• Save
Trofa "Olhos-nos-Olhos"
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Trofa "Olhos-nos-Olhos"

on

  • 2,945 views

Jornal "Olhos-nos-Olhos"

Jornal "Olhos-nos-Olhos"
Direcção: Juventude Socialista
Ano I, n.º1

Statistics

Views

Total Views
2,945
Views on SlideShare
586
Embed Views
2,359

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

8 Embeds 2,359

http://jstrofa.blogspot.pt 1891
http://www.jstrofa.blogspot.pt 404
http://jstrofa.blogspot.de 30
http://jstrofa.blogspot.com 13
http://www.jstrofa.blogspot.com 10
http://jstrofa.blogspot.com.br 9
http://jstrofa.blogspot.fr 1
http://jstrofa.blogspot.ch 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Trofa "Olhos-nos-Olhos" Trofa "Olhos-nos-Olhos" Document Transcript

  • Julho 2012 Ano I, num.º1 Olhos-nos-Olhos Direcção: Juventude Socialista da Trofa Conheça os factos escondidos durante 11 anos de gestão RUINOSA, INCOMPETENTE e CATASTRÓFICA do PSD.Caros trofenses AGORA a TROFA está no CAMINHO CERTO! Os números mostram bem a MUDANÇA!Durante 11 anos o PSD gastou o Uma das despesas que mais chocou osdinheiro dos trofenses abusivamente . trofenses era o “exército” de avençadosHoje, todo o executivo PS em da câmara municipal.conjunto gasta menos do que gastava Hoje as avenças reduziram-se em 73%,um só vereador do PSD em 2009. demonstrando rigor e transparência no uso do dinheiro de todos os trofenses. Está na hora de dizer basta às mentiras dos queameaçaram o futuro da Trofa. ACREDITE NA MUDANÇA! Estamos a conseguir!Os esforços financeiros dos últimos dois anos mostram resultados.Finalmente, a dívida do município parou de crescer. Durante os 11 anos doPSD a dívida cresceu, em média, 4.5 milhões de euros por ano. Com o PS, em 2011 o valor da dívida diminuiu!
  • Mais aposta na Juventude Mais trofenses com SaneamentoProjectos como o Orçamento Participativo A promessa de diminuir a taxa de ligaçãoJovem (OPJ) ou o Conselho Municipal da ao saneamento em 50% foi cumprida.Juventude fazem da Trofa um exemplo Assim, cada trofense pagou menos 300€internacional de boas práticas neste para se conectar à rede. Por via disto ocampo. O OPJ tem atraído muitos jovens número de ligações ao saneamentodo concelho pela possibilidade de aumentou 70%. Em 2009, a percentagemproporem um projecto que, sendo de população servida era de apenas 44%vencedor, será construído pela câmara Entretanto as obras de saneamentomunicipal. Os primeiros vencedores continuam, tendo chegado a Covelas.foram os Escuteiros de Santiago deBougado, com a proposta de uma pista Taxa de ligação reduz 50%de manutenção em Bairros. Este anovenceu o projecto de um skatepark para a Número de ligações aumenta 70%zona da nova estação.EditorialEste é o primeiro número do jornal da JS Trofa: “Olhos-nos-Olhos” que levamos atéaos trofenses.O país e a Trofa vivem momentos de grande exigência. São por isso necessáriaslideranças competentes, para implementar as medidas correctas e defender osinteresses dos cidadãos.Na Trofa, são conhecidas as dificuldades inerentes à situação financeira do município.Somos um dos concelhos mais endividados do país, sem uma estrutura de receitacapaz de contrariar o problema definitivamente.Mas as opções que vão sendo tomadas pelo executivo municipal dão esperança aostrofenses. Existe mais rigor e mais transparência. Existe uma estratégia para omunicípio na educação e na cultura e os jovens agora têm mais voz.Um partido político deve dar a cara pelos seus projectos e afirmações, por isso nãoalinhámos na oposição que se faz através da mentira exposta em panfletos anónimos.São os factos concretos que nos interessam, é a Trofa que defendemos! Estamosconvictos que a Trofa recuperará o seu sonho. Vamos recuperar o tempo perdido! Secretariado JS Trofa Contacta-nos e participa na mudança www.facebook.com/TrofaJS www.jstrofa.blogspot.com 2 jstrofa@gmail.com
  • Os números são transparentes.Actualmente existem menos 100 Até 2009 assistia-se a umafuncionários na câmara municipal. gestão ruinosa das finanças daEsta redução só se consegue com umaliderança séria e ao serviço dos trofenses. câmara municipalA Trofa está a gastar onde deve gastar e a poupar onde há muito se deveria ter poupado!Estes subsídios eram atribuídos sem Muito se diz tentando denegrir oscontrolo e sem qualquer vantagem para familiares da presidente Joana Lima eos serviços da câmara. dos vereadores. Mas, mais uma vez, osMuitos, durante a gestão PSD, serviram- números desmentem os boatos: ase dos trofenses, em vez de servir os redução da despesa é um factotrofenses. categórico. A JS mostra a cara!Combatemos sempre ao lado dos Trofenses 3 Vamos recuperar o tempo perdido
  • Tudo sobre a situação financeiraem 2009 PSD deixa aprovar plano de reequilíbrio financeiro emUm dos principais compromissos de cam- reunião de câmara municipal.panha para as eleições autárquicas de2009 foi a realização de uma auditoria às Mas na Assembleia Municipal…contas do município. Essa auditoria foi chumba o plano.realizada e apurou um cenário negro:66,7 milhões de euros é o valor que O recurso ao plano de reequilíbrioficou para pagar em 2009. Este valortorna a Trofa um dos municípios mais financeiroendividados do país. Em 2010 e 2011 o município assiste aNestes 66,7 milhões estão abrangidas importantes cortes nas despesas, contu-diversas facturas não incluídas na conta- do a conjectura nacional, a diminuiçãobilidade, a famosa "divida de gaveta", a das receitas e os cortes de transferênciasdívida das empresas municipais, vários do estado para os municípios obrigam aprocessos em tribunal e dívidas a forne- Trofa a ir mais além com a apresentaçãocedores com vários anos. de um plano de reequilíbrio financeiro. Este plano foi elaborado por uma das mais reconhecidas consultoras financei- Dívidas e responsabilidades ras mundiais – a Deloitte. O plano sendo deixadas para pagar: muito exigente, defendia a continuidade na aposta na educação e nos serviços 66,7 milhões de euros sociais, procurando principalmente a diminuição da estrutura da câmara muni-O resumo é simples: em 11 anos de con- cipal, ou seja, cortes nos custos do pes-celho gastaram-se mais de 220 milhões soal e nos custos camarários. As juntasde euros e foram comprometidos ainda de freguesia e as associações tinhammais 66,7 milhões, uma despesa de qua- cortes inferiores à média do documen-se 300 milhões de euros. to. Assim, o esforço era distribuído por todos, mas defendia os trofenses e era aDado que as principais obras do concelho melhor solução para o problema financei-(saneamento e Aquaplace) custaram 22 ro.milhões de euros (tendo sido pagosmenos de 5 milhões), os trofenses ques-tionam-se: onde se gastaram os restan- PSD inviabilizou o plano semtes 270 milhões de euros? nenhum argumento tecnicamente válido Em 11 anos, o executivo PSD comprometeu cerca de 300 O plano foi aprovado na câmara, até com milhões de euros. a abstenção do PSD. Mas, na assembleia municipal, o mesmo partido vota contra, E a obra? sem nenhum argumento tecnicamente válido, inviabilizando este plano. Um momento que ficará negativamente mar- 4 cado na história do concelho.
  • Investimento Total Investimento Total Obras das escolas avançamContinuar as obras das escolas foi uma opção deste executivo. Apesar doesforço que implicam, as obras continuam mesmo com as dificuldades definanciamento e com fornecedores. São 5 escolas, num investimento de 7 milhões deeuros que será totalmente pago por esta câmara municipal e por fundos europeus. Aescola de Covelas foi já inaugurada, seguindo-se as escolas de Paranho, Paradela,Muro e Finzes.A Trofa tem, actualmente, 7 milhões de euros a decorrer em obras. 5 O maior valor da história do concelho.
  • Luta pelo Metro continuaA petição assinada por milhares de trofenses foi a debate na assembleia derepública. No debate foi aprovado um projecto de resolução do PCP, votadofavoravelmente por PS e BE, para a inclusão da linha de metro para a Trofa na 2ªfase da expansão de rede de Metro. Contudo, no mesmo dia do debate, PSD eCDS, apresentam um projecto de resolução que faz depender a obra de“reavaliações”. Este projecto do PSD e CDS é um retrocesso face aos avançosconseguidos pela petição. Assim, a luta pelo direito da Trofa ao Metro deverácontinuar, na esperança que devolvam aquilo que deixaram tirar à Trofa. Sucessivos governos têm falhado com a Trofa. A JS não se calará na defesa da vinda do Metro para a Trofa.Cultura e eventos todo o ano, mesmo com maior rigor financeiroPrograma cultural todo o ano, em todas as freguesias para todos os trofenses. Estaé uma realidade que se evidencia nos últimos tempos. Os exemplos são vários etêm atraído cada vez mais trofenses para as actividades no concelho. Deste âmbitodestacam-se as noites de poesia nos cafés do concelho, as exposições todos osmeses na casa da cultura, o encontro lusófono, a semana na poesia, entre outroseventos. Destaque-se ainda a melhoria do espaço do Castro de Alvarelhos com arecente inauguração do percurso interpretativo daquele espaço histórico doconcelho da Trofa. Relevância também para as diversas novidades na casa dacultura, nomeadamente a instalação de rede de internet wireless na biblioteca e ainauguração da biblioteca infantil e o ressurgimento do teatro com o festival deteatro amador da Trofa e a companhia de teatro da Trofa. Apesar do Rigor financeiro, a Trofa tem evoluído: na Educação na Cultura nas Políticas de Juventude na Acção Social 6
  • Este ultimo numero é claro: a câmaramunicipal reduziu a despesa em 2milhões de euros. Mantendo osprincipais serviços aos cidadãos.A gestão durante 11 anos do PSD levantamuitas dúvidas. Por isso mesmo,decorrem investigações sobre esseperíodo por parte das entidades judiciais. Igualdade entre as FreguesiasSubsídios pagos ao mesmo tempo a todas as freguesias. Contrariamente ao passado,hoje todas as juntas de freguesia recebem os seus subsídios, decorrentes dosprotocolos acordados, sem discriminação entre as mesmas. Uma prática que permiteo desenvolvimento integral do concelho. O valor do protocolo para 2012 é de 700 mileuros destinados a obras de requalificação de ruas e espaços verdes.Ao contrário do passado, hoje as juntas de freguesia são tratadas semdiscriminação, recebendo os subsídios ao mesmo tempo.Mesmo assim, presidentes de junta como o de Alvarelhos e deSantiago de Bougado estão mais interessados em fazer oposição àcâmara do que em servir as suas freguesias. 7
  • Obra dos Parques respeita identidade da Trofa Foi apresentado aos trofenses o projecto, levado a concurso público, para requalificação dos parques. O projecto respeita as principais reivindicações dos trofenses: não existirão construções em altura, os edifícios de apoio não ultrapassarão a altura do adro da capela, e a capela ficará com toda a centralidade e destaque, mantendo-se a grande maioria da área verde. O projecto está, agora, a aguardar autorização do governo, o que tem atrasado o inicio da obra.Obra dos Parques: • Sem construções em altura • Capela com toda a centralidade e mais destaque • Mantém-se a área verdeActualmente, projecto aguarda apenas a autorização do Governo.Por causa do previsto início destas obras, a ExpoTrofa 2012 realiza-se na zona danova estação da CP. Artigo Opinião Marco Ferreira Mudança. Mudança foi o grande objectivo dos trofenses em 2009 quando escolheram um novo rumo nas políticas autárquicas do concelho da Trofa. A mudança era urgente pois via-se uma câmara municipal a servir-se, em vez de servir o concelho. Os concelhos vizinhos evoluíam na sua economia, na oferta de emprego, nas infra-estruturas, mas na Trofa não se sentia uma verdadeira estratégia para nenhum domínio. Enquanto isso, o dinheiro era gasto. As receitas eram extraordinárias, mas o destino delas era decepcionante. Não se caminhava para os sonhos que tivemos. E passados quase 3 anos, existe essa mudança pedida? Os números dizem que sim. Redução drástica das despesas da própria câmara pessoal perante o imenso sufoco financeiro. Mas não se reduz o foco nas pessoas, na educação e na acção social. Está-se a gastar onde se deve gastar e poupar onde há muito se deveria ter poupado. Estão a lançar-se as bases para uma nova Trofa. Durante esta luta, assiste-se à velha política. O exército dos “ex-avençados” e “ex- sugadores” estrebucha, lançando embustices, anónimas e cobardes. Nunca focam a política, nem os projectos, tudo inventando pela sua vingança pessoal, para retomar os velhos benefícios. A oposição também caiu neste logro quando reprovou, sem argumentos e irresponsavelmente, o plano de reequilíbrio financeiro. Hoje o desafio é enorme, mas a coragem é maior. Somos Trofa, somos os mesmos que em 1998 conquistamos o concelho, repletos de sonhos. O caminho passa por continuar o rigor, a transparência e a falar verdade aos trofenses. Mais do que nunca, tem de se construir uma Trofa forte, solidária e unida. Hoje, a Trofa é um concelho de todos! A Mudança dependeu de cada um de nós e mostra-se a cada dia, por uma Trofa dos Trofenses. 8