GAZETA MERCANTIL – Brasil – 04.03.2008
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

GAZETA MERCANTIL – Brasil – 04.03.2008

  • 29,155 views
Uploaded on

Versão integral da edição do jornal “Gazeta Mercantil” que se publica no Brasil. 04.03.2008. ...

Versão integral da edição do jornal “Gazeta Mercantil” que se publica no Brasil. 04.03.2008.

Para saber mais sobre a arte e as técnicas de titular na imprensa, assim como sobre a “Intertextualidade”, visite http://www.mediatico.com.pt/manchete/index.htm (necessita de ter instalado o Java Runtime Environment), e www.youtube.com/discover747

Visite outros sítios de Dinis Manuel Alves em www.mediatico.com.pt , www.slideshare.net/dmpa,
www.youtube.com/mediapolisxxi, www.youtube.com/fotographarte, www.youtube.com/tiremmedestefilme, www.youtube.com/discover747 ,
http://www.youtube.com/camarafixa, , http://videos.sapo.pt/lapisazul/playview/2 e em www.mogulus.com/otalcanal
Ainda: http://www.mediatico.com.pt/diasdecoimbra/ , http://www.mediatico.com.pt/redor/ ,
http://www.mediatico.com.pt/fe/ , http://www.mediatico.com.pt/fitas/ , http://www.mediatico.com.pt/redor2/, http://www.mediatico.com.pt/foto/yr2.htm ,
http://www.mediatico.com.pt/manchete/index.htm ,
http://www.mediatico.com.pt/foto/index.htm , http://www.mediatico.com.pt/luanda/ ,
http://www.biblioteca2.fcpages.com/nimas/intro.html

More in: Technology , Travel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • 17-Título = Jogando.net/mu Venha se divertir de verdade !!!
    [b]Ola,sou o Pr1nceMG,Divulgador oficial do Servidor de Mu online Season 6 do Brasil
    ESTÁ ON HÁ MAIS DE 5 ANOS,Produzindo sua Diversão com qualidade.
    TODOS OS SERVERS ficam ON 24 horas por dia, Sempre Buscamos o Melhor para os Gamers.
    São varios Server esperando por você :
    * MuWar' 1000x/1500x
    * Super - 10.000x ** Pvp 15.000x
    * Very Easy - 5.000x
    * Hard 100 x
    * Extreme 10x
    * Novo servidor Phoenix: Free 3000x | Vip: 4000x Phoenix
    SÓ NO http://www.jogando.net/mu VOCÊ ENCONTRA
    Os Melhores itens e kits mais tops de um server De MU Online:
    * Novas asas level 4
    * Novos Kits DEVASTADOR
    * Novos Kits DIAMOND v2 + Kit Mystical (a combinação da super força)
    * Novos Sets especiais de TIME.
    *CASTLE SIEGE AOS SÁBADOS e DOMINGOS.
    Site http://www.jogando.net/mu/
    Esperamos pela sua visita.Sejam todos muito benvindos ao nosso Servidor.
    *Um mês de grandes eventos e Promoções do dia das Crianças e Sorteio de 1 iPad e 2.000.000 de Golds!
    E obrigado pela atençao de todos voces !!!
    Conheça também animes cloud http://animescloud.com/ São mais de 20.000 mil videos online.
    By:Pr1nceMG divulgador oficial do jogando.net/mu
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • This presentation is spam. Pure and simple.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • oi
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
29,155
On Slideshare
29,127
From Embeds
28
Number of Embeds
2

Actions

Shares
Downloads
99
Comments
3
Likes
0

Embeds 28

http://www.slideshare.net 27
http://static.slideshare.net 1

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. O JORNAL DE ECONOMIA DO BRASIL DESDE 1920 ANO LXXXVII | Nº 23.773 | R$ 3,00 TERÇA-FEIRA, 4 DE MARÇO DE 2008 | EDIÇÃO NACIONAL gazetamercantil.com.br BALANÇA COMERCIAL FARMACÊUTICA BOVESPA Superávit fica em US$ 882 Brasileira Eurofarma avalia aquisições Atual ciclo de alta milhões, diz Welber Barral A5 na América Latina C4 começou em 2002 B2 Dólar e crise do gás reduzem lucro da Petrobras em 17% RICARDO REGO MONTEIRO RIO 2007, a estatal al- Energia Elétrica (Aneel), de R$ 85 mi- bilhões em 2007 frente ao ano anterior. cançou a condição lhões, como também pelo pagamento de “Como aumentamos nossa presença O prejuízo de R$ 449 milhões com as de terceira maior encargos pelo não-cumprimento de con- no exterior, o câmbio teve impacto mui- operações de usinas termelétricas ajudou petroleira do tratos de fornecimento de gás natural pa- to maior para o resultado da companhia a derrubar o lucro líquido da Petrobras mundo de capital ra termelétricas. Os encargos, que funcio- no ano passado do que em outros anos”, no ano passado, que ficou em R$ 21,5 bi- aberto, atrás da nam como uma espécie de multa, de- disse Barbassa, ao tentar minimizar o re- lhões. O resultado, 17% inferior aos R$ americana Exxon mandaram um desembolso de R$ 309 sultado da estatal. Os investimentos da 25,9 bilhões de 2006, foi afetado de forma e da anglo-holan- milhões no ano passado. O item que empresa, em 2007, foram 34% maiores PRIMEIRO PLANO significativa pela desvalorização de 17% desa Shell. mais pesou para o resultado negativo, no do que no ano anterior. do dólar frente ao real e pela repactuação ALMIR BARBASSA Sobre a queda entanto, foi a desvalorização do dólar, Ontem, o Conselho da Petrobras CRISE QUITO-BOGOTÁ do Plano Petros, caixa de funcionários da no lucro, Barbassa que teve impacto de R$ 3,9 bilhões. Em- aprovou a substituição do diretor da O ministro das Relações Exteriores do Brasil, empresa. Apesar das más notícias, o di- disse que o impacto das operações do se- bora o câmbio também tenha afetado o área internacional da estatal, Nestor Celso Amorim, disse que o País vai solicitar retor financeiro da empresa, Almir Bar- tor elétrico ocorreram não só devido à resultado de 2006, a contínua apreciação Cerveró, pelo engenheiro elétrico Jorge à OEA a criação de uma comissão para in- bassa, fez questão de anunciar que em multa imposta pela Agência Nacional de do real aumentou o impacto em R$ 2,6 Luiz Zelada. CONTINUA NA PÁG. A4 vestigar a questão da invasão de oficiais co- lombianos no Equador no último sábado, ROMUALDO RIBEIRO/GAZETA MERCANTIL gerando um incidente diplomático. OFERTA DE AÇÕES DA GERDAU A11 Com controle Os conselhos de administração da Meta- lúrgica Gerdau e da Gerdau aprovaram a da Scania, VW realização de uma oferta pública primária de ações ordinárias e preferenciais de até R$ 1,2 bilhão para a metalúrgica e de R$ chega ao topo ARIVERSON FELTRIN E BLOOMBERG NEWS 2,8 bilhões da Gerdau. SÃO PAULO, FRANKFURT E MUNIQUE (ALEMANHA), ESTOCOLMO (SUÉCIA) E FORÇA-TAREFA PARA GARANTIR LEILÃO GENEBRA (SUÍÇA) A Procuradoria Geral do Estado de São Paulo montou um grupo de advogados pa- Uma porção de marcas pode fazer da ra combater possíveis liminares que ten- Porsche um império automotivo global. A tem barrar o leilão da Companhia Ener- Volkswagen AG, que passou a controlar gética de São Paulo (Cesp). A8 68% da Scania AB ao comprar a partici- pação da família Wallenberg por US$ 4,37 CRESCIMENTO NO INTERIOR bilhões, abriu caminho para uma fusão A chegada de infra-estrutura como shop- com a MAN AG. Por trás dessa engenharia ping centers e rodovias a regiões fora dos financeira está a Porsche, dirigida por Fer- grandes centros puxa as vendas imobiliá- dinand Piech, que preside também a VW. rias com preço de R$ 100 mil a R$ 200 mil Os acionistas majoritários da MAN nesses locais. INVESTNEWS.COM.BR são os mesmos da Volkswagen. Com as três marcas reunidas, VW, MAN e Scania MAPA DO TEMPO passam a figurar entre os maiores fabri- Excepcionalmente, hoje está publica- cantes mundiais de caminhões. do na página B5. Martin Winterkorn, principal executivo da Volkswagen, disse que a Scania se man- terá como marca premium independente. “O período de especulação sobre a proprie- OPINIÃO dade da Scania será encerrado”, disse o pre- sidente-executivo da Scania, Leif Ostling. DALMO DALLARI Das três marcas, VW e Scania têm ne- A noção de direitos foi uma importante con- ESTRATÉGIA O Banco do Brasil vai brigar para manter o posto de maior banco do País em ativos. Em reação ao gócios importantes no Brasil. Somadas as quista da humanidade. Tendo necessidade avanço da concorrência, o presidente do BB, Antônio Lima Neto, colocou em prática um plano que inclui vendas, tiveram em 2007 a liderança do da convivência, os seres humanos necessitam compras e maior foco no crédito para pessoa física, com destaque para as linhas de veículos e a imobiliária. B4 mercado de caminhões, com 36%, à frente de regras para que ela seja pacífica. A6 da Mercedes-Benz, que deteve 31%. C2 COSTÁBILE NICOLETTA Hoje, o cidadão brasileiro paga duas vezes pa- ra entrar na fila. Uma para o Instituto Na- cional do Seguro Social (INSS), outra para o Superfund terá HSBC tem lucro recorde Di Solle produz plano de saúde. A2 para Brasil fundo de R$ 1,2 bilhão no País talheres com PLANO PESSOAL ROGÉRIO MONTENEGRO de derivativos NELSON ROCCO linguagem Braile SILVIA ROSA SÃO PAULO LONDRES FATIA AUMENTA GUILHERME ARRUDA CAXIAS DO SUL (RS) O HSBC Bank Brasil chegou à marca de Participação do Brasil no lucro global A aprovação da Instrução 465 da Co- R$ 1,24 bilhão em lucro líquido em 2007. do HSBC (em %) A Di Solle Cutelaria, instalada em 3,6 missão de Valores Mobiliários (CVM), O resultado, o maior da história da insti- Gramado (RS), coloca no mercado a par- 2,4 que permite a aplicação de até 100% do tuição no Brasil, representa um crescimen- 1,9 tir deste mês talheres produzidos em aço patrimônio no exterior para fundos de to de 31% sobre 2006. A receita do banco inox com impressão em linguagem Brai- investidores que aplicam mais de R$ 1 aumentou 10%, alcançando R$ 9,26 bi- le. Segundo o diretor comercial, Sérgio milhão já atraiu o interesse de gestoras lhões. O crédito foi o grande propulsor do 2005 2006 2007 Bartz, a gravação será feita sob encomen- estrangeiras como a austríaca Super- lucro, ao registrar expansão de 33% na da. A empresa, que no ano passado fez 37 Fonte: HSBC fund.Com escritório no Brasil desde carteira. Só o financiamento de veículos milhões de peças, projeta fazer 46 mi- 2004, a gestora, uma das maiores do aumentou 44%, para R$ 7,5 bilhões, en- varo Azevedo, diretor financeiro. Alonso lhões de unidades neste ano. mundo na atuação em mercados de de- quanto o consignado fechou em R$ 2,2 bi- reconheceu que o dólar ajudou o resul- Para Bartz, a concorrência chinesa Executivos e turistas rivativos futuros, pretende lançar um lhões, 53% maior que no ano anterior. tado do Brasil, que representa 40% do to- deve ser bem monitorada, mas não há fundo local para investidores brasilei- Emilson Alonso, presidente do HSBC tal na América Latina e 3,6% do lucro motivo para choradeira. O faturamento esperam hotéis ros, voltado para a aplicação no merca- no Brasil, considerou o resultado “muito global do grupo. Em 2005, o Brasil repre- da Di Solle passou de R$ 19 milhões em práticos e sóbrios do externo, tanto em commodities co- bom”. “Foi o maior lucro do HSBC no sentava 1,9% do lucro global e em 2006 2006 para R$ 27 milhões no ano pas- mo em ativos financeiros. B3 Brasil. Isso é um marco”, completou Ál- a fatia subiu para 2,4%. B1 sado. Para este ano a perspectiva é al- Fugir do clássico, do rústico e do con- cançar R$ 34,5 milhões, ou 26% de temporâneo e dar preferência a am- crescimento. Do total das receitas, 20% bientes sóbrios e práticos é a principal tendência da segunda edição do Casa Hotel, que acontece em São Paulo. Pa- Preço da soja Camargo Corrêa constrói são vendas para o mercado externo, on- de atua em todos os continentes. “A companhia inicia estudos para ra Roberto Dimbério (foto), diretor da mostra, “seja executivo ou turista, o sobe mesmo apartamentos em Angola definir investimentos e aumentar a ca- pacidade de produção. Hoje, o principal cliente quer lugares que fujam da ri- gidez dos hotéis tradicionais”. C8 com colheita CLAYTON MELO mento devem estar prontas em 2010. canal de vendas é a rede de represen- tantes espalhada pelo País e que traba- lha com distribuidores. C1 FABIANA BATISTA SÃO PAULO SÃO PAULO Além desse lançamento imobiliário, A construtora Camargo Corrêa diver- até o final do ano a companhia brasileira, O avanço da colheita de soja no País — sifica sua estratégia de internacionaliza- em conjunto com a Escom, trabalhará na Veja o pacote que atinge 16% da área plantada, acima ção e entra agora no setor imobiliário de construção de um conjunto de três edi- de serviços da média de 14% dos últimos cinco anos Angola. O primeiro empreendimento é fícios de alto padrão, com mais de 100 imperdível que — não conteve a alta dos preços do grão o Acqua Ville, com 148 apartamentos, mil m2 de área construída. Somando-se Agora seu no mercado interno. Esse movimento atí- que contou com investimento de US$ os imóveis desenvolvidos com parceiros você pode ter pico não ocorria desde 2004. Ontem, em Cascavel (PR), a saca de 60 quilos foi ne- 110 milhões, quantia que será repartida com a Escom Imobiliária, do Grupo Es- como a Escom e projetos independentes, a Camargo Corrêa espera obter sozinha dinheiro viaja na sua empresa. gociada a R$ 48, 1% mais que na sexta- feira. A alta segue tendência do mercado pírito Santo, sócia no projeto. A expec- tativa é que o condomínio, cuja comer- um total de US$ 400 milhões até o final deste ano. Segundo a companhia, o ne- de graça. a internacional, que ontem subiu pela 15 - cialização começa nesta semana, pro- gócio imobiliário em Angola pode se tor- seção seguida na Bolsa de Chicago e fe- porcione entre US$ 130 milhões e US$ nar tão importante quanto o segmento Confira na pág. B1. chou no limite de alta, a 1.555 centavos de 140 milhões em vendas para as duas de infra-estrutura, carro-chefe dos negó- dólar o bushel (27,2 quilos). C3 companhias. As obras do empreendi- cios. A empresa já atua na África. C1
  • 2. A2 | Terça-feira, 4 de março de 2008 | GAZETA MERCANTIL EDITORIAIS PERSONAGEM Hugo Chávez, presidente da Venezuela Conselho de Administração Direção Geral Presidente Nelson Tanure Jackson Fullen Marcello D’Angelo Diretoria Executiva Editora-executiva Claudia Mancini Presidente Daniel Barbara Secretário de Redação Costábile Nicoletta Diretor Editorial Augusto Nunes Coordenadores Editoriais Klaus Kleber (Opinião), Diretor Geral de Gestão Eduardo L. Jácome Nelson Rocco (Finanças) e Arthur Fajardo (Imagem) Ação de Chávez agrava ambiente já conturbado O cenário internacional conta com sufi- cenas de ópera-bufa estão próximas demais da fron- cientes focos de tensão para que qual- teira brasileira para fazer de conta que não existem. quer liderança nacional ostente atitu- O incidente de sexta-feira na fronteira entre Co- des de indiferença. É fato que um de- lômbia e Equador é a melhor prova disso. Sem o nominador comum em torno desses focos é o componente Chávez, a tradição negociadora da di- petróleo. Por exemplo, a eleição do vice-primeiro- plomacia latino-americana seria mais do que sufi- ministro Dmitri Medvedev para a presidência da ciente para equacionar o problema. Uma operação Rússia, com 70,3% dos votos, dispensando o se- conjunta das forças militares colombianas mataram gundo turno, apesar da aparência de normalidade em combate o número 2 das Forças Armadas Revo- democrática é um desses focos de tensão. Depois lucionárias da Colômbia (Farc) na fronteira com o de ressaltar que o resultado do pleito refletiu a Equador. Merece atenção que as Farc imediatamente vontade do povo russo, Andreas Gross, chefe da tentaram desmentir que a morte do líder ocorreu única missão de monitoramento do Ocidente pre- em território estrangeiro por saberem que isso só sente na Rússia garantiu que “não houve liberda- agrava sua condição de grupo terrorista que não res- de” na eleição de domingo passado. peita fronteiras internacionais. A Colômbia garantiu O presidente eleito já avisou que o ex-presidente que agiu protegida por Resolução da ONU na perse- Vladimir Putin permanece no poder, agora como guição a terroristas. Porém, Chávez procurou apro- primeiro-ministro. É indiscutível a popularidade de veitar com rapidez a oportunidade de oferecer lide- Putin: 80% dos russos o apóiam, por considerá-lo rança no continente latino-americano. Primeiro usou responsável tanto pela boa situação econômica co- ofensas pessoais contra o presidente colombiano Al- mo pela devolução de poder internacional à Rússia. varo Uribe e depois prometeu mobilizar forças mili- Gian Paolo La Barbera Quem paga a conta de toda essa popularidade é o tares na fronteira com a Colômbia. petróleo russo. No ano passado, a indústria da cons- O reflexo desse quadro no Brasil é claro e já ga- trução civil cresceu 13% na Rússia e depois de mui- nhou até contornos político-ideológicos. O ex-presi- tos anos ocorreu uma expansão de 21% nos investi- dente José Sarney afirmou da tribuna do Senado que mentos em bens de capital. Essa formidável expan- são tem forte dependência do petróleo e gás, que o Brasil “não pode lavar as mãos” porque Chávez tem o objetivo de “desestabilizar o continente” e a GAZETA NO TEMPO representam 75% das exportações russas e são res- reação dele não é a de quem quer negociar. O líder ponsáveis por cerca de 53% da formação do atual do DEM no Senado, Agripino Maia, defendeu a in- PIB do país. Frente a essa realidade o Ocidente fe- tervenção da Organização dos Estados Americanos 04/03/71 04/03/69 04/03/02 chou os olhos aos excessos na eleição e ontem, com (OEA). De fato, o Conselho Permanente da OEA já CESP VAI AUMENTAR A APOLLO 9 PREPARA A SUÍÇA É A MAIS NOVA inédita rapidez, o porta-voz da Casa Branca, afirmou: convocou reunião extraordinária a pedido do gover- GERAÇÃO DE ENERGIA DESCIDA NA LUA INTEGRANTE DA ONU “Os EUA desejam trabalhar com Medvedev devido no de Quito. O governo brasileiro, ontem, tomou Nos próximos quatro anos, a A cosmonave Apollo 9 iniciou Os eleitores suíços colocaram aos interesses comuns”. A rigor, esse tratamento não posição escudado no direito internacional de que potência energética instalada da hoje seu vôo para completar a úl- fim aos 50 anos de neutralidade é muito diferente do oferecido, por exemplo, pela fronteiras devem ser respeitadas e cobrou pedido de Centrais Elétricas de São Paulo tima etapa do projeto que levará política e aprovaram ontem, por União Européia ao Irã, apesar de todas as ameaças desculpas formais da Colômbia para o Equador. É (Cesp) atingirá 3 milhões de ki- os astronautas norte-americanos meio de um referendo, a adesão de posse de armamento nuclear de Teerã. posição compreensível, mas insuficiente para a di- lowatts (kw), segundo informa- à Lua. A missão dos astronautas, da Suíça à Organização das Na- Esta realidade tem um contraponto óbvio na ca- mensão que tomou essa crise. A rapidez dos fatos ções da empresa. A atual potên- Ames A. McDivitt, David R. Scott e ções Unidas (ONU). A histórica pacidade de criar problemas e fatos consumados do indica que caberá ao Brasil atitude mais incisiva nes- cia instalada da Cesp é de 1,738 Russel Schweickart foi qualificada neutralidade dos suíços vem dos tenente-coronel da reserva Hugo Chávez. O poder do se confronto tão próximo de nossas fronteiras. milhão de kilowatts. oficialmente como “umas das tempos da Guerra Fria, quando presidente venezuelano também está assentado so- A ONU já revelou sua preocupação com o agra- Até o final da década também mais complexas jamais tentadas”, alguns países se deram o direito bre petróleo, usado para comprar apoio interno ou vamento da crise, embora no final da tarde de on- ficará totalmente concluído o e servirá para provar no espaço o de não tomar partido durante os externo. Lembrar que Chávez perdeu a última elei- tem as agências internacionais tenham constatado Complexo Hidrelétrico de Urubu- módulo lunar, que os tripulantes conflitos no período pós-guerra ção é desconhecer que ele domina integralmente o que o trânsito de veículos fluía normalmente em pungá, que assegurará o atendi- da Apolo 11 empregarão para des- entre Estados Unidos e a extinta Congresso venezuelano. Para os brasileiros, no en- San Antonio, principal posto de fronteira entre a Ve- mento, até o fim do século, das cer na superfície lunar. União Soviética. tanto, há uma diferença essencial entre esses diferen- nezuela e a Colômbia. Isso, apesar de todas as amea- necessidades do mercado consu- O prazo da missão é de dez Ironicamente, a Suíça sempre tes focos de tensão frutos do petróleo: é possível ças militares do presidente Chávez. Esse conjunto de midor de energia, mercado esse dias, na qual serão avaliados o fun- sediou o escritório central da ONU manter distância dos problemas da “democracia” de fatores demonstra que a diplomacia brasileira deve que se amplia acentuadamente cionamento dos motores do mó- no velho continente. Com o resul- Putin ou do armamento nuclear iraniano. Mas, não manter uma atitude serena, porém mais firme em dia a dia em virtude principal- dulo lunar e dos sistemas de con- tado desse referendo, o Vaticano temos mais como ficar indiferentes aos esbirros e ri- relação à essa crise. Principalmente, em relação aos mente do desenvolvimento in- trole, além da localização de pon- é o único estado na Europa não dículas pantomimas do presidente venezuelano. Tais excessos do presidente venezuelano. dustrial do Estado de São Paulo. tos-chave e tarefas fotográficas. pertencente à organização. Está na hora de “operar” a garganta CARTAS E OPINIÕES E-mail: cartasdoleitor@gazetamercantil.com.br ou fax: 11 2126-5329 mará bastante sorvete para aju- dar na recuperação”. Quarenta anos atrás, a situa- pagar à vista. Usam como argu- mento que os convênios lhes re- muneram de forma quase indi- REPORTAGEM SENSÍVEL Gostaria de parabenizar o re- pórter Márcio Rodrigo pela mara- Bolha no financiamento COSTÁBILE ção era muito parecida com a de hoje, para quem precisa utilizar o gente, de R$ 10 a R$ 20 a consul- ta. Em vez de se recusarem a vilhosa matéria “Projeto de uma vida inteira”, (Fim de Semana, de veículos no Brasil? NICOLETTA* Instituto Nacional do Seguro So- trabalhar dessa maneira, vingam- 29/02, pág. D1). Ficou superbonita cial. Filas. Longas filas de espera. se nos pacientes. É a mesma si- e muito bem escrita. O jornalista É de se esperar que haja uma TV LCD, R$ 50 para o celular, R$ Era março de 1968. Lembro- Com a agravante de que elas não tuação dos professores do ensino teve um cuidado e um carinho crise nos próximos dois anos no 500 para o carro. No final do dia, me bem da data não por reminis- se restringem mais ao INSS. A de- público que amaldiçoam o Esta- muito especial. E uma enorme sistema de financiamento de veí- boa parte da renda está compro- cências político-estudantis, e sim terioração do atendimento dos do por não lhe oferecer nem sa- sensibilidade. É por isso que agra- culos novos e usados no Brasil na metida no pagamento de presta- por uma crônica dor de garganta serviços públicos de saúde conta- lário nem condições de trabalho deço ao jornal. Realmente fiquei mesma amplitude verificada no ções de diversos financiamentos. que me acompanhou por toda a minou igualmente os convênios decentes e, em decorrência, não muito emocionada com tudo e mercado imobiliário americano. Com o carro acontece o mes- infância e adolescência. Como a privados. Conseguir uma consul- se empenham em fazer seus alu- não poderia deixar de escrever. Porém, para entendermos o que mo. As pessoas esquecem que enfermidade não cedia, meu pai ta médica nesses planos não raro nos aprender alguma coisa. Além de que a repercussão está poderá acontecer neste setor, pri- após adquirir um veículo, é pre- decidiu levar-me a um médico: significa uma espera de até um Mesmo quem tem condições sendo enorme. Muito Obrigada. meiro precisamos entender a base ciso, além de pagar as presta- “Amanhã vamos ao Samdu”. Na mês. Se se tratar de uma especia- de bancar uma consulta acaba Lígia Cortez, São Paulo. do que está acontecendo no mer- ções, gastar com o combustível, verdade, ele se referia ao prédio lidade, o tempo pode ser maior. sendo tungado. Pedir recibo de pa- cado nesses últimos anos. o Imposto sobre a Propriedade no Bairro do Limão, em São Pau- Caso seja necessário um exame gamento a um médico, na maioria LEILÃO DA CESP O mercado automobilístico de Veículos Automotores (IP- lo, onde, até um ano antes, fun- mais complexo, acrescente-se à das vezes, é um constrangimento, A Companhia Energética de Mi- brasileiro vem apresentando se- VA), o licenciamento, o seguro cionava uma unidade do Serviço como se isso fosse uma falta de nas Gerais (Cemig) não deveria guidos recordes de venda no mer- obrigatório, dentre outros itens de Assistência Médica Domiciliar Hoje, pagamos duas etiqueta do paciente, em vez de querer comprar a Companhia Ener- cado interno. Nem a valorização de manutenção preventiva, co- de Urgência, que era mantido por uma obrigação do médico. Isso gética de São Paulo (Cesp). A Cemig do real e a conseqüente queda nas mo a troca de óleo e filtros. fundos de pensão ligados ao setor vezes para ficar na quando o preço da consulta não fi- deveria utilizar este recurso para exportações têm tirado o sorriso Fica fácil prever o resultado des- industrial e, em 1967, foi encam- ca mais alto justamente porque o construir usinas hidrelétricas em do rosto dos donos de concessio- te processo nos próximos dois pado pelo Instituto Nacional de fila. Uma para o paciente pediu recibo. O valor do seu estado e assim melhorar a nárias. E o principal motivo desta anos: o cheiro da inadimplência Previdência Social (INPS). imposto que o médico deveria re- oferta de energia em seu próprio alegria toda tem sido o acesso ao vai ficando cada vez mais forte no Seja como Samdu, seja como INSS, outra para o colher ao Fisco acaba transferido estado. A construção de usinas crédito conseguido pela classe mercado. Caso esta se confirme, a INPS, o atendimento demorava plano de saúde para o prontuário do paciente. também ajudaria o estado mineiro média nos últimos anos. financeira pode recuperar o veícu- do mesmo jeito. Muita gente à Hoje, pagamos duas vezes para na criação de empregos, pois Minas Nunca foi tão fácil adquirir lo. Mas nem isto é fator de segu- espera de uma consulta, poucos ficar na fila. Uma quando a em- Gerais tem regiões muito pobres. um automóvel no Brasil: sem en- rança para o mercado. De fato, se a profissionais para fazer o diag- demora um périplo por outros presa onde trabalhamos desconta Marco A. Martignoni, economista, São Paulo trada, primeira parcela depois de inadimplência aumentar drastica- nóstico clínico. Filas. Muitas fi- consultórios para a obtenção de de nosso salário a contribuição ao três meses, e mais de 60 parcelas mente, estas financeiras ficarão las. E um pavor junto com a ex- uma guia, só conseguida após o INSS. Outra quando quitamos a LUCRO DOS BANCOS baixíssimas para pagar. Mas a com um grande estoque de carros pectativa de que o doutor sen- interessado submeter-se a um in- mensalidade do plano de saúde, No (des)governo Lula, o que própria fonte da alegria pode ser usados para serem vendidos. A tenciasse que já estava na hora terrogatório como se estivesse imaginando que, dessa forma, melhor existe é ser sindicalista — o principal motivo para a preocu- única solução será a promoção de de eu “operar a garganta”, tal era tendo uma atitude suspeita. não seremos atendidos numa ma- que se enriquece de forma geo- pação de amanhã. O acesso ao leilões coletivos ou a venda a pre- o respeito dos médicos por nos- Faça um teste. Tente marcar ca no corredor de um hospital. métrica e de maneira não clara —, crédito não está limitado ao setor ços bem abaixo do mercado. sas amígdalas. Horas na fila para uma consulta em um médico da Basta precisar de um dos dois ser- e ser banqueiro, pois com lucros automobilístico e se espalha por A crise americana demorou sete um profissional que passou pelo rede conveniada por meio de seu viços para constatar que ambos na casa do 43% é de deixar qual- diversos setores de consumo, co- anos para estourar. A previsão do menos seis anos na faculdade re- plano de saúde e, depois, tente estão muito parecidos em relação quer cliente doido de raiva. Se es- mo televisões de LCD, geladeiras, estouro da “bolha” do financia- ceitar uma cirurgia de garganta novamente pedindo uma consul- ao descaso que demonstram com te lucro aparecesse na gestão FHC, celulares 3G, computadores todos mento de crédito de veículos no como se fosse uma vacina con- ta particular. A maioria dos mé- quem lhes paga — seja pela de- a turma do PT— comandada porRi- podendo ser comprados em sua- Brasil está bem próxima, já que o tra infecções. O pior de tudo era dicos usa a estratégia de manter mora na prestação do serviço, seja cardo Berzoini— iria fazer um ba- ves e inúmeras prestações. aumento do crédito deste bem já o modo indulgente com que o duas agendas: uma para clientes pelo diagnóstico de que está na rulho de assustar a nação, que hoje O consumidor brasileiro come- perdura por cerca de quatro anos. médico tentava tranqüilizar o dos planos de saúde, com enorme hora de “operar” a garganta. se encontra doente de valores es- ça a acumular financiamento so- Olivier Girard, diretor de transporte, infra- moleque diante de si: “Pense fila de espera; outra com datas * Secretário de Redação pecialmente morais. bre financiamento: R$ 100 men- estrutura e logística da Trevisan que, depois da operação, você to- mais convenientes, para quem E-mail: costabile@gazetamercantil.com.br Edivelton Tadeu Mendes, São Paulo sais para a geladeira, R$ 150 para a Consultoria, São Paulo
  • 3. GAZETA MERCANTIL | Terça-feira, 4 de março de 2008 | A3 OPINIÃO GAZETA GLOBAL BANANAS Resseguros aguardam benefícios com disciplina Monopólio da Chiquita Brands chega ao fim O monopólio de mais de 80 anos no fornecimento de bananas ao mercado externo detido pela Chiquita Brands junto ao gover- das as especificações das turbinas, ral ou agrícola. Outra atualmen- Poucas têm levantado a possibi- no panamenho começou a chegar ao fim, na sexta-feira, com a res- o estágio do avanço tecnológico, te estuda as oportunidades em lidade de alavancar seu capital por cisão do contrato entre a Cooperativa de Serviços Múltiplos de se são protótipos, a fabricante, en- microsseguros, que são cobertu- meio das resseguradoras, transfe- Puerto Armuelles (Cosemupar), na costa panamenha do Pacífico, fim, os aspectos mais importan- ras destinadas aos consumido- rindo o risco e liberando das regras e a transnacional norte-americana. Quando se chamava United tes relacionados ao risco. res de baixa renda, mercado que de solvência o capital mínimo exi- Fruits, denominação abandonada na década de 70, a empresa te- ANGELO COLOMBO* Ou seja, as companhias res- tende a crescer muito no Brasil gido pela Superintendência de Se- ve seu nome relacionado a golpes militares contra governos de- seguradoras transferem o co- nos próximos anos. guros Privados (Susep). mocraticamente eleitos na América Latina, daí a origem da expres- A abertura do resseguro tem nhecimento para que as segura- Essas melhorias serão gradual- É uma alternativa aos custos são pejorativa “República de Banana” atribuída a alguns países gerado muito debate, principal- doras trabalhem em cima dessa mente percebidas pelos clientes, de captação via bancos à medida da América Central. A Chiquita mantém ainda um pacto de ex- mente no que diz respeito aos base de dados. visto que o seguro vai aos poucos que passam a fazer negócio com clusividade com produtores do Atlântico panamenho. modelos de transferência de ris- Essa relação tende a se acen- se tornar mais eficiente. Se se- um player do próprio mercado. JIN LEE/BLOOMBERG NEWS cos, regras para o mercado aber- tuar com a abertura do mercado, guirmos a lógica de mercado, po- Esses são apenas alguns dos EXECUTIVOS to e novos participantes que vi- já que as resseguradoras têm in- deremos colocar em prática pro- benefícios que a abertura trará Immelt, da GE, ganhou rão ao mercado. teresse em ter téc- dutos amplamen- ao mercado brasileiro. De qual- US$ 19,6 milhões no Em contrapartida, os benefí- nicos bem pre- Exemplos de te difundidos nos quer forma, é de grande impor- ano passado cios com o fim do monopólio de parados nas segu- outros países, co- tância que nos miremos nos Chegou a US$ 19,6 milhões, resseguros vão muito além da radoras, para abertura por mo os pacotes exemplos de outros países que no ano passado, a remunera- mudança dos processos. Tão im- analisar o risco de co mp re ens iv os passaram por processos simila- ção total de Jeffrey Immelt portante quanto permitir que a acordo com os outros países em riscos de enge- res de abertura — como a Chi- (foto), principal executivo da seguradora distribua os riscos de melhores crité- nharia que inte- na e a vizinha Argentina —, pa- General Electric, com aumen- forma mais equilibrada na sua rios técnicos in- aconselha gram desde o iní- ra entendermos que esse pro- to de 9,7% sobre o ano anterior. A venda de unidades de desempe- carteira, a abertura promoverá a ternacionais e, prudência cio do transporte cesso tem de ser conduzido nho mais fraco das áreas de plástico e de crédito hipotecário deci- transferência de conhecimento, conseqüentemen- dos equipamen- com disciplina. didas por Immelt e a concentração em setores de grande expansão, a inovação e a possibilidade de te, diminuir os tos até a operação, Guardadas as respectivas como petróleo e finanças comerciais foram as justificativas dadas adequação às novas regras de sol- riscos da sua própria operação. incluindo construção, equipa- particularidades, a abertura na pela empresa para a decisão que tornam o executivo um dos mais vência, recém-estabelecidas pela Outro pilar é a inovação que mentos e responsabilidade civil. Argentina desencadeou uma bem pagos do mundo. Immelt recebeu também 215 mil ações ava- Superintendência de Seguros Pri- a abertura de resseguro promo- Por fim, mas não menos im- corrida desenfreada por cresci- liadas em cerca de US$ 7,28 milhões vinculadas ao fluxo de caixa. vados (Susep), que entram em vi- verá. As grandes resseguradoras portante, a abertura do ressegu- mento em prêmios por parte Para 2008, seu salário fica inalterado em US$ 3,3 milhões ao ano, gor em de janeiro de 2008. possuem equipes de pesquisa e ro também poderá facilitar a das resseguradoras, deterioran- enquanto os bônus sofreram reajuste de 16% para um mínimo de A transferência de conheci- desenvolvimento para fazer o adequação às novas regras de do as condições técnicas e atua- US$ 5,8 milhões, informou ontem a GE, em sua petição anual que mento será fundamental para o levantamento de novos merca- solvência, principalmente no riais, tão importantes para a es- será encaminhada aos acionistas. desenvolvimento do mercado se- dos de atuação, a fim de que as que diz respeito às pequenas e tabilidade mercadológica. gurador brasileiro. Um exemplo seguradoras possam distribuir médias seguradoras. A seriedade imprimida pela MONTADORAS disso seria o seguro para uma ter- produtos no novo mercado e, Para se adequar à solvência, Susep à condução do processo Young, ex-GM do Brasil, é promovido em Detroit melétrica. As resseguradoras en- futuramente, transfiram os ris- algumas seguradoras abriram certamente vai gerar as condições Ray Young, que por cerca de três anos, presidiu a General Mo- viam para as seguradoras uma re- cos da operação. capital — fizeram Initial Public necessárias a uma abertura bem- tors no Brasil, e até agora é vice-presidente de finanças, em De- lação de riscos, com as turbinas No Brasil, uma grande resse- Offering (IPO), sigla em inglês, sucedida, com benefícios a todos troit, foi eleito vice-presidente executivo e diretor financeiro do termelétricas aprovadas e repro- guradora avaliou os riscos do ou oferta inicial de ações —, en- os participantes do mercado. grupo, substituindo Frederick A. Henderson, que passa a presiden- vadas pelo seu corpo técnico. cultivo de uva e maçã no Sul do quanto outras obtiveram aporte * Diretor de estratégia e novos mercados te e diretor de operações. Ao anunciar, ontem, as mudanças, Rick Essa avaliação compreende to- País para a criação do seguro ru- estrangeiro da matriz. da Royal & SunAlliance Seguros Wagoner, principal executivo da GM, lembrou a experiência finan- ceira e operacional de Ray, “inclusive a capacidade de levar a GM do Brasil a resultados recordes”. SEMICONDUTORES FUNDO ISLÂMICO 3,6% Em janeiro, as vendas globais US$ 1 bi O Qatar Islamic Bank, a QInvest de semicondutores caíram e a Silver Leaf Capital criaram 3,6% em relação a dezembro um fundo islâmico de participa- de 2007. O volume em valores ções privadas de US$ 1 bilhão recuou de US$ 22,3 bilhões pa- para investir em empresas de ra US$ 21,5 bilhões no primei- telecomunicações, mídia e ener- ro mês do ano, informou a As- gia na área do Golfo Pérsico. É sociação da Indústria de Semi- o primeiro grande fundo priva- condutores dos Estados Unidos. do de grande escala do emirado. ARTE “Menino com a Laranja”, de Van Gogh, vai a leilão Uma família suíça, proprietária, desde 1916, do quadro “O Menino com a Laranja”, de Vincent van Gogh, vai colocá-lo à venda por mais de US$ 30 milhões, durante a Feira Européia de Belas Artes, conhecida como Tefaf, em Maastricht, na Holanda. O quadro foi pintado em ju- nho de 1890, um mês antes da morte de Van Gogh. Localizada ao sul da Holanda, próxima à fronteira com a Alemanha e com a Bélgica, Maastricht, fundada no ano 50 A.C., é a mais antiga ci- dade holandesa. A feira será realizada de 7 a 16 deste mês. PRÊMIO Bunge valoriza agrometeorologia e literatura Agrometeorologia, na área de Ciências Agrárias, e Literatura, em Le- tras, são os temas escolhidos pelos organizadores do 53º Prêmio da Fundação Bunge, cujos candidatos não são inscritos, mas indicados pe- las principais universidades e entidades científicas e culturais brasilei- ras. São pré-selecionados por uma comissão técnica dois nomes em ca- da ramo, e indicados para a decisão do Grande Júri, em agosto, que premiará quatro profissionais, dois na categoria vida e obra, com R$ 100 mil, e dois na categoria juventude, com R$ 40 mil. O tempo corre a favor da assinatura digital CHARGE Por exemplo, se você envia do ou adulterado, eliminando o dia-a-dia e beneficiar-se com ela. um documento para alguém risco de fraude de identidade di- A maioria das instituições fi- via e-mail, e o assina com a sua gital. Desta forma, o usuário as- nanceiras está no processo de assinatura digital, o mesmo sina uma transação pela maneira migração para os cartões inteli- passa a ter validade legal, como digital, com uma chave única ar- gentes com chip, o que possibi- LUIS COHEN* uma assinatura reconhecida mazenada no cartão com chip, lita integrar a assinatura digital em cartório, porém, sem o pro- tendo a certeza de que todas as aos cartões bancários. Atualmente, com o tempo ca- cesso que demandaria , como informações serão transmitidas Quando esse processo for da vez mais valioso, ir a lugares ter de esperar em longas filas de forma confiável. concluído, passaremos a ter um como agências bancárias, cartó- para obtenção do carimbo ou No Brasil, com a adesão dos cartão que possui além da sua rios ou repartições públicas pa- selo de autenticidade. cartões com chip pelas princi- funcionalidade habitual de cré- ra assinar e autenticar docu- A assinatura digital permite pais instituições bancárias, exis- dito e/ou débito, a função de mentos é uma tarefa burocráti- que os usuários possam ser iden- te um enorme potencial para a certificação digital. ca difícil, que nos atrapalha em tificados de maneira única na in- disseminação da assinatura digi- Alguns bancos no Brasil já nosso nosso dia-dia.. ternet, pois a certificação é emi- tal por meio dos cartões bancá- avaliam as vantagens que serão Porém, com as tecnologias dis- tida mediante a rios, a exemplo agregadas tanto para os clientes poníveis, e já em nosso alcance, é apresentação dos Com mecanismos de bancos ao re- quanto para as instituições. possível fazermos quase tudo por documentos origi- dor do mundo, Com esta facilidade poderemos meio de um computador ligado à nais do indivíduo de segurança, como no caso do pedir um empréstimo, assinar rede, inclusive assinaturas com em um agente ve- OP Bank , da Fin- documentos, autorizar uma valor legal. Com isso, temos a rificador, que com- como algoritmos, lândia que, com a transação importante, cuja libe- possibilidade de nos ocuparmos provará a autenti- com novas oportunidades, orga- cidade dos mes- os “smart cards” assinatura digi- tal, praticamente ração exige a presença na agên- cia ou um contrato assinado, nizando melhor a rotina. mos. Com esse são confiáveis eliminou a neces- sem precisarmos ir ao banco, A tecnologia disponível, que processo, o cida- sidade de o clien- apenas acessando a internet. permite reduzir estas tarefas in- dão já estará apto te visitar uma Além disso, essa tecnologia eli- convenientes é a assinatura digi- a usar a assinatura digital. agência, pois todos os serviços minaria a necessidade de impres- tal, não muito disseminada até o O recurso é normalmente ar- são oferecidos pelo Internet são em papel, impacto positivo momento, mas que nos ajudaria mazenado em um dispositivo se- Banking e os contratos valida- ao meio ambiente e economia, se a desburocratizar muitas ativida- guro chamado “smart cards”, car- dos com a assinatura digital dos consideramos os custos dos buro- des do cotidiano, possibilitando tões com chip, que podem se correntistas via internet. cráticos, especialmente em países o investimento do tempo em apresentar no formato de um Hoje no Brasil existem aproxi- como o Brasil, dos trâmites dos ações mais produtivas. cartão plástico ou na forma de madamente 45 milhões de documentos em papel, os quais Você deve estar se perguntan- um “pen drive” com chip. “smart cards” bancários em cir- passariam a ser digitalizados. do o que é uma assinatura digital O cartão inteligente é um dis- culação, nove vezes mais do que Agora que você já sabe as van- e como ela pode ser utilizada. positivo à prova de fraude, pois a população da Finlândia, que tagens da assinatura digital, use Pois bem, a assinatura digital possui vários mecanismos de se- possui pouco mais de cinco mi- esta tecnologia a seu favor. equivale a sua assinatura de pró- gurança, como algoritmos de en- lhões de habitantes, ou seja, mui- * Diretor Comercial para Brasil e Cone prio punho, porém ela é utiliza- criptação e anti-hacking, que não tos brasileiros já poderiam con- Sul da Gemalto para a área de bancos, da no mundo virtual. permitem que o chip seja clona- tar com esta tecnologia no seu transporte e segurança
  • 4. A4 | Terça-feira, 4 de março de 2008 | GAZETA MERCANTIL NACIONAL O investimento, de R$ 320 milhões, será feito pelos grupos Battistella e Hamburg Süd INFRA-ESTRUTURA EVENTO Obra do Terminal de Contêiner CBM faz palestra para empresários baianos começa em Santa Catarina REDAÇÃO SALVADOR Viabilização do projeto O investimento é de R$ 320 a região escolhida para a instala- tratégia, Itapoá poderá receber O jornalista Augusto Nunes, foi possível com o milhões, dos grupos Battistella ção do terminal privado por cau- cargas para depois redistribuí-la diretor editorial da Companhia (70%) e da Hamburg Süd (30%). sa do seu calado natural de 16 por cabotagem para outros portos Brasileira de Multimídia (CBM) – início da SC 415, que A viabilização do projeto e o iní- metros na baia de Babitonga, o do Brasil e da América do Sul, co- que publica a Gazeta Mercantil e liga a BR 101 ao porto cio das obras pela Construtora que possibilita o recebimento de mo Uruguai e Buenos Aires onde o Jornal do Brasil–, e o diretor de Andrade Gutierrez, no entanto, navios de grande porte e fará com também não há calado para ope- pesquisas e estudos econômicos NORBERTO STAVISKI* ITAPOÁ (SC) estava condicionado a liberação que terminal funcione como um ração destes navios gigantescos. do Bradesco, Octavio de Barros, de um empréstimo do Banco In- quot;hub portquot;, ou seja, receba cargas No seu projeto, o Tecon será falaram ontem, em Salvador, para Depois de quase uma década teramericano de Desenvolvimen- de grandes navios e depois a re- formado por duas pontes que empresários baianos. OCTAVIO DE BARROS que se passou a partir da idéia ini- to (BID) que, por sua vez, só libe- distribua. quot;O nosso sócio no em- saem do pátio de contêineres e Eles abordaram o tema “Ce- Diretor de Pesquisa do Bradesco cial, o Tecon Santa Catarina, um raria as parcelas com o início das preendimento, a Hamburg Süd, avançam cerca de 230 metros até nário político e econômico em terminal portuário privativo de obras da rodovia SC 415, que liga está encomendando pelo menos um píer onde estão os três berços. 2008”, no I Encontro Empresa- jornalísticos em várias emisso- uso misto — carga própria e de a BR 101 ao porto, contrato assi- 20 navios de para 14.000 Teus O equipamento do terminal será rial Casa Brasil. O evento foi ras. Entre suas obras destacam- terceiros que pretende movimen- nando ontem pelo governo cata- que hoje não entrariam em por- formado por quatro portêineres, promovido pelo braço cultural se os livros “Minha Razão de Vi- tar 310 mil contêineres anuais rinense, num investimento de R$ tos brasileiros. Este é o futuro e 11 transtêineres e 26 terminal da CBM com patrocínio do Bra- ver”, sobre a vida de Samuel em três berços de atracação — lo- 32 milhões. nós queremos atrair este tipo de tractors. Com o início de obras se- desco e Vivo, na Associação Co- Wainer, “Tancredo”, biografia calizado em Itapoá, litoral norte A fase de obras tanto do porto embarcação para nosso negócioquot;, rão gerados 500 empregos diretos mercial da Bahia. de Tancredo Neves. Em sua car- de Santa Catarina, na divisa com como da estrada tem duração pre- explica Hildo Battistella, diretor e 2.500 indiretos. Com 35 anos de exercício da reira recebeu por quatro vezes o o Paraná, finalmente começou a vista de 18 meses e o canteiro de da área de logística do grupo Bat- *O repórter viajou a convite profissão, o paulista Augusto Prêmio Esso de Jornalismo. sair do papel. obras já está instalado. Itapoá foi tistella. Segundo ele, com essa es- do Grupo Battistella Nunes está entre os seis entre- O carioca Octavio de Barros é vistados do livro “Eles mudaram diretor do Departamento de Pes- a imprensa”, publicado pela quisas e Estudos Econômicos do BALANÇO Fundação Getúlio Vargas (FGV), Bradesco. Doutor em Economia que selecionou jornalistas mais pela Universidade Paris X, tem no Lucro da Petrobras recua 17% inovadores dos últimos 30 anos. Nome de peso do jornalismo brasileiro, Nunes já foi redator- currículo passagens pelo Ministé- rio da Fazenda, BNDES, governo de São Paulo, Febraban, entre ou- DIVULGAÇÃO/PETROBRAS chefe da revista Veja e diretor de tros. Barros também é membro de CONTINUAÇÃO DA PÁGINA Redação das revistas Época e diversas instituições, a exemplo O lucro líquido da Petrobras caiu Forbes e dos jornais O Estado de do Conselho Superior de Econo- mesmo com o aumento de 8% da S. Paulo e Zero Hora. Na televi- mia da FIESP (Federação das In- receita operacional líquida, que pas- são, apresentou por dois anos o dústrias do Estado de São Paulo) e sou de R$ 158 milhões para R$ 170 programa Roda Viva, da TV Cul- do Conselho Superior da Ordem milhões entre 2006 e o ano passado. tura, e comandou programas dos Economistas de São Paulo. No quarto trimestre de 2007, o au- mento foi de 11%, ao passar de R$ 41 milhões para R$ 45,4 milhões. O acréscimo da receita decorreu, se- REGISTRO gundo o diretor financeiro, do au- mento de 6% das vendas de petró- MOINHOS DISCUTEM TRIGO GOLDFAJN DEIXA ELEVA leo e derivados tanto no mercado Empresários do setor moageiro es- Em comunicado ao mercado e à externo quanto no interno. tiveram reunidos ontem com re- Comissão de Valores Mobiliários Nem mesmo o aumento da recei- presentantes dos governos brasi- (CVM), a direção da Eleva Alimen- ta foi capaz, no entanto, de evitar a leiro e argentino, quando debate- tos S/A informou o desligamento queda de 1% da geração de caixa da ram problemas e definiram os do seu diretor-presidente, Rami companhia, que decresceu de R$ 51 rumos para as negociações sobre Naum Goldfajn, e do diretor-finan- bilhões para R$ 50,2 bilhões, no mes- o fornecimento de trigo por aque- ceiro e de Relações com Investido- mo período. No quarto trimestre, o le país. Os empresários pediram res, Cláudio da Silva Santos. Wang chamado Ebitda aumentou 18%, ao maior regularidade nos embar- Wei Chang passará a responder passar de R$ 10,2 bilhões para R$ 12 ques, que têm sido interrompidos pela Diretoria de Relações com In- bilhões. Ainda no quarto trimestre, o pela Argentina. Uma nova reunião vestidores da empresa. Chang é lucro da empresa caiu 3%, de R$ 5,2 foi mercada para o dia 27 e terá também diretor de Relações com bilhões para R$ 5 bilhões. Almir Barbassa: estatal alcançou a condição de terceira maior petroleira do mundo de capital aberto como pauta esse impasse. Investidores da Perdigão. INDICADORES NACIONAIS NECESSIDADES DE FINANCIAMENTO DO SETOR PÚBLICO BALANÇO DE PAGAMENTOS - CONTA CAPITAL EMPRÉSTIMOS DO SISTEMA FINANCEIRO * IMPOSTOS . (Fluxos acumulados em 12 meses — em R$ milhões) . (US$ milhões) . (Saldos em fim de período — Em R$ milhões) Agenda tributária Jan Jan Jan Jan Jan/2007 Nov/2007 Dez/2007 Jan/2008 % 12 Meses Data de Código Código Périodo do Conceito/Esfera de Jan/2007 Out/2007 Nov/2007 Dez/2007 Jan/2008 . Contas . Dez/04 Jan/05 Dez/05 Jan/06 Dez/06 Jan/07 Dez/07 Jan/08 Total do setor privado 719.621 892.105 916.998 925.377 28,59 Tributos/contribuições vencimento Darf GPS fato gerador (FG) Governo Conta capital e financeira -7.358 1.402 -9.547 3.020 15.982 5.517 87.741 7.552 Indústria 165.397 205.351 213.689 215.245 30,14 . 1) Imposto de Renda Retido na Fonte (IRFF) Diária Primário -100.535 -105.722 -106.934 -101.606 -106.812 Conta capital 339 55 662 75 869 40 699 27 Habitação 36.662 44.422 45.852 46.337 26,39 Rendimentos do Trabalho Governo central -74.789 -75.643 -77.837 -71.347 -76.933 Conta financeira -7.699 1.346 -10.209 2.945 15.113 5.477 87.042 7.525 Rural 78.665 88.421 89.204 89.962 14,36 Tributação exclusiva sobre remuneração indireta 2063 FG ocorrido no mesmo dia Comércio 75.056 95.333 97.608 96.888 29,09 Rendimentos de Residentes ou Governos regionais -20.887 -29.185 -28.625 -29.934 -29.628 Investimento direto líquido 9.689 1.175 12.590 284 -9.420 6.449 27.518 3.266 Domiciliados no Exterior No exterior -9.470 -43 -2.517 -1.191 -28.202 4.027 -7.067 -1.548 Pessoas físicas 240.695 310.129 314.374 320.167 33,02 Empresas estatais . -4.859 -895 -472 -325 -251 Outros serviços 123.146 148.451 156.271 156.778 27,31 Royalties e pagamentos de assistência técnica 0422 FG ocorrido no mesmo dia No País 18.166 1.218 15.107 1.474 18.782 2.422 34.585 4.814 . Renda e proventos de qualquer natureza 0473 FG ocorrido no mesmo dia Juros nominais 156.025 160.353 160.285 159.532 158.737 Total do setor público ** 18.835 18.638 18.833 18.839 0,02 Juros e comissões em geral 0481 FG ocorrido no mesmo dia Investimentos em carteira -5.137 420 4.885 539 9.573 1.632 48.390 -1.731 Governo central 116.118 115.748 115.619 114.708 109.596 Ativos -628 -25 -1.771 309 523 -177 286 38 Governo federal 4.265 3.676 3.588 3.514 -17,61 Obras audiovisuais, cinematográficas e videofônicas 5192 FG ocorrido no mesmo dia Governos regionais 37.425 42.482 42.524 42.638 46.897 Governos estaduais e municipais 14.569 14.963 15.245 15.324 5,18 Fretes internacionais 9412 FG ocorrido no mesmo dia Ações -121 -4 -960 -2 -915 -94 -1.413 40 . Remuneração de direitos 9427 FG ocorrido no mesmo dia Empresas estatais . 2.482 2.123 2.143 2.186 2.243 Títulos de renda fixa -633 -21 -811 311 1.438 -82 1.699 -1 Níveis de risco *** AA A+B C+D E+F G+H Previdência privada e Fapi 9466 FG ocorrido no mesmo dia Passivos -4.509 444 6.655 230 9.051 1.808 48.104 -1.769 Participação % sobre o total em Aluguel e arrendamento 9478 FG ocorrido no mesmo dia Nominal 55.491 54.631 53.352 57.926 51.925 Jan/2008 24,50 58,27 11,54 2,59 3,61 Ações 2.081 263 6.451 1.095 7.716 375 26.217 -3.081 . Outros Rendimentos Governo central 41.329 40.105 37.782 43.361 32.664 Fontes: Banco Central e Centro de Informações da Gazeta Mercantil Pagamento a beneficiário não identificado 5217 FG ocorrido no mesmo dia Governos regionais 16.538 13.297 13.899 12.704 17.270 Títulos de renda fixa -6.077 182 204 -865 1.335 1.433 21.887 1.312 * Inclui operações de arrendamento mercantil. ** Inclui adm. direta, indireta e atividades 2) Imposto sobre a Exportação (IE) Diária 0107 Exportação, cujo registro da Derivativos -677 20 -40 -12 383 -40 -710 -46 empresariais. *** As operações com atraso de pagamento têm a seguinte classificação: entre Empresas estatais -2.376 1.228 1.670 1.861 1.992 declaração para despacho Outros investimentos -10.963 -269 -27.644 2.134 14.577 -2.564 11.843 6.036 . . 15 e 30 dias, nível B; de 31 a 60, nível C; de 61 a 90, nível D; de 91 a 120, nível E; de 121 aduaneiro tenha-se PIB . 2.341.479 2.521.871 2.537.769 2.552.510 2.573.980 Fontes: Banco Central e Centro de Informações da Gazeta Mercantil. a 150, nível F; de 151 a 180, nível G; e acima de 180 dias, nível H de risco. verificado 15 dias antes Fontes: Banco Central e Centro de Informações da Gazeta Mercantil. 3) Cide - Combustíveis - Importação - Lei 10.336/01 Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico Diária 9438 Importação, cujo registro ÍNDICES DE PREÇOS (EM %) CORREÇÃO DE IMPOSTOS (R$) incidente sobre a importação de petróleo e seus da declaração tenha-se AGREGADOS MONETÁRIOS E ARRECADAÇÃO Acumulado . 2007 2008 derivados, gás natural, exceto sob a forma liquefeita, verificado no mesmo dia. e seus derivados, e álcool etílico combustível. . (R$ milhões) Set Out Nov Dez Jan Fev no Ano 12 meses Ufesp (SP) 14,23 14,88 UFMSP (São Paulo) 83,48 87,20 4) Contribuição para o Pis/Pasep Diária . Jan/2007 Nov/2007 Dez/2007 Jan/2008 % em 12 IGP-DI (FGV) . 1,17 0,75 1,05 1,47 0,99 - 0,99 8,49 Rio de Janeiro 1,0296 1,0436 Pis/Pasep - Importação de Serviços (Lei 10.865/04) 5434 FG ocorrido no mesmo dia . Meses IPA-DI (FGV) 1,64 1,02 1,45 1,90 1,08 - 1,08 10,27 Ufir (RJ) 1,7495 1,8258 5) Contribuição para o Financiamento da FCA (PR) 1,3790 1,4403 . Seguridade Social (Cofins) Diária Base monetária 116.328 127.393 143.642 141.858 21,95 IPA-Agro (FGV) . 5,27 2,73 4,32 4,27 1,60 - 1,60 25,47 UPF (PR) 51,98 54,29 Cofins - Importação de Serviços (Lei 10.865/04) 5442 FG ocorrido no mesmo dia Papel moeda emitido 80.499 86.141 98.620 95.182 18,24 IPA-Ind. (FGV) 0,41 0,41 0,41 1,01 0,88 - 0,88 5,26 UPF (RS) 9,9901 10,3797 . 6) Associação Desportiva que Mantém Equipe Diário (até 2 2550 Data da realização do Reservas bancárias 35.829 41.252 45.022 46.676 30,27 UFEMG (MG) 1,7080 1,8122 de Futebol Profissional- Receita Bruta de dias úteis após do evento (2 dias IPC-DI (FGV) 0,23 0,13 0,27 0,70 0,97 - 0,97 4,90 . Meios de pagamento 164.117 183.776 210.540 199.510 21,57 Fontes: Secretarias de fazenda municipais e estaduais e Centro de Informações da Gazeta . Espetáculos Desportivos - CNPJ - Retenção e a realização do úteis anteriores ao INCC-DI (FGV) 0,51 0,51 0,36 0,59 0,38 - 0,38 6,08 Mercantil. recolhimento efetuado por entidade promotora do evento) vencimento) Papel moeda em poder do público 65.157 69.379 79.263 76.686 17,69 . espetáculo (federação ou confederação), Depósitos à vista . 98.960 114.398 131.276 122.825 24,12 IGP-M (FGV) . 1,29 1,05 0,69 1,76 1,09 0,53 1,63 8,67 em seu próprio nome IPA-M (FGV) 1,83 1,42 0,97 2,36 1,24 0,64 1,88 10,58 CORREÇÃO DAS COTAS DO IRPF/2007 7) Pagamento de parcelamento de clube Diário (até 2 4316 Data da realização do Jan/2007 Nov/2007 Dez/2007 Jan/2008 R$ em 12 . . IPC-M (FGV) 0,21 0,28 0,04 0,67 0,96 0,26 1,22 4,62 Cota Vencimento Valor da cota Juros sobre Total de futebol - CNPJ - (5% da receita bruta dias úteis após do evento (2 dias Meses . destinada ao clube de futebol) a realização do úteis anteriores ao (Darf campo 07) o valor da cota (Darf campo 09) (Darf campo 10) . INCC-M (FGV) 0,39 0,49 0,48 0,43 0,41 0,43 0,85 6,18 . evento) vencimento) Arrecadação da Receita Federal 49.878 52.414 65.632 62.596 615.535 . 1ª 30/04/2007 - Imposto de Renda 13.117 13.914 18.589 20.082 167.281 INPC (IBGE) . 0,25 0,30 0,43 0,97 0,69 - 0,69 5,36 2ª 31/05/2007 Valor 1% campo 07 + 8) Reclamatória Trabalhista - NIT/PIS/Pasep Data de Vencimento 1708 Mês da prest.do serviço Reclamatória Trabalhista - CEI do tributo na época 2801 Mês da prest.do serviço Receita Previdenciária 11.303 12.946 20.586 13.779 156.322 IPCA (IBGE) . 0,18 0,30 0,38 0,74 0,54 - 0,54 4,56 3ª 29/06/2007 2,03% campo 08 + Reclamatória Trabalhista - CEI - pagamento da ocorrência do IPI 1.932 2.414 2.879 2.261 26.490 IPCA-E (IBGE) * 0,29 0,24 0,23 0,70 - - 4,36 4,36 4ª 31/07/2007 declaração 2,94% campo 09 exclusivo para outras entidades (Sesc, Sesi, fato gerador (vide 5ª 31/08/2007 3,91% . Senai, etc.) art. 11 do ADE Codac 2810 Mês da prest.do serviço Imposto sobre Importações 1.458 1.937 1.733 1.983 20.483 IPC-SP (Fipe) 0,24 0,08 0,47 0,82 0,52 - 0,52 4,23 6ª 28/09/2007 4,90% Reclamatória Trabalhista - CNPJ nº 5/2008 2909 Mês da prest.do serviço . Contribuições* 18.001 18.980 19.433 19.572 210.239 ICV-SP (Dieese) ** . 0,30 0,33 0,28 1,09 0,88 - 0,88 4,73 7ª 31/10/2007 5,70% Reclamatória Trabalhista - CNPJ - pagamento exclusivo Outras receitas 4.067 2.223 2.412 4.919 34.720 8ª 30/11/2007 6,63% para outras entidades (Sesc, Sesi, Senai, etc.) 2917 Mês da prest.do serviço IPC-RJ (FGV) 0,47 0,18 0,09 0,58 0,95 - 0,95 4,45 . . . ou Fontes: Banco Central, RFB e Centro de Informações da Gazeta Mercantil. . Taxa Selic 9) Reclamatória Trabalhista - NIT/PIS/Pasep 3/3 1708 Mês da homologação Fontes: FGV, IBGE, Fipe, Dieese e Centro de Informaçöes da Gazeta Mercantil. Jun/07 = 0,91% Jul/07 = 0,97% Ago/07 = 0,99% * CPMF, Cofins, PIS/Pasep, CSLL, Cide-combustíveis e Seguridade Social dos Ser- Reclamatória Trabalhista - CEI (dia 2 do mês 2801 do acordo ou mês do * Divulgação trimestral. ** Referente a famílias com renda de 1 a 33 salários mínimos. . vidores Públicos. Set/07 = 0,80% . Out/07 = 0,93% Nov/07 = 0,84% Reclamatória trabalhista - CEI - pagamento subsequente ao mês pagamento, se não exclusivo paraoutras entidades da homologação do 2810 houver vínculo ou não Dez/07 = 0,84% Jan/08 = 0,93% Fev/08 = 0,80% (Sesc, Sesi, Senai, etc.) acordo ou do houver indicação de . PRODUÇÃO/EMPRESAS Pagamento com atraso Reclamatória Trabalhista - CNPJ pagamento (vide 2909 período da BALANÇO DE PAGAMENTOS - CONTA CORRENTE . Variação % Utilize no Darf o código 0211. Reclamatória Trabalhista - CNPJ - pagamento parágrafo único do prestação do serviço. . (US$ milhões) Multa = (Darf campo 08) sobre o valor apurado na declaração, aplicar 0,33% por dia de exclusivopara outras entidades art. 11 do ADE Codac atraso, a partir do primeiro dia útil após o vencimento até o limite de 20,0% (Sesc, Sesi, Senai, etc.) nº 5/2008 2917 Balança comercial Serviços Transfer. Trans. correntes Nov Dez Jan Mês Ano 12 Meses Juros = (Darf campo 09) aplicar os juros equivalentes à taxa Selic calculados a partir de . 10) Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) 5/3 Indústria geral (1) . 130,47 116,64 - -10,60 6,37 6,37 Maio/07 até o mês anterior ao do pagamento e mais 1% no mês do pagamento Rendimentos de capital 21 a 29/Fev/2008 Período Export. Import. Juros Viagens Outros (1) Total Unital. 12 meses % PIB . Indústria têxtil (1) . 112,76 88,22 - -21,76 7,98 7,98 Total = (Darf campo 10) informar a soma dos valores dos campos 07, 08 e 09. . Títulos de renda fixa - Pessoa física 8053 21 a 29/Fev/2008 Nível de emprego (2) 113,92 111,55 112,75 1,08 1,08 5,88 Fontes: Secretaria da Receita Federal e Centro de Informações da Gazeta Mercantil. Títulos de renda fixa - Pessoa jurídica 3426 21 a 29/Fev/2008 Jan/07 . 10.963 8.470 -1.314 -90 -1.115 -2.519 350 14.242 1,31 . Fundo de investimento - Renda fixa 6800 21 a 29/Fev/2008 Fev/07 10.104 7.226 -845 -84 -1.644 -2.573 289 14.049 1,27 Falências (unidades) (3) 18 14 20 -39,39 -39,39 -9,36 Fundo de Investimento em ações 6813 21 a 29/Fev/2008 CONTRIBUIÇÃO SOCIAL (INSS) Fevereiro* . . Operações de Swap 5273 21 a 29/Fev/2008 Autoveículos (unidades)* 271.201 220.772 254.913 24,17 24,17 15,23 Mar/07 12.855 9.532 -589 -87 -2.174 -2.851 345 13.448 1,19 . . Contribuintes individuais e facultativos Day-trade - Operações em Bolsas 8468 21 a 29/Fev/2008 Fontes: IBGE, Fiesp, ACSP, Anfavea e Centro de Informações da Gazeta Mercantil. Ganhos líquidos em operações em bolsas e assemelhados 5557 21 a 29/Fev/2008 Abr/07 . 12.446 8.246 -714 -171 -1.817 -2.702 323 15.150 1,32 (1) Produção industrial, Base: média 2002 =100; (2) Total de pessoal ocupado Salário Alíquota Contribuição Juros remun. de capital próprio (art. 9º, Lei nº 9249/95) 5706 21 a 29/Fev/2008 Mai/07 13.648 9.780 -333 -274 -3.507 -4.114 346 15.025 1,29 na indústria paulista, Base: Jan/2006=100 ; (3) Decretadas na Capital/SP. base (R$) (%) (R$) Fundos de Investimento Imobiliário - Resgate de cotas 5232 21 a 29/Fev/2008 . *Produção total de autoveículos(montados e CKD). Dados revisado a partir de Jan/04. Demais rendimentos de capital
  • 5. GAZETA MERCANTIL | Terça-feira, 4 de março de 2008 | A5 NACIONAL Apesar da desaceleração econômica, embarques aos EUA avançam 7,6% CUSTO DE VIDA BALANÇA COMERCIAL Preços dos alimentos Governo eleva para US$ 180 bi recuam em fevereiro ANA CAROLINA SAITO E ANNA LÚCIA FRANÇA SÃO PAULO DIETA LEVE meta de exportações em 2008 Variação em 30 dias Importações crescem derurgia, agronegócio, químicos e Apesar da desaceleração da eco- Grande vilão da inflação no (em %) celulose. A oferta desses produtos nomia americana, o crescimento mais e superávit cai ano passado, o preço dos alimen- deve crescer. Além disso, as agên- das exportações brasileiras para os tos começa a cair no varejo. Pela 2,5 69,6% em fevereiro cias internacionais de classificação Estados Unidos acelerou no pri- primeira vez desde maio de 2007, 2,0 para US$ 882 milhões de risco continuarão a promover a meiro bimestre do ano. “O Brasil o grupo alimentação registrou imagem brasileira, o que deve está recuperando mercado”, diz. FERNANDO EXMAN queda de 0,38% em fevereiro pelo 1,5 BRASÍLIA atrair investimentos para o país. Nos primeiros dois meses do Índice de Preços ao Consumidor 1,17 Alimentação O Ministério do Desenvolvi- ano, os embarques aos EUA cresce- Semanal (IPC-S) medido pela 1,0 Diante de um cenário no qual mento levou também em conside- ram 7,6% em relação a 2007, para Fundação Getúlio Vargas (FGV). as importações crescem mais do ração as perspectivas de alta dos US$ 3,92 bilhões. Em fevereiro, as Em linha, o custo da cesta básica 0,5 que as vendas ao exterior, o gover- preços das commodities e a expec- exportações somaram US$ 2,01 bi- recuou em 11 das 16 capitais pes- 0,34 Geral no elevou ontem a meta de expor- tativa de aquecimento do mercado lhões, alta de 5,6%. No ano passa- 0,0 0,00 quisadas pelo Departamento In- tações para este ano de US$ 172 bi- internacional de aviação. Concluiu do, com vendas totais de US$ 25,31 tersindical de Estatísticas e Estu- -0,38 lhões para US$ 180 bilhões. O ainda que o desaquecimento da bilhões, o aumento foi de 2,2%. -0,5 dos Econômicos (Dieese). O custo anúncio foi feito no mesmo dia em economia dos Estados Unidos tem As mercadorias responsáveis mais alto ficou de fevereiro foi de- FMAM J J A S OND J F que o Ministério do Desenvolvi- sido compensado pelo crescimento pelo avanço foram combustíveis, tectado em São Paulo, com R$ 2007 2008 mento, Indústria e Comércio Exte- de outros países, como Rússia, Chi- produtos siderúrgicos, aviões, má- 226,20. Mas, mesmo assim, houve Fontes: FGV e Centro de Informações da rior (Mdic) divulgou o resultado da na e Argentina. “Os embarques de quinas e equipamentos, celulose, uma queda de 1,26% em relação Gazeta Mercantil balança comercial de fevereiro: su- soja, açúcar, fumo e farelo só come- produtos químicos e pneumáticos. ao mês anterior. perávit de US$ 882 milhões, queda çam a partir de março”, comple- A expectativa do governo brasilei- O recuo das cotações da cesta se ro. “Alimentação virá uma variação de 69,6% em relação ao verificado mentou Barral. “Esses cenários nos ro é que esse movimento se con- deve, basicamente, à queda nos menor, mas não apresentará defla- no mesmo mês de 2007. O saldo foi permitem ser bastante otimistas.” solide nos próximos meses. preços de dois produtos com forte ção. Os produtos in natura tem pe- resultado da diferença entre US$ Para o secretário, além do aque- Em outros mercados, o cresci- peso na alimentação brasileira, o so menor no IPCA”, justifica. 12,800 bilhões de exportações (alta cimento do mercado doméstico, o As importações de automóveis mento das vendas brasileiras foi feijão e a carne. O aumento da ofer- O mercado financeiro elevou a de 19,7%) e US$ 11,92 bilhões de avanço das importações é reflexo somaram US$ 243 milhões, alta de mais expressivo. As exportações ta de ambos começa a aumentar previsão para o IPCA, referência importações (alta de 56,2%). natural do aumento das exporta- 93,5%. Segundo Barral, tal cresci- para os países do Mercosul, por gradualmente, pressionando os para as metas de inflação do gover- No acumulado do ano, o supe- ções. As empresas estão ampliando mento deve-se ao aumento das exemplo, registraram alta de 42,7% preços, segundo José Maurício Soa- no, de 4,40% para 4,41% em 2008, rávit totalizou US$ 1,83 bilhão, as compras de máquinas e equipa- compras de carros da Argentina, em fevereiro na comparação com o res, economista técnico do Dieese. segundo pesquisa realizada pelo 66,3% menor na comparação com mentos para aumentar a capacida- no México e na Coréia do Sul, e ao mesmo mês do ano passado, so- “Mesmo assim, um quilo de feijão Banco Central (BC) divulgada on- o mesmo período do ano passado, de de produção. Compram tam- interesse das concessionárias brasi- mando US$ 1,59 bilhão. Os embar- ainda custa quase o mesmo que tem. A expectativa em 2009 subiu fruto de US$ 26,08 bilhões de ven- bém de fornecedores estrangeiros leiras pelos modelos novos dos car- ques rumo à Argentina totalizaram cinco quilos de arroz”, acrescenta. de 4,22% para 4,30%. das e US$ 24,25 bilhões de com- insumos com preços melhores do ros produzidos fora do país. US$ 1,32 bilhão, expansão de A deflação dos alimentos le- Já Soares, do Dieese, avalia que pras do exterior. “A tendência é de que os encontrados no mercado Há ainda efeitos sazonais. O se- 40,5%. Já as vendas para países vou o IPC-S a encerrar fevereiro o início da colheita da safra aumento das exportações e mais nacional. A valorização do real tor de fertilizantes demandou mais asiáticos e africanos aumentaram estável (0,0%), menor patamar 2007/2008 deve ajudar a derrubar ainda das importações. As impor- frente ao dólar também impulsio- enxofre (alta de 446%, para US$ 42 32,5% e 29,1%, para respectiva- desde a terceira semana de julho ainda mais os preços, especialmen- tações são decorrência do cresci- na as importações. milhões) e a indústria siderúrgica mente US$ 1,98 bilhão e US$ 661 de 2006, quando registrou queda te do feijão. “No último ano, as sa- mento da economia brasileira. Em fevereiro, as importações de comprou mais carvão (alta de milhões. “Os EUA são um mercado de 0,04%. A taxa referente a sete frinhas de feijão foram seriamente Mas, esperamos que as exportações bens de capital cresceram 58,1% 344%, para US$ 53 milhões). Por muito competitivo. É natural que o capitais brasileiras (São Paulo, Rio afetadas pela seca, mas isso já está voltem a crescer de forma muito na comparação com o mesmo pe- causa da Semana Santa, as impor- crescimento seja menor do que em de Janeiro, Brasília, Belo Horizon- se regularizando”, explica. mais acelerada“, comentou o secre- ríodo de 2007, para US$ 2,44 bi- tações de bacalhau subiram 103%, outros mercados”, explicou. te, Porto Alegre, Salvador e Reci- Baseado no novo valor da ces- tário de Comércio Exterior do lhões. As compras de matérias-pri- totalizando US$ 57 milhões. As compras de produtos ameri- fe) ficou abaixo das estimativas ta em São Paulo, o Dieese estima Mdic, Welber Barral. mas e produtos de consumo subi- Já os destaques entre as expor- canos também subiram, 34,7% pa- do mercado, que projetava alta que seria necessário R$ 1.900,31 Segundo o secretário, o governo ram respectivamente 53,9% (US$ tações foram gasolina, aviões, ferro ra US$ 3,60 bilhões no primeiro bi- entre 0,04% e 0,15%. (cinco vezes o mínimo de R$ decidiu aumentar a meta de expor- 6,01 bilhões) e 43,2% (US$ 1,44 bi- gusa, etanol e frango. Apesar da re- mestre. Além de refletir a tendên- A queda nos preços dos alimen- 380,00), para cobrir os custos de tações porque nos últimos meses lhão). Esses números também re- dução de 58% das vendas de petró- cia atual do comércio exterior tos foi maior que a esperada pelos um trabalhador e sua família cresceram muito os investimentos fletem a alta do preço do petróleo e leo no mês, o governo espera que brasileiro, a alta deve-se também analistas. A Concórdia Corretora, com alimentação, moradia, saú- realizados por empresas de setores embarques de trigo argentino libe- os embarques da commodity regis- ao comércio entre diferentes uni- por exemplo, projetava variação de de, educação, vestuário, higiene, exportadores, como mineração, si- rados no fim do ano passado. trem alta de 15% neste ano. dades da mesma empresa 0,05% para o índice cheio e declí- transporte, lazer e previdência nio de 0,30% no grupo alimenta- em fevereiro. No mês anterior es- ção. Entre os destaques estão, na or- te valor seria ligeiramente maior: COMPONENTES AUTOMOTIVOS dem, frutas (-1,59% para -4,27%), R$ 1.924,59, ou seja, 5,06 vezes o hortaliças e legumes (-1,86% para - 2,67%) e carnes bovinas (-1,08% para -1,69%), informou a FGV. valor do salário mínimo vigente. Novo salário mínimo Fábrica da Teksid será em Itabirito O economista-chefe da corre- O adiantamento do mínimo em DURVAL GUIMARÃES tora, Elson Teles, diz que, no en- um mês elevará a massa salarial do BELO HORIZONTE com término 18 meses depois. A mil, a fundo perdido, na constru- fibra óptica e a menos de sete qui- tanto, não há motivos para oti- ano como um todo. Isso porque so- empresa se compromete a contra- ção de um dos galpões. A parte fi- lômetros da rede de gasoduto que mismo. “Não dá para esperar que mando este mês a mais ao 13 o sa- - O Grupo Fiat escolheu o mu- tar pelo menos 300 pessoas, dos nanciada foi obtida em um fundo liga Beto Horizonte ao Rio. essa seja a tendência. Os preços lário provoca uma ampliação na nicípio de Itabirito, na região quais 80% com residência no criado pela prefeitura com os im- Surpreendentemente, segundo subiram muito e, agora, houve média anual, diz Soares. “Mesmo metropolitana de Belo Horizon- município, e estima apresentar postos obtidos com a mineração e o prefeito, a dúvida na definição uma compensação”, diz. assim, isso não recupera as perdas te, para implantar a sua fábrica um faturamento anual de R$ 80 tem o objetivo de estimular a di- do local ficou por conta da Com- Na sua avaliação, se alta das do salário ao longo do anos, desde Teksid de cabeçotes e blocos de milhões. Não há referência ao vo- versificação industrial. O minério panhia Energética de Minas Ge- commodities agrícolas se manti- 1940, quando foi criado”, explica. motores de alumínio, de acordo lume de produção nem consumo de ferro é hoje responsável por rais (Cemig), que mostra ter difi- ver, alimentação tende a pressio- O novo salário, de R$ 415, com protocolo de 30 páginas as- de matéria-prima. 60% da receita municipal. culdades em atender a novas de- nar a inflação. “Elas estão subin- equivale, proporcionalmente, a sinado com o prefeito daquela A prefeitura, por sua vez, ofe- Segundo o prefeito, a sua cida- mandas em algumas áreas do do e a demanda está muito aque- 37% da cotação à época de sua cidade, Waldir Salvador. A fábri- receu um terreno de 160 mil me- de foi escolhida por um conjunto estado. Segundo lhe relatou o pre- cida”, comenta. criação na década de 40. Enquan- ca será erguida na BR-040, uma tros quadrados com terraplena- de vantagens, como a oferta de sidente da estatal, Djalma Mo- Teles lembra ainda que o indi- to o PIB per capta subiu cerca de estrada de pista dupla com can- gem e infra-estrutura, como ruas terrenos, de financiamento a ju- raes, a dificuldade decorre do fato cador medido pela Fundação Insti- cinco vezes desde aqueles anos, o teiro central que liga a capital pavimentadas, além de emprésti- ros especiais e de investimentos de a indústria mineira ter cresci- tuto de Pesquisas Econômicas (Fi- salário minguou. A nova cotação mineira ao Rio de Janeiro, perto mo de R$ 750 mil a juros de 3,5% da prefeitura na obra. Também do 11%, muito acima do estima- pe) na capital paulista já apontava representa hoje cerca de um de uma bonita lagoa de nome ao ano, sem correção monetária e pesou o fato de o terreno estar a do. Procurada por este jornal, a para deflação de 0,13% em alimen- quinto do que deveria, se fossem Água Limpa e a menos de 50 mais um investimento de R$ 850 poucos metros de uma linha de Fiat não quis se manifestar. tos na terceira quadrissemana de guardadas as devidas proporções, quilômetros de distância da fá- fevereiro. Mas, avalia, isso não deve de acordo com o economista do brica de automóveis do grupo, se repetir no Índice de Preços ao Dieese. “O efeito inflacionário dos que está situada em Betim. Consumidor Amplo (IPCA), que anos 80 reduziu o poder de com- Segundo o documento, o gru- será divulgado na próxima sema- pra do mínimo, que bateu em 95 po italiano investirá R$ 60 mi- na. A expectativa da Concórdia é em seu patamar mais baixo, em lhões a partir do início das obras, de uma taxa de 0,45% em feverei- torno de R$ 246,69”. previsto para ocorrer em julho e FATO RELEVANTE Metalúrgica Gerdau S.A. Gerdau S.A. Companhia Aberta Companhia Aberta CNPJ/MF 92.690.783/0001-09 CNPJ/MF 33.611.500/0001-19 NIRE 43300001504 NIRE 33300032266 A Metalúrgica Gerdau S.A. (“Metalúrgica”) e a Gerdau S.A. (“Gerdau” e, em conjunto com a Metalúrgica, “Companhias”), em cumprimento ao disposto na Instrução nº 358 da Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”), de 03 de janeiro de 2002 (“Instrução CVM 358”), vêm informar a seus acionistas e ao mercado em geral que, em 03 de março de 2008, foram aprovadas, em reuniões de seus respectivos Conselhos de Administração, a realização das seguintes ofertas públicas: 1. Oferta pública de distribuição primária de ações ordinárias e preferenciais de emissão da Metalúrgica, no valor de até R$ 1,2 bilhão (“Oferta da Metalúrgica”); e 2. Oferta pública de distribuição primária de ações ordinárias e preferenciais de emissão da Gerdau, no valor de até R$ 2,8 bilhões (“Oferta da Gerdau” e, em conjunto com a Oferta da Metalúrgica, as “Ofertas”). As Ofertas serão realizadas nos termos da Instrução CVM nº 400, de 29 de dezembro de 2003 (“Instrução CVM 400”) e estão sujeitas ao registro prévio pela CVM, o qual será pleiteado em 04 de março de 2008, e às condições dos mercados de capitais nacional e internacional, a serem avaliadas até a concessão do referido registro. Os acionistas das Companhias terão prioridade para subscrever ações no âmbito das Ofertas, nos termos do artigo 9º do estatuto social da Metalúrgica e do artigo 4º, § 4º do estatuto social da Gerdau e, ainda, conforme previsto na documentação da oferta. Os acionistas controladores das Companhias têm a intenção de exercer sua prioridade de subscrição de ações. As ações preferenciais distribuídas no âmbito das Ofertas serão precificadas com base em seus preços de negociação em bolsa de valores e em procedimento de coleta de intenções de investimento (bookbuilding). Os preços obtidos no âmbito das Ofertas para as ações preferenciais das Companhias serão também aplicáveis às respectivas ações ordinárias ofertadas. As Ofertas compreenderão a colocação de ações ordinárias e preferenciais de emissão das Companhias no mercado de capitais brasileiro, sob a égide Instrução CVM 400, e contarão (i) no que se refere às ações ordinárias e preferenciais de emissão da Metalúrgica e às ações ordinárias de emissão da Gerdau, com esforços de venda nos EUA para investidores institucionais qualificados definidos em conformidade com o disposto na Regra 144A do Securities Act of 1933 e, nos demais países (exceto nos EUA e no Brasil), com base no Regulamento S editado pela U.S. Securities Exchange Commission (“SEC”) e (ii) no que se refere às ações preferenciais da Gerdau, com registro na SEC para a oferta pública delas e de American Depositary Shares (“ADSs”) as representando, de acordo com o Securities Act of 1933. Nos termos do disposto no artigo 53 da Instrução CVM nº 400, oportunamente serão publicados avisos ao mercado contendo informações sobre as demais características das Ofertas. Porto Alegre, 03 de março de 2008 OSVALDO BURGOS SCHIRMER Diretor Vice-Presidente Diretor de Relações com Investidores
  • 6. A6 | Terça-feira, 4 de março de 2008 | GAZETA MERCANTIL NACIONAL Empresa quer abrir 10 mil empregos POLÍTICA Os três Poderes serão investigados INVESTIMENTO CPI DOS CARTÕES Contax instala nova Governo e oposição unidade em Recife definem estratégia A empresa de contact milhões de contatos por mês e Lula será o alvo do regimentos e normas técnicas center vai investir podemos dizer que sotaque é um PSDB e do DEM, e que regem as comissões de inqué- mito. O que importa é atender rito. A senadora também come- R$ 50 milhões nos bem e encontramos aqui uma Fernando Henrique dos çou a avaliar, informalmente, co- próximos anos em PE mão-de-obra qualificada. Pernam- partidos governistas mo poderá formar sua equipe de buco sabe receber bem, o que é apoio as investigações. “Quero ETIENE RAMOS MÁRCIO FALCÃO RECIFE positivo para o nosso serviço que BRASÍLIA planejar as coisas antes e definir incorpora atendimento humano como podemos tocar esta inves- A Contax, uma das maiores e tecnologia”, completou o presi- Sem consenso para a definição tigação da forma mais correta empresas de contact center, pre- EDUARDO CAMPOS dente da Contax. do comando da Comissão Parla- IDELI SALVATTI possível”, afirma Marisa Serrano. tende investir R$ 50 milhões em Governador de Pernambuco mentar Mista de Inquérito (CPI) Senadora pelo PT A tucana é discreta ao comentar Pernambuco nos próximos cinco “Bom negócio” dos Cartões, governo e oposição a linha de trabalho pretende seguir. anos. A instalação da terceira uni- radas a partir do estado. Mas, se- Com 62 mil empregados, a começaram a trabalhar nos basti- dores ligados ao ex-presidente A justificativa é de que ainda não dade da empresa no Recife, anun- gundo James Meaney, a decisão Contax é a quinta maior empre- dores. Os petistas discutiram as Fernando Henrique. O nome da houve a confirmação da CPI. A ins- ciada ontem pelo presidente da de concentrar no estado um im- gadora do País, abrigando espe- estratégias que pretendem adotar ex-primeira-dama, Ruth Cardoso talação da comissão ainda depende Contax, James Meaney, ao lado do portante centro de operações da cialmente jovens, com idade mé- durante os 90 dias de investigação também não foi descartado. do aval do PT da Câmara ao acordo governador de Pernambuco, empresa é resultado da experiên- dia de 24 anos, e mulheres que do uso dos cartões corporativos e Na expectativa da instalação que repassou a presidência do Eduardo Campos, custará R$ 13 cia positiva com a mão-de-obra chegam a 70% do total de empre- dos gastos com talões de cheque da CPI, a tucana Marisa Serrano PMDB para o PSDB. Os petistas de- milhões – cifra próxima dos R$ 17 local e da disponibilidade de tec- gados. No Recife, são 3.638 em- das chamadas contas do Tipo B. A (MS), escolhida pela oposição pa- vem informar hoje se aceitam ou milhões investidos no estado no nologia, um dos segmentos que pregados. A nova unidade irá oposição, por outro lado, conhe- ra presidir a CPI, se debruçou em não a troca no comando. ano passado, quando a empresa mais se desenvolvem em Per- criar, de imediato, 1.300 empre- ceu os ritos burocráticos das CPI, registrou um faturamento líquido nambuco. “Tomamos uma deci- gos. Na segunda fase, a empresa como a composição dos assesso- de R$ 1,3 bilhão e um crescimen- são para dez anos porque pode- espera oferecer mais 5.500 vagas, res técnicos e as instalações. to de 12,1% em relação a 2006. mos atender tanto de São Paulo totalizando 6.800 empregos. “Es- O deputado Luiz Sérgio (PT- DEBATE Presente em Pernambuco des- quanto do Recife”, afirmou, reve- peramos ter 10 mil empregados RJ), indicado como relator da de 2002, a empresa já contava lando que já estão fechadas as ne- em Pernambuco nos próximos CPI, mas com esperança de ocu- com incentivos fiscais da prefei- gociações para assumir o atendi- cinco anos”, afirmou Meaney. par a presidência da CPI, se reu- Dalmo de Abreu Dallari* tura do Recife, que reduziu o ISS mento aos clientes da Losango, da Para o governador Eduardo niu com a líder do PT no Senado, de 5% para 2% – benefício dado Oi, do ABN Amro e do HSBC. Campos, a concessão dos incenti- Ideli Salvatti (PT-SC), e decidiu às empresas instaladas no Porto Digital, pólo de tecnologia da ca- pital – e obteve agora uma redu- “Sotaque é mito” Segundo ele, o sotaque nordes- vos para geração de empregos é um bom negócio. “Vamos fazer sempre essa troca porque os em- que vão focar os gastos nos três Poderes. Se a situação dos usuá- rios dos cartões ligados a cúpula Chicaneiros do Estado ção do ICMS de 28% para 10% sobre as ligações interurbanas ge- tino não interfere na qualidade do atendimento. “Realizamos 130 pregos são o motor da nossa eco- nomia”, afirmou. do governo Lula se complicar, a saída será a convocação de servi- e o desenvolvimento A noção de direitos foi uma passaram a agir no sentido de for- REFORMA TRIBUTÁRIA SENADO das mais importantes conquis- çar a desocupação da área. Não tas da humanidade. Tendo ab- se utilizou a violência física, mas Sem garantia de empregos Prestação de contas soluta necessidade da convi- vência, por imperativo de sua própria natureza, os seres hu- por meio de subterfúgios praticou- se uma violência jurídica, indo ao Judiciário de modo malicioso, pra- JAIME SOARES DE ASSIS tur Henrique, presidente da Cen- de Honda, quanto menor a carga manos necessitam de regras ticando-se atos imorais e ilegais, en- SÃO PAULO A redução de encargos sobre a tral Única dos Trabalhadores (CUT). “Alguns empresários defen- de tributos maior será o incentivo à formalização do emprego. A é limitada para que a convivência seja pacífica, harmoniosa e benéfi- ganando-se Juízes com a ajuda de advogados, para tentar obter a MÁRCIO FALCÃO folha de pagamentos, apontada co- diam o fim da CPMF diziam que o Fiesp vai analisar detalhadamente BRASÍLIA ca para todos, permitindo o imediata expulsão das famílias ha- mo um dos fatores que poderia fato de terminar com o imposto os o projeto do governo. pleno desenvolvimento da per- bitantes da favela. contribuir para o aumento da ofer- preços cairiam. A pergunta que se Na avaliação de Henrique, da A tentativa do Senado em tor- sonalidade de cada um, me- De acordo com o noticiado pe- ta de vagas e de contratação formal faz é: você viu algum produto que CUT, a proposta do governo de re- nar mais transparente os gastos diante a permuta de conheci- la imprensa, a Empresa Metro- dos trabalhadores, entrou na pauta caiu de preço com o fim da dução da contribuição previdenciá- dos senadores com a verba inde- mentos e de apoio para satisfa- politana de Águas e Energia en- de discussão com a apresentação CPMF?”, acrescenta. ria de 20% para 14%, poderá se nizatória ainda não emplacou. ção das necessidades trou com ação numa das Varas da proposta de reforma tributária. Os efeitos sobre o mercado de transformar em mais uma forma Ontem, com quatro meses de materiais, psicológicas e espiri- Cíveis de Santo Amaro pedindo O corte dos encargos, no entanto, trabalho virão e a desoneração pro- de redução de custos e aumento da atraso, apenas um em cada qua- tuais. O direito é necessário uma determinação judicial para pode não ter um efeito direto na posta pelo governo é positiva, na margem de lucro, sem que isto se tro senadores repassou a presta- para a produção desse resulta- a desocupação da área e demoli- redução do desemprego. “Não está opinião de Helcio Honda, diretor converta em benefício para o tra- ção de contas para a Mesa Dire- do, o que torna evidente seu ção das habitações ali existentes. escrito em lugar nenhum que exis- titular do departamento jurídico da balhador. “Esperamos que seja tora disponibilizar no site do Se- fundamento ético e seu valor Mal sucedida, recorreu ao Tribu- te a obrigação de gerar emprego Federação das Indústrias do Estado marcada uma reunião com empre- nado. Entre os 22 parlamentares social, desde que autêntico e nal de Justiça do Estado, que, no por meio desta medida”, afirma Ar- de São Paulo (Fiesp). Na avaliação sários e trabalhadores para cons- que entregaram os gastos, as in- construído num ambiente de li- entanto, confirmou a decisão do truir uma proposta que atinja os formações pouco acrescentam. O berdade e igualdade efetiva de Juiz, negando a ordem solicitada, objetivos (de aumento de vagas e sistema não detalha a aplicação todos, tendo a pessoa humana por não considerar comprovado o emprego formal)”, afirma. dos recursos públicos e indica como valor supremo. Sejam direito da solicitante. Tempos de- Para Honda, esta redução não é apenas que tipo de serviço os se- quais forem o momento e o lu- pois, a Empresa ingressou com a o fator decisivo para estimular a nadores investiram. gar, a maior ou menor impor- mesma ação em outra Vara judi- criação de empregos, e considerar O mais utilizado é o que repre- tância dos fatos, em termos de cial, mascarando os dados e omi- que os empresários absorverão esta senta locomoção, hospedagem, repercussão sobre os indiví- tindo a tentativa anterior, obten- diminuição de custeio é precipita- alimentação e combustíveis. Por duos e a sociedade, o respeito do, nesta segunda investida, uma ção. Ele considerou a preocupação mês, cada parlamentar tem direi- ao direito será sempre uma decisão liminar, tendo o Juiz or- da CUT como resultado de “uma to, além do salário de R$ 12,7 mil, exigência ética e terá grande denado a imediata desocupação avaliação muito precoce”. A CPMF, a R$ 15 mil para despesas relacio- importância para a consecu- da área, o que se consumou sem extinta em dezembro, era um com- nadas ao exercício do mandato, a ção da justiça e da paz. que os moradores tivessem meios ponente indireto do custo e não te- chamada verba indenizatória. Na Noticiário recente da im- e tempo para contestar a legali- ria mesmo um reflexo instantâneo prestação referente ao mês de fe- prensa revelou a existência de dade do pedido e defender seu sobre os preços. A desoneração da vereiro, os campeões de gastos fo- um encadeamento de fatos em modesto patrimônio. Neste mo- folha de pagamentos criará o cená- ram os senadores Cristovam Buar- que, pelo que foi exposto, estão mento a Defensoria Pública do rio favorável para a formalização que (PDT-DF) e Gilvam Borges ocorrendo, numa formal dispu- Estado, instituição criada pela de mão-de-obra, embora o efeito (PMDB-AP). O pedetista declarou ta por direitos e sob pretexto de Constituição de 1988 para orien- não seja imediato. “O emprego não ter gasto R$ 14.150 com ações de defendê-los, distorções malicio- tação jurídica e defesa dos neces- vai aumentar do dia para a noite”. divulgação parlamentar, além de sas, agressões injustas e utiliza- sitados, está tentando reverter os A questão da contribuição pre- R$ 850 com aluguel e despesas de ção imoral de instituições cria- efeitos da arbitrariedade masca- videnciária foi discutida ampla- escritório. Borges informou ter de- das para proteção e garantia rada de legalidade. Sendo exato mente no Conselho de Desenvol- sembolsado os R$ 15 mil da verba do direito e da justiça. Em sín- o noticiário da imprensa, tem-se vimento Econômico e Social por com aluguel e despesas de escritó- tese, há vários anos um grupo aí um quadro deplorável, anti- integrantes do governo, empresá- rio. “São gastos com pesquisa, jor- de famílias, obviamente pobres, ético e anti-social, de degradação rios e sindicalistas. Segundo Hen- nais e livros para divulgação dos instalou-se numa área desocu- do direito. Merece especial aten- rique, os sindicatos propuseram a trabalhos como senador e ex-go- pada da periferia de São Paulo, ção o comportamento dos Advo- adoção de um sistema misto no vernador”, justificou Cristovam. constituindo-se ali a Favela gados, que, segundo alega a De- qual uma parte da cobrança recai- A senadora Rosalba Ciarlini Real Parque. Os imóveis da re- fensoria Pública, agiram com ria sobre a folha de pagamentos e (DEM-RN) também chegou per- gião tiveram, recentemente, con- malícia, enganaram um juiz e outra parcela incidiria no fatura- to do limite, utilizando R$ siderável valorização e o terre- obtiveram um ganho ilegal, imo- mento da empresa. “Este (modelo), 14.978,40 da verba indenizatória nos onde está implantada a fa- ral e injusto. A Ordem dos Advo- para minha surpresa, não foi enca- com a contratação de serviços vela passou a ser objeto de gados do Brasil, zelosa do alto minhado na proposta do ministé- de apoio parlamentar, divulga- cobiça de empreendedores imo- nível ético da profissão, deve rio da Fazenda”, assinala . ção de suas atividades como se- biliários. Muito provavelmente apurar rigorosamente esses fatos, De acordo com Honda, a capa- nadora, além de locomoção, pressionadas por interessados, para eventual punição dos que cidade de sustentação da Previdên- hospedagem e combustíveis. De mas também pretendendo dar degradam a Advocacia e contri- cia será assegurada. Na proposta es- acordo com a Mesa Diretora do ao terreno ocupado pelos favela- buem para a descrença no direito tá previsto que haverá outras fon- Senado, os senadores têm de fa- dos uma destinação mais com- e no Poder Judiciário. tes de custeio para dar suporte ao zer a prestação de contas sobre a patível com o desenvolvimento * Jurista, professor emérito da Faculdade sistema previdenciário. verba a cada trimestre. urbano, autoridades públicas de Direito da USP
  • 7. GAZETA MERCANTIL | Terça-feira, 4 de março de 2008 | A7 POLÍTICA “Não vejo disposição do Congresso para votar reforma política neste ano” ENTREVISTA Bolívar Lamounier Aliança entre PSDB e DEM deve ser mantida DIVULGAÇÃO Cientista político acredita que, mesmo com as rem convencidas de que é uma candidaturas de Geraldo Alckmin e do atual coisa importante para botar na agenda. Neste momento não vejo prefeito Gilberto Kassab, a coligação entre isso. Não há nem a compreensão tucanos e democratas será mantida até 2010 do governo. Não sei se o Lula não compreende ou não tem interes- FERNANDO TAQUARI RIBEIRO SÃO PAULO ver o partido mais homogêneo e se nesta questão. harmônico. Isso quase sempre é Filiado ao PSDB, o cientista po- um sonho. A prévias nos Estados Qual a sua opinião sobre lítico Bolívar Lamounier defende Unidos são um exemplo. É muito reforma política? Deve ser a manutenção da aliança de seu difícil chegar a uma homogenei- votado de maneira fatiada? partido com o Democratas nas dade grande dentro partido, ainda Sempre defendi reforma polí- eleições municipais deste ano na mais em períodos eleitorais. O Al- tica, mas acho inútil tentar votar capital paulista, de olho no pleito ckmin não quer sair da política. fatiada. É preciso um modelo de de 2010. Segundo Lamounier, os reforma abrangente. Se você não pontos que aproximam as duas Mas e a aliança com o tem uma visão de conjunto do legendas são muito relevantes e Democratas? problema, é dar burro em ponto não devem ficar em segundo pla- Esse é o outro problema. No de faca. Acho que tem esperar um no diante da disputa pela prefei- nível nacional me parece que é pouco para votar a reforma polí- tura de São Paulo. Lamounier importante para o PSDB e o DEM tica. Acho que se este Congresso acredita que, mesmo com as can- manterem a aliança. Isso ficou discutir seriamente uma reforma didaturas do ex-governador Ge- demonstrado no caso da CPMF, tributária já esta de bom tama- raldo Alckmin (PSDB) e do atual onde se mostrou que existe opo- nho. Já é esperar muito. prefeito Gilberto Kassab, a coliga- sição no País em uma questão ção entre tucanos e democratas sensível ao eleitor, que é a carga Em relação a reforma tributária será mantida até 2010. tributária. Portanto, se o prefeito você acredita que o governo vai Para o cientista político, a apro- Gilberto Kassab estiver com um assumir a linha de frente nas ximação do PT com o PSDB em índice bom nas pesquisas, acho negociações ou vai jogar o Belo Horizonte faz parte de uma que a dúvida se resolve a favor de- trabalho nas mãos do estratégia do governador mineiro le continuar. Congresso? para angariar apoio e ser o esco- Vai jogar na mão do Congres- lhido do partido para concorrer ao Portanto, a prioridade do so com certeza. Acho que essa Palácio do Planalto em 2010. Con- partido à princípio seria pela coalizão imensa que o Lula mon- tudo, alerta. “Isso tem um custo manutenção da aliança? tou tem um custo. Ele (Lula) não colateral. Os eleitores do PSDB, Logicamente seria. pode por em votação matérias bem ou mal, tiveram 40% dos vo- que dividam muito a base. Todo tos na última eleição. É difícil sa- Mesmo com uma eventual mundo sabe que a coalizão se ber o estado de ânimo deles agora, disputa entre Alckmin e mantém de forma fisiológica. mas há uma massa grande que se Kassab, você acredita que a Agora, o presidente não tem o sente pouco representada como coligação sobrevive até as perfil de quem quer melhorar os oposição. O Aécio tem que ponde- eleições de 2010? partidos e os programas. rar esta situação”, diz. Penso que sim. Primeiro por- Lamounier admite que a pre- que eles tem pontos importantes O Congresso está desmoralizado sença do presidente Luiz Inácio em comum, além de terem traba- e sem credibilidade para votar Lula da Silva e a utilização da má- lhado dentro do governo Fernan- pautas importantes? quina federal na campanha po- do Henrique em torno de uma Acho que é preciso separar os dem fazer favorecer os candidatos agenda substantiva e também assuntos. Se você olhar pelo ân- da coalizão governista. Ele descar- agora na oposição. Os pontos que gulo da moral, dos costumes e da ta ainda a possibilidade do Con- aproximam os dois partidos são honestidade está desmoralizado. gresso votar neste ano a reforma muito relevantes. Então, por Isso, contudo, não quer dizer que política. Veja a seguir os principais mais importante que a prefeitura não tenha legitimidade formal trechos da entrevista com o cien- de São Paulo seja, é apenas uma para aprovar leis. Essa segunda tista político Bolívar Lamounier. cidade do Brasil. Acredito que o questão tem a ver com o nível de PSDB vai discutir uma agenda desenvolvimento político do Bra- O que podemos esperar das para relançar o Brasil nos próxi- sil, que não é uma republiqueta. eleições municipais deste ano? mos dez anos. Portanto, com vis- As eleições em São Paulo e no tas a 2010, o PSDB vai colocar so- Para Lamounier, pesquisas devem determinar quem será o candidato da aliança entre DEM e PSDB Que balanço faz das gestões de Rio tendem a ter um certo impac- bre a mesa um outro conjunto de FHC e Lula? to político-nacional em função do programas e isso não vai se redu- ponderar esta situação. Certa- tor é a máquina. O Bolsa-Família Eu acho que isso tem relação. O FHC quando assumiu o go- tamanho de cada colégio eleitoral zir a eleição paulista por mais mente está calculando neste mo- demonstrou muito bem a dispo- Mas o fator preponderante vai ser verno pegou de volta a agenda e da mística de cidades politiza- importante que seja. mento que a equação mineira pa- sição do governo de usa-lo para primeiro a capacidade de articu- modernizadora. Isso é inegável. das. Além disso, terá a conotação ra ele é mais importante. fins eleitorais. lação do candidato dentro do par- Ele fez uma série de coisas que o não só de luta entre personalida- E quanto a aliança entre PT e tido com vistas à convenção, an- País vinha discutindo durante des, mas também de partidos e PSDB em Belo Horizonte? Muitos analistas destacam Que reflexos as eleições deste gariando os principais apoios. Em uns dez anos, como a questão da plataformas presidenciais. Isso se O Aécio Neves tem uma histó- semelhanças entre PSDB e PT. ano podem ter sobre o pleito de segundo lugar as pesquisas. O inflação. O Lula surpreende por reflete também em Porto Alegre e ria de colaboração inter-partidá- Eu descarto esta idéia. Acho 2010? partido não vai apostar num ca- ter abandonado as teses do PT. Recife. Agora, no resto do País é ria muito larga. Ele foi eleito go- que o PT não tem historicamente Irá se refletir no cacife dos can- valo perdedor na convenção. Acho que ele é um homem muito mais redistribuição de cacife po- vernador com praticamente to- e nas atitudes atuais uma de- didatos que serão cabos eleitorais mais pragmático do que as pes- lítico-eleitoral, geralmente acom- dos os partidos. Em Minas Gerais monstração de arejamento e mo- do presidente. O Lula, se conse- O Congresso tem condições de soas supunham e está caminhan- panhando o prestígio do presi- a equação é um pouco específica dernidade. Continua sendo um guir mobilizar uma massa de votar ainda neste ano a reforma do para o centro. Entretanto, ele dente e dos principais governado- também. Os candidatos do PT partido da superstição econômi- apoio muito grande, proporcio- política? decepciona em todo o aspecto res se estes forem capazes de não surgiram na política estadual ca, como se estivéssemos no sécu- nal à aprovação popular dele, vai Não acredito. A reforma é um modernizante, já que está se be- transferir votos. com aquele ânimo de hostilidade lo XIX. Eles não tem uma linha de ter um poder de barganha muito negócio que só acredito se lide- neficiando de uma conjuntura in- em relação ao PSDB. Por outro la- pensamento moderna, adaptada grande ao apoiar este ou aquele ranças de primeiro porte estive- ternacional favorável. Como você enxerga a disputa do, o Aécio quer ser obviamente o ao século XXI. Não valorizam a candidato. Agora, o PT não tem interna do PSDB, em São Paulo, candidato à Presidência em 2010. racionalidade técnica em termos um nome e acho difícil imaginar polarizada entre os grupos de Ele está fazendo um gesto de uni- de qualidade profissional que o que o partido possa produzir um Geraldo Alckmin e do ficar ainda mais o eleitorado de PSDB dá muita ênfase. nome potencialmente vencedor. governador José Serra? Minas e assim ter mais poder de Não vejo mal na disputa inter- barganha no nível nacional. E quanto ao cenário de eleições O candidato pode sair da na. Isso é normal em qualquer no Rio? coalizão? país. O que me preocupa um pou- Que tipo de impacto a Lá é complicado porque o ce- Pode ser que o Lula manifeste co é que já houve este problema aproximação de Aécio com o PT nário é bem mais pulverizado e alguma simpatia por um candida- em 2006. O Alckmin forçou mais pode ter? os alinhamentos não correspon- to de outro partido. É difícil acre- do que se esperava a candidatura Isso tem um custo colateral. Os dem ao nível nacional. ditar que com todo o poder eleito- dele para presidente, tendo em eleitores do PSDB, bem ou mal, ti- ral que tem Lula vai apostar num vista que o processo decisório do veram 40% dos votos na última O que você pode fazer a candidato de pouca dimensão. PSDB costumava ser mais infor- eleição. É difícil saber o estado de diferença nestas eleições? mal e reservado. Pode ser que isso ânimo deles agora, mas há uma O presidente está com a popu- A campanha em São Paulo pode volte a deixar alguma seqüela. massa grande que se sente pouco laridade alta e ela provavelmente ser determinante para a representada como oposição. No irá se manter ao longo do ano por indicação do PSDB em 2010? A Isso pode dividir o partido? caso da CPMF muito gente ficou conta da situação econômica fa- vitória do Alckmin pode A briga não divide o PSDB. satisfeita porque finalmente hou- vorável. Suponho que o Lula é ca- influenciar a decisão do partido Qualquer militante gostaria de ve oposição. O Aécio tem que paz de transferir votos. Outro fa- em 2010 a favor de Aécio?
  • 8. A8 | Terça-feira, 4 de março de 2008 | GAZETA MERCANTIL DIREITO CORPORATIVO O Ibama já apreendeu mais de 16 mil metros cúbicos de madeira ilegal CONCORRÊNCIA PATENTES SP cria força-tarefa para barrar Nokia obtém mais uma decisão favorável liminares contra leilão da Cesp EFE HELSINQUE (ITC, sigla em inglês) também desprezou um processo apre- Grupo de procuradores de algumas empresas interessa- para as mãos de outro estado. A Nokia obteve sua segunda sentado pela Qualcomm con- das — que não se encaixam no CESP EM NÚMEROS Para o advogado Benedicto vitória em menos de uma sema- tra a Nokia por violação de vá- está atento a ações; e Valor mínimo do leilão: edital — de entrarem na Justiça Porto Neto, da Porto Advogados, na na “guerra de patentes” que rias patentes de tecnologia especialistas prevêem para participar. É o caso das ge- R$ 6,6 bilhões o problema girará em torno da mantém contra a Qualcomm, o GSM/GPRS/Egde, ao entender enxurrada de processos radoras Companhia Energética constitucionalidade da Lei esta- maior fabricante mundial de que a fabricante finlandesa Capacidade instalada: de Minas Gerais (Cemig) e Com- 7.455 MW dual 9.361/96. Porto Neto afirma microchips para telefones celu- não infringiu seus direitos de JULIANA ELIAS E LAURA IGNACIO SÃO PAULO panhia Paranaense de Energia que as estatais federais poderão lares, depois que a Suprema propriedade intelectual. (Copel), proibidas pela lei paulis- Total de usinas: alegar que sua participação é ga- Corte britânica desprezou uma “As decisões judiciais do Su- Para evitar atrasos no leilão da ta de participarem por serem es- Seis rantida pela Constituição porque, reivindicação interposta pela premo Tribunal britânico e da Companhia Energética de São Pau- tatais estaduais. Lucro/Prejuízo 2006*: segundo a Carta Magna, a União companhia californiana. ITC são uma evidência a mais de lo (Cesp), marcado para o próximo “Foi montado esse sistema in- R$ -91,3 milhões é a competente titular de serviços A decisão judicial deu razão que a Qualcomm exagera em dia 26, a Procuradoria Geral do Es- terno na Procuradoria para que o energéticos. à gigante finlandesa, ao consi- sua posição de inovadora indus- tado (PGE) está mantendo um gru- leilão da Cesp não entre em filas Lucro/Prejuízo 2007*: Já as estatais de outros estados, derar que a reivindicação apre- trial e exige compensações por po de advogados de prontidão para desnecessárias. É como se a equipe R$ 125,9 milhões segundo Porto Neto, poderão ale- sentada pela Qualcomm em patentes que não são pertinen- derrubar possíveis liminares. A ficasse em stand by, estando pre- Fonte: Cesp * Acumulado 3º trimestre gar que a lei paulista confere tra- maio de 2006 por violação de tes ou válidas”, assinalou no co- equipe de procuradores foi criada parada para uma eventual inter- tamento discriminatório a outros patentes de tecnologia GSM municado o diretor financeiro no início de fevereiro, ainda antes rupção”, informou a PGE por meio versidade Católica de São Paulo estados da federação. A Constitui- não é válida, o que significa de Nokia, Rick Simonson. da divulgação do edital, realizada de sua assessoria de imprensa. (PUC-SP), Joana Paula Batista. ção Federal veda medidas que dis- que a Nokia não terá que pagar no dia 25 daquele mês. No caso da Usina de Santo An- Joana explica que uma parte criminem estados. “Mas, na mi- compensação alguma à compa- Disputa legal Responsável por estar atento tônio, no Rio Madeira, realizada da doutrina defende que é cabível nha opinião, só se caracterizaria nhia norte-americana, infor- Em 2006, a Nokia e a Qual- ao que possa atrapalhar o cum- em dezembro, o leilão chegou a a participação de estatais de ou- tratamento discriminatório, se a mou ontem o grupo em um co- comm se enredaram em uma primento do que está no texto e o ser adiado duas vezes levando à tros estados na licitação da Cesp lei paulista permitisse a participa- municado. disputa legal sobre a proprieda- andamento do processo de alie- Advocacia-Geral da União (AGU) porque a Lei Federal 8.987/95 não ção de alguns estados.” de intelectual de várias patentes nação, a equipe já cassou as duas a montar uma força-tarefa de 142 veda isso. “Outra doutrina diz que O setor de pesquisa da Assem- Segunda vitória de telefonia de segunda e tercei- liminares apresentadas até agora servidores espalhados pelo País, não é cabível porque a participa- bléia Legislativa do Estado de São Essa é a segunda vitória em ra geração (GSM e WCDMA), contra a venda. Ambas provi- às vésperas da licitação. ção direta de estatal de outro es- Paulo (Alesp) localizou treze pro- cinco dias da maior fabricante após cinco anos de frutífera co- nham de cidades onde a Cesp Advogados especialistas afir- tado ou federal na atividade eco- jetos de lei para modificar a Lei mundial de telefones celulares operação comercial. possui usina — Anaurilândia mam que devem chover limina- nômica de São Paulo violaria o estadual 9361/96. Seis deles já se na disputa legal que mantém Desde então, a firma califor- (MS) e Pereira Barreto (SP) — e há res para contestar a licitação da pacto federativo”, argumenta. A transformaram em lei e os de- com a Qualcomm pela proprie- niana interpôs 11 processos con- pendências judiciais quanto a da- Cesp. “Como a questão é polêmi- advogada diz ainda que a finali- mais ainda tramitam. Um dos PL dade intelectual de várias pa- tra a Nokia na China, Europa e nos ambientais que as constru- ca deverão haver várias liminares dade da licitação da Cesp é priva- resultou na Lei 12.639/07, que re- tentes tecnológicas. Estados Unidos, enquanto a fa- ções teriam causado na região. para impedir o leilão”, afirma a tizar e, assim, não teria sentido ti- vogou a vedação de participação Na quinta-feira da semana bricante finlandesa levou a jul- O grupo de trabalho aguarda advogada e professora de direito rar o controle da empresa das de estatal federal da Companhia passada, a Comissão de Comér- gamento a Qualcomm na China agora as já anunciadas intenções administrativo da Pontifícia Uni- mãos de um estado para passar de Gás de São Paulo (Comgás). cio Internacional dos EUA e na Alemanha. RECEITA FEDERAL MULTAS REGISTRO Lentidão no programa marca CÉLULAS-TRONCO NO STF Parlamentares governistas defen- Madeireiras terão de primeiro dia de entrega do IR deram ontem a manutenção, no texto da Lei de Biossegurança, do pagar R$ 1,5 milhão artigo que prevê o uso de células- AGÊNCIA BRASIL E REDAÇÃO AGÊNCIA BRASIL BRASÍLIA E SÃO PAULO tar o programa gerador do IR. que faz cálculos automaticamente. tronco embrionárias em pesquisas. BRASÍLIA metros cúbicos que já haviam Atualmente, é possível fazer a de- E explica que o preenchimento em Uma ação direta de inconstitucio- sido identificados pela Opera- Os contribuintes pessoas físicas claração em qualquer sistema ope- formulário de papel sempre traz nalidade, que será julgada amanhã Iniciada há sete dias no mu- ção Guardiões da Amazônia, que pretendem entregar a declara- racional, seja ele de código proprie- riscos pois o pessoal da Receita terá no Supremo Tribunal Federal (STF), nicípio de Tailândia, no nordes- precedente à Arco de Fogo. A ção do Imposto de Renda nestes tário, como o windows da Micro- que interpretar, inclusive, a caligra- questiona o artigo que fala sobre te do Pará, para combater a ex- maioria das madeiras apreen- dias e receber a restituição nos pri- soft, ou aberto, como o Linux ou o fia de quem preenche. o uso das células-tronco. O líder ploração ilegal de madeira, a didas são das espécies de alto meiros lotes já podem obter o pro- Solaris. Para acabar com as restri- Embora ainda não seja exigido do governo na Câmara dos Depu- Operação Arco de Fogo já apli- valor comercial, como a maça- grama de computador gerador do ções, os técnicos da Receita criaram o certificado digital para a entrega, tados, Henrique Fontana (PT-RS), cou multas superiores a R$ 1,5 randuba e a copaíba. IRPF 2008 direto da página da Re- a declaração na plataforma Java, a Receita está obrigando o contri- disse esperar que o STF faça uma milhão às empresas irregulares, A madeira apreendida é le- ceita Federal do Brasil na internet. um tipo de programa que roda em buinte a enviar o documento com profunda análise técnica do tema segundo a assessoria de impren- vada para um depósito em Ma- Todos os anos os contribuintes que qualquer sistema, assim como o te- o mesmo número do recibo da de- e mantenha o texto aprovado no sa da superintendência do Insti- rituba, na região metropolita- entregam a declaração na frente clado virtual de vários bancos. claração do ano passado, um códi- Congresso Nacional, que considera tuto Brasileiro do Meio Ambien- na da capital. Para este traba- têm a chance de receber a restitui- As declarações devem ser en- go numérico, a fim de evitar frau- “equilibrado”. te e dos Recursos Naturais Reno- lho, a Secretaria de Meio ção nos primeiros lotes. Porém, o tregues através de meio eletrôni- des. O contribuinte que não dispu- váveis (Ibama), no estado. As Ambiente do Pará (Sema) utili- primeiro dia em que o programa co (99%), internet e disquetes de ser desse dado só poderá obtê-lo INDENIZAÇÃO NO TST fiscalizações do órgão contam za 35 caminhões e quatro bal- esteve liberado foi marcado pelo computador no Banco do Brasil e em uma unidade da Receita. Por ter a atividade de degustador com o apoio da Polícia Federal, sas. Até ontem, apenas cerca de congestionamento do sistema. na Caixa Econômica Federal, e Mesmo em meio eletrônico, o de cerveja contribuído para o da Força Nacional de Segurança seis mil metros cúbicos já dei- Contribuintes tiveram dificuldades em formulário de papel, que de- contribuinte deve ficar atento à in- agravamento de dependência etí- e do governo do Pará. xaram Tailândia. em liberar o programa por causa vem ser postados nos Correios. O consistência das informações na lica, empregado da Companhia O Ibama confirmou o fecha- Para tentar cumprir a meta de da lentidão. O tempo para baixar o prazo para o envio termina no dia declaração, para evitar a retenção de Bebidas das Américas (Ambev) mento de 3 madeireiras e 5 car- vistoriar todas as 69 madeireiras programa chegou a três horas. 30 de abril. Há 15 anos, o prazo na malha fina. Se os dados infor- receberá R$ 100 mil de indeniza- voarias no município, com a ativas em no município, a Ope- Com um número cada vez não é prorrogado. mados pelo contribuinte não coin- ção. A Sexta Turma do Tribunal destruição de 98 fornos. Foram ração Arco de Fogo ganhou o re- maior de brasileiros com acesso ao Segundo o supervisor nacional cidirem com os do empregador, se- Superior do Trabalho considerou apreendidos três mil metros forço de 16 fiscais do Ibama, que computador e o aumento de pro- do Programa do Imposto de Renda, rá necessário justificar ao Fisco o que houve responsabilidade da cúbicos de madeira ilegal (su- agora totalizam 30. Até o fim da blemas de segurança na internet, a Joaquim Adir, a preferência pelo que ocorreu, pois todos os dados companhia pelos danos causados ficientes para encher 200 cami- última semana, eram apenas 14. Receita Federal foi obrigada a adap- programa gerador é a facilidade, já são cruzados pela Receita. à saúde do trabalhador. nhões), que se somam a 13 mil Há ainda a participação de dez técnicos ambientais da Sema e de homens do Batalhão Ambien- tal da Polícia Militar do Pará. Recurso contra multas O Sindicato dos Madeireiros de Tailândia (Sindimata) — que representa 40% das madeireiras e serrarias locais, responsáveis por mais de 2 mil empregos di- retos — vai contestar parte das multas aplicadas pelo Ibama na cidade. Advogados ligados à União da Entidades Florestais do Pará (Uniflor) já trabalham na preparação de recursos a serem interpostos. O presidente do Sindimata, João Medeiros, alega que em ações de fiscalização da Opera- ção Guardiões da Amazônia foi feita medição por amostragem. E que somente na última sema- na o material teria passado a ser medido por toras, o que garante números exatos. Medeiros defende que os ór- gãos de governo atuem sem des- considerar o peso da madeira na economia local: “Vieram aqui com a intenção de quebrar o setor madeireiro, mas o Estado tem uma parcela grande de culpa (nas irregularidades). Muita gente quer reflorestar, mas não conse- gue a licença ambiental.quot;
  • 9. GAZETA MERCANTIL | Terça-feira, 4 de março de 2008 | A9
  • 10. A10 | Terça-feira, 4 de março de 2008 | GAZETA MERCANTIL INTERNACIONAL Até Bill Clinton acha necessária uma vitória esmagadora ESTADOS UNIDOS EUA farão propostas Hillary joga últimas fichas ao sistema financeiro para tentar superar Obama BLOOMBERG NEWS WASHINGTON Os EUA vão divulgar em breve que a maioria dos mutuários que correm o risco de ver seus imó- veis arrestados por falta de paga- Estados de Ohio e tar com o apoio da grande massa Em 2004, o presidente republi- propostas para enfrentar as defi- mento ainda não pediram ajuda Texas podem definir de trabalhadores não profissionais cano George W. Bush venceu em ciências de regulamentação e de às instituições de crédito e pode- (28%) presentes em Ohio, uma ca- Ohio com 51% dos votos, contra funcionamento do mercado fi- rão perder suas casas em decor- a batalha pela tegoria que deu preferência à se- 49% para o democrata John Kerry, nanceiro norte-americano, disse rência disso. candidatura democrata nadora por Nova York até agora que decidiu não impugnar os re- Henry Paulson, secretário do Te- Os comentários refletiram a na maioria dos estados. Já Obama sultados polêmicos por dificulda- souro dos EUA. oposição de Paulson ao emprego AFP E REUTERS WASHINGTON acredita que sua grande vitória na des técnicas. O Texas, reduto de Entre os tópicos analisados es- de recursos governamentais para primária de Wisconsin, em 19 de Bush no extremo sul do país, é um tão os processos de geração de uma “operação de salvamento” Dois estados, Ohio (norte) e fevereiro, graças a resultados me- estado solidamente republicano, crédito imobiliário e as agências dos mutuários e seu foco em so- Texas (sul), podem definir, hoje, a HILLARY CLINTON lhores que os esperados nas áreas no qual os democratas têm poucas de classificação de risco. luções no setor privado. Ele disse batalha pela candidatura demo- Senadora dos Estados Unidos modestas e entre as mulheres, é esperanças de vencer em novem- As observações de Paulson se- que “o esforço do setor privado” é crata à Casa Branca, em primárias um bom presságio para Ohio. bro e onde as derrotas de John guem-se às críticas formuladas “o programa certo”, comentário nas quais Hillary Clinton joga as Obama a acentuar suas reticên- Os dois estados têm uma de- Kerry e Al Gore foram indiscutí- pelos parlamentares democratas que se choca com o defendido últimas fichas na tentativa de su- cias sobre o livre comércio. A ex- mografia similar, com uma taxa veis (61% contra 38% em 2004 e de que as autoridades não conse- por parlamentares democratas, perar Barack Obama. Hillary, que primeira-dama reagiu com muita de empregados não profissionais 59% contra 38% em 2000). guiram controlar as práticas abu- que chamam atenção para a ne- até poucos meses atrás era favo- irritação na semana passada ao quase idêntica, mas a população No entanto, o Texas é a maior sivas na concessão de crédito cessidade de uma reação mais for- rita absoluta para ser indicada pe- ver um panfleto onde era critica- negra, bem mais favorável a Oba- fonte de delegados que restam imobiliário. te por parte do governo. lo Partido Democrata para as elei- da por ter considerado uma opor- ma, é duas vezes mais numerosa por convencer até a convenção ções presidenciais de novembro, tunidade, à época, o Acordo de Li- em Ohio (11,4%) que em Wis- partidária. Próspero e claro bene- Lições da Turbulência pode ver seu sonho acabar nas vre Comércio da América do Nor- consin (5,6%). Em todo caso, o ficiário do Nafta, o estado do Te- As propostas do Grupo de Tra- prévias de hoje. te (Nafta), que entrou em vigor vencedor de Ohio, que concede xas pouco compartilha as preocu- balho em Mercados Financeiros da Juros perto do Muitos analistas e até o marido em 1994 com México e Canadá. 141 delegados à convenção do pações de Ohio. Tem uma taxa Presidência dos EUA “tratarão es- de Hillary, Bill Clinton, conside- Desde então os dois adversários Partido Democrata em agosto, po- equivalente de população negra pecificamente das lições tiradas” da menor índice em ram que só com duas vitórias ex- concordaram, durante um debate derá reivindicar uma vitória cru- (11,3%), mas também um terço turbulência dos mercados de capi- quase 45 anos pressivas nesses estados ela parece televisivo, sobre a necessidade de cial, já que o estado é considerado de hispânicos, uma categoria que tais, disse Paulson depois de pro- BLOOMBERG NEWS capaz de conter a onda favorável a renegociar o Nafta. Demografica- um campo de batalha essencial votou em Hillary na Califórnia nunciamento feito em Arlington, BOSTON (EUA) Obama, que acumula 11 vitórias mente, Hillary pode esperar con- das eleições de novembro. em 5 de fevereiro. no estado americano da Virgínia, à nas últimas semanas. As eleições Associação Nacional de Economia A Freddie Mac, a segunda primárias terminam às 19h30 em Corporativa dos EUA. maior compradora de contra- Ohio (21h30 em Brasília) e às 21h O grupo de trabalho, formado tos de crédito imobiliário do no Texas (23h em Brasília). No Te- McCain defende taxas de juros “mais baixas” por quatro membros e presidido mundo, disse que a média da xas, porém, haverá “caucuses” (as- por Paulson, inclui o presidente taxa de juros fixa dos contra- EFE| WASHINGTON sembléias de eleitores) após o fe- cano) quem decide de forma independente a ne- do Federal Reserve (Fed, o banco tos de financiamento da casa chamento das seções. O pré-candidato republicano à presidência dos cessidade de fazer cortes neste índice. central dos EUA), Ben Bernanke, e própria deverá despencar em As pesquisas mostram duas Estados Unidos, John McCain, disse acreditar que é “De um ponto de vista econômico e político os diretores da Securities and Ex- 2008 em mais de 0,75 ponto disputas acirradas. Obama, de cer- necessário cortar ainda mais a taxa básica de juros sou a favor, obviamente, de taxas de juros baixas, change Commission (SEC, o ór- percentual, para seu nível ta forma, “joga pelo empate”, pois nos EUA para recuperar a economia do país. mas o Fed é uma agência independente do gover- gão regulador das bolsas do país) mais baixo do último período acumula uma vantagem de cerca A declaração de McCain faz parte de uma en- no americano e não pretenderei dizer que política e da Comissão Reguladora de Ne- de pelo menos 45 anos. de 150 delegados já comprometi- trevista publicada ontem no diário The Wall Stre- deve implantar”, acrescentou. gociações com Contratos Futuros A média da taxa para um dos com a sua candidatura para a et Journal na qual o senador pelo estado do Arizo- O favorito para obter a candidatura republicana de Commodities dos EUA (CFTC, empréstimo de 30 anos para convenção nacional de agosto. As na chegou a dizer que, “obviamente”, gostaria de à Casa Branca garantiu que, caso vença as eleições, pelas iniciais em inglês). A comis- aquisição de imóvel residen- chances de Hillary são maiores ver “taxas de juros mais baixas”. será “mais cuidadoso” quando opinar sobre a redu- são vai emitir recomendações so- cial vai cair para 5,5%, com- no estado operário de Ohio, onde O republicano defendeu a eliminação do cha- ção na taxa básica de juros, para não parecer que bre regras que assegurem maior parativamente aos 6,3% do uma pesquisa do canal Fox apon- mado imposto mínimo alternativo (AMT, na sigla está exercendo “uma pressão política excessiva so- transparência em empréstimos ano passado, disse a empresa, ta uma vantagem de oito pontos em inglês), a redução dos tributos para empresas e bre o Fed”. Quanto aos problemas da seguridade aos compradores de imóveis resi- sediada no estado norte-ameri- a favor da ex-primeira-dama a simplificação da legislação fiscal. social americana, McCain declarou achar necessá- denciais e na securitização de cré- cano da Virgínia, em projeção (38% contra 46%), que no Texas, Na entrevista McCain prometeu às famílias e rio que “republicanos e democratas se sentem jun- dito, disse Paulson. divulgada ontem. Essa seria a onde a diferença é de três pontos aos empresários americanos que, caso chegue à Ca- tos em uma mesa” para resolvê-los sem recorrer a “Precisamos, definitivamente, mais baixa média anual da sé- (45% contra 48%). sa Branca, estes grupos não experimentarão um um aumento nos impostos. de uma supervisão mais ampla rie histórica, que remonta a Ohio, delimitado pelo lago aumento na taxa básica de juros até 2010. Além disso, afirmou ser a favor de reduzir o défi- do processo de concessão de cré- 1963. Os preços das casas de- Erie e os Apalaches, foi afetado Entretanto, o senador disse estar consciente de cit, mas disse acreditar que sua prioridade como pre- dito imobiliário”, disse o titular verão recuar 5% em 2008 e em cheio pela crise do setor de que é o Federal Reserve (Fed, banco central ameri- sidente dos EUA seria recuperar a economia do país. do Tesouro dos EUA. 3% no ano que vem. manufatura, o que levou Hillary e Em seu discurso, Paulson disse MÉXICO O JORNAL DE ECONOMIA DO BRASIL DESDE 1920 Índices de construção e gazetamercantil.com.br Calderón anuncia produção mantêm queda Publicada pela CBM — Companhia Brasileira de Multimidia Rua Ramos Batista, 444 - 11º andar - Vila Olímpia - São Paulo-SP CEP.: 04552-020 - Fone: (11) 2126-5305 - Informações Comerciais pacote de US$ 5,6 bi BLOOMBERG NEWS E EFE WASHINGTON cou-se com a despesa em constru- Publicidade Comercial - Sede ção, que caiu 1,7% em janeiro, a Fone: (11) 2126-5230 - Fax: (11) 2126-5220 comercial@gazetamercantil.com.br BLOOMBERG NEWS E REUTERS CIDADE DO MÉXICO sacelera. O governo do México pre- O índice que mede a produção maior em 14 anos, diante da crise Publicidade Legal - Sede Fone: (11) 2126-5281- Fax: (11) 2126-5014 legal@gazetamercantil.com.br vê que a taxa de crescimento do industrial do Instituto de Admi- do setor imobiliário e do arrefe- Publicidade Brasília Fone/Fax: (61) 3313-5851 / 3313-5867 comercialdf@gazetamercantil.com.br O presidente mexicano Felipe país este ano recuará para 2,8%, a nistração do Abastecimento (ISM, cimento da atividade econômica Publicidade Rio de Janeiro Fone/Fax: (21) 2101-4751 / 2101-4761 comercialrj@gazetamercantil.com.br Calderón anunciou um pacote de partir dos 3,3% de 2007. O México pelas iniciais em inglês), nos Es- no país. Para venda de assinaturas e atendimento ao assinante (11) 2126-5000 estímulo econômico no valor de é o maior produtor de petróleo tados Unidos, recuou para 48,3 Os dados publicados ontem pe- De segunda a sexta das 7h às 18h. E-mail: relacionamento@gazetamercantil.com.br 60 bilhões de pesos (US$ 5,6 bi- bruto da América Latina. pontos, seu mais baixo nível des- lo Departamento de Comércio REGIÕES ANUAL ANUAL PROMOCIONAL lhões) para ajudar a proteger o país As medidas de estímulo tam- de abril de 2003, a partir dos 50,7 mostram que a queda afetou dife- Sul, Sudeste e Centro-Oeste R$ 756,00 R$ 499,00 Norte e Nordeste R$ 756,00 R$ 649,00 da desaceleração econômica que bém incluem descontos adicio- pontos de janeiro passado. O in- rentes setores, mas foi mais inten- Direção Geral Caxias do Sul Guilherme Arruda atinge os Estados Unidos, o maior nais sobre as tarifas de energia dicador ficou a baixo das previ- sa na área de imóveis residenciais. Jackson Fullen garruda@gazetamercantil.com.br Curitiba Norberto Staviski parceiro comercial do México. elétrica de até 20%, além dos cor- sões dos economistas, que variou Os números mais recentes refle- Marcello D’Angelo E-mail: direcaogeral@gazetamercantil.com.br staviski@gazetamercantil.com.br O governo mexicano reduzirá os tes anunciados no ano passado. entre 45 e 51 pontos. tem uma queda na despesa em Florianópolis Juliana Wilke Redação jwilke@gazetamercantil.com.br impostos que incidem sobre as em- Outra queda de índice signifi- construção de hotéis, estradas e Editora-Executiva Claudia Mancini Porto Alegre Caio Cigana presas em 3% de fevereiro a junho Economia desacelera cativa nos Estados Unidos verifi- vários projetos locais e federais. cmancini@gazetamercantil.com.br ccigana@gazetamercantil.com.br Secretário de Redação Costábile Nicoletta Recife Etiene Ramos deste ano, cortará o imposto refe- A economia do México regis- costabile@gazetamercantil.com.br eramos @gazetamercantil.com.br Ribeirão Preto Edson Álvares da Costa rente ao fundo de garantia dos tra- trará seu menor ritmo de cresci- ealvares@gazetamercantil.com.br Coordenação Editorial Opinião Klaus Kleber Rio de Janeiro Ricardo Rego Monteiro balhadores em 5% para estimular mento nos próximos meses, em kkleber@gazetamercantil.com.br Finanças Nelson Rocco rrmonteiro@gazetamercantil.com.br Rio de Janeiro Sabrina Lorenzi as contratações e dará aos proprie- razão do fraco desempenho da REGISTRO nrocco@gazetamercantil.com.br sabrinalorenzi@gazetamercantil.com.br tários de pequenas empresas e aos atividade industrial, segundo um Imagem Arthur Fajardo São José dos Campos Julio Ottoboni afajardo@gazetamercantil.com.br jottoboni@gazetamercantil.com.br trabalhadores autônomos que pa- índice do Instituto Mexicano de O SUCESSOR DE PUTIN SANÇÕES DA ONU AO IRÃ Editores Salvador José Pacheco Maia Filho gam seus impostos on-line um des- Executivos de Finanças (IMEF), O candidato governista Dmitri O Conselho de Segurança da Or- jpfilho@gazetamercantil.com.br Administração & Serviços Edilson Coelho conto de 1.000 pesos (US$ 93,41). divulgado ontem. Medvedev venceu com facilidade ganização das Nações Unidas ecoelho@gazetamercantil.com.br Departamento Comercial Calderón está utilizando a recei- Agronegócio Isabel Dias de Aguiar Diretor Comercial Legal e Regionais João Galindo O índice industrial caiu para as eleições presidenciais realizadas (ONU) impôs ontem uma terceira isabelaguiar@gazetamercantil.com.br Arte Sandro Mantovani jgalindo@gazetamercantil.com.br ta obtida com a venda de petróleo 47,5 pontos em fevereiro, em rela- na Rússia. Ele prometeu continuar rodada de sanções ao Irã por cau- Diretora Adjunta Legal Regina Valladares smantova@gazetamercantil.com.br rvalladares@gazetamercantil.com.br bruto para aumentar os gastos, ção aos 48,6 pontos registrados no com as políticas de seu mentor, o sa da recusa do país em suspen- Comunicação Clayton Melo Diretor Comercial Publicidade São Paulo cmelo@gazetamercantil.com.br Mario Estellita num momento em que a econo- mês anterior. A permanência do presidente Vladimir Putin, após ter der atividades nucleares estratégi- Direito Corporativo Gilmara Santos gssantos@gazetamercantil.com.br mestellita@gazetamercantil.com.br mia dos EUA — que consome 80% índice abaixo dos 50 pontos ante- conquistado mais de 70% dos vo- cas. Houve 14 votos a favor e Editorial Leonardo Trevisan ltrevisan@gazetamercantil.com.br Escritórios de Publicidade Regionais das exportações mexicanas — de- cipa indica maior debilidade. tos no pleito de domingo. uma abstenção (da Indonésia). CE/PI/MA Campioni e Lopes Comumunicação Fim de Semana Elaine Bittencourt e Marketing S/C Ltda. ebittencourt@gazetamercantil.com.br flopes@gazetamercantil.com.br Finanças Denise Juliani (0xx85) 3224-3044 djuliani@gazetamercantil.com.br AM/AC/RO/AP/RR/PA Publicidade Brasília Gazeta Global Gabriel de Salles gsalles@gazetamercantil.com.br Governança Corporativa Lucia Rebouças comercialdf@gazetamercantil.com.br (0xx61) 3313-5851 / 3313-5867 RIBEIRÃO PRETO - SP ÍNDICE DAS 173 EMPRESAS CITADAS NESTA EDIÇÃO lreboucas@gazetamercantil.com.br Promix Representações S/C Ltda A ABN Amro Real A6, B5, C1, Acciona Energética de São Paulo (Cesp) A1, A2, I Ibis C7, Ibovespa B2, Investor AB C2, PVDSA C2 Indústria Rita Karan ajunior@gazetamercantil.com.br rkaran@gazetamercantil.com.br (0xx16) 3902-3212 Imobiliária C1, Accor Hospitality C7, A8, Companhia Paranaense de Energia Itaú B4 Infra-estrutura Ariverson Feltrin Q Qatar Islamic Bank A3, QInvest A3, afeltrin@gazetamercantil.com.br SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP Advanstar Communications C6, (Copel) A8, Companhia. Vale do Rio Internacional Cláudia Bozzo Nogueira & Fonseca Serv. de Publ. Ltda. AgraFNP C3, Aliança da Bahia B4, Doce B4, C4, Concórdia Corretora A5, J Jornal do Brasil A4 Qualcomm A8 gzmsaojose@terra.com.br claudiab@gazetamercantil.com.br (0xx12) 3943-6021 / (0xx12) 3923-8402 American Express Bank Ltd B4, Construtora Andrade Gutierrez A4, InvestNews / Serviço on-line Alessandra Taraborelli R RC Consultores C3, Redecard B4, ataraborelli@gazetamercantil.com.br PR GRP - Prestação de Serviços Publicitários Atacadão C1 Contax A6, Correios A8, K Kiviks Marknad C4, Klabin Segall C7 Nacional Jaime Soares de Assis handrade@gazetamercantil.com.br CSN B2 Renault. C7, Rio Tinto Group C4, Ritz- (0xx41) 3023-8238 Carlton C8 jsoares@gazetamercantil.com.br SC Planús Promoções e Merchandising Ltda. B Bahia Sul Celulose C7, Banco do L Laboratório Fleury C7, LaSalle Futures Plano Pessoal Fabiana Gitsio fgitsio@gazetamercantil.com.br comercial@adjorisc.com.br Brasil A1, A8, B4, B5, Banco Itaú B5, D Daimler AG C2, Di Solle Cutelaria Group C4, Lepper C6, Liberum Capital Política Sandra Nascimento (0xx48) 3223-0088 Battistella A4, Bayer-Schering C4, BHP Ltda. A1, C1, Diners Club e Mastercard C4, Linn Group C3, Liquidez B2, Long S Safras & Mercado C3, Santander B5, snascime@gazetamercantil.com.br RS L.A Assessoria e Propaganda Ltda. Billiton C4, BM&F B1, B2, BNDES C4, B4, Disney C7 Jump C6, Losango A6 Scania AB A1, C2, Scania. C2, Scot Seguros & Previdência Denise Bueno lalmeida@gazetamercantil.com.br Consultoria C3, Sebrae B4, Serasa B1, dbueno@gazetamercantil.com.br (0xx51) 3381-6940 / 9199 -9302 Bolsa de Chicago (CBOT) C3, Bolsa de TI & Telecom Thaís Costa PE/PB/AL/RN Dígito Comunicação Dalian C3, Bonhams C8, Bovespa B1, B2, E Economática B4, Edol-Themaxis C4, M MAN AG A1, C2, Mapfre B5, Marisol Shell A1, Silver Leaf Capital A3, Soma thcosta@gazetamercantil.com.br digito@digitocomunicacao.com.br B4, Bradesco A4, B4, Bradesco Eleva Alimentos S/A A4, Embraer B2, C6, Mastercard B4, Mercedes-Benz A1, C7, Standard Chartered PLC B4, (0xx81) 3223-8350 / 8611-1626 SulAmérica B4, Superfund A1, B3 MG MC Publicidade Representação e Marketing Ltda. Capitalização B4, Bradesco Saúde B5, Enfoque B2, Escom Imobiliária A1, C7, Mercure C7, Metalúrgica Gerdau A1, Fotografia Leonardo Soares, Priscila Pompeu (coordenadora), gazetamercantil@terra.com.br Bradesco Seguros e Previdência B5, C1, Esfera Empreendimentos Microsoft A8, Mila & Co. Licenciamentos (0xx31) 3347-2223 Brasilcap B4, Brasilprev B4, Brasilsaúde Sustentáveis C7, Eurofarma C6, Myllykoski C4 T Teksid A5, TGC-1 B4, The Wall Street Rodrigo Capote, Rogério Montenegro e Romualdo Ribeiro fotografia@gazetamercantil.com.br BA/SE Departamento Comercial B4, Brasilveículos B4, BrT B4, BT Laboratórios A1, C4, Express Journal A10, Tilibra C6, Tokio Marine B5, (0xx11) 2126-5089 Top Service C7, Tramontina C1, Trevisan GO/MT/MS/TO Promix Cuidados Artísticos Ltda Financial Group C4 Company B4, Exxon Mobil A1, C2 N Nasdaq B2, Neogama/BBH C7, Nestlé Ilustradores Consultoria C3, TV Cultura C6 Fábio Cruz, Gian Paolo La Barbera, Octávio Novaes e ratassio@gazetamercantil.com.br C1, Nokia A8, Nomura Securities C2, (0xx62) 3565-1811 Olavo Tenório C Caixa Econômica Federal A8, Camargo F Falconbridge C4, Famastil C1, Ford C2, Nossa Caixa B2, Novotel C7 ES Dicape Representações e Serviços Ltda. U Unibanco C7, Unibanco AIG B5, didimo.effgen@uol.com.br Corrêa A1, C1, Cardif B5, Carrefour C1, Fortum B4, Freddie Mac A10, Fundação Usiminas B2 Correspondentes (0xx27) 3229-1986 Cbot C3, Chiquita Brands A3, Christie’s Getúlio Vargas (FGV) A4 O Oddo C1, Odebrecht C1, OGK-6 B4, Oi Belo Horizonte Durval Guimarães Campinas/SP International C8, Citibank B4, Clean A6, B4, Oil and Natural Gas Corp (ONGC) V Visa International B4, VisaNet B4, durval@gazetamercantil.com.br FT/PI - Representação, Publicidade e Marketing Ltda smarques@gazetamercantil.com.br Planet Group B4, Companhia Brasileira G Gazeta Mercantil A4, General Electric C2, OP Bank A3, Opportunity B4, Vivo A4, Volkswagen C2, Volkswagen AG FILIADA AO (0xx19) 3231-6511 de Multimídia (CBM) A4, Companhia de A3, Gerdau A1, B2, B4, Globo C1, Grupo Organon C4, Oxiana C4 Demais Localidades - (11) 2126-5089 A1, C2, Volvo C2, Volvo AB C2 Bebidas das Américas A8, Companhia Espírito Santo A1, C1, Grupo Fiat A5 Inserção - insercao@gazetamercantil.com.br de Gás de São Paulo (Comgás) A8, P Pengana Capital C4, People Domus X Xerox do Brasil C7, Xstrata B4, C4 Fone: 2126-5020 / 5158 / 5323 Companhia Energética de Minas Gerais H Hamburg Süd A4, HSBC A6, B1, B2, C7, Perdigão A4, Petrobras A1, Porto Fax: (11) 2126-5090 (Cemig) A2, A5, A8, Companhia B5, HSBC Bank Brasil A1, B1 Advogados A8, Previ B4, Principal B4, Z Zinifex C4, Zivi C1
  • 11. GAZETA MERCANTIL | Terça-feira, 4 de março de 2008 | A11 INTERNACIONAL Violação da integridade territorial é algo grave, diz Amorim INCIDENTE DIPLOMÁTICO “Crise é a pior desde a Brasil pedirá investigação Guerra das Malvinas” sobre conflito Quito-Bogotá JAMIL BITTAR/REUTERS REUTERS, AFP E ANSA RIO, CARACAS E SANTO DOMINGO A América Latina se mobilizou a crise, incluindo contatos entre presidentes e chanceleres. O Brasil, que possui um reco- Ministro Celso Amorim Segundo ele, a Colômbia reconhe- ontem para evitar que a pior crise nhecido papel de liderança sobre diz que questão será ce a invasão territorial. Uribe, de diplomática da região em décadas, os vizinhos, usará “toda a força” de acordo com o ministro, teria men- provocada por uma incursão mi- sua diplomacia e coordenará ações tratada pelo País como cionado “pedido de perdão” em re- litar da Colômbia no Equador, com o governo dos outros países a uma disputa bilateral lação ao governo equatoriano di- transforme-se em um conflito de fim de limitar a crise, afirmou Mar- versas vezes durante diálogo com o graves conseqüências. co Aurélio Garcia, assessor para as- KARLA CORREA BRASÍLIA presidente Lula. Existem, contudo, Os efeitos da ação militar de sá- suntos internacionais do presiden- discrepâncias entre os relatos dos bado, na qual foi morto o número te Luiz Inácio Lula da Silva. O governo brasileiro vai defen- dois países em relação ao episódio. dois da guerrilha Forças Armadas Em Santiago, a presidente do der hoje, em reunião emergencial A Colômbia alega ter trespassado a Revolucionárias da Colômbia Chile, Michelle Bachelet, disse que da Organização dos Estados Ame- fronteira com o Equador durante (Farc), Raúl Reyes, se agravaram a incursão militar colombiana ricanos (OEA) a criação de uma co- perseguição a tropas das Farc e ter após as duras declarações do presi- “merece sem dúvida uma explica- missão investigadora para apurar a agido em legítima defesa, sob ata- dente da Venezuela, Hugo Chávez. ção da parte da Colômbia aos equa- incursão do exército colombiano que dos guerrilheiros. O governo Depois de acusar o presidente torianos, ao presidente dos equato- em território equatoriano no últi- equatoriano nega a versão e carac- colombiano, Alvaro Uribe, de ser rianos e à região como um todo.” mo sábado, em operação contra as teriza o episódio como uma inva- “um mentiroso, um mafioso e um O presidente do Paraguai, Nica- Farc, que acabou por gerar uma cri- são planejada com antecedência. paramilitar”, Chávez determinou o nor Duarte Frutos, condenou a se diplomática entre os dois países. envio de mais soldados para a fron- operação militar da Colômbia e A estratégia brasileira, disse ontem Repercussão no Congresso teira com a Colômbia, mesma ma- atribuiu aos organismos interna- o ministro das Relações Exteriores, Diferentemente do Palácio do nobra adotada pelo presidente do cionais a obrigação de “encarar Celso Amorim, será tratar o assun- Planalto, que se calou em relação à Equador, Rafael Caldera. com seriedade a situação a fim de to como uma disputa bilateral en- postura adotada pelo presidente da Chávez ordenou o fechamento que possamos avançar preservan- tre Colômbia e Equador que deve Venezuela, Hugo Chávez, o Parla- de sua embaixada na Colômbia, e do a paz e a convivência pacífica.” ser mediada pela OEA. A investida mento centrou fogo contra o man- o envio de 10 mil soldados para a O Peru, vizinho da Colômbia e de tropas venezuelanas em direção datário venezuelano. Em duro dis- fronteira com esse país, uma re- do Equador, manifestou sua “enor- à fronteira entre aqueles dois países curso, o senador José Sarney gião com mais de 2 mil km de ex- me preocupação” com a crise, afir- deve ser colocada “em segundo pla- (PMDB-AP) disse que Chávez visa tensão. O Equador fez o mesmo e mando esperar que os dois países no”, na avaliação do ministro. “desestabilizar o continente” ao en- mobilizou 3,2 mil militares na mais a Venezuela possam superá- Amorim ainda sugeriu um pe- viar tropas em apoio ao Equador. sua fronteira com a Colômbia. la. O presidente do México, Felipe dido de desculpas explícito da Co- “O objetivo dessa ação, real- “Potencialmente, essa é a crise Calderón, conversou mo domingo, lômbia ao Equador, como forma Amorim sugeriu pedido de desculpas pela Colômbia ao Equador mente não podemos dizer que ele mais grave que a América do Sul por telefone, com seus colegas de de diminuir a temperatura da cri- não seja outro senão uma ameaça enfrenta desde a quase guerra entre Equador e Colômbia sobre “a deli- se entre as duas nações sul-ameri- tar do incidente diplomático. tarde em contato com chanceleres à estabilidade do nosso continen- a Argentina e o Chile em 1978 e a cada situação entre os dois países”, canas. O presidente colombiano, “A situação é muito grave e sul-americanos enquanto o presi- te”, acusou Sarney, que defendeu guerra das Malvinas”, afirmou disse o presidente mexicano em Álvaro Uribe, já teria apresentado inspira muita preocupação. Sem dente Lula conversava com os pre- a mediação brasileira ao conflito. Eduardo Viola, professor de rela- nota. Calderón expressou a “vonta- desculpas ao colega equatoriano, fazer juízo de valor, o pedido da sidentes dos dois países. No fim da Parlamentares de oposição, entre- ções internacionais na Universida- de de seu governo de apoiar qual- Rafael Correa, mas de forma ex- Colômbia foi visto como insufi- tarde, pouco antes de deixar o Pa- tanto, defenderam um posiciona- de de Brasília. O último conflito bé- quer ação, a pedido das partes, que cessivamente qualificada, na ava- ciente pelo governo equatoriano. lácio do Planalto, Lula e Amorim mento neutro do Brasil em rela- lico na América do Sul ocorreu em favoreça o diálogo entre as nações, liação do ministro, impondo co- Pessoalmente, acho que deve ha- foram informados da decisão do ção ao incidente. 1995, quando Equador e Peru pro- com o propósito de que a relação mo uma justificativa à violação ver um pedido de desculpa não governo equatoriano de romper re- “O Brasil deveria, sim, na mi- tagonizaram choques fronteiriços bilateral recupere sua normalidade territorial a presença das Farc qualificado, que abaixaria a tem- lações com a Colômbia. Rafael Cor- nha opinião tomar iniciativas por conta de uma velha questão li- o mais rápido possível.” além da fronteira do Equador. peratura da crise.” rea expulsou de Quito o embaixa- apaziguadoras, mas se guarnecen- mítrofe, e foi solucionado por ges- A crise diplomática será incluí- “A violação da integridade terri- A contenda entre Equador e Co- dor colombiano e convocou seu do com a convocação de um or- tões de um grupo de “países ami- da na agenda de debates da 20 a - torial é algo grave e ônus da expli- lômbia dominou grande parte da embaixador em Bogotá. ganismo internacional impessoal gos”, integrado por Argentina, Bra- Cúpula de Chefes de Estado e go- cação cabe a quem executou a vio- pauta do Palácio do Planalto, on- “Já houve uma evolução nega- que pudesse estabelecer a elimi- sil, Chile e Estados Unidos. verno do Grupo do Rio, que co- lação territorial”, disse Amorim, de- tem, e foi o principal tema da reu- tiva e a solução do impasse está nação da cizânia entre países”, Ontem, os países da região in- meça hoje em nível técnico, em pois de reunião com o presidente nião de coordenação política, du- mais complicada agora do que há ponderou o líder do DEM no Se- tensificaram as consultas inicia- Santo Domingo, informou a Luiz Inácio Lula da Silva para tra- rante a manhã. Amorim passou a 24 horas”, comentou o ministro. nado, José Agripino Maia (RN). das no fim de semana para conter chanceleraria dominicana. Correa vai adotar medidas mais duras A oposição venezuelana contesta REUTERS REUTERS QUITO bos países. O presidente equato- CARACAS cisões irresponsáveis como as to- das autoridades venezuelanas. riano também negou ter contatos madas no domingo para esconder O presidente venezuelano bus- O presidente de Equador, Ra- com as Farc. O presidente venezuelano, Hu- o fracasso de seus 10 anos de go- ca obter sólida maioria nas eleições fael Correa, alertou ontem que go Chávez, incentiva uma ameaça verno”, disse Rosales. para governadores e prefeitos, mar- adotará medidas diplomáticas Posição dos EUA bélica à Colômbia para esconder o Chávez ordenou no domingo cadas para o final do ano, depois de mais duras nas próximas horas Os Estados Unidos defende- fracasso de seu governo, disse nesta a mobilização de 10 batalhões na ter perdido em dezembro o refe- na disputa que mantém com a ram o diálogo como forma de re- segunda-feira um líder oposicionis- fronteira em resposta ao ataque rendo sobre uma reforma na Cons- Colômbia devido à incursão de solver a atual disputa entre Co- ta que repudiou o envolvimento lançado pela Colômbia em terri- tituição que lhe permitiria ser re- militares colombianos no país lômbia e Equador, e disseram, do país na atual crise entre Bogotá tório equatoriano, o qual deixou eleito por vários mandatos. durante uma operação contra as RAFAEL CORREA num recado ao presidente da Ve- e Quito, desencadeada pela morte como saldo a morte do segundo O pomo da discórdia entre Co- Forças Armadas Revolucionárias Presidente do Equador nezuela, Hugo Chávez, que ou- de um comandante guerrilheiro. homem em importância na guer- lombia e Venezuela surgiu quan- da Colômbia (Farc). Correa não tros países não devem se envol- O governador do estado fron- rilha Forças Armadas Revolucio- do o comandante policial da Co- deu detalhes sobre o alcance das rança na fronteira com a Colôm- ver. Tom Casey, porta-voz do De- teiriço de Zulia, Manuel Rosales, nárias da Colômbia (Farc), conhe- lômbia disse na segunda-feira que medidas, em meio a uma tensão bia fosse reforçada, enquanto lan- partamento de Estado, afirmou que disputou com Chávez as úl- cido como Raúl Reyes. documentos encontrados no detonada pelas circunstâncias em çou ações diplomáticas que in- que os EUA apóiam os esforços da timas eleições presidenciais, pe- Rosales disse estar surpreso com acampamento onde um líder das que morreu no sábado em terri- cluíram a retirada de seu Colômbia para reagir à ameaça diu que os vários setores da Ve- a decisão de Chávez sobre o conflito Farc foi morto em ataque mos- tório equatoriano o guerrilheiro embaixador em Bogotá e a expul- representada pelas Farc, mas tam- nezuela se mobilizem e se mani- entre a Colômbia e o Equador, já tram evidências de que o presi- Raúl Reyes, o segundo homem da são do representante colombiano bém entendem a preocupação do festem a favor da paz. que a fronteira venezuelana costu- dente da Venezuela, Hugo Chá- cúpula das Farc. em Quito, na pior crise diplomá- Equador com infiltrações desse “Que (Chávez) não pretenda fa- ma ser violada por guerrilheiros e vez, deu US$ 300 milhões aos Correa determinou que a segu- tica da história recente entre am- conflito em seu território. zer jogo, esconder-se por trás de de- paramilitares, em meio ao silêncio guerrilheiros.
  • 12. GAZETA MERCANTIL | Terça-feira, 4 de março de 2008 | A12 RESPONSABILIDADE SOCIAL Hoje, o ambiente é favorável ao investimento social privado no Brasil INVESTIMENTOS Empresas mais atentas ao Terceiro Setor DIVULGAÇÃO Os muitos desafios e as 189 maiores empresas e funda- Sem dúvida nenhuma. A filan- as particularidades ções norte-americanas investiram tropia é feita com dinheiro do en- US$ 10,2 bilhões em causas so- te privado, seja empresa ou pes- da atividade social ciais no ano de 2006. No Brasil, os soa física. Quanto mais riqueza empresarial no Brasil investimentos sociais privados um país gera, mais condições de atingiram R$ 4,7 bilhões, segundo filantropia ou investimento so- JULIANA LOPES REVISTA IDÉIA a pesquisa “A ação social das em- cial privado ele tem. Não por aca- SOCIOAMBIENTAL/SÃO PAULO presas”, divulgada, em 2006, pelo so, quando se olha o Brasil, a re- Ipea (Instituto de Pesquisas Eco- gião Sudeste e depois a Sul, onde O Brasil é uma das maiores nômicas Aplicadas). há maior concentração econômi- economias do mundo e um dos A política de benefícios tribu- ca, são as que têm mais investi- países com pior distribuição de tários pode ser uma das hipóteses mento social privado. renda. As desigualdades sociais para essa importante diferença de explicam, em grande medida, volume do investimento social. Os fatores culturais ou religiosos porque cada vez mais corpora- Nos EUA, segundo Rossetti, os influenciam o volume de ções têm investido em áreas que doadores consideram financeira- investimento social em um país? antes eram responsabilidade ex- mente mais vantajoso investir Têm influência enorme. Os fa- clusiva dos governos, como edu- seu patrimônio em fundações ad- tores culturais e religiosos talvez cação e saúde. “O ambiente é fa- ministradas pelos filhos, por con- estejam nas bases das práticas fi- vorável ao investimento social ta dos incentivos fiscais. De acor- lantrópicas de um país. São níti- privado no Brasil. Trata-se de um do com o Ipea, apenas 2% das das as diferenças da filantropia setor em franca expansão, na me- corporações fizeram uso de in- praticada entre comunidades ca- dida em que, com a estabilização centivos fiscais no período de tólicas, cristãs ou judaicas. Na cul- da economia, mais empresas têm 2000 a 2004. Para 40% dos em- tura norte-americana, por exem- acumulado riqueza e ampliado o presários entrevistados, o valor plo, as famílias doam uma parte seu potencial de contribuir para a do incentivo era muito pequeno e de sua renda para fundações, sociedade”, diz Fernando Rossetti, não compensava seu uso. Mesmo obras de assistência ou de carida- secretário-geral do Gife (Grupo de assim, o investimento social pri- de. No Brasil, um país de tradição Institutos, Fundações e Empre- vado teve um crescimento de católica, as famílias têm o costu- sas), organização com 106 asso- 10% comparado à primeira edi- me de dar o dinheiro para a igreja ciados de origem privada que fi- ção da pesquisa (2002). desenvolver trabalhos sociais. nanciam projetos sociais, am- Ainda segundo Rossetti, a atua- Mas isso vem mudando, com o bientais e culturais de interesse ção social das empresas avançou crescimento da filantropia corpo- público e que realizará entre 2 e 4 conceitualmente, deixando de ser rativa no mundo. Com a abertura de abril, em Salvador (BA), o seu assistencialista para desenvolver a da nossa economia, sobretudo a quinto congresso de investimen- cidadania. Hoje o investimento so- partir da década de 90, o Brasil to social privado. cial privado, seja por meio de pro- Rossetti: “o Estado brasileiro não é gerido para o benefício público, mas para o de entes privados”. passou a receber essas influências Apesar do avanço, o investi- jetos próprios, apoio a organiza- e a incorporar elementos da filan- mento social feito por empresas ções do terceiro setor, criação de monitoramento e avaliação de re- Em entrevista a Idéia Socioam- tropia vindos de outras culturas. no Brasil está muito distante da institutos, fundações corporativas sultados, gerando benefícios para biental, Rossetti, recentemente DIMENSÃO DO realidade de países como os Esta- ou familiares, obedece a uma ló- a comunidade atingida e para os eleito presidente da Wings INVESTIMENTO SOCIAL O volume de investimentos de dos Unidos. Para se ter uma idéia, gica empresarial de planejamento, negócios da empresa. (Worldwide Initiatives for Grant- PRIVADO NO BRASIL empresas em causas sociais e makers Support), rede global de Áreas de atuação ambientais é uma forma de 140 grandes doadores e apoiadores avaliar o grau de maturidade da 1º Educação 81% de filantropia no mundo, faz uma responsabilidade social em um TENDÊNCIAS análise ampla da evolução desse 2º Desenvolvimento comunitário 52% país? setor no Brasil e dos desafios que Acho que sim. O número de enfrenta no novo contexto da sus- 3º Cultura e artes 50% organizações que existe na socie- Ricardo Voltolini* tentabilidade nos negócios. 4º Geração de trabalho dade reflete a quantidade de re- e renda 44% cursos disponível. Mas no Brasil Na conjuntura atual, ainda há tem-se uma cultura que reproduz Tempos de sustentabilidade espaço para a filantropia? Há espaço para todos os tipos de ação, desde a filantropia tradi- 5º Apoio à gestão de organizações do Terceiro Setor 40% a má distribuição de renda. Há também a questão política. Tradi- cionalmente, o Estado brasileiro 6º Assistência Social 35% No final da década de 1990, sinergias parecem prevalecer sobre os profissionalismo, métodos mais efi- cional, caracterizada pelo assis- não é gerido para o benefício pú- 7º Meio ambiente 35% e início dos anos 2000, era co- conflitos. E que os debates avançam, cientes. O espontaneísmo de outros tencialismo, até uma filantropia blico, mas para o de determina- 8º Defesa dos direitos 27% mum tratar a Responsabilidade em benefício da sociedade, para além tempos deu lugar a processos mais estratégica por meio do investi- dos entes privados. Existe uma Social Empresarial (RSE) como de discussões conceituais ou ideológi-efetivos de intervenção, com resulta- mento social privado com visão 9º Esportes 25% necessidade de reforma política sinônimo de filantropia. Afinal, o cas que, muitas vezes, escondem dos melhores para o desenvolvimento de longo prazo e objetivo de 10º Comunicações 21% séria, a partir da qual o Estado debate sobre o tema mal se ini- questões menores de demarcação de de comunidades. Não por acaso, al- transformar a realidade de uma 11º Outros 15% passe a atuar com uma orienta- ciara, os conceitos ainda não es- territórios institucionais. Toda a socie- gumas das mais importantes expe- comunidade. Evidentemente, há Total de ção mais pública e menos priva- tavam bem delimitados e as em- dade ganha com os bons resultados riências no campo da educação, por uma diferença qualitativa entre investimentos R$ 1 bilhão da. É necessária também uma presas começaram a ver no nú- do trabalho de uma fundação, de um exemplo, têm sido construídas no uma e outra, mas as práticas mais em 2006: mudança cultural. A elite deve se cleo “social” do novo termo o instituto ou de um projeto social de grande laboratório do investimento tradicionais não devem ser aban- Fonte: Censo Gife 2005/2006 preocupar com a questão pública guarda-chuva ideal para abri- empresa, a despeito da intenção com social privado. Muitas delas come- donadas. Hoje ainda é preciso dar e não apenas com interesses pri- gar os seus projetos e ações vol- que tenham sido criados — se por çam agora a ser reconhecidas por go- o peixe, ensinar a pescar e ao estratégico muito desenvolvido. vados. Por outro lado, um dos tra- tados para as comunidades. convicção ou conveniência. Toda a so- vernos e a ganharem a escala que mesmo tempo reformular toda a ços característicos do brasileiro é No esforço de mostrar que a ciedade ganha quando uma empresa nunca tiveram, servindo de objeto a cadeia produtiva da pesca. Em relação à legislação e o seu jogo de cintura, a sua cria- noção de RSE era mais ampla, e muda suas práticas, modelos e estra- políticas públicas bem-sucedidas. incentivos fiscais, as condições tividade e sua capacidade, para o que a filantropia representava tégias de negócio visando tornar-se O outro salto importante se deu, Existem as fundações vinculadas para criação de uma fundação, bem ou para o mal, de se adaptar uma parte e não o todo, os por- mais sustentável, independentemente mais recentemente, com a aproxi- às empresas e às pessoas físicas. vinculada à empresa ou à pessoa fácil a novas situações. Tem-se ta-vozes do novo movimento pas- da tese, idéia ou escola de pensamen- mação estratégica entre as empre- Quais são as vantagens e física, são as mesmas? aqui uma enorme capacidade de saram a dar — até involunta- to que tenham exercido influência so- sas e seus institutos e fundações. limitações de cada uma delas? Não. As empresas gozam de al- lidar em ambientes que estão em riamente — menos destaque, em bre esta decisão. Ainda que tenham sido criadas e As fundações ligadas às em- guns benefícios fiscais para fazer transformação como a economia seus discursos, ao investimento Uma análise da evolução da fi- sejam mantidas por empresas, essas presas hoje, freqüentemente, têm o seu investimento social priva- global de hoje. social nas comunidades. Para al- lantropia empresarial no Brasil re- organizações sempre foram trata- que pensar o seu trabalho no do, a exemplo da Lei Rouanet, do guns, uma maneira de reduzir vela dois saltos importantes de qua- das como estrutura á parte, mundo campo social ou ambiental de Fundo para a Infância e Adoles- Qual a sua avaliação da sua importância relativa foi as- diferente e relativamente maneira alinhada com o pensa- cência e, mais recentemente, da filantropia no Brasil? Existem sociá-lo a práticas assistencialis- Toda a sociedade ganha autônomo, embora nem to- mento estratégico do negócio. As Lei de Incentivo ao esporte. Para avanços? Quais são os desafios? tas, pouco transformadoras e de das tivessem autonomia fundações corporativas podem as pessoas físicas, só há isenção As práticas filantrópicas não baixo impacto. O fato é que ele com um projeto social de plena em suas escolhas es- agregar valor à sociedade por por meio da Declaração do Im- só no Brasil, mas em todo o mun- nunca deixou de existir. Pelo con- tratégicas. Em alguns casos, meio da transferência das suas posto de Renda pelo formulário do, observam um caráter mais as- trário, até cresceu, ganhou novas empresa e não importa se interpunha-se entre uma e competências. Por exemplo, uma completo. Já no nível familiar, sistencialista. Houve uma evolu- formas e alinhou-se com os pre- empresa de telecomunicações não há nenhum tipo de incenti- ceitos de uma nova visão empre- foi criado por convicção outra parte umdiálogoalto e conveniente. O muro era dispõe de uma competência em vo. Essa é a grande diferença do ção muito significativa nos últi- mos 15 anos, mas isso aconteceu sarial orientada para a sustenta- ou por conveniência pouco e pontual. Os interes- comunicação, já uma companhia Brasil para os Estados Unidos, por principalmente nas grandes em- bilidade. Cresceu, vale frisar, ses, tidos como distantes. financeira tem a administrativa, exemplo. Lá, se alguém decide presas porque elas têm o capital mesmo em terreno árido — não Há quem veja nessa enquanto que uma fabricante de deixar uma herança para a sua fa- para investir em planejamento, há aqui, como nos EUA, condi- lidade. O primeiro ocorreu na tran- aproximação o risco de contaminar software pode contribuir para a mília os tributos podem chegar a consultores, profissionais para fa- ções tão favoráveis do ponto de sição do conceito puramente a agenda de trabalho das fundações inclusão digital. Em todos esses 40%. Enquanto aqui, o nível de zer a gestão. Nas pequenas e mé- vista de benefícios fiscais para a filantrópico para o de investimento com os interesses socioambientais casos, o trabalho que a empresa tributação é de 4%. Sendo assim, dias empresas, nas fundações de doação de recursos seja de indi- social privado. E não foi só uma específicos das empresas. É possível, realiza apresenta alguma relação nos EUA, é mais vantajoso investir pessoas físicas ou famílias, essa víduos seja de pessoas jurídicas mudança de nome, como sugerem claro, que isso venha a ocorrer com também com o negócio. O limite em uma fundação e não pagar tri- cultura ainda não chegou. Há Antes, o investimento social alguns. Em comum entre os dois prejuízo para as atividades, espe- é esse. A boa filantropia corpora- butos. Os incentivos bem feitos e muito ainda o que evoluir para privado sintetizava o compro- modelos, sempre houve o impulso cialmente se os institutos forem tra- tiva baseia-se na relação ganha- administrados são instrumentos atingir uma visão mais estratégica misso socialmente responsável de de destinar recursos financeiros pa- tados como meros reprodutores de ganha, de modo que a comunida- muito importantes para aumentar da contribuição para a sociedade. uma corporação. Era a sua ba- ra causas sociais de interesse públi- uma estratégia que nada tem a ver de e a empresa sejam beneficia- o investimento social privado. se. Hoje, é apenas a comissão de co. As importantes diferenças, no com sua missão ou competências, das. Quando a empresa promove Mesmo que a empresa não frente, um braço institucional entanto, estão no modo de fazê-lo. criada, sem a sua participação, nos a inclusão digital, a comunidade Há ambiente favorável para o tenha uma política de que reforça o quanto uma em- Enquanto o agir filantrópico carac- departamentos de marketing das se beneficia, mas cria-se um mer- investimento social privado no responsabilidade social, investir presa se preocupa com o desen- terizava-se pelo desprendimento de corporações. Mas também é possível cado para os softwares que a com- Brasil? em filantropia é algo positivo? volvimento de sua comunidade. uma doação feita a partir de pro- que isso aconteça em benefício da panhia fabrica. Já no da filantro- Sim, extremamente favorável. Sim. Esse é um tipo de ativi- As corporações mais avançadas cessos simples, fundamentados na ampliação do papel das fundações, pia familiar, essas amarras em re- Esse é um setor em franca expan- dade que se aprende fazendo. Pa- em RSE já não têm mais dúvida boa vontade de um indivíduo mas do escopo de sua atuação e até dos lação ao negócio, propriamente são. O número de ONGs triplicou ra envolver a estratégia de como de que os negócios como um todo sem uma noção clara de impactos e impactos que ela venha a produzir dito, não existem. Há mais liber- nos últimos 15 anos. Hoje, há cer- trabalhar na sociedade, é preciso geram mais impactos sociais e resultados, o do investimento social para a sociedade. Há hoje exemplos dade na hora de pensar a maneira ca de 300 mil delas, desenvolven- fazer, experimentar, avaliar, repla- ambientais — o que explica a privado incorporou princípios em- interessantes de fundações que, com como se vai aplicar o investimen- do trabalhos relevantes para a so- nejar. A tendência é que este tra- ascensão de um novo jeito de presariais de planejamento, defini- a ascensão do conceito de RSE, ga- to. Por outro lado, existe o risco ciedade brasileira. Ao mesmo balho filantrópico comece a ficar conduzi-los — do que este ou ção de estratégias, monitoramento e nharam novo status e passaram a de perder um pouco a ênfase na tempo, houve um desenvolvi- cada dia mais alinhado com o ne- aquele projeto social isoladamen- avaliação. ser parceiras das empresas mante- gestão ou na profissionalização mento econômico significativo gócio. É o conjunto de ações no te, quase sempre restrito pela li- No primeiro modelo, sem um nedoras na construção de políticas desse trabalho, o que para as em- no País nesses últimos 10 anos. qual está incluída a filantropia ou mitação da área de influência, diagnóstico de necessidades, acaba- de sustentabilidade. presas costuma ser um fator es- Com o Plano Real, o Brasil alcan- o investimento social privado recursos financeiros e escala. Ao va-se quase sempre por investir re- Como se vê as fundações empre- sencial. Quando a gestão e profis- çou uma política estável que está que ajuda a construir a imagem mesmo tempo, elas sabem tam- cursos aleatoriamente em soluções sariais e as empresas que as cria- sionalização não são prioridades, gerando novas riquezas. E o acú- que os consumidores fazem desta bém que, ao fazerem um traba- parciais, menos eficazes, que mini- ram têm muito a aprender entre si. aumenta a tendência de fazer tra- mulo de riquezas em determina- ou daquela empresa. Cada vez lho pertinente, suas fundações, mizavam os efeitos sem sequer tan- E os novos tempos, com os desafios balhos mais assistencialistas dei- das empresas e famílias aumenta mais as pessoas escolherão mar- institutos ou programas confe- genciar as causas dos problemas. de sustentabilidade, estão aí para xando de lado um pensamento o potencial de contribuição para cas nas quais identificam uma re- rem alguma materialidade e le- Com a adoção do segundo, as ações oferecer o pretexto adequado. estratégico. A questão é que o am- com a sociedade. lação mais responsável com a so- gitimam o discurso da sustenta- passaram a ser produto de uma biente todo está amadurecendo. ciedade e com o meio ambiente. bilidade para públicos de interes- análise mais aprofundada dos pro- * Publisher da revista Idéia Então, mesmo as fundações vin- Existe uma relação entre Socioambiental e diretor da se e toda a sociedade. blemas. Tornaram-se mais específi- consultoria Idéia Sustentável culadas às pessoas físicas já es- desenvolvimento e crescimento Veja mais no site: Bons tempos estes em que as cas. Ganharam foco, indicadores, ricardo@ideiasocioambiental.com.br tão surgindo com pensamento do investimento social privado? www.ideiasocioambiental.com.br
  • 13. TERÇA-FEIRA, 4 DE MARÇO DE 2008 | B1 Ibovespa - em pontos - 3/3/2008 BOLSA 64.490,46 64.800 MERCADOS SEGUROS 64.000 Ibovespa fecha em alta de 63.489,30 Dólar ignora piora externa Bradesco tem 25% do 63.200 1,58%, a 64.490 pontos B2 29/fev* 14:00 18:15 e cai 1,24%, negociado a R$ 1,671 B2 setor, diz Trabuco B5 Fonte: Bovespa *Fechamento HSBC lucra R$ 1,24 bi, alta de 31% Participação do Brasil Segundo o relatório que de empréstimos. Segundo ele, o no resultado total do acompanha o balanço mundial índice de inadimplência fechou do grupo, a América Latina foi o ano de 2007 em 4,9%, diante grupo no mundo subiu responsável por um lucro de dos 6,3% registrados no ano an- para 3,63% em 2007 US$ 2,2 bilhões antes dos im- terior. “Foi uma boa pratica de NELSON ROCCO LONDRES postos, com crescimento de qualidade na concessão do crédi- 26% sobre o US$ 1,7 bilhão re- to”, disse o executivo. O HSBC Bank Brasil chegou à gistrado um ano anterior. De Alonso afirma que o banco marca de R$ 1 bilhão em lucro. acordo com os cálculos de vem mantendo sua participa- O banco encerrou o ano passado EMILSON ALONSO Alonso, o Brasil e a América do ção nas operações de crédito e com lucro líquido de R$ 1,24 bi- Presidente do HSBC no Brasil Sul foram responsáveis por que o crescimento, de 33%, está lhão, com crescimento de 31% 49% desse total. em linha com os concorrentes. sobre o ano anterior. A receita no resultado do Brasil”, reco- O lucro no Brasil contou com “Como o mercado esta crescen- do banco inglês no País aumen- nheceu Alonso fazendo refe- ganhos extraordinários prove- do, não precisamos roubar tou 10%, alcançando R$ 9,26 bi- rencia ao câmbio, informando nientes da venda da participa- clientes do outros. Quando a ca- lhões. O crédito foi o grande que o ganho no País representa ção do HSBC na Serasa, na Bo- pacidade de absorção de crédito propulsor do lucro do banco, 40% do total da América Lati- vespa (Bolsa de Valores de São no mercado começar a se esgo- com crescimento de 33% na car- na e 3,6% do grupo todo no Paulo) e na BM&F (Bolsa de tar, essa estratégia terá de mu- teira. Só o financiamento de veí- mundo. “Isso está em linha Mercadorias & Futuros). De dar, porque ira ficar mais difícil culos cresceu 44% sobre 2006, com os objetivos do grupo, de acordo com o balanço do banco, emprestar para os bons clientes. spread bancário, nas contas do presidente da instituição, isso para R$ 7,5 bilhões, enquanto o crescimento no mercados esses eventos colaboraram com Quando o mercado começar a executivo, que já foi de 18%, caiu ocorreu por conta dos investi- consignado fechou o ano com emergentes”, disse Alonso. o resultado do HSBC em R$ 347 mostrar crescimento mais bai- para 16% em 2007 e, calcula mentos do banco em automa- um volume de R$ 2,2 bilhões, milhões. As despesas operacio- xo, de 10% a 12%, daí o rouba- Alonso, deverá baixar para 14,5% ção e tecnologia. “Aproveita- 53% mais que no ano anterior. Participação crescente nais, por sua vez, foram impac- monte (de clientes da concor- em 2008. “Será uma queda de cer- mos que tivemos poucas perdas Emilson Alonso, presidente A relação da operação brasi- tadas em R$ 69 milhões por con- rência) irá começar”. ca de 15%”, estima. em crédito para investir. Por is- do HSBC no Brasil, considerou leira com o grupo, inclusive, ta de perdas com os planos Bres- O presidente do HSBC no Bra- Apesar do bom desempenho, so o índice de eficiência piorou, o resultado “muito bom”. “Foi o vem avançando ano a ano. Em ser e Verão. Segundo Alonso, sil prevê crescimento entre 20% e o HSBC do Brasil elevou o índi- mas sem prejuízo do patrimô- maior lucro do HSBC no Brasil. 2005, o Brasil representava 1,9% mesmo descontados esses efei- 25% na carteira de crédito para ce de eficiência operacional no nio dos acionistas”, disse ele. Isso e um marco”, emendou Ál- do lucro global. No ano seguin- tos — positivos e negativos — o este ano, “sempre em ativos de ano passado, passando de O jornalista viajou a convite varo Azevedo, diretor financei- te, evoluiu para 2,4%, passando HSBC teria mostrado um lucro menor risco e maior retorno”. O 62,2% para 64,5%. Segundo o do HSBC ro. “O dólar ajudou um pouco para 3,63% no ano de 2007. 12% maior no Brasil, já descon- tados os impostos. O resultado bruto da inter- MP2 mediação financeira do HSBC foi de R$ 5,96 bilhões, com uma alta de 8%. As receitas de pres- tação de serviços aumentaram 7% no ano, chegando a R$ 2,39 bilhões. A participação em con- troladas contribuiu com R$ Excelência alinhada com o mundo. 239,9 milhões, enquanto as ou- tras receitas operacionais foram de R$ 666,7 bilhões em 2007. Se- gundo Alonso, esses R$ 666,7 milhões refletem as receitas da companhia com operações de seguros e câmbio. O resultado de controladas, de R$ 239,9 mi- lhões deve-se à financeira do grupo, a Losango, e às operações de previdência privada. Pessoa física Do resultado total, a maior fatia, ou 36%, veio das opera- ções com pessoas físicas. As pe- quenas e médias empresas con- tribuíram com 31% do ganho no Brasil, enquanto as opera- ções de atacado, como tesoura- ria e corporate, responderam por 24%. A gestão de patrimô- nio ficou com 8% de participa- ção no lucro, enquanto a menor parcela, de 1%, coube às opera- ções de private banking. Azevedo destacou a estratégia do banco em relação à concessão Subprime afeta o resultado global Membro da Grant Thornton International, a Terco Grant Thornton O HSBC divulgou ontem um mundiais do grupo, fez questão opções, Knight Vinke, um ativo destaca-se como a empresa de auditoria e consultoria que mais cresce lucro operacional recorde de de ressaltar que a perda com acionista minoritário que tem US$ 24,2 bilhões, com cresci- subprime propriamente dito fi- menos de 1% das ações do ban- no país. Agora, com nova identidade visual, mais uma vez afirma seu mento de 10% sobre 2006, em cou ligeiramente superior a co em um fundo de investimen- alinhamento mundial, mostrando que sabe unir o conhecimento global meio ao fogo cruzado em duas US$ 0,5 bilhão. Segundo infor- tos, segundo os jornais ingleses. frentes. O banco tem sido ques- mações do banco, as baixas re- Ele refere-se ao HFC comprado à experiência local. Na transição para o IFRS e a nova Lei das S/A, tionado por um acionista mino- ferentes à securitização de em- há quatro anos por cerca de US$ ritário sobre sua atuação no préstimos somaram US$ 0,53 15 bilhões. Green afirmou que conte com esta excelência. mercado de crédito de alto risco bilhão, referentes à exposição as operações americanas estão nos Estados Unidos (subprime) de US$ 2 bilhões, enquanto a sendo reestruturadas e que elas e pode não ter a aprovação das exposição de US$ 1,7 bilhão em devem “se encaixar” na estraté- autoridades regulatórias da Co- operações de crédito em geral gia geral do banco de voltar-se réia em tempo sobre a compra geraram baixas contábeis de para os mercados emergentes. de um banco local. Apesar das US$ 0,46 bilhão. As operações de crédito imobi- ameaças, o mercado recebeu Stephen Green, principal exe- liário “devem focar a atenção bem ontem o desempenho di- cutivo do HSBC Holdings, reco- nos clientes hispânicos. Esta- vulgado pelo banco, já que suas nhece que o banco tem tido mos estudando como redese- ações fecharam em alta de uma fraca performance nas ope- nhar nosso negocio”, afirmou. 3,13% na Bolsa de Londres. rações norte-americanas por De qualquer forma, Michael O banco reportou baixas conta da alta taxa de inadim- Geoghegan, presidente-executivo contábeis de US$ 2,13 bilhões plência. Mas ele classificou co- mundial do HSBC, disse que a no ano passado, sendo que boa mo “não razoável” a venda dos instituição vem reduzindo sua SP Ed. Plaza Centenário • Av. das Nações Unidas, 12.995 - 13º, 14º e 15º andares • Brooklin Novo • T (11) 3054-0000 parte veio de perdas com o sub- negócios de financiamento imo- atividade de financiamento imo- www.tercogt.com.br R J (21) 2222-3100 / BA (71) 2203-4350 / GO (62) 3212-0210 prime. Douglas Flint, executivo biliários nos Estados Unidos, co- biliário desde o inicio deste ano. responsável pelas finanças mo tem sugerido, entre quatro N.R. O SEU DINHEIRO VAI REALIZAR O SONHO DE TODO TURISTA: VIAJAR DE GRAÇA. O Global View permite três transferências bancárias mensais gratuitas de até 3 mil dólares da sua conta no Brasil para sua conta no exterior. É rápido, fácil e sem burocracia. E você ainda pode fazer pela internet. HSBC Bank Brasil S.A. - Banco Múltiplo Disponível apenas para transferências entre contas mantidas por clientes HSBC Premier nos seguintes países: Brasil, Hong Kong, Reino Unido, Estados Unidos e Canadá. Sujeito aos termos e Saiba como aproveitar mais do mundo condições estabelecidas pelo HSBC. Consulte o HSBC para mais informações. Ouvidoria: 0800 701 3904. acessando www.hsbcpremier.com.br
  • 14. B2 | Terça-feira, 4 de março de 2008 | GAZETA MERCANTIL FINANÇAS Dólar registra queda de 1,24%, para R$ 1,67 CAPITAL ABERTO Gráfico conta história do mercado de ações Para especialista, os inclusive brasileira”, afirma. blicações da época. Organizei Em um momento em que o dados comprovam que, A meia década a que se re- os eventos e as séries para po- apetite de pequenos investido- Ciclo atual começou em 2002 fere Botelho — os anos entre der recompor o período e colo- res é crescente por ativos de a longo prazo, bolsa é 1963 e 1968 — mesclou even- car no papel”, diz Botelho. renda variável, o analista acre- O principal índice da bolsa das. São 249% em média, con- o melhor investimento tos econômicos locais e inter- dita que a composição do grá- paulista está, atualmente, no tra 53% em média das baixas. nacionais com acontecimen- Melhor investimento fico do mercado de ações pode 33 o movimento de alta de sua - O movimento atual do mer- LUCIANO FELTRIN SÃO PAULO tos de diversas origens com Para um adepto da análise ter importância educativa. Por história. e, portanto, na iminên- cado de capitais brasileiro, no destaque na história mundial. gráfica, os desenhos e figuras isso, preparou também um le- cia de sofrer uma grande corre- entanto, supera, de longe, as A história do mercado acio- Bons exemplos são a criação descritas são mais do que sim- vantamento com os períodos ção. A análise toma por base so- médias de duração e intensida- nário brasileiro não deve ser do Banco Central (BC), a toma- ples representações e podem de maior oscilação do pregão mente oscilações maiores que de detectadas por Botelho du- resumida ao Ibovespa, cuja da do poder pelos militares no ser tão ou mais importantes (veja box). “Se por um lado, in- 40%. Desde 1963, o índice pas- rante os 44 anos. Iniciada em criação completa quatro déca- País, em 1964, a guerra do Viet- que os fatos. vestir em ações é a melhor es- sou por outros 30 períodos de 16 de outubro de 2002, a atual das neste ano. Essa sempre foi nã e o assassinato do presiden- OS DADOS Especialistas colha que se pode tomar, por baixa. “Podemos concluir que, alta do índice (em dólar) é de uma idéia fixa do analista grá- te norte-americano, John Ken- ABRANGEM dessa área es- outro, exige a disciplina de en- nos últimos 44 anos, tivemos 1.662%, com base no último to- fico Fausto Botelho, atualmen- nedy. Para recompor esse tre- tabelecem trar na hora adequada. E meu um número de baixas bem pa- po, que foi registrado no dia 31 te diretor-geral da empresa de análises financeiras Enfoque. cho da história do mercado de capitais, Botelho teve de pes- 5 projeções a partir dessas trabalho tenta mostrar que cer- tas fases ruins podem ter longa recido com o de altas. Isso mos- tra que vale a pena pensar em de outubro de 2007. Para que se tenha um com- Para o estudioso, os cinco anos quisar números e eventos. Afi- anos anteriores figuras e, duração e servir para desesti- assumir posições de venda, já parativo, a maior oscilação do que antecederam a implemen- nal, o material que concentra- à criação do com certa mular o investidor médio, que que as oscilações de baixa ocor- Ibovespa foi registrada entre índice Bovespa tação do índice que tornou-se va esses dados foi perdido. Tra- freqüência, opta por fugir do mercado rem tanto quanto os movimen- 1967 e 1971. Na ocasião, a Bolsa referência da Bolsa brasileira ta-se dos números do IBV apostam em quando há volatilidade, o que tos de alta”, diz Botelho. O estu- subiu 1.895%. O movimento têm de ser trazidos à tona para (Índice da Bolsa de Valores), futuros movimentos de alta ou é pura psicologia”, exemplifica do conclui, entretanto, que as durou 1.637 dias e foi seguido que o observador tenha idéia indicador que era utilizada pe- baixa. Isso acontece mesmo o especialista. altas têm sido bem mais vigoro- de uma correção de 66% .A mais clara sobre como fatos la plataforma de negociação de que o conjunto de informações O gráfico reproduzido nesta sas do que as baixas. Duram queda durou cerca de dois anos. históricos influenciaram os papéis da bolsa carioca, que foi — de empresas ou macroeco- página ganhará, a partir de ho- mais tempo. São, em média, “O atual movimento descrito movimentos de mercado ao posteriormente adquirida pela nômica — pendam para o ou- je, uma versão ampliada no si- 290 dias de avanço contra 208 pelo Ibovespa é inusitado e sem longo do período. “Quando BM&F. O trabalho durou cerca tro lado. “O curioso, para mim, te da Enfoque na internet. O de movimento de recuo. Além precedentes no quesito duração, olhava o gráfico mostrando a de um ano. “Na incorporação é concluir que os colegas que visitante terá, ainda, acesso a disso, as altas provocaram osci- além de ser o segundo em per- caminhada da Bovespa tinha a da bolsa do Rio, a papelada aca- elaboram análise com base em informações sobre as oito mu- lações bem superiores às que- centual, diz Botelho.” certeza de que estava faltando bou se perdendo. Não tive fundamentos têm toda a razão. danças monetárias e ao histó- algo”, diz “Era o início da tra- mais notícias dela. Então, co- E a longo prazo não erram ao rico dos doze governos cober- jetória, a ponta da curva que fi- mecei o meu trabalho de pes- afirmar que a bolsa é o melhor tos pelo período, a ferramenta cava oculta sem esse período quisa na Biblioteca Nacional investimento possível”, con- estará ligada à wikipédia, a en- tão rico em termos de história, carioca. Reuni arquivos de pu- clui Botelho. ciclopédia livre da internet. BOLSAS MERCADOS FUNDOS E PREGÃO Dow e S&P Dólar ignora piora Fundos Referenciados DI Ibovespa registra alta de fecham quase externa e cai 1,24% estáveis Valorização dos 30 maiores fun- dos Referenciados DI, pelo crité- 1,58%, a 64.490 pontos REUTERS JIANE CARVALHO rio de patrimônio líquido, foi de VANESSA CORREIA SÃO PAULO o bom humor dos investidores. NOVA YORK E LONDRES SÃO PAULO CÂMBIO 1,72% a 1,95% Entre os destaques positivos Os índices Dow Jones e Stan- Na contramão do mercado fi- (Cotação de venda - R$/US$) A Bovespa operou descolada do Ibovespa estiveram as ações da dard & Poor’s 500 fecharam quase nanceiro global, os negócios do- Março Fevereiro dos principais índices norte-ame- Eletrobrás ON, que subiu 8,16%, estáveis ontem, após uma alta nos mésticos tiveram uma segunda- OS 30 MAIS ricanos em mais uma sessão in- a R$ 26,90; Eletrobrás PNB, que preços das commodities ter im- feira bastante positiva com alta Taxa 3 29 28 P. líquido Rent. fluenciada, principalmente, pela avançou 8,1%, a R$ 26,81; e Nossa pulsionado as ações de energia e da Bovespa, valorização do real e Mínima 1,6690 1,6750 1,6680 (milhões acum. valorização das ações de Usimi- Caixa ON que registrou alta de mineração, compensando temores queda nos juros futuros. Nos de R$) (ano) Máxima 1,7000 1,6920 1,6790 nas, Gerdau e CSN (Companhia 6,12%, a R$ 26,00. No sentido de que um aperto de recursos de mercados externos, o dia foi ten- 1 FIC FI Ref DI 114 229,2 1,95 Siderúrgica Nacional). Com isso, oposto, Embraer ON caiu 2,85%, uma grande concessora de hipote- so com novos dados sugerindo Fechamento 1,6710 1,6920 1,6700 2 BRAM FI Ref DI Federal 4.010,2 1,78 a bolsa paulista encerrou o dia cas possa significar mais perdas uma recessão na economia ame- Ptax* 1,6816 1,6833 1,6723 3 Bradesco FI Ref DI União 1.832,9 1,77 em alta de 1,58%, aos 64.490 pon- ocasionadas pela crise imobiliária. ricana. No entanto, o mercado 4 BRAM FI Ref DI Rubi 12.884,5 1,77 tos. O giro financeiro do primeiro ÍNDICE BOVESPA O Dow recuou 0,06%, a 12.258 local seguiu descolado da cena Fontes: Banco Central, InvestNews e Centro de Informações da Gazeta Mercantil *Média do Banco Central 5 Special Ref DI FI 5460,2 1,77 Em pontos - hora a hora 3/3/2008 foi de R$ 5,51 bilhões. pontos. O S&P teve alta de 0,05%, externa. Bons fundamentos, a al- 6 ABN AMRO Ref DI Profit 584,1 1,77 No campo externo, o dia foi de para 1.331 pontos. A Nasdaq, que ta no preço de commodities que 64.490 pontos. No câmbio, após a 7 Regulus Ref FI 130,6 1,76 64.800 forte volatilidade para as princi- reúne empresas tecnológicas, per- favorece empresas brasileiras, alta pontual do dólar na última 8 Itaú Referenciado DI FI 13.101,5 1,76 64.490,46 pais praças acionárias norte-ame- deu 0,57%, a 2.258 pontos. além de um forte movimento de sexta-feira, em dia marcado por 9 Real FI Ref DI Private Plus 163,5 1,76 64.400 ricanas. Após a divulgação do ní- Na Europa, o setor bancário especulação com derivativos ex- ajuste técnico, ontem a moeda re- 10 BNP Paribas Porfolio DI FIC FI 84,4 1,75 vel da atividade manufatureira derrubou os mercados pela plicam o descasamento. tomou o caminho da baixa. 11 Itaú Soberano DI LP 3.365,1 1,74 64.000 nos Estados Unidos — o indica- quarta sessão seguida nesta se- Uma série de dados colaborou O dólar fechou o dia negocia- 12 FI Ref DI 11 401,3 1,74 dor veio ligeiramente acima do 63.489,30 gunda-feira em que dados dos ontem para o nervosismo externo. do a R$ 1,671, com uma queda de 13 Bradesco FI Ref DI Top 1.008,1 1,74 63.600 esperado pelo mercado — as bol- Estados Unidos fizeram pouco O ISM, indicador que mede a ati- 1,24%. “O que está acontecendo 14 Bradesco FI Ref DI Premium 2.453,4 1,74 sas de valores haviam revertido a 63.200 para reduzir receios de uma po- vidade manufatureira nos Estados com a moeda americana é que pa- 15 Itaú Corp Plus Ref DI FICFI 1.140,2 1,74 29/fev* 12:00 14:00 16:00 18:15 tendência de queda observada no tencial recessão no país. Unidos, caiu para 48,3 pontos, an- ra subir precisa de uma piora 16 Itaú Emp Super Ref DI 1252,7 1,74 início dos negócios, mas a notícia 11:00 13:00 15:00 17:00 O índice FTSEurofirst 300, que te os 50,7 registrados em janeiro. muito grande lá fora, o que não 17 Itaú Inst Referenciado DI FI 466,5 1,73 não foi suficiente para manter Fonte: Bovespa *Fechamento agrupa os principais papéis do Os gastos com construção tiveram foi o caso”, explica Francisco Car- 18 Entwicklung III FI Ref DI 199,5 1,73 continente, fechou em queda recuo de 1,7% em janeiro. Fala do valho, da área de câmbio da cor- 19 HSBC FI Ref DI CP LP Executivo 2.619,8 1,73 1,36%, a 1.297 pontos, tendo per- presidente do Fed da Filadélfia, retora Liquidez. Ontem, o BC 20 FI Ref DI LP Títulos Públicos 599,3 1,73 SOBE DESCE dido cerca de 2% na sessão ante- Charles Plosser, também colabo- atuou no mercado e teria com- 21 Brad Empresas FIC Ref. DI Top 635,3 1,73 MAIORES ALTAS Preço Var (%) MAIORES BAIXAS Preço Var (%) rior. Dados do setor manufaturei- rou. Ele disse que as expectativas prado algo próximo de US$ 100 22 Brad FIC Ref DI Federal Plus 1.294,5 1,73 1 Eletrobras PNB N1 26,78 7,98 1 Telesp PN 47,02 2,69 ro nos Estados Unidos mostraram de inflação estão se elevando e que milhões para as reservas brasilei- 23 Brad. Priv. FICRef DI Fed Plus 498,2 1,73 2 Eletrobras ON N1 26,70 7,35 2 Embraer ON NM 18,40 2,64 que a atividade industrial se con- o Fed, apesar da desaceleração eco- ras, hoje em US$ 192 bilhões. 24 ABN AMRO FI DI Cap 36,5 1,73 traiu no mês passado. nômica, precisa estar pronto para Na BM&F, os negócios com ju- 3 Light S/A ON NM 26,41 6,06 3 Brasil ONED NM 27,80 1,66 25 FIC Ref DI LP Money Market 617,7 1,73 Na contramão, as ações do subir as taxas quando as condi- ros futuros já estão em compasso 4 Nossa Caixa ON NM 25,86 5,55 4 Bradespar PN N1 43,43 1,29 26 Itaú Emp Trust Ref DI FICFI 380,9 1,72 banco britânico HSBC tiveram o ções se estabilizarem. de espera, aguardando a reunião 5 Usiminas PNA N1 103,00 5,10 5 CCR Rodovias ON NM 28,50 1,21 27 Sant FIC FI Corporate Ref DI 1.285,7 1,72 maior peso positivo no dia, avan- Em Wall Street, o dia foi de do Copom que entre hoje e ama- 6 Natura ON NM 18,10 4,92 6 Telemar PN 41,85 0,85 28 Itau Perfil Ref DI FI 947,8 1,72 çando 3,13% depois de anunciar instabilidade. O índice Dow Jones nhã define a Selic. A maioria das 7 Tim Part S/A ON 9,80 4,81 7 Petrobras PN 80,90 0,67 29 HSBC FI Ref DI Prev Reg Prop 48,3 1,72 um aumento de 10% no lucro fechou em queda de 0,06%, Nas- projeções de juros dos contratos 8 B2W Varejo ON NM 74,30 4,64 8 Vale R Doce ON N1 58,30 0,61 30 SM Master Plus FI Ref. DI 198,4 1,72 no ano passado, quando um cres- daq recuou 0,57% e o Standard & de Depósitos Interfinanceiros 9 Cyrela Realt ON NM 28,25 4,62 9 Aracruz PNB N1 12,17 0,49 Fontes: InvestNews da Gazeta Mercantil cimento em alguns mercados Poor’s subiu 0,05%. A Bovespa se- (DI) fechou em queda. O DI para Base: Patrimônios acima de R$ 1 milhão 10 Duratex PN N1 36,08 4,57 10 Vale R Doce PNA N1 49,64 0,44 Obs: 1. As tabelas das páginas a seguir mostram o desempenho asiáticos compensou perdas do guiu em direção contrária e regis- janeiro de 2009, o mais líquido, Fontes: Bovespa e Centro de Informações da Gazeta Mercantil (*) Cotações por lote de mil (#) Ações do Ibovespa ($) Ref. dos fundos com patrimônio superior à R$ 30 milhões. 2. As tabelas completas estão no site em dólar (&) Ref. em IGP-M (N1) Nível 1 de Governança Corporativa (N2) Nível 2 de Governança Corporativa (NM) Novo banco ligadas à crise imobiliária trou alta ao longo de todo o dia, registrou taxa de 11,71%, ante www.gazetamercantil.com.br/fundosmutuos.asp Mercado (MA) Bovespa Mais (MB) Balcão Org. Tradicional (DR1) BDR Nível 1 (DR2) BDR Nível 2 (DR3) BDR Nível 3 nos Estados Unidos. fechando com avanço de 1,58%, a 11,76% do ajuste de sexta-feira.
  • 15. GAZETA MERCANTIL | Terça-feira, 4 de março de 2008 | B3 FINANÇAS CVM libera aplicação de até 100% dos recursos no exterior INVESTIMENTOS Superfund deve lançar fundos no Brasil ROMUALDO RIBEIRO/GAZETA MERCANTIL Objetivo é lançar um Sul. Na América Latina, além da anos. “Desde 1971, quando o dó- produto local, voltado cidade de São Paulo, também tem lar nos Estados Unidos foi desvin- escritórios em Montevidéu, no culado do ouro, a moeda norte- para aplicação em Uruguai e em Grenada (Caribe). americana tem perdido mais de derivativos no exterior Apesar de presente no Brasil, 80% do seu poder de compra”, a gestora ainda não investe em ressalta Reinhardt. SILVIA ROSA SÃO PAULO ativos no mercado local. “Atua- Segundo ele, o ouro acompa- mos em mais de 100 mercados, nha a tendência da inflação e de- A aprovação da Instrução 465 mas em relação ao Brasil aplica- ve alcançar US$ 1.300 a onça-troy da Comissão de Valores Mobiliá- mos apenas no índice futuro do em 2008, valorização de 32% em rios (CVM), que permite a aplica- Ibovespa pela Bolsa de Chicago”, relação a atual cotação de US$ ção de até 100% do patrimônio afirma Reinhardt. 984 a onça-troy, devido a dimi- no exterior para fundos voltados Ao todo, a Superfund possui nuição das reservas na África do para investidores super qualifica- 38 fundos sob gestão, que utili- Sul, aumento da demanda na dos — investimentos acima de zam um modelo estratégico, cria- Ásia e na Índia e desvalorização R$ 1 milhão — já tem atraído o do pelos seus fundadores, que do dólar. “Com a queda da taxa de interesse de algumas gestoras es- busca identificar a tendência dos juros nos EUA vamos ter um au- trangeiras que se preparam para preços das commodities e alia mento da inflação, com efeitos oferecer seus produtos no Brasil. métodos quantitativos à análise sobre o preço do ouro, e o metal É o caso da austríaca Super- técnica ou gráfica para obter ga- se mostra uma boa alternativa pa- fund, que possui US$ 1,6 bilhão nhos tanto na alta quanto na bai- ra proteção do capital contra a sob gestão, e investe no mercado xa dos mercados futuros. “Esse perda do poder de compra”, diz. futuro de commodities, tanto modelo permite diversificar os Só o fundo Superfund Gold C, agrícolas como metálicas, e em riscos, buscando seguir a tendên- que possui um perfil mais agres- ativos financeiros, como moedas, cia dos mercados”, diz Reinhardt. sivo, apresentou uma valorização juros, bônus e índices de ações. Baseado nessa proposta, Rei- de 19,28% em dólar em 2008, a Com escritório no Brasil des- nhardt acredita que o preço das melhor performance entre os de 2004, a Superfund está em fa- commodities deve continuar fundos da gestora. se de registro para atuar como com tendência de alta nos próxi- Reinhardt afirma que a infla- gestora de ativos no País e lançar mos 10 anos a 15 anos e não deve ção nos Estados Unidos deve au- um fundo local para os investi- ser afetados por uma possível re- mentar, pressionada pela elevação dores brasileiros. Segundo o re- cessão nos Estados Unidos. Ele dos preços do petróleo e pela que- presentante da gestora no Brasil, ressalta que durante os anos 80 da da taxa de juros. Mesmo assim, Lance Reinhardt, há interesse de até começo de 2000, o mercado Reinhardt acredita que a econo- estabelecer parceria com os prin- de commodities esteve em ten- mia americana deve entrar em es- cipais bancos brasileiros para dência de baixa e que agora está tagnação em 2008, porém o apro- distribuição de seus fundos. sendo revisada. “Os mercados ge- fundamento da desaceleração “Gostaríamos de oferecer nosso ralmente têm ciclos de 20 anos, econômica dos EUA, levando a conhecimento na gestão de ati- em que ora o mercado de ações uma possível recessão, vai depen- vos em mercados futuros para os está aquecido e o de commodi- der do resultado das eleições para investidores brasileiros”, afirma. ties está mais fraco e vice-versa, e presidente, que será definida nes- A gestora foi uma das primei- desde 2003 os preços das com- te ano. “O Federal Reserve (Fed, ras instituições financeiras a ofe- modities em geral estão com banco central norte-americano) recer fundos de derivativos para uma tendência de alta, desfru- deverá fazer de tudo para evitar os investidores de varejo. Nos Es- tando da liquidez do mercado e uma recessão antes das eleições tados Unidos, por exemplo, os da demanda aquecida”, diz. de 2008, depois disso, dependerá produtos são oferecidos por meio de que partido sairá vencedor. Se de anúncios na televisão e lojas Aposta em ouro os republicanos venceram, é pro- de investimento de rua, com apli- Com o enfraquecimento do vável que os EUA decline para cação a partir de US$ 5 mil. dólar frente às demais moedas e o uma significativa recessão. Já se Com 25 escritórios em cerca aumento das pressões inflacioná- os democratas foram eleitos e re- de 19 países, a gestora possui rias, as apostas em ouro têm ga- estruturarem os gastos federais, a atuação na Ásia, Oriente Médio, nhado força, levando a uma valo- economia deverá se recuperar no Europa, América do Norte e do rização do metal nos últimos médio prazo”, diz. Gestora estuda parceria com bancos locais para distribuição de seus fundos, diz Reinhardt
  • 16. B4 | Terça-feira, 4 de março de 2008 | GAZETA MERCANTIL FINANÇAS Investimentos de R$ 90,10 bilhões na renda variável ESTRATÉGIA Grupo quer a liderança Banco do Brasil reage contra em seguros e previdência avanço da concorrência DENISE BUENO SÃO PAULO O Banco do Brasil quer ser lí- silveículos, que tem como sócia a SulAmérica, por exemplo, fechou 2007 como a décima colocada no No planos para manter to. O BB, segundo ele, é líder no Para acelerar a expansão em veícu- der em seguro e previdência. Em ranking, com prêmios de R$ 584 liderança, estão mercado de administração de folha los e crédito imobiliário, o presi- capitalização já é o maior, porém milhões. Mas é líder em rural, de pagamento de servidores públi- dente do BB não descarta aquisi- tem a concorrente Bradesco Capi- com R$ 137 milhões. Em vida e aquisições e maior cos, com 47% de participação. ções de bancos privados. talização colada, ameaçando mês acidentes pessoais, sem VGBL, é o foco no crédito Brigar no mercado de crédito Outra iniciativa foi a segmen- a mês. Porém, nos outros segmen- sexto maior, com R$ 622,5 mi- também está nos planos do Ban- tação da diretoria de varejo. Uma tos, ele é superado por quase to- lhões. A Brasilprev é a terceira ALESSANDRA BELLOTTO SÃO PAULO co do Brasil. Segundo o presiden- das áreas que ganhou destaque dos os seus concorrentes bancá- maior, com R$ 3,3 bilhões. te do banco, todo o esforço será foi a de cartões de crédito, que rios. “As seguradoras já têm dez Hoje as empresas do grupo A briga pela liderança no setor direcionado para ampliar a parti- acabou virando uma nova direto- anos de vida. Tempo suficiente distribuem seus produtos por bancário promete esquentar. O ANTÔNIO FRANCISCO LIMA NETO cipação do BB nos financiamen- ria. A meta, segundo Lima Neto, é para se tornarem líderes”, disse meio de gerentes de contas, um avanço de bancos privados como Presidente do Banco do Brasil tos para pessoa física. “A carteira chegar a 2012 com um fatura- Antonio Francisco de Lima Neto, profissional responsável por cui- Bradesco e Itaú sobre o posto do de pessoa física do BB (que encer- mento de R$ 120 bilhões com car- presidente do Banco do Brasil. dar de um imenso grupo de Banco do Brasil de maior banco do trou lucro recorrente (sem consi- rou 2007 com saldo de R$ 32 bi- tões de crédito e débito, o equiva- Ele realmente está determi- clientes e ofertar, em média, 25 mercado brasileiro em ativos já derar os eventos extraordinários) lhões) é relativamente pequena. lente a 25% de market share. No nado a elevar a penetração de se- produtos diferenciados. “Esta- provocou reações. Segundo o pre- de R$ 7,21 bilhões; o Itaú, R$ 7,17 Nossos dois principais concorren- final de 2007, o BB contava com guros e previdência na base de mos reciclando o conhecimento sidente do BB, Antônio Francisco bilhões e o BB, R$ 5,7 bilhões. tes têm mais de R$ 60 bilhões de 69 milhões de plásticos emitidos, 36 milhões de clientes do banco. destes profissionais em segurida- de Lima Neto, no ano passado, o Lima Neto, que esteve ontem saldo“, comparou. Para ganhar que movimentaram R$ 49 bi- “Apenas capitalização temos de e também buscamos parcerias banco começou a colocar em prá- em São Paulo para uma reunião mercado, o executivo aposta em lhões, cerca de 20% do mercado. uma penetração acima de 25%. com canais alternativos de ven- tica um plano estratégico agressi- da Apimec (Associação dos Ana- dois nichos principais: financia- Para isso, o banco precisa crescer Nas outras é bem inferior a 5%”, das e também com corretores in- vo para manter a liderança, que listas e Profissionais de Investi- mento de veículos e crédito imo- cerca de 30% ao ano até 2012. O diz Milton Luciano dos Santos, dependentes”, conta Flores. vai desde aquisições e criação de mento do Mercado de Capitais), biliário. Lima Neto informou que segmento de seguros, vida, previ- vice-presidente de varejo e dis- Aqui está um ponto que po- diretorias para desenvolver negó- destacou que os primeiros passos a meta para o segmento de veícu- dência e capitalização também tribuição do BB. derá determinar o sucesso ou o cios específicos até investimentos para não deixar a concorrência se los é chegar a 2012 com uma car- ganhou uma diretoria específica E todos os executivos das cin- fracasso da operação. Para ter para melhorar a eficiência. Ele re- aproximar já foram dados, quan- teira de R$ 19 bilhões e uma par- (ver mais na matéria ao lado). co empresas do grupo — Brasil- um cliente no longo prazo e ga- conhece que o sistema financeiro do o BB passou a buscar possíveis ticipação de mercado equivalente prev, Brasilveículos, Brasilsaúde, rantir a sustentabilidade da ope- mudou nos últimos 30 a 40 anos e aquisições entre os bancos esta- a 10%. No final de 2007, a carteira De onde virá o dinheiro Brasilcap, Aliança do Brasil — e ração, o correntista tem de ter os bancos privados ganharam im- duais, apesar de questões jurídi- de veículos do banco somava R$ Para fazer frente a esse plano também Ricardo Flores, respon- simpatia pelos produtos e a per- portância, acirrando a disputa. cas que impedem a incorporação 2,9 bilhões, ou 3% do mercado. de expansão, o Banco do Brasil sável por todas elas, já percebe- cepção de que está fazendo um “Dizer que o Banco do Brasil vai de algumas instituições por esta- Para o final de 2008, a expectativa pretende levantar recursos no ram o peso do desafio. Ontem, Li- bom negocia, voluntariamente, perder a liderança é uma das hi- rem incluídas no Programa Na- é atingir um saldo de R$ 6 bi- mercado de capitais. Seja com ma Neto esteve na sede da Bra- sem contra partidas. póteses. Mas quem quiser brigar cional de Desestatização (PND). lhões, alta de 106%. uma nova oferta de ações de emis- silprev, empresa de previdência Outra novidade foi o salto de pela liderança vai ter de pagar por Três deles já foram anunciados: o No mercado de financiamento são do próprio banco, que deve privada em parceria com a Prin- R$ 52 milhões para R$ 90 mi- isso. O BB também vai brigar”, dis- Besc (Banco do Estado de Santa imobiliário, Lima Neto disse que ocorrer até o fim do ano, ou ainda cipal e Sebrae. Disse aos princi- lhões a verba em marketing, va- se Lima Neto. Catarina), cuja incorporação deve ainda não dá para fazer previsões. com a abertura de capital da Vi- pais executivos e também a mais lor que será investido também Levantamento da Economáti- ser concluída até o final de julho, A atuação do banco nesse segmen- saNet, empresa da qual é sócio, de 320 diretores das regionais, a pelos sócios. Alguns produtos fo- ca mostra que a diferença entre os o BEP (Banco Estadual do Piauí) e to, no qual estreou no começo do que, segundo a estimativa mais importância da área de segurida- ram reformulados e outros lança- dois maiores bancos do Brasil é a o BRB (Bando de Brasília), ainda ano passado a partir de uma par- conservadora do BB, deve ocorrer de. “Nós devemos ter um resul- dos, como a família ciclo de vida, menor da história. Em 1994, os em negociação. Só o Besc repre- ceria com Poupex (Associação de no início do segundo semestre, as- tado semelhante aos nossos con- que altera os investimentos em ativos do Bradesco não eram nem sentaria mais R$ 6 bilhões de ati- Poupança e Empréstimo) (Poupex), sim que concluída o IPO da Visa correntes dessas áreas.” No Bra- renda fixa e variável para o clien- 30% do total de ativos do BB. No vos para o Banco do Brasil. ainda é muito tímida. “Estamos ne- International. O BB reestruturou desco, por exemplo, 30% do te de previdência. Outros serão final do ano passado, R$ 16 bi- Em 2007, o BB assumiu ainda a gociando com o governo a melhor ainda sua área de logística bancá- lucro vem de seguridade. lançados, como o seguro “flex” lhões separavam os dois bancos. administração das folhas de paga- maneira de operarmos nesse seg- ria, criando uma unidade de su- Até mesmo revisão societária para automóvel, em abril. Trata- Os ativos do BB somavam R$ mento dos servidores estaduais de mento”, disse o executivo. Ele porte operacional. Com isso, espe- está sendo estudada. Ao que tudo se de um apólice de carro com 357,8 bilhões, contra R$ 341,2 bi- Minas Gerais e da Bahia, contratos adiantou, no entanto, que não pre- ra uma economia de R$ 47 mi- indica será na área de riscos pa- um seguro prestamista. “Dessa lhões do Bradesco. O Itaú tinha que estavam nas mãos do Itaú e tende concorrer com a Caixa Eco- lhões só neste ano, além de um trimoniais, onde opera a Aliança forma o cliente não fica sem o se- R$ 294,9 bilhões. Em termos de Bradesco, respectivamente. “O ban- nômica Federal. Neste ano, o banco ganho adicional com a transferên- do Brasil em sociedade com a guro caso tenha um problema lucro, Bradesco e Itaú superam o co conseguiu marcar em dois con- começou a oferecer em São Paulo cia de 140 funcionários do backof- Aliança da Bahia. pontual de perda de renda e não banco oficial. O Bradesco regis- tratos importantes“, disse Lima Ne- uma linha com recursos próprios. fice para a linha de frente. Agora é preciso ir à luta. A Bra- possa pagar a mensalidade.” FUNDO DE PENSÃO AQUISIÇÃO RANKING Patrimônio da Previ cresce Acordo entre Standard e Fundos DI são os 30,36% e atinge R$ 138,7 bi AEB no final que mais captam LUCIA REBOUÇAS E REUTERS REDAÇÃO SILVIA ROSA SÃO PAULO contato com os clientes é funda- SÃO PAULO SÃO PAULO acumulam valorização de 2,71%. mental para a Vale traçar seus in- A categoria Curto Prazo apre- A Previ, fundo de pensão dos vestimentos de acordo com a de- O Standard Chartered PLC A recuperação da Bovespa senta retorno positivo de 1,64%. funcionários do Banco do Brasil, manda”., afirmou Rosa durante anunciou que recebeu todas as (Bolsa de Valores de São Paulo) fechou 2007 com um patrimônio divulgação do balanço da Previ, aprovações necessárias para a no mês de fevereiro deste ano, Captação acumulada de R$ 138,7 bilhões, com uma ele- ontem no Rio. Rosa disse, porém, conclusão da aquisição do Ame- que fechou com valorização de Os fundos de investimento Re- vação de 30,36% no ano reafir- que “no momento as negociações rican Express Bank Ltd (AEB), 6,16% e acumula alta 0,94% no ferenciado DI lideram a captação mando sua posição de maior do com a Xstrata não estão evoluin- empresa pertencente à American ano, ajudou a impulsionar a ren- no ano até o dia 27 de fevereiro, País. A renda variável, onde as do a ponto de falar de qualquer Express Company. O montante tabilidade dos fundos de investi- com aporte de R$ 10,8 bilhões, e aplicações do fundo fecham o SÉRGIO ROSA tipo de fechamento”. total em espécie considerado para mento em ações. Segundo dados patrimônio de R$ 182,6 bilhões, o ano em R$ 90,10 bilhões foi uma Presidente da Previ As negociação em torno da a aquisição é de US$ 823 milhões. da Anbid (Associação Nacional que corresponde a 15,63% do to- das principais responsáveis pelo compra da Brasil Telecom (BrT) A aquisição do AEB proporciona dos Bancos de Investimento), o tal da indústria de fundos. crescimento com uma valoriza- variável acima de 50% do patri- pelo grupo Oi continuam, confor- ao Standard Chartered a oportu- fundo de ações Ibovespa Indexa- Em seguida, aparecem os fun- ção de 50,94%. Segundo Sérgio mônio, em casos específicos.. me o presidente da Previ, fundo nidade de acrescentar capacida- do acumula valorização de 2,23% dos da categoria Curto Prazo, cu- Rosa, presidente do fundo, apesar que está no grupo de controle da des, escala e impulso a suas áreas no ano, até 27 de fevereiro. A jas aplicações somam R$ 9,86 bi- de desinvestimentos em ações de Ganho com Vale Brasil Telecom (BrT) e tem parti- estrategicamente importantes de maior rentabilidade na categoria lhões no período e patrimônio de R$ 5,364 bilhões no ano passado, A Previ tem participação no cipação relevante no capital do instituições financeiras e entida- ficou com os fundos Setoriais Te- R$ 38,098 bilhões. Os fundos de a entidade continua desenquadra- capital de 20 companhias, que grupo Oi. Em 2007, a rentabilida- des bancárias privadas. A aquisi- lecomunicações, que acumulam Renda Fixa apresentam captação da em relação ao limite máximo lhe renderam expressivas rentabi- de obtida pela Previ em sua par- ção acrescentará dezenove merca- alta de 9,70% no período. positiva de R$ 8,284 bilhões, com permitido para os investimentos lidades em 2007. O maior retorno ticipação na Brasil Telecom (R$ dos à rede do Standard Chartered, Na categoria multimercado, os patrimônio de R$ 365,4 bilhões. de ações, estabelecido pelo gover- foi obtido com sua posição de R$ 607,8 milhões) foi de 44,54%. Na aprofundará sua presença em al- fundos que aplicam em renda va- Por outro lado, os fundos mul- no, que é de 50%. Este ano, apesar 1,63 bilhão na Vale, de 90,41%.no Tele Norte Leste Participações ( guns grandes mercados e propor- riável e utilizam alavancagem timercado apresentaram resgate do expressivo ganho com a renda acumulado ano. No total, a Previ uma das empresas do grupo Oi), cionará acesso a vários novos apresentam a melhor performan- de R$ 9,759 bilhões no ano, so- variável, a Previ prevê desinvestir detém investimentos de R$ 32,29 na qual a Previ tem investimento mercados em crescimento. ce, com valorização de 6,02%. mando patrimônio de R$ 269,26 outros R$ 5 bilhões.. bilhões na Vale. de R$ 794,2 milhões, a rentabili- O AEB também aumentará a Já na Renda Fixa, as carteiras bilhões, com participação de 23% Rosa disse que vai solicitar ao O presidente da Previ, que dade obtida pelo fundo, em 2007; presença do Standard em seus com alavancagem registraram na indústria de fundos brasileira. governo que avalie a possibilida- também preside o Conselho de foi de 8,12%. Rosa afirmou que mercados mais importantes, co- melhor desempenho, acumulan- Os fundos de ações também de da Previ ser beneficiada por Administração da Vale, defendeu expectativa é que o acordo entre mo Cingapura, Hong Kong, Índia do alta de 1,97% no ano. acumulam resgates de R$ 250 mi- uma resolução emitida no ano que a companhia mantenha a co- os acionistas das duas empresas e Oriente Médio. A aquisição au- Os fundos Referenciados DI lhões no ano, com patrimônio lí- passado pelo Conselho Monetá- mercialização integral dos produ- possam por fim aos litígios envol- mentará também as capacidades apresentaram rentabilidade po- quido somando R$ 145,4 bilhões, rio Nacional (nº 3456 de 2007), tos mesmo após uma eventual vendo o grupo Opportunity, um do Standard em centros como Ge- sitiva de 1,65%, enquanto os o que representa 12,44% do patri- que permite aplicações em renda compra da anglo-suíça Xstrata. “O dos sócios da Brasil Telecom. nebra, Nova Iorque e Londres. fundos Referenciados outros mônio da indústria de fundos. CRÉDITOS DE CARBONO OFERTAS PÚBLICAS Clean Planet negocia com a OGK Começam amanhã REUTERS MOSCOU ração com os níveis dos anos 90. um mecanismo para o co-finan- culadores ocidentais já injetaram reservas da Redecard Segundo o mecanismo de ciamento de nossos programas de milhões no mercado russo, ante- LUCIANO FELTRIN A produtora russa de energia, implementação conjunta (IC) investimentos, e não perderemos cipando um possível mercado de SÃO PAULO um lote inicial de 40 milhões de OGK-6, vendeu cerca de ¥4,5 mi- do protocolo, os países ricos essa oportunidade.” ¥ 3 bilhões (US$ 4,4 bilhões). ações ordinárias que o Citibank lhões (US$ 6,83 milhões) de cer- podem investir em projetos de Os intermediários no mercado Doze firmas expressaram seu Os investidores de varejo que detém na empresa. Entretanto, tificados de redução de emissões redução de emissões em ex-paí- de carbono, como o Clean Planet interesse no leilão de crédito da quiserem participar da oferta pú- caso haja excesso de demanda de de gases de efeito estufa (crédi- ses comunistas em desenvolvi- Group, organizam ou investem OGK-6, revelou o informe. blica secundária de ações da Rede- investidores, um lote suplemen- tos de carbono) no âmbito do mento, e contabilizar as redu- em projetos de redução de emis- A empresa finlandesa de utili- card tem de se apressar. O início tar com mais 15% de ações — ou Protocolo de Kyoto, para o ções como suas. sões, e vendem os créditos de car- dade pública, Fortum, foi a pri- do período de reservas para aderir cerca de 6 milhões de outros pa- Clean Planet Group, com sede O acordo com a OGK-6 é para bono resultantes para os países meira a assinar um importante à operação começa amanhã e ter- péis do banco — poderá ser in- na Grã-Bretanha, informou sua 550 mil créditos, que representa- ou empresas que precisam redu- acordo segundo os novos meca- minará no próximo dia 11. Um cluído na operação. Consideran- controladora ontem. rão uma redução de 550 mil to- zir suas emissões. nismos na Rússia, no mês passa- dia após ocorrerá a definição do do a cotação de fechamento de O Protocolo de Kyoto é um neladas em emissões de dióxido Após dois anos de atrasos, o do, ao adquirir mais de 5 milhões preço de cada ação colocada à ven- ontem, quando as ações foram tratado internacional destinado de carbono, a ser alcançada por governo russo colocou em ação de créditos, no valor de mais de da. O valor mínimo para fazer re- negociadas a R$ 27,23, a operação a lutar contra o aquecimento meio da instalação de um conjun- em janeiro os mecanismos legais US$ 100 milhões, de outra produ- servas dos papéis é de R$ 3 mil e o deve movimentar R$ 1,2 bilhão. global por meio do comprome- to de turbinas mais limpas e efi- para as empresas criarem créditos tora de eletricidade, TGC-1. máximo, R$ 300 mil. Entre 10% e O IPO (oferta pública inicial de timento de vários países desen- cientes em sua usina de Kirichs- de carbono na Rússia, que tem o A controladora da OGK-6, Uni- 15% das ações devem ficar com ações) da credenciadora das ban- volvidos de reduzir em 5% a kaya. Segundo Alexei Selyakov, potencial de se transformar na fied Energy System, informou es- pequenos investidores. deiras Diners Club e Mastercard emissão de gases estufa no pe- vice-diretor da empresa, “a OGK-6 maior fonte de créditos depois da tar ansiosa para trabalhar confor- A oferta secundária da Rede- no País movimentou R$ 4,6 bi- ríodo de 2008-2012, em compa- considera o Protocolo de Kyoto China. Os intermediários e espe- me a programação de Kyoto. card envolverá a negociação de lhões em julho do ano passado.
  • 17. GAZETA MERCANTIL | Terça-feira, 4 de março de 2008 | B5 GOVERNANÇA CORPORATIVA Bradesco Seguros e Previdência fatura R$ 21,5 bilhões em 2007 RODRIGO CAPOTE/GAZETA MERCANTIL BALANÇO SOCIAL Bradesco pagou R$ 13,9 bi em indenizações e aposentadoria Em saúde, grupo “Pouco mais de 15 eventos por Para 2008, Trabuco diz que de uma dívida em caso de morte desembolsou R$ 3,4 bi segurados. O que mostra a de- por ser uma seguradora multili- ou invalidez do titular. Apesar de manda e o papel social da saúde nhas, o foco está em todas as di- o banco Bradesco ser o maior em 41 milhões de suplementar”, frisa Trabuco. reções: saúde, ramos elementa- banco privado em crédito, a segu- atendimentos médicos Na área de bens patrimoniais e res, capitalização, além de vida e radora ocupa o oitavo lugar no responsabilidade civil, as indeni- previdência. O objetivo é crescer ranking de prestamista, segundo DENISE BUENO SÃO PAULO zações totalizaram R$ 2,59 bi- acima de 12%. A novidade neste dados da Susep (Superintendên- lhões, com 387 mil atendimentos. ano é a criação da quinta área de cia de Seguros Privados), com prê- A Bradesco Seguros e Previ- Em previdência e vida, onde são atuação do grupo segurador: a mios de R$ 94 milhões. É supera- dência divulga amanhã seu ba- considerados benefícios, pecúlios, Bradesco Dental. O produto era da pela Mapfre, Santander, Tokio lanço social. “Os números mos- aposentadoria, resgates e seguros vendido por meio da Bradesco Marine (ABN Amro Real), Uni- tram o que devolvemos à socie- prestamistas, o grupo desembol- Saúde e agora ganhou vida pró- banco AIG, HSBC, Cardif e Banco dade. Ou seja, os riscos sou R$ 6,4 bilhões para atender a pria e já começa com 735 mil do Brasil. Porém, está à frente do cotidianos que os segurados pre- solicitações de 644,3 mil pessoas. clientes em apólices grupais. principal concorrente, o Banco feriram repassar para a segura- De acordo com Trabuco, poder Em quase todas as áreas a Bra- Itaú, com prêmios de prestamista dora e que efetivamente aconte- dar esse retorno à sociedade e desco detém a liderança ou vice de R$ 80 milhões. “Começamos a ceram, seja de sua saúde, de seu também ser rentável é fruto de liderança. VGBL, um produto de atuar neste segmento há menos patrimônio ou mesmo de seu ser uma seguradora com presen- acumulação de renda, movimen- de dois anos e acreditamos que futuro”, diz Luiz Carlos Trabuco ça em todo o Brasil, o que lhe ga- tou prêmios de R$ 8,4 bilhões, vamos crescer aceleradamente”. Cappi, presidente do maior gru- rante ter uma market share de com 41% do mercado e 63% das Segundo ele, 2008 será um ano po segurador do Brasil e tam- 25,3%. O lucro líquido do grupo vendas de seguro no grupo. Em mais competitivo do que os ou- bém da América Latina. em 2007 foi de R$ 2,3 bilhões, o automóvel ocupa a segunda po- tros anos. “Só o recente aumento Em 2007, a Bradesco faturou que chega a representar 30% do sição, com prêmios de R$ 1,8 bi- do salário mínimo vai injetar R$ R$ 21 bilhões. Considerando-se o resultado do banco. lhão. Sua participação neste seg- 20 bilhões na economia. Isso sig- ganho financeiro, o resultado so- “Estamos preparados para o mento é de 13,8% e o produto re- nifica dizer que o perfil de renda be para R$ 29 bilhões. As indeni- futuro. 2007 foi um ano em que presenta 14% do mix de seguros. está mudando e isso possibilita zações, resgates de planos de pre- se buscou equilíbrio harmônico Vida e acidentes pessoais a recei- que o consumidor possa comprar vidência e pagamento de aposen- entre todos os ramos, que passa- ta de prêmios foi de R$ 1,7 bi- seguro. Todos os operadores es- Das 100 maiores empresas, 40 são nossas clientes, diz Trabuco tadorias totalizaram R$ 13,9 ram por ajustes. Em saúde, por lhão, com 16,4% de participação, tão atentos a isso e preocupados bilhões, acima dos R$ 12,3 bi- exemplo, tivemos aumento das que representa cerca de 12,6% em desenvolver produtos com Outra arma para enfrentar a 92 mil participações, sendo 76 lhões em 2006. Em saúde, o gru- provisões, o que nos deixou pre- das vendas de seguros. cobertura e preço adequados.” concorrência é treinar seus profis- mil presenciais e 15,8 mil online. po pagou R$ 3,4 bilhões referen- parado para o futuro, para o au- Um produto que destoa dentro Das 100 maiores empresas do sionais e corretores. O programa Também formou a primeira tur- tes ao atendimento de 41 mi- mento da competição com a evo- do grupo é o seguro prestamista, País, 40 são clientes no ramo cor- Universeg completou três anos. ma de MBA in Company, em par- lhões de procedimentos médicos. lução do mercado interno.” aquele que garante o pagamento porativo e 38 em saúde. No ano passado, o curso registrou ceria com o IBMEC. MAPA DO TEMPO Chuva beneficia a cultura do algodão no oeste da Bahia CAPITAL ABERTO PARA MAIS INFORMAÇÕESCOMPLETAS ABERTO ACESSE: gazetamercantil.com.br/capitalaberto TABELAS SOBRE CAPITAL EM FORMATO ORIGINAL NO:
  • 18. B6 | Terça-feira, 4 de março de 2008 | GAZETA MERCANTIL BOLSAS NACIONAIS CÓDIGOS USADOS NAS TABELAS l: Preço por ação. *: Cotação ou preço de exercício por lote de mil. $: Opções referenciadas em dólar. @: Empresas que participam do Índice Bovespa. &: Referenciadas em IGP-M. Todas as cotações referem-se às negociações no período diurno. BOLSAS - RESUMO DAS OPERAÇÕES - EM 3/3/2008 LOCAL . 25/02 26/02 27/02 28/02 29/02 03/03 Variação % . VOLUME (EM R$) No dia No mês No ano S.Paulo . 5.141.286.081 7.105.769.122 7.246.336.497 5.939.642.212 6.472.498.286 5.524.171.350 -14,65 -14,65 8,78 . ÍNDICE No dia No mês No ano Ibovespa 65.000 65.182 65.494 65.555 63.489 64.490 1,58 1,58 0,94 IBrX 21.504 21.609 21.781 21.886 21.034 21.231 0,94 0,94 -1,41 IEE 17.469 17.665 17.697 17.630 17.467 17.914 2,56 2,56 3,52 IGC 6.492 6.536 6.580 6.615 6.435 6.524 1,38 1,38 -4,06 ITAG 8.066 8.173 8.252 8.262 8.078 8.213 1,67 1,67 -5,11 ITEL 1.370 1.369 1.381 1.369 1.331 1.348 1,28 1,28 10,22 IBrX 50 9.743 9.787 9.866 9.917 9.507 9.593 0,90 0,90 -1,65 IVBX-2 5.513 5.526 5.550 5.519 5.409 5.494 1,57 1,57 0,59 ISE 1.954 1.977 1.998 1.996 1.930 1.953 1,19 1,19 -2,88 FGV 100 10.058 10.091 10.143 10.161 9.908 10.020 1,13 1,13 5,37 FGV 100-E . 18.737 18.811 18.897 18.818 18.223 18.559 1,84 1,84 4,29 Fontes: Bovespa, FGV e Centro de Informações da Gazeta Mercantil. BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO - EM 3/3/2008 MERCADO A VISTA - COTAÇÕES UNITÁRIAS - (Continuação) MERCADO A VISTA - COTAÇÕES UNITÁRIAS - (Continuação) . Alterações no Pregão de 3/3/2008 . Preços R$/ação Oscil. Ofertas Negs. Real. . Preços R$/ação Oscil. Ofertas Negs. Real. ALL AMER LAT (ALLL-N2) - Debêntures da 5ª emissão, série única, ex-juros. Cód. . Emp./Ação Abt. Min. Méd. Máx. Fech. (%) Compr. Venda N.º Qtde. Cód. . Emp./Ação Abt. Min. Méd. Máx. Fech. (%) Compr. Venda N.º Qtde. ALTERE SEC (ALTR) - CRIs da 1ª emissão, 2ª série, ex-juros e ex-amortização. AMPLA ENERG (CBEE) - Debêntures da 3ª emissão, 1ª série, ex-juros e deixaram de ser negociadas em razão de seu vencimento. Debêntures da 3ª emissão, AGRO3 Brasilagro ON NM - - - - - - 11,00 11,70 - - ODPV3 Odontoprev ON NM 44,50 43,00 43,70 45,00 43,95 -2,31 43,50 44,19 129 81.100 2ª série, ex-juros. BRKM3 Braskem ON N1 14,49 14,40 14,40 14,49 14,40 -2,30 14,01 14,85 8 4.400 OGXP3 Ogx Petroleo ON - - - - - - 1,50 - - - BANESTES (BEES) - Ações nominativas, ex-juros mensal. @BRKM5 Braskem PNA N1 14,21 14,21 14,53 14,70 14,68 +2,37 14,47 14,68 701 955.500 OHLB3 Ohl Brasil ON NM 19,34 18,11 18,48 19,34 18,28 -3,84 18,28 18,39 410 439.600 BANCO DO BRASIL (BBAS-NM) - Deixaram de ser negociados os recibos de subscrição (BBAS11). BRKM6 Braskem PNB N1 - - - - - - 11,11 12,00 - - PCAR3 P.Acucar-Cbd ON N1 - - - - - - 0,01 58,00 - - BRASKEM (BRKM-N1) - Debêntures da 14ª emissão, série única, ex-juros. BMTO3 Brasmotor ON - - - - - - 0,96 1,15 - - @PCAR4 P.Acucar-Cbd PN N1 37,00 36,60 36,91 37,10 36,80 +0,82 36,65 36,80 678 953.500 BRAZILIAN SC (BSCS) - CRIs da 1ª emissão, 46ª série, ex-juros e ex-amortização. BMTO4 Brasmotor PN 0,89 0,88 0,90 0,91 0,91 +2,24 0,89 0,91 31 107.000 BPNM4 Panamericano PN N1 8,70 8,60 8,98 9,04 9,03 +4,39 9,00 9,04 216 183.800 CCR RODOVIAS (CCRO-NM) - Debêntures da 2ª emissão, série única, ex-juros e ex-amortização. BSLI4 Brb Banco PN ED - - - - - - 0,10 - - - PATI3 Panatlantica ON - - - - - - 13,51 18,00 - - CEMAR (ENMA-MB)/CONCEPA (CNCP)/COSERN (CSRN)/CPFL ENERGIA (CPFE-NM)/EBE (EBEN)/MRS LOGIST (MRSA-MB) - Debêntures da 3ª emissão, série BUET3 Buettner ON - - - - - - - 25,50 - - PATI4 Panatlantica PN 14,00 14,00 14,00 14,00 14,00 - 13,00 14,00 1 100 única, ex-juros. BUET4 Buettner PN - - - - - - - 24,80 - - PEAB3 Par Al Bahia ON - - - - - - 30,00 40,00 - - CENTENNIAL ASSET CORUMBÁ PARTICIPAÇÃO EM MINERAÇÃO S.A. - Início de negociação com as ações de emissão dessa empresa, cotadas em R$ por CIQU3 Cacique ON - - - - - - 7,40 10,65 - - PEAB4 Par Al Bahia PN 30,00 30,00 30,00 30,00 30,00 - 28,00 30,00 2 200 ação e com lote-padrão de negociação de cem ações. O nome de pregão é CENT CORUMBA e o código de negociação CTMN3 (ON - Isin BRCTMNAC- CIQU4 Cacique PN - - - - - - 9,50 10,69 - - PRBC4 Parana PN N1 9,30 9,29 9,31 9,35 9,30 -0,42 9,25 9,30 28 23.300 NOR9). CAMB4 Cambuci PN 5,80 4,91 5,09 5,80 5,06 -11,22 5,05 5,45 10 2.000 COMPANY (CPNY-NM) - Debêntures da 3ª emissão, série única, ex-juros. PMAM3 Paranapanema ON N1 14,50 14,21 14,51 14,75 14,70 +1,44 14,51 14,90 63 50.100 CPTP3B Capitalpart ON MB - - - - - - 0,30 0,60 - - PMAM4 Paranapanema PN N1 15,35 15,31 15,38 16,00 15,40 +0,98 15,40 16,00 7 2.800 COPEL (CPLE) - Debêntures da 4ª emissão, série única, ex-juros. CRBM7 Caraiba Met PNC - - - - - - 20,00 500,00 - - ECONORTE (ECNT) - Debêntures da 1ª emissão, série única, ex-juros. BPAT11 Patagonia DR3 34,00 34,00 34,00 34,00 34,00 +0,59 33,70 34,00 1 100 CASN3 Casan ON - - - - - - 6,00 15,00 - - ELEKTRO (EKTR) - Debêntures da 2ª emissão, 2ª série, ex-juros. CASN4 Casan PN - - - - - - 6,00 12,00 - - PDGR3 Pdg Realt ON NM 25,00 24,43 24,62 26,44 26,44 +6,82 24,85 26,44 315 1.358.900 FDC BANCOOB (BCOB-MB) - Cotas seniores da 1ª série, ex-amortização. @PRGA3 Perdigao S/A ON NM 41,50 40,69 41,21 41,67 41,67 +1,36 41,05 41,67 801 485.600 CCIM3 Cc Des Imob ON NM 9,20 9,00 9,20 9,30 9,20 - 9,20 9,26 269 68.200 FDC BMC PREM (BMCV) - Cotas seniores da 1ª e 2ª séries, ex-amortização. As cotas seniores da 1ª série deixaram de ser negociadas em razão de seu @CCRO3 Ccr Rodovias ON NM 28,60 28,13 28,69 29,03 28,50 -1,21 28,46 28,61 639 718.200 RPMG3 Pet Manguinh ON 0,90 0,89 0,90 0,90 0,89 -9,18 0,86 0,93 2 500 vencimento. CEBR3 CEB ON - - - - - - 29,00 50,00 - - RPMG4 Pet Manguinh PN 0,92 0,89 0,91 0,94 0,90 +2,27 0,88 0,90 6 5.000 FDC CATAGUAZ (FDCL-MB)/FDC ENERGISA (FENE-MB)/FDC FURNAS I (FRNI) - Cotas seniores, ex-amortização. CEBR5 CEB PNA 31,00 29,10 30,98 31,90 29,10 -4,27 29,10 30,80 3 500 @PETR3 Petrobras ON 98,03 95,28 98,29 100,20 98,20 +0,51 98,00 98,20 2.986 2.263.600 FDC FATOR (ATPN-MB) - Cotas seniores da 1ª emissão, 1ª série, ex-amortização. CEBR6 CEB PNB - - - - - - - 39,90 - - @PETR4 Petrobras PN 81,80 79,30 81,07 82,70 80,90 -0,67 80,90 80,94 16.821 12.261.500 FDC OURINVES (ORVT-MB) - Cotas seniores da 3ª série, ex-amortização. CEDO3 Cedro ON N1 - - - - - - 22,10 29,30 - - PEFX3 Petroflex ON 16,50 16,00 16,36 16,50 16,00 -4,24 16,30 18,00 3 700 FII A BRANCA (FPAB)/FII ABC IMOB (ABCP)/FII ALMIRANT (FAMB-MB)/FII ANCAR IC (ANCR-MB)/FII BB PROGR (BBFI-MB)/FII EUROPAR (EURO)/FII HG CEDO4 Cedro PN N1 - - - - - - 21,00 33,90 - - PEFX5 Petroflex PNA 16,70 16,70 16,70 16,70 16,70 +0,90 16,55 16,94 2 2.000 SHOP (HGBS)/FII HOTEL MX (HTMX-MB)/FII JK IMOB (FJKI)/FII LOURDES (NSLU-MB)/FII OURINVES (EDFO-MB)/FII TORRE AL (ALMI-MB) - Cotas ex-ren- CLSC3 Celesc ON N2 - - - - - - 36,00 39,00 - - PTPA3 Petropar ON - - - - - - 32,00 40,00 - - dimento. @CLSC6 Celesc PNB N2 41,70 41,15 41,77 41,99 41,90 +1,60 41,50 41,90 197 57.600 PTPA4 Petropar PN - - - - - - 35,01 38,19 - - GAFISA (GFSA-NM) - Debêntures da 4ª emissão, série única, ex-juros. CGOS3 Celg ON - - - - - - 20,00 63,00 - - PQUN3 Petroq Uniao ON 14,70 14,70 14,84 14,89 14,89 +1,29 14,81 14,89 16 25.600 ITAUBANCO (ITAU-N1) - Ações escriturais, ex-dividendo mensal. PQUN4 Petroq Uniao PN 14,70 14,70 14,79 14,80 14,80 +1,02 14,70 14,90 13 18.500 P.AÇUCAR-CBD (PCAR-N1) - Debêntures da 6ª emissão, 1ª e 2ª séries, ex-juros. CELM3 Celm ON - - - - - - - 100,00 - - SABESP (SBSP-NM) - Debêntures da 7ª emissão, 1ª e 2ª séries, ex-juros. CELP5 Celpa PNA 16,99 16,99 16,99 16,99 16,99 -4,55 16,00 17,00 1 100 PTNT3 Pettenati ON - - - - - - - 16,00 - - RIO BRAVO (RBRA-MB) - CRIs da 1ª emissão, 33ª e 42ª séries, ex-juros e ex-amortização e da 34ª série subordinada, ex-remuneração. CELP7 Celpa PNC 14,00 14,00 14,00 14,00 14,00 -6,35 13,00 14,00 1 500 PTNT4 Pettenati PN 14,00 13,70 13,71 14,00 13,70 -1,43 13,50 13,70 10 6.600 SANESALTO (SNST) - Debêntures da 2ª emissão, série única, ex-juros. CEPE3 Celpe ON - - - - - - - 39,00 - - PIBB11 Pibb CI 94,32 94,32 95,81 96,70 95,60 +0,63 95,60 96,21 95 34.500 TELEMAR N L (TMAR) - Debêntures da 1ª emissão, 1ª e 2ª séries, ex-juros. CEPE5 Celpe PNA 31,99 31,99 32,00 32,00 32,00 +1,58 31,50 32,00 3 500 PINE4 Pine PN N1 13,00 12,97 13,02 13,10 13,00 +0,15 12,97 13,09 77 64.200 ULTRAPAR (UGPA-N1) - Debêntures da 1ª emissão, série única, ex-juros, ex-amortização final. Deixaram de ser negociadas em razão de seu vencimento. CEPE6 Celpe PNB - - - - - - 29,50 44,00 - - PLAS3 Plascar Part ON 5,88 5,85 5,98 6,10 5,95 -1,16 5,88 5,95 96 137.700 WTORRE NSBC (WTNS) - Cotas ex-juros ex-amortização. RANI3 Celul Irani ON - - - - - - 35,00 46,00 - - PSSA3 Porto Seguro ON NM 63,50 62,27 63,71 64,97 64,50 +1,25 64,50 64,80 88 118.100 RANI4 Celul Irani PN - - - - - - 33,00 50,00 - - . PTBL3 Portobello ON 1,53 1,50 1,52 1,53 1,51 -5,62 1,51 1,52 38 110.000 . Alterações Previstas para o Pregão de 4/3/2008 CMGR3 Cemat ON I07 9,10 9,10 9,79 10,99 10,90 +19,78 10,00 10,80 15 4.500 POSI3 Positivo Inf ON NM 27,60 27,20 27,83 28,15 28,15 +1,51 27,75 28,15 358 204.400 BRADESCO (BBDS-N1) - Ações escriturais, ex-juros mensal e ex-dividendos complementares. CMGR4 Cemat PN I07 11,00 11,00 11,00 11,00 11,00 +22,22 7,02 11,00 1 100 PFRM3 Profarma ON NM - - - - - - 29,80 30,00 - - FER HERINGER (FHER-NM) - Ações escriturais, ex-juros. CMIG3 Cemig ON N1 29,99 29,99 30,43 30,95 30,64 +2,13 30,40 30,64 68 45.400 PNOR5 Pronor PNA 2,00 2,00 2,00 2,00 2,00 -3,84 1,91 2,15 1 500 ROSSI RESID (RSID-NM) - Ações escriturais, ex-desdobramento. @CMIG4 Cemig PN N1 32,10 32,05 33,01 33,55 33,55 +4,19 33,42 33,55 2.415 1.757.500 PNOR6 Pronor PNB 2,16 2,16 2,16 2,16 2,16 +1,88 2,12 2,15 1 2.000 CESP3 Cesp ON N1 37,97 37,31 37,88 37,97 37,82 +1,39 37,33 37,82 20 10.500 . PRVI3 Providencia ON NM 7,57 7,30 7,45 7,64 7,30 - 7,30 7,34 133 133.100 . Ações mais negociadas CESP5 Cesp PNA N1 38,50 38,40 38,45 38,50 38,40 - 37,20 38,40 4 400 RAPT3 Randon Part ON N1 16,90 16,56 16,66 16,90 16,80 -3,83 16,01 16,80 7 3.300 @CESP6 Cesp PNB N1 48,00 47,72 48,12 48,44 48,21 +0,43 48,21 48,30 680 1.160.300 A vista A termo RAPT4 Randon Part PN N1 16,00 16,00 16,15 16,41 16,25 +1,56 16,25 16,35 189 411.600 . CCHI3 Chiarelli ON 0,25 0,25 0,25 0,25 0,25 - 0,25 0,26 1 10.000 RSIP3 Rasip Agro ON - - - - - - 0,69 0,79 - - Valor Part. Valor Part. CCHI4 Chiarelli PN - - - - - - 0,22 0,26 - - HGTX3 Cia Hering ON NM 9,64 9,25 9,38 9,64 9,25 -2,63 9,20 9,25 41 18.100 RSIP4 Rasip Agro PN 0,59 0,58 0,59 0,59 0,58 -1,69 0,59 0,60 15 30.600 Ação . (R$/mil) (%) Ação (R$/mil) (%) GAFP3 Cimob Part ON - - - - - - 0,15 - - - REDE3 Rede Energia ON 8,50 8,50 8,50 8,50 8,50 +3,03 7,70 8,40 1 100 Petrobras PNl 993.984 18,91 Petrobras PNl 11.390 11,74 GAFP4 Cimob Part PN - - - - - - 0,15 - - - REDE4 Rede Energia PN - - - - - - 7,75 8,50 - - Vale R. Doce PNAl N1 592.907 11,28 Petrobras PNl 7.765 8,00 CBMA3 Cobrasma ON - - - - - - 0,22 0,25 - - RDCD3 Redecard ON NM 26,00 25,70 26,70 27,27 27,00 +3,84 26,71 27,00 599 1.194.400 Gerdau PNl ED N1 229.386 4,36 Brasil ONl ED NM 4.903 5,05 CBMA4 Cobrasma PN 0,19 0,19 0,19 0,19 0,19 -5,00 0,19 0,20 9 130.000 RNAR3 Renar ON NM 2,08 2,05 2,09 2,10 2,09 +0,48 2,01 2,09 16 47.300 Petrobras ONl 222.497 4,23 Vale R. Doce PNAl N1 4.340 4,47 CEEB3 Coelba ON - - - - - - 30,21 33,00 - - RNPT4 Renner Part PN - - - - - - - 65,00 - - Bradesco PNl N1 . 202.996 3,86 ALL Amér. Lat. UNT N2l 3.983 4,10 CEEB5 Coelba PNA - - - - - - 31,51 42,01 - - RSUL4 Riosulense PN - - - - - - 140,00 150,00 - - COCE3 Coelce ON - - - - - - 24,01 25,00 - - RDNI3 Rodobensimob ON NM 23,39 23,30 23,39 23,48 23,48 -0,88 23,30 23,49 19 53.700 Futuro de Ações Opções RSID3 Rossi Resid ON NM 39,20 38,70 39,38 40,50 40,15 +3,34 40,00 40,15 532 324.300 COCE5 Coelce PNA 23,15 23,09 23,13 23,40 23,40 +0,86 23,10 23,40 17 4.100 . Valor Part. P/exerc. Valor Part. CGAS3 Comgas ON 37,80 36,60 37,91 38,50 38,50 +1,31 37,50 38,50 9 6.800 @SBSP3 Sabesp ON EJ NM 40,50 39,96 40,59 41,00 40,08 -0,29 40,08 40,50 737 370.500 Ação . Venc. (R$/mil) (%) Ação (R$) Venc. (R$/mil) (%) @CGAS5 Comgas PNA 41,99 41,31 41,95 42,30 42,00 +0,84 41,55 42,00 197 90.000 SDIA3 Sadia S/A ON N1 9,65 9,65 9,65 9,65 9,65 +1,04 9,66 10,20 2 300 CPNY3 Company ON NM 15,16 14,60 14,89 15,16 14,90 +1,01 14,80 14,90 110 89.600 @SDIA4 Sadia S/A PN N1 9,56 9,46 9,66 9,75 9,67 +1,15 9,67 9,71 1.225 1.684.600 OPC PETR PNl 89,74 Mar./08 15.922 10,56 CNFB4 Confab PN N1 5,50 5,40 5,54 5,60 5,58 +1,45 5,58 5,59 128 218.200 FCAP3 Sam Industr ON 0,62 0,61 0,62 0,63 0,61 -1,61 0,61 0,62 7 11.000 OPC PETR PNl 83,74 Mar./08 12.467 8,27 CALI3 Const A Lind ON - - - - - - 263,00 7.000,00 - - OPC VALE PNAl N1 50,00 Mar./08 12.389 8,22 FCAP4 Sam Industr PN 0,70 0,65 0,67 0,70 0,66 -1,49 0,66 0,70 14 27.000 OPC VALE PNAl N1 52,00 Mar./08 11.225 7,45 CALI4 Const A Lind PN - - - - - - 300,00 550,00 - - SAPR4 Sanepar PN 2,60 2,60 2,60 2,60 2,60 - 2,58 2,60 8 20.900 OPC PETR PNl 87,74 Mar./08 10.942 7,26 CTAX3 Contax ON 71,99 71,99 72,00 72,00 72,00 - 65,00 72,00 3 1.800 SANB3 Santander Br ON - - - - - - 0,21 0,23 - - CTAX4 Contax PN 49,95 48,00 48,63 49,95 48,70 +0,41 46,11 48,70 21 30.500 SANB4 Santander Br PN 0,22 0,22 0,22 0,22 0,22 - 0,21 0,23 1 100.000 . . Resumo das operações realizadas CSMG3 Copasa ON NM 25,75 25,50 26,00 26,40 25,90 +0,58 25,90 26,10 29 99.200 CTSA3 Santanense ON - - - - - - 1,58 1,68 - - CPLE3 Copel ON 28,15 27,80 28,03 28,15 27,80 -4,13 27,81 28,49 4 4.800 CTSA4 Santanense PN - - - - - - 1,97 2,15 - - Partic. Valor Partic. CPLE5 Copel PNA - - - - - - 26,00 - - - STBP11 Santos Brp UNT N2 25,00 25,00 25,08 25,20 25,10 -1,14 25,10 25,49 30 466.100 Discrim. . N. negs. Qtde./mil Tot. (%) (R$/mil) Tot.(%) @CPLE6 Copel PNB 27,93 27,38 28,26 28,79 28,75 +4,50 28,54 28,75 533 498.800 SCAR3 Sao Carlos ON NM 14,40 14,15 14,31 14,48 14,27 -0,90 14,26 14,40 27 10.600 Lote Padrão 149.261 8.597.958 74,39 5.249.026,46 95,01 CORR4 Cor Ribeiro PN - - - - - - 30,00 100,00 - - SMTO3 Sao Martinho ON NM 28,16 28,16 29,64 30,29 29,67 +4,10 29,67 29,80 237 154.800 Fracionário 18.167 6.682 0,05 22.639,78 0,40 @CSAN3 Cosan ON NM 28,89 28,70 29,49 29,95 29,90 +3,46 29,80 29,90 1.218 1.246.900 SLED3 Saraiva Livr ON N2 - - - - - - 22,00 26,00 - - Demais Ativos 522 467.586 4,04 4.823,91 0,08 CZLT11 Cosan Ltd DR3 25,35 25,35 25,80 26,99 26,99 +6,46 26,00 27,00 54 41.100 SLED4 Saraiva Livr PN N2 31,10 30,80 31,17 31,30 30,80 -1,25 30,30 30,80 11 8.000 Total a Vista 167.950 9.072.226 78,49 5.276.490,16 95,51 CSRN3 Cosern ON 8,61 8,61 8,61 8,61 8,61 -6,41 8,70 9,70 1 100 SATI3 Satipel ON NM 10,80 10,80 10,84 11,32 11,32 +5,30 10,92 11,20 16 52.200 Ex Opções Compra 8 (*) - 42,29 - CSRN5 Cosern PNA - - - - - - 8,50 9,70 - - SCLO3 Schlosser ON - - - - - - 1,76 16,00 - - Termo 1.995 2.351.802 20,34 96.953,94 1,75 CSRN6 Cosern PNB - - - - - - 8,50 9,70 - - SCLO4 Schlosser PN 4,45 4,45 5,49 5,99 5,02 +7,95 5,00 5,50 27 4.800 Opções Compra 46.101 133.556 1,15 136.494,20 2,47 CTNM3 Coteminas ON 8,00 8,00 8,00 8,98 8,98 +12,25 7,80 8,50 16 201.700 CTNM4 Coteminas PN 9,60 8,87 9,09 9,60 9,00 -5,75 9,00 9,55 85 152.800 SHUL4 Schulz PN 39,40 39,40 39,40 39,40 39,40 - 37,00 39,00 1 100 Opções Venda 21 279 - 453,32 - SEBB11 SEB UNT N2 23,50 23,50 23,50 23,50 23,50 +3,07 22,50 23,40 3 800 Opções Compra Índice 13 3 - 11.162,00 0,20 @CPFE3 Cpfl Energia ON NM 36,98 36,71 38,01 38,49 38,31 +3,54 38,31 38,40 909 583.900 Opções Venda Índice 16 1 - 2.527,80 0,04 CRDE3 CR2 ON NM 11,38 11,38 11,42 11,80 11,80 +3,50 11,50 11,80 7 12.400 CSAB3 Seg Al Bahia ON ED - - - - - - - 31,00 - - Total de Opções 46.151 133.840 1,15 150.637,32 2,72 CREM3 Cremer ON NM 14,70 13,62 14,07 14,79 13,93 -3,86 13,64 13,93 50 139.500 CSAB4 Seg Al Bahia PN ED - - - - - - - 26,33 - - BOVESPA Fix 5 (**) - 47,62 - CZRS4 Cruzeiro Sul PN N1 12,81 12,40 12,60 12,81 12,45 -1,73 12,45 12,65 90 300.100 SEMP3 Semp ON - - - - - - 14,00 18,89 - - @CSNA3 Sid Nacional ON 63,60 62,70 64,47 65,16 64,97 +2,96 64,93 64,97 3.886 2.013.800 . TOTAL GERAL 216.109 11.557.870 100,00 5.524.171,34 100,00 CARD3 Csu Cardsyst ON NM 4,93 4,93 5,06 5,15 5,15 +2,58 5,15 5,25 25 15.000 . @CCPR3 Cyre Com-Ccp ON NM 11,30 11,20 11,54 11,74 11,60 +2,20 11,37 11,60 239 123.800 SLCE3 Slc Agricola ON NM 25,90 25,50 26,23 26,50 25,50 -1,92 25,50 25,88 47 128.300 PARTIC. NOVO MERCADO . 40.873 43.368 0,37 1.034.577,01 18,72 @CYRE3 Cyrela Realt ON NM 26,80 26,80 27,74 28,29 28,25 +4,62 28,25 28,29 1.142 2.338.600 SFSA4 Sofisa PN N1 11,45 11,45 11,73 11,85 11,85 +4,86 11,58 11,85 22 57.400 PARTIC. NÍVEL 1 89.827 123.816 1,07 2.424.773,65 43,89 DHBI3 D H B ON - - - - - - 20,00 - - - SOND3 Sondotecnica ON - - - - - - 5,00 - - - SOND5 Sondotecnica PNA - - - - - - 30,11 34,00 - - . DHBI4 D H B PN - - - - - - 30,00 32,10 - - PARTIC. NÍVEL 2 . 10.463 144.434 1,24 241.924,91 4,37 DASA3 Dasa ON NM 32,65 31,10 31,66 32,65 31,50 -1,56 31,40 31,50 172 305.700 SOND6 Sondotecnica PNB - - - - - - 30,00 49,88 - - PARTIC. BALCÃO ORG. TRADIC. . 132 200.679 1,73 322,04 - DSUL3 Datasul ON NM 17,65 17,45 17,70 18,10 17,50 -1,96 17,40 17,50 97 131.900 @CRUZ3 Souza Cruz ON 49,88 49,41 50,43 51,39 50,25 +2,07 49,86 50,25 629 392.600 PARTIC. IBOVESPA 122.254 235.791 2,04 4.561.425,41 82,57 DAYC4 Daycoval PN N1 12,50 12,40 12,60 12,85 12,80 +0,78 12,80 12,85 67 438.300 SPRI3 Springer ON 7,00 7,00 7,04 7,95 7,00 -12,50 7,00 7,50 8 2.700 PNVL3 Dimed ON 50,00 49,00 49,75 50,00 49,00 -2,00 48,00 50,00 3 400 SPRI5 Springer PNA - - - - - - 3,60 7,80 - - . PARTIC. IBrX-50 . 116.743 232.322 2,01 4.415.876,41 79,93 PNVL4 Dimed PN - - - - - - - 66,98 - - SPRI6 Springer PNB - - - - - - 4,06 8,00 - - PARTIC. IBrX-100 . 134.082 253.613 2,19 4.885.046,65 88,43 DXTG4 Dixie Toga PN 2,85 2,84 2,84 2,85 2,84 -3,72 2,60 2,80 3 10.100 SGPS3 Springs ON NM 16,00 15,61 15,98 16,00 15,61 -2,43 15,60 16,00 6 13.100 IMBI3 Doc Imbituba ON - - - - - - 2,00 2,70 - - AHEB3 Spturis ON - - - - - - 6,00 18,00 - - PARTIC. ISE 61.182 240.610 2,08 2.505.440,36 45,35 IMBI4 Doc Imbituba PN 1,23 1,23 1,25 1,28 1,24 +0,81 1,24 1,25 80 340.000 AHEB5 Spturis PNA - - - - - - 3,11 50,00 - - . PARTIC. ITEL . 8.808 7.946 0,06 163.158,30 2,95 DOCA3 Docas ON - - - - - - 19,00 37,00 - - AHEB6 Spturis PNB - - - - - - 3,00 50,00 - - PARTIC. IEE 9.261 196.763 1,70 255.287,31 4,62 DOCA4 Docas PN - - - - - - 16,20 25,00 - - SASG3 Sul Amer Nac ON 1,08 0,98 1,01 1,08 0,98 -3,92 0,98 1,01 29 119.000 DOHL3 Dohler ON - - - - - - - 35,00 - - . SULA11 Sul America UNT N2 27,00 26,71 26,97 27,01 27,00 +0,03 26,77 27,00 17 12.900 PARTIC. INDX 33.280 30.899 0,26 1.114.199,42 20,16 DOHL4 Dohler PN 39,00 39,00 39,00 39,00 39,00 - 36,00 39,00 1 500 SULT3 Sultepa ON - - - - - - 4,00 6,90 - - . PARTIC. IVBX2 . 50.333 176.920 1,53 1.282.606,28 23,21 DROG3 Drogasil ON NM 12,60 12,60 12,68 12,99 12,65 - 12,65 12,90 71 80.600 SULT4 Sultepa PN 5,15 5,15 5,20 5,20 5,20 - 4,75 5,30 8 32.000 DTCY3 Dtcom-Direct ON 2,38 2,12 2,21 2,38 2,19 -25,25 2,18 2,19 45 25.900 SUZB5 Suzano Papel PNA INT N1 26,79 25,93 26,56 26,85 26,50 +0,18 26,50 26,60 339 1.230.700 PARTIC. IGC . 110.861 242.488 2,09 3.583.956,64 64,87 DUFB11 Dufrybras DR3 37,94 37,21 37,42 37,94 37,50 -1,18 37,15 37,50 81 109.900 SZPQ4 Suzano Petr PN N2 10,26 10,25 10,32 10,49 10,40 +1,06 10,40 10,45 117 345.500 PARTIC. ITAG . 75.617 209.731 1,81 2.218.778,33 40,16 DURA3 Duratex ON N1 31,90 31,40 31,59 31,90 31,40 -1,56 30,10 31,50 5 700 TAMM3 Tam S/A ON N2 - - - - - - - 67,00 - - (*) 900 Ex Opções Compra @DURA4 Duratex PN N1 34,69 34,37 35,42 36,15 36,08 +4,57 36,00 36,08 1.437 849.200 @TAMM4 Tam S/A PN N2 35,71 35,40 36,05 36,68 35,98 +1,40 35,98 36,00 624 349.900 ECOD3 Ecodiesel ON NM 6,01 5,42 6,13 6,73 5,47 -9,58 5,46 5,47 2.912 3.646.200 . (**) 47 BOVESPA Fix . ELEK3 Elekeiroz ON 24,31 24,31 24,60 27,50 27,50 -25,67 27,50 28,00 15 4.400 TARP11 Tarpon DR3 19,45 19,45 20,48 20,55 20,30 +4,96 20,20 20,50 20 25.000 ELEK4 Elekeiroz PN 21,50 21,50 21,50 21,50 21,50 -4,44 21,00 22,50 2 200 SJOS3 Tecel S Jose ON - - - - - - 1,30 5,00 - - . Oscilações @ELET3 Eletrobras ON N1 25,03 24,91 25,93 26,98 26,70 +7,35 26,70 26,90 1.249 1.304.700 SJOS4 Tecel S Jose PN 0,95 0,95 0,98 1,03 1,00 +5,26 0,92 1,01 12 22.000 ELET5 Eletrobras PNA N1 - - - - - - 32,00 35,99 - - TCSA3 Tecnisa ON NM 9,10 8,90 9,01 9,10 9,00 -0,55 8,92 9,00 134 214.300 . Maiores altas Maiores baixas TCNO3 Tecnosolo ON - - - - - - 71,00 125,00 - - @ELET6 Eletrobras PNB N1 25,30 25,02 26,24 27,30 26,78 +7,98 26,70 26,80 1.621 1.697.200 Preço Osc. Preço Osc. ELUM4 Eluma PN - - - - - - 30,00 47,00 - - TCNO4 Tecnosolo PN - - - - - - 30,00 110,00 - - Ação . (R$) (%) Ação (R$) (%) EMAE4 Emae PN 12,00 12,00 12,03 12,50 12,50 +4,16 12,02 12,50 6 1.700 TGMA3 Tegma ON NM 19,51 19,40 19,59 19,74 19,60 -1,70 19,20 19,60 24 11.000 @EMBR3 Embraer ON NM 18,95 18,32 18,53 18,95 18,40 -2,64 18,40 18,45 1.647 1.340.400 TKNO4 Tekno PN - - - - - - 103,10 111,00 - - Merc. Invest. ONl 1,26 28,57 Elekeiroz ONl 27,50 25,67 TNCP3 Tele Nort Cl ON 76,00 76,00 76,00 76,00 76,00 - 74,50 77,99 1 200 Gazola PN* 50,90 27,25 DTCOM-Direct ONl 2,19 25,25 ECPR3 Encorpar ON - - - - - - 25,00 45,00 - - ECPR4 Encorpar PN 37,50 37,50 37,50 37,50 37,50 -1,31 25,00 37,99 1 100 TNCP4 Tele Nort Cl PN 26,06 26,00 26,02 26,06 26,00 -1,10 25,70 26,29 2 1.200 Cemat PNl I07 11,00 22,22 CEEE-D ON* MB 5,80 22,56 Haga S/A ON* 6,00 20,00 Recrusul ON* 6,00 14,28 ENBR3 Energias Br ON NM 26,20 26,08 26,90 27,89 27,89 +6,45 27,10 27,89 275 155.000 TEFC11 Telefonica DR3 47,00 47,00 47,73 48,99 47,21 -2,27 46,00 49,00 3 300 Cemat ONl I07 10,90 19,78 Springer ONl 7,00 12,50 ENGI3 Energisa ON - - - - - - 9,00 9,50 - - @TNLP3 Telemar ON 65,78 62,02 64,60 65,78 65,75 +2,89 65,65 65,75 688 297.400 Habitasul PNAl 9,46 12,75 Cambuci PNl 5,06 11,22 ENGI4 Energisa PN 9,20
  • 19. GAZETA MERCANTIL | Terça-feira, 4 de março de 2008 | B7 BOLSAS NACIONAIS MERCADO A TERMO - (Continuação) MERCADO A TERMO - (Continuação) OPÇÕES DE COMPRA - (Continuação) . Preços R$/ação Oscil. Ofertas Negs. Real. . Preços R$/ação Oscil. Ofertas Negs. Real. . Preços R$/ação Oscil. Ofertas Negs. Real. o o Cód. . Emp./Ação Prazo Abt. Min. Méd. Máx. Fech. (%) Compr. Venda N- Qtde. Cód. . Emp./Ação Prazo Abt. Min. Méd. Máx. Fech. (%) Compr. Venda N- Qtde. Cód. . Emp./Ação Venc. Preço Abt. Min. Méd. Máx. Fech. (%) Compr. Venda N.º Qtde. BBAS3T Brasil ON ED NM 90 28,66 28,66 28,81 28,89 28,89 - - - 4 3.000 CRUZ3T Souza Cruz ON 60 50,45 50,45 50,45 50,46 50,46 - - - 2 500 PETRD85 Petre PN ABR/08 84,74 - - - - - - 0,11 12,99 - - BBAS3T Brasil ON ED NM 91 28,61 28,51 28,58 28,62 28,52 - - - 4 1.500 SZPQ4T Suzano Petr PN N2 60 10,42 10,42 10,48 10,54 10,54 - - - 18 34.600 PINED1 Pinee PN N1 ABR/08 13,80 0,64 0,64 0,64 0,64 0,64 -24,70 0,53 0,90 2 1.500 BRTP4T Brasil T Par PN N1 16 23,60 23,60 23,60 23,61 23,61 - - - 2 5.000 TAMM4T Tam S/A PN N2 16 36,40 36,39 36,40 36,41 36,40 - - - 4 500 PINED2 Pinee PN N1 ABR/08 16,30 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 -77,77 - - 2 1.500 BRTP4T Brasil T Par PN N1 30 23,44 23,44 23,44 23,45 23,45 - - - 2 1.000 TAMM4T Tam S/A PN N2 45 36,18 36,18 36,18 36,19 36,19 - - - 2 5.000 PLASL6 Plas ON DEZ/08 6,00 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 +9,09 1,05 1,70 1 100 BRTP4T Brasil T Par PN N1 45 23,40 23,40 23,40 23,41 23,41 - - - 2 1.000 TGMA3T Tegma ON NM 30 19,76 19,76 19,76 19,77 19,77 - - - 2 1.000 PLASL87 Plase ON DEZ/08 8,70 - - - - - - - 1,20 - - BRTP4T Brasil T Par PN N1 60 24,09 24,09 24,09 24,10 24,10 - - - 2 1.000 TNLP4T Telemar PN 30 42,07 42,07 42,60 42,66 42,66 - - - 4 1.100 PRGAC43 Prga ON NM MAR/08 43,00 - - - - - - - 4,00 - - BRTO4T Brasil Telec PN N1 120 18,97 18,97 18,97 18,98 18,98 - - - 2 3.457 TNLP4T Telemar PN 60 42,66 42,51 42,65 42,67 42,52 - - - 6 12.000 RSIDG43 Rside ON NM JUL/08 43,00 4,09 4,09 4,09 4,09 4,09 +5,14 - - 2 600 BRKM5T Braskem PNA N1 30 14,83 14,83 14,83 14,84 14,84 - - - 2 100.000 TNLP4T Telemar PN 91 42,62 42,62 42,63 42,63 42,63 - - - 2 1.000 RSIDG49 Rside ON NM JUL/08 49,00 1,89 1,89 1,89 1,89 1,89 +4,41 - - 2 600 BRKM5T Braskem PNA N1 38 14,75 14,75 14,75 14,76 14,76 - - - 2 15.000 TMCP4T Telemig Part PN 120 54,32 54,32 54,33 54,33 54,33 - - - 2 1.000 TAMMA35 Tamm PN N2 JAN/09 35,00 - - - - - - - 18,99 - - BRKM5T Braskem PNA N1 60 14,48 14,48 14,76 14,85 14,85 - - - 4 4.000 TLPP3T Telesp ON 120 46,40 46,40 46,40 46,41 46,41 - - - 2 200 TAMMA38 Tamm PN N2 JAN/09 38,00 - - - - - - - 10,00 - - BRKM5T Braskem PNA N1 90 14,88 14,88 14,89 14,89 14,89 - - - 2 18.000 TLPP4T Telesp PN 30 47,67 47,67 47,68 47,68 47,68 - - - 2 1.000 TNLPC34 Tnlp PN MAR/08 34,00 - - - - - - 7,81 - - - BRKM5T Braskem PNA N1 91 14,75 14,75 14,92 15,04 15,04 - - - 4 4.900 TLPP4T Telesp PN 60 47,92 47,74 47,85 47,93 47,75 - - - 4 2.500 TNLPC36 Tnlp PN MAR/08 36,00 - - - - - - 6,21 7,00 - - BRKM5T Braskem PNA N1 120 15,06 15,06 15,06 15,07 15,07 - - - 2 2.000 TNLPC38 Tnlp PN MAR/08 38,00 4,80 4,80 4,80 4,80 4,80 -23,80 4,61 6,99 1 100 TEND3T Tenda ON NM 16 11,44 11,44 11,44 11,45 11,45 - - - 2 2.000 CCIM3T Cc Des Imob ON NM 90 9,47 9,47 9,48 9,48 9,48 - - - 2 1.000 TNLPC40 Tnlp PN MAR/08 40,00 3,21 2,81 2,97 3,21 2,81 -19,71 2,80 3,29 6 1.800 TBLE3T Tractebel ON NM 30 21,23 20,92 21,07 21,24 20,93 - - - 8 6.100 CCRO3T Ccr Rodovias ON NM 30 28,94 28,94 29,01 29,02 29,02 - - - 4 10.500 TNLPC42 Tnlp PN MAR/08 42,00 1,81 1,40 1,60 1,95 1,65 -10,81 1,57 1,65 25 15.300 TBLE3T Tractebel ON NM 60 21,38 21,11 21,32 21,39 21,12 - - - 6 22.100 CCRO3T Ccr Rodovias ON NM 60 29,12 29,09 29,10 29,13 29,10 - - - 4 1.300 TNLPC44 Tnlp PN MAR/08 44,00 0,90 0,63 0,78 0,99 0,69 -32,35 0,65 0,70 86 58.900 CLSC6T Celesc PNB N2 45 42,35 42,35 42,35 42,36 42,36 - - - 2 500 TRPL4T Tran Paulist PN N1 60 41,65 41,65 41,66 41,66 41,66 - - - 6 40.000 TNLPC46 Tnlp PN MAR/08 46,00 0,40 0,24 0,30 0,40 0,26 -35,00 0,24 0,26 61 59.800 CMIG4T Cemig PN N1 16 33,10 33,10 33,11 33,11 33,11 - - - 2 100 UGPA4T Ultrapar PN ED N1 30 64,56 64,56 64,57 64,57 64,57 - - - 2 3.000 TNLPC48 Tnlp PN MAR/08 48,00 0,12 0,12 0,13 0,14 0,14 -22,22 0,14 0,15 8 2.700 CMIG4T Cemig PN N1 30 33,70 33,69 33,70 33,71 33,70 - - - 4 20.000 UBBR11T Unibanco UNT N1 30 22,89 22,89 22,95 23,01 23,01 - - - 4 2.000 TNLPC50 Tnlp PN MAR/08 50,00 0,11 0,09 0,10 0,11 0,09 -25,00 0,07 0,12 4 3.000 CESP3T Cesp ON N1 30 37,62 37,62 37,63 37,63 37,63 - - - 2 100 UBBR11T Unibanco UNT N1 60 23,36 23,23 23,24 23,37 23,24 - - - 4 6.100 TNLPD32 Tnlp PN ABR/08 32,00 - - - - - - 7,81 - - - CESP6T Cesp PNB N1 25 48,77 48,77 48,78 48,78 48,78 - - - 2 7.000 UBBR11T Unibanco UNT N1 91 23,45 23,45 23,46 23,46 23,46 - - - 2 300 TNLPD34 Tnlp PN ABR/08 34,00 - - - - - - 5,81 - - - CESP6T Cesp PNB N1 30 48,38 48,38 48,60 48,71 48,71 - - - 16 9.000 UNIP6T Unipar PNB N1 90 1,66 1,66 1,66 1,67 1,67 - - - 2 50.000 TNLPD36 Tnlp PN ABR/08 36,00 - - - - - - 4,21 - - - CESP6T Cesp PNB N1 32 48,51 48,51 48,51 48,52 48,52 - - - 2 200 UOLL4T UOL PN N2 30 8,76 8,63 8,74 8,77 8,64 - - - 6 10.000 TNLPD38 Tnlp PN ABR/08 38,00 - - - - - - 3,01 - - - CGAS5T Comgas PNA 30 42,33 42,33 42,33 42,34 42,34 - - - 2 1.100 UOLL4T UOL PN N2 60 8,72 8,72 8,74 8,75 8,75 - - - 12 80.000 TNLPD40 Tnlp PN ABR/08 40,00 - - - - - - 2,01 - - - CNFB4T Confab PN N1 60 5,69 5,69 5,70 5,70 5,70 - - - 2 30.000 UOLL4T UOL PN N2 67 8,83 8,83 8,84 8,84 8,84 - - - 2 3.000 TNLPD42 Tnlp PN ABR/08 42,00 - - - - - - 1,01 10,99 - - CNFB4T Confab PN N1 150 5,83 5,83 5,83 5,84 5,84 - - - 2 6.000 USIM5T Usiminas PNA N1 16 98,54 98,54 98,69 98,99 98,99 - - - 4 300 TNLPD44 Tnlp PN ABR/08 44,00 2,01 1,99 2,00 2,01 2,00 -20,00 1,80 2,10 8 1.500 CSAN3T Cosan ON NM 30 29,81 29,64 29,75 29,82 29,70 - - - 6 16.100 USIM5T Usiminas PNA N1 30 103,78 102,95 103,45 103,79 102,96 - - - 6 250 TNLPD46 Tnlp PN ABR/08 46,00 - - - - - - 0,01 6,99 - - CZLT11T Cosan Ltd DR3 30 25,55 25,55 25,56 25,56 25,56 - - - 2 3.000 USIM5T Usiminas PNA N1 32 103,48 103,48 103,48 103,49 103,49 - - - 2 100 TNLPD48 Tnlp PN ABR/08 48,00 - - - - - - - 4,99 - - CTNM4T Coteminas PN 81 9,21 9,21 9,21 9,22 9,22 - - - 2 90.000 USIM5T Usiminas PNA N1 60 102,70 102,70 102,71 102,71 102,71 - - - 2 200 TNLPD50 Tnlp PN ABR/08 50,00 - - - - - - - 2,99 - - CREM3T Cremer ON NM 30 14,32 14,32 14,32 14,33 14,33 - - - 2 5.000 USIM5T Usiminas PNA N1 90 100,43 100,43 100,43 100,44 100,44 - - - 2 5.000 TNLPD30 Tnlpe PN ABR/08 30,00 - - - - - - 9,51 - - - CZRS4T Cruzeiro Sul PN N1 30 12,71 12,71 12,71 12,72 12,72 - - - 2 1.500 USIM5T Usiminas PNA N1 220 110,00 110,00 110,01 110,01 110,01 - - - 2 10.000 TNLPD35 Tnlpe PN ABR/08 35,00 - - - - - - 5,01 - - - CZRS4T Cruzeiro Sul PN N1 45 12,75 12,75 12,75 12,76 12,76 - - - 2 2.000 USIM5T Usiminas PNA N1 221 110,05 110,05 110,06 110,06 110,06 - - - 2 10.000 TNLPH40 Tnlpe PN AGO/08 40,00 - - - - - - 0,02 - - - DASA3T Dasa ON NM 30 31,67 31,67 31,67 31,68 31,68 - - - 2 500 VCPA4T V C P PN N1 30 54,71 54,25 54,66 54,72 54,26 - - - 4 800 UBBRC23 Ubbr UNT N1 MAR/08 23,00 - - - - - - 0,40 - - - IMBI4T Doc Imbituba PN 60 1,28 1,28 1,28 1,29 1,29 - - - 2 1.000 VALE3T Vale R Doce ON N1 28 59,12 59,12 59,12 59,13 59,13 - - - 2 3.000 UBBRC24 Ubbr UNT N1 MAR/08 24,00 - - - - - - - 0,60 - - DTCY3T Dtcom-Direct ON 30 2,13 2,13 2,14 2,14 2,14 - - - 2 2.000 VALE3T Vale R Doce ON N1 60 59,44 59,44 59,78 59,99 59,63 - - - 12 21.000 UBBRL28 Ubbr UNT N1 DEZ/08 27,60 - - - - - - 1,00 - - - DTCY3T Dtcom-Direct ON 60 2,33 2,33 2,34 2,34 2,34 - - - 2 600 VALE3T Vale R Doce ON N1 91 60,30 60,30 60,31 60,31 60,31 - - - 2 600 USIMC94 Usim PNA N1 MAR/08 94,00 - - - - - - - 12,00 - - DUFB11T Dufrybras DR3 16 37,45 37,45 37,46 37,46 37,46 - - - 2 3.000 VALE5T Vale R Doce PNA N1 16 50,36 49,23 50,03 50,39 49,96 - - - 32 18.300 VALEC36 Vale PNA N1 MAR/08 36,00 14,20 14,20 14,20 14,20 14,20 -4,05 - - 1 1.000 DUFB11T Dufrybras DR3 30 37,70 37,70 37,71 37,71 37,71 - - - 2 400 VALE5T Vale R Doce PNA N1 17 50,09 49,09 49,72 50,33 49,57 - - - 26 17.400 VALEC38 Vale PNA N1 MAR/08 38,00 12,00 12,00 12,00 12,00 12,00 -13,54 - - 1 100 DURA4T Duratex PN N1 16 36,27 35,78 36,12 36,28 35,79 - - - 16 50.000 VALE5T Vale R Doce PNA N1 25 50,23 49,98 50,11 50,24 50,09 - - - 8 7.000 VALEC40 Vale PNA N1 MAR/08 40,00 10,15 9,92 10,12 10,15 9,92 -8,90 8,50 11,00 4 1.800 DURA4S Duratex PN N1 30 36,13 36,13 36,13 36,14 36,14 - - - 2 2.000 VALEC42 Vale PNA N1 MAR/08 42,00 7,91 7,50 8,00 8,46 7,92 -8,96 7,71 8,20 32 14.000 VALE5T Vale R Doce PNA N1 30 50,17 49,36 50,07 50,49 50,22 - - - 160 86.694 DURA4T Duratex PN N1 30 35,25 35,00 35,36 36,07 35,61 - - - 20 15.900 VALEC44 Vale PNA N1 MAR/08 44,00 6,00 5,41 5,85 6,45 5,90 -7,81 5,20 6,25 67 62.500 VALE5T Vale R Doce PNA N1 32 49,92 49,92 49,92 49,93 49,93 - - - 2 200 DURA4T Duratex PN N1 32 36,15 36,15 36,15 36,16 36,16 - - - 4 5.000 VALEC45 Vale PNA N1 MAR/08 44,66 - - - - - - 2,21 - - - VALE5T Vale R Doce PNA N1 42 49,92 49,92 49,92 49,93 49,93 - - - 2 500 DURA4T Duratex PN N1 46 36,19 36,19 36,20 36,20 36,20 - - - 8 2.000 VALEC46 Vale PNA N1 MAR/08 46,00 4,70 3,75 4,22 4,76 4,40 -4,34 4,39 4,50 527 615.900 DURA4T Duratex PN N1 60 35,25 35,25 36,30 36,69 36,69 - - - 18 16.800 VALE5T Vale R Doce PNA N1 53 50,56 50,15 50,34 50,57 50,28 - - - 6 12.000 VALEC48 Vale PNA N1 MAR/08 48,00 3,09 2,34 2,77 3,10 2,90 -9,65 2,86 2,90 1.267 1.627.100 DURA4S Duratex PN N1 90 35,45 35,45 35,46 35,46 35,46 - - - 2 3.000 VALE5T Vale R Doce PNA N1 60 50,14 49,77 50,37 50,90 50,33 - - - 108 64.100 VALEC50 Vale PNA N1 MAR/08 50,00 2,00 1,36 1,64 2,00 1,70 -17,87 1,68 1,70 3.783 7.538.200 DURA4T Duratex PN N1 120 35,64 35,64 35,64 35,65 35,65 - - - 2 100 VALE5T Vale R Doce PNA N1 67 50,39 50,39 50,40 50,40 50,40 - - - 2 1.000 VALEC52 Vale PNA N1 MAR/08 52,00 1,00 0,68 0,82 1,05 0,80 -29,20 0,80 0,81 4.526 13.759.900 ECOD3T Ecodiesel ON NM 30 6,55 6,55 6,56 6,56 6,56 - - - 2 3.000 VALE5S Vale R Doce PNA N1 90 50,59 50,46 50,51 50,60 50,47 - - - 14 8.000 VALEC54 Vale PNA N1 MAR/08 54,00 0,55 0,32 0,40 0,55 0,36 -38,98 0,36 0,37 3.258 14.265.300 ECOD3T Ecodiesel ON NM 60 5,69 5,53 5,55 5,70 5,54 - - - 4 11.000 VALE5T Vale R Doce PNA N1 90 50,52 50,31 50,52 51,19 50,35 - - - 30 43.500 VALEC56 Vale PNA N1 MAR/08 56,00 0,26 0,15 0,19 0,26 0,18 -37,93 0,18 0,20 1.404 8.831.500 ELET3T Eletrobras ON N1 30 25,42 25,42 25,42 25,43 25,43 - - - 2 1.000 VALE5T Vale R Doce PNA N1 91 50,61 50,25 50,76 51,31 50,36 - - - 16 6.000 VALEC58 Vale PNA N1 MAR/08 58,00 0,15 0,08 0,10 0,15 0,09 -43,75 0,09 0,10 465 5.037.500 ELET3T Eletrobras ON N1 60 25,83 25,83 26,27 26,38 26,32 - - - 10 7.000 VALE5T Vale R Doce PNA N1 108 51,68 51,68 51,68 51,69 51,69 - - - 2 500 VALEC60 Vale PNA N1 MAR/08 60,00 0,07 0,04 0,05 0,07 0,06 -33,33 0,05 0,06 219 3.245.800 ELET3T Eletrobras ON N1 90 26,54 25,90 26,23 26,55 25,91 - - - 4 2.000 VALE5T Vale R Doce PNA N1 120 51,09 51,09 51,34 51,77 51,28 - - - 14 25.500 VALEC62 Vale PNA N1 MAR/08 62,00 0,05 0,02 0,04 0,05 0,04 -33,33 0,03 0,04 64 1.073.500 ELET6T Eletrobras PNB N1 30 26,34 26,10 26,24 26,35 26,11 - - - 8 2.500 VALE5T Vale R Doce PNA N1 180 51,96 51,96 51,96 51,97 51,97 - - - 4 4.000 VALEC64 Vale PNA N1 MAR/08 64,00 0,03 0,01 0,03 0,04 0,02 -33,33 0,02 0,03 41 456.400 EMBR3T Embraer ON NM 30 18,73 18,66 18,76 18,86 18,70 - - - 12 10.000 VALE5T Vale R Doce PNA N1 182 52,61 52,61 52,61 52,62 52,62 - - - 2 1.000 VALEC66 Vale PNA N1 MAR/08 66,00 0,02 0,01 0,02 0,02 0,02 - 0,01 0,02 17 287.000 EMBR3T Embraer ON NM 60 18,89 18,62 18,75 19,00 18,63 - - - 20 13.800 VIVO4T Vivo PN 30 10,59 10,59 10,59 10,60 10,60 - - - 2 1.500 VALEC68 Vale PNA N1 MAR/08 68,00 0,02 0,01 0,02 0,02 0,01 -50,00 0,01 0,02 7 160.800 EMBR3T Embraer ON NM 90 19,08 19,08 19,08 19,09 19,09 - - - 2 1.800 WEGE3T WEG ON NM 30 22,79 22,79 22,79 22,80 22,80 - - - 2 1.000 VALEC70 Vale PNA N1 MAR/08 70,00 0,01 0,01 0,01 0,01 0,01 - 0,01 0,02 5 226.100 EMBR3T Embraer ON NM 91 19,08 18,87 18,98 19,09 18,88 - - - 4 10.000 MWET3T Wetzel S/A ON 30 45,35 45,35 45,36 45,36 45,36 - - - 2 100 VALEC72 Vale PNA N1 MAR/08 72,00 0,01 0,01 0,01 0,02 0,01 - 0,01 0,02 66 985.400 EMBR3T Embraer ON NM 120 18,95 18,95 18,96 18,96 18,96 - - - 2 200 VALED30 Vale PNA N1 ABR/08 30,00 - - - - - - 12,81 - - - ENBR3T Energias Br ON NM 90 27,32 27,32 27,32 27,33 27,33 - - - 2 500 VALED38 Vale PNA N1 ABR/08 38,00 - - - - - - 5,81 - - - ENBR3T Energias Br ON NM 180 28,51 28,48 28,51 28,52 28,49 - - - 4 2.000 VALED40 Vale PNA N1 ABR/08 40,00 - - - - - - 2,21 - - - EQTL11T Equatorial UNT N2 90 19,16 19,16 19,16 19,17 19,17 - - - 2 1.000 OPÇÕES DE COMPRA VALED42 Vale PNA N1 ABR/08 42,00 - - - - - - 7,81 - - - EQTL11T Equatorial UNT N2 150 19,48 19,48 19,48 19,49 19,49 - - - 2 37.000 VALED44 Vale PNA N1 ABR/08 44,00 6,00 6,00 6,55 7,10 6,80 -12,93 6,61 7,49 6 900 ESTC11T Estacio Part UNT N2 30 10,38 10,38 10,38 10,39 10,39 - - - 2 1.000 . Preços R$/ação Oscil. Ofertas Negs. Real. VALED46 Vale PNA N1 ABR/08 46,00 5,50 5,21 5,51 5,70 5,42 -11,14 5,41 5,79 34 10.800 ETER3T Eternit ON ED NM 91 7,56 7,56 7,56 7,57 7,57 - - - 2 1.000 Cód. . Emp./Ação Venc. Preço Abt. Min. Méd. Máx. Fech. (%) Compr. Venda N.º Qtde. VALED48 Vale PNA N1 ABR/08 48,00 4,32 4,00 4,43 4,99 4,35 -5,84 4,20 4,60 56 42.100 EUCA4T Eucatex PN 90 7,18 7,18 7,18 7,19 7,19 - - - 2 1.000 VALED50 Vale PNA N1 ABR/08 50,00 3,50 3,01 3,36 3,51 3,31 -11,73 3,30 3,31 228 134.500 BBASC31 Bbas /edr ON NM MAR/08 30,95 - - - - - - - 1,00 - - FHER3T Fer Heringer ON NM 16 20,62 20,62 20,63 20,63 20,63 - - - 2 2.000 VALED52 Vale PNA N1 ABR/08 52,00 2,62 2,15 2,51 2,75 2,50 -10,71 2,50 2,54 334 254.300 BBDCC46 Bbdc PN N1 MAR/08 45,98 8,40 8,40 8,40 8,40 8,40 +16,66 - - 1 100 FHER3T Fer Heringer ON NM 30 20,68 20,68 20,69 20,69 20,69 - - - 2 300 VALED54 Vale PNA N1 ABR/08 54,00 1,90 1,65 1,79 1,98 1,77 -11,50 1,77 1,85 247 142.100 BBDCC50 Bbdc PN N1 MAR/08 50,00 4,70 4,70 4,70 4,70 4,70 +17,50 3,95 5,00 1 100 FHER3T Fer Heringer ON NM 60 21,38 21,38 21,39 21,39 21,39 - - - 2 700 VALED56 Vale PNA N1 ABR/08 56,00 1,35 1,15 1,24 1,44 1,15 -17,85 1,15 1,22 169 176.100 BBDCC52 Bbdc PN N1 MAR/08 51,98 - - - - - - 1,40 - - - FRAS4T Fras-Le PN N1 16 5,09 5,09 5,10 5,10 5,10 - - - 2 10.000 VALED58 Vale PNA N1 ABR/08 58,00 1,00 0,75 0,94 1,00 0,87 -15,53 0,81 0,87 79 111.400 BBDCC54 Bbdc PN N1 MAR/08 53,98 - - - - - - - 1,40 - - GGBR4T Gerdau PN ED N1 30 57,00 55,88 56,75 57,01 56,30 - - - 10 3.700 VALED6 Vale PNA N1 ABR/08 66,00 - - - - - - 0,15 0,23 - - BBDCC56 Bbdc PN N1 MAR/08 56,00 - - - - - - 0,01 1,00 - - GGBR4T Gerdau PN ED N1 60 57,85 57,85 58,01 58,32 58,32 - - - 4 1.500 VALED60 Vale PNA N1 ABR/08 60,00 0,70 0,60 0,64 0,70 0,60 -14,28 0,56 0,60 38 39.700 BBDCD54 Bbdc PN N1 ABR/08 54,00 - - - - - - 1,42 - - - GGBR4T Gerdau PN ED N1 120 59,44 57,47 58,74 59,45 57,48 - - - 4 2.800 VALED62 Vale PNA N1 ABR/08 62,00 - - - - - - 0,32 0,46 - - GOAU4T Gerdau Met PN ED N1 30 76,65 75,08 76,29 76,66 75,09 - - - 6 5.900 BOVHC26 Bovh ON NM MAR/08 26,00 - - - - - - 1,60 3,00 - - VALED64 Vale PNA N1 ABR/08 64,00 0,29 0,29 0,29 0,29 0,29 -29,26 0,25 0,32 1 700 GOAU4T Gerdau Met PN ED N1 90 78,00 78,00 78,01 78,01 78,01 - - - 2 200 BRKMC14 Brkm PNA N1 MAR/08 14,00 - - - - - - - 1,05 - - VALED68 Vale PNA N1 ABR/08 68,00 0,17 0,15 0,16 0,17 0,15 -16,66 0,13 0,15 8 4.700 GOAU4T Gerdau Met PN ED N1 120 79,53 79,53 79,54 79,55 79,55 - - - 4 1.600 CESPC48 Cesp PNB N1 MAR/08 48,00 - - - - - - 0,50 2,50 - - VALED70 Vale PNA N1 ABR/08 70,00 0,12 0,11 0,11 0,12 0,11 -15,38 0,09 0,11 3 4.500 GOLL4T GOL PN N2 21 29,08 29,08 29,08 29,09 29,09 - - - 2 1.000 CSANC26 Csane ON NM MAR/08 26,00 - - - - - - - 5,20 - - VALED72 Vale PNA N1 ABR/08 72,00 - - - - - - - 0,21 - - GOLL4T GOL PN N2 30 29,21 29,21 29,27 29,30 29,30 - - - 6 3.600 CSNAC58 Csna ON MAR/08 58,00 - - - - - - - 14,00 - - VALEE50 Vale PNA N1 MAI/08 50,00 - - - - - - 4,21 7,20 - - GOLL4T GOL PN N2 45 29,55 29,55 29,56 29,56 29,56 - - - 2 400 CSNAC66 Csna ON MAR/08 66,00 - - - - - - - 5,00 - - VALEE52 Vale PNA N1 MAI/08 52,00 - - - - - - 3,00 6,50 - - GOLL4T GOL PN N2 60 29,94 29,94 29,95 29,95 29,95 - - - 2 400 CSNAC70 Csna ON MAR/08 70,00 1,00 1,00 1,04 1,10 1,10 +10,00 0,20 1,10 3 800 VALEE54 Vale PNA N1 MAI/08 54,00 2,81 2,40 2,50 3,00 2,51 -21,56 2,50 2,90 19 6.500 GOLL4T GOL PN N2 120 30,56 30,56 30,56 30,57 30,57 - - - 2 1.000 CSNAC97 Csna ON MAR/08 30,46 - - - - - - 15,00 - - - VALEE56 Vale PNA N1 MAI/08 56,00 - - - - - - 0,02 - - - GUAR4T Guararapes PN 60 55,77 55,77 55,77 55,78 55,78 - - - 2 300 CSNAD74 Csna ON ABR/08 74,00 - - - - - - - 6,00 - - VALEE58 Vale PNA N1 MAI/08 58,00 1,60 1,60 1,66 1,70 1,61 -8,00 1,51 1,65 3 1.100 HBTS5T Habitasul PNA 60 9,16 9,16 9,16 9,17 9,17 - - - 2 500 CSNAE67 Csnae ON MAI/08 67,00 - - - - - - 5,50 15,00 - - VALEE60 Vale PNA N1 MAI/08 60,00 1,45 1,45 1,45 1,45 1,45 - 1,11 1,40 1 300 IDNT3T Ideiasnet ON NM 30 6,25 6,15 6,19 6,26 6,16 - - - 4 3.000 CTAXD55 Ctaxe PN ABR/08 55,00 1,04 1,04 1,04 1,04 1,04 -44,38 - - 1 300 VALEF54 Vale PNA N1 JUN/08 54,00 4,48 4,48 4,93 5,20 5,20 +15,55 - - 5 6.000 IDNT3T Ideiasnet ON NM 120 6,27 6,27 6,35 6,38 6,38 - - - 10 50.000 CTAXD65 Ctaxe PN ABR/08 65,00 0,03 0,03 0,03 0,03 0,03 -75,00 - - 1 300 VALEG56 Vale PNA N1 JUL/08 56,00 - - - - - - 0,40 - - - INPR3T Inpar S/A ON NM 30 12,75 12,75 12,75 12,76 12,76 - - - 2 1.500 ELETF22 Elet ON N1 JUN/08 22,00 5,04 5,03 5,04 5,04 5,03 -0,59 - - 3 192.000 VALEC1 Valee PNA N1 MAR/08 45,00 5,00 5,00 5,11 5,55 5,00 -16,66 4,00 5,55 3 500 MYPK3T Iochp-Maxion ON N1 90 38,47 38,47 38,48 38,48 38,48 - - - 2 2.000 ELETD5 Elete ON N1 ABR/08 29,50 1,00 1,00 1,25 1,50 1,50 +275,00 0,11 - 2 200 VALEC43 Valee PNA N1 MAR/08 43,00 - - - - - - 2,81 - - - ITAU4T Itaubanco PN EDJ N1 30 42,95 42,95 42,96 42,96 42,96 - - - 2 100 GGBRC56 Ggbr /ed PN N1 MAR/08 55,71 - - - - - - 0,65 7,20 - - VALED41 Valee PNA N1 ABR/08 41,00 - - - - - - 1,21 - - - ITAU4T Itaubanco PN EDJ N1 60 43,57 43,57 43,72 44,03 44,03 - - - 4 6.000 GGBRC58 Ggbr /ed PN N1 MAR/08 57,71 - - - - - - - 5,99 - - VALED43 Valee PNA N1 ABR/08 43,00 - - - - - - 0,05 - - - ITSA4T Itausa PN EDJ N1 16 10,84 10,76 10,84 10,88 10,88 - - - 8 10.700 GGBRC60 Ggbr /ed PN N1 MAR/08 60,00 - - - - - - 0,10 - - - VIVOC10 Vivo PN MAR/08 10,00 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 -42,85 0,50 1,01 4 500 ITSA4T Itausa PN EDJ N1 30 10,88 10,73 10,90 11,02 10,86 - - - 32 235.200 GOLLD30 Goll PN N2 ABR/08 30,00 - - - - - - 1,30 1,99 - - ITSA4T Itausa PN EDJ N1 60 10,98 10,94 10,99 11,01 11,01 - - - 12 21.800 GOLLC39 Golle PN N2 MAR/08 39,00 - - - - - - 0,01 0,40 - - IDNTJ12 Idnt ON NM OUT/08 12,00 - - - - - - - 10,00 - - ITSA4T Itausa PN EDJ N1 120 11,14 11,14 11,14 11,15 11,15 - - - 2 500 ITAUC40 Itau /edj PN N1 MAR/08 39,29 - - - - - - 0,50 - - - MERCADO A VISTA - LOTE DE MIL AÇÕES ITSA4T Itausa PN EDJ N1 180 11,55 11,55 11,56 11,56 11,56 - - - 2 1.000 JBSS3T JBS ON NM 25 6,76 6,75 6,75 6,77 6,76 - - - 4 30.000 ITSAC10 Itsa /edj PN N1 MAR/08 9,77 - - - - - - 0,65 1,60 - - . Preços R$/mil Oscil. Ofertas Negs. Real. JBSS3T JBS ON NM 30 6,88 6,79 6,81 6,89 6,80 - - - 4 12.100 ITSAC11 Itsa /edj PN N1 MAR/08 10,77 - - - - - - 0,30 0,80 - - ITSAC12 Itsa /edj PN N1 MAR/08 11,77 - - - - - - 0,04 0,12 - - Cód. . Emp./Ação Abt. Min. Méd. Máx. Fech. (%) Compr. Venda N.º Qtde. JBSS3T JBS ON NM 91 7,03 7,03 7,04 7,04 7,04 - - - 2 1.500 KEPL3T Kepler Weber ON 16 0,38 0,37 0,38 0,39 0,38 - - - 4 1.400 ITSAC4 Itsa /edj PN N1 MAR/08 12,00 - - - - - - 0,03 - - - . A KEPL3T Kepler Weber ON 30 0,38 0,38 0,38 0,39 0,39 - - - 2 100.000 ITSAD1 Itsa /edj PN N1 ABR/08 11,50 - - - - - - - 0,45 - - AELP3 Aes Elpa ON * - - - - - - 26,50 27,39 - - KEPL3T Kepler Weber ON 45 0,37 0,37 0,37 0,38 0,38 - - - 2 100.000 JFEND8 Jfen ON ABR/08 8,00 - - - - - - 0,20 0,65 - - GETI3 Aes Tiete ON * 72,49 70,21 71,74 72,99 72,95 +2,14 72,50 72,95 58 14.800.000 KEPL3T Kepler Weber ON 60 0,37 0,37 0,38 0,38 0,38 - - - 2 25.000 KLBNC60 Klbn PN N1 MAR/08 6,00 0,13 0,13 0,13 0,13 0,13 -55,17 - - 1 2.400 GETI4 Aes Tiete PN * 63,21 62,99 63,47 64,20 63,10 -1,40 63,10 63,65 135 63.400.000 KEPL3T
  • 20. B8 | Terça-feira, 4 de março de 2008 | GAZETA MERCANTIL FUNDOS MÚTUOS FI RENDA FIXA FI MULTIMERCADO SEM ALAVANCAGEM PGBL - COMPOSTO - (Continuação) FIC RENDA FIXA - (Continuação) Instituições Patrimônio Quota Rent. Acumulada % Instituições Patrimônio Quota Rent. Acumulada % Instituições Patrimônio Quota Rent. Acumulada % Instituições Patrimônio Quota Rent. Acumulada % Líquido do Dia Ind. de Tx. de Líquido do Dia Ind. de Tx. de Líquido do Dia Ind. de Tx. de Líquido do Dia Ind. de Tx. de . 29/02 (R$) 03/03 (R$) Dia Mês Ano Volat. Sharpe Adm. % . 29/02 (R$) 29/02 (R$) Dia Mês Ano Volat. Sharpe Adm. % . 29/02 (R$) 03/03 (R$) Dia Mês Ano Volat. Sharpe Adm. % . 29/02 (R$) 03/03 (R$) Dia Mês Ano Volat. Sharpe Adm. % ABN AMRO FI Renda Fixa ANS* 39077080,4 101,7370359 0,040 0,715 1,59 - - 0,75 ABN AMRO FI Mult Manager DT* 260974321,2 332,9604592 0,040 0,812 1,64 0,151 47,011 0,60 Bradesco FIC MM PGBL V15/20* 135463244,3 3,2975499 0,076 2,352 1,81 4,270 0,897 2,00 Sant FICFI Recomp Sênior 2 RF 30320336,0 10,3111792 0,024 0,685 1,46 0,272 -8,031 2,40 ABN AMRO FI RF Cash 95132314,0 1,0624399 0,043 0,801 1,74 0,046 0,046 0,35 ABN AMRO Multim. Institucional 157808992,2 333,5376785 0,038 0,767 1,80 0,524 13,837 #0,30 Bradesco FIC MM PGBL V15/30* 213677570,4 3,1084429 0,072 2,296 1,58 4,385 0,548 3,00 Sant FICFI Recompensa RF 100392271,3 10,8898374 0,031 0,805 1,72 0,280 -1,348 0,80 ABN AMRO FI RF Fundações* 233257475,0 9966,49438 0,036 0,718 2,07 1,001 0,876 0,50 Alfa Termo - FI Multim LP IQ* 78093080,7 316,406574 0,045 0,827 1,80 0,290 27,747 0,50 Bradesco FIC MM PGBL V30/20* 160486426,6 3,6854695 0,114 4,039 1,98 8,498 0,623 2,00 Santander FIC FI Matser RF 3062194647,5 84,4922117 0,029 0,772 1,64 0,269 -3,249 1,00 Acantis RF FI* 1396192458,7 23,896868 0,034 0,887 2,11 0,347 10,858 ------ Bancoob Capital FI* 561317373,0 2,630342 0,043 0,841 1,82 3,316 2,614 #1,00 Bradesco FIC MM PGBL V30/30* 196635908,2 3,2339406 0,112 3,941 1,69 8,605 0,415 3,00 Santander FIC FI PB VIP RF 219846322,6 15,1488913 0,031 0,815 1,73 0,281 -1,111 0,50 Alfa Mix - Fdo RF LP* 292664612,7 987,4503431 0,032 0,765 1,73 0,330 -2,408 0,50 BNP Paribas Smart FI Multimerc 64953150,6 5,102479 0,047 1,547 2,13 1,591 6,191 1,00 Bradesco FIC MM PGBL V40/20* 213485848,0 4,0043846 0,138 5,114 2,24 11,276 0,590 2,00 Short Term Max FX IB-RF FICFI 37351647,1 281,587464 0,040 0,782 1,69 0,050 -5,273 0,30 Banestes Institucional 76578388,1 2,0234863 0,042 0,803 1,74 0,010 8,446 0,35 Brad FI Multi Multiperformance 57077176,8 1000,97466 0,062 0,876 1,79 1,265 6,241 #0,50 Bradesco FIC MM PGBL V40/30* 327364885,9 3,4284118 0,138 5,060 1,77 11,453 0,376 3,00 Top Renda Mista Corp RF FICFI* 454082413,9 80,485368 0,041 0,786 1,73 0,086 0,611 0,50 Banestes Invest Money 93566253,7 7,3564427 0,038 0,725 1,57 0,001-1618,361 1,00 Bradesco FI MM Ipanema* 320438673,7 2,5784822 -0,004 1,154 2,18 1,314 7,740 ------ Brasilprev RT Com20 III FICFI* 93162459,8 2,707567 -0,483 1,716 1,19 6,320 -0,050 3,00 Top RF Mix LP FICFI* 207374735,9 67,625988 0,035 0,678 1,48 0,086 -18,777 2,00 Banestes Invest. Public 291717428,2 4,3086931 0,020 0,370 0,80 0,006-1000,781 6,00 Bradesco FI Multi Dynamic* 34458546,7 805,4503785 0,026 0,919 7,93 12,035 3,231 0,75 Brasilprev RT Comp 20 FICFI* 139627892,7 2,760261 -0,485 1,680 1,11 6,321 -0,132 3,50 UBB Active FIX FIC FI RF CP 778158325,0 1,399246 0,042 0,803 1,74 0,017 6,335 ------ Banestes Investidor 83116756,7 3,694739 0,030 0,576 1,25 0,001-5624,084 3,00 BRAM FI MM Segmento* 240257132,8 1,4091128 0,017 0,862 1,94 0,583 16,132 ------ Brasilprev RT Comp 20 V FICFI* 107253974,0 2,887617 -0,479 1,786 1,35 6,316 0,117 2,00 UBB Previdência FICFI RF 47558503,4 9,070598 0,036 0,785 1,69 0,077 -4,010 0,20 Banrisul Super FI RF 425734234,2 3,63212 0,024 0,473 1,02 0,033 -140,388 4,50 CAIXA FI Multimercado RV 30 LP 59899608,9 2,896157 0,062 1,207 0,96 1,668 2,673 #2,50 Brasilprev RT Comp 49 FICFI* 174624066,9 1,785851 -0,994 2,771 0,97 12,571 -0,161 3,00 UBB Priv Conservador FICFI 145823490,1 6,933289 0,033 0,785 1,69 0,120 -2,463 0,00 Caixa FIC Entid Fechadas Multi 35436008,3 1,100683 -0,018 1,118 1,74 1,018 7,158 0,05 Brasilprev RT Comp20 II FICFI* 81719341,5 2,842268 -0,476 1,824 1,43 6,315 0,205 1,50 UBB Priv Moderado FICFI* 31308063,9 4,0715 0,015 0,733 1,62 0,325 -2,543 #0,00 Banrisul Vip FI RF LP* 527607439,9 7,85373 0,030 0,656 1,42 0,110 -16,714 2,00 Cargilprev CD FI* 204929619,5 101,949219 0,045 0,851 1,88 0,036 250,837 0,00 Brasilprev RT Comp20 IV FICFI* 84506959,0 2,799561 -0,481 1,751 1,27 6,318 0,034 2,50 UBB Renda Fixa FICFI 107086640,6 6,759079 0,018 0,479 1,02 0,120 -38,664 1,50 BB Atuarial FI Renda Fixa* 75116223,0 5,0916646 -0,011 1,238 2,53 1,202 5,685 0,20 CSAM High Yield I FI* 343593920,1 8,939931 0,072 0,902 1,93 1,011 6,627 #1,00 Brasilprev RT Comp49 II FICFI* 379700311,3 1,869193 -0,990 2,845 1,13 12,565 -0,076 2,00 UBB Renda Fixa Plus FICFI 306258084,6 80,068382 0,024 0,593 1,27 0,120 -25,332 0,00 BB Institucional Federal LP* 288480779,0 1,3931815 0,041 0,800 1,72 0,184 -0,043 0,20 CSAM Portfólio Plus FI* 1714121748,7 10,385293 0,044 0,777 1,75 0,349 21,770 #1,00 Citiprevidencia C25 FI* 104721644,5 2585,576675 -0,525 1,853 0,03 7,619 -0,911 ------ Unibanco Empresas RF FICFI 389831445,1 2,603875 0,032 0,767 1,65 0,120 -4,702 0,25 BB Institucional FI Renda Fixa 1408707043,9 2,8857583 0,040 0,797 1,76 0,244 0,490 0,20 FI Fator Balanceado Multimerc. 159736237,7 3,583727 0,450 0,911 1,21 2,001 2,593 #1,50 FIC Rubi II Mult Cred Priv* 148889183,3 1,0502166 0,108 1,293 1,18 1,708 0,629 0,05 Uniclass Conservador FICFI RF 978820966,6 3,11889 0,029 0,712 1,52 0,120 -11,356 #0,75 BB RF LP Índ Preço 100 Mil FI* 231390818,4 3,0601626 -0,028 1,958 2,92 2,520 2,455 1,50 FI Fator Extra Multimercado* 98999214,7 7,525443 0,283 1,214 1,45 4,192 1,675 #1,50 HSBC FI MM Prev Fut Comp I* 160185229,8 297,286516 0,105 1,864 1,37 3,493 0,708 1,25 Uniclass Pós LP FICFI RF* 72741411,5 1,876947 0,038 0,703 1,55 0,032 -26,066 0,50 BESC FLD 164594252,8 3,8692918 0,025 0,466 1,00 0,019 -250,830 4,00 FI Mult 19 Santand I Cred Priv 295094985,0 1,7532405 -0,846 2,663 0,36 9,989 0,715 2,00 HSBC FI MM Prev Fut Comp II* 112124856,3 798,7578036 0,196 3,620 0,79 8,988 0,077 1,50 Uniclass Renda Fixa FICFI 423122478,6 1,59611 0,031 0,744 1,59 0,120 -7,536 0,55 BESC Prático 297801881,6 9,5284141 0,042 0,863 1,79 0,165 1,994 0,50 HSBC FI MM Prev Fut Comp III 67444433,6 867,394917 -0,992 3,442 -0,78 12,252 -0,419 2,00 FI Mult Energia Assegurada* 84177729,1 2,345187 0,034 0,837 1,84 0,256 32,208 ------ Uniclass Renda Fixa LP FICFI* 109485137,0 1,826666 -0,063 1,067 2,06 2,281 -0,716 0,50 BESC Prime 727995120,5 9,722479 0,041 0,794 1,71 0,016 -6,727 #0,38 HSBC FI MM Previd Moderado II* 128099240,6 3,7620989 0,082 1,591 1,42 2,701 0,831 1,50 FI Multimercado Conejo Fund* 836752004,4 1,264372 -3,679 17,732 18,21 26,367 5,840 ------ WA Pension Fund FIC* 323376294,9 7,831197 0,043 0,755 1,69 0,061 4,089 0,30 BNB FI Renda Fixa Plus L Prazo 115192586,0 1,731204 0,040 0,738 1,65 0,012 -21,130 0,50 HSBC FI MM Previd Moderado* 583993117,9 3,2855813 0,078 1,486 1,16 2,746 0,254 3,00 FI P Caixa Previnvest MM RV 49 796756786,7 1,691372 -0,834 4,449 0,32 12,324 0,073 ------ WA Prev Credit FIC* 2520845137,5 3,122135 0,044 0,777 1,74 0,061 9,646 ------ BNP Paribas Classic FI RF 154101227,2 529,6543587 0,002 0,932 1,90 0,466 -1,045 0,85 HSBC FI RF Previd Agressivo* 310828499,3 3,420603 0,154 2,906 0,71 7,053 -0,092 3,00 FI Titan Multimercado Cred Pri 36232815,0 1,4605487 0,040 0,806 1,74 0,022 349,637 0,10 WA Prev Inflation II* 77721547,7 1,399555 -0,040 2,023 3,18 2,669 2,318 ------ BNP Paribas Credit FI RF LP 334550012,8 3,1559782 0,039 0,926 1,98 0,295 1,713 0,75 Icatu H Composto 10B FI Multi* 43819968,6 3,7142734 -0,244 1,350 1,35 3,024 -0,121 3,00 FI Titanium Multimercado 2432360565,8 1,7784742 0,042 0,796 1,77 0,032 84,010 #0,10 Year Fix IB - RF FIC de FI* 44921535,1 198,547741 0,007 0,893 1,80 1,152 -1,842 1,50 BNP Paribas Inflação FI RF 61364543,2 236,2511003 0,037 1,700 2,91 2,018 2,735 1,00 . FI Votorantim Eagle Multimerc* 60103900,8 4,8705358 0,037 0,882 1,82 0,192 43,373 #0,50 Icatu H Composto 10C FI Multi* 72032909,9 4,4698553 -0,240 1,421 1,50 3,036 0,209 2,00 BNP Paribas RF FI RF 227218713,9 541,6844376 0,011 0,953 1,94 0,487 -0,179 0,50 Icatu H Composto 10E FI Multi* 39866104,5 3,5257516 -0,240 1,435 1,54 3,020 0,332 1,75 Fonte: Serviço de Mercado e Cotações da InvestNews - * - Dados referentes à última quota informada. FIM Foreing Fund Two* 2577327410,4 1,484317 -0,345 3,302 5,53 8,233 2,934 ------ BNP Paribas Spin FI Renda Fixa 81601455,6 120,7919107 -0,024 1,532 2,79 1,808 2,602 0,25 Hedging Griffo Verde 14 FI* 273695661,3 5,757421 0,102 4,398 5,17 6,177 4,772 #1,50 Icatu H Composto 20B FI Multi* 46104440,6 4,3407862 -0,502 2,002 1,23 6,116 -0,113 3,00 Brad FI RF maxi Poder Público 246140977,3 1,1092747 0,040 0,806 1,82 0,214 1,409 0,20 Hedging-Griffo Verde/FI* 2073602645,9 35,922829 0,102 4,400 5,16 6,179 4,763 #1,50 Icatu H Composto 20C FI Multi* 114602631,7 5,2103178 -0,497 2,074 1,39 6,113 0,069 2,00 FUNDOS DE CURTO PRAZO Bradesco FI RF Bond* 199968099,6 351,7957962 0,018 1,062 2,35 2,775 -0,371 0,50 HG Agar FI* 136431310,6 3,033783 0,100 4,375 5,10 6,193 4,672 #2,00 Icatu H Composto 20E FI Multi* 108087198,8 4,193743 -0,493 2,096 1,44 6,107 0,124 1,75 Instituições Patrimônio Quota Rent. Acumulada % Bradesco FI RF Empresa 430177742,8 9,166857 0,041 0,791 1,72 0,001 -50,792 0,10 HSBC FI MM LP GOA Long Short* 108101119,6 1,1079144 0,048 1,247 1,95 2,706 3,748 ------ Icatu H Composto 49C FI Multi* 94838159,9 8,311614 -1,233 4,031 0,97 15,340 -0,065 2,00 Líquido do Dia Ind. de Tx. de Bradesco FI RF Target I 560181949,6 5,1635876 0,042 0,816 1,81 0,279 -0,236 0,30 HSBC FI MM LP Nanking Instituc 44423488,3 1,103784 0,034 0,916 1,93 0,583 12,445 ------ Icatu H Composto 49E FI Multi* 94038026,3 3,5972205 -1,233 4,057 0,99 15,398 -0,054 1,75 . 29/02 (R$) 03/03 (R$) Dia Mês Ano Volat. Sharpe Adm. % Bradesco FI RF Tasc 39731018,6 1,2729202 0,042 0,773 1,73 0,048 0,909 0,10 HSBC FI MM LP Xian Private* 136537206,0 1,0930235 0,084 0,812 1,43 0,974 5,534 #0,65 Itaú Flexprev I V40 Mul FICFI* 117412753,7 1,682671 -0,871 2,653 0,93 11,789 -0,086 4,00 Bradesco Private FI RF 161006841,9 3,1025286 0,037 0,811 1,80 0,253 0,267 0,65 Itau Flexprev II V10 Mm FIC FI 222063413,2 1,607215 -0,194 1,168 1,35 2,798 0,377 3,00 Banrisul Automático FI RF 97858239,4 1,67511 0,014 0,270 0,58 0,005-1607,208 7,00 HSBC FI Multi Smart 3* 119316616,4 1,2281389 0,041 0,772 1,64 0,194 35,560 1,20 BRAM FI Renda Fixa 14419244126,1 8,1828834 0,040 0,863 1,86 0,287 0,219 0,00 Itaú Flexprev II V20 Mul FICF* 386687036,1 2,553516 -0,419 1,672 1,26 5,897 0,128 3,00 BB CP Adm. Absoluto FICFI 5070345082,1 2,8469435 0,038 0,719 1,56 0,009 -125,300 1,00 HSBC FI MULTI SMART 4* 130730183,3 1,1049176 -1,201 3,045 1,15 12,393 0,312 1,20 BRAM FI RF Crédito Privado* 167535792,2 1,2099489 0,043 0,771 1,75 0,053 9,347 ------ Itau Flexprev II V40 Mm FIC FI 330904163,4 17,336335 -0,894 2,748 1,15 11,834 0,024 3,00 BB CP Adm. Clássico FICFI 1332570543,0 3,5919367 0,035 0,644 1,39 0,012 -177,171 2,00 HSBC FIC MM LP Priv Long Short 83981911,9 1,0878669 0,039 1,124 1,62 2,514 3,135 #2,00 BRAM FI RF IMA* 160110857,2 1,0889788 -0,008 1,287 2,46 1,335 3,067 ------ Itaú Flexprev IX V20 MM FICFI* 653246523,6 1,260203 -0,435 1,776 1,51 6,004 0,356 1,50 BB CP Adm.Tradicional FICFI 11573409116,0 2,7185087 0,019 0,340 0,73 0,014 -462,991 6,00 Intra Investidor Multimercado* 34964427,6 17,1816517 0,033 0,668 1,54 0,640 10,558 #1,50 BRAM FI RF Multi Índices* 88663933,8 2,4026469 0,019 1,117 2,37 1,576 1,899 ------ Itau Flexprev V10 Mult FIC FI* 71831997,7 10,294224 -0,175 1,167 1,36 2,833 0,437 2,50 BB Curto Prazo 50 Mil FICFI 2505841479,1 2,2308171 0,038 0,720 1,56 0,008 -142,716 1,00 Lacan Equilíbrio FI Multimerc* 40485437,2 1,6645758 -0,086 3,686 0,60 7,769 -0, Itau Flexprev V20 Mult FIC FI* 146696582,1 10,325916 -0,427 1,746 1,40 5,886 0,255 2,50 BNB FI Curto Prazo 81150452,8 3,950056 0,032 0,610 1,32 0,002-1489,479 3,00 BTMU Mix FI Renda Fixa 125235317,5 6,174743 0,041 0,768 1,67 0,029 -14,450 0,50 M M m Itau Flexprev V40 Mult FIC FI* 87822920,7 10,446916 -0,881 2,786 1,11 11,899 0,036 2,50 BNP Paribas Money Market FI CP 255947198,0 244,161358 0,041 0,773 1,67 0,007 -51,474 0,25 CAIXA Azul FIC RF Longo Prazo* 83251091,3 11,123037 0,031 0,542 1,21 0,013 -247,471 3,00 M m M Itau Flexprev VIII V40 M FICFI 756475970,4 1,389065 -0,900 2,843 1,32 11,982 0,151 1,80 Bradesco FIC Curto Prazo 59883313,3 1,4651239 0,030 0,571 1,24 0,001-3291,948 3,00 Caixa FI Funcef HabitacionalRF 31634084,7 1,0544695 0,033 0,775 1,66 0,189 -4,416 1,00 M M m Itauprev Annuity V15 Mult FI* 68400740,1 4,786394 -0,296 1,484 1,43 4,534 0,275 3,00 Bradesco FIC de FI CP Versátil 137156573,8 1,8900711 0,030 0,568 1,23 0,003-1016,565 3,00 Caixa FI Prev Reg P Aliança RF 1099809727,7 1,346697 0,038 0,810 1,73 0,168 0,336 0,20 M Itauprev Annuity V30 Mult FI* 53781549,1 5,449104 -0,650 2,191 1,22 9,043 0,103 3,50 Bradesco Prime FIC FI CP 30845333,1 1,5241215 0,030 0,567 1,23 0,003-1026,222 3,00 Caixa FI Prev Reg P Brasil RF* 2826697976,2 1,277324 0,036 0,830 1,75 0,203 0,543 0,35 M M m Itauprev Annuity V5 Mult FI* 38969637,2 4,401267 -0,088 0,912 1,41 1,484 0,858 2,50 CAIXA FIC Curto Prazo 111631045,1 2,056818 0,030 0,564 1,22 0,001-2489,549 3,10 Caixa FI Prev Reg Prop RS RF* 658386861,4 1,419108 0,037 0,823 1,74 0,189 0,469 0,20 M Mapfre Corporate Mult Prev FI* 86977338,9 1,7091282 0,035 1,137 2,14 1,281 3,345 1,40 CAIXA FIC Fundações CP 122369715,0 3,993501 0,040 0,770 1,67 0,000 -938,164 0,40 Caixa FI Prisma RF Longo Prazo 104061804,4 1,041053 0,042 0,810 1,74 0,023 3,856 0,10 M Mapfre Master Mult Prev FI* 87072561,4 1,0493481 0,041 1,241 2,37 1,280 4,649 ------ CAIXA FIC Prático Curto Prazo 1844848227,1 3,470643 0,022 0,422 0,91 0,002-2642,727 5,00 CAIXA FI Sanepar I RF 74729351,1 1,231201 0,041 0,787 1,70 0,004 -36,343 0,18 Porto Seguro PGBL Composto* 47381897,5 3,814252 0,103 2,489 2,01 4,362 1,124 2,00 Federal Curto Prazo FI 2803871597,5 33,132904 0,042 0,801 1,74 0,001 54,189 ------ CAIXA FIC Capital RF LP* 184568717,3 3,175141 0,024 0,722 1,48 0,195 -7,350 2,00 M M M Prever Platinum RV49 FICFIE MM 316214556,3 3,7816829 -1,218 3,892 0,54 14,670 -0,408 1,25 HSBC FICFI CP Liquidez Plus 117821956,4 2,0495637 0,028 0,531 1,15 0,007 -573,685 3,50 CAIXA FIC Ideal RF Longo Prazo 3122170489,1 2,175928 0,037 0,658 1,47 0,013 -113,018 1,50 M Realprev Agr Sup FIQ Mult* 270224419,3 329,8209568 -0,803 3,246 3,51 8,700 0,899 2,00 HSBC FICFI Curto Praz Liquidez 168554900,4 2,3182596 0,037 0,703 1,53 0,003 -481,346 1,25 Carteira Instit 86 FI RF 115479070,9 8,089689 0,003 1,384 2,56 1,392 1,837 0,30 m M Realprev Mod Sup FIQ Mult* 152661496,8 119,0769246 -0,296 1,760 1,55 4,692 -0,312 2,00 Itaú Corp CP FICFI 42122681,7 24,410707 0,041 0,781 1,69 0,001 -163,934 0,25 Citibank FI RF Eco 121199857,0 1,5636839 0,026 0,896 1,90 0,402 0,079 0,00 Realprev Moder FIQFI Mult* 283048563,7 345,0882351 -0,304 1,677 2,34 3,500 1,067 3,00 Itau Corp Fed Plus CP FICFI 303000314,4 32,765737 0,041 0,786 1,71 0,002 -84,436 0,18 Concórdia Extra FI 319797410,7 9,0159804 0,041 0,791 1,72 2,550 -0,028 1,00 m M Safra Prevmoderado FI RF Prev* 578559721,9 134,130381 -0,452 1,671 1,28 5,934 0,026 2,00 Itaú Curto Prazo FI 2737937406,3 24,843547 0,042 0,802 1,74 0,001 95,002 0,00 Credit Fix IB-RF FI* 323139786,0 765,672226 0,041 0,764 1,72 0,020 11,629 0,30 Santander FI Mul 20 II Cred Pr 84272036,1 2,8622775 -0,447 1,366 1,15 5,899 0,126 2,00 Itaú Curto Prazo FICFI 104400938,7 19,613488 0,026 0,491 1,05 0,015 -300,342 4,00 CS Estratégia RF Renda Fixa LP 172498219,1 1,044094 0,043 0,792 1,73 0,310 0,338 0,70 M m m Santander FI Mult 20 I Cred Pr 407387851,3 2,6230752 -0,443 1,279 0,90 5,815 -0,122 3,20 Itaú Institucional CP FI 70501267,2 24,422493 0,042 0,793 1,72 0,003 -4,771 ------ FI BV Farol RF Cred Priv 201123791,8 2,4037705 0,045 0,853 1,94 0,106 17,989 0,12 UBB AIG Corp RV 15 FICFIE MM* 56638524,2 3,407673 -0,352 1,596 1,12 4,292 -0,225 2,00 Itaú Pers CP FICFI 109588331,6 22,089095 0,034 0,649 1,41 0,001-2191,718 2,00 FI Fator R.F. Max Corporativo 238020242,1 10,601782 0,034 0,775 1,67 0,115 -0,490 #0,80 m M M m UBB AIG Corp RV 20 FICFIE MM* 44071034,7 3,680839 -0,469 1,908 1,08 5,681 -0,261 1,75 Itaú Plus Curto Prazo FICFI 346722499,0 21,460214 0,032 0,611 1,32 0,001-1807,234 2,50 FI Jacarandá RF 61900082,2 3,5300466 0,042 0,786 1,71 0,013 -9,308 0,25 UBB AIG Corp RV 35 FICFIE MM* 75572086,4 3,877986 -0,866 2,972 0,76 10,409 -0,399 1,75 Itaú PP CP FICFI 464002208,9 1,999654 0,018 0,345 0,75 0,059 -119,295 8,00 M FI Paraná Executivo* 89029704,2 3,607054 0,045 0,852 1,61 0,360 -1,983 #1,00 UBB AIG Corporate RV 25 FI* 56304091,2 3057,926702 -0,537 1,893 0,24 6,792 -0,556 2,10 Itaú PP Plus CP FICFI 248818514,5 26,598413 0,030 0,504 1,08 0,064 -67,680 4,00 FI RF Mercatto Top 154221023,1 3553,36157 0,042 0,848 1,90 0,102 12,077 0,80 UBB AIG Prev I RV 30 FICFIE MM 109978572,3 3,206342 -0,747 2,434 0,53 8,826 -0,615 4,00 Itaú PP Super CP FICFI 494760189,9 24,915556 0,041 0,785 1,70 0,001 -104,863 0,20 m m M m FI Vintage RF Cred Priv 2467781821,8 3,0922284 0,042 0,800 1,74 0,026 6,460 #0,35 UBB AIG Prev II RV30 FICFIE MM 195263716,4 2,252477 -0,737 2,451 0,61 8,724 -0,566 3,50 Itau UPJ Super CP FICFI 35689470,9 22,322369 0,035 0,663 1,44 0,001-1382,079 1,80 m m mM m FI Vot Inst RF Cred Priv 247124949,9 1,4715839 0,043 0,805 1,74 0,053 4,475 0,20 UBB AIG Prev IV RV30 FICFIE MM . 552933898,0 3,814717 -0,732 2,516 0,76 8,720 -0,452 2,50 Itauvest Pers CP FICFI 81964847,2 26,417327 0,024 0,455 0,99 0,002-2237,983 #2,00 Floor Renda Fixa FI* 1524815639,1 84,982438 0,025 0,947 1,93 0,477 2,148 0,00 M m m Fonte: Serviço de Mercado e Cotações da InvestNews - * - Dados referentes à última quota informada. Mellon Cash FI Curto Prazo 230973065,4 2,3829602 0,040 0,760 1,65 0,001 -859,187 #0,25 Francês Renda Fixa FI 8664880006,4 1053,979619 0,028 0,959 1,94 0,385 1,547 ------ Real FI Curto Prazo Liquidez 252028294,2 236,6348291 0,042 0,801 1,74 0,001 140,761 ------ Garimpo FI RF Crédito Privado 405545029,8 3,187111 0,040 0,811 1,73 0,077 1,304 ------ FI CAMBIAL DÓLAR VGBL - RENDA FIXA Real FIQFI CP Inteligente 60320615,4 23,5644181 0,020 0,384 0,86 0,080 -73,076 5,00 HSBC FI LP Xian Institucional* 162988040,6 1517,102912 0,062 0,646 1,04 1,645 -2,685 #1,10 Real FIQFI CP Liquidez Simples 139772870,9 200,5607562 0,030 0,573 1,24 0,006 -560,193 3,00 Instituições Patrimônio Quota Rent. Acumulada % HSBC FI RF CPriv LP Perform* 2403437051,5 1,6223375 0,043 0,769 1,73 0,031 13,306 #0,90 Instituições Patrimônio Quota Rent. Acumulada % Safra Títulos Públicos 103138134,8 157,346435 0,041 0,782 1,70 0,002 -108,831 0,20 Líquido do Dia Ind. de Tx. de HSBC FI RF CPriv Tit Privados* 811608135,2 1,3410527 0,042 0,759 1,70 0,012 5,377 0,30 Líquido do Dia Ind. de Tx. de Santander FIC FI Liquidez CP 50117050,0 2,3800784 0,038 0,721 1,56 0,003 -327,467 1,00 29/02 (R$) 29/02 (R$) Dia Mês Ano Volat. Sharpe Adm. % 29/02 (R$) 03/03 (R$) Dia Mês Ano Volat. Sharpe Adm. % . HSBC FI RF Créd Priv LP Ativo 1316760882,6 7,4994298 0,032 0,823 1,82 0,200 0,889 #0,60 . Sicredi FI Invest Plus CP 158260574,4 6,6177265 0,038 0,723 1,57 0,001-1280,781 1,00 ABN AMRO FI Cambial Private* 46607996,1 36,1593457 1,130 -3,452 -4,22 12,955 -1,520 0,50 HSBC FI RF Longo Prazo Top* 1683030329,6 1,055884 0,038 0,822 1,79 0,208 1,295 #0,10 Bradesco FIC RF VGBL F 10 3273445332,6 1,5858934 0,034 0,827 1,73 0,278 -2,310 1,00 TEBE CP FICFI 374578131,4 27,925239 0,042 0,801 1,74 0,001 85,751 ------ Bradesco FI Cambial Dólar* 33321612,3 294,5264484 1,109 -3,489 -4,25 13,034 -1,541 1,00 . HSBC FI RF Pré Fixado LP Max* 184072451,8 1,4466362 0,036 1,089 2,15 0,958 0,326 ------ Bradesco FIC RF VGBL FIX 13048108301,8 2,2069247 0,026 0,676 1,40 0,278 -10,136 3,00 Cambial Dólar FI IB* 37313674,2 4,439888 1,126 -3,668 -4,48 13,143 -1,602 2,00 Fonte: Serviço de Mercado e Cotações da InvestNews - * - Dados referentes à última quota informada. Icatu Gold Eco Renda Fixa FI 115499261,9 1,4144151 0,033 0,877 1,80 0,259 0,398 ------ Brasilprev RT Fix FICFI RF II* 1460635674,6 3,13329 0,035 0,761 1,58 0,192 -4,929 1,50 HSBC FI Cambial LP Dólar* 40572661,0 261,5977871 1,140 -3,584 -4,41 12,902 -1,588 1,50 Instit Active FIX IB-RF FI 235872486,1 268,753302 0,042 0,852 1,86 0,100 7,884 0,40 Brasilprev RT Fix FICFI RF III 1666563645,8 2,510719 0,029 0,654 1,34 0,193 -13,397 3,00 Safra Cart Cambial* 32698547,9 18,545792 1,149 -3,600 -4,49 13,254 -1,575 1,00 FIC CAMBIAL DÓLAR Itaú Institucional RF FI 91939204,7 7,661738 0,046 0,813 1,75 0,081 -0,247 0,30 . Brasilprev RT Fix FICFI RF IV* 1176314091,2 2,563331 0,031 0,689 1,42 0,193 -10,583 2,50 Itaú Oasis RF FI 601098383,2 7,588351 0,037 0,900 1,86 1,271 -1,781 0,00 Fonte: Serviço de Mercado e Cotações da InvestNews - * - Dados referentes à última quota informada. Brasilprev RT Fix FICFI RF V* 1388796115,9 2,64885 0,033 0,725 1,50 0,193 -7,765 2,00 Instituições Patrimônio Quota Rent. Acumulada % Itaú Perfix RF 1974776292,1 10,515119 0,042 0,812 1,77 0,019 15,297 0,28 Brasilprev RT Fix FICFI RF* 2077986030,8 2,799692 0,027 0,625 1,28 0,193 -15,634 3,40 Líquido do Dia Ind. de Tx. de Itaú Performance RF FI 751621676,1 10,485318 0,042 0,798 1,74 0,015 7,698 0,25 FI REFERENCIADO DI FI RF Santander V Cred Priv 752748766,0 18,3252085 0,016 0,575 1,27 0,237 -12,765 3,00 . 29/02 (R$) 29/02 (R$) Dia Mês Ano Volat. Sharpe Adm. % Itaú Renda Fixa FI 5873993548,7 9938,968426 0,028 0,938 1,93 0,348 1,807 0,00 HSBC FI RF Previd Conserv VGBL 248205465,6 1,9476534 0,028 0,614 1,35 0,140 -20,635 3,00 BB Camb Dolar LP 100 Mil FICFI 49321588,7 5,6620261 1,037 -3,598 -3,49 11,993 -1,531 0,80 Instituições Patrimônio Quota Rent. Acumulada % Medium Term Fix IB - RF FI 913869354,1 1027,953423 0,038 0,805 1,70 0,146 -2,481 0,50 Líquido do Dia Ind. de Tx. de Santander Banespa FI RF I 595228405,3 1,3349816 0,017 0,566 1,23 0,165 -20,046 3,20 BB Camb Dólar LP 20 Mil FICFI* . 49910199,6 5,638148 1,037 -3,613 -3,52 11,994 -1,546 1,00 Mercatto Top Crédito LP 37015415,9 1,3343882 0,047 0,855 1,87 0,078 13,305 1,00 29/02 (R$) 03/03 (R$) Dia Mês Ano Volat. Sharpe Adm. % Santander Banespa FI RF II 622054684,1 2,4062817 0,020 0,651 1,43 0,180 -10,974 2,00 . Fonte: Serviço de Mercado e Cotações da InvestNews - * - Dados referentes à última quota informada. Nossa Caixa FI 90 32895140,9 2,6176577 -0,031 1,348 2,32 2,428 -0,683 1,70 Santander Banespa FI RF III 454876579,1 2,539681 0,022 0,709 1,56 0,188 -5,880 1,20 ABN AMRO FI DI Cap 36471977,0 3094,20202 0,042 0,795 1,73 0,004 4,067 ------ Nossa Caixa FI Estatais 373244609,5 4,47061 0,022 1,060 2,03 0,737 0,851 0,50 Santander Banespa FI RF VI 830649427,9 2,3157993 0,016 0,574 1,26 0,184 -16,622 3,00 ABN AMRO FI Ref DI Credit* 2033200519,3 63,155479 0,044 0,767 1,72 0,058 6,260 0,00 Nossa Caixa FI Governos 1088540624,0 4,3053987 0,034 0,907 1,86 0,434 0,447 0,50 Santander Banespa FI RFIV 386415624,9 14,4586101 0,026 0,739 1,61 0,183 -4,397 0,90 FUNDOS RECEB VE S ABN AMRO Ref DI Profit 584122085,8 73,6847813 0,042 0,813 1,77 0,009 28,324 0,00 . Nossa Caixa FI RF 356699079,0 5,7723517 -0,027 1,409 2,30 2,166 -0,306 2,47 Fonte: Serviço de Mercado e Cotações da InvestNews - * - Dados referentes à última quota informada. m Q m % Alfa Investor FI Ref DI LP* 90990137,3 547,1309919 0,034 0,742 1,64 0,085 -3,131 0,30 Nossa Caixa Investcaixa 63971525,0 5,2171088 0,000 1,197 1,99 1,362 -0,875 2,95 Alfa Orbis FI DI* 179946322,7 1049,104102 0,025 0,732 1,64 0,124 -0,927 ------ Person Key Source RF Ind LP FI 296186004,6 79,280912 0,037 0,831 1,83 0,163 5,977 0,30 Banestes Vip DI 278976018,8 6,7055213 0,040 0,760 1,65 0,010 -50,178 0,80 M m % Portfolio 4 FIE Renda Fixa 2681977860,2 1,504983 0,036 0,843 1,81 0,121 3,828 ------ VGBL - COMPOSTO Banrisul Master FI Ref DI LP* 1974879520,8 6,64101 0,041 0,739 1,65 0,022 -12,638 0,50 Portfólio 5 FIE Renda Fixa 923958420,2 1,282278 0,012 0,966 1,99 0,600 1,392 ------ BESC Institucional DI 86212889,9 3,7764757 0,039 0,763 1,64 0,026 -19,583 0,50 Instituições Patrimônio Quota Rent. Acumulada % Porto Seguro FI 413227968,6 51,466389 0,036 0,857 1,91 0,351 4,259 #1,20 BNB FI Refere. DI Esp. L Prazo 174346484,2 4,588036 0,039 0,745 1,62 0,012 -58,457 1,00 Líquido do Dia Ind. de Tx. de m Real FI Renda Fixa Master* 553070870,2 112,9199014 0,032 0,638 1,37 0,120 -18,809 2,50 BNP Paribas Optimum DI FI Ref 737618490,8 531,7842918 0,039 0,802 1,69 0,107 -2,884 0,50 . 29/02 (R$) 03/03 (R$) Dia Mês Ano Volat. Sharpe Adm. % Real FI RF Mix Van Gogh* 4368881667,9 960,2134605 0,038 0,741 1,61 0,100 -5,232 0,50 Bradesco FI Ref DI High 46713787,6 908,769111 0,039 0,754 1,63 0,059 -8,776 0,80 Brasilprev RT Comp 20 II FICFI 81719341,5 2,842268 -0,476 1,824 1,43 6,315 -0,365 1,50 Real FIQ FI RF Master* 80997591,9 2382,59026 0,037 0,733 1,84 0,553 0,749 #1,00 Bradesco FI Ref DI Premium 2453443115,0 3,8189448 0,042 0,799 1,74 0,008 8,544 0,20 Brasilprev RT Comp 20 IV FICFI 84506959,0 2,799561 -0,481 1,751 1,27 6,318 -0,535 2,50 RT Alm 5 FI RF 100571261,2 2,888926 0,058 0,667 1,76 0,884 5,006 ------ Bradesco FI Ref DI Special 439909746,2 5,9377156 0,040 0,777 1,69 0,011 -22,918 0,50 Brasilprev RT Comp20 III FICFI 93162459,8 2,707567 -0,483 1,716 1,19 6,32 -0,619 3 RT Comp 9 FI RF 105514452,1 3,518938 0,029 0,902 1,92 0,474 -0,100 #0,15 Bradesco FI Ref DI Top 1008139535,7 348,544 0,042 0,801 1,74 0,009 7,127 0,15 Brasilprev RT Comp 20 V FICFI* 107253974 2,887617 -0,479 1,786 1,35 6,316 -0,452 2 m m Safra Executive 2504159071,2 2453,566582 0,043 0,772 1,69 0,032 -7,239 0,50 Bradesco FI Ref DI União 1832896854,8 9,9294816 0,043 0,820 1,77 0,013 21,015 ------ Brasilprev RT Comp 20 FICFI* 139627892,7 2,760261 -0,485 1,68 1,11 6,321 -0,701 3,5 Safra Index 10* 202071224,0 110,238676 0,022 0,751 1,76 0,955 3,335 1,50 BRAM FI Ref DI Federal 4010193836,2 3,8921195 0,043 0,818 1,78 0,015 21,118 ------ Itaú Flexprev XI V10 Mult FICF 162427377,5 1,200334 -0,188 1,278 1,6 2,87 -0,378 1,2 M Safra Performance II FI R Fixa 503289484,4 104,961754 0,043 0,770 1,72 0,011 22,892 ------ BRAM FI Ref DI Rubi 12884452749,7 2,9659527 0,043 0,816 1,77 0,009 32,893 ------ Brasilprev RT Comp 49 FICFI* 174624066,9 1,785851 -0,994 2,771 0,97 12,571 -0,447 3 M Safra Renda Fixa* 2607445020,0 181,605638 0,038 0,688 1,59 0,173 -1,456 1,00 BTMU Leader FI Referenciado DI 192259725,2 9,409018 0,040 0,770 1,67 0,016 -25,449 0,50 Bradesco FIC MM VGBL V30/15* 618016081,7 1,8187098 0,117 4,059 1,98 8,636 0,208 1,5 Sicredi FI RF Performance* 212795017,3 1,319683 0,043 0,734 1,64 0,045 -4,549 0,40 CA DI Master FI Ref LP* 944702695,6 46,276284 0,042 0,758 1,69 0,019 3,671 0,30 Bradesco FI Multi VGBL V40/15* 946912297,1 1,8999331 0,144 5,198 2,07 11,448 0,238 1,5 Sicredi FI RF Premium* 113929825,7 3,5561415 0,069 0,740 1,66 0,160 -0,098 #2,00 Caixa FI Brasil DI LP* 116371152,3 1,182304 0,041 0,755 1,61 0,043 -19,923 1,50 Bradesco FIC MM VGBL V15/30* 1515155009 2,3799023 0,072 2,294 1,58 4,366 -0,27 3 Sul América Excellence FI 233754335,8 23,257858 0,045 0,837 1,79 0,365 1,662 0,50 Cruzeiro do Sul DI Estrela 45585755,1 2315,062403 0,042 0,792 1,72 0,034 0,124 0,50 Bradesco FIC MM VGBL V40/30* . 2222983531 3,1215188 0,137 5,077 1,83 11,475 0,093 3 Tasmânia Renda Fixa FI 65784636,8 15,637686 0,041 0,780 1,70 0,011 -15,527 0,80 CS DI FI Referenciado LP* 137100280,1 1,533458 0,044 0,728 1,60 0,197 -1,761 0,50 M Fonte: Serviço de Mercado e Cotações da InvestNews - * - Dados referentes à última quota informada. Top RF Mix LP FI* 2743349092,6 86,590893 0,043 0,821 1,81 0,086 7,135 0,00 CSAM DI FI 75885180,2 9,570821 0,041 0,779 1,69 0,120 -2,019 0,50 M UBB Institucional RF FI 224455944,9 7,886371 0,037 0,802 1,73 0,077 -0,840 3,00 Entwicklung III FI Ref DI 199501559,4 1,054216 0,042 0,801 1,73 0,002 17,789 0,04 UBB Pós Longo Prazo FI RF* 78828142,0 1,920465 0,040 0,740 1,63 0,032 -8,444 0,50 FI Ref DI 11 401297413,8 129,0629507 0,042 0,799 1,74 0,005 15,504 ------ FUNDOS DE PREVIDÊNCIA - EXCLUSIVOS M FI Ref DI LP Títulos Públicos 599347681,6 7,0317003 0,042 0,796 1,73 0,019 -0,125 0,25 Instituições Patrimônio Quota Rent. Acumulada % UBB Priv Active FIX FI RF CP 1746753441,3 1,71878 0,042 0,803 1,74 0,017 6,667 0,35 M Goldstar DI Cash FI Ref* 92932633,8 25,649777 0,041 0,735 1,64 0,014 -20,360 0,40
  • 21. GAZETA MERCANTIL | Terça-feira, 4 de março de 2008 | B9 FUNDOS MÚTUOS FIC MULTIMERCADO SEM ALAVANCAGEM FIC REFERENCIADO DI - (Continuação) FUNDOS DE AÇÕES - (Continuação) FUNDOS DE AÇÕES - (Continuação) Instituições Patrimônio Quota Rent. Acumulada % Instituições Patrimônio Quota Rent. Acumulada % Instituições Patrimônio Quota Rent. Acumulada % Instituições Patrimônio Quota Rent. Acumulada % Líquido do Dia Ind. de Tx. de Líquido do Dia Ind. de Tx. de Líquido do Dia Ind. de Tx. de Líquido do Dia Ind. de Tx. de . 29/02 (R$) 29/02 (R$) Dia Mês Ano Volat. Sharpe Adm. % . 29/02 (R$) 03/03 (R$) Dia Mês Ano Volat. Sharpe Adm. % . 29/02 (R$) 29/02 (R$) Dia Mês Ano Volat. Sharpe Adm. % . 29/02 (R$) 29/02 (R$) Dia Mês Ano Volat. Sharpe Adm. % ABN AMRO FIQ FI Multim Sky II* 715068670,4 211,8838651 -0,013 0,815 1,29 0,785 5,326 1,20 Itaú Empresa Plus Ref DI FICFI 140959545,2 36,483797 0,039 0,738 1,60 0,007 -121,581 1,00 Bradesco FIA Índice Sust Emp* 63727036,8 1,914333 -2,485 7,669 -2,65 29,226 -0,018 0,60 Santander FI Seleção em Ações* 92895942,5 63,8292221 -2,322 7,696 -2,43 29,670 -0,026 1,50 Banespa FIC Mult Performance* 178913305,2 1,75747 0,022 0,759 1,62 0,191 37,098 0,70 Itaú Empresa Ref DI FICFI 84244837,1 8046,358108 0,035 0,661 1,43 0,007 -276,980 2,00 Bradesco FIA Infra-Estrutura* 151782794,6 1,3372308 -1,873 7,962 -2,13 26,208 -0,239 1,00 Santander FI Seleção VIP Ações 165229951,2 9,7531087 -2,328 7,774 -3,02 29,944 -0,125 1,50 Banrisul Multi FIC Multim LP* 42018851,8 2,88699 -0,402 1,309 1,50 2,095 3,003 2,00 Itaú LAM Basis DI Super FACFI 46951867,0 42,770271 0,040 0,754 1,64 0,006 -103,554 #0,75 Bradesco FIA Instit. IBX Ativo 109671653,7 10,7653135 -2,618 9,365 -1,30 30,964 0,070 #0,70 Santander FIA IBrX Ativo Inst* 30841411,8 50,8542093 -2,709 8,485 -2,16 30,904 0,073 #0,75 BB Mult Aloc Cons Private FICF 704072555,7 207,9113766 0,040 0,818 1,68 0,300 24,877 0,35 Itaú Max DI 294347822,8 14,000362 0,036 0,674 1,46 0,004 -509,182 1,80 Bradesco FIA Multisetorial* 112446236,2 9,8217062 -2,934 6,663 -0,19 29,585 0,423 4,00 Schroder Ações Private FICFI* 98201108,8 213,957076 -2,639 9,486 -1,74 31,669 -0,130 ------ BB Mult Aloc Mod Private FICFI 661521056,7 229,4149633 0,006 1,021 1,77 0,836 8,960 0,50 Itaú Maxi Ref DI FICFI 721351574,3 28,359813 0,039 0,735 1,59 0,004 -255,718 1,00 Bradesco FIA Seleção* 89564711,2 1,2141582 -2,527 8,631 0,09 29,321 0,058 2,00 Schroder Brasil Absol. FIA* 397870676,8 148,879522 -2,637 9,588 -1,57 31,204 -0,099 2,00 BB Multimercado LP Estilo FICF 161585926,1 1,7414947 -0,032 1,244 2,18 3,723 3,765 1,50 Itaú Pers Maxime Ref DI FICFI 4685408381,5 37,301704 0,039 0,735 1,59 0,004 -253,025 1,00 Bradesco FIA Small Cap Plus* 405423265,7 2,798121 -1,562 8,911 -2,94 25,026 -0,785 1,50 Schroder Performance* 240127786,8 6,932668 -1,767 8,989 -2,78 27,855 -0,387 0,80 BESC FIX Multimercado 98190193,4 7,6866119 0,087 0,715 1,20 0,549 -3,614 2,00 Itaú Pers Plus Ref DI FICFI 966777885,6 804,814455 0,035 0,659 1,43 0,004 -524,694 2,00 Bradesco FIC FIA Active* 127212704,5 5,0428529 -2,551 9,737 -0,18 30,332 0,116 2,50 Schroder Valor FI em Ações* 337974136,7 2,387605 -1,787 8,849 -3,13 27,956 -0,436 4,00 Brad FIC MM Golden Profit Cons 130684436,2 5,7275431 -0,325 1,852 1,01 4,777 0,829 3,00 Itaú Pers Ref DI FICFI 140939093,8 712,151056 0,031 0,583 1,26 0,005 -650,327 3,00 Bradesco FICFIA Ibovespa Ativo 151118665,9 9,2810325 -2,492 9,485 -0,83 30,589 0,100 4,00 Skopos HG FICFIA* 535299549,3 10,231321 0,043 5,108 0,08 10,529 -0,326 #1,50 Brad FIC MM Golden Profit Din* 314780880,6 5,6826224 -0,833 3,619 0,49 11,880 0,195 3,00 Itaú Plus Ref DI FICFI 269264848,0 26,812136 0,036 0,673 1,46 0,004 -484,255 1,80 Bradesco Prime FIC de FIA Div* 394664838,9 3,4335308 -1,825 9,421 -0,35 26,285 0,053 3,00 Small Cap Valuati Index IB-FIA 157768406,4 47,32395 -1,141 8,346 -7,61 25,675 -1,408 #2,00 Brad FIC MM Golden Profit Mod* 224669874,1 5,3531371 -0,555 2,505 0,96 7,099 0,552 3,00 Itaú Prêmio Ref DI 90 FICFI 1370351912,5 28,571873 0,027 0,505 1,09 0,006 -708,526 4,00 Bradesco Prime FIC FIA IBrX-50 48269016,8 1,6347462 -2,787 9,026 -1,68 31,215 0,005 2,00 Sul América Equilibrium FIA* 56406693,9 211,381033 -1,802 8,996 -4,48 29,416 -1,089 3,00 Brad Prime FIC Multimercado* 222853254,0 1,9944303 0,014 0,792 1,77 0,599 13,704 #1,00 Itaú Private Ref DI FICFI 52890683,2 9,9126 0,041 0,773 1,68 0,008 -39,453 0,25 Bradesco Prime FIC FIA Index* 165504557,8 6,2087087 -2,363 8,897 -0,15 30,497 0,005 2,00 Tempo Capital FIA* 735778651,3 87,1457659 -1,606 5,233 1,42 22,826 -0,138 #2,00 Brad Priv FIC MM Derivativos* 154390628,3 2,7016165 0,035 0,971 1,79 2,126 3,730 0,70 Itaú Ref DI Distrib FICFI 32308632,5 9,898971 0,041 0,769 1,68 0,012 -32,317 0,25 BRAM FIA Ibovespa Alavancado* 128181844,6 9,4139976 -2,541 9,937 0,24 30,295 0,206 ------ UBB Blue FI Ações* 186829564,3 98,080565 -2,120 8,195 -2,46 29,402 -0,339 5,00 Bradesco Emp FIC Multimercado* 66901143,7 1,8957512 0,014 0,788 1,76 0,607 13,438 #1,00 Itaú Referenciado DI FICFI 1046031175,1 40,68567 0,027 0,506 1,09 0,008 -529,024 4,00 BRAM FIA IBrX-50* 48634998,9 1,6996302 -2,780 9,184 -1,35 31,190 0,072 ------ UBB Exportadoras FI Ações* 62208178,6 3,87639 -1,454 11,416 1,03 27,030 -0,066 4,00 BradPriv FICMM Multiestratégia 47863328,3 2,5197846 0,015 0,909 1,94 0,543 16,612 0,70 Itau Super Ref DI FICFI 3005718533,6 32,146622 0,033 0,620 1,34 0,004 -725,078 2,50 CAIXA FI Ações Dividendos* 61857231,7 3,122787 -1,973 10,376 1,40 26,533 0,146 2,50 UBB Institucional Small CapFIA 75207062,5 2,494175 -0,652 7,353 -8,93 24,475 -1,676 1,00 Conta Depósito Multi FICFI* 92720859,1 2,878266 0,040 0,778 1,68 0,067 111,870 0,03 Itaú UPJ Ref DI FICFI 48896547,0 23,352517 0,033 0,618 1,34 0,005 -563,803 0,10 CAIXA FI Ações Ibovespa* 217549251,1 5,645253 -2,377 8,773 -0,44 30,837 -0,042 4,00 UBB Small CAP FI Ações* 205303430,5 3,462393 -0,742 6,717 -9,86 24,166 -1,864 4,00 Europa FICFI Multimercado* 1078325133,3 1,497688 0,034 1,173 1,81 2,057 5,314 ------ Legg Mason DI Gold FIC FI Ref 148852718,2 5,90147 0,031 0,569 1,22 0,038 -87,101 3,00 CAIXA FI Ibovespa Ativo* 206939503,1 2,001342 -2,262 7,490 -4,04 28,028 -0,468 3,00 UBB Strategy FI Ações* 77533609,5 268,937892 -2,001 10,182 -1,84 30,375 -0,114 3,00 FIC Cred Priv LP MM Recebiveis 980234185,6 1,5141325 0,044 0,844 1,84 0,003 2493,67 0,60 Legg Mason DI Plus FIC FI Ref 340904371,7 8,134764 0,033 0,612 1,31 0,038 -71,696 2,50 Credit Suisse LS 60 FIA* 178477615,5 1,37752 0,382 2,142 3,10 10,590 1,149 #1,75 Unibanco Classe Mundial FIA* 267391491,4 5,324352 -2,403 9,107 -2,64 28,795 -0,165 4,00 FIC Mosaico Mult Cred Priv* 44329963,4 36,5555817 0,053 0,844 1,67 0,549 14,049 0,10 LM DI Excellent 1545250265,0 9,765762 0,041 0,756 1,62 0,038 -16,756 0,60 Credit Suisse Performance FIA* 169169793,2 1,253404 -2,399 9,117 -0,44 31,231 -0,087 #3,00 Unibanco Construção Civil FIA* 49852579,2 1,270853 -1,980 5,682 -14,77 35,906 -1,405 2,50 FIC Pentágono Mult Cred Priv* 921833578,2 1,6691053 0,054 0,859 1,70 0,548 14,352 ------ LM DI Master 710620707,4 5,130288 0,039 0,718 1,54 0,038 -31,356 1,10 CSAM FIG Premium* 138599545,6 211,605537 -2,362 9,154 0,56 30,863 0,082 #1,00 Unibanco Construção Civil FIC* 47444449,4 1,246681 -1,979 5,539 -14,89 35,720 -1,431 4,00 FIC Vot Mult Cred Priv* 1154355266,8 295,2302169 0,060 0,951 1,52 0,541 12,314 0,50 LM DI Max Excellent 2047701947,0 1,585347 0,042 0,756 1,62 0,073 -7,320 0,65 CSAM Ibx Premium* 150651988,3 10,883381 -2,546 9,801 -0,32 31,343 -0,009 #1,00 Unibanco Ouro Fino* 35893042,3 278,037705 -2,094 10,078 -2,49 30,308 -0,234 3,00 HG Allocation Pactual H.Y. FIC 400092360,6 5,238405 0,023 0,868 1,87 0,606 13,227 ------ LM DI Max Master 237816156,7 1,397531 0,040 0,718 1,53 0,073 -15,037 1,15 Export FIA IB* 86748741,7 663,566954 -2,196 12,322 0,50 32,839 -0,215 4,00 Valuation IB - FIA* 207103467,0 622,467656 -2,017 8,205 -5,29 28,630 -0,778 3,00 HSBC FIC CP LP Multirecebíveis 208172900,6 1,38447 0,043 0,820 1,78 0,004 1998,28 #2,00 LM DI Max Plus 31748461,7 1,343865 0,034 0,610 1,29 0,074 -36,303 2,55 Fama Challenger FIA* 205029491,3 3295,274009 -1,438 7,159 -7,79 24,904 -1,196 #2,00 Valuation IB FIC de FIA* 200238563,7 537,016513 -2,031 8,095 -5,46 28,648 -0,810 1,50 HSBC FIC MM CPriv LP Star* 1075156672,8 1,3431214 0,042 0,804 1,75 0,009 843,58 #0,40 LM DI Max Special 99235920,0 1,537829 0,038 0,685 1,46 0,073 -21,133 1,55 Fama Futurewatch FIA* 62524420,1 1000,019164 -0,373 6,053 -6,52 16,852 -1,425 1,00 Votorantim Performance Ações* . 31495799,0 2,9615198 -2,738 11,288 0,78 32,946 0,097 #2,50 HSBC FIC Multi LP Aquamarine* 299458177,9 411,74872 0,192 2,175 1,61 2,999 3,105 3,00 LM DI Silver 71934145,1 6,64019 0,027 0,497 1,06 0,038 -114,767 4,00 Fama Futurewatch I FIA* 332152501,1 705,7073651 -0,441 6,216 -5,88 15,680 -1,281 #2,00 Fonte: Serviço de Mercado e Cotações da InvestNews - * - Dados referentes à última quota informada. Itaú Multi. Arrojado FICFI* 52237100,0 21,892894 -0,527 1,959 0,98 7,661 0,496 4,00 LM DI Special 184616146,7 2,972514 0,037 0,687 1,47 0,039 -42,206 1,50 FI Ações 11* 512993598,4 210,2290056 -1,640 9,750 1,57 29,024 0,401 ------ Itaú Pers Mult Moderado FICFI* 441090120,5 22,843016 -0,302 1,626 1,36 5,092 1,143 2,00 LM Invest DI FIC 722670521,2 2293,180437 0,043 0,783 1,68 0,073 -2,023 0,30 FI Fator Ações Institucionais* 47638127,2 15257,21363 -1,857 9,061 -1,84 27,918 -0,079 #0,40 Itaú Pers Multi Arrojado FICFI 447354807,5 24,034106 -0,384 2,105 1,39 7,545 0,809 3,00 LM Private DI FIC 539577384,7 2,238372 0,042 0,768 1,64 0,073 -5,104 0,50 FI Fator Jaguar Ações* 141023261,8 132,859589 -1,832 9,025 -0,87 28,533 0,117 #2,00 FIA PETROBRAS Itaú Person Mult Agress FICFI* 496141168,8 25,977946 -0,653 3,011 1,34 12,600 0,513 3,00 Maxi Premium Ref DI FICFI 361237795,7 35,608109 0,039 0,737 1,60 0,006 -154,718 1,00 FIA Dividendos 114* 239641920,5 188,4781669 -1,348 7,675 3,04 23,348 0,797 ------ Instituições Patrim.Líq. Quota do Dia Rentabilidade Itaú Priv Aloc Moder Mul FICFI 155539410,0 3,305129 0,088 1,221 1,44 1,439 4,636 0,75 Nossa Caixa Super FIC DI 924023292,8 3,2386948 0,036 0,695 1,52 0,015 -98,121 1,50 FIA Fund GP 114* 842088075,1 184,0349415 -2,570 9,421 -1,06 31,445 0,121 ------ . 29/02 (R$) 29/02 (R$) Dia Ano LM Allocation 1 Mult* 80639738,6 1,699534 0,038 0,764 1,62 0,109 65,352 0,80 Nossa Caixa VIP FIC DI 3172077002,0 3,4310721 0,039 0,749 1,64 0,015 -44,522 0,80 FIA Fund GTI 114* 204637389,9 184,6987917 -2,445 9,663 -1,79 31,307 0,048 ------ CAIXA FI Ações Petrobras* 1.890.918.860,30 14,276917 -4,240 -4,21 LM Allocation 2 Mult* 201759107,5 1,741968 -0,019 0,970 1,66 0,928 7,640 1,00 Premium Ref DI FICFI 130825456,1 88,931188 0,037 0,698 1,51 0,006 -251,617 1,50 FIA Fundamentalista GT3-114* 137021713,5 181,9344981 -2,540 9,285 -1,27 30,630 0,068 ------ BB Ações Petrobras FIA* 1.773.272.566,70 12,784697 -3,963 -4,44 LM Allocation 3 Mult* 233302842,2 1,786741 -0,109 1,294 1,76 2,253 3,153 1,25 Private Exclusive Ref DI FICFI 2404824593,1 100,426003 0,042 0,791 1,72 0,006 -13,946 0,00 FIA GT2 114* 199251011,3 183,8780958 -2,551 9,971 -1,16 31,175 -0,037 ------ Itaú Petrobras FIA* 1.184.724.027,40 125,309845 -4,199 -4,65 LM Allocation 4 Mult* 72038731,0 1,865024 -0,232 1,757 1,89 4,144 1,710 1,60 Real FIC FI Ref DI Extra Plus 85014475,1 63,71154 0,031 0,578 1,23 0,102 -30,840 #2,00 Focus FIA* 72456938,9 117,164536 -2,157 11,637 -1,44 27,419 -0,867 #3,50 Bradesco FIA Petrobras* 834.469.404,40 14,1412319 -3,943 -4,45 LM Allocation 5 Mult* 53012990,7 1,762035 -0,362 2,239 2,03 6,130 1,152 2,00 Real FICFI Referenciado DI Max 454088312,8 4895,36116 0,035 0,655 1,40 0,102 -19,887 1,00 GAP FI Ações* 293709309,9 75,8344672 -2,155 11,591 -0,87 30,642 -0,057 3,50 ABN AMRO FI Ações Petrobras* 626.389.437,30 137,5028341 -3,948 -4,20 LM Mult Adv Plus* 41206282,3 1,876236 -0,011 0,782 1,97 1,389 5,438 0,40 Real FIQ Centrum DI 1327429942,5 19536,49898 0,039 0,734 1,58 0,029 -32,195 1,00 Gavea Ações FIA* 31036925,2 137,587755 -1,649 9,648 -0,77 23,996 0,409 #2,00 Safra FIA Petrobras* 417.161.617,50 141,599706 -4,244 -4,65 LM Mult Adv Top* 611369205,2 1,911495 -0,010 0,816 2,05 1,389 5,782 ------ Real FIQ Credit VIP DI* 425587399,9 35,4440483 0,042 0,731 1,63 0,058 -3,617 0,50 Geraçao -FIA* 546057782,7 176,101326 -2,170 8,932 -5,58 25,577 -0,860 #3,00 UBB Petrobras FI Ações* 248.849.666,90 12,173039 -4,277 -4,81 LM Mult Top* 126609550,1 1,830778 -0,068 0,899 1,91 1,489 4,621 ------ Real FIQ Master Funcesp DI 55263165,5 169,5088679 0,038 0,718 1,55 2,238 1,799 1,80 Geração L. Par FIA* 1407567411,6 42,7656596 -1,935 15,524 7,21 31,171 0,301 ------ HSBC FI Ações Petrobras* 195.379.754,60 14038,66602 -4,145 -3,92 LM Multirenda 10* 48033270,1 7,461065 -0,279 1,423 1,26 4,003 1,213 2,80 Real FIQ Priority DI 1743923344,6 1069,230471 0,040 0,757 1,63 0,028 -20,807 0,50 Geração Programado FIA* 915436119,9 2,0335855 -2,058 9,852 -2,09 25,027 -0,320 4,00 Santander FI Petrobras Ações 2 156.220.479,30 15,6602844 -4,305 -4,59 LM Multirenda 20* 57269438,1 7,874818 -0,576 2,190 1,10 7,851 0,590 3,00 Real FIQFI Ref DI Doutor 456829785,9 626,5688266 0,037 0,696 1,50 0,027 -52,922 1,00 Guepardo SLW* 112601933,9 5,567267 -0,444 13,780 1,34 20,095 0,855 #2,00 Santander FI Petrobras Ações* 13.608.775,10 13,172175 -4,267 -4,29 LM Multirenda 30* 96065694,7 6,553952 -0,867 2,980 0,96 11,721 0,384 3,00 Real FIQFI Ref DI Empresarial 443252924,7 184,9349541 0,037 0,695 1,50 0,029 -51,174 1,50 GWI Classic FIA* 81490040,3 531388,2685 -1,226 8,870 1,79 26,150 -0,196 #1,50 Alfa II Açoes FIA Petrobras* . 5.647.338,60 1479,03583 -4,141 -3,83 Magliano Pactual High Yield* 177864593,1 816,7277427 0,023 0,869 1,87 0,624 12,893 ------ Real FIQFI Ref DI Extra 331697069,3 642,0622918 0,026 0,492 1,04 0,031 -144,202 3,50 GWI FIA* 323249337,3 374098,1909 -2,743 19,715 7,16 52,411 0,171 #1,50 Fonte: Serviço de Mercado e Cotações da InvestNews - * - Dados referentes à última quota Mellon Alloc Mikonos FICFI Mul 38714814,3 2,342554 0,399 2,065 2,24 8,537 1,291 ------ Real FIQFI Ref DI Forças 78337970,8 663,0557722 0,033 0,621 1,34 0,027 -93,735 1,50 GWI Private FIA* 532285794,8 208956,7731 -2,660 21,604 0,71 55,717 -0,603 #1,50 informada. Multimngr Plus IB-Mult FICFI* 1110273124,0 272,150094 0,000 1,312 1,64 1,865 2,943 ------ Real FIQFI Ref DI Supremo 1629144200,7 437,4071027 0,032 0,606 1,30 0,028 -98,095 2,00 Hedging Griffo Strat. II FIA* 241877105,1 10,43818 -1,588 10,291 -5,35 29,196 -0,913 2,00 Mutimngr IB-Mult FIC de FI* 153629712,1 263,149401 0,018 0,911 1,52 0,733 8,681 ------ HG All Polo FICFIA* 352139618,6 4,890855 0,899 3,677 7,97 10,264 10,089 #2,00 Safra FQS DI 74579436,3 90,727326 0,041 0,768 1,67 0,016 -22,355 0,09 HSBC FI Ações Dividendos* 83634257,3 5749,698633 -1,924 8,384 -2,42 29,638 -0,457 2,50 FMP - FGTS PETROBRAS Pactual Hedge Mult Private FIC 643432452,0 12,3171639 0,016 1,172 1,56 2,953 2,704 ------ Safra High Mix DI 42574876,0 196,809824 0,032 0,582 1,27 0,016 -184,835 0,75 Real FI Multimercado Risk Plus 76902164,9 5568,50292 0,012 0,739 1,36 0,400 12,591 1,50 HSBC FI Ações Institucional* 581424388,2 16176,16104 -2,654 8,519 -2,69 29,993 -0,136 0,00 Instituições Patrim.Líq. Quota do Dia Rentabilidade Safra High Top DI 174241600,8 60,49465 0,034 0,623 1,36 0,016 -152,326 1,15 Real FIQ Multimercado Risk* 57662124,2 42,8493439 0,009 0,696 1,24 0,382 11,558 #2,00 HSBC FI Ações Plus* 135534191,0 6,7309332 -1,716 9,076 -3,59 28,562 -0,267 1,50 . 29/02 (R$) 29/02 (R$) Dia Mês Safra Market DI FIC FI Ref 1362095039,1 72,603988 0,041 0,782 1,70 0,032 -2,957 0,60 Sant FIC FI Perf Empresas Mult 148142560,9 22,8014001 0,024 0,784 1,68 0,193 38,526 0,20 Safra Plus DI 188174419,7 33,729876 0,026 0,469 1,02 0,017 -281,136 2,40 HSBC FI Ações Setorial Ativo* 46973948,1 4560,232092 -1,816 9,668 -4,94 29,214 -0,414 2,50 CAIXA FMP-FGTS Petro III* 2096589619 14,598127 -4,255 4,299 Uniclass Alpha Plus FICFI Mult 84102009,8 1,106676 -0,076 0,719 0,97 0,998 2,385 1,50 Safra Portfólio DI 39936861,7 58,095345 0,025 0,465 1,02 0,016 -286,598 4,50 HSBC FI Ações Top* 120883207,0 61,3426823 -2,310 8,379 -2,06 29,437 -0,261 2,50 CAIXA FMP-FGTS Petro IV* 1724259728 14,860325 -4,254 4,319 Uniclass Arrojado FICFI Multi* 30885093,3 5,657916 -0,078 0,698 0,93 0,999 2,081 #0,25 Safra Portfólio DI 60 78592664,9 13,853681 0,024 0,443 0,97 0,016 -307,988 4,50 HSBC FI Ações Valor* 618641490,6 7257,852259 -1,384 4,782 -9,49 27,892 -1,410 2,50 CAIXA FMP-FGTS Petro II* 1284861294 14,324335 -4,255 4,283 Uniclass Moderado FICFI Multi* 126284214,2 3,213241 0,013 0,735 1,59 0,325 19,858 #0,50 HSBC FIA Sustentab Empr ISE* 147052845,4 1,9396509 -2,031 8,077 -4,79 27,623 -0,068 2,50 Bradesco FGTS Petrobras* 1183878858 14,2146227 -4,059 4,217 Sant Ban FIC FI Classic Ref DI 2876089524,6 2,9846 0,022 0,426 0,93 0,042 -123,718 5,00 Uniclass Multi FICFI Multi* 66904000,1 3,189632 -0,372 2,575 2,09 6,287 1,121 #2,00 HSBC FICFI Ações Acumulação* 203544938,0 2,2488309 -2,651 8,200 -3,25 29,922 -0,259 4,00 Itaú Petrobras FMP FGTS* 642890618,2 142,010072 -4,255 4,276 Sant Ban FIC FI Inst Ref DI 190566252,9 14,5966664 0,041 0,768 1,68 0,116 -2,817 0,50 WA Prev Fix Plus RF* 259042274,9 8,012002 -0,024 1,331 2,51 1,663 5,506 0,20 HSBC FICFI Ações Índices* 64575917,0 4,5668594 -2,295 8,228 -2,28 29,162 -0,310 4,00 BB FMP FGTS Petrobras* 587480593,7 14,419549 -4,251 4,268 . Sant Ban FIC FI Senior Ref DI 1700640851,5 4,54845 0,032 0,615 1,34 0,042 -60,281 2,50 HSBC FICFI Ações* 86858932,2 465,8332861 -1,709 8,802 -3,99 28,250 -0,357 #4,00 Alfa I FMP Petrobras* 338866718,3 1549,15623 -4,137 4,288 Fonte: Serviço de Mercado e Cotações da InvestNews - * - Dados referentes à última quota informada. Sant FIC FI Corporate Ref DI 1285740290,6 3,9696901 0,041 0,790 1,72 0,129 -0,051 0,40 HSBC Multi Ações* 530343661,3 2,6095395 -2,669 8,826 -2,96 30,537 -0,105 ------ Itaubanco Petro FMP FGTS* 272316523,7 147,743708 -4,253 4,315 Sant FICFI Finanças Púb Ref DI 59372552,1 2,781359 0,036 0,667 1,44 0,050 -36,643 2,00 HSBC FMP FGTS Petro* 241644751,7 14,2784603 -4,252 4,248 Ibovespa Select IB - FIA* 254508390,4 5,48791 -2,325 9,403 -0,22 30,051 0,006 4,00 Santander FIC FI Master Ref DI 4100619138,8 48,974509 0,038 0,728 1,59 0,121 -7,425 1,00 FIC REFERENCIADO DI IBX Select IB - FIA* 258416363,3 598,43794 -2,598 9,523 -1,17 30,958 -0,007 4,00 ABN AMRO FP FMP-FGTS Petrobras 214042800,7 147,6901986 -4,255 4,311 Santander FIC FI PB VIP Ref DI 190565529,5 43,828929 0,040 0,766 1,67 0,126 -2,770 0,50 Brad.FGTS Priv IV Petro* 161012260,2 14,8457368 -4,193 4,244 Instituições Patrimônio Quota Rent. Acumulada % IP Participaçoes FIA* 313205594,0 12,9372123 -1,856 3,201 -6,36 18,508 -1,103 #2,00 Santander FIC FI Sênior RF 814372490,8 4,586375 0,023 0,659 1,40 0,236 -10,615 2,50 Banespa FMP - FGTS Petrobras* 152202334,5 14,4542013 -4,267 4,301 Líquido do Dia Ind. de Tx. de Itaú Ace Dividendos FITVM* 479221695,9 343,987987 -1,521 8,397 3,09 26,013 0,463 1,50 Super Premium Ref DI FICFI 283931815,3 50,9328 0,040 0,756 1,64 0,006 -104,645 0,75 Safra Privat FGTS Petro* 136911628,3 141,2874 -4,236 4,278 29/02 (R$) 03/03 (R$) Dia Mês Ano Volat. Sharpe Adm. % Itaú Caixa Ações* 53102736,4 23,875856 -2,521 8,750 -0,10 31,185 0,027 ------ UBB DI Corporate FICFI 120530018,9 4,458395 0,041 0,772 1,67 0,016 -23,259 ------ . Itaú Carteira Livre-FIA* 128766625,4 6,798655 -2,341 9,427 -0,13 30,604 0,010 4,00 Itaú Person. Petro FMP* 135934112,5 141,851851 -4,256 4,268 ABN AMRO FIQFI Ref Rating* 46671657,9 284,0141188 0,042 0,729 1,63 0,058 -3,911 0,50 UBB DI FICFI Ref 119652258,8 5,350889 0,023 0,429 0,91 0,064 -82,671 2,50 Alfa VIII-FMPFGTS Petro* 102809983,2 1532,66838 -4,14 4,278 ABN AMRO Ref DI Credit Premium 1154875516,2 68,6583992 0,043 0,745 1,67 0,058 0,468 0,30 Itaú Governança Corp. Ações FI 771634250,6 16,341465 -1,979 11,521 -4,33 30,334 -0,881 0,90 UBB Large Corporate DI FICFI 51199825,0 3,441336 0,042 0,787 1,70 0,016 -9,239 0,30 Itaú Desenvolv Petrobras* 97970400,6 149,237136 -4,252 4,329 ABN AMRO Ref DI Profit Premium 319989926,3 59,279707 0,041 0,788 1,71 0,010 -10,376 0,30 Itaú Index Ibovespa FIA* 315573452,3 61,432341 -2,381 8,970 0,09 30,612 0,062 0,00 UBB Priv DI FICFI 345154738,6 1,888851 0,041 0,791 1,70 0,030 -4,088 0,25 FMP FGTS UBB F-Petro* 86630489,1 14,742113 -4,251 4,308 ABN AMRO Ref DI Profit Private 176764656,3 103,249797 0,040 0,774 1,68 0,009 -34,642 0,50 Itaú Indice Açoes Ibov. FICFIA 107379002,7 86,906736 -2,401 8,719 -0,41 30,654 -0,041 3,00 UBB Vip DI FICFI Ref 1230764720,3 2,067077 0,040 0,776 1,67 0,030 -11,632 0,25 FMP FGTS UBB C-Petro* 69652997,6 14,749502 -4,251 4,303 Alfa Private DI FIC FI Ref LP* 32870935,9 953,5960636 0,024 0,722 1,61 0,124 -2,193 0,50 Itaú Infra-Estrutura Ações FI* 174440635,0 12,286808 -1,773 6,281 -1,61 25,004 -0,325 0,90 Unibanco Advantage DI FICFI 68715335,9 70,962585 0,027 0,504 1,07 0,064 -66,273 #3,50 FMP FGTS UBB R-Petro* 67388959,8 12,666611 -4,252 4,158 Banestado Nobre Ref DI FICFI 76495918,8 3,432069 0,041 0,779 1,69 0,004 -69,799 0,40 Itaú Institucional Seleção FIA 74197828,1 12,888744 -2,437 9,294 -1,86 31,028 0,040 0,90 Unibanco DI Max FICFI 109013558,4 1,542361 0,035 0,681 1,46 0,030 -57,863 1,50 Santander BR Amarelo FGTS* . 66859834,4 147,256275 -4,26 4,327 BB Ref DI 10 Mil FICFI 1921674930,5 3,1774523 0,032 0,613 1,33 0,005 -499,540 2,50 Itaú Mirante IBrX Ações FI* 136598858,3 63,1053969 -2,608 9,858 -1,51 31,905 0,107 0,19 Unibanco DI Premium FICFI 698053136,3 4,577156 0,033 0,624 1,34 0,030 -84,545 ------ Fonte: Serviço de Mercado e Cotações da InvestNews - * - Dados referentes à última quota BB Ref DI 20 Mil FICFI 526265760,4 2,9176141 0,036 0,689 1,50 0,005 -285,029 1,50 Itaú Person Infra-Estrut Ações 165189574,5 12,073704 -1,796 6,154 -1,92 25,094 -0,397 3,00 Unibanco Empresas DI FICFI 949348248,5 2,730233 0,040 0,776 1,67 0,030 -11,575 0,50 informada. BB Ref DI Empresarial FICFI 110369990,3 3,2981245 0,034 0,651 1,42 0,005 -375,128 2,00 Itaú Person Marché Ibov FIA* 182843478,4 7,96662 -2,396 8,804 -0,24 30,639 -0,007 2,00 Uniclass DI FICFI Ref 1200888654,6 2,615284 0,037 0,719 1,55 0,030 -39,223 1,00 BB Ref DI LP 100 Mil FICFI* 1991912058,9 3,0846774 0,039 0,713 1,60 0,010 -59,481 0,80 Itaú Person. Açoes FICFIA* 164849295,7 14,218539 -2,549 9,286 -1,01 30,456 -0,003 0,00 Uniclass DI Master FICFI Ref 654822737,4 3,35603 0,038 0,738 1,59 0,031 -29,132 #0,40 BB Ref DI LP 150 Mil FICFI* 2163188695,3 3,1529119 0,041 0,735 1,64 0,010 -26,631 0,50 WA Large Corp DI 153173800,7 3,203102 0,042 0,789 1,70 0,038 -3,962 0,15 Itaú Person. Technique FIA* 138057374,0 9,69357 -2,307 9,364 0,44 30,952 0,111 2,00 FIA VALE DO RIO DOCE BB Ref DI LP 50 Mil FICFI* 4740413534,5 5,6261256 0,039 0,699 1,56 0,010 -81,187 1,00 Itaú Private Ações Ativo FIA* 36995326,0 264,929861 -2,316 9,274 0,33 29,732 0,125 2,00 Instituições Patrim.Líq. Quota do Dia Rentabilidade WA Prev Sovereign FI 169919514,6 2,596032 0,043 0,799 1,72 0,031 -0,436 ------ BB Ref DI LP Corp250 Mil FICFI 1421548137,5 3,1531376 0,041 0,735 1,64 0,010 -26,601 0,50 Itaú PrivSelect-FIA* 70839736,1 0,645633 -2,542 9,195 -0,63 30,554 0,093 2,00 29/02 (R$) 29/02 (R$) Dia Ano WA Sover Selic FIC 33589362,0 1,135248 0,042 0,779 1,67 0,031 -10,022 0,25 . BB Ref DI LP MIL* 105212308,6 1,382233 0,030 0,550 1,23 0,010 -309,372 3,00 Itaú Seleção Ações FIA* 439890482,7 47,966981 -1,269 7,290 -5,79 24,624 -1,099 3,00 WA Top Target DI 50070272,9 7,548599 0,041 0,773 1,66 0,038 -10,210 0,35 BB Ações Vale do Rio Doce FIA* 2.335.464.048,50 13,7716265 -3,507 -0,53 Itaú Valor FIA* 525902279,5 44,254457 -2,435 8,290 -1,68 29,587 0,069 3,00 . BB Refer DI Private FICFI* 1445744139,6 2,9022545 0,042 0,752 1,68 0,143 0,034 ------ CAIXA FI Ações Vale Rio Doce* 2.064.933.195,20 13,915772 -4,012 -0,45 Fonte: Serviço de Mercado e Cotações da InvestNews - * - Dados referentes à última quota informada. Itauações - FIA* 1167582869,9 5,76027 -2,549 9,297 -1,03 30,456 -0,004 4,00 BESC FIQ DI 47739521,8 3,0452677 0,030 0,572 1,23 0,027 -121,801 2,50 Itaú FIA Vale do Rio Doce* 1.602.200.121,30 129,473573 -3,949 -0,49 BNP Paribas DI FIC FI Ref 60141759,6 515,354573 0,038 0,766 1,61 0,107 -7,849 0,85 Legg Mason Seleção Ações FI* 108637047,4 1149,236013 -1,287 8,016 -9,95 28,427 -1,804 4,00 Bradesco FIA Vale R Doce* 1.216.856.788,30 14,2504324 -3,811 -0,29 BNP Paribas Excellent DI FICFI 41661775,2 1,270666 0,045 0,753 1,63 0,108 -9,313 ------ FUNDOS DE AÇÕES LM Ações Ibov Silver* 54508064,0 6,509845 -2,213 7,893 -5,45 29,900 -0,842 6,00 ABN AMRO FI Ações Vale R Doce* 1.040.820.936,80 140,0536981 -3,742 -0,18 BNP Paribas Porfolio DI FIC FI 84384817,4 1,290039 0,048 0,811 1,75 0,109 -1,445 ------ LM Ações Ibov Star* 79277531,9 2,658166 -2,201 8,136 -4,98 29,893 -0,763 4,00 Safra FIA Vale do Rio Doce* 506.303.629,20 142,009272 -4,031 -0,35 Instituições Patrimônio Quota Rent. Acumulada % BNP Paribas Prime DI FIC FI Re 40378565,9 1,253641 0,043 0,709 1,53 0,109 -15,344 ------ Líquido do Dia Ind. de Tx. de LM Ações ISE* 144731260,9 0,431459 -2,359 8,253 -5,46 31,046 -0,465 6,00 Unibanco Vale do Rio Doce FIA* 388.810.592,20 12,537677 -4,056 -0,66 BNP Paribas Targus 1023320960,7 146,4319388 0,042 0,794 1,72 0,156 -0,412 0,25 . 29/02 (R$) 29/02 (R$) Dia Mês Ano Volat. Sharpe Adm. % LM Ações Renda Mista* 34330791,9 5,260805 -1,505 5,553 -3,72 20,928 -0,875 6,00 HSBC FI Ações Vale do Rio Doce 302.459.862,70 14,630781 -3,943 -0,39 Brad Emp FIC FI Ref DI Plus 149284890,3 1,9139072 0,040 0,762 1,65 0,009 -57,760 0,70 Mauá Bolsa Private FIA* 53931246,1 179,773212 -1,876 10,327 -2,33 34,908 -0,099 #3,00 Santan FI Vale Rio Doce Ações2 201.766.398,40 12,6129446 -4,073 -0,71 ABN AMRO Ações Ativo II* 213750497,6 12,1274352 -2,408 9,137 -0,56 29,563 0,031 ------ Brad Empresas FIC Ref. DI Top 635298586,3 1,1992798 0,042 0,796 1,73 0,009 0,599 0,25 Maxima Part FIA* 58906267,3 1,9439425 -0,137 16,014 -16,63 45,950 -1,252 #2,00 Bradesco BA FIA Vale* 11.033.367,50 1461,555242 -3,924 -0,19 ABN AMRO Ações Ibov Passivo* 94422137,4 502,5897206 -2,373 8,911 0,46 30,381 0,152 ------ Brad FIC FI R DI Poder Público 188309250,5 1,4559824 0,039 0,750 1,63 0,015 -44,990 0,90 Mellon Income FIA* 437425050,3 19,7230555 -1,590 10,615 0,91 25,702 0,096 #3,00 Sant FIA Vale do Rio Doce Mais 8.641.758,60 9,1289123 -4,790 -1,57 ABN AMRO Ações Institucional* 65045882,9 13207,69709 -2,396 8,911 -0,98 29,833 -0,048 1,00 Brad FIC Ref DI Federal Plus 1294476497,4 3,8100323 0,042 0,795 1,73 0,015 -1,005 #0,30 Opp. Lógica II Institucional* 457093372,4 7,4903023 -2,160 6,133 -3,56 31,184 -0,062 2,00 Alfa V-FIA Vale Rio Doce* 4.300.518,10 1383,41571 -3,952 -0,78 ABN AMRO FI Ações Energy* 165293777,6 4,64398 -2,040 6,497 -1,10 28,522 1,063 #2,00 . Opportunity Lógica II FI Ações 2684052441,3 35,1449179 -2,240 6,777 -3,69 33,008 0,023 4,00 Brad Prime FIC Ref DI Plus 1493323267,0 2,010905 0,040 0,761 1,65 0,009 -58,951 0,70 ABN AMRO FI Ações Estratégico* 46504650,4 11737,61162 -2,034 7,942 -2,36 28,460 -0,222 4,00 Fonte: Serviço de Mercado e Cotações da InvestNews - * - Dados referentes à última quota Orbe Value FIA* 152917008,2 916,044284 0,553 1,202 -1,92 12,359 -1,758 #2,00 Brad Prime FIC Ref DI Special 508087070,0 1,6734685 0,039 0,738 1,60 0,009 -97,061 1,00 ABN AMRO FI Ações Ethical II* 575806851,4 604,9037164 -2,008 10,177 0,06 28,728 -0,460 0,60 informada. Pactual Multi Ações FIA* 126868092,3 1,450747 -2,392 8,664 0,04 30,644 0,206 ------ Brad Private FIC Ref DI 85118492,9 2,8449563 0,041 0,776 1,68 0,009 -32,681 0,50 ABN AMRO FIA Dividendos* 109765366,0 14479,12078 -1,160 7,259 -1,58 23,944 0,086 4,00 Pavarini I FIA* 48333388,1 17538,0823 -1,236 9,252 -2,47 28,658 -0,206 2,00 Brad. Priv. FICRef DI Fed Plus 498150525,4 2,6565529 0,042 0,795 1,73 0,015 -1,118 0,30 ABN AMRO FIQ Ações Ethical* 448211381,6 564,2333828 -2,020 9,979 -0,32 28,737 -0,534 3,00 Personnalite Valor* 305396686,9 26,835266 -2,436 8,298 -1,65 29,595 0,067 ------ FMP - FGTS VALE DO RIO DOCE Bradesco Emp FICRef DI Federal 1093984741,6 1,9230016 0,041 0,780 1,69 0,015 -15,528 0,50 ABN AMRO FIQ FI Ações Ativo I* 207052333,9 0,0901096 -2,410 9,078 -0,66 29,548 0,009 0,60 Porto Seguro FIA* 35767102,1 136,295873 -2,883 9,398 -1,85 32,010 0,017 3,00 Instituições Patrim.Líq. Quota do Dia Rentabilidade Bradesco FIC FI Ref DI Topázio 904436758,8 1,6429773 0,037 0,702 1,52 0,009 -160,815 1,50 ABN AMRO FIQ FI Ações* 80589381,9 0,4619049 -2,712 8,639 -2,46 31,186 -0,069 2,00 Bradesco FIC Ref DI Brilhante
  • 22. B10 | Terça-feira, 4 de março de 2008 | GAZETA MERCANTIL INDICADORES CLEARING DE CÂMBIO – BM&F ADR — ÍNDICES DE PREÇOS CUSTO DO CRÉDITO EM % em 3.3.2008 . Índice . Quantidade (1) Índice dia % dia Índice mês % mês Índice ano % ano LINHAS . 25/fev/08 29/fev/08 03/mar/08 . OPERAÇÕES CONTRATADAS VALORES LÍQUIDOS COMPENSADOS BNY Ásia 47.121.847 154,03 -0,23 154,39 -0,23 166,70 -7,60 Desc. Duplicata (antecipada a.m.) Contratação Liquidação Operações Valor (US$) Valor (R$) Liquidação Valor (US$) Valor (R$) Empresas grande porte 1,21 / 2,52 1,21 / 2,52 1,21 / 2,52 . BNY América Latina 46.437.381 441,48 1,15 436,45 1,15 425,72 3,70 Empresas médio/pequeno porte 2,04 / 4,03 2,04 / 4,03 2,04 / 4,03 BNY Argentina 2.156.354 177,67 0,74 176,37 0,74 182,18 -2,48 . 3/3/2008 3/3/2008 1 17.000.000,00 28.772.056,30 3/3/2008 949.895.000,00 1.589.284.128,40 Hot Money (taxa over - a.m.) 3/3/2008 4/3/2008 12 408.100.000,00 689.196.683,70 4/3/2008 721.610.000,00 1.214.521.780,30 BNY Brasil 35.941.670 538,23 1,35 531,08 1,35 512,97 4,92 BNY Chile 914.800 200,17 0,26 199,66 0,26 194,10 3,13 Empresas grande porte 1,31 / 5,12 1,31 / 5,12 1,31 / 5,12 3/3/2008 . 5/3/2008 206 2.309.629.000,00 3.884.171.014,00 5/3/2008 1.040.760.000,00 1.750.911.325,00 Empresas médio/pequeno porte 1,38 / 9,59 1,38 / 9,59 1,38 / 9,59 BNY México 6.891.157 395,61 0,76 392,63 0,76 397,69 -0,52 . Fonte: Bolsa de Mercadorias & Futuros. . Capital de Giro Pré - (a.a.) 30 dias Obs.: Adrs negociados em bolsas americanas. (1) Adrs negociados no dia. Empresas grande porte 15,78 / 47,64 15,78 / 47,64 15,78 / 47,64 Fonte: The Bank of New York. Empresas médio/pequeno porte 28,03 / 85,84 28,03 / 85,84 28,03 / 85,84 IPCA . Conta Garantida - (taxa over - a.m.) 3,33 3,33 3,33 Bolsa de Mercadorias & Futuros - em 3.3.2008 . (Contrato = cotação a futuro x R$ 50,00; cotação = pontos do índice). CÂMBIO CUSTO DO DINHEIRO Vendor Pré - (a.a.) 30 dias . 34,27 34,27 34,27 . o Bancos negociaram ontem o dólar para importação e exportação entre R$ (Em % no mês) Capital de Giro Pós 120 dias Contr. N- Contr. Vol. (a.a. + TR) 12,00 12,00 12,00 . Venc. . Abt. Negs. Neg. (R$) Abt. Min. Máx. Méd. Últ. Ajust. Osc. 1,68080 para compra e R$ 1,68160 para venda. A seguir, outras moedas Mês CDB (1) CDI (2) Selic (2) . Vendor Pós - (a.a. + TR) 120 dias - - - . Mar/08 . - - - - s/cot. s/cot. s/cot. s/cot. s/cot. 2.759,827 Inalt. cotadas pelo Banco Central do Brasil (BC) para compra e venda. Válido para mar/07 0,80 1,05 1,05 . o dia 03/03/2008. abr/07 0,73 0,94 0,94 Export Notes 30 dias Fonte: Bolsa de Mercadorias & Futuros. . mai/07 0,79 1,02 1,03 (a.a. + C. Cambial) 5,63 / 5,73 (1,00) / (1,10) 2,85 / 2,95 Obs.: A partir de 1/6/2005, as paridades de algumas moedas podem . jun/07 0,72 0,90 0,91 Operações 63 - 03 anos CÂMBIO CONTRATADO não aparecer na transação Ptax 800, devido a alterações nos critérios jul/07 0,74 0,97 0,97 (a.a. + C. Cambial) . 7,50 / 8,50 7,50 / 8,50 7,50 / 8,50 de divulgação do Banco Central. ago/07 0,77 0,99 0,99 . (US$ MILHÕES) . set/07 0,63 0,80 0,80 ACC (a.a. + C. Cambial) Moedas . Em Dólar Em Reais out/07 0,71 0,92 0,93 30 dias 4,80 4,80 4,80 Comercial Financeiro nov/07 0,65 0,84 0,84 180 dias 5,70 5,70 5,70 Baht (Tailândia) 31,6000/31,6800 0,053056/0,053215 Balboa (Panamá) 0,998000/1,00200 1,67745/1,68497 dez/07 0,65 0,84 0,84 ACE (a.a. + C. Cambial) Data Exportação Importação Saldo Compra Venda Saldo Saldo Total jan/08 0,71 0,92 0,93 30 dias 4,80 4,80 4,80 . Bolívar Forte (Venezuela) 2,14460/2,15000 0,781767/0,784109 Cedi de Gana (Gana) 9.600,00/9.775,00 0,0001719/0,0001752 fev/08 0,62 0,80 0,80 180 dias 5,70 5,70 5,70 Jul/07 15.025 9.531 5.494 33.779 27.684 6.095 11.588 . mar/08 0,65 0,84 0,84 Factoring - (taxa efetiva - 30 dias) Ago/07 17.224 10.343 6.880 28.518 28.557 -39 6.841 Colón (Costa Rica) 493,000/498,000 0,0033751/0,0034110 . Set/07 12.521 10.540 1.980 23.688 25.671 -1.983 -3 Colón (El Salvador) 8,75000/8,75000 0,192091/0,192183 Fontes: Anbid, Cetip, BCB e Centro de Infor- (Fator Anfac no período) . 3,92 / 4,00 3,89 / 3,97 3,91 / 3,99 Out/07 16.569 10.674 5.895 36.909 36.082 828 6.722 Córdoba Ouro 19,0624/19,0624 0,088174/0,088216 mações da Gazeta Mercantil. (1) Aplicações no 1º dia do mês. Leasing - 36 meses Nov/07 17.232 9.927 7.304 32.308 34.331 -2.023 5.281 Coroa (Estônia) 10,3039/10,3047 0,163110/0,163200 (a.a. + C. Cambial) 30,00 30,00 30,00 Coroa (Islândia) 66,3000/66,3500 0,025332/0,025364 (2) Taxa efetiva (projetada no mês corrente) . Dez/07 14.025 10.749 3.276 41.588 39.467 2.121 5.397 Coroa (Noruega) 5,17350/5,17660 0,324692/0,325041 REPASSES DO BNDES Jan/08 . 15.307 11.134 4.173 32.608 39.138 -6.530 -2.357 Finame (máq. e equip. nacionais) * 7,25 / 8,75 7,25 / 8,75 7,25 / 8,75 Fontes: Banco Central e Centro de Informações da Gazeta Mercantil Coroa Checa 16,3882/16,4200 0,102363/0,102610 TÍTULOS PÚBLICOS Coroa Dinamarquesa 4,90600/4,90730 0,342510/0,342764 BNDES Autom. (Invest. fixos) * 7,25 / 8,75 7,25 / 8,75 7,25 / 8,75 Coroa Eslovaca 22,4520/22,5020 0,074696/0,074898 Taxa Referencial * (em % a.a.) Finame Agrícola (máq. e impl. agríc.) * 7,25 / 8,75 7,25 / 8,75 7,25 / 8,75 Finame Leasing (máq. e equip.) ** 10,75 10,75 10,75 . MERCADO FUTURO DE JUROS Coroa Sueca 6,15930/6,16630 0,272578/0,273018 . Referencial Dalasi (Gâmbia) 20,2500/23,2500 0,072293/0,083042 Federal LFTE Fontes: Investnews, Anfac, BNDES e Centro de Informações da Gazeta Mercantil. BOLSA DE MERCADORIAS & FUTUROS - em 3.3.2008 . Dinar Argelino 64,8288/66,8288 0,025151/0,025939 * Estas taxas incluem custo financeiro (TJLP) + spread básico (1 % a.a. ou 2,5 % a.a.) e devem ser acrescidas do spread de risco DI DE 1 DIA FUTURO (Contrato = R$ 100.000,00; cotação = taxa de juro) . Dinar da Macedonia 40,5086/40,5086 0,041492/0,041512 Data Ano Mês Ano Mês (negociado entre o cliente e o agente financeiro). Dinar de Bahrain 0,376400/0,377400 4,45363/4,46759 O spread básico de 1 % destina-se a pequenas e médias empresas de qualquer região do Brasil e empresas de qualquer porte . Meses Cont. Cont. Dinar do Kuwait 0,272300/0,272500 6,16807/6,17554 Fev 25 11,18 1,26 - 0,00 localizadas na região amazônica, no nordeste e no sul do RS. **Spread básico de 4,5 % a.a. . Abt. (*) Neg. Méd. Últ. Ajuste (PU) Var. Ptos. Dinar Jordaniano 0,707500/0,709500 2,36899/2,37682 26 11,18 1,26 - 0,00 Dinar Líbio 1,20900/1,20900 1,39024/1,39090 27 11,18 1,26 - 0,00 Abr/08 994.859 75.179 11,120 11,110 99.167,37 +0,48 28 11,18 1,26 - 0,00 Mai 109.903 2.390 11,153 11,140 98.296,25 +0,95 Dinar Tunisiano 1,18950/1,19250 1,40948/1,41370 29 11,18 1,26 - 0,00 BOVESPA FIX Direitos Esp. de Saque * 1,61286/1,61286 2,71090/2,71219 . Jun 247.755 31.819 11,186 11,190 97.465,11 +2,52 Fontes: Bacen, Andima e Centro de In- Preços de referência para o dia 3/3/2008 Dirham de Marrocos 7,50630/7,52630 0,223324/0,224025 . Jul 1.122.231 22.021 11,242 11,230 96.594,09 +8,13 formações da Gazeta Mercantil. Dirham dos Emirados Árabes 3,67150/3,67250 0,457672/0,458014 DEBÊNTURES - Rodas de negociação com liquidação pelo saldo multilateral Out 148.146 30.265 11,497 11,480 93.814,45 +18,77 * Taxas expressas ao ano, tendo como . Dólar Americano 1,0000/1,0000 1,68080/1,68160 Jan/09 1.538.693 211.010 11,733 11,710 91.064,69 +37,51 Dólar Australiano * 0,938600/0,939000 1,57760/1,57902 base 252 dias úteis. Preço de Preço de Preço de Preço de Abr 61.426 340 11,939 11,930 88.466,81 +63,01 Dólar Canadense 0,992000/0,992400 1,69367/1,69516 Referência Referência Referência Referência Jul 304.019 22.373 12,158 12,130 85.880,55 +71,61 Dólar da Guiana 203,195/203,195 0,0082719/0,0082758 para Liquidação para Liquidação para Liquidação para Liquidação . Dólar das Bahamas 0,998000/1,00200 1,67745/1,68497 SWAP - BM&F Código Empresa em D+0 em D+1 Código Empresa em D+0 em D+1 Número de negócios: Abr/08, 41; Mai, 9; Jun, 18; Jul, 36; Out, 36; Jan/09, 400; Abr, 5 e Jul, 57. . . Dólar das Bermudas 1,00000/1,00000 1,68080/1,68160 (Taxa Média em % a.a. - 3/3/2008) . . ALLL-D41 ALL Amer Lat (N2) 10.475,54 10.479,91 INVT-D11 Investco 5.573,27 5.575,59 (*) - Contratos em aberto em 29.2.2008 Dólar das Ilhas Salomão 7,05219/7,69823 0,218336/0,238451 ALLL-D51 ALL Amer Lat (N2) 10.000,00 10.004,17 ITSP-D21 Itauseg 10.451,92 10.456,28 PRAZO Pré x DI Dol x DI TR x DI . DI - TAXAS EFETIVAS DÓLAR FUTURO Dólar de Barbados 2,00000/2,00000 0,840400/0,840800 . ALLL-D61 ALL Amer Lat (N2) 10.197,10 10.201,35 ITSP-D22 Itauseg 10.454,47 10.458,84 Dólar de Belize 1,96070/1,96070 0,857245/0,857653 30 11,11 14,41 10,00 . AMBV-D11 Ambev 10.175,47 10.179,72 JMCD-D11 J.Macedo 10.599,26 10.603,68 Meses Cont. Cont. Efetiva Efetiva Correção cambial Dólar de Brunei 1,39350/1,39560 1,20436/1,20675 60 11,14 9,36 10,00 AMBV-D12 Ambev 10.176,78 10.181,02 KSSA-D11 Klabin Segall (N1) 10.050,93 10.055,12 . Abt. (*) Neg. No periodo Anual projetada Dólar de Cayman* 1,21951/1,21951 2,04975/2,05073 91 11,19 7,62 10,00 ANHB-D11 Autoban 12.383,38 12.388,54 KSSA-D12 Klabin Segall (N1) 10.779,09 10.783,58 Abr/08 994.859 75.179 0,84 11,11 -0,24 Dólar de Cingapura 1,39130/1,39200 1,20747/1,20865 120 11,24 6,85 10,02 ANHB-D12 Autoban 10.970,47 10.975,04 LAME-D21 Lojas Americ 10.187,27 10.191,52 Dólar de Hong Kong 7,78220/7,78310 0,215955/0,216083 150 11,35 6,36 10,04 ANHB-D13 Autoban 10.454,38 10.458,74 LAME-D22 Lojas Americ 10.187,27 10.191,52 Mai 109.903 2.390 1,73 11,14 +0,27 Dólar de Trinidad e Tobago 6,28030/6,33750 0,265215/0,267758 182 11,43 5,97 10,07 BDLS-D11 Bradesco Lsg 153,57 153,64 LAME-D31 Lojas Americ 11.088,40 11.093,03 Jun 247.755 31.819 2,60 11,19 +0,76 Dólar do Caribe Oriental 2,70000/2,70000 0,622519/0,622815 210 11,48 5,75 10,07 BDLS-D21 Bradesco Lsg 103.509,68 103.552,85 LUPA-D11 Lupatech 10.549,99 10.554,39 Jul 1.122.231 22.021 3,53 11,24 +1,32 Dólar do Zimbábue 30.000,0/30.000,0 0,0000560/0,0000561 240 11,57 5,58 10,09 BDLS-D31 Bradesco Lsg 153,57 153,64 MRSA-D31 MRS Logist 10.000,00 10.004,17 Out 148.146 30.265 6,59 11,48 - Dólar Jamaicano 71,4100/71,4800 0,023514/0,023549 270 11,65 5,46 10,11 BDLS-D41 Bradesco Lsg 153,57 153,64 NAAG-D11 Agroenergia 10.278,86 10.283,15 Jan/09 1.538.693 211.010 9,81 11,71 +5,21 Dólar Neozelandês * 0,806000/0,807000 1,35472/1,35705 301 11,70 5,30 10,11 BDLS-D51 Bradesco Lsg 101,72 101,77 NDUT-D11 Nova Dutra 8.019,83 8.023,17 Abr 61.426 340 13,04 11,93 - Dólar Ouro** 988,5/0,031465 53,4181/53,4435 330 11,78 5,21 10,14 BESA-D11 Baesa 12.050,80 12.055,83 NDUT-D12 Nova Dutra 6.147,40 6.149,97 Jul . 304.019 22.373 16,44 12,13 - Dólar Suriname 2,74500/2,74500 0,612313/0,612605 360 11,86 5,11 10,16 BESA-D12 Baesa 14.589,66 14.595,74 NETC-D61 Net (N2) 10.275,16 10.279,44 Dong (Vietnã) 15.926,0/15.936,0 0,0001055/0,0001056 . BFBL-D61 BFB Leasing 12,14 12,15 PALF-D21 Paul F Luz 10.798,21 10.802,71 (*) - Contratos em aberto em 29.2.2008 Euro/Com.Europeia* 1,51810/1,51870 2,55162/2,55385 Fontes: BM&F e Centro de Informações BGPR-D11 Bgpar 1.061,35 1.061,79 da Gazeta Mercantil. PALF-D22 Paul F Luz 12.888,91 12.894,28 Florim (Antilhas Holandesas) 1,79000/1,79000 0,938994/0,939441 BNDP-D21 Bndespar 1.061,03 1.061,48 PCAR-D51 P.Açúcar-CBD (N1) 10.479,98 10.484,35 Florim (Hungria) 172,825/173,340 0,0096966/0,0097301 (1) Taxa Efetiva para 252 dias úteis. (2) BNDP-D31 Bndespar 1.010,59 1.011,01 SISTEMA NACIONAL DE DEBÊNTURES - SND Florim de Aruba 1,79000/1,79000 0,938994/0,939441 Taxa Linear para 360 dias corridos. BNDP-D32 Bndespar 1.028,69 1.029,12 PDGR-D11 PDG Realt 10.187,27 10.191,52 PETR-D21 Petrobras 8,33% 8,33% . (Negociações no mercado secundário) - 29/2/2008 Franco (Burundi) 1.148,67/1.176,57 0,0014286/0,0014640 BRKM-D21 Braskem (N1) 103.022,97 103.065,94 PETR-D31 Petrobras 8,48% 8,48% Franco (Ruanda) 544,350/544,350 0,0030877/0,0030892 BRKM-D31 Braskem (N1) 10.268,53 10.272,81 PITI-D21 LF Tel 102.970,54 103.013,49 Preços Unitários em R$ RESERVAS BRKM-D41 Braskem (N1) 10.000,00 10.004,17 Franco Col. Fr. do Pac. 78,4385/78,4539 0,021424/0,021439 PQUN-D21 Petroq União 10.302,95 10.307,25 Empresa . Código Quant. Mínimo Médio Máximo Franco Com. Fin. Africano 431,360/432,360 0,0038875/0,0038984 (Conceito liquidez internacional) BRML-D11 BR Malls Par 10.140,72 10.144,95 PRVI-D01 Providência 10.296,03 10.300,32 BRML-D12 BR Malls Par 10.817,99 10.822,50 . BNDESPar BNDESP 1.494 1.030,63 1.044,68 1.051,59 Franco de Comores 323,599/323,663 0,0051931/0,0051966 PTIP-D11 Ipiranga Pet 10.456,63 10.460,99 Franco de Djibuti 177,720/177,720 0,0094576/0,0094621 Data . US$ bilhões BRTO-D51 Brasil Telec (N1) 10.268,27 10.272,55 Bradesco Leasing Brades 5.268 1.035,52 1.035,55 1.035,56 BVLS-D11 BV Leasing 11.019,78 11.024,38 RENT-D11 Localiza (NM) 10.477,79 10.482,16 Camargo Correa Camarg 142 10.273,44 10.273,44 10.273,44 Franco Suíço 1,04330/1,04360 1,61058/1,61181 18/2/2008 188,67 RENT-D21 Localiza (NM) 10.179,70 10.183,94 Gourde (Haiti) 37,7222/38,2260 0,043970/0,044579 19/2/2008 188,42 BVLS-D12 BV Leasing 12.485,29 12.490,49 Cemig Cemig 38 16.702,06 16.702,06 16.702,06 BVLS-D21 BV Leasing 580.159,56 580.401,53 RGEG-D21 Rio Gde Ener 9,60% 9,60% Guarani (Paraguai) 4.600,00/4.600,00 0,0003654/0,0003656 20/2/2008 188,23 RGEG-D22 Rio Gde Ener 10.466,53 10.470,89 Vale Vale 348 10.310,16 10.310,16 10.310,16 21/2/2008 188,31 BVLS-D31 BV Leasing 1.937,28 1.938,08 Cyrela Cyrela 250 10.455,45 10.455,45 10.455,45 Hyvnia Ucrania 5,05100/5,05500 0,332503/0,332924 RSID-D11 Rossi Resid 10.183,91 10.188,16 Iene (Japão) 103,320/103,330 0,016266/0,016276 22/2/2008 189,35 BVLS-D41 BV Leasing 10.176,69 10.180,93 CPFL CPFL 134 10.541,43 10.541,43 10.541,43 25/2/2008 189,15 BVLS-D42 BV Leasing 10.754,84 10.759,32 SAPR-D11 Sanepar 802.388,12 802.722,77 Itaubank Itauba 53.140 1.054,15 1.054,19 1.055,00 Iuane/Rennimbi (China) 7,10350/7,10350 0,236616/0,236728 SAPR-D12 Sanepar 852.920,82 853.276,55 Kina (Papua Nova Guiné) * 0,351198/0,375997 0,590294/0,632277 26/2/2008 189,43 CANT-D11 Agpar t 102.239,51 102.282,15 TAM TAM 52 10.055,94 10.055,94 10.055,94 27/2/2008 190,49 CBEE-D31 Ampla Energ 10.000,00 10.004,17 SAPR-D13 Sanepar 1.024.281,35 1.024.708,55 Telemar Telema 450 10.523,86 10.524,04 10.524,18 Kuna (Croácia) 4,78700/4,79200 0,350751/0,351285 SBSP-D61 Sabesp (NM) 1.061,19 1.061,63 Lat (Estônia) 0,458900/0,459900 3,65471/3,66441 28/2/2008 191,54 CBEE-D32 Ampla Energ 11,40% 11,40% Telesp Telesp 660 10.262,08 10.262,08 10.262,08 29/2/2008 192,90 CBEE-D41 Ampla Energ 11.250,45 11.255,14 SBSP-D62 Sabesp (NM) 11,00% 11,00% Vivo Vivo 16 100.775,68 100.775,68 100.775,68 Lempira (Honduras) 18,8950/18,8950 0,088955/0,088997 . SBSP-D63 Sabesp (NM) 11,00% 11,00% Leone (Serra Leoa) 2.944,99/3.004,48 0,0005594/0,0005710 Fontes: Banco Central e Centro de infor- CCCI-D12 Camargo Cim 10.269,58 10.273,86 Ultrapar Ultrap 124 10.532,03 10.532,03 10.532,03 CCRO-D21 CCR Rodovias (NM) 7.500,00 7.503,13 SBSP-D71 Sabesp (NM) 1.000,00 1.000,42 Unipar
  • 23. GAZETA MERCANTIL | Terça-feira, 4 de março de 2008 | B11 MERCADORIAS MERCADO A VISTA ETANOL BATATA - (Continuação) CAFÉ - (Continuação) SISAL . LATICÍNIOS - (Continuação) Café Boi Gordo Bezerro Açúcar SÃO PAULO - em 3.3.2008 . REGIÕES PRODUTORAS LONDRES - Futuro BAHIA - Mercado Atacadista - em 3.3.2008 . Preços em R$ (US$/60 kg) (R$/arroba) (R$/cabeça) (US$/50 kg) Mercado Futuro (Bolsa de Mercadorias & Futuros) (preços médios recebidos pelos produtores R$/saca 50 kg.) . (ROBUSTA - Em dólares por toneladas métricas) . Praça . Unidade Preço/R$ 174,62 75,58 507,31 15,99 Produtos Mín. Méd. Máx. Merc. . (Batata comum) Preço (Batata lisa) Preço Cont. Var. Valente Kg (extra) 1,00 (tipo2) 0,85 (refugo) 0,60 . . (Contrato = 30m3; cotação = US$/m3) . . Soja Milho Algodão Meses Abt. (*) Abt. Máx. Min. Ajuste Ptos. Mussarela 10,00 12,50 16,20 Firme . Itapetininga(25)(5) s/cot. Itapetininga(25)(5) s/cot. . Fonte: Coordenação de Conjuntura Agrícola. (US$/60 kg) (R$/60 kg) (Cents US$/lp) Cont. Var. Parmesão 16,00 21,00 23,00 Firme S. J. Boa Vista(25)(5) s/cot. S. J. Boa Vista(25)(5) s/cot. Mar/08 4.595 2.740 2.740 2.670 2.732 +29 Prato 10,00 12,50 16,20 Estável 30,02 ND 82,09 Meses Abt. (*) Abt. Mín. Máx. Ajuste Ptos. Mai 87.697 2.750 2.760 2.685 2.750 +15 . Sorocaba(25)(5) s/cot. Sorocaba(25)(5) s/cot. Provolone Fresco 12,00 16,00 18,00 Estável . Café: Posto São Paulo, bebida dura ou melhor tipo 6 ou melhor Ce- Abr/08 403 485,00 485,00 488,00 485,27 -4,44 . Jul 38.960 2.764 2.775 2.709 2.766 +9 SUCO DE LARANJA . Mai 201 467,00 467,00 467,00 467,00 +1,00 (25) - Ágata; (5) - Prazo de pagamento: 45 dias. NOVA YORK - em 3.3.2008 Fonte: Instituto de Economia Agrícola (IEA). pea/Esalq; Set 19.754 2.770 2.782 2.724 2.774 +11 . . Boi Gordo: Indicador de preço boi gordo Esalq/BM&F-DI; Jun 178 s/cot s/cot s/cot 457,00 Inalt. Fonte: Instituto de Economia Agrícola (IEA) Nov 4.267 2.724 2.729 2.724 2.731 +3 (Em centavos de dólar por libra-peso, para entrega em armazéns SÃO PAULO - REGIÕES PRODUTORAS Bezerro: Indicador de preço do bezerro Esalq/BM&F - no Mato Grosso Jul 42 s/cot s/cot s/cot 456,00 Inalt. Jan/09 . 5.010 2.684 2.684 2.684 2.684 +3 licenciados da Flórida preço médio) . (preços médios recebidos pelos produtores) . do Sul; Ago 166 s/cot s/cot s/cot 461,00 Inalt. Cont. LEITE quot;Cquot; (Litro) LEITE quot;Bquot; (Litro) Açúcar cristal: Indicadora de preço disponível apurado pela Ce- Set 40 s/cot s/cot s/cot 460,00 Inalt. BORRACHA Vendas: Mar/08, 917; Mai, 15.007; Jul, 2.106; Set, 329; Nov, 20 e Meses Abt. (*) Abt. Máx. Min. Ajuste Osc. . . Jan/09, -. . Local . Preço Local Preço pea/Esalq; LONDRES MALÁSIA Mar/08 385 128,95 130,80 126,00 129,95 +4,65 Contratos negociados: Abr/08, 11; Mai, 1; Jun, -; Jul, -; Ago, - e Set, -. (*) - Contratos em aberto em 29.2.2008 Barretos (base) s/cot. Franca (base) s/cot. Soja: Preço nacional Esalq/BM&F; (Em cents de euro p/quilo) (Em centavos da Malásia p/quilo) . . . Mai 22.163 131,45 134,50 130,35 134,15 +4,40 Franca (méd.) (6) 0,59 Guaratinguetá (base) s/cot. Milho: Indicador de preço FGV/BM&F; Número de negócios: Abr/08, 3; Mai, 1; Jun, -; Jul, -; Ago, - e Set, -. Fonte: Bloomberg News Jul 3.713 134,10 138,00 133,00 136,00 +3,65 3 Mar 29 Fev 3 Mar 29 Fev Guaratinguetá (méd.) 0,70 Pindamonh. (base) s/cot. . Set 1.500 137,00 138,75 135,75 138,70 +3,70 . Algodão: Indicador de preço Cepea/Esalq . (*) - Contratos em aberto em 29.2.2008 Pindamonh. (base) s/cot. S.J. Boa Vista (base) s/cot. TIPO RSS 3 TIPO SMR 10 Nov 638 136,80 140,75 136,80 140,75 +3,90 . Fonte: Cepea/Esalq CEBOLA . Araçatuba (máx.) s/cot. Franca (máx.) s/cot. Fonte: Bolsa de Mercadorias & Futuros Abr/08 195,50 190,50 Abr/08 (closing) 853,00 853,00 Barretos (máx.) s/cot. Guaratinguetá (máx.) s/cot. Foram negociados 3.779 contratos de 15 mil lbs. Mercado firme Out 197,50 192,50 Abr/08 (Noon) 851,50 852,50 SÃO PAULO - em 3.3.2008 (*) - Contratos em aberto em 28.2.2008 . Pindamonh. (máx.) s/cot. Pinhamonh. (máx.) s/cot. CEVADA TIPO RSS 4 TIPO SMR 20 BOLSA DE CEREAIS - (CIF/SP preços em R$ à vista p/ saca de 20 kg.) Araçatuba (méd.) (6) s/cot. S.J.B. Vista (máx.) s/cot. ALGODÃO Abr/08 s/cot. s/cot. Abr/08 (closing) 851,00 851,00 . Fonte: Bloomberg News Barretos (méd.) (6) s/cot. Araraquara (méd.) (6) 0,70 WINNIPEG - em 3.3.2008 Produtos Mín. Máx. Merc. Gen. Salgado (méd.) (6) 0,60 Franca (méd.) (6) s/cot. . SÃO PAULO - em 3.3.2008 TIPO TSR 20 Abr/08 (Noon) 849,50 850,50 Monte Alto (tamanho médio) 23,00 25,00 Estável . (em dólares canadenses por tonelada) Guaratinguetá (méd.) (24) s/cot. Guarating. (méd.) (6) 0,77 . Mercado Futuro (Bolsa de Mercadorias & Futuros) Abr/08 187,50 185,00 Piedade (tamanho médio) 23,00 25,00 Estável LARANJA Itapetininga (méd.) (6) 0,50 Lins (méd.) (6) 0,70 Cont. Out 188,50 185,75 . S.J. Rio Pardo (tamanho médio) 20,00 22,00 Estável REGIÕES PRODUTORAS - SÃO PAULO - em 3.3.2008 S.J. Boa Vista (méd.) (6) 0,61 Ribeirão Preto (méd.) (6) 0,68 . Meses Abt. (*) Abt. Máx. Min. Ajuste Osc. (contrato = 27.557,50 libras-peso; cotação = US$¢/libra-peso) Obs.: O riggit malasiano foi cotado em Nova York a 3,19950. . Goiás (tamanho médio) 17,50 19,50 Estável S.J.R. Preto (méd.) (6) 0,65 . . Preços médios recebidos pelos produtores . . Mar/08 413 230,00 230,00 230,00 230,00 +2,70 Cont. Fonte: Dow Jones Newswires Minas Gerais (tamanho médio) . 17,50 19,50 Estável Laranja de mesa - em R$/caixa 40,8 kg (6) - Cotações Leite B/Leite C = Atualização mensal. Mai 12.712 238,00 239,00 233,00 237,70 +3,60 . . Meses Abt. (*) Abt. Mín. Máx. Ajuste Osc. Fonte: Bolsa de Cereais de São Paulo. Local Preço Local Preço (24) Classificação base 6. . . Jul 917 244,00 247,80 244,00 247,80 +3,80 . . Mai/08 - s/cot. s/cot. s/cot. s/cot. - Out . 2.302 248,00 248,00 245,20 247,80 +3,30 Jul - s/cot. s/cot. s/cot. s/cot. - CACAU (PREÇOS NO MERCADO ATACADISTA DE SÃO PAULO) . Barretos(23) 18,00 Mogi Mirim(23) 18,00 Fontes: Instituto de Economia Agrícola (IEA) e Coordenadoria de . Preços em R$ Jaboticabal(23) 18,00 Assistência Técnica e Integral (CATI). (*) - Contratos em aberto em 29.1.2008 ILHÉUS - ITABUNA - em 3.3.2008 . . . Contratos negociados: Mai/08, - e Jul, -. . Laranja Industrial Posto Fábrica - em R$/caixa 40,8 kg . Fonte: Bloomberg News (Preços em R$ por arroba de 15 kg.) Tipo Mín. Méd. Máx. Merc. Araraquara(23) s/cot. Jaboticabal(23) s/cot. OVOS . Número de Negócios: Mai/08, - e Jul, -. . Preço máximo 74,00 (74,00) . Monte Alto (sc 20 kg) 21,00 23,00 26,00 Estável Barretos(23) . s/cot. (*) - Contratos em aberto em 29.2.2008 Preço médio 72,00 (72,30) SÃO PAULO - em 3.3.2008 ÓLEO DE SOJA . Piedade (sc 20 kg) 21,00 23,00 26,00 Estável (22) - Pêra. . Preço mínimo 71,00 (71,00) . Fonte: Bolsa de Mercadorias & Futuros. . Rio G. do Sul (sc 20 kg) 21,00 23,00 26,00 Estável ATACADO (Preços em R$, por caixa de 30 dúzias) Fonte: Instituto de Economia Agrícola (IEA) e Coordenadoria de As- . SÃO PAULO - em 3.3.2008 . Fonte: CNPC Conselho Nacional dos Produtores de Cacau. Sta. Catarina (sc 20 kg) 23,00 25,00 28,00 Estável Tipo Extra Grande Médio BOLSA DE CEREAIS - (CIF/SP Preços em R$ à vista) . Indicador de Preço do Algodão em Pluma CEPEA/ESALQ . . S.J. Rio Pardo (sc 20 kg) s/cot. s/cot. s/cot. - sistência Técnica e Integral (CATI). . São Paulo . Produtos Mín. Máx. Merc. BAHIA - MERCADO ATACADISTA Média das Fonte: Instituto de Economia Agrícola (IEA). . . Branco 55,70 54,70 53,20 Óleo quot;CIFquot; SP com ICMS 7% A vista A vista A prazo* últimas três Produto . Tipo Praça Unidade Preço/R$ TOMATES Vermelho 57,70 56,70 55,20 Soja degomado a granel - Ton. 2.950,00 2.980,00 Estável Data R$¢/lp US$¢/lp R$¢/lp Cotações US$¢/lp Cacau - Ilhéus/Itabuna Arroba 72,00 BAHIA - Mercado Atacadista - em 3.3.2008 Rio de Janeiro FARINHA DE MANDIOCA . . . Óleo refinado - cx. c/20 latas/900 ml. 60,00 66,00 Estável Branco 58,00 57,00 55,50 . 28.02.2008 136,12 81,56 137,04 81,60 Fonte: Coordenação de Conjuntura Agrícola. Produto Tipo Praça Unidade Preço/R$ BOLSA DE CEREAIS - (CIF/SP PREÇOS EM R$ À VISTA) Vermelho 60,00 59,00 57,50 . . Fonte: Bolsa de Cereais 29.02.2008 136,68 80,83 137,60 81,72 NOVA YORK - Futuro Tomates 1ª/Mesa Salvador/CEASA Cx/20/22 kg 18,00 Belo Horizonte em 3.3.2008 . 03.03.2008 137,18 82,09 138,10 82,04 . (PREÇOS NO MERCADO ATACADISTA DE SÃO PAULO) . (Em dólares por tonelada) Tomates 1ª/Mesa Juazeiro/CEASA Cx/26 kg 11,00 Branco 58,00 57,00 55,50 Produtos Mín. Máx. Merc. . Tomates 1ª/Mesa Jaguaquara/CEASA Cx/23 kg 11,50 . (*) Prazo médio de pagamento (8 dias) - Taxa de cämbio utilizada: . Vermelho 60,00 59,00 57,50 Cont. . Preços em R$ Grossa T-1 Extra - 40 kg 34,00 36,00 Calmo Fonte: Coordenação de Conjuntura Agrícola. Embalados (Preços em R$, por dúzia) US$ 1,6710 média de desconto NPR: 2,5000 Meses Abt. (*) Abt. Máx. Min. Ajuste Osc. Branco 1,95 1,90 1,85 . Fina Crua T-1 Extra - 50 kg 44,00 48,00 Calmo . Produtos . Mín. Méd. Máx. Merc. Fonte: CEPEA/ESALQ . Mar/08 87 2.780 2.780 2.780 2.772 +18 Fina Crua T-2 Especial - 50 kg 42,00 46,00 Calmo Verm
  • 24. B12 | SÃO PAULO — Terça-feira, 4 de março de 2008 | GAZETA MERCANTIL GAZETA DO BRASIL CAPITAL ABERTO ALL AMÉR LAT (ALLL - N2) dos complementares aos juros so- BENSIMOB (RDNI-NM) Debêntures da 2ª Emissão, Série e o percentual de subscrição. Em re- debênture, não conversíveis, da 3ª DRI: Sergio Messias Pedreiro bre o capital próprio e dividendos DRIs: Paulo Roberto Cassoli Mazzali Única, Ex-juros e Ex-amortização lação aos itens (i), (iii) e (iv) acima, emissão, série única, emitidas em Debêntures da 5ª Emissão, Série relativos ao exercício de 2007, no (CC Des Imob)/Orlando Viscardi Net Em 3/3/2008 a Cia. de Concessões esclarecemos que essas informa- 1/7/2007. Única, Ex-juros valor de R$ 65.200.000,00, sendo (Rodobensimob) Rodoviárias pagou juros no valor de ções, juntamente com todas as de- Nota: desde 3/3/2008 debêntures da Em 3/3/2008 a ALL América Latina R$ 0,030760433 por ação ordinária Comunicado R$ 549,9884 e amortização, no va- mais características e procedimen- 3ª emissão, série única, ex-juros. Logística S.A. pagou juros no valor e R$ 0,033836477 por ação prefe- As empresas enviaram à BOVESPA lor de R$ 2.500,00 por debênture, tos correlatos, serão objeto de aviso CONCEPA (CNCP) de R$ 599,255530 por debênture, rencial, beneficiando os acionistas o seguinte comunicado: a Camargo não conversíveis, da 2ª emissão, sé- aos acionistas, a ser publicado no DRI: Odenir José Sanches não conversíveis, da 5ª emissão, sé- que se acharem inscritos nos regis- Corrêa Desenvolvimento Imobiliário rie única, emitidas em 1/3/2005. dia seguinte à realização da Assem- Debêntures da 3ª Emissão, Série rie única, emitidas em 1/9/2005. tros do Banco nesta data e a Rodobens Negócios Imobiliários Nota: desde 3/3/2008 debêntures da bléia Geral Ordinária e Extraordiná- Única, Ex-juros Nota: desde 3/3/2008 debêntures da (3/3/2008), passando as ações da lançaram, nesta sexta-feira, a tercei- 2ª emissão, série única, ex-juros e ria da Companhia programada para Em 3/3/2008 a Concessionária da 5ª emissão série única ex-juros. Sociedade a serem negociadas ex- ra fase do empreendimento Innova ex-amortização. o dia 10/4/2008, se aprovadas as Rodovia Osório-Porto Alegre S.A. - AMPLA ENERG (CBEE) direito aos referidos dividendos a São Francisco em Osasco, região CEMAR (ENMA - MB) respectivas matérias. Não obstante, Concepa pagou juros no valor de R$ DRI: Luiz Carlos Laurens O. de Bet- partir de 4.3.2008. O pagamento se- metropolitana de São Paulo. Esta DRI: Leonardo Duarte Dias baseando-se na proposta do Conse- 9,715065 por debênture, não con- tencourt rá feito em 17.3.2008, pelo valor de- nova fase do empreendimento tem Debêntures da 3ª Emissão, Série lho de Administração da Companhia versíveis, da 3ª emissão, série úni- Debêntures da 3ª Emissão, 1ª Sé- clarado, não havendo retenção de 480 unidades, distribuídas em 3 Única, Ex-juros aprovada na reunião de 27/2 último, ca, emitidas em 1/4/2004. rie, Ex-juros e Ex-amortiza- Imposto de Renda na Fonte, nos ter- edifícios, com apartamentos de 50 Em 3/3/2008 a Cia. Energética do informou a seguir o valor R$/ação Nota: desde 3/3/2008 debêntures da ção/Vencimento mos do artigo 10 da Lei 9.249/95. Os metros quadrados, 57 metros qua- Maranhão - Cemar pagou juros no para os pagamentos das 1ª, 2ª e 3ª 3ª emissão, série única ex-juros. Em 3/3/2008 a Ampla Energia e Ser- dividendos relativos às ações custo- drados e 65 metros quadrados nu- valor de R$ 554,2919 por debêntu- parcelas: os valores por ação men- COPEL (CPLE) viços S.A. pagou juros, no valor de diadas na CBLC - Companhia Brasi- ma área útil de 13.569 metros qua- re, não conversíveis, da 3ª emissão cionados estão disponíveis na for- DRI: Paulo Roberto Trompczynski R$ 584,077290 e amortização final leira de Liquidação e Custódia serão drados. As unidades têm preço mé- série única, emitidas em 1/3/2007. ma de tabela no site da BOVESPA Debêntures da 4ª Emissão, Série no valor de R$ 10.000,00 por de- pagos à referida CBLC, que os repas- dio unitário que variam de R$ 112 Nota: desde 3/3/2008 debêntures da (www.bovespa.com.br) no menu Única, Ex-juros bênture da 1ª série da 3ª emissão, sará aos acionistas titulares por in- mil a R$ 165 mil. O VGV total do 3ª emissão série única ex-juros. empresas/Para Investidores/Empre- Em 3/3/2008 a Cia. Paranaense de emitidas em 1/3/2005. termédio dos seus agentes de custó- projeto é de R$ 55,5 milhões (parte CESP (CESP - N1) sas listadas/Informacoes Relevan- Energia - Copel pagou juros no valor Nota: desde 3/3/2008 debêntures da dia. Assim, o montante de juros e di- CCDI: R$ 27,75 milhões, ou 50%). DRI: Vicente Kazuhiro Okazaki tes. Ressaltou também que caso a de R$ 544,6115 por debênture, não 3ª emissão, 1ª série ex-juros, ex- videndos distribuídos aos acionistas, O Innova São Francisco é um con- Material à Disposição (Prospecto proposta acima seja aprovada pela conversíveis, da 4ª emissão, série amortização e deixaram de ser ne- relativos ao exercício de 2007, tota- domínio clube, com uma ampla in- da Oferta aos Empregados) AGOE o valor total dos dividendos a única, emitidas em 1/9/2006. gociadas em razão de seu venci- liza R$ 2.822.796.086,42. fra-estrutura de lazer. Ter um verda- Encontra-se à disposição no site da ser declarado, de R$ Nota: desde 3/3/2008 debêntures da mento. Nota: a partir de 4/3/2008 ações es- deiro clube em casa é uma vanta- BOVESPA (www.bovespa.com.br), 275.400.000,00, será distribuído 4ª emissão, série única, ex-juros. Debêntures da 3ª Emissão, 2ª Sé- criturais ex-dividendo complemen- gem que agrega muito em termos no menu Empresas/Para Investido- com base na posição acionária da COSERN (CSRN) rie, Ex-juros tar. de qualidade de vida e bem-estar, res/Empresas Listadas, em Infor- data da AGOE e, a partir do dia se- DRI: Erik da Costa Breyer Em 3/3/2008 a Ampla Energia e Ser- BRASKEM (BRKM - N1) pois a família pode se divertir sem mações Relevantes, o prospecto da guinte, as ações serão ex-dividen- Debêntures Ex-juros viços S.A. pagou juros, no valor de DRI: Carlos José Fadigas de Souza sair do condomínio, afirma Eduardo oferta aos empregados - alienação dos, seguindo o procedimento cos- Em 3/3/2008 a Cia. Energética do R$ 1.297,422638 por debênture da Filho Gorayeb, diretor-presidente da Ro- de ações do capital social da Cesp - tumeiramente adotado pela Compa- Rio Gde Norte - Cosern pagou juros 2ª série da 3ª emissão, emitidas em Debêntures da 14ª Emissão, Série dobens Negócios Imobiliários. Para Companhia Energética de São Pau- nhia. Por fim, com relação ao no valor de R$ 589,139290 por de- 1/3/2005. Única, Ex-juros Roberto Perroni, diretor superinten- lo. tratamento tributário a ser dispen- bênture, não conversíveis, da 3ª Nota: desde 3/3/2008 debêntures da A Braskem S.A. informou que pagou dente da CCDI, as condições de de- COMGÁS (CGAS) sado aos dividendos a serem distri- emissão, série única, emitidas em 3ª emissão, 2ª série ex-juros. em 3/3/2008 juros no valor de R$ manda no segmento econômico, DRI: Roberto Collares Lage buídos aos acionistas (item (ii) aci- 1/9/2005. BANCO DO BRASIL (BBAS-NM) 541,925573 por debênture simples, aliadas à tecnologia de desenvolvi- Propostas às AGO/E de ma), esclarecemos que, tendo em Nota: desde 3/3/2008 debêntures da DRI: Aldo Luiz Mendes da 14ª emissão série única, emitidas mento de produto e a soma de ex- 10/4/2008/Dividendo/Subscrição vista que os referidos dividendos fo- 3ª emissão, série única, ex-juros. Material Apimec em 1/9/2006. periências entre a CCDI e a Rodo- Atendendo consulta da BOVESPA a ram calculados com base nos resul- CPFL ENERGIA (CPFE - NM) O material apresentado em reunião Nota: desde 3/3/2008 debêntures da bens nos propiciaram quebrar re- empresa enviou os seguintes escla- tados apurados após 1996, o trata- DRI: José Antonio de Almeida Filip- Apimec, realizada em 3/3/2008, en- 14ª emissão, série única, ex-juros. cordes de venda. As duas primeiras recimentos: em referência ao Ofício mento tributário aplicável corres- po contra-se no site da BOVESPA BRAZILIAN SC (BSCS) fases do condomínio, lançadas no enviado pela Bolsa de Valores de ponde ao disposto no artigo 10º da Debêntures da 3ª Emissão, Série (www.bovespa.com.br), menu Em- DRI: Fernando Pinilha Cruz dia 28/12, tiveram todas as suas São Paulo - BOVESPA à Companhia Lei 9.249/95, a saber, isenção de tri- Única, Ex-juros presas/Para Investidores/Empresas CRIs da 1ª Emissão, 73ª Série, Ex- 868 unidades vendidas em apenas de Gás de São Paulo - Comgás butação no momento de sua distri- Em 3/3/2008 a CPFL Energia S.A. Listadas, em Informações Relevan- juros e Ex-amortização 50 dias. No primeiro dia de lança- (Companhia), solicitando, em sínte- buição e de recebimento pelos acio- pagará juros, no valor de R$ 546,03 tes. Em 5/3/2008 a Brazilian Securities mento foram vendidas 228 unida- se, as seguintes informações: (i) os nistas, pessoas físicas ou jurídicas, por debênture, da 3ª emissão, série BRADESCO (BBDC - N1) Cia de Securitização pagará juros, des, uma expressiva velocidade de valores dos dividendos em R$/ação, domiciliadas no país ou no exte- única, emitidas em 3/9/2007. DRI: Milton Almicar Silva Vargas no valor de R$ 5.600,51/CRI e vendas. O lançamento desta nova das 1ª, 2ª e 3ª parcelas; (ii) trata- rior. Nota: desde 3/3/2008 debêntures da Distribuição de Dividendo Com- amortização, no valor de R$ fase do Innova São Francisco é mais mento tributário a ser dispensado Nota: a partir de 11/4/2008 ações 3ª emissão, série única, ex-juros. plementar 3.938,91/CRI da 1ª emissão, 73ª sé- uma iniciativa no movimento estra- com relação à tributação de imposto nominativas ex-dividendo e ex- Material à Disposição (Manual pa- Enviou o seguinte comunicado ao rie, aos detentores de CRIs em tégico da CCDI de privilegiar os seg- de renda; (iii) data da posição acio- subscrição em ações preferenciais ra Participação em Assembléias mercado: o Conselho de Adminis- 4/3/2008. mentos de perfis de renda mais bai- nária a ser considerada para os pa- classe B resgatáveis. Gerais de Acionistas) tração deste Banco, em reunião de Nota: a partir de 5/3/2008 CRIs da xa, onde o crescimento potencial do gamentos de cada parcela; e (iv) da- COMPANY (CPNY - NM) Encontra-se à disposição no site da hoje (3/3/2008), aprovou a proposta 1ª emissão, 73ª série, ex-juros e ex- mercado é mais acentuado. ta de início e término do direito de DRI: Luiz Rogelio Rodrigues Tolo- BOVESPA (www.bovespa.com.br), da diretoria para pagamento aos amortização. CCR RODOVIAS (CCRO - NM) preferência, com relação à subscri- sa no menu Empresas/Para Investido- acionistas da Sociedade de dividen- CC DES IMOB (CCIM-NM)/RODO- DRI: Arthur Piotto Filho ção de ações preferenciais classe B Debêntures Ex-juros res/Empresas Listadas, em Infor- Em 3/3/2008 a Company S.A. pagou mações Relevantes, o manual para juros, no valor de R$ 278,7276 por participação em assembléias gerais FALÊNCIAS & RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E JUDICIAL De acordo com informações forne- 101. 01ª Vara Falências. cidas pelo Distribuidor Cível do Fórum Requerente: Gerdau Aços Longos da Capital de São Paulo, foram ajuiza- S.A.. Requerido: LESTE DISTRIBUIDO- dos os seguintes requerimentos de V. RA DE ARAMES E FERROS LTDA.. Av. Falências e Recuperação Extrajudicial e Vila Ema, 2077. 02ª Vara Falências. de Recuperação Judicial, seguintes: Requerente: Santana Factoring Fo- Requerente: Bachmann Ecotrans Lt- mento Comercial Ltda.. Requerido: VC- da. - Autofalência. Requerido: BACH- PO CONSTRUÇÕES E PROJETOS LT- MANN ECOTRANS LTDA. - AUTOFA- DA.. Av. Brigadeiro Faria Lima, 1572, 3º LÊNCIA. Rua Engenheiro Jorge Oliva, Andar, Cj.303. 02ª Vara Falências.
  • 25. GAZETA MERCANTIL | SÃO PAULO — Terça-feira, 4 de março de 2008 | B13
  • 26. B14 | SÃO PAULO — Terça-feira, 4 de março de 2008 | GAZETA MERCANTIL
  • 27. GAZETA MERCANTIL | SÃO PAULO — Terça-feira, 4 de março de 2008 | B15
  • 28. B16 | SÃO PAULO — Terça-feira, 4 de março de 2008 | GAZETA MERCANTIL GAZETA DO BRASIL CAPITAL ABERTO — Continuação da página B12 de acionistas. Relevantes. única, emitidas em 1/3/2006. nária de Rodovias do Norte S.A. - Debêntures da 2ª Emissão, 2ª Sé- EMBRAER (EMBR - NM) Material de Apresentação EBE (EBEN) Nota: desde 3/3/2008 debêntures da Econorte pagou juros, no valor de rie, Ex-juros DRI: Antonio Luiz Pizarro Manso O material utilizado na apresentação DRI: Thomas Brull 3ª emissão, série única ex-juros. R$ 8,677212 por debênture, não Em 3/3/2008 a Elektro - Eletricidade Embraer e Finnair Fecham Contra- do webcast referente ao período en- Debêntures da 3ª Emissão Ex-ju- ECONORTE (ECNT) conversíveis, da 1ª emissão, série e Serviços S.A. pagou juros, no va- to para Mais Três jatos Embraer cerrado em 31/12/2007 encontra-se ros DRI: Luiz Cláudio de Andrade Bra- única, emitidas em 1/3/2001. lor de R$ 606,835970 por debêntu- 190 à disposição no site da BOVESPA Em 3/3/2008 a Bandeirante Energia ga Nota: desde 3/3/2008 debêntures da res da 2ª série, da 2ª emissão, emi- A empresa enviou à BOVESPA co- (www.bovespa.com.br), no menu S.A. pagou juros no valor de R$ Debêntures da 1ª Emissão, Série 1ª emissão, série única, ex-juros. tidas em 1/9/2005. municado, no qual consta: a Em- Empresas/Para Investidores/Em- 546,761899 por debênture, não Única, Ex-juros ELEKTRO (EKTR) Nota: desde 3/3/2008 debêntures da braer assinou contrato com a Fin- presas Listadas, em Informações conversíveis, da 3ª emissão, série Em 3/3/2008 a empresa Concessio- DRI: Marcelo Schmidt 2ª emissão, 2ª série, ex-juros. Continua na página B18
  • 29. GAZETA MERCANTIL | SÃO PAULO — Terça-feira, 4 de março de 2008 | B17
  • 30. B18 | SÃO PAULO — Terça-feira, 4 de março de 2008 | GAZETA MERCANTIL GAZETA DO BRASIL CAPITAL ABERTO — Continuação da página B16 nair para um novo pedido firme de Kern, vice-presidente executivo da dos E-Jets. Em 2005, a companhia sembléia Geral Extraordinária reali- três jatos Embraer 190. O valor total Embraer para o Mercado de Aviação aérea decidiu incluir o Embraer 190 zada em 12/2/2008 sobre a conver- do negócio, referido a preços de ta- Comercial. quot;Estamos honrados por na sua frota, convertendo dois pe- são da totalidade das ações bela, é de US$ 112,5 milhões. As ae- continuar contribuindo com a reno- didos firmes e confirmando quatro preferenciais de emissão da compa- ronaves acomodarão confortavel- vação da frota da Finnair e espera- opções. As demais opções do con- nhia em ações ordinárias, com ex- mente 100 passageiros em duas mos manter um relacionamento du- trato original foram confirmadas em tinção da classe de ações preferen- classes e a primeira entrega está radouro e produtivo com a empre- novembro de 2006 e, com este ciais, na proporção de uma ação programada para 2010. quot;É sempre saquot;. A Embraer e a Finnair anúncio, a Finnair aumenta o total preferencial para cada uma ação or- uma grande satisfação receber pe- assinaram, inicialmente, um contra- de pedidos firmes de E-Jets para 23, dinária. didos adicionais de clientes tradi- to para a compra de 12 jatos Em- ratificando, mais uma vez, sua op- Período de Dissidência/Conver- cionais que operam nossas aerona- braer 170 em 2004, com opções pa- ção por esta família de aeronaves. A são das Ações PN em ON/Grupa- ves no seu dia-a-diaquot;, disse Mauro ra outras oito aeronaves da família Finnair teve um ano de crescimento mento das Ações/Adesão ao Novo sólido e forte rentabilidade. quot;Os E- Mercado Jets continuam sendo uma ferra- Enviou o seguinte fato relevante: em menta-chave em nossa estratégia atendimento ao disposto na Lei de crescimento futuro, oferecendo- 6.404/76 (Lei das S.As.) e na Instru- nos aeronaves do tamanho certo ção CVM 358, de 3/1/2002, a Equa- para atender à demanda e assegu- torial Energia S.A. (Equatorial) co- rando maior flexibilidade e conforto municou a Comissão de Valores em nossas principais rotas de cone- Mobiliários e ao público em geral xão e ponto-a-pontoquot;, disse Henrik que, na assembléia especial de acio- Arle, vice-presidente executivo de nistas detentores de ações prefe- Vôos Regulares da Finnair. quot;Esta- renciais realizada em 29/2/2008, os mos muito satisfeitos com a grande referidos acionistas ratificaram a economia dos nossos E-Jets, espe- deliberação aprovada na Assem- cialmente do Embraer 190, que bléia Geral Extraordinária realizada complementa muito bem a nossa em 12/2/2008 sobre a conversão da frota de jatos narrow-bodyquot;. A em- totalidade das ações preferenciais presa finlandesa opera atualmente de emissão da Companhia em ações dez jatos Embraer 170 e seis Em- ordinárias, com extinção da classe braer 190 e possui uma das maiores de ações preferenciais, na propor- frotas de E-Jets na Europa. O sétimo ção de uma ação preferencial para Embraer 190 foi entregue nesta se- cada uma ação ordinária. A partir da mana, em São José dos Campos, no presente data, os detentores de Brasil, e chegará em breve à Finlân- ações preferenciais da Companhia, dia. dissidentes da referida deliberação, Nota: a íntegra do comunicado en- poderão retirar-se da Companhia, contra-se à disposição no site da mediante o reembolso do valor de BOVESPA (www.bovespa.com.br), R$ 4,1677 por ação, o qual equivale no menu Empresas/Para Investido- ao valor patrimonial da Companhia res/Empresas Listadas, em Infor- em 30/9/2007. O direito de retirada mações Relevantes. p o d e r á s e r e x e rc i d o a t é o d i a EQUATORIAL (EQTL - N2) 2/4/2008, ultimo dia em que as DRI: Leonardo Duarte Dias ações da Equatorial serão negocia- Conversão de Ações Preferen- das sob a forma de Unit. Para exer- ciais em Ordinárias cício do referido direito, os acionis- Na AGESP de 29/2/2008 foi ratifica- tas dissidentes deverão comunicar da a deliberação aprovada na As- a sua corretora de valores mobiliá- rios o seu desejo de retirar-se até a data acima informada, informando (i) o seu desejo de retirar-se, e (ii) o número de ações preferenciais de que era titular em 10/7/2007, data do primeiro Fato Relevante que trata da referida matéria, excluídas as operações ocorridas em 10/7/2007, não sendo necessário que o acionis- ta dissidente utilize qualquer mode- lo padrão de carta para solicitação do direito de retirada. Os acionistas que adquiriram ações da Compa- nhia a partir de 10/7/2007 ou que se desfizeram de suas posições após 10/7/2007 não terão direito de reti- rar-se em razão da conversão das ações preferenciais em ordinárias. O pagamento do valor do reembolso deverá ocorrer em até dois dias úteis após o término do prazo para solicitação do direito de retirada, ou seja, até o dia 4/4/2008. A partir do dia 3/4/2008, a conversão das ações preferenciais em ordinárias, o grupamento de ações e a migração da Companhia para o Novo Merca- do, aprovados na Assembléia Geral Extraordinária da Companhia reali- zada em 12/2/2008, se tornarão efi- cazes, passando: (i) o capital a Companhia a ser representado por aproximadamente 105.573.231 ações, todas ordinárias, nominati- vas e sem valor nominal, ressalvado eventual ajuste em função do trata- mento das frações de ações, (ii) as ações da Companhia a serem nego- ciadas unicamente sob o código EQ- TL3; e (iii) a Companhia a estar lis- tada no segmento do Novo Merca- do, da BOVESPA. Nota: a partir de 3/4/2008 as ações passam a ser negociadas na forma grupada (3/1); e deixam de ser ne- gociadas as ações PN e as UNITs. ESTÁCIO PART (ESTC - N2) DRI: João Carlos de Castro Rosas Aquisição de Empresas Enviou o seguinte fato relevante: Es- tácio Participações S.A. (Compa- nhia, BOVESPA: ESTC11), em cum- primento ao disposto no parágrafo 4º do artigo 157 da Lei 6.404/76 e na Instrução CVM 358/02, informou ao mercado e ao público em geral que, conforme divulgado no Fato Relevante de 18/2/2008, concluiu, nesta data (29/2/2008), através da sua controlada IREP Sociedade de Ensino Superior, Médio e Funda- mental Ltda., as aquisições da tota- lidade das quotas do capital social da (i) Sociedade Interlagos de Edu- cação e Cultura S/S Ltda., mantene- dora da Faculdade Interlagos (Fin- tec), com 1.399 alunos regularmen- te matriculados, pelo valor total de R$ 6.295.500,00, calculado com ba- se no preço de R$ 4.500,00 por alu- no; (ii) da Sociedade Abaeté de Edu- cação e Cultura Ltda., sociedade