Your SlideShare is downloading. ×

Espao confinado

4,481

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,481
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
150
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Legislação Definição de Espaço Confinado Identificação dos Espaços Confinados Normas e Instruções Internas Permissão de Entrada (PT / LV) Riscos dos Espaços Confinados Controle dos Riscos Deveres do pessoal envolvido Serviços de emergência e Resgate Resgate Primeiros socorros Proteção respiratória
  • 2.
    • Legislação:
    OSHA 1910.146 Permit-required confined spaces NR 18 – Condições e meio ambiente de trabalho ABNT – Associação Brasileira de Normas técnicas NBR 14787 – Espaço Confinado, Prevenção de acidentes, procedimentos e medidas de proteção na indústria da construção NIOSH - Working in confined spaces NR 31 – Segurança e Saúde nos trabalhos em espaços confinados
  • 3. É um local fechado ou parcialmente fechado , grande o suficiente e com uma configuração tal, que um trabalhador possa entrar com o corpo e desenvolver um trabalho definido. Possui entradas ou saídas restritas ou limitadas. Não é projetado para uso ou ocupação contínua pelo homem . Possui riscos conhecidos à saúde e integridade física das pessoas ( Ventilação deficiente para remover contaminantes ou falta de controle de concentração de O2) , são exemplos: tanques, vasos, esferas, torres, silos, fornos, caldeiras, moinhos, reatores químicos, tubulações, dutos de ventilação, túneis galerias e caixas subterrâneas, poços, escavações( a partir de 1,5 m de profundidade), casas de analisadores, subestações e saias(bases) de torres, reatores e vasos . DEFINIÇÃO Espaço Confinado
  • 4. Atm. Rica em O 2 Atm. Pobre em O 2 Atmosfera Tóxica Atmosfera Inflamável Riscos Químicos Riscos Físicos Riscos Biológicos Riscos Mecânicos Riscos Ergonômicos Riscos Elétricos Riscos Psicológicos Temperaturas extremas Radiações Afogamento, Engolfamento Configuração Interna Outras Pessoas Trânsito Animal (vivo ou morto
      • Riscos dos Espaços Confinados
  • 5.
      • É o processo pelo qual os riscos aos quais os trabalhadores possam estar expostos num espaço confinado são identificados e avaliados. Avaliação de um espaço confinado inclui o levantamento quantitativo das concentrações das substâncias prejudiciais ao homem, concentração do percentual de oxigênio, bem como a especificação dos testes que devem ser realizados e os critérios que devem ser utilizados.
    • Os testes permitem planejar e implementar medidas
    • de controle adequadas para proteção dos trabalhadores.
    IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO
  • 6. 21% O 2 78% N 2 (Nitrogênio) 1%
    • 1% de variação representa 10.000 ppm
    Riscos Atmosféricos Composição do ar que respiramos
  • 7. Mistura Pobre Mistura IDEAL Mistura Rica 10% do LIE 0 % Combustível 0% Ar LIE LSE Ar Combustível 100 % Combustível 100 % Ar Diagrama de Explosividade Exemplo: Metano  LIE: 4,4% Vol. LSE: 16,5% Vol.
  • 8.
    • CO - Limite de tolerância (LT) = 39 ppm
    • Acima de 200 ppm : dor de cabeça
    • De 1000 a 2000 ppm : palpitação
    • De 2000 a 2500 ppm : inconsciência
    • Acima de 4000 ppm : morte
    • H2S - Limite de tolerância (LT) = 8 ppm
    • De 50 a 100 ppm : irritações
    • De 100 a 200 ppm : problemas respiratórios
    • De 500 a 700 ppm : inconsciência
    • Acima de 700 ppm : morte
    Substâncias Tóxicas e Irritantes
      • Riscos Atmosféricos
  • 9. CLASSIFICAÇÃO DO GRAU DE RISCO NIVEL 1 - É o espaço confinado que possui uma condição IPVS (atmosfera iminentemente perigosa a saúde ou a vida) , isso inclui, mas não está limitado a: deficiência de oxigênio, atmosfera inflamável ou explosiva e/ou concentração de substâncias tóxicas ou mortais para o trabalhador. Sendo exigido emissão de PT específica para a entrada de pessoas e execução de trabalhos no seu interior. IPVS
  • 10. CLASSIFICAÇÃO DO GRAU DE RISCO NIVEL 2 - É o espaço confinado que em função da natureza dos trabalhos, configuração e atmosfera interna tem potencialidade para provocar lesão ou qualquer tipo de enfermidade no trabalhador se não forem adotadas medidas de controle adequadas. Não apresenta qualquer condição IPVS . Sendo exigido emissão de PT específica par a liberação de entrada de pessoas e execução de trabalhos em seu interior. Não IPVS
  • 11. CLASSIFICAÇÃO DO GRAU DE RISCO NIVEL 3 - É um espaço confinado em que o perigo potencial não requer nenhuma alteração específica no procedimento normal de trabalho. A entrada de pessoas e execução de trabalhos em seu interior pode ser liberada através de emissão de PT, não requer medidas específicas com relação a restrição do número de pessoas no seu interior , nem tampouco obriga os trabalhadores à realização de exame médico antes da entrada. Todos os perigos eliminados
  • 12. CLASSIFICAÇÃO DO GRAU DE RISCO OBSERVAÇÃO Um espaço confinado, ao longo do processo decondicionamento, liberação, manutenção e fechamento pode passar pelos três níveis de classificação , cabendo as àreas segurança e a operação da unidade operacional a definição de cada fase e seus controles.
  • 13. EQUIPE DE TRABALHO Supervisor de Entrada Trabalhador Autorizado Vigia
  • 14. EQUIPE DE TRABALHO É a pessoa responsável pelo equipamento que caracteriza o espaço confinado , representado pelo Técnico de Operação da área, emitente de PT, designado para o serviço, assessorado por um Técnico de Segurança, responsável pela determinação das condições de entrada e permanência no espaço confinado liberado. O Supervisor de Entrada também pode atuar como um vigia ou como um trabalhador autorizado, desde que seja uma pessoa treinada e equipada . Supervisor de Entrada
  • 15. EQUIPE DE TRABALHO Vigia É a pessoa localizada fora do espaço confinado liberado que monitora os trabalhadores no interior do espaço confinado e que realiza todos os deveres de um vigia definidos nesta instrução.
  • 16. EQUIPE DE TRABALHO Trabalhador Autorizado É o trabalhador que é autorizado pelo empregador, mediante o documento formal da PT, a entrar em um espaço confinado liberado.
  • 17. SISTEMA DE RESGATE É o conjunto de equipamentos, incluindo linha de vida, cinto de corpo inteiro e um dispositivo de íçamento ou tripé, usado pela equipe de trabalho nos espaços confinados liberados.
  • 18. EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO RESPIRATORIA
      • A avaliação de um espaço confinado inclui o levantamento quantitativo das concentrações das substâncias prejudiciais ao homem, concentração do percentual de oxigênio, bem como a especificação dos testes que devem ser realizados e os critérios que devem ser utilizados.
    • Os testes permitem planejar e implementar medidas de controle adequadas para proteção dos trabalhadores.
  • 19. ILUMINAÇÃO Toda iluminação usada em espaço confinado no interior de equipamentos deve ser a prova de explosão e não exceder a voltagem de 24 V ou dispositivo de desarme automático.
  • 20. IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL Todo equipamento industrial que se enquadre no conceito, deverá ser identificado pela unidade responsável. Havendo risco de acesso não controlado de pessoas ao seu interior, providenciar a colocação de sinalização de PERIGO – ESPAÇO CONFINADO, ACESSO SOMENTE COM PT.
  • 21. AVALIAÇÃO MÉDICA      As empresas contratadas devem manter disponíveis na área da INNOVA todos os Atestados de Saúde Ocupacional (ASO) dos seus colaboradores, mantendo controle específico daqueles que apresentem restrição física ou psicológica para a entrada em espaço confinado. Exames complementares:      Espirometria (no 1º dia da parada)    Audiometria (cópia do último exame) Outros.
  • 22. AVALIAÇÃO MÉDICA NO INÍCIO DE CADA JORNADA DE TRABALHO É INDISPENSÁVEL A AVALIAÇÃO MÉDICA, VERIFICAÇÃO DE PRESÃO ARTERIAL E SINAIS VITAIS

×