Your SlideShare is downloading. ×
Learning Design
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Learning Design

2,199
views

Published on

Learning Design: ensinando a planejar e a construir o aprendizado

Learning Design: ensinando a planejar e a construir o aprendizado

Published in: Education, Technology

0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,199
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
143
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • Transcript

    • 1. Learning Design Ensinando a planejar e construir o aprendizado Luiz Augusto Matos da Silva Salvador, 2007 Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons .
    • 2. Organização do estudo
      • Motivação
      • Trabalhos relacionados
      • O modelo conceitual
        • Learning Design (LD)
        • Unidades de aprendizagem
        • Especificação
        • Níveis semânticos
        • Estrutura
      • LD x outros padrões
      • Estado da arte e Desafios
      • Links oficiais
      • Fontes de pesquisa
    • 3. Motivação
      • A realização do processo de ensino-aprendizagem, com base na Internet, tem tido foco no conteúdo.
      • Mesmo prevalecendo um ambiente caracterizado pela colaboração e construção do conhecimento, existe a carência de uma metodologia que considere o processo como um todo.
      • Como expressar, em um único contexto, o planejamento, implementação e execução de um curso virtual?
    • 4. Trabalhos relacionados
      • Objetos de Aprendizagem
      • São componentes educacionais construídos de forma a serem reutilizados em diferentes domínios.
      • Educational Modelling Language (EML)
      • Busca oferecer suporte às novas demandas da aprendizagem, por exemplo, um novo estilo de aprender, independente de tempo e lugar. Base conceitual da especificação do Learning Design.
    • 5. O modelo conceitual
      • - Learning Design (LD)
      • Consiste na aplicação de um modelo pedagógico em um objetivo de aprendizagem, público alvo e domínio específicos.
      • Define sobre quais condições e que atividades devem ser executadas por alunos e professores, a fim de alcançar seus objetivos.
      • Desenvolve uma notação abstrata e suficientemente geral para representar as estruturas comuns dos diversos modelos pedagógicos existentes.
    • 6. O modelo conceitual
      • - Unidades de aprendizagem ( unit of learning )
      • Representam as atividades e o suporte às tarefas que são executadas por diferentes pessoas (aluno, professor).
      • Uma Unidade de Aprendizagem é vista como um curso, um workshop, uma lição, etc que pode ser instanciada e reusada várias vezes em um ambiente on-line.
      • Não se resume apenas aos recursos ou sua catalogação, deve sempre incorporar uma metodologia.
    • 7. O modelo conceitual
      • - Especificação
      • Fornece um arcabouço ( framework ) de elementos que usam e integram as especificações existentes, e representam o processo de ensino-aprendizagem de uma maneira formal.
      • O LD é um padrão aberto internacional, mantido pelo IMS, que fornece um contexto pedagógico aos Objetos de Aprendizagem.
    • 8. O modelo conceitual
      • - Especificação
      • Requisitos específicos:
      • Completude : descrever completamente o processo de ensino-aprendizagem em uma Unidade de Aprendizagem.
      • Flexibilidade pedagógica : expressar o significado pedagógico e funcionalidades dos diferentes elementos de dados, sem seguir tendências de uma abordagem específica.
      • Personalização : descrever aspectos de personalização para que o conteúdo e atividades possam ser adaptados.
      • Compatibilidade : projetar a aprendizagem para uso e integração com outros padrões e especificações disponíveis.
    • 9. O modelo conceitual
      • - Especificação
      • Requisitos específicos (continuação) :
      • Reusabilidade : fazer com que seja possível identificar, isolar, descontextualizar e trocar objetos de aprendizagem úteis, e para que sejam reusados em outros contextos.
      • Formalização : fornecer uma linguagem formal para projetos de aprendizagem que possam ser processados automaticamente.
      • Reproducibilidade : descrever o projeto de aprendizagem de forma abstrata para que possa ter sua execução repetida, em diferentes configurações e com diferentes pessoas.
    • 10. O modelo conceitual
      • Especificação
      • O IMS-LD trata-se de um modelo que especializa a educação através da sumarização de teorias do aprendizado, fazendo uso da tríade papel – atividade – ambiente.
      • A especificação consiste de alguns componentes, sendo um deles o modelo conceitual para a descrição do processo de ensino-aprendizagem.
      Modelo conceitual do Learning Design Fonte: IMS-LD, 2003a.
    • 11. O modelo conceitual
      • Níveis semânticos
      • Nível A : é o núcleo principal, contém a diversidade pedagógica e sua semântica: papéis, atividades, ambiente, método, objetivos, pré-requisitos, atividades de ensino e suporte.
      • Nível B : adiciona ao Nível A as propriedades, condições e elementos globais (preferências, personalização, apresentação e mídias alternativas).
      • Nível C : acrescenta a estrutura de notificação ou mensagens entre componentes e papéis, um suporte ao fluxo da aprendizagem.
      Modelo conceitual do LD com níveis semânticos Fonte: IMS-LD, 2003a. (adapt)
    • 12. O modelo conceitual Multi-player, Multi-recurso Coordenação Núcleo do LD
      • Estrutura
      • Título
        • Objetivo de Aprendizagem
        • Pré-requisitos
      • Componentes
        • Papéis
        • Atividades
        • Ambientes
        • Método
        • Play
        • Ator
          • Role-parts
      } }
    • 13. Learning Design vs. Outros padrões
      • IMS C ontent P ackaging
      • IMS/LOM Metadata
      • IMS Q uestion and T est I nteroperability
      • IMS R eusable C ompetency D efinition
      • IMS L earner I nformation P ackage
      • IMS Enterprise
      • IMS S imple S equencing
    • 14. Ferramentas e Aplicações
      • Editores/Players
      • CooperCore
      • Reload
      • LAMS
      • Alphanet
      • dotLRN, etc.
      • AVAs:
      • Moodle (meados 2008)
      • dotLRN
      • LAMS
    • 15. Estado da Arte e Desafios
      • O cenário atual de pesquisa
      • No mundo:
        • Open University of the Netherlands (OUNL)
        • Universidad Nacional de Educación a Distancia (UNED)
        • Projeto Implementations and Deployment of the Learning Design Specification (IDLD)
      • No Brasil:
        • Projeto ROODA (CETIND/UFRGS)
        • Projeto Tidia-Ae (Escola do Futuro/USP)
        • Centro Federal de Educação Tecnológica do Ceará
        • UNIFACS?!?
    • 16. Estado da Arte e Desafios
      • O uso dos princípios e ferramentas de ontologias e web semântica
      • O uso de padrões de projeto de aprendizagem
      • O desenvolvimento de um CMS para o LD
      • O desenvolvimento de Players
      • Como usar um conjunto integrado de ferramentas LD de uma maneira integrada em ambientes heterogêneos
      • Adoção nativa nos principais LMSs da atualidade
    • 17. Links complementares
      • Learning Design Specification
      • http://www.imsglobal.org/learningdesign/
      • DSpace at Open Universiteit Nederland
      • http://dspace.ou.nl
      • Research and Development of Learning Networks
      • http://www.learningnetworks.org/
      • Centre for Educational Technology & Interoperability Standards
      • http://www.cetis.ac.uk
      • UNFOLD Project
      • http://www.unfold-project.net
    • 18. Fontes de pesquisa
      • BALBINO, Jaime. Introdução ao Learning Design. In: 2º Congresso de Educação a Distância dos Países de Língua Portuguesa, 26 jun. 2007. Disponível em: < http://www.aulavox.com/eventos_2007/_junho/congresso/programa.htm>
      • IMS-LD. IMS Learning Design Information Model. IMS Global Learning Consortium, Inc., 2003. Disponível em: <http://www.imsglobal.org/learningdesign/ldv1p0/imsld_infov1p0.html>. Acesso em: 18 maio 2007.
      • _____. IMS Learning Design Best Practice and Implementation Guide. IMS Global Learning Consortium, Inc., 2003. Disponível em: <http://www.imsglobal.org/learningdesign/ldv1p0/imsld_bestv1
      • p0.html>. Acesso em: 18 maio 2007.
      • KOPER, R.; Olivier, B. Representing the Learning Design of Units of Learning. Educational Technology & Society, 7, 97-111.
      • KOPER, Rob. Use of t he Semantic Web to Solve Some Basic Problems in Education: increase flexible, distributed lifelong learning, decrease teachers’ workload. Journal of Interactive Media in Education, vol. 6, 2004, p. 1-21.
      • KOPER, Rob; MANDERVELD, Jocelyn. Educational Modelling Language: modelling reusable, interoperable, rich and personalised units of learning. British Journal of Educational Technology, vol. 35, n. 5, 2004, p. 537-552.
      • KOPER, Rob; OLIVIER, Bill. Representing the Learning Design of Units of Learning. Educational Technology & Society, vol. 7, 2004, p. 97-111.
      • KOPER, Rob. Introduction to IMS Learning Design. Open University of the Netherlands.
      • Disponível em: <http://dspace.ou.nl/handle/1820/476> . Acesso em: 20 jun. 2007.
    • 19. Modelo conceitual do Learning Design Fonte: IMS-LD, 2003a.
    • 20. Modelo conceitual do LD com níveis semânticos Fonte: IMS-LD, 2003a (adapt). Nível B Nível B Nível C Nível A Nível A Nível A Nível A Nível A
    • 21. Reload LD-Player
    • 22. Reload LD-Editor