CEBs - Informação e Formação para animadores    1                          Lá vem o Trem das CEBs...                      ...
2                CEBs - Informação e Formação para animadores                        PALAVRA DO ASSESSOR                  ...
CEBs - Informação e Formação para animadores         3formação                                                         O D...
4           CEBs - Informação e Formação para animadoresOutro debate é possível e necessário para o bem viver - bem conviv...
CEBs - Informação e Formação para animadores             5                                                                ...
6           CEBs - Informação e Formação para animadoresACONTECEU                                              Formação Na...
CEBs - Informação e Formação para animadores             7ACONTECEU                                                       ...
8           CEBs - Informação e Formação para animadores                                A voz dos animadores e animadoras ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Informativo das CEBs mês de julho

4,622 views
4,562 views

Published on

Informativo das CEBs mês de julho

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,622
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3,817
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Informativo das CEBs mês de julho

  1. 1. CEBs - Informação e Formação para animadores 1 Lá vem o Trem das CEBs... FORMAÇÃO E INFORMAÇÃO PARA ANIMADORES Diocese de São José dos Campos - SP - Informativo das CEBs - Ano VIII - Julho de 2012 - Nº 802 Palavra do Assessor LEIA + NA PÁGINA 2 3 O Destino do Nosso voto LEIA + NA PÁGINA 3 4 Dicas de Leitura LEIA + NA PÁGINA 4 5 Festa do Coração de Jesus LEIA + NA PÁGINA 5 6 Aconteceu LEIA + NA PÁGINA 6 8 Comunidade em Festa LEIA + NA PÁGINA 7
  2. 2. 2 CEBs - Informação e Formação para animadores PALAVRA DO ASSESSOR Foto: Bernadete Mota “Deus-Paixão-Comunidade” Mídias Sociais Olá queridos amigos e amigas evidentes, nas pes- das Comunidades Eclesiais de Base. soas, nos símbo- Gostaria de convidá-los a uma re- los, nas liturgias e flexão pertinente em nossa caminha- nos testemunhos. da de filhos e filhas de Deus – “Somos A comunidade apaixonados pelo Deus que professa- vai se caracterizan- mos?”. Pois desde o início Deus amou do como o espaço Baixe os hinos e cânti- o povo, e sempre restaurou a Aliança onde a manifesta- rompida pelo povo. O que sabemos ção de Deus torna- cos dos encontros, no sobre: “Paixão-Deus-Comunidade”? -se mais clara e, os Blog das CEBs: Respondamos algumas questões so- sentimentos vão http://tremdascebs.blogspot.com/ bre a Paixão: Como demonstramos esse brotando gradati- sentimento? Estou alimentando este vamente. A Comu- sentimento? Sou realmente apaixonado nidade acolhe, for- por Deus? Os frutos desta paixão estão ma e transforma, Siga-nos no Twitter: à disposição na comunidade? Que efeito envia em missão, https://twitter.com/tremdascebs A comunidade é o lugar de ali- esta relação traz na vida de comunidade? restaura, celebra, adverte e sustenta. mentar e cultivar a paixão por Cristo Irmãos e irmãs, uma relação sa- Comunidade implica necessaria- através da Palavra de Deus, celebra- dia e feliz com Deus nos movem a mente convívio, vínculos profundos, ção dos Sacramentos, aproximação de viver feliz e realizado na família, no afetividade, interesses comuns, estabi- sentimentos, compromisso evangeli- trabalho e na comunidade. Tendo lidade e solidariedade nos sonhos, nas Assista aos videos dos principais acontecimen- zador e missionário, principalmente em vista que a vida cristã é pionei- alegrias e nas dores. Esta gama de situ- tos das CEBs, dos encontros de comunidades com os afastados e os mais pobres. ra para o desenvolvimento desta re- ações alimenta nossa Paixão por Deus nas paróquias, das Regiões Pastorais... A Paróquia-comunidade deve lação – “Paixão-Deus-Comunidade” e pela comunidade gradativamente. ser vista como uma “Mãe”, que http://www.youtube.com/user/bernadetecebs A vida cristã se expressa de maneira A Comunidade é uma Escola de gera, dá vida e cuida dos seus filhos. especial na vida comunitária. Logo no Diálogo Interno e Externo: é o pon- Um abraço e minha bênção a início da nossa fé, somos acolhidos por to de partida para o anúncio do Deus todo o povo de Deus que faz parte mediadores, que respondendo ao cha- da Vida, que acolhe, redime, purifica, das Comunidades Eclesiais de Base. mado de Deus, nos preparam para cul- gera comunhão e envia em missão. tivar e desenvolver a fé a partir da vida A Comunidade – Paróquia deve abrir- http://www.facebook.com/profile. Pe. Fabiano Kleber C. do Amaral php?id=100001269450280 de Comunidade. Assim, os sinais da pre- -se para acolher dinamicamente os vá- Assesor Diocesano das CEBs sença de Deus tornam-se cada vez mais rios carismas, serviços e ministérios. Dia 26 de Julho Álbuns de fotos: Dia das Avós http://picasaweb.google.com/ CEBsMaria Guardam no olhar e em seu rosto, as marcas de toda uma vida, São sinônimos de amor e carinho; Exemplo de experiência e dedicação; Com sua doce presença representa proteção e paciência;Fotos: Bernadete Mota e em todos os momentos sabe ensinar o que significa doação. Que Sant’Ana e São Joaquim intercedam a Deus por ti no céu. Parabéns !!! Homenagem da Equipe de Comunicação Diocesana da CEBs
  3. 3. CEBs - Informação e Formação para animadores 3formação O Destino do Nosso Voto No mês passado refletimos sobre mero varia de um município para outro, garantir a representatividade dos cida- campanhas eleitorais, mas é precisoo clientelismo e a corrupção eleitoral, se você quiser conhecer o quociente dãos, porque o voto dado a um candi- que essa participação tenha bem cla-apontando-os como uma ameaça à de- eleitoral de outros municípios, acesse a dato menos votado ajuda a eleger outro ra as regras do jogo eleitoral. E nuncamocracia. Agora vamos tratar do proces- página do TSE: www.tse.gov.br/eleicoes). candidato do mesmo Partido. Como os esquecer a recomendação de Jesus:so eleitoral propriamente dito. Vamos Pois bem, as vagas na Câmara Munici- Partidos devem ter o mesmo ideário polí- “Eis que vos envio como ove-entrar no assunto fazendo uma pergunta pal não são preenchidas pelos candidatos tico, podemos esperar que todos os can- lhas no meio de lobos; sede poisque pode até parecer boba: você sabe com maior número de votos, e sim pelo didatos e candidatas do mesmo partido prudentes como as serpentes e sim-qual o destino do seu voto? Muita gente total de votos dados aos candidatos do se identifiquem com o seu projeto. Daí a ples como as pombas” (Mt. 10, 16).pensa que o voto vai diretamente para mesmo Partido (isoladamente ou coli- importância de teremo candidato, mas aí existe um “detalhe” gados – mas, para simplificar, deixamos os candidatos a mes-ao qual é preciso ficar atento: a apura- de lado a coligação). Ou seja, cada Par- ma identidade parti-ção dos votos em eleições majoritárias tido soma a votação de todos os seus dária, não reduzindo(como de prefeito) é muito diferente candidatos mais os votos na legenda. o Partido a uma sim-da apuração em eleições proporcionais Se um Partido não alcançar o quociente ples legenda eleitoral.(é o caso da eleição de vereadores). eleitoral, não elegerá vereador e seus Havendo coerência Quando se trata de eleger prefeito votos se “perdem”. Se tiver 31.200, ele- partidária, não exis-municipal, os candidatos disputam uma gerá um vereador, se tiver 2 x 31.200 te “voto perdido” emúnica vaga, sendo eleito quem obtiver a elegerá dois, e assim por diante. Para eleições proporcio-maioria dos votos, por isso é uma eleição preencher as últimas vagas, o número nais (exceto quandomajoritária. Já na eleição de vereadores de votos necessários pode ser inferior o Partido não alcançaos candidatos e candidatas disputam ao quociente eleitoral. São as chamadas o quociente eleitoral).várias vagas (municípios menores têm 7 “sobras”, repartidas entre os Partidos Mas esse sistemavereadores os maiores podem ter até que fizerem pelo menos um vereador. pode também distor-51) e por isso é uma eleição proporcio- É na distribuição das vagas a que cer a representativida-nal Aqui vem o “detalhe” que precisa- tem direito o Partido, que valem os vo- de ao facilitar a eleição de políticos pro- Entender o atual sistema eleitoral,mos conhecer, para não nos deixarmos tos nominais. Se o Partido tiver direito fissionais que estimulam a candidatura com suas regras de afiliação partidá-enganar por políticos espertalhões. a 3 vagas, serão eleitos os 3 candidatos de pessoas desinformadas, somente para ria e apuração dos votos, é importante Para facilitar a compreensão do pro- mais votados do Partido, ficando os se- acrescentarem votos ao seu Partido. Tais para saber qual será o destino do nossocesso, tomemos como exemplo o mu- guintes mais votados como 1º, 2º e 3º políticos induzem pessoas estimadas em voto. Voto para vereador não se “per-nicípio de Belo Horizonte, que em 2004 suplentes. No caso de Belo Horizonte, o suas comunidades a se candidatarem à de”, porque conta como legenda paratinha 1.680.000 eleitores e 41 verea- vereador mais votado na última eleição, Câmara de Vereadores, porque elas tra- um Partido. Informar-se sobre os outrosdores. Como 400.000 pessoas se absti- recebeu 20.157 votos; o menos votado, zem votos sem contudo colocarem em candidatos lançados pelo Partido do can-veram de votar ou votaram nulo, foram 3.685. Nenhum deles teve votação sufi- risco seu favoritismo. Passadas as elei- didato em quem desejamos votar, é tãodados 1.280.000 votos para preencher ciente para alcançar o quociente eleito- ções, essas pessoas descobrem que foram ou mais importante quanto informar-seas vagas na Câmara Municipal: aproxi- ral. Eles só foram eleitos porque foram usadas apenas como alavancas eleitorais. sobre suas qualidades e sua capacidademadamente 31.200 votos por vaga. Este beneficiados pelos votos de seu Partido. Talvez você conheça um desses ca- para o exercício de cargo político. Nãoé o “detalhe” que determina os eleitos: IDENTIDADE PARTIDÁRIA sos em que a politicagem prejudica as esquecer que o voto vai primeiro paraé o quociente eleitoral. (Como esse nú- Esse sistema eleitoral contribui para comunidades: uma pessoa de liderança o Partido e só depois para o candidato. se candidata a vereador, vê seus votos Agora que você conhece o “deta- favorecerem quem não merece e frus- lhe” aonde pode se esconder a poli- tra-se com a política. Isso não acontece ticagem nas eleições para vereador, com quem sabe que sua candidatura procure refletir sobre os candidatos e visa apenas colaborar com seu Partido. candidatas que estão pedindo seu voto. Quando, porém, a pessoa é envolvida na Algumas perguntas podem ajudar: campanha na ilusão de conseguir eleger- •Como essas pessoas apresentam seu -se, a frustração pode ser grande. Em Partido? geral, sua campanha não destaca o Par- •Elas são parte de um projeto político- tido, mas sim sua vida pessoal e familiar, -partidário sério e democrático, ou só vão sua participação na Igreja, sua honesti- “alavancar” algum político profissional? dade pessoal e outros temas alheios à • Você está disposto a colaborar para a vi- política. Por isso não são raros os casos tória de uma candidatura na qual confia? em que líderes usados para alavanca- Se você tem vontade de colaborar, ótimo! rem campanhas de políticos profissio- Mas não se deixe iludir por políticos es- nais provocam divisões na comunidade. pertalhões. VAMOS PARTICIPAR! É evidente que os cristãos leigos Fonte: Escola de Fé e Politica - CEFEP e leigas podem e devem participar de
  4. 4. 4 CEBs - Informação e Formação para animadoresOutro debate é possível e necessário para o bem viver - bem conviver O mês de junho se reveste de matiz sociedade global justa, sustentável e pa- tureza que embala a matéria e expan- Rio+20, ocorre no Brasil e no mundoemergencial, oportuna e remetente ao cífica, voltada para o bem-estar de toda de o espírito dos nossos guerreiros e eventos organizados pelos lutadores edebate de extrema urgência que se tra- a família humana, da grande comunidade guerreiras - também é torturada, vili- lutadoras que não admitem mais desres-ta ouvir os gritos da natureza que geme da vida e das futuras gerações. Que grita- pendiada, assassinada e martirizada. peito ao meio ambiente e exigem o fimem parto de dores. Dia 05 se celebra o va a urgência de mudanças de compor- Mas a grande boa nova é a resistência do martírio da natureza em detrimentoDia Mundial do Meio Ambiente e neste tamentos sob pena de entrarmos 2030 da natureza e dos povos inspirados. de modelos econômicos que podem le-mês acontece e conferência Rio + 20, var dantescas dores a nossa espécie.que é a conferência das Nações Unidas Como exemplo, em Altamira/PA ocor-sobre “desenvolvimento sustentável”. re a Xingu+23, evento que denuncia aEste debate global ocorre em sequên- violentação da Amazônia com os desma-cia à conferência ocorrida 20 anos atrás tamentos e a construção das Hidrelétri-na mesma cidade brasileira (ECO-92). cas, como Belo Monte. Sindicatos, ONGs O que se fez desde a ECO-92 até o (como Greenpeace, etc.), Movimentospresente? A verdade vergonhosa é que as Populares no Brasil e no mundo realiza-“grandes potências” não retardaram seu rão um grande mutirão de protestos eprocesso de super-exploração do planeta, ações vivificadoras do meio ambiente.antes aceleraram a extração de matérias Embora perplexos com os ataques aoprimas; poluem cada vez mais a terra, os planeta e ao meio ambiente pelo vigen-ares, os mares; utilizam energia degra- te modelo irresponsável de “desenvolvi-dante, etc.; ao ponto que para saciar os mento” econômico e, com mais ênfaselucros dos ricos e os delírios consumistas, vivamos o contexto da carta de Paulo aosnecessitamos de quase dez novos plane- Romanos ao ficarmos sem saber o que pe-tas! Nos países em “desenvolvimento”, dir aos Céus, temos que neste tempo pósa exemplo do Brasil, não é diferente, Pentecostes, o Espírito das Vidas interce-veja-se o novo código florestal que vem de por nós e nos anima, vivifica e con-para atender os interesses do agronegó- clama a missionar incansavelmente paracio (mais desmatamento e monocultura que todos tenham vida, inclusive, a mãepara exportação), concedendo anistia natureza, e a tenham em abundância.e estímulos aos assassinos da natureza. Assim, os gritos e gemidos da na- Antonio Gilberto Silvériotureza não foram e não são ouvi- em situação de penúria escatológica. Não estamos sós, com o Deus da Vida, Membro da Irmandade dos Mártires dados nem local, nem globalmente. Nada é impossível de mudar! libertador de todas as formas de vida, te- Caminhada Latino-Americana, Nem se ouve ou fala da Carta da Terra A Irmandade dos Mártires da Ca- mos a resistência de inúmeras entidades, Advogado de Sindicatos e Mov. Popula-ou a Carta dos Povos, elaborada por 4.500 minhada Latino-Americana e a Agen- movimentos, personalidades e forças res, Militante pelos Direitos Humanosentidades no mundo, que trata da decla- da Latino-Americana entendem que a sociais, que ouviram e ouvem o grito da em São José dos Campos/SP.ração de princípios éticos fundamentais Pachamama, mesma terra que acolhe terra. É o Espírito das Vidas que sopra!para a construção, no século XXI, de uma e recolhe o sangue dos mártires - na- Assim, paralelo à conferência oficial Entrevista com Paulo Apóstolo O livro é do conhecido e renomado biblista Carlos Mesters e tem por obje- tivo abrir uma porta de entrada para a vida do apóstolo Paulo e, assim, oferecer uma chave de leitura para as cartas que ele escreveu. É uma porta em forma de Com Jesus na contramão entrevista que procura fornecer a ficha Jesus foi sempre uma pessoa que se posicio- completa do Apóstolo. São 41 perguntas nou ao lado dos pobres e dos excluídos, andando dirigidas a Paulo e respondidas a partir na contramão da sociedade do seu tempo. É isso do conteúdo das cartas do próprio Paulo, que mostra este livro, voltado aos que querem se dos Atos dos Apóstolos e das informa- aprofundar na vida do Filho de Deus ções dos primeiros séculos
  5. 5. CEBs - Informação e Formação para animadores 5 Fotos: Bernadete Mota DEZENA E FESTA DO CORAÇÃO DE JESUS 16 e 17 DE JUNHO de 2012 OPINIÃO DA COMUNIDADE Para nós é uma honra pertencer-mos a uma Paróquia cujo Padroeiro éo próprio Jesus. Nossa Dezena foi ummomento onde pela graça de Deus tor-namos o nosso coração um pouco maissemelhante ao Coração de Jesus. QueEle nos conceda a graça da conversãodiária a ponto do nosso viver ser o mes-mo Dele. Parabéns aos nossos Padres,Seminarista, Diaconos, Movimentos ePastorais que com amor e dedicaçãotornaram nossa Festa mais um gran-de acontecimento em nossas vidas... Nossa paróquia viveu mais um dia suas presenças, permitindo que pudés- 1500 pessoas, apresentação de quadri-e a todo o povo de Deus que com de- de festa de seu padroeiro, foi uma gran- semos nos enriquecer espiritualmente lhas e quermesse à noite acompanhadavoção participou de nossa Dezena. de experiência de comunidade, quando com suas mensagens e jeito de celebrar. de shows que foi do agrado de todos. Elen Messias comemoramos 27 anos de existência. Uma coisa que nos marcou muito, foi A Paróquia Coração de Jesus na pes- É uma história bonita que vem sendo a procissão com os padroeiros de nossas soa de nosso pároco Pe. Rogério e nosso Realmente é um orgulho ser e es- construída ao longo destes anos por igrejas e capelas e de cada comunidade vigário Pe. Lessa e lideranças de pasto-tar nessa Paróquia Coração de Jesus: seus paroquianos, deixando marcas das CEBs. O povo, juntamente com os pa- rais estão de parabéns pelo sucesso daÉ um coração que acolhe , um coração na pedra que jamais serão apagadas. dres, diáconos e seminarista carregando festa de nosso padroeiro. .que ama cada um de nós sem ver as Foi bonito de se ver crianças, ado- os andores, predominando nas roupas a E termino com um trecho do cânticoaparências e atitudes! Coração que sa- lescentes, jovens, adultos e idosos par- cor vermelha que veio dar um colorido em homenagem ao Coração de Jesus.ber partilhar e um Coração que é um ticipando com o mesmo objetivo de todo especial à caminhada. A chegada “Eu vou com fé viver a vida. Levar o amorCoração que temos que se espelhar. fazer da Festa do Coração de Jesus a aconteceu com missa campal, o aniversá- onde faltar. Levo comigo a esperança deNa Dezena e Festa do Nosso Padroei- melhor das festas, preparando as ban- rio de Pe Lessa, a inauguração do Centro todo mundo poder cantar. O meu coração éro tivemos a oportunidade de refletir deirinhas para enfeitar o pátio, deco- de Pastoral Missionária Dom Helder Câ- só de Jesus. A minha alegria é a Santa Cruz”vários temas:”Dai- nos um Coração rando salas e barracas, preparando os mara e a gravação da mensagem MariamaApaixonado por tua palavra,”Dai-nos quitutes, colocando a mão na massa. “Mãe dos homens, de todas as raças, de Valeu gente!!!!um coração igual ao teu”,” Dai-nos Gente atarefada pra lá e pra cá para todas as cores, de todos os cantos da Ter- Luiz Marinhoum Coração Eucarístico”,”Dai-nos um dar conta do recado e o que se nota- ra” mexeu com a emoção de muita gente. Equipe Paroquial das CEBs.Coração Mariano”,”Dai-nos um Cora- va era o brilho nos olhos de quem se O almoço: macarronada com frango paração Missionário”,”Dai-nos um Coração doava por uma causa; “ Construir co-apaixonado pela comunidade”, Entre munidade vivendo a comunhão”; sãooutros... Foi um momento de Reti- coisas como estas que enchem a todosro Espiritual ! Foi muito bom ... váriasgraças e milagres foram alcançados de orgulho e nos dão muita satisfação.com essa Dezena do Coração de Jesus! Esta nossa festa veio coroar a Dezena Bruno Andrade do Coração de Jesus que neste ano teve como tema principal : “COM JESUS A VIDA Realmente, nunca paraticipei de É MAIS FELIZ” , e alguém duvida?. Os te-uma festa tão linda igual a do Coração mas das missas foram trabalhados pelosde Jesus. A procissão mais bela que já vi. diversos padres que nos honraram com Isabel Goretti Nossa festa foi abundantementeabençoada. Muitos afastados sentiramde perto o amor que emana do Coraçãode Jesus, e confirmaram uma grandeverdade: “Com Jesus a vida é mais Feliz” Silvia Cipriano
  6. 6. 6 CEBs - Informação e Formação para animadoresACONTECEU Formação Nas REGIÕES PASTORAIS Fotos: Silvia Macedo Formação das Regiões Pastorais iii e iV Tema: “Liderança, Dirigente ou Direção?” “Não foram vocês que me escolhe- caram presença no encontro o Pe. Vitorram...” (Jo 15,16) Mendes Santos, Pe. José Edward Paduan, Assessorada por Mauro Kano, as regi- seminarista Francisco José da Silva, diá-ões III e IV se reuniram dia 03 de junho cono Carlos Roberto Firmino.na Capela São Judas, Paróquia Santa Lu-zia, num clima de muita alegria e cordia- Maria das Graças B. Farias - Coord.lidade para refletir sobre “Liderança”; as Paroquial Santuários São Judas Tadeuformas de ser liderança e a postura dolíder. O encontro teve início às 07h30 comcafé, oração inicial e palavra do assessor. As 11h00 Pe. Fabiano Kleber celebroua Santa Missa e a seguir um apetitosoalmoço motivou os participantes para operíodo da tarde. Animou o encontro o grupo de cantoda Paróquia Coração Eucarístico. Mar- Fotos: Bernadete Mota Formação da Região Pastoral V Tema: “CEBs Palavra de Deus na vida do povo segundo Marcos” Domingo, 24 de junho, aconteceu na ao chamado) e ser peregrino (estar à ca- Casa de Retiros Coração de Jesus no Torrão minho), entusiasmados e comprometi- de Ouro, a formação da RP-5 com o tema: dos com o nosso ser e fazer, pois Jesus CEBs Palavra de Deus segundo Marcos. nos quer do tamanho que ele nos fez. A formação teve como assessor o O Encontro encerrou às 12h, com a bela professor de Teologia Edivaldo. Também oração da Mãe Negra de Aparecida. estavam presentes: o coordenador dio- cesano José Hamilton Tavares, os coorde- Cidinha Souza - Animadora do Setor 16. nadores paroquiais, os animadores, e o Paróquia Coração de Jesus padre Fabiano (assessor da CEBs) e com- pareceu também o padre Alexsandro Ra- mos (pároco da paróquia Nossa Senhora Aparecida). Vimos nessa formação que o evan- gelho de Marcos é a porta para conhecer- mos Jesus, sua maneira de ser e atuar nas comunidades. O objetivo do evangelho de Marcos é colocar o leitor diante de Je- sus, que é o filho de Deus. Quanto mais humanos formos, mais semelhantes seremos à imagem de Deus. Todo cristão deve traduzir a palavra de Deus em sua vida diária, dando assim continuidade ao evangelho. E para que isso aconteça, devemos seguir o exemplo de Jesus tendo uma vida orante (de inti- midade com Deus), ser discípulo (atento
  7. 7. CEBs - Informação e Formação para animadores 7ACONTECEU Fotos: Maria Matsutacke Formação das Regiões Pastorais VI e VII Na formação contamos com a asses- trabalho etc”. (professor Sérgio Couti- 2. Eclesial, porque é Igreja de Jesussoria do Seminarista Jairo Augusto que nho, assessor do Setor CEBs da Comis- Cristo, Crucificado Ressuscitado. Gentefalou sobre as Diretrizes das Comunidades são Episcopal para o Laicato da CNBB). que pela fé recebida pelo Batismo, bus-Eclesiais de Base. Pudemos observar que 1. Comunidade, porque reúne pessoas ca uma vivência cristã como resposta ào texto atualizado ainda não se encontra ao redor da Palavra de Deus e da realida- missão de ser fermento na massa (cf.disponível para as Comunidades. Conta- de que as envolve. O termo comunidade Mt 5, 13,33). Como núcleos básicos demos com a participação das Comunida- define a estreita relação das pessoas uni- comunidades de fé estão vinculadas àdes São Silvestre, São João e Imaculada. das pela necessária busca por uma vida Igreja Católica e se reúnem para celebrar Fizemos um breve estudo sobre o texto mais digna : “São comunidades, porque a Palavra de Deus e a Eucaristia, fontesque foi analisado na III Assembleia de 2011. reúnem pessoas que têm a mesma fé, de esperança e luz para a caminhada. Refletimos sobre o nascimento das CEBs, pertencem à mesma Igreja e moram na 3. De Base, porque experimen-sua natureza eIdentidade como segue abaixo: mesma região. Motivadas, pela fé, essas ta o desafio de testemunhar a fé no los missionária, no encontro com Jesus, “Antes de qualquer coisa temos que pessoas vivem uma comum-união em dia-a-dia, sobretudo na convivên- guiada pelo Espírito e interpelada peladeixar claro que CEBs não são ‘pastorais’ torno de seus problemas de sobrevivên- cia com a vizinhança na diferença. realidade, Escuta, Aprende e Anuncia oe muito menos ‘movimento’. São co- cia, de moradia, de lutas por melhores - Acima de tudo, a razão de ser da Reino de Deus para a humanidade toda.munidades de base eclesial e não uma condições de vida e de anseios e espe- Comunidade que é a Igreja é Evangeli- “As CEBs (Comunidades ecle-comunidade de base qualquer, como ranças libertadoras”. (Frei Betto, O que zar, a Missão faz parte da sua natureza: siais de base) têm sido escolas queum grupo de vizinhança, de amigos de é comunidade eclesial de base. Pg.17). difundir a mensagem de Jesus sobre o têm ajudado a formar cristãos com- Reino de Deus. Por isso, as CEBs devem prometidos com sua fé, discípulos e ser família (hospitaleiras), samaritana missionários do Senhor”. (DA 178) (servidoras) celebrativa (na ação litúr- Assim, cabe a cada liderança não perder gica da fé), profética (transformado- a esperança e continuar caminhando. Ter ra) e missionária (aberta ao mundo). como lema perseverar sempre. Deixar o Je- - Uma Comunidade Cristã nunca de- sus Histórico conduzir os nossos caminhos. veria fechar-se em si mesma. Lembrando que Missão é um modo de ser antes de Maria Cristina P. Machado ser uma atividade – vivemos uma espiri- Coordenadora da RP VII das CEBs tualidade missionária. A Igreja Discípu- Fórum das Pastorais Sociais Fotos: Maria Matsutacke A abertura foi realizada para os diferentes grupos ou diferentes e marginalizados encontra-se a razão da pelo Bispo Dom Moacir Silva e facetas da exclusão social, tais como, por ação solidária. Os Bispos, em Aparecida, auxiliado com os comentários exemplo, a realidade do campo, da rua, recordaram que “o encontro com Jesus do Pe. Geraldo Magela. A ora- do mundo do trabalho, da mobilidade Cristo através dos pobres é uma dimen- ção inicial foi preparada pelas humana, e assim por diante. são constitutiva de nossa fé em Jesus EPC e AESI: explicar estas si- • A Pastoral Social tem como finali- Cristo.”. (DA, nº257). glas EPC (Escola de Política e dade concretizar em ações sociais e es- A Palavra de Deus dá os critérios e Cidadania) e AESI (Associação pecíficas a solicitude da Igreja diante de sustenta a ação dos cristãos, por isso, para o Ensino Social da Igreja). situações reais de marginalização. Alertar eles são convidados a ter grande intimi- Entende-se por Pastoral So- para a tarefa de identificar, entre os filhos dade com ela. A Palavra de Deus não é cial a solicitude de toda a Igreja e filhas de Deus, os rostos mais sofridos, somente lida no livro. Ela é consultada para com as questões sociais. com vistas a dedicar-lhes uma solicitude no coração. É ali, guardada com afeto, Trata-se de uma sensibilidade pastoral específica. tornada vida, que ela é capaz de orien- que deve estar presente em A identidade da Pastoral Social da tar. cada diocese, paróquia comuni- Igreja no Brasil é resultado de uma cami- Visto a importância da ação concre- dade; em cada dimensão, setor nhada de longos anos, durante os quais ta da Igreja para a Caridade, as Lide- e pastoral; na catequese, na liturgia foi criado um “rosto” próprio, fruto das ranças das Pastorais Sociais tem uma e nas iniciativas ecumênicas; enfim, muitas ações que aqui e ali se articula- grande e árdua missão para enfrentar deve estar presente nas comunidades vam para firmar o compromisso social e para isto precisa de muita formação, eclesiais de base, nos movimentos... das comunidades cristãs. Para moldar pois precisamos agir na sociedade e o Em outras palavras, deve ser preocu- este rosto, a Igreja do Brasil teve que co- caminho dos conselhos Municipais são pação inerente a toda ação evangeli- nhecer o seu próprio Deserto. algumas portas abertas para implantar zadora. O encontro com o pobre. o Reino de Deus. São serviços específicos a catego- No encontro com o mundo dos po- rias de pessoas e/ou situações também bres, os agentes das Pastorais Sociais Maria Cristina P. Machado específicas da realidade social. Consti- recebem a força e a coragem para seu Coordenadora Diocesana da Comissão tuem ações voltadas concretamente engajamento, pois no rosto dos excluídos Sócio Política e da RP VII das CEBs
  8. 8. 8 CEBs - Informação e Formação para animadores A voz dos animadores e animadoras de ComunidadeMensagens dos leitores: 1. Páscoa, um Itinerário de Fé e Vida. 2. CEBs SANTO EXPEDITO 3 - Paróquia São Judas 4 - Informativo de JunhoEstão nesta foto, Mãe Cida, com filhos e Comunidade Santo Expedito (Paró- Celebração ocorrida no dia 16.05.12 Obrigado por me enviar mais uma belíssi-genro, netos e a querida dona Tereza e quia São João Batista) fundada em 19 de na casa da Sra. Beatriz e do Sr. Oswaldo ma edição do Informativo das CEBs. Gostei daeu, que não apareço, mas faço os encon- outubro de 2007, no bairro Terras de San- no Jardim Topázio – Setor 3 – Paróquia matéria sobre a formação missionária escritatros com muito amor e disposição, por- ta Helena, em Jacareí. A comunidade se São judas – José Renato dos Santos pelo Luiz Marinho (Despertar Missionário)...que falar de DEUS e de seu amor por nós reúne às segundas-feiras, às 19h30, para Estou em Brasília nas POM onde acon-é muito bom. Abraços a todos. a partilha da Palavra e Celebração. As da- tece uma Semana de Formação Missionária Parabenizo pelo informativo de ju- tas comemorativas são 19 de abril, Dia para reitores de seminários e o Pe. José Vieira,nho, sou devota do SAGRADO CORAÇÃO, do Padroeiro Santo Expedito, e 19 de ou- de São José dosCampos está aqui. Comenta-e na minha opinião , ficou lindo. tubro, Dia de Fundação da Comunidade. mos sobre o Seminário e o Despertar Missio- Até breve, com carinho: Informações no e-mail: jotafera@ig.com.br nário... coincidência maravilhosa. Um abraço Sandra Helena - Paróquia Santa Luzia, com muita saúde e paz a todos Comunidade Nossa Senhora do Carmo. Pe. Jaime C. Patias - Revista Missões Fotos: Enviadas pelas Comunidades Comunidade em Festa Adote esta idÉia nas reuniões de comunidade 1ª Semana “Ora Et Labora” da Paróquia São Bento Tema Central: “Ide por todo o mundo e levai o Evangelho a toda criatura” Troque os copos plásticos descartáveis, De 08 a 15 de Julho, às 19h30. No Sábado e Domingo às 18h00. Dia 15 de Julho – Dia do Padroeiro – Missa às 18h00. por canecas e copos duráveis. A paróquia de São Bento fica na Avenida Elízio Galdino Sobrinho, nº 514 no Jardim Morumbi, em São José dos Campos. Fotos: Bernadete Mota Tríduo Preparatório à Festa de Nossa Senhora do Carmo De 13 a 15 de Julho, às 19h30. No Sábado e Domingo, às 19h00. Dia 16 de Julho – Dia dedicado a Nossa Senhora do Carmo – Missa às 19h30. O Santuário do Carmo fica na Avenida General Carneiro, s/ nº no Centro de Jacareí. Festa da Padroeira da Paróquia de Sant’Ana Tema Central: Verbum Domini (A Palavra do Senhor) De 20 a 29 de Julho, às 19h30. No Sábado e Domingo às 18h00. Nas 6ª-feiras, nos dias 20 e 27, missa às 19h00. Dia 29 de Julho – Dia da Padroeira – Missa às 09h00, seguida da procissão. A Paróquia de Sant’Ana localiza-se à Rua Guaianazes, nº 278, Aproveite o copo de requeijão! no bairro de Santana em São José dos Campos. O meio ambiente agradece! Publicação Mensal das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) da Diocese de São José dos Campos – Diretor: Dom Moacir Silva – Diretor Técnico: Pe. Fabiano Kleber Cavalcante Amaral - Jornalista Responsável: Ana Lúcia Zombardi - Mtb 28496 – Equipe de Comunicação das CEBs: Coordenadora: Maria Bernadete P. Mota de Oliveira - Vice Coordenador: Luiz Antonio de Oliveira - Integrantes: Paulo José de Oliveira, Maria Helena Moreira e Ângela Ferreira - Colaboradores: Madalena das Graças Mota e Celso Correia Diagramação: Maria Bernadete de Paula Mota Oliveira - Correção: Maria Lairde Lopes de Siqueira Ravazzi - Revisão: Pe. Fabiano Kleber Cavalcante Amaral - Arte Final e Impressão: Katú Editora Gráfica - Tiragem: 6.200 Exemplares Sugestões, críticas, artigos, envie para Bernadete. Fale com a Redação... Av. Ouro Fino, 1.840 - Bosque dos Eucalíptos CEP 12.233-401 - S. J. Campos - SP Esperamos seu contato! E-mail do informativo: tremdascebs@diocesesjc.org.br

×