Your SlideShare is downloading. ×

Documento 92 CNBB

1,214

Published on

Documento 92 CNBB

Documento 92 CNBB

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,214
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
59
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. ‘‘ MENSAGEM AO POVO DE DEUS SOBRE AS COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE’’ Doc. 92 - CNBB sobre as CEBs coni MENSAGEM AO POVO DE DEUS SOBRE AS COMUNIDADES c es ECLESIAIS DE BASE IAIS ES CL SE IL 1962 - 2012 DE SE RAS IDA E BA O B N D MU DCO A IG RE JA oikou N men 92 e 25
  • 2. Arquidiocese de Vitória Departamento Pastoral Rua Soldado Abílio dos Santos, 47 Cidade Alta - Caixa Postal 107 CEP 29015-620 - Vitória - ES Telefone: (27) 3223-6711e-mail: mitra.secretariapastoral@aves.org.br CEBI - Centro de Estudos BíblicosRua Duque de Caxias, 121, Ed. Juel, Sala 206 Centro - Vitória – Cep 29010-120 Telefone – (27) 3223-0823/ 9945-2068 Atendimento: 2ª a 6ª feiras 13h às 19hBlog: http://portrasdapalavra.blogspot.com Email:cebies@yahoo.com.br
  • 3. ORIENTAÇÕES GERAISEsse bloco de Círculos Bíblicos é um pedido da Coordenaçãode Pastoral das 04 dioceses da Província Eclesiástica do EspíritoSanto – Sub Regional ES – Leste II. Ele procura recordar aimportância, a missão e os principais aspectos desse “Jeito novode ser Igreja”, que são as CEBs. Ele tem como base o documento92 da CNBB – “Mensagem ao Povo de Deus das ComunidadesEclesiais de Base”, aprovado na 48ª Assembleia Geral dos Bisposdo Brasil, em 2010.Algumas orientações:- Círculo Bíblico: poderá ser realizado também em outrosmomentos da vida da Comunidade, por isso dever ser guardadocom carinho para ser usado em outra oportunidade;- Documento 92: É sempre bom conhecer e estudar em grupoo próprio documento 92, (e outros) que os bispos nos escrevem.Vocês poderão encontrá-lo nas livrarias católicas e é bem fácil deler e entender;- Ambiente: O local do encontro deve ser preparado com assugestões possíveis. A equipe encarregada de dirigir o encontrodo dia prepare tudo com carinho.- Acolhida: deve ficar a cargo dos donos da casa ou de quemanima o grupo. As pessoas que vêm pela primeira vez devem serapresentadas ao grupo.- Abertura: no início e ao longo do encontro, cantar algum hinorelacionado ao tema do dia.“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 3
  • 4. - Partilhando a Vida: deve ser mais valorizada com a participaçãode todos.- Palavra de Deus: cada encontro traz um texto bíblico para serlido, meditado, rezado e conversado.- Gesto Concreto: é sempre um convite para se rever aspectosimportantes da vida de Comunidade; conversar sempre com ogrupo a melhor maneira de realizá-lo.- Celebrando a Vida: tem por finalidade ajudar o grupo a rezar.- Pai Nosso: É bom sempre fazer uma motivação especial.- Avisos: Avisar aquilo que de fato é essencial. Equipe de Redação e Elaboração dos Círculos Bíblicos CEBI-ESPágina 4 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 5. APRESENTAÇÃO Irmãos e irmãs, esse bloco de Círculos Bíblicos, quechega até vocês, nasceu da preocupação em divulgar aquiloque os Bispos do Brasil nos escrevem sobre as ComunidadesEclesiais de Base (CEBs). Vejamos: “As CEBs em nosso país nasceram no seio da Igreja-Instituição e tornaram-se ‘um novo modo de ser Igreja’.Pode-se afirmar que é ao redor delas que se desenvolve e sedesenvolverá cada vez mais, no futuro, a ação pastoral eevangelizadora da Igreja” (Doc. 25 CNBB, n. 03) Os bispos em Aparecida documentaram: “queremosreafirmar e dar novo impulso à vida e à missão profética esantificadora das CEBs, no seguimento de Jesus. Elas têmsido uma das grandes manifestações do Espírito na Igreja daAmérica Latina e Caribe depois do Vaticano II.” “As Comunidades Eclesiais de Base (CEBs)representam, hoje, a continuidade deste mesmo fenômeno, noseio da Igreja. Elas representam uma maneira de ser Igreja, deser comunidade, de fraternidade, inspirada na mais legítimae antiga tradição eclesial. Teologicamente são, hoje, umaexperiência eclesial amadurecida, uma ação do Espírito nohorizonte das urgências de nosso tempo.” (Mensagem ao Povode Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” (Doc. 92 –CNBB – sobre as CEBs). “No caminhar em busca de vida comunitária, constata-se a presença das comunidades eclesiais de base, as CEBs, que,alimentadas pela Palavra, pela fraternidade, pela oração e pela“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 5
  • 6. Eucaristia, são sinal, ainda hoje, de vitalidade da Igreja. Sãotambém presença eclesial junto aos mais simples, partilhandoa vida e com ela se comprometendo em vista de uma sociedadejusta e solidária. Veem-se atualmente desafiadas a nãoesmorecer, mas a discernir, na comunhão da Igreja, caminhospara enfrentar os desafios oriundos de um mundo plural,globalizado, urbanizado e individualista. Também elas sedeparam com os desafios da mudança de época.” (Doc. 94 –CNBB: Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja noBrasil – 2011 – 2015). Dedicamos essas palavras a todas as pessoas que fazemhistória de Fé e Vida em cada uma das nossas ComunidadesEclesiais de Base (CEBS). Bom trabalho e bom estudo, na força do Ressuscitado, Vitória, 1º de outubro de 2012 Festa de Santa Terezinha – Padroeira das Missões Pe. Manoel David Neto Equipe de Divulgação do CEBI-ESPágina 6 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 7. ORAÇÃO INICIAL Vinde, Espírito de Deus, com o Filho e com o Pai, inundai a nossa mente, nossa vida iluminai. Boca, olhos, mãos, sentidos, tudo possa irradiar o amor que em nós pusestes para aos outros inflamar. Vos pedimos, neste encontro, Dai-nos vossa proteção, Seja força em nossa vida, Guia a nossa oração. Nossa vida de comunidade, Nosso pedido é que proteja, Conduzi as nossas CEBs Jeito novo de ser Igreja. A Deus Pai e ao seu Filho por vós dai-nos conhecer. Que de ambos procedeis dai-nos sempre firmes crer.“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 7
  • 8. 1º ENCONTRO Tema: “Ser Igreja em Comunidade”01 - PREPARANDO O AMBIENTE Colocar a Bíblia em lugar de destaque. Preparar também: alguns elementos que recordem ou fazem parte da vida e da história desta Comunidade onde o grupo se reúne; uma vela; o tema do encontro de hoje.02 - ACOLHIDA É bom que seja feita pela família que acolhe, mas principalmente todas as pessoas do grupo devem se acolher mutuamente. Apresentar de maneira especial os/as novatos/ as no grupo. Escolher um hino aconchegante.Canto: Quando o espírito de Deus soprou03 – SAUDAÇÃO INICIAL(Cantar)Todos: Em nome do Pai, em nome do Filho, em nome do Espírito...Em nome do Pai, em nome do Filho, em nome do EspíritoSanto. Amém! / A graça do Pai, o amor de Deus Filho, oEspírito Santo com a gente, Amém! / Amém, Aleluia. Amém,aleluia. Amém, aleluia, aleluia amém! (cantar)04 – INTRODUÇÃOAnimador/a: Estamos iniciando este bloco de Círculos Bíblicoscom a proposta de conhecermos o Documento 92 da ConferênciaNacional dos Bispos do Brasil (CNBB).Página 8 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 9. Leitor/a 1: Este documento foi aprovado na 48ª Assembleia dosBispos em maio de 2010. Ele tem como titulo “Mensagem aoPovo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”, as CEBs.Entretanto, ele ainda é pouco conhecido pelas ComunidadesEclesiais de Base do Brasil.TODOS: LUTAR E CRER VENCER A DOR, LOUVAR AOCRIADOR.....Leitor/a 2: Para explicar o que são as Comunidades Eclesiaisde Base os bispos do Brasil buscam inspiração no segundoTestamento, especialmente nas Cartas Paulinas, onde aparecemdiversas referências à igreja que se reúne nas casas (cf. 1Cor16,19; Rm 16,5; Fl 2; Cl 4,15). Para esses primeiros cristãos,o lar com seu ambiente familiar era a igreja. A partir daqueleslares, surgiram ministérios e estruturas que moldariam a Igreja,através dos séculos.Leitor/a 1: Os Bispos do Brasil escrevem assim: “AsComunidades Eclesiais de Base (CEBs) representam, hoje, acontinuidade deste mesmo fenômeno, no seio da Igreja. Elasrepresentam uma maneira de ser Igreja, de ser comunidade,de fraternidade, inspirada na mais legítima e antiga tradiçãoeclesial. Teologicamente são, hoje, uma experiência eclesialamadurecida, uma ação do Espírito no horizonte das urgênciasde nosso tempo”.Canto: Somos gente nova05 - PARTILHANDO A VIDAAnimador/a: O Documento 92 da CNBB é o segundo documentoespecífico que os Bispos do Brasil dedicam às Comunidades Eclesiais deBase (CEBs). O primeiro foi escrito em maio de 1982: “ComunidadesEclesiais de Base na Igreja do Brasil”, documento 25.“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 9
  • 10. Leitor/a 1: O Documento 25 foi escrito como uma maneira dedefinir e reconhecer as milhares de Comunidades que surgiram apartir do Concílio Vaticano II. Foram se organizando nas periferias,na zona rural, nos bairros de classe média, nas ocupações, onde opovo estava. Essas CEBs foram se consolidando como um lugarde celebração, reunião, compromisso com a vida e encontro doPovo de Deus, a partir de um novo jeito de ser Igreja.PARA CONVERSAR:Como nasceu a Comunidade onde nós participamos? De quemaneira ela começou? Qual é a história da nossa Comunidade:datas, pessoas, compromissos, realidade inicial?06 - ORAÇÃO INICIAL (para todos os dias)07 - SITUANDO O TEXTO BÍBLICOLeitor/a 1: O texto que vamos ouvir é da primeira carta de Pauloaos tessalonicenses. Essa carta foi a primeira escrita por Paulo etambém foi o primeiro escrito do Segundo Testamento.Leitor/a 2: Tessalônica é uma cidade que fica perto do mar (hojeGrécia). Ali, chegavam navios do mundo todo. Sua populaçãoera diversificada: cada qual com sua cultura, língua, deuses,folclore, superstições e tradições. A maioria do povo era pobre.Eram escravos e carregadores do porto, que não participavamdas decisões. Não tinham voz nem vez.Leitor/a 3: Paulo chegou em Tessalônica no ano 51 EC (eracomum), vindo de Filipos (At 17,1-15). Depois de algunsmeses de pregação, foi forçado a sair da cidade, junto com seuscompanheiros de missão. Mas a Comunidade que ali se formoucontinuou se reunindo e se fortalecendo no seguimento de Jesus.Canto: Buscai primeiro o Reino de DeusPágina 10 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 11. 08 - TEXTO BÍBLICO: 1Ts 1,2-6 Após a proclamação do texto bíblico, deixar um tempinho em silêncio para que as pessoas possam meditar.09 - PARTILHANDO A PALAVRAAnimador/a: Vamos refletir e partilhar: a) Destaque os principais aspectos do texto bíblico que mais chamaram a atenção das pessoas do grupo; Quais são as principais qualidades e valores b) que Paulo elogia na vida de Comunidade dos Tessalonicenses? De que maneira essas qualidades vividas por c) aquela Comunidade pode nos ajudar em nossa vida de Comunidade hoje?10 - GESTO CONCRETOAnimador/a: Os Bispos nos dizem: “Os Encontros Intereclesiaisdas CEBs são patrimônio teológico e pastoral da Igreja no Brasil.Desde a realização do primeiro, em 1975 (Vitória – ES), reúnemdiversas dioceses para troca de experiência e reflexão teológica epastoral acerca da caminhada das CEBs”.Leitor/a 2: “Foram doze encontros nacionais, diversos encontrosde preparação em várias instâncias (paróquias, dioceses,regionais) e, desde a realização do 8º Intereclesial ocorrido emSanta Maria – RS (1992), são realizados seminários de preparaçãoe aprofundamento dos temas ligados ao encontro”.Leitor/a 1: Eles continuam dizendo: “Manifestação visível daeclesialidade das CEBs, os Encontros Intereclesiais congregambispos, religiosos e religiosas, presbíteros, assessores e assessoras,animadores e animadoras de comunidades, bem como convidadosde outras igrejas cristãs e tradições religiosas. Neles se expressa acomunhão entre os fiéis e seus pastores”.“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 11
  • 12. Algumas pessoas ficam responsáveis por pesquisar: história e informações – lugar, ano, tema, etc - sobre os 12 encontros Intereclesiais de CEBs que já aconteceram no Brasil e apresentar para o grupo no próximo encontro.Canto: Nossa alegria é saber que um dia11 - CELEBRANDO A VIDAAnimador/a: Queremos rezar hoje em comunhão com as irmãse os irmãos de cada uma das milhares de Comunidades Eclesiaisde Base do Brasil, da América Latina, África e tantos outroslugares, que vivem e celebram a sua fé no Cristo Ressuscitado.Leitor/a 1: Vamos rezar juntos com D. José Belvino doNascimento – Bispo Emérito de Divinópolis (MG) que nosbrindou com uma bonita “Profissão de Fé nas CEBs”.Crianças: Eu creio nas CEBs, porque creio na igreja comocomunidade de fé, de esperança e amor.Adolescentes/ Jovens: Eu creio nas CEBs, porque creio naeficácia da oração de Jesus. “Que eles sejam um, como tu, Pai,estás em mim e eu em ti” (Jo 17,21)Adolescentes/ Jovens: Eu creio nas CEBs, porque creio naeficácia da oração de Jesus. “Que eles sejam um, como tu, Pai,estás em mim e eu em ti” (Jo 17,21)Adultos: Eu creio nas CEBs, porque creio ser possível umacomunidade cristã, onde todos sejam “um só coração e uma sóalma” (At 4,32).Página 12 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 13. TODOS: CREIO SENHOR, MAS AUMENTAI MINHA FÉ!(cantar)Crianças: Eu creio nas CEBs, porque creio em comunidade quevivem em profunda comunhão, não de simples reunião, mas deverdadeira união, fruto de sincero amor.Adolescentes / Jovens: Eu creio nas CEBs, porque creio nascomunidades cheias de ardor missionário, capazes de levar aBoa Notícia de Deus aos corações, as paróquias, as dioceses, asIgrejas do mundo inteiro.Adultos: Eu creio nas CEBs, porque creio nas comunidadesgeradoras de fé, de vida e de união, com suas celebrações festivase com seu testemunho de vivencia cristã.TODOS: CREIO SENHOR, MAS AUMENTAI MINHA FÉ!(cantar)Crianças: Eu creio nas CEBs, onde a Palavra de Deus é ouvida,partilhada e confrontada com o dia a dia, nesta simbiose divinade fé e vida.Adolescentes / Jovens: Eu creio nas CEBs, celebrando aEucaristia e o Culto a Deus, e celebrando a partilha dos dons eserviços, só por amor.Adultos: Eu creio nas CEBs, estes pequenos grupos de pessoas e“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 13
  • 14. de famílias, onde as relações de profunda comunhão e fraternidadelevam a uma intima convivência pela fé em Jesus Cristo.TODOS: CREIO SENHOR, MAS AUMENTAI MINHA FÉ!(cantar)Crianças: Eu creio nas CEBs, reunindo-se nas Igrejas, nascapelas, nas casas, nas salas e salões, e até debaixo das árvores,aprendendo a amar, a servir, a sonhar...Adolescentes / Jovens: Eu creio nas CEBs, formadas pela baseda Igreja, que são os Leigos, vivendo nas situações concretasda vida do povo, construindo o Reino de Deus para um mundomelhor.Adultos: Eu creio nas CEBs, como células vivas da Igreja, não sónas regiões rurais, mas também nas grandes cidades, onde sejamtalvez uma das únicas formas de evangelização urbana moderna.TODOS: CREIO SENHOR, MAS AUMENTAI MINHA FÉ!(cantar)Crianças: Eu creio nas CEBs, como germe de produção humanae de desenvolvimento Eclesial, político e social, como fruto dafé, como gesto de esperança, como testemunho de amor.Adolescentes / Jovens: Eu creio nas CEBs, como sementeira defuturos líderes políticos e sociais que façam de sua fé a raiz, dePágina 14 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 15. sua esperança a força, e de seu amor o segredo para a promoçãodo bem comum.Adultos: Eu creio nas CEBs, por um principio de fé: o Evangelhoque pode levar-nos a superar os instrumentos e as estruturas demorte.TODOS: CREIO SENHOR, MAS AUMENTAI MINHA FÉ!(cantar)Crianças: Eu creio nas CEBs, pelos muitos frutos de renovação,de união, de solidariedade e de justiça que já nos tem dado emtantos lugares e durante tanto tempo.Adolescentes/Jovens: Eu creio nas CEBs, abençoadas pelaIgreja, aprovadas pelo Papa, admiradas por bispos e sacerdotes,e apoiadas por cristãos sérios, que levam a sério o grito de Jesuspela união e pelo amor bem vivido e muito sofrido.Adultos: Eu creio nas CEBs, que farão nossas comunidadeseclesiais mais evangelizadoras, como redes de comunidades,unidas entre si e formando um belo conjunto de vida paroquial.TODOS: CREIO SENHOR, MAS AUMENTAI MINHA FÉ!(cantar)Crianças: Eu creio nas CEBs, onde os corações se abrem eos braços estendem para acolher, confortar, e socorrer a tantosirmãos e irmãs marginalizados e excluídos, os pobrezinhos, ospreferidos de Jesus.“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 15
  • 16. Adolescentes/Jovens: Eu creio nas CEBs, porque creio emmuitos irmãos e irmãs, em muitos sacerdotes e religiosos, emmuitos bispos e no santo padre, o Papa, que também acreditamnelas por este mundo a fora.Adultos: Eu creio nas CEBs, miniaturas da Igreja, onde conviveme sofrem e lutam, e se amam, e se ajudam, e se animam irmãos eirmãs nossos, com suas pastorais ativas, com seus movimentosparticipativos, com suas alegrias e angustias, mas sempre comseu sonho infindável de serem felizes.TODOS: CREIO SENHOR, MAS AUMENTAI MINHA FÉ!(cantar)Filhos(as): Eu creio nas CEBs, porque creio na SantíssimaTrindade, a comunidade perfeita: em Deus, que é Pai de todos;em Jesus Cristo, que é esperança de todos; e no Espirito Santo,que é fonte de amor, de justiça e paz!...Pais/ Mães: Irmãos e irmãs, pensando na felicidade de tantos,pensando no bem da Igreja na glória de Deus, é que faço, dofundo do coração, está Profissão de Fé: Eu creio nas ComunidadesEclesiais de Base!TODOS: AMÉM!12 – PAI NOSSO Motivar de acordo com a realidade do grupo.Página 16 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 17. 13 - ORAÇÃO FINALAnimador/a: Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e,sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; olhai pornossas Comunidades Eclesiais de Base e redobrai de amor paraconosco, a fim de que, seguindo o exemplo da Santíssima Trindade,vivamos em comunidades mais fraternas e acolhedoras. Ajudai-nos para que possamos dar testemunho de unidade e comunhãoe sejamos assim sinal da justiça e do amor que constrói o vossoReino que também é nosso. Por Nosso Senhor Jesus Cristo naunidade do Espírito Santo. Amém! .14 – AVISOS - É bom combinar e organizar todas as casas onde vão acontecer os outros encontros; - Estudar e conhecer mais sobre o Evangelho da Comunidade de Lucas que começará a ser lido nas Celebrações Litúrgicas a partir do Tempo do Advento e durante o ano de 2013; - Os diversos grupos vão fazer uma Celebração de encerramento juntos? Como vai ser? Onde? - Vai haver alguma confraternização no último encontro? Se houver é bom combinar melhor. - A Novena de Natal já está sendo organizada na Comunidade?15 - BÊNÇÃO FINALAnimador/a: O Deus de toda consolação disponha na sua paznossos dias e nos conceda as suas bênçãos. AMÉM!Animador/a: Sempre nos liberte de todos os perigos e confirmeos nossos corações em seu amor. AMÉM!Animador/a: E assim, ricos em esperança, fé e caridade,possamos viver praticando o bem e chegarmos felizes à vidaeterna. AMÉM!Animador/a: Abençoe-nos o Deus Misericordioso, Pai, Filho eEspírito Santo. AMÉM!Canto: Agora é tempo de ser Igreja“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 17
  • 18. 2º ENCONTRO Tema: “CEBs – serviço e profecia”01 - PREPARANDO O AMBIENTE Colocar a Bíblia em lugar de destaque. Preparar também: um pão ou outro alimento para ser partilhado no momento celebrativo; fotos ou nomes de algum/a mártir; uma vela; instrumentos musicais.02 - ACOLHIDA Preparar um momento aconchegante, pedindo que as pessoas se apresentem; cantar um refrão de acolhida.03. SAUDAÇÃO INICIALAnimador/a: Irmãos e irmãs, nossa vocação é comunitáriadesde sempre, porque o nosso Deus é Comunidade, é Comunhão.Estamos reunidos/as em nome do PAI, DO FILHO E DOESPÍRITO SANTO. AMÉM!04. INTRODUÇÃOAnimador/a: Estamos dedicando nossa reflexão nos CírculosBíblicos ao Documento 92 da Conferência Nacional dos Bisposdo Brasil (CNBB). É um documento que propõe pensar aimportância das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs).Leitor/a 1: Aprendemos desde o Concílio Vaticano II que “A essênciaíntima de Deus não é a solidão, mas a comunhão de três divinas pessoas.É a comunhão que faz a Igreja ser ‘comunidade de fiéis’. A comunhãoe a comunidade devem estar presentes em todas as manifestaçõeshumanas e em todas as concretizações eclesiais.” (Doc 92, p.12).Página 18 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 19. REFRÃO: FAZEMOS COMUNHÃO CONSTRUINDOA UNIDADE,/ É NOSSA VOCAÇÃO SERVIR ACOMUNIDADE./ COM CRISTO NOSSO IRMÃO, NOSERTÃO E NA CIDADE.Leitor/a 2: Ser Comunidade, vivendo em comunhão é assumir ocompromisso na defesa da vida, em todos os lugares e situaçõesonde esta estiver ameaçada. Por isso “A realidade das CEBsse expressa na liturgia e também na diaconia e na profecia. Adiaconia educa, cura as feridas, multiplica e distribui o pão echama para a solidariedade e a comunhão. A profecia anunciao desígnio de Deus e denuncia os abusos, a mentira, a injustiça,a exploração e exige a conversão. Por isso, sofre perseguição,difamação, morte.”CANTO: Canto dos Mártires da caminhada5. PARTILHANDO A VIDALeitor/a 2: Nesta caminhada de Comunidade, muitos irmãos eirmãs entregaram suas vidas e nos deixaram seu testemunho defé e amor aos pobres, aos fracos, desamparados e discriminados.No Brasil lembramos Pe. Ezequiel Ramim, Pe. Jozimo Tavares,Ir. Doroty, Zilda Arns.Leitor/a 1: Aqui em nosso estado do Espírito Santo podemosdestacar os nomes de Francisco Domingos Ramos, Verino Sossai,Paulo Damião Tristão (Purinha), Valdício Barbosa dos Santos(Léo), José Modenezi, Padre Gabriel, Irmã Cleusa e outros.Para conversar:O que sabemos sobre esses mártires? O que eles fizeram?Onde trabalharam? Por que foram mortos?“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 19
  • 20. 06 - ORAÇÃO INICIAL (para todos os dias)07 - SITUANDO O TEXTO BÍBLICOLeitor/a 1: O Evangelho da Comunidade de Marcos foi escritopor cristãos e cristãs da segunda geração, entre os anos 66 a 70 daEra Comum (EC). A Comunidade estava vivendo uma situaçãodifícil, em meio a uma guerra entre judeus e romanos.Leitor/a 2: Diante dos conflitos e das perseguições a comunidaderegistra as memórias da ação libertadora de Jesus, em suacaminhada pela Galileia, junto ao povo explorado e empobrecido.Canto: A Palavra de Deus já chegou...08 - TEXTO BÍBLICO: At 4,32-3509 - PARTILHANDO A PALAVRAAnimador/a: No Documento 92 lemos que “são espaçosprivilegiados de leitura bíblica nas CEBs os círculos bíblicos egrupos de reflexão. Neles o povo se coloca como sujeito eclesial,assume seu lugar na comunidade e na sociedade.” Por isso,vamos partilhar o texto bíblico que ouvimos. a) O que mais chamou sua atenção no texto? Destacar as diversas pessoas que aparecem. b) A partir do texto bíblico, qual era a situação vivida pelo povo naquela época? Enquanto Comunidades Cristãs, o que podemos c) aprender com o gesto de Jesus?Página 20 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 21. 10 - GESTO CONCRETO Existem na Igreja diferentes formas das Comunidades celebrarem o Domingo – o Dia do Senhor. a) Algumas comunidades têm todo Domingo a Celebração da Eucaristia. b) Outras têm Celebração da Palavra todo Domingo, com a distribuição da Eucaristia e a Celebração da Eucaristia uma vez por mês. c) Outras ainda possuem somente a Celebração da Palavra, sem a distribuição da Eucaristia e a Celebração da Eucaristia quando o padre pode ir até elas. Fazer um levantamento dessas e de outras formas de celebrar o Domingo e conversar com o grupo sobre esse assunto.11. CELEBRANDO A VIDAAnimador/a: Lemos no documento 92 que “a Eucaristia está nocentro da vida de nossas comunidades de base. É o sacramentoque expressa comunhão e participação de todos e todas, comonuma grande família, ao redor da Mesa do Pai.”Leitor/a 1: Nossos pastores recordam também que: “Comonossas CEBs, em sua maioria, ‘não têm oportunidade de participarda Eucaristia dominical’, por falta de ministros ordenados,elas podem alimentar seu já admirável espírito missionárioparticipando da ‘celebração dominical da Palavra’, que fazpresente o mistério pascal no amor que congrega (cf. 1 Jo 3,14),na Palavra acolhida (cf. Jo 5,24-25) e na oração comunitária (cf.Mt 18,20)’ (DAp. n. 253)”.Leitor/a 2: Vamos, então, neste momento celebrativo louvarao nosso Deus Trindade pela sua presença na Palavra e no Pão.Rezemos com a letra do canto de Zé Vicente, Pão em todas asmesas:“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 21
  • 22. A mesa tão grande e vazia de amor e de paz (de paz)! Onde háluxo de alguns, alegria não há, jamais!A mesa da eucaristia nos quer ensinar (ah, ah), Que a ordem deDeus nosso Pai é o pão partilhar.TODOS: PÃO EM TODAS AS MESAS; DA PÁSCOAA NOVA CERTEZA: A FESTA HAVERÁ E O POVO ACANTAR, ALELUIA (BIS)As forças da morte: a injustiça e a ganancia de ter (de ter).Agindo naqueles que impedem ao pobre viver (viver). Sem terra,trabalho e comida a vida não há (não há). Quem vive assim e nãoage, a festa não vai celebrar.TODOS: PÃO EM TODAS AS MESAS; DA PÁSCOA...Irmãos companheiros na luta, vamos dar as mãos (as mãos). Nagrande corrente do amor, na feliz comunhão, irmãos.Unido a peleja e a certeza vamos construir aqui na terra o projetode Deus todo povo a sorrir.TODOS: PÃO EM TODAS AS MESAS; DA PÁSCOA...Que em todas as mesas do pobre, haja festa de pão, (de pão). E asmesas dos ricos, vazias, sem concentração, de pão!Busquemos aqui nesta mesa, do Pão redentor, do céu A força e aesperança, que faz todo povo ser povo de Deus.TODOS: PÃO EM TODAS AS MESAS; DA PÁSCOA...Bendito o Ressuscitado, Jesus vencedor (ô ô), No pão partilhadoa presença ele nos deixou (deixou)!Bendita é a vida nascida de quem se arriscou (ô ô), Na luta praver triunfar neste mundo o amor!Página 22 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 23. TODOS: PÃO EM TODAS AS MESAS; DA PÁSCOA...(Realizar um gesto de partilha com o pão ou outro alimentoentre todos os participantes, que antecipa a realização doReino de Deus)Canto: Pão em todas as mesas12 – ORAÇÃO DO PAI NOSSO13 – AVISOS14 – ORAÇÃO FINALAnimador/a: Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperame, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo;olhai por nossas Comunidades Eclesiais de Base e redobraide amor para conosco, a fim de que, seguindo o exemploda Santíssima Trindade, vivamos em comunidades maisfraternas e acolhedoras. Ajudai-nos para que possamos dartestemunho de unidade e comunhão e sejamos assim sinal dajustiça e do amor que constrói o vosso Reino que também énosso. Por Nosso Senhor Jesus Cristo na unidade do EspíritoSanto. Amém!15 – BÊNÇÃO FINALAnimador/a: O Deus da vida e da resistência nos dê a graça devivermos em fraterna comunhão e fervorosos na missão. Que elederrame sobre nós a sua força de vida, agora e sempre. Amém.Canto: Se calarem a voz dos profetas“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 23
  • 24. 3º ENCONTRO Tema: “CEBs - Cuidando da Vida”01 - PREPARANDO O AMBIENTE Preparar um local no chão ou em cima de uma mesa: a Bíblia, flores, toalha, se possível o doc. 92; o nome do/a padroeiro/a da CEB com a data de criação da comunidade, frase “50 anos Concílio Vaticano II (1962-1965)”, faixa com os nomes das ações sociais que a CEB participou ou participa; velas para todos e papel para escrever..Canto: É por causa do meu povo02 - ACOLHIDA Feita pela pessoa mais antiga da CEB que está presente no encontro ou um representante do conselho da comunidade.Animador/a: Sejam bem-vindos, todos e todas a esta casa. Apresença de vocês muito nos anima e nos alegra. Queremosrefletir juntos sobre a caminhada das nossas comunidades. Nossaação missionária é muito importante na construção do Reino deDeus, que também é nosso. Convidar os participantes a fazer um instante de silêncio e uma oração pessoal, depois cantar o mantra. Enquanto cantamos, vamos receber a luz que será colocada junto à Palavra.Todos: Ó luz do Senhor que vem sobre a terra, inunda meuser, permanece em nós. (bis).Página 24 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 25. 03 – SAUDAÇÃO INICIALAnimador (a): Irmãos e irmãs, saudemos a Trindade Santa, cantando:TODOS: Em nome do Pai que nos criou, do Filho que nossalvou e do Espírito Santo que nos une por Amor. Amém,Amém, Amém (3x) Para todos sempre. Amém.04 – INTRODUÇÃOAnimador/a: A experiência das CEBs não surgiu de umplanejamento prévio, mas de um impulso renovador, como umsopro do Espírito, já presente na Igreja no Brasil. Esse impulsorenovador se manifesta de forma crescente nos anos 50 e 60 doséculo 20.Leitor/a 1: No Brasil a realidade da ditadura militar (1964-1985)sufocava o povo brasileiro. A maioria da população enfrentavadifíceis condições de trabalho e de moradia. Pessoas ou gruposque falavam em participação, em direitos, conscientização,greve, reivindicação, partido, sindicado, ou qualquer outra coisaque demonstrasse uma postura mais crítica diante da realidade,sofria perseguição.TODOS: IGREJA É POVO QUE SE ORGANIZA,/ GENTEOPRIMIDA BUSCANDO LIBERTAÇÃO/ EM JESUSCRISTO, A RESSURREIÇÃO.Animador/a: O compromisso da Igreja, pastores e fiéis, com avida do povo, em muitos lugares foi a tábua de salvação para opovo pobre. Começou então uma luta de organização dos pobresem busca dos direitos em todo o Brasil, tanto no campo quantonas cidades. E começaram então a surgir muitas organizaçõespopulares, cada uma a partir das suas necessidades e motivaçõespróprias.TODOS: IGREJA É POVO QUE SE ORGANIZA...“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 25
  • 26. Leitor/a 2: Nestes 50 anos do Concílio Vaticano II asComunidades Eclesiais de Base, no Brasil e no estado do EspíritoSanto, mostraram e mostram um rosto de igreja comprometida epreocupada com a vida do povo, assumiram muitas lutas sociais,se comprometeram profeticamente com a causa dos excluídos emarginalizados.Leitor/a 1: Estamos nos preparando assim para celebrar o 10ºEncontro Estadual de Cebs, em 2013 - Cachoeiro de Itapemirime o 13º Intereclesial, em janeiro de 2014, na cidade de Juazeirodo Norte – Ceará.TODOS/AS: CEBS CUIDANDO A VIDA.CANTO: Nossa alegria é saber que um dia05 - PARTILHANDO A VIDAAnimador/a: As CEBs têm despertado em seus membros aespiritualidade do cuidado com a vida: dos seres humanos, detodas as formas de vida existentes e com a vida do Planeta Terra.A espiritualidade do cuidado tem motivado o surgimento degestos e atitudes éticas de respeito, de veneração, de ternura, decooperação solidária, de parceria, que promovam a inclusão detodos e de tudo no mistério da vida. (cf. doc. 92, p. 19) Escrever no papel uma palavra que expresse essa atividade social e de compromisso.Para Conversar:Ao longo dos anos em nossa Comunidade, quais foram asprincipais atividades sociais, seja em defesa da vida humana,da natureza, de compromisso com os excluídos, que nósparticipamos, organizamos ou nos envolvemos? O queaprendemos com elas?Página 26 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 27. CANTO: Somos gente nova06 – ORAÇÃO INICIAL (para todos os dias)07 – SITUANDO O TEXTO BÍBLICOAnimador/a: O texto que iremos ler hoje é do Evangelho dacomunidade de Mateus. Ele foi escrito, aproximadamente, 50anos após a morte e ressurreição de Jesus.Leitor/a 1: A Comunidade de Mateus, localizada em Antioquiada Síria, olha para sua própria vida. Diante de seus conflitos,medos e esperanças, ela busca recordar os ensinamentos de Jesus,já ressuscitado, e perceber como Ele agia diante dessas situações.Animador/a: Essa experiência de Jesus feita pelas comunidadesfoi tão forte que elas diziam e repetiam: Ele está no meio de nós.Essa Palavra hoje é dirigida a nós. De que maneira ela poderá nosajudar na vida de comunidade ou na nossa vida familiar e pessoal?08 - ACOLHIDA DA PALAVRAAnimador/a: Vamos acender nossas velas na vela que está nocentro. Cantemos para acolher o Livro da Palavra da justiça e doamor. Ela nos aquece, ilumina e nos anima em nossa caminhada.(Enquanto o livro da Palavra é trazido de fora cantemos...)Canto: A Palavra de Deus vai chegando vai (bis) É Palavrade Libertação (bis)É a experiência do povo (bis)“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 27
  • 28. 09 - TEXTO BÍBLICO (Mt 5,1-12) O texto pode ser lido dialogado, mas é importante que seja preparado com antecedência, pois todos precisam entender a leitura e a mensagem. Após a leitura fazer um instante de silêncio para meditação da Palavra de Deus.Canto: A Palavra de Deus já chegou! Nova luz clareou para o povo (bis)Quando a Bíblia Sagrada se abriu, todo o povo já viu mundo novo! (bis)10 - PARTILHA DA PALAVRA a) Destacar, com a ajuda do grupo, cada uma das Bem- aventuranças apresentadas por Jesus neste texto. b) De acordo com a Comunidade de Mateus, Jesus apresenta as Bem-aventuranças como critério para ser feliz. De que maneira então, aquela Comunidade estava vivendo o seu dia a dia? c) Em nossa comunidade e sociedade atual, quais são as Bem-aventuranças que ainda estamos precisando aprender e viver em nosso dia a dia?CANTO: Agora é tempo11 - GESTO CONCRETO Destacar a importância e o papel das mulheres que mais marcam a vida e a história da Comunidade onde vocês moram e outras. Usar fotos ou outro símbolo que lembre o trabalho delas.12 – CELEBRANDO A VIDAAnimador/a: Jesus convocou discípulos e discípulas para estarem comEle. Também hoje Ele discípulos e discípulas para estarem com Ele ed’Ele aprenderem o amor ao Pai, a fidelidade ao Espírito e o compromissopara a transformação do mundo em mundo de irmãos e irmãs.Leitor/a 1: Alimentados pela Palavra de Deus (FÉ) e pela presençana luta das Comunidades Eclesiais de Base e os movimentossociais por justiça (VIDA), vamos dirigir nossos pedidos ao Deusda vida por meio de seu filho Jesus. Que Ele nos ajude em nossoprocesso de libertação. Após cada pedido digamos....Página 28 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 29. TODOS: CAMINHA CONOSCO, JESUS!Leitor/a 2: Jesus de Nazaré ajude cada um de nós, em especialao povo simples das nossas comunidades a continuar firmes emsua fé e em suas lutas. Rezemos...TODOS: CAMINHA CONOSCO, JESUS!Leitor/a 1: Jesus de Nazaré desperte a nossa juventude para quese faça presente cada vez mais em todos os movimentos sociais,mostrando uma força nova para a caminhada. Rezemos...TODOS: CAMINHA CONOSCO, JESUS!Leitor/a 2: Jesus de Nazaré anime e fortaleça os trabalhadorese as trabalhadoras do campo, em nosso estado a lutarem cadavez mais por um pedaço de terra digno e a produzirem alimentossadios sem agrotóxicos. Rezemos...TODOS: CAMINHA CONOSCO, JESUS!Leitor/a 1: Jesus de Nazaré diante de tanto desânimo, tristezae individualismo, anima o nosso povo a recomeçar, despertar ea se interessar cada vez mais por grandes questões que afetama vida de todas as pessoas, como por exemplo a importânciada preservação da natureza, ficha limpa e o direito de nascer.Rezemos...TODOS: CAMINHA CONOSCO, JESUS!(As preces podem continuar espontaneamente.)CANTO: Eu quero ver13 - PAI NOSSOAnimador/a: A caminhada das primeiras Comunidades Cristãsna busca das realizações dos sonhos de paz, justiça, vida digna,natureza preservada, terra e pão para todos, proposto por JesusCristo não foi fácil.“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 29
  • 30. Leitor/a 1: Também hoje em nossas CEBs precisamos saberenfrentar os desafios próprios de nossa época. Busquemosinspiração no exemplo das primeiras comunidades que souberamenfrentar sua realidade desafiadora.Leitor/a 2: A oração do Pai Nosso que vamos rezar quer seruma motivação para a nossa vida pessoal e comunitária. De mãosdadas como irmãos/as unidos na fé e na vida, rezemos: Pai Nossoque...CANTO: Irá chegar14 – ORAÇÃO FINALAnimador/a: Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e,sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; olhai pornossas Comunidades Eclesiais de Base e redobrai de amor paraconosco, a fim de que, seguindo o exemplo da Santíssima Trindade,vivamos em comunidades mais fraternas e acolhedoras. Ajudai-nos para que possamos dar testemunho de unidade e comunhãoe sejamos assim sinal da justiça e do amor que constrói o vossoReino que também é nosso. Por Nosso Senhor Jesus Cristo naunidade do Espírito Santo. Amém!15 – AVISOS16 – BÊNÇÃO FINALAnimador/a: O Deus, Pai Criador, multiplique os missionários emissionárias, em cada uma das nossas Comunidades Eclesiais deBase; sustente a alegria, a esperança, os sonhos de nosso povo enos fortaleça em nossa caminhada, na Fé e na Vida. Abençoe-nosDeus fonte de vida: Pai, do Filho e do Espírito Santo.Todos: Amém!CANTO: Deus chama a gente para um mundo novo.Página 30 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 31. 4º ENCONTRO Tema: “CEBs – Espírito de abertura ecumênica e diálogo inter-religioso”01 - PREPARANDO O AMBIENTE Colocar a Bíblia em destaque, título do Documento 92 da CNBB, cartaz Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos 2012 ou o tema da mesma, objeto que recorde a Pastoral da Criança e outras, flores ou plantas verdes.Canto: Somos gente da esperança02 - ACOLHIDA Fazer uma acolhida carinhosa. Não esquecer: as pessoas que estão chegando e os que participam continuamente. Dar atenção às crianças, jovens e idosos.03 – SAUDAÇÃO INICIALAnimador/a: Irmãs e irmãos, aqui nos reunimos em nome doPai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.Cantemos...Canto: A gente tem um mundo pra celebrar04 – INTRODUÇÃOAnimador/a: Continuamos nosso Círculo Bíblico refletindosobre o Documento 92 da CNBB, Comunidades Eclesiais deBase, especial para a Província Eclesiástica do Espírito Santo.Os bispos do Brasil apontam para nós o “Espírito de aberturaecumênica e diálogo inter-religioso”, de nossas CEBs. Elesafirmam:“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 31
  • 32. Leitor/a 1: “Uma das dimensões da espiritualidade cultivadaspelas CEBs é a do diálogo ecumênico e inter-religioso, que sedá pela abertura ao mundo do outro, promovendo a unidadena diversidade e buscando as semelhanças na diferença. Estaespiritualidade dialogal tem sido assumida pelas CEBs como umamissão de fraternidade cristã, numa atitude de profundo respeitoàs demais manifestações religiosas, em busca da comunhãouniversal. Essa espiritualidade nasce do desejo expresso porJesus: ‘Que todos sejam um!’ (Jo 17,21)”.TODOS: DE MÃOS DADAS A CAMINHO / PORQUEJUNTOS SOMOS MAIS, / PRA CANTAR O NOVO HINO /DE UNIDADE, AMOR E PAZ.Leitor/a 2: Diversas atividades já são realizadas em nossascomunidades como um sinal dessa busca ecumênica. Podemosrecordar a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, otrabalho da Pastoral da Criança que não faz discriminação depessoas, os grupos de solidariedade para com os pobres queajudam pessoas católicas ou não; os trabalhos e campanhassociais em favor da vida, da justiça e do bem comum.Leitor/a 1: Não podemos porém esquecer duas verdades:‘busquemos em primeiro lugar o que nos une e deixemos de ladoaquilo que nos separa’; ‘ninguém consegue ser ecumênico comos outros (na presença) se não for ecumênico também quandoestá sozinho’.TODOS: DE MÃOS DADAS A CAMINHO / PORQUEJUNTOS SOMOS MAIS, / PRA CANTAR O NOVO HINO /DE UNIDADE, AMOR E PAZ.05 – PARTILHANDO A VIDAAnimador/a: Existem ainda algumas pessoas que ficampregando o ódio e a separação entre pessoas de igrejas oureligiões diferentes. Mas se fomos criados pelo mesmo Deus eJesus morreu por todos nós, faz sentido essa guerra que aconteceuno passado e algumas pessoas tentam alimentar ainda hoje?Página 32 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 33. Para conversar:Como é a experiência ecumênica vivida no grupo e na comunidade?Alguém conhece ou já ouviu falar da Comunidade EcumênicaPedra Bonita? É uma Comunidade Ecumênica localizada nointerior do município de Pancas, no estado do Espírito Santo, ondeCatólicos e Luteranos celebram no mesmo templo. (cf. anexo).Canto: Juntos como irmãos06 – ORAÇÃO INICIAL (Para todos os dias)07 – SITUANDO O TEXTO BÍBLICOLeitor/a 1: O livro de Atos é o segundo volume de uma únicaobra que abrange o Evangelho da Comunidade de Lucas e Atosdos Apóstolos. Esse livro foi escrito nos anos 90 da EC (eracomum), possivelmente na região da Ásia Menor ou em Éfeso.Seus autores, provavelmente, são discípulos de Paulo.Leitor/a 1: A Comunidade de Lucas escreveu suas memóriasno período sub apostólico (70-135 E.C). Os destinatários deseus escritos são as Comunidades Paulinas da Segunda Geração,espalhadas especialmente pela Grécia, Macedônia e Ásia menor.Canto: Tua Palavra é lâmpada / para os meus pés, Senhor!Lâmpada para os meus pés, / luz para o meu caminho! (2x)08 – TEXTO BÍBLICO: At 15,22-35 O texto deve ser proclamado calmamente, para que todos acompanhem e entendam o texto bíblico. Leitura do Livro dos Atos dos Apóstolos, capítulo 15, versículos de 22 a 35. Após a leitura permanecer um minuto em silencio antes da partilha da Palavra.“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 33
  • 34. 09 – PARTILHANDO A PALAVRAAnimador/a: Iluminados pela Palavra de Deus, vamospartilhar o que entendemos deste texto bíblico e o que Deustem a nos dizer. a) Destacar as pessoas que aparecem no texto e o que cada uma está fazendo. b) De que maneira o grupo dos apóstolos e anciãos trata, no texto bíblico, os não-judeus de Antioquia? c) O que podemos aprender para nossa vida cotidiana do cuidado da comunidade dos apóstolos e anciãos para com os não-judeus?10 – GESTO CONCRETO Procurar conhecer mais sobre o Ecumenismo pregado pelas Igrejas do CONIC – Conselho Nacional de Igrejas Cristãs, e suas iniciativas, especialmente mais próximo da realidade do grupo, mas sem preconceito ou autossuficiência, conforme fala o Concílio Vaticano II.Animador/a: A busca da unidade das Igrejas recebeu umaexpressão particular com o Concílio Vaticano II (1962-1965), quefoi convocado para uma renovação não só pastoral, mas tambémecumênica. Um documento-chave do Concílio, o Decreto sobre oEcumenismo (Unitatis Redintegratio) sublinhou o dever dos cristãose das cristãs de trabalhar pela restauração da unidade da Igreja:Leitor/a 1: “Cristo Senhor fundou uma só e única Igreja.Entretanto, são numerosas as Comunhões cristãs que se apresentamaos homens como a verdadeira herança de Jesus Cristo. Todos, naverdade, se professam discípulos do Senhor, mas têm pareceresdiversos e caminham por rumos diferentes, como se o próprioCristo estivesse dividido (1Cor 1,13). Esta divisão, porém,contradiz abertamente a vontade de Cristo, e é escândalo para omundo, como também prejudica a santíssima causa da pregaçãodo Evangelho a toda a criatura” (Unitatis Redintegratio, n.1).Página 34 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 35. Canto: Oração de São Francisco11 – CELEBRANDO A VIDAAnimador/a: Irmãs e irmãos, apresentemos a Deus nossaprofissão de fé, na certeza de que independente de igreja oureligião Deus ama todos os seus filhos e filhas. Façamos umaoração do CREDO ECUMÊNICO, de autoria de Carlos AlbertoRodrigues Alves:Leitor/a 1- Cremos num Deus Pai/Mãe, ecumênico,/ Criador de todas as raças.Leitor/a 2 - E em Jesus Cristo, seu amor feito corpo, / Que foiconcebido pelo espírito da vida, / Nasceu do povo, padeceu sobo império / Das verdades-sem-bondade,/ Foi crucificado, mortoe sepultado / Em nossas desavenças religiosas, / Ressuscitou aoterceiro dia / E está presente na saudade, / Na luta e na esperançados homens e mulheres de boa vontade.Leitor/a 3 - Cremos no Espírito da unidade, / Na religião dasolidariedade, / Na ressurreição dos corpos oprimidos, Nacomunhão universal de todos os povos, / No eterno reino da paze da justiça e na vida eterna.TODOS: AMÉM!Canto: Eu creio num mundo novo12 – PAI NOSSOAnimador/a: Rezemos neste encontro, especialmente, unidos atodos os cristãos e cristãs, a oração do Pai Nosso Ecumênico.Rezemos também por aqueles que professam a fé em um Deusdiferente do nosso, como disse Jesus, “quem não está contra nósestá a nosso favor”. Pai Nosso....“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 35
  • 36. 13 - ORAÇÃO FINALAnimador/a: Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e,sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; olhai pornossas Comunidades Eclesiais de Base e redobrai de amor paraconosco, a fim de que, seguindo o exemplo da Santíssima Trindade,vivamos em comunidades mais fraternas e acolhedoras. Ajudai-nos para que possamos dar testemunho de unidade e comunhãoe sejamos assim sinal da justiça e do amor que constrói o vossoReino que também é nosso. Por Nosso Senhor Jesus Cristo naunidade do Espírito Santo. Amém!14 – AVISOS - Os diversos grupos vão fazer uma Celebração de encerramento juntos? Como vai ser? Onde? - Vai haver alguma confraternização no último encontro? Se houver é bom combinar melhor. - A Novena de Natal já está sendo organizada na Comunidade?15 – BENÇÃO FINALAnimador/a: “Que a terra abra caminhos sempre à frente dosteus passos. E que o vento sopre suave os teus ombros. Que osol brilhe sempre cálido e fraterno no teu rosto. Que a chuva caiasuave entre teus campos. E até que nos tornemos a encontrar.Deus te guarde no calor do seu abraço. E até que nos tornemos aencontrar. Deus te guarde, Deus nos guarde em seu abraço”. Emnome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.Canto: Segura na mão de DeusPágina 36 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 37. 5º ENCONTRO Tema: “CEBs – a Igreja e seus desafios”01 – PREPARANDO O AMBIENTE Colocar a Bíblia em lugar de destaque. Preparar também: alguns elementos que recordem ou fazem parte da vida e da história desta Comunidade onde o grupo se reúne; uma vela; o tema do encontro de hoje. Usar uma boneca que possa ser desmontada representando um corpo e a comunidade.02 – ACOLHIDA É bom que seja feita pela família que acolhe, mas principalmente todas as pessoas do grupo devem se acolher mutuamente. Apresentar de maneira especial os/as novatos/ as no grupo. Escolher um hino aconchegante.Canto: Quando o espírito de Deus soprou03 – SAUDAÇÃO INICIALTodos: Em nome do Pai, em nome do Filho, em nome doEspírito Santo. Amém! / A graça do Pai, o amor de DeusFilho, o Espírito Santo com a gente, Amém! / Amém, Aleluia.Amém, aleluia. Amém, aleluia, aleluia amém! (cantar)04 – INTRODUÇÃOAnimador/a: Estamos chegando ao último encontro destebloco de Círculos Bíblicos. E os nossos bispos ouvindo, vendoe conhecendo a realidade de nossa gente nos apontam algunsdesafios.“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 37
  • 38. Leitor/a 1: Eles dizem: “A sociedade contemporânea, cada vezmais globalizada, tornou-se ambiente propício ao anonimatodas pessoas, perdidas dentro dos mecanismos das macro-organizações, das burocracias e da consequente uniformizaçãode comportamentos. O processo de globalização aproximou ospovos, mas criou também grande padronização nos modos deser, pondo em risco as diferenças culturais”.TODOS: LUTAR E CRER, VENCER DOR, LOUVAR OCRIADOR, JUSTIÇA E PAZ HÃO DE REINAR E VIVA OAMOR!Leitor/a 2: Chamam a nossa atenção: “Apesar dessa fortetendência à homogeneidade cultural, articula-se, lenta eintensamente, uma reação, no sentido de criar comunidades nasquais as pessoas se conheçam e sejam reconhecidas, podendo serelas mesmas em suas biografias, dizer sua palavra, ser acolhidase acolher, atendendo pelo nome próprio. Assim, vão surgindogrupos e pequenas comunidades por toda parte”.Leitor/a 1: “Os membros das CEBs são discípulos de Cristoe ajudam a formar outras comunidades. Em meio a grandesextensões geográficas e populacionais, a comunidade eclesial debase requer que as relações sejam de fraternidade, partilha devida, de bens e da própria experiência de fé. Ela deve provocarum encontro permanente com a Palavra de Deus e celebrar naliturgia, na alegria e na festa, a salvação que Jesus Cristo nostrouxe”.TODOS: LUTAR E CRER, VENCER DOR, LOUVAR OCRIADOR, JUSTIÇA E PAZ HÃO DE REINAR E VIVA OAMOR!Página 38 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 39. 05 – PARTILHANDO A VIDAAnimador/a: Vivemos numa sociedade cheia de desafios: aspessoas pouco se conhecem e se relacionam (anonimato); sãoindividualistas e consumistas (cada um só pensa em si); existempessoas perdidas e isoladas buscando seguir sempre qualquertipo de moda que aparece. A solução já está presente naspequenas Comunidades Eclesiais de Base (e outros grupos) ondeas pessoas possam ser acolhidas, chamadas pelo nome, viverrelações fraternas, solidárias, ter voz e ter vez. PARA CONVERSAR:Como são vividas em nosso grupo essas realidades que osbispos nos apontam e chamam a nossa atenção? Como temosenfrentado esses desafios em nosso meio?Canto: Nós somos o povo06 – ORAÇÃO INICIAL (para todos os dias)07 – SITUANDO O TEXTO BÍBLICOLeitor/a 1: Vamos ouvir um texto da primeira carta de Pauloaos coríntios. Ela foi escrita pelo Apóstolo entre os anos 52 a54. Paulo chegou à cidade de Corinto em 51 EC (era comum),durante sua segunda viagem, permanecendo ali 18 meses.Leitor/a 2: Corinto era uma das cidades mais importantes doImpério Romano. Tinha em torno de 400 mil habitantes, namaioria migrante. O poder político e econômico estava nas mãosde poucas pessoas. Elas viviam explorando os pobres e escravos,deliciando-se com festas, música, teatro e jogos. Paulo entrouem Corinto, mas não pela porta dos poderosos, e sim pela dosescravizados, dos crucificados da história, dos quais a sociedadenada espera a não ser sua mão-de-obra gratuita.Canto: Pela Palavra de Deus....“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 39
  • 40. 08 – TEXTO BÍBLICO: 1Cor 12,12-26 “O texto é longo e deve ser proclamado com tranquilidade e de forma orante, para que as pessoas possam ir acompanhando e entendendo o significado. Usar a boneca para representar o corpo da Comunidade.”09 – PARTILHANDO A PALAVRA a) A Comunidade como Corpo de Cristo: Retomar com o grupo alguns aspectos importantes que mais chamaram a atenção. b) Quais são, no texto bíblico, os sentimentos, atitudes e compromissos que a Comunidade de Corinto precisa cultivar para se tornar Corpo de Cristo? c) uais atitudes, sentimentos, compromissos nossas Q Comunidades Eclesiais de Base – e toda a Igreja - precisam aprender do exemplo da Comunidade de Corinto?10 – GESTO CONCRETOAnimador/a: Nossos bispos recordam a nós que: “Osmembros das CEBs são discípulos de Cristo e ajudam a formaroutras comunidades. A experiência da fé e da participaçãofaz amadurecer a comunidade eclesial de base, e lhe conferecaracterísticas próprias de modo a levá-la a um relacionamentofraterno de igualdade com as demais comunidades pertencentesà mesma paróquia. Com isso, a matriz-paroquial ganha maiorrelevância pastoral na medida em que passa a exercer a funçãode articuladora das comunidades”.Leitor/a 1: E mais: “Exortamos que a paróquia procure setransformar em “rede de comunidades e grupos, capazes de searticular conseguindo que seus membros se sintam realmentediscípulos missionários de Jesus Cristo em comunhão”(Documento de Aparecida n. 172), tendo por modelo as primeirascomunidades cristãs retratadas nos Atos dos Apóstolos (At 2 e 4).Página 40 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 41. Existe alguma equipe, pastoral ou mesmo alguma outra comunidade que esteja com muitas dificuldades para caminhar? O grupo deve pensar um gesto concreto que ajude à comunidade crescer em unidade e comunhão.Canto: Nossa alegria é saber que um dia11 - CELEBRANDO A VIDAAnimador/a: Queremos nos unir ao Papa Bento XVI e a todasas Comunidades que formam a Igreja no mundo inteiro e rezara ORAÇÃO PELAS COMEMORAÇÕES DOS 50 ANOS DOCONCÍLIO VATICANO IILeitor/a 1: Divino Espírito Criador, que encheis de vida a face da terrae conduzis a Igreja, vós inspirastes a realização do Concílio Vaticano II.Leitor/a 2: No cinquentenário desse grande dom feito à vossaIgreja, concedei a nós o mesmo ardor e entusiasmo, que inspiroua realização do Concílio.TODOS: RENOVAI-NOS NA FÉ!Leitor/a 1: Alimentados pela Palavra de Deus e fortalecidos pelacelebração dos santos Mistérios, vivamos em profunda comunhãoeclesial e caminhemos na alegria e na esperança.Leitor/a 2: Fiéis à vossas inspirações e fortalecidos por vossossete dons, perseveremos na busca da unidade entre todos osdiscípulos de Cristo.TODOS: RENOVAI-NOS NA FÉ!Leitor/a 1: Vossa graça fecunde nosso anúncio e testemunhomissionário e manifeste ao mundo a verdade do Evangelho.“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 41
  • 42. Leitor/a 2: No espírito de diálogo e serviço, que de vós procede,saibamos promover a justiça, o amor e a paz entre todos.TODOS: RENOVAI-NOS NA FÉ!Leitor/a 1: Guiados por vossa luz, caminhemos confiantes para o reinoda vida sem fim, e contemplemos a vós, unido ao Filho e ao Pai. Amém!12 – PAI NOSSO Motivar de acordo com a realidade do grupo.13 - ORAÇÃO FINALAnimador/a: Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperame, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo;olhai por nossas Comunidades Eclesiais de Base e redobraide amor para conosco, a fim de que, seguindo o exemploda Santíssima Trindade, vivamos em comunidades maisfraternas e acolhedoras. Ajudai-nos para que possamos dartestemunho de unidade e comunhão e sejamos assim sinal dajustiça e do amor que constrói o vosso Reino que também énosso. Por Nosso Senhor Jesus Cristo na unidade do EspíritoSanto. Amém!14 – AVISOS - Como estão os preparativos para a Novena do Natal? As ruas estão marcadas? As pessoas que vão coordenar os grupos já estão se preparando? É bom combinar e organizar todas as casas onde vão acontecer os outros encontros; - Estudar e conhecer mais sobre o Evangelho da Comunidade de Lucas que começará a ser lido nas Celebrações Litúrgicas a partir do Tempo do Avento e durante o ano de 2013; - Fazer uma Avaliação de 2012 e um Planejamento de Círculos Bíblicos para o próximo ano e entregar na comunidade.Página 42 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 43. 15 – BÊNÇÃO FINALAnimador/a: O Deus de toda consolação disponha na sua paznossos dias e nos conceda as suas bênçãos. AMÉM!Animador/a: Sempre nos liberte de todos os perigos e confirmeos nossos corações em seu amor. AMÉM!Animador/a: E assim, ricos em esperança, fé e caridade,possamos viver praticando o bem e chegarmos felizes à vidaeterna. AMÉM!Animador/a: Abençoe-nos o Deus Misericordioso, Pai, Filho eEspírito Santo. AMÉM!Canto: Ó Pai somos nós o povo eleito16 – CONFRATERNIZAÇÃO“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 43
  • 44. CANTOS01. QUANDO O ESPÍRITO DE DEUS SOPROU1. Quando o espírito de Deus soprou, / o mundo inteiro seiluminou, /a esperança na terra brotou, / e um povo novo deu-seas mãos e caminhou.Lutar e crer, / vencer a dor, / louvar o criador. / Justiça e pazhão de reinar. / E viva o amor.2. Quando Jesus a terra visitou, / a Boa-Nova da justiça anunciou;/ o cego viu, o surdo escutou, / e os oprimidos da corrente libertou.3. Nosso poder está na união: / o mundo novo vem de Deus e dosirmãos. / vamos lutando contra a divisão / e preparando a festada libertação.4. Cidade e campo se transformarão! / Jovens unidos na esperançagritarão! / A força nova é o poder do amor! / nossa fraqueza éforça em Deus libertador!02. SOMOS GENTE NOVASomos gente nova vivendo a união,Somos povo semente de uma nova nação ê, ê....Somos gente nova vivendo o amor,Somos comunidade, povo do senhor, ê, ê...1.Vou convidar os meus irmãos trabalhadores:Operários, lavradores, biscateiros e outros mais.E juntos vamos celebrar a confiança,Nossa luta na esperança de ter terra, pão e paz, ê, ê.2. Vou convidar os índios que ainda existem,As tribos que ainda insistem no direito de viver.E juntos vamos reunidos na memória,Celebrar uma vitória que vai ter que acontecer, ê, ê.3. Convido os negros, irmãos no sangue e na sina;Seu gingado nos ensina a dança da redenção.Página 44 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 45. De braços dados, no terreiro da irmandade,Vamos sambar de verdade, enquanto chega a razão, ê, ê.4- Desempregados, pescadores desprezados,E os marginalizados, venham todos se ajuntar.À nossa marcha para a nova sociedade,Quem nos ama de verdade, pode vir, tem um lugar, ê, ê.03. BUSCAI PRIMEIRO O REINO DE DEUS1. Buscai primeiro o Reino de Deus /e a sua justiça. /E tudo maisvos será acrescentado. / Aleluia! Aleluia!2. Não só de pão o homem viverá,/ mas de toda palavra, /queprocede da boca de Deus / Aleluia! Aleluia!3. Se vos perseguem por causa de mim / não esqueçais o porquê./ Não é o servo maior que o Senhor / Aleluia! Aleluia!04. AGORA É TEMPO DE SER IGREJAAgora é tempo de ser Igreja, caminhar juntos participar (bis).1 - Somos povo escolhido, e na fronte assinalado com o nome doSenhor, que caminha ao nosso lado.2. Somos povo em missão, já é tempo de partir. É o Senhor quenos envia em seu nome a servir.3. Somos povo esperança, vamos juntos planejar. Ser Igreja aserviço, e a fé testemunhar.4. Somos povo a caminho, construindo em mutirão. Nova terra,novo Reino de fraterna comunhão.05. CANTO DOS MÁRTIRES DA CAMINHADA1 - Venham todos, cantemos um canto que nasce da terra,/ cantonovo de paz e esperança em tempos de guerra. / Nesse instante háinocentes tombando nas mãos de tiranos. / Tomar terra, ter lucro,matando, são esses seus planos.“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 45
  • 46. Eis o tempo de graça! / Eis o dia da libertação! De cabeçaserguidas,/ de braços unidos, irmãos! / Haveremos de verqualquer dia/ chegando a vitoria:/ O povo nas ruas,/ fazendoa história, crianças sorrindo em toda nação. ( bis )2 - Lavradores: Raimundo, José, Margarida, Nativo.../ Assumirsua luta e seu sonho por nós é preciso! / Nós havemos de honrartodo aquele que caiu lutando / contra os muros e cercas da mortejamais recuando!3 – Companheiros, no chão desta pátria é grande a peleja! / Noaltar da igreja o seu sangue , bem vivo, lateja! / Sobre as mesas decada família há frutos marcados / e há flores vermelhas, gritandopor sobre os roçados.4 – O’ Senhor, Deus da vida, escuta esse nosso cantar,/ poiscontigo o ovo oprimido há de sempre contar!/ Para além dainjúria e da morte conduz nossa gente!/ Que o teu Reino triunfena terra deste continente!06. A PALAVRA DE DEUS JÁ CHEGOUA palavra de Deus já chegou!Nova luz clareou para o povoQuando a Bíblia Sagrada se abriuTodo pobre ja viu mundo novo!1. Quem andava espalhado se juntouQuem vivia como cego enxergouPor todo canto já nasceu comunidadeE no caminho da verdadePágina 46 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 47. Muita gente já entrou2. Quem vivia explorado protestouQuem calava só por medo já gritouPor todo canto os pequenos vão se unindoA liberdade vai surgindoE todo velho renovou3. A semente da Palavra se espalhouCaiu no campo-coração-de-lavradorPela favela a semente germinouE na colheitaVai ter festa, meu Senhor!07. PÃO EM TODAS AS MESAS1. A mesa tão grande e vazia de amor e de paz (de paz)! Onde háluxo de alguns, alegria não há, jamais!A mesa da eucaristia nos quer ensinar (ah, ah), Que a ordem deDeus nosso Pai é o pão partilhar.PÃO EM TODAS AS MESAS; DA PÁSCOA A NOVACERTEZA: A FESTA HAVERÁ E O POVO A CANTAR,ALELUIA (BIS)2. As forças da morte: a injustiça e a ganância de ter (de ter).Agindo naqueles que impedem ao pobre viver (viver). Sem terra,trabalho e comida a vida não há (não há). Quem vive assim e nãoage, a festa não vai celebrar.“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 47
  • 48. 3. Irmãos companheiros na luta, vamos dar as mãos (as mãos).Na grande corrente do amor, na feliz comunhão, irmãos. / Unidoa peleja e a certeza vamos construir aqui na terra o projeto deDeus todo povo a sorrir.4. Que em todas as mesas do pobre, haja festa de pão, (depão). E as mesas dos ricos, vazias, sem concentração, de pão! /Busquemos aqui nesta mesa, do Pão redentor, do céu A força e aesperança, que faz todo povo ser povo de Deus.5. Bendito o Ressuscitado, Jesus vencedor (ô ô), No pãopartilhado a presença ele nos deixou (deixou)! / Bendita é a vidanascida de quem se arriscou (ô ô), Na luta pra ver triunfar nestemundo o amor!08. PRESENÇA DE DEUSEu sinto a presença de Deus é na luta, é na luta! (estribilho)1. Jesus Cristo, irmão, companheiro, seu exemplo deixou paranós. Vamos todos olhar para a frente e ajudar muita gente semvez e sem voz.2. Quando o povo encara de frente as pessoas que estão no poder,é o Espírito Santo que age e vai dando coragem pra luta vencer.3. Quando o povo está reunido, exigindo os direitos que tem, vaiformando a comunidade na grande irmandade na busca do bem.4. Quando o povo está refletindo os problemas da sociedade, oEspírito Santo ilumina e a todos ensina a vencer a maldade.Página 48 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 49. 09. EU QUERO VER ACONTECEREu quero ver, / Eu quero ver /acontecer / Um sonho bom, /Sonho de muitos / acontecer.1. Nascendo na noite escura, /A manhã futura trazendo amor/ Novento da madrugada/ A paz tão sonhada brotando em flor./ Nosbraços da estrela-guia / A alegria chegando do amor.2. Sonho que se sonha só / Pode ser pura ilusão/ Sonho que se sonhajunto / É sinal de solução/ Então vamos sonhar companheiros, /Sonhar ligeiro,/ sonhar em mutirão.10. SE CALAREM A VOZ DOS PROFESTAS1. Se calarem a voz dos profetas, as pedras falarão. / Se fecharemuns poucos caminhos, mil trilhas nascerão...Muito tempo não dura a verdade, / nestas margens estreitasdemais, / Deus criou o infinito pra vida ser sempre mais! /É Jesus, este pão da igualdade, viemos pra comungar, coma luta do povo que quer ter voz, ter vez, lugar! Comungaré tornar-se um perigo, viemos pra incomodar! Com a fé e aunião nossos passos, um dia, vão chegar!2. O Espírito é vento incessante, que nada há de prender. Elesopra até no absurdo, que a gente não quer ver...3. No banquete da festa de uns poucos, só rico se sentou, nossoDeus fica ao lado dos pobres, colhendo o que sobrou...4. O poder tem raízes na areia, o tempo faz cair. União é a rochaque o povo usou pra construir...5. Toda luta verá o seu dia nascer da escuridão. Ensaiamos a festae a alegria, fazendo comunhão...”“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 49
  • 50. 13. IRÁ CHEGARIrá chegar um novo dia, / Um novo céu, uma nova terra,um novo mar. / E nesse dia os oprimidos, / Numa só voz, / Aliberdade irão cantar!1. Na nova terra o negro não vai Ter corrente / E o nosso índio vaiser visto como gente. / Na nova terra o negro, o índio e o mulato,/ O branco e todos vão comer no mesmo prato.2. Na nova terra a mulher terá direitos, / Não sofrerá humilhaçãoou preconceitos, / O seu trabalho todos vão valorizar, / Nasdecisões ela irá participar.14. DEUS CHAMA A GENTE PARA UM MUNDO NOVO1-Deus chama a gente pra um momento novo: / de caminharjunto com o seu povo. / É hora de transformar o que não dá mais;/ sozinho, isolado, ninguém é capaz. /Por isso vem, / entra na roda com a gente também. / Você émuito importante. (2x) Vem!2-Não é possível crer que tudo é fácil. / Há muita força queproduz a morte / gerando dor, tristeza e desolação. / É necessáriounir o cordão.3-A força que hoje faz brotar a vida / atua em nós pela sua graça./ É Deus quem nos convida pra trabalhar, / o amor repartir e asforças juntar.15. SOMOS GENTE DA ESPERANÇA1. Somos gente da esperança / Que caminha rumo ao Pai. / Somospovo da Aliança / Que já sabe aonde vai.De mãos dadas a caminho / Porque juntos somos mais, / Pracantar o novo hino / De unidade, amor e paz.Página 50 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 51. 1. Pra que o mundo creia / Na justiça e no amor, / Formaremosum só povo, / Num só Deus, um só Pastor.2. Todo irmão é convidado / Para a festa em comum: / Celebrar anova vida / Onde todos sejam um.16. A GENTE TEM UM MUNDO PRA CELEBRARA gente tem um mundo pra celebrar; / é Deus que está nofundo deste meu cantar. (bis)1 -Aqui nos reunimos pra agradecer: / a vida é um presente, nela eu posso crer!2 - O amor nos fez um povo pra te louvar, / e todo dia é novo tempo de amar.17. JUNTOS COMO IRMÃOSJuntos como irmãos, membros da Igreja, / vamos caminhando,vamos caminhando,/ juntos como irmãos, ao encontro do Senhor.1. Somos povo que caminha / num deserto como, / lado a lado,sempre unidos / para a terra prometida.2. Na unidade caminhemos, foi Jesus que nos uniu, / nosso Deushoje louvemos, / seu amor nos reuniu.3. A Igreja está em marcha: / a um mundo novo vamos nós / ondereinará a paz, / onde reinará o amor.18. ORAÇÃO DE SÃO FRANCISCOSenhor, fazei-me instrumento de vossa paz.Onde houver ódio, que eu leve o amor;Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;Onde houver discórdia, que eu leve a união;Onde houver dúvida, que eu leve a fé;Onde houver erro, que eu leve a verdade;Onde houver desespero, que eu leve a esperança;“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 51
  • 52. Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;Onde houver trevas, que eu leve a luz.Ó Mestre, Fazei que eu procure maisConsolar, que ser consolado;compreender, que ser compreendido;amar, que ser amado.Pois, é dando que se recebe,é perdoando que se é perdoado,e é morrendo que se vive para a vida eterna.19. SEGURA NA MÃO DE DEUSSe as águas do mar da vida quiserem te afogar / Segura na mão de Deus, e vai.Se as tristezas desta vida quiserem te sufocar / Segura na mão de Deus, e vai.Segura na mão de Deus / Segura na mão de Deus / Pois ela, ela te sustentará.Não temas, segue adiante / E não olhes para trás / Segura na mão de Deus, e vai.Se a jornada é pesada / E te cansas na caminhada / Segura na mão de Deus e vai.Ao teu lado, estaremos / Não te deixaremos só / Segura na mão de Deus, e vai.O Espírito do Senhor / sempre te revestirá / Segura na mão de Deus, e vai.Jesus Cristo prometeu / que jamais te deixará / Segura na mão de Deus, e vai.20. NÓS SOMOS O POVO1. Nós somos o povo, porém desejamos viver seu projeto / Defraternidade, partilha e justiça, de vida e verdadeVamos, irmãos, lutar / por este mundo novo / Com fé noDeus que ama, / nos salva e nos liberta.2. Se somos igreja, temos compromisso com o mundo novo. / Somosresponsáveis pela caminhada da história do povo.Página 52 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 53. 3. Jesus deu exemplo, se comprometeu com o projeto do Pai. / Quemn’Ele acredita faz do mesmo jeito, da luta não sai.4. Olhando o passado pra animar o presente em rumo ao futuro, / Arealidadeserá iluminada, não fica no escuro.21. PELA PALAVRA DE DEUSPELA PALAVRA DE DEUS SABEREMOS POR ONDE ANDAR./ELA É LUZ E VERDADE, PRECISAMOS ACREDITAR.1. Cristo me chama, Ele é Pastor. Sabe meu nome, fala Senhor.2. Sei que a resposta vem do meu ser. Quero seguir-te para viver.22. NOSSA ALEGRIA E SABER QUEM UM DIA1. Nossa alegria é saber que um dia/ todo esse povo se libertará:/Pois Jesus Cristo é o Senhor do mundo,/ nossa esperançarealizará. (Bis)2. Jesus nos manda libertar os pobres/ e ser cristão é ser libertador./Nascemos livres pra crescer na vida,/ não pra ser pobres, nemviver na dor. (Bis)3. Libertação se encontra no trabalho,/ mas há dois modos dese trabalhar:/ há quem trabalha escravo do dinheiro,/ há quemprocura o mundo melhorar. (Bis)4. Não digas nunca que Deus é culpado,/ quando na vida osofrimento vem./ Vamos lutar, que o sofrimento passa,/ poisJesus Cristo já sofreu também. (Bis)5. Vendo no mundo tanta coisa errada,/ a gente pensa emdesanimar./ Mas quem tem fé sabe que está com Cristo,/ temesperança e força pra lutar. (Bis)6. E pouco a pouco o tempo vai passando,/ a gente espera alibertação./ Se a gente luta, ela vai, chegando,/ se a gente pára,ela não chega não! (Bis)“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 53
  • 54. 23. É POR CAUSA DO MEU POVO MACHUCADOÉ por causa do meu povo machucado, que acredito emreligião libertadora. É por causa de Jesus ressuscitado, queacredito em religião libertadora.1. É por causa dos profetas que anunciam, que batizam, queorganizam, denunciam. É por causa de quem sofre a dor do povo,é por causa de quem morre sem matar.2. É por causa dos pequenos e oprimidos, dos seus sonhos, dosseus ais, dos seus gemidos, é por causa do meu povo injustiçado,das ovelhas sem rebanho e sem pastor.3. É por causa do profeta que se cala, mas até com seu silênciogrita e fala. É por causa de um Jesus que anunciava, mas tambémgritava aos grandes: “ai de vós”4. É por causa do que fez João Batista, que arriscou, maspreparou a tua vinda. É por causa de milhões de testemunhas,que apostaram suas vidas no amor.24 - Ó PAI NÓS SOMOS UM POVO ELEITOÓ Pai Somos nós o povo eleito, que Cristo veio reunir...Ó Pai Somos nós o povo eleito, que Cristo veio reunir.1 Pra viver da sua vida; Aleluia ! O Senhor nos enviou. Aleluia !2 Pra ser Igreja peregrina; Aleluia ! O Senhor nos enviou. Aleluia !3 Pra ser sinal da salvação; Aleluia ! O Senhor nos enviou. Aleluia !4 Pra anunciar o evangelho; Aleluia ! O Senhor nos enviou. Aleluia !5 Pra servir na unidade; Aleluia ! O Senhor nos enviou. Aleluia !6 Pra celebrar a sua glória; Aleluia ! O Senhor nos enviou. Aleluia !7 Pra construir um mundo novo; Aleluia ! O Senhor nos enviou. Aleluia !Página 54 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 55. ANEXOSCOMUNIDADE ECUMÊNICANO ESTADO DO ESPÍRITO SANTOPedra Bonita é uma Comunidade Ecumênica, localizada no interior domunicípio de Pancas, no estado do Espírito Santo. Católicos e Luteranosse uniram pelo mesmo ideal de construir um templo Ecumênico. Em05 de julho de 1992 ocorreu a primeira celebração ecumênica: Era olançamento da Pedra Fundamental da Capela Ecumênica de Pedra Bonita.No dia 28 de setembro de 1992, iniciou-se a construção. No dia 30 dedezembro do mesmo ano os pedreiros entregaram a obra. As comissõesdecidiram que os cultos já deveriam ser realizados na igreja antes mesmoda inauguração. Assim, sendo no dia 09 de janeiro de 1993 foi celebrado o1° culto Luterano e no dia seguinte 10 de janeiro reuniram-se os Católicos.No dia 06 de junho de 1993 ocorreu a grande Celebração de inauguraçãodo Templo Ecumênico, com a participação do Pastor Wonibaldo Rutzen,Padre Clínio, Pastor Regional Emil Schubert e Pastor Distrital SiegfredoKalk, numa grande demonstração de Unidade e de Espiritualidade. PAI NOSSO ECUMÊNICO Pai Nosso que estás nos céus. Santificado seja o Teu nome, venha o Teu reino. Seja feita a Tua vontade, assim na terra como no céu. O Pão nosso de cada dia nos dá hoje, perdoa-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal, pois Teu é o Reino, o Poder e a Glória para sempre. Amém!“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 55
  • 56. OS ENCONTROS INTERECLESIAISAs CEBs brasileiras, ao longo de sua história, já realizaram 12 encontrosintereclesiais, reunindo membros de todo o Brasil:1º Intereclesial - Vitória (Espírito Santo), 1975. Tema: Uma Igreja que nasce do Povo pelo Espírito de Deus.2º Intereclesial - Vitória (Espírito Santo), 1976. Tema: Igreja, Povo que caminha.3º Intereclesial - João Pessoa, (Paraíba), 1978. Tema: Igreja, Povo que se liberta.4º Intereclesial - Itaici (São Paulo), 1981. Tema: Povo oprimido que se organiza para a Libertação.5º Intereclesial - Canindé (Ceará),1983.Tema: Igreja, Povo unido, semente de uma nova sociedade.6º Intereclesial - Trindade (Goiás), 1986. Tema: Cebs, Povo de Deus em busca da terra prometida.7º Intereclesial - Duque de Caxias (Rio de Janeiro), 1989. Tema: Povo de Deus na América Latina a caminho da Libertação.8º Intereclesial - Santa Maria (Rio Grande do Sul), 1992. Tema: Povo de Deus renascendo das culturas oprimidas.9º Intereclesial - São Luís (Maranhão), 1997. Tema: Cebs, Vida e Esperança nas massas.10º Intereclesial - Ilhéus (Bahia), 2000. Tema: Cebs, Povo de Deus, 2000 anos de caminhada.11º Intereclesial - Ipatinga (Minas Gerais), 2005. Tema: CEBs, Espiritualidade Libertadora.12º Intereclesial - Porto Velho (Rondônia), aconteceu dos dias 21 a 25 de julho de 2009. Tema: CEBs: Ecologia e Missão e Lema: Do ventre da Terra, o grito que vem da Amazônia.O 13º Intereclesial das CEBs acontecerá nos dias 7 a 11 de janeiro de 2014 em Crato,no estado do Ceará. Esse encontro terá como tema Justiça e Profecia a serviço daVida e como lema CEBs, Rameiras do Reino no campo e na cidade.Os membros das CEBs no Brasil se encontram periodicamente nos chamados“Encontros Intereclesiais”, sendo que o mais recente deles é o 12º Intereclesial -Arquidiocese de Porto Velho (Rondônia), aconteceu dos dias 21 a 25 de julho de2009, como TEMA: “CEBs: ‘Ecologia e Missão’” e o LEMA: “Do Ventre da Terra,o grito que vem da Amazônia”.]. Reuniu quase 4 mil delegados das comunidadesde base, 420 religiosos, 380 sacerdotes, 50 bispos católicos e dois anglicanos, 48pessoas de outras igrejas cristãs, entre as quais 23 pastores, representantes de 32povos indígenas e crentes da cultura e espiritualidade afro-brasileira. Somandocom voluntários para a preparação e equipes organizadores passou de 6 mil fieis.Página 56 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 57. CALENDÁRIO DE CÍRCULOS BÍBLICOS - 20131) CF 2013 juventude – fevereiro/março;2) Oitavário da Penha – 31/03 a 08/043) Introdução ao Evangelho da Comunidade de Lucas (1º bloco) – abril4) Semana de Oração Unidade dos Cristãos – 12 a 19 de maio: “O que Deus exige de nós” (Mq 6,6-8)5) Evangelho da Comunidade de Lucas (2º bloco); junho/julho6) Evangelho da Comunidade de Lucas (3º bloco); setembro7) Comunidades Missionárias a partir da Carta de Tiago; outubro8) 13º Encontro Intereclesial de CEB’s9) Novena de Natal 2013; EQUIPE DE REDAÇÃO E ELABORAÇÃO Bernadete Stein; Bráz Adelque Luchü; Maria de Fátima Castelan; Pe. Manoel David Neto;“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 57
  • 58. Avaliação “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”Identificação do Grupo:Paróquia:___________________________________________Cidade:____________________________________________Grupo: ____________________________________________Data:______________________________________________Responsável pela avaliação:____________________________Contato (e-mail): ____________________________________1.1. Este Grupo: a.( ) é permanente b.( ) foi criado para este mês1.2. Os membros do Grupo:a.( ) aumentaram b.( ) foram fiéis c.( ) diminuíram1.3. Os encontros atingiram quantas famílias:_______________1.4. A Equipe dirigente: a.( ) foi sempre a mesma b.( ) mudava Avaliação dos subsídios:2.1. O preparo do ambiente foi:a.( ) bom b.( ) mais ou menos c.( ) ruim2.2. A acolhida foi:a.( ) boa b.( ) mais ou menos c.( ) ruim2.3. Os cantos sugeridos:“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 58
  • 59. a.( ) agradaram b.( ) não agradaram c.( ) foram substituídos2.4. A Partilha da Vida:a.( ) participativo b.( ) poucos participativo, por que _______________________________________________________________________________________________________________2.5. A Palavra de Deus: a.( ) bem entendida b.( ) não ficou muitoclara, porque____________________________________________________________________________________________2.6. O Gesto Concreto sugerido para cada dia:a.( ) bem realizado b.( ) não foi porque_______________________________________________________________________2.7. O Celebrando a Vida:a.( ) agradou b.( ) não agradou c.( ) foi substituida2.8. Os anexos foram aproveitados de que maneira:________________________________________________________________________________________________________________2.9. Sugestões para o futuro:_____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Página 59 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 60. DOCUMENTO 92“Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 60
  • 61. Página 61 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 62. “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 62
  • 63. Página 63 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 64. “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base” Página 64
  • 65. Página 65 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 66. Página 66 | “Mensagem ao Povo de Deus sobre as Comunidades Eclesiais de Base”
  • 67. 1962 - 2012...uma janela aberta para o mundo!!!

×