Your SlideShare is downloading. ×
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Campanha da Fraternidade 2012- a “Fraternidade e Saúde Pública”.

4,779

Published on

Campanha da Fraternidade 2012 …

Campanha da Fraternidade 2012
a “Fraternidade e Saúde Pública”.

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
4,779
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
63
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Palavra de Deus Na Vida do PovoSubsídio para Reflexão nas Comunidades - Nº 1 - Ano XXII - 2012 - Diocese de São José dos Campos - SP
  • 2. ÍNDICEApresentação .............................................................. 02Encontro nas Casas • 1º Encontro ................................................................ 03 • 2º Encontro ................................................................ 07 • 3º Encontro ................................................................ 11 • 4º Encontro ................................................................ 17 • 5º Encontro ................................................................ 21 • 6º Encontro ................................................................ 26 • 7º Encontro ................................................................ 31 • 8º Encontro ................................................................ 36Via Sacra• 1ª Estação ................................................................... 44• 2ª Estação ................................................................... 45• 3ª Estação ................................................................... 46• 4ª Estação ................................................................... 47• 5ª Estação ................................................................... 48• 6ª Estação ................................................................... 49• 7ª Estação ................................................................... 50• 8ª Estação ................................................................... 51• 9ª Estação ................................................................... 52• 10ª Estação ................................................................. 53• 11 ª Estação ................................................................ 54• 12ª Estação ................................................................. 55• 13ª Estação ................................................................. 56• 14ª Estação ................................................................. 57• 15ª Estação ................................................................. 58• Músicas ....................................................................... 59• Hino da CF 2012 ......................................................... 62
  • 3. AprEsENtAção Olá queridos amigos e amigas das Comunidades Eclesiais de Base. Irmanados no mesmo desejo de Nosso Senhor Jesus Cristo “que todos sejam um” (Jo 17, 21), temos o dever de nos aproximar de todos que aspiram um verdadeiro encontro com o Senhor. Por isso, aproveitemos este tempo, não apenas como um tempo de preparação, mas sim, como um tempo de oportunidades, onde estaremos adentrando em muitos lares, e ali, partilharemos nossas vidas, sob a luz do Evangelho, um Evangelho que é vida e esperança para as pessoas que nos acolhem. E como Discípulos apaixonados pelo Mestre (quem acolhe e quem é acolhido), queremos construir nossos desejos e sonhos, tendo como Projeto, o mesmo projeto vivido por Deus em nosso meio, o AMOR. Seremos, então, Semeadores do Amor. Vamos juntos percorrer o mesmo caminho, com nossas ferramentas (atitudes) e com nossas bases (Fé, Família e Valores), envolvidos no seu mistério construiremos o Reino do Senhor. Que todos possam viver, a partir deste livreto, momentos de profunda experiência com as situações da vida. Durante este tempo, vamos juntos caminhar sobre as páginas da vida e trabalhar para “Que a saúde se difunda sobre a terra” (Eclo 38, 8), como nos propõe a CF deste ano. Um abraço e minha bênção a todo o povo de Deus que faz parte das Comunidades Eclesiais de Base. Pe. Fabiano Kleber Cavalcante do Amaral Assessor Diocesano das CEBs 2
  • 4. 1 Encontro“Jesus, cheio de compaixão, os tocou” 6 a 12 de fevereiroprEpArANDo o AMBIENtE: Bíblia em destaque, a colcha de retalhos, recortes de revista de pessoas com Jesus, fotos de pessoas da nossa comunidade que estavam enfermas e agora estão bem.1. CHEGADA: Silêncio, oração pessoal.Dirigente: Uma saudação carinhosa a você, querido irmão, querida irmã das CEBs. Ano Novo, Vida Nova, projetos novos, novos anseios...Tudo se renova em Cristo Jesus, Ele é a novidade por excelência. Que alegria iniciarmos uma nova caminhada! Tantas experiências bonitas vividas em 2011. Que o Senhor nos ajude a fazer dessas experiências lições de vida, que nos motive a novas buscas em 2012. Que possamos trabalhar arduamente para que a missão continue a acontecer. Feliz 2012!2. ABErtUrA.- Vem, ó Deus da vida, vem nos ajudar! (bis)Vem, não demores mais, vem no libertar. (bis)- Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito! (bis)Glória à Trindade Santa, Glória ao Deus bendito (bis)- Aleluia, irmãs, aleluia, irmãos! (bis)Do povo que trabalha a Deus louvação! (bis)- O Senhor te guarde, ele é teu vigia, (bis)Quem te garante a noite e governa o dia! (bis)3. oLHANDo A rEALIDADE.Dirigente: A partir do tema do encontro de hoje “Jesus, cheio de compaixão, os tocou”, o que nos chama atenção? Nos dias de hoje, o que o povo tem pedido a Jesus? Quais as maiores dificuldades que enfrentamos? Por quê? 3
  • 5. 4. HINo: Hino do amor (rezado ou cantado)Quem foi que aqui nos reuniu? Foi o amor!Quem foi que um dia, na cruz nos reuniu? Foi o amor!Quem livrará do fracasso esse mundo? É o amor!Quem é o maior? É o amor!E o mais profundo? É o amor!Juntemos nossas vozes e demo-nos as mãosAssim ninguém nos poderá vencer!Pelo Cristo libertador, Nele e por Ele,Libertaremos este mundo, pelo amor!Que levaremos nós daqui? É o amor!Qual a mensagem que vamos transmitir? É o amor!Como é possível, nossa vida transformar? Pelo amor!E o mundo todo? Pelo amor!Valorizar? Pelo amor! 5. sALMo 31: (cantado ou rezado)Dirigente: “Pai, tudo está consumado. Em tuas mãos entrego o meu espírito” (Lc 23,46). Com Jesus na cruz, entreguemos nas mãos do Pai o grito de todos os condenados à morte. Que o Senhor responda ao clamor dos sofredores.refrão: Eu me entrego senhor, em tuas mãos. E espero pela tuasalvação!Junto de ti, ó Senhor, eu me abrigo,Não tenha eu de que me envergonhar,Por tua justiça me salva, e teu ouvidoOuça meu grito: “Vem logo libertar!”Glória a Deus Pai porque tanto nos amou,Glória a Jesus que se deu por nosso bem,Glória ao Divino, que é fonte deste amor,Nós damos glória agora e sempre. Amém!6. EVANGELHo DE DoMINGo.Cantai ao Senhor um cântico novo. Cantai ao Senhor toda a Terra.porque sua destra, sua mão poderosa, fez em nós maravilhas. 4
  • 6. 1 - Aclamemos ao Senhor, Ele está tão presente. Ele é o nosso rochedo, nosso bom salvador.2 - Louvem-no com aplausos, com gestos, sorrisos e danças.Porque Ele está vivo e é o nosso Senhor.Ler pausadamente Marcos 1, 40 – 45.7. pArtILHANDo o EVANGELHo.a) Você, que ouviu com bastante atenção a palavra o que mais te tocou?b) Com relação a Palavra, qual é o seu maior desejo? c) Jesus em obediência ao Pai veio para salvar a humanidade, você está aberto (a) a ação do amor oferecido por Jesus?d) Nos dias de hoje, quem são os excluídos da sociedade? Quais os preconceitos que ferem e machucam? E o que podemos fazer para ajudá-los?8. CoMproMIsso CoM A pALAVrA DE DEUs.● Fazer visita a um enfermo ou uma família que esteja passando por um momento difícil.9. o EVANGELHo sE FAZ orAção: (prECEs)Dirigente: Irmãos e Irmãs, confiantes na misericórdia de Deus que nos ama, façamos nossas preces: Todos: Senhor, cura-nos de tudo, que nos afasta de ti!● Senhor, cheio de compaixão, alivia o sofrimento de todas as pesso-as doentes e sem esperança.● Senhor, que sejamos no mundo as mãos que acalentam, que socor-rem, mãos unidas na luta e no compromisso com o resgate da vida sufocada pelo sofrimento e pela opressão.● Senhor, que sintamos a alegria e a paz que vêm da tua Palavra, que é como um remédio que vai curando, dia após dia, todas as nossas feridas, traumas, angústias e tristezas.Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 5
  • 7. 10. orAção: senhor, nosso Deus e nosso pai, ilumina com as luzesdo teu Espírito, a cada um de nós, para que sigamos o exemplo eo ensinamento de teu Filho Jesus, para que possamos servir nossopróximo com o amor que esperas de nós. Amém.11. AVIsos / CoMEMorAçÕEs:(aniversários, nascimento, acolhida de pessoas novas...)● Evangelho de domingo que vem: Marcos 2, 1-12.Não se esqueçam: tragam a Bíblia no próximo encontro. Preparem-se, marcando o texto do Evangelho e lendo-o até o dia em que nos reuniremos.● Marcar o próximo encontro e anotar no início do subsídio.● Outros... 12. BÊNção / orAção FINAL:Dirigente: O Deus da vida nos abençoe e confirme a obra de nossas mãos agora e para sempre. Amém!Dirigente: Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!todos: para sempre seja louvado!CANto FINAL: Hino CF 2012página 62 6
  • 8. 2 Encontro “A fé vence os obstáculos para encontrar Jesus” 13 a 19 de fevereiroprEpArANDo o AMBIENtE: Colocar a Bíblia em lugar de destaque, colcha de retalhos, vela acesa, flores, foto de pessoas reunidas em casa.1. CHEGADA: Silêncio, oração pessoal.2. ABErtUrA.-Venham, ó nações, ao Senhor cantar. (bis)Ao Deus do universo venham festejar! (bis)-Seu amor por nós firme para sempre. (bis) Sua fidelidade dura eternamente. (bis)-Gloria ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito! (bis)Glória a Trindade Santa, glória ao Deus Bendito! (bis)-Aleluia, irmãs, aleluia, irmãos! (bis)Glória a Jesus Cristo, nossa salvação! (bis)-Hoje celebramos o amor de Deus.(bis)Tanto amou o mundo que seu Filho deu. (bis)3. oLHANDo A rEALIDADE.Dirigente: De acordo com o tema deste encontro “A fé vence os obstáculos para encontrar Jesus”. Quando e como isto acontece? Vamos recordar os doentes, os impossibilitados... pessoas de nossa comunidade. (Enquanto conversamos, passar a vela de mão em mão).4. HINo: sim eu quero (cantado ou rezado) Sim, eu quero, que a luz de Deus,Que um dia em mim brilhou,Jamais se esconda,E não se apague em mim O seu fulgor. 7
  • 9. Sim, eu quero que o meu amor, Ajude o meu irmão,A caminhar guiado por tua mão,Em tua lei, em tua luz, Senhor.Esta terra, os astros,O sertão em paz,Esta flor e o pássaro feliz que vês;Não sentirão,Não poderão jamais viver, Esta vida singular que Deus nos dá.5. sALMo 40.Dirigente: “Pela vontade de Deus, nós fomos santificados no oferecimento do corpo de Cristo” (Hb 10, 10). Demos graças ao Senhor que nos chamou a ser instrumentos dele com Cristo para a salvação do mundo. Peçamos que Ele venha sempre em socorro da nossa fraqueza.Eis que venho, ó senhor,pra fazer tua vontade!Quem te busca, salte e dance de alegria:“O Senhor, sim, que é grande!”, é voz dos pobres;Um coitado eu sei que sou, mas tu me amas,Ó meu Deus, meu salvador, vem, não demores!Glória ao Pai, que em Jesus nos escolheu,Glória a Cristo, que por nós se entregouE ao Espírito, que um dia nos ungiu,Deste povo consagrado o louvor!6. EVANGELHo DE DoMINGo.tua palavra é lâmpada para os meus pés, senhor;Lâmpada, para meus pés, e luz para o meu caminho! (bis)Ler pausadamente Marcos 2, 1-12. 8
  • 10. 7. pArtILHANDo o EVANGELHo.a) O que mais chamou atenção neste evangelho?b) Qual a diferença nestas palavras de Jesus: Filho, teus pecados estão perdoados e dizer: Levanta-te pega a tua cama, e vai para casa?c) Quais os obstáculos que enfrentamos para encontrar Jesus? 8. CoMproMIsso CoM A pALAVrA DE DEUs.Dirigente: Já estamos próximos do início da Quaresma, tempo de graça e de convite à conversão.a) Vamos procurar viver bem este tempo de oração, reflexão, penitência e jejum.b) Ajudar um irmão ou uma irmã doente a ter um encontro pessoal com Jesus.9. o EVANGELHo sE FAZ orAção: (PRECES) Dirigente: Irmãos e irmãs, confiantes na misericórdia de Deus Pai, façamos nossas preces. todos: ouve-nos, senhor da Glória.● Senhor, nós te agradecemos por todas as vezes que nos perdoaste e te louvamos por todo bem que nos fazes.● Senhor, livra-nos das limitações que nos impedem de ir ao encontro de teu Filho Jesus e do irmão. ● Ajuda-nos a construir uma comunidade onde a gratuidade do amor e do perdão seja a nossa atitude diária.● Abençoa, Senhor, todos os doentes e todas as pessoas que passam por qualquer sofrimento.Preces espontâneas...Pai Nosso...Ave Maria...10. orAção: Ilumina, senhor, com as luzes do teu Espírito, acada um de nós, aqui reunidos, para que sigamos o exemplo e oensinamento de teu Filho Jesus, e possamos servir nosso próximocom o amor que esperas de nós. Amém. 9
  • 11. 11. AVIsos / CoMEMorAçÕEs:(aniversário, nascimento, acolhida de gente nova...) ● Evangelho de domingo que vem: Marcos 1, 12-15.Não se esqueçam: traga a Bíblia no próximo encontro. Preparem-se, marcando o texto do Evangelho e lendo-o até o dia em que nos reuniremos.● Marcar o próximo encontro e anotar no início do subsídio.● Outros...● Procurar saber sobre a celebração das cinzas (local, horário).● Próximo encontro, início da Campanha da Fraternidade, Via-Sacra (local, horário).12. BÊNção / orAção FINAL:Dirigente: O Deus da compaixão acenda em nós o fogo do seu amor e nos abençoe agora e sempre. Amém!Dirigente: Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!todos: para sempre seja louvado!CANto FINAL: Hino CF 2012página 62 De 1º a 3 de julho de 2011 - VII Conferência Municipal de Saúde de Jacareí Participantes das CEBs de Jacareí no Movimento Popular da Saúde 10
  • 12. 3 Encontro “O Reino de Deus está Próximo” 20 a 26 de fevereiroprEpArANDo o AMBIENtE: Bíblia, vela, uma folha de cartolina constando o 1º princípio da Carta dos Direitos dos Usuários da Saúde, publicada em 13/08/2009: “Todo cidadão tem direito ao acessoordenado e organizado aos sistemas de saúde.” 1. CHEGADA: Silêncio, oração pessoal.Convidamos a todos a fazerem um momento de silêncio, para que possamos colocar nossas intenções e nossos anseios para iniciarmos a CF-2012 com o Tema: “Fraternidade e Saúde Pública”, e o Lema: “Que a saúde se difunda sobre a terra”.2. ABErtUrA.Animador(a): Irmãos e irmãs, a nossa Igreja vive um novo tempo litúrgico, a Quaresma, e nos convida a fazermos reflexão sobre a Campanha da Fraternidade, com o lema: “Que a saúde se difunda sobre a terra” (Cf. Eclo, 38, 8). Refletir sobre saúde, que é um direito de todos, é valorizar a vida. Que o Senhor da Vida nos motive a participar ativamente deste novo tempo penitencial e de conversão. Sejam todos bem-vindos.Cantemos: - Vem, ó Deus da Vida, vem nos ajudar! (bis)Vem, não demores mais, vem nos libertar! (bis)- Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito! (bis)Glória à Trindade Santa, glória ao Deus bendito! (bis)- Em nome de Cristo, eu insisto, irmãos. (bis)Que vocês não recebam sua graça em vão! (bis)- Ao Senhor voltemos, bem de coração. (bis)Que ele nos converta pelo seu perdão! (bis) 11
  • 13. 3. olhando a realidade:Animador(a): O que nos chamou atenção nesta semana, para estarmos aqui recordando; momentos bons e não tão bons assim. Temos algum testemunho para apresentar de pessoas que passaram por processo de conversão, pessoas doentes sem atenção médica etc.Campanha da Fraternidade 2012 - tema: “Fraternidade e saúdepública” e o Lema: “Que a saúde se difunda sobre a terra” (Eclo 38, 8). DIrEItos, HUMANIZAção E EspIrItUALIDADE NA sAÚDE.Leitor(a) 1: Melhorar o atendimento no Sistema Público de Saúde Brasileiro e diminuir o desrespeito à dignidade humana, frente à vulnerabilidade do sofrimento e da doença, é um grande desafio ainda a ser enfrentado pelas autoridades sanitárias brasileiras. Em nosso país, o Ministério da Saúde aprovou a Portaria nº1820, de 13 de agosto de 2009, que “dispõe sobre os direitos e deveres dos usuários da saúde nos termos da legislação vigente” (art. 1º), que passam a constituir a “Carta dos Direitos dos Usuários da Saúde” (art. 9º) publicada no D.O.U, 14 de agosto de 2009. (Texto Base 139) Leitor(a) 2: Trata-se de uma verdadeira carta para o exercício da cidadania no âmbito de cuidados e serviços no campo da saúde. Espera-se que esta proposta não fique somente no papel, simplesmente como uma declaração de boas intenções. Com a vigilância cidadã, ela pode se transformar num instrumento fundamental na humanização dos cuidados de saúde. (TB.140). Leitor(a) 3: O artigo 4º e parágrafo único afirmam: “Toda a pessoa tem direito ao atendimento humanizado e acolhedor, realizado por profissionais qualificados, em ambiente limpo confortável e acessível a todos. Parágrafo único: É direito da pessoa, na rede de serviços de saúde, ter atendimento humanizado, acolhedor, livre de qualquer discriminação, restrição ou negação em virtude de idade, raça, cor, etnia, religião, orientação sexual, identidade de gênero, condições econômicas ou sociais, estado de saúde, de anomalia, patologia ou de deficiência... (TB 141). Interessante o Art.. 5º quando afirma que “Toda pessoa deve ter seus valores, cultura, e direitos respeitados na relação com os serviços de saúde, garantindo-lhe: (...) VIII- o 12
  • 14. recebimento ou recusa à assistência religiosa, psicológica e social”. (TB 142) DEsAFIos Do sIstEMA ÚNICo DE sAÚDE (sUs).Leitor(a) 1: O SUS tem desafios de curto, médio e longo prazo, sobretudo por precisar de mais recursos e da otimização do uso do dinheiro público. Hoje, é investido o dobro de recursos na doença (internações, cirurgias, transplantes) do que nas ações básicas de saúde (vacinas e consultas) que previnem as doenças. Segundo a pesquisa do IPEA, os problemas mais frequentes são a falta de médicos (58,1%), a demora para atendimento em postos, centros de saúde ou de hospitais (35,4%) e a demora para conseguir uma consulta com especialistas (33,8%). (TB 146) Leitor(a) 2: As melhorias mais sugeridas pelos entrevistados foram: aumento do número de médicos e redução do tempo de espera. A partir de relatos, divulgações nos meios de comunicação e situações vivenciadas pelos usuários do SUS, elencam-se, a seguir, algumas oportunidades de melhoria e alguns desafios gerais para melhorar a prestação de serviços do SUS. (TB 147) Leitor(a) 3: Superlotação das unidades de urgência e emergência (pronto-socorro); acesso precário com longas filas para marcação de consultas, procedimentos (como cirurgias) e exames; falta de leitos hospitalares e desigualdade na distribuição pelas regiões do país, bem como insuficiência de leitos de UTI; insuficiente assistência farmacêutica à população, carência e má distribuição de profissionais de saúde pelo território nacional; tendência à terceirização de várias unidades públicas de saúde; ausência dos profissionais, falta de cumprimento da carga horária em plantões e escalas de serviço, nas unidades de saúde e no Programa da Saúde da Família; tabela de valores SUS está defasada e não condiz com a realidade nacional; desvio e malversação de recursos na área da saúde e excessiva especialização do segmento de Serviço de Apoio Diagnóstico e terapêutico (SADT) com demanda crescente por tecnologias de ponta, também mais onerosas. 13
  • 15. 4. HINo: (cantado ou rezado)Eu vim para que todos tenham vida,Que todos tenham vida plenamente.1 - Reconstrói a tua vida em comunhão com teu Senhor;Reconstrói a tua vida em comunhão com teu irmão:Onde está o teu irmão, eu estou presente nele.2 - Eu passei fazendo o bem, eu curei todos os malesHoje és minha presença junto a todo sofredor:Onde sofre o teu irmão, eu estou sofrendo nele.3 - Entreguei a minha vida pela salvação de todosReconstrói, protege a vida de indefesos e inocentes:Onde morre o teu irmão, eu estou morrendo nele. 5. sALMo 24: (rezado ou cantado)Quem é que vai, senhor, Entrar em tua morada?Quem tem as mãos bem limpas e os pés em tua estrada!O mundo e tudo que há nele é de Deus/A terra e os que aí vivem, todos seus!Foi Deus que a terra construiu por sobre os mares,No fundo do oceano, seus pilares!Quem é, quem é, então, quem é o rei da glória?O Deus que tudo pode é o Rei da glória!Aos Três, ao Pai, ao Filho e ao ConfortadorDo povo que caminha o louvor! 6. EVANGELHo DE DoMINGo.Louvor e glória a ti, senhor,Cristo palavra de Deus! Cristo palavra de Deus!O homem não vive somente de pão,mas de toda a Palavra da boca de Deus. Ler pausadamente Marcos 1, 12-15.(Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente) 14
  • 16. 7. pArtILHA DA pALAVrA E DA rEALIDADE:a) O que precisamos fazer a exemplo de Jesus quando do seu recolhimento no deserto, para vencermos as tentações do dia a dia?b) Quaresma tempo de arrependimento, conversão, mudança de vida! O que mais você acrescentaria?c) Comente o que mais lhe chamou atenção na reflexão temática da CF no que se refere à humanização da saúde e os desafios do sistema de atendimento.8. CoMproMIsso CoM A pALAVrA DE DEUs.Animador(a): A partir da reflexão da Palavra, qual nosso compromisso? 9. o EVANGELHo sE FAZ orAção: (PRECES)Animador(a): Irmãos e irmãs, este é o tempo que precisamos para dar novo sentido à nossa vida, ter novas atitudes e coerência em tudo que fizermos. Confiantes que o Senhor se faz presente entre nós, rezemos: todos: senhor, guarda-nos de toda a tentação!● Senhor, ajuda-nos a ter momentos de silêncio neste período quaresmal, para melhor vencermos os desafios do mundo em que vivemos. Rezemos:● Senhor, fortalece nossas famílias para continuarem vivendo de acordo com os valores do Evangelho, rezemos:● Senhor, dá ânimo a todos os que trabalham por melhores condições de saúde em nosso país, rezemos:● Senhor, não permita que sejamos omissos na cobrança de melhores condições de saúde para nosso povo, rezemos:Preces espontâneas...Pai Nosso...Ave Maria...10. CoMproMIsso.Animador(a): Que nesta Campanha da Fraternidade olhemos com carinho por todos os doentes de nossas comunidades, façamos visitas, sejamos solidários ajudando com esclarecimentos para melhor atendimento junto ao Sistema Único de Saúde. 15
  • 17. 11. orAção: o senhor deu aos homens a ciência para que pudessemglorificá-lo por causa das maravilhas dele. Com ela, o médico cura eelimina a dor, e o farmacêutico prepara as fórmulas. Dessa maneiraas obras de Deus não têm fim, e dele vem o bem-estar para a terra.Amém! (Eclo 38, 6 - 8) 12. AVIsos / CoMEMorAçÕEs:(aniversários, nascimento, acolhida de gente nova...)● Evangelho de Domingo que vem: Marcos 9, 2 – 10.● Marcar o próximo encontro.● Outros...13. BÊNção FINAL:Animador(a): Ó Deus de infinita bondade, cura-nos de todos os ma-les do corpo e da alma, fortalece nossa comunidade e dá-nos a paz. Amém!Animador(a): Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!todos: para sempre seja louvado!CANto FINAL: Hino CF 2012página 62 pastoral da pessoa Idosa 16
  • 18. 4 Encontro“Este é o meu filho amado. Escutai-o” 27 de fevereiro a 04 de marçoprEpArANDo o AMBIENtE: Colcha de retalhos, Bíblia em destaque, vela, ervas para fazer chá, foto ou recortes de revistas que mostrem o descaso para com a saúde.1. CHEGADA: Silêncio, oração pessoal.2. ABErtUrA.-Vem, ó Deus da vida, vem nos ajudar! (bis)Vem, não demores mais, vem nos libertar. (bis)−Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito! (bis)Gloria à Trindade Santa, glória ao Deus bendito! (bis)–Em nome de Cristo, eu insisto, irmãos, (bis)Que vocês não recebam sua graça em vão! (bis)– Ao Senhor voltemos, bem de coração, (bis)Que ele nos converta pelo seu perdão! (bis)3. oLHANDo A rEALIDADE: “A sabedoria popular”Leitor(a) 1: Desde muito cedo, a humanidade empenhou-se em conservar a saúde e vencer as doenças, além de lhes atribuir diferentes conceitos e explicações. Para muitos povos, a doença resulta da ação de forças alheias ao organismo que se instalam na pessoa por causa da desobediência a certas normas sociais, por erros cometidos em vidas passadas, por castigo de alguma divindade ofendida, pela ação de demônios ou maus espíritos. Leitor(a) 2: Assim, é comum, em diversas culturas, o recurso à religião e à magia na busca de sentido para a vida, a doença e a saúde, indicando profunda relação entre doença e religião. Leitor(a) 3: Mais importante que curar é o trabalho de evitar que 17
  • 19. as pessoas adoeçam, e promovê-las para que tenham vida em abundância. Realidade que o ditado popular consagrou “é melhor prevenir que remediar”.Leitor(a) 4: No entanto, apesar do esforço e do cuidado para evitar doenças, a fragilidade do corpo e do espírito acabam se revelando. Eis o tempo de recorrer o serviço da saúde, pois foi o Senhor quem deu ao homem a ciência, por meio da qual o médico cura, elimina a dor e o “farmacêutico” prepara as fórmulas.4. HINo: Vós sois o Caminho (rezado ou cantado)Vós sois o Caminho, a Verdade e a Vidao pão da alegria descido do céu!1 - Nós somos caminheiros que marcham para os céus,Jesus é o caminho que nos conduz a Deus.2 - Da noite da mentira, das trevas para a luz, Busquemos a verdade, verdade é só Jesus.3 - Pecar é não ter vida, pecar é não ter luz.Tem vida só quem segue os passos de Jesus.4 - Jesus Verdade e Vida, Caminho que conduz,O povo peregrino que marcha para a luz5. sALMo 115.Dirigente: “Nós também, como os antepassados, recebemos uma boa notícia” (Hb 4, 2). Meditando sobre a história do povo de Israel, cantemos a confiança de que o Senhor guia a caminhada do nosso povo para a libertação e a comunhão do seu Reino.reúne o teu povo, senhor nosso Deus,reúne os eleitos de toda terra.para viver a união.Do Espírito santo, teu dom.para louvar, bendizer e cantar teu amor.Ao eterno Pai cantemosE a Jesus, o Salvador,Ao Espírito exaltemos,Na Trindade eterno amor! 18
  • 20. Ao Deus uno e trino demosA alegria do louvor,Neste salmo aclamemosAs grandezas do Senhor.6. EVANGELHo DE DoMINGo.A nós descei, divina luz! (bis)Em nossas almas acendeio amor, o amor de Jesus! (bis)Ler pausadamente Marcos 9, 2-10.“Deixe que a Palavra de Deus tome conta de seu coração”.7. pArtILHANDo o EVANGELHo.a) Repetir o versículo que mais lhe tocou o coração. Por quê o escolheu?b) Releia os versículos 7 e 8. O que esta palavra representa para você?c) O que você entende por transfiguração? Como esta experiência pode ajudar na missão da comunidade?8. CoMproMIsso CoM A pALAVrA DE DEUs.Dirigente: A partir da reflexão da Palavra, qual nosso compromisso? sugestão: Visitar um doente, ou alguém que esteja passando por dificuldade, e levar-lhe uma palavra de conforto e ajuda.9. o EVANGELHo sE FAZ orAção: (PRECES)Dirigente: Peçamos ao Senhor que o seu Espírito de ternura nos conduza nesta Quaresma, nos purifique e nos renove em seu amor; por isso, bendigamos ao Senhor:todos: ouve-nos, senhor! ● Ouve, Senhor, o clamor de milhões de filhas e filhos teus que sofrem debaixo da opressão e da miséria.● Ouve, Senhor, o clamor daqueles que se encontram desanimados e sem força para lutar pelo seu projeto que é o amor, a justiça e a igualdade.● Senhor, nós te pedimos por todos os profissionais da área da saúde que trabalham e se dedicam à medicina e em recursos que a natureza, dádiva de Deus, oferece para a arte da cura.Preces espontâneas... Pai Nosso...Ave Maria... 19
  • 21. 10. orAção DA CF 2012:Senhor, Deus de amor,Pai de bondade,Nós vos louvamos e agradecemosPelo dom da vida,Pelo amor com que cuidais de toda a criação.Vosso Filho Jesus Cristo,Em sua misericórdia, assumiu a cruz dos enfermosE de todos os sofredores,Sobre eles derramou a esperança de vida em plenitude.Enviai-nos, Senhor, o Vosso Espírito.Guiai a vossa Igreja, para que ela, pela conversãoSe faça sempre mais solidária Às dores e enfermidades do povo,E que a saúde se difunda sobre a terra.Amém!11. AVIsos / CoMEMorAçÕEs:(aniversário, nascimento, acolhida de gente nova...)● Evangelho de domingo que vem: João 2, 13-25.Não se esqueçam: tragam a Bíblia no próximo encontro. Preparem-se, marcando o texto do Evangelho e lendo-o até o dia em que nos reuniremos.● Marcar o próximo encontro e anotar no início do subsídio.● Outros...12. BÊNção/orAção FINAL:Dirigente: O Deus da vida nos abençoe e confirme a obra de nossas mãos agora e para sempre. Amém!Dirigente: Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!todos: para sempre seja louvado!CANto FINAL: Hino CF 2012página 62 20
  • 22. 5 Encontro “Jesus é o novo templo” 5 a 11 de marçoprEpArANDo o AMBIENtE: Bíblia em destaque, colcha de retalhos, o tema e o lema da Campanha da Fraternidade 2012, escrito em uma folha de sulfite; recortes de jornais ou revistas que trazem notícias da saúde pública de nossa cidade, fotos de situação que agravam e comprometem a saúde; recortes de imagens de pessoas doentes. 1. CHEGADA: Silêncio, oração pessoal.2. ABErtUrA:−Vem, ó Deus da vida, vem nos ajudar! (bis)Vem, não demores mais, vem nos libertar. (bis)–Venham adoremos a nosso Senhor, (bis) É tempo de quaresma que Ele consagrou. (bis)–Não fechemos hoje nosso coração (bis)Sua voz escutemos com toda a atenção! (bis)−Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito! (bis)Gloria à Trindade Santa, glória ao Deus bendito! (bis)–Venham com fervor para a oração, (bis)Já se aproxima a Páscoa da Ressurreição! (bis)3. oLHANDo A rEALIDADE: A Fraternidade e a saúde públicaLeitor(a) 1: No texto base da CF 2012, temos um item que discorre sobre “Saúde e doença no Novo Testamento”, falando sobre a cura do cego de nascença (João 9,1 - 41); sobre Jesus e os doentes: a saúde se difunde sobre a terra (cf. Lucas 4, 18; Mateus 4, 23; Lucas 7, 22; Mateus 25, 36) e sobre o Bom Samaritano: paradigma do cuidado. 21
  • 23. Leitor(a) 2: Em nosso tempo podemos dizer que o pecado social continua a produzir doentes e que também as formas de trabalho atual estão acabando com a saúde da classe trabalhadora e com isto influenciando toda a vida dos trabalhadores e da sociedade. A forma como nossa sociedade está organizada leva as pessoas a terem que trabalhar cada vez mais e com mais velocidade, e isto traz várias consequências para elas.Leitor(a) 3: “O Sistema Único de Saúde (SUS) é um dos maiores sistemas públicos de saúde do mundo. Ele abrange desde o simples atendimento ambulatorial até o transplante de órgãos, garantindo acesso integral, universal e gratuito para toda a população do país. Amparado por um conceito ampliado de saúde, o SUS foi criado, em 1988 pela Constituição Federal Brasileira, para ser o sistema de saúde dos mais de 180 milhões de brasileiros” (portalsaude.saude.gov.br). A constituição do Brasil garante que a saúde é um direito fundamental do ser humano, devendo o Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício.Leitor(a) 4: No artigo 196 da Constituição, “a saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução dos riscos de doença e de outros agravos e o acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação”. Cotidianamente, de norte a sul do país, a imprensa denuncia o sofrimento de quem depende da saúde pública e as situações enfrentadas pelos profissionais da rede pública de saúde, que trabalham sem condições necessárias para desempenhar suas funções.Todos: É missão da Igreja a continuidade de Jesus na história paraque a saúde se difunda sobre a terra. (CF 2012, nº 180)Dirigente: Neste momento vamos conversar sobre o que mais nos chamou atenção do que foi colocado sobre saúde no ambiente e refletir como podemos transformar a realidade vivida pelo sistema de saúde em nossa comunidade, em nossa cidade, em nosso país. 22
  • 24. 4. HINo: povo Novo (cantado ou rezado)Lutar e crer, vencer a dor. Louvar o criadorJustiça e paz hão de reinar. E viva o amor.1- Quando o Espírito de Deus soprou, O mundo inteiro se iluminou/ A esperança na terra brotou/ E um povo novo deu-se as mãos e caminhou2- Nosso poder está na união. O mundo novo vem de Deus e dos irmãos. Vamos lutando contra a divisão. E preparando a festa da libertação.5. sALMo 18: (cantado ou rezado)Dirigente: Do mestre de canto. De Davi, servo de Deus, que dirigiu a Deus as palavras deste cântico, quando Deus o libertou de todos os seus inimigos e da mão de Saul. Ele disse: Eu te amo, Deus, minha força,Meu salvador, tu me salvaste da violência.Deus é minha rocha e minha fortaleza,Meu libertador é meu Deus.Nele me abrigo, meu rochedo,Meu escudo e minha força, salvadora,Minha cidade forte.Seja louvado! Eu invoquei a Deus e fui salvo dos meus inimigos.6. EVANGELHo DE DoMINGo.A nós descei, divina luz!(bis)Em nossas almas acendeio amor, o amor de Jesus! (bis)Ler pausadamente João 2, 13-25.“Deixe que a Palavra tome conta de seu coração”7. pArtILHANDo o EVANGELHo.a) Repetir o versículo que mais lhe tocou o coração.b) Releia o versículo 19 e também 21 e 22. De que templo Jesus se refere?c) Como devem ser nossas comunidades?d) No Evangelho que meditamos, Jesus exige mudança profunda, a fim de que a vida se manifeste. Em que precisamos mudar? 23
  • 25. 8. CoMproMIsso CoM A pALAVrA DE DEUs.Dirigente: A partir da reflexão da Palavra, qual nosso compromisso?sugestão: Colaborar com as necessidades da comunidade, conhecer a realidade dos Postos de Saúde, participar do Conselho Municipal de Saúde, ou incentivar e preparar pessoas para exercer esta função. Doar sangue etc.9. o EVANGELHo sE FAZ orAção: (PRECES)Dirigente: Em João 2, 19, Jesus estava falando de seu próprio corpo; em João 14, 23, Ele afirma que quem o ama e observa sua palavra é a própria moradia de Jesus e do Pai: “Se alguém me ama, guarda a minha palavra, e meu Pai o amará. Eu e meu Pai viveremos e faremos nele a nossa morada”.todos: Que sejamos morada do senhor!● Jesus nos conhece por dentro, a adesão a seu projeto é um processo lento, mas contínuo; processo que leva a superar preconceitos e barreiras em relação à ação de Jesus, para que isto seja realidade, rezemos:● Não basta estar no templo o dia todo, trabalhando como trabalhavam os cambistas da época de Jesus; para aderir a Jesus é necessário mudança profunda, conversão diária e longo aprendizado. Rezemos: ● Que sejamos comunidades comprometidas com o Projeto de Jesus, pois sabemos que a prática de Jesus se resume num compromisso contínuo e pleno com a vida do povo que sofre. Rezemos: ● Diante do SUS (Sistema Único de Saúde), que temos nos municípios de nossa diocese, que sejamos capazes de pedir e fazer acontecer, melhorias para todos, para que a SAÚDE não seja causa de opressão e de exploração do povo. Rezemos: ● A saúde virou um grande negócio, extremamente lucrativo, e globalizado, as indústrias dos planos de saúde, farmacêutica, e atendimento hospitalar, devem ser monitoradas atentamente. A vida humana deve estar (sempre) acima dos cifrões, não na teoria, mas na prática. Na unidade, pedimos a Deus em oração, inspirados no lema da Campanha da Fraternidade 2012, - “Que a saúde se difundasobre a terra! Rezemos.Preces espontâneas...Pai Nosso...Ave Maria... 24
  • 26. 10. orAção DA CF 2012:Senhor, Deus de amor,Pai de bondade,Nós vos louvamos e agradecemosPelo dom da vida,Pelo amor com que cuidais de toda a criação.Vosso Filho Jesus Cristo,Em sua misericórdia, assumiu a cruz dos enfermosE de todos os sofredores,Sobre eles derramou a esperança de vida em plenitude.Enviai-nos, Senhor, o Vosso Espírito.Guiai a vossa Igreja, para que ela, pela conversãoSe faça sempre mais solidária Às dores e enfermidades do povo,E que a saúde se difunda sobre a terra.Amém.11. AVIsos / CoMEMorAçÕEs:(aniversário, nascimento, acolhida de gente nova...)● Evangelho de domingo que vem: João 3, 14 – 21.Não se esqueçam: tragam a Bíblia no próximo encontro. Preparem-se, marcando o texto do Evangelho e lendo-o até o dia em que nos reuniremos.● Marcar o próximo encontro e anotar no início do subsidio.● Outros...08/03 – Dia Internacional da Mulher.12. BÊNção/orAção FINAL:Dirigente: Que o Deus da paz nos faça capazes de cumprir sua vontade, fazendo tudo o que é bom, agora e para sempre. Amém!Dirigente: Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!todos: para sempre seja louvado!CANto FINAL: Hino CF 2012página 62 25
  • 27. 6 Encontro “Deus é rico em misericórdia” 12 a 18 de marçoprEpArANDo o AMBIENtE: Colcha de retalhos, cruz ou crucifixo, vela acesa, Bíblia e fotos de jornais com pessoas em filas de hospitais. 1. CHEGADA: Silêncio, oração pessoal. Motivar as pessoas a pensarem: O que nos faz mal? O que nos faz sofrer?2. ABErtUrA. −Vem, ó Deus da vida, vem nos ajudar! (bis)Vem, não demores mais, vem nos libertar. (bis) −Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito! (bis)Gloria à Trindade Santa, glória ao Deus bendito! (bis)–Em nome de Cristo, eu insisto, irmãos, (bis) Que vocês não recebam sua graça em vão! (bis)– Ao Senhor voltemos, bem de coração, (bis)Que ele nos converta pelo seu perdão! (bis)3. oLHANDo A rEALIDADE: A Fraternidade e a saúde públicaDirigente: O sofrimento é de difícil aceitação para a humanidade. A realidade do sofrimento gera desconforto, inquietação e até mesmo revolta. As enfermidades, entendidas como causa de sofrimentos, sempre estiveram entre os problemas mais graves da vida humana. Cristo foi solidário com a dura realidade do sofrimento humano, pois o assumiu sobre si em livre obediência ao Pai. Leitor(a) 1: Permeava a antiga cultura hebraica a concepção de que cada doença ou sofrimento se explica pela identificação de algum pecado cometido contra Deus. Que por justiça castiga o pecador impondo-lhe algum sofrimento.Leitor(a) 2: Da leitura da experiência vivida por Jó percebe-se que Deus não é a origem do sofrimento, nem do mal. O sofrimento faz 26
  • 28. parte da misteriosa presença do mal, impossível de compreender, mas que também não deve ser atribuída única e exclusivamente a responsabilidade pessoal.Leitor(a) 3: Cristo Jesus, que tem a mesma natureza do Pai, sofreu como homem voluntariamente e homem inocente. Nesse caso ainda há o agravante de o homem ser o próprio Filho Unigênito em pessoa. “Deus de Deus” o Filho Unigênito se sujeita a um sofrimento desta proporção, ao tomar sobre si os pecados da humanidade para cancelá-los e vencer todos os males.Leitor(a) 4: A Cruz de Cristo tornou-se uma fonte da qual brotam rios de água viva, nela e por ela “Deus amou tanto o mundo que deu seu próprio Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça mas tenha a vida eterna” (Jo 3,16). O sofrimento redentor de Cristo leva o homem ao reencontro com seus próprios sofrimentos. Ao reencontrá-los mediante a fé, os reencontra enriquecidos por novo conteúdo e com um novo significado.todos: A cruz de Cristo ilumina a vida humana, especialmente osofrimento e a morte, porque o anúncio da cruz inclui a notícia daressurreição, a qual confere uma iluminação completamente novaao sofrimento.4. HINo: Eu vim para que todos tenham vida (cantado ou rezado)Eu vim para que todos tenham vida,Que todos tenham vida plenamente.1 - Reconstrói a tua vida em comunhão com teu Senhor;Reconstrói a tua vida em comunhão com teu irmão:Onde está o teu irmão, eu estou presente nele.2 - Eu passei fazendo bem, eu curei todos os males;Hoje és minha presença junto a todo sofredor:Onde sofre teu irmão eu estou sofrendo nele.3 - Entreguei a minha vida pela salvação de todos;Reconstrói, protege a vida de indefesos e inocentes:Onde morre o teu irmão, eu estou morrendo nele. 27
  • 29. 5. sALMo 36.Dirigente: “Deus amou tanto o mundo que lhe deu o seu Filho único” (Jo 3,16). Como nas liturgias solenes do antigo templo, cantemos nosso louvor a Deus pelas maravilhas que Ele fez na história antiga e em nossa vida.1 - Louvai a Deus que é tão bom,Pois seu Amor não tem fim. Ele é o Senhor dos senhores,Pois seu Amor não tem fim.Só ele fez grandes coisas...Pois seu Amor não tem fim. Fez este céu tão bonitoPois seu Amor não tem fim.2 - Dá comida a todo mundoPois seu Amor não tem fim. Louvemos ao Deus do céuPois seu Amor não tem fim.Ao Deus de todas as crenças,Pois seu Amor não tem fim.Deus que é, que era e que vem, Pois seu Amor não tem fim.(A comunidade continua o salmo, dizendo os motivos atuais pelos quais dá graça a Deus, e todos respondem: Pois seu Amor não tem fim.)6. EVANGELHo DE DoMINGo.tua palavra é lâmpada para os meus pés.Lâmpada para os meus pés e luz, luz para o meu caminho...Ler pausadamente João 3, 14 – 21.7. pArtILHANDo o EVANGELHo.a) O que mais lhe tocou o coração neste evangelho?b) Releia o versículo 19. Comente o que você entendeu?c) Quando nós estamos mais próximos da Luz (Cristo)? 28
  • 30. 8. CoMproMIsso CoM A pALAVrA DE DEUs.Dirigente: A partir da reflexão da Palavra, qual nosso compromisso? sugestão: Ler o livro de Jó. Procurar não julgar as pessoas que estão sofrendo.9. o EVANGELHo sE FAZ orAção: (PRECES)Dirigente: Deus não quer que os homens se percam, por isso Ele manifesta todo seu amor através de Jesus para salvar e dar vida a todos. Rezemos:todos: ouve, senhor, nosso clamor!● Pelos que permanecem fechados em seu egoísmo gerando dor, opressão e exploração. Rezemos.● Pelos líderes e governantes que ocultam a sua verdadeira face e administram mal os bens do povo e são trevas em vez de luz. Rezemos.● Senhor, faze-nos obedientes à tua vontade, aceitando o sofrimento com paciência, e ajuda-nos a confiar em teu amor. Rezemos.Preces espontâneas... Pai Nosso...Ave Maria...10. orAção DA CF 2012:Senhor , Deus de amor,Pai de bondade,Nós vos louvamos e agradecemosPelo dom da vida,Pelo amor com que cuidais de toda a criação.Vosso Filho Jesus Cristo,Em sua misericórdia, assumiu a cruz dos enfermosE de todos os sofredores,Sobre eles derramou a esperança de vida em plenitude.Enviai-nos, Senhor, o Vosso Espírito.Guiai a vossa Igreja, para que ela, pela conversãoSe faça sempre mais solidária Às dores e enfermidades do povo,E que a saúde se difunda sobre a terra.Amém. 29
  • 31. 11. AVIsos / CoMEMorAçÕEs:(aniversário, nascimento, acolhida de gente nova...)● Evangelho de domingo que vem: João 12, 20-33.Não se esqueçam: tragam a Bíblia no próximo encontro. Preparem-se, marcando o texto do Evangelho e lendo-o até o dia em que nos reuniremos.● Marcar o próximo encontro e anotar no início do subsidio.● Outros... 12. BÊNção/orAção FINAL:Dirigente: Que o Deus da paz nos faça capazes de cumprir sua vontade, fazendo tudo o que é bom, agora e para sempre. Amém!Dirigente: Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!todos: para sempre seja louvado!CANto FINAL: Hino CF 2012página 62 pastoral da saúde - paróquia Coração de Jesus 30
  • 32. 7 Encontro “Se o grão de trigo, lançado à terra, morrer, dará muito fruto” 19 a 25 de marçoprEpArANDo o AMBIENtE: Vela, cruz, colcha de retalho, bíblia em destaque e uma vasilha com sementes de fru-tos da terra.1. CHEGADA: Silêncio, oração pessoal.2. ABErtUrA. - Vem, ó Deus da vida, vem nos ajudar!Vem não demores mais, vem nos libertar.- Glória ao Pai ao Filho e ao Santo Espírito!Glória a Trindade Santa, glória ao Deus bendito!- Em nome de Cristo, eu insisto, irmãos,Que vocês não recebam Sua graça em vão!- Ao Senhor voltemos, bem de coração,Que ele nos converta pelo Seu perdão!3. oLHANDo A rEALIDADE: “Igreja samaritana”Leitor(a) 1: A parábola do Bom Samaritano lembra o cuidado para com o próximo. É neste contexto que a Campanha da Fraternidade 2012 apela e espera de toda Igreja, principalmente dos profissionais e servidores da saúde, dedicação de suas atividades em favor dos homens que sofrem ou precisam de ajuda.Leitor(a) 2: Fomos criados imagem e semelhança de Deus a partir do barro da terra. Assim temos a dignidade de Deus, mas somos modelados pelo barro que representa nossa fragilidade e precariedade não somos auto-suficientes e sim dependentes dos outros. Ninguém vive sozinho! Essa condição nos lembra da imagem do profeta Jeremias, “Deus nos criou do barro, mas temos a possibilidade de ser constantemente recriados” (cf Jr 18,1 - 6).Leitor(a) 3: Devemos reconhecer a fragilidade e vulnerabilidade 31
  • 33. de todo ser humano e libertar do temor da proximidade da pessoa debilitada ir ao seu encontro dispondo-se ao seu cuidado e em face da necessidade do outro deixar-nos transformar por ela. A manifestação em ato de entrega ao projeto do outro, implica deixar-nos nas mãos de quem precisa.Leitor (a) 1: A primeira atitude do samaritano foi enxergar a realidade. Ele não ignorou o homem caído, de alguém que teve seus direitos violentados e que se encontra à margem da estrada Ele se compadece, aproxima-se, cura, o coloca no próprio animal e leva à hospedaria. O cuidar envolve outros personagens, recursos financeiros, estruturas que o viajante não dispunha e o compromisso de retornar, portanto, o cuidar passa a ser uma missão.Leitor(a) 2: O espírito do samaritano deve impulsionar o trabalho da Igreja. Como mãe amorosa, ela deve aproximar-se dos doentes, fracos, dos feridos, de todos os que se encontram jogados no caminho a fim de acolhê-los, cuidar deles, infundir-lhes força e esperança. (GPS, n° 56). (comente o texto)4. HINo: tomastes nos ombros (rezado ou cantado)1 - Tomaste nos ombros a cruzSeguindo o caminho da dorTomamos também nossa cruzE vamos contigo. Senhor.2 - No dia supremo da dorNa hora em que ao Pai te entregaste,As culpas de todos os tempos Nos braços da cruz expiaste.3 - Senhor, tua santa paixão As portas do céu veio abrir.Queremos contigo na cruzMorrer e depois ressurgir.4 - É duro seguir-te, Senhor,Porque teu caminho é a cruz.Pedimos que tu nos conservesNa estrada que ao céu nos conduz. 32
  • 34. 5. sALMo 51: (rezado ou cantado)Dirigente: “Vou me levantar e vou encontrar meu pai e dizer a ele: Pai, pequei contra Deus e contra ti” (Lc 15, 18). Reconheçamos que somos pecadores e peçamos a Deus que crie em nós um coração novo e nos dê o seu Espírito de santidade.refrão: senhor Deus, misericórdia!Misericórdia de mim, Deus de bondade,Misericórdia, por tua compaixão!Vem me lavar das sujeiras do pecado,Vem me livrar de tamanha perdição!Louvor a ti, o universo todo adora,Tu és a paz, a vida plena e o perdão.Do mundo inteiro vem a prece que te implora,Ó vem depressa e dá-nos tua salvação.6. o EVANGELHo DE DoMINGo.Vem, Espírito santo, vem, vem iluminar:Nosso encontro vem iluminar;/ nossa história vem iluminar; / toda a Igreja vem iluminar; / a humanidade vem iluminar.Ler pausadamente João 12, 20-33.7. pArtILHANDo o EVANGELHo.a) O que mais chamou atenção neste Evangelho?b) O que Jesus promete para quem quiser segui-lo?c) “Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele continua só um grão de trigo; mas, se morre, então produz muito fruto”. O que isto significa para cada um de nós?d) O que entendemos por uma Igreja Samaritana?8. CoMproMIsso CoM A pALAVrA DE DEUs.Dirigente: A comunidade reunida neste encontro decide sobre o compromisso.sugestão: Sermos discípulos missionários do Reino de Deus indo ao encontro das pessoas afastadas de Jesus e anunciá-lo a todos que ainda não o conhecem; participar bem da Semana Santa. 33
  • 35. 9. o EVANGELHo sE FAZ orAção: (Preces)Dirigente: Senhor, ajuda-nos a enfrentar as dificuldades existentes em nossas vidas em todos os setores, a fim de que possamos desenvolver os nossos potenciais e a nossa sabedoria, em busca de superação. Logo, ao invés de dizermos: “Pai, livra-me dessa hora”, diremos, conscientemente: “Pai, glorifica o teu nome”.todos: senhor dá-nos força para nossa missão.● Jesus, ensina-nos a compreender que o grão de trigo simboliza a nossa vida cristã. A semente que existe em cada um de nós, não foi feita para ser guardada. Tem que se transformar, morrer para, então, explodir e reviver.● Renova, Senhor, a nossa comunidade, por uma sincera conversão e entrega no serviço do teu reino.● Para que renovados pela oração, pelo jejum e pelo amor fraterno, possamos aguardar, com o coração livre e alegre, a celebração da santa Páscoa.Preces espontâneas...Pai nosso...Ave Maria...10. orAção DA CF 2012:Senhor, Deus de amor,Pai de bondade,Nós vos louvamos e agradecemosPelo dom da vida,Pelo amor com que cuidais de toda a criação.Vosso Filho Jesus Cristo,Em sua misericórdia, assumiu a cruz dos enfermosE de todos os sofredores,Sobre eles derramou a esperança de vida em plenitude.Enviai-nos, Senhor, o Vosso Espírito.Guiai a vossa Igreja, para que ela, pela conversãoSe faça sempre mais solidária Às dores e enfermidades do povo,E que a saúde se difunda sobre a terra.Amém. 34
  • 36. 11. AVIsos / CoMEMorAçÕEs:(aniversário, nascimento, acolhida de gente nova...)● Evangelho de domingo que vem: Marcos 14, 1-15, 47.Não se esqueçam: tragam a Bíblia no próximo encontro. Preparem-se, marcando o texto do Evangelho e lendo-o até o dia em que nos reuniremos.● Marcar o próximo encontro e anotar no início do subsidio.● Outros... 12. BÊNção/orAção FINAL:Dirigente: Que o Deus que renova a aliança com a humanidade e a convida para ser-lhe obediente tal como Jesus, permaneça em nós agora e sempre. Amém!Dirigente: Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!todos: para sempre seja louvado!CANto FINAL: Hino CF 2012página 62 GESTO CONCRETO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE o Dia Nacional da Coleta da solidariedade é realizado sempre no Domingo de ramos, que será no dia 1 de abril de 2012. O gesto concreto da CF se expressa pela oferta de doações em dinheiro na Coleta da Solidariedade. É um sinal real de fraternidade, partilha e solidariedade, feito em âmbito nacional, em todas as comunidades cristãs católicas, paróquias e dioceses. A coleta da Solidariedade é parte integrante da Campanha da Fraternidade. Os recursos da Coleta de Solidariedade são aplicados para apoiar projetos. Este ano os recursos serão destinados prioritariamente a mudanças nas Políticas Públicas em relação à saúde, com o foco voltado para ações que revertam em benefícios da saúde das pessoas e comunidades. Fonte: site da CNBB www.cnbb.org.br 35
  • 37. 8 Encontro “O Rei da Glória” 26 de março a 1º de abrilprEpArANDo o AMBIENtE: Vela, cruz, colcha de retalho, bíblia em destaque, raminhos de palmeiras ou bandeirinhas verdes para serem usados no canto do hino.1. CHEGADA: Silêncio, oração pessoal.2. ABErtUrA.- Vem, ó Deus da vida, vem nos ajudar!Vem não demores mais, vem nos libertar.- Glória ao Pai ao Filho e ao Santo Espírito!Glória a Trindade Santa, glória ao Deus bendito!- Para mim viver é Cristo Jesus,Morrer para mim é lucro, minha glória, a cruz!- Para oração venham com fervor.O Cristo se fez servo, por nós se entregou!3. rEFLEXão tEMÁtICA: “Família e a saúde - prevenções”. Como as famílias e a sociedade em geral podem colaborar para a saúde se difundir?Leitor(a) 1: A família ocupa o lugar primário na humanização da pessoa e da sociedade. Por isso, é chamada a ser uma comunidade de saúde, a educar para viver bem, a promover o bem-estar de seus membros e do ambiente que a cerca incentivando o cuidado pleno aos extremos de vida (criança e idosos) buscando atendimento digno, humano e com qualidade nos serviços de saúde, em todos os níveis governamentais, visando não só ao bem-estar individual, mas também ao familiar e ao de todos, por meio de ações educativas abrangentes garantindo que a prevenção estenda além da informação. 36
  • 38. Leitor(a) 2: Sensibilizar e mobilizar as famílias e amigos para ações básicas de prevenção e promoção da saúde, mantendo carteiras de vacinas atualizadas e adotando estilos de vida saudáveis com reeducação alimentar, com atividade física regular e abolindo os hábitos inadequados de vida. Conscientizar que a prevenção ao uso de drogas é de responsabilidade de todos nós, ou seja, dos pais, professores, empresários, líderes comunitários, sindicatos, igrejas e autoridades.Leitor(a) 3: Difundir programas de coleta seletiva e de reciclagem, no suporte a projetos de pesquisa na área ambiental e no estímulo a práticas sustentáveis, divulgadas em empresas e escolas. Estimular o uso dos serviços de saúde, de forma consciente, organizada e cuidadosa, visando à otimização de recursos públicos. Leitor(a) 1: Comunicar sistematicamente problemas não resolvidos nos serviços de saúde à Ouvidoria do SUS (difundir o disque saúde 136), reivindicar atendimento humanizado, acolhedor e digno a todo cidadão em qualquer unidade de saúde, garantir e valorizar métodos e princípios de uma educação de qualidade e acessível, fazendo com que a promoção em saúde seja prioridade nas políticas públicas de saúde e para a população em geral, promover o direito ao atendimento ágil e no tempo certo, humanizado e acolhedor, realizado por profissionais qualificados em ambientes limpos, confortáveis e acessíveis a todos.4. HINO: Os filhos dos hebreus (rezado ou cantado)Os filhos dos hebreus, com ramos de palmeira,correram ao encontro de Jesus, nosso senhor,Cantando e gritando: “Hosana, ó salvador!” (bis)1 - O mundo, e tudo que há nele é de Deus,A terra e os que aí vivem, todos seus!Foi Deus que a terra construiu por sobre os mares,No fundo do oceano, seus pilares!2 - Quem vai morar no templo de sua cidade?...Quem pensa e vive longe das vaidades! 37
  • 39. Pois Deus, o Salvador o abençoará,No julgamento o defenderá! 5. sALMo 22: (rezado ou cantado). Dirigente: “Meu Pai, se é possível, afaste de mim este cálice” (Mt 26, 39). Retomando a oração de Jesus Cristo, servo sofredor, oramos ao Pai por todos os oprimidos do mundo, e esperamos a salvação anunciada.refrão: Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?Meu Deus, ó meu Deus, por que me abandonaste?Não acha este traste paz em seu lamento.De dia eu não aguento de tanto chorar,De noite a gritar e sem ter alento.E tu que estás no trono assentado,Os pais no passado em ti confiavam; Quando eles chamavam, eram libertados,Assim confiados, não se envergonhavam.Porém, meu Senhor, não fiques de fora!Me livra da hora, da facada certa!Dos dentes das feras, do lobo feroz,Da ira do algoz, minha vida liberta.6. EVANGELHo DE DoMINGo.A nós descei, divina luz!A nós descei, divina luz!Em nossas almas acendeio amor, o amor de Jesus! (bis)Ler pausadamente Mc 11, 1 – 10.7. MEDItAção Do EVANGELHo.a) O que nos mostra a entrada triunfal de nosso Rei em Jerusalém, montado num jumentinho? 38
  • 40. 8. Nosso CoMproMIsso.A comunidade reunida neste encontro decide qual compromisso deve assumir.sugestão: Participar ativamente com toda sua família da Semana Santa.9. o EVANGELHo sE FAZ orAção: (PRECES)Dirigente: Senhor, ajuda-nos a nos unirmos à multidão de discípulos que, com alegria festiva, o acompanhou em sua entrada triunfante em Jerusalém. Com eles, queremos te louvar elevando nossa voz por todos os teus prodígios.todos: senhor da glória atenda nosso pedido.● Senhor, fortalece nossa renúncia às comodidades da própria vida colocando-nos totalmente ao serviço dos que sofrem, fazendo o bem aos outros, suscitando a reconciliação onde haja ódio e a paz onde reina a inimizade.Preces espontâneas... Pai Nosso...Ave Maria...10. orAção: Jesus, manso e humilde de coração, tu ésverdadeiramente o salvador, o Filho de Deus, vindo ao mundo paranos trazer o amor e a misericórdia do pai. Queremos nesta semanasanta, viver, renovando toda a nossa fé, o nosso fervor e o nossoafeto pelo rei da Glória. por Cristo nosso senhor. Amém.11. AVIsos / CoMEMorAçÕEs:(aniversário, nascimento, acolhida de gente nova...)● Evangelho de domingo que vem:Não se esqueçam: tragam a Bíblia no próximo encontro. Preparem-se, marcando o texto do Evangelho e lendo-o até o dia em que nos reuniremos.● Marcar o próximo encontro e anotar no inicio do subsidio.● Outros...● 01 de abril de 1964: João Goulart é derrubado por militares golpistas. Início dos 21 anos de ditadura militar. 39
  • 41. 12. BÊNção:Dirigente: Que o Deus de amor que enviou seu Filho humilde e caridoso para nós salvar permaneça em nós a gora e sempre. Amém! Dirigente: Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo! todos: para sempre seja louvado!CANto FINAL: Hino CF 2012página 62 Calendário de Vacinação de Idosos DoENçAs IDADE VACINA DosE EVItADAs Hepatite B (1) (Grupos Vuneráveis) Três dose Hepatite B vacinas Hepatite B (recombinante) Uma dose Dupla tipo adulto (dT) (2) vacina Difteria e a cada dez adsorvida difteria e tétano adulto tétano anos 20 a 59 anos Uma dose Febre Amarela (3) vacina febre a cada dez Febre amarela amarela (atenuada) anos Sarampo, tríplice viral (sCr) (4) vacina Dose única caxumba e sarampo, caxumba e rubéola rubéola Hepatite B (1) (Grupos Vuneráveis) Três dose Hepatite B vacinas Hepatite B (recombinante) Uma dose Febre Amarela (3) vacina febre a cada dez Febre amarela amarela (atenuada) anos Influenza Influenza sazonal (5) vacina influenza 60 anos e Dose anual sazonal ou (fracionada, inativada) mais gripe pneumocócica 23-valente (pn23) Infecções vacina pneumocócica 23-valente (6) Dose única causadas pelo (polissacarídica) Pneumococo Uma dose Dupla tipo adulto (dT) (2) vacina Difteria e a cada dez adsorvida difteria e tétano adulto tétano anos 40
  • 42. 41
  • 43. AprEsENtAção DA CF 2012 “Converte-te e crê no Evangelho”! Ao recebermos a imposição das cinzas, no início da Quaresma, somos convidados a viver o Evangelho, viver da Boa Nova. A Boa Nova que recebemos é Jesus Cristo. Ele abriu um novo horizonte para todas as pessoas que nele creem. Crer no Evangelho é crer em Jesus Cristo que na doação amorosa da cruz deu-nos vida nova e concedeu-nos a graça de sermos filhos do Pai. Com sua morte transformou todas as realidades, criando um novo céu e uma nova terra. A Quaresma é o caminho que nos leva ao encontro do Crucificado-Ressuscitado. Caminho, porque processo existencial, mudança de vida, transformação da pessoa que recebeu a graça de ser discípulo-missionário. A oração, o jejum e a esmola indicam o processo de abertura necessária para sermos tocados pela grandeza da vida nova que nasce da cruz e da ressurreição. Assim, atingidos por Ele e transformados n’Ele, percebemos que todas as realidades devem ser transformadas, para que todas as pessoas possam ter a vida plena do Reino. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promove a Campanha da Fraternidade, desde o ano de 1964, como itinerário evangelizador para viver intensamente o tempo da Quaresma. A Igreja propõe como tema da Campanha deste ano: A fraternidade e a Saúde Pública, e como lema: Que a saúde se difunda sobre a terra (cf. Eclo 38,8). Deseja assim, sensibilizar a todos sobre a dura realidade de irmãos e irmãs que não têm acesso à assistência de Saúde Pública condizente com suas necessidades e dignidade. É uma realidade que clama por ações transformadoras. A conversão pede que as estruturas de morte sejam transformadas. A Igreja, nessa Quaresma, à luz da Palavra de Deus, deseja iluminar a dura realidade da Saúde Pública e levar os discípulos-missionários a serem consolo na doença, na dor, no sofrimento e na morte. E, ao mesmo tempo, exigir que os pobres tenham um atendimento digno em relação à saúde. Que ela se difunda sobre a terra, pois a salvação já nos foi alcançada pelo Crucificado. Às nossas Comunidades, grupos e famílias, uma abençoada caminhada quaresmal e celebremos a Jesus Cristo que fez novas todas as coisas. Dom Leonardo Ulrich Steiner Bispo Prelado de São Felix - MT Secretário Geral da CNBB Pe. Luiz Carlos Dias Secretário Executivo da Campanha da Fraternidade 42
  • 44. ABErtUrA O ambiente, e tudo que é necessário para a celebração, seja organizado com antecedência. Os ministros devem ser preparados para exercerem bem suas funções: uma pessoa para levar a cruz, duas para levarem as velas, cantores, dirigente, três leitores. A comunidade se reúne e faz um momento de silêncio e oração pessoal. Pode-se cantar um refrão meditativo. Deus santo, Deus forte, Deus imortal, tende piedade de nós! Ou Confia minha alma no Senhor, nele está minha esperança! O cantor entoa e a assembleia responde: Vem, ó Deus da vida, vem nos ajudar! Vem, ó Deus da vida, vem nos ajudar! Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Glória à trindade santa, glória ao Deus bendito. Para a oração, venham com fervor, o Cristo se fez servo, por nós se entregou. Para mim, viver é Cristo Jesus, Morrer, pra mim, é lucro, minha glória, a cruz! Após o sinal da cruz, o dirigente acolhe a comunidade com estas ou outras palavras: Dirigente: Vamos percorrer com Jesus o caminho que leva ao Calvário, mas também à ressurreição. Que a graça e a paz de Deus nosso Pai e de Cristo nosso Senhor estejam convosco! todos: Bendito seja Deus, que nos reuniu no amor de Cristo! A cruz é trazida solenemente, ladeada por duas velas acesas. A comunidade canta: Canto: Bendita e louvada seja no céu a divina luz ... Dirigente: “Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3,16). Deus Pai nos enviou seu Filho amado que, entre nós, assumiu sobre si todo sofrimento humano. Passou fazendo o bem. Aproximou-se dos que sofriam e esperavam ajuda, especialmente dos doentes. Nessa Via Sacra, reencontremos o sentido da cruz e nos façamos discípulos de Jesus, no serviço os doentes e no empenho por melhorias nas condições do atendimento público de saúde. Inicia-se a caminhada pelas estações da Via-Sacra. 43
  • 45. 1 Estação Jesus é condenado à morteDirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos! todos: porque pela vossa santa cruz, remistes omundo!Leitor(a) 1: “Por ocasião da festa, Pilatos costumava soltar um preso que eles mesmos pedissem... Quereis que eu vos solte o Rei dos judeus? Ele sabia que os sumos sacerdotes o tinham entregue por inveja... Eles porém, gritaram: “Crucifica-o... “Pilatos lhes disse: “Que mal fez ele?”. Eles, porém, gritaram com mais força: “Crucifica-o”... Pilatos, querendo satisfazer a multidão, soltou Barrabás, mandou açoitar Jesus e entregou-o para ser crucificado” (cf Mc 15,6; 9b-10; 13-15). Leitor(a) 2: Jesus Cristo é condenado à morte. Ele encaminhou-se à paixão e morte com plena consciência da missão que devia realizar. Por meio daqueles sofrimentos, ele salvaria o homem e lhe daria a vida eterna. Por sua cruz, Jesus atingiu as raízes do mal presente na história e no próprio homem (cf. Salvifici Doloris, n. 16). Dirigente: Ó Pai, a Cruz de Jesus é o sinal do vosso amor para conosco! Que o seguimento de seus passos nos fortaleça neste amor, nos ajude a tomar nossas cruzes e nos faça próximos daqueles sofredores que necessitam de cuidado. Por Jesus, nosso Senhor. t: Amém.Todos: Ó Maria, saúde dos enfermos, Jesus nos confiou a vós comofilhos e filhas. Despertai-nos para o serviço aos doentes e a defesa daboa saúde pública para todos.Canto: A morrer crucificado / teu Jesus é condenado/por teus crimes, pecador: (bis).A viver sem o cuidado/ o enfermo é condenado/ajudai-nos, Deus de amor: (bis) 44
  • 46. 2 Estação Jesus carrega a cruzDirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos! todos: porque pela vossa santa cruz, remistes omundo!Leitor(a) 1: “Carregando a sua cruz, ele saiu para o lugar chamado Calvário (em hebraico: Gólgota)” (Jo 19,17). Leitor(a) 2: O gesto amoroso da cruz também ilumina todo sofrer. Cristo sofre em solidariedade àquele que sofre e o convida a reencontrar seu sofrimento na fé, enriquecido de novo conteúdo e de novo significado, a exemplo de São Paulo que disse: “Com Cristo fui pregado na cruz. Eu vivo, mas não eu: é Cristo que vive em mim” (GI 2,19). Leitor(a) 3: A morte de cruz denuncia que aquele que morre é levado a morrer. À morte de cruz é conduzida grande parcela de irmãos. Nesta CF, queremos lembrar especialmente aqueles que sofrem e morrem de modo gradual, carentes de assistência adequada no cuidado da saúde. É um sofrimento que clama por justiça. Dirigente: Ó Pai, a Cruz de Jesus é o sinal de vosso amor para conosco! Lembramo-nos dos crucificados pela carência de assistência à saúde. Inspirai-nos ações que cooperem para que uma assistência de saúde pública, de qualidade, seja um bem oferecido a todos. Que a saúde se difunda sobre a terra. Por Jesus, nosso Senhor. t: Amém.Todos: Ó Maria, saúde dos enfermos, Jesus nos confiou a vós comofilhos e filhas. Despertai-nos para o serviço aos doentes e a defesa daboa saúde pública para todos.Canto: A morrer crucificado / teu Jesus é condenado/por teus crimes, pecador: (bis).A viver sem o cuidado/ o enfermo é condenado/ajudai-nos, Deus de amor: (bis) 45
  • 47. 3 Estação Jesus cai pela primeira vezDirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos! todos: porque pela vossa santa cruz, remistes omundo!Leitor(a) 1: “Carregando a cruz, Jesus saiu para o lugar chamado Calvário” (Jo 19,17). Caído de joelhos, ele rezava (cf Lc 22,41). Leitor(a) 2: Jesus caiu por terra. Ele se faz solidário aos sofrimentos humanos, como aos que são submetidos a filas e à má acolhida no atendimento de saúde pública. Leitor(a) 3: O SUS (Sistema Único de Saúde), inspirado em belos princípios, como seu caráter universal, e com a proposta de atender a todos, indiscriminadamente, deveria ser modelo para o mundo. Hoje, no entanto, com algumas exceções, encontra-se prostrado, sem condições de servir bem os que mais precisam de cuidados para a saúde. Dirigente: Ó Deus, a cruz de Jesus é sinal de seu amor para conosco! Que este amor nos sustente em nossas lutas em prol da vida e do auxílio às pessoas que sofrem. Nas quedas, nos voltemos confiantes para Vós e prossigamos a caminhada. Por Jesus, nosso Senhor. t: Amém.Todos: Ó Maria, saúde dos enfermos, Jesus nos confiou a vós comofilhos e filhas. Despertai-nos para o serviço aos doentes e a defesa daboa saúde pública para todos.Canto: A morrer crucificado / teu Jesus é condenado/por teus crimes, pecador: (bis).A viver sem o cuidado/ o enfermo é condenado/ajudai-nos, Deus de amor: (bis) 46
  • 48. 4 Estação Jesus se encontra com sua mãeDirigente: Nós vos adoramos, Ó Cristo, e vos bendizemos! todos: porque pela vossa santa cruz, remistes omundo!Leitor(a) 1: “Simeão disse a Maria, mãe de Jesus: Eis que este menino vai ser causa de queda e elevação de muitos em Israel. Ele será um sinal de contradição. Quanto a você, uma espada há de atravessar-lhe a alma. Assim serão revelados os pensamentos de muitos corações” (Lc 2,34-35). Leitor(a) 2: A cena do encontro de Jesus com sua Mãe é de dor profunda, mas vivida na fé. Assim, Maria também se faz solidária a todos os sofredores, como aos que carregam a cruz das doenças. Sobre essa solidariedade de nossa Mãe no sofrimento, o Papa Bento XVI disse: “não admira que Maria, Mãe e modelo da Igreja, seja evocada e venerada como ‘Saúde dos enfermos’. Como primeira e perfeita discípula do seu Filho, Ela demonstrou sempre, acompanhando o caminho da Igreja, uma solicitude especial para com os sofredores” (BENTO XVI, Discurso na celebração do Dia Mundial do doente. L’Osservatore Romano, 13/02/2010).Dirigente: Ó Deus, a Cruz de Jesus é o sinal de vosso amor para conosco! Que a dor dos corações partidos pelas situações de doença e mau atendimento, na Saúde Pública, sensibilize os corações. Faça crescer a solidariedade ao que sofre e o empenho em prol de melhorias no sistema de saúde pública. Por Jesus, nosso Senhor. t: Amém.Todos: Ó Maria, saúde dos enfermos, Jesus nos confiou a vós comofilhos e filhas. Despertai-nos para o serviço aos doentes e a defesa daboa saúde pública para todos.Canto: A morrer crucificado / teu Jesus é condenado/por teus crimes, pecador: (bis).A viver sem o cuidado/ o enfermo é condenado/ajudai-nos, Deus de amor: (bis) 47
  • 49. 5 Estação Cirineu ajuda Jesus a carregar a cruzDirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos! todos: porque pela vossa santa cruz, remistes omundo!Leitor(a) 1: “Enquanto levavam Jesus para ser crucificado, pegaram certo Simão, da cidade de Cirene, que voltava do campo, e o forçaram a carregar a cruz atrás de Jesus. Uma grande multidão do povo o seguia” (Lc 23,26). Leitor(a) 2: Os que sofrem ao carregar a cruz das doenças, pela condição de fragilidade e vulnerabilidade, constituem-se em sinais dos valores que são essenciais em nossa vida, em meio a tantas coisas supérfluas. Eles se tornam radares de alta sensibilidade. A resposta frente a esta realidade é nossa solidariedade samaritana. Leitor(a) 3: Quantos exemplos e testemunhos heróicos encontramos em nossas comunidades e entre os que trabalham na área da saúde. Ao ajudarem os enfermos a carregarem suas cruzes, nos evangelizam! Prestemos atenção ao que disse o Papa Bento XVI, “A grandeza da humanidade determina-se essencialmente na relação com o sofrimento e com quem sofre” (PAPA BENTO XVI. Spe Salvi, n. 38.). Dirigente: Ó Deus, a cruz de Jesus é o sinal do vosso amor para conosco! Inspirai-nos ações, como a do Cireneu que tomou a Cruz de Jesus, e levai-nos a socorrer as pessoas doentes e enfermas, aliviando-Ihes o sofrimento. Por Jesus, nosso Senhor. t: Amém.Todos: Ó Maria, saúde dos enfermos, Jesus nos confiou a vós comofilhos e filhas. Despertai-nos para o serviço aos doentes e a defesa daboa saúde pública para todos.Canto: A morrer crucificado / teu Jesus é condenado/por teus crimes, pecador: (bis).A viver sem o cuidado/ o enfermo é condenado/ajudai-nos, Deus de amor: (bis) 48
  • 50. 6 Estação Verônica enxuga o rosto de JesusDirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos! todos: porque pela vossa santa cruz, remistes omundo!Leitor(a) 1: “Ele não tinha aparência nem beleza para atrair o nosso olhar, nem simpatia para que pudéssemos apreciá-Io. Desprezado e rejeitado pelos homens, homem do sofrimento e experimentado na dor; como indivíduo de quem a gente esconde o rosto” (Is 53,2-4). Uma piedosa mulher enxugou o rosto de Jesus.Leitor(a) 2: “Quem permanece, por muito tempo, próximo das pessoas que sofrem conhece a angústia e as lágrimas, mas também o milagre da alegria, fruto do amor” (PAPA BENTO XVI. Discurso na Assembleia do Pontifício Conselho para a Pastoral no Campo da saúde. L’Osservatore Romano. 22/3/2007).Leitor(a) 3: O rosto desfigurado e abatido de Jesus, o Servo Sofredor, que levamos nesta Via Sacra até ao Calvário, podemos ver também nos enfermos, aos quais, muitas vezes, é concedido um tratamento precário, aumentando seu sofrer. No entanto, do sofrimento aceito e oferecido da maioria dessas pessoas, podemos colher uma experiência edificante. Na Igreja, os doentes evangelizam e recordam que a esperança repousa em Deus. Leitor(a) 1: O gesto de Verônica também nos lembra o dever de cuidar da vida. Para isso, não deixemos que barreiras nos distanciem dos que sofrem. Dirigente: Ó Deus, a cruz de Jesus é o sinal do vosso amor para conosco! Fortalecei-nos neste amor para que sejamos, a exemplo de Verônica, corajosos no socorrer a vida em todas as situações de sofrimento, especialmente na enfermidade. Por Jesus, nosso Senhor. t: Amém.Todos: Ó Maria, saúde dos enfermos, Jesus nos confiou a vós como filhose filhas. Despertai-nos para o serviço aos doentes e a defesa da boa saúdepública para todos.Canto: A morrer crucificado / teu Jesus é condenado/por teus crimes, pecador: (bis).A viver sem o cuidado/ o enfermo é condenado/ajudai-nos, Deus de amor: (bis) 49
  • 51. 7 Estação Jesus cai pela segunda vezDirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos! todos: porque pela vossa santa cruz, remistes omundo!Leitor(a) 1: “Era o mais desprezado e abandonado de todos, homem do sofrimento experimentado na dor, indivíduo de quem a gente desvia o olhar, repelente, dele nem tomamos conhecimento” (ls 53,3). Leitor(a) 2: Já sem forças e sofrendo as consequências da terrível flagelação, alquebrado pelo peso da cruz, invadido pela dor do abandono dos amigos, Jesus tropeçou e caiu mais uma vez. Leitor(a) 3: Em nossa sociedade, muitas pessoas são abandonadas no sofrimento da doença e da velhice. Seus parentes e amigos nem sempre são capazes de lhes dedicar tempo ou de permanecer com eles, sob a alegação de “cuidar da vida que continua”. Além disso, temos aqueles abandonados em filas ou em macas nos corredores de hospitais. Dirigente: Ó Deus, a cruz de Jesus é o sinal do vosso amor para conosco! Fortalecei-nos neste amor para que consigamos nos libertar da ambição do crescimento desmedido que despreza a vida no planeta. Nós vos pedimos em nome de Jesus, nosso Senhor. t: Amém.Todos: Ó Maria, saúde dos enfermos, Jesus nos confiou a vós comofilhos e filhas. Despertai-nos para o serviço aos doentes e a defesa daboa saúde pública para todos.Canto: A morrer crucificado / teu Jesus é condenado/por teus crimes, pecador: (bis).A viver sem o cuidado/ o enfermo é condenado/ajudai-nos, Deus de amor: (bis) 50
  • 52. 8 Estação Jesus consola as mulheresDirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos!todos: porque pela vossa santa cruz, remistes omundo! Leitor(a) 1: “Seguia-o uma grande multidão do povo, bem como de mulheres que batiam no peito e choravam por ele. Jesus, porém, voltou-se para elas e disse: ‘Mulheres de Jerusalém, não choreis por mim! Chorai por vós mesmas e por vossos filhos’” (Lc 23,27-28). Leitor(a) 2: Os recursos financeiros destinados à saúde pública em todo o Brasil são insuficientes. Várias propostas de lei para regulamentar os repasses à saúde foram colocadas em debate no Congresso Nacional, mas, até hoje, nenhuma foi aprovada em definitivo. “Chorai por vós mesmas e por vossos filhos!” Leitor(a) 3: Até um novo imposto sobre movimentação financeira foi criado para custear a saúde, a CPMF. Ele, no entanto, foi usado para melhorar os números da arrecadação tributária brasileira e não representou, em nenhum momento, agregação de novos recursos à saúde pública, no período de sua vigência, até 2007. “Chorai por vós mesmas e por vossos filhos!” Dirigente: Ó Deus, a cruz de Jesus é o sinal do vosso amor para conosco! Que o amor aos que mais precisam de digno atendimento de saúde pública, nos faça lutar contra desvios e falta de financiamento ao sistema de saúde pública. Por Jesus, nosso Senhor. t: Amém.Todos: Ó Maria, saúde dos enfermos, Jesus nos confiou a vós comofilhos e filhas. Despertai-nos para o serviço aos doentes e a defesa daboa saúde pública para todos.Canto: A morrer crucificado / teu Jesus é condenado/por teus crimes, pecador: (bis).A viver sem o cuidado/ o enfermo é condenado/ajudai-nos, Deus de amor: (bis) 51
  • 53. 9 Estação Jesus cai pela terceira vezDirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos! todos: porque pela vossa santa cruz, remistes omundo!Leitor(a) 1: “Eram na verdade os nossos sofrimentos que ele carregava, eram as nossas dores que levava às costas. E a gente achava que ele era um castigado, alguém por Deus ferido e massacrado” (Is 53,4). Leitor(a) 2: Passou a vida fazendo o bem, anunciou o Reino do Pai e acabou sendo rejeitado, sobretudo pelos que viam seus interesses contrariados e não queriam um mundo novo de justiça e paz. Leitor(a) 3: Desejamos que este mundo novo se concretize no atendimento da saúde, muitas vezes desumano, em virtude da medicina reduzir o ser humano à sua dimensão biológica, orgânica. É o momento de dar um basta à atuação de profissionais ‘mecânicos e insensíveis’. Há clamor, especialmente dos mais pobres, por profissionais ‘humanos e sensíveis’. O ser humano é muito mais do que sua materialidade biológica. Dirigente: Ó Deus, a cruz de Jesus é o sinal do vosso amor para conosco! Que nossas relações, iluminadas por este amor sejam cada vez mais condizentes com a dignidade de pessoa que nos concedestes. Por Jesus, nosso Senhor. t: Amém.Todos: Ó Maria, saúde dos enfermos, Jesus nos confiou a vós comofilhos e filhas. Despertai-nos para o serviço aos doentes e a defesa daboa saúde pública para todos.Canto: A morrer crucificado / teu Jesus é condenado/por teus crimes, pecador: (bis).A viver sem o cuidado/ o enfermo é condenado/ajudai-nos, Deus de amor: (bis) 52
  • 54. 10 Estação Jesus é despido de suas vestesDirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos! todos: porque pela vossa santa cruz, remistes omundo!Leitor(a) 1: “Depois que crucificaram Jesus, os soldados pegaram suas vestes e as dividiram em quatro partes, uma para cada soldado. A túnica era feita sem costura, uma peça só de cima em baixo. Eles combinaram: ‘Não vamos rasgar a túnica. Vamos tirar sorte para ver de quem será.’ Assim cumpriu-se a Escritura: ‘Repartiram entre si as minhas vestes e tiraram a sorte sobre minha túnica’” (Jo 19,23-24). Leitor(a) 2: A Constituição Cidadã de 1988 definiu que, em caso de insuficiência do setor público, é permitido recorrer a serviços privados, por meio de contratos ou convênios. No entanto, hoje é real o perigo de o Estado deixar, aos poucos, seu dever de fornecer boa saúde pública a todos, como diz a Constituição, em prol da privatização do atendimento de saúde. “Repartiram entre si as minhas vestes e tiraram a sorte sobre minha túnica”. Leitor(a) 3: Em sua vida neste mundo, Jesus renunciou à posse e ao domínio. Se o domínio é exercido de modo tirano, destrói a vida, desumaniza a pessoa, escraviza o semelhante. Por renunciar ao domínio, Jesus se colocava a serviço de todos, mostrando um caminho de justiça e de paz. Dirigente: Ó Deus, a cruz de Jesus é o sinal do vosso amor para conosco! Fortalecei-nos neste amor. Que o domínio não impeça um bom atendimento à saúde de todos, especialmente, aos mais necessitados. Por Jesus, nosso Senhor. t: Amém.Todos: Ó Maria, saúde dos enfermos, Jesus nos confiou a vós comofilhos e filhas. Despertai-nos para o serviço aos doentes e a defesa daboa saúde pública para todos.Canto: A morrer crucificado / teu Jesus é condenado/por teus crimes, pecador: (bis).A viver sem o cuidado/ o enfermo é condenado/ajudai-nos, Deus de amor: (bis) 53
  • 55. 11 Estação Jesus é pregado na cruzDirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos! todos: porque pela vossa santa cruz, remistes omundo!Leitor(a) 1: “Quando chegaram ao chamado ‘lugar da caveira’, aí crucificaram Jesus e os criminosos, um à sua direita e outro à sua esquerda. Todos os conhecidos de Jesus, assim como as mulheres que o acompanhavam desde a Galileia, ficaram à distância, olhando essas coisas” (Lc 23,33-49). Leitor(a) 2: Jesus exerceu o cuidado para com os seus até o fim. A todos procurou salvar, não se descuidou desta responsabilidade. Hoje as comunidades também são chamadas à responsabilidade para com o sistema de saúde pública, sobretudo pela participação ativa em Conselhos e Conferências de Saúde, que, muitas vezes, ficam sem nossa devida atenção. Leitor(a) 3: Os Conselhos têm caráter deliberativo e o papel de formulação, acompanhamento e controle permanente das ações do governo em seus três níveis. As Conferências de Saúde têm por objetivo avaliar, periodicamente (a cada 4 anos), o panorama da saúde e propor diretrizes para a política de saúde do país. Não podemos nos ausentar destes espaços de exercício da cidadania em prol de melhorias na saúde pública. Dirigente: Ó Deus, a cruz de Jesus é o sinal do vosso amor para conosco! Fortalecei-nos neste amor para que não sejamos omissos em nossas responsabilidades de cidadania. Dai-nos a graça do empenho na formulação e vigilância das ações da saúde pública. Por Jesus, nosso Senhor. t: Amém.Todos: Ó Maria, saúde dos enfermos, Jesus nos confiou a vós comofilhos e filhas. Despertai-nos para o serviço aos doentes e a defesa daboa saúde pública para todos.Canto: A morrer crucificado / teu Jesus é condenado/por teus crimes, pecador: (bis).A viver sem o cuidado/ o enfermo é condenado/ajudai-nos, Deus de amor: (bis) 54
  • 56. 12 EstaçãoJesus morre na cruzDirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos! todos: porque pela vossa santa cruz, remistes omundo!Leitor(a) 1: “Então Jesus deu um forte grito: ‘Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito’. Dizendo isso, expirou. O centurião viu o que tinha acontecido, e glorificou a Deus, dizendo: ‘De fato Esse homem era justo’” (Lc 23,46-48). Leitor(a) 2: A paixão de Cristo representa a máxima expressão do sofrimento humano, que, nesta entrega do Redentor, recebe uma significação nova e profunda, ao ser associado ao amor. A cruz de Cristo tornou-se uma fonte da qual brotam rios de água viva. Nela e por ela, “Deus amou tanto o mundo que deu o Seu Filho unigênito, para que Todo aquele que n’Ele crê, não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3,16).Dirigente: Ó Deus, a cruz de Jesus é o sinal do vosso amor para conosco! Que o sofrimento aceito e a entrega no amor de teu Filho nos ajude a tomar nossas cruzes cotidianas. Por Jesus, nosso Senhor. t: Amém.Todos: Ó Maria, saúde dos enfermos, Jesus nos confiou a vós comofilhos e filhas. Despertai-nos para o serviço aos doentes e a defesa daboa saúde pública para todos.Canto: A morrer crucificado / teu Jesus é condenado/ por teus crimes, pecador: (bis).A viver sem o cuidado/ o enfermo é condenado/ajudai-nos, Deus de amor: (bis) 55
  • 57. 13 Estação Jesus é descido da cruzDirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos! todos: porque pela vossa santa cruz, remistes omundo!Leitor(a) 1: “Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe e a irmã de sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena. Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe: ‘Mulher; eis o teu filho’. Depois disse ao discípulo: ‘Eis a tua mãe!’ A partir daquela hora, o discípulo a acolheu junto de si” (Jo 19,25-27). Leitor(a) 2: Jesus estava morto. O silêncio invadiu o céu e a terra. Maria recebeu em seus braços o filho despedaçado, inerte e pesado. Nesta Via-Sacra, com Maria, acolhemos em nossos braços o corpo do Senhor e nos lembramos de tantas situações de sofrimento e morte que nos afligem. Leitor(a) 3: Maria Santíssima sempre demonstrou especial solicitude para com os sofredores. Esta afirmação é confirmada por inúmeras pessoas que, sobretudo na hora da doença, acorrem aos santuários marianos para invocar a Mãe do Salvador. No aconchego de seus braços maternos, elas recobram a força para a luta e se sentem consoladas.Dirigente: Ó Deus, a cruz de Jesus é o sinal do vosso amor para conosco! Fortalecei-nos neste amor para que possamos completar a paixão de Cristo através de atitudes. Alimentai a nossa esperança para que não desanimemos em nossas lutas diante das situações de morte. Por Jesus, nosso Senhor. t: Amém.Todos: Ó Maria, saúde dos enfermos, Jesus nos confiou a vós comofilhos e filhas. Despertai-nos para o serviço aos doentes e a defesa daboa saúde pública para todosCanto: A morrer crucificado / teu Jesus é condenado/ por teus crimes, pecador: (bis).A viver sem o cuidado/ o enfermo é condenado/ ajudai-nos, Deus de amor: (bis) 56
  • 58. 14 Estação Jesus é sepultadoDirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos! todos: porque pela vossa santa cruz, remistes omundo!Leitor(a) 1: “Em verdade, em verdade, vos digo: se o grão de trigo que cai na terra não morre, fica só. Mas, se morre, produz muito fruto” (Jo 12,24). José de Arimateia depositou o corpo de Jesus num túmulo que estava cavado na rocha e rolou uma pedra sobre a porta do túmulo” (Mc 15,46). Leitor(a) 2: O sofrimento e a morte são de difícil aceitação para a humanidade. Considerando nosso contexto cultural, marcado pelo hedonismo, estas realidades geram desconforto, inquietação e até mesmo revolta, pois as pessoas são impulsionadas à busca de uma felicidade ligada à noção de prazer e à rejeição de esforços. Leitor(a) 3: Nesta Via-Sacra, solidários com Jesus e unidos às comunidades e a todos as pessoas que sofrem e lutam pela vida, cremos “em Jesus Cristo que padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado, desceu aos infernos”. Cremos que a morte é a passagem necessária para a plenitude da vida. A última palavra de Jesus para nós não é morte, pois ele entra na morte para vencê-Ia. Dirigente: Ó Deus, a Cruz de Jesus é o sinal do vosso amor para conosco! Fortalecei-nos sempre nesse amor, para que produzamos frutos que alimentem a esperança na ressurreição. Por Jesus, nosso Senhor. t: Amém.Todos: Ó Maria, saúde dos enfermos, Jesus nos confiou a vós comofilhos e filhas. Despertai-nos para o serviço aos doentes e a defesa daboa saúde pública para todos.Canto: A morrer crucificado / teu Jesus é condenado/ por teus crimes, pecador: (bis).A viver sem o cuidado/ o enfermo é condenado/ ajudai-nos, Deus de amor: (bis) 57
  • 59. 15 Estação Jesus ressuscitouDirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos! todos: porque pela vossa santa cruz, remistes omundo!Leitor(a) 1: “Por que buscais entre os mortos aquele que vive? Não está aqui. Ressuscitou! Lembrai-vos do que ele vos falou, quando ainda estava na Galileia: ‘É necessário o Filho do Homem ser entregue nas mãos dos pecadores, ser crucificado e, no terceiro dia, ressuscitar”’. Leitor(a) 2: Ao final desta Via Sacra, reafirmamos nossa fé na ressurreição. Cremos que a ressurreição continua acontecendo sempre que os homens criam relações fraternas e estão mais próximos e respeitosos. Também quando os doentes são atendidos por um sistema de saúde digno, por profissionais dedicados ou são confortados e cuidados pelos familiares e pelas pastorais da Igreja. Leitor(a) 3: Justamente no atrair sobre a situação de doença e sofrimento a ação do Ressuscitado e de seu Espírito, reside a grande importância da Pastoral da Saúde. Um doente bem cuidado e curado pela ação de Cristo, por meio das ações da Igreja, constitui uma grande alegria na terra e no céu, é primícia de vida eterna. Que a saúde se difunda sobre a terra! Dirigente: Ó Deus, a Cruz de Jesus é o sinal do vosso amor para conosco! Renovai-nos sempre na alegria da ressurreição do vosso Filho. Bendizemos o vosso nome porque no testemunho dos enfermos, podemos ver que a vida é mais forte do que a morte. Por Jesus, nosso Senhor. t: Amém.Todos: Ó Maria, saúde dos enfermos, Jesus nos confiou a vós comofilhos e filhas. Despertai-nos para o serviço aos doentes e a defesa daboa saúde pública para todos.Canto: A morrer crucificado / teu Jesus é condenado/ por teus crimes, pecador: (bis).A viver sem o cuidado/ o enfermo é condenado/ ajudai-nos, Deus de amor: (bis) 58
  • 60. 1) LENtA E CALMA tenho amado.1 - Lenta e calma sobre a terra, 5 - E, chegando a minha Páscoa, Desce a noite e foge a luz, vos amei até o fim: Amai-vos uns Vem Brilhar em nossas trevas, aos outros como eu vos tenho Vem conosco, bom Jesus! (bis) amado.2 - Em silêncio passa a noite, 6 - Nisto todos saberão que vós Vão-se as trevas, chega a luz! sois os meus discípulos: Amai-Amanhã é novo dia, vos uns aos outros como eu vós Vem conosco, bom Jesus! (bis) tenho amado. 3 - Vem conosco, Cristo amigo,Quem vem do alto nos conduz. 3) orAção DE são FrANCIsCo:Sê a Luz dos nossos passos, Senhor, fazei de mim instrumento Vem conosco, bom Jesus! (bis) de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o 2) HINo: proVA DE AMor: amor.prova de amor maior não há Onde houver ofensa, que eu leve Que doar a vida pelo irmão o perdão.1 - Eis que eu vos dou o novo Onde houver discórdia, que eu mandamento: Amai-vos uns aos leve a união.outros como eu vos tenho amado. Onde houver dúvida, que eu leve 2 - Vós sereis os meus amigos se a fé.seguirdes meu preceito: Amai- Onde houver erro, que eu leve a vos uns aos outros como eu vós verdade.tenho amado. Onde houver desespero, que eu 3 - Como o Pai sempre me ama leve a esperança.assim eu também vos amei: Onde houver tristeza, que eu leve Amai-vos uns aos outros como a alegria.eu vós tenho amado. Onde houver trevas, que eu leve a 4 - Permanecei em meu amor e luz.segui meu mandamento: Amai- Ó mestre, fazei que eu procure mais vos uns aos outros como eu vós consolar que ser consolado; 59
  • 61. compreender que ser compreendido; caminho que nos conduz a Deusamar que ser amado. 2 - Da noite da mentira, das Pois é dando que se recebe; trevas para a luz, busquemos a é perdoando que se é perdoado e verdade, verdade é só Jesus.é morrendo que se vive para a vida 3 - Pecar é não ter vida, pecar é eterna não ter luz; tem vida só quem segue os passos de Jesus4) HINo CF 2010: 4 - Jesus, verdade e vida, Jesus Cristo anunciava por caminho que conduz as almas primeiro/ Um novo reino de peregrinas que marcham para a justiça e seus valores: luz.“Vós não podeis servir a Deuse ao dinheiro / E muito menos 6) LoUVor E GLÓrIA:agradar a dois senhores. Louvor e glória a ti, Senhor,/ Cristo1 - Voz de um profeta contra o palavra, Cristo palavra de Deus!ídolo e a cobiça: / “Endireitai 1 - O Homem não vive Somente hoje os caminhos do Senhor!” de pão, / Mas de toda palavra da Produzi frutos de partilha e boca de Deus!de justiça! / Chegou o Reino: 2 - Numa nuvem Resplendente Convertei-vos ao amor! fez-se Ouvir a voz do Pai. / Eis meu 2 - Não é a riqueza nem o lucro filho amado, Escutai-o, todos vós!sem medida / Que geram paz e 3 - Na verdade, sois Senhor, O laços de fraternidade; Salvador do mundo. / Senhor, Mas todo o gesto de partilha dai-me água viva A fim de eu em nossa vida / Que faz a fé se não ter sede!transformar em caridade. 4 - Pois eu sou a luz do mundo, 3 - No Evangelho encontrareis a Quem nos diz é o Senhor. / E luz divina, / Não no supérfluo, vai ter a luz da vida quem Se faz na ganância e na ambição. meu seguidor!Ide e vivei a Boa-Nova que ilumina 5 - Eu sou ressurreição, Eu sou E a palavra da fraterna comunhão. a vida. / Quem crê em mim não Morrerá eternamente.5) VÓs soIs o CAMINHo:Vós sois o caminho, a verdade e 7) NÓs tE LoUVAMos:a vida; o pão da alegria descido Nós te louvamos,do céu senhor Jesus Cristo,1 - Nós somos caminheiros que No dia da tua transfiguração.marcham para os céus; Jesus é o Hoje entre nós para nos proteger! 60
  • 62. 1 - Eu me alegrei quando me a Boa Nova da justiça anunciou: disseram: Vamos à casa do / o cego viu, o surdo escutou Senhor / Os nossos passos já e os oprimidos das correntes se detêm Às portas da grande libertou!cidade. 3 - Nosso poder esta na união, o 2 - Eis que ela é uma cidade mundo novo vem de Deus e dos Santa, Edificada no Senhor. irmãos / vamos lutando contra a / O povo todo alegre acorre divisão e preparando a festa da Louvando o nome do Senhor. libertação 4 - Cidade e campo se 8) pECADor, AGorA É tEMpo transformaram, jovens unidos 1- Pecador, agora é tempo na esperança gritarão. / A De pesar e de temor: força nova é o poder do amor, Serve a Deus, acolhe a graça, nossa fraqueza é força em Deus Já não sejas pecador! libertador!2 - Neste tempo sacrossantoO pecado faz horror; 10) o Vosso CorAção:Contemplando a cruz de Cristo o vosso coraçãoJá não sejas pecador! De se converterá3 - Pecador arrependido Em novo, em novo coração.Volta para teu Senhor, 1 - Tirarei de vosso peitoVem, abraça-te, contrito Vosso coração de pedra,Com teu Pai, teu criador! No lugar colocarei novo4 - Compaixão, misericórdia Coração de carne.Vos Pedimos, Redentor: 2 - Dentro em vós eu plantarei,Pela Virgem, Mãe das Dores, Plantarei o meu espírito:Perdoai-nos, Deus de Amor! Amareis os meus preceitos, Seguireis o meu amor.9) poVo NoVo: 3 - Dentre todas as nações,Lutar e crer, vencer a dor, louvar Com amor vos tirarei,ao Criador! / Justiça e Paz hão Qual pastor vos guiarei,de reinar e viva o amor! Para a terra, a vossa pátria.1 - Quando o espírito de Deus 4 - Esta terra habitareis:soprou, o mundo inteiro se Foi presente a vossos paisiluminou. / A esperança na terra E sereis sempre o meu povo,brotou e o povo novo deu-se as Eu serei o vosso Deus.mãos e caminhou!2 - Quando Jesus a terra visitou, 61
  • 63. HINo CAMpANHA DA FrAtErNIDADE 20121. Ah! Quanta espera, desde as frias madrugadas,Pelo remédio para aliviar a dor!Este é teu povo, em longas filas nas calçadas,A mendigar pela saúde, meu Senhor!tu, que vieste pra que todos tenham vida, (Jo 10, 10)Cura teu povo dessa dor em que se encerra;Que a fé nos salve e nos dê força nessa lida, (Mc 5, 34)E que a saúde se difunda sobre a terra! (Eclo 18, 8)2. Ah! Quanta gente que, ao chegar aos hospitais,Fica a sofrer sem leito e sem medicamento!Olha, Senhor, a gente não suporta mais,Filho de Deus com esse indigno tratamento!3. Ah! Não é justo, meu Senhor, ver o teu povoEm sofrimento e privação quando há riqueza!Com tua força, nós veremos mundo novo, (Ap 21, 1 - 7)Com mais justiça, mais saúde, mais beleza!4. Ah! Na saúde já é quase escuridão,Fica conosco nessa noite, meu Senhor, (Lc 24, 29)Tu que enxergaste, do teu povo, a afliçãoE que desceste pra curar a sua dor. (Ex 3, 7 - 8)5. Ah! Que alegria ver quem cuida dessa genteCom a compaixão daquele bom samaritano. (Lc 10, 25 - 37)Que se converta esse trabalho na sementeDe um tratamento para todos mais humano!6. Ah! Meu Senhor, a dor do irmão é a tua cruz!Sê nossa força, nossa luz e salvação! (Sl 27, 1)Queremos ser aquele toque, meu Jesus, (Mc 5, 20 - 34)Que traz saúde pro doente, nosso irmão! 62
  • 64. MÍDIAs soCIAIs Baixe os hinos e cânticos dos encontros, no Blog das CEBs: http://tremdascebs.blogspot.com/ Siga nos no twitter: https://twitter.com/#!/tremdascebs Canal de vídeos: http://www.youtube.com/user/bernadetecebs http://www.facebook.com/tremdascebs Álbuns de fotos: http://picasaweb.google.com/CEBsMaria EQUIpE DEstE LIVrEto- Maria das Graças Bustamente - 1º encontrorosana de paula rosaParóquia Santuário São Judas Tadeu- Maria José de oliveira – 2º encontroParóquia Nossa Senhora de Guadalupe-Luís Mario Marinho da silva – 3º encontroParóquia Coração de Jesus - silvia Maria Andrade Macedo – 4º encontroParóquia Coração Eucarístico de Jesus- Maria Aparecida Matsutacke – 5º encontroParóquia Nossa Senhora de Guadalupe- Maria de Fátima Silva - 6º encontroParóquia São Vicente de Paulo- Maria Bernadete Mota oliveira – 7º encontroParóquia Coração de Jesus- Luiz Antônio de oliveira – 8º encontroParóquia Coração de Jesus 63
  • 65. EQUIpE DE EDItorAção- Digitação Maria Aparecida Matsutacke - revisão redacional Diác. José Aparecido de Oliveira (Cido) - Paróquia São Benedito - Alto da Ponte, Pedro Luvizotto e Ana Lúcia Zombardi (Departamen-to de Comunicação da Diocese de São José dos Campos)- revisão teológica e Apresentação Pe. Fabiano Cleber Cavalcante- Diagramação e Capa Maria Bernadete de Paula Mota Oliveira- Arte final e Impressão Katú Editora Gráfica- Quantidade 40.000 Exemplares. sUGEstão E CrÍtICAs... Envie para o e-mail: tremdascebs@diocesesjc.org.br ou Av. Ouro Fino, 1.840, Bosque dos Eucalíptos São José dos Campos - SP- CEP 12.233-401 BIBLIoGrAFIA DEstE LIVrEto• Bíblia de Jerusalem• Agenda LatinoAmericana 2012 • Leitura Orante da Bíblia: Frei Carlos Mesters• Lectio Divina: Penha Carpanedo e Dilza Pacheco• Oficio Divino das Comunidades• ODC Uma introdução: Penha Carpanedo• Espiritualidade Liturgica a partir do ODC - Cadernos de Liturgia• O Evangelho de João – O Caminho da Vida – José Bortoline• O Evangelho de Marcos – Euclides Martins Balancin• Revista Missões• O Embalo deste Canto• Texto Base da CF 2012• Edições CNBB – Via Sacra CF 2012• Figuras ilustrativas dos oito encontros. Cerezo Barredo - http://servicioskoinonia.org/cerezo/indexAgraf.php 64
  • 66. O Documento de Aparecida lembra queas CEBs “têm sido escolas que têmajudado a formar cristãoscomprometidos com sua fé, discípulose missionários do Senhor, como otestemunha a entrega generosa, atéderramar o sangue, de muitos de seusmembros” (DAp 178).Estas experiências comunitáriasconstituem grande expressão da Igrejacomo morada de povos irmãos ecasa dos pobres (cf. DAp 8,524) CEBs (COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE) Diocese de São José dos Campos - SP http://tremdascebs.blogspot.com/ e-mail: tremdascebs@diocesesjc.org.br

×