Santiago-k

551 views
470 views

Published on

Fau Mackenzie - Conforto Ambiental 2 - Ventilação - A tarefa era desenhar o croqui (não podíamos usar desenho virtual, só croqui à mão livre) de um prédio com 4 pavimentos, um sub-solo de garagem e apresentar a solução de ventilação natural e artificial. Seria um prédio para escritório de Engenharia e Arquitetura. Eu e Helena bolamos o Santiago K. Ei-lo, a quem interessar possa. Abraço, amigos! Carlos Elson L. da Cunha - criarefaze@hotmail.com

Published in: Education, Travel, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
551
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Santiago-k

  1. 1. Santiago – K <br />Exercício de conforto ambiental <br />Ventilação <br />
  2. 2. Solicitado: um prédio para uma empresa de Engenharia e Arquitetura. <br />4 pavimentos. Ventos de SE.<br />
  3. 3. Ora, Engenharia + Arquitetura lembra alguém...<br />
  4. 4.
  5. 5. Pronto, o prédio já tem um nome!<br />
  6. 6. Primeira decisão: uma laje intermediária de 80cm entre cada pavimento, para serviço.<br />
  7. 7. Segunda decisão: piso térreo 1,5m abaixo do nível da rua, para criar um fluxo de ar mais volumoso. Funciona? Num sei! Mas é chique!<br />
  8. 8. A laje se prolonga numa varanda, que se torna um brise, reduzindo a incidência de sol direto.<br />
  9. 9.
  10. 10. Ajardinando a varanda, as plantas compridas melhoram o efeito brise, naturalmente.<br />
  11. 11. Criamos duas abas, ou ourelhas no prédio. Esta à direita com grelhas é para coletar e distribuir vento natural.<br />A outra fica por trás.<br />
  12. 12. Apenas os pavimentos 3 e4 deveriam ter ar-condicionado. Instalamos a máquina sobre os elevadores, ficando expostas, como manda a norma.<br />
  13. 13.
  14. 14. Veja que o mastro coletor de ventilação natural possui um exaustor para retirar o ar da garagem no sub-solo.<br />
  15. 15.
  16. 16. O corte mostra a torre dos elevadores e a circulação do ar-condicinadoindo aos pavimentos 3 e 4.<br />
  17. 17. Para evitar tubulação exposta, jogamos o ducto do ar-cond entre o elevador e a parede. <br />Poderia ter sido pensado melhor, ficou meio improvisado isso.<br />
  18. 18.
  19. 19. A Ornela falou: basta um elevador...<br />Então o ducto poderia ficar bem melhor dimensionado.<br />
  20. 20.
  21. 21. Essa ficou legal: uma visão axonométrica dos mastros de circulação, tanto natural como fria.<br />O mastro de ar frio vai até 1º andar, para liberar posterior alteração por parte do cliente.<br />
  22. 22.
  23. 23. O mastro de ar natural, em vermelho, tem aletas reguláveis, permitindo que em pane do ar frio, possa circular vento natural nos ambientes.<br />
  24. 24.
  25. 25.
  26. 26.
  27. 27.
  28. 28.
  29. 29.
  30. 30. Pavimento 1. Note os dois shafts de ar.<br />Eles são generosos, de modo que elétrica e hidráulica já tem por onde correr comodamente. <br />
  31. 31. Na lateral as portas são de vidro e correm, permitindo grande liberdade para vedar ou abrir ao máximo. <br />Na fachada janelas maxim-ar e basculante na parte alta. <br />
  32. 32. E as plantas? <br />
  33. 33. O Dominique e a Ornela não devolveram.<br />Então, por hoje é só, pessoal! <br />
  34. 34. Carlos e Helena<br />Conforto Ambiental II<br />Fau-Mackenzie<br />Inverno meridional, 2011 a d.<br />
  35. 35. Santiago – K <br />Exercício de conforto ambiental <br />Ventilação <br />

×