família reine a confiança, a fidelida- preendermos nossas diferenças de de, o respeito mútuo, para que o amor idade, de sexo, de caráter, para nos se fortifique e nos una cada vez mais. ajudarmos mutuamente, perdoarmos Permanecei em nossa família, Se- nossos erros e vivermos em harmonia. nhor, e abençoai nosso lar hoje e sempre. Dai-nos, Senhor, saúde, trabalho Amém! Instrução para os fiEis A lógica de Deus da Diocese de São José dos Campos sobre o momento eleitoral por CASALDÁLIGA, Pedro. A Diocese de São José dos Campos são candidatos (as) para cargos políticos. Este é um livro com estilo simples e Orações da caminhada. não indicará nomes de candidatos (as) Sendo assim, determino: Estes (as),claro, fundamentado na Palavra de Deus, Campinas: Verus, 2005 para os cargos políticos, pois “a Igreja e somente estes (as), podem apresentarnos documentos da Igreja e, sobretudo, não pode nem deve tomar nas suas pró- suas propostas nos encontros paroquiais,inspirado no Documento de Aparecida. O Deus do céu prias mãos a batalha política…” (Bento regionais (região pastoral) ou diocesanos De forma agradável, o autor mos- e da terra XVI, Deus caritas est, 28). “A Igreja, en- das pastorais, movimentos, espirituali-tra com objetividade que a fé cristã é escolheu o húmus quanto instituição, não assume opções dades e organismos existentes em nossacompromisso de vida, com a vida e na para se manifestar! partidárias” (Eleições 2006 – Orientações Diocese, de comum acordo com o padrevida. Recordando que o Batismo é um da CNBB, Doc. 82, p.27); isso é função responsável pelo respectivo encontro.chamado amoroso de Deus para viver Escondeu-se dos fiéis leigos. Diz o Papa: Na celebração da San-a dignidade de filhos e participar da na fragilidade de uma criança “… o dever imediato de ta Missa é expressamenteIgreja, os capítulos apresentam aspec- e no carpinteiro pobre trabalhar por uma ordem proibida tal apresentação. de Nazaré! justa na sociedade é pró- Quem atesta o engaja-tos da vida do discípulo missionário, prio dos fiéis leigos. Estes, mento na caminhada ecle-propostos pelo ensinamento da Igreja. Mas a vida, gestos e palavras como cidadãos do Estado, sial deste (a) ou daqueleSão seguidos por questionamentos e são chamados a partici- (a) fiel leigo (a) católico (a)fatos do cotidiano, e concluídos com deste homem par pessoalmente na vida é o seu respectivo párocouma oração. Será muito proveitosa a nos fazem mergulhar pública. Não podem, pois, ou o padre coordenador/leitura de cada capítulo em pequenos no Mistério! abdicar da múltipla e varia- assessor de sua pastoral,grupos de pastorais ou de movimentos. da ação econômica, social, movimento, espiritualidade Será uma oportunidade de enriqueci- A gratuidade do convite para legislativa, administrativa e ou organismo diocesano.mento mútuo, esclarecimento e oração. participar na festa do Reino cultural, destinada a promo- Fora destas condições O discípulo do Senhor possui o acorda a fé ver orgânica e institucionalmente o nenhum (a) candidato (a) poderá apre-dom de uma alegria comprometida. num ousado seguimento. bem comum” (Deus caritas est, 29). sentar-se nos encontros paroquiais, re- “Conhecer a Jesus é o melhor presen- Ainda assim, não há como ignorar o gionais (região pastoral) ou diocesanos de E no fracasso da cruz a fato de que em nossa Diocese contamos pastorais, movimentos, espiritualidades ete que qualquer pessoa pode receber; fidelidade e o amor se encontram com alguns fiéis leigos (as) católicos (as), organismos existentes em nossa Diocese.tê-lo encontrado foi o melhor que ocor- gerando uma nova criação comprovadamente engajados (as) nareu em nossas vidas, e fazê-lo conhecido caminhada eclesial de suas paróquias São José dos Campos, 04 de maio de 2012.com nossa palavra e obras é nossa ale- marcada de eternidade. e/ou pastorais, movimentos, espiritua- Dom Moacir Silvagria” (Documento de Aparecida, n. 29). lidades e organismos diocesanos, que Fonte: Site Diocese de São José dos Campos
  • 8. 8 CEBs - Informação e Formação para animadoresACONTECEU Fotos: Maria Matsutacke IRÁ ACONTECER FORMAÇÃO PARA ANIMADORES(AS) Encontro diocesano de formação das CEBs 10.06.2012 na Paróquia Santa Branca Cidade de Santa Branca Formação para animadores e animadoras Tema: Espiritualidade das CEBs “CEBs, modo normal de ser Igreja”, das CEBs; que ainda este ano serão pla- 16 de setembro de 2012com assessoria de Nivaldo Aparecido da nejados novos encontros de formação, Horário: dia todoSilva. Muita alegria pelo grande incen- segundo Luis Santos , coordenador pa-tivo do pároco, Pe. Raimundo Nonato roquial das CEBs Santa Branca. Local: ComunidadeViana Sobrinho. Formação que muito Maria Matsutacke Santo Expeditoanimou aos animadores e animadoras Coordenadora RPVI Rua Francisco Rosa Marques, 371 - Residencial União São José dos Campos - SP ORAÇÃO DO 13º INTERECLESIAL Deus da vida e do amor, Pai de Jesus e campo e na cidade, fermento de justiça, Pai nosso, Santíssima Trindade, a melhor de profecia e de esperança pascal. comunidade: abençoai as nossas CEBs, Proclamando a Boa Nova do Evange- rumo ao 13º Intereclesial, que iremos ce- lho sobretudo com a própria vida, que é lebrar no coração alegre e forte do Nor- “o melhor presente que Deus nos deu”. BOTE FÉ NA VIDA Fotos: Pe. Fabiano e Maria Helena Moreira deste, nas terras do Pe. Cícero e do Pe. Amém , axé, auerê, aleluia! Ibiapina, do beato Zé Lourenço e da beata Maria de Araújo, e de tantos sofredores (Dom Pedro Casaldáliga) Cerca de 10 mil pessoas e lutadores, profetas e mártires da cami- estiveram no Parque da nhada, no Brasil, em Nossa América, no Cidade, no Pavilhão Gaivotas Mundo solidário. participando deste grande Ajudai-nos a reacender sempre mais evento. O ‘Bote Fé na Vida’ a nossa paixão pelo Reino, o seguimento teve uma programação variada, de Jesus. com atividade física, oração, À luz da Bíblia e na mesa da Eucaristia, humor e muita música. na opção pelos pobres, em diálogo ecu- mênico e ecológico, na defesa dos Direitos Humanos, sobretudo dos Povos Indígenas e Quilombolas. No cuidado da Terra, nossa mãe. Em família e na comunidade eclesial, no tra- balho, na política, no movimento popular, crianças, jovens e adultos, mulheres e ho- mens. Denunciando a economia neoliberal dos grandes projetos depredadores, da seca, da cerca, do consumismo e da ex- clusão. Mãe das Dores e das Alegrias, ensinai- -nos a sermos CEBs romeiras do Reino, no Publicação Mensal das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) da Diocese de São José dos Campos – Diretor: Dom Moacir Silva – Diretor Técnico: Pe. Fabiano Kleber Cavalcante Amaral - Jornalista Responsável: Ana Lúcia Zombardi - Mtb 28496 – Equipe de Comunicação das CEBs: Coordenadora: Maria Bernadete P. Mota de Oliveira - Vice Coordenador: Luiz Antonio de Oliveira - Integrantes: Paulo José de Oliveira, Maria Helena Moreira e Ângela Ferreira - Colaboradores: Madalena das Graças Mota e Celso Correia Diagramação: Maria Bernadete de Paula Mota Oliveira - Correção: Maria Lairde Lopes de Siqueira Ravazzi - Revisão: Pe. Fabiano Kleber Cavalcante Amaral - Arte Final e Impressão: Katú Editora Gráfica - Tiragem: 6.200 Exemplares Sugestões, críticas, artigos, envie para Bernadete. Fale com a Redação... Av. Ouro Fino, 1.840 - Bosque dos Eucalíptos CEP 12.233-401 - S. J. Campos - SP Esperamos seu contato! E-mail do informativo: tremdascebs@diocesesjc.org.br