Reino plantae
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Reino plantae

on

  • 2,820 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,820
Views on SlideShare
2,613
Embed Views
207

Actions

Likes
4
Downloads
86
Comments
0

8 Embeds 207

http://mrdivulga.blogspot.com.br 140
http://aminhaescola.net 46
http://www.mrdivulga.blogspot.com.br 12
http://mrdivulga.blogspot.com 3
http://mrdivulga.blogspot.ru 3
http://mrdivulga.blogspot.de 1
http://mrdivulga.blogspot.co.at 1
http://mrdivulga.blogspot.it 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Reino plantae Reino plantae Presentation Transcript

  • REINO PLANTAE
  • Características: Eucariontes; Autótrofos fotossintetizantes; Multicelulares, com diferenciação de tecidos; Acredita-se que as plantas tenham surgido a partir de um grupo ancestral de algas verdes (características em comum: parede celular composta de celulose e a presença de clorofilas a e b em seus cloroplastos);
  •  As plantas têm sido divididas em dois grandes grupos: CRIPTÓGAMAS – plantas que possuem as estruturas produtoras de gametas pouco evidentes. Ex: musgos e samambaias. FANERÓGAMAS – plantas que possuem estruturas produtoras de gametas bem visíveis. Todas desenvolvem sementes e por isso são também denominadas espermatófitas. Ex: pinheiros, mangueiras, roseiras e coqueiros.
  •  As criptógamas dividem-se em dois grupos: BRIÓFITAS – não possuem vasos especializados para o transporte de seiva, são plantas de pequeno porte. Ex: musgos e hepáticas; PTERIDÓFITAS- possuem vasos condutores de seiva. Ex: samambaias e avencas; O corpo das plantas vasculares é constituído basicamente por raiz, caule e folhas, enquanto nas briófitas fala-se em rizóides, caulóide e filóide;
  •  As fanerógamas também são divididas em dois grupos: GIMNOSPERMAS – possuem sementes, mas não formam frutos. Suas sementes são chamadas nuas, pois não estão abrigados no interior de frutos. Ex: pinheiro-do-paraná; ANGIOSPERMAS – possuem sementes abrigadas em frutos. Os frutos são resultantes do desenvolvimento do ovário da flor. Ex: mangueira, laranjeira, etc.
  •  Todas as plantas apresentam ciclo de vida do tipo haplonte-diplonte. Neste tipo de ciclo há a lternância de gerações (metagênese), em que a geração gametofítica se alterna com a esporofítica; Nas gimnospermas e especialmente nas angiospermas, a fase gametofítica é extremamente reduzida, não ocorrendo alternância típica de gerações;
  • BRIÓFITAS Hepáticas – plantas de corpo achatado, fixadas ao solo por meio de rizóides; Antóceros – plantas com corpo multilobado; Musgos – plantas que possuem, além dos rizóides, um eixo principal (caulóide) de onde partem os filóides; A água absorvidas pelos rizóides é transportada de forma lenta pelo corpo, pois elas são avasculares. Essa característica limita o tamanho dessas plantas, que geralmente não ultrapassam 20 cm de altura;
  •  Ocorrem preferencialmente em ambientes úmidos e abrigados da luz direta, pois não possuem estruturas daptadas para evitar a transpiração intensa; Além disso dependem da água para a reprodução sexuada, pois seus gametas masculinos são flagelados, deslocando-se apenas em meio líquido até atingir os gametas femininos, que são imóveis;
  • hepáticas
  • antóceros
  • musgos
  • PTERIDÓFITAS Foram as primeiras plantas vasculares; A existência de vasos possibilitou o transporte rápido de água e sais minerais até as folhas, e de seiva elaborada das folhas para as demais partes da planta; As pteridófitas foram também as primeiras plantas a apresentar tecidos de sustentação, o que permitiu que se mantivessem eretas.
  • lycopodium
  • selaginella
  • samambaias
  • avencas
  • GIMNOSPERMAS A conquista definitiva do ambiente terrestre pelas plantas ocorreu com o surgimento de elementos que permitiram a fecundação sem a necessidade de água para o deslocamento do gameta masculino; Os esporófitos formam elementos ligados à reprodução sexuada, reunidos em estróbilos, ramos modificados com estruturas relacionadas com a reprodução sexuada; Os estróbilos podem ser femininos ou masculinos;
  •  Os grãos de pólen são transportados até o óvulo pelo vento (anemofilia); As sementes protegem o embrião contra a dessecação e outros fatores adversoso do meio. Isso contribui para aumentar sua sobrevivência e facilitar a dispersão das espécies, possibilitando que essas plantas ocupem mais amplamente o ambiente terrestre; Abundantes em regiões temperadas, as gimnospermas chegam a formar vegetações como as florestas boreais (taiga) no hemisfério Norte e a
  • Mata de araucária na região Sul do Brasil; São também exemplos de gimnospermas as cicas e a Ginkgo biloba (com propriedades medicinais no tratamento de problemas vasculares).
  • pinheiros
  • estróbilos
  • Floresta de taiga
  • Ginkgo biloba
  • cicas
  • ANGIOSPERMAS Os elementos relacionados a reprodução encontram-se reunidos nas flores; As flores completas são formadas por pedicelo ou pedúnculo e um receptáculo, onde se insere os verticilos florais: Cálice – conjunto de sépalas, geralmente verdes; Corola – conjunto de pétalas, que podem apresentar várias cores; Androceu – formado pelos estames (constitui o sistema reprodutor masculino);
  •  Gineceu – formado pelo pistilo ou carpelo (constitui o sistema reprodutor feminino); O conjunto cálice-corola é denominado perianto; Tipos de polinização: Por insetos – entomofilia; Por aves – ornitofilia; Por morcegos – quiropterofilia; As angiospermas são divididas em dois grandes grupos: monocotiledôneas, como o milho, e dicotiledôneas, como o feijão.
  • Flor e suas partes
  • Ciclo de vida das angiospermas
  • frutos
  • polinização
  • Monocotiledôneas e dicotiledôneas
  • REPRODUÇÃO ASSEXUADA ESTAQUIA – Reprodução por meio de estacas, que são ramos cortados contendo gemas. A extremidade cortada deve ser enterrada no solo, e a gema apical deve ser removida para não interferir na pega da muda ou da estaca, pois a gema apical inibe o desenvolvimento das gemas laterais.
  •  Mergulhia – mantém-se parte de um ramo da planta enterrado até que se formem raízes. Isso ocorrendo, separa-se o ramo com as raízes, plantando-o a seguir.
  •  Alporquia – Faz-se um pequeno corte em um ramo, colocando nesse local terra úmida envolta por um saco ou uma lata, preso ao ramo. Deixa-se até enraizar e então separa-se o ramo com raízes, plantando-os a seguir.
  •  Enxertia – é o transplante de uma muda, chamada cavaleiro ou enxerto, em outra planta provida de raízes, denominada cavalo ou porta-enxerto. O cavalo deve ser feito com uma planta da mesma espécie do cavaleiro ou de espécies próximas.