Your SlideShare is downloading. ×
Capoeira clínica   marcelo pertussatti - tcc ef 2010 [modo de compatibilidade]
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Capoeira clínica marcelo pertussatti - tcc ef 2010 [modo de compatibilidade]

417
views

Published on

Apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso em Educação Física Universidade do Oeste de Santa Catarina -UNOESC Campus de Xanxerê-SC.

Apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso em Educação Física Universidade do Oeste de Santa Catarina -UNOESC Campus de Xanxerê-SC.

Published in: Sports

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
417
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA UNOESC – CAMPUS DE XANXERÊ CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Acadêmico: Acadêmico: MARCELO PERTUSSATTI Orientadora: Orientadora: Profª. Ms. Anne Margareth Knapp Faé XANXERÊ 2010
  • 2. Marcelo Pertussatti | Educação Física/Pesquisa - Componente Curricular Estágio IV/TCC| 8º Período TEMA: CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Problema: Como acontecem as interseções da Estrutura Orgânica e da Estrutura de Pensamento dos instrutores de capoeira durante sua prática cultural de movimento na Roda de Capoeira e na Vida?
  • 3. CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Marcelo Pertussatti | Educação Física/Pesquisa - Componente Curricular Estágio IV/TCC| 8º Período OBJETIVO GERAL Compreender como acontecem as interseções da Estrutura Orgânica e da Estrutura de Pensamento de instrutores de capoeira atuantes na Região Oeste do Estado de Santa Catarina, Brasil, seja durante sua prática cultural de movimento na Roda de Capoeira, seja em outros contextos de sua Vida, em vista da promoção da Formação Humana Continuada do público envolvido, do registro de sua cultura corporal de movimento com capoeira, fundamentando-se fundamentandoassim a proposta metodológica da Capoeira Clínica, por sua aplicação analítica, isto é, crítica. crítica.
  • 4. CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Marcelo Pertussatti | Educação Física/Pesquisa - Componente Curricular Estágio IV/TCC| 8º Período IV/TCC| OBJETIVOS ESPECÍFICOS (A) Identificar como instrutores de capoeira do oeste catarinense iniciaram suas práticas culturais de movimento em capoeira, como a desenvolveram até chegarem ao estágio de docência e se os mesmos tiveram contato com a proposta Capoeira & Inteligências Múltiplas ou outras no período de sua Formação Inicial; Identificar como instrutores de capoeira do oeste catarinense configuram outros estudos em suas práticas culturais de movimento de capoeira, na fase da Formação Continuada;
  • 5. CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Marcelo Pertussatti | Educação Física/Pesquisa - Componente Curricular Estágio IV/TCC| 8º Período IV/TCC| OBJETIVOS ESPECÍFICOS (B) Investigar qual é o grau de importância para instrutores de capoeira do oeste catarinense em relacionar conteúdos de Educação Física (Estrutura Orgânica) e de Filosofia Clínica (Estrutura de Pensamento) à Prática da Capoeira na Roda e na Vida, verificando e descrevendo os motivos envolvidos; Descrever quais os meios utilizados pelos instrutores de capoeira do oeste catarinense em vista da potencialização de sua Estrutura Orgânica e de sua Estrutura de Pensamento na Continuidade de sua Prática de Capoeira e de sua Formação Humana Continuada; Apresentar a Capoeira Clínica como prática cultural de movimento e proposta metodológica de promoção da motricidade humana, de caráter formativo continuado, para instrutores e praticantes de capoeira em geral, efetivada pelos jogos de capoeira na Roda, onde as Estruturas Orgânica e de Pensamento se desenvolvem livremente desde a necessidade de expressão de corporeidades, historicidades e ancestralidades dos participantes (partilhantes) presentes na Roda, em interseção.
  • 6. CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Marcelo Pertussatti | Educação Física/Pesquisa - Componente Curricular Estágio IV/TCC| 8º Período IV/TCC| JUSTIFICATIVA (A) A temática inicial deste projeto de pesquisa era ‘Capoeira e Inteligências Múltiplas: Interseções de corporeidade, historicidade e ancestralidade na prática cultural de instrutores de capoeira no oeste catarinense’, conforme iniciativa do projeto de pesquisa desenvolvido por Pertussatti (2000-2009) em escolas, academias e comunidades do município de Xaxim, localizado no oeste do Estado de Santa Catarina, Brasil, mais voltado à formação inicial de capoeiristas; Por meio de estudos teórico-práticos nas áreas de Educação Física, Filosofia Clínica e Capoeira, chegou-se ao título deste Projeto de pesquisa em vista de promover estudos de Formação Continuada de instrutores de capoeira, como proposta metodológica; É primordial compreender o sentido da prática da capoeira na vida de seus próprios desenvolvedores, especificamente enquanto instrutores responsáveis pela sua continuidade em determinado território, mas também como propriamente ‘capoeiristas’ em sua expressão cultural de movimento na Roda de Jogo, para assim buscar estabelecer novas formas de estudo, mediação e apreensão de conteúdos.
  • 7. CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Marcelo Pertussatti | Educação Física/Pesquisa - Componente Curricular Estágio IV/TCC| 8º Período IV/TCC| JUSTIFICATIVA (B) Essencialmente, a clínica capoeirística é realizada na individualidade de cada sujeito que busca, no ato de sua prática de capoeira, partilhar de seu modo de ser corpóreo, seja fora ou dentro da Roda de Capoeira, com acompanhamento de profissional qualificado, envolvendo a partilha de vivências teórico-práticas na Roda de Capoeira e na Roda da Vida (Roda da Existência), considerando-se a forma integrada de um único Ser, com uma Estrutura Orgânica e uma Estrutura de Pensamento, em uníssono, formando a Estrutura Humana; O uso do termo ‘clínica’ nada tem a ver com o sentido de prática médica, nem com o que é desenvolvido na psicologia, e sim segue a linha de pensamento do filósofo Lúcio Packter, criador da Filosofia Clínica, para o qual ‘clínica’ tem o sentido de análise, crítica; O uso do termo ‘interseção’ segue a mesma adaptação recebida na Filosofia Clínica, provindo da análise matemática de Georg Cantor, servindo de síntese a questões práticas nas relações dinâmicas de pessoas, de suas representações e expressões, como no caso da atenção estar voltada às experiências de relacionamento vividas numa Roda de Capoeira, por isso entendida com os sensos de interação e relação.
  • 8. CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Marcelo Pertussatti | Educação Física/Pesquisa - Componente Curricular Estágio IV/TCC| 8º Período REVISÃO TEÓRICA (A) Como prática cultural afro-brasileira, a Capoeira foi considerada e registrada como Patrimônio Cultural Imaterial da Nação Brasileira em 15 de julho de 2008, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), bem como arte-esporte de criação nacional, conforme o disposto no Projeto do Estatuto da Igualdade Racial (BRASIL, 2010:13), Capítulo II, Do Direito à Educação, à Cultura, ao Esporte e ao Lazer, art. 19, § 3º, onde se lê: “É facultado aos tradicionais mestres de capoeira, reconhecidos pública e formalmente pelo seu trabalho, atuar como instrutores desta arte-esporte nas instituições de ensino públicas e privadas”; “(...) Qual o sentido da corporalidade e do movimento na vida humana? A resposta a essas questões é o suporte no qual deve-se apoiar a prática educativa do professor de Educação Física, constituindo-se no momento integrador dos conhecimentos advindos das diferentes ciências”. (GONÇALVES, 2005: 10-11); “(...) No Brasil, mais de vinte universidades já contemplam a Capoeira nos seus currículos. Dentre elas, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), (...) Universidade Federal da Bahia (UFBA), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade de São Paulo (USP), (...)”. (SILVA et all, 2010: 01 – 02, apud FALCÃO, 2008);
  • 9. CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Marcelo Pertussatti | Educação Física/Pesquisa - Componente Curricular Estágio IV/TCC| 8º Período REVISÃO TEÓRICA (B) Considerando-se o subitem específico ‘Dimensão Político-social e cultural’, do tópico Resultados e Discussão, Silva et all apresenta sobre o trabalho de D. M. Pereira (2007), que “chama a atenção para a necessidade de aproximação da Educação Física e da Capoeira, não pelos ‘velhos paradigmas’ ou ‘objetividade’, mas sim, pela corporeidade”. (SILVA et all, 2010: 05); “Alma e corpo são, assim, duas formas de ser, que se revelam no homem como uma unidade. Sendo um fenômeno da ordem vital, o corpo humano está integrado à ordem do espírito (...)”. (GONÇALVES, 2005: 101). É na Prática da Capoeira, pelos jogos de capoeira na Roda, que se relacionam as Estruturas Orgânica e de Pensamento de um capoeirista, por meio de sua Corporeidade; “Além da EF ajudar a criança dentro da sala de aula, poderá colaborar no desenvolvimento corporal e também no desenvolvimento de relacionamentos mais amigáveis entre professores e alunos. (...) Daí a utilização também as propostas das inteligências múltiplas, associadas às características dos jogos e da ludicidade no ambiente escolar”. (VENDITTI JUNIOR e IAVORSKI, 2008: 09); Estudos como os de Go Tani (e outros), João Batista Freire, Valter Bracht (e coletivo de autores), Elenor Kunz e Mauro Betti, especialmente os três últimos, fazem a discussão da educação física a partir da cultura, tomando o corpo em relevância. (DAOLIO, 2004);
  • 10. CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Marcelo Pertussatti | Educação Física/Projeto de Pesquisa - Componente Curricular Estágio III/TCC| 7º Período REVISÃO TEÓRICA (C) Segundo Elenor Kunz, tratar o conceito de cultura na educação física parte da ‘abordagem crítico-emancipatória’, devido à educação física tradicional vir servindo para reproduzir as contradições e injustiças sociais, com específica tangência para o Brasil, neste caso. A ‘cultura do movimento’, nesta visão, abrange conceitos que indicam um ‘sistema amplo sócioeducacional, socioeconômico e político’ da educação física’, e não apenas ‘biológico’. Assim, entram em cena também as ciências humanas e sociais, juntamente das naturais no âmbito de uma cultura de movimento humano, nos termos ‘se-movimentar’ e ‘acontecimento relacional’, com o que a pessoa passa a ser vista não de forma isolada, e sim inserida numa rede complexa de relações e significados de Mundo, numa inter-relação. (DAOLIO, 2004); “O corpo fala porque ele é já uma linguagem unificada entre o biológico e o cultural” (Eduardo OLIVEIRA, In ‘A linguagem do corpo na Capoeira’, de José Milton Ferreira DA SILVA, 2003: 16); “Pois se o pensamento é o movimento em potência, o movimento é o pensamento em ação”. (COBRA, 2001: 93). Ademais, “Se o movimento for feito sem agressão ao organismo, é a redenção do homem” (Idem, 2001: 132); “Por isso, eis que é hora de abrir espaço para o lugar da reflexão filosófica, e inclusive é momento de reconhecer o outro como outro, nas relações sociais, entendendo o indivíduo como um ser relacional, social”. (PERTUSSATTI, 2004: 11); na Prática da capoeira isso envolve corporeidade, historicidade e ancestralidade.
  • 11. CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Marcelo Pertussatti | Educação Física/Pesquisa - Componente Curricular Estágio IV/TCC| 8º Período IV/TCC| METODOLOGIA Pesquisa de cunho descritivo, de abordagem essencialmente fenomenológica, fundamentada a partir de relatos e registros de atividades de sujeitos envolvidos com a prática cultural da capoeira na Região Oeste do Estado de Santa Catarina, Brasil. Tais relatos e registros de atividades foram tomados como produtos culturais dentro da tríplice conceituação temática de estudo em que se desenvolve o tema da pesquisa, alicerçado no estudo de corporeidade, historicidade e ancestralidade; POPULAÇÃO A população é de Instrutores que desenvolvem ensino de capoeira no oeste catarinense; dezoito (18) instrutores de capoeira estão em formação continuada efetiva no oeste, além de mais cinco (05) que ministram formação continuada de forma semi-presencial, dos quais três (03) estão em Guarapuava – PR e dois (02) em Curitiba – PR, totalizando-se vinte e três (23) instrutores com o perfil para esta pesquisa;
  • 12. CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Marcelo Pertussatti | Educação Física/Pesquisa - Componente Curricular Estágio IV/TCC| 8º Período IV/TCC| AMOSTRA A amostra foi composta por 7 indivíduos, sendo 6 do gênero masculino e 1 do gênero feminino. Para tal foi necessário seguir três fases de análise, sendo a 1ª FASE a constituição de uma Base de Dados, a partir de questionário com 25 questões abertas e entrevista com som e imagem; por meio de uma análise comparativa de textos dispostos em paralelo em forma de painel (sinopse); Na 2ª FASE constaram dados qualitativos, expressos em três etapas distintas indicados pelas letras A, B e C, dentro de e quadros filosóficoclínicos de estudo: 1) Quadro de Historicidade (A); 2) Quadro de Exame das Categorias (B) e dos Tópicos da Estrutura de Pensamento (C);
  • 13. CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Marcelo Pertussatti | Educação Física/Pesquisa - Componente Curricular Estágio IV/TCC| 8º Período IV/TCC| AMOSTRA A 3ª FASE constou da análise global fenomenológica do material coletado e produzido, para apresentar os resultados e as respostas encontradas, relativas ao Problema e aos objetivos da pesquisa, geral e específicos; O instrumento de coleta de dados foi um questionário elaborado em conjunto pelo pesquisador e sua orientadora, 25 questões de resposta oral, dialogadas, não escritas, mas gravadas em áudio e vídeo em forma de entrevista, posteriormente transcritas e analisadas pelo autor do projeto, via sinopse dos quadros filosófico-clínicos, em vista de se chegar aos registros e posteriormente a alguns valores qualitativos de como a capoeira tem sido desenvolvida no oeste catarinense e de como ela tende a ser desenvolvida nos próximos anos pelos instrutores de capoeira;
  • 14. CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Marcelo Pertussatti | Educação Física/Pesquisa - Componente Curricular Estágio IV/TCC| 8º Período IV/TCC| Resultados Esta pesquisa revelou que os sete (07) entrevistados têm a capoeira como uma necessidade antes de tudo pessoal, no âmbito da realização pessoal, independentemente se para um a capoeira é arte e cultura, profissão ou lazer, para outro luta e dança, filosofia de vida, atividade física ou outras tantas definições; revelou-se ainda que a interseção da Estrutura Orgânica e da Estrutura de Pensamento acontecem simultaneamente no momento do diálogo de corpos, no jogo de capoeira, e que todos os entrevistados já buscaram conhecimentos teóricos e práticos, ancestrais e acadêmicos, para complementar sua formação.
  • 15. CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Marcelo Pertussatti | Educação Física/Pesquisa - Componente Curricular Estágio IV/TCC| 8º Período IV/TCC| Resultados Constatou-se que apenas dois (02) dos sete (07) instrutores entrevistados não cursaram ou não estavam cursando Educação Física, o que equivale a 28,571429%; cinco (05) dentre os sete (07) instrutores entrevistados estavam diretamente ligados à Formação Continuada em Graduação de Licenciatura Plena em Educação Física, ou seja, 71,4285%; três (03) deles – 42,857143% – já eram Educadores Físicos formados, dos quais dois (02) – 28,571429% – realizaram seu Trabalho de Conclusão de Curso envolvendo a temática da Capoeira; dois (02) – 28,571429% – já buscaram e acessaram a etapa de pósgraduação na área da Educação Física.
  • 16. CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Marcelo Pertussatti | Educação Física/Pesquisa - Componente Curricular Estágio IV/TCC| 8º Período IV/TCC| Resultados No contexto epistemológico atual da Capoeira, cada vez mais presente no âmbito acadêmico, ela própria foi evidenciada por todos os entrevistados como fonte de desenvolvimento de Inteligências Múltiplas, daí a Capoeira Clínica, além de ser uma prática cultural de movimento, poder ser cunhada não apenas como uma proposta metodológica que encerra múltiplos saberes, mas principalmente como uma nova Metodologia para Formação Continuada de capoeiristas, instrutores e pesquisadores de capoeira, isto é, como uma nova Metodologia Analítica e Crítica de Interpretação, bem como mais uma forma de anamnese, em torno de relatos históricos que possibilitam tanto dados qualitativos, quanto quantitativos de estudo da capoeira, da educação física e da filosofia, para várias áreas do conhecimento.
  • 17. CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Marcelo Pertussatti | Educação Física/Pesquisa - Componente Curricular Estágio IV/TCC| 8º Período IV/TCC| Conclusão A compreensão dos entrevistados sobre a capoeira é de que ela é uma necessidade de existência plena, tanto em pensamento como em ação, no abstrato e no concreto, natural e sobrenatural, contrários constantes em inversões, como no caso de qualquer movimento de âmbito somático específico da capoeira, passando também pela sua história, sua música;
  • 18. CAPOEIRA CLÍNICA: FORMAÇÃO HUMANA VIA INTERSEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FILOSOFIA CLÍNICA E PRÁTICA DE CAPOEIRA Marcelo Pertussatti | Educação Física/Pesquisa - Componente Curricular Estágio IV/TCC| 8º Período IV/TCC| Conclusão Culturalmente está em constante transformação, num ritual primitivo, ancestral e tradicional, porém aberto para o novo, a cada instante, em cada novo movimento sendo criado, recriado, nos jogos de capoeira ao ritmo dos instrumentos, embalados pela música, educação física e filosofia em interseção, sem amarras, sem nós, em libertação, libertas, livres, abertas, de fato analíticas, clínicas e críticas, mantendo um movimento constante, para além da vida meramente terrena, confrontando com os aspectos espirituais e sagrados, exaltando todas as condições do ser humano, como retrato da própria vida na roda de prática da capoeira, Roda da Existência.
  • 19. SINOPSE – QUADRO HISTORICIDADE (A) Questões 01 – 06
  • 20. SINOPSE – QUADRO HISTORICIDADE (A) Questões 07 – 10 x
  • 21. x
  • 22. EVENTO CLÍNICA DE CAPOEIRA ENCONTRO DE SABERES DESDE 1987 x
  • 23. SIMBOLOGIA DA CAPOEIRA CLÍNICA E NOMENCLATURA DO SEU MENTOR E DESENVOLVEDOR
  • 24. x
  • 25. REFERÊNCIAS BRASIL. Senado Federal. Estatuto da Igualdade Racial. Brasília: Senado, 2006-2010. Disponível em <http://www.senado.gov.br/> Acesso em 29 jun. 2010. 32p. COBRA, Nuno. A semente da vitória. São Paulo: SENAC, 2001. 223p. DAOLIO, Jocimar. Educação Física e Conceito de Cultura. 2ªed. São Paulo: Autores Associados, 2007, 77p. GARDNER, Howard.Inteligência: um conceito reformulado. trad. Adalgisa Campos da Silva. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000. 347p. GONÇALVES, Maria Augusta Salin. Sentir, pensar, agir: corporeidade e educação. 8ed. Campinas: Papirus, 2005. 197p. (Corpo e motricidade); MOREIRA, Ramon; MOREIRA, Najara. Capoeira: sua origem e sua inserção no contexto escolar. Revista Digital EF y DEPORTES, Buenos Aires, ano 12, n.114, Nov.2007. Disponível em <http://www.efdeportes.com/efd114/capoeira-sua-origem-esua-insercao-no-contexto-escolar.htm> Acesso em 12 mar. 2010. 2p. NUNES, Rochelle Garcia; NASCIMENTO, Rosemary Pedrosa do. Dicionário de Filosofia Clínica. Fortaleza: Associação Cearense dos Filósofos Clínicos, 1998-2002, 35p. PACKTER, Lúcio. Filosofia clínica: propedêutica. Florianópolis: Garapuvu, 2001. 138p. PERTUSSATTI, Marcelo. A Fenomenologia Intersubjetiva e sua relação com a Filosofia Contemporânea. (Trabalho de Conclusão de Curso) – Universidade Comunitária Regional de Chapecó, UNOCHAPECÓ, Chapecó, 2004. 122p. SILVA, José Milton Ferreira da. A linguagem do Corpo na Capoeira.. Rio de Janeiro: Sprint, 2003. 151p. SILVA, Rudney da; et all. Análise da produção científica sobre capoeira nas Universidades públicas do Estado de Santa Catarina. Revista Digital EF y DEPORTES, Buenos Aires, ano 14, n.141, Fev.2010. Disponível em <http://www.efdeportes.com/efd141/producao-cientifica-sobre-capoeira-nas-universidades.htm> Acesso em 12 mar. 2010. 8p. VENDITTI JUNIOR, Rubens; Joyce IAVORSKI. A ludicidade no desenvolvimento e aprendizado da criança na escola: reflexões sobre a Educação Física, jogo e inteligências múltiplas. Revista Digital EF y DEPORTES, Buenos Aires, ano 13, n.119, Abr.2008. Disponível em <http://www.efdeportes.com/efd119/a-ludicidade-no-desenvolvimento-e-aprendizado-da-crianca-na-escola.htm> Acesso em 12 mar. 2010. 9p.