A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE    CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - LICENCIATURA DA FURG: Saberes docentes e     ...
estágio é o eixo central na formação de professores pois é através dele que oprofissional conhece os aspectos indispensáve...
O presente estudo teve como objetivo analisar e comparar a visão de um grupode graduandos do curso de Ciências Biológicas ...
(COM)VIVÊNCIAS NO TRABALHO DOCENTE       Nos questionários ficou evidente que boa parte dos entrevistados tiveram suaprime...
que todos tem uma dificuldade e realidades diferentes da minha, e o                     mais importante, o valor que devem...
educativa. Estamos aptos a crer que os saberes do oficio docente estão diretamenterelacionados ao trabalho prático diário ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

A importância do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas licenciatura da furg saberes docentes e formação de professores

10,339 views
10,109 views

Published on

Trabalho de conclusão do Curso de Ciências Biológicas Licenciatura - 2011. M.

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
10,339
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
190
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A importância do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas licenciatura da furg saberes docentes e formação de professores

  1. 1. A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - LICENCIATURA DA FURG: Saberes docentes e formação de professores Marcelo Gomes de Oliveira1 Profª Orientadora: Paula Ribeiro2RESUMOEste estudo apresenta a importância do Estágio III – Regência de Classe do EnsinoFundamental no Curso de Ciências Biológicas – Licenciatura, na Universidade Federaldo Rio Grande – FURG. Tivemos como objetivo analisar e comparar a visão de umgrupo de graduandos do curso em questão sobre a importância do estágiosupervisionado na formação do licenciando. Partimos do princípio que o saber dosprofessores não provém de uma fonte única, mas de várias fontes da história da vida eda carreira profissional, Assim nossas principais indagações foram: Como oslicenciados mobilizam esses saberes? Ocorrem conflitos, tensões, contradições entreesses saberes? Será que valorizam alguns saberes e desvalorizam outros? Assimbuscamos problematizar estas categorias partindo de pequenas experiências realizadasnos estágios na turma de formandos 2011, mas indo além delas, confrontando-as com asidéias dos pensadores(as) que fundamentam nossas práticas educativas, especialmenteaqueles(as) que trilham caminhos mais progressistas na educação. Como metodologia oreferente estudo utilizou-se do questionário contendo quatro perguntas com respostasespecíficas e uma pergunta reflexiva/filosófica entregue e categorizadas no ensaio. Osresultados permitem concluir que os professores em formação acreditam serfundamental a vivência em sala de aula para a edificação de um saber experiencial, noque diz respeito ao estágio supervisionado acreditam ser importante pois é o primeirocontato com um turma de alunos e vivência no contexto do trabalho docente. Portantoconsideramos para uma formação qualificada do Biólogo Licenciado deve desenvolverseu trabalho no estágio supervisionado com eficiência, ética e responsabilidade.Palavras-chaves: estágio supervisionado, professores em formação, saberes docentes.INTRODUÇÃO A observação sistemática das práticas educativas dos educadores sob o ângulodo seu saber fazer, de sua ação em contexto, dos saberes de sua experiência profissional,leva nos interrogar acerca de sua formação. A pergunta pode ser formulada da seguinteforma: como os docentes “constroem a sua profissão”? O estágio supervisionado na formação de professores tem sido alvo de estudosque revelam suas dificuldades e seu potencial (TARDIF, 2002), gerando transformaçõesna vida desses profissionais. Este é um momento na formação que o graduando podevivenciar experiências, conhecendo melhor sua área de atuação. Há um consenso que “o1 Acadêmico do Curso de Ciências Biológicas – Licenciatura da Universidade Federal do Rio Grande(marcelobiosul@hotmail.com).2 Professora da Universidade Federal do Rio Grande, Doutorada em Ciências Biológicas pelaUniversidade Federal do Rio Grande do Sul (pribeiro@vetorial.net). 1
  2. 2. estágio é o eixo central na formação de professores pois é através dele que oprofissional conhece os aspectos indispensáveis para a formação da construção daidentidade e dos saberes do dia-a-dia” (PIMENTA E LIMA, 2004, p 153). Para Silva (2005) é perceptível que os graduandos se envolvam com disposiçãoe ânimo quando a universidade lhes proporciona a participação a fim de poderemcolocar conhecimentos teóricos em prática, acompanhados de uma professorasupervisora. É necessário que o estagiário aprenda a observar e identificar os problemas,estar sempre aprendendo e buscando informações, questionar sua própria função dianteda turma, além de buscar trocar informações com professores mais experientes. De acordo com Francisco e Pereira (2004) o estágio surge como um processofundamental na formação do licenciando, pois é a forma de fazer a transição de alunopara professor “alunos de tantos anos descobre-se no lugar do professor”. Este é ummomento da formação em que o graduando pode vivenciar experiências, conhecendomelhor a sua área de atuação. Para GUERRA (1995, p. 225) “O estágio supervisionadoconsiste em teoria e prática tendo em vista uma busca constante da realidade para umaelaboração do programa de trabalho na formação do educador”. Nesse sentido o estágiopossibilita ao graduando desenvolver a postura de pesquisador, despertar a observação,ter uma boa reflexão crítica, facilidade de reorganizar as ações para poder reorientar aprática quando necessário Portanto, refletir sobre o estágio obrigatório em regência de classe é uma dasquestões mais atuais no que diz respeito a profissão docente e a formação deprofessores: a relação entre os conhecimentos aprendidos na Universidade e os saberesadquirido na escola da vida, é sem dúvida, o que há de mais emergente nas pesquisaseducacionais (Tardif, 2002) Tendo em vista as novas políticas públicas que (re)configuram as UniversidadesFederais Brasileiras. Podemos citar o Programa de Apoio a Reestruturação a Planos deReestruturação e Expansão das Universidades Federais – REUNI – é uma destaspolíticas atuais cuja meta é dobrar o numero de alunos nos cursos de graduação em dezanos (Portal MEC). A pressão pelo aumento de vagas na educação superior, decorrentedo aumento acelerado do número de egressos da educação média, já esta acontecendo etenderá a crescer. Deve-se planejar a expansão com qualidade, principalmente no que serefere a formação de professores, evitando-se o fácil caminho da massificação. Aslicenciaturas tem uma relação direta com esse panorama político/educacional pois estáformando os futuros profissionais que possivelmente estarão trabalhando nas escolas enas universidades. Formando professores na FURG. Os alunos tem a primeira experiência docente no estágio I -Ciências no 3º anode faculdade, através da disciplina - Estágio Obrigatório III - no qual o(a) acadêmico(a)se depara com a regência de classe em uma turma do Ensino Fundamental. Para muit@s acadêmic@s essa experiência na práxis docente é marcada pormomentos distintos, bons e agradáveis. Entretanto para outr@s, essas experiências sãomarcadas por momentos difíceis, complexos e de superação pessoal. Portanto a relevância deste estudo se faz no intuito de conhecer o que pensamestes professores em formação, estagiários no contexto escolar. Buscamos assimdialogar sobre a importância do estágio supervisionado na formação dos Licenciadosem Ciências Biológicas.VOCÊ TEM CERTEZA QUE QUER SER PROFESSOR? 2
  3. 3. O presente estudo teve como objetivo analisar e comparar a visão de um grupode graduandos do curso de Ciências Biológicas - Licenciatura da FURG sobre aimportância do estágio supervisionado na formação profissional do Biólogo Licenciado. Objetivamos analisar quais são os saberes que servem de base para o ofício deprofessor? Quais conhecimentos, saber-fazer, habilidades, competências, sãomobilizadas diariamente na escola? Qual a natureza desse saber? Trata-se deconhecimento científico? Técnico? Cognitivo? Racionais? De acordo com Tardiff (2002, p. 11) “o saber não é uma coisa que flutua noespaço: o saber dos professores é um saber deles e está relacionado com a pessoa e aidentidade deles, com a experiência de vida, com a sua história profissional, com a suarelação com os alunos em sala de aula, e com outros atores escolares na escola.”COLETANDO AS REFLEXÕES Os sujeitos da pesquisa foi composta por sete acadêmicos graduandos do Cursode Ciências Biológicas - Licenciatura da Universidade Federal do Rio Grande, que játiveram suas vivências em diversos contextos/realidades durante o estágiosupervisionado, sendo devidamente matriculados da disciplina de estágio III. Para a realização da pesquisa, primeiramente foi enviado um questionário abertocontendo quatro perguntas via e-mail para os sujeitos da pesquisa e que apresentavamos seguintes questionamentos:1) Qual é a importância do estágio supervisionado na formação profissional doBiólogo Licenciado?2) Quais são os saberes que você considera que serve da base para o ofício doprofessor.3) Quais conhecimentos, saber fazer, habilidades, competências foram mobilizadosna escola durante seu estágio de docência.4) De acordo com Tardiff (2002, p.11) “o saber não é uma coisa que flutua no espaço: o saber dos dos professores é um saber deles e está relacionada a pessoa e a identidade dela, como a experiência de vida, com a sua história profissional, com a sua relação com alunos em sala de aula, e com outros atores escolares na escola. Comente sobre essa citação relacionando com os saberes que você teve duranteo estágio de docência. Os questionários foram aplicados aos licenciandos desta Instituição no mês denovembro de 2011, após concluírem a disciplina de estágio supervisionado. Nomomento do envio dos questionários, foi explicado aos sujeitos/atores o objetivo dapesquisa. Após o retorno do questionário, as respostas foram analisadas e interpretadas.Este questionário foi o instrumento principal utilizado para a devida coleta de dados.Foram criados pseudônimos para cada entrevistado para melhor preservar aindividualidade dos sujeitos. assim, os cuidados éticos foram devidamente tomados parapreservar a identidade dos participantes da instituição em questão. 3
  4. 4. (COM)VIVÊNCIAS NO TRABALHO DOCENTE Nos questionários ficou evidente que boa parte dos entrevistados tiveram suaprimeira oportunidade, vivenciado as atividades da profissão docente, A partir doEstágio Supervisionado. Isso fica claro na seguinte afirmativa: O estágio supervisionado é o primeiro momento para muitos de um real contato com a sala de aula, como professor. É o momento em que podemos testar nossos conhecimentos, nossa prática enquanto futuros professores e entender como a sala de aula funciona. Desse modo, a maneira como é dirigido o estágio (nosso), com o diário (que é obrigatório), nos faz refletir e repensar as práticas. (Tamara) Uma boa parte dos entrevistados aponta o estágio como fundamental naformação dos professores pois é o momento de vivência na carreira profissional, comopodemos perceber na exposição de Janaína: [...] a importância do estágio supervisionado está no fato de que é o momento onde é possível saber se seguiremos na carreira de professor, pois no decorrer do curso, não temos práticas reais que nos mostre como é a realidade em uma sala de aula. (Janaína) No que se refere aos saberes que os sujeitos consideram base para o oficiodocente o estudo revela uma perspectiva humana de um olhar para o outro, que deveriafazer emergir dos saberes docente da maioria. Afirma Janaina para a base do oficiodocente haveria de partir de cada um a vontade de ser professor, comprometimento coma profissão, trabalhar sempre pensando em fazer com que a aula seja significativa para oindivíduo. Já para Letiele os saberes considerados base para o ofício, foram: Primeiramente um professor deve ter uma instrução adequada para exercer essa profissão. Deve ter conhecimento das normas da escola, conhecimento da realidade que a escola está inserida, conhecimento do conteúdo abordado em suas aulas e certas habilidades em lidar com crianças e adolescentes. A partir destas respostas podemos dialogar com Tardif, no diz que os saberesprofissionais dos professores são temporais: [...] no sentido de que os primeiros anos de prática profissional são decisivos no sentido de aquisição do sentimento de competência e no estabelecimento das rotinas de trabalho. (2002, p. 260 -261) Um terceiro conjunto de resultados da pesquisa indica quais os conhecimentos,habilidades e competências que foram mobilizados durante o estágio docência. Algunslicenciados apontam para algumas dificuldades enfrentadas no trabalho docente: [...] maneiras de lidar com os alunos, saber dizer não, saber contornar os problemas que surgem em uma sala de aula, como por exemplo, um aluno que parece não ter vontade de aprender e como professor, encontrar uma maneira de chamar a atenção do mesmo, compreender 4
  5. 5. que todos tem uma dificuldade e realidades diferentes da minha, e o mais importante, o valor que devemos dar a posição que ocupamos na sociedade, pois durante o estágio percebi que muitas vezes, o aluno não apresenta bom desempenho por estar enfrentando problemas que eu, na graduação não enfrentei em nenhum momento da vida. (Janaína) Ficou evidente que a maioria dos entrevistados apontam o professor enquantosujeito do conhecimento, e principalmente o sentimento de aprender no mesmo tempoem que ensina: Durante o estágio aprendi como profissional e cresci muito como pessoa. Aprendi muito sobre os conteúdos trabalhados, dos quais muito não foi abordado nas disciplinas do curso, contextualizar os conteúdos com a realidade dos alunos e a trabalhar com alunos individualmente. Tive que me expressar de uma forma mais clara e precisa. Também percebi que infelizmente muito do nosso conhecimento, não poderá ser construído com os alunos, pois devemos trabalhar contra o relógio, dentro de 45 min e 1h30. Dei-me de conta que os alunos de hoje são muito carentes e por isso devemos ajudá-los em tudo que pudermos, pois estamos formando pessoas para a vida e profissionais do futuro. (Lívia) A partir dessa reflexão é apontada a função social do trabalho docente, eobservamos que esses saberes são “saberes sociais” que, segundo Tardif (2002, p. 31), é“o conjunto dos processos de formação e de aprendizagem elaborados sociamente edestinado a instruir os membros da sociedade com base nestes saberes”. Tambémpensamos que a dimensão social da razão pelo qual ser professor, não está no fato demanter os alunos “presos” fisicamente em uma sala de aula por 45 min, pois éimpossível levá-los a aprender sem seu consentimento, sem a sua colaboraçãovoluntária. No que se trata disso Tardif diz em tornar os alunos atores: A fim de aprender os alunos devem tornar-se, de uma maneira ou de outra, os atores de sua própria aprendizagem, pois ninguém pode aprender no lugar deles. Tornar os alunos em atores, parece-nos em torno da qual se articulam e ganham sentido todos os saberes do professor.(ANO, p. 221-222) Finalmente, quando os entrevistados comentaram a sobre o trecho do autor quediz que “os saberes não flutuam no espaço”, reaparece a fala de viés ecológicotipicamente característica do Biólogo licenciado como podemos observar na fala deTamara: É exatamente esse não desligamento do sujeito com a natureza que acho fantástico na sala de aula. Principalmente dentro da nossa biologia. O entender-se como sujeito de um processo histórico e perceber e respeitar o aluno é fundamental para o bom andamento da prática educativa. Percebemos que os graduandos que passaram pela estágio supervisionadovivenciaram experiências singulares no contexto em que vivenciaram a prática 5
  6. 6. educativa. Estamos aptos a crer que os saberes do oficio docente estão diretamenterelacionados ao trabalho prático diário de assumir uma turma, e que cada qual professorem formação pode experimentar e testar suas certezas enquanto professores. No que setratou diretamente ao oficio docente, ressaltamos que cada qual licenciando deve darprova de sua capacidade de estar por um breve tempo na posição do Professor, e assimpossibilitar a edificação de um saber experiencial. É importante ressaltar que o estágio supervisionado foi o momento designificativas aprendizagens para todos os sujeitos desse estudo e que certamente foi umperíodo “divisor de águas” no que se trata do futuro profissional.REFERÊNCIAS:FRANCISCO, C. M. e PEREIRA, A.S. Supervisão e Sucesso do desempenho do alunono estágio, 2004. Disponível em internet. http://www.efdeportes.com/efd69/aluno.htm.GUERRA, Miriam Darlete Seade. Reflexões sobre um processo vivido em estágiosupervisionado: Dos limites às possibilidades, 1995. Disponível em internet.http://www.anped.org.br.LOMBARDI, Roseli Ferreira. Formação Inicial: Uma observação da prática docentepor discurso de alunos estagiários do curso de Letra, 2005. Disponível em internet.http://www.congresso/ed2005.puc.c/pdf/ferreira%20lombardi.pdfMinistério da Educação – http://portalmec.gov.brPIMENTA, Selma Garrido e LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e Docência. 2.ed.São Paulo: Cortez, 2004.SILVA, Sheila Aparecida Pereira dos Santos. Estágios Curriculares na Formação deProfessores de Educação Física: o Ideal, o Real e o Possível. Revista Digital. BuenosAires, v.10, n.82 p. 3-5, Março, 2005. Disponível em internet.http://www.efdeportes.com.TARDIF, Maurice. Saberes docentes & formação profissional. 2ed. São Paulo. Vozes,2002. 6

×