O brasil em um mundo globalizado
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
4,313
On Slideshare
4,313
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
157
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Professor: Marcos de Melo2ª série Ens/MédAlunos (as): Marcos Antonio Batista Caixeta, Larissa Louza,Ryelle Soares Abrenhosa, Liamara Morais, Samuel Alves e LuizaFernanda.
  • 2. Globalização e subdesenvolvimento Não é de agora que o Brasil apresenta transformações tecnológicas que se manifestam na sociedade brasileira. Mas foi desde 1990 que a globalização teve maior impacto. Nesse período a economia brasileira passava por uma série de crises: déficit público elevado; escassez de financiamento para atividade produtiva e para ampliação de infra-estrutura; inflação; no final da década de 80 a inflação chegou a 80% ao mês, e os preços subiam diariamente. No inicio da década de 90, o Brasil passa a adotar idéias liberais, abrindo o seu mercado interno, criando maior liberdade para a entrada de mercadorias e de investimentos externos, derrubando assim, algumas barreiras protecionistas. A idéia era ter o capital estrangeiro como ajuda para retomar ao crescimento econômico. Alegava-se que a economia ia ser beneficente para as empresas nacionais, estimulando o desenvolvimento e recuperar atrasos em alguns setores. Esperava-se, que a economia brasileira fosse mais competitiva, em a ajuda de subsídios e protecionismo.
  • 3. Um Mundo Diferenciado O desenvolvimento e o subdesenvolvimento Origem O conceito de subdesenvolvimento surgiu com a onda de descolonização após a II guerra Mundial As riquezas que os europeus retiravam das colônias, permitiram um grande acúmulo de capital. Com isso, algumas nações da Europa tornaram –se ricas e puderam investir em novas tecnologias, que deram origem à industria. Como conseqüênciaAlgumas nações passavam por um acelerado desenvolvimentoindustrial, a economia dos países colonizados continuava baseada naagricultura e mineração.
  • 4. Características do desenvolvimento e do subdesenvolvimento PAÍSES DESENVOLVIDOS OU DO NORTE Predominam atividades econômicas industriais, de serviços e comerciaisGrandes pólos financeiros etecnológicos mundiais Dominam As grandes decisões Pequena parcela da população políticas e econômicas dedica-se ao setor primário internacionais
  • 5. Nos países subdesenvolvidos ou do Sula situação é bem diferentePrincipais características dosubdesenvolvimento Países subdesenvolvidos: O subdesenvolvimento se caracteriza por problemas sociais  Principais atividades: e econômicos no interior de um agropecuária e país. Mas nem todos os países extrativismo. subdesenvolvidos são iguais entre si. Alguns têm elevada capacidade de produção e atraem investimentos do exterior, como é De modo geral, desenvolvidas de modo o caso do Brasil. Outros estão rudimentar, e com baixa praticamente excluídos da ordem produtividade. econômica mundial e depende de ajuda humanitária para a sobrevivência da população.
  • 6. Isso mostra que o processo da globalização tem sido bem diferentesentre os países ricos e os pobres, sendo que a pobreza temaumentado até em países ricos. Apesar de a globalização ter acentuado os problemas nos países donorte, tem sido bem mais grave nos países do sul, que possuemrecursos limitados.
  • 7. País PIB em trilhõesEstados Unidos US $ 15,495.389  As diferenças entre os países do mundo atualChina USD $ 7,744.133 são enormes. Os países do G8 (Estados Unidos, Japão, Alemanha, França, Itália,Japão US $ 6,125.842 Reino Unido e Canadá) são responsáveis pela produção de cerca de 56% de toda a riquezaAlemanha USD $ 3,707.790 do mundo. Todos os outros países, aonde vivem 85% da população, produzem os 44%França USD $ 2,888.907 restantes.Brasil USD $ 2,616.986  Essas diferenças sócio-econômicas tendem aumentar a cada ano com oReino Unido USD $ 2,603.880 desenvolvimento técnico-científico acelerado e concentrado nos paísesItália USD $ 2,287.704 desenvolvidos. Segundo o Relatório de 2002 do Estudo de População das NaçõesRússia USD $ 2,117.245 Unidas, cerca de três milhões de pessoas vivem com menos de três dólares por diaÍndia USD $ 2.012.760
  • 8.  Foi por volta de 1990 que oBrasil reduziu os impostos deimportação, e os produtosimportados passaram a entrar deforma bem ampla no mercadobrasileiro. A oferta de produtoscresceu, e os preçospermaneceram os mesmos oucaíram; esses produtosimportados passaram a tomar oespaço das industrias nacionais,que foram obrigadas a fechar. Abalança comercial acumulardéficits por vários anos nodecorrer de 1990. O governo, também, passou aincentivar por meio de incentivosfiscais e privatização dasempresas estatais, osinvestimentos externos no Brasil.
  • 9. As multinacionais investemprincipalmente em tecnologia,contribuindo para a geração decortes de empregos. De umamaneira geral, nos setores em queocorreu a privatização, diminuíramos empregos e as condições detrabalho pioraram.Na mesma proporção da aberturado mercado o desempregoaumentou, e a possibilidade devoltar ao mercado de trabalho ficacada vez mais distante, pois asvagas vão sendo preenchidas pelasnovas tecnologias de produção esistemas informatizados.
  • 10. O processo de privatização Alguns países incorporam as  A privatização sofreu inúmeras receitas neoliberais. Foi o críticas. Por exemplo: parte do caso do Brasil, México, Chile, dinheiro foi emprestado pelos Uruguai e mais cofres públicos, para a intensamente, da Argentina. privatização, através do Banco Como vimos anteriormente Nacional de Desenvolvimento vários outros, especialmente Econômico e Social (BNDES). a China e a Índia, optaram Alem disso, para atrair por uma abertura mais compradores, pagar as dividas restrita e gradual, exigindo a das empresas, elevou-se as instalação de indústrias em tarifas de telefonia e energia. seu território (investimentos produtivos), em associações com empresas nacionais.
  • 11. Multinacionais brasileiras As empresas brasileiras também tem participação em investimentos externos, e estão presentes em outros países. Em uma década o numero de empresas brasileiras em outros países elevou 500%. Em 2001, havia 350 empresas instaladas no exterior. Apesar desse aumento da participação do Brasil no comércio mundial, ela continua sendo reduzida. A participação do Brasil representa cerca de 1% de todas as transações que ocorrem no mundo. As exportações brasileiras são: café, açúcar, minério de ferro e outros produtos que possuem baixo valor comercial. Por outro lado, as importações do Brasil são bens de consumo de alta tecnologia, e possuem valor elevado.
  • 12. Balanço de pagamentos O balanço de pagamentos e a soma de todas as transações econômicas realizadas por um pais com resto do mundo, essas transações envolvem o comércio de bens (balança comercial) e comercio e serviços (fretes, turismo, e outros). No balanço de pagamentos estão incluídas também as rendas remetidas por pessoas que trabalham em outros países alem doas juros pagos sobre dividas externas. O FMI normalmente formaliza esses acordos mediante uma meta pela qual o governo e obrigado a obter um superávit primário equivalente a uma porcentagem do PIB total do pais que gira entre 3% e 5%%. A divida publica no Brasil atingiu valores elevadas nas ultimas décadas e todo esforços realizadas para atingir as metas de superávit primário estabelecidas pelo FMI . OS bens que o governo e o setor privado possuíram em outros países, ou seja, as reservas internacionais e depósitos em bancos no exterior, entre outros, superaram em cerca de 4 bilhões a divida externa total (ou dividas bruta), que no mesmo mês era aproximadamente 180 bilhões. NO final de 2008, a divida externa bruta era de 200,2 bilhões.
  • 13. Números da divida brasileira Frequentemente temos sido questionados a respeito dos números divulgados pela AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA. Considerando que a razão de ser da Auditoria Cidadã é revelar, com transparência e de forma didática e popular os dados e informações acerca do endividamento público, elaboramos o presente artigo a fim de explicar os números do Orçamento da União e o estoque das dívidas interna e externa: Parte I – A Dívida consome a maior parte do Orçamento da União Parte II – O Estoque da Dívida Brasileira já supera R$ 3 Trilhões de Reais I – A Dívida consome a maior parte do Orçamento da União O Congresso Nacional aprovou e a Presidente Dilma sancionou o Orçamento da União para 2012 no montante de R$ 2.150.458.867.507 (2 trilhões, 150 bilhões, 458 milhões, 867 mil e 507 reais).
  • 14.  O valor destinado à Dívida Pública corresponde a 47,19% de todo o orçamento, e equivale a R$ 1.014.737.844.451,00, ou seja, mais de 1 trilhão de reais.
  • 15.  Em 2011, de acordo com dados do Orçamento da União, os gastos com a dívida consumiram R$ 708 bilhões, equivalentes a 45,05% de todas as destinações realizadas durante o ano: Executado até 31/12/2011 - Total: R$ 1,571 Trilhão
  • 16. http://gentequefazpolitica.blogspot.com.br/http://www.mundoeducacao.com.brhttp://www. infoescola.comElian Alabi Lucci Anselmo L. Branco Claudio M Territorio eSociedade no Mundo Globalizado Volume 2. Editora: Saraiva .