Principais tipos de chuvas[1]

18,271 views

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
18,271
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
68
Actions
Shares
0
Downloads
324
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Principais tipos de chuvas[1]

  1. 1. Principais tipos de chuvas Distribuição da precipitaçãoem Portugal – tipos de chuvas mais frequentes
  2. 2. Condições necessárias à ocorrência de precipitação • Subida do ar; • Arrefecimento do ar; • Subida da humidade relativa; • Atinge-se o ponto de saturação do ar; • Ocorre a condensação do vapor de água em excesso; • Formam-se nuvens; • Ocorre precipitação
  3. 3. • Precipitação Orográfica ou de Relevo
  4. 4. Precipitação convectiva
  5. 5. Chuvas ciclónica
  6. 6. Chuvas Frontais
  7. 7. I nV ve er rã no o
  8. 8. Tipos de chuva mais frequente em Portugal• Chuvas Frontais • Chuvas de relevo • A Barreira de condensação• A deslocação da frente polar formada pelo conjunto , para sul,em latitude, provoca montanhoso Gerês, Alvão, queda de precipitação em Marão, explicam a secura do Portugal, principalmente noroeste transmontano e a durante o Inverno. precipitação no noroeste atlântico, Minho.
  9. 9. •A precipitação média anual em Portugal Continental éde cerca de 900 mm, apresentando grandevariabilidade espacial, com os maiores valoresobservados no Minho (3000 mm), e os menoresinferiores a 400 mm, numa região restrita da BeiraInterior (a sul do Douro) e mais extensivamente nointerior do Alentejo, com valores inferiores a 600 mm .•A precipitação é mais intensa a norte do que a sul,mais no litoral do que no interior.•Os máximos de precipitação coincidem com asregiões de maior altitude.•Em média, cerca de 42% da precipitação anual ocorredurante o Inverno (Dezembro a Fevereiro), enquantoque os valores mais baixos de precipitação ocorremdurante o Verão (Junho a Agosto), correspondendoapenas a 6% do total de precipitação anual. Asestações de transição, Primavera (Março a Maio) eOutono (Setembro a Novembro), apresentam umadistribuição interanual muito variável.
  10. 10. Causas da variação sazonal da precipitaçãoOutono e Inverno• Influência das baixas pressões Primavera e Verão subpolares • Afastamento para norte• Influência dos sistemas dos sistemas frontais e frontais deslocados para sul depressões subpolares• Baixa temperatura que leva o • Influência do anticiclone ar a saturar mais rapidamente dos Açores • Altas temperaturas que afastam o ar da saturação • Influência da massa de ar tropical seca
  11. 11. Causas da variação espacial da precipitação• Posição do país em latitude: o norte esta durante mais tempo sob a influência das baixas pressoes subpolares e perturbações frontais; o sul está mais tempo sob a influência do anticiclone dos açores (anticiclone subtropical).• Altitude• Orientação das vertentes• Continentalidade• Correntes marítimas
  12. 12. • Professora Iolanda Paredes
  13. 13. Chuvas Frontais• Chuva que resulta do encontro de duas massas de ar com características diferentes de temperatura e humidade. Desse encontro, a massa de ar quente sobe, o ar arrefece, aproximando-se do ponto de saturação, dando origem à formação de nuvens e consequente precipitação.São do tipo chuvisco à passagem de uma frente quente ou do tipo aguaceiro, à passagem da frente fria. São chuvas características das zonas de convergência, isto é, das zonas de baixas pressões e, por isso, é este tipo de chuvas que predominam nas regiões temperadas, principalmente no Inverno.
  14. 14. Chuva orográfica ou de relevo• Chuva que resulta de uma subida forçada do ar quando, no seu trajecto, se apresenta uma elevação.O ar ao subir, arrefece, o ponto de saturação diminui, a humidade relativa aumenta e dá-se a condensação e consequente formação de nuvens, dando origem à precipitação.• São frequentes nas áreas de relevo acidentado ao longo das vertentes do lado de onde sopram ventos húmidos.• As chuvas de relevo são frequentes em Portugal,principalmente na Barreira de Condensação (Gerês, Marão, etc.)
  15. 15. Chuvas convergentes ou ciclónicas• Chuva que resulta de uma descida da pressão à superfície terrestre, originando a ascensão do ar, que assim arrefece e se aproxima do ponto de saturação, aumentando a humidade relativa e consequente condensação e precipitação.Esta chuva manifesta-se de forma intensa e é de curta duração (podem durar apenas 10 minutos). São típicas da região intertropical, nomeadamente equatorial, e de Verão no interior dos continentes, devido às altas temperaturas.
  16. 16. Chuvas convectivas• Chuva que resulta de um sobreaquecimento da superfície terrestre, originando a ascensão do ar, que assim arrefece e se aproxima do ponto de saturação, aumentando a humidade relativa e consequente condensação e precipitação.Esta chuva manifesta-se de forma intensa e é de curta duração (podem durar apenas 10 minutos).São típicas da região intertropical, nomeadamente equatorial, e de Verão no interior dos continentes, devido às altas temperaturas.

×