Your SlideShare is downloading. ×
Apresentação Tese Doutoramento
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Apresentação Tese Doutoramento

3,245
views

Published on

Slides de apresentação da Tese de Doutoramento em Multimédia em Educação: A Construção da Identidade em Ambientes Digitais …

Slides de apresentação da Tese de Doutoramento em Multimédia em Educação: A Construção da Identidade em Ambientes Digitais

Tese disponível em: http://www.academia.edu/3301595/A_construcao_da_identidade_em_ambientes_digitais_-_estudo_de_caso_sobre_a_construcao_da_identidade_online_no_SAPO_Camups_e_em_ambientes_informais

Published in: Education

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
3,245
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
28
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. A construção da identidadeem ambientes digitaisEstudo de caso sobre a construção da identidade onlineno SAPO Campus e em ambientes informaisOrientador: Doutor Luís Francisco PedroCoorientador: Doutor António MoreiraMónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoUniversidade de Aveiro | Março 2013
  • 2. Contextualizando»» rede como espaço de interação entre pessoas e indivíduos»» identidade = experiências académicas formais + percurso de vida»» literacia digital = competências essenciais ao acesso e comunicação= utilização crítica das tecnologias= consciência crítica em relação ao conteúdo criado e utilizado= compreensão da tecnologia enquanto experiência culturalWeb como plataformaRede»» espaço favorável à participação e interação»» construção de identidade, reflexo do percurso pessoal, académico e profissionalUniversidade de Aveiro | Março 2013 Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em Educação
  • 3. Mundo físico» corpo enquanto objeto central na manifestação da identidade (Boyd, 2008; Childs, 2011)» representação corpórea que define e ao mesmo tempo limita a identidade dos indivíduosInternet e ambientes mediados por computador»» alteração das condições tradicionais de produção da identidade»» representação digital da identidade: »» avatares, assinaturas de e-mail, nicknames;»» escrita em blogs, homepages ou perfis de redes sociais(Buckingham, 2008; Childs, 2011; Greenhow e Robelia, 2009)Identidade online»» publicação de conteúdo (Coiro et al., 2008; Zhao et al., 2008; Greenhow e Robelia, 2009; Greenhow etal., 2009; Costa e Torres, 2011);»» criação de perfis (Boyd, 2008b; Greenhow e Robelia, 2009);»» tipologia de participação (Fraser, 2008).Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoUniversidade de Aveiro | Março 2013Identidade em ambientes digitais
  • 4. A representação do indivíduo na rede»» reflexo à identidade do mundo físico » e.g. utilização do nome ou foto real no perfil»» outra forma de representação » e.g. utilização de avatares, nicknames»» identidade estável » identificação, discurso, conteúdo comuns a diferentes espaços»» identidade ajustada » revelação de informação e conteúdo de acordo com o espaço e a audiência »indivíduos como atores»» dimensão pessoal » interação e partilha de informação com família e amigos»» dimensão profissional » networking, apresentação de portfólios»» dimensão organizacional » utilização de ferramentas ou plataformas em nome na linha dos seusdeveres e tarefas profissionais (Fraser, 2008)Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em Educação“Today it is virtually impossible to remain at the margins of digitallife and the production of an online identity”(Warburton, 2009)Universidade de Aveiro | Março 2013Identidade em ambientes digitais
  • 5. Diferenças entre o mundo físico e o mundo digital (Boyd, 2002)»» persistência da informação (o discurso é efémero, o texto electrónico pode ser guardadoindefinidamente);»» facilidade de procura (searchability, i.e. a capacidade de pesquisa das ferramentas digitais, quepermite a identificação e localização de ideias e indivíduos);»» replicabilidade dos conteúdos publicados (os media electrónicos facilitam a duplicação e possibilitama alteração, por outrem, dos conteúdos criados pelos indivíduos);»» audiências invisíveis (é virtualmente impossível controlar e conhecer totalmente quem lê osconteúdos ou a forma como estes são interpretados.» Mecanismos de controle»» anonimato; criação e gestão de diferentes contas de e-mail ou usernames para diferentes sistemas»» tentativa de replicação dos contextos existentes no mundo físicoMónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoUniversidade de Aveiro | Março 2013Identidade em ambientes digitais
  • 6. Visitantes vs residentes (White, 2008)»» visitantes – indivíduos que utilizam a rede enquanto ferramenta e não enquanto plataforma decomunicação, interação e construção da identidade; criação de diferentes identidades»» residentes – indivíduos cuja identidade se estende ao mundo online e cuja interação na redeultrapassa a utilização de serviços mas assenta na construção de uma presença estruturada econsciente que engloba as diferentes dimensões das suas vidasConstrução da reputação»» identidade online dos indivíduos como face visível de um percurso construído ao longo da vida»» identidade online: revelação das experiências, competências e capacidades, forma de comunicar,interagir e partilhar na rede dos indivíduosMónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoUniversidade de Aveiro | Março 2013Identidade em ambientes digitais
  • 7. Ponto de partidaIdentidade online»» fenómeno impossível de contornar»» ameaça à privacidade e à segurança dos indivíduos ou uma oportunidade?»» realidade que ultrapassa o ambiente digital, com repercussões nas relações, nas interações e nareputação dos indivíduos.Construção da identidade em ambientes digitais»» importância crescente no contexto do ensino superior (gestão da presença em ambientes digitais epapel das instituições na preparação dos seus alunos para o futuro profissional)»» conhecimento dos processos de tomada de decisão relativos à construção e gestão da identidade»» motivações, objetivos e impacto (potencial e real) da identidade construída na redeMónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoUniversidade de Aveiro | Março 2013
  • 8. MetodologiaQuestões de investigação»» num cenário onde a rede possibilita a ligação entre indivíduos, espaços e comunidades, como é quealunos do Mestrado em Comunicação Multimédia (MCMM) da Universidade de Aveiro constroem a suaidentidade num espaço providenciado pela instituição de ensino que frequentam?»» que aspetos caraterizam a identidade online construída numa plataforma suportadainstitucionalmente (i.e. SAPO Campus) e aquela construída em ambientes informais?»» qual a importância (percebida por alunos, instituição e comunidade) da identidade online enquantomeio de manifestação e divulgação de competências?Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoUniversidade de Aveiro | Março 2013
  • 9. MetodologiaObjetivos»» descrição e análise da identidade online de um grupo de alunos, manifestada em ambientes digitais;»» análise da perceção dos indivíduos relativamente à sua própria representação em ambientes formais einformais, avaliando a importância do contexto na modelação dos comportamentos e da presença online;»» identificação dos mecanismos e estratégias utilizados pelos indivíduos para a gestão da sua identidadena rede, e os motivos e razões subjacentes à adoção dessas medidas;»» avaliação da influência da dimensão institucional na construção da identidade online dos indivíduos,identificando as razões subjacentes à utilização de uma plataforma online suportada institucionalmente;»» identificação da manifestação, em ambiente digital, de competências e aprendizagens adquiridas edesenvolvidas pelos indivíduos;»» avaliação da importância (percebida pelos indivíduos, instituição e comunidade) da reputação digital e dopapel que esta desempenha ao nível do futuro profissional, da imagem da instituição de ensino e daadequação ao mercado de trabalho.Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoUniversidade de Aveiro | Março 2013
  • 10. MetodologiaEstudo de caso»» análise da identidade construída e manifestada no SAPO Campus, Facebook e TwitterTécnicas de recolha de dados»» inquérito por questionário » alunos de duas turmas do MCMM, n=58)»» inquérito por entrevista » participantes no estudo, n=13» representante institucional» profissional da área da gestão de carreiras e estágios» profissional da área da comunicação nos novos media»» observação direta, não participanteMónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoUniversidade de Aveiro | Março 2013
  • 11. Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoApresentação dos resultadosDados recolhidos pelos questionários(dados recolhidos em novembro de 2009 e novembro de 2010)Utilização da plataforma SAPO Campus»» blogs como ferramenta mais utilizada (diária ou semanalmente por 81% dos alunos deMCMM 2008-2010; 90% para os alunos de MCMM 2009-2011)»» serviço de partilha de fotos (utilização mensal por 50% dos alunos de MCMM 2008-2010;52% para os alunos de MCMM 2009-2011)»» serviço de partilha de vídeos (nunca foi utilizado por 31% dos alunos de MCMM 2008-2010;32% para os alunos de MCMM 2009-2011)Razões para o registo da plataforma (apenas para MCMM 2009-2011)»» indicação ou recomendação dos docentes (84% dos respondentes)»» associação à Universidade (69%)»» conveniência, enquanto aluno, estar registado na plataforma (50%)»» necessidade de ter, enquanto aluno, um espaço para publicação dos trabalhos (28%)Universidade de Aveiro | Março 2013
  • 12. Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoApresentação dos resultadosDados recolhidos pela observação direta(setembro de 2009 - junho de 2010; setembro de 2010 - junho de 2011)Análise quantitativa e qualitativa dos conteúdos publicados (13 participantes)»» período de 10 meses (setembro a junho)»» SAPO Campus (347 publicações); Facebook (1249 publicações); Twitter (2096 publicações)»» tipologia de conteúdo » parâmetros e indicadores (Fraser, 2008; Kurhila, 2006)»» pessoal; social ; académico; profissional; organizacional»» formato do conteúdo » mensagem de texto; partilha de ligação; conteúdo audio/vídeo; fotografia»» excluídas da análise »mensagens publicadas por outros indivíduos nos espaços dos participantes;mensagens trocadas entre utilizadores; publicações referentes a “gostos” (“likes” doFacebook); comentários efetuados a conteúdos publicadosUniversidade de Aveiro | Março 2013
  • 13. Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoApresentação dos resultadosDados recolhidos pela observação diretaAnálise quantitativa e qualitativa dos conteúdos publicados (13 participantes)»» 66% do total de publicações - teoracadémico»» predominância de partilha de fotos (45%) emensagens de texto (32%)SAPOCampusFacebookTwitter»» 82% do total de publicações - teor social»» predominância de partilha de conteúdosáudio/vídeo (56%) e partilha de ligações (23%)»» 81% do total de publicações - teor social»» 10% do total de publicações - teor académico»» predominância de partilha de ligações (46%) emensagens de texto (35%)Universidade de Aveiro | Março 2013
  • 14. Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoApresentação dos resultadosConstrução da identidade em ambientes digitais»» entrevistas»» visão pessoal da construção da identidade online»» caraterização da presença construída na rede»» descrição dos processos de seleção e gestão de conteúdos e ligações»» reflexão sobre o real e/ou potencial impacto da identidade online»» identificação de três grandes áreas na construção da identidade»» representação digital » informação e conteúdos que o indivíduo publica e partilha na redee que concretizam a dimensão digital da sua identidade»» gestão da privacidade » mecanismos ou estratégias a que o indivíduo recorre de forma ater um maior controlo e gerir a sua representação na rede»» reputação » impacto real ou potencial da identidade online construída pelo indivíduoDados recolhidos pelas entrevistasUniversidade de Aveiro | Março 2013
  • 15. Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoRepresentação DigitalSubcategoria Objeto de análiseElementosde IdentificaçãoNome de utilizadorImagem de perfilInformação Adicional Informação biográficaInformação de contactoMote, Interesses e preferênciasRelação com a comunidadeLigação para outros espaçosConteúdo TópicosEstrutura do discursoTipologia de conteúdoFormato do conteúdoGestão da PrivacidadeSubcategoria Objeto de análiseProcesso de Registo E-mail de registo ou nome de utilizadorGestão de Contactos Rede de contactos (friends, followers)Gestão de Contextos Conteúdo republicado entre espaçosReputaçãoSubcategoria Objeto de análiseDemonstração decompetências/ capacidadesConteúdo publicadoVisibilidade e Exposição Conteúdo reproduzido (entreplataformas)Interação com pares e/ou especialistasLigação à IdentidadeInstitucionalReferência, menção ou ligação àIdentidade online da instituiçãoUniversidade de Aveiro | Março 2013Categorias baseadas em Boyd (2008), Greenhow e Robelia(2009), Jones (2008) e Zhao et al. (2008)Categorias baseadas em Boyd (2008), Stankovic (2009)Modelo para a Análise da Identidade Online»» representação digital » informação e conteúdos que o indivíduopublica e partilha na rede»» gestão da privacidade » mecanismos ou estratégias a que oindivíduo recorre de forma a gerir a sua representação na rede»» reputação » impacto real ou potencial da identidade online
  • 16. Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoModelo para a Análise da Identidade OnlineUniversidade de Aveiro | Março 2013Dimensões do Modelo para a Análise da Identidade Online
  • 17. Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoDiscussão dos resultados»» Num cenário onde a rede possibilita a ligação entre indivíduos, espaços e comunidades, como é quealunos do Mestrado em Comunicação Multimédia (MCMM) da Universidade de Aveiro constroem a suaidentidade num espaço providenciado pela instituição de ensino que frequentam?»» identidade assente na partilha de conteúdos de teor académico, sobretudo mensagens de texto»» influência da dimensão institucional da plataforma » discurso mais estruturado e profissional»» responsabilidade relativamente aos conteúdos publicados»» foto real como imagem de perfil (10 participantes), associação de informação sobre acomunidade (6 participantes), associação de ligações para outros espaços ou redes (4participantes).Exposição automática dos conteúdos »» rapidez do feedback, possibilidade de interação, maiordivulgação»» risco de cópia ou apropriação dos conteúdos partilhadosIdentidade no SAPO CampusUniversidade de Aveiro | Março 2013
  • 18. Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoDiscussão dos resultados»» Num cenário onde a rede possibilita a ligação entre indivíduos, espaços e comunidades, como é quealunos do Mestrado em Comunicação Multimédia (MCMM) da Universidade de Aveiro constroem a suaidentidade num espaço providenciado pela instituição de ensino que frequentam?»» Construção de uma identidade associada à identidade online da instituição»» Vantagens » transferência ou repercussão da credibilidade institucional (9 participantes)»» Desvantagens » dificuldade de separação entre o que é conteúdo/propriedade do aluno e oque é propriedade da instituição (1 participante)Identidade no SAPO Campus (cont.)Universidade de Aveiro | Março 2013
  • 19. Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoDiscussão dos resultados»» Que aspetos caraterizam a identidade online construída numa plataforma suportada institucionalmente(i.e. SAPO Campus) e aquela construída em ambientes informais?Identidade no SAPO Campus, Facebook e Twitter»» Facebook»» maior partilha de informação biográficae de relação com a comunidade»» Twitter»» partilha de informação que estabeleceligação para outras redes ou espaços(63% dos participantes)Universidade de Aveiro | Março 2013
  • 20. Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoDiscussão dos resultados»» Que aspetos caraterizam a identidade online construída numa plataforma suportada institucionalmente(i.e. SAPO Campus) e aquela construída em ambientes informais?Identidade no SAPO Campus, Facebook e Twitter»» Mecanismos e estratégias adotadas na gestão da privacidade» ao nível da gestão da privacidade (procura de maior controlo sobre a identidade criada narede)»» gestão da rede de contactos » seleção dos contactos / criação de grupos»» criação de diferentes “identidades” »utilização de diferentes contas de e-mail e/oudiferentes usernames»» eliminação de contas criadas mas não utilizadas» ao nível do conteúdo»» edição e seleção prévia dos conteúdos a publicar;»» não publicação de conteúdos de caráter pessoal;»» adequação dos conteúdos ao espaço onde serão publicados;»» revisão e edição de conteúdos publicadosUniversidade de Aveiro | Março 2013
  • 21. Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoDiscussão dos resultadosModelo para Análise da Identidade OnlineUniversidade de Aveiro | Março 2013» Identidade orientada para o contexto» cuidado na seleção e produção dos conteúdos a publicar;adequação do tipo de discurso, tópicos abordados etipologia de conteúdo ao contexto e/ou plataforma» Identidade orientada pelo utilizador» presença orientada pelos interesses do utilizador (reflexoda sua identidade real) e não pelas caraterísticas dosespaços onlineAnálise da presença online a partir da proposta de modeloidentificação de pontos comuns ao nível da representação digital, gestão da privacidade e reputação
  • 22. Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoDiscussão dos resultados» Identidade orientada para o contexto» primeiro subgrupo»» não utilização dos espaços informais para manifestar capacidades ou competências»» utilização dos espaços informais para partilhar conteúdo de caráter social»» medidas de gestão da privacidade centradas na não publicação de conteúdo pessoal»» SAPO Campus » informação referente à instituição de ensino; publicação de conteúdo de caráteracadémico/ de investigação» segundo subgrupo»» utilização intencional e assumida da rede enquanto meio de projeção de identidade»» forte presença nas redes informais » publicação de conteúdos de carater social,académico e profissional (ligação para conteúdos publicados no SAPO Campus)»» medidas de gestão da privacidade » gestão de contactos; seleção de ligações»» replicação de conteúdos entre plataformas; partilha com pares e peritos»» SAPO Campus » publicação de conteúdo de caráter académico/ de investigação; replicação em outras redesModelo para Análise da Identidade OnlineUniversidade de Aveiro | Março 2013
  • 23. Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoDiscussão dos resultadosAnálise da presença online a partir da proposta de modelo (cont.)» Identidade orientada pelo utilizador»» construção, na rede, de uma presença orientada pelos seus próprios interesses»» utilização da rede como espaço de divulgação de competências e construção de uma reputação profissional»» interação com pares e especialista»» publicação de conteúdos pessoais e profissionais, académicos e organizacionais»» não adoção de medidas especiais de gestão da privacidade»» ligação entre a presença construída em ambientes e a presença profissional»» interação com pares e especialistas como forma de divulgação e projeção dos trabalhos desenvolvidos»» SAPO Campus » perfil idêntico ao das redes informais (nome e foto real, informação biográfica, informaçãode contacto, interesses e preferências, relação com a comunidade e ligação para outros espaços)Modelo para Análise da Identidade OnlineUniversidade de Aveiro | Março 2013
  • 24. Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoDiscussão dos resultados»» Qual a importância (percebida por alunos, instituição e comunidade) da identidade online enquantomeio de manifestação e divulgação de competências?Perspetiva das profissionais»» possibilidade de interação e feedback»» maior visibilidade e exposição da presença construída»» identidade online como meio de comunicação por excelência»» importância da rede de contactos»» identidade online como o meio de promoção de um currículo mais personalizado distinto e proativoPerspetiva dos participantes»» reconhecimento da relevância da identidade construída na rede, não apenas como espaço social»» apenas 3,3% do total de publicações (3692) foram codificadas como de teor profissionalUniversidade de Aveiro | Março 2013
  • 25. Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em Educação»» presença e participação na rede»» necessidade de maior reflexão»» consciência da importância da identidade online e da relevância de uma reputaçãosocialmente construída»» alteração na perspetiva e posicionamento de alunos e instituições»» alunos » instituição como espaço de desenvolvimento da autonomia» instituição como cenário de construção de uma identidade forte, bem articulada, única edinâmicabase para a construção de uma reputação»» instituições » alunos como promotores ativos da própria qualidade» condições para o desenvolvimento do currículo académico e da identidade e presençaonline» alunos como entidades singulares, com competências adequadas às necessidades domercado de trabalhoReflexões finaisUniversidade de Aveiro | Março 2013
  • 26. Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em Educação“The creation of even one single account marks the beginning of our digital self.It is up to us to manage it wisely, and guide others in their journey to createtheirs.”(Costa e Torres, 2011)Universidade de Aveiro | Março 2013
  • 27. A construção da identidadeem ambientes digitaisEstudo de caso sobre a construção da identidade onlineno SAPO Campus e em ambientes informaisOrientador: Doutor Luís Francisco PedroCoorientador: Doutor António MoreiraMónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoUniversidade de Aveiro | Março 2013
  • 28. Mónica Aresta | Programa Doutoral em Multimédia em EducaçãoReferências»» Boyd, D. (2002). Faceted id/entity: Managing representation in a digital world. o de Mestrado em Masterof Science in Media Arts and Sciences, Massachusetts Institute of Technology, Massachusetts»» Boyd, D. (2008a). Taken out of context. Tese de Doutoramento em Doctor of Philosophy in Information Managementand Systems, University of California, Berkeley.»» Boyd, D. (2008b). Why youth social network sites: The role of networked publics in teenage social life. In D.Buckingham (Ed.), Youth, Identity, and Digital Media (pp119-142). Cambridge, MA: The John D. and Catherine T. MacArthurFoundation Series on Digital Media and Learning. doi: 10.1162/dmal.9780262524834.119.»» Buckingham, D. (2008b). Introducing identity. In D. Buckingham (Ed.), Youth, Identity, and Digital Media (pp. 1-22).Cambridge, MA: The John D. and Catherine T. MacArthur Foundation Series on Digital Media and Learning. doi:doi:10.1162/dmal.9780262524834.001.»» Costa, C., & Torres, R. (2011). To be or not to be, the importance of digital identity in the networked society.o, o e Tecnologia ( mero extra), pp. 47-53.»» Fraser, J. (2009, 20 de junho). Personal - Professional - Organisational: three basic online identities. SocialTech |This is the Beta Generation. vel em http://fraser.typepad.com/socialtech/2009/07/personal-professional-organisational-three-basic- online-identities.html (acedido em novembro de 2010).»» Greenhow, C., e Robelia, B. (2009). Informal learning and identity formation in online social networks. Learning,Media and Technology, 34(2), 119-140. doi: 10.1080/17439880902923580.»» Greenhow, C., Robelia, B., e Hughes, J. (2009). Learning, teaching, and scholarship in a digital age. EducationalResearcher, 38(4), 246-259. doi: 10.3102/0013189x09336671.»» Warburton, S. (2009). Out of control? Managing our digital reputations. vel emhttp://www.slideshare.net/stevenw/out-of-control-managing-our-digital- reputations?from=share_email_logout2 (acedido a 21de junho de 2011).»» White, D. (2008, 23 de julho). Not „natives‟ & „immigrants‟ but „visitors‟ & „residents‟. Tall blog. vel emhttp://tallblog.conted.ox.ac.uk/index.php/2008/07/23/not-natives-immigrants-but- visitors-residents/ (acedido a 1 de junho de2011)Universidade de Aveiro | Março 2013

×