Prof. Luiz Henrique - Mangueira propagaçâo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Prof. Luiz Henrique - Mangueira propagaçâo

on

  • 1,483 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,483
Views on SlideShare
1,443
Embed Views
40

Actions

Likes
0
Downloads
54
Comments
1

2 Embeds 40

http://www.luizhenriquebs.com.br 37
http://luizhenriquebs.com.br 3

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

CC Attribution-NonCommercial-ShareAlike LicenseCC Attribution-NonCommercial-ShareAlike LicenseCC Attribution-NonCommercial-ShareAlike License

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

11 of 1

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Agradeço ter disponibilizado informações sobre o cultivo da mangueira.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Prof. Luiz Henrique - Mangueira propagaçâo Prof. Luiz Henrique - Mangueira propagaçâo Presentation Transcript

    • PROPAGAÇÃO DA MANGUEIRA
    • Garfos da mangueira ‘Ubá’ extraídos da extremidade de ramos do último surto de crescimento (A). Detalhes das gemas: vista frontal: (Ab) vista de topo: (Aa) a b A Fonte: www.nutricaodeplantas.agr.br
    • Garfos da mangueira ‘Ubá’ extraídos da extremidade de ramos do que frutificaram no ano anterior (B). Detalhes das gemas: vista frontal: (Bb) vista de topo: (Ba) a B b Fonte: www.nutricaodeplantas.agr.br
    • Hastes porta-borbulha da mangueira ‘Ubá’ (A). Detalhe da gema (B). B A Fonte: www.nutricaodeplantas.agr.br
    • Decapitação do porta-enxerto(A); realização da incisão no porta-enxerto (B, C e D)
    • Duplo bisel realizado no garfo (E); justaposição dos biontes (F); ligadura, atadura e proteção (G); colocação do saquinho plástico (H, I)
    • Colocação do saquinho plástico (J e K); retirada dosaquinho plástico (L); proteção de todo o garfo com a fita plástica, em substituição ao saquinho plástico (M)
    • Substituição ao saquinho plástico (N); união dos biontesno ponto de enxertia (O); pegamento do enxerto (P e Q).
    • Garfagem no topo à inglesa simples. Bisel simples no porta-enxerto e garfo (A e B); justaposição dos dois biontes (C); ligadura-atadura e proteção (D).
    • Garfagem no topo à inglesa com entalhe. Lingueta no porta-enxerto (A) e no garfo (B); justaposição dos dois biontes pelo encaixe das lingüetas (C); ligadura-atadura e proteção (D).
    • Garfagem lateral embutida no alburno. Bisel duplodesigual no garfo e do entalhe feito no porta-enxerto (A); justaposição dos dois biontes (B); ligadura-atadura e proteção (C); início da brotação da gema apical (D).
    • Borbulhia por escudagem sob casca em “T” invertido. Incisão em “T” invertido (A); borbulha (B); introdução de borbulha na incisão (C); ligadura-atadura e proteção (D).
    • Borbulhia por escudagem imbutida no alburno. Incisão no porta-enxerto (A); borbulha (B); justaposição dos dois biontes (C); ligadura- atadura e proteção (D).
    • Borbulhia por escudagem imbutida no alburno. Incisão no porta-enxerto (A); borbulha (B); justaposição dos dois biontes (C e D); ligadura-atadura e proteção (E).
    • Borbulhia por escudagem imbutida em janela. Retângulo de casca retirado noporta-enxerto (A); retângulo de casca retirada na haste porta-borbulha, tendouma gema no centro e a justaposição dos dois biontes (B); ligadura-atadura eproteção de toda a borbulha (C) e deixando exposta a gema (D); decapitação do porta-enxerto (E).
    • Borbulhia por escudagem imbutida em janela. Disco de casca retiradono porta-enxerto (A); disco de casca retirado na haste porta-borbulha, tendo uma gema no centro e a justaposição
    • Produção de MudasColheita dos frutos e Enxertia semeadura 120 a 180 dias 20 a 40 dias Transplante 60 a 120 dias 60 a 90 Germinação e dias emergência Muda pronta Total: 260 a 430 dias
    • Escolha e preparo das sementes do porta-enxerto (cavalo)• Consiste na utilização de plantas matrizes fornecedoras de garfos e/ou borbulhas para enxertia, tendo em vista suas qualidades superiores como: pequeno porte; tolerantes a pragas e doenças, principalmente à seca da mangueira e adaptação à região. No Nordeste os porta-enxertos mais utilizados são: ‘Espada’, ‘Espadinha’, ‘Carlota’, ‘Itamaracá’ e ‘Coite’.
    • Escolha e preparo das sementes do porta-enxerto (cavalo)• Deve-se colher frutos maduros, sadios, de plantas vigorosas e livres de doenças e pragas. Após a escolha dos frutos, retira-se a polpa com uma faca, rente ao caroço; as sementes devem ser limpas com água e colocadas para secar. A secagem das sementes deverá ser feita em local sombreado e arejado, podendo ficar até 10 dias nesse local, entretanto a eliminação do endocarpo (testa) é mais fácil quando é feita 24 horas depois da lavagem, pelo fato da testa estar mais macia para cortar.
    • Escolha e preparo das sementes do porta-enxerto (cavalo)• Utilizando uma tesoura de poda, a testa que envolve a amêndoa (semente) deve ser removida cuidadosamente para não feri-la, prejudicando sua germinação. A retirada da casca possibilita a germinação mais rápida (15 a 25 dias), maior percentagem de sementes germinadas (80 a 85%), e a obtenção de plantas eretas, vigorosas e em condições de serem enxertadas em menor espaço de tempo.
    • Seleção das amêndoas• Selecione as amêndoas bem formadas, sem manchas ou ataque de pragas e doenças.• A semeadura deve ser feita imediatamente, porque o percentual de germinação das sementes diminui sensivelmente nos primeiros 5 dias. A amêndoa é colocada com a face ventral voltada para baixo, a uma profundidade de 3 a 5 cm, ocorrendo a germinação entre 15 e 25 dias após a semeadura. A quantidade de sementes utilizadas deve ser 40% a mais do que o número de mudas desejadas.
    • Seleção das amêndoas• O desbaste deve ser feito quando o porta- enxerto estiver bem definido, com 15 a 20 cm de altura, visando o desenvolvimento de uma única planta por saco.• Aos 45 dias após a semeadura, deve ser feita uma adubação de cobertura colocando 5g planta-1, da seguinte mistura: 55 g de uréia, 35 g de cloreto de potássio e 55 g de superfosfato simples.
    • Seleção das amêndoasRemoção do endocarpo Seleção de amêndoas
    • Métodos de enxertia• Borbulhia em “T” invertido e a borbulhia em placa ou escudo, nas quais o enxerto é uma pequena parte da casca com uma única gema;• Garfagem, com suas variações (no topo em fenda cheia, à inglesa simples e lateral), em que o enxerto é o segmento de um ramo, com 10 a 15 cm de comprimento médio, contendo várias gemas.• No vale do Submédio São Francisco, o método de enxertia mais utilizado é o de Garfagem no topo em fenda cheia. Por este processo a muda é obtida em viveiro coberto, utilizando a semeadura direta em sacos plásticos individuais
    • Métodos de enxertia• Para a obtenção dos garfos (ponteiros) da variedade da copa, os ramos devem ser escolhidos com aproximadamente 7 a 8 meses de idade, arredondados, de coloração verde a cinza, sadios, com gema apical bem formada. Com as mãos, ou com uma tesoura, retiram-se as folhas dos ramos escolhidos, 8 a 10 dias antes da coleta do garfo. Esta prática é realizada para forçar o entumecimento da gema apical e acelerar o pegamento após a enxertia.
    • Métodos de enxertia (Preparo do garfo)• Comprimento: 15 a 20 cm.• Armazenar por até 5 dias (mergulhar as extremidades em parafina líquida e acondicioná-los em recipientes contendo serragem úmida).• Conservar em local fresco e sombreado.
    • Enxertia (Garfagem)• União do garfo da variedade copa com o porta- enxerto, de modo a formar uma única planta. Porta-enxerto deve ser cortado com uma tesoura de poda, 20 cm acima do colo da planta, e com um canivete, desinfetado em álcool ou solução de água sanitária a 5% (50 ml do produto comercial em 1 litro de água), será feita uma fenda de 3 a 4 cm de profundidade, de cima para baixo.
    • Enxertia (Garfagem)• Preparar com o canivete (forma de cunha), em cortes: 3 ou 4 cm de comprimento.• Encaixar no corte do porta-enxerto, com pelo menos um dos lados da região do enxerto e porta-enxerto coincida (casca com casca). Fixar o enxerto e impedir a entrada de água enrolar uma fita plástica, de baixo para cima. Para ambiente úmido e protegido contra o ressecamento, cobrir o garfo e a região da enxertia com saco plástico.
    • Enxertia (Garfagem)Encaixe do garfo Cobertura com saquinho.
    • Enxertia• Bem sucedida: gemas iniciarão a brotação entre 2 e 3 semanas.• Primeiros pares de folhas: 30 a 40 dias após a enxertia, (retirar sacos de proteção).• Fita plástica retirar 90 a 120 dias após a enxertia.• As mudas prontas para ser plantadas com 2 a 3 fluxos vegetativos, com folhas maduras de coloração verde.
    • Adubação em cobertura (Enxertia)• Três aplicações: 30, 60 e 90 dias após a enxertia.• 5 g por planta (1 colher de chá bem cheia).• 100 g de uréia, 100 g de superfosfato simples e 60 g de cloreto de potássio.• 55 g de sulfato de zinco, 28 g de sulfato de manganês e 24 g de cal hidratada em 20 litros de água, em aplicação foliar.
    • Muda pronta (Enxertia) Muda com três fluxos
    • Estes slides são concedidos sob uma Licença CreativeCommons. Sob as seguintes condições: Atribuição, Uso Não-Comercial e Compartilhamento pela mesma Licença, comrestrições adicionais:• Se você é estudante, você não está autorizado a utilizar estesslides (total ou parcialmente) em uma apresentação na qual vocêesteja sendo avaliado, a não ser que o professor que está lheavaliando:a) lhe peça explicitamente para utilizar estes slides;b) ou seja informado explicitamente da origem destes slides econcorde com o seu uso.Mais detalhes sobre a referida licença Creative Commons vejano link: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/2.5/br/Autor: Professor Luiz HenriqueFonte: www.luizhenriquebs.com.br