Revista AGT / AGT Magazine
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Revista AGT / AGT Magazine

on

  • 899 views

 

Statistics

Views

Total Views
899
Views on SlideShare
443
Embed Views
456

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

2 Embeds 456

http://mamuitotexto.wordpress.com 276
http://mariseixas.wordpress.com 180

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Revista AGT / AGT Magazine Revista AGT / AGT Magazine Document Transcript

  • agta força da flo res a t Esses objetos vem para provocar. propondo uma nova forma de se relacionar com o fazer, produzir e o consumir. É o resultado de uma aproximação que parte do imaterial, o espiritual, o respeito que resgata saberes. Na mitologia Yawanawá, as araras levavam as mensagens nos seus cantos de saudade e esperança. As luminárias agora assumem o seu papel de mensageiras. Cantam como as araras, a esperança de um futuro mais humano para as relações, para as alianças e para um desenvolvimento profundo, com resgate das raízes ancestrais, trazendo a cura de uma memória baseada na exploração e na separação do TODO. Esses objetos tem a função de comunicar e abrirem o caminho para um movimento sistêmico de fazeres através de contos que foram passados de avô para pai, de pai para filho, como na tradição oral dos povos indígenas, a única possibilidade de permanência da cultura, como um TODO.
  • Muka Voini is the most important man in the history of our creation. It was he who named all rivers in our region and Muká Voini é o homem mais importante da história da nossa criação. Foi ele quem deu o nome de todos os rios daall of the Gregório River tributaries where the Yawanawás have always lived. nossa região e de todos os afluentes do rio Gregório, onde o povo Yawanawá sempre viveu.In his final moments of life, he said that halfway across the world there were other peoples. E nos seus últimos momentos de vida, falou que do outro lado do mundo existiam outros povos.There were many. They were thousands. Like ants, like anthills, they don’t stay uncovered at birth as we do. They don’t E eram muitos. Eles eram milhares. Como formigas. Formigueiros, não ficam de pele limpa quando nascem, como nós.walk about like us, in the forest, without taking it down, without cutting. Não andam que nem nós, no mato, sem derrubar a mata, sem cortar.Their path is equal to that of the ants: it clears everything, destroy in order to build. O caminho deles é que nem o das formigas: limpam tudo, destroem tudo para construir.Before Muka Voini’s death, his youngest son made him a request: “Father, when you die go ask these people to come Antes de Muká Voini morrer, seu filho caçula lhe fez um pedido: “Pai, quando o senhor morrer, vá pedir para esse povomeet us.” After his death, the spirit of Muka Voini travelled halfway across the world. vir nos conhecer.” Depois que morreu, o espírito de Muká Voini atravessou o mundo.It went to those people and told them they could come here… Passou nesse povo e disse a eles que podiam chegar aqui... Mas Muká Voini nos recomendou: “Meus filhos, já queBut Muka Voini warned us: “My children, since you are asking me to bring them here, don’t let there be war. Unite. As vocês estão pedindo para eles virem para cá, então não façam guerra, tornem-se aliados. Assim vão poder viver bemsuch, you will be able to live the rest of your lives. pelo resto da vida. Vocês podem se casar com as mulheres deles, e eles podem se casar com as mulheres de vocês.You may marry their women, and they may marry your women. This will become a great alliance. Isso vai se tornar uma grande aliança. Se vocês os receberem com guerra, eles vão se multiplicar para cima de vocês,If you receive them with war, they will multiply over you, and you will not be able to stand against them. They are in e vocês não vão aguentar. Eles são milhões. Antes de Cabral chegar aqui nesta terra, a gente já sabia da existênciamillions. Before Cabral arrived here on this land, we already knew of their desse povo”.existence”. E foi Muká Voini quem trouxe o muka para a terra, essa planta sagrada, da nossa formação, da nossa mais altaIt was Muka Voini who brought muka to earth, this sacred plant, part of who we are, and of the highest spirituality. espiritualidade.It is not a story. It is not a legend. It is a true being from our people. Não é história. Não é lenda. É um ser verdadeiro do nosso povo. A lenda do Muká contada pelo cacique BiraciThe legend of Muká as told by chief Biraci muká
  • Cacique Biraci sentado na rede na sua casa, com seu filho Biraci Junior fruto de um grande amor com uma branca. Chief Biraci sitting on a hammock in his home, with his son Biraci Junior fruit of a great love with a white woman. CACIQUE BI RACI brasil y ana á aw w Meu avô fez o primeiro contato com homem branco há 150 anos. Desde então nós, Yawanawá aprendemos do homem branco o pior que ele tem: as drogas, o álcool, a prostituição, a violência. O homem branco não é só isto...De onde vem toda esta ciência? Toda esta sabedoria, toda riqueza humana? Tem muita coisa rica, muita coisa boa. E é isto que a gente tem que aprender a buscar, esta é a maior novidade.My grandfather first made contact with the white man 150 years ago. Since then, we the Yawanawá, have learned the worst from the white man: drugs, alcohol, prostitution, violence. The white man is not only that ... Where does all this science come from? All of this wisdom, all of this human wealth? There are so are many riches, there’s so much good. That’s what we need to learn to seek, that is the biggest novelty. View slide
  • aldeiavozes que sonhamO sonho é mostrar a cultura Yawanawa, não como algo exótico, mas como a verdadeiraeconomia criativa brasileira.Conheci a aldeia Nova Esperança durante o festival Yawa, em outubro de 2012. Durante uma semana, os Yawanawá, Brigou com a Policia Federal que o chamou de comunista, subversivo por defender seu povo, quase foi parar na cadeia.se pintam, dançam, cantam, brincam, para mostrar a seus convidados, sua majestosa cultura. Esta luta pela liberdade me encantou. A falta de consciência e alienação do povo brasileiro em relação a saga dosConheci também um povo generoso e cheio de amor, disposto a compartilhar tudo que tem de mais sagrado e a índios me motivou a mergulhar de cabeça nesta riqueza escondida, afim de valorizar e mostrar para o mundo a belezagrandiosa riqueza que possuem. em toda a sua dimensão, na forma mais transparente e verdadeira deste povo marcado pela exploração e massacre.Os Yawanawá até a década de 80 estavam quase em extinção. Entretanto, toda esta cultura que nos foi apresentada Este é um povo que guarda saberes e segredos, que possuem o conhecimento da cura pelas plantas da floresta. Quedurante o festival, foi absolutamente proibida. Catequizaram os índios prometendo o paraíso e julgando como coisa mantém ainda viva a conexão profunda com a natureza.do demônio seus rituais, sua língua, suas tradições, suas pinturas, matando sua espiritualidade e sua cultura. O povo Yawanawa ainda guarda fortes resquícios deixados pela violenta descaracterização imposta pelo branco. OAntes dos missionários houve os seringalistas que também os escravizaram. resultado disto está na pobreza das suas casas, na perda da identidade alimentar, trocando alimentos naturais porFaz apenas 30 anos que o cacique Biraci voltou para a sua aldeia, totalmente disposto a resgatar sua cultura e naquela industrializados. Entretanto, apesar de todo o esforço pelo resgate cultural, a saúde, a autonomia e a sustentabilidadeocasião ateou fogo nas bíblias e expulsou os missionários. ainda é muito incipiente, o que os deixa frágeis, doentes e dependentes de uma constante ajuda governamental. Marcelo Rosenbaum View slide
  • villageVoices that dreamThe dream is to show Yawanawá culture, not as something exotic but as the trueBrazilian creative economy.I got to know the Nova Esperança Village during the Yawa festival, in October of 2012. During one week, the Yawanawá He fought with the federal police who called him a communist, subversive for defending his people, he almost endedpaint themselves, dance, sing, and play, to show guests their majestic culture. up in jail.I also met generous people who are full of love, willing to share all that is most sacred and the great wealth they This struggle for freedom fascinated me. The lack of awareness and alienation of the Brazilian people in relation to thispossess. indigenous plight, motivated me to plunge head in into this hidden wealth in order to appreciate and show the worldThe Yawanawá up to the 80s were almost extinct. However, all this culture that was presented to us during the festival, the beauty, in all of its dimensions and in its transparency and truthfulness, people marked by exploitation andwas absolutely prohibited. Catechized the indigenous, promising them paradise, and deeming devilish their rituals, massacre.their language, their traditions, and their paintings, killing their spirituality and culture. These people hold knowledge and secrets, which possess a deep wisdom of healing though plants in the forest. ThatBefore the missionaries, there were rubber extractors who enslaved them. still keeps alive the deep connection with nature.It’s only been 30 years since chief Biraci returned to his village, completely invested in redeeming their culture. Thus, The Yawanawá people still retain strong remnants left by the violent distortion imposed by the whites. The result is in the poverty of their homes, the loss of their food identity, exchanging natural goods for industrialized foods. However,at that time, he set fire to the bibles and kicked out the missionaries. despite all efforts to rescue culture, health, independence and sustainability, all is still incipient, leaving them weak, sick and dependent on constant government assistance. Marcelo Rosenbaum
  • A GENTE TRANSFORMA*FALANDO PARA O POVO Telling the YawanawáYAWANAWÁ what weO QUE FOMOS FAZER LÁ were doing thereTive um sonho, que é muito mais que vir aqui e fazeruma coleção de luminárias...Temos muito o que aprender com vocês, como é a I had a dream, which was much more than to come here to make a light fixture collection... We have much to learn from you, about how is O AGT* usa ocultura Yawanawá, que sem duvida é o maior valor que Yawanawá culture, which undoubtedly is the greatestvocês tem, e vamos transformar isto em produto ecolocar no mundo. Vamos cruzar os oceanos, de ondeos portugueses vieram um dia e transportar atravésdas luminárias toda esta força, toda esta historia. value you possess and we’ll turn it into product and place it in the world. We will cross-oceans; where the Portuguese once came from and through the light fixtures, transport all this strength, all this history. design paraDurante o festival tive uma visão de jacarés e jibóias expo r a alma During the festival I had a vision of giantgigantes feitas de miçangas e emanando luz por todos alligators and pythons made out of beads, with lightsos lados, depois vi o jacaré num barco no rio Gregório, radiating from all its sides, and then I saw the alligatorindo para Milão. on a boat over the Gregório River, on his way to Milan.Com essa imagem voltei para São Paulo disposto a I returned to São Paulo with this image and I was brasileirarealizá-la. Na saída, antes de entrar no barco, o willing to make it happen. Upon departure, beforecacique Bira me deu uma lança e falou: Marcelo você getting on the boat, Chief Bira gave me a spear andé um guerreiro ! said: Marcelo, you are a warrior!Acreditando nesta força passei três meses Believing in this strength, I spent three monthsentusiasmado e cheio de coragem para realizar o feeling enthusiastic and full of courage to undertakeprojeto, ouvindo constantemente as pessoas dizendo: the project, constantly hearing people say: WorkingTrabalhar com índio? Você é louco!!! with indigenous people? You are crazy!!!Tenho certeza que vamos conseguir mostrar I’m sure that together we’ll be able to show thatjuntos que existem sim formas de trabalhar com índio, indeed there are ways to work with indigenous DESIGN útil USEFUL DESIGNtanto acredito nisto que trouxe comigo mais trinta people. I believe it so much that I brought with mepessoas, entre eles arquitetos, astróloga, cinegrafistas, over thirty people, including architects, an astrologer, O design como catalisador de mudanças paradesigners, diretora de arte, fotografo, gestores de videographers, designers, an art director, a o redesenho de um novo mundo. The design as a catalyst for change and for theempreendedorismo, pesquisadora de hábitos photographer, entrepreneurship managers, an eating Tem a beleza como o maior agente de mudança, redesign of a new world.alimentares, além de toda equipe do nosso escritório. habits researcher, and all of our office staff. em seu significado integral e a favor de todos. The beauty as the greatest agent for change, in itsCom os elementos da cultura de vocês, os saberes e o Adding elements of your culture, knowledge and Desenvolve a consciência da função social full meaning and in favor of all.imaginário, aliados a nossas técnicas, vamos fazer imagination to our techniques, we’ll be able to make do design. Develops awareness of design’s social functionstecidos de miçangas, inspirados nos mitos e beaded fabrics, inspired by myths and legends we’ll É colaborativo e interdependente. It’s collaborative and interdependent.lendas que vamos escutar aqui e transformar em hear about here we’ll turn them into fantastic lightluminárias fantásticas. Meu sonho é que este produto fixtures. My dream is for this product to enteresteja na casa dos brasileiros, entendendo e Brazilian homes, so Brazilians may understand and AGT AGTconhecendo um pouco da cultura Yawanawá, get to know a bit about Yawanawá culture, an ethnic Propõe despertar e organizar talentos coletivos e Proposes to awaken and organize individualuma das etnias moradoras do Brasil desde os tempos group residing in Brazil since immemorial times. individuais, a partir da crença de que todo individuo and collective talents, coming from the belief thatimemoriais. This forest we’ll create will come with us. tem potenciais, perspectivas e memórias próprias. every individual has potential, perspectives andEsta floresta que vamos criar vai sair com a gente. There is something magical that will make this happen! Contribui para validar e valorizar os potenciais e memories of their own.Existe uma coisa mágica que vai fazer isto acontecer! As Bira says, indigenous culture is like a powerful saberes e transformar em oportunidades dentro e Contributes to validate and enrich potential andComo diz o Bira, a cultura dos índios é como uma erva herb that everyone stepped over, tore the branches, fora das comunidades. knowledge, transforming them into opportunitiespoderosa, que todos pisaram, arrancaram os galhos, as and the leaves. But now no one will step over it Oportunidade consiste na abertura de mercados, within and outside the communities.folhas, mas agora ninguém mais pisa e esta erva está anymore, the herb’s roots are stronger because they geração de renda através do reconhecimento das Opportunity is opening markets, income generationcom a raiz fortalecida, pois não foi arrancada e ela vai were not pulled, and now it will grow even more tradições, trazendo a permanência da cultura, gerando through recognition of traditions, bringing culturecrescer mais bela, frondosa. beautiful, verdant. auto estima e dignidade. permanence, generating self esteem and dignity.
  • shuhu o exercício de transpor a tipologia da oca em forma de luminária ascendeua vontade de, junto com as jovens lideranças YawanawÁ, sair no resgate de técnicas ancestrais esquecidas. the exercise to transpose the hut’s typology into a lamp fixture shape, increased the willingness of the young YawanawÁ leaders to seek out and rescue ancestral techniques, which were long forgotten.
  • runuãkené A jibóia era o pajé de antigamente, ela vinha falar com a gente em sonho. ela vinha como espírito nos ensinar a medicina da mata Palavras do grande pajé Yawa, 100 anos The Anaconda was the shaman of old, she came to talk to us in dreams. She came as a spirit to teach us the medicine of the woods. Words of the great shaman Yawa, 100 years old
  • ... And the wise old man asked them to walk in thea lenda highest possible path and sing and dance because the party could not end. They traveled for three months without stopping. It was a time when the shamansdo spoke with animals, until they met a giant alligator that served as a bridge to cross over the river bank, several trees already grew on top of him. They made camp never knowing it was an alligator.jacaré When they found out, the Alligator warned them that they could only cross through if they fed him for three months, and that they could not feed on his ººgrandchildren standing nearby.ponte After three months all the food was gone, there was no more deer, no more tapir, paca, or peccary pigs, any kind of animal, not even one. As always, some people don’t obey, one indigenous man killed a small...E o velho sábio pediu para que eles andassem no alligator and fed the Alligator Bridge.caminho mais alto possível e cantassem e dançassem, In order to get revenge, the alligator sang to seducepois a festa não podia ter fim. them and invited the indigenous men to cross to theViajaram por três meses sem parar. other side of the river. Upon the second wave of men,Era uma época em que os pajés falavam com os he turned and ate some of them and threw the rest inanimais, até que encontraram um jacaré gigante the river, full of giant piranhas who devoured them.que servia de ponte para outra margem do rio e já The water turned so red that it looked like people hadtinha várias árvores nascidas em cima dele, fizeram thrown annatto in, there was so much blood, and itum acampamento sem saber que era um jacaré. was there that the people were divided. We believeQuando descobriram, o jacaré avisou que só poderiam that our people are scattered everywhere.atravessar se dessem comida por três meses e não From then on the song of the Kanarô, the blue macaw,poderiam ser os netos do jacaré que estavam por perto. was created. It flies the highest, taking and bringingDepois de três meses acabou toda a comida, não messages of longing.tinha mais veado, não tinha mais anta, paca, queixada,nenhum tipo de animal, nenhunzinho.E como sempre tem gente que não obedece, umíndio foi lá e matou um jacarezinho e deu de comida Thepara o jacaré ponte. O jacaré, para se vingar, cantoupara seduzir e convidou os índios a atravessarem parao outro lado do rio. legen dNa segunda leva de índios ele virou e comeu umaparte deles e a outra jogou no rio cheio de piranhasgigantes que devoraram os índios.A água ficou tão vermelha que parecia que tinham of thejogado urucum de tanto sangue e foi ai que o povo se Alligator kapedividiu. Acreditamos que nosso povo está espalhadopor todo lado.A partir dai se criou o canto do Kanarô que é a araraazul, que voa mais alto levando e trazendo mensagensde saudades. Bridge
  • Um grande guerreiro de um povo matou um velho, cortou sua cabeça, abriu e encontrou uma pedra. O guerreiropegou a pedra colocou dentro de uma cesta e saiu para sua casa. Chegando lá, pendurou a cesta e foi dormir. Durantea noite começa a escutar um ruído, levanta e vê a cesta girando, quando ele abre a cesta, dentro tem um cocar depena de arara.Ele pegou a pena de arara e colocou fora. A cesta começa a girar mais forte e começam a sair vários cocares: de penade japó, de gavião real, de garça, de couro da jibóia, de pele da queixada. Até que a cesta começa a girar com tantavelocidade que o guerreiro perde o controle de transformação da pedra encantada que ele havia pego do velho.De repente a cesta, de tanto girar cai no chão e se quebra com muita força indo bater no fundo da terra e de lácomeça a nascer uma fila de homens com cocar de pena de arara, de onça de garça e assim vem a criação de todoo povo Nawa, todos nossos irmãos: Kàmãnawa - povo da onça, Iskunawa - povo do japó, Ushunawa - povo da garçabranca, Shanenawa - povo do pássaro azul, Rununawa - povo da cobra, Kaxinawá - povo do morcego.E neste momento, o encanto da criação faz surgir milhares de pessoas subindo uma ladeira com seus cocares já tendoum lugar na terra para morar: a OCA.E assim se deu a origem dos Yawanawá, o povo que nasceu do cocar da Queixada. hunãtiA criação do povo Y w a anawáA great warrior of the people killed an old man, cut off his head, opened it and found a stone. The warrior took the stone,placed in a basket, and left for his home. Arriving there he hung the basket and went to sleep. Throughout the evening hebegan to hear a noise, he got up and noticed the basket was spinning, when he opened up the basket, he discovered aheaddress made out of macaw feathers. He took the macaw feathers and threw them out. The basket started spinningfaster several headdresses came out from it: made of blackbird feathers, harpy eagle, heron, python leather, peccarypig skin. Until the basket starts to spin so fast that the warrior loses control of transformation from enchanted stonethat he took from the old man. Suddenly, from all the spinning, the basket falls to the ground and shatters with suchgreat force that it hits the bottom of the Earth, and from there, a stream of men are born, wearing headdresses madeof macaw feathers, jaguars and herons. Thus, creating all of the Nawa people, all of our brothers: Kàmãnawa – jaguarpeople, Iskunawa – blackbird people, Ushunawa - white heron people, Shanenawa - blue bird people, Rununawa –snake people, Kaxinawá – bat people.And at that moment, the creation spell made thousands of people appear, climbing up a hill with their headdresses,and already having a place to live on earth: the OCA*.That is how the Yawanawá came to be, the people who were born of the peccary pig headdress.*typical indigenous hut or homethe crea on of the y w ti a anawá peo ple
  • mayti O cocar é o símbolo da nossa identidade indígena, não é enfeite, não é adorno, é a nossa conexão eterna com o nosso criador. cacique biraci The headdress is a symbol of our indigenous identity,it is not an embellishment, nor an adornment, it is our eternal connection with our Creator. cacique biraci
  • puriti O processo criativoSão três estúdios de design com repertórios completamente diferentes, cadaum trazendo olhares diversos de uma bagagem urbana, de cinemas, exposições,literatura, viagens.O encontro dos designers se deu pela primeira vez embaixo de uma mangueira,escutando histórias e mitos indígenas contadas pelo Nani, uma das lideranças daaldeia.Foi pela voz do Nani que pudemos aprender o que são os ”Kenes” num sentidoamplo: são as mais variadas manifestações de tudo o que nossa visão pode captare num sentido mais palpável são os desenhos e os grafismos expressos nas pinturasde corpo e no artesanato das miçangas.Num segundo momento, solicitou aos artesãos envolvidos no trabalho de lumináriasque mostrassem todos os desenhos “kenes”. Foi a partir destes desenhos, naintersecção com os mitos e convívio com a floresta, que começamos os primeirosesboços.O exercício de transpor a tipologia da oca em forma de luminária ascendeu avontade de, junto com as jovens lideranças Yawanawá, sair no resgate de técnicasancestrais esquecidas. Fomos para dentro da floresta em busca de cipós, madeirase palhas.O trabalho de co-criação se deu, desde o início, com as peças criadas em conjunto,numa sinergia em que todos se envolviam e opinavam simultaneamente, colocandoinstintivamente em prática os princípios do design útil. E foi neste clima que sereconstituíram os elementos da floresta, com a mistura dos olhares e percepções. the creative processThere are three design studios with completely different repertoires; each contributingwith a different take from their urban luggage: cinema, exhibitions, literature, and travels.The designers first met under a mango tree while listening to stories and indigenous mythstold by Nani, one of the village’s leaders.It was through Nani that we were able to learn what the “Kenes” are.In a broad sense they are varied manifestations of all that our vision can behold, and in amore concrete sense they are the drawings and artwork expressed in body paintings andbeads craftwork.Secondly, he asked artisans who were involved in working with fixtures to show us theirdrawings - “Kenes”. It was from those drawings, an intersection of the myths with livingin the forest, that we started the first sketches.Next, the exercise to transpose the hut’s typology into a lamp fixture shape, increasedthe willingness of the young Yawanawa leaders to seek out and rescue ancestral techniques,which were long forgotten. We went into the forest in search of wood, vines and straw.The co-creation work took place since the beginning with pieces that were created together,a synergy that allowed everyone to be involved and simultaneously shared their opinion,instinctively putting the principles of good design into practice.It was under this atmosphere that elements of the forest were reconstructed, with a mixtureof visions and perceptions.
  • runuãrun uahu A jibóia, ela foi uma das pessoas que causou a primeira morte . Ela tinha tanta sabedoria que queria experimentar fazer uma coisa diferente. Então ela pensou em trazer a morte e inserir no homem. Palavras de NaniThe anaconda, she was one of the people who caused the first death. She had so much wisdom that she wanted to try to do something different. Then she thought of bringing death and introduce it to men. Words by Nani
  • tapete de luz...O KEÑE está no mundo inteiro, está em todos os lugares, a gente que nãosabe, que não percebe.A gente está aqui no keñe da luz, do claro - a claridade.A gente separa dia da luz. E nos nossos cantos a gente pede claridade paraas nossas mentes, para colocar o tapete de luz para a gente entrar.No tapete sagrado de luz a gente pede para não correr risco, para não pisarem lugares que podem atrapalhar nosso caminhar.O tapete de luz é uma coisa dada pelo espírito, é um caminho que se temque trilhar sem medo de fazer alguma coisa errada. É o tapete sagrado. É okeñe das coisas boas, do defensor, que o criador coloca no nosso caminhopara a gente andar em cima.Yuve keñe. Palavras do Nani, embaixo de uma mangueiracarpet o f li ght...The keñes are all over the world, is everywhere we don’t know, wedon’t take notice. We are here in the keñe of light, luminous - bright.We separate the day from the light, and in our chants we ask forclarity of mind, for a carpet of light to be placed so we can enter.On the sacred carpet of light we ask not to be in danger, not to step intoplaces that can disturb our path.The carpet of light is something given to us by the spirit, it is a path that one shunuãhas to walk without fear of doing something wrong. It is the sacred carpet,the keñe of good things, the guardian, which the creator places on our pathso that we may walk over.Yuve keñe. Nani’s words, under a mango tree
  • luz que brilha n o camin ho brilha eM mim brilha em você DE VOLTA A SÃO PAULO, COM AS PEÇAS CRIADAS, FINALIZAMOS AS LUMINÁRIAS EM CONJUNTO COM A LA LAMPE, EMPRESA QUE VAI COMERCIALIZAR A COLEÇÃO. BACK IN SÃO PAULO WITH THE GENERATED PIECES, THE FIXTURES WERE FINALIZED IN PARTNERSHIP WITH “LA LAMPE”, THE COMPANY THAT WILL COMMERCIALIZE THE COLLECTION.
  • FICHA TÉCNICA AGT YAWANAWÁ/ STAFF AGT YAWANAWÁ TIRANDO AS PEDRAS DO CAMINHO Nosso compromisso é de juntos criarmos uma prática que proporcione uma consciência de como gerir osConcepção e Direção/ Concept and Direction recursos materiais em todas as dimensões, facilitando a vida cotidiana da comunidade, a permanência da culturaMarcelo Rosenbaum e o resgate da dignidade.Equipe Executiva/ Executive Team Removing Stones from the PathAdriana Benguela Our commitment is to create a practice together that provides awareness of how toMariana Brunini manage material resources in all dimensions, facilitating the communIty’s the daily life, the permanence ofLudimilla Bueno culture, and the restoration of dignity.Design de ProdutO/ Product DesignRosenbaum®– Marcelo RosenbaumFetiche Design – Carolina Armellini e Paulo BiachiNada Se Leva – André Bastos e Guilherme Leite Ribeiro AGT / A GENTE TRANSFORMA / 2013 / A FORÇA DA FLORES A TDireção de Arte e Design Gráfico/ Art Direction and Graphic Design POVO DA QUEIXADA (YAWA - QUEIXADA / NAWA - GENTE) VIVE ÀS MARGENS DO RIO GREGÓRIO DESDE OS TEMPOS IMEMORIAISFabiana Zanin TRIBO INDÍGENA YAWANAWÁ / ALDEIA NOVA ESPERANÇA / TARAUACÁ / ACRE / BRASILFONT®FLORESTA - FABIANA ZANIN/ CHICO NETO PEOPLE OF THE PECCARY PIG (YAWA – PECCARY PIG / NAWA - PEOPLE) THEY LIVE ON THE SHORES OF THE GREGÓRIO RIVER SINCE IMMEMORIAL TIMES.Fotos/ Photography SOBRE PROJETO/ ABOUT PROJECT WWW.ROSENBAUM.COM.BR SOBRE PRODUTO/ ABOUT PRODUCT WWW.LALAMPE.COM.BRLucas MouraTextos/ CopyLydia VainerTradução de textos/ TranslatorMariana SeixasPesquisa de Arquitetura/ Architecture ResearchHenrique PinheiroBruna RiscaliPesquisa Gastronômica/ Gastronomic ResearchAna Luiza Trajano *Assessoria em Gestão e Empreendedorismo/ Management and Entrepreneurship Advice ACRE BRASILAliança EmpreendedoraPropriedade intelectual/ intellectual propertyAZPIParticipação Especial dos Empreendedores/ Entrepreneurs Special ContributionMarcilene Lusia Barbosa – AGT Várzea Queimada/PIGeovane da Silva Melo – AGT Parque Santo Antonio/SPAssesoria de Imprensa/ Press AdvisorMarqueterieJornalista responsável / Mariana do Couto Prado de Almeida MTB 50705/SPAgradecimentos Especiais/ Special thanksCacique Bira e todos os moradores das Aldeias Nova Esperança e AmparoArtesãos/ ArtisansAldelícia, Adelaide, Adriana, Alderina, Alice, Ana, Ângela, Arlene, Baby, Bê, Birê, Bolinha, Chiquinha, Darico, Doutor, Elem,Elessandra, Eliana, Elzilene, Érica, Feia, Gleice, Ikashahu, Íria, Itelvina, Jael, Jana, João, João Felipe,Kana Maxi, Léia, Lia, Lilda,Mª Alzira, Macirlene, Márcia, Marilene, Matsa,Matxa, Miliana, Monaline, Nãynawa, Nii, Nizete, Odete, Ozelia, Piko, Quesia,Ronaldo,Rosiane, Salete, Samire, Shatxi, Shaya, Tabita, Tamires, Tayana, Nawashahu, Txuca, Vimi, Xauka, Ika, Lainara, Baxinha,Xoka, Tina, Chico, Celeste, Sandra, Luiz, Raquel, Xutu, Kashahu, Mukura, Kagao, Izael, Bada, Brasil, Txai Marco. “É o tempo do homem voltar para sua origem. Para a terra. O nosso coração. Olhar a terra.EQUIPE LA LAMPE/ LA LAMPE TEAM Saber amar uns aos outros, saber se respeitar. Buscar alianças, se solidarizar.”Alessandra Friedmann, Adriana Fernandes, Cláudia Petrucci, Márcia Flores, Thiago Guimarães, Ana Cláudia Silva, Márcio Neri, Pajé Yawa, 98 anos ditas no final de 2010Eduardo Sola, Felipe Rodrigues, Luciana Malgarisi, Alan Brito, Simone Hanauer, Rodrigo Santos, Sidney Rosseti, Deivid Ribeiro,Thiago Souza, Rafael Martins, Flávia Fiore, Gisele Fernandes, Daniele Costa, Maria Carneiro.FOTOS STILL/ STILL PHOTOGRAPHY “It is time for man to return to its origin, to Earth, to his heart, to look at Earth.Thiago Calazans Learn to love each other, to learn to respect, search for alliances, and show solidarity”Agradecimentos aos parceiros/ Special Thanks to Partners Shaman Yawa, said at the age of 98, in late 2010Cristiane Rosenbaum, Marcos Lopes, Ana Bravo, Renata Rocha, Gabriel Valdivieso, Kaká Werá, Elaine Silva, Charles Bezerra,Marcelo Coimbra, Felipe Milanez, Maria Helena Estrada, João Castanho.Apoio i uhuuu
  • agta fo rça daflo res a tThese objects come to provoke. proposing a new wayof relating to making, producing and consuming. Theend result of an approach that comes from what isimmaterial, spiritual, respectful of knowledge rescue.In Yawanawá mythology, macaws brought messages intheir songs of longing and of hope. The light fixtures nowassume their role as messengers. They sing, like macaws,of hope for a more humane future in relationships, foralliances, and for deep development; rescuing ancestralroots, bringing healing to memories based on exploitationand separation of ALL. These objects have the role ofcommunicating and unfolding the path for a systemicproduction movement through stories that were passeddown from grandfather to father, father to son, as in theoral tradition of indigenous peoples, the only possibilityof permanence of culture, as a unit.