Aula 7
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Aula 7

on

  • 524 views

 

Statistics

Views

Total Views
524
Views on SlideShare
463
Embed Views
61

Actions

Likes
0
Downloads
7
Comments
0

1 Embed 61

http://geoprocess6p.wordpress.com 61

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Aula 7 Presentation Transcript

  • 1. GEOPROCESSAMENTO e fotointerpretação Prof. Maigon Pontuschka 2013 Aula 7: O uso de imagens no estudo de ambientes naturais
  • 2. Agenda O uso de imagens no estudo de ambientes naturais •Introdução •Florestas tropicais •Mangues •Ambientes gelados •Ambientes áridos •Recursos minerais •Feições de relevo e de ambientes aquáticos 2
  • 3. Introdução As imagens de satélite fornecem uma visão Sinóptica (de conjunto) e Multitemporal (de dinâmica) de extensas áreas da superfície, pois mostram o ambiente e suas transformações decorrentes de processos naturais e antrópicos. 3
  • 4. Os elementos de paisagem mais percebidos em imagens de satélites e fotografias aéreas são: •Relevo •Vegetação •Água •Uso da Terra Introdução 4
  • 5. O que são ambientes naturais ? •Áreas da superfície terrestre que ainda não foram modificadas pelo trabalho do homem. •Combinações entre os diversos elementos da superfície terrestre (rochas, solos, relevos, vegetação e clima) •Hoje são poucos: altas montanhas, regiões cobertas permanentemente por gelo, desertos e florestas tropicais úmidas. 5
  • 6. • Planisfério elaborado com imagens de satélites meteorológicos. As imagens foram coloridas por meio de programas de processamento de imagens digitais 6
  • 7. Biomas continentais brasileiros Área aproximada (km2) Área /total Brasil Bioma Amazônia 4.196.943 49,29% Bioma Cerrado 2.036.448 23,92% Bioma Mata Atlântica 1.110.182 13,04% Bioma Caatinga 844.453 9,92% Bioma Pampa 176.496 2,07% Bioma Pantanal 150.355 1,76% Área total do Brasil 8.514.877 Biomas Brasileiros Fonte: Mapa de Biomas do Brasil. Fonte: IBGE - Ministério do Meio Ambiente, 2004
  • 8. Agenda O uso de imagens no estudo de ambientes naturais •Introdução •Florestas tropicais •Mangues •Ambientes gelados •Ambientes áridos •Recursos minerais •Feições de relevo e de ambientes aquáticos 8
  • 9. Florestas Tropicais Úmidas • Clima quente e úmido • Temperatura média anual em torno de 26ºC • Precipitações acima de 2.000mm ao ano • Extensa rede hidrográfica. • Rica biodiversidade 9 Um exemplo é a Amazônia: 1/5 da água doce da Terra corre nos rios da bacia Amazônica.
  • 10. Florestas Tropicais Úmidas • Os elementos naturais são interdependentes formando um ecossistema integrado • Destruindo a floresta o equilíbrio do ecossistema é alterado trazendo graves consequências: ▫ Extinção de espécies vegetais e animais ▫ Diminuição da umidade ▫ Empobrecimento dos solos 10
  • 11. 11 Mosaico de imagens TM-Landsat-5 da planície amazônica, com os elementos naturais, como o relevo plano da planície amazônica (textura lisa), rios de água limpa (azul escuro/preto), rios com material em suspensão na água (em azul) e a vegetação da floresta equatorial (em verde). As cidades, os cerrados e os campos nativos (Ilha de Marajó) variam em tonalidades de rosa. Note também as nuvens em branco. Floresta Amazônica
  • 12. 12
  • 13. 13
  • 14. A Mata Atlântica, assim como a Floresta Amazônica, reúne grande biodiversidade. Possui de três tipos de florestas: •Florestas Ombrófilas densas– ao longo da costa; •Florestas Semidecíduas e Decíduas – pelo interior do Nordeste, Sudeste, Sul e parte do Centro-Oeste); •Florestas Ombrófilas mistas – floresta de araucária, no sul do Brasil. 14
  • 15. • A mata atlântica compreende ainda restinga e mangues do litoral, bem como enclaves do cerrado, campos e campos de altitude. O ecossistema da mata atlântica estende-se do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul. A Foto (a) mostra o aspecto da vegetação de Mata Atlântica 15
  • 16. Agenda O uso de imagens no estudo de ambientes naturais •Introdução •Florestas tropicais •Mangues •Ambientes gelados •Ambientes áridos •Recursos minerais •Feições de relevo e de ambientes aquáticos 16
  • 17. Imagem TM-Landsat-5, 18/7/1994, de um setor da serra do Mar no Estado do Paraná. 17
  • 18. ▫ A vegetação de Áreas de mangue é característica de áreas litorâneas, periodicamente alagadas pelas águas de rios e marés, adaptada às condições de salinidade. Mangue Vermelho (Rhizophora mangle). 18 Mangues
  • 19. Mangues • Considerados verdadeiros “berçários” para diversas espécies. • Apesar da extrema importância ecológica para a vida dos oceanos, constitui um dos ecossistemas mais devastados do país e do mundo.
  • 20. • Forma irregular, • Cor mais escura que a dos demais tipos de vegetação, (por causa da influência da água existente nesses ambientes) • Localização junto ao litoral, próximo à foz de rios. • A partir da interpretação de tais imagens é possível identificar, mapear e monitorar os manguezais. 20 Como identificar mangues em imagens de satélite
  • 21. Imagem TM-Landsat-5, 14/6/1990, do litoral maranhense. Vegetação de mangue em verde-escuro, vegetação de cerrado em verde-claro, a água em azul escuro/preto e as praias e dunas em branco. A cor mais escura do mangue na imagem deve-se à presença de água nesse ambiente. 21
  • 22. Agenda O uso de imagens no estudo de ambientes naturais •Introdução •Florestas tropicais •Mangues •Ambientes gelados •Ambientes áridos •Recursos minerais •Feições de relevo e de ambientes aquáticos 22
  • 23. Ambientes gelados Os desertos de gelo localizam-se nas regiões polares dos continentes ártico e antártico. Ambos apresentam condições ambientais inóspitas à ocupação humana. •Ártico – em sua maior parte é formado por um oceano congelado. •Antártico – continente que possui duas vezes o tamanho do Brasil em área. Concentra 90% do gelo e 80% da água doce da Terra. 23
  • 24. • A espessa camada de gelo antártico influencia o sistema climático global, em particular, a circulação atmosférica e oceânica do hemisfério sul. 24 Ambientes gelados
  • 25. Mosaico de imagens Radarsat-1 do continente Antártico. 25
  • 26. Imagem Envisat constata o derretimento de 85% de uma geleira da Antártica. 26 Imagens de satélite permitem: •revelar feições e fenômenos antes desconhecidos na Antártida, •monitorar a perda de gelo e avaliar o impacto das mudanças climáticas sobre o nosso planeta.
  • 27. Estação Brasileira Comandante Ferraz, na Ilha de Rei George, próxima à Península Antártica. 27 http://www.ufrgs.br/antartica
  • 28. Agenda O uso de imagens no estudo de ambientes naturais •Introdução •Florestas tropicais •Mangues •Ambientes gelados •Ambientes áridos •Recursos minerais •Feições de relevo e de ambientes aquáticos 28
  • 29. Ambientes Áridos • Localizam-se no interior dos continentes, tanto em baixas como em médias latitudes. • Formados por desertos arenosos • Precipitações inferiores a 200mm ao ano • Cobertura vegetal escassa. 29
  • 30. Os maiores desertos 30
  • 31. Imagem TM-Landsat-5, mostrando uma região desértica na Mongólia. A área desértica está nas corres marfim e cinza, e a vegetação está em vermelho. Fonte: Shimabukuro, 1993 31
  • 32. A diferença entre deserto e desertificação Deserto: é um tipo de bioma natural e refere-se a áreas áridas com pouca cobertura vegetal. Desertificação: é um processo que leva regiões naturalmente cobertas a tornarem-se desérticas quando sujeitas a longos períodos de seca devido ao clima ou à ação transformadora do ser humano. 32 Ambientes Áridos
  • 33. O processo de desertificação • Sem vegetação, as chuvas tornam-se irregulares e raras. • A temperatura média tende a aumentar e • A evaporação fica mais acelerada. • Com isso, o solo não consegue reter água e os lençóis freáticos desaparecem ou têm seus níveis reduzidos. Fontes de água e rios secam
  • 34. Agenda O uso de imagens no estudo de ambientes naturais •Introdução •Florestas tropicais •Mangues •Ambientes gelados •Ambientes áridos •Recursos minerais •Feições de relevo e de ambientes aquáticos 34
  • 35. Recursos minerais ▫ Por meio de feições e determinados padrões representados nas imagens de satélites, intérpretes especializados em geologia identificam áreas com potencial de recursos minerais. ▫ A delimitação por meio de imagens de áreas com provável ocorrência de minérios, diminui a pesquisa em campo, otimizando tempo e custos de prospecção mineral. 35
  • 36. Imagem TM-Landsat-5, 16/08/1998, representando parte da região do quadrilátero ferrífero em Minas Gerais. Na serra do Espinhaço ao sul de Belo Horizonte, de forma linear em cor magenta-escura, concentram-se os depósitos de ferro. 36
  • 37. Imagem TM-Landsat-5 da Serra dos Carajás 22/6/2002, no Pará, onde temos o vermelho indicando a densa vegetação, a cor verde indicando as áreas desmatadas e a concentração dos minérios de ferro em azul. 37
  • 38. Agenda O uso de imagens no estudo de ambientes naturais •Introdução •Florestas tropicais •Mangues •Ambientes gelados •Ambientes áridos •Recursos minerais •Feições de relevo e de ambientes aquáticos 38
  • 39. Feições de relevo e de ambientes aquáticos • Feições de relevo e de ambientes aquáticos, interiores e litorâneos como ilhas, lagos, golfos, baías, restingas, meandros e foz de rios podem ser facilmente identificadas em imagens de sensores remotos. 39
  • 40. 1- Foz 2- Península (estreita) 3- Península 4- Ilha 5- Golfo 6- Dorsal Oceânica 7- Fossa Marinha 8- Planície Abissal 9- Plataforma Continental 10- Talude 11- Montanha 12- Vale 13- Vale 14- Planalto 15- Planície Feições / Formas de relevo
  • 41. Feições / Formas de relevo
  • 42. Feições / Formas de relevo
  • 43. Feições de relevo e de ambientes aquáticos Restinga 43
  • 44. 44
  • 45. • Imagem da ilha de Santa Catarina, TM- Landsat-5, 30/06/1999. Mata atlântica em verde e relevo de textura rugosa e sombreada. Praias e dunas em branco. Água mais profunda e limpa em preto. Água com pouco material em suspensão em azul escuro e área urbana em rosa. 45 Ilhac
  • 46. 46
  • 47. 47 Tipos de curso de rios
  • 48. 48
  • 49. 49 Delta
  • 50. Foz em estuário
  • 51. Referências FLORENZANO, T.G. Iniciação em Sensoriamento Remoto. 3. ed. São Paulo: Oficina de Textos, 2011. 128p. 51