Fabio massaki

  • 150 views
Uploaded on

Em parceria com a Professora Helena Abascal, publicamos os relatórios das pesquisas realizados por alunos da fau-Mackenzie, bolsistas PIBIC e PIVIC. O Projeto ARQUITETURA TAMBÉM É CIÊNCIA difunde …

Em parceria com a Professora Helena Abascal, publicamos os relatórios das pesquisas realizados por alunos da fau-Mackenzie, bolsistas PIBIC e PIVIC. O Projeto ARQUITETURA TAMBÉM É CIÊNCIA difunde trabalhos e os modos de produção científica no Mackenzie, visando fortalecer a cultura da pesquisa acadêmica. Assim é justo parabenizar os professores e colegas envolvidos e permitir que mais alunos vejam o que já se produziu e as muitas portas que ainda estão adiante no mundo da ciência, para os alunos da Arquitetura - mostrando que ARQUITETURA TAMBÉM É CIÊNCIA.

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
150
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
1
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Universidade Presbiteriana MackenzieVIRTUAL MATH TEAMS: DESENVOLVENDO ATIVIDADES DE CÁLCULO INTEGRALEM UM AMBIENTE VIRTUAL ON-LINEFábio Massaki Sugano (IC) e Gisela Hernandes Gomes (Orientadora)Apoio: PIBIC MackenzieResumoDevido às facilidades oferecidas pela internet, o campo educacional também vem sendo aprimorado.Este artigo apresenta as vantagens e desvantagens que um ambiente virtual pode apresentar naresolução de um problema de Resistência dos Materiais II, disciplina do curso de Engenharia Civil daUniversidade Presbiteriana Mackenzie, usando conceitos da disciplina Cálculo Integral II. O ambienteescolhido inicialmente foi o Virtual Math Teams (VMT), desenvolvido por um grupo de pesquisadoresda Drexel University, mas por problemas referentes ao seu desenvolvimento, outro ambiente foiestudado que oferecesse as mesmas ferramentas de análise, discussão e resolução de um problemamatemático, feito a distância. Este ambiente escolhido foi o Google Docs, desenvolvido pela GoogleInc., uma empresa multinacional americana, que apresenta uma grande semelhança com o ambientedo VMT. Neste artigo, abordamos sobre as semelhanças e diferenças entre os dois ambientes,relatando o que cada um deles pode oferecer de melhor, inclusive as ferramentas que sãodisponibilizadas ao usuário e, as dificuldades que cada um deles pode encontrar ao se deparar comestes ambientes virtuais de aprendizagem pela primeira vez. Por fim, teremos a conclusão relatandoo que estes ambientes podem nos trazer de progresso no campo da educação, derrubando umabarreira, que seria a comunicação entre dois ou mais usuários via internet, discutindo sobreproblemas matemáticos.Palavras-chave: ambiente virtual de aprendizagem, engenharia, cálculo integral.AbstractDue to facilities offered by the internet, the educational field has also been enhanced. This articlepresents the advantages and disadvantages that a virtual environment may present to solve aproblem of Mechanics of Materials II, course in the program of Civil Engineering from the MackenziePresbyterian University, using mathematical concepts of Integral Calculus II. The environment wasinitially chosen the Virtual Math Teams (VMT), developed by a team of researchers from DrexelUniversity, but due problems concerning its development, another environment was studied thatoffered the same tools of analysis, discussion and resolution of a mathematical problem online. Thisenvironment was chosen Google Docs, developed by Google Inc., an American multinational publiccorporation, which presents a great resemblance to the VMT environment. This paper discusses thesimilarities and differences between the two environments, reporting what each can offer better,including the tools that are available to the use, and the difficulties that each one may encounter whenfaced with these virtual learning environments, at first time. Finally, we conclude that theseenvironments can bring us progress in the field of education, knocking down a barrier that would bethe communication between two or more users via the internet, discussing mathematical problems.Key-words: virtual learning environment, engineering, integral calculus. 1
  • 2. VII Jornada de Iniciação Científica - 2011IntroduçãoO uso da Internet e tecnologia estão mudando a maneira de educar os alunos, facilitando oacesso ao ensino de conteúdos de todas as naturezas, inclusives os matemáticos. Colégiose universidades estão se adaptando à chamada educação a distância (Ead), que consisteem elaborar, discutir e avaliar atividades, e até mesmo cursos inteiros, sem que os alunosestejam presentes nas salas de aula, através de computadores, notebooks e ambientesvirtuais de aprendizagem.Com esse avanço no sistema educacional, muitos programas de computador e ambientesvirtuais vêm sendo criados para facilitar o aprendizado. Estes programas podem serutilizados tanto pelos professores como pelos alunos. Os professores utilizam o programapara que as atividades e conteúdos de suas aulas estejam disponíveis aos seus alunos. Osalunos, por sua vez, fazem deste programa uma agenda para entrega de suas atividadese/ou para consulta de eventuais aulas perdidas.No entanto, ao utilizar um sistema de Ead, certas matérias apresentam maior dificuldadepara serem lecionadas e aprendidas. Por exemplo, as chamadas ciências exatas queestudam a Matemática, Física, Química e Estatística. Esta dificuldade se dá peladiversidade de símbolos que estas matérias apresentam, pois muitas vezes não sãopossíveis de serem criadas nestes programas. Assim, os diálogos tornam-se restritos e asdúvidas mais freqüentes.Pensando nisso, um grupo de professores e matemáticos da Drexel University pensou emum ambiente que solucionasse este problema de comunicação, criando assim o chamadoVirtual Math Teams (VMT). Este ambiente possui diversas ferramentas que facilitam odiálogo entre os usuários através de um computador, por exemplo, uma tela onde é possívelcolocar o enunciado em questão ou o esboço do problema, uma caixa de texto com ossímbolos matemáticos, capacidade de criar diversas telas de trabalho, entre outros.Com a ajuda do VMT os alunos têm a possibilidade de conversar e resolver os exercícioscom maior facilidade e comodidade, já que os mesmos não necessitam sair de suasresidências para resolver os exercícios. No início o programa foi apresentado apenas paraalunos do ensino fundamental, como uma forma de teste para avaliar a aceitação destesalunos. Atualmente ele vem sendo estudado para ser oferecido ao ensino superior, comouma forma de facilitar o aprendizado aos estudantes de Ciências Exatas.Dessa forma, o objetivo dessa pesquisa é investigar e desenvolver atividades do cálculointegral em um ambiente virtual on-line identificando elementos que propiciem acompreensão do conceito de integral e suas aplicações usando uma ferramenta tecnológica. 2
  • 3. Universidade Presbiteriana MackenzieOutro ambiente também foi analisado, com as mesmas características do VMT, o chamadoGoogle Docs, que permite que o aluno utilize um documento branco e uma janela para chat,sendo compartilhado com outros estudantes.Referencial TeóricoDiversos trabalhos e pesquisas abordam o uso de recursos computacionais no processo deensino-aprendizagem das disciplinas básicas de matemática em cursos de graduação naárea das Ciências Exatas. Mas além do uso dessas novas ferramentas é necessária umamudança na postura perante o saber. Essas ferramentas interferem na maneira de pensar,refletir, sentir e atuar e nos remete a um novo modelo pedagógico. Segundo Silveira e Joly(2002, p. 67) as novas tecnologias da informação “não mudam, necessariamente, a relaçãopedagógica entre professor e estudante”. Mas, propiciam, ainda de acordo com as autorasSilveira e Joly (2002, p. 68), ações críticas e transformadoras, por meio das quais o estudante terá a oportunidade de participar de situações de simulação, quer reproduzindo o mundo real, quer propondo problemas a serem resolvidos, favorecendo então a aprendizagem cooperativa na construção e produção de conhecimento.De acordo com Behrens (2003, p. 71), em busca de uma nova realidade de ensino-aprendizagem: [...] o aluno precisa ultrapassar o papel de passivo, de escutar, ler, decorar e de repetidor fiel dos ensinamentos do professor e tornar-se criativo, crítico, pesquisador e atuante, para produzir conhecimento. Em parceria, professores e alunos precisam buscar um processo de auto-organização para acessar a informação, analisar, refletir e elaborar com autonomia o conhecimento. [...] Portanto, professores e alunos precisam aprender a aprender como acessar a informação, onde buscá-la e o que fazer com ela.Neste meio de constante desenvolvimento de novas ideias e objetivos visando um melhoraproveitamento de informações, para que assim, possamos ter uma qualidade de vida cadavez melhor, temos presenciado, portanto, um avanço nos métodos de ensino. A educação adistância exerce a função de melhorar e estreitar as relações entre os alunos e escolas, deforma que os estudantes que não tem acesso às informações de ensino sintam-se maisencorajados a estudar.Já é possível dizer que na maioria dos colégios e universidades, os alunos contam com umlaboratório de informática. Nas universidades, com maior frequência, nota-se a utilização deambientes virtuais de aprendizagem (AVA), que são utilizados como um apoio ao aluno. Adidática funciona da seguinte maneira: O professor disponibiliza o material de estudo neste 3
  • 4. VII Jornada de Iniciação Científica - 2011ambiente e, o aluno, através de um login e uma senha própria, tem acesso a essasinformações para melhorar seu desempenho nos estudos. A seguir podemos citar trêsprogramas em destaque, Moodle, WebCT e TelEDUC, que são utilizados como AVAs emdiversas universidades brasileiras, com exceção do WebCT.O Moodle é um programa gratuito que colabora com a didática dos professores e oaprendizado por parte dos seus alunos. Isso é possível por ele ser um AVA que possibilitaarmazenar os conteúdos programáticos de cada matéria que o aluno está cursando. Ouseja, através da internet o aluno tem acesso à sua própria página, para que o mesmo possaobter informações das matérias e melhorar o seu estudo.O que pode ocorrer, é que alguns professores não possuem o conhecimento necessáriopara manusear o Moodle, uma vez que ele já possui sua própria formatação, sendonecessário que através de outras pessoas ele possa se informar sobre a utilização doprograma.Segundo Faculdade de Ciências Contábeis UFBA (s.d), o Moodle conta com diversasferramentas para que o aluno consiga melhorar sua qualidade de estudo, por exemplo, chatem tempo real, listas de exercícios e questionários. Assim, ele pode estudar através dosexercícios das listas e tirar suas possíveis dúvidas através do chat com seus colegas declasse.Outro ambiente é o TelEduc que foi desenvolvido na Universidade de Campinas, com afinalidade de formar professores para informática educativa, o que facilita o aprendizado dosalunos, uma vez que seus professores possuem conhecimento de como utilizar o programa.De acordo com TelEduc Educação a Distância (2006), uma das características que sedestacam no TelEduc é a facilidade que o aluno encontra para trabalhar no programa,devido o fato dele ter sido criado de acordo com as necessidades que seus usuáriosapresentavam.As principais vantagens do TelEduc são: • Foi desenvolvido usando as opiniões dos usuários, por isso ele já foi concebido com o aval de quem iria trabalhar diretamente com ele, pois fica bem mais fácil desenvolver as ferramentas que sejam consideradas necessárias pelos usuários. Tornando-se agradável ao usuário final que parece conhecê-lo a fundo mesmo se estiver acessando-o pela primeira vez • Possui diversas ferramentas de administração, coordenação e trabalho que auxiliam o professor no acompanhamento de sua proposta pedagógica. 4
  • 5. Universidade Presbiteriana Mackenzie • Praticidade e rapidez para download e upload do material didático, facilitando sua atualização. • Possibilidade de envio de trabalhos feitos pelos alunos para ambientes personalizados podendo ou não disponibilizá-los para os outros alunos e professores. • Possibilidade de um diagnóstico quantitativo da interatividade dos alunos.As principais desvantagens do TelEduc são: • Em alguns cursos são feitas algumas exigências no tipo de conexão visto que podem ter alguma ferramenta que seja mais pesada, necessitando assim de um acesso mais rápido para o acompanhamento do curso desejado. • Ainda não estão disponíveis módulos para a criação de avaliações. • Impossibilidade de personalização do ambiente, nem das cores e fontes. • Impossibilidade de criação de subpastas no ambiente. • Necessidade de inserir os alunos um a um. • Possibilidade de um aluno “queimar” a senha de outro. • Impossibilidade de estruturação de mecanismos de teste com respostas rápidas para os alunos com a utilização das ferramentas padrão.O WebCT (Web Course Tools) (Goldberg et al., 1996) desenvolvido pelo grupo de MurrawW. Goldberg, da University of British Columbia, fornece um conjunto de ferramentas quefacilita a criação de cursos educacionais baseados no ambiente World Wide Web (www).Também pode ser utilizado como ferramenta complementar de um curso já existente, nadisponibilização de material.O ambiente WebCT pode ser utilizado para a criação de cursos totalmente online ou para apublicação de materiais que complementam os cursos presenciais. Esse ambiente é divididoem quatro classes de usuários, cada qual com uma visão diferenciada. Estas Classes são:Administrador – para o gerenciamento do ambiente;Designer – para a estruturação da interface e do conteúdo;Assistente – para orientar o aluno na sua aprendizagem;Estudante – o aluno que ira usufruir do ambiente 5
  • 6. VII Jornada de Iniciação Científica - 2011De acordo com o Departamento de Engenharia da Computação e da Indústria deAutomação da Escola de Engenharia da Computação e Engenharia Elétrica da Universidadede Campinas (2006), as principais vantagens do WebCT são: • Possibilidade de se estabelecer um ambiente de ensino e aprendizado integrado, contendo uma série de ferramentas educacionais tais como sistema de conferência, chat, correio eletrônico, acompanhamento do aluno, suporte para projetos colaborativos, auto-avaliação, questionários, distribuição e controle de notas, glossário, controle de acesso, calendário do curso, geração automática de índices e pesquisa, entre outras. Sua interface pode ser configurada para funcionar em vários idiomas (Inglês, Frances, Espanhol, Português e outros).Assim como o grupo de estudantes envolvido nesta pesquisa, também encontrou algumasvantagens do WebCT: • Ferramentas de avaliação automática para alguns tipos de avaliação. • Possibilidade de execução de testes rápidos com respostas instantâneas. • Ferramentas para avaliação quantitativa do aluno. • Possibilidade de boa interatividade, com videoconferências, materiais com multimídias e avaliações automáticas. • Permissão de adição de glossários lincados a textos nas páginas. • Permissão de execução de backup datado do curso quando desejado. • Facilidade para reaproveitamento da estrutura criada. • Possibilidade de cadastramento de alunos a partir de listas. • Possibilidade de gerar diferentes tipos de avaliação. • Possibilidade de criar bancos de dados de questões para novas avaliações. • Possibilidade de criação de subpasta organizada.As principais desvantagens do WebCT são: • Dificuldade de gerar perfil em cursos novos para alunos que já utilizaram o ambiente em outros cursos. • Interface pouco amigável. • Navegação complexa para se estruturar uma simples avaliação. • Personalização parcial do ambiente. Apenas nas cores e fontes. 6
  • 7. Universidade Presbiteriana Mackenzie • Opções de barras nem sempre adequadas. • Colocação limitada de banners. • Módulos internos com a navegação cruzada para determinados objetivos. • Necessidade de muitos links para operação de download e uploadDe acordo com a experiência adquirida no estudo das ferramentas do ambiente VMT, pode-se observar que, assim como os outros três citados acima, trata-se de um ambiente virtualde aprendizagem, porém, ele já foi construído visando uma melhor comunicação entre osusuários sobre problemas matemáticos. Nele é possível encontrar e criar diversas salas dechat, onde há um painel chamado de Whiteboard (Figura 1) para a ilustração dos exercíciosem questão e uma grande quantidade de ferramentas disponíveis ao usuário, assim, ele tema liberdade de digitar o enunciado e ilustrá-lo para que outras pessoas possam compreendermelhor do que se trata o exercício. Nestas salas de chat, para que a solução do exercícionão fique confusa, cada usuário possui uma cor específica, assim, qualquer alteração feitano Whiteboard por este usuário, terá esta cor para indicá-lo. Outro fator que colabora parauma melhor discussão entre os usuários é que, ao dar um duplo clique com o botãoesquerdo do mouse sobre cada processo realizado no Whiteboard, o VMT o ligaautomaticamente à pessoa que o criou, assim, é possível que um usuário questione estapessoa sobre o “por que” daquele processo ter sido realizado. É possível notar também,uma barra vertical localizada ao lado esquerdo do Whiteboard, cuja função é similar a de umhistórico, ou seja, tudo o que foi feito na tela do Whiteboard fica registrado nesta barra. Casoalguém queira analisar o que foi feito anteriormente, basta arrastar esta barra para cima queo programa se encarrega de mostrar as etapas anteriores.Se necessário, é possível também que o aluno cole imagens, gráficos do Winplot e arquivosde AutoCAD no Whiteboard, melhorando a compreensão e a resolução dos exercícios. Porexemplo, em um determinado caso foi necessário que um gráfico do Winplot fizesse partedo enunciado do exercício, sendo assim, basta selecionar este gráfico no Winplot,pressionar a tecla Ctrl+C, ir até o Whiteboard e, no lugar desejado, pressionar Ctrl+V. 7
  • 8. VII Jornada de Iniciação Científica - 2011 Figura 1: Página do VMT com o Whiteboard sendo utilizado junto ao chatOutro ponto favorável do VMT é que, na página inicial do The Math Forum @ Drexel (2011),o VMT disponibiliza alguns links como o “Problems Of The Week”, o “Ask Dr. Math”, o“Teacher2Teacher”, entre outros recursos; que são outros meios para que os usuários doVMT possam interagir ainda mais com o programa.O “Problems Of The Week” tem a finalidade de disponibilizar um exercício a cada semanapara que os usuários possam resolvê-lo. O “Ask Dr. Math” é um espaço onde o usuário podetirar suas dúvidas sobre matemática com a ajuda dos professores da Drexel University. O“Teacher2Teacher”, abreviado como T2T, é onde os professores têm acesso para tirar suasdúvidas e até para alguns pais tirarem algumas dúvidas sobre como ensinar matemáticapara os seus filhos.De acordo com Google Docs Crie e compartilhe seu trabalho on-line com o Google Docs(2011), no ambiente desenvolvido pelo Google, assim como no VMT, é necessário criar umaconta para que se possa utilizá-lo. A vantagem do Google Docs é que o usuário pode utilizaros mesmos dados de outros aplicativos criados pelo Google, para poder ter acesso a esseambiente. Por exemplo, este usuário pode ter acesso ao Google Docs utilizando os mesmosdados de acesso ao email do Google (Gmail) ou do site de relacionamentos chamado Orkut.Ao efetuar o login, o usuário pode notar uma lista na parte central da tela. Esta lista é ummodo de organizar os trabalhos do usuário, de forma que ele tenha fácil acesso aos seusarquivos criados no ambiente. Um detalhe muito importante é que, para cada tipo de área detrabalho que o usuário utilizar, há uma simbologia diferente. Estes símbolos são fixadosjunto a cada arquivo desta lista. 8
  • 9. Universidade Presbiteriana MackenzieAssim, se um trabalho é feito numa Planilha, na lista da tela central, aparecerá o nome dotrabalho e, junto ao nome, o símbolo correspondente à área de trabalho criada numaPlanilha.Um ponto a favor do VMT em relação ao Google Docs seria sobre o envio de mensagens nochat. No VMT, quando um usuário envia uma mensagem para o outro, este segundo recebeum aviso desta mensagem, que é feito através de uma campainha. Isso é muito útil, poisdependendo da situação o usuário não está com a janela do VMT aberta e, ao receber umamensagem de seus colegas no chat, ele logo percebe que alguém está chamando suaatenção. Já no Google Docs, não há essa opção, ou seja, se o usuário não estivertrabalhando no Google Docs e alguém lhe enviar uma mensagem, ele não irá perceber. Oque pode causar um desconforto ao longo do desenvolvimento do trabalho, pois pode haveruma demora até que este usuário perceba que outras pessoas estão querendo conversarcom ele.Outra desvantagem do Google Docs é que, ao entrar na área de trabalho Documento, senão houver pelo menos dois usuários nesta área de trabalho, não é possível abrir o chat.Assim, não é permitido que o usuário tenha acesso a eventuais discussões tidasanteriormente se o mesmo não estiver junto a outro usuário, o que pode prejudicar odesenvolvimento do trabalho, pois dependendo da situação, um usuário pode precisar dealgumas informações que estão gravadas no chat, porém, ele tem que esperar que outrousuário entre nesta mesma área de trabalho para que, então, seja possível obter estasinformações.Uma grande vantagem deste ambiente é que todas as ferramentas que estãodisponibilizadas no Microsoft Office podem ser usadas nesse documento criado no GoogleDocs, como por exemplo, inserir figura, criar desenhos a partir dos modelos disponíveis,planilhas e outros recursos que o usuário já tem familiaridade com o programa da Microsoft.Para as imagens serem inseridas na área de trabalho, basta que o usuário clique no botãoInserir e depois Imagem. Uma nova janela se abrirá para que o usuário possa procurar aimagem desejada, sendo possível realizar esta operação de quatro maneiras: A primeiraseria buscando a imagem que já está salva no computador do usuário. Ao clicar em Uploade depois em Procurar, o usuário pode abrir a pasta onde a imagem está localizada e, porfim, selecionar a imagem desejada. A segunda opção seria clicar em URL e, inserir o link dapágina da internet onde está localizada a imagem desejada. A terceira maneira seria clicarem Google Image Search e, procurar uma imagem pelo próprio site do Google. A últimaforma oferecida ao usuário para inserir uma imagem na área de trabalho seria através de 9
  • 10. VII Jornada de Iniciação Científica - 2011um programa chamado Picasa, onde o usuário pode compartilhar, organizar e editar suasfotos online.Outro ponto positivo que o Google Docs apresenta, é a opção de inserir equaçõesmatemáticas na área de trabalho. O usuário tem acesso a estas opções clicando em“Visualizar”, habilitar a opção “Exibir barra de ferramentas de equação”, e em seguidaaparecerá uma barra com o botão “Inserir Equação”. Ao clicar em Inserir Equação, abrirá umespaço no documento para a digitação da equação desejada, permitindo ao usuário digitaruma grande variedade de equações matemáticas, podendo inserir, também, símbolosmatemáticos.MétodoEste estudo foi realizado por dois estudantes do quarto ano, uma do terceiro ano e umaprofessora da Escola de Engenharia da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Para aexperiência realizada com o VMT seriam necessários mais três alunos para a resolução deum problema da disciplina chamada Resistência dos Materiais II. Todas as etapas destapesquisa foram realizadas nos laboratórios da Universidade Presbiteriana Mackenzie, naregião central de São Paulo.Um ponto importante a ser destacado é que para ter acesso ao ambiente VMT, foi solicitadoaos laboratoristas da Universidade que os computadores a serem utilizados para asatividades fossem instalados ou atualizados a versão JAVA JRE, para que o ambientepudesse rodar normalmente.O método utilizado para essa pesquisa é o da abordagem qualitativa, pois é de interessedesse estudo diagnosticar se é possível discutir, analisar e resolver um problema comconteúdos matemáticos e de Engenharia em um ambiente virtual. Além disso, o foco dapesquisa esteve voltado para quais ferramentas desse ambiente seriam utilizadas para essadiscussão e resolução dos problemas elaborados pela equipe.No entanto, ao longo da pesquisa, o programa que estava sendo analisado, o Virtual MathTeams, apresentou problemas técnicos, pois é um ambiente ainda em desenvolvimento e,nosso foi interrompido. Esse ambiente permite salvar todas as ações nele realizadas, mas,com esses problemas, tudo o que havia sido feito até o momento, não pode ser recuperado.Em decorrência desse fato, para dar continuidade a essa pesquisa, buscou-se um ambientevirtual de aprendizagem que tivesse as mesmas características do VMT. Após algumas 10
  • 11. Universidade Presbiteriana Mackenziepesquisas, foi escolhido um ambiente chamado Google Docs, que é um AVA desenvolvidopela empresa Google, cuja função é similar à do VMT.Obviamente, existem diferenças entre os dois ambientes, as quais são notadas quando, aoabrir o Google Docs, não se encontra as tabs que o VMT possuía e que não estão presentesno ambiente virtual do Google.Em contrapartida o Google Docs apresenta uma característica que não se encontra noambiente VMT: a capacidade do usuário abrir diferentes formas de área de trabalho, comopor exemplo, criar uma janela com os dados necessários para que o usuário consiga criarum documento com formato semelhante ao do Microsoft Office Word (Figura 2). Além dessaopção, o ambiente disponibiliza mais seis maneiras de se criar um arquivo no Google Docs:Apresentação que necessita do Java para poder ser utilizado, Planilha, Formulário Desenho,que também necessita do Java, Coleção e, ainda, uma opção de se abrir um modelo jáconstruído pelo próprio Google Docs para maior conforto dos usuários, nomeado peloprograma de “Do Modelo...”.A área de trabalho chamada de Documento é onde o usuário pode montar um documentoescrito no formato de um texto. Na área de trabalho Apresentação, o usuário pode montaruma apresentação de um arquivo no formato de slides, ele possui um layout da páginamuito semelhante ao do Microsoft Office Power Point. Na área de trabalho Planilha o usuáriotem a opção de criar seu documento como tabelas, funcionando de forma similar aoMicrosoft Office Excel. Na Figura 2, podemos observar a área de trabalho Formulário queoferece ao usuário a opção de construir questões do tipo de múltiplas escolhas. Na figura 2,observa-se a criação de novos tópicos, chamados de New Collection, sendo estes, muitoúteis para organizar a área de trabalho. Por último, na opção nomeada de Do Modelo, ousuário tem ao ser dispor, uma série de documentos pré-formulados, ou seja, de acordocom o que o usuário necessitar, ele pode ir até esta janela e escolher qual tipo deformatação lhe atende melhor. Isso contribui para que o usuário tenha maior comodidade aorealizar seu trabalho, uma vez que ele só precisa completar as lacunas de acordo com quese deseja montar seu trabalho. 11
  • 12. VII Jornada de Iniciação Científica - 2011 Figura 2: Página inicial da área de trabalho DocumentosApesar dos problemas encontrados no ambiente escolhido inicialmente, com a experiênciaadquirida pelos estudantes que estavam envolvidos nesse projeto, foi possível ter uma ideiade quais ferramentas um grupo de alunos utilizaria para resolver um exercício utilizando oVMT.O exercício elaborado para ser aplicado aos alunos foi baseado na disciplina de Resistênciados Materiais II, envolvendo o cálculo da máxima rotação e da flecha de uma viga emrelação ao carregamento que está sendo aplicado sobre a mesma. Enfatizando-se que, paraque o exercício seja resolvido por completo, o aluno precisaria de alguns conceitos dadisciplina de Cálculo Integral e Diferencial II devido às fórmulas que seriam utilizadas.Para tal exercício ser colocado em prática, seria necessário que este grupo de alunostivesse um primeiro contato com o Virtual Math Teams, para que os mesmos pudessem seacostumar com a trabalhabilidade do programa. Isso aconteceria de forma que asferramentas do ambiente fossem apresentadas a eles, para que todos ficassem cientes doque pode ser feito no programa e para igualar os níveis de conhecimentos destes alunos emrelação ao VMT, garantindo que todos os participantes do teste possuíssem a mesma cargade informação sobre o ambiente a ser utilizado.Feito isso, os alunos receberiam as informações sobre o exercício a ser resolvido. Nosprimeiros instantes, é de se esperar que as pessoas levem certo tempo para começar seusprimeiros esboços no Whiteboard, afinal há uma grande quantidade de ferramentas quepodem ser utilizadas pelo usuário, mas, logo se acostuma com as utilidades e as 12
  • 13. Universidade Presbiteriana Mackenzienecessidades de cada uma dessas ferramentas e, o exercício pode, finalmente, começar aser compreendido e resolvido. Durante o exercício é normal que algum aluno tenha dúvidas,porém, ele já foi orientado no início de que ele só poderia pedir ajuda para os outros doisalunos que também estão tentando resolver o exercício. Surge então a necessidade deutilizar a caixa de mensagens, que podem ser relacionada quase de imediato com as coresdos esboços traçados no Workspace.Ao final do tempo estabelecido para a resolução deste teste, o desempenho dos alunosseria analisado. Seria levado em conta o que cada um deles fez e a forma como pensaramno quadro do Workspace. Seria levado em conta, também, a conversação dos três alunosno chat, o que seria muito importante para a conclusão do teste, pois poderia revelar muitasdificuldades e facilidades que um usuário pode obter ao longo da resolução do exercícioproposto.No caso do Google Docs sendo utilizado como o ambiente de testes, o exercício seriaapresentado aos alunos da mesma maneira como foi realizado o exercício com o VMT Serianecessário que os alunos tivessem um primeiro contato com o programa para entender afunção de cada ferramenta, entender as utilidades de cada janela de trabalho, entre outrasfunções. Feito isso, o aluno seria apresentado ao exercício em questão, analogamente aoque foi realizado utilizando o programa criado na Drexel University.No entanto, para uma questão de ilustração e compreensão do uso desses ambientes, foirealizada entre os dois estudantes envolvidos com projetos de Iniciação Científica sobre oestudo do VMT, uma simulação de como se daria a resolução de um problema queenvolvesse conceitos matemáticos de cálculo e da disciplina Resistência dos Materiais II. Aseguir descrevem-se os resultados dessa simulação.Resultado e DiscussãoNesta parte do relatório, apesar de não termos conseguido aplicar a atividade a um grupo deestudantes do curso de Engenharia Civil, como programado inicialmente, foi realizada umasimulação com o exercício proposto no Google Docs, contando com a colaboração de outroestudante que também está envolvido nesse grupo de pesquisa. Vale lembrar que esteexercício foi aplicado como um teste entre os alunos desta iniciação científica, visandoentender melhor o funcionamento deste ambiente. O primeiro passo foi montar o enunciadona área de trabalho chamado Documento, feito isso, o aluno pode começar a desenvolver oproblema. No início, o aluno apresentou algumas dificuldades de interpretação do problema,dificultando a sua resolução, porém, no decorrer do tempo o aluno conseguiu ter 13
  • 14. VII Jornada de Iniciação Científica - 2011consciência dos objetivos a serem seguidos no exercício, obtendo sucesso na atividade. Asferramentas foram utilizadas de forma correta e, com o apoio do chat, muitas dúvidas sobreo desenvolvimento do exercício puderam ser solucionadas.Pode-se dizer, com convicção, que o ambiente não impede a resolução de um problema. Noentanto, em certos pontos o ambiente deixou a desejar, por exemplo, nas situações onde énecessário inserir uma imagem, cuja operação é feita de forma mais demorada em relaçãoao VMT.Podemos citar, no entanto, um ponto positivo observado pelo aluno que resolveu o exercícioproposto. Trata-se da opção de inserir as equações matemáticas, que segundo o mesmo, oajudaram muito para desenvolver por completo o exercício em questão, podendodemonstrar todas as etapas de cálculo, facilitando até, para que outras pessoas queanalisassem o exercício entendessem o seu desenvolvimento.Esse ponto não era possível no VMT, pois para inserir uma equação no whiteboard eranecessário usar uma linguagem própria do ambiente, ou criar uma equação no word, copiare colar dentro do ambiente do VMT.ConclusãoPode-se perceber que as pessoas estão lutando para que a qualidade no ensino sejaaprimorada cada vez mais, possibilitando que mais pessoas tenham acesso a informaçõesúteis e que ajudem uns aos outros a desenvolver uma sociedade cada vez melhor. Paraque estas informações cheguem às pessoas com maior facilidade, é necessário que hajamais alunos interessados em estudar estes tipos de divulgação do ensino, realizandopesquisas e atividades que promovam o desenvolvimento da educação.Os resultados, infelizmente, não foram como o esperado para esta pesquisa, devido àinterrupção dos criadores do ambiente visando algumas atualizações no VMT.No entanto, podemos falar sobre os pontos positivos que este ambiente pôde mostrar-secapaz de oferecer: Em primeiro lugar seria a facilidade de comunicação entre os usuários doprograma, uma vez que o mesmo possuía uma variedade muito vasta de simbologias eferramentas matemáticas. Outra vantagem que o VMT apresentava era a possibilidade detransferir arquivos de imagens de outros programas como o AutoCAD, Excel e Winplot paraa tela do Whiteboard, fazendo com que as ilustrações facilitassem o entendimento doexercício em discussão. 14
  • 15. Universidade Presbiteriana MackenzieVisando acompanhar a evolução no meio da comunicação de estudantes através dainternet, com ênfase para a parte acadêmica, a empresa mundialmente conhecida, Google,também está atrás de soluções e alternativas para este assunto que vêm mostrando grandeimportância no ramo da educação. Isso pode ser visto através da criação do programaGoogle Docs, que tem utilidade muito similar à do Virtual Math Teams, possuindo algumasdivergências em relação ao outro ambiente virtual de aprendizagem, citado anteriormente.Apesar da incontestável capacidade de atender às exigências de seus usuários, o GoogleDocs ainda necessita de mais alguns testes a serem realizados pelo grupo de orientandos,para que seja possível conhecer o que este programa é capaz de nos oferecer. Isso podesurgir como tema de uma futura pesquisa de iniciação científica, procurando desenvolver umconhecimento ainda maior sobre outros tipos de ambientes virtuais de aprendizagem, o queeles podem influenciar nas atividades do nosso cotidiano, nos benefícios que este ambientepode trazer para os trabalhos acadêmicos, em relação à rapidez e facilidade com que ostrabalhos podem ser executados.Tanto o VMT como o Google Docs apresentaram ótimas ferramentas para solucionarproblemas que envolvam símbolos matemáticos, o que antes era uma barreira, pois acomunicação entre os usuários em um chat era muito limitada. Nestes ambientes, estabarreira não existe, uma vez que estes programas possuem uma gama de ferramentasmuito superior a de outros programas utilizados.1. ReferênciasBEHRENS, Marilda, A. Projetos de aprendizagem colaborativa num paradigma emergente.In: Novas tecnologias e mediação pedagógica.7. ed. Campinas, SP: Papirus, 2003. Acessoem 25/04/2011DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO E DA INDÚSTRIA DEAUTOMAÇÃO DA ESCOLA DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO E ENGENHARIAELÉTRICA. Universidade de Campinas. (2006). Disponível em<http://www.dca.fee.unicamp.br/projects/sapiens/Reports/rf2000/node23.html>. Acesso em23/04/2011.FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS UFBA. (s.d). Disponível em<http://www.contabeis.ufba.br/neadcursos.html>. Acesso em 25/04/2011 15
  • 16. VII Jornada de Iniciação Científica - 2011GOLDBERG, M., SALARI, S. & SWOBODA, P. (1996). World Wide Web – Course Tool: anenvironment for building WWW-based courses. In: Proceedings of the Fifth InternationalWorld Wide Web Conference. Paris, France. Acesso em 24/04/2011.GOOGLE DOCS. Crie e compartilhe seu trabalho on-line com o Google Docs. (2011).Disponível em<https://www.google.com/accounts/ServiceLogin?service=writely&passive=1209600&continue=https://docs.google.com/&followup=https://docs.google.com/&ltmpl=homepage>. Acessoem 25/04/2011SILVEIRA, Márcia, A. da; JOLY, Maria. C. R. A. A tecnologia e o ensino universitário:avaliando perspectivas educacionais. In: JOLY, Maria, C. R. A. A tecnologia no ensino:implicações para a aprendizagem. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002. Acesso em25/03/2011THE MATH FORUM @ DREXEL. (2011). Disponível em <http://mathforum.org/index.html>.Acesso em 20/04/2011TELEDUC Educação a distância. (2006). Disponível em<http://www.teleduc.org.br/pagina/apresentacao/>. Acesso em 23/04/2011.Contato: fbmssk@gmail.com e gisela.gomes@mackenzie.br 16