Resumo para p.m de geografia 1º trimestre

  • 4,135 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
4,135
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3

Actions

Shares
Downloads
15
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. A América Latina pode ser dividida em duas grandes partes:
    • México e América Central: Estende-se desde o México até Panamá. Essa região também abrange a região do Caribe e das Antilhas.
    • 2. América do Sul: Todos os países localizados ao sul do istmo do Panamá.
    Clima e Formações Vegetais
    A ampla extensão longitudinal da América Latina , as características de relevo e a influência das correntes marítimas, são os principais fatores que possibilitam a variedade de climas: desde climas frios e temperados até climas quentes e extremamente úmidos, que consequentemente, possibilita a formação de variados vegetais.
  • 3. Chuvas: condensação do vapor da água atmosférica.
    • Chuvas de verão ouconvecção:Durante um dia de verão, ocorre intensa evaporação. No fim da tarde, ocorre resfriamento da atmosfera, provocando esse tipo de chuva.
    • 4. Chuva de montanha,barreiraouorográfica:Quando ventos úmidos ganham altura para “passar” as montanhas, eles passam pelo processo
  • de condensação, pois no alto das montanhas há uma queda de temperatura na atmosfera, “fazendo” chover. A umides do ar fica para traz em forma de chuva e o vento continua seu trajeto, só que seco.
    • Chuva de frente: Quando uma massa polar de ar frio se choca com uma massa polar quente, acontece a frente fria. A frente fria provoca queda de temperatura e chuva (de frente).
    Domínio Climático equatorial
    Estende-se pela porção setentrional (norte) da América do Sul, faz com que o ambiente tenha temperaturas elevadas e “tenha” muita chuva, principalmente as de convecção. Essa região abriga a maior biodiversidade do planeta (essa região é onde ocorre a Floresta Amazônica).
    Domínio Climático Tropical
    O ambiente que tem esse domínio climático apresenta temperaturas elevadas durante o ano todo.
    O domínio tropical típico apresenta duas estações bem distintas: chuvosa no verão e seca no inverno. O domínio tropical típico está pre-
  • 5. sente nas savanas ou cerrados. Esse domínio climático, também apresenta uma diversificada fauna de mamíferos.
    O domínio tropical de altitude ocorre sobretudo nas áreas serranas da América Central e na porção leste do Brasil. Apresenta um clima controlado pelas chuvas orográficas. No Brasil, esse clima está presente na Mata Atlântica.
    Domínio Climático de altas montanhas
    Estende-se sobretudo nas regiões mais elevadas da Cordilheira dos Andes. Essa áreas tem um temperaturas abaixo dos 10ºc e invernos rigorosos com chuvas de neve. O ambiente onde domina esse clima, é frio e úmido em alturas médias, com vegetações coníferas ( ). Nas
    altitudes, tem pouca umidade, surgindo vegetação de estepes
    Domínio Climático desértico e semiárido
    Esse domínio é caracterizado por ser extremamente seco e com notáveis amplitudes térmicas, que variam de 50ºc de dia, a 15º de noite. Sua vegetação é escassa e adaptada ao clima (geralmente estepes), com
  • 6. exceção dos oásis e ilhas verdejantes, que se formam sobre lençóis da água. Ocorrem principalmente em quatro áreas: na porção norte do território mexicano, no deserto do Atacama, na Patagônia e no nordeste brasileiro. Esses domínios apresentam baixos níveis de pluviosidade.
    Problemas Agrários
    Agrário – relativo à terra
    • Má distribuição de terras
    • 7. Solos pobres que necessitam de investimento
    • 8. Propriedades pouco produtivas
    • 9. Exploração imobiliária
    • 10. Técnicas de exploração arcaicas
    Pg 88 – O espaço agrário da América Latina:
    Historicamente sempre fomos dependentes das atividades do setor primário e as impressões podem ser observadas no espaço agrário da América Latina e com os ciclos econômicos (Pau Brasil, cana de açúcar, ouro, café).
  • 11. Pg 89- A dependência dos países latino americanos em relação dos recursos minerais:
    Venezuela- 91% do PIB depende do petróleo
    Bolívia- 71% do PIB depende de Gás e Petróleo
    Chile- 63% do PIB depende Ferro, Cobre e Carvão
    Vantagens: geração de empregos
    arrecadação de impostos
    equilíbrio da balança comercial
    Desvantagens: empobrecimento do solo
    poluição / desmatamento
    baixos preços de venda
    Pg 90 – Estrutura fundiária e exploração da terra:
    A maior parte das terras está nas mãos de uma elite formada por poucas pessoas. Nessas propriedades encontramos características do período colonia: plantiom (latifúndios, mão de obra mal remunerada monocultura, produção em grande escala, finalidade comercial).
  • 12. Além disso, há um contraste, diferença entre a agroindústria moderna e aquela de subsistência, tradicional e ultrapassada.
    Pg 91: Dependência dos PIBs em relação à exportação de produtos ou gêneros agropecuários.
    Nicarágua- 82%
    Paraguai- 83%
    Guatemala- 37%
    Pg 92- Principais produtos de exportação:
    Laranja, café, soja, milho, cana de açúcar e feijão
    Pg 93- Concetração das terras:
    Estrutura fundiária = forma como as terras estão destribuídas
    Vamos considerar o total de 100 propriedades (na Bolívia) :
    86 são menores que 20 hectares (10000m²) e ocupam 4% do território
  • 13. enquanto 4 propriedades são iguais ou maiores que 100 hectares e ocupam 90% das terras.
    No Brasil, 58 propriedades tem até 25 hectares e ocupam 6% das terras, enquanto 15 propriedades são maiores que 100 hectares e ocupam 80% das terras.
    Pg 94- Reforma Agrária: redistribuição das terras:
    Por que não ocorrem?
    Historicamente os latifúndios foram implantados pelos colonizadores. Hoje a concentração de terras provoca a desigualdade social, desemprego, pobreza, êxodo rural, movimentos sociais e crescimento populacional exagerado nas áreas urbanas.
    A reforma agrária não ocorre na América Latina, pois aqueles que possuem grandes propriedades quase sempre são os próprios políticos que deveriam aprová-la. Mas, não é do interesse deles dividí-las