Your SlideShare is downloading. ×
Relatório extração dna
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Relatório extração dna

43,184
views

Published on


0 Comments
10 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
43,184
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
10
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Biologia e Geologia – 11º AnoRelatório científico  Título – Extração de DNA de células vegetais.  Autor –  Data –  Introdução Esta atividade experimental tem como objectivos: - extrair o DNA das células de banana, - visualizar ao vivo o material genético, - conhecer a localização celular do DNA, - aplicar conhecimentos obtidos sobre a estrutura da membrana celular, - relacionar as etapas da extracção do DNA com a respectiva estrutura e a das células eucarióticas. Toda a informação necessária para criar um organismo encontra-se no DNA. Esta molécula é usada durante o período de vida de um organismo para fornecer instruções para milhões de processos celulares que ocorrem constantemente. Para estudar o modo como essas informações são comunicadas à célula os cientista isolaram o DNA. Para isolar o DNA é necessário separá-lo dos outros componentes celulares; as membranas celulares e os invólucros nucleares são fragmentadas e o DNA é separado das membranas das células e dos organitos. Utilizando procedimentos e instrumentos muito simples é possível extrair o DNA e visualizá-lo sob a forma de filamentos brancos.  Protocolo experimental Material utilizado: - Banana - Detergente - Erlenmeyer - Sal - Álcool etílico frio - Funil - Água fria - Misturadora - Gaze - Gelo - Vareta de vidro - Espátula Procedimento: 1. Introduzir no copo da misturadora a banana, 2 espátulas de sal, 200 ml de água fria, cubos de gelo. 2. Triturar durante 1 minuto, na potência máxima. 3. Colocar num balão de Erlenmeyer ou matraz um funil grande com gaze. 4. Verter a mistura resultante da trituração no funil. 5. Medir 40 ml de filtrado para um novo balão Erlenmeyer. 6. Adicionar ao filtrado 2 ml de detergente. 7. Misturar lentamente sem fazer espuma. 8. Retirar 5 ml do preparado anterior e transferi-los para um tubo de ensaio. 9. Sem agitar o tubo e mantendo-o ligeiramente inclinado, adicionar, muito lentamente junto à parede do tubo, igual quantidade de álcool frio. 10. Distinguir uma fase alcoólica (sobrenadante) e uma fase aquosa (inferior). 11. Deixar repousar cerca de 5 minutos. 12. Observar os filamentos de cor branca que se precipitaram no limite da camada de álcool. 13. Com um palito retirar os filamentos observados.
  • 2.  Resultados obtidos Neste item faz um registo do que observas-te sob a forma de um esquema legendado. Filamentos de DNA Fase alcoólica (sobrenadante) Fase aquosa Figura 1 – Esquema dos resultados obtidos após a finalização da experiência  Discussão dos resultados / Conclusão Neste item não te esqueças de referir: - a importância do DNA, - onde se localiza o DNA, - a função de cada um dos reagentes usados na experiência (o sal, o álcool e o detergente), - o papel desempenhado pela trituração/maceração bem como a finalidade da filtração, - uma possível explicação para a ascensão do DNA na solução, - porque motivo não se pode ver a estrutura da molécula de DNA, - ao modo como decorreu a atividade. O DNA das células eucarióticas localiza-se fundamentalmente no núcleo. O DNA contém a informação genética que controla toda a atividade celular e que se transmite de geração em geração. Toda a informação necessária para criar um organismo encontra-se no ADN. A trituração realizou-se para romper as paredes celulares e as membranas citoplasmáticas, libertando o conteúdo celular. Contudo, as pás da misturadora não conseguem remover os núcleos e libertar o DNA, porque estes são demasiado pequenos. A filtração permite separar as paredes celulares e as membranas citoplasmáticas do restante conteúdo celular, nomeadamente dos núcleos. Uma vez que a misturadora não conseguiu romper os núcleos, recorreu-se à emulsificação, através da aplicação de detergente. O detergente penetra na estrutura das membranas e separa as grandes moléculas de fosfolípidos, provocando a destruição das membranas. Consequentemente o conteúdo nuclear (DNA e proteínas) dispersa-se na solução. A adição do sal (NaCl) no início da experiência proporcionou ao DNA um ambiente favorável. O sal contribui com iões positivos (Na+) que neutralizam a carga negativa do DNA (devida à ionização do grupo fosfato), estabilizando-o. Adicionalmente, as moléculas de DNA agregam-se, formando filamentos espessos e compridos e consequentemente mais visíveis.__________________________________________________________________________________________________Biologia e Geologia – 11º Ano – Ano letivo 2012/13 – Escola Secundária D. Maria II – Braga 2/2
  • 3. O DNA não se dissolve no álcool etílico à concentração e temperatura utilizadas na experiência. Como resultado o DNA precipitou e, consequentemente, separou-se da solução tornando possível a sua visualização e recolha. O álcool, como é menos denso do que a água, flutua numa camada acima desta. A maior parte das estruturas celulares é muito densa, permanecendo na solução aquosa no fundo do tubo de ensaio. O DNA é menos denso que a água e, portanto, flutua na superfície do álcool. Apesar de o DNA ser a maior molécula da célula, a sua estrutura não se pode observar a olho nu, devido ao seu tamanho microscópico. Tal como não podemos observar a maior parte das células a olho nu mas podemos observar um organismo constituído por milhões de células, também não podemos observar uma molécula de DNA mas podemos observar, como verificamos na experiência, milhões de cadeias de DNA aglomeradas.__________________________________________________________________________________________________Biologia e Geologia – 11º Ano – Ano letivo 2012/13 – Escola Secundária D. Maria II – Braga 3/2