A VOZ DE TRÁS-OS-MONTES – 17.08.2006
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

A VOZ DE TRÁS-OS-MONTES – 17.08.2006

on

  • 19,709 views

Versão integral da edição n.º 2932 do semanário “A Voz de Trás-os-Montes”, que se publica em Vila Real, distrito de Vila Real, Portugal. Director: António Maria Cardoso. 17.08.2006

Versão integral da edição n.º 2932 do semanário “A Voz de Trás-os-Montes”, que se publica em Vila Real, distrito de Vila Real, Portugal. Director: António Maria Cardoso. 17.08.2006
Para consultar o jornal na web, visite http://www.avozdetrasosmontes.com
e-mail: geral@avozdetrasosmontes.com

Para além de poderem ser úteis para o público em geral, estes documentos destinam-se a apoio dos alunos que frequentam as unidades curriculares de “Arte e Técnicas de Titular”, “Laboratório de Imprensa I” e “Laboratório de Imprensa II”, leccionadas por Dinis Manuel Alves no Instituto Superior Miguel Torga (www.ismt.pt).

Para saber mais sobre a arte e as técnicas de titular na imprensa, assim como sobre a “Intertextualidade”, visite http://www.mediatico.com.pt/manchete/index.htm (necessita de ter instalado o Java Runtime Environment), e www.youtube.com/discover747

Visite outros sítios de Dinis Manuel Alves em www.mediatico.com.pt , www.slideshare.net/dmpa,
www.youtube.com/mediapolisxxi, www.youtube.com/fotographarte, www.youtube.com/tiremmedestefilme, www.youtube.com/discover747 ,
http://www.youtube.com/camarafixa, , http://videos.sapo.pt/lapisazul/playview/2 e em www.mogulus.com/otalcanal
Ainda: http://www.mediatico.com.pt/diasdecoimbra/ , http://www.mediatico.com.pt/redor/ ,
http://www.mediatico.com.pt/fe/ , http://www.mediatico.com.pt/fitas/ , http://www.mediatico.com.pt/redor2/, http://www.mediatico.com.pt/foto/yr2.htm ,
http://www.mediatico.com.pt/manchete/index.htm ,
http://www.mediatico.com.pt/foto/index.htm , http://www.mediatico.com.pt/luanda/ ,
http://www.biblioteca2.fcpages.com/nimas/intro.html

Statistics

Views

Total Views
19,709
Views on SlideShare
19,672
Embed Views
37

Actions

Likes
0
Downloads
41
Comments
0

1 Embed 37

http://www.slideshare.net 37

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    A VOZ DE TRÁS-OS-MONTES – 17.08.2006 A VOZ DE TRÁS-OS-MONTES – 17.08.2006 Presentation Transcript

    • Largo do Pioledo, bloco B, R/C 5000 Vila Real Tel.: +351 259340815 Fax: +351 259340810/11 Tlm.: +351 961324010 PORTE PAGO 0,60 (IVA INCLUÍDO) N.º 2932 (Ano LIX)
    • 2 local 17 agosto 2006 a voz de trás-os-montes CENTRO HISTÓRICO FEDERAÇÃO VILA-REALENSE ESTÁ ATENTA Aposta na melhoria Bombeiros denunciam campanhas da limpeza urbana Dando seguimento a uma política de sensibilização da po- irregulares e oportunistas pulação, em geral, e dos comerciantes, em particular, para uma correcta recolha e deposição de Resíduos Sólidos Ur- banos (R.S.U’s), a Empresa Municipal de Água e Resíduos de termaché e Ecomarché), para Maria Meireles Vila Real (EMARVR) apresentou, no dia 11 de Agosto, uma oferta de veículos ligeiros de proposta de protocolo, apadrinhada pela Associação Co- combate a incêndio a corpos mercial e Industrial de Vila Real (ACIVR), para cedência de de bombeiros, e pela Lever contentores aos comerciantes do ramo da Hotelaria, da Rua Apesar de afirmar Elida, para a oferta de apare- Teixeira de Sousa. Esta medida visa “melhorar o serviço de que ainda não houve lhos respiratórios a vários recolha de R.S.U’s, naquela área, sensibilizando os comerci- corpos de bombeiros (am- antes, particularmente, deste ramo, através do diálogo, para qualquer situação bas as campanhas em cur- a necessidade de colaborarem na manutenção da limpeza destas, no distrito so)”. urbana” - explicou o Presidente do Conselho de Adminis- vila-realense, Alfredo Mas a Liga sublinha, tam- tração daquela Empresa, Miguel Esteves, bém, que “há outras iniciati- Para evitar o transporte de resíduos em sacos plásticos, Almeida, Presidente vas que, para além de duvi- provocando, muitas vezes, o derrame de líquidos e outras da Federação dosa credibilidade e pouco substâncias, na via pública, a EMARVR propôs ceder, gratui- tamente, aos comerciantes, contentores de 120 litros. Distrital dos claras intenções, recorrem a condenáveis processos de Segundo Miguel Esteves, “os resíduos deverão ser coloca- Bombeiros, adianta exploração sensacionalista dos no contentor previamente protegido com um saco plás- que os “soldados da da imagem do bombeiro, mi- tico de características e dimensões adequadas para o efeito serabilista e incorrecta, face e depositados, posteriormente, nos contentores mais pró- paz” do distrito à sua verdadeira imagem de ximos, de maior capacidade, junto à Avenida 1º de Maio, transmontano estão elevação e dignidade”, adian- facilitando, assim, a recolha dos mesmos”. a ser sensibilizados, tando que “entre estas, des- Para este responsável, “esta medida irá contribuir para a tacam-se promoções de ser- melhoria da imagem, não só dos estabelecimentos comerci- sobre a problemática viços, inclusive bancários, ais em causa, mas, também, do espaço público, em geral, ze- das campanhas supostamente em benefício lando pela manutenção das condições de higiene e de salu- bridade”. oportunistas que da LBP e dos bombeiros; ou descontos, na aquisição de utilizam a imagem trabalhos de metalomecâni- dos bombeiros, de ca”. Por último, a LBP informa “SEMANA CULTURAL” forma abusiva e sem que “o único fundo existen- autorização. te em Portugal para benefí- Borbela com muitas “A Liga dos Bombeiros mente, a imagem dos bom- tuações ilegais, os bombeiros cio dos bombeiros é o Fun- do de Protecção Social do surpresas Portugueses (LBP) alerta beiros. devem informar as entidades Bombeiro que, criado em para campanhas oportunis- “Desde que tomei posse, competentes, nomeadamen- 1987, é gerido em termos Ponto alto da “Semana Cultural” organizada pelo Rancho tas que têm surgido, em vá- ainda não se verificou qual- te a GNR ou a PSP” - lem- previstos na lei e do conhe- Etnográfico de Borbela será a realização do seu XV Festival rios pontos do país, para re- quer caso de empresas re- brou o Presidente da Fede- cimento de todos os bom- Folclórico que, este ano, contará com a presença de grupos colha de fundos ou correrem à imagem dos ração, apelando, também, à beiros portugueses”. provenientes de Lorvão/Penacova, Raiz do Monte/Vila Pou- promoção de produtos e bombeiros, para fins comer- população, em geral, para que Apesar de não registar ca de Aguiar,Vale de Figueira/Santarém e da Banda de Gaitas serviços, supostamente em ciais”, garantiu o dirigente fe- comuniquem tal facto aos campanhas levadas a cabo da Associação Folclórica “O Barco de Valdeorras”/Ourense, benefício dos bombeiros, derativo, frisando, no entan- bombeiros,“se desconfiarem por empresas, de forma ile- para além, logicamente, do Rancho Etnográfico que organi- mas cujos contornos e reais to, que “todas as associações de alguma situação”, para gal,Vila Real foi palco, no en- za o evento. objectivos a sua Confedera- estão a ser informadas e sen- esclarecer: tanto, no final do mês de Ju- O Festival acontecerá, às 16 horas de domingo, dia 20, no ção desconhece”. sibilizadas para a possibilida- “Algumas acções resultam lho, de um caso de assalto Largo de Santa Maria Maior. O alerta foi dado, a nível de de isso poder acontecer”. de propósitos claros e publi- cometido por falsos bombei- Entretanto, no dia de hoje, o programa inclui diversas sur- nacional. Em Vila Real, a Fe- Alfredo Almeida lembra camente explícitos que a LBP ros. Segundo notícias divul- presas, para quem se deslocar a Borbela, ocorrendo, ama- deração Distrital dos Bom- que qualquer campanha que considera meritórias e bem gadas em vários órgãos de nhã, uma sessão de “karaoke” e um torneio de sueca. beiros, presidida por Alfredo tenha como real objectivo vindas. É o caso das campa- comunicação social “quatro No sábado, estarão em evidência os Jogos Populares, com Almeida, tem vindo a infor- apoiar os bombeiros deve nhas promovidas pela Sonae indivíduos que se fizeram destaque para as corridas de sacos e de cântaros, para os mar e a sensibilizar as Asso- ser apresentada, previamen- Sierra, para oferta de fatos passar por bombeiros rou- jogos do cepo, do farelo e das panelas e para uma gincana ciações Humanitárias, no te, ao Governo Civil, a quem de protecção individual aos baram cerca de 2.000 euros de bicicletas. sentido de estarem atentas cabe a função de autorizar a bombeiros (campanha con- a uma septuagenária, na al- Esta “Semana Cultural” conta com o apoio do Município à realização de campanhas sua realização. cluída no mês de Julho), pelo deia de Jorjais de Perafita, no de Vila Real, da Junta de Freguesia de Borbela, da Delegação ilegais que utilizam, indevida- “Caso sejam detectadas si- grupo Os Mosqueteiros (In- concelho de Alijó”. Distrital do Inatel, da Região de Turismo da Serra do Marão e do Instituto Português da Juventude. DISTRIBUIÇÃO TEVE INÍCIO ONTEM FESTAS DE SABROSO Agradecimento Bombeiros já começaram a receber A Comissão de Festas de Sabroso 2006 vem, por este material individual de protecção meio, agradecer a toda a população de Sabroso (residentes e emigrantes), pelo excelente contributo dado para a reali- As mais de duas dezenas de pelo Governo, a demora na che- ram adquiridos 1.168 casacos, “grande esforço” feito, este zação da festa em honra de Mártir S. Sebastião e do Senhor corporações de bombeiros do gada do material prendeu-se, 1.168 calças, 584 botas, 584 ano, pelo Governo, “para do- dos Emigrantes. Agradecemos, também, o contributo de to- distrito de Vila Real começa- sobretudo, com a capacidade de máscaras, 292 capacetes e 524 tar todos os corpos de bom- dos os patrocinadores. ram a receber, ontem, os equi- resposta dos fornecedores, luvas, entre outros equipa- beiros e todos os homens in- Assumindo algumas falhas, temos, no entanto, a consciên- pamentos previstos nos “kits empresas que foram escolhidas mentos. cluídos no dispositivo, com cia do dever cumprido. de protecção anti-fogo” que pelas próprias corporações de Durante uma cerimónia equipamento de protecção Desejando um bom trabalho à Comissão de 2007, mais representaram um investi- bombeiros, o que também fez simbólica de entrega do ma- individual”, lembrando que “os uma vez o nosso muito obrigado a todos os que contribuí- mento do Governo Civil vila- com que o prazo de entrega dos terial às corporações de Cas- bombeiros não podem prote- ram para o êxito da nossa festa. realense, na ordem dos 250 equipamentos variasse, de dis- telo Branco, Ascenso Simões, ger os outros, se não se pro- mil euros. trito para distrito. Secretário de Estado da Admi- tegeram a si”. A Comissão de Festas Prometido, há vários meses, No distrito de Vila Real fo- nistração Interna, sublinhou o MM
    • a voz de trás-os-montes 17 agosto 2006 local 3 “MOBILIDADE PARA TODOS” AUMENTA NO DISTRITO Cinco municípios abrangidos Editorial pela Rede Nacional Como se não sobejas- José Manuel Cardoso se a inenarrável tragédia no palco do Líbano para marcar este ano de dois O distrito de Vila Real mil e seis, agita-se de novo o cruel fantasma do ter- conta, a partir de rorismo que, segundo a anteontem, com mais Polícia Inglesa, intentava destruir «pelo menos dez uma localidade na Rede aviões em viagem entre Nacional de Cidades e Inglaterra e os Estados Unidos», tendo a Scotland Vilas com Mobilidade Yard frustrado os planos de, pelo menos, vinte e Para Todos. Peso da quatro cúmplices, cujo Régua aderiu a esta plano «era fazer explodir as bombas sobre as cida- associação, depois Vila des norte-americanas de Real, Chaves, Alijó e Nova Iorque, Washington e Los Angeles»… Mesão Frio. Ao todo, cinco Parece que o tempo dos homens acabou, no incên- Câmaras comprometem- dio das paixões, dos inte- -se em abolir as barreiras resses ilimitados, dos supostos direitos irrecon- arquitectónicas e a ciliáveis, da luta pelos mais adoptar um desenho fracos e carentes de todos os bens. urbano útil, em especial Tão distantes vão fican- do os que, em vez de da- para pessoas portadoras rem as mãos e repartirem de deficiência, crianças e, os bens afectivos e mate- riais, que para os chega- mesmo, grávidas. dos à idade da reflexão sobre a realidade da vida, além do sonho, se depa- A bandeira da “mobilidade” já está enferma, ainda, como outras congéne- tanto nas ruas, como nos edifícios de de alguns problemas, nesta área.A pró- ram com paixões ferozes içada e o contrato-programa assinado res do distrito, de alguns problemas, utilização colectiva. pria Câmara Municipal ou o Hospital e guerras impensáveis obriga, desde já, a edilidade duriense a nesta área. Daí a preocupação da au- “Eliminar as principais barreiras ar- de Cuidados Continuados não têm um num mundo donde a paz promover a inclusão de medidas re- tarquia em partir para este acordo. Em quitectónicas e urbanísticas à mobili- acesso especial, destinado a quem seja e o direito à vida se tor- gulamentares adequadas a adoptar em algumas artérias da cidade, nomeada- dade de qualquer cidadão” é o grande portador de deficiência motora. São nam miragens de horro- Planos Municipais de Ordenamento do mente nas zonas das passadeiras, o desígnio, a cumprir pelas edilidades dois exemplos, entre outros, como o res, sofrimentos e agonia Território, de modo, também, a impor declive existente entre o passeio e o aderentes. edifício dos CTT. Estes constrangimen- desesperante. medidas de mobilidade, para todos, em asfalto é muito grande. Quem precisa tos não passaram despercebidos à au- Porque não haverá de novas urbanizações. Sabendo-se que de circular em cadeira de rodas tem a Garantir mobilidade a 60% tarquia local que resolveu, também, ouvir-se o apelo urgente ainda existem muitos obstáculos para vida complicada. Outras situações exis- da população total aderir à Rede Nacional de Cidades e e clamoroso: – Homens, quem “circula” na via pública, com li- tem, também, nos acessos aos trans- Vilas com Mobilidade para Todos. sede homens! mitações de vária ordem, esta iniciati- portes públicos, onde ainda não há Outras Câmaras Municipais do dis- No mês de Agosto, de va vem, de certa forma, combater al- locais adaptados para os deficientes trito de Vila Real preparam-se para Muitas “nódoas”, na cidade festas e romarias apelati- gum défice, ainda existente. motores. integrar esta rede. de Vila Real vas da alegria de viver, por- O Presidente da Câmara Municipal que não haverá o encanto Vida complicada para quem Oitenta municípios de Peso da Régua, Nuno Gonçalves, Saliente-se que, em 2005/06, outro da Rainha da Paz de mo- se desloca em cadeiras de aderentes, em termos congratulou-se com a assinatura des- município da região duriense, a Câmara ver os corações no senti- rodas nacionais te protocolo e assumiu a ideia de que Municipal de S. João da Pesqueira, ade- do do amor universal e da “a cidade é para todos, em termos de riu a esta organização, ao mesmo tem- justiça promotora do di- A vila de Alijó tem no terreno, nes- A cerimónia oficial deste contrato- mobilidade e acessibilidades”. Daí o po que outros municípios nacionais, reito?! te momento, uma equipa da Universi- -programa ocorreu numa altura em seu desejo em “promover condições nomeadamente, Castro Verde, Celori- Será, porém, coincidên- dade de Aveiro, a fazer um estudo e que Peso da Régua festejava também, para quem vive face a constrangimen- co da Beira, Coimbra. Estremoz, Ida- cia apenas o acordo de um levantamento sobre as “acessibili- os vinte e seis anos de elevação a ci- tos motores, na sua circulação, em es- nha-a-Nova, Lisboa, Lourinhã, Mafra, cessar-fogo, nesta manhã dades”, em termos de mobilidade ur- dade. De referir que Vila Real e Cha- pecial as pessoas que são portadoras Marco de Canaveses, Oleiros, Paredes, de catorze de Agosto, vés- bana a alguns serviços públicos, insta- ves foram os dois primeiros municípi- de deficiência motora”. Peniche, Pombal, Ponte da Barca, Por- pera da Assunção de Nos- lados em edifícios que representam um os do distrito de Vila Real a aderir à Para o futuro, o edil duriense disse to, Santarém e Silves. sa Senhora, acordo respei- problema para quem tem uma cadeira Rede Nacional de Cidades e Vilas com que “Peso da Régua, nesta área deve Em relação a Vila Real, ainda há mui- tado até este momento? de rodas ou que seja portadora de uma Mobilidade para Todos. Foi em 2003/ ser uma cidade sem barreiras arqui- tas “nódoas”, nesta área. A Estação de deficiência motora. 04. Desde essa altura, várias Câmaras tectónicas, ao nível dos espaços públi- Caminhos de Ferro (cada vez mais uma Este município (que já tem a “Ban- Municipais começaram a integrar esta cos e em edifícios: “Desde que assumi “nódoa” mais negra, em termos de deira da Mobilidade para Todos”) es- organização que já tem oitenta ade- as funções que tenho, a questão da imagem pública e de asseio) não tem pera, depois de o seu Presidente, Ar- rentes, em termos nacionais. mobilidade e das acessibilidades me- um acesso para deficientes. Mais no tur Cascarejo, o ter manifestado, Apesar da sensibilização das autar- receu uma atenção especial. Daí este centro da cidade, o edifício principal publicamente, que “com este levanta- quias e das instituições públicas para a passo que foi dado. Peso da Régua será, dos CTT também padece do mesmo mento, se pretende facilitar a vida a necessidade de adopção de medidas em breve, uma cidade acessível, para mal. Escadas altas e inacessíveis impe- Self-Service quem revele dificuldades, na sua “mo- que visem melhorar as condições de todos” - acrescentou o autarca duri- dem o acesso dos deficientes moto- bilidade”. No contrato-programa assi- mobilidade das pessoas, ainda são fre- ense. res, bem como a altura de alguns pas- LAVAR/SECAR nado, com a duração de três anos, na quentes, em cidades e vilas do distrito De sublinhar que as grávidas, por- seios que obriga ao levantamento das 7kg - 3.5€ Régua, participa a Associação Portu- de Vila Real, as dificuldades sentidas por tadores de deficiência e crianças re- próprias cadeiras de rodas de quem guesa de Planeadores de Território, um elevado número de pessoas que, presentam cerca de sessenta por cen- sofre de deficiência motora. Segundo APPLA, e, para manter a “bandeira”, a todos os dias, se deparam com cons- to da população total, onde a falta de a APPLA, para o futuro, dado o aumen- edilidade duriense terá de concretizar trangimentos ou se vêem impossibili- mobilidade se reflecte. to da esperança de vida, perspectiva- LAVANDARIA cerca de setenta por cento das inter- tadas de frequentar locais públicos, Para o biénio 2005 e 2006, também se o aumento de número de idosos e PRACETA QUINCHOSOS venções previstas, no âmbito do do- onde existe um grande conjunto de está na calha o município de Mesão de outros cidadãos com limites na VILA REAL cumento subscrito. A cidade duriense obstáculos que impedem a circulação, Frio. A vila duriense enferma, também, mobilidade.
    • 4 local 17 agosto 2006 a voz de trás-os-montes PROJECTO DE REVITALIZAÇÃO DO CIRCUITO nacionais Corridas poderão regressar, ][ PEDIDOS DE SUBSÍDIO NO NÍVEL MAIS BAIXO em 2007 • DESDE 2002 A taxa de desemprego continua em níveis historicamente elevados, mas o número de novos desempregados tem vin- do a descer de forma sustentada. É isso que evidenciam os dados recolhidos pelo Instituto de Informática e Estatísti- ca da Segurança Social (IIESS) quanto ao número de novos pedidos de subsídio de desemprego. Até Julho, a Seguran- ça Social deferiu 79 430 requerimentos de subsídio de desemprego (excluindo os subsídios sociais), menos 21% do que no mesmo período do ano anterior. Seria preciso recuar a 2002 para encontrar um número de pedidos de subsídio mais baixo do que o actual. Em média, a Seguran- ça Social autorizou por cada mês do presente ano o paga- mento de 11,3 mil novos subsídios, ao passo que em 2003, 2004 e 2005 está média andou sempre acima dos 14 mil, chegando mesmo a aproximar-se dos 15 mil. A região Norte é a que tem mais desempregados a receber subsí- dio, 117,5 mil, ou seja, 40% do total. ][ SEGUEM PARA A BÓSNIA 30 VAGÕES FEITOS • EM PORTUGAL Os primeiros 30 vagões de mercadorias fabricados pela EMEF para a Bósnia começam sexta-feira a ser transpor- tados para o porto de Setúbal, devendo ser embarcados para aquela ex-república jugoslava na última semana do mês ][ NÚMERO DE DESEMPREGADOS DESCEU 5,1% • EM JULHO O número de desempregados inscritos nos Centros de Emprego diminuiu 5,1% em Julho, face ao mesmo mês do com as duas partes envolvi- ples, duplos e triplos é uma ração dos vila-realenses, sen- Maria Meireles ano passado, de acordo com os dados do Instituto de das, para a discussão do pro- das medidas previstas no do de realçar, apenas, a es- Emprego e Formação Profissional (IEFP), hoje divulgados. jecto” - revelou Domingos projecto que abarca um cir- tagnação das corridas, duran- Este é o quinto mês consecutivo em que se regista uma Madeira Pinto, Vereador da cuito com cerca de quatro te a Segunda Guerra Mundial. diminuição do desemprego homólogo. Depois de ter sido Câmara Municipal, sobre o quilómetros de percurso e A última prova que se reali- criada uma comissão, projecto, criado através de que terá como meta não a zou no Circuito de Vila Real uma colaboração entre a zona junto às míticas “Bo- decorreu em 1989, edição ][ • TRIBUNAIS OBRIGAM GOVERNO A DAR REFORMA A MILHARES DE FUNCIONÁRIOS constituída por autarquia e o Clube Automó- xes”, situadas na Avenida Au- que ficou marcada por um PÚBLICOS elementos da vel de Vila Real (CAVR), com reliano Barrigas, mas, sim, a acidente, na zona da Araucá- Um despacho da ex-ministra das Finanças, Manuela Fer- Câmara Municipal e o intuito de revitalizar o cir- “zona da sede do CAVR”. ria de que resultou a morte reira Leite, que em 2003 impediu o acesso de milhares de cuito urbano vila-realense. Com as primeiras corridas, de uma pessoa. funcionários públicos às reformas antecipadas está a ser do Clube Automóvel Segundo o mesmo respon- realizadas em Junho de 1931, O regresso à vida do cir- declarado “ilegal” pelos tribunais. Vários casos de afecta- de Vila Real, está na sável, o próximo passo pas- o Circuito de Vila Real foi cuito urbano de Vila Real dos já chegaram aos tribunais superiores, que têm dado sará pelo envio do referido fundado por um grupo de parece estar cada vez mais razão aos trabalhadores, obrigando o Estado a declarar recta final a projecto, para análise, para a vila-realenses, do qual se des- próximo da realidade. Segun- aposentações antecipadas com efeitos retroactivos. Logo que o Supremo Tribunal Administrativo profira uma ter- elaboração de um Federação Portuguesa de tacam personalidades como do Madeira Pinto, “os carros ceira decisão com o mesmo teor, esta posição jurídica passa projecto que prevê a Automobilismo, com a pers- Aureliano Barrigas, Luís Ta- poderão voltar a correr já no pectiva de que a prova de Vila boada e Emídio Roque da próximo ano. Faremos todos a valer para todos os funcionários, mesmo os que, de en- tre os cerca de 15 mil requerentes, não recorreram à Jus- revitalização do Real entre, já, na edição do Silveira. os possíveis, para que as cor- tiça. circuito urbano da próximo ano do Campeona- Durante muito tempo, o ridas regressem, dada a im- to Nacional”. traçado do Circuito tinha portância histórica que têm, capital de distrito Madeira Pinto referiu, ain- como ponto de partida a para a cidade”. ][ DEFICIENTES: NOVAS HABITAÇÕES VÃO TER • DE RESPEITAR REGRAS DE ACESSIBILIDADES transmontana. Com a da, que o documento (que Avenida Almeida Lucena, se- De realçar que a Delega- A partir de Fevereiro de 2007 a construção de novas ha- apresentação pública tudo indica seja apresentado, guindo, depois, para o En- ção Regional do Instituto publicamente, no próximo troncamento da Timpeira, Português da Juventude de bitações vai começar a respeitar um conjunto de normas técnicas de acessibilidades para pessoas com deficiência, do documento, já em mês de Setembro) contem- Mateus, Estação dos Cami- Vila Real tem patente, nas ao abrigo de um novo regime publicado em Diário da Re- Setembro, e o aval da pla, “essencialmente, obras, nhos-de-Ferro, Ponte, Rua suas instalações, desde o dia pública. Na prática, os projectistas e donos de obra terão na área da segurança”. Miguel Bombarda, Rua Cân- 12, até sábado, uma exposi- de cumprir regras legais - que permitem eliminar as bar- Federação As obras que, entretanto, dido Reis e Travessa Cândi- ção, designada “Memória Fo- reiras arquitectónicas -, quando constroem habitações ou Portuguesa de se foram realizando, ao lon- do dos Reis, regressando à tográfica: Circuito Automó- outro tipo de edifícios privados. O objectivo das normas técnicas - aplicadas de forma gradual ao longo de oito anos Automobilismo, os go dos anos (como, por avenida inicial, num percurso vel de Vila Real”. exemplo, as da Via Interna de de mais de sete quilómetros no que respeita às áreas privativas dos fogos destinados à habitação -, é melhorar as acessibilidade dentro e fora dos automóveis poderão Circulação (VIC), já tiveram que era percorrido, pelos edifícios. regressar, a Vila Real, em conta algumas questões automobilistas, 20 vezes. de segurança, tendo em vis- Ao longo dos anos, o tra- já em 2007. ta um possível regresso das jecto foi sofrendo alterações, ][ INCENTIVO AO ARRENDAMENTO JOVEM COM • corridas, a Vila Real, segundo mas as emoções das altas ve- VISTA POR FALTA DE EFICIÊNCIA “Na próxima semana, de- referiu a mesma fonte. locidades foram ganhando O Incentivo ao Arrendamento Jovem (IAJ) poderá desapa- verá ter lugar uma reunião, A instalação de “rails” sim- espaço, cada vez mais, no co- recer em breve, pelo menos tal como é conhecido e foi criado há cerca de duas décadas. É essa a convicção do TREM ALÉM MARÃO secretário de Estado adjunto do Ordenamento do Terri- tório e das Cidades, João Ferrão, que informou que o Ins- tituto Nacional de Habitação (INH) deverá receber, antes do fim do mês de Agosto, a avaliação externa que enco- mendou ao instrumento criado para apoiar jovens com A melhor forma de conhecer a cidade menos de 35 anos a alugar a sua habitação. E a confirmar- de Vila Real, em COMBOIO TURÍSTICO. -se que ele é “insuficientemente eficiente”, proporá a sua extinção à presidência do Conselho de Ministros (que tem Fazemos protocolos com: ATL’s, Infantários, Escolas, Lares de Terceira Idade, a tutela da Juventude) e ao Ministério das Finanças. Fazemos protocolos com: Baptizados, Festas, Casamentos e outros Para informações contactar: 966 837 886 ou 963 044 211
    • a voz de trás-os-montes 17 agosto 2006 local 5 PARQUE NATURAL DO ALVÃO Documento prevê criação de uma área de protecção total Maria Meireles O risco de extinção Miradour ARMANDO MOREIRA das gralhas de bico vermelho que percorrem os céus da Bolas e bolinhas área do Parque PELO que se vai lendo, na imprensa regional, o SCVR che- gou a um estado de asfixia tal que ninguém lhe quer deitar a Natural do Alvão mão. O que assusta, dizem, é o passivo do clube, herdado das levou a que seja “gestões” anteriores, e, em nosso entender, a falta de motiva- ção e de objectivos, para o futuro. proposto, no âmbito CONHECEMOS bem o que se passa e o que pode pre- do Plano de tender-se, pelo que não recusamos opinar, sobre este proble- ma da vida vila-realense, não reagindo, sentimentalmente, como, Ordenamento do normalmente, se é tentado a fazer, quando se trata do nosso Parque, a criação de clube do coração. uma pequena área PARA os “bolinhas” como nós, custa ver o SCVR à deriva, sem rumo, sem um timoneiro. Outras ocasiões houve (há vin- de protecção total. O te/trinta anos), em que sempre apareceu um mecenas (lem- bramo-nos do Eduardo Taveira da Mota, idolatrado por documento, uns, quase odiado por outros), em desespero de causa, a deitar actualmente em uma mão, a deixar mais uns tostões, com a finalidade de salvar o clube. discussão pública, PORQUE é que não sucede isso, agora? Os mais nostálgi- prevê a adopção de cos sempre hão de apontar o dedo à autarquia, pensando que novas regras e a esta deveria empenhar-se mais, na defesa do Clube mais re- presentativo da terra. Não vamos por aí. A legislação é cada dinamização de vez mais apertada, no sentido de proibir o financiamento do futebol profissional. Por outro lado, o SCVR já não é, infeliz- projectos, para o mente, o lídimo e único representante do concelho de Vila futuro, tendo como Real, porque há mais clubes que se reclamam de igual legitimi- dade, como o Bairro Latino, o Abambres, o Mateus, a Escola base o delineamento Diogo Cão, o Parada de Cunhos, o Constantim e por aí fora. de três níveis Os dirigentes destes clubes sabem isso melhor do que nós e não nos desmentem. distintos de POR outro lado, os amantes do futebol de hoje têm outras protecção. Henrique Pereira explicou-nos alguns dos pormenores do Plano de Ordenamento oportunidades que não tinham os de há quarenta ou cinquen- ta anos. Naquela altura, para ver futebol, era preciso ir ao Cal- vário e, mais tarde, ao Monte da Forca. “O objectivo é garantir a espécie em risco de extinção jectos de futuro, para o PNA, anos, foi, permanentemente, manutenção dos valores natu- que costuma nidificar, naque- que contemplam a conserva- acompanhado por uma Co- HOJE em dia, futebol de qualidade vê-se, comodamente, rais, culturais e patrimoniais le local. ção da Natureza e da biodi- missão Mista de Coordenação, em casa ou nos cafés da aldeia, frente a um televisor de “écran” existentes”, sublinhou Henri- Para além da pequena área versidade da área protegida e com representantes de dez panorâmico. Quem é que vai ao Monte da Forca, para ver fute- que Pereira, Director do Par- de protecção total, zona que aspectos como “a valorização diferentes entidades, entre as bol? Só por amor à camisola. E essa, desde há muito que está terá acesso reduzido e que cultural e patrimonial, a infor- quais a Quercus, os Ministéri- desbotada e irreconhecível. que Natural do Alvão (PNA), para o qual foi elaborado um servirá como que “uma espé- mação e a sensibilização am- os da Agricultura e da Econo- DITO ISTO, há que encarar, de frente, a realidade que é Plano de Ordenamento que se cie de santuário, para sensibi- biental, a criação de infra-es- mia, o Instituto Português do esta: o “Bila” já não promove o nome da cidade. Fá-lo-ia, onde? encontra, até ao dia 29 de Se- lização, educação ambiental e truturas de apoio ao turismo Património Arquitectónico, a Em Rio Tinto, em Lousada, em Fafe, em Mogadouro? Para quê? tembro, em fase de discussão investigação”, o Parque terá, e a visita, monitorização e empresa Estradas de Portugal, Então, como justificaria a Câmara as dezenas de milhares de pública. ainda, zonas de protecção par- acompanhamento das espéci- a Direcção Geral do Turismo, contos que teria de transferir para o clube, para este subsistir? cial, nas quais são mantidas es”. os Conselhos Directivos dos Se estivesse na Primeira Liga ou Liga de Honra era uma coisa. Apesar de definir o estabe- Agora, na 3.ª Divisão ?! lecimento de três níveis de actividades tradicionais, como Outro aspecto que surge, Baldios e as Autarquias, entre protecção (protecção com- a pastorícia, a criação de gado no âmbito da reorganização, outros. PORÉM, não há drama nenhum, a nosso ver. Quem preten- pletar, parcial e total), dentro ou a agricultura. “Queremos realizada pelo Instituto da Os interessados em analisar de ver bom futebol, tem a televisão. Salvar o clube – muito do parque, o plano mantém os que estas actividades humanas Conservação da Natureza, é o Plano, poderão fazê-lo, na bem.Vamos a isso. Como? actuais limites da área prote- sejam respeitadas e, mesmo, o facto de o PNA já não emi- sede do PNA (na zona da Vila REGRESSAR às origens. Um projecto de formação de jo- gida, designadamente 7.220 incentivadas” – explicou Hen- tir qualquer parecer sobre os Velha, por detrás do edifico vens – há massa humana suficiente, nas nossas escolas e na hectares de terreno que ser- rique Pereira. licenciamentos para obras nas dos Paços do Concelho), na Universidade. Há facilidade de transporte, hoje em dia. Há téc- vem de morada a 220 espéci- Finalmente, as áreas de pro- localidades da área protegida, sede do Instituto de Conser- nicos saídos, a sair e em formação, na própria UTAD. Que não es de fauna e 400 de flora. tecção complementar que uma responsabilidade que pas- vação da Natureza, na Comis- custam dinheiro e são capazes de se oferecer, gratuitamente, Segundo o mesmo respon- contemplam os núcleos popu- sará a ser da total responsabi- são de Coordenação e Desen- para ensinar os jovens que se disponham a representar o SCVR, sável, a área considerada de lacionais, “espaços que possu- lidade das Câmaras Municipais. volvimento Regional do Norte nos escalões jovens. Os quais, daqui a pouco, passarão a senio- protecção total, situada na em características importan- Elaborado pela equipa téc- (CCDRN), nas Câmaras Mu- res – como amadores. Fim ao profissionalismo na 3.ª Divi- tes de conser vação, com nica do Departamento de nicipais de Vila Real e de Mon- são! Não apenas para o SCVR, mas para todos os clubes, no zona de Cabeços de Arnal, é país inteiro. reduzida e tem como objecti- grande utilização humana”. Ambiente e Ordenamento da dim de Basto e nas Juntas de vo a protecção dos três casais Além de estabelecer várias Universidade de Aveiro, o pla- Freguesia de Lamas de Olo,Vila DIZEM-NOS, e nós acreditamos, que, em dia de jogos, ao de gralha-de-bico-vermelho, regras, o plano apresenta pro- no, iniciado há cerca de dois Marim, Ermelo e Bilhó. Monte da Forca só acorriam, nas últimas épocas, uma poucas centenas de carolas. E, em alguns jogos, não chegariam à cente- na. Acompanhar a equipa em jogos fora, só os Directores do clube e por sacrifício! Sendo assim!... APOSTAR, novamente, nos escalões jovens, é uma solu- ção de futuro. Não será a única, mas é, sem dúvida, uma das possíveis, neste momento, sem grandes encargos financeiros. O SCVR não morrerá jamais, porque os seus associados não o vão permitir. Mas a sua revitalização passará, em nossa opinião, por novos modelos de projecto.Temos a certeza que a autar- quia não deixaria de apoiar um modelo como aquele que es- boçámos e que nos parece ter pés para andar. Quem se recu- sará a dar a sua contribuição?
    • 6 local 17 agosto 2006 a voz de trás-os-montes susana ICN ENTREGOU 16 JIPES teixeira* Parque Natural do Alvão contemplado com mais uma viatura (CDOS) de Vila Real”, acres- Maria Meireles centando: “É com muita satisfação que SAÚDE ANIMAL recebemos mais esta viatura Hipovitaminose A Desde Março que, no que é idêntica à que, desde em répteis Parque Natural do Março, já está no terreno, no âmbito do desenvolvimento Alvão, uma Brigada de trabalhos de vigilância, pre- A hipovitaminose A Florestal, constituída venção e, mesmo, de primeira surge devido a uma die- por cinco homens e intervenção, sendo de realçar ta deficiente que conte- que ambas estão equipadas nha baixos níveis de vi- uma viatura, estão a com um tanque de armazena- tamina A. Sem vitamina A trabalhar nas áreas da mento, com capacidade para os epitélios do sistema vigilância, prevenção e 700 litros de água”. respiratório, ocular, en- Em comunicado, o Ministé- docrino, gastrointestinal primeira intervenção. rio do Ambiente explicou que e genitourinário são Reforçar a equipa, ao “o reforço das viaturas, para afectados. Teoricamente nível de meios, é o primeira intervenção, vem tor- nar mais operativa e fiável a todos os répteis podem ser afectados, no entan- objectivo da entrega de capacidade instalada nas áreas to é uma patologia mais um segundo veículo protegidas e a acção das Bri- gadas de Vigilância”. frequentemente encon- que, com um tanque Os 16 veículos são os últi- trada em tartarugas semi-aquáticas. de armazenamento mos a ser entregues, de um O sinal clínico mais fre- com capacidade para total de 37 que, desde 2004, estão a ser distribuídos pelas quentemente encontra- 700 litros de água, já várias áreas protegidas, a nível do é o edema das pálpe- bras, com ou sem está no terreno. A nova viatura está no terreno, desde sexta-feira nacional, num investimento acumulação de detritos total de quase 900 mil euros. b r a n c o - a m a re l a d o s . “Recebemos uma carrinha, Programa de Vigilância e Pre- contempladas com uma das 16 plementar” para a Brigada De recordar que, em 2005, Nem sempre existe um com um “kit” de primeira in- venção contra incêndios”, ex- viaturas disponibilizadas pelo existente no terreno, num ser- os incêndios florestais consu- tervenção que virá reforçar a plicou Henrique Pereira, Di- Instituto de Conservação da viço que, como salientou,“está miram cerca de 1700 hecta- envolvimento bilateral, Brigada e que também será rector do Parque Natural do Natureza (ICN). a funcionar em total coorde- res da área do PNA, dos quais podendo um dos olhos utilizada pelos Vigilantes do Alvão (PNA) que, no dia 10, Segundo o mesmo respon- nação com o Centro Distrital cerca de 98 % se referiram a ser afectado muito antes Parque e pelos Voluntários do foi uma das áreas protegidas sável, “o jipe é um meio com- de Operações de Socorro mato. do outro. Outros sinto- mas incluem letargia, anorexia, perda de peso e descarga nasal e ocu- lar. Algumas tartarugas podem ainda fazer reten- MAIS UMA ACÇÃO DA PSP ção de ovos. O tratamento consis- te na administração de vitamina A em doses ex- Divulgado Concurso de Admissão ao Curso tremamente bem calcu- ladas, para evitar o apa- recimento de uma de Formação de Agentes hipervitaminose. Conso- ante o caso, pode ser ne- Depois da exposição tes e muitos os que se con- cessário remover os de- gratularam pelo facto da PSP tritos celulares que se realizada no passado de Vila Real mostrar abertura, acumulam nos olhos e mês, onde foram na divulgação de informação aplicar antibióticos tópi- apresentados os que nem sempre está acessí- cos ou sistémicos. A die- vel ao cidadão. Foi enriquece- ta deve também ser cor- principais meios ao dora, também, a partilha de co- rigida, introduzindo-se dispor da PSP na nhecimento com cidadãos de alimentos que sejam ri- segurança do cidadão, outros países, relativamente à cos em carotenos, como utilização de equipamento por exemplo espinafres, o Comando de Polícia operacional e a formas de brócolos, cenouras, pi- de Vila Real levou a combate ao crime. mentos no caso das tar- efeito, neste fim-de- Efectuado o balanço, e para tarugas de terra ou de além da imagem positiva que caixa, e ainda peixe no semana, mais uma o Comando de Polícia de Vila caso de se tratar de uma iniciativa pública, no Real transmitiu a quem visitou tartaruga semi-aquática. Centro Comercial o Centro Comercial Dolce Vita Douro, a PSP efectuou a Deve-se tentar também Dolce Vita Douro, agora entrega de quase uma cente- encontrar uma dieta co- mercial bem balanceada. com o objectivo na de formulários a futuros Se possuir um reptil principal de difundir o opositores ao concurso ten- do ainda recebido várias can- ou estiver a pensar em Concurso de Admissão Visão geral do local da exposição onde se nota a convivência dos meios administrativos e dos meios operacionais mais didaturas já formalizadas. adquirir um, informe-se bem acerca da sua ali- para Agentes. recentes ao dispor deste Comando A PSP de Vila Real lembra mentação, alojamento e que o Concurso se encontra modo de vida com o seu Esta acção contou com a (Pessoal, Finanças, Serviços de Para além da divulgação do va operacional e administrati- aberto até ao dia 24 de Agos- médico veterinário para presença conjunta de elemen- Saúde, Logística, Armas e Ex- Concurso de Admissão de va, considerando-se que os re- to e a entrega de documentos tos com funções não policiais plosivos e Secretaria de Trân- Agentes, este projecto preten- sultados, para além de inova- pode ser efectuada em qual- evitar futuros problemas. daquele Comando, pertencen- sito) e de elementos policiais deu fomentar, ainda mais, a dores, foram, amplamente, quer Subunidade ou nas insta- tes a todos os serviços de incluídos no Programa Escola política de proximidade para alcançados. lações policiais em Almodena. * Médica Veterinária do HVTM apoio à actividade operacional Segura e Comércio Seguro. com o cidadão, na perspecti- Foram centenas os visitan-
    • a voz de trás-os-montes 17 agosto 2006 local 7 OBRAS NA CÂMARA MUNICIPAL ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DA UTAD Renovação das instalações, para “Site” facilita melhorar atendimento à população procura de casa aos alunos Maria Meireles A Associação Académica da Universi- dade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) está a trabalhar na elaboração Embora ainda não haja de uma página na Internet, onde disponi- bilizará uma lista de habitações, a alugar a certezas de quais os estudantes, em Vila Real, Chaves e Miran- serviços da autarquia da do Douro. O projecto pretende facili- tar a procura de casa aos alunos da aca- que se deslocarão para demia transmontana. as renovadas Já não é a primeira vez que a Associa- instalações, contíguas ao ção Académica da UTAD recolhe um con- junto vasto de quartos e casas de habita- edifício dos Paços do ção, à disposição dos estudantes. No Concelho, as quais, entanto, este ano, o projecto tem como objectivo filtrar a oferta e facilitar a pro- durante anos, cura, por parte dos estudantes. Por isso, acolheram o Comando vai dar um passo inovador, com a coloca- ção da listagem numa página da Internet. da PSP de Vila Real, A AUTAD, segundo uma fonte da As- uma coisa é certa: “o sociação, está a trabalhar na elaboração de um “site”, onde quem procura casa, objectivo é melhorar, nas cidades que acolhem os alunos da consideravelmente, o UTAD, o pode fazer, de uma forma sim- atendimento ao ples e rápida, segundo os seus interes- ses, localização, tipo de alojamento e des- público”. Obras de requalificação tiveram início, depois da transferência do Comando da PSP pesas, evitando, assim, os habituais incómodos que este processo acarreta. “Já durante o mês de Outubro de imediato, às obras na requalifi- nicipal explica que ainda não há Acção Social ou Cultura poderão Para além das informações de texto, se- se prevê que alguns serviços co- cação daquele espaço, na ala nas- certezas, no que diz respeito aos receber um novo espaço, no edi- rão disponibilizadas fotografias, para que, mecem a funcionar, no renovado cente do edifício da autarquia. outros serviços que irão usufruir fício da autarquia. segundo a mesma fonte, “a procura e a espaço”- garantiu-nos Nazaré Segundo Nazaré Pereira, a re- dos novos gabinetes. Manuel Martins, Presidente da oferta sejam o mais reais possível”. Pereira,Vice-Presidente da Câma- modelação daquela área, orçada O Vereador explica que o me- Câmara Municipal, referiu que, na Realçando que “este é um processo que ra Municipal de Vila Real, sobre em cerca de 300 mil euros, tem lhor atendimento à população pas- sequência da requalificação que só se poderá realizar com a colaboração as obras de requalificação da frac- como objectivo dotar de melho- sará, por exemplo, por uma maior está em curso, “a autarquia já es- de todos aqueles que têm habitações ção do edifício dos Paços do Con- res condições físicas uma série de “celeridade de tratamento nos pro- tabeleceu contactos, para que para alugar”, a Direcção da Associação celho que, durante anos, serviram serviços da autarquia e, sobretu- cessos de obras. uma empresa da especialidade apela à participação dos senhorios, ga- de morada ao Comando da Polí- do, oferecer uma maior qualida- “Essa era uma necessidade, sen- faça a certificação de qualidade do rantindo que “podem colocar as suas cia de Segurança Pública (PSP) de de atendimento, aos muníci- tida, há muito, pela autarquia” - Atendimento Público e dos Ser- casas, a alugar, naquela página da Inter- vila-realense. pes. frisou o mesmo responsável, con- viços de Urbanismo, o que impli- net, de forma gratuita, sendo necessário, Pouco tempo depois da trans- Adiantando, apenas, que o De- firmando que “os serviços come- cará grandes alterações, em ter- apenas, dirigir-se à sede da AAUTAD ou ferência do Comando da PSP para partamento de Ordenamento do çavam a sentir-se, manifestamen- mos de procedimento, a alguns estabelecimentos comerciais, as instalações provisórias, situa- Território será um dos beneficia- te, incapazes de dar resposta às acarretando mudanças e um gran- identificados para o efeito, onde poderá das na zona da Almodena, a au- dos com o renovado espaço, o necessidades”. de empenhamento, por parte dos ser preenchido um pequeno formulário”. tarquia de Vila Real lançou mãos, Vice-Presidente da Câmara Mu- Serviços como os de Educação, trabalhadores da autarquia”. MM É A SEGUNDA, EM DOIS MESES Atribuída nova distinção à Adega Cooperativa Mais um prémio foi conquista- ção dos nossos vinhos. Há todo um es- do pela Adega Cooperativa de Vila forço conjunto em potenciar aquilo que Real, através de um dos seus vi- de melhor temos. Esta distinção surge na nhos. No VIII Concurso ACIC – sequência de outras, já conquistadas, an- Cidade de Coimbra, o “Cancelão teriormente, quer nos vinhos tintos quer tinto 2001” voltou a dar cartas e nos brancos”. ganhou uma Medalha de Prata. O “Cancelão” agora premiado teve ori- Trata-se de uma segunda distin- gem nas mais nobres castas da Região De- ção, em menos de dois meses, marcada do Douro, nomeadamente as cas- depois de ter obtido uma outra, tas Touriga Franca, Tinta Roriz, e Touriga no último “Wine Challenge”. Nacional. Foi feito um controlo rigoroso Em compita com centenas de de maturações e selecção durante a vin- vinhos, de todo o País, este tinto dima. A vinificação foi por desengace par- “surpreendeu” o júri e arrebatou cial das uvas, com fermentação em curti- esta distinção. menta, com maceração prolongada. A medalha é considerada, pelo Estagiou em barricas de carvalho portu- Presidente da Adega Cooperati- guês, cortado e “curado” por uma das va de Vila Real, Jaime Borges,“mais casas mais famosas da tanoaria nacional. um prémio que reflecte o traba- Tem uma cor rubi e revela frescura e in- lho de uma equipa de que fazem tensidade de aroma de frutas do bosque. parte os trabalhadores, os técni- A madeira surge indelével, equilibrada e cos, os enólogos e os associados. não prejudica as boas qualidades senato- Foi mais um passo, dado na di- riais do vinho. recção da qualidade e de afirma- Jmcardoso
    • 8 local 17 agosto 2006 a voz de trás-os-montes EM MOUÇÓS EM GUIÃES Festa de Nossa Senhora Decorreu a Festa do Senhor da Pena Mais uma edição desta Festa, amplamente conhecida no país dos Aflitos e no estrangeiro, vai realizar-se, de 8 a 11 de Setembro, em Mouçós, este ano com organização de Magarelos. Mais uma vez, de 4 a 7 de Agosto, tive- Da Festa se conhece bem a magnífica série de andores. Mas ram lugar, em Guiães, as tradicionais fes- o programa da Festa tem pormenores que valem bem a pena tas em honra de Nosso Senhor dos Afli- serem vividos. tos que se iniciaram, na sexta-feira, com Na sexta-feira, dia 8, com os primeiros sons musicais a ser a exibição do Rancho Folclórico da As- emitidos, pela aparelhagem da Ideal Rádio Serafim, ocorrerá, sociação Cultural e Recreativa de Gui- às 21 horas, a já tradicional Procissão de Velas. Uma hora de- ães, da nóvel Banda Filarmónica do Colé- pois, outra tradição vai surgir: o Festival de Folclore, desta gio Salesiano de Poiares e de um animado feita com os grupos de Vilarandelo, Constantim, Lage e Carro espectáculo de Cantares ao Desafio. É Queimado. justo salientar a extraordinária actuação O sábado despertará com uma salva de morteiros, anuncia- da Banda dos Salesianos, constituída por dora da Feira de Gado. A partir das 8 horas, o recinto será 38 jovens elementos, oriundos das várias animado pelos Grupos de Bombos “Águias da Lage” e “Relâm- freguesias da região, pela alta qualidade pagos de Sanguinhedo”. demonstrada na interpretação dos temas Às 9 horas, será celebrada Missa. E, às 10 horas, dará entrada apresentados, dos quais destacamos “Fan- a banda de Música de Sanguinhedo. tasma da Ópera”, “Xutos” e “Centená- Depois da Feira do Gado e do Concurso Pecuário, dedicado rio”. ao Maronês, haverá duas corridas: uma Pedestre e outra Eques- Os festejos prosseguiram, com desta- tre (Modalidade passo travado). que para a vertente religiosa, caracteri- Depois da actuação de um Grupo de Concertinas, a noite zada pela genuína devoção popular que, ao longo dos anos, vem sendo respeitada, de todos os crentes e devotos. episódios da juventude que, com o de- será animada pelo conjunto “Império Show” e por uma sessão por residentes e forasteiros. Na manhã No que diz respeito à componente pro- correr do tempo, se tornam, cada vez de fogo de artifício, à meia-noite. de sábado, a Procissão saiu, da Igreja Ma- fana, assistiu-se, no sábado, à realização mais, nostálgicos, reforçando laços de sin- O domingo vai contar com a presença de mais Ranchos triz, em direcção ao Santuário de Nosso de vários Jogos Populares, com elevada cera amizade. Folclóricos (com destaque para as “Lavradeiras de São Marti- Senhor dos Aflitos, para regressar ao pon- participação, e, à noite, à realização de O suporte musical de base esteve a nho da Gandra”, Bombos, Bandas de Música (Sanguinhedo e to de partida, já completa, por incorpo- um agradável e colorido espectáculo de cargo da Aparelhagem Sonora dos Irmãos Mateus), Fanfarra dos Bombeiros Voluntários da Cruz Verde ração dos andores de Santa Bárbara e de pirotecnia. Nas noites de sábado, domin- Félix e da Banda Musical de Lalim. (Vila Real) e o conjunto “Repúblika” que animará o arraial, Nosso Senhor dos Aflitos. No domingo, go e segunda, assistimos a animados bai- A Comissão de Festas não deixou os havendo nova sessão pirotécnica, à meia-noite. ponto alto das cerimónias religiosas, a les, abrilhantados por alguns conjuntos seus créditos por mãos alheias. Organi- De notar que, para além da Missa matutina, para cumpri- Procissão percorreu as principais artéri- musicais que registaram grande adesão zou com eficiência e profissionalismo um mento do preceito dominical (às 8 horas), terá lugar a Missa as da freguesia, tendo-se quedado, por al- popular. evento desta natureza que, para além das Solene (às 12 horas), presidida pelo Pároco da Freguesia e abri- guns momentos, no Largo do Eirô, para, De salientar o reencontro de muitos responsabilidades financeiras que acarre- lhantada pelo Coro Misto de Mouçós. A Procissão (número aí, ser proferido o tradicional sermão, da conterrâneos e conterrâneas, emigrados, ta (dependendo em muito da generosi- maior da Festa que costuma atrair muitas pessoas, de todo o sacada da Capela de Nossa Senhora do em vários países, bem como o convívio, dade de todos), implica trabalho, inco- país) decorrerá a partir das 17.30 horas de domingo. Loreto. Na segunda-feira, último dia fes- sempre salutar, que esses momentos pro- modidades e, até, algumas críticas Na segunda-feira, dia 11, haverá sardinhada e a actuação do tivo, a parte religiosa teve o seu encerra- porcionam. A ausência prolongada, por malévolas, por parte daqueles que nada conjunto “Impacto”. mento, com o regresso dos andores de anos de trabalho a fio, árduo e difícil, é fazem. De referir, ainda, as participações dos cançonetistas Saul (às Santa Bárbara e de Nosso Senhor dos mitigada por estes contactos anuais. Al- 16 horas de sábado) e Mónica Sintra (às 16 horas de domingo). Aflitos à Capelinha, onde as imagens fo- guns deles revestem-se, mesmo, de gran- José Eduardo Varandas dos Santos ram recolocadas no altar, para adoração de emoção e significado, pelo reviver de COM QUATRO GRUPOS PRESENTES V Festival de Folclore EM ARNADELO da Campeã Com o propósito de divulgar as tradições mais enraizadas Festa de Nª Senhora dos Remédios na cultura do nosso povo, a Associação Etnográfica de Música e Folclore da Campeã vai levar a efeito o V Festival de Folclore A Festa de Arnadelo em honra de Nos- da Campeã, depois de amanhã (sábado), pelas 21 horas, no sa Senhora dos Remédios assumiu tam- lugar da Feira. Estarão presentes a Associação Etnográfica de bém, este ano, o carácter de “festa rija”. Música e Folclore da Campeã, o Rancho Folclórico e Recreati- Os festejos tiveram início no dia 4 e pro- vo de Godim – Régua, o Rancho Folclórico de Borbela – Vila longaram-se pelos dias 5 e 6 de Agosto. Real e o Rancho da Associação Recreativa e Cultural de Paçô Na sua componente religiosa, realizou- – Arcos de Valdevez. -se, logo no primeiro dia, a habitual pro- Lino Carvalho cissão de velas, na qual participaram vári- as dezenas de devotos. O segundo dia foi preenchido com os tradicionais jogos po- NO TEATRO DE VILA REAL pulares, intervalados e animados pelo Grupo de Cantares de Cever. À noite, actuou o Grupo Musical “Banda Larga”. Concerto com os romenos No terceiro dia, depois da alvorada de morteiros, seguida da arruada de bom- da “Fanfare Ciocarlia” bos executada pelos “Zés Pereiras” da própria aldeia “Os verdes”, pelas 9 horas, Depois de amanhã, o Teatro de Vila Real apresenta aquele actuou a já conceituada e agora renova- que é um dos momentos mais altos do ciclo “Concertos de da Banda de Música da Cumieira. Às 17,30 Verão”. Trata-se da actuação da banda de metais romena “Fan- horas, teve lugar a Missa na capela princi- fare Ciocarlia”, formação que tem uma legião de fãs pelo mun- pal, celebrada pelo Pároco da Freguesia cissão teve a duração de duas horas, apro- Pudemos constatar mais uma vez, que do inteiro e que desloca público de grandes distâncias para de Torgueda, solenemente cantada e par- ximadamente, com uma paragem no alto não é fácil realizar um evento desta na- assistir aos seus espectáculos. Com apenas dois concertos agen- ticipada por muitos fiéis a Nª Senhora dos do Castelo de Arverim, justificada pelo tureza como foi a Festa de Arnadelo, para dados para Portugal continental (no teatro vila-realense e, no Remédios. No final, seguiu-se a procissão percurso, algo íngreme e sinuoso. Muitos mais, concorrendo com outras festas vi- outro extremo do País, em Albufeira), é um concerto que cor- composta por cinco andores majestosa- foram os acompanhantes que quiseram zinhas, que se realizavam em simultâneo, responde a uma oportunidade inadiável. mente decorados com flores naturais, participar nesta cerimónia. Cantando e re- por isso, o que aconteceu deve-se a um A “Fanfare Ciocarlia”, formação cigana, tida como uma das como vai sendo tradição, e várias figuras zando, puderam também contemplar a povo generoso e participativo, sem es- bandas de metais mais rápidas do mundo, venceu o prémio religiosas representadas pelos mais pe- paisagem de rara beleza que daquele sítio quecer o esforço de todos os elemen- “BBC World Music 2006”.Tornou-se conhecida, sobretudo, pela quenos, que de uma forma mais ou me- se pode desfrutar. À meia-noite em pon- tos da comissão que, assim, estão de pa- participação em alguns dos filmes mais famosos de Emir Kus- nos divertida ou sofrida, davam esplen- to, teve lugar o arraial com fogo de artifí- rabéns. Bem hajam! turica (“Gato Preto, Gato Branco” e “Underground”). dor e muita animação. Esta cerimónia cio. A festa terminou com a actuação do Doze músicos em palco, dez metais e duas percurssões, uma terminou, como sempre acontece, com Grupo Musical “Ricardo Nascimento e Vítor Olo noite em que o som e a festa não param! uma forte descarga de morteiros. A pro- Carlos Manuel” que tocou pela noite fora.
    • a voz de trás-os-montes 17 agosto 2006 local 9 EM DEFESA DA MANUTENÇÃO DAS VIAS-FÉRREAS alijó “Os Verdes” visitaram a nossa EM SANFINS DO DOURO região, de comboio Apresentada a peça “A Maluquinha de Arroios” Maria Meireles O Núcleo Teatral de Sanfinense, seguindo uma tradição antiga, levou à cena, no Salão dos Bombeiros Voluntários de Sanfins do Douro, no dia 9 de Agosto, na véspera da romaria de Nossa Senho- Em visita aos distritos ra da Piedade, a peça de André Brun, “A Maluquinha de Arroios”, de Vila Real e contando, para o efeito, com o apoio da Câmara Municipal de Alijó. Estreada em 1919, no Teatro da República, esta peça é uma co- Bragança, o Partido média / sátira de costumes da sociedade lisboeta da época. Como habitualmente, a representação esgotou o recinto, arran- Ecologista “os Verdes” cando gargalhadas e aplausos, de pé, no final da representação. contactou com as populações locais, autarquias e os BIBLIOTECA MUNICIPAL DE ALIJÓ respectivos Governos Estrutura com obras de Civis, com o intuito de os sensibilizar remodelação para a importância Iniciadas há cerca de um mês, as obras na Biblioteca Municipal de da manutenção das Alijó andam a bom ritmo, prevendo-se que estejam concluídas, no final do mês de Agosto, a tempo do início do próximo ano lectivo. linhas ferroviárias, Inaugurada em 5 de Setembro de 1991, num antigo edifício que altura em que servira de 1.ª Cantina Escolar do País, a Biblioteca Municipal de Alijó foi das primeiras a integrar a Rede de Leitura Pública. avançaram com a Chegou a hora de remodelar este edifício, tão querido da popu- informação de que lação do concelho, substituindo o telhado e dotando-a de melhores condições. apresentarão, na Manuela Cunha liderou a comitiva, composta por três dezenas de pessoas Outra obra importante prende-se com a informatização (com a mais avançada tecnologia de Internet sem fios, ficando todo o espa- Assembleia da ço do edifício, tanto no interior como no exterior, coberto por esta República, a proposta boio. ída a barragem que inundaria as linhas-férreas”, concluiu o valência). No final da reunião com o a linha-férrea do Tua. edil. As obras irão continuar, futuramente, com a remodelação interi- de classificação do Governador Civil de Vila Real, Confirmando a ideia, avan- Já António Martinho, Gover- or do edifício e a substituição do mobiliário. Vale do Tua como a militante explicou que, para çada por “Os Verdes”, de que nador Civil de Vila Real, vol- além dos encontros com as as populações e forças locais tou a lembrar que “neste mo- paisagem protegida. populações, pelas quais afir- defendem a manutenção das mento, não há qualquer mou terem sido “muito bem linhas, Nazaré Pereira, Vice- decisão tomada. Logo, não No âmbito da realização da acolhidos”, e com as entida- Presidente da Câmara Muni- deve haver alarmismo. Foram valpaços iniciativa “Pelo comboio é que des responsáveis locais, a ini- cipal de Vila Real, referiu que feitos, apenas, alguns estudos vamos”, o Partido Ecologista ciativa ainda foi palco de ou- a autarquia “está atenta ao que estão a ser analisados, ago- “Os Verdes” percorreu vários tras medidas, como a problema” e disponível, “para ra, em termos políticos”. PELA ORQUESTRA DO NORTE concelhos da região trans- apresentação pública de um encontrar soluções que viabi- Apesar de recordar a ine- montana, com o objectivo de manifesto que pretende ser lizem a manutenção da Linha xistência de qualquer decisão Concerto foi um sucesso sublinhar a importância da um apelo para a união da re- do Corgo”, acrescentando que oficial, António Martinho adi- manutenção das linhas ferro- gião, contra a possibilidade de “não nos passa pela cabeça antou a sua posição, em favor Teve lugar, no dia 12, à noite, um concerto de música clássica, viárias do Corgo, Tua e Tâme- encerramento das linhas fer- que seja tomada uma atitude, da manutenção dos caminhos- executado pela Orquestra do Norte. O tema foi dedicado aos “Gran- ga, passando pela cidade de Vila roviárias. sem que seja ouvida a autar- -de-ferro: des Clássicos Musicais do Cinema”. Real, no dia 14, altura em que “Valeu a pena, porque esta- quia”, lembrando que ainda “O Governo Civil continua Este concerto teve lugar, na Praça da República, em frente à Igre- os seus elementos reuniram mos a ver as populações a não foi comunicada, oficial- a defender a importância das ja Matriz de Valpaços, tendo resultado num grande sucesso, para o com a autarquia e com o Go- mexer-se”, frisou Manuela mente, qualquer intenção de linhas férreas, como meio de numeroso público que a ele assistiu. A Orquestra foi dirigida pelo verno Civil. Cunha, adiantando, no entan- encerramento da linha. No transporte e ligação com o Maestro Herman Brewer, verificando-se a intervenção da Soprano “O comboio pode ser uma to, que a actuação do partido entanto, caso isso venha a exterior”, sublinhou, frisando, Miriam Sharoni. Ambos foram muito aplaudidos. resposta, para o futuro, em não irá ficar por esta visita e acontecer, “a prioridade é mesmo, que “deve ser um ser- A Orquestra do Norte, criada em 1992, tem desenvolvido um termos de segurança, menos pela sensibilização dos trans- manter este serviço de trans- viço melhorado, sobretudo importante projecto de descentralização da música erudita.A reali- poluição ambiental, poupança zação deste concerto, em Valpaços, foi ao encontro dos objectivos montanos, afectados pela portes, através de parcerias para fins turísticos. Defende- energética e desenvolvimento partilhados pela Autarquia e pela Associação Norte Cultural, em “morte” dos comboios, já que, entre entidades públicas e pri- mos a reactivação do troço regional”, salientou Manuela promover o desenvolvimento da cultura musical, assim como a des- como adiantou, o partido irá vadas. entre o Pocinho e Barca centralização das actividades culturais de grande qualidade. Cunha, uma das responsáveis apresentar, na Assembleia da “Estamos abertos a qual- D’Alva, uma decisão que espe- A Orquestra do Norte integra profissionais de reconhecido mé- que liderou a comitiva, com- República, já no mês de Setem- quer modelo possível, a qual- ramos venha a acontecer, du- rito e tem, habitualmente, a colaboração de prestigiados Maestros, posta por cerca de três deze- bro, uma proposta para que o quer proposta. Lançamos, rante as comemorações dos Solistas e Coros nacionais e estrangeiros que permitem a interpre- nas de pessoas que, durante Vale do Tua seja classificado mesmo, um desafio às entida- 250 anos da Região Demarca- tação de um repertório variado, incluindo Concertos Sinfónicos, uma semana, visitaram a re- como paisagem protegida, evi- des locais, para que se consiga da do Douro”, concluiu o Go- Concertos Didácticos e Pedagógicos, Ópera, Bailado e Música de gião, viajando, sempre, de com- tando, assim, que seja constru- manter e, mesmo, revitalizar, vernador Civil vila-realense. Câmara.
    • 10 REGIÕES 17 agosto 2006 a voz de trás-os-montes vila pouca de aguiar EM 2007 NO RIO TORNO Duas praias fluviais para Cardume de bogas e escalos um concelho sem nenhuma transferido Apesar da riqueza de recursos hídricos do concelho e das toalhas naturais de água ao ar livre, o concelho de Vila Pouca João Cláudio de Aguiar não tem qualquer praia fluvial. Para colmatar esta carência, o Município local vai criar, de uma assentada, duas. Uma na barragem da Falperra e outra no rio Torno, em Vido- edo. Para já, está a preparar uma candidatura à Comissão de Numa zona do rio Coordenação da Região Norte, CCDRN. Já foram recolhidas amostras, nos dois locais, para posterior análise e aprovação. Torno, em risco de Os locais escolhidos revelam condições naturais para o turis- secar, milhares de mo de lazer e ficam integrados em zonas de paisagem natural. O Presidente da Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar, peixes foram Domingos Dias, referiu-nos a importância destes equipamen- tos : “É sabido que o concelho não tem qualquer praia fluvial e sujeitos a uma daí termos apostado em duas candidaturas, uma na Falperra e outra em Vidoedo, no rio Torno. O dossier está a ser prepara- operação de do, para ser proposto à CCRN. Recentemente, tiveram uma mudança, para uma zona mais a reunião, no sentido do licenciamento destas futuras praias flu- viais. Julgo que, em 2007, Vila Pouca de Aguiar terá duas praias fluviais”. O edil aproveitou, ainda, tendo em conta a ocorrência de jusante do rio, no alguns afogamentos, em zonas do concelho, para esclarecer concelho que a edilidade não tem responsabilidade na segurança desses espaços: “É preciso distinguir as coisas. As praias obrigam ao aguiarense. Parceria de entidades públicas na operação ocorrida junto a Gouvães da Serra cumprimento de regras e princípios, para funcionar.Temos ape- nas parques de lazer, junto aos rios ou lagos. Só depois da cri- Milhares de peixes foram SEPNA – Serviço de Protec- muniram-se de redes, recipi- mara e da GNR) como sendo ação das praias fluviais é que serão fomentadas condições de salvos, devido à pronta trans- ção da Natureza e do Ambi- entes e outros equipamentos, “um bom exemplo de parce- segurança. As pessoas estão lá, continuam a utilizar os espaços ferência do cardume, desde ente, foi efectuada, na quarta- para transferirem o cardume ria na conservação da nature- aquáticos, mas são avisadas de que não há vigilância, através de uma zona, praticamente seca, feira, com a mudança em cerca de peixes, em grande parte za”. avisos e editais, pelo que não podem tomar banho” – concluiu. do rio Torno, situada junto à de cinco mil peixes, para ou- composto por Bogas e Esca- A comunicação entre res- ponte de Gouvães da Serra, de tro ponto do mesmo rio. los. ponsáveis na defesa do patri- Jmcardoso montante, para outra, mais a Logo de manhã, as equipas Presente no local da opera- mónio ambiental mostrou-se jusante, onde não existe o pe- dos guardas auxiliares da sec- ção de mudança, o vice-presi- efectiva e benéfica, com o sal- rigo de ali o rio Torno secar. ção de caça, pesca e floresta e dente do Município de Vila vamento de milhares de pei- A operação conjunta do outros funcionários da Câma- Pouca de Aguiar, Alberto Ma- xes. Município de Vila Pouca de ra Municipal e a equipa de pro- chado, sublinhou a interligação “SEPARAR VAI COLAR” Aguiar e da GNR através do tecção e floresta da GNR das referidas equipas (da Câ- Supermercado recebe inicitiva A partir do dia 17 de Agosto, “Separar Vai Colar”, a mais DEBATE E VISITA A EXPLORAÇÕES recente acção de sensibilização da Sociedade Ponto Verde, vai estar na loja Ecomarché de Vila Pouca de Aguiar, concelho per- tencente à área geográfica onde a RESAT, que integra o Siste- Agricultura biológica incutida ma Ponto Verde, exerce actividade. A Sociedade Ponto Verde lançou a iniciativa “Separar Vai Colar” com os objectivos de estimular a participação dos por- aos produtores tugueses na separação e deposição de embalagens usadas nos ecopontos e, simultaneamente, demonstrar a eficácia do Siste- ma Ponto Verde. ram conhecimento do concei- João Cláudio Esta acção que vai decorrer, até ao final do ano, nos hipers e to, objectivo, razões para con- supermercados de Norte a Sul do País, irá, quinzenalmente, sumir e certificação dos pro- atribuir 100 prémios aos portugueses que enviam para recicla- dutos, bem como a gem as suas embalagens usadas. A vila termal de reconversão em agricultura Segundo Luís Veiga Martins, Director-Geral da SPV, a nova Pedras Salgadas biológica e o conhecimento da legislação existente. campanha “lança um desafio à população. Trata-se de uma es- pécie de jogo em que até os mais cépticos vão gostar de parti- recebeu técnicos e Com abóboras, batatas, to- cipar. Queremos continuar a sensibilizar os portugueses e, si- participantes, ligados mates ou pimentos dispostos na sala, esta sessão de infor- multaneamente, provar-lhes que todo este sistema é real e funciona”. ao mundo rural, com mação serviu de incentivo ao Em cada local, de quinta-feira a sábado, uma equipa de moni- o intuito de tomarem não abandono dos terrenos com a produção de produtos tores da Sociedade Ponto Verde, devidamente identificada, es- tará na linha das caixas de saída a abordar os consumidores e a conhecimento teórico de qualidade que permite me- distribuir folhetos informativos acerca da acção. e prático sobre as lhores condições aos produ- Os monitores colocam autocolantes nas embalagens de al- tores e melhora, naturalmen- guns produtos, registando num terminal informático o nome e mais valias dos te, os solos existentes. contacto dos participantes, associando-os assim ao código de produtos biológicos. A sessão de informação decorreu no salão do Centro de Serviços Públicos Depois da parte teórica e barras visível no autocolante. Até ao final do ano, a Sociedade de um almoço convívio, a co- Ponto Verde estima colocar cerca de 4 milhões de autocolan- Pouca de Aguiar, com o apoio ológica para o desenvolvimen- mitiva foi visitar explorações O Centro de Serviços Pú- tes. da associação “Aguiarfloresta”, to rural concelhio. agrícolas, mais concretamen- blicos, em Pedras Salgadas, foi A “Separar Vai Colar” permitirá aos consumidores acompa- da Sativa – Empresa de Certi- De alguns milhares de agui- te uma propriedade onde se o “terreno” escolhido para nhar o processo de reciclagem pois se as embalagens com au- ficação de Produtos Biológicos arenses que estão ligados à produz avelãs e outra de bo- uma sessão de informação às tocolante (devidamente colocadas nos ecopontos) forem en- e da Junta de Freguesia de agricultura, contam-se pelos vinos e ovinos. Os participan- pessoas do mundo rural que contradas nas estações de triagem, o consumidor que as Bornes de Aguiar, este semi- dedos os que apostam nos tes ouviram as explicações dos possam estar interessadas na colocou no ecoponto é premiado por não ter quebrado o nário juntou, no sábado, agri- produtos biológicos. É um sec- produtores e técnicos que produção de agricultura bio- ciclo de vida da embalagem. Os premiados receberão uma visi- cultores, técnicos e outros in- tor com uma ampla margem motivaram a investir no res- lógica que ainda está pouco ta dos monitores da Sociedade Ponto Verde, para entrega do teressados a debater a de crescimento e, neste semi- pectivo sector. implementada na região. prémio escolhido. Através do Município de Vila importância da agricultura bi- nário, os participantes toma-
    • a voz de trás-os-montes 17 agosto 2006 regiões 11 vila pouca de aguiar mondim de basto COM ORIENTAÇÕES DA DREN FEIRA DE S. BARTOLOMEU Carta educativa Concurso Pecuário do Bovino Maronês com “visão de futuro” Integrado nas festividades em honra de S. Bartolomeu e com o objectivo de promover a raça Maronesa, assim como o espa- ço rural onde se integra, a Junta de Freguesia do Bilhó, o Par- João Cláudio que Natural do Alvão e a Associação de Criadores de Maro- nês, unem-se, mais uma vez, para realizar o Concurso Pecuário do Bovino Maronês. A Carta Educativa A 24 do mês de Agosto, sob a orientação e regulamentação dos serviços competentes, o referido concurso, realizar-se-á do Município de Vila no lugar do Bilhó, com o seguinte horário: Concentração do Pouca de Aguiar já gado e inscrições (10 horas); Avaliação dos animais, pelo júri (11.30 horas); Entrega de prémios (12.30 horas). foi aprovada, pelo O número de taças atribuídas será de quarenta e um e o Conselho Municipal valor monetário a distribuir será, aproximadamente, de seis mil euros. Haverá um prémio de presença, a cada animal parti- de Educação e pela cipante e não premiado, no valor de vinte e cinco euros. Assembleia Municipal. Foi concebida de “2. º RED BULL FLUGTAG” acordo com a DREN – Direcção Equipa de mondinenses Regional de é uma das finalistas Educação do Norte. O documento permite aos alunos completar a escolaridade obrigatória em escolas da sua área de influência A criatividade está em alta, no nosso país. E, para o provar, basta ver o entusiasmo das 603 equipas que se inscreveram na O Conselho Municipal de educativa, análises e projec- lações”. Ainda segundo o concelho de Vila Pouca de 2.ª edição portuguesa do “Red Bull Flugtag – O Dia das Asas”. Educação e a Assembleia Mu- ções demográficas que sus- documento, o funcionamen- Aguiar que não pertence a Agora, chegou a altura dos 50 finalistas, com destaque para a nicipal aprovaram a Carta tentam as previsões na pro- to de rede “será facilitado, se qualquer Agrupamento. participação de uma equipa de Mondim de Basto (“Red Bull Educativa do Município de cura de ensino e, por último, os Agrupamentos de Escolas Quanto à delimitação, de Baby”), passarem as suas originais propostas do papel para a Vila Pouca de Aguiar que visa o plano de actuações, com coincidirem com os territó- acordo com a DREN, passa realidade. o planeamento escolar do base nos critérios de reor- rios, permitindo aos alunos a existir o Território Educa- 603 equipas aceitaram o desafio, lançado pela “Red Bull”, em concelho, até 2013. O estu- denamento da rede educati- completar a escolaridade tivo Norte, com a escola nu- Abril passado. Sem esquecer as regras do jogo, os candidatos do foi realizado pelo Institu- va. obrigatória em escolas da sua clear EBI de Pedras Salgadas preocuparam-se, sobretudo, com as aparências, trabalhando to Superior Técnico e segue ideias e conceitos, capazes de suportar um projecto criativo e O relatório do estudo re- área de influência”. e o Território Educativo Sul, as orientações da DREN – funcional. fere que se deve adoptar No concelho de Vila Pou- com a adaptação da EB2/3 na Direcção Regional de Educa- uma “visão de futuro”, com ca de Aguiar, existem, actual- escola nuclear EBI de Vila ção do Norte. planeamento, para responder mente, dois Agrupamentos Pouca de Aguiar. Estas terão O documento está orga- aos desafios da educação que escolares: Vila Pouca de Agui- de assegurar a cobertura nizado em três partes, desig- são “factor vital de competi- ar Sul e Vila Pouca de Aguiar concelhia. nadamente a caracterização tividade e da capacidade de Norte. A escola do 3.º Ciclo do concelho e actual rede atracção e fixação das popu- e Secundário é a única do BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS COM FALTA DELAS Duas ambulâncias estão paradas por causa da burocracia “É uma situação que nos “Sem verbete, não a pode- que sentimos muito a falta de Jmcardoso preocupa, pois precisamos mos enviar à respectiva vis- ambulâncias. O concelho é das viaturas e, por questões toria, para ser aprovada, grande, as solicitações são A necessitar de burocráticas e por alterações como veículo de transporte muitas, e, por vezes, sentimos ambulâncias, os regulamentares, não as po- de doentes” – acrescentou dificuldades em dar resposta Bombeiros Voluntários demos usar. Também se re- aquele Dirigente. cabal” – sublinhou Eduardo Perante a diversidade de propostas e tendo em conta o bi- gista um diferendo, entre a A outra ambulância é do Quinteiro. de Vila Pouca de Liga e o Serviço Nacional dos INEM, é de 1998. Está para- Apurámos, entretanto, jun- nómio criatividade/reais possibilidades de voo, o júri do even- Aguiar têm duas à Bombeiros, em relação à vi- da, desde 2004. to do INEM, que já foram es- to seleccionou 50 equipas, para a final nacional: 23 vêm do Distrito de Lisboa, cinco do Porto, quatro de Coimbra, três de mão, mas não as atura nova” – disse-nos o “Era costume, quando tabelecidos contactos, entre Aveiro e duas dos Distritos de Setúbal, de Castelo Branco e da podem utilizar. Uma Presidente da Direcção dos acontecia a substituição por esta instituição e a Direcção Guarda. Os distritos de Santarém, de Vila Real, de Beja e de Bombeiros locais, Eduardo uma nova (o que sucedeu, em dos Bombeiros de Vila Pou- vai apodrecendo, nas Quinteiro. Segundo o mes- 2004), o INEM oferecer a ca, para a resolução deste Faro estão, cada um, representados por uma equipa. A construção das máquinas será acompanhada de perto pela instalações, por falta mo responsável, “a nova am- usada à Corporação. Porém, caso. Entretanto, no que se organização, garantindo que todas as regras e que os procedi- de autorização do bulância foi adquirida, em apesar do nosso pedido, tal refere à ambulância nova, já mentos de segurança são respeitados. Quanto a resultados, Dezembro de 2004, ainda cir- não aconteceu. Ou seja: a vi- entrou nos serviços jurídicos INEM. Outra, nova em culou algum tempo, mas teve atura está a apodrecer. O da Liga Nacional de Bombei- será preciso esperar pelo dia 9 de Setembro, sendo certo que haverá dragões, borboletas, submarinos e, até, uma padeira de folha, aguarda o aval de parar, devido à nova legis- motor ainda trabalha, porque ros uma exposição, sobre a Aljubarrota voadora! do INEM e a posterior lação, respeitante à homolo- nós, de vez em quando, acci- situação de impasse que im- A grande final do “Red Bull Flugtag – O Dia das Asas” pro- aprovação da gação de viaturas”. Daí, onamos a ignição e coloca- pede a sua utilização. mete momentos hilariantes. O acesso ao evento é livre e, a faltar o respectivo averba- mo-la a trabalhar, durante julgar pelo número de espectadores que acompanharam de Direcção Geral de mento e a respectiva homo- uns minutos. Ora, nós temos perto a última edição – 40.000 – tudo aponta para um verda- Viação, DGV. logação da viatura. um parque de viaturas em deiro banho de multidão.
    • 12 REGIÕES 17 agosto 2006 a voz de trás-os-montes alfândega da fé peso da régua “FUNZONE VILLAGE DOURO” “SALDOS DE VERÃO” Promotores reuniram com a ACIR organiza API O projecto “FunZone Village Douro” trouxe a Alfândega da Fé o Vice- mais um certame Presidente da API (Agência Portuguesa para o Investimento), Ivo Cruz, o qual esteve na vila transmontana para uma reunião de trabalho com os Como vem já sendo hábito, nes- as serão uma constante nesta acção, merciais. promotores do projecto e com diversos responsáveis por instituições go- ta altura do ano, a ACIR encontra- a convidar os clientes e transeun- O principal objectivo dos even- vernamentais no distrito. Aproveitando a deslocação do Presidente da se a comemorar mais uma acção tes locais a usufruir dos preços es- tos preparados para os próximos Companhia Inglesa, Chaby Rodrigues, reuniram-se os promotores do promocional, os “Saldos de Verão”, pecialmente reduzidos pelas lojas meses é complementar a oferta do projecto, a Câmara Municipal, a API, a Direcção Regional de Agricultu- iniciada a 7 de Agosto e que se es- comerciais: sapatarias, boutiques, Comércio Tradicional, revitalizan- ra, a Região de Turismo, o Governo Civil e a entidade nomeada no âm- tende até ao dia 31 de Setembro, lojas de acessórios, entre outros. do-o, modernizando-o e criando bito da CAPIN (Comissão de Acompanhamento e Avaliação de Projec- em prol da visibilidade dos estabe- À semelhança de anteriores co- momentos de contacto com o con- tos PIN), como dinamizadora do projecto. Esta entidade que, no fundo, lecimentos do Peso da Régua, San- memorações a ACIR espera a pre- sumidor através da divulgação da será o equivalente a um gestor nacional do projecto, no âmbito da CAA- ta Marta de Penaguião e Mesão sença de um número de visitantes oferta de novos produtos e servi- PIN, tem como responsável Ricardo Magalhães, Vice-Presidente da Frio. superior aos valores registados nos ços. Os principais visados neste CCDR – Norte. Esta reunião serviu para fazer o ponto da situação, rela- As grandes promoções a preços primeiros meses do ano, procuran- projecto são os empresários e os tivamente ao empreendimento. surpreendentes chegaram ao Co- do divulgar a oferta comercial, indo consumidores finais. A Direcção da Recorde-se que o arranque da construção está previsto para o segundo mércio Tradicional e foram desta- sempre de encontro às origens tra- ACIR adianta que “os aderentes a trimestre de 2007. Daí que, nesta altura, se esteja a trabalhar, neste sen- cadas ao longo das ruas tradicio- dicionais. cada campanha irão ganhar um tido. Um ponto está assente: todos consideram este projecto como fulcral nais com cartazes apelativos e não Mas as novidades em prol do novo canal de distribuição publici- para o desenvolvimento de Alfândega da Fé e de toda a região. Daí, a descurando as grandes rebaixas de Comércio Tradicional não ficam tária, pois irão ter o seu produto ou necessidade de o distrito “falar a uma só voz”. preços que as lojas estão a praticar. por aqui. serviço disponibilizado num rotei- Mas a acção “Saldos de Verão”, en- Foi do conhecimento da ACIR ro que será distribuído por milha- contra-se, este ano, revestida de um que um projecto concebido no pri- res de consumidores a nível regio- carácter regional de grande festi- meiro semestre de 2006 mereceu nal, alargando com isso a sua vidade, uma vez que a ACIR pôde, por parte das Entidades Competen- presença comercial para outros ni- lamego mais uma vez, contar com o apoio tes o reconhecimento máximo de chos de mercado. Quanto ao con- dos Municípios de Santa Marta de aprovação, pelo seu carácter de ino- sumidor final este passará a poder Penaguião e Mesão Frio. Incorpo- vação e dinamização da actividade adquirir esses produtos a preços ESTARÃO PRONTAS EM 2009 rado este certame numa festa com empresarial através de uma forte com descontos especiais até ao Na- o objectivo de cativar as pessoas a vertente publicitária. tal. Da forma como a campanha Três praias fluviais visitarem as ruas tradicionais, os Assim, perspectiva-se para os está concebida consideramos este no horizonte preços baixos irão ser o mote desta campanha. Actividades publicitári- meses de Outubro a Dezembro for- tes iniciativas no seio das ruas co- como o projecto estratégico para o 2.º Semestre de 2006”. O concelho de Lamego vai ter, nos próximos anos, três praias fluviais. Este é o propósito do Município local, para colmatar uma carência que existe, ao nível desta infra-estrutura turística de lazer. “Queremos potencializar os nossos recursos naturais, nomeadamente mesão frio hídricos e colocá-los à disposição da população, numa perspectiva de fruição e como sensibilização dessas mesmas populações, para a impor- NUM EDIFÍCIO REQUALIFICADO tância desses recursos, quando preservados” - disse-nos o Presidente da Câmara Municipal de Lamego, Francisco Lopes. Assim, para o Lugar da Ponte, freguesia da Sé, está prevista uma praia, no rio Balsemão. Neste momento, já há um estudo prévio e decorrem negociações, para a Autarquia vai aquisição de terrenos das margens do rio. Será um espaço de lazer, com a particularidade de poder vir a ser uma praia citadina, dado estar situa- construir Auditório da a poucas centenas de metros do centro de Lamego. Mas, a norte, entre Penude e Arneirós, no mesmo rio, uma outra praia está prevista. O local será o açude que, neste momento, abastece de água a cidade e que possui Um dos projectos da condições naturais e paisagísticas de relevo. Porém, as obras só vão co- Câmara Municipal de meçar quando ficar concluída a construção da Barragem de Pretarouca, Mesão Frio, aprovado em integrada no Sistema Multimunicipal de abastecimento de água, das 2005, foi o da construção Aguas de Trás-os-Montes e Alto Douro. A outra zona de lazer fluvial de um Auditório Munici- está prevista para a Barragem de Bagaúste, na freguesia de Parada do pal. Este projecto faz Bispo. Aqui, a intenção é criar um espaço de banhos e condições para parte de um conjunto de acolhimento de embarcações. planos, previstos pela au- Se tudo correr como o esperado, em 2009, Lamego poderá disponibili- tarquia. A par da constru- zar três praias fluviais naturais, para a população do concelho. ção do Auditório Munici- pal, outras obras já Jmcardoso começaram a tomar for- ma. São os casos do Cen- tro de Saúde (que está a AUTARQUIA PREOCUPADA ser sujeito a obras de am- pliação), o Pavilhão Mul- Apelo ao consumo moderado de tiusos e a Biblioteca Mu- nicipal. água A construção do Audi- tório Municipal vem tra- A Câmara Municipal de Lamego apela a todos os lamecenses para que zer, à população, um es- reduzam ao máximo o consumo de água, adoptando boas práticas de paço cultural, uso. considerado essencial. Devem limitar, por exemplo, as regas de jardim ou a lavagem dos Um edifício situado no carros. Só assim será possível evitar as interrupções no abastecimento de Largo do Pelourinho foi o patrimonial e que se apre- O Auditório Municipal um ano, o Auditório Mu- água, durante este Verão. espaço contemplado para senta em estado de degra- irá comportar uma cente- nicipal de Mesão Frio se A Câmara Municipal de Lamego está a fazer um grande esforço para este empreendimento. dação. A reconstrução na de lugares sentados e encontre em funcio-na- evitar cortes de água, durante os meses de seca, através da recuperação Trata-se da reconstrução deste espaço pretende, sofisticadas condições mento. dos açudes do rio Balsemão, principal reserva estratégica de água do de um edifício muito an- também, devolver o mo- para o bem-estar de todos concelho. Esta intervenção permite a duplicação da capacidade de reser- tigo que possui um eleva- vimento e a animação à os que a ele se dirijam. va estratégica de água, para abastecimento público à cidade de Lamego. do valor arquitectónico e zona histórica da vila. Prevê-se que, dentro de
    • a voz de trás-os-montes 17 agosto 2006 regiões 13 sabrosa APOSTA NO AMBIENTE FALTA DE ÁGUA ETAR’s vão despoluir os rios Pinhão Quintas do concelho estão a ser afectadas e Ceira A ocorrência de anos de fraca precipitação está a afectar a parte sul ribeirinha do concelho de Sabrosa, em particular as O concelho de Sabrosa é módulos de tratamento com- quintas durienses. Os furos e minas das quais, antes, jorrava atravessado por dois rios im- pacto, com elevado nível de água potável, estão a secar. O problema, ainda que sem ser portantes (Pinhão e Ceira) depuração das águas residuais dramático, já afecta várias propriedades. Até agora, a Câmara que têm um impacto muito colectadas, ETAR’S, sistemas Municipal de Sabrosa está a ajudar a minorar os efeitos, com acentuado, no desenvolvimen- que ocupam pouco espaço, de recurso à utilização de viaturas de bombeiros, para colmatar to e na estabilidade socio-eco- manutenção fácil e de consu- esta carência. Porém, os custos são muitos e a edilidade, apesar nómica da região. Por isso, a mos energéticos baixos, per- de reconhecer este problema, nota que terão de ser os propri- valorização destes dois rios é mitindo, também, neste aspec- etários das quintas a resolvê-lo. factor fulcral e fundamental, to, assegurar, ao nível “Nós não temos condições, para estar a fazer uma distribui- para um desenvolvimento har- económico, os futuros custos ção de água, nestas situações. Terá de haver, também, algum monioso e sustentado do con- de exploração e serão imple- investimento dos proprietários, no sentido de se encontrar celho. Contudo, ao longo dos mentadas, contiguamente, às uma solução. Aliás, até na própria estrutura de abastecimento anos, as margens destes rios, fossas sépticas existentes. de água pública temos dificuldades” - disse o Presidente da situadas ao pé de populações, Ao abrigo deste projecto, Câmara Municipal de Sabrosa, José Marques. têm vindo a sofrer impactos prevê-se a construção de 28 Um dos casos mais evidentes afecta uma quinta de Gouvi- negativos, fruto de infiltrações ETAR’S que irão abranger to- nhas, situada no limite do concelho. Tudo por causa de uma nas linhas de água subterrâne- das as localidades situadas jun- nascente que secou. Sem mais recursos hídricos, os seus pro- as que afluem aos respectivos to às margens dos rios Pinhão prietários têm recebido ajuda da autarquia, no abastecimento rios, causadas pelas fossas sép- e Ceira. de água, mas a situação pode alterar-se. ticas que servem as popula- Segundo palavras do Presi- “No passado, houve, da parte do Executivo anterior da Câ- ções. dente da Câmara, José Mar- mara Municipal, aquando do abastecimento da água, a inter- A Câmara Municipal de Sa- ques, esta substituição das fos- venção do bombeiros na rede pública que estava em falta. Le- brosa, ciente desta problemá- sas sépticas por sistemas de vou-se a água àquela quinta. Este ano, estamos a fazer o mesmo. tica e da urgente necessidade tratamento adequado a cada Porém, não conseguimos suportar os encargos, pois que, siste- de a resolver, efectuou uma povoação vai romper com as maticamente, estamos a levar o precioso liquido para lá. Aliás, candidatura a fundos comuni- soluções inadequadas, adver- existem outras quintas, na região e no concelho, carenciadas tários (III Quadro Comunitá- sas e de forte impacto negati- de água potável. Serão os proprietários a ter de resolver o rio de Apoio), para poder in- vo no meio ambiente, pois que, problema. Nós não temos condições, para fazer uma distribui- ter vir nestas fossas. A para além de não terem o tra- ção, nestas situações. Terá de haver algum investimento dos intervenção visa, essencial- tamento mais adequado, são proprietários, no sentido de encontrar a solução. Queremos, mente, encerrar as fossas sép- um foco, por si só, de polui- por isso, com eles, colaborar e tentar encontrar solução” – ticas existentes, desinfectá-las ção do ar, dos recursos hídri- sublinhou p autarca. e proceder à sua anulação, cos e dos lençóis de água sub- Jmcardoso colocando, em substituição, terrâneos. montalegre murça TORNEIO DE CHEGAS DE BOIS BIBLIOTECA MUNICIPAL EM CABRIL Vitória final para Unidade móvel oferece A Festa de Música leitura à população Bagulhão A I Festa de Música de Cabril que decorreu em Agosto do ano passado foi um projecto que, para além do “rock”, também O projecto da Biblioteca Municipal de Murça – “Neste Verão teve incursões pelo “hip hop” e pela música electrónica nacio- escaldante, visite a Biblioteca, ao Volante” – visa proporcionar a nal. leitura aos murcenses e a todos aqueles que escolhem estas ter- «Este ano, amanhã e depois, a II Festa da Música de Cabril irá ras para passar os dias quentes de Verão. De segunda a sábado, ser completamente direccionada para o “rock” e, para além da todas as tardes, o “Bibliomóvel” desloca-se a uma sede de fregue- música, irá também abranger outras actividades lúdicas, no seu sia ou a uma praia fluvial, colocando à disposição da população espaço. várias revistas semanais e mensais, jornais regionais e diários naci- O programa da II Festa da Música de Cabril marca a diferen- onais, assim como livros. Durante 4 horas diárias, o público tem ça dos restantes festivais, por o seu alinhamento ser uma esco- oportunidade de usufruir da leitura, de se inscrever como utiliza- lha pessoal de Adolfo Luxúria Canibal (Mão Morta, Mecanos- dor da B.M.M., de requisitar livros para ler em casa, enfim, de phere). É composto, exclusivamente, por bandas nacionais que aproveitar melhor o tempo livre na companhia da Biblioteca Iti- têm vindo a dar que falar, nestes últimos tempos, no panorama nerante. musical do nosso país. Assim: amanhã, estarão presentes “The Vicious Five” (Lisboa), “Green Machine” (Barcelos) e “Veados com fome” (Santo Tirso). No dia 19, actuarão “Houdini Blues” (Évora), “Fat Freddy” (Porto) e “Smartini” (Taipas). Para além da música, a Festa de Cabril tem, ainda, um vasto leque de actividades lúdicas, ligadas aos desportos radicais: “sli- de”, “rappel”, “canyoning”, percurso pedestres e “paint ball”, para além de um conjunto de tasquinhas. A final do torneio de Chegas de Bois de raça barrosã che- Este evento tem como objectivo tornar cada um dos seus gou ao fim, com um espectáculo extraordinário. Frente a fren- visitantes um potencial turista da região, com vontade de vol- te, dois animais de excelente composição física que oferece- tar a Cabril e à sua área envolvente. Para isso, a organização ram, ao numeroso público, uma luta brava, para gáudio da plateia. desta Festa opta por uma divulgação e promoção de Cabril, Uma final muito desejada e que não desiludiu.A vitória foi para dando a conhecer a sua situação geográfica e a sua beleza pai- Trata-se de um projecto de promoção do livro e da leitura, Salto (tal como na edição anterior), mais concretamente para sagística, inserida no Parque Nacional da Peneda Gerês, fazen- inovador, que está a ter boa aceitação, por parte do público, de Bagulhão. O derrotado, da Aldeia Nova, foi um digno vencido. do dele uma mais valia, a nível cultural do concelho, distrito e, forma que a Biblioteca Municipal de Murça promete apostar mais Recorde-se que este evento foi realizado pela Associação Et- mesmo, do país. Foi desta forma que os Festivais de Vilar de em actividades de extensão cultural, durante o Verão, com vista à nográfica “O Boi do Povo”, com o patrocínio do Município de Mouros, Paredes de Coura, Zambujeira do Mar, Carviçais e divulgação dos seus serviços, à captação de novos utilizadores e à Montalegre. muitos outros começaram... promoção do livro e da leitura, no concelho de Murça.
    • 14 opinião 17 agosto 2006 a voz de trás-os-montes A. GOMES DA COSTA JOÃO CAVALEIRO Perdidos Os oitenta anos de Fidel no mar No dia 13 de Agosto, Fidel Castro vem do camarada Hugo Chavez que de chantagem, para denunciar a supos- Era uma pequena traineira de bandeira es- celebrou 80 anos de idade, assumin- mantém uma “ajuda” de 100.000 bar- tos inimigos estrangeiros e assim se panhola. A bordo, havia 9 homens na sua faina do-se como um ícone de longevidade ris de petróleo, por dia, em troca de perpetuar no poder. Não obstante esta política. Para o bem e para o mal. É 30 mil médicos e técnicos cubanos, constatada evidência, o líder cubano diária, lançando as redes, limpando o pescado, incrível, mas tudo começou com a re- para programas sociais, na Venezuela. continua a gozar de alguma condes- uns, cuidando do cerco para a captura da sar- volução militar, em 1959. Tanto tempo Destarte, uma palavra assume o en- cendência de alguns Governos ditos dinha e outros, limpando o frigorífico. no poder, mais que eternizar, fossiliza foque principal no vocabulário que defensores dos valores democráticos, De repente, o homem do leme avistou na as pessoas. rodeia os problemas cubanos: embar- provocando uma excitação mediática linha do horizonte uma embarcação cheia de A utopia revolucionária lançou Fidel go. Veja-se que, uma vez apagada a notável. gente que, de braços erguidos, acenava, de- para a cadeira do poder, a qual dele- chama revolucionária que já não entu- Sem prescindir, a contradição da jus- sesperadamente, como que a pedir socorro. gou pela primeira e única vez apenas siasma o povo, o embargo norte-ame- tiça democrática encontra-se no regi- A embarcação parecia estar à deriva – e esta- quando esta crise intestinal aguda com ricano parece não passar de uma jus- me de Fidel, até mesmo na sua última va. Conduzia dezenas de imigrantes que ti- hemorragia lhe tolheu a última réstia tificação para a penúria e para a decisão. Começou por sustentar os nham fugido, há vários dias, da Eritreia e de de resistência física. Fidel já resistiu a própria existência da ditadura. São fa- sonhos comunistas da geração de 60 Marrocos. Como tantos outros, buscavam o atentados, tropeções em discursos mosas as fabulosas praias de Cuba e, e, hoje, granjeia um anti-americanismo sonho da Europa. O barco estava perdido, no públicos e viu passar por si nove Presi- ainda que as ruas anunciem um retra- visceral que sustenta, ideologicamen- meio do Mediterrâneo. A bordo, já não havia dentes norte-americanos e, ainda hoje, to pitoresco, por detrás daquelas típi- te, o regime. Começou por lançar um comida, nem água. Entre homens, mulheres e advoga que “preferia que Cuba se afun- cas fachadas coloniais, escondem-se governo popular, assente na revolução. crianças, eram mais de 50 criaturas de Deus, dasse no mar das Caraíbas do que se casas com frigoríficos vazios, impreg- Mas, actualmente, subjugando a inteli- queimadas pelo sol, a cair de fome e mortifi- afastasse dos caminhos da revolução”! nadas de pobreza. O embargo passou gência ideológica comunista, cede ao cadas pela sede. Não iria demorar muito para Desde a década de 70 que o Mundo de problema a solução, uma verdadei- criticado favoritismo familiar e nomeia entrarem em estado de inanição. viu, com regozijo, o número de países ra bandeira em haste que carrega o um irmão. Com certeza que esta não A traineira espanhola aproximou-se. Bau- democráticos passar de 30 para cerca povo consigo.Assume-se como o bode será a justiça da revolução, não é o tista Molina, o “patrão”, tomou conhecimen- de 120 e Cuba manteve-se fiel a um expiatório de um país que, lentamen- sentido do poder do povo, mas sim o to do drama daqueles desgraçados. Só havia regime que resiste com um Partido Co- te, se enterra na pobreza e se susten- jugo da influência familiar. O poder nas uma solução, apesar da falta de espaço, a bor- munista único, com total controlo so- ta com uma beleza desmoronante e mãos do povo acaba por cair no caci- do da traineira: era pegar aquela gente e levá- bre os meios de comunicação social e com dinheiro enviado por familiares quismo do poder familiar. É a plena -la para a terra mais próxima, a Ilha de Malta. no qual um professor ganha a módica exilados em Miami. contradição do ideológico comunista De outra forma, todos acabariam morrendo, quantia de $ 8,5 dólares, por mês. Se, Mas esta motivação não consegue - ou talvez não - dependerá do ponto inexoravelmente. Molina não hesitou um após a Guerra Fria, foi Moscovo que esconder os dissidentes perseguidos, de vista. O Mundo aguarda por notíci- momento sequer e foi feito o trasbordo, com sustentou a investida revolucionária cu- encarcerados, humilhados e tortura- as, certo que regimes, feitos à medida a ajuda dos pescadores. Os africanos cola- bana, após 9 Novembro de 1989, com dos pelo regime. dos seus líderes, raramente subsistem, vam-se uns aos outros, no convés, não havia a queda do muro de Berlim, tudo se José María Aznar, no seu livro “Re- sem a pessoa que lhes deu vida… comida suficiente, nem lugar para dormir, a alterou, com a suspensão da ajuda mi- tratos y Perfiles”, conclui o seguinte: não ser em cima de sacos plásticos – mas litar soviética. Hoje, parte do auxílio Fidel utilizou o seu povo como moeda havia água potável... e estavam, por enquanto, salvos. As autoridades de Malta foram accionadas, para permitir o desembarque. Mas, ao sabe- rem da “carga”, recusaram o pedido. Que os CARLOS BOTELHO imigrantes ficassem no mar. Ninguém os cha- mara. Apelou-se, então, pela rádio, para o Governo de Madrid e para o Alto Comissari- ado das Nações Unidas para os Refugiados. Entretanto, quatro longos dias e quatro lon- O S. C. Vila Real merecia mais gas noites passaram, à espera da resposta. Uma mulher grávida e uma criança doente foram tiradas da embarcação – por um helicóptero, respeito enviado por Malta. Molina e seus companheiros de trabalho já Antes de mais, quero enaltecer o es- da. Ora, é claro que nada ou quase nada nhos do S. C.Vila Real, de cidades quem entravam em desespero. O esparguete esta- forço e a abnegação dos dois elemen- do que foi prometido, na altura, foi fei- nem de longe nem de perto se com- va a acabar, leite já não havia e a permissão tos da Comissão de Gestão, o Abel to. param à nossa, a viverem melhor, só para atracarem não chegava. Até que, final- Ferreira e o Nuno Augusto, que estão Meus amigos: para mim, o golpe mor- porque tiveram a sorte de ter pesso- mente, o Governo espanhol assumiu a res- a tentar evitar a morte trágica do em- tal foi dado, ao Sport Clube, em De- as de visão e, também, de paixão, por- ponsabilidade do resgate e venceu as resis- blema mais antigo de toda a região zembro de 1989, quando “expulsaram” que, acima de tudo, também, neste caso, tências maltesas. Foi concedida a licença para transmontana-duriense. o clube da cidade. Conheço quase to- faltou (e falta) essa paixão. o desembarque – e, no mesmo dia, aqueles Quando, no dia 20 de Maio de 1995, das as cidades deste país e, em quase Quanto aos apoios das empresas, o imigrantes foram, de avião, para a Espanha. aquando dos 75 anos do Sport Clube, todas elas, os estádios foram sendo que sabemos é que muitos contestam Ficaram apenas alguns que tiveram de ser acompanhei o meu saudoso pai ao Sa- melhorados, ao longo dos tempos. E, (e com razão) que o S. C. Vila Real já lão dos Bombeiros Voluntários da Cruz mesmo os que foram construídos de não pertence à cidade, outros nunca recolhidos ao hospital. Branca, onde lhe foi entregue o em- raiz, estão bem localizados, bem den- apoiaram, nem quando o clube era da Estava terminada a primeira fase de mais blema de prata, pelo também já desa- tro do meio urbano, porque foram cidade, e outros são “pára-quedistas”, um drama de imigrantes africanos que, para parecido Sr. Rui Gomes (um dos me- pensados, ao contrário de Vila Real que não são de cá e o Sport Clube nada fugir da miséria de seu país, arriscam tudo, lhores Presidentes que o Sport Clube não teve ninguém com capacidade de lhes diz. para chegarem à Europa. Segundo as contas de Vila Real já teve), fiquei, ao mesmo verificar que o Monte da Forca, ape- O Sport Clube de Vila Real foi, du- da Guarda Civil de Espanha, nos últimos dois tempo, maravilhado e espantado, com nas serviria para “enforcar” um gran- rante décadas, o maior clube de toda meses do ano passado, foram mais de 1.200 as promessas feitas por várias entida- de emblema. Aliás, quem pensou isto esta região, para além de ser o mais os que morreram, na travessia do Mediterrâ- des ao aniversariante Sport Clube. Fi- nem de futebol devia perceber, por- antigo. Foi, em 25 anos consecutivos, neo. Apesar das tragédias sucessivas, quase quei maravilhado e pensei comigo mes- que, se percebesse, saberia que, desde Campeão Distrital (feito único, a nível todos os dias ocorrem novos casos, pois en- mo: “vai ser agora que o clube vai há muitos anos, a esmagadora maioria nacional). É o clube de toda a provín- tre morrer na miséria e tentar uma nova vida, estabilizar, em termos económico/fi- dos clubes com que o Vila Real joga cia de Trás-os-Montes e Alto Douro em terra alheia, os africanos, apesar dos peri- nanceiros, criando condições para su- são dos distritos do Porto, Braga ou com mais participações na Taça de Por- gos e dos riscos, preferem a segunda opção. bir patamares no futebol português e Aveiro. Ou seja: dificilmente joga com tugal, teve as melhores escolas de jo- Cansado, de barba por fazer, olhos verme- acompanhar o crescimento que a pró- equipas que estão a norte de Vila Real. gadores, durante décadas, em toda a lhos por conta da maresia e da insónia, mes- pria cidade está a ter”. Por outro lado, Culpa tiveram, também, os associados região, e, mesmo, a nível nacional. E teve tre Molina, ao desembarcar, disse, simplesmen- fiquei espantado, porque, sabendo eu (nos quais me incluo) que deixaram uma das melhores equipas de Voleibol te:“não podíamos deixar aquela gente morrer que muitas das promessas vinham de que uma barbaridade destas fosse fei- Feminino, no país. no mar...”. pessoas que pouco ou nada ligavam ao ta, sem tomarem medidas. Sinto pena, Cumpriu-se a saga de um herói. clube, mas lhe dei o beneficio da dúvi- porque vejo clubes sem os pergami-
    • a voz de trás-os-montes 17 agosto 2006 opinião 15 JOHN GUEDES DO NASCIMENTO MÁRIO FROTA O Mundo às avessas Arrendamento urbano: denúncia Vivemos em tempos de discórdia uni- está certo nem ao que está errado. É uma israelita. vazia – o que é? versal e nem Portugal escapa. Enquanto que situação demasiado confusa, para resolver, A Hezbollah (que trabalha em conjunto o PCP e o BE acusam o Governo de estar de forma justa. com o Hamas) tem uma ideologia que apela “Na fase mais acesa da divulgação da nova lei calado, em relação ao assunto do Médio Quando morre uma criança palestina, to- para o total aniquilamento de Israel. Am- do arrendamento, houve quem dissesse Oriente, eu faço a pergunta: o que querem dos nós lamentamos, profundamente. Mas bas as facções são financiadas pelos regi- que a partir de agora todos os que Portugal faça? Talvez queiram mandar será que lamentamos, da mesma maneira, a mes do Irão e da Síria. arrendamentos, novos e velhos, podem acabar os soldados e filhos de Portugal para uma morte das crianças israelitas? Também mor- A Hezbollah entrou em solo israelita, guerra que não nos diz respeito? rem crianças israelitas, mas raramente apa- matando oito soldados e raptando outros desde que o senhorio ponha termo ao O Ministério dos Negócios Estrangeiros recem na televisão. dois. A reacção não tardou e Israel ripos- contrato com uma antecedência de 5 anos. demonstrou que as nossas forças estão dis- Temos que lembrar que não foi há tan- tou. Em contra-ataque, a Hezbollah utili- Não sei se será fiável esta informação porque poníveis para integrar uma força da ONU, to tempo assim que o povo judeu sofreu zou este facto, para bombardear todo o agora já toda a gente se calou e não se fala já para assegurar a estabilização do conflito o risco de ser extinto, nos campos de con- norte de Israel – cidades e aldeias, de for- da lei, depois de ter entrado em vigor. israelo-palestiniano. Eu digo que não de- centração nazi. Se não agisse de forma im- ma a matar o maior número possível de Se me puder ajudar, ficar-lhe muito vemos meter o nariz onde não somos cha- placável contra os seus inimigos, sofreri- pessoas. agradecido.” mados, enquanto o conflito não afectar, di- am um novo holocausto, de proporções Embora Israel diga que a razão oficial, Nuno Oliveira – Olhão rectamente, a nossa segurança nacional. titânicas. para estes ataques, seja por causa dos seus Critica-se Israel de ser um estado ilegal É curioso notar que, quando Israel man- dois soldados, a verdadeira razão já é mui- 1. Os contratos ora denominados de duração e ilegítimo, criação do “malvado” império da abater um terrorista, isso é considera- to mais política. Há uma agenda obscura indeterminada são susceptíveis de cessar por de- americano. Israel, tal como a esmagadora do um assassinato selectivo. Mas, quando por detrás destes raptos, primariamente núncia de uma das partes. maioria das nações do mundo, inclusive um palestino faz um ataque, a isso é cha- por Irão que quer desviar a atenção do 2. O arrendatário terá de observar uma antece- Portugal, ganhou a independência com san- mado um ataque suicida. Esses ataques têm mundo do seu programa de armamento dência não inferior a 120 dias sobre a data em que gue, suor e lágrimas. pouco a ver como o suicídio. Quando vão nuclear. pretenda a cessação. É verdade que se Israel não tivesse o para atacar, vão com o propósito de ma- Enquanto as câmaras estão focadas no 3. Para o efeito, basta que comunique ao arrenda- “grande irmão” americano como aliado e tar, indiscriminadamente, o máximo de pes- Líbano, o Irão pode prosseguir com os seus dor o seu propósito por meio de carta registada com os ricos capitalistas judeus, este Estado soas. objectivos. Há quem diga que a Hezbollah aviso de recepção. teria falecido, antes de começar.Apesar de Para entender esta agressão, contra o é, na realidade, o braço político do Irão e 4. O arrendador, porém, tem ao seu alcance duas tudo, eu admiro este povo que enfrenta Líbano, temos que recuar no tempo. Em 6 que chantageia o governo libanês. O pró- hipóteses: ou através da denúncia justificada ou da de- todo o mundo árabe e ainda consegue de Junho de 1982, Israel invadiu o sul do prio governo perdeu o controlo do sul do núncia injustificada. vencer. Líbano, em resposta a uma tentativa de as- país, porque é o Hezbollah que o controla. 4.1. No caso de denúncia justificada, terá de recor- Critica-se, abertamente, Israel e, na sua sassinato de um embaixador israelita e de Países como o Líbano, Irão, Iraque e a Síria rer aos tribunais (judiciais ou arbitrais, neste caso por base, as críticas são fundamentadas. Os pa- vários ataques terroristas. Foi aqui que nas- são um ninho que alberga terroristas, dis- meio de convenção de arbitragem) e só pode fazê-lo lestinos também têm a sua razão, mas esta ceu um grupo radical, chamado Hezbollah, postos a matar cidadãos do Ocidente, nos casos das alíneas a) e b) do artigo 1101 do Código questão já não se refere, apenas, ao que para lutar contra as forças de ocupação como se viu, agora, no Reino Unido. Civil, a saber: “a) Necessidade de habitação pelo próprio ou pelos seus descendentes em 1.º grau; b) Para demolição ou realização de obra de remo- JOSÉ EDUARDO VARANDAS DOS SANTOS delação ou restauro profundos.” 5. No caso da denúncia injustificada, sem revelação de uma qualquer causa ou de denúncia ad nutum (ou Guiães e a polémica em torno da denúncia vazia, como a denominam os brasileiros)... 6. Para que a denúncia vazia opere, não é neces- sária o recurso aos tribunais judiciais, basta-se uma construção do novo edifício da C.C.A.M. tal denúncia com uma comunicação à contraparte com uma antecedência de 5 anos: a denúncia deve, po- rém, nos termos do artigo 1104 do Código Civil, ser Há questões de fácil resolução que per- nho Regulamento Geral das Edificações deve ser preservada a sua envolvente. confirmada, sob pena de ineficácia, por comunicação manecem em aberto, devido à manifesta Urbanas (RGEU). Diz o RGEU, no artigo A opinião aqui expressa não tem outra com a antecedência máxima de 15 meses e a mínima indecisão, quando não, até, diríamos mes- 60, o seguinte: finalidade que não seja a defesa do interes- de 1 ano (12 meses) relativamente à data da sua efec- mo, de cumplicidades várias, por parte das “§ único.Tratando-se de arruamentos já se público, fundamentada na Lei, na minha tivação. instituições públicas, nos actos administra- ladeados, no todo ou na maior parte, por condição de técnico, com formação na área 7. Por conseguinte, avulta agora uma hipótese “à la tivos que estão, intimamente, ligados aos edificações, as câmaras municipais pode- da Arquitectura e nalguns anos de experi- longue” (à distância) de recuperação dos arrendamen- processos de licenciamento de obras de rão, sem prejuízo do que esteja previsto ência adquirida que me habilitam a pro- tos celebrados por tempo indeterminada desde que construção. Vejamos o que se passa, em em plano de urbanização aprovado, esta- nunciar-me, com alguma autoridade, sobre os requisitos enunciados no parágrafo precedente se Guiães, com a situação vergonhosa do pro- belecer alinhamentos com menor inter- assuntos desta natureza. Deve ficar claro, observem. cesso de licenciamento das futuras insta- valo, não inferior, contudo, ao definido pe- sem qualquer margem para dúvidas, que 7.1.A comunicação segue os termos do artigo 9º lações da Caixa de Crédito Agrícola Mú- las construções existentes.” esta posição não pode nem deve ser inter- do NRAU, a saber:“as comunicações legalmente exi- tuo (C.C.A.M.). Há cerca de um ano que Da interpretação da Lei, resulta claro pretada como contrária à prossecução das gíveis entre as partes, relativas à cessação do contra- esta instituição bancária, vocacionada para que, nesta questão específica, não há volta actividades da C.C.A.M. Antes, pelo con- to de arrendamento... são realizadas mediante escrito apoiar a lavoura da região, procedeu a a dar. Não se compreende, por isso, que a trário, estamos todos empenhados em que assinado pelo declarante e remetido por carta regis- obras de demolição de dois prédios urba- Câmara Municipal, através do Departa- a sua acção, em prol da agricultura e da tada com aviso de recepção”. nos, adquiridos a um particular, sitos no mento de Gestão do Território, se demita economia da região, se desenvolva, cada vez 8. Os contratos celebrados depois ou antes de 15 de Largo do Eirô, tendo em vista construir, no das suas responsabilidades, ao não obrigar mais, para prestígio da instituição financei- Novembro de 1990, também se submetem ao NRAU local, um novo edifício, mais acessível e mais o dono da obra a respeitar a legislação em ra, enquanto tal, e o progresso das gentes e às regras precedentes, com uma excepção, a este pro- funcional, transferindo, para aí, os actuais vigor. Acontece, até, que, na maioria das que serve.A exigência do cumprimento da pósito: os contratos sem duração limitada, como a lei serviços que funcionam, em instalações si- vezes, por norma, as autarquias aprovei- legalidade não é incompatível com os fins agora lhes chama, ficam submetidos às regras dos actu- tuadas no Campo do Senhor, em condi- tam estas circunstâncias, isto é, a recep- em vista. ais contratos de duração indeterminada não se lhes ções desajustadas, para as exigências de ção de pedidos de licenciamento de obras É urgente que a CMVR/DGT, de uma vez aplicando a faculdade ali prevista da denúncia injus- modernidade com que, naturalmente, uma de reconstrução, prevendo a demolição to- por todas, obrigue o dono da obra (leia-se: tificada ou vazia. instituição com estas características, se tal de antigas edificações – que por terem os responsáveis da C.C.A.M.) a concluir os 9. Por conseguintes esta regra (a da “denúncia va- deve preocupar. sido implantadas assimetricamente, por trabalhos de reconstrução, alinhando a fa- zia”) só se aplica aos contratos celebrados no domí- Acontece, porém, que, volvido este tem- falta de planeamento ou erros do passado, chada principal pelo edifício existente à sua nio da lei nova, que não aos contratos antigos, cele- po, permanece, no referido local, um enor- constituem autênticos monstros urbanís- direita, onde funciona o Café Cruzeiro, aca- brados tanto na vigência RAU, como na do Código me buraco, circundado por um tapume, ticos – obrigando os seus proprietários a bando-se, assim, com este impasse inacei- Civil antes de 15 de Novembro de 1990. sem que se vislumbre solução à vista, para ceder algum terreno, no sentido de serem tável que não tem nenhuma razão de ser. Em conclusão: pôr cobro à imagem negativa que daí ad- efectuados reperfilamentos de vias e, as- A C.C.A.M é uma entidade idónea, com 1. Os contratos de duração indeterminada, cele- vém, com reflexos na paisagem e no orde- sim, haver um melhoramento das acessi- raízes solidamente implantadas na fregue- brados na vigência do NRAU, ou seja, depois de 28 namento urbano. bilidades. sia de Guiães, não podendo, contudo, esse de Junho de 2006, estão sujeitos à denúncia vazia Ao indagarmos as razões que estão na Por outro lado, tratando-se de um lu- facto servir de argumento, para exigir um que obriga a uma espera de cinco anos (comunicação base desta situação desagradável, verificá- gar com alguma dignidade que constitui, tratamento de excepção, subvertendo-se, com um tal período de antecedência confirmada de mos que existe um conflito de interesses por assim dizer, a sala de visitas da locali- com isso, o que estabelece a regulamenta- 15 a 12 meses antes do termo do contrato). entre o dono da obra e a Junta de Fregue- dade, exige-se, das entidades licenciadoras, ção, na área do licenciamento de obras pú- 2. Nos contratos celebrados à luz das leis antigas, sia. Em que consiste, então, esse desenten- um certo cuidado na apreciação dos pro- blicas e particulares. É bom ter presente que não há a hipótese de os fazer cessar sem causa ou dimento? Numa coisa simples: a Junta de jectos de arquitectura, designadamente no o Executivo Municipal, ao licenciar uma obra motivo. Freguesia exige, e muito bem, contra a von- que diz respeito ao tipo de materiais utili- que não respeite a observância da Lei, corre 3. A denúncia nestas circunstâncias (a denúncia va- tade do dono da obra, que, após a demoli- zados, para não destoar dos edifícios adja- o risco de ser confrontado com uma acção zia) não obriga a qualquer indemnização do arrenda- ção, o alçado principal da nova edificação centes e, principalmente, tendo em consi- inspectiva, por parte da Inspecção – Geral de tário pelo arrendador. seja alinhado pela construção contígua, aliás, deração que existe na vizinhança um Administração do Território (IGAT), com to- de acordo com o que estabelece o velhi- edifício setecentista classificado de que das as consequências que daí possam advir. * Presidente da APDC - Direito do Consumo
    • 16 opinião 17 agosto 2006 a voz de trás-os-montes MANUEL PINTO MARINHO * LISETE JESUS* DIREITO DE RESPOSTA Banda de Ribatua reage a artigo de Adérito Silveira O SABER NÃO OCUPA Tendo em conta o artigo publicado, no os foliões, dada a inexistência de conjuntos “enfadonhas, repetitivas na estrutura e na LUGAR... dia 3 de Agosto de 2006, pelo especialista musicais electrónicos que, hoje, tocam mú- textura, cansativas no desenho rítmico e nos “musicólogo-erudito” Sr. Adérito Silveira e sicas ditas “pop”, “rock”, “ligeira”, “popular”, sinais agógicos de dinâmicas, …”. Quem é Síndrome de Down considerando o previsto na Lei de Direito “pimba”, etc. Só que as coisas não param no este senhor para criticar as obras que Ts- de Resposta para a Comunicação Social, as- tempo, há evolução e as Bandas Filarmóni- chaikowsky ou James Hosay escreveram?... A Síndrome de Down ou Trissomia siste esta Associação tecer o seguinte co- cas, constituídas com músicos que têm for- Além disso, pretende o Sr. Silveira dar um ar 21 é, sem dúvida, o distúrbio cromos- mentário: mação musical e que são especializados, al- de exímio conhecedor musical, debitando pa- sómico mais comum e a forma mais Foi com alegria e consideração que actu- tamente profissionalizados, são obrigados a lavrões que poucos conhecem, mas sem sa- corrente de deficiência mental con- ámos nas festividades para que fomos con- protagonizar uma atitude de arte e profissi- ber o que, na realidade, significam. Veja-se o génita. Geralmente, pode ser diag- nosticada no nascimento ou poste- vidados, no dia 30 de Julho de 2006, pela onalismo que nada tem a ver com a “cultu- caso da expressão “sinais agógicos de dinâ- riormente devido às suas Comissão de Festas de Constantim. ra pimba e rapsódica”, expressa pelo pre- micas”: sendo o termo “agógica” respeitan- características dismórficas, que vari- No que toca ao artigo “Assim não”, o ar- tenso jornalista que deve perceber tanto de te às alterações de andamento que ocorrem am entre os doentes e que produ- ticulista revela ignorância e falta de sensibi- música como um escandinavo de lagares de numa peça (acelerandos, retardandos, ruba- zem um fenótipo (aparência) distin- lidade pela música e sobre a cultura implíci- azeite. tos, etc.), não pode ser implicado nas ques- to. A criança que nasce com esta ta que as filarmónicas encerram. No que diz As músicas interpretadas na actuação em tões de dinâmica (que se referem a fortes, doença deve ser estimulada por fisi- oterapia, fonoaudiologia e educação respeito ao artigo citado, a Direcção desta causa são o resultado de um trabalho ár- pianos, crescendos, diminuendos, etc.). Tudo especial para ajudar no desenvolvi- Associação considera-se insultada e injuria- duo e persistente, porque a qualidade é o isto mostra bem a intenção gratuita da críti- mento e no aprendizado. da, pela forma como o artigo foi escrito. Esta nosso lema. Executámos, na actuação em ca efectuada pelo Sr. Silveira que apenas pode A Síndrome de Down é uma doen- Banda tem promovido e divulgado, nos qua- causa, obras de grandes autores, interpreta- reflectir frustrações profissionais recalcadas, ça genética, causada por um aciden- tro cantos deste país, a música, a arte e a das por grandes orquestras, tais como: numa mente melindrada e retrógrada. te que pode ocorrer no óvulo, no alegria que ela transmite. 1. “Olympic Fanfare and Theme” - John Não temos de provar nada, a história fala espermatozóide ou após a união dos Como diz o povo, “quem não se sente Williams por si, comemorámos 200 anos de activida- dois (ovo), provocando uma altera- ção cromossómica. Ocorre quando não é filho de boa gente”. A Associação Fi- 2. “Marcha Eslava” - Tschaikowsky de ininterrupta, em 1999, não é qualquer as crianças nascem dotadas de três larmónica de S. Mamede de Ribatua sente- 3. “Fantasma da Ópera” - Webber folião que queira abanar o traseiro que vai cromossomas 21, e não dois, como -se indignada pelas aleivosias vomitadas por 4. “Persis” - James L. Hosay indicar qual o tipo de música que esta Banda é normal. Isso leva à produção exa- um senhor a quem não reconhecemos qual- 5. “Português Suave” - Carlos Marques deve tocar. gerada de proteínas, o que acaba por quer autoridade ou conhecimento para fa- 6. “Santana” - Giancarlo Gazzani Anima-nos, isso sim, o reconhecimento e desregular a química do organismo zer comentários incorrectos e injustos que 7. “Ribatua” - Mário Nascimento o aplauso fraterno, acolhedor e amigo da po- e provoca sérios problemas. A de- nominação da síndrome vem do so- nós, aqui, vimos desmentir. Estas interpretações requerem muita cul- pulação e as palavras amigas da Comissão brenome do médico inglês John “Mudam-se os tempos, mudam-se as von- tura musical, muita simplicidade artística e de Festas, o que muito nos honra. Langdon Down, que no ano de 1866 tades”. Outrora, as bandas tocavam reper- desempenho profissional. fez uma observação interessante a tório para quem queria dançar e ouvir, pois, O Sr. Adérito Silveira criticou o repertó- * Presidente da Banda dos Bombeiros respeito da existência deste grupo nesse tempo, cabia às mesmas fazer dançar rio interpretado, caracterizando as peças de Voluntários de S. Mamede de Ribatua de pessoas, anteriormente ignorado. O recém-nascido portador desta doença é habitualmente hipotónico (mole) e tem um ar oriental resul- tante da forma dos olhos e da exis- tência de uma prega no canto inter- ADÉRITO SILVEIRA no do olho (epicanto). A boca costuma ser pequena e a língua gran- de. Os dedos são geralmente curtos e é característica a existência de uma Natureza Inspiradora prega transversal na palma da mão. O Quoficiente de Inteligência duma criança afectada é muito baixo, rara- mente é superior a 60 (atendendo “Quando me tiver ido embora, toquem um trecho de música para mim, pois sei que hei-de ouvi-la no além.” Foram as suas últimas palavras. que o valor normal varia de 91 a 110). Outra característica é a micro- cefalia, um reduzido peso e tamanho Admiro Chopin, a distinção e a nobreza certo: a França conseguira sobreviver à Re- charutos, com naturalidade, ou quando con- do cérebro. O processo na aprendi- do seu ser. Os conceitos de tristeza, sauda- volução de Julho, originando uma evolução seguia amantes na classe mais abastada e zagem é também tipicamente afec- de, nostalgia e, até, de fúria ou de ira, abar- da “bourgeoise.” A nova classe social inte- proeminente de Paris. Conquista Chopin e tado por doenças e deficiências mo- cavam o seu mundo que, tantas vezes, só ressa-se pelas artes, considerando que toda vive com ele cerca de onze anos. Com ela, a toras, como doenças infecciosas ele compreendia. No seu foro íntimo, Cho- a família de bem devia ter um piano em casa; saúde do compositor agrava-se e os médi- recorrentes, problemas no coração, pin não podia ser mais polaco. As suas féri- assim, em breve, Chopin ensinava piano às cos aconselham-no a descansar, num clima problemas na visão (miopia, estigma- tismo ou estrabismo) e na audição. as, nos campos da Polónia, faziam parte das meninas e senhoras da alta burguesia. A sua quente. Vai, então, para Maiorca, com Sand. Por um lado, a Síndrome de Down sa- suas mais fortes e felizes recordações. A figura elegante e de boas maneiras origina- Aí compõe a maioria dos seus prelúdios. Em lienta as limitações genéticas e no Natureza possuía-o e ele deixava-se emba- ram, em muitas famílias, a organização de Maiorca, começa a ficar maníaco-depressi- pouco que se pode fazer para as so- lar por ela, enternecido pela paz que só aí “soirées” e de convívios, até de madrugada; vo, alternando alegrias exageradas com neu- brepor; por outro, também salienta encontrava. A Natureza era a sua musa ins- algumas mulheres colam-se nos olhares, roses e depressões profundas. Vive obceca- que a educação pode produzir ex- piradora. As primeiras mazurcas (folclore quando ele improvisa. A sua música seduz, do pela morte, vendo nela espíritos e celentes resultados independente- polaco) permaneceram, nele, toda a vida. Elas irresistivelmente, exalando um perfume de cadáveres, emergindo do piano. Alucina-se, mente do início. Assim, o empenho individual dos pais, professores e te- são a sua produção mais característica e mais que as senhoras gostavam e ao qual nem na noite mensageira de maus pensamentos! rapeutas com estas crianças pode polaca. Aos 19 anos, já Chopin se tinha afir- sempre resistiam; algumas desmaiavam, Rompe com Sand e fica mais deprimido e produzir resultados positivos inespe- mado, na sociedade musical polaca mais exi- até… hermético.A tuberculose vai-o minando, mas rados. A probabilidade de se gerar gente, visto agora como uma celebridade Em Paris, estiveram mais de trezentas compõe. Compõe, sempre. um filho com Síndrome de Down é nacional, cunhado de aura e de génio. pessoas, no seu primeiro concerto, incluin- Fogem a nobreza e a burguesia, em 1848, maior entre as mulheres que engra- Com 20 anos de idade (1830), partiu para do os maiores músicos da época, como Liszt, de Paris, com a vaga de revoluções. Chopin vidam depois dos 35 anos. Quanto mais saudável for a mãe, maior é a Viena, não mais regressando à Polónia… Berlioz e Meyerbeer, os quais admiraram não tem a quem dar lições. Fica mais fraco, probabilidade de gerar um filho sau- A Europa está em convulsão política e aquele jovem, com 22 anos de idade. De- acabando por morrer, em agonia, entre alu- dável. Pesquisas recentes sugerem económica. Depois das guerras napoleóni- pois de o ouvirem, criou-se uma hipnose de cinações. Morre com 39 anos de idade que o ácido fólico, um tipo de vita- cas, a calma ainda não voltara. Estremece- rendição para com o artista, sendo elogia- (1849). Paris esteve presente, ouvindo, no mina, é capaz de reduzir as hipóte- -lhe a alma, quando, a caminho de Paris, sabe do, também, o seu porte físico e o olhar cortejo fúnebre, a marcha que fez chorar a ses de que uma criança nasça com a da notícia da revolta polaca, contra a ocu- distante e misterioso. Uma mulher toca-o e “cidade”. Morre o homem a quem a nature- doença. pação russa, com um final trágico. Tem uma não resiste: “as suas mãos são uma dádiva za deu uma figura esbelta e a genialidade. A É importante frisar que um ambi- ente amoroso e estimulante, inter- visão de desolação e de desespero da famí- de Deus, elegantes e aristocráticas”. Ele pega, sua pátria era a terra, onde os seus sonhos venção precoce e esforços integra- lia e dos amigos, imaginando-os executados, delicadamente, nas mãos daquela jovem, bei- se alimentavam da mais pura poesia. dos de educação irão sempre assassinados e violadas as mulheres, exor- ja-as, e diz-lhe: “as suas são como a nature- “Quando me tiver ido embora, toquem influenciar positivamente o desenvol- tando um grito de clemência para Deus e za, vivas e puras…”. um trecho de música, para mim, pois sei que vimento desta criança. para os homens: “Não permitais que os rus- Em 1836, conhece a mulher mais célebre hei-de ouvi-la, no além”. Foram as suas últi- * (Centro de Saúde de Sabrosa) sos façam isto!”. de Paris: George Sand, escritora de grande mas palavras. Chegou a Paris, em 1831, no momento talento, mas provocadora, quando fumava
    • a voz de trás-os-montes 17 agosto 2006 opinião 17 BARROSO DA FONTE LÚCIO MACHADO Cristo: vem cá ver isto! Festas Escrevo esta crónica no dia 10 de perança de uma morte vitoriosa. casas comunitárias, nos arredores de Nota da Redacção – No dia 10 de Agosto, publicámos este Agosto e reparo na televisão públi- Olho para a sociedade esfomeada, Lisboa. Lê-se, em manchete, a propó- texto do nosso colaborador, mas de forma incorrecta, com omis- ca, logo pela manhã, num entrevista- cada vez mais numerosa, mas de la- sito desta onda de assaltos, que “os sões e a inclusão de algumas frases incoerentes. Pelo facto pedi- do que se apelida de «Prof. Doutor» múrias entre sorrisos, para disfarçar crimes violentos dispararam 45%, em e que vende banha de cobra sobre as mágoas de quem nada espera da Lisboa e Setúbal”. Mas o nosso “Pri- mos desculpa, aos leitores e ao articulista. Como tal, optámos aquilo que vem faltando aos portu- vida. E pasmo. Pasmo de tédio, de nojo meiro Governante” não está com por publicá-lo, de novo, desta feita na versão que deveria ter sido gueses: “o riso e o sorriso”. Este ven- e de medo. Não foi por esta socieda- meias medidas: 6.500 destes e de publicada, na devida altura. dedor de banha de cobra ludibriou de que lutei uma vida inteira, com or- outros vão ser legalizados, “já e em um dos mais produtivos escritores gulho em ser português, com lisura força”, tudo para que o chefe do portugueses da segunda metade da nos meus processos de vida, com ale- «Mensalão» carioca continue a gerir Oriundo de férias, decidi abrir uma nova forma de escrita, falan- século XX, infiltrou-se no Clube mais gria pela herança das futuras gerações. o Brasil, a seu bel-prazer. Por último do de temas mais concretos, mais locais e presentes. Naturalmen- representativo da cidade onde am- Leio no Público de hoje que o “co- (o meu espaço não dá para mais) vou te, mais sujeitos à crítica, mas não menos interessantes. Aliás, re- bos viviam, não teve sucesso na polí- leccionador de arte”, Joe Berardo, viu, apenas referir o compromisso do mi- gistem-se dois factos importantes. O primeiro de que a escrita tica, andou pela rádio, viajou pelo es- ontem (dia 9), consagrado no Diário nistro Santos Silva que acolheu, exu- representa, para mim, o exercício do intelecto, tal como alguns trangeiro à custa de dinheiros da República, o seu endeusamento. berantemente feliz, a proposta do gru- exercitam o corpo, no ginásio, “o papel ou a escrita são o meu duvidosos e, sem que tivesse tempo O Governo, incrivelmente, para fa- po daqueles que “não querem que a ginásio”.O segundo aspecto, também importante, é que não sub- para isso, apareceu licenciado, mes- zer crer que liga muito à Cultura, fez memória se apague”. Esse grupo de jugo a minha opinião, e, com isso, a escrita, senão à minha consci- tre e doutor. Já passou por diversas a vontade ao endinheirado madeiren- revolucionários já empobreceu o país ência e não à possibilidade de as pessoas que lêem gostarem ou escolas, provavelmente com o esta- se, cujo currículo intelectual, acadé- (que já estava no pântano), ao trocar não. Aliás, é perfeitamente legítimo e aceitável que haja pessoas tuto de um tal Prada que envergo- mico ou científico não dá nas vistas edifícios por espaços mortos, para, que discordem, e outros, até, que lhes cabe o direito de não ler. É nhou Bragança. E anda, agora, pelas e consumou, na Fundação de sua ex- aí, expor as vaidades de uns quantos. legítimo. Há muito que estou habituado a conviver com a crítica e televisões, a expor Demagogia que celência, todo o poderio: fama, pro- É com atitudes destas que vamos “de refiro, como sofisma, que “ela é tão importante quanto o ar que não Ciência. A Justiça, no caso de sápia e poder, não só durante a vida, caixão à cova”. Soube-se que a Ponte respiro”. Daí que não espero nem “palmadinhas nas costas”, nem Prada, actuou tarde, mais ainda a tem- como para além da morte. Não se Salazar fez anos, na penúltima sema- “cachaços”. Cabe à minha consciência fazê-lo! po.Talvez a proficiente Judiciária pres- trata de um artista, mas de um sim- na. Esses e outros camaradas, da noi- FESTAS DE MONDIM tasse mais um altíssimo serviço, se ples “coleccionador”. Se fosse artis- te para o dia, roubaram um patrono Este ano, considero que, globalmente, foram melhores que nos investigasse o “verdadeiro” currícu- ta, ainda se consagrava a criatividade, legítimo, para imporem outro, radi- outros anos. Dirão alguns, “também não é difícil”, pois eram más. lo deste enigmático personagem que o génio, o progresso. De um colecci- calmente ilegítimo. Não foi o 25 de Pense-se o que pensar, foram, para mim, melhores, não deixando – quase punha o pescoço na guilho- onador apenas se consagra o dinhei- Abril que fez a primeira Ponte sobre de haver alguns reparos a fazer. Resultou, em termos de aspecto tina – não passa de um tartufo. ro que lhe sobrou, para impor os seus o Tejo. Se esta pressurosa Comissão global, uma maior e melhor organização. O programa em si, não o Este confuso e anedótico exem- caprichos. Leio, na mesma edição do pretende que não se apague a me- é de todo relevante, pois que em cada mondinense existe um que plo que estou pronto a denunciar, se Público, que Sócrates foi ao Brasil dar mória, fazendo história de actos e escolheria um programa diferente. Mas, apesar disso, pareceu-me alguma entidade competente assim um empurrão a Lula que vai a elei- feitos revolucionários, então deveria mais abrangente, tentando encontrar eventos para todos os gos- o entender, leva-me a abordar o tema ções, em breve, garantindo-lhe que começar por exigir a reposição do tos. Sem conhecer o orçamento em causa, parece-me que se fez da fraude, da corrupção, da vigarice, vai legalizar 6.500 brasileiros ilegais. nome de Salazar à Ponte, erradamente melhor e, até, talvez com menos do oportunismo, da sem-vergonha. Coincidentemente, na mesma edição, trocada, para 25 de Abril. Já ela tinha Reparos a fazer: Nada melhor do que quando um evento Olho para os emigrantes que che- diz-se que um “gang” de brasileiros, muitos anos, quando se deu o golpe acaba, efectuar o balanço, para correcção e melhoria no próximo. gam, exaustos pela seriedade que im- cinco dos quais estão presos, fize- de estado de 1974. E quem teve a Alguns cartazes, colados em “placards” de madeira, parecem- primiram às suas vidas, mas orgulho- ram 20 assaltos, em menos de três coragem de a mandar construir foi -me, já, desactualizados, o que faz com que alguns deles não te- sos da sua Pátria. Olho para os meses, a bancos, sempre encapuça- António de Oliveira Salazar. Por isso, nham chegado até à inauguração da festa.Tentem adorná-los com lavradores da minha terra, seríssimos dos, armados e com idades entre os recomenda-se coerência, seriedade, o granito local e com a imagem do Monte Farinha. Serão bem e frustrados, mas persistentes na es- 20 e os 26 anos, vivendo todos em honestidade intelectual e política. mais interessantes. A noite de sábado foi um prolongamento da feira do dia, embo- ra melhor organizada, mas parece-me desvirtuar a essência da festividade. Trânsito: Este pareceu-me o aspecto pior, que, também, reco- nheço, como o mais sensível e difícil. Deve existir uma maior con- PAULO GERALDO * certação com a GNR local. Concretamente, na Rua do Agrupa- mento de Escolas, por possuir um leque de divertimentos para Ditadores crianças, tem de ser fechado, nos dias anteriores e no da festa, aplicando um horário: eventualmente, das 20 às 24 horas, por exem- plo, mesmo para os moradores que terão de compreender, desde que previamente avisados das regras, e porque também têm filhos, A ditadura tem, sem dúvida, raízes que seja, com o fim de cumprirmos mem, nada mais nada menos, do que que é incompatível existirem viaturas a circular com tantas crian- profundas, dentro do homem. Nas- a nossa própria vontade. Quando os em pequenos monstros, ditadores em ças, por mais atenção que os pais tenham. É claro que a existência ce, talvez, do alto conceito que cada outros deixam de contar, para nós, potência. de sinais de trânsito não é, por si só, solução bastante, pois existe um tende a ter acerca de si mesmo se, por acaso, acharmos que estor- Cumprimos os seus desejos, quan- sempre alguém que encontrará razões para deixar de o ver. Em- e que o leva, de algum modo, a sub- vam a concretização dos nossos pla- do não o devíamos fazer, quando a bora seja desconfortável, para quem lá mora ou por lá tenha de jugar os outros homens. nos ou a nossa realização pessoal. nossa cedência não é benéfica para passar, sensibilizar as pessoas de que o desconforto é menos gra- Não é um mal existente apenas em Sendo assim, a democracia não é eles. Basta-lhes, por vezes, fazer uma ve que um acidente. Por outro lado, para evitar outros transtor- certos “homens maus” que a vida ge- um remédio para a ditadura. A de- birra, chorar um pouco, insistir mais nos e se se entender abrir excepções a moradores, estes devem rou para desgraça dos outros, mas mocracia – que talvez nem sequer vezes, para terem aquilo que pediam. ter uma credencial, passada pela organização, que lhe permita cir- sim algo que existe, dentro de todos exista, na realidade – não passa de Muitas vezes recusam-se a obede- cular. Se não, não faltarão moradores! nós. É uma manifestação exacerbada um sistema que poderia facilitar que cer aos professores, por exemplo – Já agora, uma sugestão, já que, como não custa pedir, que tal de egoísmo, por parte de um homem, não houvesse ditadores, se não fos- ou a aceitar as regras de um jogo fei- uma Tuna Universitária? Os estudantes adorariam e outras pesso- de uma mulher, que, de algum modo, se manuseado por homens. É que to com os companheiros – porque as iriam, seguramente, aderir e gostar. chegou a ter qualquer espécie de ainda ninguém curou o coração dos estão acostumados a mandar... lá em CENTRO DE SAÚDE DE MONDIM: Tantas vezes critica- poder. homens. casa. do e com razões para tal, fica o registo pessoal de um acidente Há por aí muitos pequenos dita- O único remédio que está ao nos- O erro que cometemos é tão pa- ocorrido com o meu filho mais novo e do excelente tratamento dores que - não podendo ter um raio so alcance – já que não é possível recido com uma virtude que mal re- recebido na Urgência, em particular da Enfermeira Clara Sanches de acção maior - exercem essa fun- eliminar a semente de destruição – paramos nele. Devíamos entender que, para além do trabalho de Enfermagem, desenvolveu trabalho ção apenas no seu pequeno mundo consiste em tornar o homem capaz que o caminho para a felicidade não de Psicóloga, pois não é fácil termos de segurar num filho, para ser que, muitas vezes, não ultrapassa, fe- de dominar – entre outras coisas – passa por ter todas as exigências sa- suturado com 9 pontos. Bem haja. E esta palmadinha nas costas é, lizmente, o pequeno âmbito de qua- o impulso que o leva a subjugar os tisfeitas, todos os desejos cumpridos. essencialmente, para outros verificarem que o utente também tro paredes. O veneno dessa semen- outros. É uma doença crónica que Muito pelo contrário, é preciso en- repara, quando as coisas são bem feitas. te maligna tem espalhado o não se pode eliminar, mas que se sinar-lhes a renúncia e o domínio de sofrimento por tudo quanto é sítio, pode controlar. si mesmos; torná-los capazes de vi- FEIRA DA TERRA EM MONDIM: Realizou-se o 4.º evento desde o lar à empresa, desde a famí- Mas acontece que muitas das nos- verem com o facto inevitável de que e continuou um sucesso já adquirido. Penso, aliás, que, nos próxi- lia à nação. Acontece que a maior sas crianças estão, precisamente, a ser a vida não é plenamente moldável aos mos anos, irá haver um desinvestimento nas Festas de Santiago e parte dos ditadores não sai nos jor- educadas para ditadores. nossos gostos e caprichos; fazer-lhes canalizar mais investimento para a Feira. Isto irá obrigar a uma nais, porque recebeu pouco poder... Levados por um desejo grande de ver que nós é que devemos adaptar- exigência, cada vez maior, obrigando a critérios objectivos de par- Existe em cada um de nós um di- as vermos felizes, ansiando ver nos -nos, em larga medida, à vida e aos ticipação e pagamento por área ocupada. Pois serão cada vez mais tador que se manifesta, quando que- seus rostos aqueles sorrisos que são modos de ser das outras pessoas. os interessados a participar. Não percamos a originalidade, não a remos pôr em prática os nossos de- a luz das nossas casas, cometemos transformando numa cópia de outras Agro-exposições. sejos, não olhando a meios. Quando verdadeiros disparates educativos e * Professor de Língua Portuguesa Para a semana, há mais. E, continuem a gostar, a não gostar ou a estamos dispostos a pisar quem quer contribuímos para que se transfor- não ler, hoje, o meu cérebro fez 120 flexões... mas faria mais!
    • 18 opinião 17 agosto 2006 a voz de trás-os-montes J. SILVA PINTO Como reagirão os nossos governantes aos noticiários das televisões? Com certeza, não só eu, mas, de um menino, tanto gosto de as ver. E, depois, milhares de famílias sem tas sem ovos”? Há quantos séculos lhe vi o “ambiente”, o “fácies”!... uma maneira geral, todos os portu- Depois, o Ministro das Finanças. emprego, sobretudo onde trabalham se faz esta pergunta?! E quem a ela O Sr. Primeiro-Ministro, ao fim e gueses que se prezam, digamos “de Quer queiram, quer não, para mim, o marido e a esposa!... Que hão-de responde?! Por melhor que alguém ao cabo, “é o pião das nicas”, porque boa vontade” e “de boa consciência”. é dos Ministros que mais trabalha e comer? Fiado (mas, o merceeiro já seja… nada se faz, nada se diz, sem passar Como estamos em tempo de in- mostra trabalho! É métrico, meticu- vive aflito!); Pedir a ajuda dos famili- A Ministra da Educação… Haverá pela sua peneira, “nem um “j” nem cêndios, comecemos pelo Ministro loso, sincero! Mas, cuidado! Ele não ares (mas, “cá e lá, mafaldas há”!). alguém, no Governo, tão sorridente um “ã” se aumentará (ou retirará) da da Administração Interna / Ministro pode ir buscar aos bolsos dos con- Criar umas aves (cuidado com a gri- e simpática?! Mais parece uma Mi- lei”. Ele é o Primeiro! de Estado e Vice Primeiro-Ministro; tribuintes, directamente, o que de- pe!). Pescar? Ainda será uma das hi- nistra (sem falta de respeito!) de Vamos à pergunta inicial: Como perguntemos, em consciência: onde vem ao Estado – sobretudo aos que póteses, se houver um riacho a me- (Des)educação! O povo diz:“não me reagirá cada um, ao ouvir e ver as estão os tão propalados meios de têm o dinheiro no estrangeiro ou nos de 10 km. dêem nada, mas mostrem-me graça”. greves ao respectivo Ministério? As prevenir e atacar os milhares de in- têm aeronaves pessoais, Ferraris ou O Ministro do Trabalho e Solidari- Não mostra graça e tirou muito sos- manifestações? As imagens? Os co- cêndios, num país tão pequeno (ge- Barcos de recreio, de tamanhas pro- edade Social é boa pessoa. Apresen- sego e outros bens, a muitas famílias mentários? As críticas? A falta de es- ograficamente)? Em que gares se es- porções! Não é um Super-homem!... ta-se, sempre, com um sorriso soli- … as escolas … etc… perança? Os desesperos? As lágrimas condem as envergonhadas aeronaves, O Ministro da Economia parece dário, dentes brancos, entre o bigode O Ministro da Saúde está a ser tão sentidas? As estatísticas negativas? O para darem umas gotas de água a tan- uma pessoa bem intencionada. Mas e a pêra, também branquinha… Aqui, contestado que não sei que mais diga. estarmos sempre na cauda, no bem, ta calamidade? Onde estão os seus deixa ir, sem mais nem menos, “por muito respeitinho! Respeitem-se a Os médicos e outros funcionários e, no cimo das pirâmides, no mal? pilotos? Em casa, a descansar ou a dez réis de mel coado”, as multinaci- palavra e as barbinhas das pessoas! que não nos deixem “sós” – peço. Comerão sossegados? Beberão lubrificar as aeronaves? Eu que, como onais e, até, as melhores nacionais! Mas, como se podem “fazer omele- O Ministro do Ambiente ainda mal vinho? Médio Oriente!... S. SOUSA TORRE DE MONCORVO/LOUSA Viva o Bairrismo! S. João das Lampas é uma das 17 freguesias da sedutora vila de Sintra, Património Mundial da Humanidade. Fica situ- ada, geograficamente, na orla marítima do Oceano Atlântico, a norte desta vila e a sul da piscatória vila da Ericeira. Para lá da sua numerosa população, tem uma vetusta igreja manue- lina, forrada, no interior, por azulejos do Século XVIII. À sua frente, existe um belíssimo largo, com estradas à volta, luxu- riante relva e árvores, causando inveja ao visitante mais exi- gente. Para lá desta extraordinária beleza, destaca, também, uma importante fábrica de carroçarias para camiões, semi- reboques e alfaias agrícolas “Galucho – Indústrias Metalome- cânicas”, uma das melhores de Portugal e de nível europeu. Visitei esta localidade, pela primeira vez, em dia de S. Mar- tinho, na década de sessenta. Gostei muito e voltei, de novo. Bebi água na “Fonte dos Passarinhos”, casei e fiquei por cá, ultrapassando, já, três décadas, nunca esquecendo as origens transmontanas. Há tempos, fiquei sabedor de que estava pre- visto um convívio, aqui perto, em Fontanelas/Gouveia, de um bom e avultado número de pessoas, o que se tornou uma realidade. Nunca me passou pela cabeça haver tanto bairris- mo, nas gentes de Freixo de Numão. Como o acto foi consu- mado a um domingo, não podia faltar à Santa Missa, celebra- da pelo Rev. Padre Victor, correspondendo o Coro da Banda de Música que encantou e de que o povo de cá tanto gos- tou. De seguida, foi a colocação de uma coroa de flores na es- tátua do saudoso Valentim Lourenço, poeta popular que tan- to amou a sua terra natal. Por isso, deu os nomes às ruas, com um verso, ficando esta localidade conhecida, historica- mente, por “Aldeia em Verso”. Seguidamente, fomos a mar- char, ao som dos acordes bem executados pela Banda de Música. Textos bem conhecidos, da autoria do incomparável compositor Elídio Costa, até à Sociedade Cultural e Recrea- tiva local. Nas imediações, foi servido um óptimo almoço, para 280 pessoas, não faltando as iguarias dos “sabores e saberes” que os simpáticos freixienses nos trouxeram. A Banda Musical Freixiense, por fim e já sobre a tarde bem quente de Verão, deu um simpático concerto, com o seu vas- to repertório que o povo muito aplaudiu. A rádio e imprensa locais deram grande destaque a estes acontecimentos, tão dignos de registo. Não nos podemos olvidar do Rancho Folclórico e Etno- gráfico de Venda Seca (Sintra) que esteve presente, com a sua valiosa actuação. As gentes destas bandas estão a organizar uma excursão, para, em breve, visitarem Freixo de Numão, os seus museus e todos os monumentos romanos. Os meus panegíricos vão para todos aqueles que traba- lharam, directa ou indirectamente, para termos o prazer de saborear, ver e assistir a tão dignos factos.
    • a voz de trás-os-montes 17 agosto 2006 opinião 19 PAULO REIS MOURÃO Sobre o Desenvolvimento Sustentável Através da definição mais lata (e preferências culturais. sem oportunidades de investimento económico. Opiniões críticas apon- os municípios, por exemplo, ficarem menos polémica) de “Desenvolvi- 2) No artigo “Tendências de privado menos onerosa. tavam claramente a possibilidade de, com mais responsabilidade mas com mento Sustentável”, concordamos concentração regional no interior 3) No artigo “Disparidades re- com esta atitude, serem geradas si- menos instrumentos/recursos de ac- que estamos a caracterizar “todo o português”, publicado na revista ci- gionais em Portugal: uma síntese a tuações de laxismo local, onde to- tuação. processo de crescimento quantitati- entífica “Regional and Sectorial Eco- partir de índices sintéticos”, publica- dos esperam que o Estado seja o 5) No artigo “A importância do vo dos resultados do esforço de la- nomic Studies” (Vol. VI, 2006), con- do na revista científica “Redes” (Vol. Segurador de fases menos boas da desenvolvimento económico regio- bor humano” - Crescimento Econó- cluí que o interior português IX, 2004), amplamente citado na co- economia regional. Contrariando nal na localização de equipas de fu- mico - extrapolado para as diversas apresenta uma dinâmica interna de municação social no ano de 2003 esta crítica, pode-se propor que os tebol profissionais”, publicado na re- dimensões caras à Sociedade - De- crescimento demográfico dos locais (ano de edição da primeira versão planos de apoio localizado sejam só vista científica “Revista Portuguesa de senvolvimento - através de modos centrais regionais (vilas e cidades do do artigo enquanto “Documento de accionados a partir do reconheci- Estudos Regionais” (Vol. VIII, 2005), que garantam a estabilização dessa interior) e um esvaziamento demo- Trabalho”), provei que as NUT III do mento de uma entidade externa (por provei que os factores que caracte- tendência - Sustentação. gráfico das freguesias de caracteri- país convergiam, desde 1970, em di- exemplo, a Comissão Europeia) da rizam os nossos municípios mais pre- Sendo autor de diversos artigos zação rural, havendo só posterior- mensões como o Conforto, a Edu- situação gravosa das regiões/NUT ponderantes para justificarem a ten- científicos sobre esta e outras mente (como segundo movimento cação e a Longevidade. Em contra- em particular. dência litoral de concentração das matérias - confirmar, por exemplo, dos residentes) uma deslocação dos partida, na dimensão económica e de 4) No artigo “Elasticities of Re- equipas de futebol profissional da o “Curriculum”, em http:// agregados para a faixa litoral de Por- distribuição de rendimentos, existia gional and Local Administration Ex- competição mais exigente (a deno- www.eeg.uminho.pt/economia/pau- tugal. Assim, é possível questionar: uma tendência divergente desde a penditures- the Portuguese case”, minada Super Liga) são os factores lom - e respondendo a um convite se pretendemos estancar a “deserti- década de 1990, contrariando o mo- publicado na revista científica “Regi- económicos. Esta prova demonstra público à participação dos cidadãos ficação do interior” o que podemos vimento de aproximação que tam- onal and Sectorial Economic Studi- que, por um lado, só as regiões mais na discussão sobre o tema veiculado fazer? Baseado nas conclusões do es- bém nestas dimensões se havia ob- es” (Vol.V, 2005), concluí que existe ricas têm possibilidade de financiar, por vários órgãos da imprensa em tudo em citação, sugiro um reforço servado desde 1970. Estas um movimento concorrente entre o de modo eficiente, determinado tipo 11 de Agosto de 2006 (ver, por exem- das oportunidades de fixação popu- conclusões geraram muitas opiniões número de funcionários centrais e de actividades culturais/intelectuais plo, Diário de Notícias e Público) lacional (especialmente, as mais im- e uma corrente dominante dessas as despesas do Estado descentraliza- onerosas e que, por outro lado, o fi- tenho a comentar o seguinte: portantes, ligadas à criação de em- opiniões apontava a necessidade de do. Usando uma metáfora, se cres- nanciamento, por parte do Estado 1) Qualquer processo de De- prego) nos locais centrais do interior. o Estado não fugir à sua função de cer o número de empregados no (central e descentralizado) de clubes senvolvimento Económico só tem A continuação da aposta em soluções Estabilizador Macroeconómico do Terreiro do Paço, decresce, em ex- de futebol ou teatros das regiões sentido nas e para as populações românticas (entenda-se, ruralistas) espectro regional, sob o risco de as pectativa, as despesas com a Admi- mais desfavorecidas, só deve ser humanas, sendo um termo que, no revela-se ineficiente e penalizada pe- economias regionais internas serem nistração Local e Regional. Desta fei- garantido a partir de determinados entanto, apela para as imensas dimen- los próprios agentes residentes. Em cada vez mais diferentes, o que em ta, a descentralização do Estado, ao requisitos observados, como a sol- sões importantes aos cidadãos infor- contrapartida, a aposta na acessibili- última análise, poderia contrariar a contrário do que parece ser o mo- vência a médio e longo prazo das en- mados neste Século XXI, entre as dade, no provimento das infra-estru- própria definição de Estado uno. vimento dominante, deve constituir- tidades patrocinadas. quais, a localização dos grupos hu- turas básicas e no alargamento das Assim, o Estado (na coordenação das se enquanto deslocalização de funci- 6) Estou disponível, em manos, a sua relação de convivência redes informáticas a todas as aldeias suas figuras centrais e descentraliza- onários públicos dos ofícios paulom@eeg.uminho.pt , para pro- social repercutida na comunicação do interior, permitiria que alguns das) deve estimular a actividade eco- centralizados para as diversas regi- longar o debate sobre estas ideias. com a organização democrática do agentes continuassem no interior nómica das áreas mais desfavoreci- ões e sub-regiões do país, sob o ris- Estado e com a expressão das suas mais rural e que outros encontras- das ou em fase depressiva do ciclo co do fenómeno “common pool” -
    • 20 igreja 17 Agosto 2006 a voz de trás-os-montes Domingo, 20 Agosto EM FÁTIMA DOMINGO XX Peregrinação do Migrante DO TEMPO COMUM e do Refugiado LEITURA I Prov 9, 1-6 «Vinde comer do meu pão e beber do vinho que vos preparei» Leitura do Livro dos Provérbios A Sabedoria edificou a sua casa e levantou sete colunas. Abateu os seus animais, preparou o vinho e pôs a mesa. Enviou as suas servas a proclamar nos pontos mais altos da cidade: «Quem é inexperiente venha por aqui». E aos insensatos ela diz: «Vinde comer do meu pão e beber do vinho que vos preparei. Deixai a insensatez e vivereis; segui o caminho da prudência». Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 33 (34), 2-3.10-11.12-13.14-15 (R.9a) Refrão: Saboreai e vede como o Senhor é bom. A toda a hora bendirei o Senhor, o seu louvor estará sempre na minha boca. A minha alma gloria-se no Senhor: escutem e alegrem-se os humildes. Temei o Senhor, vós os seus fiéis, porque nada falta aos que O temem. Os poderosos empobrecem e passam fome, aos que procuram o Senhor não faltará riqueza alguma. Vinde, filhos, escutai-me, vou ensinar-vos o temor do Senhor. Qual é o homem que ama a vida que deseja longos dias de felicidade? Guarda do mal a tua língua Procissão de entrada: D. Armindo e D. António Marto e da mentira os teus lábios. Evita o mal e faz o bem, procura a paz e segue os seus passos. Ao final da manhã do dia 13 de Agos- de um grupo de cem jovens da Diocese Migrante e do Refugiado se integrou na to, terminou em Fátima, a Peregrinação de Kiev/Ucrânia. 34ª Semana Nacional de Migrações, que LEITURA II Ef 5, 15-20 Internacional do Migrante e do Refugi- Participaram na Eucaristia quase 80 tem como lema: “Sinal de Tempos No- «Procurai compreender qual é a vontade de Deus» ado. Participaram na Eucaristia princi- grupos de peregrinos, vindos de vários vos”. Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Efésios pal deste encontro de fé, celebrada no países do mundo, três dos quais com D. Dionísio Lachovicz realiza, desde Irmãos:Vede bem como procedeis. Não vivais como insensatos, mas como pessoas Recinto de Oração do Santuário, 120 carácter internacional. Inscreveram-se o passado dia 9 e até 17 de Agosto, uma inteligentes. Aproveitai bem o tempo, porque os dias que correm são maus. Por isso mil peregrinos. no Serviço de Peregrinos do Santuário visita pastoral às comunidades ucrania- não sejais irreflectidos, mas procurai compreender qual é a vontade do Senhor. Não Presidiu à peregrinação D. Dionísio 4 grupos de peregrinos da Alemanha, 1 nas em Portugal, para conhecer melhor vos embriagueis com o vinho, que é causa de luxúria, mas enchei-vos do Espírito Lachovicz, responsável da Igreja Greco- do Botswana, 2 da Costa do Marfim, 1 o seu caminho de integração social e Santo, recitando entre vós salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e salmodiando Católica pelas Comunidades Ucrania- da Eslováquia, 11 de Espanha, 1 dos Es- religiosa. Neste contexto propôs-se a em vossos corações, dando graças, por tudo e em todo o tempo, a Deus Pai, em nas no Exterior, que esteve em Fátima tudos Unidos da América, 1 das Filipi- tecer uma série de encontros com en- nome de Nosso Senhor Jesus Cristo. na qualidade de delegado do Cardeal nas, 4 de França, 1 da Holanda, 4 da Ir- tidades públicas e da sociedade civil: Palavra do Senhor. Lubomyr Husar, patriarca da Igreja Gre- landa, 20 de Itália, 1 de Ilha Maurícia, 1 ACIME, SEF, Embaixada da Ucrânia, en- co-Católica da Ucrânia, impedido de do Peru, 4 de Polónia, 8 de Portugal, 2 tre outras. EVANGELHO Jo 6. 51-58 presidir à peregrinação por motivo de do Reino Unido, 6 da Ucrânia e 3 do Por decisão da Comissão Episcopal «A minha carne é verdadeira comida e o meu sangue é verdadeira bebida» doença. Vietname. da Mobilidade Humana da Conferência Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João A Eucaristia internacional foi celebra- Durante a homilia, D. Dionísio Lacho- Episcopal, Portuguesa, esta semana de Naquele tempo, disse Jesus à multidão: «Eu sou o pão vivo que desceu do Céu. da em rito latino e em rito oriental, o vicz abordou as causas da migração e sensibilização e encontro em todo o país Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que Eu hei-de dar é minha que aconteceu pela primeira vez no também alguns problemas que enfren- é dedicada à Imigração proveniente da carne, que Eu darei pela vida do mundo». Os judeus discutiam entre si: «Como pode Santuário de Fátima. A parte referente tam as comunidades de imigrantes, em Europa de Leste.“Os ucranianos são ac- Ele dar-nos a sua carne a comer?» E Jesus disse-lhes: «Em verdade, em verdade vos ao rito oriental/bizantino – realizada especial as originárias dos países do tualmente a segunda maior comunida- digo: Se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o seu sangue, não nesta Eucaristia desde momento da Leste Europeu, ainda a recuperar das de imigrante no país”, refere em comu- tereis a vida em vós. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida consagração até ao da comunhão – ca- sequelas deixadas pelo sistema soviéti- nicado a Obra Católica Portuguesa de eterna; e Eu o ressuscitarei no último dia. A minha carne é verdadeira comida e o racteriza-se pela oração em forma de co. Migrações. meu sangue é verdadeira bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue, permanece em Mim e Eu nele. Assim como o Pai, que vive, Me enviou e Eu vivo pelo cântico, que nesta Missa esteve a cargo Recorde-se que, a Peregrinação do Pai, também aquele que Me come viverá por Mim. Este é o pão que desceu do Céu; não é como o dos vossos pais, que o comeram e morreram: quem comer deste pão viverá eternamente». ARMANDO SOARES Palavra da salvação. ORAÇÃO DOS FIÉIS Irmãos: Nós, que fomos iluminados pela palavra de Deus e convidados a comer o Pão do Céu, elevemos ao Senhor as nossas preces, suplicando com toda a confiança: Abandonaram a barca R. Lembrai-Vos, Senhor, do vosso povo. 1. Pela santa Igreja católica e apostólica, e seguiram o Mestre pelos que ela convida para a mesa da Sabedoria, a Ceia do Senhor, Jesus, ouvindo dizer que João Baptis- to para salvaguardar sua vida da ambi- Missionária” e decidi-me a sê-lo tam- e pelos ministros da Palavra e do pão vivo, ta fora preso, saiu para a Galileia, indo ção de Herodes. Hoje, uns abandonam bém. A revista missionária Boa Nova, oremos, irmãos. habitar em Cafarnaúm. Começou a pre- o campo em busca da cidade, forman- desde há muitos anos que entrava em 2. Pelo nosso País e seu progresso verdadeiro, gar que o Reino de Deus estava próxi- do o fenómeno social da periferia das minha casa e era lida. “Os exemplos de pela boa administração das coisas públicas mo. “Caminhando ao longo do mar da grandes cidades. Outros vão de terra vida missionária me cativaram, e hoje e pelos que defendem os direitos dos mais pobres, Galileia, viu dois irmãos: Simão (chama- em terra, de país em país, admirando sou missionário no Brasil”, disse-nos um oremos, irmãos. do Pedro) e André, seu irmão, que lan- nosso planeta. E outros deixam o seu missionário que já gastou anos de vida 3. Pelas famílias de toda a terra e seus problemas, çavam a rede ao mar, pois eram pesca- país, a sua terra, a sua família e as suas pela missão em Moçambique. É certo pelos homens que vivem como insensatos dores. E disse-lhes: ‘vinde comigo e farei gentes, envolvidos pelo chamamento do que para seguir o Mestre e consagrar- e pelos que procuram a Deus com inteligência, de vós pescadores de homens. Na mes- Mestre e seguem-no para anunciar seu -se à vida missionária é bem preciso oremos, irmãos. ma hora abandonaram as redes e se- Evangelho noutro país. São anunciado- abandonar muita coisa que nos parece 4. Pelos jovens que se preparam para o matrimónio, guiram-no. Passando adiante, viu outros res da mensagem de Jesus a todos os atraente e bonita neste tempo de pelos esposos separados e seus filhos dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e povos. Seguem o convite de Jesus e con- marketing excessivo para as coisas ma- e pelos casais que são sinal do amor de Cristo, seu irmão João, que estavam com o pai sagram sua vida à missão ‘ad gentes’. teriais, numa vida sem dimensão de eter- oremos, irmãos. Zebedeu consertando as redes. Cha- “Ouvi falar dos missionários, o que me nidade. Importa notar que o amor de 5. Por todos nós que celebramos a Eucaristia, mou-os, e eles abandonaram a barca e cativou e me levou a esta grande aven- Deus não conhece fronteiras: e nos cha- pelos nossos amigos e vizinhos o pai e seguiram-no.” Vivemos num tura da missão universal”, diz um leigo. ma a anunciá-lo não só à nossa volta, e pelos que sentem a solidão e o abandono, mundo em que muitos são obrigados a “Senti no meu coração as palavras de num mundo descristianizado e vazio, oremos, irmãos. abandonar suas terras onde nasceram, Jesus: ‘vem e segue-me’, “Vi como os mas a dizer a todo o mundo “que o Senhor nosso Deus, dai-nos a graça de sermos solidários com todos os necessitados em procura de melhores condições de missionários vivem com ‘um verdadei- Reino de Deus já chegou”. É belo e ur- deste mundo e de nos alimentarmos cada dia do Corpo e do Sangue de Jesus, penhor vida para si e para os seus. A migração ro espírito de família’, e senti a necessi- gente anunciar a grande notícia de sa- do banquete da vida eterna. Por Nosso Senhor. é um grande fenómeno do nosso tem- dade de ser como eles. “ Li uma frase bermos que somos filhos dum mesmo po. Foi assim que Jesus fugiu para o Egip- de incentivo missionário na “Agenda Pai e irmãos entre nós”.
    • a voz de trás-os-montes 17 agosto 2006 desporto 21 Calendários de Futebol 2006/2007 CAMPEONATO NACIONAL DA CAMPEONATO NACIONAL DA III DIVISÃO Série “A” III DIVISÃO Série “B” 1.ª JORN. 16.ª JORN. 6.ª JORN. 21.ª JORN. 11.ª JORN. 26.ª JORN. 1.ª JORN. 16.ª JORN. 6.ª JORN. 21.ª JORN. 11.ª JORN. 26.ª JORN. 10/09 04/02 22/10 29/02 03/12 22/04 10/09 04/02 22/10 29/02 03/12 22/04 Cerveira - Mondinense Vianense - Vieira Cabeceirense - Torcatense S. P. Cova - Moncorvo Ataense - Vila Real Tirsense - O. Douro Amares - Merelinense M. Cavaleiros - Merelinense M. Cavaleiros - Joane AD Oliveirense - Vilanovense Leça - Vilanovense Leça - Canedo Brito - Vianense Cabeceirense - Mondinense Vianense - Limianos Pedras Rubras -Ataense Tirsense - Moncorvo Ataense - Ermesinde Miranedela - M. Cavaleiros Torcatense - Cerveira Merelinense - Vilaverdense Amarante - Leça O. Douro - S. P. Cova Vilanovense - Rebordosa Valdevez - Cabeceirense Joane - Amares Mondinense - Marinhas A. Lordelo - Tirsense Canedo - AD Oliveirense Moncorvo - Alijoense Marinhas - Torcatense Limianos - Brito Cerveira - Valdevez Alijoense - O. Douro Ermesinde - Pedras Rubras S. P. Cova - A. Lordelo Vilaverdense - Joane Vilaverdense - Mirandela Amares - Mirandela Rebordosa - Canedo Rebordosa - Amarante AD Oliveirense - Amarante Vieira - Limianos Marinhas - Valdevez Vieira - Brito Vila Real - Ermesinde Alijoense - A. Lordelo Vila Real - Pedras Rubras 2.ª JORN. 17.ª JORN. 7.ª JORN. 22.ª JORN. 12.ª JORN. 27.ª JORN. 2.ª JORN. 17.ª JORN. 7.ª JORN. 22.ª JORN. 12.ª JORN. 27.ª JORN. 17/09 18/02 29/10 25/03 10/12 29/04 17/09 18/02 29/10 25/03 10/12 29/04 Mondinense - Vieira Vianense - M. Cavaleiros Torcatense - Vieira Moncorvo - Vila Real Ataense - Leça O. Douro - Vila Real Merelinense - Cerveira Merelinense - Cabeceirense Joane - Cabeceirense Vilanovense - S. P. Cova Vilanovense - Tirsense Canedo - Tirsense Vianense - Amares Mondinense - Torcatense Limianos - M. Cavaleiros Ataense - AD Oliveirense Moncorvo - O. Douro Ermesinde - Leça M. Cavaleiros - Brito Cerveira - Joane Vilaverdense - Vianense Leça - Pedras Rubras S. P. Cova - Canedo Rebordosa - Ataense Cabeceirense - Mirandela Amares - Limianos Marinhas - Merelinense Tirsense - Amarante AD Oliveirense - Ermesinde Alijoense - Vilanovense Torcatense - Valdevez Brito - Vilaverdense Valdevez - Mondinense O. Douro - A. Lordelo Pedras Rubras - Rebordosa A. Lordelo - Moncorvo Joane - Marinhas Mirandela - Marinhas Mirandela - Cerveira Canedo - Alijoense Amarante - Alijoense Amarante - S. P. Cova Limianos - Vilaverdense Vieira - Valdevez Brito - Amares Ermesinde - Rebordosa Vila Real - A. Lordelo Pedras Rubras - AD Oliveirense 3.ª JORN. 18.ª JORN. 8.ª JORN. 23.ª JORN. 13.ª JORN. 28.ª JORN. 3.ª JORN. 18.ª JORN. 8.ª JORN. 23.ª JORN. 13.ª JORN. 28.ª JORN. 01/10 25/02 05/11 01/04 17/12 06/05 01/10 25/02 05/11 01/04 17/12 06/05 Mondinense - Merelinense M. Cavaleiros - Vieira Torcatense - Joane Moncorvo - Vilanovense Leça - Vila Real O. Douro - Canedo Cerveira - Vianense Cabeceirense - Vianense Cabeceirense - Limianos S. P. Cova - Ataense Tirsense - Ataense Tirsense - Ermesinde Amares - M. Cavaleiros Torcatense - Merelinense M. Cavaleiros - Vilaverdense AD Oliveirense - Leça O. Douro - Vilanovense Leça - Rebordosa Brito - Cabeceirense Joane - Mondinense Vianense - Marinhas Pedras Rubras - Tirsense Canedo - Moncorvo Ataense - Alijoense Mirandela - Torcatense Limianos - Cerveira Merelinense - Valdevez Amarante - O. Douro Ermesinde - S. P. Cova Vilanovense - A. Lordelo Valdevez - Joane Vilaverdense - Amares Mondinense - Mirandela A. Lordelo - Canedo Rebordosa - AD Oliveirense Moncorvo - Amarante Marinhas - Limianos Marinhas - Brito Cerveira - Brito Alijoense - Ermesinde Alijoense - Pedras Rubras S. P. Cova - Pedras Rubras Vieira - Vilaverdense Valdevez - Mirandela Vieira - Amares Vila Real - Rebordosa A. Lordelo - Amarante Vila Real - AD Oliveirense 4.ª JORN. 19.ª JORN. 9.ª JORN. 24.ª JORN. 14.ª JORN. 29.ª JORN. 4.ª JORN. 19.ª JORN. 9.ª JORN. 24.ª JORN. 14.ª JORN. 29.ª JORN. 08/10 04/03 19/11 07/04 14/01 13/05 08/10 04/03 19/11 07/04 14/01 13/05 Merelinense - Vieira M. Cavaleiros - Cabeceirense Vieira - Joane Vilanovense - Vila Real Leça - Tirsense Vila Real - Canedo Vianense - Mondinense Vianense - Torcatense Limianos - Torcatense Ataense - Moncorvo Ataense - O. Douro Ermesinde - O. Douro M. Cavaleiros - Cerveira Merelinense - Joane Vilaverdense - Cabeceirense Leça - S. P. Cova Vilanovense - Canedo Rebordosa - Tirsense Cabeceirense - Amares Mondinense - limianos Marinhas - M. Cavaleiros Tirsense - AD Oliveirense Moncorvo - Ermesinde Alijoense - Leça Torcatense - Brito Cerveira - Vilaverdense Valdevez - Vianense O. Douro - Pedras Rubras S. P. Cova - Rebordosa A. Lordelo - Ataense Joane - Mirandela Amares - Marinhas Mirandela - Merelinense Canedo - Amarante AD Oliveirense - Alijoense Amarante - Vilanovense Limianos - Valdevez Brito - Valdevez Brito - Mondinense Ermesinde - A. Lordelo Pedras Rubras - A. Lordelo Pedras Rubras - Moncorvo Vilaverdense - Marinhas Vieira - Mirandela Amares - Cerveira Rebordosa - Alijoense Vila Real - Amarante AD Oliveirense - S. P. Cova 5.ª JORN. 20.ª JORN. 10.ª JORN. 25.ª JORN. 15.ª JORN. 30.ª JORN. 5.ª JORN. 20.ª JORN. 10.ª JORN. 25.ª JORN. 15.ª JORN. 30.ª JORN. 15/10 11/03 26/11 15/04 04/01 02/05 15/10 11/03 26/11 15/04 04/01 02/05 Merelinense - Vianense Cebeceirense - Vieira Joane - Limianos Vilanovense - Ataense Tirsense - Vila Real Canedo - Ermesinde Mondinense - M. Cavaleiros Torcatense - M. Cavaleiros Torcatense - Vilaverdense Moncorvo - Leça O. Douro - Leça P. Douro - Rebordosa Cerveira - Cabeceirense Joane - Vianense Cabeceirense - Marinhas S. P. Cova - Tirsense Canedo - Ataense Tirsense - Alijoense Amares - Torcatense Limianos - Merelinense M. Cavaleiros - Valdevez AD Oliveirense - O. Douro Ermesinde - Vilanovense Leça - A. Lordelo Brito - Joane Vilaverdense - Mondinense Vianense - Mirandela Pedras Rubras - Canedo Rebordosa - Moncorvo Ataense - Amarante Mirandela - Limianos Marinhas - Cerveira Merelinense - Brito Amarante - Ermesinde Alijoense - S. P. Cova Vilanovense - Pedras Rubras Valdevez - Vilaverdense Valdevez - Amares Mondinense - Amares A. Lordelo - Rebordosa A. Lordelo - AD Oliveirense Moncorvo - AD Oliveirense Vieira - Marinhas Mirandela - Brito Cerveira - Vieira Vila Real - Alijoense Amarante - Pedras Rubras S. P. Cova - Vila Real TAÇA DE CAMPEONATO NACIONAL DA II DIVISÃO Série “A” PORTUGAL O sorteio realizado no pas- 1.ª JORN. 14.ª JORN. 4.ª JORN. 17.ª JORN. 7.ª JORN. 20.ª JORN. 10.ª JORN. 23.ª JORN. 13.ª JORN. 26.ª JORN. sado dia 8 de Agosto referen- 10/09 15/10 05/11 03/12 14/01 te à 1.ª Eliminatória da Taça Vila Meã - Maia Pontossalense - Moreirense Freamunde - Lixa Ribeirão - Moreirense Maria Fonte - Fafe de Portugal, e que se realiza Lousada - Pontassolense Freamunde - Maia Pontossalense - Ribeirão Maria Fonte - Lixa Ribeirão - Famalicão no próximo dia 3 de Setem- Marítimo B - Freamunde Lixa - Vila Meã Maia - Maria Fonte Fafe - Freamunde Lixa - Rib. Brava bro, ditou os seguintes encon- BRAGANÇA - Lixa Ribeirão - Lousada Vila Meã - Fafe Famalicão - Pontossalense Freamunde - BRAGANÇA tros na Zona Norte: Rib. Brava - Ribeirão Maria Fonte - Marítimo B Lousada - Famalicão Rib. Brava - Maia Pontossalense - Marítimo B Famalicão - Maria Fonte Fafe - BRAGANÇA Marítimo B - Rib. Brava BRAGANÇA - Vila Meã Maia - Lousada Merelinense-Vilaverdense Moreirense - Fafe Famalicão - Rib. Brava Moreirense - BRAGANÇA Marítimo B - Lousada Vila Meã - Moreirense Marinhas-MÃE D’ÁGUA P. SALGADAS-Amares 2.ª JORN. 15.ª JORN. 5.ª JORN. 18.ª JORN. 8.ª JORN. 21.ª JORN. 11.ª JORN. 24.ª JORN. Bougadense-MONDINENSE 17/109 22/10 19/11 10/12 ALIJOENSE-Leça Maia - Moreirense Pontossalense - Freamunde Lixa - Moreirense Ribeirão - Maria Fonte AD Oliveirense-S. P. Cova Pontossalense - Vila Meã Maia - Lixa Ribeirão - Freamunde Lixa - fafe Torcatense-MONCORVO Freamunde - Lousada Vila Meã - Ribeirão Maria Fonte - Pontossalense Freamunde - Famalicão Canas Senhorim-Cerveira Lixa - Marítimo B Lousada - Maria fonte Fafe - Maia Pontossalense - Rib. Brava Valdevez-VILA REAL Ribeirão - BRAGANÇA Marítimo B - Fafe Famalicão - Vila Meã Maia - BRAGANÇA Joane-Amarante Maria fonte - Rib. Brava BRAGANÇA - Famalicão Rib. Brava - Lousada Vila Meã - Marítimo B MIRANDELA-Vieira Fafe - Famalicão Moreirense - Rib. Brava BRAGANÇA - Marítimo B Moreirense - Lousada Rebordosa-Vianense A. Lordelo-Limianos 3.ª JORN. 16.ª JORN. 6.ª JORN. 19.ª JORN. 9.ª JORN. 22.ª JORN. 12.ª JORN. 25.ª JORN. Vilanovense-Ataense 01/10 29/10 26/11 17/12 O. Douro-Pedras Rubras Maia - Pontossalense Freamunde - Moreirense Lixa - Ribeirão Moreirense - Maria Fonte Ermesinde-Serzedelo Vila Meã - Freamunde Maia - Lixa Freamunde - Maria Fonte Fafe - Ribeirão Tirsense-Cabeceirense Lousada - Lixa Vila Meã - Ribeirão Pontossalense - Fafe Famalicão - Lixa Neves-Brito Marítimo B - Ribeirão Lousada - Maria Fonte Maia - Famalicão Rib. Brava - Freamunde BRAGANÇA - Maria Fonte Marítimo B - Fafe Vila Meã - Rib. Brava BRAGANÇA - Pontossalense Isentos: Rib. Brava - Fafe BRAGANÇA - Famalicão Lousada - BRAGANÇA Marítimo B - Maia Canedo e Macedo de Cavaleiros Moreirense - Famalicão Moreirense - Ribeira Brava Moreirense - Marítimo B Lousada - Vila Meã
    • 22 desporto 17 agosto 2006 a voz de trás-os-montes JOVENS VIERAM DO ESTRANGEIRO agostinho chaves Bar do Sport Vila Pontapé Ambiente, Cultura e Acção Social Real e Benfica de Saída revestiram Estágio de Futebol A Direcção do Sport Vila Real e Benfica aprovou por unanimi- dade, na sua reunião de 12 de Julho de 2006, abrir concurso para cessão da exploração do bar do sua sede social, nas seguintes OS GUARDA-REDES condições: Guarda redes. “Porte- Forma e prazo ros”, em Espanha; “Kee- • As propostas devem ser apresentadas em envelope fechado, pers”, na Inglaterra;“Golei- contendo a identificação do candidato (B.I., N° contribuinte, ros”, no Brasil. Jogadores morada e telefone), e as condições propostas; especiais. Usam mais as mãos que os pés. Têm di- • As propostas devem ser entregues à direcção do SVRB até reito a um treinador espe- ao próximo dia 4 de Setembro pelas 22.00h, na nossa sede; cífico. • A abertura das propostas efectuar-se-á no dia 5 de Setembro Duram mais tempo, pelas 21.00h, na sala da direcção do SVRB; como jogadores, dizem que • À abertura das propostas apenas será permitida a presença é por não correrem tanto. dos candidatos e dos membros dos órgãos sociais do SVRB. Também há quem diga que, para ser guarda-redes, Indicações Gerais é preciso ser um tanto “de- • O candidato indica o valor da compensação mensal que se saparafusado”. propõe entregar ao SVRB; Peter Hankle dedicou- • Além do valor do compensação mensal estabelecida, compe- -lhes uma obra literária que tirá ao candidato o pagamento do consumo de água,TV Cabo, figura nas Bibliotecas de electricidade e gás da sede do SVRB e assegurar a boa limpe- todo o mundo: “A angústia za de toda a sede; do guarda-redes, no mo- Estágio de Futebol reforçado com as áreas do Ambiente, Cultura e Acção Social • Os candidatos devem indicar nas suas propostas o horário que mento do penalty”. Dizem que, nesse mo- se propõe praticar; mento, o guarda-redes que Muitos jovens, com vens, com idades compreendi- plantação de árvores e conhe- • A direcção do SVRB deliberará sobre as propostas apresenta- das entre os oito e os dezoito cimento de vários locais, nome- está de costas para a bali- idades entre os oito e os anos de idade, vindos, essenci- adamente uma visita guiada ao das na sua reunião de 06/09/06; za acha que ela é muito dezoito anos de idade, almente, de França, sendo que Complexo Mineiro Romano de • O candidato escolhido compromete-se a assegurar o bom fun- grande e que o avançado vieram, essencialmente, alguns têm ligações familiares a Tresminas. No aspecto social, cionamento do bar a partir de 11/09/06; que a vê de frente, enten- Portugal, participaram num es- um jovem em franca recupera- de que ela é muito peque- de França, para tágio de futebol que foi apadri- ção integrou a comitiva, na visi- • A direcção reserva-se o direito de não aceitar a melhor pro- posta se considerar que ela, independentemente dos valores, na. Também há cientistas participar num estágio nhado pela participação do ex- ta a Portugal. não serve os interessados do SVRB; que afirmam que, se um desportivo que se jogador Jorge Couto que Na zona de jogos, a teoria e • No acto de adjudicação será assinado o acordo de gestão “penalty” for conveniente- actuou, entre outros, no F. C. a prática de tácticas desporti- mente marcado, o guarda- realizou no concelho Porto e no Boavista. vas de jogadores que, no estran- com a indicação concreta dos direitos e deveres do gestor redes não tem hipóteses, aguiarense. José Machado, Presidente da geiro, sendo de equipas diferen- do bar e do SVRB. O prazo de duração deste acordo é de um porque só se pode mexer Associação “Alex Foot”, subli- tes, fazem todos parte do mesmo ano; depois que a bola saia da Desporto, Ambiente, Cultura nhou a importância de conju- grupo. Antes da ida à piscina que • É necessário que o candidato escolhido se torne sócio do marca. Dizem esses cientis- e Acção Social são as fortes gar as várias componentes, na culminou as actividades do está- SVRB; tas que basta impulsionar componentes do estágio de fu- formação dos jovens, porque, gio, o Vereador da Juventude da a bola, para o segundo ter- tebol da escola “Alex Foot” que “além da prática desportiva, os edilidade, treinadores e jogado- Para mais informações sobre a proposta do acordo de gestão ço da baliza, a uma veloci- trouxe muitos jovens a Vila Pou- jovens têm de ser sensibilizados res amigos juntaram-se ao gru- contacte a direcção do SVRB. dade de 80 km/h, para ser, ca de Aguiar onde, para além de para a Natureza, para o Social e po, para o registo fotográfico, no praticarem o desporto-rei, tam- para o Conhecimento”. campo de jogos. matematicamente, impossí- vel ao “keeper” reagir, efi- bém ficaram a conhecer o con- Neste sentido, aos treinos POMBAL DE ANSIÃES celho aguiarense. regulares, no Estádio Municipal João Cláudio cazmente, para a deter. (O Eusébio nunca teve li- ções de física, com esses Durante uma semana deste mês de Agosto, mais de 20 jo- 1.º de Maio, acresceu um incen- tivo à “Aguiarfloresta”, para “Rota das Vindimas”, senhores, e raramente fa- lhou um “penalty” e o Ri- FIM-DE-SEMANA DESPORTIVO em BTT cardo – os ingleses que o Decorrerá, nos dias 16 e 17 de Setembro, o 31.º aniversário da digam – desmentiu já, vári- as vezes, tal asserção). Dezenas de crianças e jovens Associação Recreativa e Cultural de Pombal de Ansiães. Inserido na comemoração, realiza-se o 1.º BTT “Rota das Vindi- João Azevedo, Soares dos Reis, Barrigana, Carlos Gomes, José Pereira, Cos- em movimento mas” que vai coincidir com o pleno início das mesmas. Pombal de Ansiães é uma freguesia do concelho de Carrazeda de Ansiães, pertencente, por isso mesmo, à grande região de Trás- ta Pereira, Américo, Maló, O fim-de-semana de 12 e 13 O Torneio de Matraquilhos foi Polidesportivo de Vila Marim, os-Montes, situada, completamente, ao sul de todo o distrito de Vital, Rola, Roldão, José de Agosto foi de grande anima- outra actividade deste dia e, supervisionadas pela organiza- Bragança e integrando-se, fisicamente, na Região Demarcada do ção e desportivismo, na fregue- como a freguesia se situa nas ção e técnicos especializados Henriques, Bento, Vítor Douro Património Mundial. sia de Vila Marim. O fim-de-se- encostas da serra do Marão, nas diversas modalidades prati- Damas, Vítor Baía são no- A freguesia distingue-se em vertentes económicas que têm tudo mana desportivo, organizado tornou-se imperativa uma acção cadas. O I Fim-de-Semana Des- mes que nunca são esque- a ver com a produção de azeite e vinho generoso (vinho do Por- pela Comissão Instaladora da educativa em Protecção Flores- portivo de Vila Marim terminou cidos. Associação Juvenil, Cultural e tal que foi organizada pelo Ga- com um Torneio de Futsal. to) e de mesa. É por isso que, anualmente, a ARCPA promove as Os seus volteios, golpes Desportiva de Vila Marim (CI- binete Técnico Florestal do Para Hélder Ferreira, Presi- conhecidas e muito participadas Provas/Concurso de Vinhos de de rins, socos na bola, voos AJCDVM), revelou-se um suces- Município de Mesão Frio. dente da Comissão Instaladora, Mesa da freguesia de Pombal de Ansiães. arrojados e, até, os “fran- so, pela adesão tanto de jovens O domingo foi preenchido “este tipo de eventos serve para Trata-se, também, da única freguesia do distrito de Bragança gos” que cometem são fas- participantes como de público. pelo “Gira-Volei”, com a forma- provar que é possível fazer-se ac- que possui uma estância termal (Caldas de S. Lourenço) que dis- cinantes e ficam-nos na Contabilizaram-se entre 60 a 70 ção a ser dirigida pelo Clube tividades interessantes, sempre tam dois quilómetros de Pombal de Ansiães e que tiveram o seu memória. participantes, com idades com- Náutico de Caldas de Aregos e com os pés bem assentes no auge nas longínquas décadas de trinta e quarenta e que embora E, no entanto, as “gran- preendidas entre os 6 e os 16 pela Associação de Voleibol de chão, sem grandes gastos, a nível hoje sobre elas recaia um enorme manto cinzento, não deixam de des transferências”, as mais anos. Viseu-Lamego. financeiro, e que acabam por ter oferecer reconfortantes banhos a quem as procura, dada a exce- badaladas, nunca passam No primeiro dia, sábado, de- Os jovens participantes tive- um retorno emocional, muito lente qualidade das águas, ainda muito afamadas e medicamente pelos intérpretes do fute- correu uma acção de formação ram ao seu dispor um insuflável importante”. testadas por estudos hidrológicos realizados, mas que, infelizmen- bol que ocupam aquele de Andebol, organizada pela As- gigante e duas piscinas, para se A CIAJCDVM vai assegurar te, não estão a ser aproveitadas. sector decisivo dos cam- sociação de Andebol de Vila Real, poderem divertir e refrescar, a repetição desta iniciativa, no A prova de BTT “Rota das Vindimas” é organizada pela Associ- pos. Porque será? a qual foi seguida pela aplicação nos intervalos das actividades próximo ano. ação Recreativa e Cultural de Pombal de Ansiães, pelo Clube de prática, através de alguns jogos. que se realizaram no Pavilhão Ciclismo de Vila Flor e pelo Inatel. chave do concurso n.º 33/2006 UNIVERSIDADE FM, 104.3FM TOTOLOTO 21 25 29 30 35 47 + 15 FUTSAL RELATOS LOTO 2 10 20 31 40 44 48 + 2 MUNDIAL UNIVERSITÁRIO JOKER 7 3 7 0 6 0 1 Quinta-feira, 17/08, 19h - Portugal/Brasil (jogo de preparação) Sábado, 23/08, 19h - Brasil /AAUTAD (jogo de preparação) EURO MILHÕES [ CONCURSO32] 27 28 31 46 47 + 2 5 www.universidade.fm
    • a voz de trás-os-montes 17 agosto 2006 desporto 23 CICLISMO FUTSAL MMF/FF “Seis horas de Bragança” Campeonato Um passeio de Cicloturismo, designado “Seis horas de Bragança, em bicicleta” vai ter lugar, no dia 20, com a organização cometida à Mundial BOCAS DE CAFÉ Associação de Ciclismo de Bragança. O trajecto vai cobrir Carrazedo, Castrelos e Bragança, numa dis- Universitário CHAVES ROGÉRIO tância de 60 quilómetros. Vai decorrer, em Boticas e em Vila Real, um es- As camadas jovens do Des- Ponta de lança que já repre- O início da prova está marcado para as 9.30 horas, após concen- portivo de Chaves começaram sentou o Vila Real, na 2.ª Divi- tágio de preparação das Selecções Nacionais do o seu trabalho, no dia 1 de são Nacional, e que passou tração, na Rotunda Flor da Ponte (onde está sedeada a Associação Brasil e de Portugal, tendo em vista a realização pelo Freamunde, Paredes e Agosto, tendo em vista a par- organizadora do evento). ticipação nos Campeonatos Cinfães, renovou, por mais uma do Campeonato Mundial Universitário que terá Haverá trofeus para todos os participantes e a atribuição de tro- Nacionais de Juniores da 2.ª Di- temporada, com o Cinfães. feus-surpresa, no decorrer do almoço de convívio que acontecerá lugar na cidade polaco de Poznam. visão e de Iniciados. A turma A recepção às duas selecções vai acontecer, hoje, TEIXEIRA às 14 horas. dos Juniores continua a ser na Câmara Municipal de Boticas, às 15.30 horas. orientada pelo conhecido Joa- Este atleta que representou A data limite para a inscrição é amanhã, dia 18, através da Associ- quim Sanches e tem, como re- o Abambres, não ficou no Ré- ação de Ciclismo de Bragança (telefones 919 750 431, 919 758 716 Às 19 horas, as duas formações vão defrontar-se, gua, em virtude de não ter che- forços, os seguintes elementos: ou 963 010 250; fax 273 327 887 ou E-mail (acbraganca@bcd.pt). no Pavilhão Municipal da vila barrosã. gado a acordo de verbas. Tei- Gilberto Gonçalves (ex-Vida- go), Hugo Costa (ex-Pedras xeira está, assim, livre, Salgadas), Jonathan (ex-F. C. disponível para abraçar outros projectos. G. D. R. FIOLHOSO Porto), Ricardo Jonas (ex- Abambres), Ricardo Sousa (ex- TAROUQUENSE Sabroso) e Stefano Nicomédio Clube está sem Direcção (ex-Valpaços). Diz-se, também, que Telmo (ex-Diogo Cão) Henrique renovou, por mais uma temporada, com a turma orientada por João Valente que Assinado por José Manuel 2 – Dar a possibilidade a 2004, o Sr. Presidente da Câ- para que todos saibam, as au- pode ingressar no conjunto fla- passa a contar, deste modo, Meireles Marcolino, ex-Presi- outras pessoas de constituir mara Municipal prometeu, tarquias recebem, todos os viense. Estão já agendados en- com mais um atacante. Este contros com o Montalegre, teinador continua à procura de dente da Direcção do Gru- a Direcção, enfrentando e durante a realização do con- anos, verbas destinadas ao Boticas e Vidago. Na categoria um ponta de lança que possa po Desportivo e Recreativo provando que gostam, real- vívio de fim de época, proce- Desporto. Por isso, a sua de Iniciados, Rui Mota é o téc- de Fiolhoso, recebemos um mente, de Fiolhoso e do clu- der à drenagem do campo, obrigação é atribuí-las a fazer a diferença. nico, o qual terá, como adjun- Comunicado, com pedido de be; coisa que não cumpriu: limi- quem de direito. to, Silvino Sousa. As aquisições BIBI publicação, relevando os as- tou-se a meter alguns cami- Caros Sócios e Cidadãos, são as seguintes: Albano Mes- Afinal, vai jogar no Maia, on- 3 - Esta Direcção teve, quita (ex-Vilarelho), Eduardo pectos que levaram à saída ões de saibro, para tapar os perante tudo isto, façam a de terá, como técnico, Rui Es- sempre, por princípio, plane- Teixeira (ex-Murça), Fábio Pe- teves, ex-jogador do Setúbal e dos elementos que constitu- olhos a todos os cidadãos de vossa análise. Perante tudo ar a época com antecedên- reira (ex-Murça), Marcel Gon- do Benfica. Bibi é extremo es- íram a Direcção do clube, por Fiolhoso que gostam do clu- isto, esta Direcção só tem cia. Infelizmente, nunca o çalves (ex-Sion), Pedro Carva- querdo e jogou no Leixões e razões que nele alega e que be, pensando que ele iria que se orgulhar do trabalho pôde fazer, de forma eficaz, lho (ex-Murça) e Miguel Tourizense, na época passada, transcrevemos. cumprir. que realizou.Apesar de todas Teixeira (ex-Flaviense). Os ob- porque as promessas feitas tendo sido apontado como re- Em contrapartida, investiu as dificuldades que se atraves- jectivos destas duas formações forço do Pedras Rubras. pelas Autarquias, de uma ma- no Campo do Clube do Por- À POPULAÇÃO saram à sua frente, no seu passam pela manutenção, nos neira geral, nunca foram cum- rais, contra o que não temos Campeonatos Nacionais res- RICARDO JONAS E AOS SÓCIOS percurso, conseguiu chegar pridas; nada. Por outro lado, atente- pectivos. O valoroso avançado do ao fim da época de cabeça Na Assembleia-Geral de se no investimento que foi Abambres que havia sido as- Relativamente à Câmara erguida, conseguindo manter RÉGUA apresentação de contas aos feito no Estádio de Murça. sediado por diversos clubes da Municipal, nem, sequer, cum- o clube na Divisão de Honra Diogo renovou, por mais I Divisão Nacional de Juniores Sócios que se realizou no dia Relativamente a este últi- priu com as reuniões que o e com um saldo financeiro uma temporada, com a turma optou por ingressar no Des- 10 de Junho, tivemos o cui- mo, nós não pretendíamos Sr. Presidente dizia que ia positivo. reguense que contratou Shus- portivo de Chaves que, como dado de os informar das in- um Estádio, mas, sim, melho- ter ao Fiolhoso. Destaque, ain- convocar. Quando informava Importa realçar a excepci- se sabe, irá disputar o Campe- tenções de cada um dos ele- res condições e menos desi- da, para a formação Sénior, dos onato Nacional de Juniores da a Direcção, de forma mera- onal postura do plantel, cons- mentos daquela Direcção, gualdade financeira. ex-Juniores Hugo Daniel e 2.ª Divisão. Uma aposta que se mente verbal, das verbas que tituído por homens de gran- para a época desportiva de Perante tal cenário, cum- Hugo. O plantel é constituído espera dê frutos, já que quali- ia disponibilizar, já a época ti- de nível, humildes, 2006/2007. pre-nos perguntar: não tem pelos seguintes atletas: Toni, dades não lhe faltam. nha começado e, mesmo as- respeitadores e disciplinados. Fontinha (ex-Abambres), Jony, Quanto aos elementos sido o Fiolhoso, durante vá- RICARDO FONSECA sim, as verbas eram de um O técnico Fernando Ma- Dany, Bruno Figueiredo, Gor- presentes, cada um respon- rias épocas, o clube que mais determinado valor, para, pos- chado, é um homem de ca- dilho (ex-Santa Marta), Daniel, Guarda-redes que, nas últi- deu por si. E, relativamente tem representado o conce- mas épocas, jogou no Moncor- teriormente, por escrito, se- rácter, um excelente treina- Carraça, Marante, Renato, Flá- aos elementos que, por mo- lho, ao defrontar os grandes vio (ex-Barqueiros), Hélder I, vo, vai defender as cores do rem indicados outros núme- dor e, para além disso, às tivos de força maior, estive- clubes do Distrito? Então, por Hélder II, Rivaldo, Ricardo Mar- Pedras Rubras. ros diferentes, para menos, vezes, parecia, também, mais ram ausentes, foi dada a in- que há-de o Clube do Fiolho- tins, Shuster (ex-Fiolhoso), Bar- RICARDO CRUZ claro está. um elemento da Direcção. formação, através do so ser o parente pobre? roso (ex-Fiolhoso), Diogo, Nesta época, recebemos Não esquecemos os Mas- Hugo Daniel e Hugo. O técni- Pode ser reforço dos re- Presidente do Clube, de que Quanto ao outro órgão au- guenses que procuram um menos cinco mil euros, em sagistas que estiveram con- co é Rosário que terá, como não iam constituir Direcção, tárquico, a Junta de Fregue- central, com experiência. Ricar- relação ao que foi prometi- nosco, esta época, sem inte- adjunto, Gordilho. Não reno- na próxima temporada. sia, é um órgão local, o órgão do Cruz tem jogado no Fio- do. resse financeiro, antes varam Artur, Nogueira, Pedro, Assim sendo, através des- gestor que se devia orgulhar Manuel, Ricardo Teixeira, Caio lhoso, após algumas tempora- Apesar de tudo isto, quan- motivados pelo trabalho que das ao serviço do Bairro te comunicado, vimos com- do clube, nas épocas anteri- e Ricardo Gomes. do, finalmente, começava a realizaram, pelo convívio e Latino. plementar a informação e ores, pouco ou muito, tarde atribuir o subsídio prometi- pela amizade. Para todos eles, LOBRIGOS pretender que a mesma seja e a más horas, lá ia dando ANTERO do, andava sempre atrasado os nossos agradecimentos. Ricardo Teixeira e Pedro (ex- levada ao conhecimento de umas migalhas, enfim, seria o Médio defensivo que jogou no tempo, vários meses atra- Também aos nossos digníssi- Régua) são dois reforços para todos aqueles que não esti- que a sua exemplar gestão no Vinhais, emprestado pelo sado, obrigando, todos os mos sócios, àqueles que, sem- a formação que será orienta- veram presentes na Assem- lhes permitia: mil e trezentos Rio Ave, é reforço do Oliveira meses, alguém da Direcção a pre, souberam apreciar o da por Nogueira, que jogou no do Hospital que recebeu, ain- bleia Geral, atendendo a que euros, na época 2004/2005. S. C. Régua. telefonar e a deslocar-se à nosso trabalho, resta agrade- da, o empréstimo de Chapinha muitos associados só agora Nesta época, nem aquelas Câmara Municipal, por vári- cer todo o apoio que nos VALPAÇOS e de Calado, do Grupo Des- estão a chegar à aldeia. habituais migalhas que lhes as vezes, tendo que esperar deram, ao longo de todo o Luciano (ex-Carrazedo de portivo de Chaves. As razões que levam estes foram solicitadas, inicialmen- várias horas, à porta do gabi- tempo. Montenegro), José Maria (ex- MURÇA elementos a abandonar a Di- te por escrito e, depois, ver- nete, em cada deslocação, Vinhais), PH (ex-Pedras Salga- recção são diversas, tais balmente, se dignaram dar, À vossa consideração: Nélson, Filipe, Paulinho e apesar de a autarquia se ter das), André Ervões (ex-Futsal) Bino renovaram, por mais uma como: nem um cêntimo, apesar das O Ex-Presidente do Clube comprometido a disponibili- são reforços do Valpaços que temporada, com a formação 1 - A maior parte dos ele- zar o cheque, até ao dia 8 de constantes promessas que José Manuel Meireles Marcolino será orientado por Marco Ber- orientada por José Alberto que mentos já fazem parte da Di- cada mês. Mais parecia que se faziam, sempre que eram pe- nardes. O clube viu assegura- procura constituir um plantel didas. Por fim, já diziam que da a manutenção de Miguel Ja- capaz de garantir, o mais rapi- recção, há várias épocas. Nin- andava a pedir uma esmola. não tinham dinheiro. nuário, Tony, Cruzeiro, Miguel damente possível, a manuten- guém é eterno, em lado Já agora, importa informar Conveniente, Reis e Roberto. Quanto a não ter dinheiro, ção. nenhum; que, no fim da época 2003/ VILA POUCA ATEI Rui Ralha vai manter-se à Gabriel, Peixe e Miguel A informação regional DESPORTO frente da equipa técnica do Vila são três baixas garantidas, Pouca, em 2006/2007.A Direc- no plantel, com vista à épo- também na RÁDIO ção do clube continuará a ser ca 2006/2007. O mesmo garantida pela Comissão Admi- poderá acontecer com Mi- rádio onda livre (m. de cavaleiros) * rádio brigântia (bragança) nistrativa que, na temporada cael, Neves, David e César, rádio montalegre * rádio ansiães (carrazeda de ansiães) rádio vinhais * rádio tfm (chaves) Telef. 254 820 000 97.9 e 104.9 anterior, esteve à frente dos jogadores que interessam rádio universidade (vila real) * rádio terra quente (mirandela) seus destinos. ao Vilarinho.
    • 24 publicidade 17 agosto 2006 a voz de trás-os-montes † Agradecimento www.puzzle.com.pt Alfredo dos Santos FERRADOR Macedo (Reformado da G.N.R. e Pai de Francisco José Prior Macedo - Seg. Social) PRECISA-SE Sua Família, muito sensibilizada, vem, por este meio, ESTAFETA VTM2932•17.08.2006 agradecer a todas as pessoas que se incorporaram no funeral do saudoso extinto, bem como àquelas que se VTM2932•17.08.2006 dignaram assistir à Missa de 7.º dia, ou que, de qualquer para VILA REAL T. 965 872 525 outro modo, lhe manifestaram o seu pesar. T. 259 374 207 A todas, desde já, expressa o seu profundo reconheci- T. 968 613 403 VILA REAL mento. † VTM2932•17.08.2006 Agradecimento CÂMARA MUNICIPAL DE VILA REAL PUBLICITAÇÃO DOS BENEFÍCIOS CONCEDIDOS PELA CÂMARA MUNICIPAL DE VILA REAL A PARTICULARES (N.° 2 do Art.° 3.° da Lei n.° 26/94, de 19 de Agosto) Luís de Almeida Esteves TRANSFERÊNCIAS - I.” SEMESTRE/2006 de Oliveira BENEFICIÁRIO MONTANTE DATA DAS DECISÕES Sua Família, muito sensibilizada, vem, por este meio, agrade- Associação Comercial e Industrial de Vila Real 40.000,00 € 2006.05.24 cer a todas as pessoas que se incorporaram no funeral do Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários saudoso extinto, bem como àquelas que se dignarem assistir à Salvação Pública Cruz Branca de Vila Real 30.000,00 € 2006.03.29 Missa de 7.º dia, que será celebrada no dia 19 de Agosto (Sába- do), pelas 18 horas, na Igreja de Santo António – Vila Real, ou Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários que, de qualquer outro modo, lhe manifestaram o seu pesar. de Vila Real e Cruz Verde 30.000,00 € 2006.03.29 A todas, desde já, expressa o seu profundo reconhecimento. Associação Norte Cultural/Orquestra do Norte 20.713,65 € 2006.02.15 Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores da Câmara Municipal e S.M.A.S. 14.963,94 € 1991.12.30 25.000,00 € 2005.06.01 † Centro Social e Paroquial de Santo António Nervir – Associação Empresarial 50.000,00 € 2006.02.01 Sport Clube de Vila Real 59.500,00 € 2006.01.18 Vila Real, 11 de Agosto de 2006 O Presidente da Câmara Dr. Manuel do Nascimento Martins Mário Rui Presa Gomes † Faleceram No dia 12/08, em Vila Cova,An- Nunca tive muito jeito para expressar o que me” vai na alma” tónio Augusto da Costa, de 55 (o que sinto, o que penso,…), mas agora tenho necessidade de anos. Era casado com Ana Amélia Martins do Souto Costa. escrever apenas algumas das frases que diariamente ocupam os No dia 13, em Outeiro, Borbe- meus pensamentos, e que eu quero dedicar àquele que foi, é e la, Manuel Joaquim Gomes da Sil- será sempre o meu Amor. va, de 76 anos. Era casado com Ana Sena Gomes e pai de Cidália, Cé- Meu Amor: lia, Júlio, Judite, Rosa Maria e Fáti- ma Sena Silva. Há já oito anos que partiste. Oito longos anos de dor, soli- No mesmo dia, em Lamares,Al- dão, tristeza e saudade crescentes. bertino da Silva, de 66 anos. Era - Porquê, meu Deus? – Pergunto-me tantas vezes. casado com Maria Manuelina de - É o destino.Tinha que ser assim. – Respondo-me, para me Matos Teixeira Silva e pai de Eugé- convencer e ajudar a enfrentar a realidade. nia Carla e Celina Teixeira Silva. Eu sei que, onde quer que estejas, estás a pedir a Deus e a No dia 14, em Vila Real, Luís Al- velar por todos nós, estás sempre atento às nossas vidas, mas meida Esteves Oliveira, de 74 anos. isso não faz com que a dor, a solidão e a tristeza me abando- Era casado com Maria do Céu Es- nem. Sinto muito a tua falta, meu Amor! Ainda tinhas cá muito teves Oliveira. que fazer e que dar. Temo não conseguir saber fazer bem o No dia 15, em Vale Nogueiras, duplo papel que tão drasticamente me foi aplicado. Fazes-me Laurinda da Conceição Vieira Gonçalves, de 72 anos. Era casada muita falta para me ajudar a resolver os problemas que sur- com José Paulino Ferreira de Pi- gem e para tomar as decisões correctas. Por vezes faltam-me nho e mãe de Maria do Céu e Jo- as forças e penso que já não sou capaz de as recuperar. aquim Jorge Gonçalves de Pinho. Dizem que o tempo tudo cura e leva ao esquecimento, mas ——— não é verdade. O tempo que passa traz cada vez mais sauda- Elementos fornecidos pela Agência des, mais solidão, mais tristeza… uma sensação de vazio. Funerária Martinho M. da Costa Os Amigos de verdade são os únicos que pensam como eu e me dão apoio e ajuda quando eu os solicito. Os “outros”, Agência sim, esses já esqueceram de certeza, alguns até já não me conhecem. Funerária REBELO Já que é impossível voltar atrás e ter-te de volta, meu Amor descansa em Paz e continua a Velar por nós. 2006/08/22 Funerais A tua mulher que sempre te amará Trasladações Missa de 8.º Aniversário Cremações Sua Família, vem por este meio participar a Missa de Tel. 259 323 127 7.º Aniversário do seu passamento que será celebrada (permanente) no dia 22 de Agosto (Terça-feira), pelas 18 horas, na Igreja de Nossa Senhora da Conceição – Vila Real. Rua Serpa Pinto, 4 Desde já, agradece a quem se dignar assistir a este 5000-616 VILA REAL piedoso acto.
    • a voz de trás-os-montes 17 agosto 2006 publicidade 25 PRECISA-SE PRECISA-SE LEIA, ASSINE PARA RESTAURANTE DE MENINA PARA EM VILA REAL E DIVULGUE ASSISTENTE DENTÁRIA EMPREGADO(A) VTM2932•17.08.2006 VTM2932•17.08.2006 Entrevistas a partir do dia 17 das 10h30 às 17 horas DE MESA Av.ª 1.º Maio, n.º 62, 1.º Dt.º - Vila Real Contacto: Q U A L I D A D E F O R M AT I VA , I N F O R M AT I VA E PUBLICITÁRIA Telef. 259 348 852 T. 917 007 045 Empresa Extractiva/Pedreiras de Rochas Ornamentais RECRUTA ENG.º MINAS/ GEÓLOGO (M/F) Gestão técnica/económica de Pedreiras VTM2932•17.08.2006 – Experiência no sector – Liderança forte – Sensibilidade comercial – Total disponibilidade p/ a função Resposta: Enviar C.V. com carta de apresentação para Apartado 67 – 5001-909 Vila Real VTM2932•17.08.2006 Livraria, Papelaria e Belas Artes, Lda. Artigos de Papelaria e Escritório Material Técnico de Desenho, Arte e Pintura Livros, Fotocópias, Encadernações e Plastificações De 17 de Agosto a 21 de Setembro, oferecemos 1 mochila à escolha, na compra de 150,00€ de artigos ou livros escolares Largo do Vilarealense, 20-A * 5000-648 - Telf. e Fax 259 322 127
    • 26 publicidade 17 agosto 2006 a voz de trás-os-montes MUNICÍPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR VTM2932•17.08.2006 ANÚNCIO DE CONCURSO Obras IV.2) CRITÉRIOS DE ADJUDICAÇÃO O concurso está abrangido pelo Acordo sobre Contratos B) Proposta economicamente mais vantajosa, tendo em con- CÂMARA MUNICIPAL DE VILA REAL Público (ACP)? Não ta www.puzzle.com.pt EDITAL N.º 84/2006 PROFESSOR DOUTOR ANTÓNIO DA SILVA PINTO DE NAZARÉ PEREIRA, SECÇÃO I - ENTIDADE ADJUDICANTE I.1) DESIGNAÇÃO E ENDEREÇO OFICIAIS DA ENTIDA- DE ADJUDICANTE B1)os critérios a seguir indicados (se possível, por ordem decrescente de importância) C1-PREÇO, pontuado de 10 (dez) a 20 (vinte) valores, cor- VICE-PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE VILA REAL, COM COMPETÊN- Organismo Municipio de Vila Pouca de Aguiar respondendo a classificação de 10 valores à proposta de preço CIA DELEGADA: À atenção de Presidente da Câmara Municipal mais elevado e a classificação de 20 valores à proposta de mais FAZ PÚBLICO, de harmonia com a deliberação desta Câmara Municipal tomada Endereço Rua Henrique Botelho baixo preço. Os valores intermédios serão calculados por in- ALUGA-SE em reunião realizada em dezanove de Julho do ano de dois mil e seis, que a partir das 08,00 horas do dia 14 do mês de Agosto, serão efectuadas as seguintes alterações de trânsito na Rua do Algarve - Urbanização S. Lourenço - Lordelo. Código postal 5450 027 Localidade / Cidade Vila Pouca de Aguiar País PORTUGAL terpolação linear, com aproximação de duas casas decimais. C2- VALIA TÉCNICA, pontuado de 10 (dez) a 20 (vinte) valores. T3 c/ garagem na Assim a referida Rua do Algarve passará apenas a ter um só sentido ascendente, Telefone 00351 259419100 Fax 00351 259419106 Na valia técnica das propostas serão apreciados os seguinte com entrada na Rua da Estremadura e saída pela Rua E ng . Sousa Campos. Correio Electrónico dom@cm-vpaguiar.pt subfactores com a ponderação: Quinta do Seixo VTM2932•17.08.2006 Para constar se publica este e outros de igual teor que vão ser afixados nos Endereço internet (URL) www.cm-vpaguiar.pt - Nota Justificativa do Preço Proposto 20% Vila Real lugares públicos do costume. I.2) ENDEREÇO ONDE PODEM SER OBTIDAS INFOR- - Lista de Preços Unitários 10% Vila Real, 3 de Agosto de 2006. MAÇÕES ADICIONAIS Indicado em I.1) - Plano de Trabalhos (Memória Descritiva) 25% T. 917 751 037 O VICE-PRESIDENTE I.3) ENDEREÇO ONDE PODE SER OBTIDA A DOCU- MENTAÇÃO - Memória Descritiva e Justificativa do Modo de Execução da Obra 25% T. 259 929 047 (assinatura ilegível) Indicado em I.1) - Sistema de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho 20% I.4) ENDEREÇO ONDE DEVEM SER ENVIADOS AS PRO- C3- PRAZO DE EXECUÇÃO INFERIOR AO PROPOSTO, POSTAS/PEDIDOS DE PARTICIPAÇÃO pontuado de 10 (dez) a 20 (vinte) valores, correspondendo a PASSA-SE Indicado em I.1) I.5) TIPO DE ENTIDADE ADJUDICANTE classificação de 10 valores ao prazo de execução previsto no Anúncio de Concurso e a classificação de 20 valores para o VTM2932•17.08.2006 Autoridade Regional/local prazo de execução mais baixo de entre as propostas admitidas Café Snack-Bar SECÇÃO II - OBJECTO DO CONCURSO a concurso. Os valores intermédios serão calculados por inter- II.1) DESCRIÇÃO polação linear, com aproximação de duas casas decimais. em Vila Real MUNICÍPIO DE MURÇA VTM2932•17.08.2006 II.1.1) Tipo de contrato de obras A classificação final será obtida pela aplicação da fórmula: Boa localização CÂMARA MUNICIPAL (Cartão de pessoa colectiva n.° 506 862 763) Execução CF – Classificação Final II.1.5) Designação dada ao contrato pela entidade adjudicante CF = 0,50 C1 + 0.45 C2 + 0.05 C3 T. 259 326 928 Telef. 259510120 • Fax 259510129 • 5090-112 Murça E-mail: cmmurca@mailtelepac.pt • http//:www.mun-murcapt Despoluição da Zona de Jales e Padrela - I Fase - Saneamen- to de Tinhela de Baixo Por ordem decrescente de importância: Sim IV.3) INFORMAÇÕES DE CARÁCTER ADMINISTRATIVO T. 259 324 094 EDITAL II.1.6) Descrição/objecto do concurso IV.3.2) Condições para a obtenção de documentos contra- Estaleiro; Pavimentos; Movimento de Terras; Tubagem; Ra- tuais e adicionais João Luis Teixeira Fernandes, Presidente da Câmara Municipal do Concelho de mais Domiciliários; Rede de Distribuição de Água; Diversos ; Dias a contar da publicação do anúncio no Diário da Repú- “A Voz de Trás-os-Montes” Estação de Tratamento de Águas Residuais e todos os traba- blica: 20 Murça torna público que nos termos da portaria n.° 766/84 de 24 de Setembro e N.º 2932, 17 Agosto 2006 lhos complementares conforme projecto de execução patente Custo Em papel opaco, a preço de custo, no valor de 250,00 Decreto-lei n.°197/99 de 8 de Junho, se encontra aberto concurso para adjudicação dos MiniCircuitos especiais de aluguer de acordo com o plano de transportes esco- a concurso. ou em formato digital, a preço de custo, no valor de 25,00 Cartório Notarial de Maria lares para o ano 2006/2007, aprovado por unanimidade em reunião ordinária do II.1.7) Local onde se realizará a obra, a entrega dos forneci- Moeda Euros de Fátima Barbosa Fidalgo órgão executivo do dia 4/8/2006. mentos ou a prestação de serviços Tinhela de Baixo - Freguesia de Bornes de Aguiar - Munici- Condições e forma de pagamento As cópias do processo do concurso serão fornecidas nas condições seguintes: MINI-CIRCUITOS Correia MINI - CIRCUITO N° 4 pio de Vila Pouca de Aguiar. - Em papel opaco, a preço de custo, no valor de 250,00 € Certifico, para efeitos de publicação, Código NUTS PT118 CONTINENTE NORTE - ALTO (duzentos e cinquenta euros), ao qual acresce o Imposto so- Itinerário: Carva - Curtinhas - Vilares - Fonte Fria - Fiolhoso Cadaval - Fiolhoso TRAS-OS-MONTES bre o Valor Acrescentado à taxa legal em vigor: ou, em alterna- que neste Cartório, sito na Quinta da (Infantário de Fiolhoso) Araucária, lote 1, loja 2, cidade de Vila II.1.8) Nomenclatura tiva A média diária necessária para percorrer o itinerário é de 30 km. II.1.8.1) Classificação CPV (Common ProcurementVocabulary) * - Em formato digital, a preço de custo, no valor de 25,00 € Real, exarada a folhas 10, do livro i nú- Utilização de uma viatura de 9 lugares. mero 53; com data de 11 de Agosto de Objectos principais (vinte e cinco euros), ao qual acresce o Imposto sobre o Valor Transporte de crianças para o Infantário de Fiolhoso. Vocabulário principal Vocabulário complementar acrescentado à taxa legal em vigor. 2006, se encontra uma escritura de rec- MINI - CIRCUITO N° 5 45 23 24 60 4 Nesta alternativa, para que as peças escritas e desenhadas tificação, na qual: MARIA DEOLIN- DA DA COSTA VARELA e marido Itinerário: Martim - Candedo (Escola) A média diária necessária para percorrer o Objectos complementares possam ser convenientemente lidas, é da responsabilidade do itinerário é de 6 km. Utilização de uma viatura de 9 lugares. Vocabulário principal Vocabulário complementar concorrente a existência, nas suas instalações, do seguinte sof- JOSÉ NOGUEIRA DOS SANTOS, 45 23 32 51 3 tware instalado: casados sob o regime da comunhão MINI - CIRCUITO N° 6 45 25 21 27 4 a)– Processador de texto Microsoft Word 2000; b)– Folha geral, naturais da freguesia de Abaças, Itinerário: Martim - Noura (Infantário de Noura) II.1.9) Divisão em lotes: Não de cálculo Microsoft Excel 2000; c)– Autocad 2000i; deste concelho, onde residem na Rua A média diária necessária para percorrer o itinerário é de l2 km. Utilização de II.1.10) As variantes serão tomadas em consideração? Não IV.3.3) Prazo para recepção de propostas ou pedidos de do Hospital; unia viatura de 9 lugares. II.2) QUANTIDADE OU EXTENSÃO DO CONCURSO participação AMADEU VARELA, que também MINI - CIRCUITO N° 7 II.2.1) Quantidade ou extensão total O concurso refere-se à Dias a contar da sua publicação no Diário da República: 30 usa AMADEU DA COSTA VARE- totalidade da obra. Hora 16 : 00 LA, e esposa YOLANDE DE SOU- Itinerário: Candedo - Porrais (Infantário de Porrais) A média diária necessária para II.3) DURAÇÃO DO CONTRATO OU PRAZO DE EXE- IV.3.5) Língua ou línguas que podem ser utilizadas nas pro- SA VARELA, casados sob o regime da percorrer o itinerário é de 12 km. Utilização de uma viatura de 9 lugares. CUÇÃO postas ou nos pedidos de participação comunhão de adquiridos, naturais, ele MINI - CIRCUITO N° 8 Prazo em meses e/ou dias a partir da data da consignação: PT da dita freguesia de Abaças e ela de Fran- 300 dias IV.3.6) Prazo durante o qual o proponente deve manter a ça, de nacionalidade francesa, residen- Itinerário: Penabeice - Cimo de Vila - (Escola 1° ciclo do Ensino Básico) Vale de Égua - Cimo de Vila (Escola 1° ciclo do Ensino Básico) Castelo - Cimo de Vila SECÇÃO III - INFORMAÇÕES DE CARÁCTER JURÍDI- sua proposta tes em 106 Rue Lazare Carnot S. Etie- CO, ECONÓMICO, FINANCEIRO E TÉCNICO Meses / Dias: 66 dias a contar da data fixada para a recepção ne du Ray, em França e de (infantário de Jou) A média diária necessária para percorrer o itinerário é de 20 km. Utilização de uma viatura de 9 lugares. III.1) CONDIÇÕES RELATIVAS AO CONCURSO das propostas MARIA DA GRAÇA VARELA III.1.1) Cauções e garantias exigidas IV.3.7) Condições de abertura das propostas TELMO DE SOUSA, que também Os interessados poderão obter o processo de concurso na secção e Taxas e Licenças desta Câmara Municipal, a partir de 9 de Agosto de 2006. Para constar e O valor da caução para garantia do contrato de empreitada IV.3.7.1) Pessoas autorizadas a assistir à abertura das pro- usa GRAÇE TELMO VARELA e será de 5% do valor total da adjudicação, prestado nos termos postas marido ALAIN DE SOUSA, casados devidos efeitos se lavrou o presente edital que vai ser afixado nos lugares de estilo. Murça, 7 de Agosto de 2006. do artigo 114.º do Decreto-Lei n.º 59/99, de 2 de Março. Só poderão intervir no acto do concurso as pessoas que, sob o regime da comunhão de adquiri- III.1.2) Principais modalidades de financiamento e pagamen- para o efeito, estiverem devidamente credenciadas pelos con- dos, naturais, ela da mencionada fregue- O Presidente a Câmara Municipal, João Luís Teixeira Fernandes, Dr. to e/ou referência às disposições que as regulam correntes, bastando, para tanto, no caso de intervenção do ti- sia de Abaças e ele lde França, de nacio- Os Pagamentos serão efectuados mensalmente após elabo- tular de empresa em nome individual, a exibição do seu bilhete nalidade francesa, residentes em Rue de ração de autos de Medição. O financiamento é assegurado pelo de identidade e, no caso de intervenção dos representantes Normandie a Oissel, em França. decla- orçamento do Município de Vila Pouca de Aguiar. de empresas em nome individual e de sociedades ou de agru- raram: MINISTÉRIO DAS FINANÇAS III.1.3) Forma jurídica que deve revestir o agrupamento de pamentos complementares de empresas, a exibição dos res- Que por escritura outorgada no ex- DIRECÇÃO GERAL DOS IMPOSTOS - DGCI empreiteiros, de fornecedores ou de prestadores de serviços pectivos bilhetes de identidade e de uma credencial passada tinto Cartório Notarial Público de Vila JUSTIÇA TRIBUTÁRIA Serviço de Finanças de MURCA-2429 Podem apresentar-se a concurso agrupamentos de empre- por quem obrigue a empresa em nome individual, a sociedade Real, no dia vinte e oito de Novembro sas, sem que entre elas exista qualquer modalidade jurídica de ou agrupamento da qual constem o nome e o número do bi- de mil novecentos e noventa e sete, la- E D IT A L associação, desde que todas as empresas do agrupamento satis- lhete de identidade do(s) representante(s). vrada a afolhas cento e vinte e seis e (2.ª Publicação) façam as disposições legais relativas ao exercício da actividade IV.3.7.2) Data, hora e local seguintes do livro de notas 172 - A, Venda Judicial de Empreiteiro de Obras Públicas e que manifestem a intenção Dia útil seguinte à data limite para a apresentação de pro- Artur da CostaVarela e esposa Alda IDENTIFICAÇÃO DO BEM de se associarem, antes da celebração do contrato, na modali- postas Telmo, casados sob o regime da co- Casa destinada a habitação, composta de cave destinada a garagem, r/ dade de consórcio em regime de responsabilidade solidária, ten- Hora 14:30 munhão geral, naturais da freguesia de c com 5 divisões e sótão com 5 divisões, com a área de 160 m2 de super- fície coberta e logradouro com a área de 3104 m2. Confrontações: Norte do em vista a celebração do contrato. Local Salão Nobre dos Paços do Municipio - Rua Henrique Abaças, deste concelho, onde residi- III.2) CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO Botelho - Vila Pouca de Aguiar Vasco de Moura Moreira, Sul Abílio Manuel dos Santos, Nascente com Estrada Naci- am, procederam à justificação entre onal 15 e Poente António Teixeira. Inscrito na matriz predial urbana da freguesia de III.2.1) Informações relativas à situação do empreiteiro/ do SECÇÃO VI - INFORMAÇÕES ADICIONAIS outros de um prédio rústico da fre- Fiolhoso, sob o artigo 851.Valor Patrimonial da Fracção : € 17.938,76. fornecedor/do prestador de serviços e formalidades necessári- VI.1) Trata-se de um anúncio não obrigatório? Não guesia de Abaças, inscrito na matriz no TEOR DO EDITAL oas para avaliar a capacidade económica, financeira e técnica VI.3) O presente contrato enquadra-se num projecto/pro- artigo 1882, lá completamente identi- Carlos Alberto Rodrigues Teixeira, Chefe de Finanças do Serviço de Finanças mínima exigida grama financiado pelos fundos comunitários? Sim ficado e com a área então indicada de MURCA-2429, faz saber que no dia 2006-09-20, pelas 10:00 horas, neste Serviço de Só serão admitidas a Concurso: Em caso afirmativo, indicar o projecto/programa, bem como dois mil novecentos e dez metros qua- Finanças, sito em ALM. DO PAÇO, EDIF. DO TRIBUNAL, se há-de proceder à aber- a)- As entidades possuidoras do Alvará de Construção emi- qualquer referência útilOperação Norte - Eixo drados. tura das propostas em carta fechada, para venda judicial, nos termos dos artigos tido pelo Instituto dos Mercados de Obras Públicas e Particu- 1 - Medida 1.9 Porém, os justificantes já faleceram 248.º e seguintes do Código de Procedimento e de Processo Tributário (CPPT), do lares e do Imobiliário (IMOPPI) com a seguinte características: VI.4) OUTRAS INFORMAÇÕES respectivamente em seis de Novembro bem abaixo designado, penhorado ao Executado infra indicado, para pagamento da a2) - A 6ª subcategoria da 2ª categoria, a qual tem de ser de -Os interessados poderão obter cópias (Papel ou Formato de dois mil e três e quatro de Abril de dívida no valor de 68.341,76€, sendo 49.724,6€ de quantia exequenda e 18.617,16€ classe que cubra o valor global da proposta e integrar-se na Digital), devidamente autenticadas pelo dono da obra das pe- de acréscimos legais, no âmbito do processo de execução fiscal 2429200001000802 dois mil e quatro, como consta da es- categoria em que o tipo de obra se enquadre; e ças escritas e desenhadas do Processo de Concurso, desde e apensos. critura de habilitação de herdeiros, ou- O valor base da venda é de 37.100€, calculado nos termos do artigo 250.º do b) - A 8ª subcategoria da 2ª categoria e 11ª subcategoria da que solicitadas até 10 dias antes do final do prazo para apre- torgada no mesmo Cartório, no dia tre- CPPT. 4ª categoria nas classes correspondentes, cada uma, à parte dos sentação das propostas (referente ao ponto IV-3.2); ze de Outubro de dois mil e quatro, É fiel depositário(a) o(a) Sr(a) EMILIA DE MOURA MOREIRA JOAQUIM, resi- trabalhos a que respeitem, caso o concorrente não recorra à -As propostas (documentos de habilitação e documentos lavrada a folhas quatro e seguintes do dente em R DA ALEGRIA - MARTIM, o(a) qual deverá mostrar o bem acima identi- faculdade conferida no nº 6.3 do Programa de Concurso. que instruem a proposta de preço) serão entregues até às livro de notas número duzentos e qua- ficado a qualquer potencial interessado, entre as 09:00 horas do dia 2006-07-01 e as III.2.1.1) Situação jurídica - Documentos comprovativos exi- 16,00 horas do 30.º dia (incluindo na contagem Sábados, Do- renta e cinco - G, tendo deixado como 16:00 horas do dia 2006-09-19, nos termos do artº 249º/6 CPPT. gidos As alíneas a) a h) do n. 15.1 do Programa de Concurso. mingos e Feriados) sendo este prazo contado a partir do dia únicos herdeiros três filhos: - Maria Todas as pessoas interessadas deverão apresentar as suas propostas, até às 16:00 III.2.1.2) Capacidade económica e financeira - Documentos seguinte ao da publicação no Diário da República (referente ao Deolinda da Costa Varela, Amadeu da horas do dia 2006-09-19, em carta fechada dirigida ao Chefe do Serviço de Finanças, comprovativos exigidos ponto IV-3.3); Costa Varela e Maria da Graça Varela devendo identificar o proponente, nome, morada e número fiscal e o nome do Exe- A fixação de critérios de avaliação da capacidade económica -O prazo estabelecido no ponto IV-3.7.2 será o 1.º dia útil Teimo de Sousa. cutado. e financeira dos concorrentes para a execução da obra posta a seguinte ao termo do prazo para apresentação de propostas; As propostas serão abertas no dia e hora designados para a venda, na presença concurso, na parte respeitante ao equilíbrio financeiro, terá em -O valor-base para efeitos do Concurso é de 150.151,20 € Assim, os outorgantes declaram, nas do Chefe do Serviço de Finanças (253.º CPPT). conta os indicadores de liquidez geral e autonomia financeira (cento e cinquenta mil, cento e cinquenta e um euros e vinte qualidades em que intervêm: Não serão consideradas as propostas de valor inferior ao valor base de venda Que, por esta escritura, rectificam a atribuído a cada verba (250º/2 CPPT). com a definição e os valores de referência constantes da porta- cêntimos), que não inclui o Imposto sobre o Valor Acrescenta- escritura de justificação supra mencio- No acto da venda deverá ser depositada a importância mínima de 1/3 do valor da ria em vigor publicada ao abrigo do n.º 5 do artigo 10º do De- do. nada, passando a constar que o prédio venda, na Secção de Cobrança deste Serviço de Finanças e pago o Imposto Munici- creto-Lei n.º 12/2004, de 9 de Janeiro (Portaria n.º 994/2004, -O Prazo de execução de 300 (trezentos) dias considera-se da verba sete do documento comple- pal Sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT) que se mostre devido. Os de 5 de Agosto), não podendo ser excluído nenhum concor- como prazo máximo a contar da data de Consignação. mentar, inscrito na matriz no artigo restantes 2/3 deverão ser depositados na mesma entidade, no prazo de 15 dias rente que, no mínimo, apresente cumulativamente os valores -Não é permitida a apresentação de propostas variantes ao 1882, tem a área de quatro mil oito- (256.º CPPT). de referência previstos nessa portaria, relativos ao último exer- projecto, ou parte dele. centos e trinta metros quadrados. Se o preço oferecido mais elevado for proposto por dois ou mais proponentes, cício, ou, em alternativa, a média aritmética simples dos três -A empreitada será regulada pelo Decreto-Lei n.º 59/99, de Em tudo o mais mantêm inalterada abrir-se-á logo licitação entre eles, salvo se declararem adquirir o bem em compro- últimos exercícios. 2 de Março. a escritura rectificanda. priedade. Estando presente só um dos proponentes do maior preço, pode esse III.2.1.3) Capacidade técnica - Documentos comprovativos Cfr. descrito no Regulamento CPV 2151/2003, publicado cobrir a proposta dos outros, caso contrário proceder-se-á a sorteio para apurar a exigidos no Jornal Oficial das Comunidades Europeias nº L329, de 17 Está conforme o original. proposta que deve prevalecer (253.º CPPT). A avaliação da capacidade técnica será feita de acordo com de VTM2932•17.08.2006 Cartório Notarial de Maria de Fáti- IDENTIFICAÇÃO DO EXECUTADO ( REVERTIDO) o ponto 19.4 do Programa de Concurso. Dezembro, para contratos de valor igual ou superior ao ma Barbosa Fidalgo Correia, 11 de Agos- Nome: EMILIA DE MOURA MOREIRA JOAQUIM. SECÇÃO IV - PROCESSOS limiar europeu to de 2006. Morada: R DA ALEGRIA - MARTIM. IV.1) TIPO DE PROCESSO 03/08/2006 - Presidente da Câmara Municipal , Dr. Domin- A Colaboradora NIF/NIPC: 186028016 Concurso público gos Manuel Pinto Batista Dias Helena Margarida Machão Vilela O Chefe de Finanças
    • a voz de trás-os-montes 17 agosto 2006 publicidade 27 Imóvel em muito bom estado de conservação, com boas áreas, cozinha mobilada, pavi- T0 À UTAD mentos em tijoleira. € 42.500,00 € 153,00 Imóvel como novo, com área de 120m2, excelente exposição solar.Cozinha mobilada, despensa, fogão de sala, roupeiros, pavimentos em parquet e tijoleira, vidros T2 N.ª SR.ª CONCEIÇÃO duplos.Garagem individual. € 87.500,00 € 315,00 Apartamento em muito bom estado, com fogão de sala com recuperador, aquecimento central completo.Tem 3frentes.Pavimentos em parquet e tijoleira.Tem um bom lugar T2 FONTE NOVA de garagem.(refª1335) € 89.000,00 € 320,40 Apartamento com 2frentes.Cozinha mobilada, despensa, roupeiros, pavimentos em cor- T2 AO SHOPPING ticite e tijoleira.(refª1440) € 70.000,00 € 252,00 Imóvel com excelentes acabamentos, em muito bom estado, tipo T3. Cozinha mobilada T3 COMO NOVO e equipada, lavandaria, despensa, roupeiros embutidos, pavimentos em carvalho e tijo- leira, fogão de sala, aquecimento central completo, focos. Lugar de garagem. € 142.500,00 € 513,00 Imóvel como novo, 2 frentes.Cozinha mobilada e equipada, pavimentos em soalho e T3 QTA. DO ENTRONCAMENTO tijoleira, roupeiros embutidos, aquecimento central completo, banheira de hidromassagem.Porta de segurança e garagem. (refª928) € 145.000,00 € 522,00 Um apartamento com 2 frentes, local muito sossegado, com umas boas áreas, cozinha T3 N.ª SR.ª CONCEIÇÃO mobilada e equipada, fogão de sala, pavimentos em parquet e tijoleira. € 80.000,00 € 288,00 Apartamento em óptimo estado, remodelado. Cozinha mobilada e equipada, despensa, T3 NO CENTRO pavimentos em madeira e tijoleira, roupeiros embutidos, aquecimento central comple- to a gás, varandas e terraço.(ref.1470) € 105.000,00 € 378,00 Apartamento c/área de 144m2.Cozinha equipada e os pavimentos em soalho e T3 BOXES tijoleira.Tem roupeiros embutidos,3wc’s sendo 2 privativos.Vidros duplos,video- porteiro.Porta de segurança e garagem. € 139.000,00 € 500,40 Apartamento situado no centro da cidade, excelente exposição solar, boas áreas. Cozi- T4 NO CENTRO nha mobilada, despensa, roupeiros, fogão de sala, marquise, varandas, arrumos. € 87,500,00 € 315,00 Moradia com 3 frentes, boa exposição solar, com uma área de 140m2. A cozinha encon- MORADIA AO CIRCUITO tra-se mobilada, lareira na sala, varandas, pavimentos em madeira e tijoleira. (refª675) € 64.500.00 € 232,20 Moradia em construção, tipo T4, com excelentes materiais. Pavimentos em madeira e MORADIA NOVA tijoleira, roupeiros embutidos, pré- instalação de aquecimento central, gás canalizado, fogão de sala com recuperador, vidros duplos, terraço, jardim e garagem. € 220.000,00 € 792,00 Moradia com quatro frentes, com uma enorme exposição solar e ao mesmo tempo uma MORADIA VILA SECA grande tranquilidade. Cozinha totalmente equipada, os pavimentos encontram-se em so- alho e tijoleira, fogão de sala, caixilharia em PVC e vidros duplos. Sótão e garagem. € 159.000,00 € 572,40 Terreno com área de 620 m2, viabilidade de construção, projecto produzido por arqui- TERRENO FLORES tectos, nova arquitectura. € 92.500,00 Casa em ruínas para reconstruir, situada numa zona tranquila e com vistas muito boni- CASA PARA RECONSTRUIR tas. Com projecto para casa tipo T2. (Nº224) € 25.000,00 T3 NOVO TERRENO à CIDADE T3 à UTAD Imóvel em fase de acabamentos, junto ao Terreno bem localizado, bons Apartamento como novo com 4 anos, boas shopping. Cozinha mobilada, despensa, acessos, zona tranquila. São 3 artigos áreas e em muito bom estado de roupeiros embutidos, pavimentos em independentes com áreas de: conser vação, duas frentes, a cozinha madeira e tijoleira, aquecimento central encontra-se mobilada e equipada com completo, varandas e arrumos no sótão. 6900m2, 2810m2, 5600m2. Um dos despensa e marquise, roupeiros embutidos, Lugar de garagem. terrenos tem casa para reconstruir. pavimentos em parquet e tijoleira. Lugar de € 35.000,00 garagem. (refª1206) € 155.000,00 -Mensal: € 558 € 85.000,00 -Mensal: € 306
    • 28 publicidade 17 agosto 2006 a voz de trás-os-montes ALUGA-SE T3 UNIVERSIDADE DE PLANO DE ORDENAMENTO TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO FLORESTAL DO DOURO no SEIXO - VILA REAL Torna-se público, que nos termos do artigo 12.º do Decreto-Lei n.º 204/99, de 9 VTM2932•17.08.2006 BOAS ÁREAS, 2 WC’S AVISO de Junho, se submete a discussão pública o Plano de Ordenamento Florestal do MOBILADO Douro. www.puzzle.com.pt Trata 1º CURSO DE MESTRADO E PÓS-GRADUAÇÃO EM RECURSOS GEOLÓGICOS O período de discussão decorre entre 11 de Agosto de 2006 e 15 de Setembro de 2006, podendo todo o processo ser consultado na sede dos seguintes locais: T. 968 089 421 Objectivos • Direcção-Geral dos Recursos Florestais – Lisboa Os alunos deverão adquirir conhecimentos teórico-práticos no âmbito dos o Biblioteca ou no página www.dgrf.min-agricultura.pt recursos geológicos, que lhes permitam intervir em, vários domínios nomeada- • Núcleo Florestal do Douro – Vila Real mente: • Câmara Municipal de Alijó UNIVERSIDADE DE Identificar recursos geológicos e integrá-los em programas de ordenamento • Câmara Municipal de Armamar TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO do território. Compreender a importância da valorização e exploração sustentada dos re- • Câmara Municipal de Carrazeda de Ansiães • Câmara Municipal de Freixo de Espada à Cinta cursos geológicos. • Câmara Municipal de Lamego AVISO Coordenar processos de legalização da exploração de recursos geológicos. • Câmara Municipal de Mesão Frio Avaliar o potencial científico, didáctico, patrimonial cultural dos locais de inte- • Câmara Municipal de Moimenta da Beira 2º MESTRADO EM CULTURA resse geológico, geomineiro, arqueológico e paisagístico. • Câmara Municipal de Penedono E LITERATURA INGLESAS Elaborar mapas de riscos geológicos no propósito do ordenamento do terri- tório. • Câmara Municipal de Sabrosa • Câmara Municipal de Santa Marta de Penaguião Objectivos. Incentivar a “produção do saber” através da realização de traba- Organização • Câmara Municipal de São João da Madeira lhos académicos e dissertações de mestrado. O curso de mestrado é composto por quatro semestres, dois para a compo- • Câmara Municipal de Sernancelhe Conferir uma formação académica aprofundada e actualizada no âmbito dos nente curricular, com início em Setembro de 2006 e dois para uma componente • Câmara Municipal de Tabuaço estudos literários aos docentes do ensino secundário politécnico e universitário, de investigação, que envolve a preparação, realização e defesa de uma dissertação. • Câmara Municipal de Tarouca de acordo com as disposições legai em vigor. Habilitações de acesso • Câmara Municipal de Torre de Moncorvo VTM2932•17.08.2006 Duração: 1. São admitidos à candidatura e à matrícula no curso de Mestrado e Pós- • Câmara Municipal de Vila Flor Componente lectiva: 2 semestres. • Câmara Municipal de Vila Nova de Foz Côa Dissertação: 1 ano graduação os licenciados em Geologia, Engenharia Geológica, Engenharia de Mi- nas, Biologia/Geologia (ensino de) ou áreas afins com a classificação mínima de 14 • Câmara Municipal de Vila Real Condições de Acesso: valores. Candidatos de outras áreas científicas poderão ser aceites após análise • Câmara Municipal do Peso da Régua São admitidos à candidatura no curso os titulares de licenciatura, ou grau legal- curricular. 2. Poderão ser admitidas candidaturas de candidatos com classificação de licen- Todos os interessados podem apresentar as observações ou sugestões por escri- mente equivalente, em Português e Inglês e em Inglês e Alemão, ou licenciaturas consideradas relevantes pela Comissão Directiva do Curso, com a classificação ciatura inferior a 14 valores, desde que demonstrem serem portadores de curri- to para a sede dos locais acima indicados ou através do seguinte endereço electró- mínima de 14 valores. culo científico/técnico relevante e/ou possuirem relevante experiência profissio- nico: prof@dgrf.min-agricultura.pt Critérios de selecção. Classificação da licenciatura ou de outros graus obti- nal. dos pelo candidato; curriculum académico, científico e profissional, docência Uni- Processo de candidatura “A Voz de Trás-os-Montes” N.º 2932, 17 Agosto 2006 versitária, experiência profissional , outros elementos: proveniência dos PALOP. Requerimento ao Magnífico Reitor solicitando a abertura do processo de can- Processo de candidatura. Requerimento ao Magnífico Reitor solicitando a didatura, acompanhado de: Curriculum vitae: académico, científico, pedagógico; Cer- Cartório Notarial de Maria de Fátima Barbosa Fidalgo Correia abertura de candidatura, acompanhado de: curriculum vitae académico, científico e tificado de habilitações literárias; Fotocópia do B.I.; 1 Fotografia; 55 Euros e ou- Certifico para efeitos de publicação que no dia dez de Agosto de dois mil e seis, profissional; certificado de habilitações literárias; fotocópia do BI; fotografia; 55 tros dados relevantes para apreciação. no Cartório Notarial, sito na Quinta da Araucária, lote 1, loja 2, cidade de Vila Real, da Euros e outros dados relevantes para apreciação. Período de Candidatura De 10 de Julho a 31 de Agosto de 2006 Notária Maria de Fátima Barbosa Fidalgo Correia, e exarada a folhas 87 e seguintes Prazo de candidatura. De 14 de Junho a 8 de Setembro de 2006 do livro de notas número 52, encontra-se uma escritura de justificação, na qual: - Matrículas De 18 a 22 de Setembro 2006 Afixação de resultados. Até 20 de Setembro de 2006 FERNANDO AFONSO DE MATOS e esposa MARIA DE JESUS VILELA MATOS, Início do funcionamento Previsto para o dia 29 de Setembro de 2006 casados sob o regime da comunhão geral, naturais, ele da freguesia de Mouçós, onde Período de matrícula. De 25 a 29 de Setembro 2006 residem no lugar de Lagares e ela da freguesia de Lamares, ambas do concelho de Vila Horário de Funcionamento Sexta-feira e Sábado Início de funcionamento. Outubro de 2006 Real, declararam: Direcção de Mestrado Que, são donos e legítimos possuidores com exclusão de outrem, do prédio Horário de funcionamento proposto. Sexta-feira e Sábado. Prof. Doutor Luís Manuel Oliveira Sousa urbano, composto de casa térrea, com a superfície coberta de quarenta metros Contactos: Prof. Doutor Alcino Sousa Oliveira quadrados, sito no lugar de Lagares, freguesia de Mouçós, já referida, a confrontar de Departamento de Letras – Edifício do Complexo Pedagógico Prof. Doutor Carlos Jorge Madeira Coke norte com Teresa Gaspar, sul e poente com caminho e nascente com António Joa- 5000-660 Vila Real Informações quim Afonso, inscrito na matriz sob o artigo 25, com o valor patrimonial tributário VTM2932•17.08.2006 Telef: 259350715/726, Fax: 259350787 de 145,45 euros e o atribuído de quinze mil euros, não descrito na Conservatória UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro VTM2932•17.08.2006 E-mail: jereis@utad.pt do Registo Predial de Vila Real. Departamento de Geologia Que o referido prédio se encontra inscrito na matriz em nome de António Joa- Mais Informações: E-mail: geologia@utad.pt quim Afonso. Serviços Académicos – Repartição Pedagógica Que adquiriram o dito imóvel por doação verbal feita por aquele António Joa- Ou Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro quim Afonso e esposa Maria Correia Afonso, residentes que foram no mencionado Quinta dos Prados – Apartado 1013 – 5000 – 911 Vila Real Serviços Académicos da UTAD: lugar de Lagares, no ano de mil novecentos e sessenta e oito, pelo que, nos termos Telefone: 259350130/1; Fax: 259350480 Repartição Pedagógica, Apartado 1013, 5000-911 Vila Real Codex do número dois do artigo noventa e dois do Código do Notariado, têm legitimidade E-mail: nped@utad.pt Tel:259350130/131; Fax:259350480 para outorgar esta escritura como justificantes, estando desde então no uso fruição e posse do imóvel supra identificado, conservando-o e transformando-o, tudo com exclusão de outras pessoas e como quem usa, frui e possui coisa própria, sem violên- cia ou força de qualquer espécie, sem interrupção, sem oposição de ninguém e de UNIVERSIDADE DE UNIVERSIDADE DE modo a que tais actos pudessem ser vistos e conhecidos por quaisquer interessa- TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO dos, assim ostentando uma posse de mais de vinte anos, posse exclusiva, em nome próprio, pacífica, contínua e pública. Em consequência, os justificantes adquiriram o direito de propriedade do referi- II Curso de Formação Especializada Pós-Licenciatu- AVISO do prédio por usucapião, que ora invocam, estando impossibilitados de comprovar ra em Educação Especial: Domínio cognitivo e motor pelos meios extrajudiciais normais a aquisição do direito sobre o mesmo prédio Mestrado em Educação Física Desporto atento o título da sua aquisição. Cartório Notarial de Maria de Fátima Barbosa Fidalgo Correia, 10 de Agosto de Registo de acreditação CCPFC/CFE-1085/05 Especialização em Observação 2006. Registo de acreditação CCPFC/CFE-1086/05 e Análise do Movimento A colaboradora, Helena Margarida Machado Vilela O Programa do Curso de Pós-Licenciatura em Educação Especial: Domínio Cognitivo e Motor procura responder às necessidades de formação de todos os O Curso destina-se a proporcionar aos candidatos uma pós-graduação em profissionais de educação desde o ensino pré-escolar ao ensino secundário, pos- Observação e Análise do Movimento e ainda, o grau de Mestre em Educação “A Voz de Trás-os-Montes” N.º 2932, 17 Agosto 2006 sibilitando aos candidatos a aquisição/desenvolvimento de competências para que Física e Desporto. possam fornecer uma resposta educativa ajustada às características e necessida- Cartório Notarial de Maria José Maximino des especiais dos alunos. Objectivos: EXTRACTO Destinatários: Educadores de Infância, Professores dos 1.º, 2,º e 3.º ciclos do • Proporcionar uma formação avançada em metodologias de observação recor- Ensino Básico e do Ensino secundário. rendo a uma diversidade de técnicas e tecnologias de investigação nas Ciências Certifico para efeitos de publicação que, por escritura de hoje, lavrada a folhas 29, Humanas e Sociais; do livro de notas n° 26 A, do Cartório Notarial de Vila Real de Maria José Maxi- Habilitações de Acesso: São admitidos à candidatura ao curso licenciados em Educação de Infância e Professores do 1º ciclo do Ensino Básico, profissionaliza- • Facultar uma formação pós-graduada aos licenciados que se interessem pelo mino, MANUEL AUGUSTO DA SILVA, natural da freguesia de Cotas, conce- dos e docentes licenciados do 2º e 3º ciclos do Ensino Básico e Ensino Secundá- estudo e desenvolvimento do comportamento motor na Educação Física e Des- lho de Alijó e mulher MARIA DO CÉU CARVALHO FERREIRA DA SILVA, rio com pelo menos 5 anos de docência (artigo 4º do D. L. nº 95/97 de 23 de porto; natural da freguesia de Castedo, concelho de Alijó, casados no regime da comunhão Abril). • Proporcionar um conjunto de competências específicas satisfazendo necessi- de adquiridos, residentes na Rua da Custeira, Cotas,Alijó, declararam que são donos Candidaturas: De 19 de Junho a 15 de Setembro 2006 dades de actualização do conhecimento em Educação Física e Desporto; e legítimos possuidores do prédio rústico, “Vale”, composto de vinha com olivei- Afixação dos Resultados: 21 de Setembro de 2006 • Contribuir para o aparecimento de projectos inovadores em diferentes te- ras, com a área de oitocentos e trintá metros quadrados, freguesia de Cotas, conce- Período de Matrícula: De 25 a 29 de Setembro de 2006 máticas neste domínio do conhecimento, dando particular ênfase aos métodos de lho de Alijó, a confrontar do norte com António do Espírito Santo, sul com Maria investigação em observação. Deolinda Campos, nascente com caminho público e poente com Manuel José Bor- Calendário: Áreas de conhecimento ges Morais, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 683, com o valor patrimonial As aulas têm início em 2 de Outubro de 2006 e terminam em 25 de Maio de tributário e atribuído de duzentos e dezoito euros e vinte e sete cêntimos, não 2007 (componente teórico-prática e desenvolvimento do projecto individual de Metodologia observacional;Análise do Movimento;Actividades físicas; Desporto. descrito na Conservatória do Registo Predial de Alijó. intervenção). Organização E ACRESCENTARAM: Horário de funcionamento: Que iniciaram a posse do referido prédio, em dia e mês que não conseguem O curso de mestrado é composto por quatro semestres, dois para a compo- Em regime pós-laboral às Segundas,Terças e Quartas das 18,30h às 22,30h. nente curricular, com início em Outubro de 2006 e dois para a uma componente precisar, no ano de mil novecentos e oitenta, na sequência de compra verbal efectu- Processo de candidatura: de investigação, que envolve a preparação, realização e defesa de uma dissertação. ada a Aida da Conceição Castro, viúva, actualmente falecida, com última residência na Requerimento de Admissão dirigido ao Magnífico Reitor solicitando a aceita- Avenida Bernardino Machado 307,Vila do Conde e nunca reduzida no competente Habilitações de acesso ção do processo de candidatura título formal. Curriculum vitae organizado do seguinte modo: Pós-Graduação e Mestrado Que a partir desta data sempre estiveram na posse e na fruição do identificado - Identificação e contactos Licenciados de Educação Física e Desporto, ou cursos homólogos devidamen- prédio, adquiridas e mantidas sem qualquer oposição ou ocultação, ou seja, de modo - Habilitações académicas e profissionais te reconhecidos e ainda, licenciados em cursos de Ciências Humanas e Sociais e a poderem ser conhecidas por quem tivesse interesse em contrariá-las. - Experiência profissional licenciados de outras áreas com vocação para o desenvolvimento de competênci- - Formação – acções acreditadas Que tal posse do prédio, assim mantida e exercida em nome e interesse próprio, - Funções desempenhadas no sistema educativo as neste domínio, que já possuam experiência profissional reconhecida. participando nas vantagens e encargos, praticando actos concretos em relação ao - Participação na elaboração, operacionalização ou acompanhamento de pro- Outras exigências Os candidatos podem ser submetidos a entrevista. direito possuído, gozando de todos os poderes que lhe pertencem, traduz se em jectos ou programas no âmbito da Educação Especial suma, nos factos materiais conducentes ao integral aproveitamento de todas as uti- - Trabalhos publicados Processo de candidatura Requerimento ao Magnífico Reitor solicitando a abertura do processo de can- lidades e potencialidades do prédio, nomeadamente granjeando a terra, colhendo os - Outros elementos considerados relevantes pelo candidato Certidão de habilitações; didatura, acompanhado de: Curriculum vitae (académico, científico, pedagógico e frutos, roçando o mato e ervas, plantando, abatendo ou mandando abater árvores, Certidão comprovativa do tempo de serviço desportivo); Certificado Final de Licenciatura; Certidão Discriminativa das Notas; pagando os respectivos impostos e contribuições, com vista ao integral aproveita- Fotocópia do Bilhete de Identidade Fotocópia do B.I.; 1 Fotografia, 55 Euros e outros dados relevantes para aprecia- mento de todas as utilidades e potencialidades por ele proporcionadas, agindo sem- Vagas: ção. pre por forma correspondente ao exercício pleno do direito de propriedade, sem oposição, embargo, ou estorvo de quem quer que seja, à vista e com o conhecimen- - 15 para educadores de infância e professores do 1.º C. E. Básico Períodos: - 15 para professores do 2.º e 3-º ciclos do E. Básico e Ensino Secundário to de toda a gente, com ânimo de quem exercita direito próprio de boa fé, por Candidatura: De 30 de Maio a 31 de Agosto de 2006 ignorar lesar direito alheio, pacífica, contínua, pública e sem violência. Informações: Fixação de resultados: 12 de Setembro de 2006 Que, atendendo às enunciadas características de tal posse facultou lhes à aquisi- Serviços Académicos da UTAD Matrícula: 13 a 19 de Setembro de 2006 ção por usucapião do identificado prédio, direito este que, pela sua própria natureza VTM2932•17.08.2006 Repartição Pedagógica Apartado 1013 • 5000-911 Vila Real Início da actividade curricular 12 de Outubro de 2006 é insusceptível de ser comprovado pelos meios normais. Telefone: 259350130/131 ESTÁ CONFORME O ORIGINAL. VTM2932•17.08.2006 Informações UTAD Contactos: Repartição Pedagógica,Apartado 1013, Cartório Notarial de Maria José Maximino Professora Doutora Maria Helena Santos Silva helsilva@utad.pt 5000-911 Vila Real Vila Real, aos dez de Agosto de dois mil e seis. Professor Doutor José Pinto Lopes jlopes@utad.pt Tel:259350130/131; Fax:259350123 A Notária, Professor Doutor Joaquim José Jacinto Escola jescola@utad.pt Esclarecimentos por e-mail: jorgecampanico@antispam.com (assinatura ilegível)
    • a voz de trás-os-montes 17 agosto 2006 publicidade 29 VENDO * CASA em Borbela - 67.700 € URGENTE Empresário procura VTM2932•17.08.2006 * Terreno c/ + 3.100m2 na costa, pessoas responsáveis VTM2932•17.08.2006 Lordelo VTM2932•17.08.2006 VTM2932•17.08.2006 * Terreno c/ ± 1.000m2 junto EN Tempo parcial / ou completo c/ armazém - 13.700 € - Alto da 500 a 3.000 €/mês possíveis Entrevistas: Paulo Sequeira Samardã www.onegocio.com/pjfs T. 918 570 203 T. 252 601 090 T. 917 634 151 / 962 637 571 ALUGAM-SE LOJAS OFERECE-SE PASSA-SE VENDE-SE ± 230m2 com ar condicionado (€700/mês) e SENHORA para tomar conta de idosos na sua ALUGO T1 RESTAURANTE T3 com GARAGEM VTM2932•17.08.2006 VTM2932•17.08.2006 VTM2932•17.08.2006 VTM2932•17.08.2006 VTM2932•17.08.2006 outra com ± 100m2 (€400/mês) ao lado da própria casa, incluindo c/s Lug. Garagem no centro acamados, em Vila Real centro de Sabrosa Repartição de Finanças – Vila Real. Ed.Vilalva – Vila Real de Vila Real T. 259 336 442 T. 966 241 369 Contactos: 259 324 178 / 966 347 005 Tlm. 963 001 879 T. 935 044 206 Tlm. 919 628 473 T. 962 334 057 VENDE-SE PASSA-SE VENDE-SE Dr. Gilson Borges VENDE-SE MINEIRO PETISQUEIRO TERRENO MÉDICO ESPECIALISTA OUVIDOS - NARIZ - GARGANTA MORADIA PRÉDIO DEVOLUTO em Vila Real Local bem visível. c/ 800m2 c/ projecto Assistente Hospitalar com 315m2 VTM2932•17.08.2006 VTM2932•17.08.2006 VTM2932•17.08.2006 VTM2932•17.08.2006 do Hospital de Vila Real VTM2932•17.08.2006 Bom preço – Só visto! Centro da cidade • Cave + r/c + duplex ap. e licença levantada Consultas (2.as, 4.as e 6.as feiras) área construída Boa oprtunidade Garagem p/ 2 carros e jardim Dá para qualquer negócio em Adoufe - Gravelos Quinta do Seixo - Loja 32 BORBELA - VILA REAL 5000-675 VILA REAL Contactar telem.: 962 417 799 T. 966 519 746 T. 914 333 437 Telefone 259 372 790 T. 968 181 593 PASTELEIRO OFERECE-SE VENDE-SE VENDE-SE SENHORA MORADIAS VTM2932•17.08.2006 OFERECE-SE c/ carta de condução, TERRENO MUNICÍPIO DE SABROSA c/ experiência. em Justes com T4 de luxo VTM2932•17.08.2006 VTM2932•17.08.2006 VTM2932•17.08.2006 VTM2932•17.08.2006 CÂMARA MUNICIPAL p/ tomar conta de para zona de Vila Real projecto aprovado em BORBELA Transportes Escolares 2006/2007 idosos ou para Disponibilidade imediata Vila Real VILA REAL Adjudicação de Circuitos serviços domésticos EDITAL T. 934 504 152 T. 933 900 495 T. 961 694 667 T. 968 181 593 DR. JOSÉ MANUEL CARVALHO MARQUES, Presidente da Câmara Municipal de Sa- brosa, torna público que, nos termos da Portaria n.º 766/84, de 27 de Setembro e Decreto-Lei n.º 197/99, de 8 de Junho, se encontra aberto concurso para adjudica- VENDE-SE VENDE-SE VENDE-SE ção dos Circuitos especiais de transportes escolares, de acordo com o Plano de Transportes Escolares para o ano lectivo 2006/2007. T3 NOVO c/ terraço e dois lugares de garagem, • Casa de Habitação, Tipo T2 na Almodena - Vila Real VIVENDA Circuitos em Quinta do Espadanal, Montezelos –Vila Real. VTM2932•17.08.2006 de 3 pisos, 2 suites e 3 quartos, • Terreno c/ viabilidade de garagem p/ 3 carros, terreno VTM2932•17.08.2006 VTM2932•17.08.2006 Circuito n.º 1 – Pinhão Cel – Torre do Pinhão; TERRENO c/ 1.520m2 c/ projecto em Ponte envolvente em Mateus - Vila Real Circuito n.º 2 – Chanceleiros- Covas do Douro; construção junto à Emissora Circuito n.º 3 – Paredes – Parada do Pinhão; – Vila Real Nacional – Vila Real T. 966 195 702 T. 969 077 327 Circuito n.º 4 – Ordonho - Gouvinhas; Circuito n.º 5 – Vilela – Sobrados – Paços - Sabrosa; T. 259 331 407 T. 259 347 175 Circuito n.º 6 – Sº Cristóvão - Sabrosa; Circuito n.º 7 – Roalde – S.º Martinho de Antas; Circuito n.º 8 – Garganta – S.º Martinho de Antas; Circuito n.º 9 – Quinta Nova (ferrão) - Donelo; Circuito n.º 10 – Feitais – Souto Maior; 10 KMS CIDADE DE VILA REAL/SEAT 3 KMS CORRIDA DA FAMILIA VENDE-SE Circuito n.º 11 – Vale das Gatas – Delgada - Rua da Poeira S.º Lourenço; Circuito n.º 12 – Saudel – S.º Lourenço; CASA TIPO T4+1 c/ Quintal VTM2932•17.08.2006 Circuito nº 13 – Feitais – Arca – Vilar Celas – Garganta – Sobrados – Irmãos Leite, Lda Fermentões – Sabrosa; A admissão ao concurso far-se-á mediante a apresentação de proposta dirigida ao em Vagos – Aveiro (a 3km da Praia) Presidente da Câmara, devendo a mesma ser instruída com os documentos constan- tes do Programa de Concurso. Para concorrer não é exigida a prestação de qualquer caução ou garantia. A Irmãos Leite – Comércio de Veículos Automóveis, Lda, uma em- Contacto: 917 282 593 Podem candidatar-se ao concurso para a adjudicação dos referidos circuitos os presa jovem e dinâmica associa-se ao atletismo, na comemoração de seguintes concorrentes: abertura do novo concessionário Seat e diverte todos os que fazem – Empresas de transporte colectivo de passageiros; – Industriais de transporte em veículos ligeiros de aluguer para passageiros con- da vida o prazer do convívio. No dia 24 de Setembro, vai realizar uma prova de atletismo, para atletas federados e não federados, totalmente VENDE-SE correndo com os veículos licenciados para aquela actividade; – Pessoas colectivas de direito público ou de utilidade pública e cooperativas de ensino que à data de abertura do concurso disponham já de veículos adequados para o efeito; patrocinada por esta, em organização conjunta com a Associação de Atletismo de Vila Real. No mesmo evento realizar-se-á a “Corrida das famílias” envolvendo todas as famílias transmontanas, pais, crianças, jo- MORADIA NOVA O Caderno de encargos e o Programa de Concurso podem ser consultados ou solicitados, todos os dias úteis, durante as horas normais de expediente, na Secreta- vens, e amigos, num passeio que promove o convívio. O referido acon- com acabamentos de luxo, na vila de tecimento terá início às 9:30 min, no stand da Seat (junto do quartel), ria da Câmara Municipal de Sabrosa. As propostas devem ser entregues na Divisão Administrativa e Financeira da local onde serão também entregues os prémios. Murça – Vila Real, em frente ao Câmara Municipal de Sabrosa, até às 17:30 horas do dia 31 de Agosto de 2006, em carta fechada e lacrada de acordo com as normas constantes do Programa de Con- Atreva-se a participar na “corrida das famílias”, ou inscreva-se na Hospital (abre em Setembro). curso, correspondendo a um período superior a 15 dias a contar da publicação prova de atletismo, os prémios são aliciantes totalizando 4.000 €. deste edital. As propostas serão abertas às 10:00 horas do dia 01 de Setembro de 2006, na Inscrições: LOJAS COMERCIAIS, VTM2932•17.08.2006 Balastro Electrónico para Lâmpadas Fluorescentes Divisão de Obras e Urbanismo da Câmara Municipal de Sabrosa. Telefones: 259 332 570 259 302 400 / 2 equipadas para qualquer ramo. VTM2932•17.08.2006 Para conhecimento geral se publica o presente edital, que vai ser afixado em todas as Juntas de Freguesia do Concelho, nos lugares do costume e ainda publicado Fax: 259 302 408 / 9 mail: il.anabela@mail.telepac.pt em dois jornais locais. Sabrosa e Paços do Concelho, aos 09 de Agosto de 2006 MARQUE VISITA Para mais informações consulte o regulamento disponível nas Ir- O Presidente da Câmara José Manuel de Carvalho Marques, Dr. mãos Leite, Lda e na Associação de Atletismo de Vila Real. 961 447 209 ou 961 447 208 UPS EMISSOR / RECEPTOR para alimentar pequenas ou grandes redes de computadores. Elaboramos projectos téc- MIDLAND G7 nicos para novas instalações. São indicadas Características RÁDIOS ANTIGOS, UPS, VENDAS & ASSISTÊNCIA PERSONALIZADA para pessoas particulares, empresas, fábricas, armazéns, hospitais, escolas, universidades, la- O Emissor / Receptor Midland G7 é boratórios, industria, escritórios.A melhor ma- muito prático e completo. Companhei- Reparamos Rádios Antigos, Gravadores, Gira-Discos, Grafonolas, Auto Rádios. neira de garantir a falha ou quebra de ener- ro ideal para qualquer actividade. Tem BALASTRO ELECTRÓNICO gia e ainda os picos de tensão. Também repa- uma nitidez de voz fora do normal, Podemos transportar para Coimbra e fazer posteriores entregas de UPS, Rádios Antigos. PARA LÂMPADAS ramos a sua UPS de qualquer marca, poten- mesmo a distâncias grandes. Se procura cia ou modelo. um meio de comunicar sem fios com Fabricamos e rebobinamos Transformadores Convencionais e Toroidais. FLUORESCENTES alcances e nitidez acima da média, o G7 é a resposta. Aviso de chamada com Rebobinamos Altifalantes. Eliminam a cintilação da lâmpada, que é pe- VTM2932•17.08.2006 vibração. Sistema de mãos livres. rigosa para a vista e cérebro. Informação do estado da bateria. Se as baterias do seu computador portátil ou de qualquer outro aparelho eléctrico As lâmpadas passam a durar 10 vezes mais. Bateria recarregável em Metal Hibrido. Não precisam de arrancador. A luz acende Alcance em linha visível superior aos estiverem gastas, nós colocamos novas a preços módicos. instantaneamente. 10Kms. Peso 123 gramas Substitua de imediato o transformador anti- Vamos estar no Vosso Distrito dentro de dias. Marque connosco, uma visita sem qualquer go por este Balastro Electrónico. Luz mais clara e mais brilhante. compromisso ás Vossas instalações, com Francisco Gomes Tel. 919 734 648 O Balastro Electrónico irá ser obrigatório a utilização. Escritórios: Alameda Calouste Gulbenkian Lote 9 – 8º C • 3000 090 COIMBRA• PORTUGAL Paga-se a ele próprio com a poupança de 47% de energia. Tel. 919 734 648 • Pág. www.radiosantigos.com • E-mail: caoboris@gmail.com
    • 30 publicidade 17 agosto 2006 a voz de trás-os-montes ATENÇÃO VILA REAL Actividade Independente APOIO EDUCATIVO / EXPLICAÇÕES UNIVERSIDADE DE EMPRESÁRIA PROCURA TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO PESSOAS RESPONSÁVEIS Professora do 1º Ciclo do Ensino Básico PART-TIME / FULL-TIME VTM2932•17.08.2006 VTM2932•17.08.2006 500€ a 1.000€/mês, possíveis dá apoio educativo / explicações AVISO do 1º ao 6º ano de escolaridade. www.puzzle.com.pt 1.000€ a 2.500€/mês, possíveis Entrevista: Cristina Monteiro www.realnutri-star.net Contactos: 966 029 704 (todo o dia) ou 4º CURSO DE MESTRADO EM TECNOLOGIA AMBIENTAL E CURSOS AVANÇADOS T. 914 899 600 259 348 291 (após as 19 horas) EM TECNOLOGIA AMBIENTAL Objectivos O Mestrado em Tecnologia Ambiental (MTA) e os Cursos Avançados em Tec- VENDE-SE UNIVERSIDADE DE nologia Ambiental (CATA) pretendem complementar as licenciaturas em Enge- nharia Ambiental/Engenharia do Ambiente e afins, dando formação detalhada e T3 NOVO (a estrear) TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO actualizada, de tecnologia avançada, nas principais áreas do domínio “ambiente”. Organização Rua Dr. Francisco Salles Costa Lobo - 5.º andar VTM2932•17.08.2006 AVISO O ciclo de funcionamento do MTA é bienal. A terceira edição começa com a Direito, Bloco 8, Lote 5 – Vila Real parte escolar no ano 2006-2007, comum para o Mestrado (MTA) e os Cursos 1º CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO E MESTRADO Avançados (CATA), reservando assim o ano 2007-2008 para investigação/prepa- Telef. 259 374 957 EM EMPREENDEDORISMO ração das dissertações dos mestrandos (só MTA) Habilitações de acesso Telm. 968 327 623 O MTA e CATA destinam-se preferencialmente a licenciados em Engenharia Destinatários do Ambiente, Biologia, Medicina Veterinária, Engenharia Agrícola, Florestal ou Zoo- Licenciados com a classificação mínima de 14 valores. Excepcionalmente, em técnica, Química ou Bioquímica. Poderão ser considerados candidatos com ou- XISTO VELHO casos devidamente justificados, poderão ser admitidos candidatos com uma clas- sificação na licenciatura inferior a 14 valores, mas cujo currículo demonstre uma tras licenciaturas, caso apresentem formação adequada ou experiência profissio- nal na área de especialidade do Mestrado/Cursos Avançados. VENDE-SE adequada preparação científica complementar e/ou experiência profissional subs- tancial e relevante. É dada prioridade aos candidatos com formação em Engenha- Critérios de Selecção O regulamento do MTA contempla os seguintes critérios de selecção dos ria e outras áreas com forte pendor tecnológico ou em Gestão e Economia. Região Demarcada do Douro VTM2932•17.08.2006 candidatos A direcção do curso admite ainda um número limitado de alunos em regime de (a) Licenciaturas obtidas tempo parcial, bem como candidatos extraordinários a “disciplinas isoladas” (b) Classificação da licenciatura (cerca de 2.000 toneladas) Numerus Clausus (c) Curriculum académico, científico e pedagógico (d) Experiência profissional Tlm. 969 442 327 O curso admite a participação de 30 mestrandos. Processo de candidatura Organização do Curso Requerimento ao Magnífico Reitor solicitando a abertura do processo de can- O curso é constituído por 2 partes, cada uma com a duração de 1 ano lectivo: didatura, acompanhado de: Curriculum vitae: académico, científico, pedagógico e PASSA-SE ou ALUGA-SE 1) A primeira parte é escolar e decorrerá ao longo de 3 trimestres, durante os quais serão frequentadas, obrigatoriamente, 12 unidades curriculares; desportivo; Certificado de habilitações literárias; Fotocópia do B.I.; 1 Fotografia; 55 Euros e outros dados relevantes para apreciação. 2) A segunda parte destina-se à realização da tese. Durante o 1º trimestre Período de Candidatura De 11 de Julho a 8 de Setembro de 2006 RESTAURANTE deste segundo ano, serão ainda frequentadas, obrigatoriamente para os alunos Período de Matrículas 25 a 29 de Setembro de 2006 VTM2932•17.08.2006 que desejam elaborar tese de mestrado, 3 unidades curriculares. Início do funcionamento Previsto para Outubro de 2006 VTM2932•17.08.2006 BEM CONCEITUADO EM VILA REAL Graus e Diplomas Informações Serviços Académicos da UTAD: Mestrado em Empreendedorismo (aprovação na parte escolar e na tese de Repartição Pedagógica, Apartado 1013, 5000-911 Vila Real Codex Telem. 938 394 228 mestrado). Diploma de Curso Superior Especializado em Empreendedorismo (aprovação Tel:259350130/131; Fax:259350123 na parte escolar). Certificado de participação em “disciplinas isoladas”. UNIVERSIDADE DE Local, Início e Horário de Funcionamento UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO O Curso funcionará nas instalações da UTAD em Vila Real, com início previsto TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO para finais de Setembro de 2006 e, preferencialmente, durante todo o dia de sexta-feira e a manhã de sábado. Excepcionalmente, poderá decorrer ainda duran- AVISO te a tarde de sábado. AVISO 5º Mestrado em Ensino da Matemática Director do Curso 4º Mestrado em Matemática Prof. Doutor Mário Sérgio Teixeira e Ciências da Natureza Objectivos mteixeir@utad.pt Objectivos Os objectivos do Curso são ampliar os conhecimentos em áreas fundamentais Prazos de Candidatura e Matrículas Os objectivos do Curso são ampliar os conhecimentos em áreas fundamentais da Matemática. Actualizar a maneira de comunicar conhecimentos científicos, re- da Matemática, Biologia, Geologia e Física.Aprofundar a componente metodológi- correndo, em particular, ás novas tecnologias e preencher algumas lacunas de Candidaturas de 24 de Julho a 8 de Setembro de 2006 ca da cada uma das áreas científicas. Actualizar a maneira de comunicar conheci- formação do ensino tradicional, designadamente na área de avaliação de conheci- Afixação de resultados até 15 de Setembro de 2006. mentos científicos, recorrendo, em particular, ás novas tecnologias. Desenvolver mentos. Matrículas de 18 a 22 de Setembro de 2006. competências experimentais em todas as áreas científicas do Curso de Mestrado. Início das Actividades: 29 de Setembro de 2006. Complementar formação científica de Licenciados que leccionam, essencialmente Organização no segundo ciclo do Ensino Básico, para quem os Cursos de Mestrado existentes A parte curricular do Curso conducente ao grau de Mestre ou ao diploma de Objectivos na maioria das Universidades não são adequados. Pós-graduação por um sistema de unidades de crédito, num total de 18 unidades O curso de Mestrado e Pós-Graduação em Empreendedorismo tem como de crédito. A parte curricular do Mestrado ou o Curso de Pós-graduação terá a Organização objectivos: duração de dois semestres. 1. Formar profissionais com os mais recentes conhecimentos sobre as temáti- A parte curricular do Curso conducente ao grau de Mestre ou ao diploma de Os Mestrandos que terminarem com aproveitamento a parte curricular do cas associadas ao empreendedorismo, desenvolvendo competências técnicas para Pós-graduação por um sistema de unidades de crédito, num total de 18 unidades Curso de Mestrado têm direito a um Certificado de Estudos de Pós-graduação. a criação de novos negócios com viabilidade e potencial de crescimento, nomea- de crédito. A parte curricular do Mestrado ou o Curso de Pós-graduação terá a O curso de Mestrado compreende a parte curricular e a elaboração, discussão damente start-ups de base tecnológica; duração de dois semestres. e aprovação de uma dissertação original. 2. Fornecer sólidos conhecimentos sobre a gestão e criação de empresas/pe- Os Mestrandos que terminarem com aproveitamento a parte curricular do quenos negócios a pessoas que exercem e/ou tencionam exercer funções em Curso de Mestrado têm direito a um Certificado de Estudos de Pós-graduação. Habilitações de Acesso entidades privadas; O curso de Mestrado compreende a parte curricular e a elaboração, discussão 1) Licenciados em Matemática 3. Fomentar a interacção multidisciplinar entre docentes e alunos de áreas e aprovação de uma dissertação original. 2) Licenciados que sejam docentes já profissionalizados no grupo de Ma- tecnológicas e da gestão e economia Habilitações de Acesso temática. 4. Proporcionar os instrumentos teóricos, metodológicos e analíticos que per- A classificação mínima de Licenciatura dos candidatos terá que ser de 14 valo- mitam investigar a problemática do empreendedorismo nas suas múltiplas verten- 1) Licenciados em Ensino Básico, variante Matemática e Ciências da Natureza res. tes; 2) Licenciados que sejam docentes já profissionalizados no grupo de Ma- Excepcionalmente, poderão ser admitidos candidatos com classificação final de 5. Contribuir para a progressão académica, amadurecimento intelectual e pro- temática e Ciências da Natureza. Licenciatura inferior a 14, se a apreciação curricular feita pelo Órgão competente moção das capacidades de investigação de docentes do ensino universitário e 3) Licenciados em Ensino Básico da Universidade, o justificar. politécnico, de acordo com as disposições legais em vigor; A classificação mínima de Licenciatura dos candidatos terá que ser de 14 valores. Poderão ser admitidos a Curso de Pós-graduação candidatos com classificação 6. Incentivar a análise crítica e o alargamento e aprofundamento do saber, atra- Excepcionalmente, poderão ser admitidos candidatos com classificação final de inferior a 14 valores, cujo currículo não justifique a sua vés da realização de trabalhos académicos e dissertações de Mestrado. Licenciatura inferior a 14, se a apreciação curricular feita pelo Órgão competente aceitação para a elaboração da dissertação conducente ao título de Mestre. da Universidade, o justificar. Candidaturas Poderão ser admitidos a Curso de Pós-graduação candidatos com classificação Critérios de Selecção inferior a 14 valores, cujo currículo não justifique a sua aceitação para a elabora- Requerimento ao Magnífico Reitor solicitando a abertura de candidatura, acom- A selecção dos candidatos à matrícula no curso de Mestrado terá em conta os ção da dissertação conducente ao título de Mestre. panhado de: seguintes critérios: a) Curriculum vitae; Critérios de Selecção a) Licenciaturas obtidas, dando preferência às licenciaturas em Matemática. b) Certidão informativa final de curso de licenciatura, onde conste a sua classi- A selecção dos candidatos à matrícula no curso de Mestrado terá em conta os b) Classificação obtida na Licenciatura e nas disciplinas de Matemática da Li- ficação final; seguintes critérios: cenciatura. c) Carta em que o candidato especifica e fundamenta o seu interesse em fre- a) Classificação obtida na Licenciatura e nas disciplinas de Matemática ou Bio- c) “Curriculum” académico, científico e pedagógico. quentar o Curso, bem como esboça e descreve sinteticamente 1 a 3 ideias de logia, ou Geologia ou Física da Licenciatura. d) Experiência profissional. negócio (até 100 palavras por cada ideia) que gostasse de analisar, estruturar e b) “Curriculum” académico, científico e pedagógico. e) Estágio e respectiva classificação. planear para, eventualmente, vir a implementar no futuro; c) Experiência profissional. d) Fotocópia do Bilhete de Identidade; d) Estágio e respectiva classificação. Processo de candidatura e) Uma fotografia; f) Taxa de candidatura 55 euros Processo de candidatura Requerimento ao Magnífico Reitor solicitando a abertura do processo de can- didatura, acompanhado de: Curriculum vitae: académico, científico, pedagógico; Cer- g) Quaisquer outros elementos que venham a ser exigidos no edital ou que o Requerimento ao Magnífico Reitor solicitando a abertura do processo de can- tificado Final de Licenciatura; Certidão Discriminativa das Notas; Fotocópia do candidato considere relevantes. didatura, acompanhado de: Curriculum vitae: académico, científico, pedagógico; Cer- B.I.; 1 Fotografia; um cheque de 55 Euros e outros dados relevantes para aprecia- tificado Final de Licenciatura; Certidão Discriminativa das Notas; Fotocópia do ção Informações Adicionais B.I.; 1 Fotografia; um cheque de 55 Euros e outros dados relevantes para aprecia- Departamento de Economia, Sociologia e Gestão ção Períodos de Candidatura: Av. Almeida Lucena, 1; 5000-660 Vila Real Períodos de Candidatura: 1º Período – 15 de Maio a 14 de Julho de 2006 Tel. 259.302.200; Fax. 259.302.249 2º Período - 1 de Agosto a 16 de Setembro de 2005 emails: mteixeir@utad.pt ou smarques@utad.pt 1º Período - 15 de Maio a 14 de Julho de 2006 2º Período - 1 de Agosto a 15 de Setembro de 2006 Período de Matrícula: 25 a 29 de Setembro de 2006 Departamento de Engenharias Período de Matrícula: 25 a 29 de Setembro de 2006 Edifício de Engenharias I – Quinta de Prados Início de Funcionamento: Mês de Outubro de 2006. UTAD – Apartado 1013 – 5000-801 Vila Real Início de Funcionamento: Mês de Outubro de 2006. VTM2932•17.08.2006 O Curso de Mestrado funcionará desejavelmente em horário adequado aos Tel. 259.350.331; Fax. 259.350.356 O Curso de Mestrado funcionará desejavelmente em horário adequado aos alunos que o venham a frequentar, considerando-se a hipótese de funcionar, Sex- email: ramiro@utad.pt alunos que o venham a frequentar, considerando-se a hipótese de funcionar, Sex- ta-feira após as 15 horas e Sábado após as 8 horas e 30 minutos. ta-feira após as 15 horas e Sábado após as 8 horas e 30 minutos. Serviços Académicos da UTAD VTM2932•17.08.2006 VTM2932•17.08.2006 Informações Repartição Pedagógica Informações UTAD – Departamento de Matemática UTAD – Repartição Pedagógica Apartado 1013; 5000-911 Vila Real UTAD – Departamento de Matemática UTAD – Repartição Pedagógica Telefone: 259350817/10 Apartado 1013 Tel. 259.350.130/1; Fax. 259.350.123 Telefone: 259350817/10 Apartado 1013 5001 Vila Real Codex email: nped@utad.pt 5001 Vila Real Codex Tel:259350130/131 Tel:259350130/131 Fax:259350480 http://www.utad.pt/pt/ensino_formacao/pos_grad/empreendedorismo/index.html Fax:259350480
    • a voz de trás-os-montes 17 agosto 2006 publicidade 31 NATURA SELECTION OFERECE-SE URGENTE VENDE-SE CASA CESSÃO DE QUOTAS/ TRESPASSE Área da sede: 560m2 PROCURA DUO MUSICAL Trabalhe a partir de sua casa Rua Senhora da Piedade, n.º 12 Vila Real RESPONSÁVEL DE LOJA Escritório / Estabelecimento para actuar em todo o VTM2932•17.08.2006 Objecto Social (M/F) VTM2932•17.08.2006 VTM2932•17.08.2006 VTM2932•17.08.2006 Sanfins do Douro tipo de eventos Supervisores / Distribuidores (m/f) VTM2932•17.08.2006 Actividades hoteleiras, turísticas, Enviar curriculum vitae para: culturais e Centro de exposições. NATURA SELECTION (casamentos, baptizados, c/ horário independente T. 233 427 517 (Figueira da Foz) Sugestão: Spa/Ginásio C.C. Braga Parque, 153 romarias e outros) 600 a 3.000€/mês possíveis Preço: 34.915,00 € (7.000 contos) Tm.: 962 990 173 Quinta dos Congregados 4710 BRAGA T. 962 956 472 Telef.: 912 884 486 ATL POLEGARZINHO GRANDE PROMOÇÃO VTM2932•17.08.2006 (Nossa Senhora da Conceição) APARTAMENTOS Inscreva já o seu filho e usufrua dos preços especiais T1 ao Intermarché – 75m2, aq. Central, arrumos 71.500 € que temos para si, durante todo o ano. T3 Quinchosos – 110m2, centro da cidade 90.000 € As inscrições feitas de 1 de Agosto até 30 de T3 Qtª. Seixo – novo, 135m2, roupeiros, 1 garagem 114.700 € T3 Lugar das Regadas – 123m2, mt bom estado 117.500 € Setembro 2006, usufruem dos seguintes preços: T3 N. S. C. “Pinto & Marques” – 120 m2, lug. gar. 155.800 € 110 euros - inclui almoço, lanche e transporte T4 V. Carnaxide – 170m2, lareira, gar. ind., terraço 105.000 € ATL 75 euros - inclui o lanche VTM2932•17.08.2006 MORADIAS 55 euros - não inclui quaisquer opções 2 Constantim – p/ reconstrução, 220m , ter. 300m 2 135.000 € Arroios – Lote 900m2, sauna, arquitectura moderna 325.000 € Contacte-nos sem demora: Abaças – 300m2, 2 lareiras, gar. ind., anexos, poço 250.000 € Brevemente abrirá as suas portas à malta mais pequena 259 348 098 • 969 428 835 Traslar – c. mobilada, wc’s remodelados, g. 2 carros 112.300 € N.ª Sr.ª Conceição – 240m2, geminada, aq. central 187.500 € Traslar – 320 m2, 4 quartos, aq. central, 3 frentes 160.000 € TERRENOS Jardim de Infância Adega Cooperativa VTM2932•17.08.2006 80.000 € 2 Justes – 7.200m , c/ planta aprovada p/ construção Escariz – 4.000m2, vistas espectaculares 80.000 € de Favaios, C. R. L. QUINTAS Para crianças a partir dos 3 anos de idade Convocatória Souto Maior – 6 hec., c/ armazém, casa em pedra 90.000 € Assembleia Geral extraordinária S. Mamede – 32.250m2, casa em granito, eira 225.000 € Convocam-se os Senhores Associados para, em Assembleia Geral Ex- ARRENDAMENTOS – Apartamentos, Lojas, Moradias traordinária, reunirem no próximo dia 3 de Setembro, pelas 13h30, na Cruz. Sinaleiro – 217 m2 900 € Abertas as inscrições para o ano lectivo de 2006/2007 Sede da Adega Cooperativa de Favaios, a fim de deliberarem sobre o se- N.ª Dr.ª Conceição (junto ao Totta) – 66 m2 625 € Horário: 07:45 às 19:00 horas guinte: Qt.ª Seixo – 67 m2 500 € ORDEM DE TRABALHOS Opção de venda – 125.000€ Ponto Único – Marcação da Vindima. VTM2932•17.08.2006 259 326 100 Avª de Osnabruck, Lote 13,Vila Real Se à hora marcada não houver número suficiente para deliberarem, a Junto ao Campo de Futebol de Abambres reunião far-se-á uma hora mais tarde. norchave@sapo.pt Favaios, 12 de Agosto de 2006. Tel.: 259 338 888 Mail: maltagira@iol.pt PRACETA DE SANTA IRIA, LOTE 2, LOJA 2 O Presidente da Mesa da Assembleia Geral 5000-048 VILA REAL A/ António Luís Monteiro da Silva PRESTAÇÕES CALCULADAS PARA UM EMPRÉSTIMO A 100%, SEM ENTRADA INICIAL E PELO PRAZO DE 600 MESES, INDEXADA À EURIBOR A 3 MESES E SPREAD DE 0,7% E COM CARÊNCIA INICIAL DE 36 MESES 001 004 007 010 T0 - Centro T2 – HOSPITAL T3 – COMO NOVO T4 + 1 - BOXES Boas áreas, pavimentos em ti- Boas áreas, pavimentos em 5 Anos, pavimentos em ma- Área de 246m2, pavimentos em ma- joleira, cozinha mobilada, ex- madeira e tijoleira, cozinha deira e tijoleira, cozinha deira e tijoleira, cozinha equipada, ar condicionado em todos os comparti- celente investimento para ar- equipada, lareira com recupe- equipada, lavandaria, des- mentos, suite, despensa, roupeiros, rendamento. rador de calor, marquise, ex- pensa, vidros duplos, exce- salamandra, varanda, garagem fecha- celente investimento. lentes vistas. da para 2 carros. € 42.500 € 75.000 € 85.000 € 137.500 Prestação mensal: € 131 Prestação mensal: € 231 Prestação mensal: € 262 Prestação mensal: € 424 002 005 008 011 T1 – JUNTO AO SHOPPING T2 – BOXES T3 – Á CIDADE MORADIA CIDADE Boas áreas, pavimentos em Boas áreas, pavimentos em madeira Excelentes áreas, pavimentos em Nova,T4, 3 frentes, cozinha equipada madeira e tijoleira, cozinha e tijoleira, cozinha mobilada e equi- madeira e tijoleira, cozinha equi- com todos os electrodomésticos, des- pada, despensa, pré – instalação de pada, lareira, despensa, roupeiros, pensa, PVC/vidros duplos, roupeiros equipada, vidros duplos, aque- aquecimento central, gás canalizado, embutidos, estores eléctricos, sistema cimento, sótão. caixilharia dupla e vidros duplos, roupeiros, vidros duplos, lugar de ga- áudio, suite, hidromassagem, varan- varandas, lugar de garagem. ragem. Excelente localização. das, terraço, garagem. € 72.500 € 92.500 € 212.500 € 102.500 Prestação mensal: € 223 Prestação mensal: € 316 Prestação mensal: € 285 Prestação mensal: € 655 003 006 009 012 T1 – CENTRO T3 – CENTRO T3 – N.S.DA CONCEIÇÃO MORADIA NOVA Boas áreas, cozinha equipada, Boas áreas, pavimentos em Em construção, pavimentos em Em construção, 4 frentes, tipo T4, co- madeira e tijoleira, cozinha madeira e tijoleira, cozinha mobi- zinha mobilada e equipada, lavanda- despensa, lavandaria, vidros lada, despensa, lavandaria, aqueci- ria, pavimentos em madeira e tijolei- duplos, pré–instalação de mobilada, despensa, varandas, mento central, vidros duplos, rou- ra, pré – instalação de aquecimento aquecimento central, lugar de sótão. Bom investimento. peiros embutidos em todos os central, aspiração central, sistema garagem, excelente investi- quartos, suite, vídeo porteiro, lugar áudio, lareira, 2 suites, WC com ba- mento. € 80.000 de garagem. Local muito sossega- nheira de hidromassagem, garagem Prestação mensal: € 246 do e com vistas panorâmicas. para 2 viaturas com portão automá- tico, jardim. € 75.000 € 130.000 Prestação mensal: € 231 Prestação mensal: € 400 € 294.000 www.restart.com.pt
    • 32 publicidade 17 agosto 2006 a voz de trás-os-montes VENDE-SE ÁGUAS DE TRÁS-OS-MONTES ALTO DOURO, S.A. RENAULT ANÚNCIO DE CONCURSO ESPACE 2.2 DT SECÇÃO I: ENTIDADE ADJUDICANTE Quanto aos não titulares de alvará emitido pelo IMOPPI, os que apresentem cer- I.1) DESIGNAÇÃO, ENDEREÇOS E PONTOS DE CONTACTO tificado de inscrição em lista oficial de empreiteiros aprovados, adequado à obra pos- VTM2932•17.08.2006 7 lugares. Cinza prata Designação Oficial: ÁGUAS DE TRÁS-OS-MONTES ALTO DOURO, S.A. ta a concurso e emitido por uma das entidades competentes mencionadas no nº 1 Ano 2000. Endereço postal: Av. Osnabruck, n.º 29 do Anexo I do Programa de Concurso, desde que apresentem os documentos relati- www.puzzle.com.pt Muito bom estado Localidade:Vila Real Código postal: 5000 427 País: PORTUGAL Pontos de contacto: +351 259 309 370 À atenção de: Presidente do Conselho de Administração (Dr. Alexandre Chaves) vos à comprovação da sua idoneidade e da sua capacidade financeira, económica e técnica para a execução da obra posta a concurso, através do cumprimento do dis- posto no artigo 68º do Decreto-Lei nº. 59/99, de 2 de Março; T. 968 925 744 Telefone: +351 259 309 370 Fax: +351 259 309 3709 Correio Electrónico: geral@atmad.adp.pt Quanto aos não titulares de alvará emitido pelo IMOPPI, ou que não apresentem certificado de inscrição em lista oficial de empreiteiros aprovados, os que apresentem Endereços internet os documentos relativos à comprovação da sua idoneidade e da sua capacidade finan- VENDE-SE Endereço geral da entidade adjudicante (URL): www.aguas-tmad.pt ceira, económica e técnica para a execução da obra posta a concurso, através do Mais informações podem ser obtidas no seguinte endereço: cumprimento do disposto no artigo 67º do Decreto-Lei nº. 59/99, de 2 de Março; Outro: preencher anexo A.I Os concorrentes não titulares quer de alvará emitido pelo IMOPPI, quer de certi- BOA OPORTUNIDADE – URGENTE Caderno de encargos e documentos complementares (incluindo documentos para diálogo concorrencial e para um Sistema de Aquisição Dinâmico) podem ser obtidos ficado de inscrição em lista oficial de empreiteiros aprovados, e os que se encontrem na situação prevista no artigo 70º, nº 2 do Decreto-Lei n.º 59/99, de 2 de Março, no seguinte endereço: deverão comprovar a sua capacidade económica e financeira, com base no quadro de Mobiliário de Café Snack-Bar VTM2932•17.08.2006 Outro: preencher anexo A.II referência da Portaria nº 994, de 5 de Agosto, publicada ao abrigo do artº 10º do As propostas ou pedidos de participação devem ser enviados para o seguinte endereço: Decreto-lei nº 12/2004, de 9 de Janeiro, não podendo ser excluído nenhum concor- Outro: preencher anexo A.III rente que apresente,cumulativamente e no mínimo, os valores de referência previs- TUDO EM MUITO BOM ESTADO I.2) TIPO DE ENTIDADE ADJUDICANTE E SUAS PRINCIPAIS ACTIVIDADES tos na referida Portaria, relativos ao último exercício, ou, em alternativa, à média Outro : Sociedade Anónima de Capitais Públicos de Direitos Privado aritmética simples dos três últimos exercícios, conforme Portaria n.º 1075/2005, de A entidade adjudicante está a contratar por conta de outras entidades adjudican- 29 de Outubro. 917 167 109 tes: Não SECÇÃO II: OBJECTO DO CONTRATO Serão considerados não aptos, em termos de capacidade económica e financeira, os concorrentes que não satisfaçam as condições apresentadas, devendo as empresas II.1) DESCRIÇÃO que se encontrem numa das situações mencionadas nesta alínea, quando em agrupa- II.1.1) Designação dada ao contrato pela entidade adjudicante mento, satisfazer individualmente as condições referidas. Soc. Mediação AMI 3959 EMPREITADA DE EXECUÇÃO DA 2ª FASE DE SANEAMENTO DO VALE DO III.2.2) Capacidade económica e financeira Imobiliária DOURO NORTE. Informação e formalidades necessárias para verificar o cumprimento dos requisi- II.1.2) Tipo de contrato e local da realização das obras, da entrega dos tos: IMOCORGO fornecimentos ou da prestação de serviços Os concorrentes deverão apresentar os documentos exigidos no Programa de C.C.D. Dinis, Loja 13 a) Obras Concurso, nomeadamente os indicados no Ponto n.º 15 – DOCUMENTOS DE HA- 259 32 18 19 Execução Principal local de execução: Distrito de Vila Real BILITAÇÃO DOS CONCORRENTES. III.2.3) Capacidade técnica A Experiência também conta! 96 377 81 73 Código NUTS: PT118 Informação e formalidades necessárias para verificar o cumprimento dos requisi- II.1.3) O anúncio implica: tos: Um contrato público Os concorrentes deverão apresentar os documentos exigidos no Programa de VENDE-SE II.1.5) Breve descrição do contrato ou das aquisições Concurso, nomeadamente os indicados no Ponto n.º 15 – DOCUMENTOS DE HA- O Presente concurso tem por objecto a execução de sistemas interceptores e 3 T1, Sr.ª Conceição ___________________ 67.350€ Estações de Tratamento de Água Residuais pertencentes a 11 Subsistemas do Vale BILITAÇÃO DOS CONCORRENTES, e ainda, nos termos dos critérios seguintes: a. Comprovação da execução, nos últimos 5 anos, de obra(s) de Emissários e Siste- T2, Pioledo c/ terraço _______________ 110.000€ Douro Norte.As infra-estruturas (Emissários Gravíticos – EG; Sistemas Elevatórios – mas Elevatórios e ETAR, cujo valor de cada obra realizada não seja inferior a 60% dos SE; Estações de Tratamento de Águas Residuais – ETAR) a construir estão descrimi- valores respectivos incluídos na proposta. T2+1, Lugar Regadas _________________ 95.000€ nadas, por Subsistema, no Quadro seguinte: b. Adequação do equipamento e da ferramenta especial a utilizar na obra, sejam CÓDIGO: DN-01/02; SUBSISTEMA:Vila Real; EG (M): 7.500m; SE (Nº): 5; próprios, alugados ou sob qualquer forma, às suas exigências técnicas; T3, Calçada ________________________ 92.500€ SE (m): 1.570; N.º ETAR (Hab. Residentes): -: -:-; c. Adequação dos técnicos e serviços técnicos a afectar à obra, estejam, ou não, CÓDIGO: DN-01/02; SUBSISTEMA:Vila Real; EG (M): 7.500m; SE (Nº): 5; integrados na empresa; T3, Qt. Espadanal (Novo) _____________ 130.000€ SE (m): 1.570; N.º ETAR (Hab. Residentes): -: -:-; Possuir, no quadro de pessoal permanente, um técnico, com formação superior CÓDIGO: DN-01/02; SUBSISTEMA:Vila Real; EG (M): 7.500m; SE (Nº): 5; em engenharia civil, para exercer a função de director técnico da presente empreita- T3, Qt. Entroncamento _______________ 145.000€ SE (m): 1.570; N.º ETAR (Hab. Residentes): -: -:-; da, com experiência comprovada de, pelo menos, CÓDIGO: DN-01/02; SUBSISTEMA:Vila Real; EG (M): 7.500m; SE (Nº): 5; 5 (cinco) anos em direcção de obras. T3, Sr.ª Conceição __________________ 135.000€ SE (m): 1.570; N.º ETAR (Hab. Residentes): -: -:-; SECÇÃO IV: PROCESSO CÓDIGO: DN-01/02; SUBSISTEMA:Vila Real; EG (M): 7.500m; SE (Nº): 5; IV.1) TIPO DE PROCESSO T4+1, Sr.ª Conceição ________________ 140.000€ SE (m): 1.570; N.º ETAR (Hab. Residentes): -: -:-; IV.1.1) Tipo de processo T5, Pioledo ________________________ 140.000€ CÓDIGO: DN-01/02; SUBSISTEMA:Vila Real; EG (M): 7.500m; SE (Nº): 5; SE (m): 1.570; N.º ETAR (Hab. Residentes): -: -:-; Concurso público IV.2) CRITÉRIOS DE ADJUDICAÇÃO CÓDIGO: DN-03; SUBSISTEMA: Sabrosa; EG (M): -; SE (Nº): 1; IV.2.1) Critérios de adjudicação: TERRENOS SE (m): 630; N.º ETAR (Hab. Residentes): -: -:-; Proposta economicamente mais vantajosa, tendo em conta CÓDIGO: DN-04/05; SUBSISTEMA: Alijó-Favaios; EG (M): 925; SE (Nº): 1; Os critérios enunciados a seguir (os critérios de adjudicação deverão ser apresen- Lordelo, 1.150m2 (p/ vivendas gemin.) _______ 95.000€ VTM2932•17.08.2006 SE (m): 390; N.º ETAR (Hab. Residentes): -: -:-; tados com a respectiva ponderação ou por ordem de importância sempre que a CÓDIGO: DN-04/05; SUBSISTEMA: Alijó-Favaios; EG (M): 925; SE (Nº): 1; ponderação não seja possível por razões justificáveis) VIVENDAS SE (m): 390; N.º ETAR (Hab. Residentes): -: -:-; Critérios - Ponderação CÓDIGO: DN-06; SUBSISTEMA: Sanfins do Douro; EG (M): -; SE (Nº): 3; Preço: 55 Vila Paulista _______________________ 280.000€ SE (m): 670; N.º ETAR (Hab. Residentes): -: -:-; Valia Técnica da proposta: 35 CÓDIGO: DN-09; SUBSISTEMA: Mesão Frio; EG (M): 1070; SE (Nº): 3; Cumprimento do Prazo: 10 Vila Paulista _______________________ 325.000€ SE (m): 500; N.º ETAR (Hab. Residentes): -: -:-; IV.3) INFORMAÇÕES DE CARÁCTER ADMINISTRATIVO CÓDIGO: DN-10; SUBSISTEMA: Murça; EG (M): -; SE (Nº): 2; IV.3.3) Condições para obtenção do caderno de encargos e dos docu- VENDEMOS andares, casas e terrenos SE (m): 1150; N.º ETAR (Hab. Residentes): -: -:-; CÓDIGO: DN-13; SUBSISTEMA: S. J. Lobrigos – A. Corgos; EG (M): -; SE (Nº): 1; SE mentos complementares (excepto para um SAD) ou memória descritiva (em caso de diálogo concorrencial) (m): 100; N.º ETAR (Hab. Residentes): -: -:-; Prazo para a recepção de pedidos de documentos ou para aceder aos documen- CÓDIGO: DN-14; SUBSISTEMA: Sever – Fontes; EG (M): 330; SE (Nº): -; tos SE (m): -; N.º ETAR (Hab. Residentes): -: -:-; Data: 13/10/2006 Hora: 18 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS CÓDIGO: DN-22; SUBSISTEMA: Moura Morta – Sedielos; EG (M): 7600; SE (Nº): IV.3.4) Prazos de recepção das propostas ou dos pedidos de participação DIRECÇÃO-GERAL DOS IMPOSTOS 1; SE (m): 1380; N.º ETAR (Hab. Residentes): 1824:136:110; Data: 18/10/2006 Hora: 18 DDF DE VILA REAL CÓDIGO: DN-23; SUBSISTEMA:V. Freires - Poiares; EG (M): 1915; SE (Nº): 1; IV.3.6) Língua ou línguas que podem ser utilizadas nas propostas ou nos SE (m): 720; N.º ETAR (Hab. Residentes): -:-:-; pedidos de participação PT Serviços de Finanças de Alijó CÓDIGO: DN-26; SUBSISTEMA: Fornelos - Tuisendes; EG (M): 1900; SE (Nº): -; IV.3.7) Período mínimo durante o qual o concorrente é obrigado a manter a sua VTM2932•17.08.2006 SE (m): -; N.º ETAR (Hab. Residentes): -:-:-; proposta (concursos públicos) II.1.6) CLASSIFICAÇÃO CPV (VOCABULÁRIO COMUM PARA OS CONTRA- Período em dias: 66 (a contar da data-limite para a recepção das propostas) EDITAL TOS PÚBLICOS) Objecto principal IV.3.8) Condições de abertura das propostas Data: 19/10/2006 Hora: 10 2.ª PUBLICAÇÃO Vocabulário principal: 45232420 Lugar: Sede da Águas de Trás-os-Montes e Alto Douro, S.A. Objectos complementares AvªOsnabrucK,29 • 5000-427 Vila Real José João Pereira de Jesus, Chefe de Finanças do Serviço Local de Finanças de Vocabulário principal: 45232440 Pessoas autorizadas a assistir à abertura das propostas: Sim Alijó. Vocabulário principal: 45232440 Podem assistir ao acto público todas as pessoas interessadas. Só poderão intervir Faz saber que no dia 24 de Outubro de 2006, pelas 10 horas, neste Serviço Local Vocabulário principal: 45232423 no acto público as pessoas que, para o efeito, estiverem devidamente credenciadas de Finanças de Alijó, sito na Av. Sá Carneiro, n.º 118, se procederá à abertura das II.1.7) O contrato está abrangido pelo Acordo sobre Contratos Público pelos concorrentes, no número máximo de 2 (duas) por concorrente. propostas em carta fechada e venda do prédio rústico abaixo designado, penhorado (ACP)? Não SECÇÃO VI: INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES a Tintas Europa C I T V Ldª, NIPC. 501 936 157, com sede em Estrada da Luz – 30 II.1.8) Divisão em lotes: Não VI.2) CONTRATO RELACIONADO COM UM PROJECTO E/OU PROGRAMA II.1.9) São aceites variantes: Não FINANCIADO POR FUNDOS COMUNITÁRIOS: Sim A C D 21 Escr. 0 – 1600-159 Lisboa, no processo de execução fiscal n.º II.2) QUANTIDADE OU EXTENSÃO DO CONTRATO Fazer referência aos projectos e/ou programas: 2364200207000073, instaurado por dívidas à Fazenda Nacional provenientes de II.2.1) Quantidade ou extensão total FUNDO DE COESÃO IRC do ano de 1996, na quantia total de € 142.390,31, a que acrescem juros de mora Execução de 11 Sistemas Interceptores e de 3 Estações de Tratamento de Águas VI.3) OUTRAS INFORMAÇÕES e custas processuais. Residuais. LOCAL OND SE REALIZARÁ A OBRA, A ENTREGA DOS FORNECIMENTOS BEM A VENDER O Preço Base do Concurso é de 5.800.000 € (cinco milhões e oitocentos mil OU A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS: Verba única euros), com exclusão do IVA. CONCELHOS DE ALIJÓ, SABROSA, MESÃO FRIO, MURÇA, PESO DA RÉGUA, DIVISA: EUROS SANTA MARTA DE PENAGUIÃO E VILA REAL. Prédio rústico, composto por mato e cultura, com a área de 3.570 m2, sito no II.3) DURAÇÃO DO CONTRATO OU PRAZO PARA A SUA EXECUÇÃO Código NUTS PT 117. lugar dos Toijos, freguesia de Vila Verde, concelho de Alijó, a confrontar de norte com Período em dias: 365 (a contar da data de adjudicação) CONDIÇÕES PARA A OBTENÇÃO DE DOCUMENTOS CONTRATUAIS E caminho, de nascente com a estrada, de sul com Norberto José Meireles Afonso e de SECÇÃO III: INFORMAÇÕES DE CARÁCTER JURÍDICO, ECONÓMICO, FI- ADICIONAIS: poente com Arnaldo Monteiro e outros, inscrito sob o artigo 377, com o valor NANCEIRO E TÉCNICO CUSTO: 3000,00 € ( Três Mil Euros) em suporte papel; patrimonial actual de € 13,90 e descrito na Conservatória do Registo Predial de III.1) CONDIÇÕES RELATIVAS AO CONTRATO 50,00 € (Cinquenta Euros) em suporte digital, acrescidos do IVA à taxa legal em Alijó sob o número 00285/090889, sendo o valor de base de venda fixado em III.1.1) Cauções e garantias exigidas vigor. Na fase de apresentação de Propostas não é exigida qualquer caução. MOEDA: EUROS € 4.000,00 determinado de harmonia com o disposto na alínea a) do n.º 1 do artigo III.1.2) Principais modalidades de financiamento e pagamento e/ou refe- CONDIÇÕES E FORMA DE PAGAMENTO: 250º do Código de Procedimento e de Processo Tributário. rência às disposições que as regulam Pagamento em dinheiro ou cheque a favor da Águas de Trás-os-Montes e Alto É fiel depositário o Sr. Carlos José Machado Ribeiro – NIF. 180 961 993, residente A empreitada será executada em regime misto: Douro, S.A. na Zona Industrial do Freixo – Tintas Europa – Alijó, que mostrará o imóvel objecto ? Por preço global quanto à construção civil e ao fornecimento e montagem do VI.5) DATA DE ENVIO DO PRESENTE ANÚNCIO de venda, para ser visto e examinado, nas condições que estabelecer, de conformida- equipamento, das instalações eléctricas e da automação e instrumentação das ETAR; 31/07/2006 de com o disposto no artigo 891º do Código Processo Civil. ? Por série de preços para a execução dos Emissários e das Condutas Elevatórias ANEXO A: ENDEREÇOS SUPLEMENTARES E PONTOS DE CONTACTO São assim convidadas todas as pessoas interessadas a apresentar as suas propos- e, ainda, das obras de construção civil das Estações Elevatórias; I) ENDEREÇOS E PONTOS DE CONTACTO ONDE PODEM SER OBTIDAS tas em carta fechada, até às 16.00 horas do dia anterior ao marcado para a venda, ? Por preço global para o fornecimento e montagem do equipamento, das instala- INFORMAÇÕES ADICIONAIS neste Serviço de Finanças, identificando exteriormente o respectivo processo, com ções eléctricas e da automação e instrumentação das Estações Elevatórias. Designação Oficial: ÁGUAS DE TRÁS-OS-MONTES ALTO DOURO, S.A. III.1.3) Forma jurídica que deve assumir o agrupamento de operadores Endereço postal: Av. Osnabruck, n.º 29 a indicação do nome do executado no canto superior esquerdo do envelope e o fim económicos adjucatário Localidade:Vila Real Código Postal: 5000 427 País: PORTUGAL a que se destina, não sendo aceites aquelas cujo valor oferecido seja inferior a 70% do Podem concorrer empresas legalmente constituídas ou grupos de empresas que Pontos de contacto: +351 259 309 370 valor base fixado pelo órgão da execução fiscal – nº 2 do artº 250º do CPPT. declarem a intenção de se constituírem juridicamente numa única entidade, agrupa- À atenção de: Presidente do Conselho de Administração (Dr. Alexandre Chaves) Informa-se que no acto da venda deverá ser depositada a quantia mínima de 1/3 mento complementar de empresas, agrupamento europeu de interesse económico Telefone +351 259 309 370 Fax +351 259 309 379 do preço na Tesouraria de Finanças e o restante no prazo de 15 dias, sob pena de ou consórcio externo, em regime de responsabilidade solidária, em qualquer dos Correio Electrónico: geral@atmad.adp.pt sanções previstas no Código de Processo Civil. casos em regime de responsabilidade solidária passiva dos consorciados, agrupados Endereço internet (URL): www.aguas-tmad.pt Sobre o valor da venda do imóvel é devido Imposto Municipal sobre as Transmis- ou accionistas, entre si e com o consócio, agrupamento ou sociedade tendo em vista II) ENDEREÇOS E PONTOS DE CONTACTO JUNTO DOS QUAIS SE PODE sões Onerosas de Imóveis, à taxa referida no artº 17º do CIMT, que deverá ser pago a celebração do contrato. OBTER O CADERNO DE ENCARGOS E OS DOCUMENTOS COMPLEMENTA- III.2) CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO RES (INCLUINDO DOCUMENTOS RELATIVOS A UM SISTEMA DE AQUISIÇÃO no prazo de 30 dias a contar da data da adjudicação (nº 3 do art.º 36º do Código do III.2.1) Situação pessoal dos operadores económicos, nomeadamente re- DINÂMICO) CIMT) e Imposto de Selo, a que se referem os números 1 e 3 do Anexo II da Tabela quisitos em matéria de inscrição nos registos profissionais ou comerciais Designação Oficial: ÁGUAS DE TRÁS-OS-MONTES ALTO DOURO, S.A. Geral do Código de Imposto de Selo, que deverá ser pago na data da arrematação. Informação e formalidades necessárias para verificar o cumprimento dos requisi- Endereço postal: Av. Osnabruck, n.º 29 Declara-se, por último, que se o preço mais elevado for oferecido por dois ou tos: Localidade:Vila Real Código Postal: 5000 427 País: PORTUGAL mais proponentes abrir-se-à logo licitação entre eles, salvo se declararem que prefe- Só serão admitidos concorrentes que, à data de entrega da proposta, satisfaçam as Pontos de contacto: +351 259 309 370 rem adquirir o prédio em compropriedade. Estando presente só um dos proponen- condições de idoneidade previstas no artigo 55.º do Decreto-Lei n.º 59/99, de 2 de À atenção de: Presidente do Conselho de Administração (Dr. Alexandre Chaves) tes do maior preço, pode esse cobrir a proposta dos outros, caso contrário proce- Março, cumulativamente com as condições seguintes: Telefone +351 259 309 370 Fax +351 259 309 379 der-se-à a sorteio para apurar a proposta que deve prevalecer. Quanto aos titulares de alvará emitido pelo Instituto dos Mercados de Obras Correio Electrónico: geral@atmad.adp.pt Nos termos do n.º 2 do artigo 239º do CPPT ficam por este meio citados os Públicas e Particulares e do Imobiliário (IMOPPI), os que apresentem as habilitações Endereço internet (URL): www.aguas-tmad.pt seguintes: III) ENDEREÇOS E PONTOS DE CONTACTO PARA ONDE DEVEM SER EN- credores incertos ou desconhecidos, para no prazo de 15 dias posterior ao dos i) 6ª subcategoria da 2ª categoria e da classe correspondente ao valor global da VIADOS AS PROPOSTAS/PEDIDOS DE PARTICIPAÇÃO éditos de vinte dias contados da publicação do último anúncio, reclamarem o paga- proposta; Designação Oficial: ÁGUAS DE TRÁS-OS-MONTES ALTO DOURO, S.A. mento dos seus créditos pelo produto da venda dos bens penhorados, sobre que ii) 1ª subcategoria da 1ª categoria, da classe correspondente ao valor dos trabalhos Endereço postal: Av. Osnabruck, n.º 29 tenham garantia real (n.º 1 do artigo 240 do CPPT e n.º 1 do artigo 250º do CPC) . especializados que lhe respeite; Localidade:Vila Real Código Postal: 5000 427 País: PORTUGAL Serviço de Finanças de Alijó, 04 de Agosto de 2006. iii) 2ª subcategoria da 5ª categoria, das classes correspondentes aos valores dos Pontos de contacto: +351 259 309 370 trabalhos especializados que lhes respeitem; À atenção de: Presidente do Conselho de Administração (Dr. Alexandre Chaves) O Chefe de Finanças, José João Pereira de Jesus Desde que não seja posto em causa o disposto no n.º 3 do artigo 265.º do Decre- Telefone +351 259 309 370 Fax +351 259 309 379 Técnico Administração Tributária 2 to-Lei 59/99, de 2 de Março, e sem prejuízo do disposto na presente alínea, o concor- Correio Electrónico: geral@atmad.adp.pt A Escrivã, Maria Beatriz Ribeiro Fernandes Martins rente pode recorrer a subempreiteiros, ficando a eles vinculado, por contrato, para a Endereço internet (URL): www.aguas-tmad.pt Técnica Administração Tributária Adjunta execução dos trabalhos correspondentes. 31/07/2006 - O Presidente do Conselho de Administração,Alexandre Chaves, Dr.
    • a voz de trás-os-montes 17 agosto 2006 informação 33 Farmácias de Serviço Dia 17 — BARREIRA 17 a 23 de Agosto Lg.Visconde Almeida Garrett, tel. 259322862 Tel.: 259 340 290 de 2006 Dia 18 — BAPTISTA Fax: 259 340 299 Rua Dr. Roque da Silveira, tel. 259322040 Dia 19 — CHAVES FERREIRA É um espaço variado e aberto à opinião e à informação, E-mails: Farmácias de Serviço Permanente R. Santa Sofia, tel. 259338180 atento ao respeito devido à opinião alheia e à veracidade geral@avozdetrasosmontes.com Dia 20 — MESQUITA dos factos – o que implica grande respeito pelos FARMÁCIA MATEUS publicidade@avozdetrasosmontes.com Rua D. Margarida Chaves, tel. 259323125 destinatários e pela verdade. Bairro do Marrão, Mateus, tel.259 338 710 assinaturas@avozdetrasosmontes.com Dia 21 — GALENO Para poder dar resposta rápida a quem pretenda oferecer- FARMÁCIA LORDELO Avenida 1.º de Maio, tel. 259322375 Internet: www.avozdetrasosmontes.com Avenida da Noruega, Lordelo, tel. 259 341 031 -lhe colaboração, propõe que os textos, computorizados, Dia 22 — SEIXAS Avenida Aureliano Barrigas, tel. 259324167 não excedam uma página A4, em corpo 10 – e que venham FARMÁCIA TUNA FERREIRA devidamente assinados e acompanhados de contactos Lugar da Cancela, E.N. 15, N.º 80, Dia 23 — MONTEZELOS telefónicos. Telefones Úteis Sanguinhedo - Mouçós, tel. 259 928 200 / 01 R. de Montezelos, 39, tel. 259 326 734 O Semanário Administração Regional de Saúde __________________ 259 Aeródromo _________________________________ 259 Auto Viação do Tâmega, Lda. _____________________ 259 302 336 322 270 620 928 Informação A VOZ DE Arquivo Distrital ______________________________ 259 330 820 Fiscal TRÁS-OS-MONTES Agência Funerária Martinho da Costa ______________ 259 326 346 Agência Funerária Rebelo _______________________ 259 Agência Funerária Vilarealense ____________________ 259 323 373 127 942 INSTITUTO DE METEOROLOGIA está disponível às QUINTAS-FEIRAS Associação Comercial e Industrial _________________ 259 322 148 Associação Académica da UTAD __________________ 259 330 740 CENTRO DE COORDENAÇÃO DE VILA REAL Até ao dia 21: Pagamento do Associação Portuguesa de Apoio à Vítima ____________ 259 340 340 Previsão do estado do tempo no Continente, válida para Imposto sobre o Valor ALFÂNDEGA DA FÉ Bombeiros Voluntários Cruz Verde _________________ 259 330 510 Bombeiros de Salvação Pública ___________________ 259 340 900 Acrescentado (IVA), a efectuar ALIJÓ Câmara Eclesiástica ____________________________ 259 323 448 nas tesourarias de finanças, BOTICAS Câmara Municipal _____________________________ 259 308 100 DE 17 A 24 DE AGOSTO correspondente ao imposto BRAGANÇA Caritas Diocesana de Vila Real ____________________ 259 371 166 CARRAZEDA DE ANSIÃES Centro Cultural Regional _______________________ 259 324 845 apurado na declaração Centro Regional Segurança Social _________________ 259 308 700 Dia 17 Ago. (Quinta-feira) – Períodos de céu muito nublado. CARRAZEDO DE MONTENEGRO Centro Área Educativa Vila Real – DREN ____________ 259 321 910 respeitante ao 2º trimestre, Centro de Inspecções Periódicas a Veículos __________ 259 340 470 Vento fraco a moderado (inferior a 25 km/h) do quadrante CHAVES Centro de Saúde N.º 1 _________________________ 259 324 095 oeste, soprando temporariamente moderado (25 a 35 km/h), pelos sujeitos passivos FAVAIOS Centro de Saúde N.º 2 _________________________ 259 302 090 com rajadas, no Litoral a sul do Cabo Carvoeiro e modera- abrangidos pelo regime especial FREIXO DE ESPADA À CINTA CIRDD Comissão Interprofissional Região Demarcada Douro ______ 254 320 850 Colégio Moderno de S. José ______________________ 259 323 095 do a forte (30 a 45 km/h), com rajadas, nas terras altas do dos pequenos retalhistas; IZEDA Colégio de Nossa Senhora da Boavista _____________ 259 323 015 Norte e do Centro e nas zonas montanhosas das regiões do MACEDO DE CAVALEIROS Correios ___________________________________ 259 330 324 Até ao dia 21: Entrega das Cabanelas Viagens e Turismo, Lda. _________________ 259 322 257 Sul.Aguaceiros, mais frequentes e intensos e acompanhados MEDA importâncias retidas, no mês Região de Turismo da Serra do Marão ______________ 259 323 560 de trovoada até ao fim da manhã nas regiões do Sul onde MIRANDA DO DOURO Comissão Coordenação Região Norte _____________ 259 322 892 poderão ser localmente moderados a fortes. Neblina mati- anterior, para efeitos de MIRANDELA Cartório Notarial _____________________________ 259 322 642 Conservatória Registo Predial e Comercial __________ 259 322 621 nal. Imposto sobre o Rendimento MOGADOURO Conservatória do Registo Civil ___________________ 259 340 100 das Pessoas Singulares (IRS); MONCORVO CIAC ______________________________________ 259 308 100 Dia 18 Ago. (Sexta-feira) – Céu com períodos de muito nu- Cruz Vermelha Portuguesa _______________________ 259 309 240 blado, tornando-se gradualmente pouco nublado para o fim Até ao dia 21: Entrega das MONTALEGRE Direcção de Finanças __________________________ 259 308 500 MURÇA Direcção Geral de Viação _______________________ 259 326 130 do dia.Vento fraco a moderado (inferior a 25 km/h) do qua- importâncias retidas, no mês Escola Secundária de São Pedro ___________________ 259 322 073 drante oeste.Aguaceiros, em especial nas regiões a norte do PEDRAS SALGADAS anterior, para efeitos de Escola Secundária Camilo Castelo Branco ___________ 259 309 430 sistema montanhoso Montejunto-Estrela, diminuindo de in- PINHÃO Escola Secundária Morgado de Mateus ______________ 259 325 632 Imposto sobre o Rendimento RIBEIRA DE PENA Escola Preparatória Diogo Cão ___________________ 259 302 460 tensidade e frequência a partir da tarde. Neblina ou nevoei- Escola Preparatória Mons. Jerónimo Amaral __________ 259 325 052 das Pessoas Colectivas (IRC); SABROSA Escola de Condução Auto Marão, Lda. ______________ 259 322 237 ro matinal. Até ao dia 21: Entrega do Imposto SÃO JOÃO DA PESQUEIRA Escola de Condução Auto Real, Lda. _______________ 259 322 861 Escola de Condução Vilarealense __________________ 259 338 930 Dia 19 Ago. (Sábado) – Céu pouco nublado, apresentando-se SÃO MARTINHO D’ANTA Escola Superior de Enfermagem ___________________ 259 309 530 temporariamente muito nublado até ao final da manhã.Ven- do Selo, cuja obrigação SANFINS DO DOURO EDP _______________________________________ 259 300 200 to fraco. Possibilidade de ocorrência de aguaceiros fracos tributária se constitui no mês Fundação Casa de Mateus _______________________ 259 326 553 SENDIM Governo Civil ________________________________ 259 340 340 nas regiões a norte do sistema montanhoso Montejunto- anterior. TUA GNR ______________________________________ 259 323 115 Estrela. VALPAÇOS Gabinete Apoio Técnico ________________________ 259 324 091 Hospital de São Pedro __________________________ 259 300 500 Dias 20 a 24 Ago. (Domingo a Quinta-feira) – Tendência VIDAGO INATEL ____________________________________ 259 324 117 para céu pouco nublado ou limpo e subida gradual da tem- VILA FLOR Instituto do Desporto __________________________ 259 323 528 Instituto Português da Juventude __________________ 259 309 640 peratura. VILA NOVA DE FOZ CÔA Instituto Emprego e Formação Profissional ___________ 259 309 180 VILA POUCA DE AGUIAR Inspecção Geral do Trabalho _____________________ 259 322 083 PARA VISITAS DE ESTUDO AO CENTRO DE COORDENAÇÃO VILA REAL NERVIR ____________________________________ 259 330 640 Parque Natural do Alvão ________________________ 259 302 830 DE VILA REAL, CONTACTE VIMIOSO Polícia Judiciária _______________________________ 259 321 012 TEL. 259 321 652 — FAX 259 321 654 Posto de Turismo _____________________________ 259 322 819 VINHAIS PSP ________________________________________ 259 330 240 Repartição de Finanças _________________________ 259 Rádio Universidade Marão _______________________ 259 Rádio Voz do Marão ___________________________ 259 373 302 330 801 600 960 ! Rádio Independente ___________________________ 259 Rádio Táxis Águias do Marão _____________________ 259 Radiotáxis Expresso ___________________________ 259 RTP _______________________________________ 259 323 373 321 325 770 138 531 141 Boletim de Assinatura Rodonorte – Transportes Portugueses, SA ___________ 259 340 710 Regimento de Infantaria 13 ______________________ 259 322 013 Redacção e Administração Desejo tornar-me assinante de “A VOZ DE TRÁS-OS-MONTES” Serviços Municip. de Águas e Saneamento ___________ 259 330 800 Rua D. António Valente da Fonseca, Serviços Florestais ____________________________ 259 322 199 a partir de ______/______/______, com assinatura renovável no seu termo Serviço de Apoio ao Contribuinte _________________ 259 321 092 20-22 – Apartado 212 Seminário Diocesano __________________________ 259 322 034 5001-911 Vila Real Codex Teatro de Vila Real _____________________________ 259 320 000 DATA ______/ ______/ ______ Telecom ____________________________________ 259 500 500 Telef. 259 340 290 Tribunal de Círculo e Comarca de Vila Real __________ 259 309 950 Fax 259 340 299 NOME ___________________________________________________________________________________ Tribunal do Trabalho ___________________________ 259 338 720 TVI ________________________________________ 259 326 080 E-mail: MORADA ________________________________________________________________________________ UTAD _____________________________________ 259 350 000 assinaturas@avozdetrasosmontes.com CÓDIGO POSTAL _______________________ LOCALIDADE ______________________________________ SERVIÇOS ESPECIAIS DA TELECOM Avarias __________________________________ 16208 ASSINATURA ANUAL TELEFONE __________________ DATA NASCIMENTO______/ ______/ ______ Dificuldades Ligação ________________________ 090 Despertar ________________________________ 161 € 22 Portugal CHEQUE N.º _____________________________________ DINHEIRO VALE POSTAL Horas ___________________________________ 15 Informação Tempo __________________________ 150 € 25 Estrangeiro Serviço Informativo _________________________ 118 (Pagamento adiantado) CONTRIBUINTE N.º ________________ __________________________________________________ Telegramas _______________________________ 183 ASSINATURA Director/Administrador: Colaboradores Permanentes:A. Espírito Santo;A. Gomes da Costa; Colaboradores Desportivos:A. Magalhães; Redacção e Administração: R. Abel Ferreira de Castro; Adérito Silveira; Agostinho Chaves; Albano J. Manuel Martins Fernandes; Nuno Pires; D.António Valente da Fonseca, 22 António Maria Cardoso Correia da Cunha; Álvaro Magalhães dos Santos; Ana Maria Aguiar Jorge Fernandes; Márcia Fernandes; Rui Macedo; Ângelo Minhava; António Gomes; António Mesquita Montes; - Ap. 212, 5001-911 Vila Real, Tel. Serviços Administrativos: Fátima Ferreira Armando Moreira; Armando Soares; Barroso da Fonte; Costa Pereira; Silva; Luís Roçadas 259 340 290, Fax 259 340 299, Tesouraria e Expediente: Sónia Machado Eduardo O. Costa; Gil Monteiro; J. Silva Pinto; João Baptista Martins; Propriedade: Conferências de S.Vicente de João Cavaleiro; Joaquim de Carvalho; Joaquim Gonçalves (D.); John Paulo (Vila Real) E-mail: Dep. Publicidade: Maria Albina Mourão Guedes do Nascimento; José Eduardo Teixeira; José Manuel Mourão; Editor: Edireal - Edição de Jornais, Lda. geral@avozdetrasosmontes.com Dep. Assinaturas: Lurdes Lopes Esteves Fundado em Lourenço Camilo Costa; Luís Manuel T. G. Santos; Luís Mendonça; Luís Contribuinte N.º 506 530 663 - Registo assinaturas@avozdetrasosmontes.com Redacção: Agostinho Chaves (C.P. 782) Moreira; Luís Pizarro; Manuel C. Costa; Manuel Cordeiro; Manuela 9 de Novembro de 1947 do ICS - 101090 publicidade@avozdetrasosmontes.com Reportagem: Maria Meireles (C. P. 9856);Almeida Pinheiro; Maria Fernanda Barroca; Mário Frota; Mário Lisboa; NBC - Impressão: CIC – Coraze, Oliveira de Cardoso (C. P. 9268); João Cláudio Consultores de Empresas; Soeiro de Faria;Teixeira Lage;Tomás Espírito Internet: Santo;Vítor Olo;Vítor Vieira Azeméis, Tel. 256 661 460 / Fax 256 673 Sai às Quintas-feiras Composição: Brigite Cabral OS ARTIGOS ASSINADOS SÃO DA INTEIRA RESPONSABILIDADE 861, E-mail: grafica@coraze.com www.avozdetrasosmontes.com Grafismo: José Carlos Fernandes DOS SEUS AUTORES, NÃO VINCULANDO, A OPINIÃO DA DIRECÇÃO Distribuidora:VASP Tir. Média Semanal: 7.000 ex.
    • 34 pausa 17 Agosto 2006 a voz de trás-os-montes por:AGOSTINHO CHAVES por:AGOSTINHO CHAVES Figuras Figuras p a r a b é n s que fizeram Portugal da nossa terra Dia 17 Guiomar Varela Lopes Hilma Araújo da Costa P. de Aldina Suzete Rocha Pires Almeida Ana Cristina Sousa Barros Hugo Miguel Morais Pires Ana Sofia Ferreira Coutinho Arminda Lourdes Oliveira Ilda Maria Areias Cardoso Isabel Leber Baptista Óscar Heitor Cramez Bruno José F. de Sousa Magalhães Jorge Ferreira José Augusto Vaz Baptista Acúrsio Carla Sofia Rodrigues José Maurício Gouvinhas de Carlos Cardão Carvalho N – 1916 (Lisboa) N – 1889 (Vila Real) Daniela de Barros Gomes Lídia Maria Seixas Magalhães F – 1990 (Lisboa) F – 1967 (Mira / Aveiro) Deolinda dos Santos Teixeira Manuel Luís Teixeira Pires Augusto Maria Acácia Teixeira da Silva Elisabete do Amparo P. Faceira Fradeira Jorge Manuel Moreira Passos Maria Albertina Gonçalves Actor muito popular e intérprete de comédias e programas Foi bolseiro, em Paris, depois da guerra de 1914/1918, José Augusto Granja R. da Torres de humor, era filho de um célebre jornalista (Acúrsio onde viveu alguns anos e onde casou. Regressado a Fonseca Maria Alves Borges Pereira) que se distinguiu no extinto “Diário Popular”, o Portugal, dedicou-se ao professorado, regendo Desenho, José Manuel Barbosa Lopes Maria Benilde Carvalho Laurinda A. Ribeiro Anjo primeiro tablóide português. Ingressou no teatro pela na Escola Superior de Belas Artes do Porto, onde se Oliveira mão de Vasco Morgado, formando-se, em Roma, nas manteve, até ter sido jubilado, em 1959. Manuel da Fonte Freitas Maria Eduarda Alves Manuel Joaquim de Barros especialidades de realização, caracterização e como actor. A sua obra faz parte de muitas colecções particulares, Maria Florinda Maio Martins Manuel Vicente Morais Maria Helena Teixeira de Chegou a ter como professor o celebrado director italiano com destaque para o espólio que ofertou à Escola de Maria Adélia Rocha Carvalho Vittorio de Sica. Estreou-se no Teatro de Revista (com Belas Artes portuense. Foi um dos mais notáveis pintores Maria Cândida Armando Maria Jacinta da Fonte “Viva o luxo!”), em 1952, no Teatro Monumental. da sua geração. Lourenço Pimenta Também fez cinema (fez parte do elenco de seis filmes). Maria de Fátima de Sousa Maria Manuela Serafim de Durante 22 anos foi produtor de programas da RTP. Pereira Leite Carvalho Maria Joaquina da Costa Foi distinguido com diversos galardões nacionais e Maria Virgínia Borges estrangeiros, sendo de mencionar a Cruz de Livorgno Nota: Na ficha relativa a Pedro Silva Pereira (nº 848) Durão Gonçalves Costa Mendes Mário Álvaro Guerra Cunha que lhe foi atribuída pela Associação de Produtores mudar a data de nascimento de 1936 para 1963. Nuno Miguel Borges Dias P.de Jesus Italianos. Dia 18 Paula da Cristina Cerdeira A 851 C 852 Albano Augusto Olo Leite Martins Álvaro Ribeiro M. Guedes Rui Fernandes António Fernando Ribeiro Rui Morais Botelho Lúcia de Jesus Pires Vaz Sandro Gonçalves Ferrari da Fernandes Silva TEATRO 26 ARTES PLÁSTICAS 54 Luís Filipe Cabanelas Sousa Vítor Manuel Ribeiro de Matos Serôdio Manuel Joaquim Mourão Dia 21 Quintelas Ana Filipa Magalhães Manuel Silva Taveira Maria Albertina T. Carvalho Ana Madalena da Conceição Paula reparo Maria da Glória Almeida Gomes Arminda de Jesus Mendes Maria do Céu Almeida Gomes Fernandes do Espírito Santo Maria Elisabete Gomes Dinis Bernardina Teixeira da Rocha A imagem turística... num dia Gonçalves Carlos Alberto Mourão Patrick Quintelas Pereia de Feriado Nacional, na Escaleira Estação da CP de Vila Real. Paulo Jorge Monteiro de Carlos Henrique Pereira de Almeida Matos Ainda dizem que “Os Verdes” Ricardo Alves Lourenço Cidália da Costa Melo não têm razão!... Os comboios Salvador da Costa Bento Cláudia Maria Monteiro chegam à estação e o lixo Guedes Dias aparece, ali, como a gravura Dia 19 José Joaquim Alvadia Alves Maria Dulcília Miranda mostra. Abel Rocha Clemente Amândio Augusto Gonçalves Cardoso Rocha É mesmo para acabar com os Queirós Marisa da Cruz Cardoso comboios, em Trás-os- Ana Maria Taboada Pedro Miguel S. Coutinho Montes!... Nascimento Ricardo Basílio Alves Carlos Alberto Macedo Silvério Ribeiro Guimarães Botelho Cláudia Raquel A. Caçador (Um leitor, devidamente Durval Fernandes Teixeira Dia 22 identificado) Eduardo Pinto Magalhães António Varandas Real Fernando Luís dos Inocentes Emanuel Filipe Costa Gomes Martins Helena Rita Lopes Sampaio Filipe Rego Luci João Parafita C. da Cunha Germano Martins Salgueiro Miranda Jaime da Silva Catorze Manuel Luís Matos Vilela Leonilde Mota Ribeiro Maria Carlos Cardoso Manuel Conceição Pereira Gonçalves Coutinho Figueiredo Maria da Conceição Gonçalves Maria Amélia Nogueira Ribeiro Maria da Conceição da Rocha Maria Helena Guerra B. Pereira Ferreira de Barros Maria de Fátima Gonçalves cartoon Gomes de Matos Dia 23 Maria de Fátima Letra Afonso Maria Guiomar Ferreira Sousa António Fernando Baptista Maria Isabel Vaz de Sequeira Lopes Varejão António Marta Alves Correia Mário Manuel Rodrigues Alves António Morais Alves Paulo André Castanheira Delmino A. M. Pereira Nóbrega Fausto da Silva Botelho Ilídia Vital de Azevedo Dia 20 José Guilherme Carriço Pais José Manuel Pinto Ribeiro Artur Florêncio Carvalho Manuel Machado Vilela Pereira Maria Juvelina da Silva Augusto Abílio Rebelo Leandro Carvalho Caldas Carla Alexandra Vilela Maria Severina Fraga Sousa Machado Pedro Manuel Costa Fonseca Carlos Artur Pascoal de Sónia Maria Lameirão Gomes Oliveira César da Rocha Camposana Donzília da Silva Eduarda Letra Fernando da Costa Alves
    • a voz de trás-os-montes 17 Agosto 2006 pausa 35 palavras cruzadas a g e n d a Descobrimentos Portugueses EXPOSIÇÕES HORIZONTAIS: 1- Era o grande inimigo das caravelas 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 De 1 a 30 de Agosto, na Sala de Exposições do Teatro Auditório portuguesas. Prata (símbolo químico). 2- Enguia. Actividade piscatória. 3- Descobriu o Brasil. Onda Média (abreviatura). 4- Municipal de Alijó 1 Reforçar. Esquecera deliberadamente. 5- Interior profundo. Exposição de Pintura “Natureza Viva”, de Fátima Rebelo Pronome pessoal. 6- Braços de mar. Tecidos de origem animal. 2 De 1 a 31 de Agosto, na Casa Museu Maurício Penha, em Sanfins 7- Elemento químico. Língua antigamente falada ao sul do Loire. do Douro 3 8- Este vila-realense descobriu a Foz do Zaire. 9- O dia tem Exposições: vinte e quatro. Buraco cheio de água. 10- Na sua barca, descobriu 4 de Pintura “Clin d’oeil clip culte”, de Margarida Branco a forma de se salvar do Dilúvio Universal. 11- Este transmontano de Fotografia “Data-Show” fez a primeira viagem de circum-navegação. 12- Monumento que 5 de Artesanato, de Margarida Branco fazia prova da descoberta de uma nova terra pelos portugueses. de Livros, BD de Tintim, Lucky Luke, Mafalda, Homem Aranha e 6 A unidade. Caminhar. Cª. VERTICAIS: 1- Este transmontano chegou à costa das Américas. 7 De 5 a 23 de Agosto, na Casa da Cultura de Miranda do Douro 2- Encosto. Nada boa. 3- Este cabo foi dobrado por Gil Eanes. Exposição de Pintura “Margens Douro, Nascente Foz”, de Era a Aliança Democrática. 4- Débil. Grama (abreviatura). 5- 8 Balbina Mendes Pedra de altar. Vogal dobrada. 6- Chão. Ligação. 8- Iniciais das 9 Obras Públicas. Nesta embarcação seguiam os navegadores De 15 a 28 de Agosto, no Museu de Lamego portugueses. 9- Era de lá o velho que não acreditava nas 10 Exposição Colectiva de Pintura Nórdica do grupo Descobertas. Colocam. 10- Conclusões óbvias. 11- Estas ilhas «Diagonalen» foram descobertas por João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz 11 Até 31 de Agosto, na Sala Multiusos do Centro Cultural de Chaves Teixeira.Antes de Cristo (abreviatura). 12- Descobriu o caminho 12 Exposição “Pormenores”, de Alfredo Cabeleira marítimo para a Índia. Desloca-se no espaço aéreo. Até 31 de Agosto, na Sala de Exposições do Teatro de Vila Real Exposição de Pintura e Gravura, de Alex Dorici culinária Até 31 de Agosto, na Galeria-bar do Teatro de Vila Real Exposição de Pintura, de Maria José Garrido Seara Tarte Gelada de Leite Condensado CINEMA Dia 18 de Agosto, às 22h00, no Parque do Império, em Mirandela Madagáscar Descongele a massa folhada à temperatura ambiente.Tenda-a e Ingredientes forre uma tarteira com 27 cm de diâmetro. Pique o fundo com MÚSICA um garfo, cubra com papel de alumínio e preencha com feijão • 300 g de masas • 1 pitada de baunilha Dia 17 de Agosto, às 23h00, no Café-Concerto do Teatro de Vila cru. Coza a 200° C, por 20 minutos. Elimine o papel e o feijão e coza mais 15 minutos. folhada congelada em pó Real Marco Figueiredo e Jorge Queijo Envolva o leite condensado cozido com 1 dl das natas e bata até • 1 lata de leite • 150 g de manteiga ficar homogéneo. Demolhe as folhas de gelatina em água fria, condensado cozido sem sal Dia 17 de Agosto, às 22h00, na Praça General Silveira, em Chaves por dois minutos, e derreta-as no leite, em lume brando. Concerto pela Orquestra Ligeira de Chaves Adicione ao preparado anterior, assim como as restantes natas • 5 dl de natas • 80 g de açúcar em pó batidas com o açúcar e a baunilha.Verta sobre a massa da tarte Dia 18 de Agosto, às 22h00, na Praça General Silveira, em Chaves • 4 folhas de gelatina • 10 g de chocolate Concerto pela Banda Filarmónica de Outeiro Seco e reserve no frigorífico durante uma hora. Bata a manteiga com o açúcar e o chocolate em pó. Acrescente incolor em pó Dia 19 de Agosto, às 22h30, no Auditório Exterior do Teatro de o óleo, bata mais um pouco e decore o rebordo da tarte. Ao • 1 dl de leite • 1c. (sopa) de óleo Vila Real centro, coloque o fisális e sirva. Fanfare Ciocarlia (Roménia) • 50 g de açúcar • 2 fisális para decorar leitura humor P: Sabem quando é que um homem abre a porta do carro A Incrível e Triste à mulher? R: Quando um dos dois é novo: ou o carro ou a mulher. História do Espião XXX Sem Nome P: O que é pior do que encontrar uma minhoca dentro de uma maçã? R: É encontrar meia minhoca dentro da mesma. ROBERT LITTELL Dia 19 de Agosto, às 22h00, na Praia Fluvial do Rio Teixeira, em Mesão Frio curiosidades Pina Trio Dia 21 de Agosto, às 23h00, no Café-Concerto do Teatro de Vila Dia 18 (1892) Inaugurada a Praça de Touros, do Campo Real Pequeno. João Simões Duo Publicação: Publicações Europa-América. Dia 19 (1908) Morre o escritor Trindade Coelho. Dia 22 de Agosto, às 22h00, na Praça General Silveira, em Chaves Colecção: Concerto pela Banda Filarmónica de Vila Verde da Raia Contemporânea. Dia 20 (1808) Tropas francesas derrotadas na batalha de Vimieiro. Dia 23 de Agosto, às 23h00, no Café-Concerto do Teatro de Vila Preço: Real 14,90 €. Dia 21 (1415) As tropas portuguesas sob o comando do Carlos Cerqueira e Pedro Pinto Páginas: rei D. João I, desembarcam em Ceuta, 424. conquistando a cidade. (1911) Aprovada a ANIMAÇÃO DE RUA primeira Constituição da República Portuguesa. Dia 18 de Agosto, das 22h30 às 23h30, na Esplanada do Teatro de Vila Real Dia 22 (1864) Assinada a primeira Convenção de “Blue Moon”,Triforfai Clowns Genebra sobre direitos de guerra. Dia 22 de Agosto, às 23h00, na Esplanada do Teatro de Vila Real Dia 23 (1244) Tomada definitiva de Jerusalém pelos Turcos Capoeira Interacção Kharezmianos, que pilham o Santo Sepulcro. Depois do sucesso de A Companhia, já editado pelas E AINDA... Publicações Europa-América, Robert Littell foi considerado Dia 18 de Agosto, às 21h30 , no Centro Interpretativo do Castelo Palavras Cruzadas • Soluções o Grande Mestre da ficção de espionagem americana, Voador. Solo. Elo. 8- OP. Nau. 9- Restelo. Põem 10- Ilacções. 11- Açores. AC. 12- Gama. de Aguiar, em Vila Pouca de Aguiar reconhecido pela sua profunda assimilação do mundo VERTICAIS: 1- Cabrilho. 2- Apoio. Má. 3- Bojador. AD. 4- Mirroso. Gr. 5- Ara. AA. 6- Tertúlia no Castelo - Banda Desenhada e Cartoons: ambíguo da espionagem internacional, largamente presente 12- Padrão. Um. Ir. Bojo. Ele. 6- Rias. Lãs. 7- Iodo. OC. 8- Cão. 9- Horas. Poça. 10- Noé. 11- Magalhães. Panorama Regional nos seus romances. HORIZONTAIS: 1- Adamastor. Ag. 2- Iró. Pesca. 3- Cabral. OM. 4- Apor. Omitira. 5-
    • 36 ÚLTIMA 17 agosto 2006 a voz de trás-os-montes 001 007 013 T1 – SEIXO T3 – QUINCHOSOS T3 – N.S.CONCEIÇÃO Em bom estado de conservação, 120m2, Cozinha mobilada, pavi- 150 m2, cozinha mobilada e equi- cozinha equipada, despensa. Bom mentos em madeira e tijoleira. pada, roupeiros embutidos, aque- investimento. excelente localização. cimento central, varandas, garagem € 45.000 € 93.000 e arrumos. PRESTAÇÃO MENSAL: € 139 PRESTAÇÃO MENSAL: € 286 PREÇO SOB CONSULTA 002 008 014 T1- À CIDADE T3 – QUINTA FONTE DA T3 DUPLEX - SHOPPING 80m2, cozinha equipada, roupeiros RAINHA Novo, 250m2, cozinha equipada, embutidos, excelente localização. Excelentes áreas, roupeiros embu- aquecimento central e garagem completamente remodelado tidos, despensa, caixilharia dupla, € 155.000 € 67.500 cozinha equipada, garagem. PRESTAÇÃO MENSAL € 477 PRESTAÇÃO MENSAL: € 208 € 92.500 PRESTAÇÃO MENSAL: € 285 003 009 015 T2- SHOPPING T3 – SHOPPING MORADIA N.S.CONCEIÇÃO Boas áreas, pavimentos em parquet, Pavimentos em lamparquet de car- 240 m2 de área coberta, jardim, 4 roupeiro embutido, cozinha mobi- valho, cozinha equipada, lareira, quartos, fogão de sala, cozinha lada e garagem. marquise, roupeiros embutidos e mobilada, garagem. PRESTAÇÕES CALCULADAS PARA UM EMPRÉSTIMO A 100%, SEM ENTRADA INICIAL E PELO PRAZO DE 600 MESES, INDEXADA À EURIBOR A 3 MESES, Taxa Base 2,62% E SPREAD DE 0,8%, e com carência de 60 meses. € 82.500 arrumos sótão. € 160.000 PRESTAÇÃO MENSAL: € 254 € 102.500 PRESTAÇÃO MENSAL: € 493 PRESTAÇÃO MENSAL: € 316 004 010 016 T2 AO HOSPITAL T3 –URB. S. LOURENÇO MORADIA - COOPERATIVA Boas áreas, pavimentos em madei- Pavimentos em madeira e tijolei- DO PROFESSOR ra e tijoleira, fogão de sala, marqui- ra, roupeiros embutidos, cozinha Área coberta de 225 m2, e desco- se, despensa. Bom estado de con- mobilada, garagem.Vistas panorâ- berta de 60m2. Cozinha totalmen- servação. micas te mobilada aquecimento central, € 75.000 € 90.000 lareira e garagem. PRESTAÇÃO MENSAL: € 231 PRESTAÇÃO MENSAL: € 277 PREÇO SOB CONSULTA 005 011 017 T2- BOQUE T3 – N.S.CONCEIÇÃO MORADIA CHALÉ – PAÇO Pavimentos em madeira e tijoleira, Novo, cozinha mobilada, roupei- DA SARDOEIRA roupeiros embutidos cozinha mo- ros embutidos, suite PVC/Vidros Área coberta de 250m2, 4 quartos, bilada, garagem individual duplos, aquecimento central e ga- aquecimento central a gasóleo, ga- ragem. Zona sossegada. ragem para 3 carros, jardim. VISITE € 130.000 € 195.000 PRESTAÇÃO MENSAL: € 400 PRESTAÇÃO MENSAL: € 601 006 012 018 T2 – EDIFÍCIO MILÉNIO T3 – NOVO SHOPPING MORADIA LUXO TIMPEIRA Em construção, possibilidade de 140 m2, cozinha mobilada, roupei- Nova, área de 250m2, 4 quartos, pa- vimentos em lamparquet e grani- escolha de acabamentos. Cozinha ros embutidos, aquecimento cen- to, cozinha totalmente equipada, equipada roupeiros embutidos tral, suite, caixilharia dupla, varan- aquecimento eléctrico, roupeiros aquecimento central, fogão de sala, das, garagem. embutidos, estores eléctricos, som ambiente, suite com banheira de hi- suite arrumos e garagem. € 150.000 dromassagem, varandas, terraço, PREÇO SOB CONSULTA PRESTAÇÃO MENSAL € 462 arrumos e garagem. € 210.000 PRESTAÇÃO MENSAL: € 647