Modelo de teste português

55,338 views

Published on

0 Comments
13 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
55,338
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
133
Actions
Shares
0
Downloads
2,307
Comments
0
Likes
13
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Modelo de teste português

  1. 1. FICHA DE AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA – 5º ANOAluno: _________________________________________________ Ano:______ Turma:_______ Nº.: ______Apreciação: ______________________________________________________________________________Necessitas de: Ler o texto com mais atenção.  Pensar melhor as tuas respostas. Estudar melhor a matéria.  Escrever com mais cuidado. Professora: ___________________ Enc. de Educação: __________________________ O Grilo Verde Certo dia, apareceu na horta do Tio Manuel Liró um grilo espantoso. Era verde, tão verde como as alfaces repolhudas que cresciam num pequeno canteiro ao cimo da horta. E em dias de sol e noites estreladas, punha-se a assobiar modinhas. Os grilos que viviam por perto, como não eram verdes nem sabiam assobiar, acharam aquele vizinho esquisito, muito invulgar. Foram contar aos colegas que moravam por aquelas redondezas. — VERDE?! — E ASSOBIA? !… PODE LÁ SER! A notícia espalhou-se, andou de toca em toca, voou de lura em lura. Todos os grilos ficaram a saber das afrontas do parceiro que morava na horta do Tio Manuel Liró. Sim, afrontas! Ser-se verde e assobiador não eram coisas de grilo que se fizessem… Resolveram fazer-lhe uma visita para o convencer a mudar de farda e de música. Numa tarde de domingo deixaram as luras que tinham nos quintais, campos, bouças e matas. Entraram na horta do Tio Manuel Liró e perguntaram ao companheiro: — Porque não tens uma cor igual à nossa? Porque não cricrilas? Então o Grilo Verde respondeu-lhes: — Se nasci verde, não posso ser preto. E se assobio é porque não sei fazer outra coisa. E vós — perguntou — porque não sois verdes e nã o sabeis assobiar como eu? — Porque sempre fomos pretos e só sabemos cricrilar. — Então — concluiu o Grilo Verde — estamos empatados: se eu sou verde — vós sois pretos; se assobio — vós cricrilais. Para quê tanta preocupação? — Alto lá! — reagiram os grilos pretos — Esqueces-te que és o primeiro colega a fazer tamanhos disparates! pág. 1
  2. 2. — E não será disparate ter cor preta e cricrilar? — Não venhas com bazófia. Por acaso já pensaste na confusão que vais criar? — Confusão!? — espantou-se o Grilo Verde — Eu?!… — Já pensaste que, se por acaso os homens te vêem, vão logo dizer aos seus amigos que há grilos que não são pretos e grilos que assobiam. Já pensaste nisso? E por tua causa todos os grilos do Mundo ficam desacreditados! — Não vejo mal nisso… Mas dizei-me — pediu o Grilo Verde — o que devo fazer? — Deves mudar de cor e nunca mais, mas nunca, nunca mais assobiar, entendido? António Mota, O Grilo Verde, Ed. Gailivro I Parte – Compreensão da Leitura1 – Das frases que se seguem, algumas estão de acordo com o texto e outras não.Identifica-as, utilizando um V para as verdadeiras e um F para as falsas. a. O Grilo Verde estava muito aborrecido por ser verde. b. Ele assobiava em dias de sol e em noites estreladas. c. Os outros grilos ficaram muito contentes por terem um parceiro que era diferente deles. d. Espalharam a notícia de que ele era verde, de toca em toca e de lura em lura. e. Numa tarde de sábado foram ter com o Grilo Verde. f. Eles estavam preocupados porque os homens iam pensar que há grilos que não são pretos e assobiam. g. O Grilo Verde também ficou preocupado.2 – Responde às perguntas que se seguem por palavras tuas. Utiliza frases completas. a) O que aconteceu, um dia, na horta do tio Manuel Liró? b) Qual era a diferença entre o “grilo espantoso” e os outros grilos? c) Os grilos acharam normal essa diferença? Transcreve do texto uma frase que pág. 2
  3. 3. justifique a tua resposta. d) “ – Então estamos empatados.” Concordas com a afirmação do grilo verde? Justifica a tua resposta. e) Indica o tipo de Narrativa que acabaste de ler. Justifica. f) Indica o tipo de narrador da história. Justifica o que acabaste de afirmar. g) Indica as personagens da história. h) Localiza a sua acção no espaço e no tempo. i) Quem é o autor deste texto?3– Relê o texto e responde. a) Indica os recursos expressivos presentes nas seguintes frases: “ – Confusão!? – espantou-se o Grilo verde. – Eu?!” “Numa tarde de domingo deixaram as luras que tinham nosquintais, campos, bouças e matas.” pág. 3
  4. 4. II Parte – Conhecimento da Língua1 – Lê atentamente as questões e responde. a) Indica a Classe de Palavras a que pertence cada uma das palavras sublinhadas na seguinte frase: “Os grilos que viviam por perto, como não eram verdes nem sabiam assobiar, acharam aquele vizinho esquisito, muito invulgar.”2 – Indica o grau em que se encontram os adjectivos presentes nos seguintes excertosretirados do texto. “ Era verde, tão verde como as alfaces repolhudas...” “...acharam aquele vizinho esquisito, muito invulgar.” “Ser-se verde e assobiador não eram coisas de grilo...” III Parte – O Texto dramático1 – Completa o seguinte texto com o vocabulário a baixo. pág. 4
  5. 5. A finalidade do texto dramático é ser levado a cena, ser representado,passando, assim, a texto teatral. O texto dramático é constituído pelas falas das1)____________________, que aparecem em discurso directo, a seguir aonome de quem as diz, e pelas 2)____________________, que surgemnormalmente entre parênteses e que nos informam dos movimentos,3)____________________ e atitudes das personagens, do cenário, do guarda-roupa, dos efeitos luminosos e sonoros, entre outros. O texto dramático pode dividir-se em 4)____________________ e5)____________________. O acto é a grande divisão do texto dramático,decorrendo num mesmo espaço. Geralmente, considera-se a mudança de cenaquando uma personagem entra ou sai. Retirado de Ponto e Vírgula, 7.º Ano, de Constança Palma e Sofia Paixão Texto Editora actos; gestos indicações cénicas; cenas; personagens; pág. 5

×