O Despertar – 8127 – 19.04.2002
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

O Despertar – 8127 – 19.04.2002

  • 6,395 views
Uploaded on

Versão integral da edição n.º 8127 do bi-semanário “O Despertar”, que se publica em Coimbra. Ao tempo dirigido por Artur Almeida e Sousa. Edição comemorativa dos 85 anos. Jornal fundado em 1917.......

Versão integral da edição n.º 8127 do bi-semanário “O Despertar”, que se publica em Coimbra. Ao tempo dirigido por Artur Almeida e Sousa. Edição comemorativa dos 85 anos. Jornal fundado em 1917. 19.04.2002.

More in: Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
6,395
On Slideshare
6,387
From Embeds
8
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
50
Comments
0
Likes
0

Embeds 8

http://www.slideshare.net 8

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Este suplemento faz parte integrante da edição especial do N.º 8127 de 19 de Abril de 2002 FUNDADO EM 1917 Director: Artur Almeida e Sousa BI-SEMANÁRIO REPUBLICANO INDEPENDENTE 85 anos Caderno de aniversário 44 páginas COMERCIALIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS NA ÁREA DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E GESTÃO DOCUMENTAL THE DOCUMENT COMPANY COPIADORES ARQUIVO DIGITAL IMPRESSORAS GESTÃO DOCUMENTAL FAX’S GRANDES FORMATOS CONSUMÍVEIS MULTIFUNCIONAIS Coimbra: Av. Fernão de Magalhães, 450 Telef.: 239 827 047 Aveiro: Rua de Anadia, 16 Aveiro Telef.: 234 420 632 E-mail: xenax.comercial@ip.pt
  • 2. inquérito Conimbricenses dizem o que pensam sobre a informação Jornais regionais vistos por quem os lê Apesar das dificuldades com que se têm deparado tanto os jornais regionais como os nacionais, os meios de informação escrita regionais têm vindo a melhorar. Esta é apenas uma das muitas conclusões que se pode tirar do inquérito de rua que “O Despertar” fez, aleatoriamente, a cerca de três dezenas de conimbricenses. Apesar das opiniões controversas e muito diversificadas sobre os jornais da região, a importância e influência que eles exercem é inegável. Assumindo-se, muitas vezes, como “defensores e porta-voz” dos problemas da zona geográfica em que se enquadram, alguns jornais regionais pecam, no entanto, segundo alguns dos entrevistados, pela falta de uma informação mais actualizada, mais diversificada, mais profunda e mais independente dos serviços de agenda. Mas, apesar da importância reconhecida da imprensa regional, há ainda quem não tenha por hábito ler jornais e prefira acompanhar os acontecimentos pela televisão. Quem os lê, entende que são imprescindíveis e espera que tenham uma função social mais interventiva. Carolina Almeida 62 anos, empregada de balcão Zilda Monteiro “Costumo. Acho que são bons e que têm vindo a melhorar. Dão uma boa imagem da região.” Sandra Cristina Couto 26 anos, empregada de balcão Hernani Ferreira “Leio pouco, mas gosto muito dos 43 anos, electricista jornais de região. Tem havido uma “Leio quase sempre jornais grande melhoria, o que é gratificante. regionais. Normalmente trazem Como é sabido a imprensa têm-se notícias agradáveis e sempre debatido com grandes dificuldades, interessantes. Penso que deviam nomeadamente devido ao porte trazer mais notícias nacionais mas, pago, e penso que os jornais têm de algum modo, também acho que a sobrevivido à crise com muito mérito sua função é dar preferência ao próprio. Acho que merecem a nossa regional. Acho que têm vindo a confiança e que nos prestam um bom melhorar.” serviço, principalmente os regio- nais.” Lasalette Pereira 52 anos, professora Maria da Piedade “Costumo. Penso que focam sempre 67 anos, doméstica os mesmos assuntos, o que não é “Não costumo ler muito e não tenho muito bom. Gostava de ver mais por hábito comprar jornais. Como focada a parte cultural, a parte não gosto de andar pelos cafés acabo artística porque acho que há muito por ver jornais muito raramente. Mas pouco nesse aspecto. Penso que gosto de estar informada e vejo quase sempre as notícias na televisão. Mas até era preferível não ver, porque só se vêem desgraças.” 85.º 19/04/02
  • 3. inquérito mais actualizada. Mas, mesmo assim, simples título das notícias. Mas isso penso que têm vindo a melhorar.” não impede que, hoje em dia, mesmo os órgãos de âmbito local, se dediquem focam demasiado os anúncios, as Cidália Pinto também profundamente a acolher no notícias publicitárias. Acho que os 55 anos, desempregada seu seio as opiniões diversas, mas com jornais actualmente estão a apostar “Sim, costumo. Quanto a mim, penso realismo e profundidade de análise. demasiado na vertente publicitária. que a informação devia ser mais Eu sigo atentamente toda a imprensa Penso que essa tendência se tem adequada e mais profunda, porque a regional e penso que tem vindo a vindo a agravar nos últimos tempos.” nossa cidade está uma miséria e é melhorar. Julgo que se têm dado preciso que os meios de comunicação passos importantes no melhoramento Célia Pinto funcionem também como forma de quer da imagem quer também da 25 anos, professora alerta. Temos a Alta da cidade numa forma objectiva e realista como aborda “Costumo. Acho que repetem muito miséria, há muita degradação, muita os problemas de natureza local. E, as notícias uns dos outros, focam todos falta de vigilância e muita falta de sobretudo, tem sido uma voz as mesmas coisas. Pelo menos os daqui respeito. Acho que devia haver uma combativa em defesa desses de Coimbra. Devem ter as mesmas maior intervenção, porque as pessoas problemas o que me parece muito fontes porque não há muita novidade. sentem-se inseguras e com medo de importante.” Julgo que não têm evoluído muito, sair à noite. Penso que a comunicação apesar de aparecer um ou outro que social devia também alertar para a Gertrudes Jorge tenta melhorar, pelo menos a nível de problemática que se vive em algumas 66 anos, doméstica grafismo. De resto não têm muita ruas da cidade e funcionar em “Não costumo ler jornais. Não sei qualidade de informação. Acho que as colaboração com as fontes de muito, mas também não gosto muito notícias são muito vagas, muito segurança alertando para a necessidade de ler. Gosto mais de ver as notícias resumidas e há muito pouca de uma maior intervenção. Espero que na televisão. É mais fácil e gosto de diversidade.” isto mude agora com o novo ver as imagens, torna-as mais reais.” presidente, que penso que é um grande Ana Rodrigues presidente, interessado em restaurar a António Pedroso 44 anos, professora Alta e empenhado na cidade. Acho que Desempregado “Leio, até porque a minha formação a comunicação social devia abstrair- “Costumo. Eu gosto dos jornais da assim o exige. Sou professora e, se não -se mais dos serviços de agenda e região mas acho que eles deviam estiver bem informada, corro o risco chamar à atenção da população e dos preocupar-se mais com aquilo que de ser surpreendida pelos alunos que governantes para a necessidade de um preocupa as pessoas, como por actualmente não perdem nada. Gosto trabalho profundo na cidade.” exemplo o desemprego. Estou de ler e acho que os nossos jornais não desempregado e todos os dias desfolho são maus, apesar de, por vezes, Francisco Rodeiro os classificados à procura de alguma aligeirarem os assuntos e não se 49 anos, advogado coisa. Para mim, neste momento, os compreender quais são realmente as “Leio todos os jornais regionais. Penso classificados são, sem qualquer grandes novidades. Mas estou que em regra geral, os meios de dúvida, a parte mais atractiva de satisfeita e, sinceramente, penso que comunicação regionais são de boa qualquer jornal”. têm vindo a melhorar.” qualidade. Expressam com muito rigor os problemas locais e têm uma visão, Maria Adélia António Caneiras embora restrita, do âmbito nacional. 62 anos, doméstica 39 anos, funcionário autárquico Falta-lhes é, por vezes, um noticiário “Não costumo ler jornais regionais. “Leio muito raramente os jornais de âmbito internacional. Hoje com o os órgãos de âmbito regional individualidades de grande capacidade Não tenho hábito. Prefiro acompanhar regionais, mas penso que são problema da globalização as notícias defendem claramente os problemas da intelectual, de análise realista dos os acontecimentos pela televisão.” importantes e a qualidade, para a que ocorrem em muitos países são-nos região embora, obviamente, sem ter problemas que o país atravessa. Falta função que eles exercem, está razoável familiares, dizem-nos muito respeito uma visão paroquial desses mesmos aos órgãos locais esse espaço José Espírito Santo e aceitável. Julgo que têm vindo a e penso que os órgãos regionais problemas. O que falta nos órgãos de vocacionado para questões de debate 58 anos, empresário melhorar, quer em termos de qualidade poderiam - e porque não deveriam - comunicação regional é, por vezes, dos problemas a que todos dizem “Sim, leio com muita frequência. quer em termos de quantidade. Pelo ter um espaço próprio para, embora uma elite intelectual que faça artigos respeito. Isso daria outra credibilidade Acho que dão uma boa imagem da menos aqui na zona Centro tenho-me em síntese, referir alguns aspectos de de opinião, como fazem alguns órgãos e, sobretudo, outra profundidade aos região. Penso que de uma forma apercebido disso. Penso que não estão natureza internacional. Mas de resto a de âmbito nacional, como o “Público” nossos jornais. É certo que hoje os geral as notícias são abordadas com maus. Mesmo em termos de grafismo, qualidade é boa e penso que faz uma o “Diário de Notícias” ou o tempos que correm são tão apressados não há nada que me chame à atenção cobertura muito razoável e aceitável “Expresso”, que são paradigmas da que as pessoas não têm tempo para pela negativa.” das notícias de âmbito local e, imprensa nacional e que se pautam por aprofundar os problemas e acabam por sobretudo, o que eu me apercebo é que chamar a si notoriedades e se satisfazer, muitas vezes, com o Luís Damas 63 anos, reformado “Costumo. Acho que uns são fracos e outros um pouco melhores. Há de tudo. Penso que o que está pior é a nível da informação. Falta informação VELHUSTRO Carlos Manuel Dias COMPRA E VENDA DE VELHARIAS Pátio do Castilho (ao Largo de Almedina) Telefone 239 838 132 3000 COIMBRA António Firmino Baptista & Irmão, Lda. MÁRMORES CANTARIAS GRANITOS ARTE SACRA Castro & Castanheira, L.da. JAZIGOS Concessionário Fiat - Lancia FOGÕES DE SALA Zona Industrial da Pedrulha Apartado 8010 • 3021-901 Coimbra Serração, Oficina e Escritório: Telef: 239 499 300 • Fax: 239 823 768 Rua Rainha Santa Isabel Fig. Foz: Telef: 233 423 205 • Fax: 233 423 206 ZONA INDUSTRIAL DA PEDRULHA Oliv. Hospital: Telef: 238 605 764 • Fax: 238 605 765 Apartado 8079 • Tel. 239 826 519 Cantanhede: Telef./Fax: 231 422 338 • Lousã: Telef./Fax: 239 991 623 Fax 239 493 664 • 3000 COIMBRA E-mail: castro_c@esoterica.pt • www.castroecastanheira.pt 19/04/02
  • 4. inquérito piorar em termos de qualidade e acho que estão a tornar-se cada vez mais repetitivos, todos os dias a falar sobre os mesmos assuntos e a descurarem profundidade e rigor, embora temas que interessam a muita gente, existam assuntos que poderiam ser como por exemplo a parte da melhor tratados, como por exemplo educação. Este é um campo que me o desporto, que acho que deveria ser interessa muito e que tem muito mais aprofundado. Mesmo assim, pouco destaque. Dizem todos a acho que têm vindo a melhorar nos mesma coisa, não aprofundam e, no últimos anos. Houve uma melhoria final, ficamos com as mesmas significativa quando se introduziu a dúvidas e ainda mais baralhados.” concorrência.” Santos Víctor Baptista 66 anos, comerciante 45 anos, administrativo “Costumo ler e sou assinante de “Costumo. Acho que são bons. São alguns. Acho que a nível dos diários bastante informativos e trazem tudo estão um ao nível do outro, apesar aquilo que nos interessa aqui na de achar que “As Beiras” tem melhor região. Penso que têm vindo a qualidade, que trata melhor as melhorar e acho que estão bons, notícias, com outro alcance. Em apesar de nem sempre trazerem relação à evolução, acho têm aquilo que nós gostaríamos, como evoluído muito pouco. Acho que o por exemplo a Académica na I “Diário de Coimbra” está muito Liga…” estacionário há bastante tempo, enquanto que “As Beiras” tem Bruno Gouveia evoluído um pouco mais. Mas em 18 anos relação àquilo que era necessário, “Costumo ler pouco. Penso que acho que os jornais regionais estão alguns são bons, outros nem tanto… ainda muito aquém daquilo que Penso que em alguns assuntos são Coimbra precisa. Em relação à bastante exagerados e nem sempre imprensa não diária não conheço correspondem àquilo que gosta- muito bem, costumo ler só os ríamos de ler. Não sei se se pode dizer diários.” que tenham vindo a melhorar.” mesmo uma vez só. O que interessa fazer bem o processamento de texto encontramos em alguns diários. é que o conteúdo das notícias e que e em que a qualidade da fotografia Penso que os temas são tratados pela João Paulo Cristina Henriques quem as faz tenha uma posição séria, não é nada boa. Acho que a rama, sem grande ou nenhuma 30 anos, funcionário 45 anos, escritora verdadeira e honesta para com o qualidade não é do jornal, depende profundidade e, no jornal que leio da Casa da Sorte “Leio jornais todos os dias. Leio leitor, porque o leitor ao pagar o das pessoas que lá trabalham.” logo de manhã, há poucos assuntos “Costumo ler alguns. Pelo que leio todos os jornais regionais, diários e jornal quer ser bem servido. Noto que despertem o interesse e que aqui na região Centro, penso que não não diários, e leio também alguns que cada vez há uma maior Maria Pais sejam analisados com profundidade. há muita informação e a que há não jornais nacionais. Penso que os discrepância em relação às notícias 72 anos, dona de casa Eu sou da opinião que alguns dos é nada de especial. Penso que a nível jornais de Coimbra precisam de levar e acho também que não há muita “Costumo ler sempre jornais nossos diários se limitam a ver o TV de tratamento de notícias não está uma grande reviravolta porque acho transparência. De um jornal para o regionais. Às sete horas da manhã já Regiões. Eu leio os diários e leio muito mal. Os textos respondem a as notícias muito repetitivas em outro parece que há uma miopia tenho um lido. Penso que temos dois depois também os não diários. Outra muitas das nossas dúvidas e todos os jornais. De um modo geral, social. Em termos de qualidade, acho diários muito diferentes, um coisa que eu acho é que, às vezes, curiosidades. Penso que os jornais o corpo da notícia vai de zero a 20 que é errado pensar que é nos jornais aprofunda mais as coisas, traz textos ocupam as laudas todas do jornal da região têm uma abrangência por cento, numa escala de zero a 100. de renome que se encontram as maiores, o outro passa a coisa mais com o mesmo senhor a falar, a repetir aceitável e julgo que têm vindo a Não dou mais. Acho que um jornal melhores notícias. Muitas vezes elas pela rama e não traz tudo o que quase sempre as mesmas coisas do melhorar em termos de qualidade.” para ser bom não tem que sair todos estão nos jornais regionais, depende acontece na cidade. Há coisas que início ao fim. Isso acontece muito os dias. Pode ser um jornal que saia do jornalista que a faz. Há jornais se sabe que aconteceram e só nos jornais diários cá da terra. Acho apenas duas vezes por semana ou com muito nome que não sabem passado dois ou três dias é que as que os nossos jornais têm vindo a ELECTROSOFIA, LIMITADA M O N D E G O C O N TA Importação e Comercialização de Electrodomésticos, Lda. Estabelecimento: Rua da Sofia, 100 - Telefone 239 823 114 CONTABILIDADE, GESTÃO E FISCALIDADE Escritório: Rua da Sofia, 96-1.º - 3000 COIMBRA • R. Dias Ferreira, 31-1.º Telef. 239 823 239 - 239 823 214 - 3000 COIMBRA Ourivesaria SILVA Rua do Corvo (esquina Largo do Poço) Rua Martins de Carvalho Tel. 239 841 408 – COIMBRA (antiga Rua das Figueirinhas) Tel. 239 824 405 - 3000 COIMBRA C ruz ( Sede: Rua Adelino Veiga, 35 • Telef. 239 840 342 3000-003 COIMBRA O culista Fax 239 840 344 Filial: Rua Conselheiro Matoso, 3 C TALHO B-7 –DE:– PA P E L A R I A M.ª Helena do Carmo Falcão Figueiredo Uma nova imagem na área de papelaria, no escolar belas artes, audio visual, brindes, cons./informática. As grandes marcas em objectos de escrita. Mercado Municipal INDÚSTRIA METALÚRGICA Venha visitar-nos num espaço com séculos. D. Pedro V S O U S E L A S – A PA RTA D O 9 Telefs. 239 913 408 / 239 913 423 Telef. 239 820 193 (BA) - Fax 239 838 732 Telefone 239 838 444 3020 COIMBRA - Por tugal Praça do Comércio, 22-26 - 3000 COIMBRA 3000 COIMBRA 19/04/02
  • 5. publicidade Vichy 19/04/02
  • 6. inquérito penso que tudo o que se passa na parecem estar mesmo a perder a cidade e mesmo na região está a ser pouca qualidade que tinham.” tratado. Penso que há uma diferença Artur Serrano muito grande entre os vários jornais, Fernando Pinto 41 anos, engenheiro mecânico a abordagem é diferente, assim como 47 anos, do gabinete “Sim costumo. Acho, por um lado, é diferente a análise dos aconte- de imprensa do CHC que têm um certo interesse, porque cimentos. Mesmo que alguns temas “Sim, costumo ler jornais regionais. falam especificamente de Coimbra. sejam iguais, o tratamento é bem Acho que há poucos jornais regionais. Acho que alguns jornais são mais diferente. Acho que a qualidade é Utilizam o nome mas não se com- virados para a política quando razoável. O que eu leio mais são os portam enquanto jornais regionais, deveriam sê-lo mais para a cidade. jornais diários e, apesar de algumas porque grande parte do seu conteúdo Penso que em termos de qualidade, notícias coincidirem não são iguais. não obedece ao que está estabelecido os jornais da cidade têm vindo a São todos muito básicos.” na lei quanto à produção própria e esforçar-se para melhorar. Mas específica da área em que esses gostava de encontrar nos jornais da Sónia Silva jornais se enquadram e inserem. Em região páginas que se dedicassem 29 anos, educadora de infância termos de qualidade, poderia dividi- mais ao emprego, um espaço mais “Sempre que tenho algum tempo los em dois escalões. Começava pelos alargado do que os tradicionais aproveito para me informar. Por jornais regionais diários, que têm classificados. Era importante que hábito, leio um jornal nacional e vindo a actualizar-se tecnologi- trouxessem estatísticas, porque esses costumo ler sempre, pelo menos, um camente e começam a dar uma boa dados fazem as pessoas comprar dos diários da região. Gosto também resposta na comunidade em que se muito os jornais. Gostava também de dar uma espreitadela, nem que seja inserem e a terem capacidade de que os nossos jornais se dedicassem só aos títulos dos semanários. Penso concorrerem no mercado publi- mais às questões práticas do que os nossos jornais são bons e que citário regional. Apesar disso, desenvolvimento da terra e menos às têm vindo a melhorar bastante nos debatem-se com naturais dificul- questões e encontros políticos. Penso últimos anos. A informação é bem dades, designadamente as limitações que já têm uma função interventiva e tratada e, mesmo não sendo sempre ao porte pago, bem como a ma- forte mas, mesmo assim, penso que analisada com a profundidade crocéfala distribuição de receitas poderiam dedicar mais páginas a desejada, dá-nos uma boa perspectiva publicitárias, designadamente as que questões práticas, como a falta de dos acontecimentos. Lamento é que vêm do próprio Estado. O segundo saneamento, dados sobre a habitação esteja tão dependente das agendas escalão compreenderia os jornais não em Coimbra – todas aquelas questões políticas, das deslocações do diários que, normalmente, são os mais de que se fala todos os dias e que não presidente e das visitas dos ministros. aos jornais de Coimbra gosto, acho jornais não diários estão muito pobres ou menos influentes, com uma se conseguem ver escritas em lado O que nós queremos encontrar nos que analisam os temas com alguma dependentes dela. A maior excepção tiragem mais reduzida e uma influên- nenhum. Os jornais deviam dedicar- jornais são coisas da nossa terra, profundidade. São mais ou menos.” é talvez o “Campeão das cia obviamente menor. Os elevados se mais e explorar todos esses temas factos concretos e não promessas vãs Províncias”, que foge mais à regra, custos de produção obrigam a que, que as pessoas querem saber, sobre a que, na maioria das vezes, nem se Carlos Silva o que deveria acontecer também por vezes, o director exerça também terra e não propriamente sobre o chegam a concretizar. Os jornais não 35 anos, empregado balcão com, por exemplo, o “Jornal de as funções de editor, administrador, Carlos Encarnação ou o Manuel devem deixar-se arrastar pelas “Leio de vez em quando. Como não Coimbra”, que traz praticamente as repórter e de funcionário de limpeza. Machado.” promessas políticas. Penso que essa tenho muito tempo, aproveito mesmas coisas dos diários. Nota-se Assim sendo, não há condições ‘dependência’ é a maior lacuna de quando estou no café. Não costumo também nos jornais regionais uma objectivas para se produzir um Cristina Loureiro todos os jornais.” comprar, até porque prefiro ver o dependência muito forte da Lusa o conteúdo jornalístico interveniente e 26 anos, empregada de balcão jornal televisivo. Dá menos traba- que não deveria acontecer principal- ajustado à realidade local, pelo que “Costumo. Acho que têm um papel Andreia Nobre lho e acho que é mais aprofundado. mente nos semanários, que deveriam se opta, na grande maioria dos casos, importante já que privilegiam a região 22 anos, estudante Em relação aos jornais regionais ter outra função. Em termos de pela “compra” de informação que onde vivemos. No entanto, acho que “Não costumo ler jornais. Nor- parece-me que são muito vagos e qualidade lamento dizer que os outros redigiram e que pouco tem a há muitos assuntos que gostaríamos malmente só leio quando estou no repetitivos. Todos dão preferência jornais não têm vindo a melhorar ver com o âmbito e objectivo do título de ver tratados e que o não são. Mas café e encontro algum. Em relação aos assuntos de agenda e mesmo os substancialmente e que alguns que a publica.” Câmara Municipal de Vila Nova de Poiares Felicita “O Despertar” pelo seu 85.º aniversário 19/04/02
  • 7. publicidade Mercado Abastecedor 19/04/02
  • 8. opinião De vez em quando… “O Despertar” fez 85 anos de existência foram as figuras do saudoso António de Sousa e seu filho Armando de Adifer Sousa, já falecidos há muitos anos, mas cujas memórias estarão sempre 85 anos do jornal mais presentes na vida deste matutino. antigo da nossa cidade Só quem conheceu, há anos atrás, “O Despertar”, representa as antigas instalações deste jornal, com aquela máquina antiquíssi- uma vontade inaudita, para ma, parecendo uma “locomotiva”, às todos os que trabalham vezes puxada por uma roda, quando com dedicação faltava a energia, o barulho ensur- decedor das suas peças já velhinhas, pela causa jornalística atraiam os transeuntes que passa- e não só. vam. Os cavaletes que continham as Significa também uma “luta” caixas, onde estavam as letras de persistente a favor do empenho dos chumbo, já tudo velhinho e cheio de interesses da nossa cidade e região pó, onde eu passei muitas horas em centro, que aliás são muitos, e frente das caixas com os respectivos contactar com o povo anónimo, caixotins para a distribuição do tipo pugnando pelos seus direitos e em chumbo e às vezes com o alertando as entidades citadinas, para componedor na mão, instrumento a realidade dos factos, do dia a dia de sobre o qual o tipógrafo dispunha os uma urbe carenciada de muita “coisa” caracteres, com que ia formando as por vezes prementes, ficam linhas da composição. Tudo isto, “adormecidos” na gaveta dos res- depois acabou, e ainda bem, surgindo ponsáveis da nossa cidade. as máquinas de compor, tudo à base “O Despertar”, ao chegar aos 85 de chumbo, que estiveram muitos anos anos da sua existência, congratula-se em actividade, sendo substituídas por em pugnar por tudo, que a cidade computadores próprios para a con- precisa, alertando com a voz dos seus fecção de um jornal. colaboradores assuntos para bem do Agora, entra-se nas suas ins- redacção. Despertar”, porque sem uma “equi- Sousa, que se tem esforçado pela vida desenvolvimento da nossa cidade, que talações, com um “cenário” completa- Bons e variados colaboradores, pa” homogénia e persistente, não deste jornal,e não só, honrando o tanto carece, principalmente do sector mente diferente, reconhecendo-se o dão ao bi-semanal republicano atingia a bonita idade dos 85 anos! nome da família Sousa, envio-lhe industrial. esforço, a dedicação dos seus independente, momentos agradáveis, A cidade, pode honrar-se, por ter sinceramente um abraço de parabéns Recordar este jornal, há 60 anos, orientadores, que a transforma- de boa leitura, sempre com interesse um jornal digno do seu nome, e muitas felicidades para os que mais ou menos, quando eu estava na ram com equipamento moderno e para a cidade e região centro. pugnando sempre pelos seus interesses diariamente labutam nas oficinas e minha plena juventude, com 20 anos, adequado à vida presente de um Parabéns aos seus administra- e cujos problemas, quando prementes, redacção deste matutino, que querem nunca me esquecerei do contacto, que jornal com bom aspecto gráfico e as dores, colaboradores, assinantes e tenham uma solução imediata. fazer mais e melhor, pela cidade e pela tive com os pioneiros deste jornal, que novas instalações da sua moderna anunciantes, pela longevidade de “O Ao seu director Artur Almeida e sua população. CURSOS DE LICENCIATURA EXISTENTES NA UNIVERSIDADE DE COIMBRA FACULDADE DE LETRAS Ramo de Arquitectura e Tecnologia Química Geografia (área de especialização em Ordenamento do Biologia Ramo Científico, com as áreas opcionais de: Território e Desenvolvimento) Ramo Científico Química-Física Geografia (área de especialização em Estudos Ambientais) Ramo de Formação Educacional Química dos Processos Biológicos Geografia (área de especialização em Ensino) Bioquímica Ramo Educacional – Ensino de Física e de Filosofia Engenharia Civil Química História Engenharia Electrotécnica e de Computadores Química Industrial, com as áreas opcionais de: História, nas variantes de: História da Arte Ramo de Automação Controle Químico da Qualidade Arqueologia Ramo de Telecomunicações Processos e Síntese Química Línguas e Literaturas Clássicas e Portuguesa Ramo de Computadores Línguas e Literaturas Modernas, nas variantes de: Ramo de Energia FACULDADE DE FARMÁCIA Estudos Franceses e Alemães Engenharia Física Ciências Farmacêuticas Estudos Franceses e Ingleses Ramo de Ciência dos Materiais Estudos Ingleses e Alemães Ramo de Instrumentação FACULDADE DE ECONOMIA Estudos Portugueses Engenharia Geográfica Economia Estudos Portugueses e Alemães Engenharia Geológica Organização e Gestão de Empresas Estudos Portugueses e Espanhois Engenharia Informática Relações Internacionais Estudos Portugueses e Franceses Engenharia de Materiais Sociologia Estudos Portugueses e Ingleses Engenharia Mecânica Estudos Portugueses e Italianos Ramo de Produção FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS Jornalismo Ramo de Termodinâmica e Fluidos DA EDUCAÇÃO Engenharia de Minas Todas as Licenciaturas acima mencionadas, com excepção Ciências da Educação Engenharia Química do Jornalismo, possuem o Ramo de Formação Educacional Psicologia, nas seguintes áreas de pré-especialização: Física É leccionado nesta Faculdade o Curso de Língua e Cultura Orientação Escolar e Profissional Ramo Científico, com as áreas de especialização em: para Estrangeiros Psicologia da Educação Física Experimental Psicologia Clínica Dinâmica e Sistémica FACULDADE DE DIREITO Física Teórica Clínica Cognitivo-Comportamental Direito Ramo de Formação Educacional Psicologia do Desenvolvimento Administração Pública Geologia Avaliação Psicológica, Aconselhamento e Ramo Científico Reabilitação FACULDADE DE MEDICINA Ramo de Formação Educacional Psicologia das Organizações Medicina Matemática Psicologia Social Medicina Dentária Ramo Científico, com as áreas de especialização em: Matemática Pura FACULDADE DE CIÊNCIAS DO DESPORTO E FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA Matemática Aplicada Antropologia Computação EDUCAÇÃO FÍSICA Arquitectura Ramo de Formação Educacional Ciências do Desporto e de Educação Física 19/04/02
  • 9. publicidade EDP 19/04/02
  • 10. televisão Televisões portuguesas “pescam” sucessos em Cannes As estações TVI, SIC e RTP de alguns formatos”, como os “rea- lity-shows”, um género de programa iniciaram segunda feira popularizado em Portugal pelo “Big uma semana de compras no Brother”. principal mercado televisivo “A feira é uma oportunidade três anos conta com um stand nos única para ver o que de melhor e mais grandes festivais internacionais. europeu, o MIPT-TV, que moderno se faz na indústria televisiva “Este ano teremos como grandes decorre em Cannes, França, mundial”, sublinhou. novidades a novela ‘Sonhos Traídos’, até hoje, procurando novas Na SIC, também se prepara a que estreou na TVI, e a série ‘Um apostas para a sempre acesa semana de compras em Cannes, que Estranho em Casa’, que passou na contará com a presença do próprio RTP”, disse à Lusa a responsável de guerra de audiências. director de programas, Manuel marketing da NBP, Rosa Lousa. Fonseca, o chefe de aquisições, José A produtora leva ainda para Filmes, séries e programas de Navarro Andrade, e ainda Manuela França produtos já habituais, como entretenimento figuram no topo da Caputti. os telefilmes da SIC e ainda as lista de preferências, num festival que “A SIC acaba de fechar contrato novelas por si produzidas, embora permitirá ainda confirmar acordos com a National Geographic, para legendadas em Inglês, casos de entre os operadores portugueses e os mais uma série de documentários de “Daughter of the Sea” (“Filha do seus parceiros preferenciais. grande qualidade e o MIPT servirá Mar”, TVI), “Eyes of Water” (“Olhos A directora do departamento de também para selarmos esse acordo”, de Água”, TVI), “Torn Destiny” compras internacionais da TVI, disse à Agência Lusa o director de (“Ganância”, SIC), entre outros. Margarida Vitória Pereira, disse à programas do canal de Carnaxide, Sem grandes expectativas está a agência Lusa que o canal vai Manuel Fonseca. D&D, outra presença habitual nos “formalizar acordos que têm vindo a Quanto à procura de novas mercados internacionais, e que vai ser negociados com as grandes apostas, o responsável preferiu não procurar este ano “musicais, bom empresas internacionais”. abrir o jogo: “Vamos ver o que há de entretenimento e boa ficção”, como “No nosso caso, vamos fechar novo no mercado televisivo e isso é disse à Lusa o seu director, Bruno contrato com a Columbia e a Fox, o sempre o mais importante no MIPT”, Cerveira. que nos garantirá a última série de ‘X- disse, sublinhando que “a SIC está “O mercado não está para Files’, que são 20 episódios e que terá interessada em filmes, séries e outros grandes expectativas. Vamos lá ver o um grande final especial de duas formatos de entretenimento”. que se passa, ter umas reuniões, olhar horas de duração”, concretizou. Manuel Fonseca adiantou, as novidades e pouco mais”, explicou, A responsável contou ainda que contudo, que “reality-shows” “não admitindo que possa haver “um a TVI renovará ainda em Cannes os estão nos planos” da estação. “Neste “Vamos saber quais são as gran- do Canal 1, António Borga, a gesto- menor impacto dos ‘reality- shows’ acordos para continuar a transmitir as momento, temos no ar o ‘Master- des novidades de programação e ra do canal 2, Clara Alvarez, e a do que o verificado há um ano e séries de sucesso “Ally McBeal” e plan’, que é um ‘game-show’ e, tentar fechar alguns negócios”, responsável pelas compras, Fátima meio”. “Causa Justa”. portanto, não estamos interessados adiantou. Cavaco. “Eu não sou grande adepto desse Quanto ao resto, Margarida nesse tipo de formatos”, disse. A delegação da estação pública Em Cannes estarão presentes tipo de programas, mas acho que o Vitória Pereira vai à descoberta, Quanto à RTP, vai para Cannes de televisão é composta pelo director também várias produtoras portu- seu sucesso ainda não acabou, porque “se prevêm muitas surpresas com o objectivo de “analisar o do gabinete de programas interna- guesas, em especial a Nicolau embora haja uma maior acalmia”, para a edição deste ano e a evolução mercado”, disse uma fonte da estação. cionais, Jaime Fernandes, o director Breyner Produções (NBP), que há já disse. BARBEARIA MEDIADORA OFICIAL COMERCIAL NA COMPRA E VENDA DE PROPRIEDADES MATOS FERREIRA, LDA. DE: - Comércio de Pneus, Lda Couceiro & Monteiro, Lda. A PREDIAL MATOS Felicita “O Despertar” Um Mundo de Pneus pelo seu 85.º aniversário FERREIRA, LDA Escadas São Tiago, 8-10 Rua Dr. Manuel Rodrigues, 1-1.º • PNEUS DE TODAS AS MARCAS E TIPOS Telef. 239 823 844 Telef. 239 828 650 3000 COIMBRA 3000 COIMBRA • ASSISTÊNCIA TÉCNICA DO NÍVEL MAIS ELEVADO • ALINHAMENTO DE DIRECÇÕES E EQUÍLIBRIO DE RODAS • SISTEMA ELECTRÓNICO • JANTES ESPECIAIS Felicita “O Despertar” na passagem dos seus 85 anos Posto 1 - Rua Dr. Alberto Souto 27 e 27A Restaurante O PALÁCIO, LDA. 3800-149 AVEIRO - Tel. e Fax 234 425 027 De: Fernando Mendes O bem servir é o nosso lema Posto 2 - Estrada de S. Bernardo - S. BERNARDO Proporcionamos-lhe um atendimento personalizado onde o ambiente acolhedor e familiar é uma constante 3810 AVEIRO - Tel. e fax 234 342 737 Parabéns a “O Despertar” pelos seus 85 anos Posto 3 - Quinta do Simão - Variante de Esgueira 3800-305 AVEIRO - Tel. 234 315 446 R. Dr. Manuel Rodrigues, 17 Telef. 239 824 699 3000-258 COIMBRA 19/04/02
  • 11. televisão Extinção de um canal da RTP pode levar a colapso Manuel Maria Carrilho apontou “bloqueios O antigo ministro da Cultura políticos” no caso RTP, “que muitos tentaram transformar num problema empresarial”. Manuel Maria Carrilho opôs-se, em Sempre em consonância com as ideias de Lisboa, à extinção de um dos canais Dominique Wolton, o deputado salientou que os da RTP, alertando que poderá portugueses deveriam “deixar a ideia de que a televisão pública é mais manipulável do que as representar um “colapso” do serviço privadas”. público de televisão. Perante um auditório do IFP quase cheio, Dominique Wolton falou sobre outros casos de O ex-ministro do governo socialista e países europeus - a Alemanha, a França e o Reino actualmente deputado, defendeu esta posição Unido - que decidiram manter três canais durante um debate sobre serviço público de públicos. “Um só canal público não dá margem televisão que decorreu no Instituto Franco- de manobra para enfrentar a concorrência -Português (IFP), com a participação do privada, que é muito dura, e pode gerar um sociólogo francês Dominique Wolton e o director monopólio”, justificou. do “Diário de Notícias”, Mário Bettencourt Para o sociólogo, convidado a fazer uma Resendes. conferência sobre o tema, a validade do serviço Apesar do consenso entre os três público de televisão é inquestionável e intervenientes do debate quanto à preservação desempenha um papel importante na “pre- do serviço público de televisão, as opiniões servação das identidades culturais nacionais de dividiram-se sobre o número de canais públicos cada país, numa época de globalização da a manter. comunicação”. “As maiores empresas do mundo Tanto Manuel Maria Carrilho como são do domínio da comunicação, portanto é Dominique Wolton concordaram na necessidade saudável manter canais generalistas públicos e de manter os actuais dois canais da televisão privados que guardem uma certa função social pública, numa altura em que se aguardam contra a standardização”, defendeu. mudanças na RTP, com a tomada de posse do Advogou ainda a existência de publicidade novo governo, e se discute uma eventual extinção nos canais públicos, que seria partilhada com os do segundo canal. privados, sendo no entanto numa fatia menor para Enquanto Bettencourt Resendes acredita que o serviço público, mas com o Estado a assumir os é possível apresentar um serviço público de restantes custos, através do financiamento directo qualidade apenas com um canal, os outros dois ou com uma taxa como a que foi abolida em intervenientes manifestaram-se vivamente contra, Portugal. e alertaram para os perigos que acarretaria essa medida. Para Carrilho, a extinção de um dos canais “pode ser um passo irreparável como foi o da abolição da taxa da televisão, que hoje todos lamentam, mas nenhum governo tem a coragem de recuperar”. O antigo ministro da Cultura defendeu que é preciso “resolver os problemas financeiros da RTP, mais da responsabilidade dos governos do que de uma má gestão na empresa”. Resolver a situação financeira da RTP, segundo o professor e deputado, “passa apenas por 0,4 por cento do Orçamento de Estado, portanto não é o drama que muitas pessoas imaginam”. JUNTA DE FREGUESIA DE SANTA CRUZ Felicita “O Despertar” pela passagem de mais um aniversário A Junta de Freguesia de S. Martinho do Bispo felicita “O Despertar” pelo seu 85.º aniversário 19/04/02
  • 12. televisão SIC Gold aposta em séries de culto que fizeram história factores: “Por um lado, estávamos a esgotar o nosso acervo de conteúdos e corríamos o risco de iniciar repetições de repetições, ou seja, uma As séries televisivas Gold da Gold”, explicou o director. “Alf”, “Fame”, “Falcon Crest” e Por outro lado, depois de um primeiro ano “Raízes” são as quatro grandes com boas audiências (terceiro lugar na TV apostas para o relançamento do Cabo), o segundo ano de vida trouxe uma descida “inevitável” que Penim quer agora canal SIC Gold, que, a partir do dia combater. 29, surgirá nos ecrãs da TV Cabo “Há que dar sangue novo, chamar novos com o nome SIC Sempre Gold. públicos, criar laços de afectividade com os espectadores”, disse à Lusa. Para o director do canal, Francisco Penim, Fora dos planos está a possibilidade de a na renovada estação “as alterações não se SIC Sempre Gold vir a abrir a sua antena a limitam ao nome e ao pacote gráfico”, e sucessos nacionais das estações concorrentes acrescenta que “a SIC Sempre Gold terá um RTP e TVI. Mas “não me custa nada a admitir reposicionamento estratégico, tentando captar em passar algumas séries estrangeiras novos públicos”. consensualmente aceites como de grande “A SIC Gold era um canal de repetições qualidade que já tenham passado na RTP e na de programas que tinham sido exibidos na SIC TVI”, admitiu Penim. generalista, embora com algumas excepções. O “Quanto a passar produções internas feitas que vai acontecer agora é que vamos ter na por outros canais”, como a primeira novela emissão programas que nunca foram exibidos portuguesa feita em Portugal, Vila Faia, exibida cá na casa e que fizeram história em Portugal”, pela RTP, “é mais difícil”, acrescentou. disse. O director do canal espera ter em breve O objectivo é alargar o raio de acção do outros clássicos televisivos imortais como canal, até aqui “visto essencialmente por “Dallas”, “Uma Casa na Pradaria” e “O Barco pessoas que estão mais em casa, desde do Amor”, séries “que fazem parte do domésticas e reformados”, para “ser um canal imaginário de uma geração hoje com 25, 30 mais familiar”. anos”. “Vamos ter algumas séries estrangeiras de “O que nós queremos é que às pessoas que cariz familiar e que são clássicos da televisão, vêem actualmente a Gold se juntem agora como o ‘Falcon Crest’, o ‘Fame’, o ‘Alf’ e o pessoas mais novas, com outro tipo de interesses ‘Raízes’”, disse Francisco Penim. e que queiram recordar séries de grande sucesso As séries, que fizeram as delícias dos que gostaram de ver quando eram jovens”, portugueses no tempo em que só existia a RTP, sublinhou. não faziam parte do “stock” da SIC, tendo sido As séries “Alf” e “Falcom Crest” serão Saudamos o jornal “O Despertar” “adquiridas a algumas empresas norte- -americanas”. exibidas diariamente, à terça e quinta feira, enquanto “Fame” e “Raízes” terão uma pela passagem do 85.º aniversário As novas apostas constituem, segundo o periodicidade semanal. director, “um investimento avultado”, porque As novas apostas irão para o ar sempre em foram compradas “a um preço mais elevado ao horário nobre, embora sejam repetidas nos dias habitualmente praticado pela SIC Gold”. seguintes durante o dia, como acontece com “Além disso, depois de comprarmos as qualquer canal deste género. séries temos de as tratar, de as legendar e tudo “Nós temos consciência que não podemos isso tem custo”, explicou. discutir audiências: nenhum canal de repetições Com um orçamento anual de cerca de 2,5 o consegue. Mas queremos que o espectador milhões de euros (cerca de 500 mil contos), que não gosta de novelas e que à noite prefere Francisco Penim espera que o “avultado ver boas séries sinta que tem na SIC Sempre investimento feito agora possa ser diluído ao Gold mais uma alternativa às opções longo dos dois anos de exibição das séries”. actualmente existentes”, concluiu Francisco A mudança da SIC Gold decorre de dois Penim. COLCHOARIA AVELEIRA 45 ANOS Ao serviço de quem exige dormir bem Avenida Sá da Bandeira - Telef. 239 835 154 - 3020 COIMBRA 19/04/02
  • 13. saúde Cuidados a ter com os jovens desde o nascimento à maioridade Na sociedade portuguesa continua a haver a generalizada tendência de darmos pouca importância aos cuidados primários de saúde. Esquecemos que é por aí que se combatem doenças que poderão nunca mas largar-nos para o resto da vida. Ora sendo certo que, como diz o povo, “é de pequenino que se torce o pepino”, pretendemos com este texto sensibilizar os pais para uma série de cuidados de saúde que devem ser dispensados à criança logo após o seu nascimento. Para isso, consul- támos a ARS do Centro através da sua página “online” e os resultados foram verdadeiramente surpreendentes pela quantidade de informação disponível mas, acima de tudo, pela clareza e simplicidade com que os múltiplos assuntos nos são apresentados. Um dos primeiros temas tem a ver com a consulta destinada à vigilância da saúde da criança e do Hospital ou Centro de Saúde, inclui vacinas contra a tuberculose, a jovem desde o nascimento até ao final contém informação muito útil e hepatite 8, a difteria, o tétano, a tosse da adolescência (18 anos), sendo destina-se ao registo de factos convulsa, a poliomielite (para1isia desejável que sejam feitas nas importantes, relacionados com a infantil), as doenças causadas pela seguintes idades: saúde das crianças e dos jovens. bactéria haemophilus influenza tipo · 1.ª semana de vida, 1, 2, 4, 6, Sempre que levar o seu filho a b, tais como a meningite e a septi- 9, 12,15 e 18 meses um Serviço de Saúde - consulta, cemia, o sarampo, a papeira e a · 2, 3, 4. 5-6 e 8 anos serviço de urgência, ou internamento rubéola. Mas, como poderemos · 11-13, 15 e 18 anos – deverá ser apresentado o Boletim confirmar no esquema cronológico Entre o 4º e o 7º dias de vida, a ao médico ou enfermeiro que o (ver caixa) existem datas e dosagens criança deve fazer o rastreio de atender. que não poderemos nem deveremos doenças metabólicas – “teste do esquecer para nosso bem e de quem pezinho”. que habitualmente é A vacinação os rodeia. realizado no Centro de Saúde e permite detectar duas doenças graves Um dos temas mais importantes a ter Cuidados a ter dos 4 (fenilcetonúria e hipotiroidismo), que em conta na vida da criança é aos 5-6 anos podem ser tratadas, se diagnosticadas claramente o que se prende com a precocemente. vacinação pelo que será sempre de Nesta fase dos 4 aos 6 anos de vida a Quanto ao Boletim de Saúde bom tom consultar o Programa que é fornecido gratuitamente no Nacional de Vacinação (PNV) que RESTAURANTE SNACK-BAR Serviço económico e rápido no Snack-Bar Serviço de Restaurante no 1.º andar c/ sala climatizada Felicita o Despertar pelos seus 85 anos SOCIEDADE TÊXTIL SANTIAGO A. A. MENDES, LDA Salão com óptimas condições para Banquetes e Reuniões Picoto dos Barbados . Olivais Apart. 4062 3031-901 Coimbra Sede: R. da Sofia, 165 - Telef. 239 823 655 - Fax 239 824 239 – 3000 COIMBRA Tel. 239 70 88 80 Fax. 239 70 13 72 E-mail: santix@santix.pt - Url: http:// Filiais: R. João de Ruão, 8 – Telef. 239 825 546 www.santix.pt Av. Fernão de Magalhães, 7 – Telef. 239 825 388 PORTUGAL 19/04/02
  • 14. saúde Quanto ao perigo de acidentes, computador, são outros dos cuidados se tomarem cuidado, poderão tirar o a dar em forma de conselhos. ESQUEMA CRONOLÓGICO DE VACINAÇÃO mesmo prazer das coisas sem que se É nesta idade que o jovem arrisquem a ser vítimas e, por outro deverá um outro tipo de desafio que À nascença criança deverá ter uma alimentação lado, os jovens descobrem o gozo e a é o de descobrir o prazer de não BCG - Vacina contra a tuberculose adequada, com um pequeno-almoço inteligência de viver em segurança. fumar, procurando não beber VHB - Vacina contra a hepatite B – 1ª dose reforçado e evitando o açúcar e Mas há uma outra realidade que bebidas alcoólicas, que podem Aos 2 meses de idade alimentos açucarados, mantenham o tem a ver com a mudança física e se aumentar a agressividade e diminuir DTP - Vac. hábito de comer frutos e legumes. está a processar no corpo, pelo que a aceitação pelos outros. Escusado contra a difteria, o tétano e a tosse convulsa – 1ª dose É a altura de começarem os em caso de dúvida deverá o jovem será dizer que nesta fase quando VAP - Vacina contra a poliomielite – 1ª dose preparativos para a entrada na escola, informar-se ou trocar impressões alguém o quiser obrigar a fazer VHB – 2ª dose pelo que deverão ser estimulados com familiares ou amigos. Fazer alguma coisa que não queira, seja HIB - Contra as doenças causadas por Haemophilus hábitos de estudo em colaboração exercício físico, praticar desporto, abusarem do corpo, seja insistirem ifluenzae tipo b – 1ª dose entre os pais e a escola. procurar arranjar tempo para ler e para que use drogas, há o direito e O transporte da “mala da escola” não passar os tempos livres “agar- deverá haver a força e discernimento Aos 4 meses de idade às costas deverá estar bem centrada e rado” ao televisor ou ao ecrã do para que se diga “Não!”. E uma boa DTP – 2ª dose apoiada nos dois ombros e quando se parte da fuga a estes problemas VAP – 2ª dose sentar mal, deverá ser corrigida a sua poderá estar na procura em discutir HIB – 2ª dose postura. estas ideias com outros jovens. Aos 6 meses de idade A actividade física e o gosto pela Partilhar o que sabemos fortalece a DTP- 3ª dose prática de desportos deverá constituir amizade e a solidariedade. VAP- 3ª dose um instrumento susceptível de VHB – 3ª dose proporcionar uma vida em ambiente Cuidados a ter dos 15 HIB – 3ª dose saudável e, além do mais terá menos aos 18 anos tempo para que não veja demasiada Dos 15 aos 18 meses de idade televisão. Por outro lado, há que Nesta fase em que se atinge a VASPR - Vacina contra o sarampo, a papeira e a rubéola – 1ª dose continuar a dar-lhe flúor (se não lho maioridade, para além de todos os HIB - Reforço dão na escola) e a não descurar a conselhos já referidos, quanto à DTP – 1º Reforço lavagem dos dentes com pasta alimentação, comportamento fami- Dos 5 aos 6 anos de idade fluoretada, pelo menos de manhã e à liar, escolar e social, há um que DTP – 2º Reforço noite. naturalmente se destaca de todos os VAP - Reforço outros: A sexualidade permite o VASPR – 2ª dose afecto e a comunicação entre as Cuidados a ter dos 11-13 pessoas. Vivê-la com responsa- Dos 10 aos 13 anos de idade aos 15 anos bilidade é mais gratificante e diminui TD - Vacina contra o tétano e a difteria - Reforço o risco de que a jovem se confronte VASPR – 2ª dose (para crianças nascidas antes de 1994) Os jovens nesta idade deverão com uma gravidez não planeada, VHB – 3ª doses (para crianças nascidas antes de 1999) procura alimentar-se adequadamente, com a SIDA, a hepatite B ou outras De 10 em 10 anos utilizando alimentos variados, doenças de transmissão sexual. T - Reforços nomeadamente frutos e legumes, sem Podem e devem ser obtidas Os adultos não vacinados contra o tétano devem iniciar esta vacina em esquecer de tomar o pequeno-almoço informações sobre estas questões qualquer idade e as grávidas não protegidas contra o tétano também o deverão e evitar os alimentos e bebidas junto do médico assistente ou de fazer. Além de se protegerem, evitam o tétano nos seus filhos à nascença. açucarados e o excesso de fritos e outro profissional do centro de gorduras. saúde. IMOBILIÁRIA PATROCÍNIO TAVARES, SA CONSTRUÇÃO CIVIL Felicita o Jornal “O Despertar” pelos seus 85 anos R. da Sofia, 175-C – 3000 COIMBRA Telef. 239 854 730 • Fax 239 854 735 A Câmara Municipal de Condeixa felicita o Jornal “O Despertar” pelo 85.º Aniversário 19/04/02
  • 15. desporto Olivais Futebol Clube Um clube com “passado, com presente que visa, precisamente, atingir a meta dos mil sócios. Actualmente, o e que quer construir um futuro” Olivais tem 617 sócios inscritos, um número que, segundo Carlos Gon- çalves, “não corresponde ao peso Há muito que o Olivais que o Olivais tem no desporto em deixou de ser um clube de Coimbra”. bairro. Com um passado e “Decidimos arrancar com a campanha ‘Seja um dos 1000’ por- um percurso únicos, este que entendemos que quanto mais clube da cidade de Coimbra formos mais afirmação temos na quer continuar a somar sociedade. Achamos também que é importante que as pessoas acarinhem glórias e quer abrir-se ainda os clubes que têm raízes profundas mais a toda a comunidade. na cidade - como o Olivais, a Continuar a apostar na Académica e o Sport Conimbricence formação, alargar o – porque são clubes que, normal- mente, sobrevivem com grandes Pavilhão, abri-lo a novas dificuldades”, defende. modalidades, construir uma piscina e criar um Museu, Manter equipa feminina no topo é prioritário onde esteja patente toda a história deste clube de Para que o Olivais possa continuar a Coimbra, são apenas alguns manter o seu prestígio é fundamental que a equipa sénior feminina man- dos projectos que a nova tenha a qualidade das épocas direcção, eleita há pouco anteriores. Carlos Gonçalves en- mais de um mês, quer tende que “é fundamental que esta concretizar. equipa de mantenha no topo”, já que é “o espelho do clube” e é “uma forte referência e um exemplo para as Zilda Monteiro crianças e jovens”. Outra das prioridades do clube Continuar a construir a história é continuar a apostar na formação. do Olivais Futebol Clube, apostando Carlos Gonçalves quer continuar a no presente e preparando o futuro é desenvolver o minibasquete, que o objectivo principal da nova conta já com 74 crianças, de forma direcção do Olivais. Carlos Gon- bairro. Actualmente, em termos de que sempre se estabeleceu entre os ximassem ainda mais do Olivais nos a garantir o futuro do clube. çalves, presidente do clube, entende basquetebol, é uma referência a nível adeptos e o Olivais. Aos 67 anos, este últimos dois anos. A direcção Melhorar e continuar a trabalhar nas que para tal é preciso continuar a ter nacional, o que se fica a dever, clube continua a ser uma forte anterior teve a coragem de levar para camadas de iniciados, cadetes e a “coragem de levar para fora o que precisamente, a tudo o que ficou para referência para as várias gerações de fora do Pavilhão tudo aquilo que se juniores, manter todas as equipas, se passa no clube, incentivando os trás, aos homens e mulheres que pessoas que foram passando pelo passava cá dentro e penso que o em todos os escalões e em ambos os sócios a participar e a acompanhar a deram muito do seu tempo livre e clube ou que foram assistindo ao seu nosso jornal, que os sócios lêem sexos, procurando as condições sua vida”. que graciosamente conseguiram pôr percurso. Para Carlos Gonçalves a semanalmente, é também um factor necessárias para uma prática des- Apesar de todas as dificuldades o Olivais no patamar em que está. participação dos sócios na vida do mobilizador”, sublinha. Para Carlos portiva digna é outro dos objectivos que a colectividade atravessa, Assim sendo, a nossa responsa- Olivais é “a melhor forma de estes Gonçalves, “um sócio informado é da direcção. nomeadamente a nível financeiro, bilidade é muito grande e por isso demonstrarem que são exigentes”. muito mais participativo”. Apesar do basquetebol femi- Carlos Gonçalves assume que dirigir teremos que fazer sempre melhor. As Esta participação tem-se notado Abrir a colectividade a novos nino ser, neste momento, “o expoen- um clube como o Olivais “é tão pessoas exigem-no”, explica Carlos durante toda a história do clube mas, sócios é também um dos objectivos difícil como aliciante”. Gonçalves. no seu entender, acentuou-se nos que a nova direcção quer concretizar. “O Olivais tem raízes populares Esta exigência das pessoas últimos dois anos. “Vários factores “Seja um dos 1000” é o tema da e começou por ser um clube de deve-se, em parte, à grande ligação fizeram com que os sócios se apro- campanha lançada recentemente e AZULEJOS • SANITÁRIOS Saúda “O Despertar” pelos seus 85 anos Rua Cerâmica Ceres, 15 - Fornos - Apartado 492 - 3001-961 COIMBRA Telef.: 239 433 080 - Fax: 239 431 518 TMV: 917 624 687 - E-mail: ceres-info@ceres.pt ELDORADO Direcção Regional do Ambiente do Centro www.eldorado.pt § Mosteiro de Lorvão Rua Adelino Veiga, 70 – COIMBRA 19/04/02
  • 16. desporto toda a história do clube é outro dos convívio saudável, é também um projectos que esta direcção quer desejo da direcção do Olivais. Esta sala concretizar. Carlos Gonçalves entende viria assim tornar mais aprazível a Sala te máximo do clube”, Carlos que “é fundamental arrancar com o do Atleta, que foi criada no outro Gonçalves quer que o Olivais continue Museu e com a história do clube. mandato. “a formar miúdos que depois possam Gostaria de poder apresentar, daqui a “Criámos um espaço onde os integrar os diversos escalões”. dois anos, quando acabasse o mandato, nossos atletas possam estar sossega- “O Olivais tem em actividade pelo menos a primeira fase do Museu”. dos, a estudar, a ouvir música e a todos os escalões, quer no sector Este Museu deveria ser criado conviver. Agora queremos avançar feminino quer no masculino. Vamos também no Pavilhão e deveria reunir mais um pouco e, com o apoio de tentar manter essa tradição no clube, todo o espólio do clube, desde troféus, algumas empresas, vamos tentar obviamente com a dignidade a que isso a brochuras e outras informações que instalar neste espaço três ou quatro obriga, ou seja, condições de treino dessem a conhecer o passado computadores ligados à Internet” – animadoras” – explica. Ao todo, são desportivo do Olivais. explica Carlos Gonçalves. 212 atletas, 12 equipas em actividade “É aliciante conhecer a história Dos planos do clube faz ainda e vários campeonatos ao fim-de- deste clube. Quando nos sentamos ali parte a criação de uma página oficial semana, o que, como refere, implica fora com os mais velhos ouvimos na Internet, que deverá estar inserida “grandes dificuldades” para o clube, histórias engraçadissimas. Acho que no projecto “desporto.pt” que o tanto a nível financeiro como a nível é uma perda lamentável que estas Ministério da Juventude e Desporto de espaços. recordações se vão perdendo na está a desenvolver. Esta página deverá memória das pessoas mais idosas, ser actualizada semanalmente com os Olivais quer ampliar porque elas começam a desaparecer e resultados dos jogos, informações e melhorar pavilhão a história do clube vai com elas”, úteis, o jornal “Olivais Basquetebol” lamenta Carlos Gonçalves. e a possibilidade de troca de e-mail´s A falta de espaço é um problema que Uma colectividade com 67 anos entre os jogadores e os fãs. o Olivais conhece diariamente e que como o Olivais é um clube que tem A nível local, o Olivais FC quer obrigou o clube a firmar protocolos um historial muito rico, principal- continuar a promover o basquetebol, com instituições da cidade para que mente em memórias. Pôr para o papel a par da Associação de Basquetebol todos os atletas possam treinar. Para todas essas “estórias” é um dos desejos de Coimbra, e a manter boas relações Carlos Gonçalves as actuais instala- O Olivais tem em actividade todos os escalões, quer no sector feminino de Carlos Gonçalves que, para tal, com todos os clubes do distrito. ções do Olivais são “absolutamente quer no masculino. Vamos tentar manter essa tradição no clube conta com a colaboração de todos “Queremos desenvolver também junto insuficientes” e o Pavilhão, com mais aqueles que assistiram à evolução e às do colectivo, toda uma campanha de de 30 anos, “está ultrapassado em Gonçalves aproveitou também a torná-lo mais atractivo. “Queremos ter vivências do Olivais. “É uma fair-paly, porque penso que o Olivais todos os sentidos e é uma fonte de presença do vereador responsável pelo uma piscina e pretendemos ampliá-lo, obrigação nossa deixarmos às nossas é hoje, pelo menos, o clube que tem despesa constante”. Por isso, já foi pelouro do Desporto, Nuno Freitas, de forma a podermos dar mais espaço gerações e às futuras a verdadeira mais gente no Pavilhão”, sublinha entregue, no ano passado, um projecto para informar que o Olivais está aos nossos atletas e a abrirmo-nos a história deste clube. Queremos Carlos Gonçalves. de remodelação e ampliação do disponível para construir uma piscina. outras modalidades. Se fosse possível, conhecer a história do Olivais e dar a Profissionalizar a secretaria, Pavilhão na Câmara Municipal de “Com o Euro 2004 Coimbra vai ficar gostaríamos também de construir uma conhecê-la”, defende. desenvolver parcerias com a escola Coimbra. O presidente da direcção do praticamente sem piscinas, já que as área comercial, porque o Pavilhão tem primária local, criar regalias para os clube espera que, brevemente, possam do Estádio vêm abaixo. Nós estamos uma localização excelente e, tal como Sala Cyber-Atleta sócios, continuar a divulgar o jornal ser estudados, com os responsáveis da na disposição de criar no Pavilhão um está, é muito pouco convidativo”. no Pavilhão “Olivais Basquetebol”, investir no autarquia, “os passos a dar para que espaço para uma piscina, uma apetrechamento do Posto Médico, se possa arrancar com as obras do estrutura que faz muita falta neste Direcção quer Pôr a funcionar, no Pavilhão do manter a secção de ginástica e de Pavilhão”. local”, defende. criar Museu do clube Olivais, a Sala Cyber-Atleta, onde os campismo e criar a secção de karaté Na cerimónia de tomada de posse A remodelação e ampliação jovens poderão ter acesso às novas são também alguns dos projectos da da nova direcção do Olivais, Carlos prevista para o actual Pavilhão deveria Criar um Museu que possa recolher tecnologias informáticas e manter um direcção do clube. 85.º 19/04/02
  • 17. publicidade 19/04/02
  • 18. desporto Equipa sénior feminina é o “espelho” do clube fazer demonstrações. “O que nos interessa é que os jovens pratiquem Olivais FC quer continuar desporto, seja em que sítio for”, sublinha Carlos Gonçalves. a prestigiar a cidade de Coimbra Equipa sénior feminina em preparação A equipa sénior feminina é o reflexo do que melhor se faz no Olivais. Fundado em 1935, o Olivais Manter a qualidade deste plantel é, Futebol Clube começou por por isso, uma das principais preocupações do clube. Assim ser um típico clube de sendo, depois do segundo lugar bairro, onde a modalidade conquistado durante esta época, o predominante era o futebol, Olivais começa já a pensar na formação do plantel que irá como o nome ainda o representar o clube na I Liga de indica. Mas, foram poucos Basquetebol em 2002/2003. os anos que este clube Apesar de os dirigentes te- rem já conversado com algumas dedicou a esta modalidade e jogadoras, só no próximo mês é que acabou por ser o basquetebol que transformou o Olivais “no rosto da cidade”. Zilda Monteiro A história do Olivais é tão antiga que remonta ao tempo em que a televisão era ainda um bem de luxo, que só poderia ser encontrado nos cafés ou associações. Este clube nasceu assim num período em que as associações eram os principais pontos de O Olivais quer poder apresentar uma equipa forte para a próxima época, que continue a colocar o clube nos convívio e lazer. Não fugindo à regra lugares cimeiros da época, também o Olivais co- meçou por proporcionar à população Actualmente são mais de 210 Esta campanha de divulgação divulgadores do Olivais são os uns domingos diferentes, com a os atletas inscritos e que formam as é feita através da distribuição de próprios miúdos que andam no organização de tardes dançantes e de 12 equipas do clube. Para além de panfletos e desdobráveis informa- minibasquete”. vários convívios ao ar livre. ter todos os escalões em actividade, tivos pelas escolas primárias do Apesar de, neste momento, o Mas, longe vão os tempos em o Olivais orgulha-se de ter ainda 74 concelho e, nos últimos anos, o minibasquete ter já uma participação que a bola era jogada em campo de crianças inscritas no minibasquete, Olivais tem levado a alguns bastante razoável, um dos desejos da terra batida e num recinto aberto. 22 das quais raparigas, o que estabelecimentos de ensino algumas direcção do Olivais é poder aumentar Apenas as gerações mais velhas significa que são muitas as crianças das “estrelas” das equipas seniores ainda mais este número. Para tal, guardam as memórias dessa época, que gostam de praticar basquetebol que se encarregam de transmitir aos conta com a colaboração dos pais do tempo em que no Olivais a bola e que, no futuro, garantirão a mais pequenos a magia do basque- que, muitas vezes, têm que fazer um era chutada com o pé. Apesar de se continuidade do clube. tebol. esforço suplementar para acom- ter iniciado com o futebol, foi o “Para atrair mais crianças, Carlos Gonçalves defende que panharem os filhos, três vezes por basquetebol que se revelou na costumamos fazer campanhas nas esta campanha é muito positiva, já semana, aos treinos. Rua Virgílio Correia, 1 modalidade de referência do clube e escolas mas são os miúdos que que “se souberem que o clube está Outra das ambições do Olivais actualmente a equipa sénior femi- acabam por fazer a maior divul- dinâmico e activo os alunos acabam passa por, no âmbito do desporto (Celas) nina é uma referência a nível gação”, explica Carlos Gonçalves, por vir”, mas entende que, sem escolar, fazer um intercâmbio de 3000-413 COIMBRA nacional. presidente do clube. qualquer dúvida, “os maiores clubes que permitisse ir às escolas COZINHA ARTESANAL O Sabor quente da tradição Caldos e Sopas Aferventados Petiscos Tradicionais Grelhados Mistos Vinhos Regionais a Copo R. Combatentes da Grande Guerra, 86 Tel. 239 716 265 • Fax 239 780 034 3000 COIMBRA Encerra ao sábado Praça do Comércio, 77-78 – Tel. 239 840 381 COIMBRA 19/04/02
  • 19. desporto Câmara de Coimbra. O subsídio que a Câmara Municipal tem atribuído nos últimos dois anos à equipa sénior feminina é, segundo Carlos Gonçalves, “fundamental mas insuficiente”. Para além deste apoio, o Olivais conta também com a colaboração de empresas da região que são “fundamentais para aguentar o clube”. Os pais dos atletas inscritos no Olivais são também muito impor- tantes em termos financeiros, dado que cada atleta, dos minis aos juniores, paga uma mensalidade de cerca de 12,50 euros. Clubes não têm que substituir Estado Para Carlos Gonçalves o governo deveria apoiar os clubes que se empenham na formação dos jovens. No seu entender, “não é justo que sejam os os clubes a substituir o próprio Estado”. “Na sociedade actual, com todos os perigos e desvios menos positivos que existem para os jovens, penso que o Estado tem obrigação de apoiar. Não basta estar sentado na poltrona a elogiar os clubes e depois A equipa sénior feminina é o reflexo do que melhor se faz no Olivais não aparecer dinheiro nenhum”, defende Carlos Gonçalves. Mas, apesar de todas as difi- próxima época, que continue a vários escalões, que irão representar Temos que manter a procura culdades, o clube continua a prestigiar colocar o clube nos lugares cimeiros. o clube na época de 2002/2003. constante de donativos e patrocínios a cidade. Ao assumir a direcção deste “Se tudo correr bem, em finais de e a gestão diária do clube tem que clube histórico, Carlos Gonçalves a época começa a ser preparada. Para Maio devemos ter a equipa cons- Projectos têm que ser ser muito rigorosa e transparente. deixa uma mensagem a todos os Carlos Gonçalves “é natural que em tituída. O nosso objectivo é levar o “financeiramente suportáveis” Não podemos, de forma alguma, olivanenses e a toda a cidade de cada época entrem e saiam Olivais o mais longe possível, por- criar situações que, por muito boas Coimbra para que “apoiem este clube jogadoras”, apesar de defender que que também temos consciência de À semelhança do que se verifica com que sejam desportivamente, nos que representa tão dignamente a “o ideal era mantermos sempre o que temos a equipa mais barata da outros clubes da cidade, também o possam vir a criar dificuldades cidade e que está apostado em desen- mesmo plantel e a mesma qualidade Liga. Acima de tudo queremos ter Olivais atravessa alguns problemas financeiras inultrapassáveis”, frisa volver-se, mas absolutamente inte- que foi obtida com este grupo, que uma equipa que continue a dignificar financeiros. O Olivais continua, Carlos Gonçalves. grado na comunidade. Nós sozinhos tem respondido muito bem, que é o nome do Olivais” – explica. segundo Carlos Gonçalves, “numa Para poder ultrapassar estas não queremos andar, queremos andar muito forte”. O próximo plantel vai ser situação financeira bastante comp- dificuldades, o clube quer “reforçar é com pessoas. Elas que venham ter Mesmo sem adiantar muitos apresentado em Setembro, no licada”. o apoio que tem sido dado pelas connosco que nós vamos também ao pormenores, Carlos Gonçalves próximo Encontro Gerações. Na “Apesar de no último mandato entidades oficiais”, nomeadamente encontro delas e vamos tentar dar-lhes afirma que o Olivais quer poder mesma altura, vão ser apresentadas o passivo não ter aumentado, o Governo Civil, Junta de Freguesia, o melhor de nós próprios. Por isso apresentar uma equipa forte para a também as restantes equipas, dos mantém-se acima do que seria ideal. Instituto Nacional do Desporto e venham ao Olivais. Vale a pena”. CONSTRUÇÃO CIVIL MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO VENDA DE ANDARES Jorge Lourenço, Limitada Parabéns a “O Despertar” pela passagem do seu 85.º aniversário Espírito Santo S. Martinho do Bispo Apartado 7028 3041-801 COIMBRA Tel. 239 981 338 Fax 239 982 372 19/04/02
  • 20. desporto III Gala do Olivais marcada para 11 de Maio “Troféus Olivais 2002” vão distinguir os melhores de 2001 Falta menos de um mês para a grande festa do Olivais Futebol Clube. A III Gala está marcada para o dia 11 de Maio e, uma vez mais, vai reunir, no Pavilhão do Olivais, todos aqueles que, directa ou indirectamente, estão ligados à história e evolução deste clube da cidade de Coimbra. “Acima de tudo queremos que o dia 11 de Maio seja realmente mais um dia de festa do clube e mais um factor de união da grande família olivanense”, sublinha Carlos Gon- çalves, presidente do Olivais. Esta festa deve ser, no seu entender, muito mais do que uma mera noite de entrega de prémios. Para Carlos Gonçalves, o importante “é reunir, uma vez mais, todos as pessoas que passaram pelo clube e que a ele permanecem ligadas de forma a trocarem-se experiências e a reviverem-se alguns momentos marcantes do clube”. Assim sendo, na noite de 11 de Maio o Pavilhão do Olivais deve voltar a encher-se de pessoas de dação e pô-los a conviver com os entrega dos “Troféus Olivais 2002”, Olivais decidiu atribuir uma nova nacional que, de acordo com Car- ambos os sexos e das mais variadas nossos atletas de hoje, desde os um prémio que distingue o trabalho distinção, o “Troféu Prestígio Na- los Gonçalves, “ainda está em estu- idades. “Vamos poder contar com miúdos do minibasquete aos jovens desenvolvido ao longo da época cional”, que foi entregue a Mário do”. várias gerações que passaram pelo das equipas seniores”, explica Carlos passada pelos atletas, seccionistas, Saldanha, presidente da Federação A direcção espera que partici- clube. Vamos poder reunir algumas Gonçalves. técnicos, dirigentes e outras perso- Portuguesa de Basquetebol. A 11 de pem nesta Gala entre 350 a 400 das pessoas que estiveram no Olivais São todas estas personalidades nalidades ou entidades da cidade. Maio este prémio vai ser novamente pessoas. praticamente na altura da sua fun- que vão poder assistir também à No ano passado, a direcção do atribuído a uma personalidade ZM INSTITUTO NACIONAL PARA APROVEITAMENTO DOS TEMPOS LIVRES DOS TRABALHADORES Tempo Útil – Tempo Solidário INATEL - DELEGAÇÃO EM COIMBRA Actividades Culturais e Desportivas-2002 ACTIVIDADES CULTURAIS: Folclore e Etnografia (Maias, Doces e Cantares); Música Clássica e Popular; Concertos de Coros e Orquestras; Maio Coral; Teatro: XII Ciclo de Teatro da Primavera; 17.º Ciclo de Teatro de Outono; Cursos de Aperfeiçoamento Teatral; Plano de Apoio à Música Amadora; Escola de Lazer: Cursos de Cerâmica, Artes Decorativas, Pintura, Gravura, Pintura de Azulejo, Esmaltes Artísticos, Escola de Música, Escola de Instrumentos Tradicionais; Audições Musicais; Exposições/Colóquios/Visitas Guiadas. FEIRA MEDIEVAL DE COIMBRA - 15 DE JUNHO ACTIVIDADES DESPORTIVAS: Andebol, Atletismo, Basquetebol, Cicloturismo, Damas e Xadrez, Futebol, Futebol de 5, Ginástica, Judo, Malha, Natação, Pesca de Rio e de Mar, Ténis de Campo e de Mesa; Desporto Aventura (BTT, Escalada, Canoagem, Marcha). TURISMO SOCIAL - Interno e Externo PROGRAMA PARA SÉNIORES: Turismo Sénior: De Outubro/2002 a Abril de 2003 19/04/02
  • 21. Director Regional do IAPMEI a “O Despertar” Prémios PME – Excelência constituem orgulho e imagem de marca duma empresa O Director Regional do Centro IAPMEI classifica o Estatuto PME-Excelência como orgulho e imagem de marca das empre- sas premiadas. Em entrevista que concedeu a “O Despertar”, António Gomes enaltece os benefícios que resultam da atribuição do galardão, acredita que o Euro/2004 se projecta no futuro da região, salientou o papel do Centro de Formalidades de Empresas de Coimbra e abordou o sistema de incentivos como factores de discriminação positiva em sectores empresariais desfavorecidos em determinadas áreas. P - Que importância as- P - A banca patrocina o even- deve esse facto? sumem os troféus PME Excelên- to? R - Exactamente pela razão de cia no contexto do sector em- R - Também, mas não só. que cumprem os pré-requisitos de presarial abrangido pelo Tratando-se duma parceria, acontece candidatura. De resto, há empresas IAPMEI? que as empresas, uma vez galardoa- que recebem o prémio desde que este AG – Efectivamente, o das, tanto o IAPMEI como a banca foi criado, o que quer dizer que não IAPMEI promove todos os anos a concordam que as mesmas empre- é apenas agora que demonstram a atribuição do Estatuto PME sas reúnem os requisitos para sua performance, na manutenção dos Excelência que se destina a distin- atribuição do prémio que traz um rácios de natureza económica e fi- guir as pequenas e médias empresas conjunto de benefícios de que se nanceira que são exigidos para que que tiveram o melhor desempenho destacam melhores condições de possam ser Excelência. Ou seja não aos níveis económico, financeiro e acesso ao financiamento de projec- demonstraram oscilações no seu de gestão. Essa é a maior importân- tos em cada uma das áreas distingui- desempenho. cia que pode atribuir-se à iniciativa. das. Essa é uma das vantagens pro- porcionadas pelo PME-Excelência, P - O comércio esteve em P - Quem faz a avaliação? justamente porque a banca sabe que destaque no número de premiados R - Através de um conjunto de há menores riscos nos financiamen- no distrito de Coimbra. Há algum requisitos pré-estabelecidos e muito tos atribuídos. motivo especial? exigentes, no quadro de critérios ri- R - Não gostaria de particulari- gorosamente iguais para todo o ter- P - Concretamente, a nível do zar o distrito de Coimbra, já que o ritório nacional. A iniciativa é toma- distrito de Coimbra tem-se verifi- IAPMEI também abrange Aveiro, da pelo IAPMEI em parceria com cado alguma repetição na várias instituições bancárias. atribuição do galardão. A que se revestimento e pavimento em pasta branca carreaux de mur et de sol en pâte blanche wall and floor tiles in white body POCERAM – Produtos Cerâmicos, S. A. Apartado 1 – Cernache – 3000 COIMBRA (Portugal) Telefs. 239 949 330 - Fax 239 949 339 – Telex 53226 Email:pocer@poceram.pt • internet = www.poceram.pt 19/04/02
  • 22. entrevista Desde 1997 foram atribuídos 2.500 PME - Excelência A organização de um evento como da atribuição dos prémios Excelência ao sector empresarial, requer especiais cuidados, nomeadamente quanto ao material informativo que é enviado aos meios de comunicação social. O Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas Industriais (IAPMEI) sabe que é na divulgação e promoção que reside uma das mais importantes retribuições para as empresas que anualmente se esforçam por conseguirem corresponder aos requisitos de candidatura. Por isso, elaborou e distribuiu uma bem redigida nota de imprensa que os diferentes meios de comunicação social reproduziram e que resume o âmbito e objectivo da iniciativa. “Vão ser hoje (2002/02/06) distinguidas com o (15%), Leiria (11%) e Braga (6%). Nestes distritos estão Estatuto PME Excelência 2001, em cerimónia pública concentradas 70% das empresas premiadas. De referir que presidida pelo ministro da Economia, Luís Braga da Cruz, Aveiro é líder na Indústria e que Leiria registou uma subida 798 empresas dos sectores da indústria, comércio, apreciável no sector da Construção. construção, serviços e turismo. O perfil económico das empresas distinguidas é Trata-se da quinta edição deste estatuto, criado pelo caracterizado pelo facto de quase 90% empregarem menos IAPMEI com o objectivo de distinguir as PME nacionais de 100 trabalhadores. 22% destas empresas facturaram entre que se evidenciem pela qualidade dos seus desempenhos 2 a 5 milhões de euros e quase 30% registaram vendas económico-financeiros e de gestão nos diversos sectores superiores a 15 milhões de euros. Das actuais PME e actividade e que conta com a parceria do Instituto de Excelência, 44% viram o seu negócio aumentar entre 6% e Financiamento e Apoio ao Turismo, da Caixa Geral de 25%, e quase 20% têm taxas de crescimento na ordem de Depósitos, do Banco BPI, do Banco Comercial Português 25%. e do Crédito Predial Português. A satisfação dos clientes é o objectivo destacado pela Com um total de cerca de 1300 candidaturas, esta maioria dos empresários, seguindo-se a rentabilidade, a edição do Estatuto contou com uma taxa de aprovação excelência dos produtos e a boa relação preço/qualidade, o de 62%, o que constitui um salto qualitativo considerável que é revelador da maturidade empresarial no cumprimento em relação ao ano 2000. da sua missão, para além de constituir prova de uma clara do interesse ou não terão percebido O elevado número de candidaturas e a elevada taxa aposta na qualidade e de um reforço da sua competitividade que poderão tirar grandes aprovei- de aprovação revelam uma vontade por parte das empresas no mercado. tamentos da iniciativa. em adquirirem o estatuto de Excelência ou de o A aquisição de novas tecnologias e equipamentos e a renovarem, como acontece com 65% das empresas, mas melhoria da capacidade produtiva ou operacional foram Guarda, Leiria, Viseu e Castelo P - O turismo continua a ter é ainda confirmação do elevado perfil de qualidade da áreas prioritárias dos investimentos realizados, sendo de Branco. No entanto, julgo que a prin- pouca representação no número maioria das unidades que se propuseram. sublinhar ainda uma elevada taxa de investimentos na cipal razão será a de que existe um de empresas premiadas no distri- Os resultados apurados por mais esta edição da PME qualidade, muitos deles decorrentes dos processos de maior número de empresas no sec- to de Coimbra. Porquê? Excelência confirmam a mais-valia deste processo de certificação nestas empresas. tor do comércio, mas também R - Os PME – Excelência des- distinção das empresas que apresentam um desempenho O conjunto dos dados obtidos na análise das empresas porque antes de haver o prémio PME tinam-se a empresas e aos conce- económico e financeiro acima da média nacional, distinguidas em mais esta iniciativa do IAPMEI em parceria Excelência, o IAPMEI promovia o lhos em que têm sede. Acontece que, constituindo por isso mesmo exemplos e motores do com o Instituto do Financiamento e Apoio ao Turismo, Banco troféu PME Prestígio com menores realmente, há poucas empresas de tu- desenvolvimento merecedores de destaque. BPI, Caixa Geral de Depósitos, Crédito Predial Português e requisitos e que era dedicado à in- rismo com sede no distrito de Coim- Como já vinha acontecendo do passado, o sector do Banco Comercial Português, é prova de que as iniciativas dústria e daí que haja maior tradição bra, mas isso não quer dizer que aqui Comércio continua a liderar o número de distinções, 346 empresariais nacionais se pautam cada vez mais por um neste sector empresarial. Quer di-zer, não operem muitas outras, num ao todo, mais 11% que na edição anterior. Crescimento elevado padrão de exigência e qualidade, única garantia para o comércio, construção, serviços e leque extremamente diversificado. igual foi alcançado pelo sector da Construção que regista vencer os desafios de uma economia em acelerada turismo ganharam um novo fôlego Como se sabe, neste sector de acti- 100 empresas com o galardão Excelência. No sector da globalização. desde que o PME Excelência foi vidade as empresas têm, normal- Indústria são distinguidas 256 empresas, no dos Serviços Com esta quinta edição da PME Excelência atinge-se cria-do há quatro anos. mente, sede em Lisboa. 29 e no do Turismo 67. o recorde de mais de 2500 atribuições do galardão desde o Quanto à distribuição geográfica das empresas arranque desta iniciativa em 1997, que tem permitido P - O número de premiados P - A que se deve o facto de a apuradas, a maior parte estão localizadas na Região Centro promover mecanismos de qualificação do tecido empresarial, reflecte a realidade empresarial da nível nacional ter sido a região cen- (31%), seguindo-se a zona Norte (30%) e, por fim, a não só através da notoriedade dada às empresas distinguidas, região? tro a que mais empresas viu pre- Região de Lisboa e Vale do Tejo (28%). Numa distribuição mas ainda através de um conjunto de benefícios atribuídos R - Acredito que há muitas mais miadas em Santa Maria da Feira? geográfica por sector de actividade, verifica-se que o pelas entidades parceiras envolvidas, dos quais se destacam empresas com desempenho de Ex- R - Desde logo o mérito é das Comércio é preponderante na Região de Lisboa e Vale as condições de financiamento proporcionadas pelos bancos celência, mas o certo é que não se próprias empresas e ao IAPMEI do Tejo, a Construção lidera na Região Centro, a Indústria e o acesso preferencial a instrumentos de inovação financeira, candidatam. compete-lhe fazer uma boa divul- tem a sua mais forte presença na Região Norte, os Serviços como capital de risco e a garantia mútua. As empresas gação. Acredito que isso tem sido estão mais concentrados na Região de Lisboa e Vale do galardoadas constituem ainda um alvo preferencial do P - Porquê? decisivo para que continuemos a ter Tejo e o Turismo continua a apostar também nesta zona desenvolvimento do Programa de Inovação Financeira e de R - Por um lado porque há mui- cerca de 30 por cento das empresas do país. outras políticas públicas, caso do Sistema de Incentivos à tas empresas não atentas a estas ini- Numa distribuição por distritos, Lisboa e Porto Modernização Empresarial (SIME) e do Sistema de ciativas e deixam esgotar os prazos representam, respectivamente, 19% e 17% do total das Incentivos a Produtos Turísticos de Vocação Estratégica de candidatura, por outro há as ou- empresas distinguidas, seguindo-se os distritos de Aveiro (SIVETUR).” tras às quais ainda não foi desperta- F. MORAIS & MORAIS, LDA. COIMBRA O seu concessionário em: FIGUEIRA DA FOZ • CHAVES Casa Baltazar 239 829 908 233 828 328 • FECHADURAS Comércio de Chaves, Lda. NISSAN • COFRES Felicitamos “O Despertar” pelo seu 85.º aniversário Rua Fernandes Tomás, 30 (ao Arco de Almedina) COIMBRASHOPPING O RENASCER DO ESPÍRITO AUTOMÓVEL Telef. 239 822 447 – Fax 239 835 247 Loja 129 - Telef. 239 404 500 COIMBRA 19/04/02
  • 23. entrevista Região Centro com 247 empresas premiadas galardoadas a nível nacional que este Nos seis distritos que integram a área de intervenção da Delegação Regional do Centro do IAPMEI foram contempladas com ano atingiu o total de 798, tendo-se registado 1.300 candidaturas. o Estatuto de PME Excelência 2001, 247 empresas distribuídas pelos seguintes sectores: Comércio-97; Indústria-95; Construção- 38; Turismo-11; Serviços-6. PoR esta mesma ordem sectorial, aqui ficam as empresas premiadas no distrito de Coimbra. P - O que é preciso para que na próxima edição haja ainda Designação Sector CAE Nº Trab V.Neg. Act. Liq. Concelho Distrito maior número de empresas can- didatas? A. Baptista de Almeida, Lda. Construção 45212 90 10.368.059 6.702.114 Coimbra Coimbra R - O IAPMEI organiza cam- AMMA - Indústria de Confecções, S.A. Indústria 18221 242 7.972.181 7.694.734 Arganil Coimbra panhas concertadas e cada vez mais Automóveis do Mondego, Lda. Comércio 50100 44 8.354.094 2.300.475 Coimbra Coimbra fáceis, justamente porque as candi- B.B.F. - Tecnologias do Ambiente, Lda. Construção 45212 14 3.440.869 1.778.090 Coimbra Coimbra daturas já podem ser apresentadas Barata & Marcelino - Instalações Eléctricas, Lda. Construção 45310 94 2.498.556 1.272.755 Coimbra Coimbra via internet. Mas mais importante Carlos Alberto da Fonseca Neto, Lda. Comércio 51540 11 2.747.875 1.126.540 Cantanhede Coimbra que isso será que as empresas ana- CLIMACER - Climatização do Centro, Lda. Construção 45330 36 2.115.027 1.565.155 Coimbra Coimbra lisem as várias razões que têm para Coimbra Editora, Lda. Indústria 22110 60 2.810.624 2.313.846 Coimbra Coimbra se candidatarem. Uma empresa Coimpack Embalagens, Lda. Comércio 51700 28 2.966.585 2.024.379 Coimbra Coimbra galardoada tem, desde logo, um es- Cristovão Belfo & Filhos, Lda. Turismo 55121 22 977.022 4.365.532 Coimbra Coimbra tatuto publicamente reconhecido, CRITICAL SOFTWARE, S.A. Serviços 72100 48 1.161.507 847.550 Coimbra Coimbra uma vez que é promovido por orga- DOMINÓ - Indústrias Cerâmicas, S.A. Indústria 26302 170 16.380.635 18.571.449 Condeixa Coimbra nismos acima de qualquer suspeita, EFAPEL - Empresa Fabril de Produtos Eléctricos, S.A. Indústria 31202 191 8.272.597 9.222.373 Lousã Coimbra que lhe permitirá afirmar a sua ca- ELECTROCLIMA - Electricidade e Climatização, Lda. Construção 45330 51 3.052.983 1.671.965 Coimbra Coimbra pacidade económica e financeira no Fonseca Santos & Ralha, Lda. Indústria 28401 48 1.723.098 1.475.725 Coimbra Coimbra mercado. De resto, não é por acaso que muitas das empresas premiadas GONFIL - Armazenistas e Import. de Material Eléctrico, S.A. Comércio 51430 20 6.505.345 3.313.630 Coimbra Coimbra utilizam o logotipo do PME Ex- GRAFIMBRA - Centro de Equipamentos Gráficos, Lda. Comércio 51640 12 1.145.440 1.061.962 Coimbra Coimbra celência impresso em cartas e enve- Guilherme Gonçalves Correia & Filhos, Lda. Construção 45212 41 1.127.700 2.715.517 F.Foz Coimbra lopes e em documentos diversos. É INDUCERÂMICA - Indústrias de Cerâmica, Lda. Indústria 26402 32 2.532.412 4.164.703 Poiares Coimbra orgulho e referência dessas mesmas Isidoro Correia da Silva, Lda. Construção 45230 93 10.684.341 6.482.308 Miranda Coimbra empresas. Por outro lado, a própria J. Carranca Redondo, Lda. Indústria 15913 18 4.780.442 8.599.084 Lousã Coimbra sociedade deverá saber quais são as LITOCAR - Automóveis do Litoral, S.A. Comércio 50100 61 25.962.025 6.126.807 Figueira Coimbra empresas que melhor se posicionam M.S.C. - Sociedade de Equipamentos e Veículos, S.A. Comércio 50401 13 3.934.538 3.288.190 Cantanhede Coimbra nos seus sectores de actividade. O Madeira & Maceira - Import. Ferragens e Ferramentas, S.A. Comércio 51610 59 15.220.838 11.100.772 Coimbra Coimbra prémio serve ainda como incentivo MATOBRA - Materiais de Construção e Decoração, S.A. Comércio 52463 50 8.259.363 3.753.570 Coimbra Coimbra para que outras empresas atinjam os MONTAEL - Materiais de Construção e Representações, Lda. Comércio 52463 24 3.485.302 1.799.598 Coimbra Coimbra objectivos inerentes aos pré-requisi- Os Novos Construtores de Cidálio Soares Ramos, Lda. Construção 45211 45 3.717.284 1.236.221 Cantanhede Coimbra tos de candidatura. Passe Partout - Viagens e Turismo, Lda. Turismo 63300 6 895.224 615.268 Coimbra Coimbra Paul Stricker & Filhos, Lda. Comércio 51700 18 5.520.578 4.100.312 Coimbra Coimbra P - Concorda com o quadro PAVICER - Pavimentos Cerâmicos, Lda Indústria 26610 36 4.213.872 3.153.196 Tábua Coimbra derrotista e mesmo alarmista com PORTEPIM - Sociedade de Representações, Lda. Comércio 51190 11 3.288.041 2.231.747 Coimbra Coimbra que determinados sectores classi- Quitério & Filhos - Fábrica de Quadros Eléctricos, Lda. Indústria 31202 82 3.122.236 1.575.826 Mira Coimbra ficam o estado em que se encontra REAL CERAMICA - COMÉRCIO E INDÚSTRIA, SA Indústria 26213 128 2.576.075 3.182.459 Coimbra Coimbra o tecido empresarial de Coimbra? Restaurante O Peleiro, Lda. Turismo 55301 12 496.848 389.940 Figueira Coimbra R - Todos sabemos que as coi- Serafim Ramos, Lda. Comércio 52432 21 1.353.188 1.207.633 Coimbra Coimbra sas não têm corrido de feição para SOGESSO - Sociedade de Gessos de Soure, S.A. Indústria 14122 22 1.594.401 2.124.409 Soure Coimbra algumas empresas de Coimbra. Mas Somaro, Lda. Comércio 52487 30 4.511.233 809.665 Figueira Coimbra não é ao Estado que cabe a gestão SOMITEL - Representações e Montagens Industriais, S.A. Construção 45310 48 2.747.245 2.658.990 Figueira Coimbra das empresas que, obviamente, com- SOREFOZ - Electrodomésticos e Equipamentos, S.A. Comércio 51430 62 24.928.653 13.699.126 Figueira Coimbra pete aos seus gestores. Ao Estado e SOTINAR - Sociedade de Representações de Tintas, Lda. Comércio 52462 11 1.555.932 742.391 Coimbra Coimbra diferentes outros órgãos de poder SULPASTEIS - Com. Ind.de Prod. Alim. Congelados, Lda. Indústria 15130 61 2.147.157 1.554.642 Arganil Coimbra Tipografia Lousanense, Lda. Indústria 22220 61 1.570.291 1.552.808 Lousã Coimbra Vetagri Alimentar, S.A. Comércio 51331 15 13.808.047 5.695.043 Cantanhede Coimbra INSTITUT OPTICO LABURCOL Sociedade de Empreendimentos ÓPTICA MÉDICA Urbanísticos, Lda. TIPOLOGIAS DIVERSAS E ÁREAS COMERCIAIS Sede: Av. Fernão de Magalhães, 584-3.º A R. Alexandre Herculano, 4 • Tel. 239 825 702 Telefone 239 820 881 - 239 826 707 3000-019 COIMBRA 3000-174 COIMBRA CRISLANA CRISTAIS E PORCELANAS, LDA. - 1987 - 1992 - 1992 - Galardoada com o prémio “CULTURA” (Distrito) pela Rádio Comercial de Leiria Galardão da Câmara Municipal de Leiria por serviços prestados à Cultura Homenagem, com medalha, da Freguesia do Arrabal, por ocasião do seu IV Centenário PARA SEU PRÓPRIO INTERESSE VISITE TODAS AS SEMANAS 1993 - Homenagem e entrega de Galardão pelo Lions Club de Leiria 1997 - Da Casa Museu Maria da Fontinha no “Centenário do nascimento da sua Patrona”, dois AS MONTRAS DESTE ESTABELECIMENTO Galardões para Capitel e seu Director, por relevantes serviços prestados à Cultura. (Se passar frequentemente por Leiria, certifique-se) CRISLANA “LOCAL DE PRESENÇA ARTÍSTICA PARA RECREIO DO ESPÍRITO” “UM MUNDO DE COISAS E COISAS DE TODO O MUNDO” Sede e Escrit.: Rua Duarte Pacheco, 10 - Telef.: 244 832 499 - Fax 244 811 261 - 2400 LEIRIA R. Eng. Duarte Pacheco, 12-2.º – Telefone 244 832 499 - Fax 244 811 261 - 2400 LEIRIA 19/04/02
  • 24. entrevista Empresas em Coimbra, enquanto municipais mais ou menos dinâmi- entidade com a finalidade de facili- cas no incremento do sector em- tar a criação de empresas. Ora, nes- presarial. No caso concreto de cabe a tarefa de criarem as condições ta matéria, Portugal foi dos países da Coimbra, como estão as coisas? para que essas empresas cresçam em União Europeia que maior evolução R - A minha direcção é a nível do rentabilidade e competitividade num teve neste sentido, ou seja, na centro e não de um caso como Coim- quadro de sustentabilidade. Ora, os redução dos custos com a formação bra. De qualquer forma, relativa- instrumentos legais de apoio colo- duma empresa e, principalmente, na mente aos programas que foram exe- cados ao dispor das empresas são redução do tempo que demora a sua cutados ao abrigo do URBCOM e iguais em todo o país e Coimbra não constituição que, em Portugal é hoje PROCOM, são casos em que está foge à regra. Acontece que nalgumas inferior a 25 dias, quando há cinco envolvido o IAPMEI, Direcção Ge- regiões e em certos sectores de ac- anos, demorava largos meses. Desde ral do Comércio, Associações Co- tividade há maiores ou menores di- a sua criação foram formadas em merciais e as Câmaras Municipais. ficuldades. As intervenções que po- Coimbra 11.000 empresas, das quais Nesta matéria, todas as instituições dem ser feitas pelos órgãos do poder 3.500 estão sediadas em Coimbra envolvidas enquanto parceiros inte- nas empresas só ocorrerão quando onde se tem verificado um elevado ressados nestes programas têm fun- estas solicitarem apoio e depois de nível de empreendorismo. cionado bem, justamente porque tem confirmado se há razões objectivas existido boa colaboração. para a sua concessão. Apesar de não P – Que política assume o competir ao IAPMEI foi possível IAPMEI junto das Câmaras Mu- P - Como encara o Europeu de estudar e implementar mecanismos nicipais, Universidade, Institutos Futebol 2004, no quadro da pro- de intervenção em diversas empre- Politécnicos e outras instituições moção e divulgação das potencia- sas. capazes de fornecer “massa lidades desta região que vai ter cinzenta” ao sector produtivo da três estádios envolvidos: Coimbra, P - Que áreas merecem ac- área da sua intervenção? Aveiro e Leiria? tualmente a atribuição de apoio às R - As funções do IAPMEI são R - Penso que a afirmação de países empresas? exercidas através de instrumentos como Portugal se fará com eventos R - Tal como já acontecia com legais que permitem a disponibiliza- que ultrapassem as suas próprias o II QCA (Quadro Comunitário de ção de sistemas de incentivos que fronteiras. É frequente irmos buscar Apoio), os instrumentos de apoio têm regras de âmbito nacional. To- a Expo/98 como exemplo de orgu- disponibilizados às empresas preten- dos estes instrumentos têm factores lho nacional, e sem pretender ser dem conferir-lhes mais competitivi- apoiar têm a ver com apostas na car uma transição na actividade de discriminação positiva no senti- muito original, julgo que o país tem dade e maior sustentabilidade qualidade, no ambiente, design, ino- empresarial em Coimbra? do de que as empresas localizadas agora a possibilidade de ser levado económica e são cada vez mais di- vação e formação profissional. R - Isso é inexorável. Tal como em regiões em que o desenvolvimen- a todo o mundo. E como é que isto é rigidos a cenários concorrenciais no as pessoas, acontece que algumas to é menor, nessas zonas as empre- quantificado, que valor vamos espaço comunitário e mesmo a ní- P - Não lhe parece estranho empresas também têm uma fase de sas têm majorações em diferentes atribuir a este fenómeno de afir- vel mundial. Ou seja, os incentivos que tenhamos o maior número de nascimento, desenvolvimento mais vertentes. Quanto à articulação do mação e divulgação de Portugal? A público estão cada vez mais selec- empresas galardoadas enquanto ou menos longo e fim de actividade. IAPMEI com os agentes locais, este contabilidade não pode ser feita em tivos, pelo que se depreende que se- outras fecham as portas? O desejável seria que todas as em- organismo enquanto agência públi- torno da construção dos estádios e jam bem aplicados em prol do desen- R- Realmente, algumas encer- presas pudessem ser reconvertidas, ca intervém directamente junto das das receitas directas dos jogos. O volvimento económico e criação de raram, outras não estão em boa si- o que nem sempre é viável. empresas, enquanto instrumento de Europeu projecta-se muito para além riqueza. Há um número crescente de tuação, mas há muitas outras cujos dinamização para estimular a com- dessa aritmética simplista. Não sei empresas candidatas em áreas exclu- desempenhos se situam em excelente P - O processo de constituição petitividade e a modernização, ou quantas oportunidades destas terá sivamente produtivas que poderão nível cuja responsabilidade e mérito de empresas está hoje em dia mais então através das associações empre- uma geração para que se afirme no ser rentáveis, mas contrários ao do cabem aos seus gestores. facilitado? sariais. mundo numa imagem de credibi- ponto de vista dos critérios de R - Há cerca de quatro anos foi lidade e capacidade empreende- atribuição, em que os projectos a P - Acha que se está a verifi- criado o Centro de Formalidades de P - Na região centro há câmaras dora. MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA GOVERNO CIVIL DO DISTRITO DE COIMBRA Os órgãos de Comunicação Social assumem, a par com outras actividades, um papel fundamental na Sociedade de Hoje. São por excelência, o local privilegiado para a troca de ideias, funcionando como espelho da Região onde se inserem. O Bi-Semanário “O Despertar” é um claro exemplo desta realidade, que aliada ao rigor e à isenção no tratamento informativo, permitem a este jornal ser uma referência de Coimbra e do seu Distrito deste há 85 anos. Venho, por isso, saudar de forma efusiva, a passagem de mais um aniversário de “O Despertar”, com a convicta certeza de que Coimbra e o Distrito vão, por muitos anos, contar com a participação do Vosso Jornal no desenvolvimento da nossa região. O Governador Civil de Coimbra, Horácio André Antunes 19/04/02
  • 25. media A comunicação social e a medicina na fase aguda de uma lesão medular (*) referentes a Janeiro de 2001, existem 8.469 títulos de jornais e revistas e há ainda 22 publicações estrangeiras Confesso que só compreendi, verda- ção social é constituída por todas as registadas. Do conjunto dos títulos deiramente, o alcance da rasteira que formas inventadas pelo homem na temos: o Director do Serviço de Medicina busca do seu relacionamento através Jornais diários de informação Física e Reabilitação do Hospital da transmissão de mensagens. Sons, geral de âmbito nacional – A Capital Geral, Prof. Doutor Fernando Martins sinais de fumo, escrito na garrafa que (tiragem média diária em 99 de 31.000 me pregou, quando me vi confrontado as correntes marítimas levaram até exemplares; Correio da Manhã – com a responsabilidade de relacionar uma qualquer ilha de Robinson 102.000; Diário de Notícias – 79.000; a comunicação social com o lesionado Crusoé, pombos correios, telégrafo, Diário Económico- 18.000; Jornal de medular, no âmbito do programa geral telefone, telex, fax, jornais, revistas, Notícias – 138.000; O Comércio do da reunião Científica da Primavera. rádios, televisões, telemóvel ou Porto – 27.000; Público – 69.000; 24 Aceitei com muita honra, por três internet, foram, e são, formas de Horas – 45.000 . Quer dizer, se a estes ordens de razões: comunicação que unem o homem das 498.000 exemplares juntarmos os 20 • Colaborar modestamente num cavernas ao dos nossos dias. diários regionais com uma tiragem evento de âmbito internacional. Estamos a falar de um sector global de 135.400, teremos que • Tentar corresponder ao desafio extremamente sensível, capaz de diariamente são publicados em de enquadrar a comunicação social derrubar governos, denunciar, alertar, Portugal 633.000 jornais de infor- com o lesionado medular. formar, informar e assumir-se como mação geral. Contudo, deverá salien- • Sentir a adrenalina de quem se instrumento cultural e aproximação tar-se que há os jornais desportivos A propõe redigir um texto sem saber por dos povos. Bola, Record e O Jogo que obtiveram onde começar. Mas, que sector é este que no mesmo período (1999), tiragens Nesta medida, a presente alimenta sonhos de milhões de jovens globais diárias de 344.000. intervenção não extravase o plano em todo o mundo para um futuro Estamos perante este fenómeno: informal, e tão só visa contribuir para profissional incerto, arriscado e mal mais de metade do total dos jornais a mútua reflexão de questões em que, pago em Portugal? diários vendidos em Portugal, são obviamente, todos estamos social- Inundam as Universidades desportivos, segundo números obtidos mente envolvidos. adquirindo formação superior e pelo ICS tendo por base 7.528.000 Ora, porque pertence ao Lesiona- chegam, às fornadas, com canudos indivíduos com mais de 15 anos. do Medular em 2001 a razão fun- debaixo do braço, à deriva no Quanto às publicações semanais damental deste Congresso, e porque desemprego. de maior tiragem temos: sobre isso, se debruçarão os es- Ao contrário do que possa Maria – 310.610 ; Nova Gente – pecialistas aqui presentes, limitar-me- acontecer com quaisquer outras 164.973; Telenovelas – 142.802; ei a construir a notícia em pirâmide profissões, por que será que ninguém Expresso – 141.029; Caras – 126.998; invertida, na fundada expectativa de se incomodará que lhe chamem de TV Guia – 126.821; Visão – 85.679. que no final possa “dar o seu a seu repórter, redactor ou mesmo jornalista, À imprensa foi vaticinada a pena dono”. Ao corpo da notícia atribui- mesmo que não passe de mero de morte com o aparecimento da rádio remos os entretítulos: comunicação correspondente de aldeia numa folha nos idos anos 30, mas desde logo se social; imprensa; rádios; televisões; paroquial? verificou uma efectiva complemen- agências noticiosas; o lesionado Por que será que por aí, nos taridade: a rádio ouve-se em directo e medular. secretariados de um qualquer certame as edições em suporte de papel ou comercial, industrial ou turístico, o electrónicas, lêem-se quase em directo, A Comunicação Social trabalho de voluntários poderá ser ou seja on line em permanente retribuído com a oferta de um colete Vivemos num mundo de informação capaz de gerar fascínio no seio duma actualização e/ou reformulação. Genericamente falando, a comunica- estampado com “Press” que eles sistemática necessidade de se estar em cima do acontecimento A imprensa é a “alma mater” passeiam vaidosamente. seja na guerra em directo no Iraque Há, pois, a ilusão de notoriedade em 1990, na destruição da MIR ou em através do exercício duma profissão Castelo de Paiva. cujo poder só poderá medir-se pela mesma bitola com que se posicione em Que imprensa temos em Portugal? (*)Intervenção de Fernando Pinto, na qualidade de Responsável pelo Gabinete de sociedade. Imprensa do CHC, na Reunião Científica da Vivemos num mundo de Em Portugal, país em que os hábitos Primavera sobre o Lesionado Medular (Luso, informação capaz de gerar fascínio no de leitura estão claramente abaixo da Março/2001) organizada pelo Serviço de seio duma sistemática necessidade de média europeia, segundo dados do Medicina Física e de Reabilitação do Hospital se estar em cima do acontecimento, Instituto da Comunicação Social, Geral (Covões). IRTEL –Instalações de Rádio Televisão e Electricidade, Lda Rua Dr. Manuel Rodrigues, 33 Apartado 258 - Telefone 239 827 632 - Fax 239 834 011 3000 COIMBRA 67 anos ao serviço da Eurico Manuel Dias Mendes família bancária Rua Ferreira Borges, 103 Maria Luisa Ventura Ramos Adro de Baixo, 2 – Praça Velha Felicita e associa-se ao aniversário de “O Despertar” Telef. 239 853 050 – 3000-420 COIMBRA R. Visconde da Luz, 70 Telef. 239 822 501 Camisaria ESTRELA VERDE 3000 COIMBRA 19/04/02
  • 26. media arquiváveis, os sons da rádio são ortográficos ou então, como foi o caso efémeros, volatizam-se, mas têm recente de um diário lisboeta (24 da própria comunicação social inegáveis vantagens como mais Horas) que escreveu em manchete: constituindo padrão de referência adiante veremos. António Sampaio referindo-se ao para todos os outros meios. Uma outra faceta da imprensa actual Presidente da República O primeiro jornal português que ao longo dos anos nos vai Portuguesa. nasceu em 1641 com o seguinte título: deliciando, tem a ver com as célebres Outro tipo de gralha: esqueci- “Gazeta em que se relatam as novas gralhas ou coimbrinhas “calinadas”. mento da actualização na data de todas, que ouve nesta corte, e que Quem não recorda as traidoras cabeçalho o que implica gravíssimas vieram de várias partes no mês de quedas de simples letras que alteram situações documentais já que nesse dia Novembro de 1641”. por completo o significado de palavras não houve jornal, mas a data existe nos O jornal mais antigo ainda em que ficaram na nossa memória colec- anúncios que publicou. circulação, é o Açoreano Oriental tiva e que, por óbvias razões de decoro, Bom, mas é justamente na que nasceu em 1835, tem portanto aqui não poderemos reproduzir? imprensa que existe um campo privile- a vetusta idade de 166 anos. Mas também há outras gralhas giado de colaboração, diria mesmo de Enquanto os jornais constituem que resultam da ignorância e distração interactividade do cidadão perante a documentos palpáveis, consultáveis e de quem escreve, nomeadamente erros sociedade ou público alvo que pretende atingir, de- pendendo da maior ou menor receptivi- dade e estatuto editorial do jornal escolhido. No en- tanto, ninguém pode dirigir-se a um jor- nal sem que assu- ma a auto-respon- sabilização de quem escreve ou profere A rádio tinha e tem a vantagem de não possuir fronteiras, nem entraves declarações. físicos que lhe limitem o espaço de intervenção Importa aqui realçar a diferença que existe entre um vermos a um jornal criticando-o por pela empresa Sabatina junto do ICS, a jornal em suporte de esse facto. O jornal visado não publica Imprensa arrecadou 91.146.000 papel em edição e a concorrência assume tacitamente contos o que representa cerca de 40% electrónica e outros um pacto de não colaboração/agressão das receitas totais absorvidas pela ainda com actuali- se a ela se dirigir o presumível lesado. Comunicação Social que foi de zação permanente Os telhados de vidro impedem-no. 370.095.000 contos. “on line”. Em bom O Direito de Resposta será rigor, apesar da dife- comparável ao Livro de Reclamações A Rádio rença de estilos e que, obrigatoriamente, existe nos critérios editoriais, estabelecimentos de hotelaria. Quem Desde os idos anos 30, em que os todos eles terão o e como nos podemos servir deles? Em aparelhos passaram a ser “torneiras a mesmo objectivo de que circunstância? Onde está um deitar música”, a rádio conheceu se constituírem co- polícia para testemunhar o que períodos áureos dos relatos da II mo veículos de in- queremos escrever? Grande Guerra (Fernando Pessa), na formação, tentando Nestas incongruências do Resistência à Ditadura, nas Rádio conquistar mais au- sistema não se “apanham moscas com Novelas e em grandes transmissões de diência donde resul- vinagre”. O melhor mesmo será todo o mundo. tarão melhores re- dialogar, propor, sensibilizar o jornal A custos mais acessíveis, a rádio ceitas de âmbito para a divulgação duma causa, e tinha e tem a vantagem de não possuir publicitário. teremos a compensação na justa fronteiras, nem entraves físicos que lhe O papel funda- proporção da importância com que limitem o espaço de intervenção. Foi mental da imprensa soubermos a ele dirigir-nos. o “boom” dos artistas da rádio. E nacional e regional Por outro lado, refira-se que sob quando em meados da década de 50 perante a sociedade um determinado ponto de vista, para apareceu a TV, também aqui surgiram também passa pelo os Conselhos de Administração as Velhos do Restelo candidatos a Direito de Resposta melhores “notícias” de um jornal, são coveiros da rádio. Pelo contrário, a que, todavia, poucos os anúncios em diferentes formatos. rádio cresceu, fortaleceu-se e viria a cumprem, não lhe Normalmente, em primeiro transformar-se, em meados da década atribuindo o mesmo lugar, são paginados os anúncios ao de 80, na mãe prolífera de mais de 300 destaque nem loca- fundo das páginas e as notícias rádios locais. lização que o rigor desenvolvidas ou reduzidas consoante Apesar de existirem em Portugal da própria lei esti- o espaço que sobra. Um jornal não apenas duas rádios regionais (Rádio pula. Um desmenti- sobrevive com o preço de cabeçalho, Press no norte, e Rádio Regional de do formal, quando mas da sua carteira de publicidade. Lisboa SA), o certo é que nenhuma solicitado ao abrigo Uma página, num dia, poderá custar, das rádios locais quer ser tratada como do Direito de Res- em média, 100 contos em O Despertar, tal, já que restringe à área concelhia posta, perde-se nas 500 contos no Diário de Coimbra, ou da frequência que lhe foi atribuída. páginas dos con- 1400 contos no Jornal de Notícias ou tinuados. Não vale a Diário de Notícias. pena barafustar e Os números não mentem: só no muito menos escre- ano 2000, segundo dados divulgados 19/04/02
  • 27. media Um assunto poderá ser tanto ou que custam rios de dinheiro, a mais grotescamente “Subtil”, quanto desmentirem reportagens, por mais agressivos forem os desígnios exemplo, da TVI (in Diário de concorrenciais de disputa entre os três Coimbra 16/02/2001, página 15). Embora abusivamente, prefere assu- canais. Segundo o Direito de Resposta, o mir-se como rádio regional. Só assim poderemos compreender desmentido deveria ter ocorrido no A fazer fé nas audiências que as que séries portuguesas de excepcional mesmo jornal e com o mesmo rádios locais para si reivindicam e que, qualidade cénica e literária – O Conde impacto em que a notícia foi difun- de resto, constam nas suas tabelas de d’Abranhos, Alves dos Reis, Febre do dida. Mas isso, são conversas da publicidade, seria necessário que Ouro Negro, etc, não atinjam as treta! Portugal tivesse o triplo da população! audiências de outros programas que Se assim não fosse, como não Todas as rádios locais afirmam que há dez anos nunca teriam lugar na poderia deixar de ser repugnante que emitem do seu concelho mas que televisão portuguesa. Teresa Guilherme tenha afirmado abrangem, pelo menos, todos os que A ditadura dos cifrões não (Público 11/3/200) que “Quem tem estão à sua volta! permite, pois, que se transmitam ética passa fome?” E acrescentou Vejamos como está distribuído o (mais) programas culturais, formativos que não tem qualquer preocupação espectro a nível nacional, bem como e de verdadeiro entretenimento devido ética em relação ao Big Brother: os índices de audiência segundo dados à desenfreada concorrência dos canais “Nenhuma. Acho isso um disparate”, fornecidos pela Marktest, referentes ao vizinhos. Em armazém há suficientes disse. 3º Trimestre de 2000 e que, rela- encaixotados telenovelescos brasilei- Perante este desassombro, há tivamente aos três primeiros, são iguais ros ou mexicanos, ou musculosos um sabor amargo e profundamente em Lisboa e Porto: artistas para varrerem com metra- doloroso. Para todos os profissionais Num universo de 1.176.000 lhadoras o imaginário de crianças e que tentam pautar a sua actividade indivíduos com idades acima dos 15 adultos. pelos princípios que regem o Código anos, ouvem rádio 54,3 %, assim Enquanto as próprias televisões Deontológico do Jornalista distribuídos: Renascença 14%; não conseguirem autocontrolar-se, (Aprovado em 4 de Maio de 1993), Comercial 9,3%; RFM 5,7%; RDP nunca poderá verificar-se a desejada só poderá sentir-se um sentimento de 4,2%; outras estações 24,4%. eficácia duma legislação que, mágoa e revolta. O investimento publicitário em A notícia televisiva depende da teatralização que lhe é conferida e do peso dramático que se incute, susceptível de gerar fixação supostamente, deveria proteger-nos e Ainda que a televisão seja o todas estas rádios atingiu em 2000, o mesmo ressarcir-nos pela degradação papão das receitas publicitárias em montante de 25.293.000 contos. cultural e deformação comporta- Portugal, arrecadando em 2000, a E o que tem a ver o Lesionado poder, pelos vistos, quase não tem dezenas, centenas de operacionais que mental que estão a provocar nos importância de 221.906.000 contos, Medular com a rádio? limites exercendo simultaneamente prestavam à borla um serviço telespectadores. nada justificará que os cidadãos Para além de constituir uma fascínio e repulsa. permanente... às câmaras. Veja-se, por exemplo, que o sejam confrontados com esta inseparável companhia, capaz de Assistimos hoje a esta preo- A notícia estava moribunda mas sucesso do principal jornal agressiva impunidade patente no ajudar na sua reabilitação, a rádio cupante Tvdependência em que o era preciso manter aceso este informativo duma TV privada (SIC) nosso quotidiano televisivo. também é sensível à divulgação de sucesso audimétrico poderá depender, desmesurado e patético comporta- assenta em boa medida, em Tal como acontece com as iniciativas que venham em favor do por exemplo, de um confrangedor mento justamente porque das acontecimentos fictícios que ela cidades que, felizmente, já têm um Lesionado Medular. O que é preciso é grande irmão que nos espezinha e audiências resultavam as receitas da mesma encenou, quando perseguia ou mais dias sem automóveis, fornecer notícias à rádio, na pers- violenta como demências acorren- publicidade. o então Canal 1. Lembram-se das também as televisões prestariam um pectiva de estimular a sensibilidade tadas. Esse era o verdadeiro sentimento louras na manifestação da baixa elevado contributo à sociedade se que resulte em divulgação interve- Num belíssimo e agora terri- das televisões! Lisboeta que até os coitados dos tivessem a coragem de fechar, pelos niente e oportuna. velmente apelativo cenário duma A notícia televisiva depende da repórteres pensavam reais? E das menos, um dia em cada ano. O “Dê notícias suas” é um slogan ponte partida, ultrapassaram-se todos teatralização que lhe é conferida e do Paulas com tentações carnais no que aqui poderemos utilizar na os limites do tolerável: peso dramático que se incute, estágio da nossa Selecção de Agências Noticiosas verdadeira acepção da palavra. “Então, morreram-lhe quatro susceptível de gerar fixação. Futebol? pessoas na sua família. Como é que se A notícia não se difunde pelo que Pelos vistos, o público premiou Intencionalmente deixámos para o A televisão sente? E agora?”. Como abutres sobre vale, mas pelo número e tipo de aqueles que o traíram. fim as Agências Noticiosas. as presas, arrastaram-se intermináveis reações que possa provocar. A queda A primeira a existir em Esta é a janela mágica que, desde horas e dias em que as televisões de um andaime em Lisboa é mais Nesta “guerra”, se preciso for, Portugal, ocorreu em 31 de meados da década de 50, veio revoavam, espiolhavam, navegavam, “apetecida”, do que a inauguração de inicia-se o jornal da noite, cinco Dezembro de 1944, quando se deu revolucionar métodos e princípios, espreitavam. O que interessava era um centro de saúde no nordeste minutos antes das oito, compram-se início ao serviço noticioso prestado alterar hábitos e formas de vida, estar no ar, de preferência provocando transmontano. É nesse pressuposto “estórias”; ou noticia-se agora, já – pela Agência Noticiosa Lusitânia influenciar comportamentos, formar e ainda mais lágrimas nos rostos de dor, que os acontecimentos são alinhados para ser primeiro - aquilo que mais que serviu de veículo de propaganda deformar consciências, invadindo a explorando despudoradamente os na grelha informativa. A notícia logo será desenvolvido ou corrigido. do Estado Novo. Foi este serviço privacidade dos lares. Esta arma mais profundos sentimentos. E o que racional, limpa e escorreita só terá Acontece que com esta ganância, o poderosa e arrasadora, é desejada e será ainda mais revoltante é que as lugar depois de esgotadas todas as que carro anda na frente dos bois. E odiada, temida e respeitada. O seu televisões tiveram ali, às suas ordens, violentam a nossa consciência. depois vemos anúncios na imprensa Saúda “O Despertar” ÓPTICA AVENIDA pelas suas 85 primaveras – DE – Conceição & Silva, Lda. Av. Fernão de Magalhães, 429-D • Telef. 239 840 442 • 3000 COIMBRA XI CEIRARTE Ceira 30 de Maio Exposição /Feira de Artesanato a 2 de Junho A Junta de Freguesia de Ceira agradece a sua visita Inscrições abertas para a participação de artesãos Casa Santa Isabel ARTIGOS RELIGIOSOS – PARAMENTARIA – Rua da Sofia, 127-A Telef. 239 826 202 3000 COIMBRA 19/04/02
  • 28. media É neste grau de dificuldade que teremos de agir para que obtenhamos encerrado em 19 de Novembro de boa receptividade na divulgação de 1974 e criou-se a ANI (Agência toda a matéria susceptível de ser Noticiosa de Informação) que viria noticiada relativamente ao lesionado a encerrar em 1975, dando lugar à medular. ANOP (Agência Noticiosa Por- Se criticarmos as barreiras tuguesa). A partir de 1982 passaram arquitectónicas que se deparam ao a existir a ANOP, cuja extinção foi quotidiano do Lesionado Medular, vetada pelo Presidente da República, porventura não sairemos do lugar e a Notícias de Portugal (NP). A 28 comum de um “fait divers”. Mas, se de Novembro de 1986 foram as duas o Lesionado Medular for um meio agências fundidas na actual Agência de citação obrigatória junto dos Lusa – Cooperativa de Interesse poderes constituídos ou organismos Público e de Responsabilidade internacionais, então passará a ser o Limitada.” “quem” fulcral do lead, ou parágrafo Para que servem as Agências de inicial principal duma notícia com Informação? que se constrói o vértice da pirâmide. Apesar de não nos aperce- Por exemplo: bermos, há um extenso serviço de “A Associação Portuguesa de notícias produzido a nível nacional Lesionados Medulares entregou hoje e com correspondentes em todo o uma petição aos Deputados do mundo, que chega “on line” a todas Parlamento Europeu denunciando as redacções de jornais, rádios e graves deficiências no Sistema televisões que tenham acordo de Nacional de Saúde que lhes impede cooperação com a Lusa. de receberem adequado tratamento Precisamente por este motivo, nos Centros de Reabilitação Física. as mesmas notícias são publicadas O documento, subscrito por em diferentes meios. Sem a Lusa 30.000 lesionados medulares, dificilmente sobreviveriam inúmeros responsabilizam o Estado Português jornais especialmente regionais que por esta situação pelo que se não fazem do “jornalismo da cola e obtiverem resposta satisfatória às tesoura” a sua maior fonte de suas reivindicações, ameaçam re- notícias que publicam. correr ao Tribunal Europeu....” Quando o assunto o justificar, Apesar de não nos apercebermos, há um extenso serviço de notícias produzido a nível nacional e com Em resumo, na comunicação esta é a melhor forma de – através correspondentes em todo o mundo, que chega “on line” a todas as redacções social, a ficção está muito mais da Lusa - chegarmos a todos os próxima da realidade do que meios de comunicação social. E porque a Lusa tem contratos Um doente morreu na operação e a supostamente poderia julgar-se. Foi, por exemplo, o que de prestação de serviço público O Lesionado Medular família, alegando eventual mau Na partilha desta reflexão aconteceu relativamente ao primeiro assinado com o Estado, este atribui- acolhimento, em vez de escolher os conjunta fica-nos a sensação de que Implante de Carmustina, realizado -lhe, anualmente, indemnizações Todos sabemos que uma falha ou meios legalmente ao seu dispor, vai nos alongamos mais do que seria no Serviço de Neurocirurgia do HG compensatórias. No ano transacto, negligência num serviço vai merecer queixar-se às televisões? Então, cai recomendável mas, certamente, (in Revista do CHC edição Mar/Abr/ esse montante cifrou-se em 1.929.333 mais destaque mediático do que, o “Carmo e a Trindade”. menos do que os Lesionados 2000). A mesma notícia e a mesma contos. Trata-se duma verba signi- eventualmente, a sua inauguração. Em suma, o negativo é quase Medulares merecem da sociedade foto foram publicadas em diversos ficativa que, no entanto, passa Mil intervenções cirúrgicas correram sempre mais importante que o que os deverá ver com outros jornais e revistas. despercebida ao cidadão comum. bem? Óptimo, vai para a estatística: positivo. olhares. 19/04/02
  • 29. história Voluntários querem terminar Solidariedade Social, um efectivo apoio, nomeada-mente com uma refeição quente ao dia, aos sem abrigo de Coimbra. Para este projecto, para o o divórcio com a cidade de Coimbra qual já foi destinado um espaço físico nas instalações dos Voluntários, estão a congregar-se esforços e boas vontades de gente que voluntariamente se Foi com a pompa inerente mostrou interessada em colaborar. É ao dos dias festivos que a uma nova porta que os Voluntários vão Associação Humanitária abrir à comunidade. Uma outra iniciativa de dos Bombeiros Voluntários dinamização e sensibilização da de Coimbra festejou com importância desta instituição, vai ser gala, no passado dia 6 de levada a cabo junto das camadas mais jovens, com a realização de visitas de Abril, os seus 113 anos de estudo. vida. Mais que uma O vice-presidente da Direcção, efeméride a data serviu para João Jorge Gândara, acredita no êxito da medida: “Mostramos a casa, o que honrar os pergaminhos temos, o papel desempenhado na sua desta secular instituição história e o que pretendemos para o homenageando os homens futuro. No final, transportamos os que se vão distinguindo, jovens até ao Estádio Universitário onde lhe proporcionaremos um curto mas delinear linhas de acção no divertido passeio numa das duas presente e encarar o futuro relíquias que fazem parte do nosso que passa pela construção património automóvel e que são o Fiat e o Packard”. do novo quartel na rua que Tudo quanto seja para re- tem o seu próprio nome juvenescer, incrementar e solidificar o próximo da Estação Velha. relacionamento que se pretende entre os Voluntários e a cidade, será, Há no quotidiano dos Voluntários naturalmente bem vindo. É que, ao de Coimbra um facto incontornável que contrário de cidades, vilas e aldeias que lhe minou a influência que desde vêem nas suas corporações um dos sempre teve na cidade, que foi a criação adquiriram-se novas viaturas de corporação que nem sempre conseguiu que é por esse casamento de mais importantes sinais de orgulho de da Companhia de Sapadores Bom- combate a incêndios, sinistros e superar algum desalento interno que conveniência que deve seguir, pelo que sadio bairrismo, Coimbra terá de acabar beiros Municipais. Os tempos áureos transporte de doentes, incentivou-se a naturalmente se reflectiu em laxismo idealizou um slogan de acção que se com esse dilema que ela própria dos Voluntários definharam na justa auto-estima no seio do voluntariado na da sua vida interna. resume no seguinte: “Acabar com o alimentou com o facto de ter de viver medida em que se acentuou a sua verdadeira acepção da palavra, Mais que nunca é preciso trazer a divórcio cidade de Coimbra/Bombeiros com dois amores. Pois que assim seja, dispensabilidade perante uma popu- sensibilizou-se a cidade e os poderes cidade para a vida da instituição numa Voluntários”. num quadro de renovada vivência. E já constituídos e eis que está por dias a desejável cumplicidade de actuação em Quando esta edição especial agora, neste âmbito, aqui fica um recado lação que ainda hoje se questiona se à nova Direcção dos Voluntários: tal tem, de facto, necessidade de duas adjudicação da construção do novo que se congreguem esforços e se chegar às mãos dos nossos leitores, já quartel. Com esta obra está também a partilhem os frutos dessa interacção. E deverá estar em funcionamento, através como acontece com dezenas de corporações. Houve que fazer pela vida. Abriu-se a Secção de Taveiro, levantar-se uma alma nova numa a Direcção, recentemente eleita, sabe do recém criado Gabinete da Sempre a evoluir Esta é a nova imagem da sua Companhia de sempre. Uma Companhia que está sempre ao seu lado, sempre que é preciso, sempre onde é preciso. Uma Companhia que está sempre a evoluir Uma Companhia para toda a vida. Grupo Caixa Geral de Depósitos 19/04/02
  • 30. história corporações de que destacamos, nomeadamente, Lagares da Beira, Horta, Vila Nova de Oliveirinha, Tábua, Um fenómeno Penela, etc, construam uma página na Internet, enquanto instrumen- to indispensável à divulgação e chamado fogo aproximação do papel que cabe aos O fogo é um fenómeno químico que se caracteriza pela libertação de luz e Voluntários de Coimbra. De resto, foi a calor. partir da consulta em www.mr2000.pt Os elementos essenciais do fogo são o combustível (C) + calor (ºC) + e ainda em www.bombeiros.netro- oxigénio (O²), isto é, C+ºC+O²= fogo. polis.pt que elaborámos alguns dos Estes elementos costumam-se representar num triângulo para mostrar temas que fazem parte deste trabalhos que faltando um deles, não existe fogo. sobre os bombeiros. O combustível é o elemento que serve para a propagação do fogo e É fácil e, de hoje em dia, mais que são todos os materiais que se possam imaginar: madeira e outro material uma necessidade, a ausência desta lenhoso, solventes, óleo, papel, carvão, gás, etc.. “ferramenta de trabalho” passa a ser O calor ou temperatura de ignição dá início ao incêndio, mantendo e desprestigiante para todos quantos não favorecendo a sua propagação. estão familiarizados com esta auto- O oxigénio que está presente em todos os tipos de combustão é o estrada das comunicações deste mundo chamado comburente. O oxigénio provoca a “oxidação” necessária ao global. desencadear das chamas. Em alguns casos a “oxidação” é muito lenta e Porque ainda se vive a ressaca das sem chamas, como na ferrugem; no papel é mais rápida e com chamas: e na festividades do 113º aniversário, e explosão da dinamite é instantânea. porque a actual Direcção liderada por Pacheco Mendes só deverá saber com o que conta, a partir da assembleia geral A organização dos Bombeiros O “ponto de combustão” ou a temperatura mínima na qual os gases que se libertam dos corpos combustíveis, ao entrar em contacto com uma fonte de calor externa, entram em combustão e continuam a arder. que por estes dias deverá esclarecer As diferentes Associações de Bombeiros Voluntários organizam-se em Alguns produtos entram em combustão sem necessidade de uma fonte alguns mal entendidos herdados da Federações Distritais, e a nível nacional na Liga dos Bombeiros de calor externa. Começam a arder pelo simples contacto com o ar (“ponto gestão anterior, não será esta a melhor Portugueses, fundada em 1930 e com existência legal a partir de 1932. de ignição”). Por exemplo o éter se atingir uma temperatura de 180 ºC, altura para que se continue a “lavar Esta organização de âmbito nacional e de natureza privada foi instituída entra espontaneamente em combustão em contacto com o ar. roupa suja” em público quando é certo com o objectivo de congregar e representar a defesa dos seus interesses. Para que um material (combustível) comece ou continue a arder é que quem mais perde será sempre em Os Sapadores, Municipais e privados estão enquadrados por diversas necessário que exista uma fonte de calor. Um dos processos de acabar ou última instância uma instituição que só associações profissionais e sindicatos. As diferentes corporações estão evitar a sua propagação, é eliminar todas as formas de propagação de calor. no passado percorreram mais de 300 representadas a nível nacional pelo Conselho Superior de Bombeiros e a O calor propaga-se por condução, isto é, por contacto entre corpos. mil quilómetros em combate a nível das cinco regiões pelos Conselhos Regionais. Por exemplo, uma barra de ferro que tenha uma extremidade em contacto incêndios, emergências e acidentes por Para coordenar a nível nacional, sem retirar a sua autonomia em com uma fonte de calor provoca um incêndio nos materiais que estão em todo o concelho de Coimbra. relação às restantes estruturas do estado, o decreto lei 209/96, procedeu contacto com ela em todo o seu comprimento. Ora, nesse sentido, também nós à alteração da organização do Serviço Nacional de Bombeiros, (SNB), Propaga-se por contacto directo das chamas com os materiais que estão concordamos que a hora é de união de que através da Inspecção Superior de Bombeiros, (ISB), o seu órgão próximos. esforços para que, com optimismo e operacional criou os diferentes níveis hierárquicos e procurou criar Propaga-se por convecção, isto é, o ar quente de um incêndio torna-se perseverança se encarem os projectos condições de normalização de procedimentos, de modernização dos mais leve e ao deslocar-se provoca incêndios. As copas dos pinheiros mais que se colocam ao futuro da Associação meios, de criação de uma rede de informações e de articulação com outras altos podem começar a arder depois de aquecidas, porque o ar quente Humanitária dos Bombeiros Volun- instituições (Instituto de Meteorologia, Comissão Nacional Especializada provoca esse aquecimento e a sua ignição. tários de Coimbra. de Fogos Florestais, Direcção Geral de Florestas e Centro Nacional de Dessa forma, todos estaremos a Informação Geográfica). dar um decisivo contributo para que se A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Coimbra acabe o desejado divórcio dos fazem naturalmente parte da Federação Distrital de Coimbra. Voluntários com a cidade de Coimbra. rtar” Despe nos, l “O s 85 a a rna os seu defes egião o jo m d o à ua r Murteira - Variante de Cernache a licit assage dicad ra e s 3040-120 COIMBRA - Portugal e F la p re de imb Telef.: + 351 239 802 100 pe semp e Co Fax: + 351 239 802 109 E-mail: info@jomascri.pt d usas Homepage: www.jomascri.pt das ca POSTOS DE VENDA: Rua Mouzinho de Albuquerque, 68 - 3030 COIMBRA e Lg. Ten. Reinaldo F. Leite - 3040 TAVEIRO 19/04/02
  • 31. história para diminuir o desenvolvimento do incêndio pelo efeito de abafamento que se recomenda que em caso de incêndio se fechem as portas dos compartimentos em chamas, afim de reduzir a entrada de ar ou oxigénio. O calor transmite-se ainda por radiação, espécie de ondas caloríficas Os métodos de extinção de incêndios dependem dos materiais que ardem. como acontece com o sol. Os incêndios dividem-se em 4 classes: Incêndio Classe A - inclui os incêndios em corpos ou materiais que deixam muitas cinzas: tecidos, madeira, papel, fibras, etc. A sua extinção Transmissão do calor faz-se por resfriamento, utilizando grandes quantidades de água. Para tornar mais eficaz a água misturam-se “opaficantes” ( produtos que têm nos combustíveis mais capacidade de resfriar), “emulsores” (produtos que dão à água maior poder de contacto) e “viscosantes” (produtos que contribuem para que a O conhecimento dos três elementos do “triângulo do fogo” e do modo como água penetre melhor nos materiais que estão a arder. Neste tipo de cada um deles contribui para o início e propagação do fogo, ajuda a tomar incêndios pode também ser utilizada a espuma e o pó seco dos extintores, medidas preventivas e a atacar com maior eficácia os focos de incêndio ou porque provocam o abafamento e evitam que o oxigénio continue a a evitar a sua propagação. alimentar a combustão. O incêndio só durará enquanto estiveram presentes. Para extinguir um incêndio basta retirar um desses elementos, ou seja, retirar o material ou do Incêndio Classe B - incêndios em líquidos derivados do petróleo e outros combustível, acabar com o calor ou resfriar o material que está a arder ou líquidos inflamáveis: gasolina, óleos, tintas e outros que quando ardem em contacto com o fogo, retira o oxigénio ou abafar o material que arde não deixam cinzas ou brasas. A sua extinção só pode ser feita por para que não entre em contacto com o ar. abafamento. Não pode ser utilizada a água, mas apenas as espumas e o Em alguns casos é fácil evitar a propagação de um incêndio retirando pó químico seco dos extintores. o material que começou a arder. Sobretudo quando o objecto se transporta facilmente e existe espaço para ser colocado sem risco de propagação. Incêndio Classe C - incêndios em equipamentos ou condutores eléctricos. O resfriamento é o processo mais utilizado para acabar com o incêndio Tem de ser utilizado um produto que não seja condutor de electricidade, ou evitar a sua propagação. A água é o elemento utilizado para fazer baixar isto é o gás carbónico, pó químico. Não pode ser utilizada a água ou a a temperatura dos materiais que ardem ou para evitar que os que estão em espuma porque são condutores de electricidade. contacto entrem em combustão. A extinção de incêndios por abafamento é o mais eficaz, mas apenas Incêndio Classe D - incêndios em materiais como o magnésio, o potássio. pode ser utilizado com pequenos focos de incêndio: pôr uma tampa no óleo o sódio, etc. Só podem ser extintos com materiais e métodos especiais, da frigideira que começou a arder, colocar um cobertor sobre o foco de que provocam o isolamento e impedem o contacto com o ar. O pó químico incêndio, cobrir de terra ou areia os materiais que começaram a arder. É é o único que pode ser utilizado. dos carpinteiros que tinham obrigação de acorrer ao fogo. há 113 anos, portanto. HISTÓRIA DOS BOMBEIROS Em 1646 a Câmara de Lisboa contratou os primeiros O Código Administrativo de 1936 estabeleceu a primeira Bombeiros remunerados. Esta data é por isso considerada o regulamentação jurídica de carácter global dos Corpos e Data de 23 de Agosto de 1395 o primeiro documento início da existência dos Bombeiros em Portugal. Em 1683 é Associações de Bombeiros (artigos 156º a 162º), que foi conhecido que se refere à organização em Portugal de um publicado o “primeiro regulamento do pessoal de incêndios”. consolidada pelos decretos-lei 35857 e 35746 de 1946. serviço de incêndios. A carta régia de D. João I ordenava que Em 1728 D. João V cria a “Companhia do Fogo” . Em 1976 foi criada a Comissão de Reestruturação do “se algum fogo se levantasse” os “carpinteiros e alafates A primeira Associação de Bombeiros Voluntários (B.V. Serviço Nacional de Bombeiros. Na sequência do XXII acorressem com os seus machados” e “as mulheres com os de Lisboa) foi criada em 1868, após várias reuniões na Farmácia Congresso dos Bombeiros em que participaram 5700 pessoas, seus cântaros ou potes de água para acarretar água”. dos Irmãos Azevedo, nas quais participaram várias foi criado o Conselho Coordenador do Serviço de Bombeiros, Em 1513 a Câmara do Porto estabelece um contrato com personalidades, entre elas Rafael Bordalo Pinheiro. posteriormente substituído pelo Serviço Nacional de alguns fiscais para verificarem se o fogo era bem apagado à Mas poucos anos passaram até que se fundasse em Bombeiros, pela votação unânime da Lei 10 de 1979 na noite. Em 1612 a mesma Câmara põe machados à disposição Coimbra a sua Associação Humanitária o que ocorreu em 1889, Assembleia da República. ORVELINO & FERREIRA, LDA. Av. Fernão de Magalhães, 446-1.º – Sala 4 – 3000 COIMBRA Telef. 239 840 174/5/6 – Fax 239 837 140 Rua Eng. Araújo Vieira, 15 - 3040 TAVEIRO Telef. 239 985 115/6 – Fax 239 985 117 Venha falar connosco! Não decida o seu futuro pelo TELEFONE! Quer pagar menos? Contacte-nos! Protocolos com várias seguradoras Somos mediadores das Companhias: • AÇOREANA / O TRABALHO • GLOBAL / BONANÇA • ALLIANZ • IMPÉRIO • ARAG - Protecção Jurídica • LUSITÂNIA • AXA • MAPFRE • BONANÇA • TRANQUILIDADE • FIDELIDADE • ZURICH • GENERALLI • Etc. 19/04/02
  • 32. património Área de Paisagem Protegida da Serra do Açor Encantos da Margaraça Nas estradas que chamas a cor e deixou uma certa serpenteiam a serra a desolação. Nos magros 346 hectares da Área de Paisagem Protegida da paisagem é monótona, uma Serra do Açor (APPSA) a Mata da suavidade de traços Margaraça, classificada como repetidos, cavados Reserva Natural Parcial, constitui uma relíquia da floresta primitiva ali abruptamente em linhas de existente. Dentro da área, a Fraga da água e vales profundos. Pena, classificada como Reserva de Formas despidas, vegetação Recreio, tem já outro encanto. rasteira, reduzidos núcleos No fundo, toda a APPSA serve de guarda à Mata da Mar- de árvores aqui e a1i. Os garaça. “O principal valor da área é incêndios moldaram a nu, a a mata. É uma relíquia da floresta uma certa desolação, a serra primitiva desta região. O sistema montanhoso de xisto do Centro do do Açor. Nesta paisagem, a País seria coberto, em tempos, por Mata da Margaraça na Área um carvalhal que desapareceu, e a de Paisagem Protegida da Mata da Margaraça representa ainda bem esse carvalhal primitivo”, Serra do Açor engrandece- explica Sílvia Neves, bióloga e -se como jóia verde, sem técnica da APPSA. “Há também a preço, como imagem do Fraga da Pena, uma queda de água passado do que ali foi a de valor estético bastante interes- sante”. A Fraga da Pena tem a natureza estética da intervenção humana num espaço que margina a Barroca de Degrainhos, um ribeiro que ao longo Texto de Eugénio Pinto do percurso se desprende em quedas Fotografias de Gaspar de Jesus de água sucessivas, criando lagos formações vegetais adaptadas a um sias de Moura da Serra e Benfeita, da área, afectou a Mata e tornou a transparentes. Para Manuel dos solo muito pobre e na última fase de concelho de Arganil. Nos primeiros serra do Açor numa nudez desola- Os cerca de 50 hectares da Mata da Santos, coordenador da APPSA, degradação neste tipo de floresta”, anos esteve sob alçada do Parque dora. Margaraça encantam qualquer olhar. “não haveria necessidade de criar a diz Sílvia Neves. Por isso, quase tudo Natural da Serra da Estrela. Com a Mas o trabalho não parou. Seja de manhã, entre o nevoeiro, área de paisagem protegida se não está nu e em muitos locais já se vê criação da delegação do Instituto de “Tentamos repor a situação inicial quando os primeiros raios de so1 houvesse a Mata da Margaraça”. xisto a descoberto. Conservação da Natureza de em termos do ecossistema florestal. passam o denso verde das folhagens, De manhã, a mata é sombra Coimbra, em 1988, a área passa a Temos um viveiro, fazemos reflores- seja, ao longe, como visão de de verde, humidade. O resto da A nudez das chamas ter outro núcleo de gestão. Sem que tações e, nalguns casos, fazemos o pequena parcela de serra que guarda APPSA é essencialmente mato, estas mudanças tivessem sido a em silêncio o passado e o futuro. matagal, resultante de incêndios Criada em Março de 1982 - fará para causa, o rude golpe na paisagem Toda a serra do Açor, em redor, está sucessivos e corte de madeira. o ano 20 anos de existência - a envolvente acontece em 1987. Um despida de encanto. O fogo levou nas “Temos giestais, urzais, tojais, APPSA ocupa terrenos das fregue- incêndio destruiu mais de um terço Felicita “O Despertar” por mais um aniversário Um Concelho Especialista na Arte de Bem Receber A Câmara de Penacova felicita “O Despertar” pelo seu 85.º aniversário 19/04/02
  • 33. transplante de plantas de áreas que estavam muito densas para áreas de clareira, para além da limpeza das infestantes”, refere Sílvia Neves. Após o incêndio desenvolveram-se as urzes e giestais que impedem a regeneração das espécies autóctones. “Têm sido limpas todas as áreas de clareira dessas espécies e, pos- teriormente, é feita a plantação de espécies autóctones. À volta da Margaraça temos mantido limpo um cordão de protecção, tem cerca de 50 metros de largura, para funcionar como corta-fogos e facilitar o controlo de incêndios. Fazemos vigilância, manutenção dos cami- nhos”. Mas os trabalhos não se limitam a actividades de reflo- restação. No interior da Margaraça a Casa Grande, recuperada, de xisto, integrada na natureza e no meio, é centro de interpretação e de apoio. Dali, um percurso pelos caminhos da mata, bem sinalizados, dá a noção do silêncio, do verde, da humidade do local, dos sons da água e da noção de vogarmos nessa relíquia que cobriria todo o Açor. E a ideia da necessária e obrigatória preservação destes vulnerável a perturbações, como a o selo de Salomão, o narciso. Pelo cesteiros que ainda sabem fazer esse Pode-se sonhar espaços, bem como a obrigatoriedade introdução de doenças e os incêndios, percurso vemos a Casa da Eira trabalho, mas estão velhos e ninguém de respeitá-los. Mais a obrigação de, que nas últimas décadas assolaram recuperada como museu e que aprendeu. É uma coisa que se vai Mas a APPSA não é só a mata. O se possível, que estes espaços se várias vezes a Mata da Margaraça”. pretende ilustrar a vida anterior da perder”. espaço e o que se sabe sobre ele alarguem pelas serras e as cubram O caso da Tinta, a doença dos mata, “uma relação sustentada e de Junto à ribeira da mata, a resulta do trabalho de muitos harmoniosamente nesses tons que castanheiros, está na Margaraça bem equilíbrio entre o homem e a azenha, de xisto. Ali, nesta pérola técnicos, estagiários, prestadores de agora são verdes. No Outono, outros viva. “Todos os anos é uma razia, natureza”. preservada de natureza, tudo está serviços ao longo dos anos. Há existem, dourados. Com a diminuição morrem muitos castanheiros”. Entre uma mistura de espécies vivo. Não é um museu estagnado no projectos em curso e aquela pequena destes ecossistemas, há uma maior A caminhar, pelo verde, atlânticas e mediterrânicas, o tempo. É com o tempo que a1i a área representa de forma perfeita o vulnerabilidade e fragilidade. “As descobrimos carvalhos, castanheiros, caminho prossegue verde. Mais no natureza se move na humidade, nas que deve ser uma área de paisagem e pequenas dimensões deste ecossis- ulmeiros, aveleiras, medronheiros, fundo, o forno de refugo da madeira linhas de água, no crescimento das tema, aliadas ao seu carácter de azevinhos, loureiros, azereiros, de castanho. Ficava a madeira mais cores diversas, nos sons dispersos de insularidade, reflectem-se num cerejeiras. Há espécies que subsistem flexível e resistente, sendo mais fácil bichos. Encanta aquele mundo que deficiente fluxo genético das espécies e que não se vêem sob a forma de utilizá-la para fazer cestas. “Agora parece poder desaparecer por estar tão que o compõem, tornando-o mais bolbo ou rizoma, como o martagão, acabou”. Sílvia Neves conhece “três só na imensa serra. SERVIÇOS DE ACÇÃO SOCIAL DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Bolsas de Estudo CONCURSO A BOLSA DE ESTUDO ANO LECTIVO 2002/03 Chama-se a atenção dos alunos matriculados na Universidade de Coimbra que o prazo de concurso a Bolsas de Estudo, para o ano lectivo de 2002/2003 decorrerá de 1 de Maio a 15 de Julho do corrente ano. Os boletins de candidatura encontram-se à venda no Serviço de Bolsas de Estudo, sede dos SASUC- Rua Guilherme Moreira n.° 12, e no Fórum Global Estudante, no átrio das Cantinas Centrais - Rua Oliveira Matos. Importante: Boletins incompletos atrasam a atribuição de bolsas de estudo. Coimbra, 10 de Abril de 2002 Serviço de Bolsas de Estudo Rua Guilherme Moreira n.º 12 3000-210 Coimbra Telef: 239 855 953 - Fax: 239 855 955 E-mail: bolsas-sasuc@mail.telepac.pt 19/04/02
  • 34. património Outras povoações, como Relva raposas, ginetas, fuinhas, doninhas, Velha e Enxudro, ficam nos 1imites texugos, javalis, ratos, toupeiras, da APPSA. Sardal um pouco mais salamandras, o lagarto-de-água, o distante. Piódão muito mais longe. tritão-de-ventre-laranja. Estes no protegida. Projectos de levantamento Mas Relva Velha e Piódão merecem solo. No ar voam açores, corujas, de plantas aromáticas e medicinais. visita mais atenta. Mais à frente as gaviões, águias-de-asa-redonda e “Fazemos levantamentos das plantas indicações: Fraga da Pena. outros pássaros. que utilizavam as pessoas nas Classificada como Reserva de Fora da Margaraça e da Fraga medicinas tradicionais. Descobrem- Recreio, o espaço é de lagoas da Pena, a realidade é bem diferente. -se coisas, como os rituais, as rezas, sucessivas e quedas de água. Uma Os giestais, urzais, tojais, espécies as plantas que só deviam ser beleza harmoniosa. Enquanto vemos adaptadas a solos muito pobres, apanhadas em determinado dia”. o local, anda o tio Alberto a apanhar ocupam o espaço. Por isso, a Programas de educação ambiental, o lixo. Há sempre lixo no chão, quem paisagem é monótona, nua, colocação de ninhos artificiais. Foi escreva no xisto, quem leve lajes de esquelética, doentia nas muitas realizado um trabalho pela bióloga xisto dos telhados das azenhas. Mas estradas que esventram a serra. Do Sofia Lourenço sobre morcegos. Há esses não contam neste país onde a incêndio, e com o desaparecimento um plano nacional de estágios, foi educação ambiental terá papel do coberto vegetal autóctone, a feito o inventário dos cogumelos na fundamental para que o meio se acácia (mimosa), uma infestante, os poucos meios económicos que além dos fogos, talvez o principal, há área protegida, há o constante preserve. ganhou terreno em várias frentes. temos, não conseguimos dotar estas as infestantes, a erosão rápida dos trabalho de limpeza, plantações. Entre o so1 calmo, suave, Com as populações, o diálogo povoações da vida de antigamente”. solos devido a plantações mals feitas Já fora da mata, em Pardiei- duas pequenas rãs numa das cascatas e o bom senso impera. Explica Manuel Por isso, estas áreas são justificadas, ros, a única povoação dentro dos da barroca. São endemismos dos Santos que “gostávamos de para Sílvia Neves, “pelos valores limites da área, podemos passear ibéricos. Bichos não vimos mais. desenvolver estas aldeias em termos naturais que encerram”. entre as ruas. Não muito mais. Mas sabemos que por a1i andam económicos, mas é difícil. Nós, com Problemas há muitos. Para GRANDE CAMPANHA AT PNEUS HABILITE-SE AO SORTEIO PNEUS DE 19 DE MARÇO A 20 DE DE MAIO COMÉRCIO E MANUTENÇÃO AT PNEUS DE PNEUS, LDA. Na compra de 4 pneus Pirelli vá assistir ao Portugal - Korea da fase final do Mundial 2002 Ponte de Vilela, 98 - FORNOS - COIMBRA - Tel./Fax 239 912 923 VIAGENS, ALOJAMENTO E BILHETE PARA 2 PESSOAS 19/04/02
  • 35. património os incêndios sucessivos que des- trõem o coberto vegetal. “Outro problema é o desaparecimento da população e o consequente aban- dono de tudo o que eram técnicas florestais e agrícolas”. O que será a área? Explica Manuel dos Santos: “As áreas de paisagem protegida devem ser reclassificadas, esta ainda não o foi. Ou, pela extensão e pelos valores que encerra, como parques naturais ou como reservas naturais. Há algum tempo, desenvolvemos a ideia do Complexo do Açor, que incluiria esta área mais três (1362 hectares)”. Para além da Mata da Margaraça, os núcleos de Fajão, S. Pedro do Açor e Cebola seriam os outros sítios. O Complexo do Açor faz parte da Lista Nacional de Sítios proposta para vir a integrar, eventualmente, a Rede Natura 2000. “Pensou-se também na criação do Parque Natural da Serra do Açor, com 5 ou 6 mil hectares. Contudo, ficava muito próximo da Serra da Estrela”. Assim, “ainda não sabemos o que será. Os núcleos de Fajão, S. Pedro do Açor e Cebola encontram-se localizados sobre afloramentos quartzíticos de grande valor geo- morfológico e paisagístico e neles ocorrem várias espécies da flora endémicas e/ou raras, além de populações de raros endemismos Enquanto a reclassificação percurso. Se vier sozinho, pode seguir de caminhos que parecem querer nua, feche os o1hos e imagine a serra ibéricos. Estes locais são ameaçados não se define - e estas coisas demoram o caminho indicado com setas pela levar a todos os locais da serra do toda coberta como o pequeno jardim pela mobilização de solos, por e demoram tanto que várias vezes é Mata da Margaraça. Mas respeite Açor. Então, descobrirá a importância da Mata da Margaraça. Não é fácil. acções de florestação, por fogos necessário fazer novos estudos, o que sempre o espaço e siga as regras. de preservar sítios como a Mata da Mas é possível sonhar. E esse futuro florestais, abertura de estradas e volta a demorar outra eternidade - Depois da visita, dê um Margaraça e a Fraga da Pena. E, num partirá sempre do nosso respeito por corta-fogos, pressão turística e pode visitar a APPSA. Se for uma passeio pelas inúmeras estradas do dos altos, a olhar alguma das esses meios. Então, já consegue ver expansão de espécies alóctones”. O escola, é possível marcar. Pode ser Açor. Vá a Piódão, uma das dez povoações das encostas, talvez todo o Açor coberto com os tons da provável? “Inclino-me mais que seja realizada uma simples visita guiada aldeias históricas de Portugal. E ficará criadas, como se diz, por gente que Mata da Margaraça? Reserva Natural da Serra do Açor ou sessões temáticas com parte no olhar com a nudez da serra, com a para ali fugia, a ver ainda os socalcos, com quatro núcleos distintos”. teórica e prática que inclui sempre um melancolia, com a abertura absurda algumas casas de xisto, em redor serra (In “Notícias Magazine” 23/9/01) CORRECTORES DE SEGUROS SEGUROS Acácio Costa Pereira Av. Fernão de Magalhães, 415 Apartado 207 Telefones 239 851 810/9 & Filhos, Lda. 3001-903 COIMBRA ARMAZENISTAS DE MATERIAL ELÉCTRICO CONDUTORES ELÉCTRICOS BT E MT POSTOS DE TRANSFORMAÇÃO Rua de Aveiro, Lote 4-1.º D Apartado 83 Telef. 239 825 797 - 239 825 370 - 239 833 002 Fax 239 837 145 3000-064 COIMBRA ® MEDALHÍSTICA LUSATENAS A MAIOR EDITORA DE MEDALHAS DO CENTRO DO PAÍS Seus sócios CONSULTE-NOS Luís Filipe Perdigão e Margarida Filipe Perdigão www.medalhisticalusatenas.co.pt e-mail: medalhisticalusatenas@netc.pt saúdam “O DESPERTAR” por mais este aniversário Tel. 239 836 663 - Fax 239 820 716 - Tlm. 917 610 716 19/04/02
  • 36. património Contemplados 107 em todo o país Reconhecido o interesse público a 39 monumentos da Região Centro Duma assentada, que é como quem diz, através da publicação (1ª Série, de 19 de Fevereiro/2002) em Diário da República do Decreto nº 5/2002 do Ministério da Cultura, ficámos a conhecer melhor e, acima de tudo, a saber que mais de uma centena (107) de imóveis foram classificados, reclassificados em todo o país como monumentos nacionais ou de interesse público. Fique o leitor sabendo que a região centro possui uma invulgar riqueza monumental que o citado diploma vem agora reconhecer chamando assim a atenção para a necessidade de preservação desta vertente da nossa memória colectiva. E porque a Primavera que vivemos também é convidativa para passeios cá dentro, faça o favor de meter no seu roteiro de viagem um ou vários dos monumentos que, imaginariamente, aqui nos propomos visitar. Ora, venha daí! Estão redondamente enganados freguesias de Caneças, Almargem do todos aqueles que poderiam pensar que Bispo, Casal de Cambra, Belas, uma consulta ao DR é, fatalmente Agualva-Cacém, Queluz no concelho enfadonha, monótona e cinzentona. de Sintra, São Brás, Mina, Brandoa, Não apenas pela forma simples e Falagueira, Reboleira, Venda Nova, esclarecedora como se nos apresenta, Damaia, Buraca, Carnaxide, Benfica, mas também porque o tema diz São Domingos de Benfica, Campolide, respeito ao património em que São Sebastião da Pedreira, Santo nascemos, vivemos, ou passámos a Condestável, Prazeres, Santa Isabel, Aqueduto do Real Mosteiro de Santa Clara amar adoptivamente, o certo é que o Lapa, Santos-o-Velho, São Mamede, texto deste diploma se apresenta de Mercês, Santa Catarina, Encarnação e a mesma vital importância de cana- ascensores mais conhecidos – Glória nacionais no distrito de Coimbra, o fácil leitura e sucintamente cativante. Pena, municípios de Odivelas, Sintra, lização de água por gravidade. Trata- e Santa Justa ou do Carmo – também Colégio de S. Jerónimo (antigos Isso fica desde logo patente na Amadora, Oeiras e Lisboa, distrito de se dos Arcos de S. Sebastião, mais existem o da Bica e o do Lavra. Todos Hospitais da Universidade) e a Igreja pormenorizada descrição das altera~- Lisboa.” conhecidos por Arcos do Jardim estes foram considerados neste di- de Santa Eufémia, no Largo Dr. Albino ções introduzidas ao Decreto do Indirectamente ficámos assim a (Botânico) e o Aqueduto do Real ploma como monumentos nacionais. M. Cordeiro, freguesia de Santa Governo de 16 de Junho de 1910, conhecer a monumentalidade e Mosteiro de Santa Clara na estrada que Eufémia em Penela. relativamente ao “Aqueduto das Águas extensão de uma obra que teve tanto liga o Porto de Bordalo à Cruz dos Novos monumentos nacionais Por seu turno, em Aveiro, foi Livres, compreendendo a Mãe de de útil como de imponente beleza Morouços na freguesia de Santa Clara, na região centro distinguido o conjunto arquitectónico Água”, e que são do seguinte teor: arquitectónica que continua a seduzir- ao qual nos referiremos mais adiante. formado pela Igreja do Convento de “Aqueduto das Águas Livres, seus nos. Como se sabe, também Coimbra Voltando a Lisboa, talvez o leitor Segundo o mesmo diploma, foram Santo António e seu claustro, bem aferentes e correlacionados, nas possui dois monumentos que tiveram não saiba que para além dos dois também considerados monumentos como a Capela da Ordem Terceira de São Francisco e anexos conventuais, conhecidos por Casa do Despacho, no PEDROSA PASTELARIA – SNACK-BAR Felicita “O Despertar” Largo de Santo António, freguesia da Glória. na passagem Ainda como monumento nacio- do seu 85.ºaniversário nal foi classificado o imponente Mos- teiro de Santa Maria de Maceira Dão, próximo de Fagilde, concelho de Mangualde. FABRICO PRÓPRIO Aceitam-se encomendas de: Mais de 30 anos Quem quiser visitar este mosteiro terá de utilizar o trajecto Viseu / Fagilde e seguir pelo caminho público número BOLOS DE CASAMENTO BAPTIZADOS a vestir Bébés 1441, junto ao chamado Regato das Freiras a poente a capela de Nossa ANIVERSÁRIOS, ETC. Senhora da Cabeça na freguesia de Fornos de Maceira Dão. Verá que vale Rua da Louça - Telef. 239 825 942 a pena. Rua da Sofia, 42-44 Telef. 239 823 207 3000-389 COIMBRA 30000 COIMBRA Parabéns a “O Despertar” pelo seu 85.º aniversário 85.º M. R. Cristino Miranda & Teixeira, Lda. “PALMEIRA” PADARIA E PASTELARIA Rua da Sofia, 13-15 3000-390 COIMBRA 19/04/02
  • 37. património E quanto a Aveiro, ficamos por no concelho da Meda, foram aqui. contempladas a Igreja de São Pedro, justamente no Largo da Igreja, junto à Castelo Branco Rua da Corredoura em Marialva, e o Solar dos Cancelos também conhecido Uma mão cheia de invulgares por Solar dos Seixas em Cancelos do monumentos merecem, mais que Meio, freguesia de Poço do Canto. nunca, uma demorada visita no distrito No município de Pinhel foi de Castelo Branco, agora que alguns reconhecida a Igreja de Santa Maria deles foram classificados de interesse do Castelo situada no Largo de Santa público. Na própria sede de distrito, na Maria, na sede de concelho, e o mesmo Praça de Camões 16, foi alvo de aconteceu com o Convento de distinção a conhecida Casa do Arco do Sacraparte próximo de Alfaiates no Bispo, também denominada Casa do concelho de Sabugal. Arco da Péla e o mesmo aconteceu em O Solar de S. Julião em Paranhos Alcains com o antigo Solar da da Beira, concelho de Seia, foi outro Viscondessa de Oleiros bem como o dos monumentos visados e que, Solar dos Goulões. finalmente, vem dar outra notoriedade Quanto à Covilhã, foi classificada a uma belíssima aldeia da zona serrana, a Casa dos Ministros, também nas faldas da Serra da Estrela. designada Casa dos Magistrados, onde Leiria funcionou o Registo Predial e Repartição de Finanças, na freguesia Quanto ao distrito de Leiria viu de Santa Maria, nesta cidade. monumentos reconhecidos em quatro No concelho do Fundão foi dos seus concelhos. Em Alvaiázere, distinguida a Ponte Romana de figura o Cruzeiro Filipino, junto ao Peroviseu, sobre a Ribeira de Meimoa, Caminho Municipal que ladeia a Igreja Colégio de S. Jerónimo - Antigos Hospitais da Universidade ligando à freguesia de Valverde, Matriz em Maças de D. Maria, en- enquanto que no município de Idanha- quanto que na Batalha foi contemplada rendilhados de pedra que ornamentam a-Nova foi classificada a Igreja Matriz a Ermida da Senhora do Fetal e fontanário em Neves do Pinheiro, na Capelinha da Memória, no local toda a sua extensa frontaria. freguesia de Avelãs de Cima, e ainda o de Proença-a-Velha, incluindo o altar- mor de talha dourada e as três imagens designado por Cruz do Cemitério, na Paço de Óis, também conhecido por freguesia de Reguengo do Fetal. Monumentos Casa de Montalvão ou Solar dos do Calvário, no Largo do Adro, ladeada Casa dos Salazares pelo cemitério e em frente do cru- Nas Caldas da Rainha e Pombal, foi reclassificada de interesse público Calheiros no Largo do Freixo, foram reconhecidos, respectivamente, freguesia de Óis do Bairro. Igual zamento da Quelha do Castelo, na freguesia de Proença-a-Velha. o Edifício do Museu de José Malhoa No que concerne a reclassificação de Aveiro distinção coube ao Teatro Aveirense, no Parque D. Carlos I e Arco Ma- monumentos, há desde logo, a destacar na Rua de Belém do Pará na freguesia nuelino (pertencente ao antigo Paço da Glória em Aveiro. Guarda o que se passou com a Casa dos Sem pretendermos referir com dos Duques de Aveiro, situado em Salazares ou do Visconde de Espinhal exaustão todo o riquíssimo património Ainda neste distrito, mas no Abiul. concelho de Estarreja, foi classificado No distrito da Guarda, concretamente, na Lousã que por Decreto do Governo que foi alvo de atenção no referido di- de Setembro de de 1977 havia sido ploma, não poderemos deixar de referir de interesse público a Casa de Fran- classificado como valor concelhio e que os imóveis que passaram a ser cisco Maria de Oliveira Simões, no agora passou a ser considerado de in- classificados de interesse público nos lugar de Salreu, enquanto que no teresse público. Este belíssimo solar fica diferentes distritos da região centro. município de Sever do Vouga, CAFÉ-RESTAURANTE situado justamente na Rua Viscondessa Relativamente a Aveiro e no que mereceram distinção os monumentos do Espinhal nº 5, município da Lousã. se refere ao concelho de Anadia, megalíticos de Chão Redondo 1 e 2, Se puder, dê uma espreitadela e passaram a ter interesse público a na Serra das Talhadas, freguesia das aprecie o estilo arquitectónico e os Capela de Nossa Senhora das Neves e Talhadas. E PASTELARIA Sociedade de Construções, Lda. empreendimentos urbanos e obras públicas Av. Dr. Elísio de Moura, 377 -1.º C Telef. 239 714 597 3000 COIMBRA Fax 239 717 275 NICOLA E A TRASMONTANA PASTELARIA CENTRAL M. Augusto Silva, Lda. FATOS DE TRABALHO, Felicitamos “O Despertar” FARDAMENTOS, ETC. pelo seu 85.º aniversário FORNECIMENTOS PARA HOSPITAIS Preços sem competição Rua Ferreira Borges, 35 - Telefs. 239 822 061/62 Rua do Corvo, 21 Telef. 239 825 753 - 3000 COIMBRA 3000-180 COIMBRA R E S TAU R A N T E • S E L F - S E RV I C E JARDIM A. MARGALHO, LDA. r” rta SERRALHARIA CIVIL spe s DA De no “O 85 a MANGA CAIXILHARIA DE ALUMÍNIOS ANODIZADOS ra a ns us bé s se Pa pelo Rua Nicolau Rui Fernandes Telef. 239 829 156 - 3000 COIMBRA TOVIM DE BAIXO - TELEF. 239 724 311 3000 COIMBRA Rua da Sofia, 163 COIMBRA Modas e Confecções, Lda. 19/04/02
  • 38. património conhecido Mosteiro de Folques, de um monumento que a todos nós diz incluindo todo o seu recheio artístico respeito, particularmente, à margem bem como a quinta , junto à Ribeira de esquerda umbilicalmente ligada ao Folques, na freguesia com o mesmo Convento de Santa Clara onde repousa nome. Trata-se de uma das mais o corpo da Padroeira de Coimbra, Viseu emblemáticas referências monumen- Rainha Santa Isabel. tais do chamado alto distrito de Ali, na Rua Ferreira Borges, en- No distrito de Viseu há a registar o in- Coimbra que, naturalmente, merece tre os números 81 e 91, em frente das teresse em monumentos dos concelhos um outro olhar mais demorado e Escadas de S. Bartolomeu, quem não de Castro Daire, Mangualde, Nelas, condizente à sua real importância. conhece o Edifício Chiado enquanto Sátão, Sernancelhe, Tondela e Vila Em Condeixa-a-Nova, o Paço dos espaço multifuncional de cultura Nova de Paiva. Comendadores da Ega, marco histórico propriedade da autarquia e que ainda Na vila da Serra da Gardunha, e monumental único desta localidade, mantém no seu magnífico frontispício mereceu reconhecimento a Igreja de também mereceu o reconhecimento uma marca emblemática da fábrica Ester, justamente na freguesia com o oficial enquanto que, na Figueira da “Santix” como referência de sucessivas mesmo nome, enquanto que em Foz, dois edifícios distintos foram gerações de Coimbra e do próprio país. Mangualde e Nelas foram citados, contemplados. Trata-se do Grande Por outro lado, o Convento de S. respectivamente, o conjunto da Capela Hotel (actual Hotel Mercure) e Jorge de Milreu, sensivelmente a meia da Senhora de Cervães e do Calvário piscinas, na Avenida 25 de Abril, distância entre as Lajes e o Hospital de em Santiago de Cassurães, a Casa das confinando com a Rua Maestro David Sobral Cid, e que há meia dúzia de anos Fidalgas em Santar e a Orca de Sousa e a Rua de Santa C, na freguesia ameaçava completa ruína, foi também Pramelas em Canas de Senhorim. de S. Julião, bem como do Mosteiro considerado como Imóvel de Interesse A Capela de Nossa Senhora da de Santa Maria de Seiça, ao lado da Público. Ora, para isso, muito terá Esperança na freguesia de São Miguel passagem de nível situada ao contribuído o facto de ser aqui que se de Vila Boa no concelho de Sátão, a quilómetro 197 da linha férrea, num instalou a Universidade Vasco da Gama Igreja de Sarzeda em Sernancelhe, a caminho público, junto à Ribeira de de que é Reitor o Prof. Norberto Canha. Anta da Arquinha da Moura na Seiça, freguesia de Paião. Trata-se de um magnífico conjunto que freguesia de Lageosa do Dão em A Igreja de S. Martinho em do outro lado do Mondego, junto ao Tondela, e a Anta de Pendilhe também Montemor-o-Velho e a Igreja Paroquial Pólo II, nos oferece uma panorâmica designada por Orca de Pendilhe, em de Penacova, foram outros dos de invulgar grandeza arquitectónica. Pendilhe no concelho de Vila Nova de monumentos distinguidos no distrito Mas, se visitarmos o seu interior, Paiva, foram outros dos monumentos de Coimbra. ficamos espantados com os longos referidos no citado Decreto-Lei. corredores de pedra com arcadas Cidade de Coimbra brancas e paredes revestidas com Coimbra artística azulejaria alusiva ao estilo de No que concerne a Coimbra vida monástica. E sem pretendermos dar razão ao ditado propriamente dita, há a salientar a A Igreja Paroquial de Castelo de que os últimos são os primeiros, classificação de interesse público do Viegas, bem como a de São Paulo de concluímos este imaginário périplo em Aqueduto de Santa Clara, também Frades mereceram também igual Coimbra. conhecido por Aqueduto do Real distinção. Provavelmente, estaremos ainda Mosteiro de Santa Clara, que intersecta Ao invés duma visão restritiva da aquém daquilo que o património desta a chamada “estrada das ambulâncias” invulgar riqueza monumental dos seis cidade merece e justifica mas, contudo, entre Porto de Bordalo e Cruz dos distritos que englobam a região centro, será de salientar, que neste diploma le- Morouços. julgamos que nunca é tarde para que gal, o distrito de Coimbra obteve um Como se sabe, trata-se de um se reconheça e distinga o valor do nosso satisfatório índice de classificações de imponente monumento que durante património. E o facto de haverem sido monumentos com interesse público. E longas décadas foi votado a um Igreja de Castelo Viegas distinguidos 107 imóveis como se, até agora, pouco mais saberíamos completo abandono e não está ainda monumentos nacionais e/ou de inte- para além da sua existência, teremos totalmente esclarecido se terá desabado da Mina, até ao Convento de Santa que o camartelo destruiu em diversos resse público, sendo que 39 se situam agora sobejas razões que nos naturalmente um dos arcos ou se, Clara, ainda hoje nos surpreende não locais em nome da ditadura do betão. no centro, também nos corresponsa- justifiquem uma visita. É que, depois intencionalmente, foi destruído para apenas pela sua monumentalidade, mas O aqueduto dificilmente será biliza colectivamente perante a sua disso, tornamo-nos cúmplices perante dar lugar à construção da estrada ali também pela aperfeiçoada técnica de recuperado na sua forma original, mas defesa e preservação, enquanto a sua divulgação e conservação. Ora, existente. De qualquer forma, esta engenharia então utilizada na sua todos formulamos votos para que deste orgulho que nos identifica e conduz vejamos. espectacular “obra de canos” que construção e que ainda hoje poderá ser reconhecimento oficial resulte o à essência das raízes da nossa Em Arganil, foi contemplado o levava a água da nascente na estrada comprovada ao longo de um trajecto carinho e novas formas de preservação história. COMÉRCIO DE PNEUS, LDA. Rua Senhor dos Aflitos, 30-34 3800 AVEIRO Telefone 234 428 901 – Fax 234 428 684 PORTUGAL • REPRESENTANTES • ALINHAMENTO DE DIRECÇÃO DE TODAS AS MARCAS AGÊNCIA AUTOMOBILISTA • EQUILÍBRIO DE RODAS • JANTES ESPECIAIS • REPARAÇÕES LUÍS SILVA, LDA. Tudo inerente ao automóvel Avenida Elisyo de Moura, 381 TRATA E ZELA OS INTERESSES DOS AUTOMOBILISTAS Telef. 239 703 784 • 3030 COIMBRA R. Castro Matoso, 26 r/c-Esq. – Telef. 234 25 988 – Fax 234 29 483 – 3800 AVEIRO Mudámos para melhor te iNOVA CASA EM SOURE Vis 19/04/02
  • 39. coimbra Breve roteiro da cidade “dos amores e dos doutores” Espaços de visita obrigatória em Coimbra Conhecida como a cidade dos “amores e dos doutores”, Coimbra é uma cidade ímpar. Com uma história única, onde a tradição mantém bem vivas as mais pequenas lembranças do passado, Coimbra assume-se como a “capital” da região Centro. Traçar um perfil da cidade do Mondego ou mesmo sugerir um percurso para quem a visita não é uma tarefa fácil. Em cada recanto escondem-se memórias, muitas delas perdidas num tempo que parece ser imune aos anos. Em cada rua, avenida, jardim ou parque, as marcas de outras épocas trazem-nos lembranças de um tempo que, não tendo sido nosso, nos atrai e nos guia. Mais do que uma cidade histórica, Coimbra é a cidade do momento, é a cidade que tenta não perder o “comboio do progresso” e que tenta antecipar-se ao futuro. São estas duas vertentes de uma mesma cidade – feita de um passado rico e de um futuro próspero – que pretendemos mostrar-lhe agora, nesta edição especial daquele que é o mais antigo jornal da cidade e que faz também parte da memória colectiva da população de Coimbra. Sem pretendermos ser exaustivos, deixamos aqui um pequeno roteiro, que compreende alguns dos mais belos espaços da cidade. Apresentamos-lhe então alguns dos principais museus, jardins e espaços verdes da Coimbra, uma lista que foi elaborada com o ajuda do site www.uc.pt. Zilda Monteiro atractivas do país, sendo por isso o nem os próprios conimbricenses a a Universidade, os monumentos mais belos espaços de Coimbra. destino de milhares de turistas todos conhecem na sua essência ou já históricos e os museus. Com uma vegetação muito Os Hospitais e a Universidade os anos. percorreram todos os seus recantos. rica e diversificada, o Jardim são as duas instituições mais Estrangeiros e portugueses Talvez por isso se torne neces- Jardins da cidade Botânico tem a particularidade de conhecidas de Coimbra. No entanto, elegem-na como uma das cidades sário traçar este percurso, uma acolher espécies exóticas de todo o a cidade está longe de se resumir a destino das suas férias e, prin- espécie de roteiro, por alguns dos O Jardim Botânico é um dos jardins mundo. Qualquer pessoa que o visite estes dois edifícios. Coimbra oferece cipalmente no Verão, invadem as pontos mais belos e acessíveis da mais visitados de Coimbra. Situado deverá fazê-lo com calma e tempo, aos seus visitantes um roteiro ruas da urbe. E, de facto, muito há cidade. Para quem gosta do sol e de numa zona muito rica em para poder apreciar os mais turístico para todos os gostos, tal é a para ver em Coimbra. Seriam passear ao ar livre, aproveite a monumentos, entre a Universidade pequenos pormenores de todos os diversidade. A riqueza de espaços necessários vários dias para co- proximidade do Verão e percorra os e o Hospital Militar, este jardim, recantos. verdes e monumentos históricos nhecer a cidade em profundidade. jardins e parques da cidade. Se, pelo criado pelo Marquês de Pombal, tem tornam-na numa das cidades mais Poder-se-ia mesmo dizer, talvez, que contrário, adora história e arte, visite uma área de 13,5 hectares e é um dos A CHAMINÉ ARTE Sapataria PAIVA Tasca CERVEJARIA – SNACK-BAR VÁRIA do Quim O SEU ESTILO DE Reis, Lda. “Quim dos Ossos” EM CALÇADO Galeria D’Arte e Decorações ESPECIALIDADE EM PRATOS Rua Pedro Rocha, 9 (Junto à Caixa Geral de Depósitos) RUA EDUARDO COELHO, 46 REGIONAIS Av. Calouste Gulbenkian, 21 Telef. 239 823 146 Telefone 239 833 488 Telefone 239 483 885 TELEFONE 239 824 166 R. António Vasconcelos, 3 e 5 3000 COIMBRA 3000 COIMBRA 3000 COIMBRA 3000 COIMBRA Mármores Valentim de Azevedo, Lda. ESCULTURA – ORNAMENTAÇÕES EM MANUEL ANTUNES & IRMÃOS, LDA. PEDRA JAZIGOS – CAMPAS MAUSOLÉUS – MÁRMORES FOTOCOMPOSIÇÃO LAVA-LOUÇAS – LAMBRIS CANTARIAS EXECUÇÃO DE TODOS OS TRABALHOS COMERCIAIS PARA A CONSTRUÇÃO CIVIL JORNAIS - REVISTAS - OFFSET ENCADERNAÇÃO E TIPOGRAFIA Oficinas e Residência: ESTRADA DO LORETO TELEF. 239 825 020 R. Simões de Castro, 147-C – Apartado 650 – Telef. 239 824 099 R. António José de Almeida, 253 Fax 239 834 622 – 3000-388 COIMBRA Tels. 239 483 657 - 239 482 202 (c/Fax) 3020 COIMBRA 19/04/02
  • 40. coimbra importantes nas suas vidas. ligação entre a Praça e a Casa Mu- O Jardim da Sereia, junto à nicipal da Cultura, este jardim Praça da República, é outro dos começa (na parte da Praça) com uma Para além das raras espécies espaços que merece ser visitado. bela cascata, construída em pedra de vegetação, a paisagem integra Com uma beleza e uma localização calcária extraída das grutas natu- também vários lagos e jardins ímpares, o Jardim da Sereia peca rais da região, com painéis de trabalhados. Este jardim tem ainda pela marginalidade a que está azulejos historiados setecentistas a particularidade de ser habitado por associado. Muito frequentado por que representam a fé, a esperança e uma grande população de esquilos, toxicodependentes, este espaço não caridade. que se passeiam por todo o espaço e oferece a quem o visita, princi- Este jardim tem também um que visitam também o exterior do palmente ao final da tarde e à noite, parque de merendas, no topo sul, e jardim, sendo habitual vê-los a a segurança necessária para que a sua diversos tanques, onde é possível movimentar-se, com uma rapidez beleza possa ser devidamente encontrar patos e peixes. Dentro do impressionante, por entre árvores. aproveitada. jardim encontram-se atractivos Situado numa zona muito mo- Também conhecido por suficientes para passar uma tarde vimentada da cidade, este jardim é Quinta de Santa Cruz, o Jardim da agradável com a família ou para os muito procurado para descansar, Sereia começou a ser modelado a casais passearem. Com bancos descontrair, passear e mesmo partir do século XVIII, altura em que colocados estrategicamente, este estudar. É também um lugar eleito foi ajardinado, equipado com jardim convida ao descanso. pelos noivos que aproveitam a beleza tanques artísticos, fontes e um Mais acima, encontra-se o deste espaço para eternizarem um recinto para o jogo da pela. Com Penedo da Saudade, um dos jardins Penedo da Saudade dos momentos que consideram mais muitos corredores, que fazem a mais emblemáticos de Coimbra. Penedo da Saudade Situado num dos pontos mais bonitos da cidade, o Penedo da Saudade tem uma vista deslumbrante sobre Coimbra e tem a particularidade de atrair todos quantos passam pela cidade “dos amores e dos doutores”. Conhecido como o “retiro dos poetas”, o Penedo da Saudade reúne e guarda muitas memórias, contadas em forma de poesia por quem as viveu. Como o próprio nome indica, guarda saudades dos tempos de estudante e dos momentos passados em Coimbra. Em todo o jardim encontram-se lápides com poemas, alguns deles assinados por grandes vultos da literatura portuguesa do século XIX. Por entre a vegetação bem cuidada e ordenada, os passeios convidam à descoberta de HABITU’S CAMISARIA Rua Visconde da Luz, 74-76 Telef. 239 832 802 3000 COIMBRA 19/04/02
  • 41. coimbra uma das mais românticas paisagens de Coimbra. O miradouro e todo o espaço envolvente, a “sala dos cursos”, a “fonte das musas” e o “retiro dos poetas” são apenas alguns atractivos adicionais deste jardim que, no seu todo, forma um conjunto ímpar. A beleza e a riqueza deste espaço, principalmente a nível cul- tural, fez com que fosse recolhendo outros atractivos e levou a Câmara de Coimbra a pensar numa forma de o valorizar ainda mais. Foi então projectado o “Jardim dos Poetas”, um projecto apresentado pelo ante- rior executivo e que pretende reunir naquele espaço as estátuas de alguns dos maiores vultos da literatura. No Penedo da Saudade po- demos encontrar já a estátua do escritor António Nobre e, mais recentemente, este jardim recebeu também Eça de Queirós. De acordo com o projecto apresentado deverá receber ainda outras esculturas, bem como extractos das suas obras, transformando-se assim num espaço dedicado à leitura e ao prazer. Do outro lado da cidade, encontra-se o Choupal, um dos espaços preferidos para quem quer praticar desporto, descansar ou simplesmente passear. Com uma apreciar-se as pessoas a correr, andar e da célebre “Fonte dos Amores”, Barreto e propriedade da Fundação o Portugal dos Pequenitos é, mais do área verdejante, transformou-se há de bicicleta, passear ou mesmo encontra-se também na Quinta das Bissaya Barreto, este jardim foge ao que tudo, um espaço lúdico- - muito num dos locais preferidos para descansar. Lágrimas o hotel com o mesmo convencional, uma vez que aí se pedagógico, onde as crianças, através quem quer aproveitar o Verão ao ar A Quinta das Lágrimas, situado nome, um magnífico palacete do pode encontrar representada a da diversão, conhecem alguns dos livre. Com uma área de cerca de 100 na zona de Santa Clara, é outro dos século XIX, que mantém as suas história dos descobrimentos portu- feitos dos nossos historiadores. hectares, o Choupal foi criado com espaços que merece ser visitado. características ancestrais. gueses. Dividido em três partes, o Algumas das miniaturas atingem o intuito de controlar o avanço e a Conhecido principalmente pela mais Também na outra margem do Portugal dos Pequenitos dedica um mesmo os quatro metros de altura, força do Rio Mondego. As primeiras bela, mas trágica, história de amor, espaço às casas portuguesas, onde competindo com a dimensão dos árvores foram plantadas no início do Mondego, muito próximo da Quinta a paixão de Pedro e Inês, este espaço das Lágrimas e do Convento de sobressaem as suas principais pavilhões que foram construídos século XX e hoje são um dos como forma de representar as antigas principais atractivos deste espaço, permanece ligado a estas duas Santa Clara-a-Velha, encontra-se o características e tipologias; outro aos figuras míticas da história e da Portugal dos Pequenitos, um jardim principais monumentos do país e províncias portuguesas. eleito por muitos como o preferido para a prática desportiva. Aos finais literatura portuguesas. único no país dedicado às crianças. outro aos descobrimentos marítimos. de tarde e aos fim-de-semana, podem Para além do espaço verdejante Mandado construir por Bissaya Com construções em miniatura, Casa da Luísa FAZEM-SE AVALIAÇÕES PARA PARTILHAS Antiguidades Rua dos Combatentes da Grande Guerra, 155 Telef. 239 402 740 3000 COIMBRA FARMÁCIA NAZARETH Direcção Técnica: Dr.ª Maria da Ascenção Pimenta Costa e Silva David Rua Ferreira Borges, 135 a 139 Telef. 239 822 605 3000-180 COIMBRA • MAQUILHAGE INFORMICRO • VISAGE • DEPILAÇÃO • LIMPEZA DE PELE Comércio de Equipamentos de • TRATAMENTO ROSTO Informática, Lda. E CORPO R. Padre Estevão Cabral, 78-Sala 207 Aceitam-se Marcações 3000 COIMBRA GALERIAS AVENIDA - 3.º Piso - Loja 302 Telef./Fax 239-829 589 Telefone 239 836 468 LOJA DAS MEIAS COIMBRA 19/04/02
  • 42. coimbra nesta casa que o médico viveu os últimos anos da sua vida. Conhecido pelo seu gosto pela arte, Bissaya Os museus de Coimbra Barreto decorou com requinte a sua habitação. Se quer conhecer Coimbra profun- A sua paixão pela escultura está damente, guarde algum do seu tempo patente em qualquer recanto da Casa para visitar os museus da cidade. Museu, desde o Jardim aos interiores. Coimbra é, sem dúvida, uma cidade A sua colecção de escultura tardo- rica em história e, a comprová-lo, está romântica, formada por peças dos o número de museus aí existentes. mais diversos autores, pode ser agora Se não conhece bem a cidade e visitada. não sabe por onde começar, desloque- Os trabalhos do escultor João -se a um dos Postos de Turismo mais Machado e do seu filho, João Ma- próximo e peça um mapa e uma chado Júnior, eram dos preferidos de Agenda Cultural. Lá vai encontrar a Bissaya Barreto que lhes encomen- lista de todos os museus da cidade, dou diversas peças. Às dezenas de bem como a respectiva localização. estátuas espalhadas pelo jardim, Na Alta de Coimbra encontra- juntam-se dezenas de estatuetas no -se um dos mais procurados pelos interior da habitação. turistas, o Museu Nacional de A sua colecção de obras de arte Machado de Castro, inaugurado dá a conhecer um pouco mais deste oficialmente em 1913. Em plena zona homem brilhante, conhecido pelo seu universitária, na malha urbana da humanismo e pela sua devoção pelas Coimbra medieval, este museu grandes causas. permite a apreciação de várias A Universidade de Coimbra é colecções de pintura, arte-sacra, também uma instituição muito rica ourivesaria, faiança e paramento. Os em história e que tem muito para visitantes podem apreciar também o mostrar. Pode começar por o Museu estilo dos móveis, dos quadros e de de Arte Sacra da Universidade, siga diversos objectos de valor. O espólio para o Museu e Laboratório Antro- deste museu integra as colecções do pológico e visite também o Museu Instituto e do Museu das Pratas e de Nacional da Ciência e da Técnica. Portugal dos Pequenitos vários conventos de Coimbra, que Visite também as várias faculdades e foram sendo desocupados. a Biblioteca Joanina. uma das casas de faianças da cidade. Mas, se não é grande amante da delícias da gastronomia típica da Também no Alto de Coimbra, O percurso pelos museus ainda Para além de única, a louça de pintura, encontrará em Coimbra os região de Coimbra. Se for adepto dos entre a Penitenciária e os Arcos do não terminou. Ganhe fôlego e Coimbra é uma das mais belas do mais diversificados postais e vários doces, vai adorar a diversidade de Jardim, encontra-se a Casa Museu prossiga com uma visita ao Museu país. Com uma tonalidade de azuis e artefactos ligados à grande festa dos receitas conventuais que vai encontrar Bissaya Barreto, transformada em Académico, Museu de História Natu- brancos, a louça de Coimbra é uma estudantes, a “Queima das Fitas”, e a em qualquer café. Das arrufadas, às Museu depois da morte do professor ral, Museu dos Transportes e Museu boa recordação para qualquer pessoa. outras actividades desenvolvidas na velhoses, à sopa dourada, ao pudim Bissaya Barreto, uma das figuras mais Militar. Para além disso, ao comprar qualquer cidade. de ovos, aos doces de canela, ao marcantes da cidade e da região peça desta louça pintada à mão está a Aproveitamos também a oca- manjar branco, à lampreia de ovos, Centro. Recordações da cidade manter viva uma actividade que se sião para lhe dar outra sugestão. Os aos pastéis de Tentúgal, às queijadas, A Casa Museu foi mandada prolonga desde o século XVI e que passeios pela cidade irão abrir-lhe, às espigas de milho, entre outras construir por Bissaya Barreto e foi Se procura uma recordação de faz parte da tradição do povo com certeza, o apetite. Nessa altura, tantas iguarias, só vai ter um problema inaugurada no Natal de 1925. Foi Coimbra, sugerimos-lhe que visite português. aproveite para provar algumas das – escolher… CASA DAS CHAVES CASA JACA OURIVESARIA DAVID PINHEIRO, LDA. COMPLETO SORTIDO COSTA EM ARTIGOS INTERIORES DE SENHORA OURO - PRATAS COFRES – CHAVES – FECHADURAS – PORTAS BLINDADAS PORTAS FORTES – ALARMES ELECTRÓNICOS JÓIAS - RELÓGlOS AUTOMATISMOS PARA GARAGENS • ARTIGOS DE RETROSARIA • Rua Ferreira Borges, 153 R. Corpo de Deus, 9 – Tel/Fax 239 828 260 Telefone 239 822 950 3000 COIMBRA Praça do Comércio, 90 – Telef. 239 824 047 – COIMBRA 3000-180 COIMBRA Estores Farmácia Reparações de Bombas Injectoras – Electricidade Automóvel Afinação de Motores com Máquina Electrónica – Reparação ARLINDO, LDA. Vilaça, Lda. e Ajuste de Carburadores e turbo compressores RECEITUÁRIO MÉDICO PRODUTOS QUÍMICOS TODO O TIPO DE ESTORES FORNECIMENTO E REPARAÇÕES E FARMACÊUTICOS ACESSÓRIOS E PERFUMARIA MONDELDIESEL CINTOS E MEIAS REPARAÇÕES ELÉCTRICAS E A DIESEL, LDA. MEDICINAIS Espírito Santo das Touregas Rua Ferreira Borges, 132 Rua do Padrão, 140 – Telef. 239 827 788 Telefone 239 822 043 Telef. 239 981 644 3040 COIMBRA 3000 COIMBRA 3000 COIMBRA “ARTE NA ALDEIA” ATELIÊ Gaspar BAR NAVARRO, LDA. ALAMBIQUE COZINHA REGIONAL & Coutinho, Lda. GARRAFAS EM MINIATURA PARA COLECCIONADORES Telefone 239 834 262 Estúdio/Galeria de Arte ARMAZÉM DE VINHOS A BAIRRADA COMEÇA AQUI! Máquinas automáticas de moedas, onde Vinho e Aguardente “PISÃO” poderá rapidamente ser servido de Café, Vale da Silva - Rio de Vide Tabaco, Coca-Cola e Cerveja 3220 MIRANDA DO CORVO Adémia de Baixo - 3020 COIMBRA Estrada de Eiras - Telef. 239 835 154 24 Horas ao Serviço da Cidade Tel. 239 542 265 Telef. 239 431 517 3020 COIMBRA Av. Emídio Navarro 3000 COIMBRA 19/04/02
  • 43. coimbra Mais de dois mil anos de história Conhecida como a terceira gações históricas e arqueológicas. É possível determinar também os cidade do país, Coimbra diferentes povos que aí habitaram ou mantém ainda a sua que por aqui passaram. supremacia na região No tempo dos romanos, a cidade assistiu à construção de obras que Centro, apesar do crescente demonstravam todo o seu esplendor. desenvolvimento de algumas Arcos honoríficos, um aqueduto e cidades vizinhas. Situada mesmo um circo, uma obra que muito agradou aos espectadores das corridas numa magnífica colina e de cavalos, foram algumas das banhada pelas águas calmas construções deixadas pelos romanos. do Rio Mondego, onde se Mas, depois dos romanos muitos reflecte a sua beleza, outros povos acabariam também por passar por Coimbra e por deixar as Coimbra continua a ser a suas marcas. Foi, aliás, a passagem de cidade da história e da todos estes povos pela cidade do tradição e continua a Mondego que acabou por conduzi-la ao que hoje é. Foi também esta cidade funcionar como um grande que viu nascer algumas figuras da Castilho, entre muitos outros. lançaram-se as primeiras pedras das interessada em continuar a debater-se pólo de atracção. nossa história, nomeadamente D. No século XVI surge aquela que igrejas dos Jesuítas (actual Sé Nova), pelo desenvolvimento e pela inova- Sancho I, D. Afonso II, D. Afonso III, se acabaria por tornar na mais de S. Bento e do Mosteiro de Santa ção. Apesar de actualmente assistir a D. Afonso IV e D. Fernando. Coimbra importante obra da cidade. A Clara. No reinado de D. João V foi Já no século XXI, Coimbra um grande desenvolvimento e a um foi ainda eleita para debater a política Universidade instala-se definitiva- construída ainda a Torre da Univer- continua a reflectir-se nas águas claras crescimento desmedido para as zonas nacional, tendo-se reunido nesta mente na Alta e, simultaneamente, sidade, a Biblioteca Joanina, o Parque do Mondego mas não deixa que esta periféricas, esta cidade nasceu e cidade as cortes. A tragédia de Inês de foram construídos vários colégios que de Santa Cruz e iniciou-se a construção imagem se mantenha estática. As obras restringiu-se em tempos à Alta, onde Castro, indubitavelmente ligada ao funcionavam como alternativa ao do Seminário. e os projectos sucedem-se e, actual- nasceram os primeiros núcleos de campo político, decorreu também em ensino oficial. Com o Marquês de Pombal mente, a cidade prepara-se para novas povoamento. Coimbra e permanece ainda como um Na mesma época assistiu-se criou-se o Jardim Botânico e projec- construções e para novos eventos. A Alta de Coimbra, agora tão dos aspectos marcantes desta cidade, também à renovação do Mosteiro de taram-se os edifícios do Museu de A Coimbra Capital Nacional da degradada, emergia na altura como o mantendo-se viva em jardins, poemas, Santa Cruz e à abertura da Rua da História Natural e o Laboratório de Cultura, em 2003, e o Campeonato principal ponto de passagem entre o quadros, … Sofia. Química. Europeu de Futebol, em 2004, são Norte e o Sul do país e a sua loca- Conquistando pouco a pouco a Foi principalmente nesta altura, No século XIX, a cidade assiste apenas dois acontecimentos que lização estratégica, no alto da colina, sua supremacia, Coimbra assistiu ao na Coimbra de Quinhentos, que a à introdução do telégrafo eléctrico e à prometem agitar a cidade e que vão representava uma mais valia para os emergir de belas e emblemáticas obras cidade sofreu as maiores transforma- iluminação a gás. Em 1864 foi exigir de todos muito esforço, seus habitantes. A “Aeminium”, o que ainda hoje mantêm a sua ções, mudanças que se mantêm até inaugurado o caminho de ferro e, em dedicação e apoio. Estes dois eventos, nome romano de Coimbra, acabou grandiosidade. Numa mistura perfeita hoje. A cidade continuou, no entanto, 1875, construiu-se a ponte férrea. que implicam uma série de remode- mesmo por se estender a novas áreas de estilos, ergueram-se em Coimbra a crescer, com novos edifícios Assim, no final do século, a cidade de lações, reconstruções e pressupõem e por se transformar em cidade. algumas das mais céleres obras do habitacionais, igrejas, monumentos e Coimbra aparecia como uma cidade construções de fundo, devem ajudar a Ainda hoje é possível encontrar país, projectadas pelos melhores com um traçado urbano cada vez mais moderna e progressista. criar uma nova cidade, cuja ima- em Coimbra algumas das marcas artistas, como Mestre Roberto, aperfeiçoado e alargado. É esta Coimbra que mantemos gem deverá ser projectada além desse período passado, das investi- Domingos Domingues, Diogo de Entretanto, no século XVII, ainda hoje, uma cidade que se mostra fronteiras. JUNTA DE FREGUESIA DA SÉ NOVA Deixámos sinais no século passado e vamos mantê-los no presente. Sinais de vitalidade, ao lado dos nossos eleitores Contem connosco. Sempre Bairro de Sousa Pinto, 37-1.º - Tel. 239 828 732 - COIMBRA Arganil, espaço de tradição ...descoberta e BAR AVENIDA ...encanto PROPRIEDADE DE: Café Cervejaria Mondego, Lda. 3.ª Classe SERVIÇO DE GRELHADOS NA BRASA CROISSANTERIA - PASTELARIA - CERVEJARIA Edifício Avenida, Piso 0 - Loja 3 - Av. Sá da Bandeira, 35 Telef. 239 833 064 - 3000-351 COIMBRA CALDEIRAS – MONTAGEM – ASSISTÊNCIA – INSPECÇÃO PARA A DGE CENTRAIS DE VAPOR – PROJECTOS – COMPRA E VENDA DE CALDEIRAS MANUTENÇÃO E MONTAGENS A TINTURARIAS PARA INDÚSTRIA TÊXTIL A Câmara Municipal de Arganil deseja ao R. Dr. Moura Relvas Jornal “O Despertar” as maiores felicidades, e Tovim de Baixo - Fax 239 713 587 Telef. 239 405 293 - 3000-364 COIMBRA votos de muitos êxitos, pela passagem do seu 85.º Carlos Martins Delegação em Lisboa: R. Adriano José da Silva, 8-2.º Esq. aniversário ELECTROMECÂNICOS PAÇO DE ARCOS - 2780 OEIRAS 19/04/02
  • 44. última Ponto de partida aos 85 anos de vida Assinalar os 85 anos de vida do mais antigo jornal que se publica em Coimbra, está muito além de toda a carga simbólica que por inerência lhe queiramos dispensar. Da opção pela humildade como principal instrumento de trabalho que moldou e solidificou ao longo de décadas um esteio de sadio e responsável regionalismo, e na defesa que intransigentemente vem colocando nos valores republicanos de liberdade e democracia, resultou esta natural longevidade que, todavia, só espanta quem a não quiser compreender. Tal como referimos na passagem do 75.º aniversário esta “tribuna livre e plural impregnada dos valores da Liberdade, Igualdade e Justiça Social, está pronta para vencer os desafios que se lhe colocam.” Mais que nunca. Chegámos aos 85 anos, tendo por meta de aniversário o indissociável ponto de partida numa caminhada de que naturalmente “O Despertar” se orgulha. É nesse inestimável património de história de quem viveu e partilhou com sucessivas gerações que se alicerça a força de um jornal que se projecta num futuro a caminho do centenário. Ora, quando a 3 de Março de 1917, se escreveram na primeira edição, proféticas palavras de quem se assumia como “modesto jornal de província”, “O Despertar” traçou a si mesmo um dos mais belos rumos que, obviamente, continuamos a preservar, como algo que nasce e se desenvolve connosco. Os tempos que correm são outros, exigindo-nos um redobrado esforço de actualização e modernização tecnológica, tendo por objectivo fundamental melhorar o visual gráfico e aprofundar o seu conteúdo em notícias que nos identificam e direccionam ao nosso público. No entanto, de pouco valeriam se abdicássemos da filosofia familiar com que tentamos construir o nosso relacionamento com a comunidade em que estamos envolvidos, particularmente constituída pelos nossos leitores, assinantes, anunciantes e amigos. São eles, e só eles, que nos dão alento para continuarmos a labutar contra as adversidades de vária ordem que em forma de escolhos se colocam nos caminhos duma imprensa regional livre e que se pretenda assumir de forma idónea e responsavelmente interveniente junto das populações locais. A composição manual do primeiro cartel do século XIX evoluiu para a espantosa AUTOMÓVEIS DO MONDEGO, LDA. técnica de se fundirem no chumbo as palavras em linhas, mas foi preciso passar CONCESSIONÁRIO PEUGEOT pelo nascimento da televisão nos anos cinquenta e esperar até meados da década Av. Sá da Bandeira, 49-59 - 3000-351 COIMBRA de 70, para que viessem à luz do dia os rudimentos da montagem “ofset” que Tel. 239 854 660 - Fax 239 824 023 - Of. 239 701 167 - Apartado 1150 - 3001-501 COIMBRA mandaram para os museus algumas das mais espectaculares máquinas que trabalharam durante décadas a fio. Estava em alucinante movimento uma revolução informática que nos anos oitenta se começou a expandir por todo o país e a imprensa regional, apesar de parente pobre da comunicação social nacional, teve de arregaçar as mangas e saltar A Pequena Sereia TEMPOS LIVRES para cima do comboio em andamento. ENTRETENIMENTO As comunicações telegráficas que durante anos se faziam através dos ESTUDO ACOMPANHADO incansáveis receptores de telex, estavam a ser ultrapassadas pelos cabos coaxiais com que se dava início à era digital. Estava aí a informação “online”, ou seja, a Abertas Inscrições possibilidade de ser transmitida em permanência num tempo real. Por isso, quem ficasse para trás, corria o risco de morte. E foi isso o que aconteceu a tantos títulos Rua Pedro Monteiro, 100 Felicita “O Despertar” que não soçobraram aos desígnios de diferentes revoluções. Tel. 239 836 584 pelo seu 85.º Aniversário 3000 COIMBRA Às profundas mudanças que se colocaram ao sector, cavaram-se na última década as assimetrias regionais que resultaram duma visão centralista lisboeta em que a imprensa regional foi considerada “paisagem desprotegida” durante demasiado tempo. Restrições no “Porte Pago”, galopantes custos do papel, confrangedora Consultas dualidade de critérios na distribuição de campanhas publicitárias, concorrência Diárias Fernandes Oculista, Lda. desleal, prepotência do audiovisual sobre os restantes meios de comunicação, formação profissional, reapetrechamento de equipamento informático e tecnológico, são algumas das frentes em que “O Despertar” está combativamente empenhado aos 85 anos de idade, mas com a juventude de sempre. ÓPTICA, OPTOMETRIA E CONTACTOLOGIA Nessa perspectiva, permita-se-nos que partilhemos consigo, leitor, esta sincera alegria de quem vira uma página abordando mais um aniversário como ponto de partida para o futuro. R. Ferreira Borges, 48 • 3000-179 COIMBRA • Telef. 239 852 700 • Fax 239 852 701 R. Visconde da Luz, 41-45 • 3000-414 COIMBRA • Telef.: 239 852 705 FP 2001 19/04/02