INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

2,566 views
2,504 views

Published on

www.ime.uerj.br/~ensinomedio/marinilza.ppt

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,566
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
47
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

  1. 1. III Semana da Matemática Informática na Educação Marinilza Bruno de Carvalho Universidade do Estado do Rio de Janeiro Centro de Tecnologia e Ciências Instituto de Matemática e Estatística
  2. 2. INTRODUÇÃO Na história da humanidade, observamos as várias mudanças pelas quais passamos, e mais importante ainda, observamos o período e a velocidade com que ocorreram em cada época.
  3. 3. Somente no século XX foram gerados mais conhecimentos científicos e tecnológicos que em todo o período anterior da história da humanidade. De Santos Dumont em 1906 à Lou Armstrong em 1969 e às telecomunicações de 1999, isto é 93 anos, tivemos as maiores transformações de todos os tempos. O avanço científico tem aumentado as indagações sobre o Universo, e a cada inovação tecnológica significativa, muda a visão que o homem tem de si mesmo.
  4. 4. <ul><li>Questões </li></ul><ul><li>Porque tecnologia ? </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>O que é educação ? </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Qual o perfil do professor ? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Quem é educador ? </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Quem é aluno ? </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Em que ano nós estamos ? </li></ul></ul></ul>
  5. 5. Porque o mundo mudou !!!!! Mudaram as pessoas ! Mudou a forma de fazer as coisas ! Mudaram as comunicações ! As empresas mudaram ! A medicina mudou ! O tempo mudou, ele anda mais rápido ? Os alunos mudaram !
  6. 6. O aluno em formação tem a missão de ser o elemento de transformação do mercado e da sociedade. Com esta visão que a Conferência Internacional de Educação – Genebra-2001 definiu as novas as Diretrizes Educacionais como:    aprender a aprender aprender a ser   aprender a fazer aprender a viver em comunidade.
  7. 7. <ul><li>A educação, atividade básica de </li></ul><ul><li>relevância na formação do </li></ul><ul><li>cidadão profissional não poderia deixar de </li></ul><ul><ul><ul><ul><li># estudar, </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li># pesquisar e </li></ul></ul></ul><ul><li> # apresentar novas metodologias para o desenvolvimento da aprendizagem. </li></ul>
  8. 8. Observações sobre a mudança <ul><li>Não é opcional </li></ul><ul><li>Aspectos </li></ul><ul><ul><li>técnicos </li></ul></ul><ul><ul><li>políticos </li></ul></ul><ul><ul><li>culturais </li></ul></ul><ul><li>Envolve trocas </li></ul>
  9. 9. Fluxo da Evolução / Produtividade Competências Desafio Ansiedade Desinteresse Apatia Produtividade
  10. 10. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1995 CRESCIMENTO TECNOLÓGICO CRESCIMENTO DAS APLICAÇÕES
  11. 11. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO <ul><li>Saber </li></ul><ul><li>Inspiração </li></ul><ul><li>Natureza </li></ul><ul><li>Ciência </li></ul><ul><li>Teologia </li></ul>informação conhecimento comportamento <ul><li>Informação </li></ul><ul><li>Assentamento Básico </li></ul><ul><li>Teorias </li></ul><ul><li>Heurística </li></ul><ul><li>Opiniões </li></ul>
  12. 12. Novos Paradigmas Educacionais <ul><li>De </li></ul><ul><li>Disciplinas separadas e estanques </li></ul><ul><li>Sala de aula tipo linha de montagem </li></ul><ul><li>Aprendizagem como produto </li></ul><ul><li>Professor dono único do conhecimento </li></ul><ul><li>Professor só ensina </li></ul><ul><li>Para </li></ul><ul><li>Integração e interdependência dos assuntos </li></ul><ul><li>Domínio do processo e não só do conteúdo </li></ul><ul><li>Aprendizagem como processo </li></ul><ul><li>Professor como facilitador na procura do conhecimento </li></ul><ul><li>Professor ensina e aprende </li></ul>
  13. 13. Novos Paradigmas Educacionais <ul><li>De </li></ul><ul><li>Informática como ferramenta </li></ul><ul><li>Conhecimentos “certos” e definidos </li></ul><ul><li>Autoritarismo de quem sabe </li></ul><ul><li>Para </li></ul><ul><li>Informática como agente de transformação </li></ul><ul><li>Aprender a aprender, Importância do contexto, Conhecimento sujeito a mudanças </li></ul><ul><li>Encorajamento da discordância - autonomia de quem aprende </li></ul>
  14. 14. Novos Paradigmas Educacionais <ul><li>De </li></ul><ul><li>Informática como ferramenta </li></ul><ul><li>Conhecimentos “certos” e definidos </li></ul><ul><li>Autoritarismo </li></ul><ul><li>de quem sabe </li></ul><ul><li>Para </li></ul><ul><li>Informática como agente de transformação </li></ul><ul><li>Aprender a aprender, Importância do contexto, Conhecimento sujeito a mudanças </li></ul><ul><li>Encorajamento da discordância - autonomia de quem aprende </li></ul>
  15. 15. Novos Paradigmas Educacionais <ul><li>De </li></ul><ul><li>Ênfase no raciocínio analítico-linear </li></ul><ul><li>Educação, necessidade temporária </li></ul><ul><li>Aluno como objeto de ensino </li></ul><ul><li>Para </li></ul><ul><li>Busca do todo, razão – intuição </li></ul><ul><li>Educação como processo permanente </li></ul><ul><li>Aluno como sujeito estudando </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Educação como Processo Contínuo na Formação para a Cidadania </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>O fenômeno educacional não é uma realidade acabada que se dá a conhecer de forma única, verdadeira e precisa em seus múltiplos aspectos. </li></ul>
  17. 17. <ul><li>Educação como Processo Contínuo na Formação para a Cidadania </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>É um fenômeno humano, histórico e multidimensional. </li></ul><ul><li>No fenômeno educativo estão presentes, tanto a dimensão humana, quanto a técnica, a cognitiva, a emocional, a sócio-política e a cultural na busca da </li></ul><ul><li>“ Formação para a Cidadania e o Desenvolvimento de Competências”. </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  18. 18. <ul><li>Sistema de Aprendizagem </li></ul><ul><li>A visão e a estratégia da educação podem e devem se constituir de bases de apoio para a Formação do Indivíduo Cidadão, aliando a teoria à prática do fazer. Para tanto é necessário o desenvolvimento de suas competências que segundo as pesquisas de Boclin.R.G-2000, define competências como o conjunto de três elementos: </li></ul><ul><li>Conhecimetos; </li></ul><ul><li>Habilidades e; </li></ul><ul><li>Atitudes Comportamentais. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>Questões </li></ul><ul><li>Porque tecnologia ? </li></ul><ul><ul><li>É uma excelente ferramenta de apoio ao processo educacional </li></ul></ul><ul><li>O que a educação ? </li></ul><ul><ul><li>É o processo de formação do cidadão . </li></ul></ul>
  20. 20. <ul><li>Questões </li></ul><ul><li>Qual o perfil do professor ? Orientador líder que apóia e fortalece o aluno na busca do saber. </li></ul><ul><li>Quem é educador ? </li></ul><ul><li>É o agente de transformação no processo educacional </li></ul>
  21. 21. <ul><li>Questões </li></ul><ul><ul><li>Quem é aluno ? É o agente pró-ativo que deverá intervir na sociedade </li></ul></ul><ul><ul><li>Em que ano nós estamos ? </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>O ano em que a educação assumiu seu papel de liderança na formação dos cidadãos. </li></ul></ul></ul>
  22. 22.   Pesquisa realizada na disciplina de Empreendedor em Tecnologia em 2002 T/I na Educação - Uma visão Interativa e Tecnológica   Marinilza Bruno de Carvalho Professora coordenadora do projeto Daniel de Araujo Rodrigues Monitor de Empreendedorismo em T/I Fernanda Christina Dias Estagiária de Estatística Apoio SR-3 REDINTEL

×