Ano 16 - nº 137 - Abril 2008                                                      FUVEST UNICAMP VUNESP UNIFESP UFSCAR    ...
E D I T O R I A L                                                    E T A P A            C O M E N T A                   ...
E T A P A            C O M E N T A    PORTUGUÊS - Ler e compreender                                                       ...
E T A P A             C O M E N T Aparte de Literatura, a Unicamp manteve seu estilo              cas de São Paulo, a Vune...
E T A P A            C O M E N T AHISTÓRIA - Excesso de dificuldade                                                        ...
E T A P A             C O M E N T Adificilmente teriam a mesma desenvoltura em rela-        Judeus foram expulsos (1492), ...
E T A P A            C O M E N T Ae a legenda diz: ”Tá achando lotado? Tem de ver        arraial de Canudos e o contexto h...
E T A P A             C O M E N T Arepublicanas ou mudanças políticas. Em 1930,                “a forte e atual presença d...
E T A P A            C O M E N T A     QUÍMICA - Acertando a fórmula                                                      ...
Edicao 137
Edicao 137
Edicao 137
Edicao 137
Edicao 137
Edicao 137
Edicao 137
Edicao 137
Edicao 137
Edicao 137
Edicao 137
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Edicao 137

1,233 views
1,111 views

Published on

fxcb

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,233
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
14
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Edicao 137

  1. 1. Ano 16 - nº 137 - Abril 2008 FUVEST UNICAMP VUNESP UNIFESP UFSCAR 2008 Balanço dosIlustrações de questões dos vestibulares de 2008. vestibulares Fuvest, Unicamp, Vunesp, Unifesp e UFSCar aplicaram 745 questões nos vestibulares de 2008, das quais 355 foram dissertativas e 390 eram testes de múltipla escolha. Nesta edição, todas as provas são analisadas e comentadas pelos professores do ETAPA. Análises e comentários Páginas 2 a 20 E D I T O R I A L Ensino público e o mito das provas fáceis Página 2
  2. 2. E D I T O R I A L E T A P A C O M E N T A FUVEST/UNICAMP/VUNESP/UNIFESP/UFSCAR O mito das provas fáceis Balanço dos vestibulares 2008 Um dos mais propalados mitos é o de que, nos vestibulares,provas difíceis prejudicam especialmente os estudantes do En-sino Médio público. Por conta deste mito, na USP por exemplo, já se discutiu a ,necessidade de levar a Fuvest a realizar provas mais simples ou,como se diz de forma eufemística, “de acordo com a realidadede nossos estudantes de escolas oficiais”. Isso para “ajudar” os Fuvest, Unicamp, Vunesp, Unifesp e UFSCar mantêm ao longo dos anosestudantes da escola pública. grande regularidade no formato e qualidade das provas, com variações pontuais Há muitos argumentos contra tal visão ingênua, porém, na dificuldade, o que torna importante que os estudantes que se preparam paracomo ocorre na rejeição de qualquer mito, o melhor remédio são disputar um lugar no ensino superior conheçam exames anteriores.evidências concretas. Fuvest e Unicamp realizam seus vestibulares em duas fases, Vunesp, Neste sentido, o exame de Enem traz lições preciosas. Unifesp e UFSCar em fase única. Em conjunto, os cinco exames aplicam 745 Queremos avaliar o efeito de provas fáceis sobre alunos com questões, das quais 355 são dissertativas e 390 são testes de múltipla escolha.base mais fraca? A 1ª fase da Fuvest é composta de 90 questões. Nove são as denominadas Simples, um exame aplicado a milhões de estudantes, de interdisciplinares. Seis matérias têm, cada uma, 10 testes: Biologia, Geografia,média geral conhecida – tanto dos estudantes do ensino públi- História, Matemática, Química e Física. Português tem 16 questões e Inglês, 5. Aco, quanto do ensino privado – pode servir perfeitamente como 2ª fase da Fuvest é de provas específicas, com um total de 70 questões disserta-um “tira-teima”. Tais características estão presentes no Enem de tivas, mas nenhum candidato faz mais de 40 questões. De acordo com a carreira2007, cujos resultados foram apresentados em novembro do ano escolhida, os candidatos resolvem no máximo quatro matérias, cada uma compassado e agora em abril. 10 questões. Na 2ª fase, a única prova obrigatória para todos é Português, com Esse exame teve média muito alta – foi uma das provas mais Redação.fáceis já aplicadas até hoje pelo Inep. Na Unicamp, nas duas fases do exame, todas as questões são dissertativas. As notas por escola mostram três grandes grupos: escolas pri- A 1ª fase, além de Redação, inclui 12 Questões Gerais, duas por matéria: Ma-vadas, escolas técnicas públicas e escolas públicas estaduais. temática, Química, Física, História, Geografia e Biologia. Na 2ª fase são aplica- A exigência principal do Enem 2007 foi a de ler com atenção das 96 questões, 12 por matéria. Nesse exame final, além das seis matérias daos enunciados – quase nenhum conhecimento específico foi 1ª fase, entram Inglês e as questões de Português.pedido, mas o desempenho das escolas públicas estaduais foi A Vunesp realiza seu exame em fase única. A primeira prova, de Co-péssimo, aumentando o fosso que as separa do nível médio das nhecimentos Gerais, é constituída de 84 questões em forma de testes. Aescolas privadas. segunda, escrita, é de Conhecimentos Específicos para as áreas de Biológi- Para se ter uma idéia dessa distância, a escola estadual de cas, Humanas e Exatas, cada uma com 25 questões. A terceira é de Línguamelhor nota na capital de São Paulo, o Colégio Rui Bloem, obteve Portuguesa, com 10 questões dissertativas e Redação.média no Enem igual a 59,27. Com esta nota, ficou na tricentésimatrigésima quinta posição dentre as demais escolas da Capital. O vestibular da Unifesp, também em fase única, é constituído de uma Não adianta facilitar o exame – o Enem fez isso ao limite! prova de Conhecimentos Gerais, com 90 questões de múltipla escolha (15 de O problema é que o ensino público não-técnico está forman- cada matéria: Matemática, Biologia, Geografia, Física, História e Química);do estudantes no Ensino Médio sem que eles tenham condição uma prova de Português (30 testes), Redação e Inglês (15 testes); a terceirabásica de leitura. A questão não está nos conteúdos. Não adianta prova, escrita, é de Conhecimentos Específicos, uma para as áreas de Exatas“facilitar” o exame da Fuvest, ou qualquer outro, para melhorar o e Biológicas, com 20 questões de Biologia, Química, Física e Matemáticaacesso de estudantes que não tiveram ensino de qualidade. (cinco de cada), e outra para a área de Humanas, com 15 questões de His- Isto é desviar a atenção do problema real. É preciso melhorar tória, Geografia e Língua Portuguesa (cinco de cada).o ensino público – e o desempenho das escolas técnicas mostra No exame da UFSCar, aplicado em fase única, todas as matérias incluemque essa mudança é possível. questões escritas e de múltipla escolha. No total, 76 testes e 42 questões Vale lembrar que entre as 10 escolas com maiores médias dissertativas.da Capital estão duas escolas técnicas – uma federal e outra Nas páginas seguintes, em um serviço especial para os leitores de Ten-estadual. dências do Vestibular, os professores do ETAPA comentam e avaliam as provas de 2008. Professores do Etapa Vestibulares Publicação da que comentam as provas de 2008 Gráfica Editora Guteplan BIOLOGIA Ângelo Antônio Pavone Redação: Rua Vergueiro, 1987 Tel.: (011) 2187.1000 FÍSICA Marcelo Monte Forte da Fonseca Apoio Editorial GEOGRAFIA Omar Fadil Bumirgh Equipe Pedagógica do Grupo ETAPA HISTÓRIA Rogério Forastieri da Silva Editor Responsável INGLÊS Alahkin de Barros Filho Henrique Nunes MTb 9573 MATEMÁTICA Edmílson Motta Editor de Arte PORTUGUÊS Célia A. N. Passoni Adriano Emanuel Rodrigues QUÍMICA Édison de Barros CamargoPágina 2 TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR 137 ABRIL 2008
  3. 3. E T A P A C O M E N T A PORTUGUÊS - Ler e compreender Profª Célia A. N. PassoniO s vestibulares de 2008, notadamente os das uni- versidades federais e estaduais, mantiveram onível de excelência dos exames realizados nos anos a rapidez características das comunicações no século XXI. A coletânea foi composta de texto de Stephen Kanitz publicado na revista “Veja”, textoanteriores. Primaram pela elaboração de questões publicado no “O Estado” sobre países que se unemcuja qualidade, precisão e inteligência são carac- em projeto da ONU para formação da Bibliotecaterísticas primordiais. Mensuram a capacidade de Digital Mundial e texto adaptado de Zygmuntfazer associações e raciocinar do candidato, a partir Bauman, sobre Modernidade Líquida. Todos osde leituras selecionadas, tanto no que tange aos li- textos continham reflexões e notícias sobre ovros de leituras obrigatórias, como a outros tipos de mundo digital e também faziam menção ao direitotextos – quer literários ou não. Os examinadores pu- que os cidadãos do mundo todo possuem de saberderam traçar um perfil dos candidatos como leitores o que acontece ao redor do globo. A questão éticahabilitados na competência de entender e estabele- envolvia dar ao internauta a responsabilidade decer relações: o real significado de compreender. Ler selecionar aquilo que merece crédito e respeito. Levando em consideração o número crescente dee compreender são competências importantíssimas pessoas que se beneficiam da informação eletrô-para o estudante atual, para prepará-lo e inseri-lo no nica, buscar argumentos para defender esse oumundo moderno. Exames como os da Fuvest, Uni- aquele ponto de vista não deve ter apresentadocamp, Vunesp, UFSCar e Unifesp são exemplos a grandes dificuldades.serem seguidos e merecem ser estudados não só porfuturos vestibulandos, mas, sobretudo, por profes- Unicamp – 1ª fase – Redaçãosores, para que eles possam elaborar estratégias deaula a partir das tendências dos vestibulares atuais. Na 1ª fase da Unicamp, Português é exclusi-Estudar esses exames significa, portanto, debruçar vamente a Redação, que vale metade da prova.sobre as questões e descobrir possibilidades de boas tor por Oscar Niemeyer. O conhecimento de artes São corrigidas apenas as redações dos candidatose completas respostas. exigia noções de curvas e linhas, bem como de mais bem classificados nas Questões Gerais, até movimentos estéticos: uma questão bonita. oito vezes o número de vagas em cada curso. Em Fuvest – 1ª fase 2008, o tema de Redação proposto pela Unicamp Fuvest – 2ª fase focalizou a saúde, notadamente os programas de A prova de Português da 1ª fase da Fuvest combate a epidemias e de valorização da medicina2008 manteve-se equilibrada em relação à do Excelente é o termo apropriado para o exame preventiva. Políticas voltadas para o saneamentoano anterior. Teve o mesmo padrão de exigência de Português da 2ª fase da Fuvest 2008. Cobrou- básico e à educação da população merecem lou-e divisão semelhante entre os tópicos da matéria, se leitura e a gramática foi aplicada aos textos. vor por contar com a colaboração do governo eou seja, texto e literatura foram mais valorizados Literatura exigiu conhecimento dos autores em dos cidadãos na busca de soluções tangíveis parae, como em 2007, entrou uma única questão de exercícios criativos. A mais tradicional foi a que problemas como, por exemplo, a expansão dagramática pura, desvinculada de texto. pedia Dom Casmurro. dengue. As novas formas de enfrentar distúrbios As sete primeiras questões basearam-se em À semelhança da 1ª fase, as seis primeiras como a obesidade, a Aids, o álcool e outras drogastextos que não são das obras indicadas pela Fuvest questões utilizaram textos de autores diversos, passam necessariamente pela conscientização dacomo leitura obrigatória. Foram aproveitados tex- fora da lista de obras de leitura obrigatória: Mar- população.tos de J. Jota de Moraes (O que é Música), Mário celo Leite (Folha de S. Paulo), Sêneca (Sobre a A coletânea contou com nove excelentesde Andrade (carta a Murilo Miranda), Maquiavel tranqüilidade da alma), Carlos Haag (Pesquisa textos, extraídos de fontes diversas e que servi-(O príncipe) e Mário Quintana (A borboleta). Fapesp), Ruy Castro (Folha de S. Paulo), Elias ram para toda a prova, inclusive as questões. A Três das questões de literatura baseadas nas Thomé Saliba (Raizes do riso) e Millôr Fernandes leitura atenta dos fragmentos permite recolherobras indicadas pediam comparações. A Fuvest (Millôr definitivo: a bíblia do caos). bons exemplos e argumentos para sustentar atem essa característica, procura correlações e Dos autores e obras indicados foram apro- dissertação e a carta (recortes temáticos A e C)cobra inter-relações entre as leituras obrigatórias. veitados dois textos de Machado de Assis rela- ou a narração (recorte temático B).Por exemplo, na questão nº 51 o candidato devia cionados a Iracema, publicados na época em que Uma dica importante: quem vai prestar odizer a quais obras se referiam as afirmações apareceu esse romance de José de Alencar, e um vestibular da Unicamp já deve ter em mente areproduzidas no texto do enunciado. A resposta trecho de Dom Casmurro. Nas questões da 2ª fase proposta que vai escolher: dissertação, carta oucerta estava na alternativa d: Auto da barca do também foram incluídos Alberto Caeiro (Poesia) narração. A escolha na hora da prova pode acar-inferno, Dom Casmurro e A cidade e as serras. e João Cabral de Melo Neto, com o poema Graci- retar uma perda de tempo desnecessária.(Dom Casmurro, de Machado de Assis, foi base liano Ramos, em que o poeta se coloca no lugarpara outras duas questões). do prosador e desenvolve quatro afirmações. A Unicamp – 2ª fase A questão nº 52 pedia ao candidato que proposta era para que o candidato, imitando oconsiderasse três comparações entre Vidas secas procedimento de João Cabral, se colocasse no Embora com menos itens, a prova de Portu-e Iracema. Na questão nº 54, outra comparação lugar de Graciliano Ramos e desenvolvesse qua- guês da 2ª fase da Unicamp 2008 manteve-se longaentre obras: versos de Alberto Caeiro e A rosa do tro afirmações tendo como referência o romance pela complexidade e formulação das questões.povo, de Carlos Drummond de Andrade. Vidas secas (as quatro afirmações a serem desen- Até o ano passado elas tinham até três itens, mas O protagonista de Memórias de um sargento volvidas foram colocadas na página de respostas). um era bem fácil. O que era fácil foi descartado.de milícias, Leonardo (filho), foi também o pro- O texto de João Cabral de Mello Neto foi reapro- Com certeza, é um de nossos vestibulares maistagonista da questão nº 53. veitado do exame do Enem de dois anos atrás. complexos, que tem na leitura e compreensão A questão nº 55 era a única de gramática e A Fuvest geralmente cobra todas as obras que de textos sua maior preocupação. A maioria dosnela o candidato devia identificar a frase com indica – quatro ou cinco na 1ª fase e quatro ou vestibulandos está na faixa dos 17, 18 anos e essatodos os vocábulos grafados corretamente. Era a cinco na 2ª fase. Em 2008, uma delas não apare- prova exige uma maturidade que geralmente elesfrase da alternativa d: “Não prestou contas à asso- ceu: Sagarana, o que não é padrão. não têm. A correção, portanto, deve contempori-ciação de moradores, não compareceu à audiência A Redação da 2ª fase teve como tema o mundo zar um ou outro aspecto. As notas possivelmentee até hoje não disse por quê”. digital. Os candidatos deveriam redigir um texto são menos altas que as da Fuvest. Deve-se destacar o bom texto da questão in- dissertativo sobre a informação disponibilizada As questões de Literatura cobriram um terçoterdisciplinar abordando a arquitetura brasileira, pela Internet e a complexa questão da veracidade da prova e giraram em torno de seis das noveextraído de uma entrevista dada a Clarice Lispec- de tudo a que se tem acesso com a facilidade e obras indicadas como leitura obrigatória. Além da ABRIL 2008 137 TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR Página 3
  4. 4. E T A P A C O M E N T Aparte de Literatura, a Unicamp manteve seu estilo cas de São Paulo, a Vunesp faz a prova de Portu- nº 19; trecho dos Ensaios Céticos, de Bertrandclássico de cobrar leitura de jornais e revistas. Os guês mais simples. É um exame longo, com muito Russel, questões nº 20 a nº 23; A criança que pen-examinadores costumam exigir conhecimento de texto e muita explicação, mas de certa maneira é sa em fadas, poema de Alberto Caeiro, questõespeculiaridades da língua – o que é estilisticamente auto-instrutivo. E as respostas exigidas costumam nº 24 e nº 25; as cinco últimas questões, nº 26correto, o que é interessante, o que causa ambi- ser bem menores que as de outros vestibulares. a nº 30, basearam-se em texto de Lygia Fagundesgüidade – e escolheram, para base das questões: O tema da Redação de 2008, “É preciso ser Telles, “Que se chama solidão”.1 – uma tira de “Níquel Náusea”, da “Folha de S. famoso?”, também alicerçado em ótimos textos, O tema da Redação, “Os cuidados com a in-Paulo”; 2 – carta de leitor publicada na “Folha pediu que se refletisse sobre um assunto atual – a fância de hoje para um mundo melhor no futuro”,de S. Paulo”, após declaração sobre a legalização busca da fama. A coletânea que compôs o tema ofereceu aos candidatos quatro textos como base edo aborto feita por Sérgio Cabral, governador do reuniu: fragmento de conferência de Olavo Bilac acompanhou o tema de toda a prova de Língua Por-Rio; 3 – texto de campanha publicitária de um sobre a obra do poeta Bocage; fragmento de entre- tuguesa – a infância e os problemas que atingem asprovedor de Internet; 4 – versos do poema “Um vista do ator Pedro Cardoso à revista “IstoéGente”; crianças hoje. Levando os textos em consideração,chamado João”, de Carlos Drummond de Andrade, fragmento de crônica de Carlos Drummond de apresentou-se um vasto campo a ser abordado,em homenagem póstuma a João Guimarães Rosa Andrade; fragmento de fala do velho do Restelo, desde cuidados pré-natais até assistência médica(publicado no “Correio da Manhã”, em 1967); do canto IV de Os lusíadas, de Luís de Camões. à criança, passando pela importância da família5 – texto extraído de artigo jornalístico publicado Ao levar em consideração o cenário mun- e da educação e escola para os pequeninos. Nana “Folha de S. Paulo” comparando duas notí- dial, o candidato deveria dissertar sobre a busca relação de causa e efeito entre presente e futuro,cias: de um lado, o caso entre o senador Renan desenfreada pela notoriedade e pelos privilégios o tema fez lembrar Machado de Assis: “O meninoCalheiros e a jornalista Mônica Veloso; de outro, conferidos àqueles que são tidos como “vips” no é o pai do homem”.o artigo em que o apresentador de TV Luciano campo das artes, das ciências, da educação, daHuck expressava sua indignação contra o roubo política etc. Pode-se dizer, em última análise, que UFSCarde seu relógio Rolex. o tema leva à reflexão sobre um outro aspecto da Das obras indicadas, foram utilizados: futilidade da alma humana: a vaidade. A prova de Português da UFSCar 2008 oscilou1 – poema “Passagem da Noite”, de Carlos Drum- Tema atual e bem escolhido. E, mais uma vez, entre o básico e o complexo. Os 10 testes apresen-mond de Andrade, no livro A rosa do povo, que no conjunto, uma excelente prova. taram nível de dificuldade básico e centraram-sereúne composições escritas na época da 2ª Guerra em gramática e interpretação de texto. As cincoMundial e da ditadura do Estado Novo no Brasil; Vunesp – Humanidades primeiras questões tiveram por base trecho de2 – passagem de Dom Casmurro, de Machado de texto de Eduardo Giannetti, “Auto-engano”, e asAssis; 3 – poema O guardador de rebanhos, de Al- No exame específico da Vunesp 2008 para a questões nº 6 a nº 10 basearam-se em texto deberto Caeiro; 4 – trecho de A cidade e as serras, de área de Humanidades, a partir de um trecho de Cecília Meireles, “A arte de ser feliz”, em EscolhaEça de Queirós, para comparar a visão do perso- Os sertões os candidatos deveriam responder, na seu sonho.nagem sobre a aldeia a que viaja com a de Alberto parte de Português, a seis questões de Estilística, As questões escritas, que mesclaram interpre-Caeiro na questão anterior; 5 – trecho do capítulo Gramática e Texto. Não caiu Literatura. Todas as tação de texto, gramática e literatura, foram tra-“Contas”, de Vidas secas, de Graciliano Ramos; questões eram básicas, claras, sem margem para balhosas, com alguns itens complexos. Uma parte6 – trecho de capítulo “Empenhos”, de Memórias dúvidas, e contaram, inclusive, com explicações de complexidade alta pedia uma comparação, node um sargento de milícias, de Manuel Antonio de da banca examinadora. O trabalho consistia em tocante à composição de poesia, entre ViniciusAlmeida. Notou-se a ausência de Sagarana. ler com atenção as questões e remeter-se ao texto de Moraes (Para Viver um Grande Amor) e Carlos Houve uma retomada de questões de gramá- para chegar às respostas. Ainda assim, essa prova Drummond de Drummond (Procura da poesia). Astica, que não caíram no ano anterior. Neste ano, foi um pouco mais difícil que a de Língua Portu- possibilidades estilísticas de Guimarães Rosa fo-duas questões, correspondendo a 17% da prova, guesa, feita por todos os candidatos. ram exploradas em Grande Sertão: Veredas. Padreeram de gramática. Uma questão, a nº 23, era interdisciplinar, Vieira, que andava desaparecido dos vestibulares, cobrava um conhecimento de história. compareceu em quatro itens. Vunesp – Língua Portuguesa O tema da Redação voltou-se para uma re- Unifesp – Língua Portuguesa flexão sobre as causas e as conseqüências da glo- Como já é habitual, a prova de Língua Portu- balização em um ponto específico: a busca pelaguesa da Vunesp teve por base de suas 10 questões Essencialmente baseada em texto, a prova de beleza estereotipada, mesmo que isso signifiquetextos muitos bem escolhidos e exigiu do candi- Português da Unifesp 2008 circulou em torno do mutilação ou a perda de traços da personalidade.dato, sobretudo, compreensão. Os conhecimentos tema “infância” e contou com questões simples O tema “globalização” foi enfocado sob diferentesde gramática e de literatura nas questões da prova e bem formuladas. É um exame extenso, com 30 aspectos em quatro textos, extraídos de revistas enão passaram do nível elementar. questões. Mas extensão não implica dificuldade: jornais de São Paulo, que serviram de base para a Os textos utilizados foram: para as questões o exame é simples, chega até a ser rápido e, com redação. As causas parecem óbvias: a busca pelanº 1 a nº 3, Crônica da vida que passa, de Fernan- certeza, é o mais abrangente: além de Texto, cobra perfeição, ou seja, aproximar-se de um modelodo Pessoa; questões nº 4 a nº 7, soneto de Cruz Gramática, Semântica, Literatura e Estilística. considerado ideal. Não se poupam esforços: olhos,e Sousa e trecho de carta de Mário de Andrade a Os textos selecionados para a prova foram: A pele, testa, boca, altura etc., tudo pode estar à dis-Manuel Bandeira; questões nº 8 a nº 10, fragmento casa das ilusões perdidas, de Moacyr Scliar, base posição das mãos habilidosas de cirurgiões plás-de um poema de Alberto de Oliveira e tira de Adão para as questões nº 4 a nº 8; trecho da Bíblia, ticos. Mas a conseqüência pode ser nefasta, nãoIturrusgarai, em que o personagem monologa: “Eu questões nº 9 e nº 10; tira de Calvin, publica- só pelos riscos da própria cirurgia como tambémestava insatisfeito com minha aparência pessoal. da em “O Estado de S. Paulo”, questões nº 11 a por acarretar problemas de falta de identidade – aEntão fiz várias plásticas. Agora estou insatisfeito nº 13; Os filhos da Candinha, de Mário de Andra- personalidade perde sua característica básica, acom minha aparência impessoal”. de, questões nº 14 a nº 17; charge publicada no marca da individualidade. Bom tema e, ao mesmo Entre os vestibulares das universidades públi- jornal “Diário da Tarde”, de Minas Gerais, questão tempo, alarmante. FUVEST UNICAMP VUNESP UNIFESP UFSCAR Distribuição de Português Língua Específica p/ Língua TODOS 1ª fase 2ª fase 2ª fase Português nas questões 16 questões 10 questões 12 questões Portuguesa Humanidades Portuguesa 18 questões 10 questões 6 questões 30 questões Literatura 29% 35% 33% 10% – 13% 8% 8% Texto 35% 30% 21% 70% 34% 46% 31% 31% Estilística 12% 10% 8% – 33% 7% 8% 8% Veja todas as Gramática 12% 20% 17% 20% 33% 17% 34% 34% questões resolvidas em w w w. e t a p a . c o m . b r Semântica 12% 5% 21% – – 17% 19% 19% Página 4 TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR 137 ABRIL 2008
  5. 5. E T A P A C O M E N T AHISTÓRIA - Excesso de dificuldade Prof. Rogério Forastieri da SilvaE m 2008, as provas de História nos vestibula- res das universidades públicas de São Paulo,estaduais e federais, apresentaram predomínio item, o que era específico de cada uma. Posto que existe uma bibliografia vastíssima sobre o assunto, perguntamos: como é que se vai ter umade questões de alta complexidade. A 1ª fase da chave de correção que abranja todas as informa-Fuvest, uma exceção, foi compatível com um ções disponíveis? O problema se repete em outra questão aberta,exame de Conhecimentos Gerais, enquanto a 2ª em que se comenta no enunciado a visão tradicionalfase surpreendeu pelo grau de exigência. Tanto que existia sobre a Idade Média, considerando-aquanto a Fuvest, a Unicamp, na 2ª fase, formulou a “Idade das Trevas” (os historiadores, moderna-questões de elevado grau de complexidade. Na mente, não a vêem dessa maneira) e pedia-se paraVunesp, História era uma prova exemplar, mas o candidato indicar e descrever duas contribui-nos últimos anos seu grau de exigência a distan- ções relevantes da Idade Média e duas práticas oucia um pouco das características de uma prova instituições medievais lembradas negativamente.de Conhecimentos Gerais. Na Unifesp viu-se um Sabe-se que não existe uma resposta unívoca para estas questões.grande descompasso entre o nível da prova e os Existiram também questões bem formuladas,candidatos. E a UFSCar apresentou elevado grau que abrangeram tópicos importantes do progra-de exigência, ou seja, de maneira geral as questões ma, como a questão nº 3, sobre a importância daforam de alta complexidade. Inglaterra e da França no século XVIII, a França Provas com tais características mais excluem com a Revolução Francesa, a Inglaterra com ado que incluem os bons candidatos. No plano Revolução Industrial.formal, talvez caberia perguntar aos integrantes Outra questão em que dificilmente um alunodas bancas examinadoras se possuem o hábito de egresso do Ensino Médio teria informação e co- nhecimento suficientes refere-se à história dostentar responder as perguntas que formulam no es- Estados Unidos no século XIX. Trata da formaçãopaço e no tempo que concedem aos candidatos. do território americano no século XIX, e um item Fuvest – 1ª fase Poucos alunos do Ensino Médio têm informação pede que o candidato discorra sobre esse fenômeno sobre política interna do Chile no século XIX. com relação à questão indígena e à incorporação Na 1ª fase da Fuvest 2008, História esteve pre- No conjunto, a prova foi compatível com um de territórios pela agricultura. É como se existissesente em duas questões interdisciplinares. Uma, exame de Conhecimentos Gerais, que todos os can- uma única resposta sobre o que se passou com oa questão nº 2, em uma interface com Geografia, didatos devem fazer. destino dos indígenas naquele país. O item b é maisreproduzia dois mapas baseados no primeiro complexo ainda. Pergunta-se como o Oeste manifes-censo realizado no Brasil, em 1872, com dados Fuvest – 2ª fase tou-se na temática da cultura norte-americana nanuméricos sobre a população escrava e sobre a literatura, no cinema e nos meios de comunicação.população indígena. A partir dos dados dos mapas Na 2ª fase da Fuvest 2008 a prova de História Acreditamos que dificilmente um aluno egressonão havia dificuldade para se chegar à resposta, surpreendeu pelo grau de complexidade. Compa- do Ensino Médio tenha conhecimentos suficientesjá que é sabido que os índígenas, via de regra, não rada à prova do ano anterior, incluiu questões que de literatura norte-americana para citar exemplostrabalhavam em mineração. exigiam um grau de informação e conhecimentos de como o Oeste nela se manifesta. Para responder Quanto à outra questão (nº 4), a interface compatível com um bom estudante de graduação adequadamente a esta questão o candidato deveriaera entre Literatura e História. Um dos textos do em História e não de um candidato egresso do ter familiaridade, por exemplo, com as obras de Ja-enunciado, referindo-se ao extermínio das popu- Ensino Médio. mes Fenimore Cooper, Mark Twain e John Steinbeck,lações indígenas na América espanhola, repro- É de certa forma característico da área de entre outros. O mesmo se dá em relação à culturaduzia uma frase de Pablo Neruda: – “A espada, a Humanidades, no caso de questões dissertativas, cinematográfica. Dificilmente os jovens que vão aocruz e a fome iam dizimando a família selvagem”. certa dose de arbítrio, seja por parte de quem cinema preocupam-se com quem dirige a película.Perguntava-se: qual a outra causa que contribuiu formula a questão, seja por parte de quem a Um aficionado pelo cinema certamente saberia citar,para o extermínio dessas populações? Na leitura responde. Entretanto, acreditamos que se pode por exemplo, D.W. Griffith ou John Ford. O mesmodas alternativas não haveria dificuldade em se fazer algum esforço para minimizar esse grau se dá ainda, com um grau muito maior de dificul-chegar à resposta correta (a série de doenças tra- de arbítrio. As duas primeiras questões foram dade, na maneira pela qual os variados meios dezidas pelos espanhóis [varíola, tifo e gripe], para perguntas abertas. Com milhares de provas para comunicação de massa norte-americanos trataramas quais as populações indígenas não possuíam corrigir, qual deveria ser a mais adequada chave a questão do Oeste.anticorpos). de correção? Não existe unanimidade entre os próprios his- Nas questões especificamente de História, a Ainda, para responder cada questão de dois toriadores sobre o papel e a contribuição do Partidoprova da 1ª fase da Fuvest 2008 apresentou um itens os candidatos dispunham de 15 linhas. Sete Republicano no processo de mudança do regime porgrau de dificuldade menor que a do ano anterior. linhas para um item, oito linhas para o outro. ocasião do colapso da monarquia e era justamente oCom predomínio de questões com nível de com- Entretanto, existiam perguntas cujas respostas que se perguntava aos candidatos em um dos itens daplexidade básico, ela foi muito bem distribuída exigiam verdadeiras dissertações. Ou seja, para questão nº 7. Na questão nº 9, a partir das imagens depelos tópicos do programa. além do conhecimento histórico propriamente dito, Perón e Vargas, pedia-se para o candidato descrever A questão que destoou do conjunto, em grau cobrava-se dos candidatos um razoável domínio de esses personagens, explicando as relações entre ode dificuldade, foi a nº 77, que traz no enunciado vocabulário, competência no controle do tempo e Estado e os trabalhadores. Pedia-se em seguida paraum extrato de uma carta de Diego Portales, político redobrada capacidade de síntese. indicar no mínimo duas outras características desseschileno do século XIX que veio a exercer um poder A questão nº 1 pergunta no primeiro item o dois governos denominados “populistas”. Mesmoditatorial no país. A partir do texto o candidato de- que existe de comum entre a cidade antiga grega, que os candidatos dispusessem de conhecimentosveria responder sobre o que esse político defendia. do século V, e a cidade medieval. No segundo suficientes em relação a Vargas, acreditamos que ABRIL 2008 137 TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR Página 5
  6. 6. E T A P A C O M E N T Adificilmente teriam a mesma desenvoltura em rela- Judeus foram expulsos (1492), outros convertidos (os trabalho passa a ocorrer inteiramente no interiorção à Argentina sob o governo de Perón. A questão chamados cristãos-novos), outros ainda segregados, do território nacional”. Os examinadores pergun-nº 10 é exemplar em relação ao que aludimos sobre perseguidos e, mesmo, assassinados. tam: “Quais características do mercado de trabalhoo problema do espaço disponível para responder Na questão seguinte revela-se, por parte dos brasileiro, entre 1550 e 1930, permitem considerá-às questões. Essa questão, no item a, pede que seja examinadores, uma preocupação com os movimen- lo “desterritorializado”? A resposta talvez não sejaindicado o “processo histórico da Índia a partir tos indígenas na América Latina contemporânea. A tão trabalhosa, o problema é o candidato entenderde 1947 e seus desdobramentos posteriores”. E, no pergunta pede dois exemplos de mobilização política o significado da expressão “desterritorializado”. Naitem b, o processo histórico da China a partir de 1949 de populações indígenas. Aqui o candidato deveria maior parte da história, a mão-de-obra utilizada noe seus desdobramentos posteriores. Para além do se lembrar do movimento que, na Bolívia, levou à Brasil era proveniente da África. Quando são extin-domínio do assunto (China, Índia), compatível com eleição do presidente Evo Morales e lhe dá susten- tos o tráfico de escravos (1850) e a própria escravidãoa formação oferecida pelo Ensino Médio, o maior tação política. No caso do Brasil, o estabelecimento (1888), uma parte significativa da mão-de-obra passaproblema, acreditamos, deve ter sido a exigência de reservas indígenas. E, em termos de América a ser constituída por imigrantes europeus. É nessede uma grande capacidade de síntese para resumir Latina, o movimento zapatista, no México (Exérci- sentido que o “mercado de trabalho brasileiro estácom responsabilidade e correção cerca de 60 anos de to Zapatista de Libertação Nacional), que também desterritorializado” O item b – “Indique duas mu-história daqueles países no espaço disponível. tem raízes indígenas. Uma questão exigente. Houve danças no mercado de trabalho brasileiro ocorridas também questões clássicas, como na pergunta sobre nas décadas de 1930 e 1940” – se constitui em uma Unicamp – 1ª fase a importância do Tratado de Madri na definição das pergunta não menos trabalhosa e de caráter aberto, fronteiras coloniais em meados do século XVIII. que pode admitir variadas chaves de correção, das A 1ª fase da Unicamp foi uma prova bem feita, Entretanto, a questão seguinte, especialmente seu quais, por exemplo, poderiam constar o processodentro de sua finalidade. Ela se destina a candidatos item b, exigia dos candidatos conhecimentos sobre de industrialização e urbanização, a ampliação dode todas as áreas e quer verificar se eles dispõem de a cultura letrada na colônia entre os séculos XVI e trabalho assalariado e a conseqüente monetarizaçãoum mínimo de informação histórica e, sobretudo, se XVIII, o que supõe leituras bastante especializadas, da economia, a dinamização do setor de serviços, atêm competência de leitura, de vocabulário e de in- que vão muito além daquilo que tradicionalmente ampliação da classe média urbana, a aprovação deterpretação de texto. Diferentemente de outros anos, se estuda no Ensino Médio. uma extensa legislação trabalhista a partir da qualem que às vezes as perguntas eram de um grau de O item b da questão nº 19 pergunta: “De que o Estado passa a ser o mediador das relações capi-dificuldade muito grande, a deste ano estava adequa- maneira a Lei de Terras de 1850 buscou promover tal-trabalho, o aumento da importância política dada. O tema geral do vestibular foi a questão da Saúde o trabalho livre?” Trata-se de uma pergunta exigente classe média e do operariado urbano, a expansão doe os examinadores escolheram, no caso da História pois, de maneira geral, o escopo da Lei de Terras mercado de trabalho, do mercado de consumo e daGeral, a Peste Negra; no caso da História do Brasil, a era mudar o modelo até então existente de acesso à economia de mercado interno.questão da febre amarela, Oswaldo Cruz e a revolta terra (regime de sesmarias), que, a partir de então, Na última questão lê-se no texto do enunciadoda vacina. O texto oferece subsídios suficientes para se daria pela compra. Assim, só de forma indireta que, na década de 1960, “os governos democratas deos candidatos elaborarem uma resposta adequada. a referida lei promovia o trabalho livre ao destinar John F. Kennedy e Lyndon B. Johnson tentaram con- recursos da venda de terras para o financiamento solidar um “New Deal suavizado”. Ao mesmo tempo, Unicamp – 2ª fase da imigração de trabalhadores que não teriam, pelo os dois presidentes comprometeram o país com menos formalmente, a condição de escravos. Esse uma guerra sangrenta no Vietnã. No item b deve ter Tanto quanto a Fuvest, a Unicamp 2008, na nível de detalhamento não é comum, de maneira ocorrido um problema com a redação da pergunta:2ª fase, formulou questões de História com um geral, aos egressos do Ensino Médio. “Identifique as bandeiras políticas dos movimentoselevado grau de complexidade. A redução do Outra questão que merece ser comentada é a sociais nos Estados Unidos desse período”. Comonúmero de tópicos – no ano passado foram 34 que apresenta um texto de Eric Hobsbawm, extraído o item b se segue à pergunta sobre o que foi o Newperguntas e este ano 24 – não diminuiu o trabalho de sua obra A era dos impérios: 1875-1914. O autor, Deal na década de 1930, pode ter ficado a dúvidae a exigência desta prova. nesse texto, procura estabelecer nexos entre o desen- entre os candidatos sobre a qual “período” estava se A 1ª questão é perfeitamente compatível para volvimento da biologia e o que chama de ‘ideologia fazendo a pergunta, ou seja, sobre os “movimentosquem acabou de ser aprovado em um curso semestral burguesa’, afirmando ser ‘evidentes’ as ‘vinculações sociais” da década de 1930 ou dos anos 60?ou anual sobre a história da civilização clássica na entre biologia e ideologia no intercâmbio entre euge-Grécia Antiga em sua graduação em História. Pede- nia e a genética’. O autor define a eugenia como um Vunesp – Conhecimentos Geraisse que o candidato estabeleça as relações entre o movimento político, que incentivava a reproduçãomodelo político da Atenas clássica e a importância de seres humanos valorizados e a eliminação dos Na Vunesp, a prova de História tem apresentadoque o teatro e a oratória tiveram naquele período. indesejáveis. A partir desse texto, a banca exami- nos últimos anos um grau de exigência que a distan-O candidato que tivesse hábitos de leitura poderia nadora pergunta sobre as implicações políticas do cia um pouco das características de uma prova deextrair algumas informações a partir do enunciado, desenvolvimento da genética no início do século XX. Conhecimentos Gerais. Em anos anteriores essa pro-o que poderia ser um primeiro passo para estabe- No item seguinte, pede que o candidato “relacione va era exemplar, com excelente conteúdo e grau delecer nexos que dependem de um conhecimento a ciência do final do século XIX e a política externa exigência compatível para selecionar os candidatosmais aprofundado do tema. O item b pede que se européia do período”. A pergunta do item b extrapola que se destinavam às mais variadas carreiras. Ilus-apontem características do período helenístico que as informações contidas no texto. A partir do texto é trando o referido distanciamento podemos citar, poro diferenciam da Atenas clássica. Para além do grau possível comentar as possíveis implicações políticas exemplo, a questão nº 50, que envolve as históriasde complexidade, incorre-se aqui no já referido pro- relativas ao desenvolvimento da genética mas, certa- do cristianismo medieval e bizantino (‘querela dosblema das questões abertas. mente, não é possível relacionar “ciência” e “política iconoclastas’) e talvez tenha sido de uma especifici- Outra questão, com um texto de um historiador externa européia” no período solicitado. Mesmo dade bastante elevada para uma prova que pretendeportuguês, especialista na história das Inquisições, especialistas em história da ciência não se arriscam ser de Conhecimentos Gerais.apresenta o mesmo problema da anterior. Ele trata a fazer juízos genéricos sobre ciência em relação a A questão nº 53 é igualmente problemática.do estabelecimento da Inquisição na Espanha e, a quaisquer temas políticos. Provavelmente a banca Em seu enunciado ela reproduz um cartaz com aspartir do texto, o candidato deveria indicar os aspec- examinadora queria que se relacionasse “genética” bandeiras do Japão, da Alemanha nazista e da Itália,tos que definem a novidade da Inquisição fundada ou “eugenia” à “política externa européia” e não à e a figura de um guerreiro samurai. A não ser quepelo Papa Sisto IV. Esta pergunta supõe que o can- “ciência”, tal como aparece no enunciado. Problemas se tenha conhecimento prévio da origem do cartaz,didato possua familiaridade suficiente com o tema de formulação de questões prejudicam os candidatos não é possível saber qual é a alternativa correta. Elepara distinguir a Inquisição medieval instituída no estudiosos e podem ”premiar” os desatentos. admite mais de uma leitura. Poderia ser considera-século XIII e a Inquisição espanhola instituída no A questão nº 22 parte da adaptação de um texto do uma propaganda japonesa ou uma propagandaséculo XV. No item b desta questão perguntava-se do professor Luiz Felipe de Alencastro, que ocupa antijaponesa. No entanto, era sobre a superioridadesobre o destino dos judeus na Espanha entre os a cadeira de História do Brasil na Universidade de do Japão sobre os aliados.séculos XV e XVI. Exige-se um grau de informação Paris, na Sorbonne: “de 1550 a 1930 o mercado de Na questão nº 60 aparece a figura de um ri-e conhecimento do candidato que pode ultrapassar trabalho brasileiro está desterritorializado. Só nos noceronte, coberto e cercado de pássaros. O títuloaquilo que venha a saber durante o Ensino Médio. anos 30 e 40 a reprodução ampliada da força de da charge é “A coisa pública e a cadeia alimentar”, Página 6 TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR 137 ABRIL 2008
  7. 7. E T A P A C O M E N T Ae a legenda diz: ”Tá achando lotado? Tem de ver arraial de Canudos e o contexto histórico de sua letiva nessa prova.na hora do rush, fica tão cheio que não dá para destruição. Também chamou a atenção na parte escrita daver o bicho!” Referindo-se ao Brasil, a figura re- A questão nº 8 apresenta um cartaz do filme prova o fato de colocarem questões abertas, comopresenta o quê? A banca examinadora estabeleceu Deus e o diabo na terra do sol, de Glauber Rocha, e a nº 13, em que é pedida uma comparação entrea alternativa c como a correta: “a prática política no enunciado diz que, desde o final do século XIX, a independência do Brasil e dos demais países dacaracterizada pelo predomínio dos interesses in- o sertão tem sido tema de diversas obras literárias, América do Sul. O item a pede as semelhanças, odividuais sobre os direitos coletivos”. Entretanto, cinematográficas, musicais e plásticas, de que são item b pede as diferenças. Várias aspectos podema charge é passível de mais de uma interpretação, exemplo, além do filme, Os sertões, de Euclides ser lembrados. Os candidatos podiam enfatizarentre elas a que está contida na alternativa c. da Cunha, Romaria, de Renato Teixeira, e, em o aspecto econômico, ou o aspecto político, ou Com os citados exemplos fica sugerido que a certa medida, Abaporu, de Tarsila do Amaral. E outros variados aspectos. Ou seja, não há umaVunesp poderia voltar a ter o padrão de excelência pede que o candidato indique outras duas obras única chave de correção para esta questão.de anos anteriores. alusivas à figura do sertanejo, além das citadas, e Outra questão a ser comentada é a nº 14, de descreva seus conteúdos. Uma questão aberta. elevado grau de exigência: “Desde a Revolução Vunesp – Humanidades Na questão nº 9 são reproduzidas duas fotos, Industrial iniciada na Inglaterra no último quartel uma do presidente Juscelino Kubitschek com do século XVIII, o capitalismo passou ao longo A prova de História da Vunesp 2008 para a Garrincha, em 1958, e outra de Emílio Garrastazu dos séculos XIX e XX por grandes transforma-área de Humanidades foi muito bem concebida. Médici com Pelé, em 1970, anos em que o Brasil ções no seu funcionamento. Indique uma dessasOs examinadores usaram como base para as ques- ganhou o campeonato mundial de futebol. A par- transformações, do século XVIII até agora”. Atões iniciais um trecho de Os sertões, de Euclides tir da observação das imagens, o candidato deveria resposta a esta questão implica dissertar sobreda Cunha, um texto excelente, que exigiu grande comparar “as figuras acima à luz dos respectivos a história econômica mundial, do século XVIIIdomínio de vocabulário por parte dos candidatos. contextos históricos, observando seus aspectos à atualidade.Este pode ter sido o primeiro grande obstáculo da semelhantes e contrários”, e ainda devia escrever Por sua vez, o item b supõe um conhecimentoprova; o segundo foram perguntas cujas respostas, sobre o significado cultural e político do futebol de história econômica que dificilmente um candi-por vezes, exigiam verdadeiras dissertações, o para a história da sociedade brasileira. dato do Ensino Médio possui. Pergunta-se: “indi-que pode ter prejudicado os bons candidatos, seja Finalmente, na questão nº 10, os examinadores que os motivos que levaram a essa transformaçãopor falta de espaço na folha de respostas, seja por reproduziram um trecho do Manifesto de 1848, ou ao seu esgotamento”. O candidato precisa terfalta de tempo para responder adequadamente às de Marx e Engels, e um texto publicado no jornal conhecimento profundo do funcionamento doquestões propostas. espanhol “El País”, em junho de 2007, pedindo ao sistema capitalista ao longo do tempo para respon- A 1ª questão pedia ao candidato que discor- candidato que compare e indique as semelhanças der por que ele se transformou, por que o modeloresse sobre a importância do rio Tietê no passado entre os dois textos, “escritos em épocas distintas se esgotou. Rigorosamente, não existe consensoe no presente. e tendo naturezas distintas”. As semelhanças são entre os especialistas sobre os motivos que levaram Na 2ª questão, conforme o texto de Euclides a interdependência entre as nações, a expansão do às transformações. Há uma vertente que enfatiza asda Cunha, “houve duas colonizações portuguesas capitalismo na esfera mundial, o rompimento de transformações no plano tecnológico, que teriamno Brasil, diferentes e contrastantes, uma no sul e costumes locais em função de interesse econômicos importância suficiente para induzir as mudançasoutra no litoral nordestino”. O candidato deveria e a existência de um intercâmbio universal. em outros planos. É a idéia de que o sistema capita-mostrar essas diferenças, a partir dos seus conhe- Em resumo: as questões da Vunesp, na prova lista estimula e engendra mudanças tecnológicas ecimentos e do texto. específica para a área de Humanidades, são de exce- elas, por si, levam às transformações. Há a vertente Na questão nº 3, sobre o “domínio holandês” lente nível. Todavia, sua extensão e grau de exigên- que enfatiza o processo de expansão de mercadoscentrado em Pernambuco, citado por Euclides da cia, bem como seu caráter dissertativo, sugerem que em escala mundial. Aí a ênfase não é a tecnologia,Cunha, o candidato devia explicar os interesses se deveria estabelecer um melhor equilíbrio entre mas o mercado. Outros dão ênfase aos processoseconômicos em jogo e identificar os grupos sociais as questões, o espaço e o tempo disponíveis para endógenos do próprio sistema capitalista, que possuienvolvidos nos “choques memoráveis” naquele que os melhores candidatos fossem selecionados. uma dinâmica tal que engendra na concorrência aperíodo. Muitas das questões, isoladamente, poderiam valer inovação e novas formas de organização. Existem Na questão nº 4 perguntava-se: “Qual a con- pela prova inteira. fatores externos e fatores internos e discute-se atétribuição da exploração de metais preciosos, no hoje sobre isso. Não há consenso sobre os motivosséculo XVIII, e a da industrialização, no século Unifesp das transformações do sistema capitalista e o mesmoXX, para uma maior integração econômica e ter- se pode dizer em relação a seu esgotamento. Aliás, háritorial do país?” A prova de Conhecimentos Gerais da Unifesp vertentes que consideram as crises por que passou e Questão nº 5: “Apesar dessas riquezas, Espa- 2008 foi bastante exigente na parte de História. passa o capitalismo não como sinal de esgotamento,nha e Portugal não se industrializaram no século As questões, de maneira geral, envolviam sólidos mas de vitalidade. Entre as crises por que passouXVIII, como a Inglaterra. Caracterize a relação conhecimentos de História, a exemplo da questão o sistema pode-se destacar a grande depressão deentre exploração comercial, baixo desenvolvi- nº 74, sobre o chamado Memorial dos Coronéis, de 1873, quando a Inglaterra deixa de ser a única po-mento industrial dos países ibéricos e industria- fevereiro de 1954. Para quem conhece em detalhes tência industrial e tem de enfrentar uma acirradalização da Inglaterra”. Por que a Inglaterra foi o mandato presidencial de Getúlio Vargas, de 1951 disputa por mercados e matérias-primas em relaçãopara a frente e Portugal e Espanha não foram? a 1954, não há maior dificuldade. Entretanto, é a outras potências industriais. A outra é a grandeNão existe uma resposta satisfatória. Até hoje, uma parte bastante específica relativa aos eventos depressão que se segue ao crash da bolsa de Novasem unanimidade, economistas e historiadores da época. York em 1929, cuja solução foi o reforço do papeldebatem sobre as razões desse descompasso. É O mesmo se pode dizer em relação à questão do Estado como instrumento para rebater a crise. Nouma questão complexa. nº 75, aberta com uma declaração do presidente final do século XX, com o término da Guerra Fria, Igualmente complexa é a questão nº 6, em Jânio Quadros sobre a questão agrária no Brasil, o colapso do socialismo e a aceleração do processoque os examinadores pedem que o candidato em agosto de 1961: “Proclamo aquilo que toda a de globalização, com a ampliação de mercados e daidentifique características do processo de coloni- Nação reconhece: está caduca a estrutura rural concorrência em escala mundial, ocorre o colapso dozação, pelos gregos, da Ásia Menor, da península brasileira. A reforma agrária já não é, assim, tema modelo do Estado de Bem-Estar Social que apareceuitálica, da Sicília e do norte da África nos séculos de discurso, mas objeto de ação imediata: ação como alternativa no interior do sistema capitalistaVIII e VII a.C., que o diferenciem da colonização legislativa e ação executiva...”. O candidato devia às demandas por uma melhor distribuição de renda,realizada pelos europeus no continente ameri- interpretar o significado dessa declaração.. bens e serviços. Presentemente, face aos impactos dacano nos séculos XVI ao XIX. Um tratado sobre O elevado grau de dificuldade de algumas mundialização dos mercados, o sistema passa porcolonização. questões pode fazer com que os candidatos, seja um processo de reordenação, cujo sentido e direção Na questão nº 7, que traz uma fotografia dos por falta de tempo ou de conhecimentos suficientes, ainda estão em curso.habitantes de Canudos aprisionados por tropas escolham a esmo uma das alternativas apresentadas. Última questão: “Entre a instituição do regi-federais em 1897, o candidato deveria caracte- Dessa forma, a especificidade excessiva de algumas me republicano em 1889 e a volta da democraciarizar as circunstancias sociais da formação do questões pode tornar a parte de História menos se- em 1988, o Brasil passou por várias refundações ABRIL 2008 137 TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR Página 7
  8. 8. E T A P A C O M E N T Arepublicanas ou mudanças políticas. Em 1930, “a forte e atual presença de usos e costumes histórico o sistema fabril à época da Revolução1937, 1945, 1964. Escolha uma destas e expli- dos iorubás na Bahia”. Para os estudiosos do Industrial na Inglaterra).que porque aconteceu, porque esgotou”. É de tema trata-se de um conhecimento básico, mas A 2ª questão dissertativa reproduz um textoum grau de exigência despropositado. Há um provavelmente não o seja para um estudante do de História Geral da África, obra produzida pelagrande descompasso entre o nível da prova e os Ensino Médio. A presença de usos e costumes dos ONU. O texto é uma reflexão sobre as possibili-candidatos. iorubás na Bahia deve-se à resistência cultural dades de se escrever a história de uma sociedade desses descendentes de africanos islamizados que oral, que não tem documentos escritos. O item a UFSCar vieram para o Brasil, no contexto do tráfico de pede ao candidato que “escreva sobre a importân- escravos, de um território que hoje corresponde cia da criação da escrita na diferenciação entre A prova de História na UFSCar 2008 apresen- à Nigéria. Eram oriundos de classe social elevada sociedade pré-históricas e históricas que estevetou elevado grau de exigência, ou seja, de maneira e de sacerdotes firmemente ligados aos preceitos presente, durante muito tempo, no pensamentogeral as questões foram de alta complexidade. Ela religiosos africanos. europeu”. No item b, “a partir das interpretaçõesdestacou-se também pela originalidade na temáti- Questão nº 8, sem dificuldades, sobre a do texto apresentado, escreva por que é possívelca das questões. Nesse quesito, chamou a atenção revolta tenentista na década de 1920. O enun- escrever a história das sociedades orais”.a condenação a todas as formas de discriminação ciado refere-se à chamada Revolução de 1924, Na 3ª questão, a partir da carta do chefee, em outra vertente, o destaque ao caráter multi- ocorrida em São Paulo no segundo aniversário índio Seattle ao presidente dos Estados Uni-cultural das sociedades humanas. do levante do Forte de Copacabana (5/7/1922), dos, que pretendia comprar as terras de sua A parte das questões em forma de testes come- que se tornou marco inicial do Tenentismo, o tribo em 1855, o candidato deve “identificarça com um texto de Tucídides, trecho de História qual contestava os costumes políticos da Pri- uma diferença na maneira do chefe índio e dosda Guerra do Peloponeso, do século V a.C. Ao se meira República. brancos entenderem a relação entre o homem epensar na multiplicidade de carreiras e na diver- A questão nº 9 torna-se problemática ao es- a natureza” e “explicar as conseqüências, parasidade dos candidatos da Universidade Federal de tabelecer uma única leitura para uma manifesta- a população indígena dos Estados Unidos, doSão Carlos, verifica-se que é um início complicado ção artística. Seu enunciado: “Em 1968, o artista contato com os brancos”.por exigir, além de conhecimento, hábito de leitu- plástico Hélio Oiticica, acompanhado por outros A 4ª questão reproduz uma gravura que,ra e um significativo domínio de vocabulário. A artistas, participou de uma manifestação no Largo segundo o enunciado, “ilustra diferentes fasesquestão seguinte, sobre heresias medievais, é mais General Osório, em Ipanema, no Rio de Janeiro, da produção do açúcar no Brasil colonial. Obser-ou menos clássica. A 3ª questão é uma pergunta apresentando um estandarte/bandeira com a foto vando a gravura, o candidato deve identificar asbastante específica sobre a Revolução Francesa, de seu amigo morto, que dizia Seja Marginal, Seja fases da produção açucareira e depois falar sobretalvez detalhada demais para os candidatos que Herói. A obra era uma homenagem a um ladrão o papel exercido por ela na organização econômi-acabam de completar o Ensino Médio. e traficante do Rio, conhecido como “Cara-de- ca e social da Colônia”. Na gravura, em primeiro Na mencionada condenação às formas de dis- cavalo”, que foi assassinado violentamente pela plano, aparece um carro de boi (correspondendocriminação, a 4ª questão busca a origem do termo polícia”. A pergunta: “Considerando que a obra à chegada da matéria-prima, a cana-de-açúcar,genocídio. O candidato deve saber que está relacio- expressa um manifesto político, qual seu signi- ao engenho; nos galpões do terceiro plano en-nado ao extermínio de judeus pelos nazistas. ficado naquele contexto histórico?” A resposta contram-se as moendas (que podiam ser movidas A 5ª questão é problemática: “A característica (alternativa b): “Preito aos marginais em geral, a tração humana, com animais ou com rodasdo governo neoliberal da primeira-ministra inglesa que podiam ser tanto ladrões e traficantes, como d’água), que extraíam o caldo da cana; por fim,Margaret Thatcher balizou uma época que gerou...” estudantes, artistas e operários, presos e mortos no galpão do segundo plano (à direita na gravura)– e a alternativa dada como correta pelos exami- pelo regime militar”. Ao longo do regime militar encontram-se os tachos da casa de purgar, onde onadores é a d: “a reação de jovens ingleses, com o (1964-1985), o governo implementou e ampliou caldo da cana, depois de passar por processos desurgimento da banda Sex Pistols em 1975, com forte mecanismos de repressão à oposição e de censura fervura, era transformado em açúcar bruto.vínculo com os movimentos punks”. Esta questão na imprensa, de certa forma igualando – em seu Na última questão os examinadores colocamsupõe que todos os candidatos são aficionados por discurso e prática – criminosos comuns e dissi- dois textos, o primeiro destacando o caráter mul-bandas de rock. dentes políticos. ticultural das sociedades humanas, e o segundo Na 6ª questão o candidato devia ter um in- As questões escritas começam com um texto reproduzindo a receita de uma iguaria à base decomum conhecimento da história do Chile. O de Charles Dickens extraído de sua obra Tem- milho, o curau. O candidato deve dizer como oenunciado, além de não dar nenhuma pista sobre pos Difíceis. Muito bonito, mas sem domínio argumento do primeiro texto – as culturas estão oo país, tem um equívoco: o plebiscito a que se de vocabulário e familiaridade com a literatura tempo todo emprestando elementos umas das ou-refere (“El Plebiscito Del No”), em que o general dificilmente o candidato chegará a uma resposta tras – pode ser comprovado pela receita de comoAugusto Pinochet foi derrotado, dando início à satisfatória, identificando o contexto histórico fazer curau. Questão original, mas nada fácil.abertura política naquele país, foi realizado em descrito e, a partir desse reconhecimento, escre- No conjunto, as questões escritas foram de umoutubro de 1988, e não em 1989. vendo sobre os aspectos econômicos e sociais da- alto grau de complexidade e as respostas exigiam A 7ª questão pergunta sobre a que se deve quele momento (o texto tem como pano de fundo verdadeiras dissertações. FUVEST UNICAMP VUNESP UNIFESP UFSCAR Distribuição Conhec. Específica p/ Conhec. de História 1ª fase 2ª fase 2ª fase Gerais Humanidades Gerais História TODOS 10 questões 10 questões 12 questões 15 questões nas questões 12 questões 10 questões 15 questões Contemporânea 26% 20% 17% 26% 10% 20% 45% 24% Moderna 16% – 8% 8% 15% 13,5% – 9% República 9% 10% 17% 26% 40% 26,2% 15% 20% Monarquia 9% 20% 17% 8% – 6,7% – 8% Colônia 16% 10% 25% 8% 30% 13,5% 15% 15% América 25% 20% 17% 8% – 6,7% 15% 13% Veja todas as questões resolvidas em Medieval – 10% – 8% – 6,7% 5% 4% w w w. et a p a . c o m . b r Antiga 9% 10% 8% 8% 5% 6,7% 5% 8% Página 8 TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR 137 ABRIL 2008
  9. 9. E T A P A C O M E N T A QUÍMICA - Acertando a fórmula Prof. Édison de Barros CamargoN os vestibulares de 2008, a Fuvest, na 1ª fase, apli- cou uma prova de Química de conhecimentos ede habilidades também. Um exame trabalhoso, assim teriores e inclui questões tipo “siga o modelo”. Na questão nº 6 há o enunciado sobre uma situação clássica, reação de adição de hidrocarbonetos comcomo a 2ª fase. Na Unicamp, a prova da 2ª fase foi ligação dupla, estudada por Markovnikov no séculouma obra de arte. Diferentemente da Fuvest, onde ao XIX. A reação é escrita de maneira moderna, masolhar a questão a impressão imediata é de dificulda- é a velha Regra de Markovnikov. E detalha como essa reação acontece, o processo orgânico. Não éde, na Unicamp ocorre o contrário: parece fácil, mas conhecimento do Ensino Médio, mas sua inclusãotem a exigência necessária para selecionar bem. na prova é proposital. A Fuvest pega uma situação Química ambiental foi o principal assunto na em que o candidato não tenha a resposta prontaprova de Conhecimentos Gerais da Vunesp. A prova de memória. Ele vai ter de usar o enunciado e osespecífica abordou tópicos importantes e bastante fundamentos em cima dos dados apresentados.atuais da matéria. A Unifesp cobrou muito conhe- Para isso, tem de dominar fundamentos, tem de sercimento dos candidatos na prova geral, mas de hábil em formulação e ter o feeling de usar o modelomaneira não muito apropriada. Sua prova específica complicado da Fuvest para fazer um raciocínio eestava bem feita. A UFSCar utilizou nas questões resolver o problema.partes pouco comuns do programa de Química. A questão nº 7, sobre desidratação intermolecu- Houve um tempo em que, para resolver as lar e intramolecular, já caiu na Fuvest mais de uma vez. Evidentemente, há uma dificuldade em fazerprovas dos vestibulares, era suficiente estudar os questões inéditas. Uma boa prova acaba se repetindoprincípios da Química, as leis, os fundamentos, as porque tem de abordar os mesmos itens importantes.fórmulas, os nomes, as situações. Não é mais. Na Muda a fantasia mas o folião é o mesmo.preparação atual, o domínio da Língua Portuguesa De resto, uma prova tecnicamente perfeita.é cada vez mais importante para o entendimento Felizmente, a Fuvest acertou a mão. Estabeleceu adas perguntas e para condensar as respostas no nova altura de seu muro, que já esteve mais alto.espaço disponível – que na Fuvest corresponde a Agora acho que acertou a altura.aproximadamente meio papel carta. Unicamp – 1ª fase Fuvest – 1ª fase que os vagões são os compostos. Antes do engate eles eram aminoácidos. Manda-se quebrar o trem e A 1ª questão de Química da 1ª fase da Unicamp Depois da extrema dificuldade da prova de identificar os vagões separados. parte de um dos textos da coletânea do vestibular,Química de 2006, a Fuvest buscou maior equilíbrio A questão nº 27 reproduz trecho do livro de autoria de Dráuzio Varella, em que ele contestaem 2007 e chegou em 2008 a um padrão de prova Estação Carandiru, de Dráuzio Varella, que fala a prática de se “atribuir ao doente a culpa dos ma-adequado à seleção dos melhores alunos para a sobre a produção clandestina, pelos presidiários, les que o afligem, (...) procedimento tradicional naUniversidade de São Paulo. É uma prova muito bem da aguardente chamada maria-louca. No Brasil os história da humanidade”. O enunciado acrescentafeita, um exame de conhecimentos e de habilidades índios mascam mandioca para fazer a bebida deles. que, “no entanto, a exposição exagerada ao sol, semtambém. Não é uma prova fácil, ela é trabalhosa, Os presidiários mascam arroz. Repetindo a imagem o devido uso de protetores, é uma atitude que ocom muitas tabelas, gráficos, esquemas e enunciados acima, o amido também é um trem e os vagões são indivíduo assume por conta própria, mesmo sendolongos, que tornam importante a administração do glicose. O amido vira glicose e para depois virar alertado que isso pode ser altamente prejudicial àtempo. Mas não é um bicho-de–sete-cabeças para álcool ele tem de ser quebrado. Isso exige enzimas. sua saúde”. Desculpando a franqueza, a questão nãoos candidatos em condições de entender os textos Índios e presidiários usam as enzimas da saliva, tem quase nada de Química, é de cultura geral, umae os contextos. que é uma amilase também, para quebrar o amido. questão bem do Enem. É interdisciplinar. A 1ª questão, nº 20, com modelos moleculares Trinta anos atrás viajei para a América Andina e vi Agora, na questão nº 2 já estamos em plenade gases, é uma equação que representa uma reação as índias fazerem a cerveja de milho. Eu uso esse Química. Fala do uso de drogas injetáveis. Os efeitosquímica. Para resolvê-la é preciso conhecer realmen- exemplo há 20 anos. É uma ilustração em aula que do ecstasy no indivíduo. O primeiro item perguntate a simbologia química. virou um acerto na mosca. se a ingestão de água pode contornar algum dos Na questão nº 21 a Fuvest conseguiu formular problemas relativos ao uso da droga. O segundoum problema sobre biodiesel com uma situação Fuvest – 2ª fase pede um cálculo sobre a quantidade de comprimidosinédita. Um subproduto do biodiesel, o glicerol, que, ingeridos, pode ser mortal. É preciso calcular apermite gerar metanol, que pode ser reciclado na A 2ª fase da Fuvest 2008 também está longe do LD, grandeza que se usa em Medicina, e isso exigeprodução de biodiesel. Uma auto-alimentação. Uma desacerto de 2006, mas o candidato tem de estar mui- um cálculo profissional em Química, para medir asituação complexa. Porém, com conhecimento con- to bem preparado para fazer uma prova como essa, quantidade de matéria, em MOL. Questão fácil eceitual e domínio da Língua Portuguesa, a questão que não é rápida, é trabalhosa, com cálculos e mais muito bem feita.não chega a ser difícil. Tem um cheirinho de Enem, cálculos, dados e mais dados, gráficos e esquemas. Apesar de sua qualidade, eu acho que as ques-é quase uma interpretação de texto. Os enunciados estão maiores ainda que na 1ª fase tões da 1ª fase da Unicamp não foram adequadas. A 3ª questão da prova, nº 22, é sobre a peça e, sendo dissertativa, há a dificuldade adicional de Muita coisa importante de Química ficou de fora.Oxigênio, escrita por dois americanos, Carl Djerassi responder no espaço disponível, que correspondee o Prêmio Nobel de Química Roald Hoffmann. a menos da metade de uma folha no formato carta. Unicamp – 2ª faseEssa peça foi encenada há dois anos no Etapa, com Um exemplo dessa desproporção é a questão nº 3,a presença de Hoffmann. O enunciado da questão em que o longo enunciado exige na resposta um Na 2ª fase, a prova de Química da Unicamp 2008reproduz um diálogo da peça sobre a descoberta do raciocínio e a feitura de um gráfico. é uma obra de arte. Os examinadores até se deramoxigênio. Para resolvê-la, é necessário apenas conhe- Um ponto a comentar refere-se à questão nº 5: o ao capricho de colocar humor na prova. Personagenscer símbolos e fórmulas atuais dos componentes da pH é um logaritmo decimal e, normalmente, quando que apareceram na prova de 2002 estão de volta. Ummistura gasosa. há valores quebrados, o examinador fornece o dado deles é Omar Mitta, vulgo Rango, um cidadão obeso, A questão nº 28 trata dos compostos que parti- numérico: “o pH é este aqui”. Na Fuvest, para des- hipertenso, entre outras coisas. Outro personagem écipam da formação da estrutura de uma surfactina, cobrir o pH na questão era preciso fazer o cálculo. sua esposa, Dina Mitta, vulgo Estrondosa. Boa parteque tem ação antiviral. Usando uma imagem repre- Isso é Matemática. das questões versa sobre o que eles fazem na prepara-sentativa dessa estrutura, ela é como um trem, em A parte orgânica repete o padrão de anos an- ção da casa para dar uma festa e na festa em si. Com ABRIL 2008 137 TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR Página 9

×