Movimento Pau-Brasil,Primeira Geração do Modernismo Brasileiro               Manoel Neves
LINHAS GERAIS       primeira geração do modernismo brasileirofase iconoclasta: quer romper com o passado literário-cultura...
AS REVISTAS                 primeira geração do modernismo brasileiro                                   quando surgem?A Se...
OS MOVIMENTOS                 primeira geração do modernismo brasileiro                                     como surgem?Em...
A POESIA PAU-BRASIL, 1924primeira geração do modernismo brasileiro
LINHAS GERAIS            a poesia pau-brasil, 1924           poesia: produto de exportação;    revisão crítica do passado ...
O MANIFESTO [fragmentos]                               a poesia pau-brasil, 1924O Carnaval. O Sertão e a Favela. Pau-Brasi...
OS SELVAGENS                             Oswald de Andrade                            Mostraram-lhes uma galinha          ...
PAÍS DO OURO                               Oswald de Andrade                                Todos têm remédio de vida     ...
SENHOR FEUDAL                  Oswald de Andrade                       Se Pedro Segundo                            Vier aq...
PRONOMINAIS                           Oswald de Andrade                                 Dê-me um cigarro                  ...
POBRE ALIMÁRIA            Oswald de Andrade                 O cavalo e a carroça           Estavam atravancados no trilho ...
03 DE MAIO                               Oswald de Andrade                                Todos têm remédio de vida       ...
RELICÁRIO                               Oswald de Andrade                                     No baile da Corte           ...
ERRO DE PORTUGUÊS                             Oswald de Andrade                             Quando o português chegou     ...
O CAPOEIRA             Oswald de Andrade               – Qué apanhá, sordado?                       – O quê?              ...
ESCAPULÁRIO                Oswald de Andrade                      No Pão de Açúcar                         de cada dia    ...
Tarsila do Amaral: Favela. Disponível em: http://paisagensnaartebrasileira.pbworks.com/
Tarsila do Amaral: O mamoeiro. Disponível em: http://www.bbc.co.uk/portuguese/especial/539_tarsila/page4.shtml
Tarsila do Amaral: Estrada de ferro Central do Brasil. Disponível em: http://www.bbc.co.uk/portuguese/
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Movimento pau brasil

3,882

Published on

1 Comment
2 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
3,882
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Movimento pau brasil

  1. 1. Movimento Pau-Brasil,Primeira Geração do Modernismo Brasileiro Manoel Neves
  2. 2. LINHAS GERAIS primeira geração do modernismo brasileirofase iconoclasta: quer romper com o passado literário-cultural; anarquismo: “não sabemos o que queremos”; eleição do moderno como um valor em si mesmo; busca de originalidade a qualquer preço; luta contra o tradicionalismo; juízos de valor sobre a realidade brasileira; valorização poética do cotidiano; nacionalismo xenófobo e intransigente.
  3. 3. AS REVISTAS primeira geração do modernismo brasileiro quando surgem?A Semana de Arte Moderna congregou os autores que queriam algo diferente do que aliteratura vinha produzindo. As revistas reúnem intelectuais com afinidades estético-ideológicas. como operam?Tal qual ocorria nas Vanguardas Europeias, os artistas se reúnem, publicam manifestos e põemem prática seus conceitos por intermédio de obras estéticas de várias naturezas. para que servem?Se a Semana de Arte Moderna serviu para congregar os “modernistas”, as revistas vão reunir osartistas por afinidade estético-ideológicas e alavancar o chamado movimento modernista.
  4. 4. OS MOVIMENTOS primeira geração do modernismo brasileiro como surgem?Em torno das revistas, reúnem-se escritores e pintores que têm afinidades estéticas. o que fazem?Usam as revistas como veículo de divulgação das ideias [vide o que acontece com a Revista deAntropofagia] e de obras icônicas e verbais. quais são os mais importantes?Teoricamente, pode-se dividir os movimentos modernistas em dois grandes grupos – osnacionalistas ufanistas [Anta e verde-amarelo] e os nacionalistas críticos [Pau-Brasil eAntropofagia]. Mário de Andrade [desvairismo] e Manuel Bandeira, apesar de excessivamenteimportantes neste primeiro momento do modernismo, não se aliam aos quatro grandes gruposmais representativos.
  5. 5. A POESIA PAU-BRASIL, 1924primeira geração do modernismo brasileiro
  6. 6. LINHAS GERAIS a poesia pau-brasil, 1924 poesia: produto de exportação; revisão crítica do passado histórico cultural;coloquialismo, síntese e oralidade: língua brasileira; base dupla: primitivo x moderno; digestão e devoração cultural; flash cinematográfico; primitivismo crítico; crítica ao academicismo e à colonização.
  7. 7. O MANIFESTO [fragmentos] a poesia pau-brasil, 1924O Carnaval. O Sertão e a Favela. Pau-Brasil. Bárbaro e nosso.A formação étnica rica. A riqueza vegetal. O minério. A cozinha. O vatapá, o ouro e a dança.Contra a fatalidade do primeiro branco aportando e dominando diplomaticamente as selvasselvagens. Citando Virgílio para tupiniquins. O bacharel.País de dores anônimas. De doutores anônimos. Sociedade de náufragos eruditos.Donde nunca a exportação de poesia. A poesia emaranhada na cultura. Nos cipós dasmetrificações.A língua sem arcaísmos. Sem erudição. Natural e neológica. A contribuição milionária de todosos erros.Contra a argúcia naturalista, a síntese. Contra a cópia, a invenção e a surpresa.Bárbaros, pitorescos e crédulos. Pau-Brasil. A floresta e a escola. A cozinha, o minério e a dança.A vegetação. Pau-Brasil.
  8. 8. OS SELVAGENS Oswald de Andrade Mostraram-lhes uma galinha Quase haviam medo dela E não queriam pôr a mão. Depois a tomaram como espantados aspectos temáticos: revisão crítica do passado histórico-cultural; primitivismo;aspectos formais: versos livres e brancos; bricolagem da Carta, de Pero Vaz de Caminha.
  9. 9. PAÍS DO OURO Oswald de Andrade Todos têm remédio de vida E nenhum pobre anda pelas portas A mendigar como nestes Reinos aspectos temáticos: revisão crítica do passado histórico-cultural: crítica à colonização;aspectos formais: versos livres e brancos; apropriação do discurso do europeu: bricolagem.
  10. 10. SENHOR FEUDAL Oswald de Andrade Se Pedro Segundo Vier aqui Com história Eu boto ele na cadeiaaspectos temáticos: revisão crítica do passado histórico-cultural; aspectos formais: versos livres e brancos; oralidade.
  11. 11. PRONOMINAIS Oswald de Andrade Dê-me um cigarro Diz a gramática Do professor e do aluno E do mulato sabido Mas o bom negro e o bom branco Da Nação Brasileira Dizem todos os dias Deixa disso camarada Me dá um cigarroaspectos temáticos: defesa de uma língua brasileira: simples, coloquial e sintética; aspectos formais: versos livres e brancos; oralidade.
  12. 12. POBRE ALIMÁRIA Oswald de Andrade O cavalo e a carroça Estavam atravancados no trilho E como o motorneiro se impacientasse Porque levava os advogados para os escritórios Desatravancaram o veículo E o animal disparou Mas o lesto carroceiro Trepou na boleia E castigou o fugitivo atrelado Com um grandioso chicoteaspectos temáticos: base dupla [primitivo x moderno] aspectos formais: versos livres e brancos; oralidade.
  13. 13. 03 DE MAIO Oswald de Andrade Todos têm remédio de vida E nenhum pobre anda pelas portas A mendigar como nestes Reinos aspectos temáticos: revisão crítica do passado histórico-cultural: crítica à colonização;aspectos formais: versos livres e brancos; apropriação do discurso do europeu: bricolagem.
  14. 14. RELICÁRIO Oswald de Andrade No baile da Corte Foi o Conde d’Eu quem disse Pra Dona Benvinda Que farinha de Suruí Pinga de Parati Fumo de Baependi É comê bebê pitá e caí.aspectos temáticos: revisão crítica do passado histórico-cultural; defesa da cultura popular; aspectos formais: versos livres e brancos; oralidade.
  15. 15. ERRO DE PORTUGUÊS Oswald de Andrade Quando o português chegou Debaixo de uma bruta chuva Vestiu o índio Que pena! Fosse uma manhã de sol O índio tinha despido O portuguêsaspectos temáticos: revisão crítica do passado histórico-cultural; primitivismo crítico; aspectos formais: versos livres e brancos.
  16. 16. O CAPOEIRA Oswald de Andrade – Qué apanhá, sordado? – O quê? – Qué apanhá? – Pernas e cabeças na calçada. aspectos temáticos: flash cinematográfico;aspectos formais: língua brasileira; síntese; metonímias.
  17. 17. ESCAPULÁRIO Oswald de Andrade No Pão de Açúcar de cada dia Dai-nos, Senhor a poesia de cada diaaspectos temáticos: apropriação paródica do discurso europeu; aspectos formais: metalinguagem e intertextualidade.
  18. 18. Tarsila do Amaral: Favela. Disponível em: http://paisagensnaartebrasileira.pbworks.com/
  19. 19. Tarsila do Amaral: O mamoeiro. Disponível em: http://www.bbc.co.uk/portuguese/especial/539_tarsila/page4.shtml
  20. 20. Tarsila do Amaral: Estrada de ferro Central do Brasil. Disponível em: http://www.bbc.co.uk/portuguese/

×