Cidades sustentabilidade urbana
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Cidades sustentabilidade urbana

on

  • 1,605 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,605
Views on SlideShare
1,404
Embed Views
201

Actions

Likes
2
Downloads
34
Comments
0

4 Embeds 201

http://manjosgeografiaa.blogspot.com 75
http://manjosgeografiaa.blogspot.pt 70
http://www.manjosgeografiaa.blogspot.pt 32
http://www.manjosgeografiaa.blogspot.com 24

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Cidades sustentabilidade urbana Cidades sustentabilidade urbana Presentation Transcript

  • No âmbito da disciplina de Geografia CLeccionada pela: Dra. Maria dos Anjos Poeira Elaborado por: Catarina Cunha, Maria Gomes, Mariana Saraiva, Sara Francisco e Vanessa Simões 12ºD Seia, 29 de Maio de 2011
  • IntroduçãoPrograma POLIS Castelo Branco ChavesConclusãoBibliografia 2
  • Este trabalho foi proposto no âmbito da disciplina de GeografiaC, pela professora Mª dos Anjos Poeira. Trata-se de um trabalho de grupo acerca da temática“Sustentabilidade Urbana” e tem como base a proposta C do livrode actividades “Cliques para os Alunos”. Este tema encontra-seintegrado no conteúdo programático leccionado no Capítulo IV –Mundo de Contrastes. 3
  • A vida humana e as suas organizações mais complexas, ascidades, vêem-se ameaçadas pelo aumento das incertezas daresposta da Terra aos impactos do Homem e das suasactividades. Os sistemas que maior impacto provocam aos ecossistemas daTerra são, sem dúvida, as cidades. Assim, surge a necessidade de encontrar uma estratégia quenão se baseie num consumo de recursos e cujo modelo deorganização urbana reduza o impacto produzido sobre ossistemas terrestres. 4
  • “Os conceitos de “sustentabilidade urbana” e de “desenvolvimentourbano sustentável” não têm carácter universal mas variam deacordo com as comunidades, com as suas realidadeseconómicas, sociais e ambientais, com os seus valores e atitudesligados às suas características culturais.” Maria Manuela Malheiro Dias Ferreira, Universidade Aberta Fonte:http://www.greensavers.pt/2010/10/28/%E2%80%9Ca-sustentabilidade- urbana-tem-uma-surpreendente-actualidade-empresarial%E2%80%9D Sustentabilidade Urbana – Protótipo de uma Cidade Sustentável 5
  • Cidade Sustentável Definição: Para muitos autores, o conceito “cidade sustentável” encerra uma contradição irresolúvel. Cidade Sustentabilidade As cidades são, por definição, O princípio da sustentabilidade, por sistemas complexos que sua vez, está associado à auto- dependem de factores suficiência, implicando o consumo e a externos. eliminação de resíduos no mesmoNUNES, Raquel - Sustentabilidade Urbana, espaço.Desafios do Homem Moderno NUNES, Raquel - Sustentabilidade Urbana, Desafios do Homem Moderno 13
  • Face à nova realidade dos centos urbanos, tornou-se necessárioprojectar o termo “desenvolvimento sustentável”. Equilíbrio sócio - ambiental que serve de base a uma nova organização social que necessita de ser estabelecida para a sobrevivência humana.Se as cidades ocupam a maior parte do planeta, então o futurodo planeta passa pelas cidades…sustentáveis. 14
  • “Uma cidade sustentável está organizada de modo a que todosos seus habitantes possam satisfazer as necessidades básicase aumentar o seu bem-estar sem danificar o mundo natural oupôr em risco as condições de vida de outros, agora e nofuturo” “Creating Sustainable Cities, Green Books”. 15
  • Carta de Leipzig sobre Cidades Europeias Sustentáveis (Maio 2007) Os 27 Estados-Membros definiram, pela primeira vez, o modelo ideal de cidade para a Europa do século XXI; Acordaram estratégias comuns para uma política integrada de desenvolvimento urbano, que combina todas as políticas relevantes da UE e envolve os actores a todos os níveis – local, regional, nacional e comunitário. 16
  • (prosperidade económica, equilíbrio Economias Desenvolvimento sustentável social e ambiente saudável) locais viáveis Comunidades justas, pacíficas e segurasCarta de Leipzig Cidades Eco - eficientes Comunidades e cidades resilientes 17
  • Fonte: http://cidadesustentavel.ning.com/18
  • “Novo Urbanismo” Tornar bonito o crescimento Prevenir e controlar o crescimento e expansão urbana. 19
  • Limitar as autorizações de construções Impor limites ao crescimento urbano Promover estudos de impacte ambientalMedidas Enquadrar o crescimento da cidade dentro do planeamento regional Preservar a existência de espaços públicos abertos Criar cinturas verdes à volta das cidades 20
  • Orientar o crescimento urbano ao longo de vias de comunicação com grande incidência de transportes públicosMedidas Promover a construção de áreas habitacionais em forma de cluster, permitindo assim que cerca de 30% a 50% da área fique livre para parques, caminhos pedonais, etc. 21
  • Freiburgo, no sudoeste da Alemanha, é considerada comocidade 100% sustentável: Meios de transporte de baixoimpacto ambiental; Residências sustentáveis; Fonte: http://casadetaipa.wikidot.com/start Educação ecológica desde oensino básico e uma urbanizaçãoque possibilita toda estaintegração. Vila Solar em Freiburg, Alemanha 22
  • Requalificação Urbana e Valorização Ambiental das CidadesPortuguesas: o Programa POLIS O Programa POLIS é uma intervenção recente de política pública com grande visibilidade no domínio da requalificação urbana e valorização ambiental das cidades em Portugal. Esta iniciativa teve início formal em 15 de Maio de 2000. 24
  • O programa POLIS tem como objectivos específicos: Desenvolver grandes operações integradas de requalificação urbana com uma forte componente de valorização ambiental; Desenvolver acções que contribuam para a requalificação e revitalização de centros urbanos e que promovam a multifuncionalidade desses centros; 25
  • Apoiar outras acções de requalificação que permitam melhorara qualidade do ambiente urbano e valorizar a presença deelementos ambientais estruturantes tais como frentes de rio oude costa;Apoiar iniciativas que visem aumentar as zonas verdes,promover áreas pedonais e condicionar o trânsito automóvelem centros urbanos. Fonte: http://www.polis.maotdr.gov.pt/ Logótipo do Programa POLIS 26
  • 1ª Fase: foram seleccionadas 18 cidades; Com base num concurso nacional2ª Fase: foram escolhidas10 cidades.O Programa de Requalificação Urbana eValorização Ambiental das Cidades passoua abranger 28 cidades. 27
  • Cidades objecto de Aintervenções doprograma POLIS.A) As cidades apoiadaspelo POLIS no Norte. POLIS 1ª Fase POLIS 2ª Fase 28
  • B) As cidades apoiadas Bpelo POLIS no Centro. POLIS 1ª Fase POLIS 2ª Fase 29
  • C) As cidades apoiadas Cpelo POLIS no Litoral, noAlentejo. POLIS 1ª Fase POLIS 2ª Fase 30
  • D) As cidades apoiadas Dpelo POLIS no Algarve. POLIS 1ª Fase POLIS 2ª Fase 31
  • Branco.svg.png&imgrefurl=http://pt.wikipedia.org/wiki/Castelo_Branco&usg=__lR40iU3CVuoGPPFHrvOUVSlXPCw= Fonte: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/b/b8/LocalCasteloBranco.svg/250pxLocalCastelo Castelo Branco é a capital do Distrito de Castelo Branco. Situa-se na região Centro (Beira Baixa) e na sub-região da Beira Interior Sul. Tem cerca de 30 649 habitantes. &h=36Mapa dos concelhos de Portugal, destacando-se CasteloBranco 33
  • Principais objectivos: Revitalização do centro tradicional; Intervenção enquadradora e estratégica de acções a decorrer, como a recuperação do Quartel e do Cine – Teatro, e o tratamento dos acessos ao centro; 34
  • Requalificação urbana e ambiental do Centro Cívico junto àCâmara Municipal, como elemento estruturante do espaço públicoe ligação ao centro tradicional;Libertar o Centro Cívico do trânsito automóvel à superfíciepermitindo a constituição de um contínuo pedonal até à zonahistórica. 35
  • O programa Polis em Castelo Branco, procura a requalificação e arevitalização do centro cívico.São exemplos de lugares públicos que formam modificados aoabrigo do programa Polis: - Zona da Devesa; - Ex – Quartel; - Castelo e Miradouro de S. Gens. 36
  • Todo o Centro Cívico verá a sua acessibilidade rodoviária melhororganizada, quer introduzindo-se um grande Parque deEstacionamento Subterrâneo, quer eliminando-se duas viasque, actualmente atravessam esta zona. Fonte: http://www.igogo.pt/jardim-do-paco/ Vista do Jardim da Devesa 37
  • O que possibilitará a transformação desse amplo espaço numagrande rotunda giratória, sendo para tal necessário intervir ao níveldos pisos, passeios, sentidos de tráfego e sinalética. 38
  • Será também construído um túnel na Rua José Bento, frente àCapela da Sra. da Piedade e a Rua do Saibreiro, bem como umparque de estacionamento subterrâneo.À superfície nascerão alguns edifícios de utilização mista –comércio, serviços e habitação – serão criadas novas zonas deestar, com intervenção ao nível dos pavimentos, iluminação emobiliário urbano. 39
  • O Espaço do Ex-Quartel Fonte:http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/b/b8/LocalCasteloBranco.svg/250pxLocalCasteloBranco.svg receberá o equipamento de peso cultural – Centro de Cultura Contemporânea - , estando previsto um grande espaço destinado a funções expositivas e culturais / centro de arte moderna, auditório para música de câmara, pista de gelo e cafetaria. .png&imglVista do Antigo Quartel 40
  • Na retaguarda deste amplo espaço cultural nascerá umaBiblioteca Municipal, equipada com centro multimédia, livrarias eoutras lojas ligadas à actividade cultural, bem como umCybercentro, local privilegiado para divulgação e utilização denovas tecnologias.Prevê-se ainda a criação de um espaço verde em frente elateralmente a estes equipamentos. 41
  • Castelo: No Castelo, será requalificada a Muralha e todo o espaço público, com instalação de equipamentos de restauração que darão maior actividade ao local. Transformar este espaço num local de agradável estadia implicará também a recuperação de espaços verdes e a redefinição do percursos. 42
  • Miradouro de S. Gens: Para alcançar o castelo a melhor opção será a subida pelo Miradouro de S. Gens. Por isso, a projecto propõe a: – redefinição da plataforma de observação sobre a cidade; – instalação de novo mobiliário urbano; – colocação de sinalética, painéis informativos e iluminação; – intervenção ao nível dos pavimentos. 43
  • Chaves Chaves pertence ao Distrito de Vila Real, com cerca de 19300 habitantes. É sede de um município com 590,42 km² de área e 44 186 habitantes (2006), subdividido em 51 freguesias. http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=575961 O município é limitado a norte pela Espanha, a leste pelo município de Vinhais, a sudeste por Valpaços, a sudoeste por Vila Pouca de Aguiar e a oeste por Boticas e Montalegre.Localização de Chaves 45
  • Chaves O Programa Polis na Cidade de Chave abrange uma área 351hectares. Este hectares encontra-se nas margens do Rio Tâmega, pois aintervenção está na sua requalificação, devolvendo ao rio o seupapel estruturante da cidade. Esta intervenção tinha como objectivo, actuar nos EspaçosPúblicos e desenvolver as Áreas Verdes. 46
  • Chaves Nesta requalificação foram realizadas nove empreitadas, sendotrês delas dizem respeito apenas às margens do rio. As outras sete foi a requalificação de espaços já existente. Sãoeles: Requalificações • Jardim do Tabolado; • Recuperação da envolvente do Forte de S. Francisco; • Recuperação do Forte de S.Neutel e envolvente; 47
  • Chaves • Jardim Público;Requalificações • Margens do Rio Tâmega (com 3 empreitadas distintas); • Parque Multiusos de St.ª Cruz; • Ponte pedonal sobre o Rio Tâmega. 48
  • Chaves Fonte: http://chaves.blogs.sapo.pt/330894.htmlJardim do Tabulado Forte de S. Neutel Forte de S. Francisco 49
  • Chaves Fonte: http://chaves.blogs.sapo.pt/330894.htmlJardim Público Ponte Pedonal sobre o Rio Tâmega 50
  • Margens do Tâmega Chaves Fonte: http://chaves.blogs.sapo.pt/330894.html51
  • A implementação da sustentabilidade urbana implica a melhoriada qualidade de vida e a redução dos impactes ambientais dascidades, quer ao nível da produção de resíduos, quer doconsumo de recursos externos à cidade.O processo para a criação de cidades sustentáveis assenta nacriatividade e na mudança, pondo em causa a acção tradicionaldas autoridades, procurando novas competências e relaçõesorganizativas e institucionais.Assim, o sonho da cidade do futuro persiste, ainda longínquo,percorrendo caminhos que exigem longas e consequentescaminhadas. 52
  • LOPES, António; CARVALHO, Marco – Global.com: Geografia C 12º ano. 1ª Edição. Porto: Porto Editora, 2009. 978 – 972 – 0 – 41802 - 9NUNES, Raquel - Sustentabilidade Urbana, Desafios do Homem Moderno [em linha]. [s.l], actual. 26 de Set. 2008. [Consult. 5 de Maio. 2011]. Disponível na WWW:URL:http://www.ecologiaurbana.com.br/ecologia-urbana/sustentabilidade-urbana- desafios-homem-modernoPolis de Castelo Branco é “exemplo nacional” [Em linha]. Covilhã: Notícias da Covilhã. Fernando Brito, 2009. [12/05/2011]. Disponível na [http://www.noticiasdacovilha.pt/pt/artigos/show/scripts/core]Polis Castelo Branco - Nova Biblioteca Municipal abre já em Abril [Em linha]. Castelo Branco: Copyright, 2007. [Consult. 12/05/2011]. Disponível na [http://centrodeportugal.blogspot.com/2007/03/polis-castelo-branco-nova-biblioteca.html] 53
  • QUEIRÓS, Margarida e Vale Mário. Ambiente Urbano e Intervenção Pública: O Programa POLIS [em linha] [Consult. 2 de Maio 2011]. Disponível em WWW<URL: http://www.apgeo.pt/files/docs/CD_X_Coloquio_Iberico_Geografia/pdfs/047.pdf[s.a] - Cidades Sustentáveis: As Cidades do Futuro [em linha]. [s.l], actual. 31 Março 2010. [Consult. 7 de Maio 2011]. Disponível na WWW:URL:http://www.camarasverdes.pt/tema-especial/442-cidades- sustentaveis-as-cidades-do-futuro.html 54