Levantamento áreas prioritárias

1,177 views

Published on

Identificação e levantamento de
informações sobre áreas prioritárias
para a criação de UCs na Caatinga
Núcleo do Bioma Caatinga – DCBIO/SBF/MMA

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,177
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
43
Actions
Shares
0
Downloads
31
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Levantamento áreas prioritárias

  1. 1. Identificação e levantamento de<br />informações sobre áreas prioritárias <br />para a criação de UCs na Caatinga<br />
  2. 2. Núcleo do BiomaCaatinga – DCBIO/SBF/MMA<br />
  3. 3. OBJETIVO DO NÚCLEO DO BIOMA CAATINGA<br /><ul><li>Marcos legais
  4. 4. Políticaspúblicas
  5. 5. Programas
  6. 6. Projetos
  7. 7. Ações de divulgação e promoção</li></ul>Promover a conservação e usosustentáveldaCaatinga<br />
  8. 8. OBJETIVOS DO NÚCLEO DO BIOMA CAATINGA<br />a) atualizar o mapeamento dos remanescentes e apoiar o monitoramentodacobertura vegetal do Bioma<br />b) acompanhare apoiar as ações do ConselhoNacionaldaReservadaBiosferadaCaatinga<br />c) integrarações com os GEFs existentesnaCaatinga; participardacoordenação do GEF caatinga<br />d) operacionalizare coordenar o GT – Caatinga<br />
  9. 9. CARACTERÍSTICAS DA CAATINGA <br /><ul><li> EXCLUSIVAMENTE BRASILEIRA</li></ul>- BIOMA SEMI-ÁRIDO MAIS BIODIVERSO<br /> - MUITOS ENDEMISMOS<br /><ul><li> EXTREMAMENTE HETEROGÊNEA</li></ul>- BIOMA MENOS CONHECIDO DO PAÍS<br />- OCUPA 11% DO PAÍS (844.000 KM²)‏<br />
  10. 10. DADOS DA CAATINGA<br />- 27 MILHÕES DE PESSOAS – SEMI-ÁRIDO MAIS DENSAMENTE POVOADO<br />- 62% DAS ÁREAS SUSCEPTÍVEIS À DESERTIFICAÇÃO<br /><ul><li> 7% PROTEGIDOS EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO</li></ul>- 1% DE PROTEÇÃO INTEGRAL<br />
  11. 11.
  12. 12.
  13. 13.
  14. 14. USO DA TERRA E <br />COBERTURA VEGETAL, 2007 – PROBIO/MMA<br />
  15. 15. ÁREAS PRIORITÁRIAS PARA A<br />CONSERVAÇÃO NO<br />BIOMA CAATINGA - 2006<br />
  16. 16.
  17. 17. Desmatamento no biomaCaatinga (2008)<br />(Relatório de 2010)<br />
  18. 18.
  19. 19. Até 2002 (%)‏<br />Até 2008 (%)‏<br />Áreas desmatadas<br />43,38<br />45,39<br />Vegetação remanescente<br />55,67<br />53,62<br />Corpos d’água<br />0,95<br />0,99<br />Desmatamento acumulado no bioma Caatinga, tendo como referência a área total do bioma mapeado (826.411,23 km²)‏<br /><ul><li>Desmatamento de 16.576 km² entre 2002 e 2008 (2,0% do bioma)‏
  20. 20. Taxa anual média de desmatamento entre 2002 e 2008: 2.763 km² (0,33%)‏</li></li></ul><li>UF<br />ÁREA DE CAATINGA (KM²)‏<br />ÁREA DESMATADA ANTES DE 2002 (KM²)‏<br />ÁREA DESMATADA ENTRE 2002 E 2008 (KM²)‏<br />% DO BIOMA DESMATADO ENTRE 2002 E 2008<br />BA<br />300.967<br />149.619<br />4.527<br />0,55%<br />CE<br />147.675<br />54.735<br />4.132<br />0,50%<br />PI<br />157.985<br />45.754<br />2.586<br />0,31%<br />PE<br />81.141<br />41.159<br />2.204<br />0,27%<br />RN<br />49.402<br />21.418<br />1.142<br />0,14%<br />PB<br />51.357<br />22.342<br />1.013<br />0,12%<br />MG<br />11.100<br />5.371<br />359<br />0,04%<br />AL<br />13.000<br />10.320<br />353<br />0,04%<br />SE<br />10.027<br />6.683<br />157<br />0,02%<br />MA<br />3.753<br />1.134<br />97<br />0,01%<br />TOTAL<br />826.411<br />358.540<br />16.576<br />2,0 %<br />Desmatamento do Bioma Caatinga por Unidade da Federação entre 2002 e 2008<br />
  21. 21. Desmatamento acumulado do Bioma Caatinga por Unidade da Federação<br />
  22. 22. MUNICÍPIO<br />UF<br />1<br />Acopiara<br />CE<br />2<br />Tauá<br />CE<br />3<br />Bom Jesus da Lapa<br />BA<br />4<br />Campo Formoso<br />BA<br />5<br />Boa Viagem<br />CE<br />6<br />Tucano<br />BA<br />7<br />Mucugê<br />BA<br />8<br />Serra Talhada<br />PE<br />9<br />Crateús<br />CE<br />10<br />São José do Belmonte<br />PE<br />11<br />Morro do Chapéu<br />BA<br />12<br />Casa Nova<br />BA<br />13<br />Santa Quitéria<br />CE<br />14<br />Petrolina<br />PE<br />15<br />Barro<br />CE<br />16<br />Mossoró<br />RN<br />17<br />Saboeiro<br />CE<br />18<br />Touros<br />RN<br />19<br />Euclides da Cunha<br />BA<br />20<br />Pedra<br />PE<br />20 Municípios que mais desmataram entre 2002 e 2008 segundo desmatamento absoluto<br />
  23. 23.
  24. 24. Situação atual coloca a sociedade e o Poder Público diante <br />do grande desafio de promover ações efetivas para o controle <br />do desmatamento e a redução da degradação na Caatinga<br />
  25. 25. OBJETIVOS DESTA ETAPA<br /><ul><li>Identificar oportunidades para parcerias nos estados
  26. 26. Articular potenciais ações conjuntas com o MMA
  27. 27. Definir estratégias conjuntas na criação de UCs na Caatinga
  28. 28. Integrar esforços para a ampliação do número de UCs na Caatinga
  29. 29. Ampliar legitimidade e participação nos processos de criação de UCs
  30. 30. Ganhar agilidade nos processos</li></ul>- Reduzir custos<br />
  31. 31. MISSÃO:<br /><ul><li> Levantar dados secundários, informações estratégicas, prioridades e</li></ul>planos estaduais e municipais sobre áreas prioritárias para a criação<br />de UCs na Caatinga nos seguintes estados priorizados:<br /> SERGIPE<br /> PERNAMBUCO<br /> RIO GRANDE DO NORTE<br /> CEARÁ<br />
  32. 32. CEARÁ<br />
  33. 33.
  34. 34.
  35. 35.
  36. 36.
  37. 37. AGENDA DE TRABALHO DO MMA PARA ÁREAS PROTEGIDAS<br /><ul><li>AGENDA PARA A CRIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO – 2008-2010 – PARCERIA ICMBIO/MMA/TNC – 20 novas áreasparaproteção integral
  38. 38. PLANO DE TRABALHO TNC - CRIAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SERRA DO TEIXEIRA – PB, DUNAS DO SÃO FRANCISCO – BAHIA E MAIS UMA UNIDADE NO CEARÁ – EM ANDAMENTO E CONCLUÍDOS
  39. 39. CONSULTORIA PARA A MANUTENÇÃO DAS UCS DA CAATINGA EM LONGO PRAZO – GEF CAATINGA – INFORMAÇÕES SOBRE OS INVESTIMENTOS MÍNIMOS PARA A MANUTENÇÃO DAS UCS ESTADUAIS E FEDERAIS DA CAATINGA ;
  40. 40. RECURSOS COMUNIDADE EUROPÉIA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE UCS NA CAATINGA – PREVISTO PARA 2010
  41. 41. 3 PROCESSOS PRIORITÁRIOS PARA CRIAÇÃO DE UCS – MONA CÂNIONS DO SÃO FRANCISCO(BA/AL/SE) – CRIADO ; PARNA BOQUEIRÃO DAS ONÇAS/BA, E AMPLIAÇÃO PARNA CONFUSÕES/SERRA VERMELHA – PI – FASE FINAL.
  42. 42. CORREDORES E MOSAICOS – CORREDORES DA CAATINGA (CRIADO), DA ONÇA – BA (EM PROCESSO) E MOSAICO MATA SECA – MG.
  43. 43. GEF - CAATINGA –ESTADO DA ARTE DA GESTÃO NA UCS, BANCO DE DADOS UCS (WWW.CNIP.ORG.BR); APOIO À CRIAÇÃO DE UNIDADES E USO SUST. EM 3 CORREDORES ; APOIO MAPEAMENTO E CRIAÇÃO ÁREAS PROTEGIDAS CAATINGA/ MATA SECA (MG) </li></li></ul><li>AVANÇOS E PROCESSOS EM ANDAMENTO PARA CRIAÇÃO DE UCs:<br /><ul><li>PARQUE NACIONAL SERRA VERMELHA/AMPLIAÇÃO CONFUSÕES – PI – , GT MMA/ICMBIO/GOVERNO PIAUÍ – 311.576 ha
  44. 44. MONUMENTO NATURAL DOS CANYONS DO SÃO FRANCISCO – AL/SE/BA – 28.000 ha
  45. 45. PARQUE NACIONAL DO BOQUEIRÃO DA ONÇA –BA –– ÚLTIMOS REFINAMENTOS - 850.000 ha
  46. 46. PARQUE NACIONAL DUNAS DO SÃO FRANCISCO – BA – ESTUDOS EM FASE INICIAL – RECURSO TNC – 800.000 ha
  47. 47. PARQUE NACIONAL SERRA DO TEIXEIRA – PB – ESTUDOS CONCLUÍDOS– 80.000 ha</li></ul>TOTAL – 2.069.576 ha - + de 2% de incrementonaproteção do bioma<br />
  48. 48. Serra Vermelha/PI<br />
  49. 49. Monumento São Francisco<br />
  50. 50. Boqueirão da Onça<br />
  51. 51.
  52. 52. Rodrigo Castro<br />rodrigocastro@acaatinga.org.br<br />(85) 9969-4847<br />NÚCLEO DO BIOMA CAATINGA<br />DCBIO/SBF/MMA<br />TELEFONE: 61 – 2025-2071<br />E-MAIL – joao.seyffarth@mma.gov.br <br />Páginacaatinga- www.mma.gov.br>biodiversidade e florestas>caatinga<br />Dados monitoramentodesmatamento– http://sicom.ibama.gov.br<br />

×