• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
 

IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3

on

  • 2,217 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,217
Views on SlideShare
2,208
Embed Views
9

Actions

Likes
0
Downloads
34
Comments
0

2 Embeds 9

http://www.slideshare.net 8
http://www.blogger.com 1

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3 IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3 Presentation Transcript

    • FORMANDA: MARGARIDA MOTA NOVEMBRO DE 2009 INTEGRAÇÃO DO MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO NA ESCOLA/AGRUPAMENTO
    • AUTO-AVALIAÇÃO DA BE
      • A ligação entre a biblioteca escolar, a escola e o sucesso educativo é hoje um facto assumido por várias Organizações e Associações Internacionais que a definem como cerne de trabalho e de aprendizagem ao serviço da Escola.
      • A biblioteca escolar é, ela própria, um sistema integrado e aberto à influência de outros sistemas, com os quais interage.
    • AUTO-AVALIAÇÃO DA BE
      • O currículo e a forma como está organizado, bem como os valores, modelos e as práticas de transmissão/apropriação do conhecimento são outros dos factores que condicionam o sucesso da BE.
    • O PAPEL E AS MAIS-VALIAS DA AUTO-AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR
      • As relações que se estabelecem entre a escola e a biblioteca escolar podem assumir-se como determinantes ou inibidoras do seu sucesso.
      • Determinantes práticas integradoras de trabalho comum
      • Inibidoras pouca abertura à mudança
      • professor coordenador sem visão e capacidade de liderança
    • O PAPEL E AS MAIS-VALIAS DA AUTO-AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR
      • A biblioteca escolar, a partir do seu coordenador / equipa, deverá dar lugar a uma acção integradora de objectivos e práticas que se adaptem à mudança, vitais para a sobrevivência e para a qualidade da
      • biblioteca escolar a ligação ao currículo e ao sucesso educativo dos alunos.
    • O PAPEL E AS MAIS-VALIAS DA AUTO-AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR
      • “ The development and use of human knowing, the construction of understanding and meaning is what learning is all about, and that defines the central role of the school librarian.”
      • Todd, Ross (2002) “School librarian as teachers:learning outcomes and evidence-based practice “.68th IFLA Council and General Conference August
    • BE – LIGAÇÃO AO CURRÍCULO E AO SUCESSO DOS ALUNOS
      • BE
    • AUTO-AVALIAÇÃO
      • A questão da liderança e do exercício de uma visão e gestão estratégica é determinante no desenvolvimento e no sucesso do processo de auto-avaliação.
    • AUTO-AVALIAÇÃO DA BE
      • A auto-avaliação da BE implica um planeamento e uma estratégia clara e exequível, concretizada em objectivos ,acções e metodologias de monitorização do processo, que permitam medir e reajustar as práticas.
    • AUTO-AVALIAÇÃO DA BE
      • É importante proceder a uma auto-avaliação da BE porque esta permite:
      •  obter evidências que validem o trabalho da BE e sustentem o trabalho a desenvolver;
      •  aferir a eficácia dos serviços prestados;
      •  saber o grau de satisfação dos utilizadores;
      •  determinar até que ponto a sua missão e objectivos estão a ser alcançados.
    • AUTO-AVALIAÇÃO DA BE
      • É importante proceder a uma auto-avaliação da BE porque esta permite:
      •  “ medir o impacto que as práticas da BE têm nas aprendizagens dos alunos, nas suas atitudes, valores e competências;
      •  identificar práticas que têm sucesso (pontos fortes) e pontos fracos a melhorar para, posteriormente elaborar Planos de Melhoria;
      •  planificar o trabalho, tendo em conta o Projecto Educativo da Escola/Agrupamento.
    • AUTO-AVALIAÇÃO DA BE
      • É importante proceder a uma auto-avaliação da BE porque esta permite:
          •  avaliar o trabalho colaborativo entre a BE e os professores;
          •  obter informação mais formalizada, que permita integrar a auto-avaliação da BE na avaliação interna e externa da Escola.
    • AUTO - AVALIAÇÃO In Scoot, Elspeth S. How good is yous school library resource centre? (2002)
    • AUTO-AVALIÇÃO DA BE
      • Domínios a avaliar:
      • Apoio ao Desenvolvimento Curricular
      • Leitura e Literacias
      • Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Apoio à Comunidade Educativa
      • Gestão da BE
    • FASES DO PROCESSO
      • 1.Escolher um dos domínios a avaliar
              • O PB /equipa tomam a iniciativa tendo em conta o contexto escolar
              • Discussão com a Direcção
              • Apresentação ao Conselho Pedagógico
    • FASES DO PROCESSO
      • 2.Estabelecer prioridades
      • Como não se pode “medir tudo”, é necessário ter em conta:
      • a escolha dos indicadores a avaliar;
      • a vontade dos professores;
      • as necessidade dos alunos.
    • FASES DO PROCESSO
      • 3. Aplicação de instrumentos de medida a alunos, professores e encarregados de educação a calendarizar.
          • Questionários
          • Grelhas de observação
          • Entrevistas
          • (Utilização/adequação dos instrumentos de medida disponibilizados no documento RBE- Modelo de Auto-Avaliação da biblioteca escolar.)
    • FASES DO PROCESSO
      • 4. Gestão de evidências
          • Recolha de evidências
          • Gestão e interpretação da informação recolhida
        • A interpretação e transformação da informação em conhecimento permitirão ajuizar e retirar consequências e linhas de orientação do processo.
    • FASEES DO PROCESSO
      • 5. Comunicação dos resultados
      • Comunicação à Escola - apresentação e discussão do relatório de auto-avaliação no Conselho Pedagógico.
      • Síntese a integrar no relatório de auto-avaliação da escola, sendo aquela uma orientação para o
      • coordenador aquando da Avaliação Externa pela IGE. Publicação dos resultados na página da escola e/ou no blog da BE.
      • Comunicação à RBE – envio do relatório de Auto-Avaliação à RBE.
    • ENVOLVIMENTO DA ESCOLA/AGRUPAMENTO
      • Para um envolvimento de todos os intervenientes, o professor bibliotecário / equipa devem interagir com:
      •  A Direcção – líder cooperante no processo já que pode aglutinar vontades e acções, de acordo com competências que lhe estão conferidas
    • ENVOLVIMENTO DA ESCOLA/AGRUPAMENTO
      • … . com:
      •  o Conselho Pedagógico – envolvimento no processo o que vai torná-lo mais credível junto dos outros professores
      •  os alunos, pais e docentes – disponibilização da informação sobre o processo de auto-avaliação da BE, para que cada um possa dar o seu contributo, quer individual quer inserido nas várias estruturas da escola
    • AUTO-AVALIAÇÃO DA BE CONCLUSÃO
      • “ A auto-avaliação deverá contribuir para a elaboração do novo plano de desenvolvimento, ao possibilitar a identificação mais clara dos pontos fracos e fortes, o que orientará o estabelecimento de objectivos e prioridades, de acordo com uma perspectiva realista face à BE e ao contexto em que esta se insere.
    • AUTO-AVALIAÇÃO DA BE CONCLUSÃO
      • Esse plano deve instituir-se como um compromisso da escola, na sua globalidade, já que um melhor desempenho da biblioteca irá beneficiar o trabalho de todos, docentes e alunos. “ (RBE – Modelo de Auto-Avaliação-2009)
    • BIBLIOGRAFIA
      • Texto da sessão – O Modelo de Auto-Avaliação no Contexto de Escola/Agrupamento
      • Rede de Bibliotecas Escolares – Modelo de auto-avaliação da Biblioteca Escolar (2009) disponível em:
      • http://www.rbe.min-edu.pt/np4/?newsId=31&fileName=modelo_auto_avaliacao.pdf [14/11/2009] 
      • Scott,Elspeth (2002) “How good is your scholl library resource centre? An introduction to performance measurement” 68th IFLA Council and General Conference August
      • http://archive.ifla.org/IV/ifla68/papers/028-097e.pdf [14/11/2009]
    • BIBLOGRAFIA
      • Todd, Ross (2002) “School librarian as teachers:learning outcomes and evidence-based practice “.68th IFLA Council and General Conference August
      • http://archive.ifla.org/IV/ifla68/papers/084-119e.pdf [14/11/2009]