Your SlideShare is downloading. ×
Projeto Informacional (parte 2)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Projeto Informacional (parte 2)

1,761
views

Published on


0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,761
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Projeto informacional Macrofase de Desenvolvimento (continuação) Universidade Federal da Paraíba Campus I – Centro de Tecnologia Curso de Graduação em Engenharia de Produção Prof. MSc. Marcel de Gois Pinto
  • 2. 4 Detalhar ciclo de vida e definir clientes  Modelo de ciclo de vida em espiral
  • 3. 4 Detalhar ciclo de vida e definir clientes  Modelo de ciclo de vida em espiral Projeto Descarte Projeto Conceitual Projeto Detalhado Desativação/ Especificações Reciclagem meta Fabricação Escopo do produto Montagem e Manutenção Embalagem Setores e Consumo Setores Produtivos (Clientes externos) (Clientes internos) Armazenagem Função Uso Transporte Pré- Desenvolvimento Compra Venda Projeto Setores de Mercado Informacional (Clientes intemediários)
  • 4. 5 Identificar os requisitos do cliente
  • 5. 5 Identificar os requisitos do cliente  Podem analisador com o diagrama de Kano
  • 6. 5 Identificar os requisitos do cliente  Podem analisador com o diagrama de Kano Cliente satisfeito excitação Desempenho Desempenho Pobre Excelente básico Cliente insatisfeito
  • 7. 5 Identificar os requisitos do cliente  Podem analisador com o diagrama de Kano Cliente satisfeito excitação Desempenho Desempenho Pobre Excelente básico O cliente não verbaliza, mas se faltar ele ficará insatisfeito Cliente insatisfeito
  • 8. 5 Identificar os requisitos do cliente  Podem analisador com o diagrama de Kano Cliente satisfeito O cliente não esperava, é surpreendido excitação Desempenho Desempenho Pobre Excelente básico O cliente não verbaliza, mas se faltar ele ficará insatisfeito Cliente insatisfeito
  • 9. 5 Identificar os requisitos do cliente  Podem analisador com o diagrama de Kano Cliente satisfeito Quanto maior o desempenho, maior a O cliente não satisfação esperava, é surpreendido excitação Desempenho Desempenho Pobre Excelente básico O cliente não verbaliza, mas se faltar ele ficará insatisfeito Cliente insatisfeito
  • 10. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas
  • 11. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas Identificar necessidades Agrupá-las e classificá-las Definir requisitos Valorar os requisitos
  • 12. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas Identificar necessidades Agrupá-las e classificá-las Definir requisitos Valorar os requisitos
  • 13. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas Geralmente são linguísticas Identificar necessidades Agrupá-las e classificá-las Definir requisitos Valorar os requisitos
  • 14. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas Geralmente são linguísticas Identificar necessidades  Saudável Agrupá-las e classificá-las Definir requisitos Valorar os requisitos
  • 15. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas Geralmente são linguísticas Identificar necessidades  Fácil de manusear Agrupá-las e classificá-las Definir requisitos Valorar os requisitos
  • 16. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas Geralmente são linguísticas Identificar necessidades  Ser um combo (muitas funções) Agrupá-las e classificá-las Definir requisitos Valorar os requisitos
  • 17. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas Geralmente são linguísticas Identificar necessidades  Fácil de abrir Agrupá-las e classificá-las Definir requisitos Valorar os requisitos
  • 18. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas Os métodos para ter essas informações Identificar necessidades são os mesmos do PE de produtos Agrupá-las e classificá-las Definir requisitos Valorar os requisitos
  • 19. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas Os métodos para ter essas informações Identificar necessidades são os mesmos do PE de produtos  Listas de verificação, enquetes Agrupá-las e classificá-las  Observação direta Definir requisitos  Grupos de foco Valorar os requisitos  Experimentos controlados
  • 20. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas Identificar necessidades Agrupá-las e classificá-las Definir requisitos Valorar os requisitos
  • 21. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas  Identifica similaridades Identificar necessidades  Agrupa similaridades Agrupá-las e classificá-las  Elimina repetições Definir requisitos  Elimina necessidades sem relevância Valorar os requisitos
  • 22. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas Identificar necessidades Agrupá-las e classificá-las Definir requisitos Valorar os requisitos
  • 23. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas Necessidades identificadas são escritas em Identificar necessidades requisitos Agrupá-las e classificá-las Definir requisitos Valorar os requisitos
  • 24. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas Necessidades identificadas são escritas em Identificar necessidades requisitos  Desempenho funcional Agrupá-las e classificá-las Definir requisitos Valorar os requisitos
  • 25. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas Necessidades identificadas são escritas em Identificar necessidades requisitos  Fatores humanos Agrupá-las e classificá-las Definir requisitos Valorar os requisitos
  • 26. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas Necessidades identificadas são escritas em Identificar necessidades requisitos  Confiabilidade Agrupá-las e classificá-las Definir requisitos Valorar os requisitos
  • 27. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas Necessidades identificadas são escritas em Identificar necessidades requisitos  Ecologicamente correto Agrupá-las e classificá-las Definir requisitos Valorar os requisitos
  • 28. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas Identificar necessidades Agrupá-las e classificá-las Definir requisitos Valorar os requisitos
  • 29. 5 Identificar os requisitos do cliente  A ideia por trás desta análise é identificar necessidades que surpreendam os clientes  Atividades a serem realizadas  Os diferentes requisitos são valorados Identificar necessidades  Isto significa atribuir pesos com Agrupá-las e classificá-las relação à sua importância  Fase de julgamento (subjetiva) Definir requisitos Valorar os requisitos
  • 30. 6 Definir os requisitos do produto
  • 31. 6 Definir os requisitos do produto  Os requisitos do cliente já definidos ainda não têm características mensuráveis do produto  Deve-se buscar agora uma linguagem técnica de engenharia (dizer em números)
  • 32. 6 Definir os requisitos do produto  Os requisitos do cliente já definidos ainda não têm características mensuráveis do produto  Deve-se buscar agora uma linguagem técnica de engenharia (dizer em números) Requisito do cliente Requisito do produto  Quantidade de portas  Conexão universal  Drivers na internet  Plug and play Fácil instalação  Software tutorial
  • 33. 6 Definir os requisitos do produto  Definidos os requisitos do produto, deve-se verificar se atendem os requisitos dos clientes  No exemplo anterior, qual requisito definido levava a uma impressora mais fácil de instalar?
  • 34. 6 Definir os requisitos do produto  Definidos os requisitos do produto, deve-se verificar se atendem os requisitos dos clientes  No exemplo anterior, qual requisito definido levava a uma impressora mais fácil de instalar? Plug and Play
  • 35. 7 Definir especificações-meta do produto
  • 36. 7 Definir especificações-meta do produto  São parâmetros quantitativos e mensuráveis que o produto projetado deverá ter  Além de unidades, deverão haver valores-meta  Nesse momento deve haver uma identificação de correlação entre os requisitos do produto
  • 37. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment)
  • 38. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment) Matriz de Correlação 7 Requisitos 4 do Produto 1 2 5 3 Importância Requisitos Matriz de Benchmark dos Clientes Relacionamentos Competitivo Quantificação dos 6 Requisitos do Produto
  • 39. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment) Matriz de Correlação 7 Requisitos 4 do Produto 1 2 5 3 Importância Requisitos Matriz de Benchmark dos Clientes Relacionamentos Competitivo Quantificação dos 6 Requisitos do Produto
  • 40. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment) Matriz  Consiste nos “quês” de Correlação 7 Requisitos do Produto 4  O que os clientes esperam que o produto faça 1 2 5 3  Utilidade do produto Importância Requisitos Matriz de Benchmark dos Clientes Relacionamentos Competitivo Quantificação dos 6 Requisitos do Produto
  • 41. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment) Matriz de Correlação 7 Requisitos 4 do Produto 1 2 5 3 Importância Requisitos Matriz de Benchmark dos Clientes Relacionamentos Competitivo Quantificação dos 6 Requisitos do Produto
  • 42. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment) Matriz  Pesos de cada um dos de Correlação 7 requisitos do cliente Requisitos 4 do Produto 1 2 5 3 Importância Requisitos Matriz de Benchmark dos Clientes Relacionamentos Competitivo Quantificação dos 6 Requisitos do Produto
  • 43. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment) Matriz de Correlação 7 Requisitos 4 do Produto 1 2 5 3 Importância Requisitos Matriz de Benchmark dos Clientes Relacionamentos Competitivo Quantificação dos 6 Requisitos do Produto
  • 44. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment) Matriz  Comparação do produto de Correlação 7 com os concorrentes Requisitos 4 do Produto  Dá uma medida de posição 1 2 5 3 no mercado Importância Requisitos Matriz de Benchmark dos Clientes Relacionamentos Competitivo Quantificação dos 6 Requisitos do Produto
  • 45. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment) Matriz de Correlação 7 Requisitos 4 do Produto 1 2 5 3 Importância Requisitos Matriz de Benchmark dos Clientes Relacionamentos Competitivo Quantificação dos 6 Requisitos do Produto
  • 46. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment) Matriz  Refere-se ao produto de Correlação 7 atendendo o cliente Requisitos 4 do Produto  São os “comos” 1 2 5 3 Importância Requisitos Matriz de Benchmark dos Clientes Relacionamentos Competitivo Quantificação dos 6 Requisitos do Produto
  • 47. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment) Matriz de Correlação 7 Requisitos 4 do Produto 1 2 5 3 Importância Requisitos Matriz de Benchmark dos Clientes Relacionamentos Competitivo Quantificação dos 6 Requisitos do Produto
  • 48. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment) Matriz  São feitas as correlações de Correlação 7 entre “quês” e “comos” Requisitos 4 do Produto  As relações podem existir 1 2 5 3 ou não Importância Requisitos Matriz de Benchmark dos Clientes Relacionamentos Competitivo  Se existem, podem ser fracas ou fortes Quantificação dos 6 Requisitos do Produto
  • 49. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment) Matriz de Correlação 7 Requisitos 4 do Produto 1 2 5 3 Importância Requisitos Matriz de Benchmark dos Clientes Relacionamentos Competitivo Quantificação dos 6 Requisitos do Produto
  • 50. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment) Matriz  Essa quantificação formará de Correlação 7 o conjunto de especificações Requisitos do Produto 4 do produto em projeto 1 2 5 3 Importância Requisitos Matriz de Benchmark dos Clientes Relacionamentos Competitivo Quantificação dos 6 Requisitos do Produto
  • 51. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment) Matriz de Correlação 7 Requisitos 4 do Produto 1 2 5 3 Importância Requisitos Matriz de Benchmark dos Clientes Relacionamentos Competitivo Quantificação dos 6 Requisitos do Produto
  • 52. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment) Matriz  Relação existente entre os de Correlação 7 requisitos do produto Requisitos 4 do Produto  Pode ser positiva ou 1 2 5 3 negativa Importância Requisitos Matriz de Benchmark dos Clientes Relacionamentos Competitivo  Se negativa, cuidado deve- se ter com os trade-offs Quantificação dos 6 Requisitos do Produto
  • 53. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment)  Comparação entre QFD e as atividades de Projeto informacional
  • 54. 7 Definir especificações-meta do produto  Uma das técnicas mais conhecidas é o QFD (Quality Function Deployment)  Comparação entre QFD e as atividades de Projeto informacional N Campo do QFD Atividades de Projeto Informacional 1 Requisito dos clientes 2 Importância dos requisitos Identificar requisitos dos clientes do produto 3 Benchmarking 4 Requisitos do produto Definir os requisitos do produto 5 Correlação entre (1) e (4) Valor-meta dos requisitos 6 do produto Definir especicações-meta do produto 7 Correlação entre (7) e (7)
  • 55. Projeto informacional Macrofase de Desenvolvimento (continuação) Universidade Federal da Paraíba Campus I – Centro de Tecnologia Curso de Graduação em Engenharia de Produção Prof. MSc. Marcel de Gois Pinto

×