Apresentação final matec iii

631 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
631
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • O vidro é composto por areia, calcário, barrilha, alumina e corantes ou descorantes
  • Apresentação final matec iii

    1. 1. ANÁLISE DE ELEMENTOSCONSTRUTIVOSFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    2. 2. BLOCOS CERÂMICOSFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    3. 3. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioOs blocos cerâmicos (ou tijolos) são componentes básicos de qualquerconstrução de alvenaria, tanto de vedação como estrutural. São compostos basicamente deargila, que após umidificada para a modelagem da peça, deve ser secada e posteriormentequeimada em altas temperaturas. A qualidade do produto final está intimamente relacionada àqualidade da argila empregada e ao processo de produção.Principais vantagens: Abundância de argila do Brasil;Facilidade de fabricação;Praticidade de mão de obra;Grande durabilidade.
    4. 4. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioBLOCOS DE VEDAÇÃOSão aqueles destinados à execução de paredesque suportarão apenas o peso próprio e pequenascargas de ocupação (armários, pias, lavatórios,etc).Geralmente são utilizados com os furos nosentido horizontal.
    5. 5. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioBLOCOS ESTRUTURAISSão aqueles que além de exercerem a função devedação, também exercem papel estrutural nasparedes, substituindo assim pilares e vigas.São utilizados sempre com os furos nosentido vertical.
    6. 6. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioASSENTAMENTOOs blocos devem ser dispostos de modo que seus orifícios estejam direcionadosverticalmente, colocando-se argamassa nas juntas com o auxílio de uma régua, para que estesorifícios se mantenham todos alinhados.Em virtude deste espaçamento interior dos blocos, as paredes ficam mais leves eadquirem melhores propriedades de isolamento acústico e térmico.
    7. 7. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioUtilizando-se ainda do espaçamento interno dos blocos, podem ser inseridas a fiação etubulação de água ou gás. Se houver necessidade, também podem ser utilizadas vigas embutidas,vergas e contra-vergas (geralmente nas esquadrias).
    8. 8. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioACABAMENTOParedes de blocos cerâmicos podem receber diretamente reboco ou gesso para oacabamento, ou mesmo utilizar-se da alvenaria aparente. Com isso, consegue-se paredes maisesbeltas, tanto interiores quanto exteriores.
    9. 9. REVESTIMENTOS CERÂMICOSFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    10. 10. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioOs revestimentos cerâmicos podem ser aplicados tanto em ambientes internos(paredes, pisos, lareiras, etc) quanto externos (churrasqueiras, piscinas, saunas, etc).Principais vantagens: Baixo custo de manutenção;Boa resistência à abrasão;Grande versatibilidade;Grande durabilidade.
    11. 11. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioPAREDESA versatibilidade das peças de revestimento cerâmico permitem a escolha de peças detodos os tamanhos, formatos e cores, e possibilita até a constituição de murais e painéis.Revestimento em porcelanato (externo) Revestimento em porcelanato (interno)
    12. 12. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioPainel de azulejos (Portinari) Painel de azulejos pintados a mão
    13. 13. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioPISOSA versatibilidade também se dá nos pisos, aonde podem ser usados tanto em ambientesinternos (geralmente de superfície lisa com possibilidade a imitar pedras nobres) ou externos(geralmente de cerâmica rústica).Piso de cerâmica rústica (externo) Piso de superfície lisa (interno)
    14. 14. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioPiso em porcelanato (área interna) Piso em porcelanato (mosaico)
    15. 15. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioAPLICAÇÕES ESPECÍFICASExistem revestimentos cerâmicos próprios para ambientes específicos, como os decerâmica de alto tráfego, que apresentam maior resistência e são geralmente usados em locaismovimentados; ou que apresentam melhor desempenho em ambientes úmidos, como banheiros,piscinas ou cozinhas.Bancada de azulejos cerâmicos Piso cerâmico de alto tráfego
    16. 16. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioCerâmica de área úmida (banheiro) Azulejo cerâmico de piscina
    17. 17. Telhas CerâmicasTelhas CerâmicasQuando usadas em lugares com fortes ventos ouQuando usadas em lugares com fortes ventos outerremotos devem ser amarradas ou fixadasterremotos devem ser amarradas ou fixadasFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    18. 18.  Telhas FrancesaTelhas FrancesaCores : Terracota, Bordô,Cores : Terracota, Bordô,Grafite Satin, Caramelo,Grafite Satin, Caramelo,Platina SatinPlatina SatinPeso por telhaPeso por telha 2.750kg2.750kgQuantidade p/ m2Quantidade p/ m2 16 telhas16 telhasInclinaçãoInclinação 30 a 45%30 a 45%DimensõesDimensões 24,50x40,5024,50x40,50FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    19. 19. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    20. 20.  Telha RomanaTelha RomanaQuadradaQuadradaCores: Caramelo, Pinhão,Cores: Caramelo, Pinhão,Bordô, Marrom, Grafite,Bordô, Marrom, Grafite,Creme, Preto Fosco,Creme, Preto Fosco,Terracota, etcTerracota, etcPeso por telhaPeso por telha 2.600 kg2.600 kgQuantidade porQuantidade porm2m216 telhas16 telhasInclinaçãoInclinação 35 à 45 %35 à 45 %CumeeirasCumeeiras 3 telhas p/ metro3 telhas p/ metrolinearlinearTerminal LateralTerminal Lateral 3 telhas p/ metro3 telhas p/ metrolinearlinearFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    21. 21. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    22. 22.  Telha RomanaTelha RomanaRedondaRedondaCores: Caramelo, Pinhão,Cores: Caramelo, Pinhão,Bordô, Marrom, Grafite,Bordô, Marrom, Grafite,Cinza, Preto Fosco,Cinza, Preto Fosco,Terracota, etcTerracota, etcPeso por telhaPeso por telha 2.600 kg2.600 kgQuantidade por m2Quantidade por m2 16 telhas16 telhasInclinaçãoInclinação 35 à 45 %35 à 45 %CumeeirasCumeeiras 3 telhas p/ metro3 telhas p/ metrolinearlinearTerminal LateralTerminal Lateral 3 telhas p/ metro3 telhas p/ metrolinearlinearFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    23. 23. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    24. 24.  Telha PortuguesaTelha PortuguesaCores: Caramelo, Pinhão,Cores: Caramelo, Pinhão,Bordô, Marrom, Grafite,Bordô, Marrom, Grafite,Cinza, Preto Fosco,Cinza, Preto Fosco,Terracota, etcTerracota, etc Peso por telhaPeso por telha 2.650kg2.650kgQuantidade p/Quantidade p/m2m215 telhas15 telhasInclinaçãoInclinação 30 a 45%30 a 45%DimensõesDimensões 22x41 cm22x41 cmFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    25. 25. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    26. 26.  Telha HolandesaTelha HolandesaCores: Caramelo, Pinhão,Cores: Caramelo, Pinhão,Bordô, Grafite, Azul, PretoBordô, Grafite, Azul, PretoFosco, Terracota, etcFosco, Terracota, etcPeso por telhaPeso por telha 2.750kg2.750kgQuantidade p/ m2Quantidade p/ m2 16 telhas16 telhasInclinaçãoInclinação 30 a 45%30 a 45%DimensõesDimensões 24,50x40,50 cm24,50x40,50 cmFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    27. 27. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    28. 28.  Telha GermânicaTelha GermânicaCores: Caramelo, Pinhão,Cores: Caramelo, Pinhão,Bordô, Grafite, Azul, Verde,Bordô, Grafite, Azul, Verde,Cinza, Terracota, etcCinza, Terracota, etcPeso por telhaPeso por telha 1.350kg1.350kgQuantidade p/ m2Quantidade p/ m2 33 telhas33 telhasInclinaçãoInclinação 36 a 50%36 a 50%DimensõesDimensões 20x36 cm20x36 cmFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    29. 29. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    30. 30.  Telha UruguaiaTelha UruguaiaCores: Marrom, Pinhão,Cores: Marrom, Pinhão,Bordô, Grafite, Preto FoscoBordô, Grafite, Preto FoscoPeso por telhaPeso por telha 1.300kg1.300kgQuantidade p/ m2Quantidade p/ m2 36 telhas36 telhasInclinaçãoInclinação 36 a 50%36 a 50%DimensõesDimensões 20x33 cm20x33 cmFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    31. 31. FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    32. 32.  Telhas de VidroTelhas de Vidro Não sofrem o efeito da corrosão;Não sofrem o efeito da corrosão; São leves e de fácil manuseio;São leves e de fácil manuseio; São resistentes e duráveis;São resistentes e duráveis; Há diversos modelos disponíveis para escolha,Há diversos modelos disponíveis para escolha,entre eles: Romana, Paulista e Colonial;entre eles: Romana, Paulista e Colonial; Proporcionam economia no consumo de energiaProporcionam economia no consumo de energiaelétrica;elétrica; Requerem baixa manutenção durante sua vidaRequerem baixa manutenção durante sua vidaútil.útil.FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    33. 33. Telha PortuguesaTelha RomanaTelha ItalianaFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    34. 34. MADEIRASFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    35. 35. Principais CaracterísticasFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioDurabilidadeResistênciaVariedadeVersatilidadeFácil ManuseioFácilManutençãoBelezaConfortoAspectos PositivosReposiçãoUmidadeManutenção ConstanteFalta de Mão-de-Obra QualificadaFornecedoresDesmatamentoCombustãoPragasAspectos NegativosPreço
    36. 36. Formas Comercializadas:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS-Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioMadeira Maciça Madeira Industrializada
    37. 37. MADEIRA MACIÇA:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioMaior Resistência aEsforçosMaior durabilidadeVersatilidadeMaior Resistência a umidade
    38. 38. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioESTRUTURAS
    39. 39. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioESTRUTURAS
    40. 40. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioESTRUTURAS
    41. 41. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioESTRUTURAS
    42. 42. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioVEDAÇÕES
    43. 43. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioVEDAÇÕES
    44. 44. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioTELHADOS
    45. 45. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioTELHADOS
    46. 46. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioTELHADOS
    47. 47. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioFORROS
    48. 48. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioFORROS
    49. 49. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioPISOSAssoalho ouTábua CorridaTaco Parquet
    50. 50. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioASSOALHO OU TÁBUA CORRIDA
    51. 51. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioTACO, TACÃO OU TACOPALITO
    52. 52. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioPARQUET
    53. 53. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioESCADAS
    54. 54. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioESCADAS
    55. 55. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioPERGOLADOS
    56. 56. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioDEQUES
    57. 57. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioDORMENTES
    58. 58. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioMÓVEIS
    59. 59. MADEIRA MACIÇA - APLICAÇÕES:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioCAIXILHOS
    60. 60. MADEIRA INDUSTRIALIZADA:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioPadronização nas MedidasFacilidade de compraTons uniformesFácil reposiçãoVariedadeVersatilidadeMenor impacto à naturezaImunizadas
    61. 61. MADEIRA INDUSTRIALIZADA:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioMDF Compensado Laminado
    62. 62. MADEIRA INDUSTRIALIZADA:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioMadeiritOSB Aglomerado
    63. 63. MADEIRA INDUSTRIALIZADA:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioMóveis com Revestimento Laminado
    64. 64. MADEIRA INDUSTRIALIZADA:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioMóveis com Revestimento Laminado
    65. 65. MADEIRA INDUSTRIALIZADA:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioPlacas de Revestimento nas Paredes
    66. 66. MADEIRA INDUSTRIALIZADA:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago NicácioPiso Laminado, Carpete de Madeira ou Piso Composto
    67. 67. Tintas e VernizesTintas e VernizesFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    68. 68. Componentes/CaracterísticasComponentes/CaracterísticasAs tintas são compostas por quatro categorias deAs tintas são compostas por quatro categorias decomponentes:componentes:pigmentos,pigmentos,ligantes,ligantes,líquidoslíquidos eeaditivos.aditivos.Como uma regra geral, quanto maior a quantidade deComo uma regra geral, quanto maior a quantidade depigmento e ligante, melhor será a qualidade da tinta.pigmento e ligante, melhor será a qualidade da tinta.FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    69. 69. As características de resistência sãoAs características de resistência sãocondicionadas pela qualidade da tintacondicionadas pela qualidade da tintaTintas em interiores:Tintas em interiores:Maior grau de adesão<Maior grau de adesão< >> resistência àresistência àumidade, descascamento e formação de bolhasumidade, descascamento e formação de bolhasResistência a manchas< >Resistência a manchas< > não absorvenão absorvesujeira e apresenta facilidade na limpezasujeira e apresenta facilidade na limpezaFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    70. 70. Tintas em exterioresTintas em exterioresResistência a calcinaçãoResistência a calcinação < > menor< > menordesbotamento e baixa taxa de erosãodesbotamento e baixa taxa de erosãoResistência a (mofo) bolor e algasResistência a (mofo) bolor e algas < > impede< > impedeo crescimento de fungos e algaso crescimento de fungos e algasResistência alcalinaResistência alcalina < > resiste a< > resiste adeteriorização em alvenaria frescadeteriorização em alvenaria frescaResistência a sujeira < >Resistência a sujeira < > não aderêncianão aderênciade partículas em suspensão no arde partículas em suspensão no arFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    71. 71. Tinta acrílicaTinta acrílicaÉ razoavelmente impermeável paraÉ razoavelmente impermeável paraambientes externos e suportaambientes externos e suportalavagens em ambientes internos.lavagens em ambientes internos.Melhores usos em :Melhores usos em : fachadas e muros, piso cimentado efachadas e muros, piso cimentado ecerâmico interno e externo, parede decerâmico interno e externo, parede dealvenaria e superfícies de gesso emalvenaria e superfícies de gesso emgeral.geral.FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    72. 72. Tinta Látex PVATinta Látex PVATem como atrativos o fato de serTem como atrativos o fato de sersolúvel em água, o preço baixo e asolúvel em água, o preço baixo e asecagem rápida.secagem rápida.Melhores usos em:Melhores usos em: fachadas e muros de alvenaria,fachadas e muros de alvenaria,paredes internas e superfícies deparedes internas e superfícies degesso.gesso.FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    73. 73. SiliconeSiliconeÉ um hidrorrepelenteÉ um hidrorrepelente.. Sua principalSua principalcaracterística é a aderência completacaracterística é a aderência completaonde é aplicado e protege a superfícieonde é aplicado e protege a superfícieda água e da sujeira sem deixar umada água e da sujeira sem deixar umacamada visível.camada visível.Melhores usos em:Melhores usos em:Fachadas e muros de tijolo aparente eFachadas e muros de tijolo aparente esuperfícies de vidro (vedação)superfícies de vidro (vedação)FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    74. 74. Esmalte EpóxiEsmalte EpóxiBrilhante e resistente cria uma camada queBrilhante e resistente cria uma camada quesuporta bem:suporta bem:Umidade atrito sujeiraUmidade atrito sujeiraMelhores usos em:Melhores usos em: pisos cimentados cerâmicos internos episos cimentados cerâmicos internos eexternos e azulejos de cozinha e banheiro.externos e azulejos de cozinha e banheiro.FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    75. 75. Esmalte sintéticoEsmalte sintéticoO esmalte deixa a cobertura lisa eO esmalte deixa a cobertura lisa ecolorida, seca rápido, resiste ao sol ecolorida, seca rápido, resiste ao sol echuva e não acumula sujeira, funcionachuva e não acumula sujeira, funcionacom solvente do tipo aguarrás, mas jácom solvente do tipo aguarrás, mas jáexistem esmaltes a base de água.existem esmaltes a base de água.Melhores usos em:Melhores usos em: Portas, portões e esquadrias dePortas, portões e esquadrias demadeira, ferro e alumínio.madeira, ferro e alumínio.FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    76. 76. StainStainÉ indicado para acabamentos emÉ indicado para acabamentos emáreas externas. Penetra na madeiraáreas externas. Penetra na madeirasem formar uma película suscetível aosem formar uma película suscetível aodescascamento.descascamento.Melhores usos em:Melhores usos em: portas, portões, esquadrias e dequesportas, portões, esquadrias e dequesde madeira.de madeira.FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    77. 77. VernizVernizForma uma película que protege aForma uma película que protege amadeira. Há opções com fungicidas emadeira. Há opções com fungicidas efiltro solar, mais indicadas para uso emfiltro solar, mais indicadas para uso empartes externas, janelas e varandas.partes externas, janelas e varandas.Melhores usos em:Melhores usos em: portas portões e esquadrias deportas portões e esquadrias demadeiramadeiraFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    78. 78. VidrosVidrosFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    79. 79. Atributos:Atributos: Transparência;Transparência; InerteInerte (não reage quimicamente);(não reage quimicamente); PraticidadePraticidade (garante a possibilidade de renovação constante do design) ;(garante a possibilidade de renovação constante do design) ; DinâmicoDinâmico (permite uma possibilidade enorme de combinações na transformação do vidro(permite uma possibilidade enorme de combinações na transformação do vidrooriginal) ;original) ; ReutilizávelReutilizável (fabricado com elementos naturais) ;(fabricado com elementos naturais) ; HigiênicoHigiênico (por ser neutro não há alteração de cor, sabor, odor, forma ou qualidade no que(por ser neutro não há alteração de cor, sabor, odor, forma ou qualidade no queestá em seu contato);está em seu contato); ImpermeávelImpermeável (Por não ser poroso, funciona como uma barreira contra qualquer(Por não ser poroso, funciona como uma barreira contra qualqueragente exterior);agente exterior); VersátilVersátil (diversas formas, cores e tamanhos);(diversas formas, cores e tamanhos); ReciclávelReciclável (o vidro pode ser reciclado infinitamente, sem perda de qualidade ou pureza(o vidro pode ser reciclado infinitamente, sem perda de qualidade ou purezado produto) .do produto) .FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    80. 80. Tipos de Vidros:Tipos de Vidros:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    81. 81. Existem vários tipos de vidro fabricados no mercadoExistem vários tipos de vidro fabricados no mercadomundial. São vidros criados para atender diversasmundial. São vidros criados para atender diversasnecessidades que podem variar quanto a custo,necessidades que podem variar quanto a custo,quantidade e praticidade.quantidade e praticidade.Dentre eles podemos citar:Dentre eles podemos citar: Vidro baixo-emissivo, curvo, extra - clear , MonolíticoVidro baixo-emissivo, curvo, extra - clear , Monolítico(plano), impresso, serigrafado, aramado, autolimpante(plano), impresso, serigrafado, aramado, autolimpantebisotado.bisotado.E os mais utilizados:E os mais utilizados:FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    82. 82. Vidro anti-reflexoVidro anti-reflexoÉ ideal para ser aplicado onde se deseja eliminarÉ ideal para ser aplicado onde se deseja eliminarreflexos luminosos.reflexos luminosos. Pode ser aplicado em quadrosPode ser aplicado em quadrosde parede e painéis.de parede e painéis.FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    83. 83. Vidro aramadoVidro aramadoÉ um vidro impresso um pouco diferente dos outros,É um vidro impresso um pouco diferente dos outros,pois possui uma rede metálica de malha quadriculadapois possui uma rede metálica de malha quadriculadaincorporada à massa do vidro. É versátil e pode estarincorporada à massa do vidro. É versátil e pode estarem coberturas, divisórias, guarda-corpo, móveis,em coberturas, divisórias, guarda-corpo, móveis,tampos, etc.tampos, etc.FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    84. 84. Vidro blindadoVidro blindadoResistente a balas, éResistente a balas, éo vidro desenvolvido parao vidro desenvolvido paraproteção contra disparosproteção contra disparosde armas de fogo oude armas de fogo ouobjetos lançados contraobjetos lançados contraele.ele. Para se obterPara se obteruma resistência maior,uma resistência maior,sem que seja necessáriasem que seja necessáriaa utilização de vidrosa utilização de vidrosmuito espessos, é comummuito espessos, é comumo uso de uma ou maiso uso de uma ou maiscamadas decamadas depolicarbonato.policarbonato.FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    85. 85. Vidro duploVidro duploApresenta excelenteApresenta excelentedesempenho térmico (controladesempenho térmico (controlaa entrada de calor e luz), bema entrada de calor e luz), bemcomo para a redução decomo para a redução deruídos indesejáveis.ruídos indesejáveis.É ideal para fachadas,É ideal para fachadas,divisórias, coberturas, etc.divisórias, coberturas, etc.FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    86. 86. Vidro jateadoVidro jateadoÉ possível reproduzirÉ possível reproduzirdesenhos, fotos e figurasdesenhos, fotos e figurasestampadas na superfícieestampadas na superfíciedo vidro. Além disso, eledo vidro. Além disso, elepermite certa privacidadepermite certa privacidadeao ambiente, pois o vidroao ambiente, pois o vidropode ser totalmentepode ser totalmenteopaco.opaco.FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    87. 87. Vidro laminadoVidro laminadoÉ uma espécie de sanduíche de vidros, ou seja,É uma espécie de sanduíche de vidros, ou seja,duas ou mais placas de vidro são unidas por umaduas ou mais placas de vidro são unidas por umacamada intermediária de polivinil butiral (PVB) ou resina.camada intermediária de polivinil butiral (PVB) ou resina.Em caso de quebra, é nessa camada intermediária queEm caso de quebra, é nessa camada intermediária queos cacos ficam presos, dando ao produto aos cacos ficam presos, dando ao produto acaracterística de segurança.característica de segurança.FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    88. 88. Vidro para piscina e aquárioVidro para piscina e aquárioÉ preciso analisar aÉ preciso analisar apressão hidrostática de cadapressão hidrostática de cadaprojeto para avaliar aprojeto para avaliar acomposição ideal dos vidroscomposição ideal dos vidrosdestinados à piscina oudestinados à piscina ouaquário. Geralmente, sãoaquário. Geralmente, sãoespecificados um conjuntoespecificados um conjuntocomposto de pelo menos trêscomposto de pelo menos trêschapas de laminados.chapas de laminados.Também é possível combinarTambém é possível combinaresse conjunto com algumasesse conjunto com algumaslâminas de temperado, maslâminas de temperado, masnunca ele sozinho.nunca ele sozinho.FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    89. 89. Vidro refletivoVidro refletivoSão chamados,São chamados,popularmente, de espelhados..popularmente, de espelhados..É um vidro com desempenhoÉ um vidro com desempenhoenergético, ou seja, é capazenergético, ou seja, é capazde melhorar ode melhorar odimensionamento do ar-dimensionamento do ar-condicionado e interferir nocondicionado e interferir nograu de transmissão luminosagrau de transmissão luminosae de calore de calorpara dentropara dentrodo ambiente.do ambiente.FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    90. 90. Vidro temperadoVidro temperadoÉ um vidro que duranteÉ um vidro que durantesua produção, passa porsua produção, passa porum processo deum processo detemperatura especial,temperatura especial,recebendo fortes jatos derecebendo fortes jatos dear direcionados em toda aar direcionados em toda asuperfície. A vantagem ésuperfície. A vantagem éque o produto ficaque o produto ficamecanicamente maismecanicamente maisresistente, menos sujeitoresistente, menos sujeitoa lascação. É muitoa lascação. É muitoutilizado na construçãoutilizado na construçãocivil, indústria automotivacivil, indústria automotivae recentemente, nae recentemente, nadecoração. É também odecoração. É também oúnico vidro que pode serúnico vidro que pode seraplicado como porta semaplicado como porta sema utilização de caixilhos.a utilização de caixilhos.FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    91. 91. Aplicações do vidro na arquiteturaAplicações do vidro na arquiteturaFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    92. 92. O vidro pode ser usado de inúmeras formas naO vidro pode ser usado de inúmeras formas naarquitetura. Pode ser usado:arquitetura. Pode ser usado: revestimento;revestimento; vedação;vedação; acabamento;acabamento;Alguns exemplos de seu uso são: em paredes,Alguns exemplos de seu uso são: em paredes,coberturas, pisos, janelas, boxes, móveis etc.coberturas, pisos, janelas, boxes, móveis etc.FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    93. 93. Coberturas de vidroFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    94. 94. Paredes de vidroFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    95. 95. PisosFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    96. 96. RevestimentosFACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio
    97. 97.  BIBLIOGRAFIA:BIBLIOGRAFIA:Consulta aos trabalhos da turma E (404)Consulta aos trabalhos da turma E (404)Internet :Internet : www.incepa.com.brwww.incepa.com.br ,, www.cecrisa.com.brwww.cecrisa.com.br,,http://www.eesc.sc.usp.br/sap/docentes/sichieri/ceramica/index.htmhttp://www.eesc.sc.usp.br/sap/docentes/sichieri/ceramica/index.htmGrupo de Pesquisa ArqTeMa - Arquitetura, Tecnologia e MateriaisGrupo de Pesquisa ArqTeMa - Arquitetura, Tecnologia e MateriaisDepartamento de Arquitetura e UrbanismoDepartamento de Arquitetura e UrbanismoEscola de Engenharia de São Carlos - EESC-USPEscola de Engenharia de São Carlos - EESC-USPhttp://www.eesc.usp.br/sap/docentes/sichieri/ceramica/index.htm#http://www.eesc.usp.br/sap/docentes/sichieri/ceramica/index.htm#http://www.revestir.com.br/ceramicas/ceramicas_Mar_03/ceramicas_Fev_03/Ceramichttp://www.revestir.com.br/ceramicas/ceramicas_Mar_03/ceramicas_Fev_03/Ceramichttp://www.nardiniceramica.com.br/pgm/default.asp?sec=18http://www.nardiniceramica.com.br/pgm/default.asp?sec=18http://www.depositoideal.com.br/revestimento_dicas.htm#Índice%20PEIhttp://www.depositoideal.com.br/revestimento_dicas.htm#Índice%20PEIhttp://www.ipt.br/atividades/servicos/chat/?ARQ=41http://www.ipt.br/atividades/servicos/chat/?ARQ=41FACULDADE DE ARQUITETURA MACKENZIE – MATEC III-ELEMENTOS CONSTRUTIVOS -Carlos Augusto – Fernando Daltro – Marcelo Veiga – Rodrigo Araújo – Tiago Nicácio

    ×