Luzia19-04-2013
Até onde o amor pode chegar? A pergunta é feita toda vez que algumastragédias abalam a opinião pública.Tragédias como suic...
Nesse cenário, vidas humanas são sacrificadas. Jovens, comum futuro promissor à frente, face à possibilidade deperderem a ...
Criaturas que viveram juntas alguns anos, que geraram filhos, derepente, face a uma traição, um abandono, optam pela morte...
Ante tais fatos, nos indagamos se será verdadeiramente amor osentimento que une as criaturas que se destroem mutuamente, e...
O amor é de essência Divina, afirmam os Espíritos nobres.Ora, se é divino, somente pode criar coisas belas, cenáriosde tra...
O amor se caracteriza por sentimentos degenerosidade, de altruísmo, de desprendimento.Quem ama deseja sempre o bem do outr...
Nesse contexto, é igualmente salutar recordemos queninguém é dono de ninguém.Os que devemos constituir os lares, já traçam...
Lembrarmos que os nossos filhos não são nossapropriedade. Vêm através de nós, mas não nos pertencem.Fornecemos-lhes corpos...
Vindos por nossointermédio, trazem eles tambémsuas missões e provas acumprir. E não temos o direito delhes criar obstáculo...
Se alguém que vive ao nosso lado deseja partir, não oagrilhoemos, em nome do nosso amor.Se alguém nos fere ou nos agride, ...
Se amamos, doemos nossa cota deamor, orando pelos nossosamores, onde estejam, com quemestejam, como se encontrem.
FORMATAÇÃO: LUZIA GABRIELEEMAIL: luziagabriele@hotmail.comFOTOS: INTERNETTEXTO: DIVALDO FRANCOMÚSICA: ANDRÉ RIEU QUE SERÁ ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Limites do amor

310 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
310
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Limites do amor

  1. 1. Luzia19-04-2013
  2. 2. Até onde o amor pode chegar? A pergunta é feita toda vez que algumastragédias abalam a opinião pública.Tragédias como suicídios, assassinatos e perseguições de criaturas que atéum momento antes afirmavam se amarem profundamente.
  3. 3. Nesse cenário, vidas humanas são sacrificadas. Jovens, comum futuro promissor à frente, face à possibilidade deperderem a sua amada, optam pelo suicídio.E como uma forma de vingança, fazem questão de deixar umbilhete incriminatório, quando não decidem dar cabo daprópria vida frente a quem afirmam ser o objeto do seu amor.
  4. 4. Criaturas que viveram juntas alguns anos, que geraram filhos, derepente, face a uma traição, um abandono, optam pela morteprópria e dos filhos.Filhos que, na maioria das vezes são muito pequenos e a quemnão é perguntado se desejam morrer. Ou servir de instrumento devingança contra o outro.
  5. 5. Ante tais fatos, nos indagamos se será verdadeiramente amor osentimento que une as criaturas que se destroem mutuamente, elevam consigo outros seres, filhos da própria carne?Será amor este sentimento que prefere destruir a renunciar?
  6. 6. O amor é de essência Divina, afirmam os Espíritos nobres.Ora, se é divino, somente pode criar coisas belas, cenáriosde tranqüilidade e de paz.Quem ama não agride o ser amado, em circunstância alguma.Não amado, prossegue amando, desde que a plenitude do amoré o seu próprio exercício.
  7. 7. O amor se caracteriza por sentimentos degenerosidade, de altruísmo, de desprendimento.Quem ama deseja sempre o bem do outro, nãoimportando as circunstâncias.Devemos concluir que, enquanto estivermos nosagredindo, o sentimento poderá ter muitasnuanças, mas não se poderá chamar amor.
  8. 8. Nesse contexto, é igualmente salutar recordemos queninguém é dono de ninguém.Os que devemos constituir os lares, já traçamos as metasantes da reencarnação, no Mundo Espiritual. Sempreatendendo a propósitos de elevação e progresso.
  9. 9. Lembrarmos que os nossos filhos não são nossapropriedade. Vêm através de nós, mas não nos pertencem.Fornecemos-lhes corpos para se desenvolverem na Terra.Contudo, a alma pertence ao Pai de todos nós.
  10. 10. Vindos por nossointermédio, trazem eles tambémsuas missões e provas acumprir. E não temos o direito delhes criar obstáculos.Se estivermos sofrendosituações em que o amor pareceter adoecido, permitamo-nos areflexão, a meditação.
  11. 11. Se alguém que vive ao nosso lado deseja partir, não oagrilhoemos, em nome do nosso amor.Se alguém nos fere ou nos agride, não revidemos, recordandoque sempre o que assim age, se encontra enfermo.Como enfermo, não necessita da nossa sentença de morte ouperseguição acirrada, mas de médico do corpo e da alma.
  12. 12. Se amamos, doemos nossa cota deamor, orando pelos nossosamores, onde estejam, com quemestejam, como se encontrem.
  13. 13. FORMATAÇÃO: LUZIA GABRIELEEMAIL: luziagabriele@hotmail.comFOTOS: INTERNETTEXTO: DIVALDO FRANCOMÚSICA: ANDRÉ RIEU QUE SERÁ SERÁ?DATA: 19 DE ABRIL DE 2013O amor tudo resolve.Se, por acaso, o céu dos teussorrisos está com as estrelasda alegriaapagadas, ama, assimmesmo...

×