Visões sobre Lean & Agile - Victor Hugo & Manoel Pimentel

4,125 views
3,974 views

Published on

Apresentação Visões sobre Lean & Agile realizada por Victor Hugo & Manoel Pimentel no evento de lançamento da InfoQ Brasil, no dia 01 de novembro de 2008 em São Paulo(SP)

Published in: Business
0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,125
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,112
Actions
Shares
0
Downloads
263
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Visões sobre Lean & Agile - Victor Hugo & Manoel Pimentel

  1. 1. Visões sobre Lean & Agile Por: Victor Hugo Germano Agilista, Editor Revista Visão Ágil e InfoQ & Manoel Pimentel Medeiros, CSP Medeiros 1 Agile Coach, Diretor Editorial da Revista Visão Ágil e InfoQ
  2. 2. Agilidade 2
  3. 3. Qual a sua agilidade? Lebre Tartaruga 3
  4. 4. Mas... 4
  5. 5. O desafio Agile Processo: Game, PreGame, PostGame, Sprint Planning Meeting,Sprint Retrospective, Daily Meeting, Sprints, Planning Pocker Ferramentas: Product Baklog, Sprint Backlog, Stories, Post-Its, BurnDown, KanBan Pessoas: Product Owner, ScrumMaster, Time. Cultura: Auto-Gerenciamento, time multi-disciplinar, envolvimento do cliente, comprometimento, papéis, entregas frequentes, liderança, colaboração, Respeito, etc. 5
  6. 6. Gestão Ágil 6
  7. 7. O Processo Ágil ● Ter uma lista priorizada de requisitos de negócios; ● Ter uma equipe coesa, dedicada e multidisciplinar. ●Trabalhar mais cedo possível nos requisitos de maior prioridade (valor de negócio) ● Entregar pequenas versões em iterações curtas (2 a 4 semanas) ●Sincronizar as atividades diariamente através de uma reunião breve e objetiva. ● Demonstrar o incremento de produto ao final da iteração ● Fomentar feedback e licões aprendidas ao final de uma iteração ●Atualizar e Repriorizar os requisitos mediante o feedback e aprendizado recente. 7
  8. 8. Princípios da Gestão Ágil Fluxo contínuo de Entregas Responder às mudanças Feedback Constante 8
  9. 9. Evolução iterativa de um produto PreGame (Concepção e Planejamento) Sprint 1 Necessidade Visão Aprendizagem Incremento do Produto Sprint 2 Sprint 3 Aprendizagem Incremento do Produto Aprendizagem Incremento do Produto 9
  10. 10. Melhoria Contínua Funcionou bem? Precisa Melhorar? x x x x x x x x 10
  11. 11. Lean na visão da TPS 11
  12. 12. Ferramentas Lean (TPS) O TPS - Toyota Production System - também chamado de Produção Enxuta e Lean Manufacturing, surgiu no Japão, na Toyota. O sistema objetiva aumentar a eficiência da produção pela eliminação contínua de desperdícios. Fonte: Wikipédia 12
  13. 13. O que é Lean Realizar mais ● o que importa, eliminando o que não importa. ● elegantes são criadas Trabalha com a idéia que soluções através da simplicidade. 13
  14. 14. O que NÃO é Lean Não é apenas REDUÇÃO DE CUSTOS; ● Não é apenas REDUÇÃO DA FORÇA DE TRABALHO ● Não é explorar fornecedores para conseguir melhores PREÇOS; ● Não é só um PROCESSO DE PRODUÇÃO ● Resumo: ● ● Lean é uma Estado de Espírito ou Maneira de Pensar. ● É Observável, mas intangível. ● Vai contra a nossa natureza de sempre acumular mais e mais coisas. 14
  15. 15. Os 3 tipos da COMPLEXIDADE Inconsistência – Coisas irregulares, inadequadas ou não uniformes. ● Sobregarga - Cargas excessivas de trabalhos ou irracionais. ● ●Desperdício – Coisas que esgotam as fontes de tempo, empenho, espaço e dinheiro. 15
  16. 16. Algumas Ferramentas TPS Kanban - Placa visível para comunicar status dentro um processo. ● Heijunka - Nivelamento da Produção. ● ●Kaizen - quot;kaiquot; significa quot;mudançaquot; ou quot;ato de correçãoquot; e quot;zenquot; significa quot;bomquot; – ou seja, melhoria contínua. ●Poka-Yoke - É um dispositivo físico de controle para controle de qualidade, que é acionado automaticamente quando há algum erro ou defeito no processo de produção. Hansei - Reflexões profundas em busca da melhoria contínua. ● 16
  17. 17. KanBan para visibilidade dos resultados do projeto Backlog Pendentes Iniciadas Inspeção/Teste Finalizadas N N I E N N N I N N Item N N N N N N N E N I E N Exemplo de Comunicação com Kanban (Lean) 17
  18. 18. Produção puxada através do KanBan Exemplo da Aplicação do Lean/KanBan num Lead Time da área de desenvolvimento de um Banco Privado* em Brasília (DF) * Cliente de Manoel Pimentel *Agradecimento especial a Cristian Ramos e sua equipe de Arquitetura 18
  19. 19. Lean Thinking Desenvolvimento de Software 19
  20. 20. Lean Thinking – Mudar é Preciso ● Mercado é mais rápido que especificação ou requisito ● Dificuldade de Adaptação ● Controle rígido de Escopo ● Tomada de Decisão Centralizada ● Qualidade sempre opcional http://flickr.com/photos/dirgon/446839052/ 20
  21. 21. Lean Thinking - Princípios ● Elimine desperdícios ● Construa com Qualidade ● Entregue Rápido ● Respeite as Pessoas ● Crie Conhecimento ● Adie Comprometimentos ● Otimize o Todo 21
  22. 22. Desenvolvimento de Software Lean Foco na habilidade de gerar valor neste instante, sem afetar negativamente a habilidade de gerar valor rapidamente no futuro Essenciais ● Qualidade ● Baixo Custo ● Velocidade 22
  23. 23. Lean Thinking – Elimine Desperdícios ● Trabalho in progress ● Funcionalidades a mais ● Processos demais ● Multitarefa nociva ● Defeitos ● Atrasos 23
  24. 24. Como é a sua atuação no desenvolvimento de software? 24
  25. 25. Lean Thinking – Construa com Qualidade 25
  26. 26. Lean Thinking – Construa com Qualidade E você? Pularia? Qualidade não se discute! 26
  27. 27. Lean Thinking – Entregue Rápido ● Amplie vantagem competitiva através da Velocidade ● Reduza o tempo de espera entre processos ● Limite-se à sua capacidade ● Use Agendamento PULL 27
  28. 28. Lean Thinking – Respeite as pessoas ● Liderança ● Poder de decisão compartilhado ● Planejamento e Controle: Responsabilidade ● Orgulho, Confiança e Comprometimento ● ● ● 28
  29. 29. Lean Thinking – Crie Conhecimento Padrões existem para serem questionados Use o Método científico: ● Estabeleça hipóteses ● Experimente ● Escolha a melhor opção Recolha informações para responder rapidamente à mudança Planning is useful. Learning is essential 29
  30. 30. Integração Contínua 30
  31. 31. Integração Contínua – Era uma vez... “No final do projeto é só juntar tudo e liberar a versão” Riscos Importantes ● Dependências de subsistemas ● Incompatibilidade de interfaces ● Testes insuficientes Resultados ● Atrasos ● Correções a facão ● Caos e Estresse instalados 31
  32. 32. Integração Contínua – E se... Mitigar riscos ● Automatização de processos repetitivos ● Gerar Software funcionando desde o início Por quê? ● Ampliar a confiança no produto ● Ampliar a visibilidade do projeto 32
  33. 33. Integração Contínua Ciclo Virtuoso da IC - Pedido é encaminhado pelo usuário ' - Desenvolvido pelo time - Código é compilado em um servidor à parte - Todos os testes do sistema são executados - É feita a análise da qualidade do código - Relatórios de Feedback são gerados - Se tudo OK, software está pronto para o usuário 33
  34. 34. Mudar não é necessário, A Sobrevivência é opcional Willian Deming 34
  35. 35. Obrigado! victorhg@gmail.com manoel@visaoagil.com 35

×