Your SlideShare is downloading. ×
Senhora josilene
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Senhora josilene

2,379
views

Published on


0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,379
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
26
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Senhora José de Alencar
      • EQUIPE: ANA KINNOA, APOLIANE, DEJANILMA, EDILÃNIA, ERLÃNIA,
      • JOSILENE, MÕNICA. 2º ano “B”
      • Prof:Rosângela
  • 2. BIOGRAFIA DO AUTOR
      • José Martiniano de Alencar (Messejana, 1 de maio de 1829 — Rio de Janeiro, 12 de dezembro de 1877) foi um jornalista, político, advogado, orador, crítico, cronista, polemista, romancista e dramaturgo Brasileiro.
      • Formou-se em Direito, iniciando-se na atividade literária no Correio Mercantil e Diário do Rio de Janeiro. Foi casado com Ana Cochrane. Filho do senador José Martiniano Pereira de Alencar, irmão do diplomata Leonel Martiniano de Alencar, barão de Alencar, e pai de Augusto Cochrane de Alencar.
  • 3. SINOPSE
      • Aurélia Camargo, filha de uma pobre costureira e órfã de pai, apaixonou-se por Fernando Seixas – homem ambicioso - a quem namorou. Este, porém, desfez a relação, movido pela vontade de se casar com uma moça rica, Adelaide Amaral, e Pelo dote ao qual teria direito de receber.
      • Passado algum tempo, Aurélia, já órfã de mãe também, recebe uma grande herança do avô e ascende socialmente. Passa, pois, a ser figura de destaque nos eventos da sociedade da época.
      • Dividida entre o amor e o orgulho ferido, ela encarrega seu tutor e tio, Lemos, de negociar seu casamento com Fernando por um dote de cem contos de réis. O acordo realizado inclui, como uma de suas cláusulas, o desconhecimento da identidade da noiva por parte do contratado até as vésperas do casamento.
      • Ao descobrir que sua noiva é Aurélia, Fernando se sente um felizardo, pois, na verdade,nunca deixara de amá-la. E abre seu coração para ela.
  • 4. A jovem, porém, na noite de núpcias, deixa claro: "comprou-o" para representar o papel de marido que uma mulher na sua posição social deve ter. Dormiram em quartos separados. Aurélia não só não pretende entregar-se a ele, como aproveita as oportunidades que o cotidiano lhe oferece para criticá-lo com ironia. Durante meses, uma relação conjugal marcada pelas ofensas e o sarcasmo se desenvolve entre os dois. Fernando, todavia, trabalha e realiza um negócio que lhe permite levantar o dinheiro que devia a Aurélia. Desse modo, propõe-se a restituir-lhe a quantia em troca da separação. Considerando o gesto uma prova da regeneração de Fernando, Aurélia, que nunca deixara de amá-lo, é vencida pelo amor. Faz um testemunho com toda sua herança para Fernando e assim eles descobrem que realmente se amam. Ao descobrir que sua noiva é Aurélia, Fernando se sente um felizardo, pois, na verdade,nunca deixara de amá-la. E abre seu coração para ela.
  • 5. A jovem, porém, na noite de núpcias, deixa claro: "comprou-o" para representar o papel de marido que uma mulher na sua posição social deve ter. Dormiram em quartos separados. Aurélia não só não pretende entregar-se a ele, como aproveita as oportunidades que o cotidiano lhe oferece para criticá-lo com ironia. Durante meses, uma relação conjugal marcada pelas ofensas e o sarcasmo se desenvolve entre os dois. Fernando, todavia, trabalha e realiza um negócio que lhe permite levantar o dinheiro que devia a Aurélia. Desse modo, propõe-se a restituir-lhe a quantia em troca da separação. Considerando o gesto uma prova da regeneração de Fernando, Aurélia, que nunca deixara de amá-lo, é vencida pelo amor. Faz um testemunho com toda sua herança para Fernando e assim eles descobrem que realmente se amam.
  • 6. PRINCIPAIS PERSONAGENS
      • Aurélia Camargo (Senhora) - Destacava-se pela sua beleza e pela sua maneira de agir e de pensar. Opunha-se a algumas regras determinadas pela sociedade que não lhe agradavam. Aurélia a todos pode dominar e tem tudo o que quer ter. Era educada, delicada, corajosa, elegante, informada, inteligente, experiente. Era com certeza, alguém que nasceu para a riqueza e para a alta sociedade, e talvez, a característica que consideramos a mais importante, que pode ser a explicação de seu sucesso no domínio das pessoas: a sua frieza e seu estimável auto-controle.
      • Fernando Seixas - Fernando era fino, nobre, elegante, educado e extremamente inteligente que possui bens caríssimos Era um moço extremamente jovem e carinhoso, sabia perfeitamente como tratar as irmãs.
      • Lemos - Era baixo, não muito gordo. Era vivaz, extremamente alegre e confiante. Lemos era ainda um velho otimista, principalmente nos negócios que costumava fazer, e sabia perfeitamente conduzir uma transação, mesmo que esta não se acomode em bons resultados de início, como foi o caso da sua conversa com Seixas pelo dote de cem mil contos de réis oferecidos por Aurélia.
  • 7. Outros personagens
      • D. Firmina – Mãe de encomenda de Aurélia que lhe fazia companhia nas festas e compras.
      • D. Emília – Mãe de Aurélia e irmã de Lemos a quem este abandonou por ter-se casado com o Pedro Camargo.
      • Pedro Camargo -Pai de Aurélia e filho natural do fazendeiro Lourenço Camargo, que deixa, ao morrer, uma herança à neta, aurélia
      • Adelaide – Rival de Aurélia, quando pobre, na disputa de Seixas. Acaba se casando com o Dr. Torquato Ribeiro que Aurélia habilmente lhe arranja para conseguir se casar com Fernando.
      • Torquato Ribeiro - Moço bom e humilde que procurou ajudar Aurélia nos momentos difíceis, quando pobre.
      • Eduardo Abreu - Pretendente de Aurélia. Moço bom que custeou as despesas do enterro de sua mãe.
  • 8.  
  • 9. FOCO NARRATIVO O romance é narrado em terceira pessoa por um narrador onisciente, ou seja, que tudo sabe sobre as personagens, penetrando em seus pensamentos e em sua alma. Esse narrador é também intruso, já que interfere em vários momentos, apresentando-se ao leitor. A técnica narrativa empregada por Alencar em Senhora é sem dúvida bem moderna, se tomarmos como base suas obras anteriores, já que o autor utiliza digressões.
  • 10. TEMPO E ESPAÇO O tempo é cronológico, tomando como base o século XIX, durante o Segundo Império. Entretanto, não há linearidade, já que a história é contada a partir de flash-back. O Espaço central da narrativa é Rio de janeiro.