• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Treinamento logística lean
 

Treinamento logística lean

on

  • 2,567 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,567
Views on SlideShare
2,567
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
67
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Treinamento logística lean Treinamento logística lean Presentation Transcript

    • Logística LEANLean Manufacturing 12009
    • O que é “Logística LEAN”? “Logística” é o conjunto de todas as operações Logísticanecessárias para entregar bens ou serviços, excetoproduzir os bens ou executar os serviços: AN ís ticcaLE AN a LE  Logística de Entrada (Supply Chain Logistics) A Log ísti ortar A Log sup ortar ve deeve sup AN! d  Logística Interna ( estocagem e movimentação) ais LE AN! ssIdeeais LE o Id o  Logística de Saída ( distribuição ) “Logística Lean” é a dimensão logística do“Sistema Lean”, incluindo: Lean”  Fluxo de Informações  Fluxo de MateriaisLean Manufacturing 22009
    • O Resultado do Processo Ideal LEAN( Spears & Bowen, O DNA do TPS, HBR, 1999)  É livre de defeitos (ou seja, tem os recursos e o desempenho que o cliente espera)  Pode ser atingido com um pedido por vez eal Um Id ealançaado, U rm Idalc nç do, (tamanho de lote de um) e ca deesser alrseguido. . ããopo d ser peerseguido o po nn deve ser p  Pode ser fornecido sob demanda na versão maas deve s solicitada m se daa Essaa t ééaabaasend a!! ! b í u !  Pode ser entregue imediatamente E t ria Cont tínua on Meeho ria C M l lho  Pode ser produzido sem desperdícios de materiais, mão-de-obra, energia ou outros recursos  Pode ser produzido em um ambiente de trabalho seguro física, emocional e profissionalmente para todosLean Manufacturing 32009
    • Objetivos da Logística Interna LEAN 1. Quanto ao Fluxo de Informações: Planejar, implantar, padronizar e melhorar continuamente um sistema de Puxar Materiais dos fornecedores (internos e externos)  Limitando o MRP a funções de planejamento 2. Quanto ao Fluxo de Materiais: Planejar, implantar, padronizar e melhorar continuamente um Sistema de armazenagem e Movimentação de Materiais para fazer fluir os materiais desde o recebimento até os pontos de uso na fábrica e até a expedição  De forma (1) eficaz e (2) eficienteLean Manufacturing 42009
    • Eficácia x Eficiência( Peter Drucker, The Effective Executive, 1967)  “Eficácia” = produzir os resultados desejados ou necessários Refere-se ao “que” fazer  “Eficiência” = produzir com economia de meios, sem stress Refere-se ao “como” fazer  Ambas são importantes, mas a Eficácia tem prioridade! √ De nada adianta produzir eficientemente resultados indesejados ou desnecessários! √ De nada adianta otimizar a Logística Interna e prejudicar a eficiência do sistema!Lean Manufacturing 52009
    • Necessidades a Considerar 1. Reduzir os tamanhos dos lotes e das embalagens  Aproximar-se do Fluxo Contínuo  Reduzindo a área de estocagem  Tornando mais simples e ágil o manuseio  Limitando o uso de empilhadeiras  Diminuindo os riscos ergonômicos 2. Concentrar os materiais em Supermercados  Assegurando a precisão dos registros e o FIFO  Eliminando estoques redundantes 3. Limitar a quantidade de materiais dentro e ao redor das Linhas de Montagem e Células o Isto é o Isto é e  Desobstruindo-as vel e  Tornando o trabalho dos operadores mais produtivo, desejá vel des ejá ário!! ergonômico e seguro ecess ário n ece n ssLean Manufacturing 62009
    • Operadores são como Cirurgiões!Lean Manufacturing 72009
    • Eficácia e Eficiência na Logística (Interna)  Eficácia = abastecer os pontos de uso Just In Time  somente nas quantidades necessárias, no tempo certo  em locais definidos, ao alcance das mãos dos operadores  exclusivamente com embalagens retornáveis  claramente identificadas, evitando erros e perdas de tempo  para que os operadores concentrem-se na Agregação de Valor  e produzam em Fluxo Contínuo Flexível, com Qualidade  Eficiência = com economia de meios Como?! Como?!  Racionalizando as operações da Logística  Reduzindo os inventários em todos os pontos de fluxo  Melhorias Contínuas através dos POPs e do PERPLean Manufacturing 82009
    • Elementos da Logística Interna LEAN 1. Supermercados de Peças Compradas, de Peças do s em Processo e de Matérias-Primas merca rrmercados Supee Sup  Que permitem operar o Sistema de Kanbans entes iferrentes  Que proporcionem picking rápido e preciso são d ife são d ados!! c os  Que mantenham o FIFO e a acurária de ata cad de ata 2. Sistema de Kanbans para assegurar que :  Cada Ponto de Uso puxe dos Supermercados apenas os materiais necessários, no tempo certo  Cada Fornecedor reponha nos Supermercados apenas os materiais consumidos Onde variável, substituir 1 e 2 por Puxada Seqüenciada! 2. Rotas de Abastecimento trazendo os materiais dos:  Fornecedores (internos e externos) até os Supermercados  Supermercados até os Pontos de Uso  Pontos de Uso até o próximo processo ou até a ExpediçãoLean Manufacturing 92009
    • SupermercadosLean Manufacturing 102009
    • Elementos do Sistema de Kanbans 1 Cartão por Convencional Convencional embalagem Produção Produção Lote (Triângulo) Lote (Triângulo) 1 Cartão por numero de peça Kanbans Kanbans Processo Processo 1 Cartão por Retirada Retirada embalagem Fornecedor Fornecedor 1 Cartão por embalagem Kanbans compõem um sistema de puxada por ressuprimento!  Não são empregados Kanbans de Retirada no Processo ou de Fornecedores no caso de Puxada Seqüenciada!  Puxada Seqüenciada = sincronização com o processo puxador  Usada (com fornecedores internos e externos) no caso de componentes muito caros ou muito volumosos, inclusive kits de montagemLean Manufacturing 112009
    • Supermercados e Kanbans Quadro de Kanbans Fornecedor Cliente A A A A A A A B B B B B C C C A D D Direção do Fluxo Supermercado Processo Cliente Processo Embalagens Embalagens com Fornecedor com Kanbans Kanbans de (Fluxo Acima) de Produção RetiradaLean Manufacturing 122009
    • Puxada com Kanban de Lote  Poucos Kanbans nos Supermercados e em circulação • Operação simples, menos erros – é um sistema de ponto de pedido  Porém, oferece menor visibilidade das necessidades do clienteLean Manufacturing 132009
    • Quadro de Kanbans de Lote  Este método é uma alternativa para o “Trilho de Kanbans” • Limita a quantidade de lotes em processo • Limita o total de dias que cada lote pode ficar em produçãoLean Manufacturing 142009
    • Rota deAbastecimento Trata-se de Trata-se de mover pequenas mover pequenas cargas mistas cargas mistas com freqüência com freqüência fixa e muito alta! fixa e muito alta!Lean Manufacturing 152009
    • Rota de AbastecimentoLean Manufacturing 162009
    • Linhas DesobstruídasLean Manufacturing 172009
    • O que é o PPCP? (Plano Para Cada Peça)  É um Banco de Dados que contém completas informações sobre cada peça sob o ponto de vista de logística:  De que Fornecedor é comprada? Ou: Onde é fabricada?  Como é recebida no Supermercado – que embalagem, quantas peças por embalagem, com que freqüência?  Onde e como é estocada no Supermercado?  Quais são os Pontos de Uso e o consumo médio?  Como é entregue no(s) Ponto(s) de Uso?  ...  O PPCP descreve com precisão como cada peça é tratada desde o Fornecedor até o Ponto de UsoLean Manufacturing 182009
    • Vantagens do PPCP  Viabiliza o Planejamento da Logística LEAN Cria informações importantes inexistentes Unifica dados existentes de forma esparsa r ensa r Kaikaku sa ku  Torna eficiente as operações em p en na Kaikanto!! p N em ma na N Se ma o to a Se a árreaprron ar a ea p Centraliza as informações inici iar PCP d a á ic em in o P PCP d Permite respostas rápidas em ter o P r sem te se m  Facilita a Melhoria Contínua Utiliza Bancos de Dados simples Permite análises completas e flexíveisLean Manufacturing 192009
    • (1)Que Informações Incluir no PPCP? Cabeçalho Descrição Unidade Pc_Num Número da Peça Pc_Descr Descrição Pc_Cl Classe SBC (ou similar) Pc_Peso Peso (unitário) Kg Pc_Cons_Dia Consumo diário médio Pcs/Dia Pc_Cons_H Consumo horário médio Pcs/Hora Freqüência com que a peça é entregue Pc_Freq Dias pelo fornecedor ou produzida pela célula Fator de estabilidade da demanda Pc_Est_Dem 1 (Muito Estável) a 5 (Muito Instável)Lean Manufacturing 202009
    • (3)Que Informações Incluir no PPCP? Cabeçalho Descrição Unidade Forn_Nome Nome do Fornecedor Forn_Cod Código do Fornecedor Classificação do fornecedor 1 Forn_Classe (Excelente) a 5 (Péssimo) Forn_L_Time Tempo de Ressuprimento Dias Emb_Tipo Tipo da embalagem Emb_Peso_Vz Peso da Embalagem Kg Emb_L Largura da Embalagem Cm Emb_H Altura da Embalagem Cm Emb_C Comprimento da Embalagem CmLean Manufacturing 212009
    • Que Quantidade Estocar de Cada Peça? Demanda Média Diária x Intervalo * Cíclico Proteção contra a Volatilidade + de Demanda + Pulmão (fator relativamente fora de controle) Proteção contra a Instabilidade + dos Fornecedores + Segurança (internos e externos) = Estoque Total = TotalLean Manufacturing 222009
    • O Que Influencia o Estoque? (1)Lean Manufacturing 232009
    • O Que Influencia o Estoque (2)  Cíclico  Freqüência de Entregas  No caso de Fornecedores Internos, depende do Intervalo  O Cálculo do Intervalo é tema do Workshop Manufatura Celular  No caso do Fornecedores Externos, depende da Classificação ABC e das políticas usadas para cada classe  O Milk Run viabiliza o aumento das freqüências de entregas  Pulmão  Imprevisibilidade  Notar que processos rio acima deveriam ter a volatilidade de demanda atenuada pelos Estoques de Acabados  Estoques Niveladores nivelam apenas a quantidade, não o mix!  Segurança  Instabilidade  Este é o fator a alterar caso o Fornecedor ou a Logística de Entrada não forem confiáveis te men e aament rad paarad e ieessep rc l l s! eeaas! renc eerenci sspaarc p G da G maa daLean Manufacturing da u m Caada u C 242009
    • Que Embalagem Utilizar para Cada Peça?  Use sempre a menor embalagem onde caiba a peça!  Melhor várias caixas pequenas do que uma grande P  Facilita o manuseio e adicionais reduções de lotes o PPC Pm PCe  A preferência é por caixas KLT! e n P g trren o alaagem gi s Reegiste eembal dee b  Paletes e outras embalagens são usados R o d e m adee d ! d no Supermercado somente quando necessário o tip o uaanid aalageem! tip q nttid o a qu d g m ee a or eembala mb  Considerar KLTs com separadores para ça p or peeça p garantir a Qualidade e facilitar o manuseio p  Evite transbordos!  Os Fornecedores (internos e externos) devem entregar já nas embalagens usadas no Supermercado • Elimine os materiais descartáveis no transbordoLean Manufacturing 252009
    • Onde Localizar os Supermercados?  Peças compradas  Preferencialmente junto ao Recebimento  Peças fabricadas a. Supermercados focalizados junto aos processos  É a solução clássica, típica da Toyota  Permite que o processo fornecedor visualize as necessidades dos clientes a. Supermercado centralizado  Inevitável caso não haja área suficiente junto aos processos  Reduz a poluição visual nas áreas produtivas  Supermercado único = menores custos administrativos (?)  Poderá aumentar os custos de manuseio e transporte (?)  Resulta em controle de inventário mais precisoLean Manufacturing 262009
    • Como Implantar os Supermercados? A. Calcule a quantidade de contenedores, de prateleiras, e a área do Supermercado B. Defina a Locação de cada peça C. Estabeleça os POPs para estocagem e retirada D. Estabeleça os POPs para posicionar e acionar os Kanbans (de Produção e de Fornecedor) E. Estabeleça os POPs para estoques críticos F. Estabeleça os POPs para estoques excessivosLean Manufacturing 272009
    • B – Defina a Locação de cada peça  Possíveis critérios:  Volume – peças de alto volume e alta freqüência devem ser armazenadas em flow racks em localização de fácil acesso  Freqüência de uso – alocar peças de uso esporádico em prateleiras comuns, com alocações temporárias  Destino – agrupar as peças de mesmo destino  Caixas mais pesadas devem ser alocadas em alturas intermediárias para preservar a ergonomia (slide seguinte)  Se o uso de empilhadeiras for inevitável, seu acesso deve ser limitado a áreas definidas do Supermercado a ões çções locca s lo rreaas CP!!  Salvo itens de consumo esporádico, e t P as locações são fixas! R gis eegistno PP C P P R noLean Manufacturing 282009
    • Lean Manufacturing 292009
    • C – Estabeleça os POPs parapara estocagem e retirada Recebimento Recebimento Supermercado Supermercado Produção ProduçãoTodas as Entradas são Todas as Entradas são Todas as Saídas são Todas as Saídas são transacionais no ERP transacionais no ERP transacionais no ERP transacionais no ERP Área de acesso exclusivo dos Área de acesso exclusivo dos Tela eeportões de Tela portões de operadores de Supermercado operadores de Supermercado acesso controlado acesso controladoLean Manufacturing 302009
    • Objetivos das Rotas de Abastecimento  Entregar as peças necessárias, quando necessárias, na quantidade necessária, e no local necessário – diretamente nas mãos dos operadores = JIT!  Aprimorar a Ergonomia e a Segurança do Trabalho  Reduzir os custos de abastecimento das Células  Reduzir o inventário e melhorar a sua acurácia  Otimizar o uso de área de fábrica Lean Manufacturing 31 2009
    • Elementos das Rotas de Abastecimento  Roteiros fixos, freqüência definida (quantidades variáveis)  Corredores exclusivos, bem sinalizados e desobstruídos  Local de entrega fixo para cada peça em cada Célula  Paradas somente em pontos designados, com horários fixos as e pontualidade s Rottasr ar a s R o lanej jara Planeja r P lane a P vale a Planej a  Entregas freqüentes em pequenos lotes equi ivalie tema de ! equ s s tema die o !  um sis e públ lc o um ort e púb ic POPs para todos os processos e atividades ansp t trranspor t  As Rotas de Abastecimentos são como linhas de ônibus, largando passageiros (embalagens cheias e Kanbans de produção) e apanhando outros (embalagens vazias e Kanbans de Retirada)Lean Manufacturing 322009
    • (1)Como sustentar e melhorar o Desempenho? Monitoramento diário pelo Supervisor de Logística  Comparar realidade vs. POPs Metas de Desempenho com métricas claras Programas de Melhorias Constantes Auto-avaliações Periódicas por níveis superpostos de gerenciamento e times multifuncionais  Comparar realidade vs. POPSLean Manufacturing 332009
    • (2)Como sustentar e melhorar o Desempenho? Melhorias nas Rotas  Ocupar o operador até 95% do tempo  Melhor os deslizadores e seu posicionamento  Melhorar os meios de transporte Redução de Estoques  Acompanhar estatisticamente os inventários  Reduzir o tamanho das embalagens Estabelecer o Conselho de LogísticaLean Manufacturing 342009
    • Gratos por sua Atenção!Lean Manufacturing 352009