Your SlideShare is downloading. ×
Informativo "Lá Vem o Trem das CEBs..."
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Informativo "Lá Vem o Trem das CEBs..."

2,068
views

Published on

Comunidades Eclesiais de Base

Comunidades Eclesiais de Base

Published in: Travel, Technology

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,068
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Lá vem o Trem das CEBs... Informação e Formação para animadores Diocese de São José dos Campos - SP Informativo das CEBs - Ano V - Novembro de 2009 - Nº 51 PALAVRA DO ASSESSOR Se alguém possui riquezas neste mun- veres. Normalmente se fala mais dos também”. Teorias muitas vezes são bem Concluo: neste mês dedicado à refle- do e vê o seu irmão passar necessida- deveres, querendo enganar a cons- vindas, mas no seguimento do Mestre xão sobre o Dízimo, não busquemos de, mas diante dele fecha o coração, ciência sobre os direitos humanos. Jesus o que vale é a prática (ações de apenas conscientização (ou consci- como pode o amor de Deus permanecer Neste caso, não se justificam países, verdade). Digamos não ao materia- ência sobre o Dízimo), mas vivamos nele? Filhinhos, não amemos só com grupos financeiros ou pessoas serem lismo e ao acúmulo de bens. Digamos uma experiência concreta da partilha, palavras e de boca, mas com ações e de mais ricos que outros... O Evangelho não ao paternalismo que a sociedade e, da dinâmica de dar ao outro o que o verdade! Jo 3, 17-18 nos convida para a irmandade. É claro até mesmo, a Igreja podem praticar... outro precisa, alcançando a maturida- que há aqueles que se acomodam. A Digamos não às diferenças sociais, eco- de do “dar-se ao outro”... o dízimo é um Esta mensagem de Deus, em meio culpa é de quem? Pode ser da própria nômicas e culturais entre nós, a huma- exercício do desapego e da partilha! a muitas outras, nos inquieta. Pra co- pessoa ou pode ela torna-se vítima da nidade filha de Deus... Digamos não ao meçar, riqueza é assunto muito com- mentalidade do acúmulo, do materia- consumismo individualista... Felicidades!!! plexo, pois Deus deu tudo para o ser lismo e do “querer levar vantagem em humano desfrutar e ter domínio so- Falar sobre partilha é quebrar a estru- tudo”, do que fazemos parte... Pe. Ronildo Aparecido da Rosa bre o que é criado, mas não sobre as tura pessoal e comunitária que impe- Assessor diocesano das CEBs pessoas. Cada pessoa humana possui O texto acima é direto: “alguém passa dem a gente a ser mais feliz... os mesmos direitos e os mesmos de- necessidade, abra o coração – e o bolso
  • 2. 2 CEBs - Informação e Formação para animadores :: IDENTIDADE DAS CEBs Toda a Igreja Construindo Pontes, Para Viver a Comunhão! Ao término de mais um Ano Li- e incentivo em sua atividade eclesial, a abertura da Igreja, para que todo o da realidade social, da economia, como túrgico com a festa de Cristo Rei, so- passando a sofrer de profunda tristeza. povo de Deus, dela pudesse participar, também da cultura, das ciências das ar- mos chamados a nos comprometermos Por outro lado, temos a certeza que e assim ordenados e não ordenados em tes etc.. São chamados a participar na com o seu projeto de justiça, de paz e a perseverança e a ternura impulsiona muitos lugares de mãos dadas, vem es- ação pastoral da Igreja, primeiro com de amor ao próximo. Por isso, a igre- aqueles que não se deixam abater para palhando sementes, arando terrenos o testemunho de vida e segundo lugar, ja também comemo- para a semeadura, e muitos frutos tem com ações no campo da evangelização, ra o dia dos Cristãos Encontro Celebrativo das CEBs 2005 sido colhidos. da vida litúrgica e outras formas de Foto: Bernadete Mota Leigos e Leigas, por É por este espírito de compreensão apostolado, segundo as necessidades sua inserção no mun- e comunhão, apoiados na vivência da locais sob a guia de seus pastores. Estes do. Muitas vezes nos Palavra e da Eucaristia que somos mo- estarão dispostos a abrir para eles espa- perguntamos, até que tivados a caminhar na direção do Rei- ços de participação e confiar-lhes mi- ponto sabemos real- no. Os documentos da Igreja afirmam nistérios e responsabilidades em uma mente da nossa im- que os leigos e leigas são incorporados Igreja onde todos vivam de maneira portância na vida da a Cristo pelo batismo, formando o povo responsável seu compromisso cristão” Igreja? de Deus. Participam das funções de (DA 211). Os obstáculos Cristo: sacerdote, profeta e rei, e rea- Concluindo, queremos reafirmar o tem sido muitos, tais lizam, segundo sua condição, a missão quanto é importante construir pontes e como: conflitos de de todo o povo cristão na Igreja e no não trincheiras, visando o diálogo fra- relacionamento, im- mundo (LG 31). São “homens da Igre- terno, solidariedade e respeito mútuo, pedimento de uso ja no coração do mundo, e homens do lembrando que todos somos co-res- da criatividade, uns mundo no coração da Igreja” (DP 786). ponsáveis na construção do Reino para mandam, outros ser- O Doc. de Aparecida também re- transformar a sociedade e suas estrutu- vem, e muitas vezes, afirma que os leigos são chamados a ras, e nisto animadores, animadoras e entre os próprios exercerem a sua missão no mundo de outros seguimentos da Igreja tem papel leigos no exercício de coordenações, avançar remando, ainda que, com pou- tal modo que, com seu testemunho fundamental. aparece a falta de reconhecimento e cos braços para não se deixar de pescar e sua atividade, contribuam para a Fraternalmente um abraço a todos tantas outras formas que se impede de “ Ir mar a dentro e lançar as redes é o transformação das realidades e para a e todas que participam desta Igreja que levar à frente ações pastorais na igreja desafio!” O Mestre estará lá com sua criação de estruturas justas segundo os tanto amamos. e na sociedade. Também percebemos Palavra motivadora para a Missão. critérios do Evangelho. “O espaço pró- que, leigos e leigas muitas vezes estão Com certeza, tem havido grandes prio de sua atividade evangelizadora é Luiz Marinho sós e abandonados por falta de apoio avanços pós Concílio Vaticano II, com o mundo vasto e complexo da política, Equipe de Comunicação . :: MEMÓRIA & CAMINHADA Um encontro para Celebrar Assim é o Encontro Celebrativo Ano de muitas lutas, um ano de regiões se visitaram, que se inteiraram tilha da vivência onde a força das expe- das CEBs, que vem acontecendo há vin- morte e ressurreição, um ano de tra- mais e melhor das realidades de suas riências partilhadas fornecem um novo te e um anos, uma grande festa das co- balho de casa em casa, de rua em rua, regiões pastorais. olhar para realidade. munidades, um encontro para celebrar! de setor em setor, de apartamento em Companheiros e companheiras que No grande dia do Encontro Cele- Este ano o XXI Encontro Celebra- durante o ano se brativo, aos poucos todo ambiente vai Encontro Celebrativo das CEBs 2006 tivo das CEBs, traz como tema: Cami- Foto: Pe. Jaime C. Patias colocam a ser- se colorindo de vida, de alegria, de mui- nhar juntos pelo Reino e o lema fazen- viço, animam, ta animação. As pessoas vão chegando do ressoar em nossa diocese o grito que ajudam a ani- de todas as cidades de nossa grande dio- vem da Amazônia. mar, abrem as cese, trazendo sua alegria, o colorido de Encontro no qual celebramos as no- portas de suas suas colchas, seus cartazes, a carne para vas experiências, as vitórias; revemos nos- casas para rece- partilha, seus refrigerantes. A cada ano sa caminhada e vivenciamos esta grande berem os encon- mais pessoas participam desta grande festa de partilha das comunidades. tros de reflexão, festa da partilha. Este ano de 2009 foi um ano cheio participam dos Caminhada, teatro, música, dança, de desafios, ano que estamos viven- encontros, todos sorvete, crianças, jovens e adultos, jo- ciando nosso 1º Sínodo Diocesano, ano e todas que de gos, sorteios e muita alegria, assim vem que aconteceu o 12º Intereclesial das alguma manei- sendo construído a historia de nossos CEBs, ano que estaremos encerrando ra fazem parte encontros celebrativos, cada comuni- o serviço de toda equipe de coordena- dessa imensa co- dade oferta, disponibiliza seus talentos ção diocesana. munidade dioce- para tornar o dia inesquecível. Ano que os antigos sairão abrindo sana, se reúnem espaço para os novos, se renovando apartamento. Também de comunidade para celebrar por tudo que foi possível Maria Matsutacke para frutificar cada vez mais! em comunidade, ano que as CEBs das realizar. Um momento intenso de par- Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe
  • 3. 3 CEBs - Informação e Formação para animadores :: FORMAÇÃO PARA ANIMADORES CEBs: Carisma/Finalidade •Centralidade: Palavra de Deus do de leitura bíblica popular (“olho na rias de distintos gêneros (penitencial, e assumidas comunitariamente foram • Identidade originária: Jesus Palavra e olho na Vida”). Os membros de ação de graças, de recordação dos cumpridas; Cristo (Puebla, 641). das CEBs se apropriam da Palavra, mártires populares, via-sacras etc.), 4º) Compromisso Sócio-transfor- É a ligação com Jesus Cristo, liga- pois leem e comentam as Escrituras reinterpretam de forma inovadora mador - Fundam círculos bíblicos, im- ção constitutiva: por causa da palavra no espírito eclesial e da comunida- tradições devocionais como o rosário, plantam novas comunidades eclesiais, de Jesus Cristo. Por causa do Espíri- de; pregam as ladainhas criam grupos de oração/reflexão/ação, to de Jesus Cristo. Por causa do se- nas cele- e os bendi- fazem missões populares, organizam guimento de Jesus Cristo. Jesus é o brações, tos e as no- encontros de aprofundamento da fé fundamento estrutural das CEBs. A proferem venas; confrontada com os desafios da so- realidade fundacional das CEBs é Je- palavras de 3º) Con- ciedade, particularmente dos pobres, sus Cristo. São Paulo fala que não há consolação selho Pasto- empenham-se nos grupos de ação, jus- outro fundamento! Sua fonte é trini- e de ani- ral Comuni- tiça e paz na defesa e promoção dos tária, pois tudo deve concorrer para a mação nos tário - São direitos humanos. glória do Pai, por meio de Jesus Cris- encontros, homens e to, impulsionados pelo Espírito. Aliás, testemu- mulheres É o suficiente apresentar estes a Santíssima Trindade é Comunidade nham sua que, geral- 4 “C’s” para uma comunidade ser por excelência, e as CEBs querem for- fé na vida mente em uma CEB? Não! Estes são elemen- mar Comunidade. cotidiana e forma cole- tos estruturais. Falta a dimensão ca- As CEBs são fundamentalmente nos locais giada, assu- rismática, que dinamiza a estrutura “estrutura de Igreja”, uma forma de de traba- mem a ani- da instituição; aquilo que perpassam organizar a Igreja. São “eclesíolas”, lho; mação e a transversalmente todos eles: a mística, micro-igrejas, são “células eclesiais”: 2º) Ce- condução de a espiritualidade libertadora, centrada igrejas celulares, igrejas “em um pon- lebração toda a comu- na causa do Reino de Deus, na opção to pequeno”, igrejas “de base”. São as Semanal, nidade. Ali pelos pobres e na sua dimensão pro- unidades eclesiais menores, unidades muitas ve- estão pre- fética. relativamente completas, com identi- zes sem a sentes a(o) dade própria, com seu jeito próprio de presença catequista, a Ser Igreja - Povo de Deus: Consci- caminhar. do padre senhora do ência de ser Povo de Deus. Lembrando, também, que temos (não por Encontro Celebrativo das CEBs 2005 Apostolado CEBs, Povo de Deus, 2000 anos que distinguir claramente a diferen- vontade Foto: Pe. Jaime C. Patias da Oração, de caminhada. Grande afirmação do ça entre paróquia e matriz, que para das CEBs, o(a) jo- Concílio Vaticano II. Igualdade fun- muitos seria a mesma coisa. Paróquia mas por pura falta de sacerdotes), di- vem da RCC, o pessoal da CPT, a(o) damental (LG,32): Participação na aqui é entendida como “comunidade rigida por uma equipe de liturgia (ge- animador(a) da comunidade e outros. dimensão profética, na dimensão sa- de comunidades”. Para efeitos didá- ralmente Celebração da Palavra com Todos os assuntos são apresentados cerdotal, na dimensão real. ticos, vamos caracterizá-la chamando a distribuição da Eucaristia). O povo à comunidade e discutidos por todos de os 4 “C’s” das CEBs: das CEBs mostra-se, aqui, altamente até se chegar a um consenso. Ouvem- Comunidades Eclesiais de Base 1º) Círculos Bíblicos, ou Grupos criativo. Assumem funções nas litur- se todas as pessoas e fazem-se as revi- Diocese de São José dos Campos - SP de Reflexão Bíblica, a partir do méto- gias, montam celebrações comunitá- sões para ver se as decisões tomadas Há várias características da espiritualidade das CEBs: Foto: Divulgação Foto: Bernadete Mota Foto: Sem. Fabiano Foto: Maria Matsutacke Foto: Bernadete Mota Libertária: Martirial: Dialogal: Ecológica: Poética: pois visa a mudança, a é solidária, cheia de compaixão. é ecumênica, coloca-se na linha do tem ternura pela vida; abre-se para traz sempre a utopia do Reino transformação da sociedade. diálogo inter-religioso. o valor da natureza. anunciado por Jesus: “Podem des- truir uma árvore. Matar uma flor. Mas não impedirão a primavera”.
  • 4. 4 CEBs - Informação e Formação para animadores :: VOCÊ SABIA? :: “A BÍBLIA NOS INTERPELA” Antes de Mexer com Explicando o Novo Método de Encontros nas Casas em 2010 o Bolso, o Dízimo 1. Pretendemos com este novo modo das Igrejas e dos povos, os próprios fe- interiorização, sem demorar muito; de encontro torná-lo mais acolhedor, nômenos da natureza são sinal de Deus b) Cada pessoa poderá partilhar fra- Toca o Coração. simples, orante e comprometedor; para quem tem olhos para ver e ouvi- ses ou palavras que mais “tocaram a dos para ouvir. Por aí começa a nossa vida”, em espírito de fé na força cria- 2. Ao chegarem, as pessoas já se aco- escuta da Palavra de Deus. É importan- tiva e criadora que a Palavra de Deus lhem mutuamente, tornando desneces- te que a partilha seja feita em clima de traz consigo mesma (porque é Deus); sário a acolhida no começo do encon- espontaneidade e meditação, evitando c) Dar atenção somente ao texto pro- tro; que se torne uma conversa enfadonha; clamado, sem fugir do assunto; d) Tirar proveito do texto para um 3. Para não confundir animador(a) de 10. HINO encontro pessoal/comunitário com o rua com animador do encontro, que (o critério de escolha será o evangelho ou Senhor e Mestre, na atitude de escuta pode, mas não precisa ser a mesma a reflexão temática mensal ou semanal). atenta (como um discípulo); pessoa, trocamos de animador(a) para Pode ser rezado, se não for conhecido. e) Trazer para os dias de hoje a men- dirigente; sagem do Evangelho proclamada no 11. SALMO encontro, sem fugir do assunto, ou 4. O ambiente poderá ser preparado (o critério de escolha é o salmo do do- seja, ter sempre presente o texto em Foto: Maria Matsutacke com símbolos ou elementos si, para não “vagar” por ou- que ajudarão a rezar o texto do tros temas. Neste momento é Evangelho; hora de iluminar a realidade que vivemos com a Palavra de 5. Também poderá colocar no Deus. Cuidar para não fazer ambiente algo que leve a cha- isso sem passar pelo processo mar à atenção sobre a reflexão todo do método orante. temática, não sobrecarregando Atualmente, a Igreja pretende re- o espaço físico (poluição visu- 14. REFLEXÃO TEMÁTICA descobrir seu verdadeiro sentido para al) nem sobrepondo ao tema propõe-se um tema, como CF, que nós cristãos possamos entender do Evangelho; Páscoa, Vocações... As CEBs trazem propósito de uma re- melhor o porquê do dízimo. Ele não 6. A seguir, vejamos o esque- flexão de temas da atualidade é invenção humana e sim um dos ma do novo método, cuidando ou que a Igreja propõe para o mandamentos bíblicos e um excelen- para que seja orante, sem ficar momento. Se for quaresma, o lendo títulos e subtítulos; Foto: Pe. Ronildo tema será conversão a partir te meio de vivermos as três grandes da Campanha da Fraternida- virtudes chamadas teologais. As vir- 7. CHEGADA mingo que vem, na versão popular que o de; se for mês de agosto, aqui poderá tudes teologais são chamadas assim, Silêncio – oração pessoal (aqui já hou- ODC oferece. É essencialmente orante. trazer temas vocacionais... Sempre porque nos põem em relação dire- ve acolhimento e apresentação de no- A intenção é rezar/cantar um salmo por numa linguagem simples, direta e cur- vos participantes – isso é natural...) – é semana, resgatando o modo de oração ta. Se alguém pretende aprofundar ta com Deus ou porque nos levam a um momento pessoal. Quem dirige da história do povo de Deus. Salmo é mais, deverá buscar nos livros, boletins, fazer o que faz o próprio Deus. São deverá favorecer e promover o silên- Deus inspirando o ser humano para re- entre outros. elas: a fé, a esperança e a caridade. cio no início, motivando a todos para zar para Deus); “entrarem no clima de oração”; 15. O EVANGELHO SE FAZ ORAÇÃO Como sabemos, a Igreja é formada 12. EVANGELHO (PRECES) indica-se apenas 3, com res- por pessoas que devem unir-se em co- 8. ABERTURA Este é o coração do encontro. Propõe- posta preparada pela equipe diocesana, munidade. Em outras palavras, cada (pode ser cantada ou rezada) – é tira- se uma CENTRALIDADE DA PA- 2 do Evangelho e 1 da reflexão temáti- da do Ofício Divino das Comunidades LAVRA. Na experiência da Leitura ca, deixando para o grupo acrescentar membro da Igreja é e deve sentir-se (ODC), livro que pode ser adquirido Orante da Bíblia, de modo simples, outras preces. Lembrar que o encontro responsável pelos outros que formam através das livrarias católicas. É uma comunitário e comprometedor, poderá deverá trazer a dimensão orante da Bí- a Igreja. Deus é Pai de todos e quer invocação a Deus para vir ao encontro seguir os seguintes passos: blia, ou seja, as preces deverão ser fruto a plena realização de todos. Ora, nin- dos presentes, abrindo-lhes os lábios a) Invoca-se a ação do Espírito Santo da meditação e da partilha vividas após e o coração para a realidade divina, através de um canto, um refrão ou da a proclamação do Evangelho. guém pode chegar a essa realização numa atenção fraterna ao ser humano. oração ao Espírito Santo; sozinho. Por isso o sentido do dízimo Cada um trça o sinal da cruz sobre os b) Faz-se a leitura pausada do texto do é hoje riquíssimo, pois é um dos meios lábios; Evangelho. Repete-se algumas vezes a 16. ORAÇÃO leitura do mesmo texto para que todos (no ODC há uma variedade – a equipe pelos quais cada cristão demonstra 9. RECORDAÇÃO DA VIDA conheçam bem os detalhes que o texto diocesana escolhe uma e coloca-a em sua responsabilidade para manter a (o animador motiva para que algumas diz (atos, atitudes, palavras, gestos, rea- cada encontro). Igreja a que pertence, seja a Igreja- pessoas presentes, espontaneamente ções... que os personagens bíblicos apre- Templo, como também a Igreja-Povo. e com objetividade, façam lembranças sentam em si, no texto). 17. AVISOS de fatos ocorridos na semana). A vida, c) Não tirar conclusões nesta hora nem os acontecimentos de cada dia, as pes- fugir do texto. 18. BENÇÃO Fonte: soas, suas angústias e esperanças,suas (no ODC há uma variedade – a equipe Arquidiocese de Florianópolis tristezas e alegrias, as conquistas e re- 13. MEDITAÇÃO DO EVANGELHO diocesana escolhe uma e coloca-a em vezes da caminhada, as lembranças a) Aqui quem dirige precisa provocar cada encontro). marcantes da história, da comunidade, um momento de silêncio, de fato, para
  • 5. 5 CEBs - Informação e Formação para animadores :: NOTÍCIAS DA CNBB As Cebs Estão de amor, vencer toda a dor, eu sei que vou”. “Pelo seu reino me apaixonei, Morreu o Cantor e Compositor, Zé Martins Luto pela Morte de agora eu sei contigo vou ficar”. “É tempo de ser profeta, levar nos- Morreu, na noite do dia 16 de ou- rizonte, na divisa com o estado do Zé Martins so povo à vida”. “Senhor, queremos amar-te até o tubro, em Pouso Alegre Espírito Santo. Ele Por Dom Moacyr Grechi fim”. (MG), o cantor e com- era jesuíta, filósofo, “O pão repartido faz a gente ser teólogo, advogado Mensagem de pesar positor mineiro Zé Mar- comunidade, nos aponta o caminho e sempre foi muito Fomos surpreendidos pela morte tins. O cantor sofreu do amor, e da vida vivida em frater- inesperada do amigo das CEBs, can- uma infecção generali- ligado as Comunida- nidade”. tor e compositor Zé Martins, ocorrida zada, segundo a suspeita des Eclesiais de Base “Sou artista, pinto a vida, trago dia 16 de outubro em sua cidade de (CEBs), onde atuou toda minha cor, pra pintar os nossos dos médicos, devido ao Pouso Alegre. nos últimos dois en- sonhos de um mundo com amor” caso mais grave da den- Unidos a dor de seus familiares “Liberdade, és o grande sentido de gue, ou seja, dengue he- contros, em Ipatinga rogamos a Deus que sua morte seja uma vida pronta para morrer”. morrágica. Zé Martins (MG), em 2005 e em uma semente que faça florescer cada “Venha junto sonhar o desejo de Foto: Bernadete Mota Porto Velho (RO), vez mais a fraternidade, a comunhão e foi sepultado no dia 18, que a vida não tenha mais fim”. em 2009, como ani- a participação que tanto apregoou em às 14h, no cemitério de suas musicas. Pouso Alegre. mador, e tinha laços Dom Moacyr Grechi Homem de esperança e de entu- Arcebispo de Porto Velho O cantor e compo- estreitos com as Pas- siasmo contagiante, Zé Martins conti- Amigos e companheiros de sitor, Zé Martins, nas- torais da Juventude nuará vivo e presente entre nós, inun- caminhada das CEBs ceu na cidade mineira do país. dando de luz a nossa vida através de Arquidiocese de Porto Velho de Mantena, que fica a aproximada- suas músicas que tanto significado deu Fonte CNBB a sua existência: Secretariado do 12º Intereclesial mente, 460 quilômetros de Belo Ho- das CEBs rumo ao 13º “Eu sou teu povo, vou cantar o Poeta das Comunidades nos deixa caminhar / Para ser de nossa América Latina através de Fotos: Bernadete Mota comunidade lemos a Bíblia Sa- Liberdade vem e canta e saúde este grada / Ela indica o caminho e novo sol que vem... cantos para medi- Foto: Pe. Jaime C. Patias fortalece a caminhada / Então tar, para celebrar , muitos são como vamos aprender com os pri- incenso que perfumam o ar, nos fa- meiros cristãos / Como se faz a zem sentir o sagrado e aprofundar o partilha e se vive como irmãos. mistério. Em 16 de outubro Zé Mar- Queremos com este canto tins partiu rumo à casa do Pai, para de Zé Martins agradecer a sua ali louvar eternamente, assim como contribuição na construção de em sua canção Romeiros com Maria “ nossas comunidades. Mineiro Hoje sou peregrino de pé no chão vou de Mantena “chamada terra caminhar para a cidade santa, sereno boa” no leste de Minas, cami- e certo eu vou rumar” Ele nos deixa nhou por entre vales e mon- como herança a sua história para con- tanhas até Pouso Alegre no tinuar a motivar novos caminheiros e sul aonde armou a sua tenda. caminheiras. Agora são dois mil anos de histó- Minas, tem mais que pão de quei- ria e caminhada / Formando comuni- Terminamos com um de seus po- jo, doce de leite, artesanato, ferro, emas “ Sonho de Cantador” Eu sinto dades na certeza da chegada / Apro- ouro, pedras preciosas, povo gentil e veita e vem pra cá / Vem pra cá, vem a vida força nova já brotada / Nessa acolhedor, também tem a viola que arrancada rumo ao tempo que virá / pra cá. através de suas cordas retrata muito Para ser comunidade não basta só Trazendo cores e desejos mais irmãos da alma mineira e este é um de seus / Nesse meu chão o paraíso então será. reunir / É preciso pensar juntos /e lu- filhos que espraiou seu canto em seu tar pra construir / Para ser comunida- chão e outras paragens deste nosso de tem que ter muita união / Tem que Obrigado Zé Brasil. Tivemos a alegria do convívio haver companheirismo / muito amor em diversos momentos em nossa dio- Clip em homenagem ao cantor e com- e mão na mão / Para ser comunida- cese e andanças. Aqui participou de positor Zé Martins. de tem que amar e construir / Uma formações para divulgar os seus poe- Nas fotos, as várias passagens de Zé vida diferente desta que está aí / Para mas junto aos animadores e animado- Martins pela Diocese de São José dos ser comunidade é preciso organizar / ras, animou comunidades paroquiais Campos. Todo o povo oprimido e a cabeça le- e através de suas letras e melodias Assista ao vídeo: vantar/Para ser comunidade é preciso surgiram grupos de animação que http://www.youtube.com/watch?v=U6ogn7tluQU comungar / Corpo e Sangue de Jesus / vieram trazer mais alegria cantando http://www.youtube.com/watch?v=_ força que Ele nos dá / Para ser comu- a realidade de nosso povo. Enalteceu nidade é preciso agradecer / A Javé o qHUOMtdgJg a mulher através de cantos a Maria, Deus da vida / nossa força pra vencer fez poemas para a juventude e com / Para ser comunidade é preciso per- Equipe de Coordenação das Cebs ela conviveu, retratou o sofrimento doar/ Todo mal que nos ofende / e não Diocesana, Comunicação e Subsídios.
  • 6. 6 CEBs - Informação e Formação para animadores :: ORIENTAÇÕES PARA ANIMADORES E COORDENADORES Os 10 Mandamentos da Espiritualidade do Animador, da Animadora e da Coordenação Grupo de Comunidade Todo animador/a de grupo ou de co- 3. Solidarizar-se – Estar atento/a aos a Cristo, como sustento pessoal. Saber que 8. Rezar sem desanimar – Cuidar para munidade é um mensageiro da paz e da problemas de sua comunidade, do seu sem fé não há missão. não tornar-se como muita gente quebrada Boa-Nova da salvação em Jesus Cristo. grupo, sem cair em atitudes paternalistas Tirar da fé a paixão pela missão de e desnorteada, por não rezar e não abaste- É um enviado por Deus, para anunciar ou autoritárias. Ter uma grande sensibi- evangelizar. cer as forças, as utopias e sonhos, no cora- o Evangelho ao grupo e à comunidade. lidade humana e social, com um ção de Deus. Alimentar a própria Evangeliza pela palavra e pelo testemu- forte sentido da justiça e da ver- fé com a oração diária. Aprender, Foto: Pe. Ronildo nho de vida. Para que as pessoas acredi- dade. na oração e na escuta da Palavra tem na sua mensagem, algumas atitudes 4. Resistir – Agüentar firme os de Deus, a construir o Reino, com são indispensáveis. A pessoa que exerce momentos difíceis, sem desistir. paciência e coragem. o ministério da animação de algum gru- Fazer-se presente quando preci- 9. Assumir a cruz – Viver a po de reflexão deve cultivar os seguintes sam dele/a, porque sabe que sua palavra de Jesus: “Quem quiser mandamentos da espiritualidade dos cris- missão não tem horário. Não pe- ser meu discípulo, renuncie-se a tãos leigos e leigas: car por omissão e nem ser covarde si mesmo, tome a sua cruz e siga- 1. Escutar – Ter capacidade de escuta e medroso(a). me” (Mc 8,34). Saber que na vida e de diálogo. 5. Ter paciência e esperar – cristã não há outro caminho pos- Saber relacionar-se e valorizar as pes- Saber que a paciência é uma das sível para percorrer. Saber que a soas na sua diversidade, descobrindo os virtudes mais importantes do/a missão nasce e cresce aos pés da seus valores. Não se sentir superior a nin- animador/a. Caminhar com o cruz, que a persistência e a paci- guém. Ter convicções profundas, mas não povo e colocar-se no ritmo de sua ência são frutos de uma cruz acei- se considerar dono(a) da verdade. história. Saber esperar com paci- ta com alegria. 2. Acolher e cultivar a ternura – Con- ência o que vai acontecer: “Deus 10. Ser coerente – Apoiar a siderar cada pessoa como centro de tudo. tarda, mas não falha”. Olhar com própria credibilidade no testemu- Acolher a todos sem fazer distinção de esperança para o futuro. nho de vida, até as últimas conse- pessoas. Cultivar o cuidado, o carinho e a 6. Crer no Deus da vida – Experimentar 7. Amar na gratuidade – Ser uma pre- qüências. Seguir o exemplo de Jesus, que ternura no relacionamento com o grupo e a fé em Deus e o amor profundo e pessoal sença amiga e gratuita. Não se deixar le- faz o que diz: “Eu, vosso Mestre e Senhor, com a comunidade. var por interesses pessoais. Ser capaz de vos lavei os pés; também vós deveis lavar amar e doar-se, sem esperar recompensa. os pés uns dos outros. Dei-vos o exemplo, :: ESPAÇO DO ANIMADOR Encontrar Deus e Jesus Cristo especial- mente nos pobres, nos que sofrem, já que para que, como eu vos fiz, assim façais também vós” (Jo 13,14-15). eles são os preferidos de Deus. Percor- Um Sonho Sonhado por Muitos e Muitas. rer com eles os caminhos do Evangelho, CEBs - Diocese de Parabéns a todos e a todas que aju- amando, como Jesus, até o fim. São José dos Campos daram na construção do Informativo ao longo da caminhada. É motivo para co- memoração e de agradecimento a Deus por esta edição de Nº 50 das CEBs, não pensemos que é pouca coisa, dada a di- Projeto Valores ficuldade que foi encontrada ao longo Somos um grupo de voluntários, da caminhada. Temos conhecimento de formado por pais, mães e avós perten- quantos meios de comunicação que se centes à Paróquia Coração de Jesus. lançaram e foram ficando pelo meio do Nosso trabalho vem sendo desen- caminho. O desafio continua, o que nos volvido a dois anos, com crianças da 1ª Fotos: Bernadete Mota motiva é a fé em Cristo que nos alimenta à 4ª série, na E.E.”Prof.Nelson Ferreira na disposição e na criatividade, para le- da Silva” no Bosque dos Eucaliptos. var mensagens que falam de Fé e Vida, que ajuda a transformar a comunidade Temos como objetivo resgatar a dig- em que vivemos. nidade e passar valores sociais como Esta, foi uma semente que o Senhor nos doou, cresceu está gerando respeito, amor e solidariedade. novos frutos e conseqüentemente novas sementes que espalhadas por este mundo de Semanalmente levamos a essas Deus vai conquistando novos corações e mentes a serviço da vinha do Senhor. crianças experiências familiares de su- Aos animadores e animadoras e integrantes dos grupos de reflexão bíblica em cesso, para dentro da sala de aula. nossas comunidades o agradecimento de coração de quem acredita que “Construir Nossas trocas de experiências tem Comunidade é Missão de Todos” sido de muita importância e de grandes No mês de Outubro, mês Missionário, mês de Maria, mês das Comunidades que resultados, aproximando a comunidade motivadas pela Palavra de Deus, colocam na prática o que o Mestre nos ensinou “Ide da escola. por todo o mundo e anunciai o Evangelho a todas as criaturas” para que a alegria e o Venha você fazer parte dessa sentido de viver possa fazer parte de suas vidas. família, seja também um voluntário! Equipe de Comunicação das CEBs Inscrições c/ Zacarias: 3018.5540
  • 7. 7 CEBs - Informação e Formação para animadores :: COMPROMISSO :: IRÁ ACONTECER Povo de Deus que caminha nas comunidades de base, Vem aí a novena de Natal Escrevo-lhes um momento novo, de caminhar junto No próximo mês irá chegar às co- É com muita fé e esperança no porque no dia com seu povo, é hora de transformar munidades o livreto da Deus-menino, que vem 22/10 último, du- o que não dá mais, sozinho isolado ninguém é capaz. Novena de Natal, com para construir sua mora- rante a reunião o tema Discipulado e da em nosso meio e tor- do Conselho Por isso vem, entra na roda com a gente, também, você é muito importan- Missão. nar-nos mais próximos Permanente da Vamos preparar a do Pai e dos irmãos CNBB, decidiu- te...” Acho que é um momento novo e nossa casa, o nosso co- se que o tema podemos aproveitá-lo muito bem para ração e a nossa comuni- Também teremos prioritário para a vitalizar/revitalizar/dinamizar/formar dade para celebrar bem como símbolo da Nove- próxima Assembléia Geral da CNBB as CEBs. Se for bem feito, acredito a festa do Natal, data na de Natal a Capelinha (que acontecerá aqui em Brasília, em função do Congresso Eucarístico para que podemos aprofundar a questão em que celebramos o Missionária. comemorar o cinquentenário de ani- das estruturas paroquiais, fazendo nascimento do nosso Animadores (as) re- versário da cidade) serão as Comuni- com que elas sejam de fato “rede de Salvador. únam a sua comunidade dades Eclesiais de Base. comunidades”, “comunidade de co- Durante a novena e prepare bem os encon- O tema central da Assembléia será munidades”, Igreja “de CEBs” e não meditaremos sobre o tros! sobre a Palavra de Deus em função da “com CEBs”. caminho da missão e Um abraço! proximidade da publicação da Exorta- Por isso convido-os a “entrar na sobre os meios utiliza- ção Pós-Sinodal do papa Bento XVI. roda com a gente, você também é im- dos por Deus para que a história da Equipe Diocesana das CEBs Gostaríamos que todos os Regio- portante”. salvação chegue à sua plenitude com nais, todas as Dioceses, todas as Pa- Aguardo contato. o nascimento de Jesus Cristo. róquias e as mais de 80 mil CEBs no Um forte abraço fraterno, Brasil entrassem de cheio nesta pre- paração, pois como diz o nosso can- Sérgio Coutinho Temas da Novena de Natal Assessor Setor CEBs-CNBB 1º dia da novena: cioneiro: “Deus chama a gente pra “Comunidade, Sementeira da Missão” “Deus Vem a Nosso Encontro” 6º dia da novena: 2º dia da Novena: “Sociedade, Campo de Missão” Semana da Comunidade na Paróquia “Boa Nova: Esperança para 7º dia da novena: Nossa Senhora do Perpétuo Socorro todos os Povos” “Ser Igreja Encarnada e Acolhedora” De 23 a 28 de Novembro/09 5ª Feira: Dia Eucarístico – teatro na Matriz 3º dia da novena: 8º dia da novena: Tema: “Rede De Comunidade, Tema: “Palavra de Deus, fonte de vida” “Batismo, fonte de toda missão” “Seguindo as pegadas do Mestre” Escola Da Palavra” 6ª Feira: Procissão com a Bíblia até a Ma- 4º dia da novena: 9º dia da novena: triz Tema: “Encontro com a Palavra” Sábado: Missa no Centro de Pastoral e “Família, berço do Discipulado” “Eu Vim Para Que Todos Tenham Vida” 2ª Feira: Encontro nas casas Tema: “Família, escola da Palavra” partilha comunitária na Matriz, com ani- 5º dia da novena: 3ª Feira: Terço nas Capelas mação musical – Tema: “Palavra anun- Tema: “Maria, discípula da Palavra” ciada, vida partilhada” 4ª Feira: Celebração na Matriz XXI Encontro Celebrativo das CEBs Tema: “Bem aventurados os que vivem Maiores informações a Palavra” ligue para (12) 3966-1081 Colaboração: R$ 2,00 por participante Cada pessoa deverá levar: carne e re- Agenda Latino-Americana frigerante para partilha ( a quantia que irá consumir) Lançamento da Agenda Latino Ame- dade dos Mártires da Caminhada com Levar o kit refeição: caneca, prato e talhe- ricana Mundial 2010, cujo tema é: Salve- apoio da Paróquia São José Operário. res. mo-nos com o Planeta, no dia 05 de de- Gostaríamos muito de contar com a Fichas com os coordenadores paroquiais zembro próximo, ás 19h00 no Auditório sua presença e divulgação. das CEBs da Secretaria de Educação de Jacareí na Entregar até dia 16/11 para concorrer a Rua Lamartine Delamare, 69 - Centro. Irmandade dos Mártires sorteios! (quem entregar com atraso não É um evento realizado pela Irman- Paróquia São José Operário Tema: Caminhar juntos pelo Reino, concorrerá à sorteios) Fazendo ressoar em nossa diocese o gri- Haverá apresentações de músicas, dan- to que vem da Amazônia ças, jogos... Diocese de São José dos Campos – SP Dia: 29/11/2009 Local: Capela São João Batista Av. dos Cirurgiões Dentista, 610 Santa Inês II – São José dos Campos - SP Início: 07h30
  • 8. 8 CEBs - Informação e Formação para animadores :: IRÁ ACONTECER Encontro e Confraternização Ordenação Presbiteral do Diácono Alexsandro de Brito Ramos dos(as) Animadores(as) das Em dezembro, em pleno Ano Sacerdotal, acontece a Ordenação Presbiteral do Diácono Alexsandro de CEBs da Região Pastoral VI Brito Ramos. Será dia 19 de dezembro na Igreja Santa Maria. O lema sacerdotal escolhido por ele foi: “Chamado a ser servo, escolhido para anunciar o Evangelho de Dia 07 de Dezembro de 2009 Deus”. Rm 1,1 Horário: 19h Data: 19/12/2009 Local: Igreja Santa Maria Horário: 9h Local:Capela Nossa Sra. Aparecida Informações: Rua Orlando Felipe Bonano, 850- Jd. Santa Maria/Jacareí Vila Zezé - Jacareí :: ACONTECEU Fotos: Pascom - Paróquia São Vicente Fotos: Bernadete Mota 2. A comunidade do Bairro Jardim Helena, pertencente à Paróquia São Vicente de 1. No dia 22 de outubro, aconteceu a missa de 7º dia do cantor e compositor Zé Paulo, celebrou no dia 21 de outubro de 2009, a 1ª missa presidida pelo Pároco Pe. Martins, na paróquia São José Operário - em Jacareí, presidida pelo Pe. Afonso. Célio. Este foi o primeiro passo na historia de uma comunidade que sonha com um futuro cheio de realizações no projeto de Deus na caminhada de seu povo. Fotos: Maria Matsutacke Fotos: Selma Martins 3. Aconteceu no dia 25/10/2009, na casa de retiro Coração de Jesus, das 8h às 15h, 4. No dia 25/10/ 2009, aconteceu a missa de encerramento do mês Missionário das a reflexão e a confraternização das Cebinhas da paróquia Coração de Jesus. CEBs, na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, presidida pelo Pe. Odilo. Expediente: Publicação Mensal das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) da Diocese de São José dos Campos - Diretor: Dom Moacir Silva - Diretor Técnico: Pe. Ronildo Aparecido da Rosa - Jornalista Responsável: Ana Lúcia Zombardi - Mtb 28496 - Equipe de Comunicação: Coordenadora: Mª Bernadete P. Mota Oliveira Integrantes: Celso Corrêa, Gerson Ribeiro, Maria Aparecida Matsutacke, Luis Mario Marinho e Rosana de Paula Rosa - Colaboradora: Madalena das Graças Mota Correção: Sandra Memari Trava - Revisão: Pe. Ronildo - Editoração e Impressão: Katú Editora Gráfica - Tiragem: 6.200 Exemplares Sugestões, críticas, artigos, envie para Bernadete. Fale com a Redação... Av. Ouro Fino, 1.840 - Bosque dos Eucalíptos CEP 12.233-401 - S. J. Campos - SP Esperamos seu contato! E-mail do informativo: tremdascebs@diocesesjc.org.br